Explicação da existência, forma, funcionalidade, de plantas terrestres, pela Matrix/DNA Theory

January 22nd, 2021

Nenhuma descrição de foto disponível.
Monotropa uniflora ( cachimbo indiano), Imagem: Foto / Fonte: Nance Noel / Gardening Know How

Cachimbo indiano (Monotropa uniflora) é definitivamente uma das maravilhas estranhas da natureza.

Por não ter clorofila e não depender da fotossíntese, esta planta branca fantasmagórica é capaz de crescer nas florestas mais escuras.

Muitas pessoas se referem a esta planta estranha como fungo de cachimbo indiano, mas ela não é um fungo – apenas se parece com um. Na verdade, esta planta com flores é membro da família do mirtilo.

Sugestão da Matrix/DNA Theory:

Nada mais, nada menos, que a materialização da função sistêmica n.1. Ou alguém acredita que a matéria estupida deste planeta criou isso, e do nada? Neste caso da Monotropa, por ser uma das primeiras formas surgidas como sistema biológico terrestre, ela imita fielmente e geneticamente, as formas do seu ancestral e criador direto, que foi este sistema astronômico (veja a fórmula universal dos sistemas naturais). Neste ancestral a Função 1 é executada no núcleo do sistema, onde tem um vórtice rotacional ( a que teorizam erradamente como buraco negro), envolvido por um quasar. Os nutrientes vêm dos cadáveres estelares e entram no vórtice cônico pela sua base; por isso essa planta necessita apenas dos ingredientes químicos que vem do solo entram pelas suas raízes. O quasar é constituído pela poeira estelar que circunda o vórtice e brilha intensamente devido a luminosidade vinda do vórtice. A planta reproduziu tudo isso fielmente, tornando o quasar em as pétalas do copo, e são brancas imitando a brancura do quasar. Simples reprodução genética com mutação ambiental na passagem da Evolução Cosmológica para a Evolução Biológica…. (Matrix/DNA Theory)

Veja a formula, a F1 entenda:

Formula Universal dos Sistemas Naturais, na forma de diagrama software.

Post no Facebook: Parece cultura inútil, mas sem esse conhecimento não vamos nos livrar da lei do karma. A nossa liberdade virá pela expansão da nossa consciência. mas para expandir a consciência precisa ser alimentada, como alimentamos o estomago. E qual o alimento que a consciência aceita e digere? Ora, ela está aqui para aprender como funciona esta dimensão material, este universo natural. Então ela só aceita e digere informações reais sobre este mundo natural, ela vai transformando estes bits-informação em bits-consciência. os humanos batem os olhos numa planta como essa, admiram sua beleza, sentem a estranheza que emana dela, mas ficam nisso. É preciso saber muito mais sobre ela, de onde veio, como veio, porque foi feita assim, qual o significado de sua existência etc. E não existe método mais indicado para se obter todas estas informações que a consulta ao oraculo fantástico que é a fórmula universal de todos os sistemas naturais…

Anarquismo e liberais: experiência fracassada do Free Town Project

January 18th, 2021

Baseado no artigo:

Libertarians Took Control of This Small Town. It Didn’t End Well.

A new book shows the troubling consequences of Grafton, New Hampshire’s anti-government experiment.

by Elizabeth Austin

https://washingtonmonthly.com/magazine/september-october-2020/libertarians-took-control-of-this-small-town-it-didnt-end-well/

Tem um grupo que deseja viver numa comunidade que chamam de “livre”. Seria sem governo, principalmente para eliminar os impostos. Ninguém diria a ninguém como viver, o que fazer. Exemplares da classe média de todo o pais se uniram e tentaram montar essa cidade onde havia já um protótipo com 2.000 residentes, Grafton, em New Hampshire. Vestiam-se excentricamente, cabelos de todas as pinturas e formas, etc. Eliminaram a prefeitura e os impostos que era 1,5 milhão de dólares, reduziram para 1 milhão gestado pela comunidade para pagar serviços essenciais, como coleta de lixo, agua, etc.

Mas não deu certo, os liberais e anarquistas v foram voltando para seus antigos lugares, om projeto fracassou. A história foi relatada num artigo ( ) e num livro, A Libertarian Walks Into a Bear , de Matthew Hongoltz-Hetling. .

Como a nossa nova cosmovisão, resumida na Teoria da Matrix/DNA, sugere tambem uma nova forma da humanidade se organizar em sociedade, diferente deste projeto, este experimento nos serve de teste e comparações. A primeira coisa que notamos no projeto que o tornaria inviável a ser implantado em todos os lugares, é a questão da divisão das propriedades, da terra. Neste projeto os exemplares da amostra tinham dinheiro para chegar já sendo dono de terra, mas 90% da humanidade não tem e as terras já estão ocupadas. A outra falha, é que acho que pensaram apenas nos prazeres, nos direitos, e se esqueceram do trabalho duro, dos deveres. Por isso, cada qual desenvolveria seu método para se sustentar, cada um por si, enquanto no projeto da Matrix/DNA todo o consumo seria organizado numa cooperativa e a produção seria trabalhada por todos, desde a produção do alimento, das moradias, do sabonete e das fabricas socializadas de aviões…

Vale a pena registrar aqui os links e nome do livro para responder e indicar nos debates com os anarquistas e liberais que criticam meu modelo, e para buscar lê-los se tempo houver.

Um método para ressuscitar na juventude estudantil moderna o espirito critico dos filosofos como Socrates

January 17th, 2021

Baseado no artigo em:

https://www.bbc.com/portuguese/geral-55476570

Por que tantos jovens concluem estudos sem desenvolver verdadeiro espírito crítico

Precisamos desenvolver uma argumentação explicita dos motivos que estão eliminando a possibilidade de pensamento critico, e se possivel, a partir daí desenvolver o método para ressucita-lo. A seguir copiei meu post postado neste artigo no ramo da BBC.COM no Instagram, no link:

https://www.instagram.com/p/CKHejhmssaG/

louischarlesmorelli – Nos bancos escolares está morrendo o espírito crítico. A visão de mundo construída apenas pela Física e seu idioma, a Matematica, já desvendou todos os grandes mistérios, definindo o fio da meada que iniciou do nada, manifestou-se como um átomo minúsculo que explodiu num Big Bang e desencadeou a cadeia de acasos que criou a vida e tudo o mais que existe. Não tem espaço e nenhum sentido formular um pensamento crítico sobre um mundo tão simples. Os poucos que se arriscam são imediatamente exigidos apresentarem provas de fatos não constantes desse fio da meada. Ora, o espírito crítico teoriza a existência de fatos que seriam opostos aos fatos propagandeados, criando uma teoria e buscando experiencias que comprovem a realidade destes fatos imaginados. E isto exige inéditos métodos de investigação, porém, a academia não aceita criar as condições de investigação e experiencias que não sejam continuações retro alimentadoras das experiencias que embasam essa visão do mundo. Tão senhores dessa verdade e crentes nela estão que já declararam a morte da filosofia como cultura inútil. Nem os fenômenos “fora da caixa” na dimensão quântica abalaram essa visão pois, sem explicá-los, varreram tudo para debaixo do tapete confeccionado com o cálculo das probabilidades. Quando espalhei todos os fatos comprovados que suportam essa visão do mundo sobre a mesa e neles apliquei o pensamento crítico, percebi surpreso que existe na natureza uma variável que permeia toda a história da matéria universal e nunca foi detectada pela academia. Porém, apenas uma variável nova inserida no contexto geral muda tudo, o mundo definido plea física mecanicista se torna um mundo definido pela biologia vital. Mas para comprovar a existência dessa variável é necessário desenvolver outros instrumentos tecnológicos, de captação e medição, mas a academia jamais encontraria fundos para isso. Estamos definitivamente dentro de uma armadilha, caminhamos para o mundo dos zombies robotizados,

What type of ideology could possibly create unity?

January 15th, 2021

This question was posted in a forum and it is un discussion, here:

https://www.facebook.com/groups/799987083411428/

This is my post:

The one that emerges from Matrix/DNA world view. Resumed: ” We are 8 billion brothers-genes half-conscious that, with more zillions of other less or more conscious brother-genes spread in this Universe, are building and nurturing this fetus of extra-universal consciousness, located at our brain-placenta inside this head-egg. As a universal gene, each human, even the poorest, is a genetic information, unique, specific, indestructible, not transferable, it is the mission of each one to work and to insert his/her information into this great process of universal reproduction of the unknown thing that triggered that act of fecundation called Big Bang. If a unique brother in this Universe could not accomplish its mission, all of us that will be the baby born at the Day of the Big Birth, we would be a hand capped being… and I suspect that the unknown pregnant thing will take medicine for not permitting it. So, give to your life and behavior the meaning of existence of genes. Look to each human or conscious alien as how you look yourself and understand her/him as you understand yours desires, necessities, this is empathy. Never do anything that can prejudices a brother in the most faraway places of Africa or USA or any other place, which could limit its freedom or material capacity for accomplish its mission. And have a long, healthy, prosperous life my brother, because I need you happy in good standing as I need myself.” – This world view discovered this meaning of life applying the method of comparative anatomy among all-natural systems, from atoms, to galaxies, to living beings, so, there is no scientific or philosophical way to debunk it…

Mohan Katarki – The society cannot be united as one unit. However, unity in diversity can be achieved, if the freedom of individuals is recognised, if the dignity of individuals is respected and if the individuals are treated equally.

Answer by Louis Charles Morelli:

Mohan Katarki – Who will be in charge for judging and executing it? Diversity of groups are like distinct parts, pieces, organs of a unique system each one more specialized at one systemic function. Each system has a control identity, keeping the internal homeostasis, equilibrium. Who will be in the control? So, the unique way for a working unite will be no system at all, must have an international Congress, every decision being voted by all individuals. Oh… no… the majority always make mistakes… For example: I think it is wrong sending all money for food to the poorest and no money for spatial exploration like NASA. The majority will think another way… Really this is a difficult human dilema…

A Suprema busca existencial: ” Que é… EU ?!”

January 13th, 2021

Nesta prisão por esta pandemia, quando às vezes não temos o que fazer do nosso tempo”, eu resolvi experimentar, inventar uma meditação diferente de todas as que ensinam. E para minha surpresa esta meditação me levou a um mundo jamais imaginado, que, tenho certeza, vai ser relembrada em muitas futuras ocasiões. Eu daria tudo para ver outro humano tentando copiar essa experiência para ver onde ele vai dar… Se alguém se voluntariar, vá para a cama, apague a luz, deite relaxado, feche os olhos e comece, sentindo isso… :

Escuridão total à minha volta. Tudo negro, à frente, aos lados, acima, abaixo, atrás… sou cego. E não sinto mais nada…

O que é este cego, o que sou EU?

Uma palavra soa em mim: sensação. Eu sou uma sensação. Eu sinto. Sinto existir, ser. Ser… sou… alguma coisa, que não consigo entender. Então… s e n t i m e n t o… Sou uma sensação, uma coisa que sente sentimentos.

Sinto que estou pulsando. Isso vem de uma respiração que está acontecendo. Estou sentindo uma coisa, ligada a mim, que está respirando, me alimentando com energia, ar. Sinto que esta outra coisa está sentindo pressão de outra coisa, um peso, vindo da escuridão. Gravidade! Então tem mais coisas na escuridão…

Mas continuo cego, às escuras. E pior: sem poder me mover, entrar nesta escuridão, sair daqui, me mover. Mas como? Se não me sinto como algo real, nem vejo a minha substancia que me faz existir, como algo, como um corpo?

Estou me inflando, me energizando ou usando a energia que estou recebendo, tendo uma vontade, de apalpar a escuridão, de me mover na direção da escuridão. Mas como, se não tenho mãos para apalpar nada, nem pernas para me mover?

Epa!… Epa!!!… Apareceu uma luz! Luz! Um … milagre? As trevas sumiram, a luz me mostra o que existe, apareceram algumas coisas, onde era total escuridão!

Apareceu um lugar, um espaço, um mundo, cheio de coisas. Coisas que tem substancia, são feitas de uma substancia. Vou dar o nome a ela de “matéria”.

E agora? Que faço? Não posso me mover, tocar essas coisas, fico aqui parado só observando coisas?

Todas estas coisas estão cercadas por uma das formas dessa matéria, vou dar-lhe outro nome: “paredes”. A luz não vai além das paredes. Não mostra o que existe além delas, se é que existe mais alguma coisa.

Bem,… se tenho que ficar parado observando, vou me entreter dando nomes a estas coisas, nem sei para que?… “isso vai se chamar cama” , “isso será forro”, “mesa”, “estante”, “roupa”… e outro objeto aqui… muito perto de mim… vai se chamar “corpo”…”corpo de carne”… Tudo inerte, nada se move, de onde vieram estas coisas, o que as produziu, para que estas coisas estão aqui?!

Se eu não posso me mover na direção delas e elas não se movem na minha direção?! Não sinto nenhuma conexão entre mim e estas coisas, sou como uma nuvem, uma fumaça, no meio destas coisas densas…

Bem, deixa-me organizar-me para tentar entender o que aconteceu, o que está acontecendo. Eu era uma percepção de existência, no meio da escuridão, estática. Aí senti que recebia algo, de uma pulsação: agora dei nome às coisas que estava recebendo: ar, energia, sangue. Havia um movimento ao redor de “eu”, existindo. Então me surgiu uma vontade, que reuniu aquela energia, e fez aparecer uma luz ao redor. Aí… não… mas espera aí… antes da luz aparecer eu senti que houve um movimento fora de mim. E foi na minha frente… e agora percebo… foi no corpo de carne perto de mim. Algum ponto neste corpo de carne, ao qual vou dar o nome de “janela”. Houve um movimento na janela, foi quando a luz apareceu. A minha vontade move janelas?! E movimento nestas janelas faz luz aparecer? E luz faz um mundo de matéria aparecer?! Que absurdo! Um milagre atrás do outro, sem um milagroso, fazendo aparecer coisas do nada, no nada?! Claro… isso tudo só pode ser uma ilusão em relação ao “eu” que existo e como me sinto ser.

Então a existência consiste em constatar a existência deste mundo feito de milagres? E… só isso?

Milagres, mundo de ilusões, isto o que essa luz me mostra? Está bem, vamos entrar no jogo, ver onde isso vai dar…

Estou cansado de ficar observando isso, tudo estático, eu estático, acho que vou me apagar. Melhor assim, deixar de ser essa existência absurda, incomoda, indesejável, insustentável, assistindo um mundo irreal… não tocando e nem sendo tocado por ele…

Estou me apagando? Estou me desfazendo dessa coisa de ser existente? Voltando para o nada absoluto, para ser nada?

Parece que meio sim e meio não. Porque algo novo está acontecendo comigo, está me surgindo uma capacidade de ver mais coisas, mas sem aquela luz, pois as janelas estão fechadas… será outra janela sendo aberta? Vou dar o nome a esta sensação de “sonho”. Então estou sonhando.

E estou vendo um baby recém-nascido. Estou dentro deste baby, sinto tudo o que ele sente. Um desconforto que me faz chorar, cegueira que me cerca tudo na escuridão. Por enquanto o baby é igual ao que sou antes do sonho. Tudo igual ao que sinto que sou. Apenas entrei em outro mundo, o qual também sou um observador esfumaçado mas dentro de um corpo de um baby recém nascendo. Nascendo num outro mundo, onde tem outra luz, outras coisas… mas uma grande novidade: se tento me desligar do que estou sentindo, percebo movimentos na escuridão, tem coisas se movendo, percebo pressões no corpo do baby…

Êpa!… me foi aberta outra janela?! A escuridão em volta do baby está se desanuviando? Estou agora vendo através de janelas do corpo do baby? Este sonho está ficando interessante!

Sim, e tem coisas aqui, corpos, que se movem, tocam o baby… não sei como, mas sinto… Que corpos interessantes! Tem tentáculos, se torcem e contorcem, se viram, tem duas janelas… e tem um buraco embaixo das janelas que se abre e mostra outras coisas lá dentro… emitindo mais uma novidade que aparece… vou dar os nomes de “som”, “ruídos”, “vozes”… Este mundo tem som, ruídos… muito interessante! O baby está se perguntando de onde veio tudo isso? Do nada? Das trevas? Ou existe algo mais, muito mais, do que percebo, que produz estas coisas todas?

Ai…, ai… que sensação ruim… de onde vem? De baixo… Estou vendo: os tentáculos estão mexendo numa parte do corpo do baby, vou dar o nome de “pés”. Mas o baby não tem consciência do seu corpo, apenas está sentindo, também não sabe de onde e porque vem a sensação incomoda… O baby sente uma vontade de parar aquela sensação, a vontade reúne energias, e parte do corpo do baby se encolhe, saindo fora do alcance dos tentáculos da coisa movente com duas janelas.

Uau! O baby percebe que tem o poder para fazer isso! Mover matéria que está longe dele! Ele tenta repetir olhando a matéria da cama mas não consegue mover nada, nem o travesseiro. Então ele tenta mover partes do corpo de carne e… sim… ele consegue… aqueles pés, aquelas mãos, estão sob seu poder, são dele!. E o baby passa horas se curvando para as mãos pegarem os pés, mexer neles, e ri muito com isso. Que baby boboca! Se divertindo com os próprios pés! Que sonho interessante.

Quando penso nisso, lembro que estou tendo um sonho, de repente percebo que…

Mas… espera aí… eu estou vendo um corpo de carne perto de mim assim como o baby viu. E o baby moveu o corpo, se moveu a si mesmo! Então será que se eu quiser movo também este corpo e vou conseguir me mover no meio desta matéria? Apalpar coisas?

Sim, o corpo de carne está se movendo… e sob o meu comando, minhas ordens, minha vontade! Eu existo!!! Eu sou!!!

Sou de fato um baby boboca, mas não interessa, descobri que sou algo real!

Ou melhor: sou igual, sou parte das coisas do mundo que se escondia nas trevas, não sou de matéria, mas faço parte do mundo feito de matéria!

Mas não tenho, não sou matéria igual a tudo que está neste mundo. Não consigo sentir de qual substancia é feita meu corpo. Nem janelas próprias de ver eu tenho, preciso de janelas do corpo carnal, para através delas, ver uma luz e um mundo…

Entendi tudo! Eu sou, eu existo, mas eu sou um embrião de um baby. Cego ainda. Preso, prisioneiro dentro de uma cela, uma caixa craniana. Estou sendo nutrido, cuidado, recursos abstratos imateriais devem estar vindo de fora, não sei de onde, como, mas deve ser assim como o cérebro, esta placenta, está recebendo nutrição vindo de fora. Estou me mantendo e sendo mantido para ficar inativo, cego, dentro da casca óssea de um ovo chamada crânio e no meio de uma placenta chamada cérebro. Mas não inativo total, parece que a minha disposição existem um fios, uns cordéis, posso mover extensões desse corpo de carne e osso, como a uma marionete, posso “chutar a barriga do mundo externo”.

Embrião! Embrião ou feto? Preso e na escuridão, ignorante da sua substancia, e até da forma de seu corpo, se é que tem um corpo abstrato. Como um holograma? Se ignoram o mundo relacionado á sua substancia física, o mundo feito com a mesma substancia que eles são feitos… estão fora do mundo que estão sentindo, em que estão dentro… Assim descrevo bem o que sou, o que é este “eu”.

Mas então o que foi tudo isso de uma luz aparecer, um mundo material aparecer, eu me movendo e sendo movido? Um feto, um embrião não tem nada disso. Raios… o que está acontecendo comigo?

Já sei!… Descobri…!

Sou um feto que está sendo nutrido, cuidado, por recursos vindo do mundo igual a minha substancia, o qual ignoro totalmente, como todos os fetos. Mas como um feto, estou esperando, e sonhando. Nos meus sonhos estou dentro de um corpo que funciona como um carro, um veiculo. Sou um motorista cego que posso mover minhas mãos, apertar um botão no painel desse veículo, ele acende os faróis, a minha cegueira e a escuridão desaparecem, e vejo coisas na frente, cercadas por paredes, estou dentro de uma grande garagem. Não sou eu quem vê, e sim o carro, mas consigo me “encarnar” no carro, sentir o que o carro sente, e assim consigo ver o que o carro vê quando acende seus faróis… Interessante!

No sonho me vejo com mais vontades, as quais movem coisas do carro, o carro se move dentro da grande garagem, para a frente, para traz. Vejo uma base de abastecimento para o carro, dirijo o carro, abasteço-o. Parece que cresci, deixei de ser um feto e sou um adulto dentro de casa, me abastecendo na geladeira, a garagem é minha casa.

Agora volto do sonho, me desligo do carro, sou o “eu abstrato” novamente. As dadivas que estou recebendo não sei de onde vem, na minha escuridão sem olhos, mas essa dadiva me incentiva a vontade, a compreensão, de que devo fazer dadivas, e assim repassa-las ao corpo de carne. Aplicar minha inteligência para melhor abastece-lo, cuidar e protege-lo contra acidentes, etc.

Como o “eu feto” nada mais pode fazer a não ser esperar… esperar o que o tempo vai fazer comigo, esperar se vou receber a visita das coisas ocultas que estão cuidando de mim e fornecendo a energia que transformo em minhas vontades… vou me entretendo cuidando deste corpo, e nisto vou aprendendo um monte de coisas do mundo material.

Espera ai… A única vontade que estou conseguindo expressar e obter resultado é a vontade desse sonhar… Na verdade ultima sou o “eu feto”, que não está dirigindo carro nenhum, nem um corpo carnal… fetos não podem se moverem. nem podem ver luz, e nem um mundo revelado por alguma luz.

Então o que está acontecendo?!

Enquanto espera, o feto sonha. Um sonho onde ele dirige um corpo carnal, complexo, como se fosse um robot, ainda meio desengonçado, de geração atrasada, que não obedece direito os comandos do baby sonhando, mas vale estar sonhando este sonho, isso entretém o baby, digo, o feto, enquanto espera. Neste sonho eu me vejo e me sinto um agente se movendo e atuando sobre o mundo material. O sonho parece prazer sadomasoquista pois não tenho controle total nem sobre o meu computador-robot nem sobre o mundo material externo… assisto muitas muitas coisas ferindo o corpo do baby sem alcançarem o eu que sonha, mas prefiro assim, sofrendo um pouco, sentindo as dores que o computador-robot sente, prefiro esta forma de gastar meu tempo de espera. Não tenho melhor alternativa.

O que me satisfaz nesta existência é que assim aprendi que babyes nascem, para um mundo externo, uma nova luz, feito com a substancia que eles são feitos. Então sei que minha hora de nascer vai chegar, e vou nascer para o mundo feito com a substancia de que sou feito. Deve ser outro tipo de luz, outra dimensão. O mundo dos fetos é temporário, é a ilusão de que aquela limitada prisão seja toda a realidade, este mundo ilusório é sempre descartado como a placenta… quando então vemos a luz no fim do túnel…

FIM

O interessante no arremate final dessa meditação foi constatar que nela tudo bateu com os milhares de relatos de pessoas que tiveram experiências de quase morte. Sentem-se apenas como consciência, flutuam no espaço, veem uma luz num túnel, etc… e voltam falando que esse mundo é ilusório…

A malicia nas perguntas de radicais ateus, deístas e ideologistas

January 12th, 2021

Como tenho levado a Matrix/DNA Theory para divulgação apresentando-a nos debates e fóruns, preciso estar atento em protege-la dos venenos à espreita. Como por exemplo:

A imagem pode conter: texto que diz "HIDING ASSERTIONS IN RHETORICAL QUESTIONS Quite often the questions asked in posts are not questions, rather they are assertions that hide and protect themselves in the form of a question so that the assertion becomes immune to critical assessment. The way the question is asked reveals the author's position about the topic and the question itself strengthens it by the way it is composed. Such a question is often asked naively, but even then a reader can assume that the author of the question really wants to argue, not discuss, any alternatives to the predetermined rhetorical question."

Este texto foi inteligentemente apresentado como critica a uma estratégia de “engula a isca”, ou “click bait” , em inglês, ocultada numa pergunta de um radical defensor da teoria darwiniana: Can evolution itself evolve?if not why not?

Suspeito que o autor procura manter alta produção de posts no seu canal e fique maquinando assuntos para os posts. Então ele não está, em primeiro lugar, pedindo ajuda para obter conhecimento pelo conhecimento, e sim, em busca de retornos materiais. Mas creio que isto se justifica e é benéfico porque realmente a questão estimula a expansão da consciência dos leitores. O problema está no “sequitur”: If not why not?

Quem não está radicalizado numa ideia, perguntaria: Se sim, ou se não, por favor, explique”. Mas aí ele estaria focalizando como peixes-leitores apenas aqueles que aceitam a evolução, porem, seria um debate curto e cansativo, porque todo evolucionista automaticamente aplica a sua teoria da evolução sobre o hipotético processo natural de evolução. Haveria alguns poucos apontando algumas evidencias para provar este ponto que todos conhecem. Mas quando ele desafia com o “se não…”, ele está incitando os peixes leitores que não aceitam a microevolução, lançando a isca. E qualquer resposta destes, seria mais uma chance do autor reiniciar a longa verborreia dos argumentos prós teoria da evolução darwiniana. Aumentaria sua receita e ele não teria se disposto a debate mas sim a arguir, afirmar sua posição, como sempre.

Nos debates envolvendo a Teoria da Matrix/DNA temos que estar atentos a estas manobras.

Nosso Deus é onda de Luz num movimento de queda e retorno para subir ao reino do Deus d´Ele.

January 11th, 2021

Pela primeira vez sou informado agora que algumas religiões cultuam um Deus em movimento e não estático como o Deus bíblico. A ideia desse movimento é a de um Deus que existe como uma onda que se propaga, e nisso decai, até se fragmentar, e os fragmentos voltam a reconstruir a onda, retornando o todo á grandeza que era no ponto de partida. Essa informação vem muito reduzida no meio de um debate num vídeo, mas o palestrante deu umas dicas, referindo-se ao hermetismo, a Shiva, o que já me fornece pistas para iniciar uma pesquisa. O que me interessou no momento e vim correndo a registrar, é a semelhança entre essa ideia e um dos resultados sugeridos pela formula da Matrix/DNA. O estalo se deu principalmente quando o palestrante disse a palavra “fragmentar”, pois a formula disse essa mesma palavra quando se refere a ela mesma, como criadora da vida em evolução e o que acontece quando se atinge o ultimo estagio da evolução… uma fragmentação como transição para a transcendência.

E essa ideia me ajudará a aperfeiçoar o resultado. Mas interessante também é que todos os palestrantes concordaram com uma questão: ” Os relatos das experiências de quase morte sempre repetem o narrador dizendo que se viu e se sentiu como um corpo de luz e uma consciência conectada com tudo, que sabia tudo, e tinha imenso poder. Mas se somos seres de luz com poder, porque somos trazidos a este planeta e estas condições carnais tão inferiores, onde nada temos de poder e somos demasiados débeis? Ninguém consegue uma explicação racional para essa questão…”

Mas aí meu coração palpitou mais forte. A formula da Matrix/DNA sugere uma explicação racional. Fantástica, incomensurável, mas totalmente logica e racional porque tem como parâmetro analogias com o que vemos acontecer aqui na realidade.

Para explicar preciso trazer para cá uma figura:

Trata-se de uma figura refeita de figuras originais técnicas, acrescentando propriedades sugeridas pela formula da Matrix/DNA. Os diferentes materiais, elementos irradiam luz e quando essas radiações são conectadas numa única visão dizemos que existe uma onda de luz completa. A formula sugere que com o Big Bang emergiu uma onda de luz que se propagou movida pelo processo do ciclo vital. Disso decorre que nosso corpo, sendo uma forma evolucionaria dessa onda de luz, nasce vindo de uma fonte e se propaga no tempo ( aumentando em idade) e no espaço ( crescendo em tamanho), passando por varias diferentes formas e tudo isto produzido pela força do ciclo vital. As diferentes formas produzidas pelo processo vital na luz original foram estas sete diferentes faixas de frequências, vibrações, cores, etc. A fonte da onda estava localizada antes e além do Big Bang, na figura seria na margem direita, pois a mais elevada energia/vibração do gamma ray indica a fase primeira, da infância. Então a onda começou na direita e foi se transformando, decaindo em energia e quando chega na margem esquerda ela se… “fragmenta”, nas suas partículas, que são os fótons.

Fiquei muitos anos observando e refletindo nesse quadro sugerido pela formula. Pois a coisa toda não fazia sentido racional. A onda de luz original funcionou como o lançamento de um genoma. Os genomas são emitidos por uma fonte (um casal da espécie humana) na direção de uma placenta formada de células ( que é a representante biológica da “placenta” universal formada de células galácticas). No caso do sexo separado e não hermafrodita como é o genoma original, ocorre uma fragmentação do genoma para haver o acasalamento de cada parte entre o masculino e o feminino. O resultado da fragmentação são os genes, que são então individualizados, cada qual por uma informação especifica. A seguir eles reconstroem exatamente o corpo da fonte, um corpo da espécie humana. E quando essa construção está se completando todos os genes sobem como neurônios formando uma só personalidade, uma mente.

Então vamos agora para a onda de luz original. Ela veio de uma fonte. Na falta de outro nome melhor, vamos dar a essa fonte o nome de Deus. Outros podem dar o nome que quiserem, como os materialistas dão o nome de “o minúsculo átomo que explodiu”, etc. Então a onda de luz original que era um genoma seria o genoma de Deus.

Para que Deus emitiria um genoma seu? Porque meu pai e minha mãe emitiram um genoma seu? Para terem um filho.

Então a onda de luz original chega ao seu ultimo limite de expansão e se fragmenta em suas partículas, os fótons, os quais são dispersos no espaço, como partículas inconscientes, simplesmente luz natural e talvez com algum quanta de energia. Espalhados, em estado caótico, como ovos botados fora, a prole abandonada á própria sorte. mas acontece que vieram de um… sistema. A formula mostra como essa onda de luz na figura acima, quando se tem a linha de onda encurvada e unida as duas pontas, forma uma esfera, onde as sete fases se tornam as sete partes, os sete órgãos, de um sistema natural. Vamos trazer a figura da fórmula para lembrar melhor:

A formula universal Matrix/DNA dos sistemas naturais e ciclos vitais

Nesta figura a Função 7 corresponde á faixa “radio” do espectro, enquanto a Função 1 corresponde à faixa do gamma ray. Mas acho que o leitor terá dificuldade em entender isso, então vamos trazer outra figura da mesma formula que pode elucidar melhor. Me desculpem a pobreza desta figura mas ela pe a primeira, a original, que foi feita na selva em cima de uma pedra tendo-se apenas lápis e papel de embrulhar pão:

Observe que a Função 7 ( F7) representa a fase de um corpo que morreu e se fragmenta, sendo seus fragmentos que vão construir F1.

Então voltemos à luz original, ao genoma divino, quando seus fragmentos estão na posição F7, ou vindo de F7. Quem é que, na placenta da minha mãe, comanda os genes dos meus pais a começarem a trabalhar tendo um modelo a ser construído? Por que, cargas d´`agua, um simples punhado de átomos começam a se moverem, procurando seus pares do outro lado, se acasalando, formando uma unidade característica, etc.? Olhe os átomos de uma montanha, os átomos do vento, da agua, porque não fazem isso também? Se são os mesmos átomos!? No meio da matéria estupida de uma placenta, ou de um planeta, não pode existir tal comando, nem tal modelo, isto seria supernatural. Qual a explicação?

O comando não vem de fora, mas de dentro dos átomos, quando formam os genes. E esse comando de dentro não é nada fantasmagórico, é simplesmente natural, é a anatomia interna do gene. A fisiologia, como nossos corpos tem um aspecto interno fisiológico, uma anatomia. E essa anatomia, todas estas partes, em conjunto, movem o corpo fazendo tudo, desde a digestão, a respiração, a reprodução. São sete propriedades vitais, cada uma oriunda de princípios que compunham as sete faixas do genoma de Deus, da onda de luz original.

Cabe aqui um adendo. Os fótons são partículas-informação da onda de luz, como são os genes, partículas- informação da espécie humana. Quando separados vagando no espaço, fótons entram dentro dos átomos e se alojam dentro de elétrons, prótons, como os vírus numa célula. Então assumem a maquinaria do átomo, como os vírus assumem a maquinaria da célula dirigindo-a para os reproduzirem. Os fótons, ou a informação isolada do foton, querem reproduzir o sistema de onde vieram, o genoma de Deus. Assim procuram e quando encontram outros fótons que são suas sequencias no sistema divino dentro de outras partículas dentro de outros átomos, dirigirem estes átomos a se combinarem. Para isso os fótons lançam fios energéticos de luz que produzem aqueles efeitos fantásticos quânticos do emaranhamento. Os cientistas veem uma partícula na Inglaterra mudar uma partícula na China sem ver o fio conectando as duas, porque os humanos não veem a luz original, muito menos as sinapses entre suas partículas. Mas estes fios são como as sinapses entre neurônios, assim vão se formando as networks de fótons que são os fantasmas construindo os sistemas naturais como o DNA e corpos humanos e galáxias. Chegam ao incrível fato de adentrarem uma sopa na Terra primitiva e dela levantarem a Vida!

Agora fica difícil explicar porque os possíveis leitores não conhecem os aspectos dos genes e do DNA que a formula tem sugerido. Ela diz que DNA é uma pilha de sistemas, de copias derivadas de um único sistema, o qual é sua unidade fundamental de informação, e essa unidade é exatamente igual a formula da Matrix/DNA. Faltou colocar na figura azul acima um outro ciclo vital que só descobri mais tarde, que é o da unidade fundamental do DNA. Esta se constitui em dois nucleotídeos paralelos com suas quatro bases, e mais a base uracila do RNA, a qual performa a função 5. Cada base nitrogenada e os dois açucares laterais mais a uracila são cada uma das sete funções da formula.

Então cada unidade do DNA é uma copia do sistema universal, e a soma de todas as unidades , que forma a totalidade do DNA, resulta novamente na reprodução do sistema universal… ou, em outras palavras, da onda de luz original.

Mas acontece um detalhe demasiado importante, fundamental nessa historia toda: a energia, ou fluxo de energia informação que corre no circuito que liga todas as partes é o processo do ciclo vital. E quando este está operando num corpo, não tendo como existir a forma de adolescente sem existir a forma de baby antes ou de adulto depois, ele conecta todas as partes sempre naquela eterna sequencia ensinada pela luz original. De maneira que o ciclo vital corre numa sequencia inquebrantável, nenhum humano ancião pode se esquecer que teve a forma de baby, de adolescente e tudo aquilo é hoje seu corpo. As unidades do DNA também. Os genes também. Os fótons também.

Enfim, para encurtar, quando os fótons são dispersados da luz original e ficam atarantados, movendo-se caoticamente, eles se diferenciam em sete cores, sete anatomias internas, sete informações diferentes, sete funções diferentes. cada foton isolado deve se sentir no desespero, como se o fígado do meu corpo de repente se visse separado fora do corpo, sozinho na noite fria. Ele iria ficar desesperado por retornar ao corpo e iria se situar exatamente ali no seu lugar, entre o estomago e o pulmão. Assim acontece com estes fótons. Isolados estão no desespero, procurando nos outros fótons quem é um estomago e quem pe um pulmão para ele se encaixar no meio, mas assim já teríamos três conectados, na mesma sequencia das faixas da onda de luz. Enfim, os fótons fragmentos tem um tendência: a de reconstruírem o sistema de onde vieram. Assim como os genes expulsos de um corpo humano, e caídos numa placenta, existem para reconstruir o corpo humano de onde vieram.

Os primeiros sistemas que os fótons formam serão as partículas elementares, depois os átomos, depois as galáxias, depois os humanos, depois a consciência cósmica e por fim, o emissor deles. Reconstroem a onda de luz original. Esta faz um retorno ao Big Bang, e chega nele na forma da fonte que a gerou. Deus…

isto significa que quando a onda de luz fez o ciclo completo, ou seja, ela foi e retornou, recomposta, quando ela retorna não chega mais ao Big Bang, ao evento de fecundação, mas sim na forma de embrião, provocando um evento de… Big Birth!

Do Big Bang ao Big Birth! Nada de sumiço total num Big Crunsh, nada de Eterno Retorno infinitamente. Cada ciclo forma um ser como nunca houve igual antes, a evolução continua ao infinito.

Vai nascer para o outro lado do Universo, na forma de um baby.

Todos em um. Uma so personalidade, uma só mente. Todos os fótons separados, isolados, são agora um. Antes tiveram que formarem pacotes de fótons, pacotes na forma de átomos, depois pacotes mais complexos na forma de galáxias, depois pacotes mais complexos na forma de humanos, depois pacotes mais complexos de consciências humanas… enfim o ultimo pacote, completo, uma só consciência… cósmica.

Mas para chegar ao estado de recompor a onda de luz total, comeram o pão que o diabo amassou, conheceram muitos momentos de dor, tragédias, mas venceram todas e continuarem determinados, sempre em frente. O deus além do Universo, acima da placenta, não podia fazer muito para ajuda-los, pois Ele é tão natural como uma mulher humana gravida. Ela não pode fazer muito para ajudar os genes construindo seu baby. E aunda tem o caso do livre-arbítrio, cada baby faz de si a aparência que preferir, o pai não impõe modelos. Mas no caso universal, divino, nada a que se preocupar, porque a maior sabedoria consegue determinar que a gestação será bem sucedida.

Mas porque Deus se reproduz? Para que precisa de filho, e no outro lado do Universo? E apostando-se que existam muitos outros universos, onde estariam sendo gerados muitos outros filhos, e talvez universos novos vindos atrás de universos desfeitos como a placenta, para que deus precisa de muitos filhos?

A humanidade tem 50.000 anos ou 200 milhões de anos, sei lá… neste tempo já teve milhões ou bilhões de gerações. Em cada geração os indivíduos produzem filhos que vão constituir a geração seguinte. E enquanto isso vai ocorrendo a evolução, um engrandecimento da espécie.

O nosso Deus, aquele que está lá agora nas portas de saída do Universo, esperando o dia do Big Birth, é natural. Lá fora do Universo, tem outro reino, ele tem bilhões de copias de sua mesma espécie, formando uma humani… glup…. digo, uma deusidade, igual formamos a humanidade. Lá fora é tudo igual aqui dentro. São deuses ao lado de outros deuses, são deuses acima de deuses, deuses abaixos de deuses, etc. E talvez exista até a diversidade de espécies evolutivas de deuses, sendo uma espécie de deus na fase correspondente ao macaco, outros deuses na forma de homo sapiens, outros na forma de pira consciência, isto vai ao infinito.

A questão que aqueles estudiosos das religiões não conseguem explicar ( porque caímos nesta condição inferior, se somos poderosos seres de luz) está explicada.

E aqui vou encontrando explicações para as perguntas que me faço quando humanos dizem estarem recebendo mensagens de extraterrestres oi de espíritos, ou sei lá mais o que ( me permitam agora uma viajem nos reinos da especulação metafisica). Eles dizem que podem viajar até a Terra, em naves que aqui podem ou não se manifestarem como matéria, etc. Porque eles tem corpos e consciências muito superiores. se um extraterrestre viesse pessoalmente me dizer isso a primeira pergunta que faria seria: “E vocês não sabem que vocês somos nós?”

Alias, algumas mensagens insinuam que eles sabem, e por isso nos acompanham tomando cuidado de nós.

Nós humanos, somos pequenos pacotes daqueles fótons da onda de luz original. Mais exatamente, em nível de complexidade, somos fisicamente o terceiro pacote, e mentalmente estamos compondo-nos como o quarto pacote. Temos o corpo físico carnal na terceira dimensão. e a consciência como entrada na quarta dimensão. Somos uma das faixas da onda de luz. mas assim como não pode existir um adulto humano se não tiver existido uma criança humana, assim não pode existir um terceiro pacote senão existir todas as outras seis formas de pacotes. Somos pequenos fractais, fractais dentro de fractais maiores. Temos uma forma correspondente a este nível mais denso da matéria enquanto outras formas nossas estão existindo em outra faixas vibracionais. Onde não existe este tempo que conhecemos, lá o passado e o futuro estão dentro do mesmo ponto do presente. O que se move dentro destes fractais e conecta estes fractais é o movimento de nosso Deus. Ele pertence a uma espécie que também está se perpetuando, evoluindo, sempre em frente adentrando o infinito.

PESQUISA:

HERMETISMO, DEUS EM MOVIMENTO… GOOGLAR ISSO.

Economia: Novas informações e surpreendente insight sobre a psicologia do humano predador

January 8th, 2021

Segundo este livro e artigo com link abaixo, o Nobel laureate James Buchanan é o principal mentor do 1 %. Ele tem um pensamento muito curioso. Algo como: “os ricos proprietários se veem o tempo todo como presas, vitimas, enquanto a maioria, o povo, é o predador. Todo humano quer lhes tomar os bens materiais e se puderem, se conseguirem força pela sua multidão, de fato eles atacam e nos eliminam para tomar o que temos.” Para evitar isso não pode haver governos fortes, e daí surge a bandeira do moderno liberalismo. I principal propagador e financiador dessa bandeira seriam os irmãos Koch. Vale a pena reler o artigo e ler o livro, pois é uma informação inédita.

Eu já devia ter desconfiado disso, pois ” quem vê o mal onde ele não existe, está projetando nos outros o mal que tem em seu coração”. Quer dizer, o cara é predador, atua como predador, mas ele é inconsciente disso, e inconscientemente projeta o instinto predador sobre o rebanho das presas, ou que estão atuando como presas. Como estes predadores se auto-definem? Como “makers”, empreendedores, e os outros todos são parasitas. Agora entendo muito do que não entendia no comportamento obsessivo contra socialistas, esquerdistas, etc.

Meet the Hidden Architect Behind America’s Racist Economics

By Lynn Parramore

MAY 30, 2018 / Institute for New Economic Thinking

https://www.ineteconomics.org/perspectives/blog/meet-the-economist-behind-the-one-percents-stealth-takeover-of-america

Graves consequencias de uma noite sem dormir

January 8th, 2021

xxxx

The effect of acute sleep deprivation on skeletal muscle protein synthesis and the hormonal environment ( scientific paper)

https://physoc.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.14814/phy2.14660

  • A single night of total sleep deprivation is sufficient to induce anabolic resistance and a procatabolic environment. These acute changes may represent mechanistic precursors driving the metabolic dysfunction and body composition changes associated with chronic sleep deprivation.
  • Acute sleep deprivation reduced muscle protein synthesis by 18% 
  • In addition, sleep deprivation increased plasma cortisol by 21% (p = .030) and decreased plasma testosterone by 24% (p = .029)

(continue reading – free paper)

Como detectar e lidar com seu dom

January 6th, 2021

Inspirado no artigo:

“Honre o dom”

Por Eliza Lucinda – Colunista da ExtraClasse.org.br

https://www.extraclasse.org.br/opiniao/colunistas/2003/10/honre-o-dom/

Meu comentário postado no artigo:

Você gostou de uma ideia da sua mãe, acreditou e tentou obedece-la; sua mãe ouviu essa ideia do avô, ou de algum mestre de yoga, gostou, acreditou e tentou seguir. O conceito de dom, a sua definição é isso: nada que tem existência real possível de ser captada pelos nossos sensores. Mas tem pessoas apresentando um comportamento não lógico e racional, como Mozart compondo sinfonias aos nove anos, Einstein sentindo a substancia da luz, etc. Qual a força material que atuou no DNA dos pais de Mozart e Einstein produzindo essas mutações na genética hereditária?

Ninguém viu essa força, só podemos elaborar teorias, e precisamos delas porque temos de lidar com algo que realmente está acontecendo e influenciando a vida da humanidade. Chegar primeiro que o Big Brother com sua aristocracia buscando o gene que imprime no povo o dom de ser escravo automático e dócil.

Eu tenho minha teoria e minha pesquisa. A causa dos dons se revela na formula universal dos sistemas naturais. Como descobridor da formula, o único que a conhece e entende, para explicar qualquer detalhe revelada por ela eu teria que contar a História Universal revelada por ela desde o Big Bang até aqui. Impossível sem um longo curso, mas então, tem como resumir numa frase algo que dê para se ter uma ideia do que é e como surgem os dons humanos? Vamos tentar.

O corpo humano é um sistema natural desenvolvido pela vida que foi produzida por um sistema natural. O processo progride tornando uma quantidade de indivíduos de mesma espécie de sistema natural em partes, peças, de um novo sistema mais complexo. Os genes tem isso no momento da fecundação, que vai construir órgãos com específicos dons, separados para executarem especificas funções. Então o sistema ( astronomico) que produziu a vida aqui e desenvolveu o humano no simples processo de se auto-reproduzir aqui, tem detalhes que serão impressos automaticamente em indivíduos humanos, para executarem certas funções necessárias do sistema. Dito isto, resta ao humano que adquiriu consciência própria, decidir se o dom determinado pelo sistema vai ser vantajoso ou não em sua vida, para o bem ou mal da humanidade, do meio-ambiente, etc.

Por exemplo, a maioria dos dons da maioria dos humanos são perniciosos aos humanos porque o sistema que produziu a vida aqui funciona como uma maquina semi-biológica que não tem consciência e ela tem a tendência de se reproduzir aqui, de onde surgiria o Admirável Mundo Novo administrado pelo Big Brother, uma morte total á liberdade de consciência e evolução do humano. Mas tem dons necessários e bons porque nosso corpo e nosso meio-ambiente precisa funcionar em estado de ordem como o que existe no sistema criador, uma máquina quase perfeita. O dom de ser predador-jogador de cassino do investidor de Wall Street influencia negativamente a vida dos operários das fabricas e toda economia global conduzindo a humanidade a reproduzir o sistema criador. O dom de pensar fora da caixa e lutar por causas indesejadas por grupos leva ao martírio, esse sistema criador tenta expurga-lo, mas esse dom ao nível da mentalização veio de outro sistema anterior, além do astronomico, e mais complexo, porque vemos que dele vem chegando essa substancia da consciência. Por isso gosto mais de muitos fracassados e menos de muitos sucessos aclamados pelo publico alienado da verdadeira e cósmica História. Porque tenho de gostar de mim mesmo, um pensador fora da caixa, um perdedor por opção que está sendo espezinhado de toda cruel maneira pelo sistema dentro da máquina inconsciente.

Os mestres antigos de cérebro ainda virgem captavam estes detalhes vindo do sistema superior, como a existência dos dons, mas aquele sistema não ensina biologia, ou sobre a existência da formula natural universal produtora de sistemas materiais, etc., por que isso exige um cérebro com hardware de mais avançada tecnologia. Por isso mistificavam estas intuições genuínas, elaboraram de coisas como os dons as fabulas atraentes que cativou sua mãe. Orai (praticai) e vigiai a respeito de seu dom, ele pode ser seu ticket para instalar o paraíso de seu corpo físico e ego que será o inferno para nossas próximas gerações… ou pode ser o ticket para a salvação de ti como consciência, livre para conquistar o Cosmos e se aproximar do sistema que será melhor para sua existência com consciência.

E qual a frase que resumiria toda essa cosmovisão na definicão desse fenomeno real que denominamos “dom”? É simples:”Nos somos 8 bilhões de irmãos-genes-semiconscientes que junto com mais zilhões de outros irmãos genes espalhados neste Universo estamos construindo este feto de autoconsciência cósmica. Como gene, cada humano é uma informação única, especifica, indispensável, indestrutível e uma missão intransferível, por isso temos que ajudar todos a serem livres e terem as condições materiais para cumprirem suas missões, senão ou esse feto será descartado num aborto prematuro e transferido para outra espécie, ou nasceremos todos em um, no Dia do Big Birth, como um baby aleijado E acho que nossos pais não vão permitir isso.”

O seu dom é sua informação genética universal. Mas os genes não tem a menor consciência de que estão produzindo algo, não sabem para que existem e trabalham. Pratique e pergunte sobre seu dom através de profunda e sagrada meditação, pode ser que do sistema criador consciente obtenhas a intuição correta. Eu não consegui porque meu pequenino cérebro ainda não tem o avanço tecnológico dos mestres místicos. Então, sugiro que simplesmente mire-se no exemplo do trabalho e sentido de existência dos genes para tomar suas decisões.