Archive for the ‘Scientific networks’ Category

Pondo o Sistema Universal dentro do seu corpo, o seu interesse em conhecer os detalhes do seu corpo te conduzem a intuir os detalhes do sistema universal e assim, reducionisticamente, você é levado a conhecer o TODO!

Tuesday, December 3rd, 2019

Abaixo tem uma extensa copia da introdução ao relato de uma investigação cientifica sobre um detalhe do corpo: o mecanismo que faz o diafragma inspirar o ar. Focando uma minuscula parte da medula óssea, os cientistas vão relatando o que constatam e que já foi constatado antes por outros cientistas em varias investigações. Como se trata de um documento cientifico, os autores são obrigados a citar cada documento publicado antes sobre os detalhes, confirmando o que estão observando. Apenas depois disso eles vão mencionar o que descobriram alem do que já se sabe.

O que precisa notar aqui é como um minimo pedacinho, talvez microscópico, e apenas da medula óssea, já revelou tantos mecanismos e processos feitos pela Natureza. E nessa experiencia em particular, os cientistas foram descobrir que existe mais um mistério – “Como faz, o que bombeia o inicio da inspiração quando o bombeador normal num corpo saudável foi injuriado e parou de funcionar?! Alguma coisa que não estava funcionando entrou em funcionamento e continuou o bombeamento. Assim foram suspeitar que existe uma invisível ou desconhecida network alem da network normal. Isto vai desencadear uma nova onda de pesquisas encima daquele detalhezinho. E algo mais profundo, ainda nem sequer imaginado, existente na Natureza, será descoberto!

Permita-me agora analisar isto sob a perspectiva da minha cosmovisão construída quando pensei ter descoberto a formula universal de todos os sistemas naturais na selva amazônica. Tudo o que eu disser daqui para a frente, lembre-se, é dedução da minha teoria consultando aquela formula.

” O corpo humano está montado como um sistema, à imagem e semelhança, na sua estrutura ultima, de todos os outros sistemas existentes no Universo. Na verdade todos os outros sistemas nada mais são que copias evolutivas derivadas de um sistema universal que se iniciou nas origens do Universo, talvez com o Big Bang. Assim, sistemas atômicos, astronômicos, como o sistema-corpo de bactérias, são todos nossos ancestrais na nossa linhagem evolucionaria. A formula universal surgiu neste mundo com todas as informações existentes dentro deste Universo. Então tudo o que a Natureza faz é uso e ativação daquelas informações. Para entender isto lembre-se que quando nasce um complexo corpo humano, tudo o que ali está veio de informações contidas no genoma inicial de seus pais. A formula universal é um genoma, vinda do alem deste Universo.

Parece-me ser uma meta suprema desta Natureza Universal conduzir o sistema universal que está crescendo, evoluindo, dentro deste Universo, a aprender e conhecer por completo o que é, como é, como funciona, a formula deste genoma extra-universal. Nestes tempos e aqui na Terra, uma copia deste sistema universal é a especie humana, então ela está sendo conduzida nesta aprendizagem.

Mas a espécie humana é uma forma do sistema universal quase microscópica, limitada a uma ínfima parte do espaço sideral, então como sua inteligencia pode ser conduzida a se desenvolver, sem acesso as informações que estão muito distantes? Simples: todas as informações do Universo estão na formula que esta dentro do corpo humano, expressadas nos mínimos detalhes das carnes, dos ossos, das substancias. Estes detalhes no corpo humano causam mal-estar na inteligencia humana quando estão funcionando mal, com dores, paralisias, disfunções, etc. Então essa inteligencia tem que entrar fundo nestes detalhes buscando conhece-los para ver se os consertam quando estão errados. E assim vamos aprendendo informações em nós mesmos que servem, muitas vezes inconscientemente e por intuições inexplicáveis, para ao mesmo tempo ir-mos montando modelos de galaxias, átomos, coisas distantes de nós nas dimensões do Universo, nos aproximando cada vez mais do conhecimento mais correto do que é este mundo, mesmo estando limitados neste pequenino ponto no espaço-tempo!

Por exemplo, a suspeita dos cientistas nessa investigação de que existe uma network inibida, apenas em estado latente, que eles nunca conseguiram detectar, alem da normal network de músculos e nervos e neurônios que eles detectam, está conduzindo os humanos a uma descoberta fantastica, uma das coisas mais importante neste Universo. Trata-se de que este nosso mundo é feito como os computadores, possui um hardware – o mundo material que captamos – e um software – o mundo dos fótons que são partículas de luz constituindo os circuitos da formula Matrix, dentro de todos os sistemas. Não posso explicar aqui, mas a formula esta sugerindo que estes fótons interconectados com nossa matéria estão no estado de anti- fótons, com energia negativa e talvez opacos, escuros, pois seriam os fragmentos de uma onda de luz original que se fragmenta em fótons e estes tem a tendencia a retornarem pelos caminhos que vieram, reconstruindo a onda de luz original e quando chegam próximo á fonte se tornam novamente fótons positivos ( Como analogia, o genoma dos pais caem num oceano amniotic o e os genes começam a trabalhar para reconstruir o corpo dos pais, nossa conhecida reproduce genética sexual). Por serem quase fantasmagóricos não captamos os fótons e muito menos as networks que formam pois os fios de conexões são mais abstratos que as sinapses. Creio que é esta network que está escondida naquela região da medula espinhal e que os cientistas estão pressentindo, que apenas entrou em ação para salvar uma vida que não poderia viver sem inspirar ar. Quando os cientistas pensam com extrema curiosidade nesta network latente eles estão, sem o saberem, sendo conduzidos a descobrirem o que existe nas mais complexas dimensões deste universo, dentro de átomos, galaxias, etc.

Com isso descobri uma maior utilidade do reducionismo, este método cientifico que eu vinha, sem razão, combatendo porque acho que ele está impedindo o florescimento de um método ainda mais importante, o sistêmico.”

Copiei o pequeno trecho da introdução do paper cientifico apenas para ilustrar como temos que nos reduzir ao tamanho e dimensões de detalhes microscópicos para ir aprendendo o que a Natureza faz e é capaz, pois o que ela faz nas dimensões microscópicas aqui é o que ela aplica nas dimensões macroscópicas universais.

A Latent Propriospinal Network Can Restore Diaphragm Function after High Cervical Spinal Cord Injury: Cell Reports

https://www.cell.com/cell-reports/fulltext/S2211-1247(17)31381-5

Introduction

(Apenas uma observação: para você entender o texto mudei as cores de parágrafos. O texto dos autores esta em negro. Mas a cada citação de outros trabalhos que fazem, interrompi o texto para mostrar os outros trabalhos mencionados nestas citações, assim se tem uma ideia do grande grupo de cientistas e experiencias laboratoriais envolvidos no assunto. Quando retorna o texto dos autores, observe no inicio do paragrafo existe um parêntesis em aberto)

) Inspiration—the act of drawing air into the lungs—is executed primarily by the diaphragm, which contracts ∼20,000 times per day and 108 times over the average human lifespan. The diaphragm is solely innervated by phrenic motor neurons (PMNs), which are anatomically positioned at spinal cord levels C3-5/6. Thus, injury to the cervical spinal cord severely compromises diaphragm function.Excitatory circuits of the pre-Bötzinger complex (preBötC), located in the ventrolateral medulla, generate inspiration and relay inspiratory drive to PMNs via a medullary premotor nucleus termed the rostral ventral respiratory group (rVRG; Smith et al., 1991

  • Smith J.C.
  • Ellenberger H.H.
  • Ballanyi K.
  • Richter D.W.
  • Feldman J.L.

Pre-Bötzinger complex: a brainstem region that may generate respiratory rhythm in mammals.Science.1991; 254: 726-729

). Neurons of the rVRG maintain bulbospinal projections that synapse directly with PMNs (Davies et al., 1985

  • Davies J.G.
  • Kirkwood P.A.
  • Sears T.A.

The detection of monosynaptic connexions from inspiratory bulbospinal neurones to inspiratory motoneurones in the cat.J. Physiol.1985; 368: 33-

Crossref PubMed

Scopus (84)

Google Scholar

, Dobbins and Feldman, 1994

  • Dobbins E.G.
  • Feldman J.L.

Brainstem network controlling descending drive to phrenic motoneurons in rat.J. Comp. Neurol.1994; 347: 64-86

Crossref

PubMed

Scopus (362)

google Scholar

, Duffin and van Alphen, 1995

  • Duffin J.
  • van Alphen J.

Bilateral connections from ventral group inspiratory neurons to phrenic motoneurons in the rat determined by cross-correlation.Brain Res.1995; 694: 55-60

, Ellenberger and Feldman, 1988

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.

Monosynaptic transmission of respiratory drive to phrenic motoneurons from brainstem bulbospinal neurons in rats.J. Comp. Neurol.1988; 269: 47-57

, Ellenberger et al., 1990

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.
  • Goshgarian H.G.

Ventral respiratory group projections to phrenic motoneurons: electron microscopic evidence for monosynaptic connections.J. Comp. Neurol.1990; 302: 707-714

); therefore, it is well established that rhythmic PMN bursts arise from circuits rostral to the spinomedullary junction. Evidence that rVRG axons make direct synaptic contact with PMNs comes from studies examining cross-correlation between rVRG units and phrenic nerve activity, which exhibit 1- to 2-ms latencies typical of monosynaptic connections (Davies et al., 1985

  • Davies J.G.
  • Kirkwood P.A.
  • Sears T.A.

The detection of monosynaptic connexions from inspiratory bulbospinal neurones to inspiratory motoneurones in the cat.J. Physiol.1985; 368: 33-62

, Duffin and van Alphen, 1995

  • Bilateral connections from ventral group inspiratory neurons to phrenic motoneurons in the rat determined by cross-correlation.Brain Res.1995; 694: 55-60

). Additional evidence comes from anatomical studies demonstrating close apposition of rVRG axons, identified by anterograde labeling, with the dendritic arbors of retrogradely labeled PMNs (Ellenberger and Feldman, 1988

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.

Monosynaptic transmission of respiratory drive to phrenic motoneurons from brainstem bulbospinal neurons in rats.J. Comp. Neurol.1988; 269: 47-57

, Lane et al., 2008

  • Lane M.A.
  • White T.E.
  • Coutts M.A.
  • Jones A.L.
  • Sandhu M.S.
  • Bloom D.C.
  • Bolser D.C.
  • Yates B.J.
  • Fuller D.D.
  • Reier P.J.

Cervical prephrenic interneurons in the normal and lesioned spinal cord of the adult rat.J. Comp. Neurol.2008; 511: 692-709

). Also, synapses between rVRG axon terminals and PMNs have been identified at the ultrastructural level (Ellenberger et al., 1990

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.
  • Goshgarian H.G.

Ventral respiratory group projections to phrenic motoneurons: electron microscopic evidence for monosynaptic connections.J. Comp. Neurol.1990; 302: 707-714

).The simplest model, which is widely accepted, is that PMN bursts are always directly evoked by rVRG input. Nonetheless, there are also data indicating that, in the absence of supraspinal (rVRG) input, PMN activity can be initiated centrally by various pharmacological manipulations (Coglianese et al., 1977

  • Coglianese C.J.
  • Peiss C.N.
  • Wurster R.D.

Rhythmic phrenic nerve activity and respiratory activity in spinal dogs.Respir. Physiol.1977; 29: 247-254

, Ghali and Marchenko, 2016

  • Ghali M.G.Z.
  • Marchenko V.

Patterns of phrenic nerve discharge after complete high cervical spinal cord injury in the decerebrate rat.J. Neurotrauma.2016; 33: 1115-1127

, Reinoso et al., 1996

  • Reinoso M.A.
  • Sieck G.C.
  • Hubmayr R.D.

Respiratory muscle coordination in acute spinal dogs.Respir. Physiol.1996; 104: 29-37

, Viala et al., 1979

  • Viala D.
  • Vidal C.
  • Freton E.

Coordinated rhythmic bursting in respiratory and locomotor muscle nerves in the spinal rabbit.Neurosci. Lett.1979; 11: 155-159

, Zimmer and Goshgarian, 2007

  • Zimmer M.B.
  • Goshgarian H.G.

GABA, not glycine, mediates inhibition of latent respiratory motor pathways after spinal cord injury.Exp. Neurol.2007; 203: 493-501

) or by electrical stimulation (Huang et al., 2016

  • Huang R.
  • Baca S.M.
  • Worrell J.W.
  • Liu X.
  • Seo Y.
  • Leiter J.C.
  • Lu D.C.

Modulation of respiratory output by cervical epidural stimulation in the anesthetized mouse.J. Appl. Physiol.2016; 121: 1272-1281

, Kowalski et al., 2013

  • Kowalski K.E.
  • Hsieh Y.H.
  • Dick T.E.
  • DiMarco A.F.

Diaphragm activation via high frequency spinal cord stimulation in a rodent model of spinal cord injury.Exp. Neurol.2013; 247: 689-693

). Although it has been suggested that this activity might be generated by a spinal analog of the preBötC (Ghali and Marchenko, 2016

  • Ghali M.G.Z.
  • Marchenko V.

Patterns of phrenic nerve discharge after complete high cervical spinal cord injury in the decerebrate rat.J. Neurotrauma.2016; 33: 1115-1127

), the origin of this activity has always been elusive. Indeed, it is largely unclear whether this PMN activity is caused by pharmacologic/electrical action on PMNs themselves or whether these manipulations engage propriospinal neurons, which are also known to synapse with PMNs (Dobbins and Feldman, 1994

  • Dobbins E.G.
  • Feldman J.L.

Brainstem network controlling descending drive to phrenic motoneurons in rat.J. Comp. Neurol.1994; 347: 64-86

, Lane et al., 2008

  • Lane M.A.
  • White T.E.
  • Coutts M.A.
  • Jones A.L.
  • Sandhu M.S.
  • Bloom D.C.
  • Bolser D.C.
  • Yates B.J.
  • Fuller D.D.
  • Reier P.J.

Cervical prephrenic interneurons in the normal and lesioned spinal cord of the adult rat.J. Comp. Neurol.2008; 511: 692-709

, Lipski et al., 1993

  • Lipski J.
  • Duffin J.
  • Kruszewska B.
  • Zhang X.

Upper cervical inspiratory neurons in the rat: an electrophysiological and morphological study.Exp. Brain Res.1993; 95: 477-487

, Lois et al., 2009

  • Lois J.H.
  • Rice C.D.
  • Yates B.J.

Neural circuits controlling diaphragm function in the cat revealed by transneuronal tracing.J. Appl. Physiol.2009; 106: 138-152

). Importantly, there is no existing evidence that, when isolated from the medulla, propriospinal neurons can generate spontaneous PMN burst activity.If there is a population of propriospinal neurons that can generate PMN bursts, then it is important to determine whether these interneurons simply relay inspiratory drive from the preBötC (e.g., preBötC → rVRG → interneuronal burst population → PMNs) or whether these neurons act as part of some other independent system—and what relevance this system might have. In this study, we establish an ex vivo model of spinal cord injury (SCI) and combine this model with pharmacologic and optogenetic perturbations to investigate whether propriospinal circuits are capable of evoking PMN bursts. We identify a recurrent excitatory network that is both sufficient and necessary for PMN bursting in the absence of the medulla and show that activity generated by this network is dissociable from bona fide inspiration. Furthermore, we demonstrate that this network can be used to promote diaphragm function after SCI in adult mice and rats.

Cellular Circuits Networks

Wednesday, July 31st, 2019

xxxxx

Ler este paper que esta livre e muito importante para Matrix/DNA. Verificar que no indice dos outros papers neste journal tem muitos papers sobre cellular networks.

Molecular Interaction Maps of Bioregulatory Networks: A General Rubric for Systems Biology

https://www.molbiolcell.org/doi/10.1091/mbc.e05-09-0824

Abstract

A standard for bioregulatory network diagrams is urgently needed in the same way that circuit diagrams are needed in electronics. Several graphical notations have been proposed, but none has become standard. We have ( cont.)

xxxxx

E neste jornal tem a publicação:

Molecular Biology of the Cell

no link:

https://www.molbiolcell.org/journal/mboc











Redes sociais científicas, como elas podem ser úteis? – Ciência com Excelência

Saturday, July 20th, 2019

xxxxx

Aqui tem as dicas sobre os canais que os cientistas se comunicam, discutem seus papers, fazem perguntas, etc,

 https://www.youtube.com/watch?v=G6BOaEqQBjw&list=PLlSKeelluXewVqVDLFK1wiH0RUFZjxrgU&index=2

tais como:

– ResearchGate

– Academia.Edu

– Mendeley

– Lattes ( no Brasil)

– Google escola ( no Brasil)