Archive for the ‘Desconstruction of the Cultural Bad Matrix’ Category

Aprendendo a se preparar e resolver os problemas antes que eles surjam

Sunday, January 19th, 2020

“O ser humano não é capaz de mudar quando tudo está bem. É quando algo muito ruim acontece que o ser humano se transforma. Quando acontece uma catástrofe, o ser humano se dá conta de que não dá para continuar como está” – palavras do japones Kengo Kuma

Grande fato constatado na realidade. Mas porque o ser humano é assim? Se Kengo Kuma não apontar a causa e sugerir uma solução para nós corrigir-mos esse defeito, de que adianta constatar e alardear uma critica? Assim Kengo não vai plantar a semente no cérebro para motivar a auto-mutação de ninguém.

Aqui na Matrix/DNA nós gastamos nosso tempo e o dos leitores apenas quando já procuramos uma explicação e uma causa na formula universal para adicionar logo a seguir ao apontamento de um dos nossos defeitos. E qual a causa primeira desse fenômeno real, natural, que observamos aqui e agora? Qual a explicação do porque fomos feitos assim?

A massa que constitui a maior parte do nosso corpo tem a tendencia a se acomodar na inercia do equilíbrio termodinâmico. Por isso procuramos em todas as situações a melhor acomodação possível para nosso corpo. Se sentimos um vento frio entrando por alguma fresta na casa, corremos a tampar a fresta. Existe um nível de temperatura ideal para manter nosso corpo confortável e funcionando, qualquer diferença de temperatura no meio ambiente prejudica nosso equilíbrio termodinâmico.

E enquanto um sistema natural qualquer – como um corpo humano – não alcança o nível evolucionário em que o intelecto domine as forças elementares dos átomos e células de seu corpo, o corpo todo fica dominado e dirigido por estas forças elementares, que vem lá dos sistemas naturais que são nossos ancestrais mais remotos, como os sistemas atômicos e astronômicos. Os animais irracionais são impulsivos justamente porque ainda não possuem intelecto.

E vemos que os nossos ancestrais mais recentes, como os animais das selvas, se dividem em instintos para predador ou presas ( E porque surgem divididos assim? Porque seus corpos são sistemas, e todo sistema natural é construído pelo processo do ciclo vital. E neste processo os corpos vao mudando de formas, sendo que a forma posterior sempre “engole” a forma anterior, ou seja, torna-se predadora de si mesma. Como a sua forma adulta “engoliu” a sua forma adolescente, a qual continua como estrutura de seu corpo. Quando num ambiente ecológico varias formas de corpos são mantidas convivendo no mesmo tempo, os corpos animais maiores “engolem” os menores, surgindo dai o fenômeno que denominamos de predador e presa ).

Tanto os predadores como as presas possuem a tendência elementar de se acomodarem na inercia. Apenas a necessidade de alimento e algumas vezes, de escapar de um clima insuportável ou de um predador, os faz se moverem. Com a exceção dos filhotes que nascem com grande potencial de energia e essa energia move o corpo em busca de brincadeiras. ( Porque os filhotes nascem com maior energia natural e à medida que a idade avança ela vai diminuindo? Porque o que chamamos de energia foi produzido pela propagação da luz no meio da dark matter inerte desde as origens deste Universo, e nessa propagação ocorre atrito, fricção, e essa fricção se estabelece como energia. Então a energia – sendo o elo entre a luz e a massa espacial – traz em si algumas propriedades da luz, como as diferenças das diferentes fases de frequência, vibração, comprimento de onda, etc. E como podem ver no gráfico do espectro eletromagnético da luz natural aqui neste website, em outros artigos, logo que uma nova onda de luz nasce de uma fonte ( o que mais tarde evoluiu para o fenômeno em que observamos um baby nascendo de uma mãe), a luz tem a sua mais elevada vibração, a mais alta que existe, na forma de raios gama. Isso passou para nossos bebês).

Quando uma especie destes ancestrais ditos “irracionais” passou pela mutação que a transformou na forma de humanos, os primeiros trogloditas trouxeram estes instintos das selvas para as suas cavernas. ( E porque houve essa mutação para a forma humana? Porque o corpo animal sendo uma forma de sistema natural alcançou um estagio no ciclo vital universal em que este sistema vindo desde o Big Bang se transformaria naturalmente, digamos, da forma de bebê para a forma de criança do sistema universal. Esta transformação faz se expressar uma informação que já havia na onda de luz inicial – a qual veio do antes do Big Bang e podemos chama-la de “O genoma do nosso pai/mãe hermafrodita que existe alem deste Universo”, ou se preferirem os deístas, de “O Genoma de Deus” – como os genes retardados que só entram em ação em nossos corpos mais tarde, como os genes para barba, atividade sexual, etc. – e trata-se de uma informação referente ao fato que a luz inicial estava impregnada da substancia que denominamos de “auto-consciência”. Esta nova característica genética universal produz no cérebro a nova estrutura denominada neo-cortex, que os irracionais não possuem, o qual deve ser a sede da auto-consciência, ou ao menos, o ponto de onde se projeta um cordão umbilical com a bolha de auto-consciência.)

Sendo pouca ainda a substancia de auto-consciencia, o intelecto é demasiado debil e incipiente, então os corpos dos humanos primitivos são dirigidos pelos instintos trazidos da selva que foram trazidos das forças naturais elementares entre atomos e galaxias. Devido ter nestes instintos a tendencia à comodação na inercia, ela dominou e ainda domina grande parte da população humana. Os humanos quando nascem vem com a genética contendo os tres instintos como latentes potenciais : o instinto para grande predador, para médio predador e para presa. Creio que vai depender da criação, da qualidade do corpo que os genes produziram, das condições econômicas do berço em que se nasce, qual dos tres genes vai se expressar para o resto da vida. mas pode tambem a causa ser relacionada a dimensões mais sutis que desconhecemos, como a espiritual ou karmica, não sei. E o gene expressado modela a psique do individuo a ser predador ou presa.

O humano que nasce com o gene predador será predador, parasita, de humanos. Basta ver como vivem os leões na selva para perceber sua tendencia ‘a inércia: depois de se alimentarem procuram uma sombra no alto da colina e ali vivem preguiçosamente, nunca tiveram uma atitude para mudarem nada do ambiente ou em si mesmos. Um dos melhores exemplos que mostram como os humanos predadores possuem vícios de acomodação foi o que aconteceu com a predadora família e corte de luis XV, rei da França. O palácio real vivia em festas orgíacas por semanas enquanto o governo do pais era negligenciado e o povo cada vez mais faminto. Um conselheiro do rei lhe disse que devia fazer uma pausa nas festas e cuidar do reino porque “a turba lá fora está cada vez mais enfurecida e ameaçando a invadir o palácio”. Ao que o rei respondeu: ” E você pensa que não sei disso? Que não sei que a multidão vai invadir o palácio e nos cortar a cabeça na guilhotina? Mas o que podemos fazer para evitar isso? Nada. Estamos escravos do vicio, prisioneiros deste estado mental, e de dentro de nós não vai surgir a força para nos corrigir-mos a tempo”.

De fato, toda a família e os aristocratas da Côrte de Luis XV foram parar na guilhotina. Hoje, os grandes predadores, como a mafia internacional financeira continua a tramar o afunilamento do capital nas mãos do 1%, crendo que agora nada nem meringue conseguiria lhes parar. A Natureza continua se movendo, se transformando, e certamente vai arrumar seu jeito de parar isso. os dinossauros também acreditaram que nada nem ninguém na Terra poderia vence-los, mas não contaram com o fato que na Natureza existem meteóritos. Humanos aprenderam isso e hoje a NASA luta desesperadamente para desenvolver armas que destruam meteoritos no espaço… Os ditadores Sadam Hussein e Khadafi acreditaram que o povo nunca teria forças para insurgir, mas se esqueceram que sempre pode vir forças imprevistas de fora. O fato é a lei natural: “Deixe de atuar como predador, senão serás inevitavelmente extinto!

As presas ainda apresentam mais essa tendencia, passando se possível 24 horas por dia com a cabeça baixa procurando alimento, totalmente desinteressadas do que está ocorrendo nos horizontes alem do que alcança sua visão e audição, e quando os leões atacam saem correndo deixando para trás os filhotes ( daí veio o habito dos humanos primitivos em sacrificarem os jovens para doar no altar aos poderosos para aplacarem sua ira e deixa-los vivos e acomodados).

Em decorrência disso tudo, Kengo Kuma notou que “O ser humano não é capaz de mudar quando tudo está bem. É quando algo muito ruim acontece que o ser humano se transforma. Quando acontece uma catástrofe, o ser humano se dá conta de que não dá para continuar como está”.

Então a sugestão para mudar o ser humano a ser precavido, a ser motivado a atuar preventivamente antes que o mundo externo venha com forças incomodas e ameaçadoras, é a de que ele procure se auto-exorcizar destes instintos, procurando alimentar e fazer crescer seu intelecto absorvendo ou permitindo o maior acesso de substancia autoconsciente. Mas para que ele seja motivado a isso, é preciso antes que seja informado da sua realidade existencial, de onde veio seu corpo. É uma herança incomoda, indesejável, essa vinda dos ancestrais animais e dos sistemas animados não-vivos. É preciso supera-la. Todas as especies de predadores e de presas não possuem futuro evolutivo algum, muitas já foram extintas e as que existem estão a caminho da extinção. A Natureza não admite a acomodação, porque Ela mesma vem se transformando, e com isso vai chegar um momento que Ela não vai mais suportar a vida neste planeta. Nós vamos ter que desenvolver asas e aprender a voar, para fazer como as aves que imigram do norte frio para o sul aconchegante. Mesmo que sejam com asas tecnológicas, produzidas pela consciência maior ao ser alimentada com as informações dos mecanismos e processos disponíveis existentes na Natureza micro ou macroscópica, como as que revelamos aqui, para desenvolver o intelecto subjugando nossos primitivos instintos.

Só 9% dos adolescentes de 15 anos conseguem diferenciar fatos de opiniões

Saturday, January 4th, 2020

HypeScience de 29/12/19

E meu comentario postado no artigo:

O ser humano nasce com a tendencia de falsear a realidade, o mundo de toda criança é magico. O fato de que aos 15 anos os seres humanos continuam com essa tendencia prejudicando sua distinção entre o falso e o real significa que os adultos em nada atuaram para corrigir este defeito infantil. Ese os adultos no papel de pais não atuaram nessa correção significa que eles proprios como adultos continuam crendo no falso. As duas visões de mundo reinantes – a mística magica religiosa e o materialismo igualmente místico – são produtos desse magicismo na mente adulta que reverte contra eles mesmos. Por tudo o que tenho visto publicado seja na Internet ou impresso, eu sou o unico lutando para defender uma nova visao do mundo que interpreta os fenomenos e eventos naturais de forma diferente das duas tendências dominantes, mas é como se um alienígena estivesse falando a macacos.

How to fight anxiety, stress…

Wednesday, December 25th, 2019

This thread posted om Reddit lead me to the comment below:

https://www.reddit.com/r/GetMotivated/comments/efdvrr/image_let_it_go/

MatrixDNA – 25/12/19

I think that Matrix/DNA world view has the best suggestion on this issue. There are people that believes the genetic code in the DNA was made here by magics from some gods. This magical thought modeled the neuronial configuration, but, far away off the real world, because there are no magics, never nobody saw it. Other people believes that the genetic code was made by the stupid matter of this lost planet at a by chance event. DNA produces natural systems like our bodies as a natural system, as a product of the state of order, which does not arises spontaneous from chaos, nobody never saw it. These people has the brain configured by animals instincts coming from the jungle’s environmental chaos, chaotic and not complete thoughts are echos in their brains. Anxiety, stress, are inherited from animals brains because our environment was produced by chaos which can brings tragedies to us, and a chaotic modeled psyche is not strong for avoiding them. But, the existence of DNA and natural systems here shows that the principle for state of order is here and inside us, which can fight the surrounding chaos, and keeping this knowledge, practicing it, is the way for one changing slowly the way his/her brain is configured. No magical and no chaotic/random/animalist thoughts, both are corrupted scenarios. We are discovering that the genetic code was not invented/created here, it is merely an evolutionary natural formula coming from astronomic/atomic/light waves systems, since the Big Bang – or before it, so, the religious and the materialist academic world views are wrong. Another discovery is that chaos here is merely local in this immediate environment and not the general rule beyond us, we are inside a more bigger and astronomic ordered system, its genetics is inside us and we must use this force for fixing our brains and installing order around us. In ordered state there is no anxiety and stress… it is enough that you keep the natural real world view

O que é a Ciência? Como a vejo

Friday, December 13th, 2019

Uma resposta a Skinner:

“A Ciência é uma disposição de aceitar os fatos mesmo quando eles são opostos aos desejos” – BF Skinner ( o pai da psicologia do condicionamento)

Mania de confundir o instrumento com o musico. Como instrumento a Ciência não tem disposição e nem desejos, o homem cientista os tem. A Ciência não escolhe os fatos a observar e experimentar, o homem os escolhe dentro dos limites do que seus sensores captam e segundo seus desejos mundanos. A Ciência é como um robot que tem por olhos os microscópios e telescópios, por sensores os medidores, mas nem um pensamento, nem mente, portanto a Ciência não interpreta fatos elaborando teorias, os homens o fazem. A Ciência não informa sobre fatos que ela nunca alcançou, como as origens do Universo, da Vida: o homem imagina os Big Bangs. A Natureza aqui e agora revela que as leis da vida na carne geram os esqueletos ósseos mecânicos que a suportam e falando a linguagem biológica; os manipuladores da Ciência afrontam essa logica natural e dirigem a Ciência a provar que as leis do esqueleto mecânico do Universo (átomos e galaxias) geraram a carne da vida falando a linguagem mecanicista matemática. Assim os desejos discriminam fatos e selecionam outros se aproveitando da muda voz e ausência do livre-arbítrio da Ciência. A Ciência não tem intenções como se ocupar de atividades que gerem lucros aos seus investidores, traindo a intenção dos pais fundadores da Ciência no iluminismo que era emprega-la apenas na busca do conhecimento pelo conhecimento. A Ciencia [e um todo que nao se separa em partes para separar os fatos naturais em quimicos, fisicos, biologicos, cegando-se para os aspectos sistemicos; os homens criaram estas separaoes estanques reducionistas para manipula-las segundo seus desejos. Entre meus desejos está o de dirigir a Ciência a observar fatos tais como a evidencia do ciclo vital nas ondas de luz, que aos atuais dirigentes não são convenientes.

Apesar disso tudo, que a Ciência retorne a ser o instrumento que nos revela todas as possíveis notas musicais da Natureza e o homem como maestro possa compor a sinfonia do Cosmos. Eu amo a Ciência mesmo sendo prostituída como está, principalmente pelo seu honesto e eficiente método dito “cientifico”. Que ela seja mantida no altar dos sagrados ao lado da roda, do fogo, do arco e flecha, sem os quais seriamos ainda os animais frágeis e nus das selvas ou teríamos perecido.

Lista dos péssimos e errados designers na Natureza

Thursday, December 5th, 2019

Lista feita por um anônimo:

The process of evolution by natural selection is estimated to have an IQ of about 1. It works by trial and error, mostly error. It takes hundreds of thousands of years because it is so stupid. In contrast, Yahweh is alleged to have an IQ of ∞. For some reason, he is allegedly extremely partial to humans over all other species. Evolution works by spawning variants almost identical to the parents and natural selection wipes out all but the best of them. It takes about 200 million years to notice any appreciable cumulative difference in the current generation. This means that the humans who were living at the dawn of agriculture 10,000 ago were for all practical purposes identical to us. Many creationists erroneously imagine evolution is the morphing of a single individual into a new species that takes place over a few seconds. The animal kingdom exhibits so much bungling in their design, it can’t be the work of a competent designer, much less a divine one. Which designer more likely joined the windpipe of a human to his esophagus so that if he is inattentive for even a second he can choke to death? Which designer more likely gave much better eyes and lungs to birds than to humans? Humans have the optic nerve attached to the wrong side of the retina causing a blind spot. Which designer more likely gave man a spine more suited for a quadruped, meaning he would be vulnerable to back pain? Which designer more likely gave women birth canals far too small for extruding babies (or babies with heads too big). Other animals don’t have that problem. Which designer more likely gave humans teeth that are prone to cavities and that wear out part way through life? Which designer more likely made the laryngeal nerve in a giraffe do a 4.57 metres (15 ft) needless detour? Which designer more likely added useless organs like vestigial legs on snakes, appendixes in humans, vestigial pelvises in whales, dew claws on dogs, chestnuts on horses (vestigial toes)? Which designer more likely gave the crocodile belly armour, but not the human? Which designer more likely gave humans bodies that craved foods, chemicals and drugs that were harmful to them? Which designer more likely gave humans bodies that craved a sedentary existence when they needed exercise to survive? Which designer more likely gave koalas backward-facing pouches tending to dump the young out on the ground? Which designer would pack the genome with vestigial genes from ancestor species? Creationists insist there is no such thing as ancestor species. They claim Yahweh created each species from scratch. Any similarity between species (e.g. the various types of rat) is as illusion. Which designer more likely put an additional chameleon-style visual system in a human which does not provide conscious vision, along with the usual conscious one? Evolution can explain why it is there. Intelligent Design cannot. Creationists have a problem. If they ascribe all this incompetence to Yahweh, he will be seriously insulted.

A evolução (ou a seleção natural?) recompensa, favorece, quem interpreta a realidade de forma errada…

Friday, November 8th, 2019

xxxxx

Nesta brilhante palestra de um renomado neurocientista que esta chamando atenção por suas surpreendentes teorias sobre auto-consciência, proferida no TED TALK ( com link abaixo), um de seus inusitados insights é que a evolução esconde de nos a realidade dos objetos e do ambiente para nossa sobrevivência e própria evolução. Com o tempo ela mostra a realidade de um objeto e como estávamos enganados. O que serve também para nossa aprendizagem e evolução. Um exemplo foi sugerir a nós que o SOL se move a nossa volta, e depois corrigir essa ilusão de ótica. Mas então nas teorias do Dr. Hoffman percebi que estão encriptadas como resultados dos meus cálculos a 30 anos atras, e que eu vinha tratando estes temas como questões ainda a resolver dentro da cosmovisão da Matrix/DNA, enquanto o Dr. Hoffman denomina as mesmas questões como “teorias”. Vejamos:

 

Eu sempre fui um perdedor na competição por bens materiais, riqueza, confortos da vida. As três classes sociais sempre interpretaram cada fenômeno natural de forma diferente que is interpreto. Todas as três classes me suplantaram no quesito material. Obviamente isto me levou a uma conclusão: eu vejo a realidade de form errada, os outros humanos a veem de forma correta. Então, se eu vivesse na Idade Antiga, suspeito que estaria endo o Sol parado e a Terra girando, enquanto todos os outros interpretariam ao contrario. Todos os outros estariam ajustados ao sistema social – fosse este monarquia, feudalismo, capitalismo, etc. – o que os faria ganhar de mim em todas as competições pelos recursos materiais. Mas… depois se comprovou que todos estavam errados… o que comprovaria que quem viu ao contrario, era quem estava certo. E este paradoxo me ocupou a mente por muito tempo. Pois por mais estupido que pareca, eu não consigo aceitar que estou errado nas minhas interpretações. Fiz e refiz milhares de vezes meus cálculos, os resultados são sempre os mesmos, as mesmas interpretações. E tenho uma convicção intima de que eu estou do lado da logica, não da logica dos outros humanos, mas da logica da natureza, do mundo real. Vejamos um primeiro exemplo: O evento do Big Bang foi uma explosão, e foi uma explosão sem uma meta racional, e explosão de algo muito mais simples e menor do que o Universo de hoje. esta a interpretação dos outros humanos. Para mim não foi uma explosão e sim o rompimento de uma membrana contendo algo, havia uma meta racional pois foi um ato de fecundação do qual se reproduzira’ aquilo que produziu o rompimento, e aquilo que produziu o rompimento, ou Big Bang, tem que ter sido maior e mais complexo do que o Universo hoje. Tudo ao contrario. Então sou inicialmente conduzido a acreditar que estou errado. E refiz os cálculos da evolução universal iniciando pelo Big Bang e calculando tudo ate hoje e depois os cálculos iniciando ao que temos hoje regredindo ao Big Bang. E sempre os resultados apontam a minha mesma interpretação. Então comparo meus cálculos com os cálculos dos outros humanos. E nos cálculos vejo as diferenças. Calculamos diferentemente. Eles usam mais a Física e a Matemática, eu uso mais a Biologia e o Ciclo Vital. Eles usam os mecanismos da teoria da evolução darwiniana, eu uso os mecanismos da teoria da evolução macro universal, e assim por diante. Mas não posso rejeitar meus cálculos e aceitar os deles. Porque o meu Big Bang foi um evento exatamente igual a um evento que meus olhos assistem hoje, aqui e agora, toda vez que uma nova vida é concebida. E então meus cálculos aplicam os mecanismos e processos da concepção aqui e agora em todos os estagios da evolução ou da Historia intermediaria entre o Big Bang e o resultado final dessa Historia, os fatos e a vida que aqui existem agora. Por outro lado, a interpretação deles do que foi o Big Bang, os calculos que aplicam sobre o Big Bang para interpretarem como foi a Historia Universal, não poderia jamais, pela logica natural e exercício racional, produzir a vida e os fatos que existem aqui e agora. Então não tenho como mudar minha interpretação. Se não for descoberto um fenômeno real, comprovado, derrubando minha interpretação, não tem outra alternativa senão a de morrer crendo que estou certo. Mesmo que no fundo minha consciência sussurra que não posso estar certo, pois todos os outros não poderiam estarem errados, e eu, o unico certo. Com isso, vou morrer sendo o perdedor, na competição material. Simplesmente porque a minha cosmovisão me obriga a me comportar perante o mundo com outros valores diferentes daqueles da competição com que os vencedores estão se comportando e vencendo. Passados 30 anos com este paradoxo em mente, eis que acontece algo que vem trazer nova maneira de pensar isso. Trata-se das teorias do Doutor Donald Hoffman, e alguns outros, que eu desconhecia e tive contacto numa questão levantada na secção ask/philosopher do REDDIT, que apontava para a obra do Doutor Hoffman. Dentre os surpreendentes insights do Dr Hoffman estavam uns dois ou tres conceitos chaves. ” A evolução recompensa aquele que vê a realidade de forma errada”. Na verdade, e ainda no inicio do estudo de sua obra, concluo que o Dr. Hoffman esta dizendo que vemos a interface apenas da realidade, nada vemos do que esta por trás e por dentro da interface. Por exemplo alguém apresenta duas pessoas lado a lado e diz que uma é a pessoa mais bonita da especie humana, enquanto a outra é a mais feia. Mas se tirássemos a pele total das duas pessoas, apareceria uma massa de carne vermelha com fibras e muito sangue, algumas pontas de ossos, e não veríamos mais as qualidades de bonito ou feio, pois as duas pessoas seriam iguais. São as peles e seus enchimentos de gordura que fazem as duas pessoas diferentes em relação a estética preferida pelos valores humanos? Valores humanos! E aqui vem o segundo importante insight do Dr. Hoffman: nas nossas interpretações, nos distorcemos a realidade de acordo com nossas “aptidões intimas”. Nos tínhamos que nos ar importância para nos diferenciar dos animais irracionais, então criamos as religiões colocando o humano no centro da criação e o lar onde vive os humanos, estável, parado, no centro do Universo. Talvez ate nossos olhos vissem a realidade, que o Sol não esta se movendo a nossa volta, mas quando a imagem do que víamos viajava dos olhos na direção do neocortex, um bilhão de neurônios e outro tanto de sinapses atuavam nos sinais transmitindo a imagem, e no final a imagem chegava ao cérebro de forma torcida. Este mecanismo é diferente do mecanismo da “visão” de uma maquina fotográfica, que tem uma câmera similar, mas a imagem é revelada tao como ela se apresenta. Entre os sinais da imagens que entra na lente e o filme no fim da câmera que revela a imagem não existem os bilhões de neurônios e sinapses atuando sobre estes sinais. Estes neurônios e sinapses – e isso não foi dito pelo Dr. Hoffmam – a meu ver – são os agentes da desinformação produzidos pela desinformação de que o humano é o fator central do universo, mas que assim foram selecionados pela evolução porque essa mentira tornava o humano mais apto a sobreviver com mais força, energia e motivação. Do que ele agiria se soubesse que não é um animal diferente dos outros e portanto teria depressão, tornando-se desmotivado e fraco. Raios! E agora? Como fica? Isto seria a explicação exata do porque sou o perdedor interpretando o mundo de forma diferente, e talvez mais sintonizada com a realidade…? Os meus valores, que emergem da minha cosmovisão ( somos 8 bilhões de genes semi-conscientes construindo um embrião de auto-consciência, etc.), não me levam a depressão, ao contrario, eles tem me provido com energia sem igual, uma motivação que tem me mantido vivo e mentalmente mais eficiente que muitos dos que me rodeiam. Porem meus valores me conduzem, a meus comportamentos, em outra direção, e deste conflito, onde sou um contra todos, obviamente sou o perdedor. Ou eu estou fazendo exatamente o mesmo que fizeram os antigos? Criando uma cosmovisão errada, com uma religião errada, para me iludir inconscientemente escondendo minha fraqueza física, e isso me deu força, saúde e motivação para sobreviver e ate chegar ao fim da vida melhor que a maioria? Se for isso, novamente a evolução recompensa quem vê a realidade distorcida. Ela me favoreceu, sobrevivi e me coloquei numa zona de conforto. Bem… eu não tenho como resolver isto. Acho que ninguém mais tem, apenas o tempo, com suas novas informações, pode ser o juiz que decidira quem esta certo ou errado. Então o que deve me interessar agora é entrar mais fundo na pesquisa das teorias do Dr. Hoffman. O que ele fornece como exemplo comprovado de que a evolução favorece o erro? Vamos iniciar por uma de suas palestras no TED TALK. https://www.ted.com/talks/donald_hoffman_do_we_see_reality_as_it_is#t-760280

Nos vemos a realidade tal como ela é?

xxxxx

Copio aqui um comentário e minha resposta que foram postados abaixo da palestra e que serve para expor mais das minhas teorias sobre o tema:

Mohammad Abbasi

Posted 20 days ago

It was great, especially when he compared our perception of reality to the 3D desktop, But his words were contradictory. On the one hand, he acknowledged that beetles were at risk of extinction due to limitations in reality detection. But on the other hand, he said that simulations assess the limitations of knowing reality for positive survival and evolution. Perhaps the simulations are not yet complete.

 Louis Morelli

Posted at 11/9/19

Mohammad, I have a hypothesis suggesting the advantage for evolution making us with limitations in reality detection without these limitations bringing to us the risk of extinction and at the same time driving us to positive evolution. Think that humans are like genes. How genes knows to change a fetus into an embryo, if they doesn’t have any design for embryos?

While they are working on the fetus, they have hidden particles-bits-information with the design for embryo. These bits are our neurons, which knows the shape of the next shape of embryo. Then, the bits at genes and neurons at humans take the reality that arrives to our eyes and transform the image into a interface ( the shape of the embryo) before the image arriving to neocortex.

There are no natural risks: the bottles does not belong to the natural world of the beatles, and the statue is not a natural thing in the world of that bull…

I got this hypothesis 30 years ago because my calculations building a new worldview ( The Matrix/DNA cosmovision) were suggesting that “in this Universe is happening a genetic process of reproduction of the unknown thing that triggered the Big Bang as an act of fecundation”. If this theory is right, we, humans are like genes building an embryo of consciousness… we are, like genes, programed to do it, that’s why neurons does what they do. Nature shows as interface the most beautiful template of the embryo instead the most ugly reality of the fetus which is the real environment…











O sapo fervido: a ideologia, a ausência de prova cientifica e seus efeitos nas relações entre humanos

Wednesday, November 6th, 2019

xxxx

O texto abaixo é comum em todas as menções a tal “Síndrome do Sapo Fervido”

https://www.cpt.com.br/para-refletir/a-sindrome-do-sapo-fervido

Vários estudos biológicos provaram que um sapo colocado em um recipiente, com a mesma água de sua lagoa, fica estático durante todo o tempo em que aquecemos a água, até que ela ferva. O sapo não reage ao gradual aumento da temperatura (mudanças do ambiente) e morre quando a água ferve. Inchadinho e feliz. No entanto, outro sapo, jogado nesse mesmo recipiente já com água fervendo, salta, imediatamente, para fora, meio chamuscado, porém, vivo!

Existem pessoas que têm comportamento similar ao do SAPO FERVIDO. Não percebem as mudanças, acham que está tudo bem, que vai passar, que é só dar um tempo… e, muitas vezes, fazem um grande estrago em si mesmas, “morrendo” inchadinhas e felizes, sem, ao menos, ter percebido as mudanças.
 
Outras, ao serem confrontadas com as transformações, pulam, saltam, em ações para implementar as mudanças necessárias. Encorajam-se, diante dos desafios, buscam a melhor saída para a solução dos problemas, tomam atitudes.

xxxxxxx

Analise pela Matrix/DNA Theory:

– Em primeiro lugar, o texto não fornece a fonte dos “vários estudos biológicos”. Quem registrou um “paper cientifico” relatando que pôs um sapo numa panela com água sobre o fogo e observou o sapo ate ele morrer? Em relação ao alimento, como este alimento estava na água? Pois sem alimento , por instinto natural, o sapo teria se debatido para sair da panela. E quem pôs um sapo numa panela com água quente e o viu saltar fora?

Sem estas informações, o resto do texto deve ser considerado como construção imaginaria, uma teria sobre o que aconteceria se… Não importa que a teoria nos pareça bastante logica, racional, que os efeitos subsequentes as causas estejam bem fundamentados no nosso tipo de logica, pois estamos cansados de observar que muitas vezes surgem elementos não previstos determinando efeitos imprevistos. E isto acontece aqui também, como vamos ver mais a frente.

Suspeito que alguém fortemente crente nessa teoria iria retrucar dizendo que “ninguém vai produzir este tipo de paper porque seria confissão de um crime contra animais, etc.” Mas o interessante é que este experimento é praticado a todo momento em todos os lugares contra seres humanos. As oligarquias predadoras apertam enquanto podem o torque em volta dos empregados escravos para ver ate onde podem sugar suas energias pelo menor custo. Então, contra os outros animais na pode, mas com humanos, estamos permitindo.

Como não foi fornecido o registro de um experimento com sapos, mas temos a nossa disposição a observação deste experimento com humanos, a teoria deveria chamar-se ” A Síndrome do Humano Fervido”. Parece esdrúxulo, paradoxal, mas esta é a realidade dos fatos concretos, dos quais a logica na tem como escapar.

A ideologia predadora (ilusoriamente auto-intitulada de “direita”) fundamentada nesta teoria e reforçada por textos “sagrados” criados por ela própria na forma de “religião”, encontra nesta teoria o argumento-muleta para se auto-justificar na manutenção de seus privilégios. Imediatamente o texto sai do reino dos sapos, extraindo dele um processo natural (teórico) e insere este processo no reino dos humanos. O humano se torna igual ao sapo. E isto é uma aberração, pois humano são muito diferentes de sapos. Este terrível engano da ideologia predadora tem causado desagradáveis surpresas aos predadores quando… ” o sapo pula fora da água fervente e mata quem esta aquecendo a água”. Bons exemplos foi a corte e a família do Rei Luis XV, os Czares da Russia, O Coronel e ditador Muammar Kadhafi do Líbano, etc .

Mas a honesta observação dos fatos reais provam que esse processo teórico entre sapos não se repete com humanos. Apertar o nó do laço que prende os escravos produz os grupos da “esquerda”, os rebeldes, os bandidos de rua, os terroristas, as revoluções populares. O sapo não se mantem inerte ao sentir a água esquentar, ele se debate preferindo enfrentar ou antecipar sua morte.

Em outros eventos ou fatos concretos observa-se que sim, o processo teórico entre sapos se repete como processo real entre humanos. E’ desta forma que os poucos e menores isolados predadores se tornam agrupados em mafias, crescem em força bruta e se tornam monstros invencíveis. Porque um quantidade de escravos separados entre si foram suportando o apero no laço, não reagiram e não tem outro destino senão morrerem “inchadinhos na água fervente”.

Dentro da Matrix/DNA, nos sentimos que temos de mudar estes humanos que não reagem ao esquentar da água. Porque? Bem, primeiro porque nos sentimos muito mal psiquicamente vendo humanos inferiorizados e escravizados, assim como quando vemos humanos indolentes, mentalmente preguiçosos, com instinto das presas. Segundo, e mais importante, porque a nossa visão do mundo em que “somos 8 bilhões de genes semi-conscientes com informações e a missão suprema de gerar uma característica de um embrião super-consciente universal” implica que todos os cérebros humanos tem que estarem livres para se evoluírem e se configurarem adequadamente para executarem suas missões. Portanto não pode haver sapos inertes, seja em águas tranquilas ou águas ferventes. Assim como devem ser combatidas as forças que impedem estes humanos de evoluírem seus cérebros e cumprirem suas missões.

A “lenda” do sapo ferido – sim, por enquanto é uma lenda, enquanto não houver um experimento observado real e relatado cientificamente ou empiricamente disponível a ser reproduzido para qualquer constatação – esta sendo muito divulgada, e para crianças, estudantes, como prova o próprio texto acima como conteúdo de um currículo educacional. Mas não é transmitido como lenda, ou teoria, ou fabula, e sim como verdade absoluta comprovada – por estudos biológicos. E em todos estes textos curriculares, mencionam humanos que se comportam em acordo com o processo descrito na teoria, porem emitem a outra metade da historia, que é o processo real dos humanos que reagem de forma contraria ao processo.

Então, dentro da Matrix/DNA descobrimos mais um foco a entrar a entrar para o rol da “desconstrução da matriz milenar cultural”. Temos que reagir com nossos senões e argumentos toda vez que vemos este falso ou incompleto ensinamento com efeito doutrinário sendo ministrado aos leigos.

Em adição, temos que fazer uma varredura, uma pesquisa ampla sobre as causas criadoras dessa teoria, se existem experimentos científicos, observações empírica, etc. E’ o que faremos a seguir aqui:

xxxxx

PESQUISA pela MATRIX/DNA:

 











A Falácia do erro na transcrição genética que causaria mutações ao acaso

Thursday, October 24th, 2019

xxxxx

A teoria acadêmica da evolução acredita que as mutações genéticas ocorrem por erros nas sucessivas copias do código genético, assim como quando a gente escreve, digita num teclado ou lê um livro, quando chega no fim de uma frase ou parágrafo, a gente sente que a coisa não faz sentido, e então volta a reler e percebe que leu uma palavra errada, ou nossa definição antiga da palavra não é a mesma do dicionario. Ou então na tela aparece uma palavra sublinhada pelo computador mostrando que aquela palavra não existe, tem um erro nela.

Nos cometemos erros, e por isso, devido ao incorrigível ato de antropomorfizar projetando o contexto humano em tudo que desconhecemos para elaborar nossas teorias do que não conhecemos, acabamos auto-projetando a deficiência humana em cometer erros sobre a Natureza, crendo que Ela também comete erros.

Mas estes acadêmicos nunca pararam para raciocinar no que estão acreditando. Se tivessem raciocinado sobre o que estão dizendo parariam com isso imediatamente. Iriam perceber que não faz o menor sentido logico em dizer que a Natureza erra.

O que é “erro”? Como o dicionario define essa palavra? Como os acadêmicos falam inglês, vamos ver isso no inglês:

– Error | Definition of Error by Merriam-Webster

Oct 10, 2019 – error, mistake, and blunder mean an act or statement that is not right or true or proper. error is used for failure to follow a model correctly. There was an error in the addition. mistake is used when someone misunderstands something or does not intend to do wrong.

– the state or condition of being wrong in conduct or judgment.

Wikipedia: Error

– os mesmos acadêmicos dizem que no DNA existe um mecanismo de auto-correção. Então penso num ciclone começando nas Bermudas como um erro da Natureza. Aconteça o que acontecer, o ciclone vai desaparecer e o ambiente vai voltar ao normal que era antes. Esse ambiente então é o agente da correção, e isto nos lembra a seleção natural, pois ela funciona mais ou menos assim. Assim a natureza tem o mecanismo de auto-correção de erros. transpondo isso para o DNA temo que dizer que o ambiente normal, ou seja, o código que vem sendo transmitido exato de copia em copia, acaba por corrigir um erro de transcrição.

Se for assim nunca deveria haver mutação, ou melhor, toda mutação desapareceria nas copias seguintes. mas temos que notar que num ciclone pode haver mudança no ambiente que vai ficar existindo depois que o ciclone desapareceu. E o velho ambiente as vezes pode não corrigir isso, ou, melhor, ele sempre tem a tendencia a corrigir, mas tem novas diferenças pequenas que não o afeta, ou ele não alcança, então estas persistem e todas as novas copias vão copiar a nova diferença. Mas porque acontecem os ciclones? Por erros no funcionamento da Natureza ou por efeitos inevitáveis de forças naturais? As quais não estavam no local onde principiou o evento, nunca estiveram, vieram de outros locais de um ambiente maior?

Então foi uma anormalidade para um observador observando do local e não para um observador observando o ambiente maior. Mas como o ambiente maior aceita aquela mudança em si mesmo, se ele tende a manter sua normalidade? A resposta deve ser que o ambiente maior não é de maneira alguma afetado pela mudança que afeta e muda o ambiente menor, e isto lembra a hierarquia dos sistemas naturais.

(Daqui para a frente falta corrigir os erros de ortografia do teclado)

Sera possivel isso acontecer na realidade? Sim, deve acontecer senao nao haveria evolucao ou degradacao de sistemas, e isto ocorre com todos, os menores e os maiores. A nao ser que exista um sistema maior, fora da hierarquia dos sistemas feitos com especieifos e limitados ingredientes, que contenha ingredientes diferentes nao contidos nos sistemas abaixo dele. Se existir, este sistema fora e acima teria que funcionar como um objetivo deterministico em relacao a todos os seus sub-sistemas. estes ingredientes diferentes seriam as forssas vindas de fora das Bermudas que causa um ciclone. Por exemplo, o calor produzido pelo homem num continente. mas notamos que emtodas estas possibilidades uma coisa fica patente, clara, inegavel: nao e trata de erro na natureza e sim simples movimentos das forssas naturais. Existem tres alternativas fundamentais dos erros:

1) existe erro quando existe um processo sob um desenho de uma meta final, e durante o processo algo imprevisto acontece de maneira que o design final nao fe obtido. Mas isto implica na existencia de um previo design, sempre ;

2) existe erro num processo que tem um desenho final, mas como o desenho final fe um projeto, entao ele existia antes de iniciar o processo, e ele dirige o processo, entao ele corrige o erro no processo antes de chegar ao desenho final. E isto tambem implica na existencia de um previo design, sempre;

3) nao existe erro se nao houver uma meta final, nao tem como comparar o desenho resultante de todo o processo natural com outro deenho que nao existe para se dizer que houve erro. E isto, diferente das duas premissas anteriores, implica que nao existe um previo design, sempre;

Conclusao logica: so existe erro quando existe previo design.

Nos nao podemos saber se a Natureza existe sob um projeto de um desenho final ou nao. Os academicos materialistas acreditam que nao haja tal determinismo de desdenho final, mas essa crenca nao tem base realista, cientifica. Nos nao podemos saber se tem ou nao uma meta final na existencia da Natureza, ou mesmo se a natureza fe ou nao um processo, que existe para produzir um resultado final. Mas nos vimos nas tres caracteristicas de erros que para se inferir se existe  erro na natureza, ela tem que ter um previo design. Como ninguem nunca mostrou um previo design na Natureza, nunca ninguem pode ter constatado erro algum. Erro em relacao a que? Alguem pode achar que um evento natural foi um erro, mas todos os achismos de erros naturais sao apenas imaginarios. Nao existem erros, de maneira alguma. Entao como fica isso em relacao ao DNA e suas mutacoes? nao existe erros, temos entao que procurar outra explicacao para as mutacoes. E como vimos acima, o que parece erro de transcricao deve ser acao de forssa de um sistema hierarquicamente superior, entrando com novos ingredientes que nao existiram nas copias anteriores. isto significa que o observador local assistindo o evento nao conhece e nao pode ver o ambiente maior, o qual sera visto e enetendido por um observador maior. Nos vemos o DNA atraves de lentes multiplicando o super microscopico, nos somos o persoangem na ponta do microscopio localizado no local do DNA, dentro do DNA, assistindo seus eventos. para ver o causador dos eventos que fogem ao normal das copias, nos precisamos de outros instrumentos que possam enxergar as coisas existentes no ambiente circundando o DNA. Quando enxergar-mos estas forssas naturais nao tera sentido dizer que existe erro na trancricao genetica que permanece no tronco da arvore da evolucao. Ou uma copia desigual sera descartada pelo desenho final, ou ela estava programada no desenho final, porque em relacao ao DNA, aqui sim, nos temos certeza absoluta que existe um desenho final, que existia desde antes do evento da copia. Nao tem a possibilidade numero 3. Nos sabemos que a possibilidade numero 2 fe possivel, ocorre um erro que fe auto-corrigido mais a frente. Mas…

espera ai… a possibilidade numero 1 tambem existe para o DNA, e isso corere de fato, muitas vezes um embriao nasce com defeitos ou com melhorias nunca ocorridas antes. mas quando nasce com defeitos, nao se adapta tao bem e sera sdescartado na evolucao. Quando nasce com melhorias, em relacao ao previo design, ele sera incluido no tronco da arvore da evolucao.

Entao existe uma diferenca entre o macrocosmo e o microcosmo? Quais foram as forssas naturais que atuaram no momento da copia e produziu a mutacao para melhor? Quais as forssas que vieram de fora das Bermudas e produziram o ciclone? nas Bermudas as forssas vem de um previo design, o qual fe o sistema superior ambiental envolvendo e contendo as bermudas. Mas esse sistema superior foi formado pelo mesmo previo design que ele fe? Ou ele se tornou o design que e porque era uma massa informe e foi sendo modelada para se encaixar e adaptar em outro design ainda mais superior?

Nos nao podemos saber a resposta no caso do evento do ciclone e das Bermudas porque nao conhecemos e nao podemos ver o Cosmos inteiro, e assim nao sabemos se o cosmos inteiro fe um design ou nao. Mas o DNA nos sabemos que a mutacao ocorre num ambiente que tem acima de si um design – que fe a especie humana. mas quando vamos ver de onde veio a especie humana, que fe a forssa natural atuando na copia, chegamos – teoricamente – a um ponto sem design algum – que foi a teoria das origem da vida por acaso vinda do mundo nao-vivo. Epa! Aqui chegamos a uma conclusao definitiva!

se nao havia design nenhum, nao existem erros. o que vemos acontecer como mutacoes que nos parecem erros, o sao apenas em relacao ao DNA imediato, que tem um previo design com o qual podemos comparar o redsultado produzido na copia.  mas nao poddemos dizer isso porque o verdadeiro DNA tem 4 bilhoes de anos e – pela teoria dos academicos materialistas – esse DNA verdadeiro nao tem nenhum previo design. se nao tem previo design nao acontece erros. esta cientificamente incorreto, de acordo com as teorias cientificas aceitas – dizer que ha erro na trancricao genetica.

mas de acordo com nossa teoria da matrix/DNA, o DNA verdadeiro foi produzido por um previo design – que veio da especie ancestral, das galaxias. Se for assim, ou o evento anormal numa copia sera descartada pela forssa das galaxias, ou essa anormalidade se tornara uma nova forssa natural que vai resultar num final diferente do previsto pelas galaxias, vai sair fora da historia das galaxias e constituir uma outra seua propria historia. Mas… mesmo assim nao podemos saber se esta nova historia sera uma imprevisibilifdade a um sistema ainda maior que as galaxias, ou se ela foi produzida pelo design desta potencia maior. E se nao podemos saber, cientificamente nao esta certo afirmar que existe erro natural.

CyberneticsEdit

The word cybernetics stems from the Greek Κυβερνήτης (kybernētēs, steersman, governor, pilot, or rudder — the same root as government). In applying corrections to the trajectory or course being steered cybernetics can be seen as the most general approach to error and its correction for the achievement of any goal. The term was suggested by Norbert Wiener to describe a new science of control and information in the animal and the machine. Wiener’s early work was on noise.

The cybernetician Gordon Pask held that the error that drives a servomechanism can be seen as a difference between a pair of analogous concepts in a servomechanism: the current state and the goal state. Later he suggested error can also be seen as an innovation or a contradiction depending on the context and perspective of interacting (observer) participants. The founder of management cybernetics,Stafford Beer, applied these ideas most notably in his viable system model.

 

 











Revelado o tipo de pensamento na base do comportamento do predador humano dos humanos

Wednesday, October 23rd, 2019

xxxxx

Esta joia esta num simples comentário de um leitor do Tilt, da UOL:

https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2019/10/23/5-coisas-para-entender-o-que-e-computacao-quantica.htm

MelanciaMaluca2 –  “… devido a esforços de terroristas dos anos 60(da guerra fria) que tomaram o governo por quase 15 anos, ainda estamos tendo que superar essas ideias e ideologias absurdas. pois crianças que estudaram nos anos 2007-2018 acreditam nessas coisas e querem ate lutar por elas ainda. o desejo de pilhar o patrão ainda sobe a cabeça de muita gente 🙂 a ideia que “equidade” é justiça e igualdade de renda gera riqueza e bem estar engana muita gente nesse país. quando é a produção de riqueza que gera bem estar e também diferença social, mas bem estar e mais riqueza a todos. enfim… triste mesmo realmente, que gastemos um mandato só pra esse objetivo e nem assim talvez seja suficiente. estagnados nos anos 50-60.”

Minha pergunta enviada em 10/23/19: ( aguardando moderação)

Melancia, você escreveu: “é a produção de riqueza que gera bem estar e também diferença social, mas bem estar e mais riqueza a todos”.
Muito interessante sua crença. Eu queria saber em que fato real ela esta fundamentada. Você tem alguns exemplos ( ao menos um) de algum lugar ou época numa comunidade todos eram pobres e apenas um ou alguns do grupo iniciaram uma atividade econômica com suas próprias mãos ( sem ser invasão e escravagismo) e geraram riqueza, sem se apropriarem do produto do trabalho de outras pessoas do grupo?
Apenas um exemplo, por favor… preciso disso para comparar com minha crença contraria e ver se estou errando em alguma coisa, pois apenas conheço exemplos contrários.
Alem dessa pergunta, gostaria que me indicasses uma só comunidade, região, pais, onde algum que se tornou rico melhorou as condições de existências de outros alem de seus familiares e capatazes. Mais esse exemplo, por favor.

Bem,… como eu já imaginava, o debatedor não respondeu. A razão fé que ele não tem exemplo real factual algum, tem a mente e ideológica construída por imaginações fantasiosas porque estas lhes são convenientes para manterem seu atual status. A equidade que minha visão de mudo esta sugerindo terá que existir para uma sociedade ideal não me leva a combater apenas o instinto predador, mas também o de presa. O predador esforça-se em busca de soluções para problemas no seu território, e com isso ele empurra a evolução tecnológica. Falta as presas essa motivação para esforçarem o cérebro em busca de mudanças para melhor. A equidade que defendo é aquela em que não apenas a riqueza esteja correlacionada com a produção manual individual e esforço mental mas também relacionada a contribuição igual de todos na produção coletiva.

xxxxx

O seguinte posto do Melancia abaixo revela que estes indivíduos passaram por universidades ( portanto são classe media para cima) e que possuem um elevado grau da arrogância dos que acreditam que conhecem tudo, e tem necessidade de estar se auto-propagando.

MelanciaMaluca2 – 47 minutos atrás

Desculpem.. mas não acredito que funcione com a falacia do entanglement… isso foi um artigo-piada de einstein com o bohr, que depois o hippies usaram como razão de… oh todos estamos ligados… física quântica… depois basearam em testes de aleatoriedade na na verdade provam curvas normais de aleatoriedade… e… ok… um computador pode ser projetado com mais do que 0 e 1, e pode dizer que 2+2=3,99988689651 depois de 93175+10 tentativas simultaneas em centenas de nucleos.. ou mesmo em mais de um estado final de cada transistor… a 5+ ghz a quase zero… ( alias niobio vai valer muito quando isso se massificar) … mas… não acredito que isso seja “quantico” no sentido de “entanglement” acho que é na verdade uma simulação de computador quantico baseado nessas ideias.. pois… não existe isso 🙂

Minha resposta:

O entanglement esta provado por experimentos, ou você contesta? Onde esta a falácia? E o que tem a ver a quântica com os hippies? O que tem de tendencioso em sua psique que você imediatamente buscou um exemplo da crença no ” estamos todos ligados” para verter seu veneno mostrando que sua crença é o “estamos todos separados”? Você expôs humanos num experimento quântico para provar que não existe nada ligando-os? Estamos todos separados e` um instinto tipico herdado dos animais irracionais, incapazes de perceber holismos.  Quantum entanglement has been demonstrated experimentally with photons, neutrinos, electrons, molecules as large as buckyballs, and even small diamonds. On 13 July 2019, scientists from the University of Glasgow reported taking the first ever photo of a strong form of quantum entanglement. The utilization of entanglement in communication and computation… E aprenda que não é falacia. Auto-exorcismo dos instintos seria bom.

xxxxx

E no prosseguimento do debate sobre o computador quântico do Google:

john51 – 3 horas atrás

Como sei programação e trabalhei nisso pelo menos 30 anos, fico imaginando como fariam pra programar um computador quântico pra executar diversas operações ao mesmo tempo, realmente é uma revolução total na forma de programar

Minha resposta em 10/23/19

Talvez uma analogia pode nos ajudar a entender isso. O DNA é constituído de unidades fundamentais de informação, por dois nucleotídeos laterais. Estas unidades se ligam numa enorme pilha de milhões delas. Acontece que cada unidade ( que tem sete variáveis = 4 bases + dois açucares + uracila) é um sistema funcional, executando uma especifica tarefa. E todas as unidades são copias de um sistema original, o primeiro de baixo da pilha, porem, cada unidade tem ao menos uma partícula em posição diferente, tornando-a diferente de todas as outras copias. Quando chega um RNA mensageiro com um problema (uma formula para uma proteína), imediatamente todas as copias são varridas e unidas aquelas que fazem cada elemento da proteína). Então, creio que a técnica deles seja quase essa: fizeram um programa inicial, variam alguma coisa nas copias e inteligam todas pela superposição quântica. Bem, baseio-me na minha teoria do DNA…e não na deles.











Budismo também é contra “origens”

Wednesday, October 16th, 2019

xxxx

Hindu and Buddhist philosophies state that any event is the result of previous events, as reflected in the concept of karma, and as such there is no such thing as a random event or a first event. (wikipedia : https://en.wikipedia.org/wiki/Randomness )

A teoria da Matrix/DNA contesta o conceito e definição humana da palavra “origens”, acrescentando que nunca houve “origens da vida” nem “origem do Universo”. As propriedades da vida vem sendo expressadas gradualmente a medida que evolui o sistema universal, desde o sistema atômico, e quando chega no biológico expressa todas as propriedades juntas. Portanto não existe fronteiras, divisão clara entre o que é um sistema vivo e um sistema não-vivo. Então não teve súbita origem da vida. Alias, tido é produto de transformações de algo que existia antes. E pelo que vejo no texto acima, o Budismo também já defendia esta ideia.

Tenho alertado que estas duas palavras tem causado grande prejuízo a obtenção de conhecimento natural pela humanidade. Por causa desta divisão entre vida e não-vida separaram a Evolução Universal em dois blocos – a Evolução Cosmológica e a Evolução Biológica – e devido a esta separação que cria um abismo evolucionário entre os dois blocos surgem vários misticismos, materialismos metafísicos crendo em acasos mágicos, e religiões, que precisam apelar ao imaginário para explicarem o que aconteceu depois da evolução cosmológica, como a origem da vida. se alguém concordar com minha teoria, deve sempre contestar qualquer fala incluindo os termos “origens da vida” ou origem de qualquer coisa, a bem da humanidade.