Archive for the ‘Philosophy’ Category

A evolução (ou a seleção natural?) recompensa, favorece, quem interpreta a realidade de forma errada…

Friday, November 8th, 2019

xxxxx

Nesta brilhante palestra de um renomado neurocientista que esta chamando atenção por suas surpreendentes teorias sobre auto-consciência, proferida no TED TALK ( com link abaixo), um de seus inusitados insights é que a evolução esconde de nos a realidade dos objetos e do ambiente para nossa sobrevivência e própria evolução. Com o tempo ela mostra a realidade de um objeto e como estávamos enganados. O que serve também para nossa aprendizagem e evolução. Um exemplo foi sugerir a nós que o SOL se move a nossa volta, e depois corrigir essa ilusão de ótica. Mas então nas teorias do Dr. Hoffman percebi que estão encriptadas como resultados dos meus cálculos a 30 anos atras, e que eu vinha tratando estes temas como questões ainda a resolver dentro da cosmovisão da Matrix/DNA, enquanto o Dr. Hoffman denomina as mesmas questões como “teorias”. Vejamos:

 

Eu sempre fui um perdedor na competição por bens materiais, riqueza, confortos da vida. As três classes sociais sempre interpretaram cada fenômeno natural de forma diferente que is interpreto. Todas as três classes me suplantaram no quesito material. Obviamente isto me levou a uma conclusão: eu vejo a realidade de form errada, os outros humanos a veem de forma correta. Então, se eu vivesse na Idade Antiga, suspeito que estaria endo o Sol parado e a Terra girando, enquanto todos os outros interpretariam ao contrario. Todos os outros estariam ajustados ao sistema social – fosse este monarquia, feudalismo, capitalismo, etc. – o que os faria ganhar de mim em todas as competições pelos recursos materiais. Mas… depois se comprovou que todos estavam errados… o que comprovaria que quem viu ao contrario, era quem estava certo. E este paradoxo me ocupou a mente por muito tempo. Pois por mais estupido que pareca, eu não consigo aceitar que estou errado nas minhas interpretações. Fiz e refiz milhares de vezes meus cálculos, os resultados são sempre os mesmos, as mesmas interpretações. E tenho uma convicção intima de que eu estou do lado da logica, não da logica dos outros humanos, mas da logica da natureza, do mundo real. Vejamos um primeiro exemplo: O evento do Big Bang foi uma explosão, e foi uma explosão sem uma meta racional, e explosão de algo muito mais simples e menor do que o Universo de hoje. esta a interpretação dos outros humanos. Para mim não foi uma explosão e sim o rompimento de uma membrana contendo algo, havia uma meta racional pois foi um ato de fecundação do qual se reproduzira’ aquilo que produziu o rompimento, e aquilo que produziu o rompimento, ou Big Bang, tem que ter sido maior e mais complexo do que o Universo hoje. Tudo ao contrario. Então sou inicialmente conduzido a acreditar que estou errado. E refiz os cálculos da evolução universal iniciando pelo Big Bang e calculando tudo ate hoje e depois os cálculos iniciando ao que temos hoje regredindo ao Big Bang. E sempre os resultados apontam a minha mesma interpretação. Então comparo meus cálculos com os cálculos dos outros humanos. E nos cálculos vejo as diferenças. Calculamos diferentemente. Eles usam mais a Física e a Matemática, eu uso mais a Biologia e o Ciclo Vital. Eles usam os mecanismos da teoria da evolução darwiniana, eu uso os mecanismos da teoria da evolução macro universal, e assim por diante. Mas não posso rejeitar meus cálculos e aceitar os deles. Porque o meu Big Bang foi um evento exatamente igual a um evento que meus olhos assistem hoje, aqui e agora, toda vez que uma nova vida é concebida. E então meus cálculos aplicam os mecanismos e processos da concepção aqui e agora em todos os estagios da evolução ou da Historia intermediaria entre o Big Bang e o resultado final dessa Historia, os fatos e a vida que aqui existem agora. Por outro lado, a interpretação deles do que foi o Big Bang, os calculos que aplicam sobre o Big Bang para interpretarem como foi a Historia Universal, não poderia jamais, pela logica natural e exercício racional, produzir a vida e os fatos que existem aqui e agora. Então não tenho como mudar minha interpretação. Se não for descoberto um fenômeno real, comprovado, derrubando minha interpretação, não tem outra alternativa senão a de morrer crendo que estou certo. Mesmo que no fundo minha consciência sussurra que não posso estar certo, pois todos os outros não poderiam estarem errados, e eu, o unico certo. Com isso, vou morrer sendo o perdedor, na competição material. Simplesmente porque a minha cosmovisão me obriga a me comportar perante o mundo com outros valores diferentes daqueles da competição com que os vencedores estão se comportando e vencendo. Passados 30 anos com este paradoxo em mente, eis que acontece algo que vem trazer nova maneira de pensar isso. Trata-se das teorias do Doutor Donald Hoffman, e alguns outros, que eu desconhecia e tive contacto numa questão levantada na secção ask/philosopher do REDDIT, que apontava para a obra do Doutor Hoffman. Dentre os surpreendentes insights do Dr Hoffman estavam uns dois ou tres conceitos chaves. ” A evolução recompensa aquele que vê a realidade de forma errada”. Na verdade, e ainda no inicio do estudo de sua obra, concluo que o Dr. Hoffman esta dizendo que vemos a interface apenas da realidade, nada vemos do que esta por trás e por dentro da interface. Por exemplo alguém apresenta duas pessoas lado a lado e diz que uma é a pessoa mais bonita da especie humana, enquanto a outra é a mais feia. Mas se tirássemos a pele total das duas pessoas, apareceria uma massa de carne vermelha com fibras e muito sangue, algumas pontas de ossos, e não veríamos mais as qualidades de bonito ou feio, pois as duas pessoas seriam iguais. São as peles e seus enchimentos de gordura que fazem as duas pessoas diferentes em relação a estética preferida pelos valores humanos? Valores humanos! E aqui vem o segundo importante insight do Dr. Hoffman: nas nossas interpretações, nos distorcemos a realidade de acordo com nossas “aptidões intimas”. Nos tínhamos que nos ar importância para nos diferenciar dos animais irracionais, então criamos as religiões colocando o humano no centro da criação e o lar onde vive os humanos, estável, parado, no centro do Universo. Talvez ate nossos olhos vissem a realidade, que o Sol não esta se movendo a nossa volta, mas quando a imagem do que víamos viajava dos olhos na direção do neocortex, um bilhão de neurônios e outro tanto de sinapses atuavam nos sinais transmitindo a imagem, e no final a imagem chegava ao cérebro de forma torcida. Este mecanismo é diferente do mecanismo da “visão” de uma maquina fotográfica, que tem uma câmera similar, mas a imagem é revelada tao como ela se apresenta. Entre os sinais da imagens que entra na lente e o filme no fim da câmera que revela a imagem não existem os bilhões de neurônios e sinapses atuando sobre estes sinais. Estes neurônios e sinapses – e isso não foi dito pelo Dr. Hoffmam – a meu ver – são os agentes da desinformação produzidos pela desinformação de que o humano é o fator central do universo, mas que assim foram selecionados pela evolução porque essa mentira tornava o humano mais apto a sobreviver com mais força, energia e motivação. Do que ele agiria se soubesse que não é um animal diferente dos outros e portanto teria depressão, tornando-se desmotivado e fraco. Raios! E agora? Como fica? Isto seria a explicação exata do porque sou o perdedor interpretando o mundo de forma diferente, e talvez mais sintonizada com a realidade…? Os meus valores, que emergem da minha cosmovisão ( somos 8 bilhões de genes semi-conscientes construindo um embrião de auto-consciência, etc.), não me levam a depressão, ao contrario, eles tem me provido com energia sem igual, uma motivação que tem me mantido vivo e mentalmente mais eficiente que muitos dos que me rodeiam. Porem meus valores me conduzem, a meus comportamentos, em outra direção, e deste conflito, onde sou um contra todos, obviamente sou o perdedor. Ou eu estou fazendo exatamente o mesmo que fizeram os antigos? Criando uma cosmovisão errada, com uma religião errada, para me iludir inconscientemente escondendo minha fraqueza física, e isso me deu força, saúde e motivação para sobreviver e ate chegar ao fim da vida melhor que a maioria? Se for isso, novamente a evolução recompensa quem vê a realidade distorcida. Ela me favoreceu, sobrevivi e me coloquei numa zona de conforto. Bem… eu não tenho como resolver isto. Acho que ninguém mais tem, apenas o tempo, com suas novas informações, pode ser o juiz que decidira quem esta certo ou errado. Então o que deve me interessar agora é entrar mais fundo na pesquisa das teorias do Dr. Hoffman. O que ele fornece como exemplo comprovado de que a evolução favorece o erro? Vamos iniciar por uma de suas palestras no TED TALK. https://www.ted.com/talks/donald_hoffman_do_we_see_reality_as_it_is#t-760280

Nos vemos a realidade tal como ela é?

xxxxx

Copio aqui um comentário e minha resposta que foram postados abaixo da palestra e que serve para expor mais das minhas teorias sobre o tema:

Mohammad Abbasi

Posted 20 days ago

It was great, especially when he compared our perception of reality to the 3D desktop, But his words were contradictory. On the one hand, he acknowledged that beetles were at risk of extinction due to limitations in reality detection. But on the other hand, he said that simulations assess the limitations of knowing reality for positive survival and evolution. Perhaps the simulations are not yet complete.

 Louis Morelli

Posted at 11/9/19

Mohammad, I have a hypothesis suggesting the advantage for evolution making us with limitations in reality detection without these limitations bringing to us the risk of extinction and at the same time driving us to positive evolution. Think that humans are like genes. How genes knows to change a fetus into an embryo, if they doesn’t have any design for embryos?

While they are working on the fetus, they have hidden particles-bits-information with the design for embryo. These bits are our neurons, which knows the shape of the next shape of embryo. Then, the bits at genes and neurons at humans take the reality that arrives to our eyes and transform the image into a interface ( the shape of the embryo) before the image arriving to neocortex.

There are no natural risks: the bottles does not belong to the natural world of the beatles, and the statue is not a natural thing in the world of that bull…

I got this hypothesis 30 years ago because my calculations building a new worldview ( The Matrix/DNA cosmovision) were suggesting that “in this Universe is happening a genetic process of reproduction of the unknown thing that triggered the Big Bang as an act of fecundation”. If this theory is right, we, humans are like genes building an embryo of consciousness… we are, like genes, programed to do it, that’s why neurons does what they do. Nature shows as interface the most beautiful template of the embryo instead the most ugly reality of the fetus which is the real environment…

O sapo fervido: a ideologia, a ausência de prova cientifica e seus efeitos nas relações entre humanos

Wednesday, November 6th, 2019

xxxx

O texto abaixo é comum em todas as menções a tal “Síndrome do Sapo Fervido”

https://www.cpt.com.br/para-refletir/a-sindrome-do-sapo-fervido

Vários estudos biológicos provaram que um sapo colocado em um recipiente, com a mesma água de sua lagoa, fica estático durante todo o tempo em que aquecemos a água, até que ela ferva. O sapo não reage ao gradual aumento da temperatura (mudanças do ambiente) e morre quando a água ferve. Inchadinho e feliz. No entanto, outro sapo, jogado nesse mesmo recipiente já com água fervendo, salta, imediatamente, para fora, meio chamuscado, porém, vivo!

Existem pessoas que têm comportamento similar ao do SAPO FERVIDO. Não percebem as mudanças, acham que está tudo bem, que vai passar, que é só dar um tempo… e, muitas vezes, fazem um grande estrago em si mesmas, “morrendo” inchadinhas e felizes, sem, ao menos, ter percebido as mudanças.
 
Outras, ao serem confrontadas com as transformações, pulam, saltam, em ações para implementar as mudanças necessárias. Encorajam-se, diante dos desafios, buscam a melhor saída para a solução dos problemas, tomam atitudes.

xxxxxxx

Analise pela Matrix/DNA Theory:

- Em primeiro lugar, o texto não fornece a fonte dos “vários estudos biológicos”. Quem registrou um “paper cientifico” relatando que pôs um sapo numa panela com água sobre o fogo e observou o sapo ate ele morrer? Em relação ao alimento, como este alimento estava na água? Pois sem alimento , por instinto natural, o sapo teria se debatido para sair da panela. E quem pôs um sapo numa panela com água quente e o viu saltar fora?

Sem estas informações, o resto do texto deve ser considerado como construção imaginaria, uma teria sobre o que aconteceria se… Não importa que a teoria nos pareça bastante logica, racional, que os efeitos subsequentes as causas estejam bem fundamentados no nosso tipo de logica, pois estamos cansados de observar que muitas vezes surgem elementos não previstos determinando efeitos imprevistos. E isto acontece aqui também, como vamos ver mais a frente.

Suspeito que alguém fortemente crente nessa teoria iria retrucar dizendo que “ninguém vai produzir este tipo de paper porque seria confissão de um crime contra animais, etc.” Mas o interessante é que este experimento é praticado a todo momento em todos os lugares contra seres humanos. As oligarquias predadoras apertam enquanto podem o torque em volta dos empregados escravos para ver ate onde podem sugar suas energias pelo menor custo. Então, contra os outros animais na pode, mas com humanos, estamos permitindo.

Como não foi fornecido o registro de um experimento com sapos, mas temos a nossa disposição a observação deste experimento com humanos, a teoria deveria chamar-se ” A Síndrome do Humano Fervido”. Parece esdrúxulo, paradoxal, mas esta é a realidade dos fatos concretos, dos quais a logica na tem como escapar.

A ideologia predadora (ilusoriamente auto-intitulada de “direita”) fundamentada nesta teoria e reforçada por textos “sagrados” criados por ela própria na forma de “religião”, encontra nesta teoria o argumento-muleta para se auto-justificar na manutenção de seus privilégios. Imediatamente o texto sai do reino dos sapos, extraindo dele um processo natural (teórico) e insere este processo no reino dos humanos. O humano se torna igual ao sapo. E isto é uma aberração, pois humano são muito diferentes de sapos. Este terrível engano da ideologia predadora tem causado desagradáveis surpresas aos predadores quando… ” o sapo pula fora da água fervente e mata quem esta aquecendo a água”. Bons exemplos foi a corte e a família do Rei Luis XV, os Czares da Russia, O Coronel e ditador Muammar Kadhafi do Líbano, etc .

Mas a honesta observação dos fatos reais provam que esse processo teórico entre sapos não se repete com humanos. Apertar o nó do laço que prende os escravos produz os grupos da “esquerda”, os rebeldes, os bandidos de rua, os terroristas, as revoluções populares. O sapo não se mantem inerte ao sentir a água esquentar, ele se debate preferindo enfrentar ou antecipar sua morte.

Em outros eventos ou fatos concretos observa-se que sim, o processo teórico entre sapos se repete como processo real entre humanos. E’ desta forma que os poucos e menores isolados predadores se tornam agrupados em mafias, crescem em força bruta e se tornam monstros invencíveis. Porque um quantidade de escravos separados entre si foram suportando o apero no laço, não reagiram e não tem outro destino senão morrerem “inchadinhos na água fervente”.

Dentro da Matrix/DNA, nos sentimos que temos de mudar estes humanos que não reagem ao esquentar da água. Porque? Bem, primeiro porque nos sentimos muito mal psiquicamente vendo humanos inferiorizados e escravizados, assim como quando vemos humanos indolentes, mentalmente preguiçosos, com instinto das presas. Segundo, e mais importante, porque a nossa visão do mundo em que “somos 8 bilhões de genes semi-conscientes com informações e a missão suprema de gerar uma característica de um embrião super-consciente universal” implica que todos os cérebros humanos tem que estarem livres para se evoluírem e se configurarem adequadamente para executarem suas missões. Portanto não pode haver sapos inertes, seja em águas tranquilas ou águas ferventes. Assim como devem ser combatidas as forças que impedem estes humanos de evoluírem seus cérebros e cumprirem suas missões.

A “lenda” do sapo ferido – sim, por enquanto é uma lenda, enquanto não houver um experimento observado real e relatado cientificamente ou empiricamente disponível a ser reproduzido para qualquer constatação – esta sendo muito divulgada, e para crianças, estudantes, como prova o próprio texto acima como conteúdo de um currículo educacional. Mas não é transmitido como lenda, ou teoria, ou fabula, e sim como verdade absoluta comprovada – por estudos biológicos. E em todos estes textos curriculares, mencionam humanos que se comportam em acordo com o processo descrito na teoria, porem emitem a outra metade da historia, que é o processo real dos humanos que reagem de forma contraria ao processo.

Então, dentro da Matrix/DNA descobrimos mais um foco a entrar a entrar para o rol da “desconstrução da matriz milenar cultural”. Temos que reagir com nossos senões e argumentos toda vez que vemos este falso ou incompleto ensinamento com efeito doutrinário sendo ministrado aos leigos.

Em adição, temos que fazer uma varredura, uma pesquisa ampla sobre as causas criadoras dessa teoria, se existem experimentos científicos, observações empírica, etc. E’ o que faremos a seguir aqui:

xxxxx

PESQUISA pela MATRIX/DNA:

 

The network of biophotons of living systems reflects into the cosmic light wave background?

Thursday, October 24th, 2019

xxxx

https://www.meetup.com/Philosophy-in-Manhattan/events/261143577/

This little thought experiment from Ancient Greece illustrates the philosophical problems: “A man named Theseus has a ship. After a storm rips the main sail, he replaces it. Some time later, a wooden plank on the main deck warps, and is replaced. Pulleys rust and are replaced. None of this happens over night, but occurs gradually. Imagine fifteen years have passed and every piece of the ship, and every bit of tackle, the pitch and tar, the ropes, the rudder, and every other bit of material on the ship has been replaced. The ship now has none of its original components.” The question is this: Is this still Theseus’s Ship? If it is, how is it that all of the substance of a thing can change, and yet it remains the same thing? If it is not Theseus’s ship, at which point did it cease being the same ship? How much change can a thing go through without its identity changing?

This issue is related to an article in PDF, here:

https://www.dropbox.com/s/vama1noev0omp3s/Identity%20and%20Personal%20Identity.pdf?dl=0

My suggestion posted for Justine: (10/19/19)

By the way, as a naturalist philosopher I am long time thinking these questions and elaborated a general theory about, which suggests that the answer lays on systems and its emerging property called identity. Someone could suggest this question to Liam Ryan. Ships are not systems, but human bodies are and the identity of it as natural systems is composed by a network of biophotons. I can show how atoms and galaxies has this network composed not by biophotons, but by photons. If my theory about natural light wave is right, it has an internal anatomy identical to the process of life’s cycles, so, must have a universal cosmic wave background that reflects and absorbs all these biophotons networks. Then
, a natural system can changing entirely from living to nonliving that the network will be kept in the cosmic background. Ok, this need lots of technical details which are at my website.

Raios, havia um meetup neste domingo sobre este assunto na casa da Justine, quando fiquei sabendo não havia mais vagas, ai alguem desistiu, a Justine me avisou no sabado com o post abaixo, e eu nao vi a resposta dela… raios, raios e raios, diabos…

Justine : Louis, a spot has opened up tomorrow if you’d like to sign up.

xxxx

 

Engenharia genética de babies vai nos levar ao estupido Admirável Mundo Novo? Veja a sugestão da Matrix/DNA

Tuesday, October 22nd, 2019

xxxx

Discussão  com video no REDDIT: https://www.reddit.com/r/philosophy/comments/dkqava/genetically_editing_babies/

Meu post:
Matrix/DNA – 10/20/19

Difficult question. Genetic engineering for the body would be good if, in parallel, there was genetic engineering for the ego (psyche). Without ego corrections we will go towards the Brave New World of Huxley, for sure (the perfect body and environment for zumbies, or stupid mind).

I think the physic imperfections is being used by Nature as the unavoidable tool for the exorcism of animal inherited instincts, which still dominates the human ego. It is a painful chirurgy, but for better. Genetic engineering will eliminate this tool, and humans alone can’t make the war against the selfish genes for re-hardwaring their brains towards the evolution of consciousness, so, the Brave New World.

Just this issue have been central in my philosophical activity. I found a new way to interpret this world which has the power to drive humans towards consciousness evolution while we are building a better physical world for us. A new more realistic world view with a new healthier meaning for the existence of our life, this is the unique solution for us, I think, when we are facing the unpredictability of this new uncontrolled technology.

A guerra cosmica entre momotonia e criatividade. TED talks

Tuesday, October 15th, 2019

xxxxx

David Deutsch -  TED – 2019

The cosmic war between monotony and creativity

https://www.ted.com/talks/david_deutsch_after_billions_of_years_of_monotony_the_universe_is_waking_up

Meus comentarios publicados neste talk.

xxxxx

Louis Morelli – 10/15/19

David’s relativistic world view from a modern Physicist perspective in comparison with another world view, the Matrix/DNA Theory:

1 – David: “The monotony of the Cosmos…”

Matrix/DNA: ” It is David and not Science talking here. For Science, there is no such thing as “monotony of the Cosmos”, since that Science can not bring on the Cosmos to a lab’s table. The speed of Cosmos’ movements is a relativistic issue. Think about a bacteria or a particle of our body that has a lifetime of 0,17th of a second. Our body is their Cosmos and it seems static. We are microbes, our speed is very high, our lifetime is very short, we will have thousands of generations while a planetary is in its embryonary formation, so, we can’t know how is a planetary formation. About the Cosmos we have only our theoretical models, and I am sure, the current model is very wrong. My theoretical models are suggesting a Cosmos that has the principles of life, so, it is changing, evolving, with its astronomic scale of time.”

Matrix/DNA: “Right and wrong. What is always done is the process, the mechanisms, that runs the movements in this Universe, because Universal Nature is an unique creator, so, it has a unique method for creating its things. But, Qohelet lifetime was very short, so, he couldn’t perceive that the meaning of things are constantly changing. The meaning of a bacteria’s existence has changing a lot in comparison with its descendants – the meaning of humans’ existence. The first galaxies were assembled by symbioses, today they learned to reproduce themselves by self-recycling, so, the existential meaning of astronomical bodies has changed from free individuals to arrested parts of a system. Again, Qohelet also forgot the relativistic issue.”
xxxxx
Long Y

Posted 4 hours ago

Mr. Deutsch said the 1st novelty was the big bang which created space, time and energy. After some billions of years later, the 2nd novelty was the origin of life.

There was a 3rd novelty, he did not attribute, which was the creation of mind. Mind only exists in a mental world which defies physical laws. It was the mind which asked questions of what, why, and how.

The 3rd novelty still resides inside living organism (made of the 2nd novelty) which are composed of raw materials (made of the 1st novelty).

Maybe the 4th novelty could be mind without physical attachment. It could start with an concept or ideology and eventually becomes omnipresent.


Louis Morelli

Posted 3 hours ago

Are you sure the human mind is a novelty in the Cosmos? Embryology shows that it takes about 6 or 8 months for the complete formation of a brain beginning to express the mind ( or consciousness?). But, you know, it was not your brain that invented the mind first time in this world, there was mind outside your little sac’s universe. My theoretical cosmological models are suggesting that in this our perceived “universe” is occurring a merely process of genetic reproduction – reproduction of the unknown thing that triggered the Big Bang as an event of fecundation. If humans takes 8 months for expressing the mind of its parents, the universal embryo takes 13,8 billion years to do the same thing – expressing a mind that was existing before the Big Bang. Who knows what is the truth? I prefer to believe in what real Nature is showing to me just here and now, than believing in human imaginary theories without any real known parameter, like the theories of “something from nothing” ( have you seen something from nothing?), or a microscopic explosive atom containing all mass and energy of the Universe ( have you seen such atom?), or magical gods creating something from nothing (have you seen any kind of real magics?). We must ask Nature when we does not know the answers, Mother Nature does not plays dice of its creatures. Ok, maybe I am wrong, who knows?

Long Y

Human mind clearly was not the first mind, even on earth. Who knows how many other novelties unknown to human?

You can choose to believe whatever you prefer. But, to be sure, everything you “see” is only perception in your mind. Every word you wrote came from your mind, which even yourself don’t know what or where it is.

Real Nature is showing us nothing. We interpret “Nature”, including the concept and existence of Nature.

Louis Morelli:

” Real Nature is showing us nothing. We interpret “Nature”, including the concept and existence of Nature.” – Long Y

Sorry, Long Y, because I am interpreting you as a magical thinker. The very fact that you bring to the David talks the issue “mind” and suggesting that it “eventually becomes omnipresent’ suggests to me that yours mind does like to ( yours own words ) “defies physical laws”. But, you said “The 3rd novelty – the mind – still resides inside living organism”. This is a contradiction to yours own words: “Mind only exists in a mental world”, I think, but you can correct me if I am wrong.

Is there a rational logistic explanation for a mind existing and bonded to Nature if the goal of mind existence is – yours own words: “the 4th novelty could be mind without physical attachment”? Lets us to apply my method of investigation, asking the question to Nature. ” Yes, she said, and I will show to you my job for you understanding it: when the embryo is born, the placenta is discarded”.

So, the Universe, this agglomerate of galaxies, is the placenta to be discarded, when you get yours full development. But while we are merely a fetus of consciousness, we need mortally the placenta. We are not in direct contact with our mother’s body, we are among the placenta yet. We are not in contact with the 4th novelty which will be us in the future and now could be yours “omnipresent mind”. You are here like human man or woman, in the middle of this Nature, suffering the actions of these physical laws, so, fight as human for your life. We can not be “pure mind” here, we will not survive. Yes, I love Mother Nature and I believe her lessons, I know it is merely the placenta, but throughout the placenta comes the nutrients and informations from my spiritual mother. Do not believe this conspiracy theories that the real world is delusion of mind… maybe mind is a temporary delusion of Nature… like an embryo is a temporary delusion of a placenta… why not?

xxxxx

Chris Anderson

Posted 6 hours ago

This may be one the most profound arguments ever made on the TED Stage. If true, it completely undercuts the familiar scientific stance that what happens on planet earth cannot possibly have broader significance in the universe. We’re no longer just a dot. We’re a dot of unlimited future potential. It’s hard to imagine a more inspiring idea.


Louis Morelli

Posted 2 hours ago

Chris, I would appreciate yours opinion about my opinion (if I can do it in English). The job that a group of genes were doing at the blastula and fetus shape, in embryology times, had broader significance in the later human complete shape? Those genes did not changed the structure of the amniotic ocean which was the structure of the ovulum, but they created a new system, never existed before, in the middle of that structure.

My theoretical cosmological models are suggesting that humans are the big genes inside the “egg-universe” today. With millions of other conscious lifeforms spread in this Universe ( our brothers genes ) we are building a new shape of the universal system that began as atoms, then developed to galaxies, then to cells systems, and now it is developing into consciousness system’s shape. Like your body had the shape of fetus, then embryo, then adult, etc. We are the top of universal evolution just now and here, we are carrying on this evolution on our shoulders.

David said “we are the force of Cosmos for changing…” but, the truth must be more complex than he thinks. We are the force because we have inside us the universal natural formula – the universal Matrix – in shape of biological DNA. I think the “familiar scientific stance” is diminishing the human role in this Universe because they are wrong separating cosmological evolution from biological evolution. There is a unique universal evolution, we are just here and now the top of this universal evolution.

Physics is dealing with the Cosmos as the structural skeleton bone composed by galactic cells, but… you know, evolution makes that the bone skeleton must be covered by more complex organization of matter, like the meat, the brain, etc. Sometimes the skeleton goes outside and becomes the environment covering the meat, like crustaceous… this is the Universe today in relation to humans. Physics and Math can not grasp these more complex organizations. Maybe I am wrong, who knows?

XXXXX
ESTE POST NÃO ENTROU E NAO QUER ENTRAR. TENTAR NOVAMENTE MAIS TARDE, VERIFICAR PORQUE?
Gabby -

Posted a day ago

I would love to see or hear a panel on this subject, of thoughtful, rigorous people. I expect such a discussion occurred in the halls of the TED conference.
For example, I would be happy to read the response of, say, Steven Pinker, Richard Dawkins, and others close enough to science and to history for an interesting and well-informed discourse.

Louis Morelli
in 3 hours
In view of the significance of this case, could TED produce a small volume of debate on this among TED- connected scholars and public intellectuals? – Gabby.

I think this debate would be a great contribution from TED to the benefit of Humanity. Humans are lost about the meaning of their existence and a possible new discovery showing a new world view could reveal a new meaning of our existence, with a new moral code, a new star-guide as motivation for correcting our wrong suicide behavior today. A debate bringing on the table the real proved known natural facts we have today, without priors humans interpretations and theories, theories that led us to absurds like “something from nothing”, “magical gods and magical events by chance creating genetic codes” etc. I did this debate alone with myself, I put everything on the table, every known data, and my conclusion is that we are doing lots of wrong interpretations, the world is very different than we are thinking, but, the good news is that from the table is emerging a great meaning for human existence: we are 8 billion half-conscious genes building our own future body of consciousness shape. You can not mind the transformation in my life’s behavior and meaning this results have produced, now I have all energy applied for human evolution, for cooperating with every human being because they are genes with a unique mission, portable of a unique genetic information, from which my future is mortally dependable… Ok, I am sure that my results are not the final truth, no human limited brain can get it, but the discover that a new analise of the world can bring to us a new healthier moral code, meaning of existence, and lovely interactions among humans and from humans to Nature, is enough for wishing such debate. I should appeal to TED doing it.

EM 56 SÉCULOS 14.500 GUERRAS, 104 IDEOLOGIAS, TRÊS BILHÕES DE MORTES : Um problema para a Matrix/DNA

Sunday, October 6th, 2019

xxxx

Livro downloaded e sendo lido:

Sociedades Secretas e seu poder no seculo XX

https://rodrigoenok.blogspot.com/2016/10/14500-guerras-104-ideologias-tres.html?fbclid=IwAR0vRIWMKjOocSdJDTJYawAr_bStNzx8SiIIp8RqN7voVw3P0IV5ck2r9hs

Artigo no blog:

REVISTA & ESCOLAS DE MISTÉRIOS

https://rodrigoenok.blogspot.com/

Trecho do Livro As Sociedades Secretas e seu poder no Século XX ( na Amazon, 159,00 dollares. Mas fiz download do portugues e tenho no backup e no OneDrive)

O sábio suíço Jean-Jacques Babel verificou que desde os últimos 56 séculos, a humanidade organizou 14.500 guerras, que provocaram três bilhões e meio de mortes. Isso representa a metade da população mundial de hoje.

 

Meu comentário enviado em 10(out) de 06 de 19 ( aguardando moderação?)

“Pensamos na diferença que existe entre dois animais predadores que lutam…)

Com esta frase você começou no caminho que leva a causa, porem parou ai e não prosseguiu. Porque todos os humanos estão cometendo esta falha?

Porque sua mente esta desviada da Razão Pura Natural, por imaginações virtuais, como culturas, religiões, fantasias. Não tem como explicar guerras entre humanos senão lembrar-mo-nos que seus corpos, cérebro e psique baixa foram produzidos pelos instintos animais que foram produzidos no caos biosférico ( nada se sabe de onde veio este principio embrionário de auto-consciência sobre o animal puro).

Grandes predadores como leões possuem caninos que precisam obcecadamente serem usados contra seres vivos, portanto sentem orgasmos com a violência, e o instinto de território que justifica atacarem os vizinhos de mesma especie. Enquanto os pensadores não se despregarem dos conceitos virtuais e do egoísta amor próprio como animal para desejarem a transcendência de forma, nunca vão analisar estes problemas com eficiência natural, real.

Eu tive que viver isolado na selva amazônica para aprender e aceitar isso. Observe que todos os sistemas sociais criados pelos humanos ate agora ( seja monarquia,comunismo,feudalismo ou capitalismo) imitam exatamente o sistema social dos animais na sua divisão de poderes pela força bruta. Assim temos os grandes predadores ( sempre o 1% no topo), os médios predadores como lobos, hienas, que são a classe media. E o gado inerte, super-egoísta também, que são as ovelhas, as presas. Todos os analistas evitam esta verdade e assim ficam boiando na superfície sem descer as causas e entender de fato os básicos motivos. O problema disso é que não atinam com a unica solução, que seria uma estrategia para conduzir humanos a se auto-exorcizarem destes instintos.

xxxx

Procurar o livro adquirir e ler ( EM INGLES ESTA MUITO CARO, VER SE TEM EM PORTUGUES)

Secret Societies and Their Power in the 20th Century

Hardcover – January 1, 1995

https://www.amazon.com/product-reviews/389478654X/ref=acr_dpproductdetail_text?ie=UTF8&showViewpoints=1

VEJA ESTE REVIEW:

While I was reading it I thought everyone should read it. However, after reading it I wish i still believed in Santa Claus. In other words, I wish I thought my vote for president actually counted. The book simply breaks down the way the world works and provides many books on any topic to back it up. There are some things that can’t be proven and others that is simply an educated guess. Meanwhile the picture of our world slowly becomes more and more clear till just about everything written seems like it can be true. If you have a weak mind you won’t believe any of it anyway. I don’t want to believe what is written about our bible or our creator. The book inspires hatred toward the most wealthy and powerful and at the end explains not to be mad because you can’t do anything about it anyway even if you killed them all. You can’t but even agree with that. After reading it I began to think about when I believed in Santa Claus. My older brother was the first to tell me that there wasn’t a Santa Claus. He represents the conspiracy theorists. We didn’t have a chimney so I was already skeptical. When I brought it up to the person I love and trusted the most, my mom, She fed me disinformation and told me not to believe my brother. Then got on his case to stop telling me that. She represents the government. I was fine with believing in Santa Claus but when I found out their wasn’t a Santa it made me look at my mom differently. Why would she lie to me? After reading this book you won’t wonder why your government/world leaders lies to you but you won’t believe anything anymore. The amazing part is how did the Illuminati get my parents to lie to me an tell me there is a Santa Claus. Don’t lie to your children. These folks are wickedly smart and have us all brainwashed. Don’t read it because after you do you will want to tell someone something that is so clear to you NOW and none of them will believe you. You will begin to look around and realize just how stupid we are. And worst off you are now trapped with this new knowledge and they won’t read the book even if you hand it to them. If they do read it, now both of you will just be pissed off about the direction if our world. It’s depressing and it’s better to believe in Santa Claus.

Trsposta de Marina:
What a poignant review.
You’re so right. They lie to make us happy but this happiness is based on ignorance, and in the long run leads only to the intense unhappiness of disillusionment and disappointment. The people who, as a child, we trust most in the world — our parents — are well-meaning dupes like everyone else.
If we were given an honest (if not wholly accurate ) idea of what we as humanity think is going on in the world, we could at least make honest choices. As it is, we are given false information that makes most of us wander into labyrinths the rest of our lives.

Imaginação: Muito importante, o que é, de onde vem…

Friday, October 4th, 2019

xxxxx

A imaginação é um fenômeno real que esta sempre se manifestando e afetando nossas vidas. Portanto precisamos tentar saber o que ela é, de fato, apesar de saber-mos ser isso quase impossível, pois ela é invisível, intocável, incontrolável. Mas creio que nada existe neste mundo que com o devido esforço consigamos conhecer por completo, então, mesmo começando tateando no escuro, temos que enfrentar a escuridão e tatear, esse fenômeno é real e nos afeta. Principalmente para os pais será muito mais importante saber algo sobre imaginação, o que passa no interior dos cérebros em formação dos seus filhos, para saber melhor orienta-los desde o berço, para serem mais bem sucedidos na vida. O ideal seria que os adultos já estivessem conscientes dos efeitos de suas próprias imaginações em suas vidas, os efeitos negativos, e tomarem o cuidado para não passarem estas suas imaginações para seus filhos.  Por isso fui a Internet procurar o que os estudiosos e as ciências humanas já aprenderam sobre a imaginação, quais as principais teorias, etc. E lendo uma descrição técnica obtida pela filmagem dos movimentos no cérebro quando indivíduos estão imaginando, minha própria imaginação veio a mente e comecei a imaginar uma cena a qual acho que sera uma boa alegoria para se entender a imaginação. Vou tentar:

Imagine-se passeando no meio de um monte de macacos num parque florestal cercado. Você observa que eles são demasiadamente ativos, agitados, e que seus movimentos são de dois tipos: um tipo de movimentos são meras macacadas, não conduzem a nada, o macaco corre, pula de galho em galho numa direção, chega num ponto, para, nada faz, se vira a correr em outra direção, para nada fazer. O conjunto todo daqueles movimentos parece um caos total. Outro tipo de movimentos fazem mais sentido logico, estes macacos se movem na direção de uma comida, procura um galho mais baixo quando quer descer, etc. Se você mentalmente separa os dois movimentos pelos grupos de macacos observados, você terá a impressão que os movimentos lógicos mostram, ao invés do caos, um principio de ordem.

Pois quando o cérebro humano esta se formando embrionariamente, os neurônios recém-formados se comportam da mesma maneira que os seus macacos no parque. Vamos ver como a Ciência ( link abaixo), explica isso:

https://en.wikipedia.org/wiki/Brain )

“O cérebro se desenvolveu, desde animais inferiores, numa intrincada e orquestrada sequencia de estágios. Ele mudou de formas desde uma simples protuberância parecendo um pequeno tumor na ponta frontal de um feixe de nervos nos seus mais primitivos estados, como nas minhocas, para um complexo arranjo e ordenamento de diferentes áreas e conexões. Neurônios são  criados numa zona especial que contem células-tronco, e então imigram através dos tecidos primários para alcançarem suas definitivas posições. Uma vez que os neurônios tem se posicionado, um grosso cílio desabrocha e se torna longo, ao qual denominamos “axon”, e o cílio navega através do cérebro, se ramificando em vários galhos e se estendendo enquanto avançam, ate que alcançam seus alvos, que pode ser outro grupo ou região de neurônios, e assim formam as conexões sinápticas.

E aqui vem , na minha titubeante opinião, a parte mais importante para entender de onde veio a imaginação humana: ” Num certo numero de partes do sistema nervoso, neurônios e sinapses são produzidos em excessivo numero durante os estágios da formação, a produção de sinapses parece caótica. Mas em seguida vai ocorrendo uma ordenação, neurônios mais agitados são aquietados e se suas sinapses são desnecessárias que nada produzem de útil pra o cérebro, são inibidas ou ate eliminadas.”

Vamos voltar ao parque dos macacos. Enquanto você passeia e observa, entra no parque um grupo de adestradores dizendo que querem ordem entre os macacos. Carregam redes com as quais apanham os macacos agitados desordeiros, e trazem também bananas, dando-as como recompensa apenas aos mais calmos que se movimentam na direção de metas logicas. Agora você nota que a cena que vês é diferente da cena vista quando você entrou, o caos cedeu lugar a ordem. E’ a diferença que veria se pudesses entrar num cérebro infantil e no mesmo cérebro tornado adulto.

Voltemos ao nosso tópico, a imaginação. Quando a criança nasce, seu cérebro é o estado inicial do parque. Parece que a mente da criança tem miragens, pois ela corre numa direção, move um objeto, sem razão logica, depois muda ou joga o objeto. Nestas correrias cai, quebra objetos. Então vem os adultos reprimindo aqueles movimentos, como se os adultos fossem adestradores com redes de apanhar neurônios desordeiros e portando bananas ou elogios para recompensar neurônios que se movem com logicas.

Os adultos aqui representam o mundo real, os duros fatos da vida, que são incômodos, indesejáveis, mas não adianta lutar contra eles, porque caímos, porque quebramos nosso patrimônio, e se não disciplinar-mos nossos movimentos no sentido do trabalho construtivo, vamos morrer de fome, vamos ficar jogados ao sabor das intempéries, etc.

As miragens são tão ilógicas, tao fora da realidade, que ao contrario dos pensamentos normais que se tornam ordenados pela criação da linguagem, as miragens não tem uma ferramenta como a linguagem, o que conecta as miragens são fios virtuais que se desfazem quando afrontam a realidade. Dentre as miragens criadas pela mente as mais notáveis são as que produzem lendas, mitos, deuses imaginários, os quais são prosseguimentos dos fantasmas amigos imaginários que as crianças inventam para conversarem. E certas miragens são tão atraentes, produzem certos confortos e prazeres mentais que as crianças lutam contra os fatos para mante-las, muitas vezes continuam essa luta quando entram na vida adulta, e algumas ate morrem mantendo estas miragens.

Penso que, se certas miragens imaginativas habituais ( como por exemplo a imaginação de que somos heróis com poderes supernaturais atuando no mundo real para ser importante e mudar os fatos desagradáveis, ou que somos escolhidos enquanto os outros não são, por deuses amigos com poderes supernaturais que vão nos proteger se o teto da igreja durante a missa ruir), nos causam estados mentais agradáveis, realmente não faria mal mante-las, desde que sob certo controle e estado de vigilância, apenas para serem curtidas quando estamos bem acomodados em relativa segurança, mas afastadas assim que temos de levantar e enfrentar o mundo real. Muitos são pegos de surpresa em verdadeiras tragedias porque estavam com a cabeça no mundo da lua das miragens, e nem os seus poderes supernaturais, nem os amigos fantasmas com poderes supernaturais aparecem para salva-los. Como conseguir este controle, esta disciplina, de saber separar a hora da meditação agradável desapegada da realidade, da hora de estar no mundo real, é o que vamos procurar.

Outro fator não menos importante é o tal “imaginário social”. precisamos nos lembrar que a Humanidade é um fenômeno bastante recente no mundo, tendo em vista a escala cósmica do tempo. Em relação ao mundo universal a Humanidade surgiu nas ultimas horas. E Humanidade é uma auto-projeção mesclada de cada individuo humano, portanto as mentes individuais são mescladas e criam a mente social. Como a Humanidade nasceu muito recentemente, a mente social ainda esta na sua infância, o que nos poe uma pulga na orelha quando pensamos no tal “senso comum”, ou nas regras sociais. Pode ter certeza que são coisas infantis, carregadas de imaginação sem muita relação com a realidade do planeta, do mundo natural. Assim o amigo fantasma de cada criança se torna o amigo Deus de uma religião, com quem todos os fieis acreditam conversar. Talvez existam outras dimensões nos envolvendo, onde são possíveis existirem entidades supernaturais, quem pode saber? Mas o triste é assistir que mitos inventados com credulidade infantil como se fossem parte do mundo real por antigos analfabetos, perduram no imaginário social o qual funciona como feed-back, retroalimentando os cérebros de cada individuo da seita. os adultos humanos teriam que serem muito bem informados da realidade, da Historia, dos fenômenos naturais, para analisarem impessoalmente quais os efeitos do imaginário social sobre as vidas dos humanos, para separar o joio do trigo, e não passar os efeitos maléficos para seus filhos, os quais vão continuar sofrendo desses efeitos. Muitas vezes uma analise depurada de nossas opiniões mal informadas funcionam como estímulos aos macacos e neurônios que se movem sem metas praticas para sua melhor sobrevivência.

xxxxx

trecho traduzido da Wikipedia:

The brain develops in an intricately orchestrated sequence of stages.[60] It changes in shape from a simple swelling at the front of the nerve cord in the earliest embryonic stages, to a complex array of areas and connections. Neurons are created in special zones that contain stem cells, and then migrate through the tissue to reach their ultimate locations. Once neurons have positioned themselves, their axons sprout and navigate through the brain, branching and extending as they go, until the tips reach their targets and form synaptic connections. In a number of parts of the nervous system, neurons and synapses are produced in excessive numbers during the early stages, and then the unneeded ones are pruned away.

Para responder aos auto-exorcizados dos três instintos e convidar para associação

Thursday, September 26th, 2019

xxxxx

Muito obrigado, (…nome…) , seu post foi uma agradável surpresa. Quem esta acima destes dois grupos ideológicos demonstra ter superado um nível evolutivo e se auto-exorcizado dos instintos competitivos herdados dos animais. Mas você deve saber que no Brasil somos raros, um ínfima minoria, e não conseguiremos motivar outros ao exorcismo se ficar-mos separados atirando em vão. Temos que nos identificar, juntar, formar nosso grupo, portanto, se pensas assim, procure meu website pelo avatar, entre em contacto. Eu costumo postar este tipo de terceira visão mas apenas para dar um toque. Sempre vem as latidas e mugios dos inferiores, como você recebeu aqui, mas sempre ignoro, porque… se um cão raivoso late incomodando você, não vais latir de volta, certo? Eu sou do tipo evolucionista cosmológico, os quais preferem a teoria de que nossos corpos humanos vieram dos animais e a consciência de outra substancia cósmica. Por essa teoria os cérebros humanos tiveram sua conexão neuronial modelada pela genética herdada dos animais, e os três instintos do poder – maior predador, médio predador, e presa, são recebidos em estado potencial, um deles sera manifestado pela cultura do ambiente educador. Petistas e bolsomaniacos são ambos instintos de médio predador – lobos, hienas, etc. Eles se dividem em dois bandos porque os leões escolhem alguns para serem seus capatazes para manter as presas tementes confinadas e a ordem no território. Estes são privilegiados com os cargos de funcionários públicos, receptadores das concessões, etc. Então o grupo que ficou de fora e faminto tenta atacar os escolhidos para ocuparem seus lugares, isso é PT e Bolsopata, capitalista ou comunista, direita ou esquerda, etc.. Ambos tem caninos psíquicos, não adianta tentar convence-los a buscarem suas transcendências, apenas a Natureza fara esse trabalho como sempre fez antes, lentamente, extinguindo-os, alem de fornecer mais substancia consciente aos cérebros que se comportam acima dos três instintos. Mas valem os toques para aprenderem que existem outros que não pertencem ao bando oposto e não concordam com eles também, o que, de alguma maneira, os enfraquecem, alem de você anunciar aos outros raros que você existe. Wellcome!

Para responder aos que pregam a busca do conhecimento esotérico, mistico oriental.

Wednesday, September 25th, 2019

xxxx

Que “conhecimento”? “Conhecimento do que?” Você diz que “o conhecimento” nos traz a liberdade? Qual instrumento real esse “conhecimento” produz para me dar a liberdade? O que faria você sendo o escravo da foto ao lado quando Deus lhe dissesse que ao invés da liberdade vai te dar “conhecimento”, sabendo que continuarias escravo? Esse “conhecimento” traria o Nirvana para o escravo durante algumas horas de meditação deitado no chão da estrebaria com o corpo cheio de dores? Ora, a Filosofia tem que ser naturalista, realista, não pode descambar para a mística religiosa. Eu neguei-me a viver qualquer divertimento dedicando tudo a busca do conhecimento, e quando elaborei a minha cosmovisão percebi que fui mais longe no conhecimento da Natureza que todos os que conheço e se publicaram, e de que adiantou? Continuo escravo de um sistema criado por humanos predadores de humanos obrigado a assistir esta carnificina. Eu mandaria este Deus para os diabos… Todos os grandes buscadores, de Einstein a Nietzsche, morreram frustrados porque um dia se iludiram que ao homem é possível o conhecimento que o conduz, ao menos mentalmente, a sua transcendência, e no fim da vida se conscientizaram que o cérebro humano é demasiado limitado para processar as informações desse “conhecimento”. O máximo que podemos alcançar – como eu alcancei – é chegar nas últimas fronteiras este universo material, entender tudo o que esta dentro, mas desse limite não existe como ultrapassar… e o “conhecimento” esta sempre mais a frente, ele mora no outro lado… Sejamos honestos, nossos educandos devem ter a informação correta, eles escolhem seus caminhos…

The Wittgenstein’s Paradox, and Matrix/DNA suggestions

Tuesday, September 24th, 2019

xxxxx

At REDDIT was post a question at r/philosophy, based on video, with link below, and copied here the Matrix/DNA answer:

Wittgenstein’s Paradox

https://www.reddit.com/r/philosophy/comments/d8bhha/wittgensteins_paradox/

A fascinating problem in the philosophy of language arose from Kripke’s interpretation of Wittgenstein’s ‘Philosophical Investigations’. This video explains the problem (or paradox) through the offside rule in football, drawing on a particulary interesting incident on the 2010 FIFA World cup. It also includes Kripke’s mathematical illustration of the problem. Generally the video tries to give a more lively and easily approachable explanation of the paradox.

The video is in Youtube also:

https://www.youtube.com/watch?v=jHbwr853DSU

MatrixDNA - 1 point – 9/24/19 

 Let’s see other example. Mathematical logics, operations and rules, are limited to the mechanic bone skeleton of a human body and the astronomic galactic skeleton of the Universe. After the last frontier of the skeleton begins meat, fluids and after galaxies begins amino acids, proteins, etc., under the rules of Biology. So, I am following the rule of addition (plus) like you at almost everything in practical life, but when calculating my theoretical models of atoms, galaxies, neurological configuration, etc, I am revealing that, in fact, in the past, I was following the rule of chadition (quus). If the last number for working mechanistic skeleton is 9.000, we can not doing 9.000 + 1 = 9001. It is 9.000 + Biological Rules. I was right, you wrong, because it is the meat that produces skeletons, and not the skeleton producing meat. Biological rules creates Mathematical rules.

There is no final definition for names of objects because all not-isolated objects belongs to a system which is inside other bigger or more complex system, which works as feed-back changing the meaning of that object. From every natural system arises the “identity of the system” which is composed by all informations of all parts plus the informations of the connections among parts and interactions of external world. This identity is a kind of software but it does not operate upon the system only, it influentiates all minor or less complex systems inside it.

The impossibility for final definitions of words is due Nature being dynamic, everything under transformation and due relativism; changing the location of an observer from a point in time/space to another point and all perspective, meanings, functions of objects, changes. Let’s take a sample: the word “sex”…. If you see a pulsar emitting a comet which falls in the galactic spiral towards the quasar with a black hole at the nucleus, and from the nucleus you see lifting up a new seed of an astronomical body, we can say you are watching sexual reproduction. And from that seed will be a baby star/nucleus, then transformed into a planet, then into pulsars, which will be a star, etc. You can say, certainly, this is astronomical and mechanistic process of life’s cycles. We have the male pulsar, the spermatozoon comet, the female quasar, the reproduction process and the baby. Till, we have the male sexual organ which is the pulsars’ giant volcanoes emitting magma as comets, and the female as the beautiful adorned quasar with the female organ as the black hole… So… what is sex? Definition, please… Why this issue is useful? We need learning that our little brain and its developments like language can not process the complexity of the Truth, so, it makes no sense fighting for one today beliefs. This does not suggests skepticism, but the wish to learn more and more.

xxxxx

There is no “true meaning of words” whatsoever.

As every other biologic information processing language will never be flawless. However, normally an insufficient mutual agreement will be detected and a mutual agreement on the use of a word found, especially if a topic comes up more often in discussions. Thus language evolves to fulfil the current needs of the interlocutors.

So there is no dead end to human discussion here. Quite to the contrary, if a limit of a mutual agreement is detected it normally becomes a topic in its own right, resulting in illustrative discussions.

MatrixDNA  - 1 point·5 minutes ago
In my experiences, when limits of mutuals agreement were detected, the following discussions were dead ends. I am talking about the Kripke’s interpretation of Wittgenstein’s ‘Philosophical Investigations’, the cases as addition/chadition and plus/quus. For example the word “life”: this is the worst word-trap for human knowledge, a big mistake with no definitive definition creating big problems. It has turned out our investigation of life’s origins as a Science-stopper, we arrived to a limit here, when there is no limit. Since that my naturalistic/philosophical investigation suggests that the properties of living bodys exists less evolved at all natural systems, it makes no sense to say that a human is alive and a galaxy or an atom are not. It makes no sense to say that bacteria are our ancestors and galaxies, atoms, are not. There is no division of natural systems into alive and not alive. So when we are talking about life, we are thinking two things very different, because you come from plus/addition and I come from quus/chadition. The problem is that I can understand you because I know everything how you got the concept of life, and you doesn’t know where I got mine. For explaining it I need talking about 30 years of investigation, 4.000 of evidences and right predictions, etc, which is impossible. So, yes, it is a dead end… The wrongdoings with the word Life is due humans arbitrarily dividing Universal Evolution into two blocks – Cosmological Evolution and Biological Evolution – when the Universe does not recognize this division. Two blocks without any evolutionary links between then, this makes no sense. So, evolution is other word that we will not arrive to a mutual agreement.