Posts Tagged ‘humanos’

O sapo fervido: a ideologia, a ausência de prova cientifica e seus efeitos nas relações entre humanos

Wednesday, November 6th, 2019

xxxx

O texto abaixo é comum em todas as menções a tal “Síndrome do Sapo Fervido”

https://www.cpt.com.br/para-refletir/a-sindrome-do-sapo-fervido

Vários estudos biológicos provaram que um sapo colocado em um recipiente, com a mesma água de sua lagoa, fica estático durante todo o tempo em que aquecemos a água, até que ela ferva. O sapo não reage ao gradual aumento da temperatura (mudanças do ambiente) e morre quando a água ferve. Inchadinho e feliz. No entanto, outro sapo, jogado nesse mesmo recipiente já com água fervendo, salta, imediatamente, para fora, meio chamuscado, porém, vivo!

Existem pessoas que têm comportamento similar ao do SAPO FERVIDO. Não percebem as mudanças, acham que está tudo bem, que vai passar, que é só dar um tempo… e, muitas vezes, fazem um grande estrago em si mesmas, “morrendo” inchadinhas e felizes, sem, ao menos, ter percebido as mudanças.
 
Outras, ao serem confrontadas com as transformações, pulam, saltam, em ações para implementar as mudanças necessárias. Encorajam-se, diante dos desafios, buscam a melhor saída para a solução dos problemas, tomam atitudes.

xxxxxxx

Analise pela Matrix/DNA Theory:

– Em primeiro lugar, o texto não fornece a fonte dos “vários estudos biológicos”. Quem registrou um “paper cientifico” relatando que pôs um sapo numa panela com água sobre o fogo e observou o sapo ate ele morrer? Em relação ao alimento, como este alimento estava na água? Pois sem alimento , por instinto natural, o sapo teria se debatido para sair da panela. E quem pôs um sapo numa panela com água quente e o viu saltar fora?

Sem estas informações, o resto do texto deve ser considerado como construção imaginaria, uma teria sobre o que aconteceria se… Não importa que a teoria nos pareça bastante logica, racional, que os efeitos subsequentes as causas estejam bem fundamentados no nosso tipo de logica, pois estamos cansados de observar que muitas vezes surgem elementos não previstos determinando efeitos imprevistos. E isto acontece aqui também, como vamos ver mais a frente.

Suspeito que alguém fortemente crente nessa teoria iria retrucar dizendo que “ninguém vai produzir este tipo de paper porque seria confissão de um crime contra animais, etc.” Mas o interessante é que este experimento é praticado a todo momento em todos os lugares contra seres humanos. As oligarquias predadoras apertam enquanto podem o torque em volta dos empregados escravos para ver ate onde podem sugar suas energias pelo menor custo. Então, contra os outros animais na pode, mas com humanos, estamos permitindo.

Como não foi fornecido o registro de um experimento com sapos, mas temos a nossa disposição a observação deste experimento com humanos, a teoria deveria chamar-se ” A Síndrome do Humano Fervido”. Parece esdrúxulo, paradoxal, mas esta é a realidade dos fatos concretos, dos quais a logica na tem como escapar.

A ideologia predadora (ilusoriamente auto-intitulada de “direita”) fundamentada nesta teoria e reforçada por textos “sagrados” criados por ela própria na forma de “religião”, encontra nesta teoria o argumento-muleta para se auto-justificar na manutenção de seus privilégios. Imediatamente o texto sai do reino dos sapos, extraindo dele um processo natural (teórico) e insere este processo no reino dos humanos. O humano se torna igual ao sapo. E isto é uma aberração, pois humano são muito diferentes de sapos. Este terrível engano da ideologia predadora tem causado desagradáveis surpresas aos predadores quando… ” o sapo pula fora da água fervente e mata quem esta aquecendo a água”. Bons exemplos foi a corte e a família do Rei Luis XV, os Czares da Russia, O Coronel e ditador Muammar Kadhafi do Líbano, etc .

Mas a honesta observação dos fatos reais provam que esse processo teórico entre sapos não se repete com humanos. Apertar o nó do laço que prende os escravos produz os grupos da “esquerda”, os rebeldes, os bandidos de rua, os terroristas, as revoluções populares. O sapo não se mantem inerte ao sentir a água esquentar, ele se debate preferindo enfrentar ou antecipar sua morte.

Em outros eventos ou fatos concretos observa-se que sim, o processo teórico entre sapos se repete como processo real entre humanos. E’ desta forma que os poucos e menores isolados predadores se tornam agrupados em mafias, crescem em força bruta e se tornam monstros invencíveis. Porque um quantidade de escravos separados entre si foram suportando o apero no laço, não reagiram e não tem outro destino senão morrerem “inchadinhos na água fervente”.

Dentro da Matrix/DNA, nos sentimos que temos de mudar estes humanos que não reagem ao esquentar da água. Porque? Bem, primeiro porque nos sentimos muito mal psiquicamente vendo humanos inferiorizados e escravizados, assim como quando vemos humanos indolentes, mentalmente preguiçosos, com instinto das presas. Segundo, e mais importante, porque a nossa visão do mundo em que “somos 8 bilhões de genes semi-conscientes com informações e a missão suprema de gerar uma característica de um embrião super-consciente universal” implica que todos os cérebros humanos tem que estarem livres para se evoluírem e se configurarem adequadamente para executarem suas missões. Portanto não pode haver sapos inertes, seja em águas tranquilas ou águas ferventes. Assim como devem ser combatidas as forças que impedem estes humanos de evoluírem seus cérebros e cumprirem suas missões.

A “lenda” do sapo ferido – sim, por enquanto é uma lenda, enquanto não houver um experimento observado real e relatado cientificamente ou empiricamente disponível a ser reproduzido para qualquer constatação – esta sendo muito divulgada, e para crianças, estudantes, como prova o próprio texto acima como conteúdo de um currículo educacional. Mas não é transmitido como lenda, ou teoria, ou fabula, e sim como verdade absoluta comprovada – por estudos biológicos. E em todos estes textos curriculares, mencionam humanos que se comportam em acordo com o processo descrito na teoria, porem emitem a outra metade da historia, que é o processo real dos humanos que reagem de forma contraria ao processo.

Então, dentro da Matrix/DNA descobrimos mais um foco a entrar a entrar para o rol da “desconstrução da matriz milenar cultural”. Temos que reagir com nossos senões e argumentos toda vez que vemos este falso ou incompleto ensinamento com efeito doutrinário sendo ministrado aos leigos.

Em adição, temos que fazer uma varredura, uma pesquisa ampla sobre as causas criadoras dessa teoria, se existem experimentos científicos, observações empírica, etc. E’ o que faremos a seguir aqui:

xxxxx

PESQUISA pela MATRIX/DNA:

 

Procure nos outros quais as suas tendencias/opiniões, e como elas se encaixam sequencialmente com suas diferenças na formula da Matrix/DNA

Saturday, August 24th, 2019

xxxx

(Um capitulo a ser inserido no manual de instruções para o cooperativismo) 

A fase em inglês abaixo, vista por acaso, me inspirou a uma nova descoberta:

“All progress occurs because people dare to be different”

Associação, sociedades, são exigências implacáveis das leis naturais para a sobrevivência e progresso de qualquer especie de sistema natural, tal como o ser humano. Dois opostos no caráter, intenção, direção de força, genótipo, mas ao mesmo tempo dois iguais na forma, especie, fenótipo, tem que se unirem totalmente – de corpo e alma, ou seja, físico e abstrato – ate se fundirem como num corpo só, de cujo evento surge o ponto de equilíbrio e o ponto de mutação, numa nova forma síntese das duas fundidas, mutada para melhor, e assim a especie de sistema supera sua forma débil e transcende para uma nova forma transcendente. Se as duas partes não conseguirem este ponto de fusão, as duas serão descartadas e extintas na Natureza. Esta a lei, que se aplicou a partículas, átomos, astros, células e claro, esta sendo aplicada a especie humana e vai finalmente decidir seu destino, como decidiu a de todos os sistemas naturais ancestrais.

Os humanos tem, afortunadamente, a tendencia inata, ou por condição da sobrevivência, de serem seres sociais, procuram viver com outros humanos e entre si fazerem trocas, portanto são sistemas abertos. ao contrario dos sistemas fechados em si mesmos. A maioria dos animais e aves também tem uma tendencia social, porem na maioria das vezes a única troca que fazem entre si acontece na dualidade referente ao sexual. Mesmo as trocas entre mães e filhos são derivadas do de atos do fenômeno sexual. Os humanos evoluíram para uma imensa maior quantidade de trocas, talvez este o segredo de seu sucesso ate aqui.

Mas ainda ha muito atraso e muitas mazelas, muitos prejuízos, ma especie humana, devido aos tipos de sistemas sociais que tem erigido ate agora. A herança genética dos ancestrais animais tem modelado a psique humana e conservado seus instintos animais que impediram a evolução social entre eles. Notadamente os três instintos na divisão do poder pela força bruta: o instinto para grande predador que gera o 1% dominante, o instinto de médio predador que gera a classe media, e o instinto de presa que gera a massa das classes apáticas.

Se a especie humana não superar este nível de socialização que interrompeu a evolução das outras especies de sistemas biológicos, não terá sua transcendência e não outro destino que não seja sua extinção. Assim determina a Natureza que nesse detalhe sempre foi cruelmente implacável. Todas as especies descartadas e em vias de extinção enfrentaram o inferno com choro e ranger de dentes o processo de sua extinção. Ate a forma que leões e gorilas estão agora sofrendo este processo através do fenômeno natural humano tem lhes sido doloroso, como desesperador deve ser estar prisioneiro numa jaula.

O que esta faltando ao humano mudar em si para se encaminhar a um processo indolor e suave de transformação ao invés de cair na fatalidade de sua extinção? Existem muitos assuntos de maior prioridade para os humanos agora, mas este tem que estar obrigatoriamente entre os mais prioritários, porque, se não realizar esta mudança interna, a nível psíquico, se não exorcizar sua psique destes três instintos, todas as outras providencias para melhorar a condição humana serão inúteis no final.

Num primeiro e breve golpe de vista sobre o problema, e no meu peculiar modo de raciocinar tendo por base a crença na formula da Matrix/DNA para todos os sistemas naturais, sou conduzido e comparar a forma dos sistemas sociais humanos com a forma do sistema social perfeito na formula. Se tenho o template do esquema perfeito, e tenho os esquemas imperfeitos ao lado, basta compara-los e ver nos imperfeitos onde estão os pontos da(s) diferença(s).

Não sera uma tarefa fácil porque temos que entender que o fluxo de energia/informações entre as partes do sistema apresentam milhões, bilhões de formas intermediarias entre as sete partes reveladas na formula, e o estado potencial de cada humano neste dado momento e lugar deve corresponder a um destes bilhões de pontos no circuito… impossível de se localizar. Mas facilita uma ideia probabilística aproximada saber que o fluxo no circuito determina as diferenças entre as partes pelo avançar do processo do ciclo vital, o qual conhecemos e nos ajuda a esboçar o template mais próximo do humano em questão.

O primeiro ponto de diferença que vejo, é para mim uma novidade que nunca havia pensado antes e a descoberta que tenho agido errado. Quando procuro associações com humanos, sociedades, e ate mesmo simples amizades, procuro quem pensa como eu. Se sou socialista, procuro me distanciar dos capitalistas burgueses e dos comunistas militantes, por exemplo. Mas “socialismo”, “capitalismo”, “comunismo” são produtos abstratos psíquicos, produzidos por caráteres, e a lei natural diz que estes opostos tem que se aproximarem e se fundirem. Ou isso ou a morte dolorosa para todos. Não tem senões aqui. Então como vamos resolver um problema que parece impraticável, insolúvel? Um severa questão a ser anotada de lado para ser tratada pela reflexão responsável.

Outra notável diferença que logo salta aos olhos entre o que eu e os demais humanos tem procurado, e a formula perfeita, esta em que na formula, todos os indivíduos interagentes tem que se serem diferentes entre si na função dentro do sistema, apesar de serem fisicamente iguais. Ora, mas como sempre procuramos os mais iguais possíveis ( com exceção do sexual), se montamos um sistema apenas com eles, todos terão o mesmo e único talento para a mesma função sistêmica… e assim não tem sistema, em absoluto. Novamente uma questão psíquica, de caráter, de genótipo. Outra questão a ser anotada.

Mas apesar da aparência desoladora de que não haveria solução para os humanos, na verdade, a Natureza tem a coisa toda desenhada com uma enorme porta aberta para nos. O segredo esta em que não se deve pensar em solução imediata, pela eventual súbita fusão entre extremos, pois as diferenças entre humanos são gradativas, ou seja, existem bilhões de formas intermediarias entre dois extremos. isto faz com, por exemplo, dois indivíduos sejam 80% iguais entre si e 20% diferentes apenas, e a possibilidade destes 20% de repulsão serem dominados pelos 80% de atração é plausível.

Não existe nem possibilidade de dialogo entre um capitalista burguês e um comunista ortodoxo, dois extremos. Indica a Natureza que ambos estão descartados, com seus dias contados. Costumamos errar quando damos atenção ‘a fala destes indivíduos, falas que não ameaçam nos afetar de imediato, na ilusão de que podemos muda-los através de argumentos racionais. Nestes momentos apenas nos estressamos, nada vamos conseguir. Tem que serem ignorados em absoluto em relação ao debate. Mas o mesmo tempo que lhes voltamos as costas, temos que falar aos outros ouvintes, apontando a irracionalidade da fala do extremista, pois existem muitos indivíduos ainda em situação de aprendizado, que podem ser incautamente doutrinados.

Outro detalhe que aprendemos nesta analise é que, se a busca suprema por associações com humanos é um imperativo de vida ou morte ao menos para nossos herdeiros e conservação de nossos patrimônios, e sabemos que vamos ter que nos associar, conviver, com outros humanos que possuem diferenças que aos nosso olhos são defeitos, temos que procurar aqueles cujos defeitos não sejam tantos a ponto de não serem suportáveis.

Em vista disso me ocorre agora a ideia de que, nesta busca por associacoes, eu deveria elaborar um estudado e cuidadoso questionário, a ser entregue na forma escrita para que os possíveis sócios os respondam, ou ser memorizado para vocalizar as questões quando num dialogo.

Portanto, deste artigo sobra as questões acima a serem trabalhadas, a afirmação de aspectos que já havíamos pensados sem esquematização, e o questionário a ser elaborado.