Posts Tagged ‘imagination’

GPS no hipocampo, mais evidencia para Matrix/DNA

Friday, January 31st, 2020

Tem sido um mistério para os neurologistas sobre quais celulas neuroniais produzem a imaginação, este fenomeno de aparência tão abstrata, e como o fazem. Um novo estudo adianta pesquisa:

Summary: Study shows how hippocampal cells can represent different hypothetical scenarios consistently and systematically over time. The findings shed new light on how place cells assist in decision making and imagination.

Brain’s ‘GPS system’ toggles between present and possible future paths in real time

Neuroscience NewsJanuary 30, 2020

https://neurosciencenews.com/brain-navigation-imagination-15607/

Claro, para mim sempre fica a duvida se são os neurônios e glândulas que produzem essa desconhecida e invisível imaginação ou se é o sistema cerebral como um todo que obedece a lei dos sistemas naturais dos quais emerge sua identidade própria, holística, localizada no todo, e que faz estas células entrarem em ação para ativar nervos, músculos.

Mas a ainda obscura interpretação do fato constatado ( sinalização intensa de células do hipocampo) sugere-me que parece a coisa ser de duas vias: a identidade do sistema reforça certas células que respondem em feed-back reforçando alguma propriedade da identidade. Pois o fenomeno tem a ver com criar cenas e eventos apenas em imagens, não reais, e projetados no futuro. E então busco na formula da Matrix/DNA, qual das suas propriedades poderiam estar envolvidas nisso. Na formula, existe um ponto que está conhecendo o passado, o presente e o futuro, não do mundo externo, mas do mundo interno ao sistema. É F1. Vamos trazer a formula, no seu aspecto desenhado na selva que melhor explica isso:

Matrix/DNA formula for astronomic building blocks and cell systems

Observe F1 à esquerda, sendo o turbilhão-bateria do sistema. Ele possui as informações para projetar um corpo no futuro até sua morte. Mas quando ocorre a morte, esse corpo de desintegra e suas informações vem para o cone, o que revela o passado do corpo. E faz tudo isso no presente.

Por outro lado, em nosso esforço em identificar cada região ou glândula do cérebro pela sua função com cada F da formula e ter um template total de sua anatomia, já temos certeza que o hipocampo se situa em F1. Estas chamadas “cells place” devem representar as nuvens do material degradado que rodeia o cone. Se as células disparadas estão produzindo uma visão do futuro devem se situarem a esquerda do hipocampo, se sobre o passado, se situam a direita.

Não estou gostando muito da sugestão encoberta nesta situação. Se minha interpretação da formula no tocante a este fenomeno estiver correta, fica a impressão que a formula criou a imaginação e isto só poderia ter sido feito atraves de sua ferramenta no caso, que é o cerebro. E isto daria razão aos pesquisadores em dizer que a imaginação é produzida pelo cérebro. Ou não, pois quem realmente a produz é uma formula que continha em si as propriedades para faze-lo e vem existindo desde o Big Bang, muito antes de existirem cérebros…

O estudo sugere mais uma evidencia para a Matrix/DNA, tem excelentes informações no avanço de nossas pesquisas, portanto fica aqui registrado…

Meu comentario enviado ao NeuroscienceNews ( aguardando moderação e acho que não será publicado porque faço publicidade do meu link), em 31/01/20

By my different theoretical approach, imagination is product of a process of feed-back between places cells and the brain´s systemic identity. For to know the functions and activities of the brain is good to have at hands the template creator of its anatomy, which is the universal Matrix/DNA spherical diagram for all natural systems.

In this formula we see and understand how a system has information of present, past and future, but only for its internal structure. The fact that the intense signals occurs in cells place in the hippocampus is exactly the point where the formula keeps these information, so, it was predicted by the formula. This new evolutionary jump, going to external world, must be self-projection of this old property. For those with curiosity, I wrote an article about this issue with more information, at https://theuniversalmatrix.com/en-us/articles/?p=1411

Imaginação: Muito importante, o que é, de onde vem…

Friday, October 4th, 2019

xxxxx

A imaginação é um fenômeno real que esta sempre se manifestando e afetando nossas vidas. Portanto precisamos tentar saber o que ela é, de fato, apesar de saber-mos ser isso quase impossível, pois ela é invisível, intocável, incontrolável. Mas creio que nada existe neste mundo que com o devido esforço consigamos conhecer por completo, então, mesmo começando tateando no escuro, temos que enfrentar a escuridão e tatear, esse fenômeno é real e nos afeta. Principalmente para os pais será muito mais importante saber algo sobre imaginação, o que passa no interior dos cérebros em formação dos seus filhos, para saber melhor orienta-los desde o berço, para serem mais bem sucedidos na vida. O ideal seria que os adultos já estivessem conscientes dos efeitos de suas próprias imaginações em suas vidas, os efeitos negativos, e tomarem o cuidado para não passarem estas suas imaginações para seus filhos.  Por isso fui a Internet procurar o que os estudiosos e as ciências humanas já aprenderam sobre a imaginação, quais as principais teorias, etc. E lendo uma descrição técnica obtida pela filmagem dos movimentos no cérebro quando indivíduos estão imaginando, minha própria imaginação veio a mente e comecei a imaginar uma cena a qual acho que sera uma boa alegoria para se entender a imaginação. Vou tentar:

Imagine-se passeando no meio de um monte de macacos num parque florestal cercado. Você observa que eles são demasiadamente ativos, agitados, e que seus movimentos são de dois tipos: um tipo de movimentos são meras macacadas, não conduzem a nada, o macaco corre, pula de galho em galho numa direção, chega num ponto, para, nada faz, se vira a correr em outra direção, para nada fazer. O conjunto todo daqueles movimentos parece um caos total. Outro tipo de movimentos fazem mais sentido logico, estes macacos se movem na direção de uma comida, procura um galho mais baixo quando quer descer, etc. Se você mentalmente separa os dois movimentos pelos grupos de macacos observados, você terá a impressão que os movimentos lógicos mostram, ao invés do caos, um principio de ordem.

Pois quando o cérebro humano esta se formando embrionariamente, os neurônios recém-formados se comportam da mesma maneira que os seus macacos no parque. Vamos ver como a Ciência ( link abaixo), explica isso:

https://en.wikipedia.org/wiki/Brain )

“O cérebro se desenvolveu, desde animais inferiores, numa intrincada e orquestrada sequencia de estágios. Ele mudou de formas desde uma simples protuberância parecendo um pequeno tumor na ponta frontal de um feixe de nervos nos seus mais primitivos estados, como nas minhocas, para um complexo arranjo e ordenamento de diferentes áreas e conexões. Neurônios são  criados numa zona especial que contem células-tronco, e então imigram através dos tecidos primários para alcançarem suas definitivas posições. Uma vez que os neurônios tem se posicionado, um grosso cílio desabrocha e se torna longo, ao qual denominamos “axon”, e o cílio navega através do cérebro, se ramificando em vários galhos e se estendendo enquanto avançam, ate que alcançam seus alvos, que pode ser outro grupo ou região de neurônios, e assim formam as conexões sinápticas.

E aqui vem , na minha titubeante opinião, a parte mais importante para entender de onde veio a imaginação humana: ” Num certo numero de partes do sistema nervoso, neurônios e sinapses são produzidos em excessivo numero durante os estágios da formação, a produção de sinapses parece caótica. Mas em seguida vai ocorrendo uma ordenação, neurônios mais agitados são aquietados e se suas sinapses são desnecessárias que nada produzem de útil pra o cérebro, são inibidas ou ate eliminadas.”

Vamos voltar ao parque dos macacos. Enquanto você passeia e observa, entra no parque um grupo de adestradores dizendo que querem ordem entre os macacos. Carregam redes com as quais apanham os macacos agitados desordeiros, e trazem também bananas, dando-as como recompensa apenas aos mais calmos que se movimentam na direção de metas logicas. Agora você nota que a cena que vês é diferente da cena vista quando você entrou, o caos cedeu lugar a ordem. E’ a diferença que veria se pudesses entrar num cérebro infantil e no mesmo cérebro tornado adulto.

Voltemos ao nosso tópico, a imaginação. Quando a criança nasce, seu cérebro é o estado inicial do parque. Parece que a mente da criança tem miragens, pois ela corre numa direção, move um objeto, sem razão logica, depois muda ou joga o objeto. Nestas correrias cai, quebra objetos. Então vem os adultos reprimindo aqueles movimentos, como se os adultos fossem adestradores com redes de apanhar neurônios desordeiros e portando bananas ou elogios para recompensar neurônios que se movem com logicas.

Os adultos aqui representam o mundo real, os duros fatos da vida, que são incômodos, indesejáveis, mas não adianta lutar contra eles, porque caímos, porque quebramos nosso patrimônio, e se não disciplinar-mos nossos movimentos no sentido do trabalho construtivo, vamos morrer de fome, vamos ficar jogados ao sabor das intempéries, etc.

As miragens são tão ilógicas, tao fora da realidade, que ao contrario dos pensamentos normais que se tornam ordenados pela criação da linguagem, as miragens não tem uma ferramenta como a linguagem, o que conecta as miragens são fios virtuais que se desfazem quando afrontam a realidade. Dentre as miragens criadas pela mente as mais notáveis são as que produzem lendas, mitos, deuses imaginários, os quais são prosseguimentos dos fantasmas amigos imaginários que as crianças inventam para conversarem. E certas miragens são tão atraentes, produzem certos confortos e prazeres mentais que as crianças lutam contra os fatos para mante-las, muitas vezes continuam essa luta quando entram na vida adulta, e algumas ate morrem mantendo estas miragens.

Penso que, se certas miragens imaginativas habituais ( como por exemplo a imaginação de que somos heróis com poderes supernaturais atuando no mundo real para ser importante e mudar os fatos desagradáveis, ou que somos escolhidos enquanto os outros não são, por deuses amigos com poderes supernaturais que vão nos proteger se o teto da igreja durante a missa ruir), nos causam estados mentais agradáveis, realmente não faria mal mante-las, desde que sob certo controle e estado de vigilância, apenas para serem curtidas quando estamos bem acomodados em relativa segurança, mas afastadas assim que temos de levantar e enfrentar o mundo real. Muitos são pegos de surpresa em verdadeiras tragedias porque estavam com a cabeça no mundo da lua das miragens, e nem os seus poderes supernaturais, nem os amigos fantasmas com poderes supernaturais aparecem para salva-los. Como conseguir este controle, esta disciplina, de saber separar a hora da meditação agradável desapegada da realidade, da hora de estar no mundo real, é o que vamos procurar.

Outro fator não menos importante é o tal “imaginário social”. precisamos nos lembrar que a Humanidade é um fenômeno bastante recente no mundo, tendo em vista a escala cósmica do tempo. Em relação ao mundo universal a Humanidade surgiu nas ultimas horas. E Humanidade é uma auto-projeção mesclada de cada individuo humano, portanto as mentes individuais são mescladas e criam a mente social. Como a Humanidade nasceu muito recentemente, a mente social ainda esta na sua infância, o que nos poe uma pulga na orelha quando pensamos no tal “senso comum”, ou nas regras sociais. Pode ter certeza que são coisas infantis, carregadas de imaginação sem muita relação com a realidade do planeta, do mundo natural. Assim o amigo fantasma de cada criança se torna o amigo Deus de uma religião, com quem todos os fieis acreditam conversar. Talvez existam outras dimensões nos envolvendo, onde são possíveis existirem entidades supernaturais, quem pode saber? Mas o triste é assistir que mitos inventados com credulidade infantil como se fossem parte do mundo real por antigos analfabetos, perduram no imaginário social o qual funciona como feed-back, retroalimentando os cérebros de cada individuo da seita. os adultos humanos teriam que serem muito bem informados da realidade, da Historia, dos fenômenos naturais, para analisarem impessoalmente quais os efeitos do imaginário social sobre as vidas dos humanos, para separar o joio do trigo, e não passar os efeitos maléficos para seus filhos, os quais vão continuar sofrendo desses efeitos. Muitas vezes uma analise depurada de nossas opiniões mal informadas funcionam como estímulos aos macacos e neurônios que se movem sem metas praticas para sua melhor sobrevivência.

xxxxx

trecho traduzido da Wikipedia:

The brain develops in an intricately orchestrated sequence of stages.[60] It changes in shape from a simple swelling at the front of the nerve cord in the earliest embryonic stages, to a complex array of areas and connections. Neurons are created in special zones that contain stem cells, and then migrate through the tissue to reach their ultimate locations. Once neurons have positioned themselves, their axons sprout and navigate through the brain, branching and extending as they go, until the tips reach their targets and form synaptic connections. In a number of parts of the nervous system, neurons and synapses are produced in excessive numbers during the early stages, and then the unneeded ones are pruned away.