Archive for the ‘Genética’ Category

Origens da Vida: Teoria do RNA World

domingo, novembro 12th, 2017

xxxx

Paper: Origin of Life: Transitioning to DNA genomes in an RNA world

https://elifesciences.org/articles/32330

Abstract

The unexpected ability of an RNA polymerase ribozyme to copy RNA into DNA has ramifications for understanding how DNA genomes evolved

Matrix/DNA: ‘Ok. De repente descobriram que o RNA tem uma polymerase ribozyme que copia o RNA e como resultado aparece o DNA ! Por isso surgiu a nova teoria do RNA-world. E com isso eles creem que vao obter o entendimento de como o genoma do DNA evoluiu. Nos percebemos a 30 anos atras quando elaboramos o modelo teorico da formula, que esta pode ser dividida em duas metades, uma face esquerda e outra direita. Observando-se a formula, percebe-se que a funcao 5 que ‘e intermitente, quando emerge e atua, ja’ divide a formula nas duas faces. Se o fluxo de informacoes que vem desde F1 no sentido horario, pela face esquerda, ultrapassar F4, ele constroi F6 e continua agora em queda entropica ate completar o circuito esferico. Isto significa que a formula determina que toda estrutura material elaborada por ela tenha a face direita como uma especie de copia da esquerda. Quando comparamos a formula com um building block do DNA percebemos que as duas sao a mesma configuracao e funcionamento, o que indica que o DNA pode ser dividido pela formula entre haste esquerda e direita. E qualquer uma das faces depois da divisao tambem representa a anatomia geral do RNA. Mais tarde descobrimos que F5 e’ o phi number, responsavel pela bi-lateral simetria. Ora, replicar o DNA, abrindo o zipper, separando os nucleotideos em duas hastes com suas bases, e’ produzir bi-lateral simetria.

Entao tinhamos a forte suspeita de que o RNA tivesse surgido primeiro que o DNA, e este apenas se formou quando a molecula de RNA foi capturando bits-informacao ralacionados `a face direita. nao nos surpreendeu quando depois surgiu a teoria do RNA-world. Porem aparentemente temos dois problemas entre as duas teorias.

  1. Enquanto existia apenas RNA – Segundo a teoria da Matrix – este era incapaz de replicar-se… ou nao? Vejamos. Quando o circuito chegou a F4, ele teria diretamente formado F6 ou F5? Se formou primeiro F5, a funcao replicadora, nao vejo como esta poderia funcionar sem o circuito esferico completo, na forma do DNA. Parece-me que F4 apenas seja estimulado a produzir F5 se a entidade do Sistema estiver instavel e buscar a estabilidade termodinamica. Alem disso, sabendo-se que RNA nao possui o acucar desoribose – que e’ F1 – ele deve ser constituido apenas de F2, F3 e F4. mas como F5 e’ uracila, que e’ uma base presente apenas no RNA, ele teria o orgao reprodutor porem nao teria a carga genetica completa para produzir DNA. Para ter ela complete precisaria ter F1. Entao o RNA nao podia se auto-replica. Ora, acredito que para o projeto de criar o primeiro DNA, a partir do RNA teria que existir muitos exemplares de RNA, apenas um nao teria tempo para executar tudo. O que significa que teriamos de considerer a hipotese de que nao houve um unico primordial RNA, mas sim, que essa molecula surgiu varias vezes separadas entre si. Mas se, formado o RNA, ao inves de partir para elaborar F5. o fluxo tivesse entrado a fazer a face direita fazendo ja F6, entao a direita construiu F1, o que permitiu ao Sistema iniciar sua replicacao.

Mas sabemos que o RNA tem a capacidade de se replicar. Como ele o faz, sem F1. Parece impossivel, a nao ser que F2 tenha em si mais da metade das informacoes de F1, o que tambem nao ‘e uma ideia confortavel. Entao surge aqui uma ideia e uma pergunta aos quimicos: Onde e como o RNA se auto-replica? Porque a Matrix sugere apenas uma possibilidade: que ele atue como virus, ou seja, ele precise penetrar no nucleo da celula e utilizer a F1 do DNA para se replicar.

Esta  questao preciso consultar os quimicos ou a biologia molecular.

2. O Segundo problema e’  que no DNA, os dois fluxos de informacoes – da haste esquerda e da direita – tem sentidos e significados opostos entre si. Na primeira a energia e’ crescente, fase de desenvolvimento e construcao; na segunda a energia e’ entropica, decrescente, fase de degeneracao, auto-aniquilamento. Entao para que o RNA produzisse DNA, quando seu fluxo chegasse a F4, e ao sair dessa funcao, teria que ter em si agregada a funcao da entropia. Vinda de onde, e como? A entropia nada constroi a nao ser caos, nao iria construir F6. E se o RNA adquirisse a entropia a partir de F4, ele nunca se auto-replicaria.

Este problema nos leva a suspeitar que o RNA surgiu, originalmente, em duas formas, opostas entre si. Digamos, uma spin right e a outra, spin left. Alias, parece-me que tudo na natureza tem que surgir nestes dois pares opostos. O problema e’ que, tendo-se duas fitas de aparencias iguais, e nas duas correm um fluxo de energia de uma ponta a outra, e sendo as duas aparentemente no sentido horario, como se vai detectar que numa o fluxo vai da ponta A para a B e a outra vai de B para A? Se as 4 pontas parecem iguais, quem determina qual seja A ou B?

Olhem…, sabe de uma coisa? Para mim nao vejo vantage nenhuma em ficar titrando a poeira de cima dos registros historicos para saber quem veio primeiro ou depois. O importante e’ saber que tanto RNA como DNA estao contidos na formula da Matrix que veio do ceu. O que ela fez aqui primeiro ou depois nao me interessa a ponto de ficar quebrando a cabeca com esse enignma complicado. certo que sempre e’ util elaborar um esquema destas especulacoes, um raciocinio metodico e escrito como fiz acima, pois destes raciocinios muitas vezes surgem importantes insights para outros problemas. Como foi a cima a repentina questao ou hipotese de que o RNA primordial funcionou como virus. Mas eu vou parar esse assunto por aqui.

  • ” Ok, senhor Louis, podes parar e descansar a cabeca. Mas antes voce me permite apenas mais uma perguntinha, que nao tem a ver com RNA, DNA…?”
  • “Pois nao…”
  • ” Quem surgiu primeiro, o ovo, ou a galinha”? ( e o perguntador vai se afastando e saindo correndo…)
  • – ” Arrrrghhh…. vem aqui, moleque, ah, se eu te pego…”

z

 

Memes: uma cadeia de causas e efeitos mentais, culturais, paralela `a cadeia de causas e efeitos geneticos.

segunda-feira, outubro 9th, 2017

xxxx

Inspirado no video: https://www.youtube.com/watch?v=DJhRONl7JEw

na altura do momento: 48:16

Memes sao as acoes dos genes-conscientes, ou seja, humanos, no nivel social e no seu nivel abstrato, cultural. Significa que o Sistema social e’ uma auto-projecao de um organismo/sistema, onde atos praticos na materia se tornam atos abstratos no social ou cultural.

Um importante fator a notar e’ que as pilulas anticoncepcionis e a camisinha, criadas pelos genes-conscientes, seguem uma direcao oposta aos genes biologicos, pois  interferem contra a tendencia genetica de se auto-reproduzir na maior quantidade possivel. Isto significa  que, enquanto a genetica foi produzida pelo caos e simplesmente segue as regras do caos sem planejar futuros, a mente humana criando os memes como a camisinha tenta mudar os atos do caos para atos de ordem, fazendo com que o fluxo da ordem se levante do caos.

Por outro lado foram projetados no nivel intermediario da psique ( intermediario entre genes biologicos e genes conscientes), os memes que vieram do caos, do animalismo, conhecidos como instintos primaries, selvagens, os quais  insistem em se manterem modelando todos sistemas sociais prioduzidos pela humanidade ate’ agora.  Como as tres tendencias instintivas: !) a grande ou 2) medio predadores,  e, 3) a presas. Para trazer a humanidade e o ambiente terrestre a um estado de ordem e’ preciso exorcizar estes memes vindo do animalismo caotico.

O CRISPR e a ética moral numa Ciência ideológica

quarta-feira, setembro 27th, 2017

xxxx

Re-escrevendo o Código da Vida

https://www.newyorker.com/magazine/2017/01/02/rewriting-the-code-of-life

Uma ameaça séria que paira sobre a humanidade e somente a Matrix/DNA pode perceber. Nos temos o poder e talvez vamos fazer o paraíso ajardinado humano na Terra, porém ele poderá ser nosso inferno.

O Cientista personagem deste artigo, Kevin Elvest, é um militante aguerrido da crença que a nova técnica genética – CRISPR… – pode mudar, manipular o DNA de todos os seres vivos, eliminando os defeitos atuais que causam doenças e produzindo super-homens. Para convencer a sociedade a deixá-los avançar na técnica ele tem corrido o mundo em palestras. Porem, ele tem um problema. Esta firme na crença de que os defeitos se devem `a evolução que funciona a partir de mutações ao acaso e terminando com a seleção natural, o que transforma as espécies em novas espécies ou formas.

Ora, esta crença baseada numa teoria sem provas cientificas ( a de que as causas destas mutações são sempre o acaso), em um cientista, apenas se gerou e se mantem devido a profunda visão de mundo, que é o materialismo niilista, oriundo da crença no… NADA. Do qual também não tem provas cientificas. Então o Sr. Elvest quer fazer a raça perfeita de humanos, animais e plantas, criando um paraíso automático, eterno, bom para a especie humana, ou melhor, segundo o que ele acredita. Pode ser que ele esteja certo na sua teoria dos acasos, do nada, e se assim for, uma paraíso mecanizado no seu funcionamento e adornado com jardins seria realmente o ideal. O pior que poderia acontecer aqui seria a concretização das profecias de Huxley e Orwel , onde esta humanidade viveria o Admirável Mundo Novo sob o governo do Big Brother. Isto ameaça a consciência de parar de evoluir, todo mundo seria estupido pois neste paraíso mecânico até o Líder torna-se escravo, basta ver que insetos como abelhas e formigas já formaram este tipo de sociedade e na verdade a rainha não tem livre-arbítrio, ela é uma escrava do próprio sistema, o qual parou de evoluir. Mas a humanidade estaria sorridente, saudável, bem alimentada e confortada, muito melhor do que 90 % da humanidade está hoje.

Porem,… e se o Senhor Elvest estiver errado em suas crenças e teorias? Obviamente a Natureza iria estrebuchar e destruir nossa civilização, pois suas forças e elementos estariam indo em outra direcao.

O problema da crença nas mutações por acaso como ponto de partida desta teoria, e que portanto torna a teoria toda um produto do acaso, é que não existe como a Ciência comprova-la. Supomos que realizemos experimentos onde consigamos construir uma exata replica das condições anteriores do mundo antes das origens da vida e dessas condições surgissem uma forma de vida igual a nossa. Ora isto não seria acaso, pois um acaso jamais se repetiria. Se ele se repetir, é um acontecimento natural normal, talvez uma lei natural e não mais acaso. Poder-se – ia alegar que não se trata de acaso a origem da vida, uma vez que se formaram aquelas condições, ela sempre surgira. Então o acaso estaria nas condições anteriores antigas que produziu aquelas condições anteriores imediatas. Novamente, vamos ao mais antigo, conseguimos uma replica que funciona… e o problema seria adiado para condições anteriores mais antigas ainda. Nunca será provado pelas Ciências, e quem de fato ama e tem esperança que a Ciência seja a tradução do mundo natural para o conhecimento e controle do homem, esconderia esta terrível hipótese do acaso, pois ela num ponto futuro seria a morte da Ciência. O acaso, assim como a magia, como geradora de crenças de causalidade, acontece quando ignoramos as reais causas. E quem sabe quais reais causas por trás destas mutações estariam sendo provocadas por uma das seis faces deste Universo que nos ignoramos? Certamente isto está acontecendo.

O ser humano ainda é quase cego e insensível porque apenas consegue ver a parte do mundo que é iluminada por apenas uma das sete faixas da onda de luz e apenas percebe com seus sentidos a matéria formada por uma das sete intensidades de vibrações do espectro electromagnético. Acreditar em qualquer visão de mundo imaginada agora por este cérebro tao incapaz é loucura irracional.

A evolução sugere claramente que ela não terminou, portanto a forma humana é apenas provisoria, ela deverá mudar para uma forma transcendente, talvez mais energia e consciência que massa e instintos. Quem tentar bloquear ou interromper esta caminhada da Natureza será por ela atropelado e eliminado. O paraíso do Sr. Elvest – um humano com um cérebro incapaz de processar as informações totais do mundo total – certamente será esta tentativa de bloqueio desejando eternizar uma forma evolutiva provisoria.

Porem, não será por isso que iremos nos contrapor ao objetivo de sua pregação. Claro que precisamos eliminar as doenças e se possível, conseguir um corpo mais poderoso. Claro que queremos todas as acomodações possíveis nesta biosfera. Portanto o temos a fazer é apoiar o Sr. Elvest na sua intenção porem critica-lo energeticamente na sua ideologia fundamentalista. Ou, se for o caso dos engenheiros genéticos chegarem ao ponto de terem trocado 95% do genoma de qualquer especie – principalmente da humana – impedi-los veementemente de trocarem os restantes 5%. Tem-se que manter a natureza da vida e seu desígnio no DNA, apenas a natureza transformará uma especie para a forma que vai se encaixar na forma que a natureza está se tornando naquele ambiente. Nos nunca poderemos prever qual será a próxima forma da natureza, por isso nunca poderíamos transformar a forma humana para a forma transcendente que sobreviverá. Temos que combater a crença arraigada do Sr. Elvis, mostrar-lhe, lembrar-lhe que ele não está se comportando como bom cientista quando apregoa com firmeza a sua visão de mundo niilista como faz neste artigo, uma visão fundada na fé e não em fatos provados cientificamente.

Existem outros modelos de mundo como possibilidades, captados por outros seres humanos. Um deles e o meu preferido porque penso ser o mais racional e “cientifico” – mas nem por isso acreditado como a verdade ultima – está sugerindo um desígnio da Natureza que faria o Sr Elvest dirigir a tecnologia poderosa genética com um freio e ao mesmo tempo, para fora do falso paraíso. Ele sugere que somos 8 bilhões de genes semi-conscientes construindo um feto de auto-consciência, e a Terra modelada como a melhor placenta para acomodar e nutrir a próxima forma transcendente deste feto, que será o embrião de consciência, deve ser a nossa meta. E ainda assim com um pé no freio enquanto prescrutamos a Natureza, em busca de algum indicio que nos informe em que ela estará transformando este planeta.

 

 

 

 

Genética, Epigenética, e Doenças: Informativo vídeo e interpretação da Matrix/DNA

quinta-feira, setembro 21st, 2017

xxxxx

https://www.youtube.com/watch?v=SHpfkNRscOc&lc=z23ced0h2yj1ypfvlacdp433shjl2dlcct3a3dcqy

u1w03c010c.1506022611622122

(Comentarios postados no video Youtube)”

Louis Charles Morelli – +- 09/13/2017

How the genotype gives rise to the phenotype? Intuitively we know the mechanisms and processes doing it, and why it occurs in this way. The genotype is configured as a complete working system, and we know its anatomy. The whole organism (phenotype) is again a system and configured equally to the genotype. The base guanine in a group of genes makes a function X that will be the function of a cell organelle (same system again) which will be the function of the organism’s organ. It is a non-living fractal inside half-living fractal inside full living fractal. We learned this secret key after discovering the universal formula for all natural systems, the Matrix/DNA. It works like the propagation of waves from a nuclear wave, and evolution makes it as waves of increasing complexity. But why at genetics occurs this complexity’s increasing? The answer is the environment (epigenetics), pulling the wave because the environment – the Earth biosphere – is another system made by the same formula. So, the full living fractal – the organism – is inside the astronomical fractal, which is the formula at its most perfect state, pulling the organism towards its perfection. Our problem now is how to observe, how to prove it, scientifically? Research must be focused on biophotons. They are the first universal occurrence of this formula which is encrypted into a wave of light. But these biophotons that invades the organisms’ electrons and creates networks mimicking the formula are very hard to be observed with our more most powerful scientific instruments. We need to develop the technology of these instruments now.

xxxxx

Anna K – 2 hours ago

You say what?

Louis C. Morelli – 09/21/2017

I know that for those ignoring the Matrix/DNA formula is difficult to understand the text above, very bad translated. And resume of something very complex difficulties the understanding. Trying to write the first phrase in other words: The group of genes composing the genotype is modelled as a quasi-system by the system called “building blocks of DNA”: a lateral and horizontal pairs of nucleotides, which is a working system, configured as the formula. The genotype is not a complete working system because is an opened formula composed by small systems that are diversified, as different copies of the building blocks. When a unicellular organism – which is a working system again modelled by the formula ( as larger projection of the building blocks) – multiplies into diversified cells, each diversified cell has its specific difference which is a small detail of a region of the original cell. In this way, the new cells aggregated to the original cell composes a new system (organism) which them, is merely an amplification of the original cell with some mutations, where organelles becomes organs. Living fractal inside living fractal. The new organism shows a phenotype that is the result of two forces: one coming from inside (from genotype) and other coming from exterior world ( which is a second phenotype because the external environment is modelled, built, by the same Matrix/DNA formula. So, the set of organism and external environment contains two layers of phenotype. The inside phenotype suffers modification in shapes and organs functions due the necessary adaptation to the second phenotype, which is composed by different matter. Now if I go re-writing the other phrases, we need a whole book. The meaning difference between our different approaches is about the difference between reductionist approach/systemic approach > which is not very well developed and practiced by scholars’ academy. I don’t see any problem about how the genotype gives risen to phenotype. If an organism was born handicapped or any phenotypic defect, is because the genotype as a system has these defects, it is also handicapped. Knowing the formula and with this systemic approach we could fix genetically these defects before giving birth to others handicappeds. Cheers…

Genética, Epigenética e Doenças: Transcrição do Vídeo

quarta-feira, setembro 6th, 2017

xxxxx

Questao mencionada no video (“How genotype give rise to phenotype? This is a central problem in Biology”)

https://www.youtube.com/watch?v=SHpfkNRscOc

Questões /Informações  no vídeo importantes, classificadas pelo ponto do tempo da palestra ( retirado no transcript no Youtube)
06:30
to solve, a big, a big question if you like, is where DNA, despite being the
06:34
thread of life, you can put it in a tube and gaze, gaze at it for as long as you
06:39
want and it remains utterly dead. So the question is really what does it
06:45
take to make it alive? When Craig Venter synthesized a bacterial
06:50
genome an important synthetic biology milestone, it had to be put into a living
06:55
cell before it became alive. How can one bypass that?
06:58
As the chemists say, you only really understand something if you can make it.
07:03
We can’t actually make life but it would be good to know some of the rules required
07:08
to do that.
xxxx
07:17
First of all a basic fact, genes make proteins, here is the chromosome, here is
07:23
the sequence of the genes, there is the RNA.
07:25
It encodes the sequence of the amino acids that lead to the protein that folds up to
07:30
then do all the lifelike things that are required.
07:34
But how are only the right genes expressed in a cell type?
07:36
This has been a question, a long standing question.
07:39
Do we know the answer to it? Why globin is expressed in blood cells and
07:43
keratin is expressed in skin cells, etcetera.
07:46
We, we approximate knowledge about it, but actually, there’s an enormous amount to
07:50
find out.
Matrix/DNA: Isto indica que a diversificação de células e localização de genes específicos em células especificas é mais devido a uma organização do sistema, do organismo como sistema, do que organização individual das células ou genes individuais do DNA. Portanto indica que a formula Matrix inscrita no DNA se projeta como modelo para todo o organismo, e isto deve ser feito por uma network de fótons, uma especie de aura.
xxxx
07:50
Most of the genome is actually
07:54
inaccessible. This is this gray, it’s rather difficult
07:57
to look at this picture I think because the DNA is gray and looks although it
08:01
should be in the background but this is a nucleusome, the repeating unit of the, of
08:06
the chromosome, if you like. The fundamental repeating unit.
Matrix/DNA: O autor diz que o nucleosome ( ele diz nucleusome, o que esta errado) e’ a unidade repetitiva do chromossoma, e nao sei se com isso ele quer dizer do DNA. Enquanto a Matrix/DNA sugere que a unidade fundamental do DNA e’ composta de 4 nucleotideos, dois pares laterais e verticais.
xxxx
08:08
And the DNA clings to the outside of it. And proteins that want to make genes
08:15
active, can’t actually get at the DNA properly.
08:18
So, how does the gene activation machinery gain and how does it keep access?
08:22
Again, we have some beginning answers to this, but we don’t, by any means, have a
08:28
full picture.
xxxxx
Protein-coding DNA sequences are only 1%
08:32
of our genome. So, if you look at a piece of the human
08:36
genome, you see these vertical stripes correspond to the bits of this gene that
08:41
are separated from each other. In fact genes are fragmented and they are
08:47
a tiny minority of all the DNA. What is the rest of it for?
08:52
There is an enormous, there’s a vast majority that is, that we can’t explain.
xxxx
09:14
It’s particularly after the encode project which found lots of potential regulatory
09:19
sequences throughout here. So, this other DNA is doing stuff.
09:23
And perhaps, it’s doing stuff that makes for example, humans and other mammals far
09:30
more complex than yeast.
Me ocorreu uma ideia agora. Segundo a formula, o tal junk DNA são registros da Matrix do passado, de antes da abiogeneses ate’ o Big Bang. Nesse caso, são registros do ambiente externo a um sistema biológico, pois este nem existia ainda. Mas depois do inicio da abiogeneses, nestes 4 bilhões de anos, a galaxia, o universo mudou, evoluiu, ao menos ficou diferente porque se expandiu. E desta macro-dimensão devem checar fótons `a Terra, por radiação cósmica. Ora, fótons procuram e se juntam com seus vizinhos de outrora, como qualquer imigrante em pais novo. Estaria então sendo acrescentados ao DNA humano, mais exatamente entre as bases do junk DNA, os registros da Matrix a nível macrocósmico? Parece ficção, e curiosos que isto ressuscitaria o adagio antigo de que temos o universo dentro de nos.
xxxx
09:30
more complex than yeast. So finally, there are questions almost
09:37
sociological questions. Does the environment have any impact on
09:40
gene expression?
xxxx

Como surgiu “epigenetics”, qual a definicao:

10:25
The original epigenetics definition comes from Conrad Waddington, who was actually
10:31
my predecessor as Buchanan Chair, Chair, Chair of Genetics in Edinburgh.
10:36
And what he meant was in contrast to pre-formationism, but the development
10:43
proceeded by the gradual unfolding of the information in the genes, to produce the
10:46
whole organism. So, for him, how information of the genes
10:50
is read during embryo, during embryonic development to give the whole organism was
10:54
the essence of what epigenetics was about. We would now call this developmental
10:59
biology. How the genotype gives rise to the
11:01
phenotype. But it’s acquired, or a sort of, a special
11:05
status in epigenetics, really, because of this iconic picture, the epigenetic
11:11
landscape. I’m not going to dwell on this either.
11:13
Because quite honestly, having had it explained to me several times, I’m never
11:16
totally sure, exactly how this helps.
Second definition of epigenetics which is rather different has actually different
11:41
origins epistemological origins. How characteristics are inherited across
11:48
cells or organism generations without changes in the DNA, its sequence, itself.
11:53
An example of this is this cat, the so-called tortoise shell cat, or calico
11:58
cat, in, in, in the US, which has these patches of fur.
12:02
It has two x chromosomes. One of them has a gene that gives black
12:06
fur, the other one has a gene that gives orange fur, and cells early in
12:11
development, inactivate one or the other of those chromosomes for, for reasons we
12:14
don’t, which I will, I will come back to actually, a little bit later.
12:18
And you get a patch of skin because the cell that originally inactivated the
12:22
orange fur gene gave rise when it divided to cells that did exactly the same thing.
12:28
So, that was inherited. All the gene or the, the DNA is still
12:32
there in these cells, in, in the orange ones, and the black ones, but there is
12:37
difference that is inherited and that’s epigenetic according to this definition.
12:43
So, heritable traits of this kind might be influenced by the environment.
12:48
And this is sort of revitalized that an ancient argument about nature versus
12:55
nurture, where nature is genetics, the idea that we’re, our genes are, are in
12:59
control and nurture is the opposite, the idea that our environment determines who
13:03
we are.Of course, it’s a mixture of both but
13:07
epigenetics has given a, a, a new lease of life to the nurture argument.
13:12
And so, one can see articles such as this and there are many examples I could have
13:17
chosen why your DNA isn’t your destiny, the new science of epigenetics reveals how
13:23
choices you make can change your genes and those of your kids.
13:27
Now, I’m not an expert on some of the epidemiology behind this, but the, the
13:32
molecular biology, in my opinion, is far less convincing than it is for other
13:35
aspects of epigenetics. It is, however, an extremely interesting
13:40
idea, that the environment can give rise to changes that get passed on, but it is
13:45
systematically overstated in a lot of places one finds it described.
13:49
So, one has to be circumspect about the, this kind of argument in my opinion.
13:54
There are couple of excellent examples in plants, in worms where immune, immunity is
14:00
involved, but some of the more sociological aspects, in my opinion,
14:05
require further evidence. So, I’m sticking with this as my example
14:09
of heritable epigenetics. It’s closer to the molecular biology we
14:12
actually understand. So, Epigenetics 3, biological significance…
xxxx
17:04
disease. So, epigenetics then embraces key unsolved
17:09
problems in Biology, how, how the genotype give rise to phenotype, that’s the
17:12
Waddington one, how traits are inherited across cell or organism generations
17:17
without changes in the DNA sequence and how structural adaptation of the genome
17:21
facilitates gene activity programs. As far as I’m concerned, this is not a
17:26
word one needs to dwell on with sort of almost a theological interest about what
17:34
it means.
xxxx
17:39
And I, I like to think of it as how the genome is organized and managed to make
17:43
DNA if you like, come alive.
xxxx
Sobre CG islands:
 In fact, for a long time, we were used to
26:00
the fact that CG islands existed, but we didn’t really know what they were for.
26:04
And, and actually, one almost forgot to ask, well, they’re always there, what are
26:08
they for? In fact, it now seems very likely that
26:11
they are platforms to set up appropriate genome structures at gene promoters.
26:16
Very important function. And there are other proteins that bind CG,
26:21
that recruit other things to them, and this is a very, a rapidly growing area.
xxxx
 

Nucleosome: Componente do DNA a Pesquisar – DNA como um sistema social

terça-feira, setembro 5th, 2017

xxxx

Devido a uma mensao no video copiado num artigo aqui (genetics,epigenetics and diseases) de que o nucleosome e’ a unidade fundamental do DNA, ( enquanto a minha formula diz que a unidade e’ outra coisa) tive que fazer a pesquisa e

percebi que tenho que pesquisar o que e’ chamado de nucleosome pela Ciencia. A o mesmo tempo descobri alumas coisas importantes . por exemplo, na figura:

The crystal structure of the nucleosome core particle consisting of H2A , H2B , H3 and H4 core histones, and DNA. The view is from the top through the superhelical axis.

 

https://en.wikipedia.org/wiki/Nucleosome

Entao definem isto como: ” an octamer of histone proteins wraps DNA around itself in about 1.7 turns of a left-handed superhelix.”. E, …

The nucleosome core particle (shown in the figure) consists of about 146 bp of DNA[12] wrapped in 1.67 left-handed superhelical turns around the histone octamer, consisting of 2 copies each of the core histones H2AH2BH3, and H4. Adjacent nucleosomes are joined by a stretch of free DNA termed “linker DNA” (which varies from 10 – 80 bp in length depending on species and tissue type[19]).

Apoptotic DNA laddering. Digested chromatin is in the first lane; the second contains DNA standard to compare lengths.

Schema of nucleosome organization.[28]

The crystal structure of the nucleosome core particle (PDB1EQZ[10][11])

Nucleosome core particles are observed when chromatin in interphase is treated to cause the chromatin to unfold partially. The resulting image, via an electron microscope, is “beads on a string”. The string is the DNA, while each bead in the nucleosome is a core particle. The nucleosome core particle is composed of DNA and histone proteins

Ok. Aqui me vem uma intuicao. Note-se que as cinco proteinas (histones) se juntam e fazem com que uma tira de DNA se enrole em volta delas…!!! Porque e para que?

As cinco proteinas se organizam como as cinco funcoes da formula da Matrix. O DNA e’ entendido aqui como sendo uma longa sequencia de unidades fundamentais que sao sistemas em si mesmas, cada qual um sistema diferenciado dos outros, ao mesmo tempo que o sistema- modelo original e’ a formula. Entao porque e para que a formula se expressa e em seguida se aproxima ou puxa uma fita contendo copias diferenciadas de si mesma e veste-se com essa fita?!

Primeiro passo aqui, e’: existe alguma situacao semelhante que sirva de parametro? Vejamos…

Encontrei uma! Uma familia-modelo e’ composta por 7 individuos cada qual faixa etaria e exercendo uma funcao no sistema familiar. Acontece que em volta desta familia-modelo existem  muitas familias que sao copias diferenciadas do modelo padrao. Estes sistemas familiares em volta compoem o sistema social humano, o qual ‘e mera projecao do sistema familiar e do individuo humano.

Transladando isso para nosso problema do nucleosome, temos que”

A fita de DNA circundante representa um sistema social composto de inidades que estao no seu centro, ou seja, histones.

Porque uma familia humana se veste com um tecido confeccionado com outras familias humanas? Porque e’ imposicao natural, e’ a natureza sempre construindo novos sistemas mais complexos a partir de outros mais simples. Para que? Para sobreviver, ter melhor existencia e evoluir,… talvez tendo um objetivo, o qual pode ser um sistema finalizado, o qual pode ser mera reproducao da fonte que a produziu

Entao neste momento historico descobrimos mais um detalhe do DNA: ele e’ um sistema social ! 

Existe de imediato alguma utilidade pratica nesta descoberta? Ela nos faz rever a genetica e elucida algum misterio em outras partes dela? Por enquanto, nao vou procurar isso.

E temos um problema. O sistema social humano e’ um envoltorio de um sistema familiar humano porque a familia humana e’ a unidade fundamental do sistema social… Ou nao? A unidade fundamental seria o individuo? O problema e’ o mesmo que vejo no nucleosome. O sistema social DNA tem como unidade fundamental o conjunto de nuleotideos, que sao formados por bases nitrogenadas, ACGT, e nao por proteinas histoines. Isto se resolve se por-mos os nucleotideos como individuos e as histones como a familia. Acabou-se este problema.

 

Genetica vinda das estrelas: Um novo mecanismo ou processo complementar com o Phanton DNA?

sexta-feira, agosto 25th, 2017

xxxxx

No experimento que revelou o DNA-fantasma ( num tubo de vacuo inseriu-se fotons que se espalharam caoticamente no tubo. Inserido um pedaco de DNA, os fotons se alinharam ao longo dos seus eixos. Retirado o DNA, os fotons permaneceram mantendo a figura do DNA), pode estar um complemento ao processo dos genes semi-vivos. Se os buiding blocks do DNA organiza os fotons a sua imagem, e’ possivel que os seus iguais, que sao os building blocks astronomicos tambem podem faze-lo. Ai’ a coisa complica, pois nunca tinha pensado nisto e fica esquisito. Isto sugere a possibilidade de que tenhamos galaxias fantasmas no espaco, formadas apenas de fotons?

Galaxias-fantasmas… eu fui o primeiro a inventar este nome. Existem?

Bem, vou abrir esta seccao para fazer esta pesquisa. um video que tem as imagens da experiencia feita e’:

https://www.youtube.com/watch?v=yHYsUlzR-6E&list=FL0tAEtDLdLbDZnGrmn_lLcA&index=35

Sacred Geometry DNA changes 2012 Mollecular Atom Consciousness.mp4

O nome do pesquisador foi: Vladimir Papanov (ou Popanov).

 

Porque a Natureza fez todas as Faces Humanas diferentes?

quarta-feira, agosto 16th, 2017

xxxxx

Existem quase 8 bilhões de seres humanos, mas não existe um individuo igual a outro. Quem ou que determina que não exista um individuo igual a outro?! E porque? Como a Natureza na Austrália sabe que não pode fazer lá alguém de uma forma porque essa forma já existe a milhares de quilômetros dali, e perdida lá na imensa área da Sibéria, na Russia?! Ao menos uma minima diferença deve ser a especifica identidade de cada ser humano, só ele ou ela tem aquilo, ninguém mais! Cada ser humano e’ uma mensagem, unica, como uma carta escrita para ele entregar em mãos, e será esta a sua missão, como sugere a Matrix/DNA?!  Mas esta e’ a característica e a missão de cada gene do seu corpo: e’ como se eles trouxessem cartas, cada qual sendo um projeto a fazer, para entregarem a você, quando acabassem de construí-lo/a.

Esta incrível diversidade é um fenômeno real, acontecendo aqui e agora, na frente de nossos olhos. Porque e como a Natureza produziu este fenômeno? Foi para algum proposito ou emergiu apenas por acaso?

A cosmovisão da Matrix/DNA Theory está dizendo que a causa deste fenômeno veio das estrelas, já estava escrita na galaxia…!

-“Hein?! Será mesmo?…”

A Ciência descobriu que existe uma outra situação similar na Terra alem da diversidade entre os animais onde exitem milhões de indivíduos de mesma especie, mas nenhum igual a outro.E isto no mundo microscópico, muito distante a olho nu. Trata-se dos genes. E se a teoria da Matrix/DNA estiver acertando, isto está acontecendo também entre os bilhões de nucleotídeos que compõem a unidade fundamental de informação do nosso DNA! Ora,… se um fenômeno existe no distante microcosmo, existe no nosso médio-cosmos, e existe também no outro distante macrocosmos, então, não é um acaso, é um mecanismo, um processo, uma Lei Natural!

Porque existe esta lei? Esta lei determina que se houver um trilhão de humanos e não tiver mais forma diferente de face para inventar, ela vai fazer um novo individuo com nariz que tenha apenas um buraco,… ou três buracos no nariz, ao invés dos dois que todos os outros tem?! “Pare de brincadeira, seu Louis, viemos aqui para aprender serio…!”

-” Ah… mas eu sempre achei este negocio meio esquisito. Teria sido muito mais inteligente criar um nariz com um buraco só, ou então com quatro, do que dois. Eu já fiz experiencias com isto, sugando água de um balde com um, dois, 4 canudinhos, medindo a energia que meu corpo gasta em cada caso, como a energia que gasta o nariz para inalar o ar. E depois de tomar dois baldes de água, com a barriga estourando, consegui completar as contas e descobrir que um buraco só economizaria muita energia…”

-” Mas não basta ser cientista maluco para entender a Natureza. A Matrix/DNA explica por exemplo, como já existia a bilhões de anos, e na galaxia, o ancestral do nariz, e com dois buracos. Por isso temos dois buracos, mera transmissão genética do nosso ancestral… ”

-” Hein?!… Nas estrelas? Você está dizendo que galaxias também respiram?! E você ainda vem dizer que eu sou o cientista maluco… Oh, raios, por acaso fui eu quem na selva amazônica acreditou que ouviu a Natureza virgem sussurrando esse segredo nos meus ouvidos… e por isso fiz a teoria da Matrix/DNA… Mas você tem razão, vamos deixar de brincadeiras e voltar `a nossa aula.”

Quando alguns dentre nos falam com soberba dizendo que nossas Ciências já sabem tudo, vamos descobrindo que há muito mais coisas que a Natureza ainda esconde de nos. Porque a Natureza está brincando de jogar dados conosco? Ora a Natureza não joga dados com suas criaturas, ela sempre revela seus segredos `aqueles que não a ignoram porque vivem artificialmente em cima de uma camada de asfalto que os separa dela, mas sim aos que ainda a namoram com respeito, amor e humildade, ajoelham-se acariciando e cheirando a terra, prestando seu culto `a sua majestade e curiosos para conhece-la por inteiro, aplicam dois métodos infalíveis – o reducionista e o sistêmico – ambos científicos.

Assim, este curioso fenômeno nos leva a conhecer mais um pouco da nossa fantastica biologia, pois os biólogos descobriram algo: ao polimorfismo da face humana eles acrescentam o polimorfismo dos nucleotídeos que são um dos tijolinhos básicos na construção dos nossos corpos. Click na imagem para aumenta-la:

Single nucleotide polymorphisms (SNPs) -2

Existem posições no nosso código genético onde indivíduos tem um nucleotídeo ( por exemplo, G), e outros tem um diferente nucleotídeo (exemplo, C). Porque? Por acaso ou por um proposito, como sugere a Matrix/DNA?

Polimorfismo de nucleotídeo único ou polimorfismo de nucleotídeo simples

As formas dos nucleotídeos é assunto de interesse da Matrix/DNA. Segundo esta teoria, a unidade fundamental de informação no DNA é constituída por 4 nucleotídeos, porque a configuração do conjunto de 4 nucleotídeos é exatamente igual a formula universal para sistemas naturais, o que significa portanto, que é um sistema, ou seja, os building blocks do DNA são copias diferenciadas entre si de um mesmo e único sistema.

O conjunto total dos seres humanos tem suas origens no conjunto total de informações do DNA. Onde a Matrix/DNA Theory está sugerindo que nestas bilhões de unidades de informação, cada uma é unica, não existe uma igual a outra. Desde que a humanidade é evolucionariamente uma auto-projeção do DNA, ou sua genética, o resultado desta projeção deve ser similar `a coisa sendo projetada. Então, nos sabemos porque e como a Natureza produziu este fenômeno em relacao `a humanidade, faltando porem `as Ciências Acadêmicas a busca de resposta a essa questão em relacao ao DNA.

A Matrix/DNA já tem uma sugestão para esta questão: LUCA, o astronomico Ultimo Universal Ancestral de Todos os Sistemas Biológicos, ou seres vivos, está sendo fragmentado pela entropia em seus bits-informação, e em planetas como a Terra – com boas condições – estes bits estão trabalhando como o fluxo de ordem que se levanta em cada ciclo “caos>ordem>caos…”. Este processo está tentando reproduzir LUCA neste novo meio-ambiente (totalmente diferente do meio-ambiente onde LUCA foi formado), resultando nesta nova forma de sistema, que denominamos de “sistemas biológicos”.

Desde que estes bits-informação são emitidos para o espaço interno da galaxia ( colapso termodinâmico do quase-fechado sistema), espalhados, dispersos em diferentes tempos e espaços, os novos sistemas obtém quantidades e qualidades diferentes destes bits, quando compondo aminoacidos e nucleotídeos, e isto pode ser  resposta ao polimorfismo dos nucleotídeos.

Single nucleotide polymorphisms (SNPs)

Single nucleotide polymorphisms (SNPs)

Polimorfismo de nucleotídeo único ou polimorfismo de nucleotídeo simples

Esta sugestão da Matrix/DNA é racional, faz muito sentido, porem, isto quer dizer que as nossas diferenças não são causadas pela Natureza maior, a Universal, e sim veio a existir porque os sistemas astronômicos onde fomos gerados estão em decaimento? Então as nossas diferenças e nosso sofrimento nesta era de caos aqui não são leis naturais, universais?

Bem… A Matrix/DNA responde isso com duas sugestões:

1) Os humanos possuem cabeças fazendo a função de ovos dentro das quais existem os cérebros fazendo a função de amnion e placenta, e um embrião de auto-consciência, um novo tipo de sistema natural. Como aconteceu com todos os sistemas naturais, a evolução os cria em duas fases. Primeira a fase dos ovos botado fora e a prole abandonada a própria sorte, e a segunda fase onde se revela que na verdade os ovos nunca foram botados fora dentro do grande esquema das coisas, pois eles sempre estiveram dentro de um sistema maior, o qual sempre nutre e protege os ovos e passa isto biologicamente no fenômeno do amor maternal que começou a aparecer com os repteis, o que fez uma especie deles evoluir para mamíferos, os quais justamente mantem os ovos dentro até o nascimento do baby…

Como o embrião de consciência que carregamos na cabeça é um sistema natural ainda na primeira fase, somos, em sentido universal, ovos botados fora, abandonados a própria sorte, sem saber que, na verdade, o embrião que carregamos tem sua feliz gestação garantida na hierarquia dos sistemas naturais, por um sistema maior que não vemos. Por isso estamos sujeitos nossos corpos estão sujeitos a tragedias, dores, panicos, predadores…e morte, enquanto nosso Eu sendo gestado não é afetado fisicamente por nada disso…

2) Galaxias não possuem consciência expressada, apesar de já carrega-la como estado potencial, assim como fetos humanos ainda não expressam consciência porem já a tem em estado dormente na sua genética. Mesmo sem consciência, elas foram formadas pela genética extra-universal que esta resumida na formula da Matrix/DNA, e esta sim, por ser o principio vital, possui livre-arbítrio, mesmo quando esta na sua fase inconsciente. Ora, as galaxias, que são as nossas ancestrais, devido este livre-arbítrio se enveredou por um caminho errado, com a tendencia a se tornar um super-egoísta sistema fechado em si mesmo. Então nossa criadora cósmica cometeu um grande ” pecado”, um grande erro. Ela tentou eternizar uma forma atrasada e incompleta, provisoria, da evolução, interrompendo sua própria evolução. Ela se fez ao seu próprio corpo como a um paraíso, para viver mais intensamente os gozos neste paraíso, mas um paraíso errado onde ela não pode se suportar e teria como único destino sua total extinção.

E se você pudesse, a ajudaria? De que adiantaria a ajudar uma criatura inconsciente de que existe um caminho errado e ela aprecia ir por ele? Ela retornaria ao mesmo pecado. Porem existe um método. Você fragmenta seu corpo em todos seus bits-informação, de maneira que, se o erro total é 100%, cada bit sera’ uma fracão diferenciada deste erro. Depois você leva todos estes bits para outro lugar ( digamos, a superfície de um planeta onde as condições sejam ideais), e os solta ali, deixando-os com seu livre arbítrio, sua parcela do grande erro, mas sem o falso paraíso, para se defrontarem. Obviamente no inicio vão estar em conflito mutuamente, pois a parcela de erro de um incomoda todos os outros 99%, enquanto esse um é incomodado pelas parcelas de erro nos outros. Geram inicialmente o caos `a sua volta, mas vão apanhando tanto nesse caos – já que em cada batalha, mesmo vitoriosa, se desgasta e perde alguma coisa – que começam a perceber que eles mesmo criaram o caos devido seus conflitos. e passam a querer cooperar com os outros que chamam para fazer o estado de ordem. Assim como estamos agora aumentando o caos aqui porque estamos novamente construindo o tipo de paraíso errado que esta interferindo negativamente no clima da Terra. Então cada individuo começa a aceitar o acerto dos outros e se obriga a conter seu erro. No final, respeitando o livre arbítrio deles e sem você dar tudo de mão beijada, você os conduziu a serem arautos da ordem e da justiça, pois quem foi vitima da injustiça sempre sera’ ardente defensor da justiça. Assim parece que as nossas diferenças que causam sofrimentos aqui não são as diferenças genéticas, benéficas, como genes que somos, mas sim as diferenças maléficas, e alguém ou algo parece que esta a nos ajudar com um método bem eficiente e inteligente. Ou então isto esta’ acontecendo meramente por leis naturais porque nosso universo estaria tunelado naturalmente como um ovo a gerar um ser aqui, e dentro deste ovo existiria os mecanismos de correção de erros.

-” Essa Matrix/DNA sempre surpreendendo com suas historias malucas mas que fazem um sentido logico do capeta! Somos vitimas de tragedias, mas podemos tender a crer que é tudo por acaso ou por algum proposito… cada qual tem que escolher sua preferencia e eu respeito cada escolha como soberana! Mas agora me lembro de um livro grosso dos diabos que meus professores me enfiaram goela a dentro para ler, senão levava palmatoria: a Bíblia. La’ tem uma fabula exatamente igual, falando que estamos aqui devido ao “pecado original”, quer dizer, cometido antes das nossas origens. Raios… deve ser mera coincidência… E ela quer dizer que carrego um ovo encima do pescoço e l’a dentro estou gerando um embrião?!… Que eu estou gravido? Ora, gravida esta a avo dela…! Bem,… na verdade, ela diz isso no sentido de eu ser um gene cósmico, ai’ a coisa fica mais `a altura da minha grandiosidade…”

Um importante passo na busca de mais conhecimento do DNA é buscar meios de visualizar esta unidade de informação internamente para localizar onde cada uma tem algo diferente da formula perfeita, o que indicará a sua diferença. E para essa identificação, a forma externa dos nucleotídeos também podem contribuir. Deparo-me agora com esta noticia de que a biologia acadêmica já tem uma área de pesquisa e informação dos dados obtidos ate, a respeito das formas externas dos nucleotídeos, a qual se chama SNPs – Single Nucleotide Polymorphisms. Portanto, está aberta nova área de pesquisa para sabermos o que a Biologia já sabe sobre isso. E depois retornamos com esse conhecimento para consertar algumas coisas e acrescentar as novidades na cosmovisão da Matrix/DNA.

What are single nucleotide polymorphisms (SNPs)?

https://ghr.nlm.nih.gov/primer/genomicresearch/snp

(ler e continuar a Google pesquisa)

Single nucleotide polymorphisms (SNPs) - 3

Polimorfismo de nucleotídeo único ou polimorfismo de nucleotídeo simples

 

 

O Código Genético Existe? A definição acadêmica de código genético esta errada?

quarta-feira, agosto 16th, 2017

xxxx

Eu pensava que o nome “código genético” se referia `as informações ou características produzidas pelos genes nos organismos. Mas não e’. Definição de código genético e’:

Código genético é a relação entre a sequência de bases no DNA e a sequência correspondente de aminoácidos, na proteína. Ou seja, refere-se apenas ao jeito que as bases do DNA fazem os RNA’s mensageiro para que estes vao ao ribossomo fazer proteínas.

Então aquilo que eu costumava dizer – “não existe código genético” não se diz mais.

Mas… o uso do nome “codigo genetico” para fazer o que ele faz segundo a definicao academica, parece estar errado. Tendo em vista o que os codigos de 3 letras fazem, deveria chamar-se “codigo proteico”, ou outra coisa qualquer. 

Ainda acho que o erro esta na definição e não no que eu pensei. Pois dizer código genético, o genético tem que referir-se a genes. E não estou vendo genes entrar nesta historia, neste processo de formação de aminoacidos e proteínas. Na definição do Wikipedia mesmo diz que entram 64 bases para fazer os 20 aminoacidos, e 64 bases, mesmos os seus nucleotídeos, não formam nenhum gene, estes precisam de muito mais.

Preciso debater isto com algum biólogo.

Mas porque eu tinha pensado que não existe código genético? Foi quando a formula da Matrix/DNA se encaixou perfeitamente sobre o conjunto formado por 4 nucleotídeos juntos, sendo uma sequencia de dois numa haste, multiplicado por dois porque entra os dois nucleotídeos paralelos da outra haste. Isto queria – ou quer dizer  se a teoria estiver certa – que a unidade de informação do DNA ‘e este conjunto de 4 nucleotídeos e que cada  conjunto deste, ou seja, cada unidade de informação e’ um sistema completo e funcional, no mesmo modelo da formula da Matriz/DNA.

Mas se assim for, não haveria a grande variação de códigos para formar os genes. Entao a solucao mais razoavel e’ que nao deve existir duas unidades de informacao iguais, que cada unidade ‘e uma copia da formula, do sistema inicial, mas contendo alguma minima diferenciacao interna. Por isso pensei que o codigo genetico – enquanto o conjunto de informacoes para as caracteristicas do organismo – nao existe como codigo, mas sim apenas como uma pilha de um sistema, cada um diferente de todos os demais. Esta diferenciacao dentro dos sistemas resultaria na grande variacao de informacoes.

Mas apenas agora percebo que quando a escola diz ” codigo genetico” esta se referindo apenas `a producao das diferentes proteinas.

Fica agora uma questao: porque o conjunto de 4 nucleotideos formando um sistema, qual a funcao de um sistema. Bem, e’ possivel que tenha funcao na formacao dos genes, e nao das proteinas.

Porque o RNA precisa de 3 bases para formar um codon (cau, gct) o qual produz um aminoacido? ( Mas e’ aminoacido ou proteina? Espera ai: cada codon produz um aminacido, e para produzir uma proteina e’ preciso muitos dos 20 aminoacidos, entao, como diz na Wikipedia, para formar uma proteina de 200 aminoacidos, entram 600 bases, ou 200 codons.

O motivo do porque o RNA precisa de 3 bases para formar um codon esta visível na formula: o RNA representa um lado da face da formula, num lado tem 3 partes ou Fs. Entao o RNA nao contem F1, mas contem F4, ficando a face esquerda = F2,F3,F4 – e a face direita nao tem o F4 mas tem o F1, ficando F6,F7 e F1.

Devo continuar a pensar nisso, pesquisar genes para ver como as unidades sistemicas os produzem, etc.

 

Como e porque humanos conceituam a beleza da face e qual o segredo destas faces? Ver Video.

sábado, março 11th, 2017

xxxx

Jill Helms faz uma palestra sobre as diferenças entre faces bonitas e com defeitos. Porem devido seu pouco conhecimento ela não desce `a profundidade requerida para se entender o fenômeno em sua totalidade. Apenas o conhecimento da cosmovisão da Matrix/DNA nos revela informações sobre o tema jamais imaginadas antes. Então leia meus dois comentários copiados abaixo que foram postados no vídeo do Youtube e no meu Facebook, depois veja abaixo uma interessante descoberta baseada na formula da Matrix/DNA e depois clique no link para assistir a palestra Procure as legendas e transcript do texto em português no TED)

https://www.youtube.com/watch?v=qIDuFyXjcA0&index=6&list=PLsRNoUx8w3rPvhx_lImJfT7aiQ5tEbxoj

Reconsidering beauty | Jill Helms | TEDxStanford

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – Mar/3/11/2017

Why the genes has wired us to determine which are beautiful faces? Because it is their goal to rewards health ovules and spermatozoons. They wish the best environment for doing their job.

Beautiful faces has exactly symmetry and balance because its DNA has the same symmetry and balance. Symmetry is produced by the systemic function number 5 of Matrix/DNA universal formula for systems. Any natural system begins to be built from the bottom running to the left. Then the left face is reproduced as the right face by F5. At the RNA-world was the uracil base doing this function and it copied a strand of RNA as the right strand, creating the DNA. From here, the genes build animals faces once time entirely, but repeats the copied result of one’s DNA.
So, the golden ratio is anything else than the active act of the reproductive systemic function and measuring its point at the formula we get 1,618… the phi number.
So, the environmental/nutritional conditions inside the ovule at the moment of fecundation determines the symmetry and the balance of DNA which will be repeated at face’s formation.
A non-health ovule’s environment produces diseases and since the face is a kind of mirror of the DNA, the face will show the disease. And remember: perturbations at ovule’s environment mimics the perturbations of the external environment. That’s why rich and evolved people usually has more beautiful faces than poor people at poor regions. (If you are interested in this issue and want to see the systemic formula and understanding this issue, see the formula at my website and its explanations.)
xxxxxx
Facebook de Mar/03-12-2017
Louis Charles Morelli 

Em que estou a pensar agora? Na minha fantastica descoberta desta semana.

Os humanos criaram um preconceito baseado numa abstração da imaginação que diz: ” Existem faces bonitas e faces feias”. Este preconceito e’ muito influente na vida toda das pessoas, praticamente o principal determinador da sociedade humana para qual qualidade de vida o individuo terá. Um absurdo irracional?

Não sei se os outros animais, como cachorros e macacos, também possuem este preconceito entre eles e se criaram algum valor para determinar o que e’ face bonita ou feia. Mas assim como para nos humanos não existe diferença de faces entre macacos e todos nos parecem feios, assim também alguma inteligencia superior extraterrestre com outro tipo de corpo, com certeza nos vera’ a todos como tendo faces iguais e sendo feios.

Nesta semana assisti um vídeo do TED-Talk com uma palestra sobre este tema ( o link esta no meu artigo). A autora apresenta curiosos detalhes e informações inclusive históricos que nunca havíamos pensado. Mas como ela não conhece a base deste mundo e quem constrói faces – a formula da Matrix/DNA – ela trata o tema com seu conhecimento supérfluo e passando valores errados. No meu website nesta semana escrevi um artigo lidando com o assunto mais profundamente e descobrindo coisas que eu nunca havia pensado antes.

Porque a natureza produz faces ditas “bonitas”, onde as partes são bem balanceadas com tamanhos bem encaixados e as duas meias-faces apresentam perfeita simetria, enquanto produz outras faces – a maioria – sem estas perfeições?

A resposta esta nas diferenças do trabalho realizado pelo DNA com seus genes. Tudo e’ determinado a partir do momento que um espermatozoide alcança o centro de um ovulo e depois nos nove meses seguintes. A qualidade dos ambientes interiores do ovulo e da bolsa embrionaria mais o estado evolutivo dos genes herdados dos genitores determinam o modelo da face a ser construída.

Então, pessoas que vivem na pobreza, com um ambiente externo cheio de obstáculos, perturbações, e muita escassez de nutrimentos e acomodação do organismo, tem estas situações projetadas para dentro do ovulo e saco embrionário. Pessoas mais afortunadas que nascem em berços ricos e ambiente externo pacifico, controlado pelos humanos, com boa nutrição, projetam isto para o interior e processamento da gestação. Para ver isto basta comparar o físico de alemães com indígenas nativos, ou o povo desafortunado de Bangladesh.

O que me deixa atônito e’ como estes conhecimentos tao básicos não são a base de áreas como psicossociologia, economia,etc. A suprema missão do ser humano seria lutar para melhorar a qualidade de vida e manter a evolução mental da humanidade. Senão, para que fazer filhos e deixar novas gerações? E um dos mais urgentes assuntos a resolver e’ a pobreza que afeta a maioria dos humanos, a qual dentre outras mazelas, produz os organismos imperfeitos.

Existe detalhes mais profundos a conhecer neste assunto das faces, para entende-lo na sua totalidade. Como este que citei no artigo:

A simetria ou assimetria são a primeira causa do que aos nossos olhos parece bonito ou feio. Uma face ‘e dividida ao meio exato vertical, com a linha fronteiriça passando desde a testa, para o meio dos olhos, das duas narinas, da boca, do queixo, das mãos e pernas. Se ano existisse esta forca natural e seu mecanismo especifico denominado simetria, nada impediria que organismos tivessem um, três, ou cinco olhos, mãos, narizes, etc. Queríamos ter mais mãos, varias bocas – uma para comer ao mesmo tempo que outra para beber, outra para falar, etc. Mas a simetria impede que nossos esforços se realizam na forma física.

O fenômeno da simetria vem sendo observado e estudado desde a Grécia antiga, onde os filósofos descobriram a “golden ratio”, ou a razão dourada, ou ainda a geometria sagrada. E a representaram matematicamente com um numero, 1,618,… chamado numero “phi” porque mediram esta simetria nas espirais das plantas, flores e outros fenômenos naturais, como os lábios humanos, e sempre resulta no mesmo numero. Então se acredita num desenho supernatural inteligente.

Mas com a formula da Matrix/DNA eu descobri de onde vem este mecanismo e porque este numero. Esta explicado no artigo do meu website e na formula. Os DNA’s masculino e feminino são divididos ao meio vertical e repetem o que aconteceu nas origens da vida, no RNA-world – quando uma haste de RNA tem seu circuito energético continuado nas pontas para repetir a figura e propriedades da haste ou face esquerda na forma da haste ou face direita. Porem, este conhecimento imediatamente nos leva a perceber como é importante o estado ou qualidade do ambiente interno do organismo produzido pelo ambiente externo nos meses da gestação. E assim surgem as sugestões do que devemos fazer para na humanidade todos as pessoas nasçam com um organismo mais perfeito. E isso é de uma importância imensurável..

Veja na formula na formula da Matrix/DNA o que é o principio da simetria:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

A função dos sistemas responsável pelo fenômeno da simetria é a função numero 5 – a função da reprodução do sistema ( funções sistêmicas são diferentes forças naturais que surgiram das sete frequências/vibrações das ondas de luz, mas isto é uma outra historia mais complicada. Costumo pensar que funções são os obreiros construtores universais). Esta função se materializa nos sistemas criando um corpo físico para se expressar, de acordo com o tipo de sistema, os materiais disponíveis, o meio ambiente, etc. Então para atuar nos sistemas astronômicos ela produziu os cometas, nos sistemas vivos ela produziu o espermatozoide ou pólen, na genética ela produziu a base nitrogenada chamada uracila, no sistema celular ela produziu os tipos de RNA que se movem dentro da célula.

Todos os sistemas naturais são evoluções de sistemas anteriores. Os novos sistemas surgem com mais complexidade e novas formas. Existem dois métodos aplicados pela Natureza para produzir sistemas. O primeiro e’ feito criando inicialmente um tipo de corpo e em seguida aplicando nele a força do ciclo vital, a qual o transforma em varias formas com diferentes funções. Depois por simbiose a Natureza conecta estas diferentes formas sempre seguindo a sequencia do ciclo vital, e as formas se tornam as partes do sistema. Depois de assim gerado uma nova forma do sistema universal, a Natureza aplica o segundo método, que e’ simplesmente a auto-reprodução do original.

Então vejamos como foi montado o sistema DNA a partir da entropia do sistema astronomico que criou o DNA. Primeiro surge a forma de um corpo biológico que sera o núcleo do DNA. Esta foi a molécula atrelada na haste, que chamamos de açúcar desoxirribose. Em seguida o principio vital transformou ou produziu esta molécula em outras formas consecutivas, e assim surgiram as 5 bases nitrogenadas. Agora precisava conectar todas estas formas num só sistema. Então a conexão começa com um circuito de energia/informação a partir do corpo inicial, que na formula e’ F1. O circuito vai subindo no sentido horário `a esquerda, captando F2, F3 e F4. Aqui o circuito se bifurca em duas metades: uma vai continuar a forma esférica para gerar a maturidade e envelhecimento, a outra vai retornar a F! como energia crescente para realimentar F1 e produzir novo ciclo apos a morte da parte esférica. Isto é reprodução do sistema.

Então notamos que primeiro a Natureza produziu a meia-face esquerda do DNA, com uma so haste, três moléculas penduradas nela, o que se chamou RNA. Em seguida a F5 toma a meia-face esquerda como modelo e a repete como a meia-face direita. Assim a direita sera simétrica `a primeira.

Claro, existem outras coisas a considerar aqui, por exemplo, a diferença de que na meia-face esquerda a energia do sistema esta crescendo até atingir o pico em F4 e a partir dai começa a entropia do sistema e a meia-face direita terá a energia em queda, o que produz a degeneração e envelhecimento do sistema. O nosso cérebro é outro bom exemplo, e esta descoberta nos leva a entender porque estamos usando mais o hemisfério esquerdo e porque o hemisfério direito tem propriedades tao estranhas ao nosso raciocínio logico.

Mas a formação da face humana pelos genes já ocorre pelo segundo método, onde uma figura intermediaria entre os modelos de faces do pai e da mãe é gerada e reproduzida por inteiro. E não são os genes que determinam o modelo, mas sim a identidade de sistemas, no caso, o sistema DNA. E como fora do organismo, existe a biosfera, a qual contem o DNA vindo do sistema astronomico e dividido em fótons solares e terrestres, existe uma relacao de conflito no processo da gestação humana, entre o DNA humano que procura o estado harmônico da ordem e o DNA astronomico que aqui chega no estado de caos. Depende do estado evolutivo e saúde do DNA humano, se ele vai se impor ao DNA cósmico ao modelar a face ou se ele ainda esta’ fraco e o DNA cósmico vai dominar o processo. Assim surge a face bonita ou a face imperfeita.

Mas tudo o que eu digo aqui nada mais a forma como estou interpretando a formula. Outras mentes com diferentes experiencias podem descobrir detalhes mais importantes na formula. Por enquanto apenas escrevo minhas teorias… e não sou nada petante a Verdade, com este meu cérebro débil e super-limitado para conhecer a Verdade. Como eu ano acredito sem fazer os testes experimentais científicos, não acredite no que minha interpretação esta sugerindo. Você vale mais para minha missão se tiver sua mente aberta e independente para me ajudar a progredir mentalmente. Que a força física da Matrix perfeita e a sabedoria da consciência universal esteja contigo…