Archive for the ‘Genética’ Category

Nucleosome: Componente do DNA a Pesquisar – DNA como um sistema social

terça-feira, setembro 5th, 2017

xxxx

Devido a uma mensao no video copiado num artigo aqui (genetics,epigenetics and diseases) de que o nucleosome e’ a unidade fundamental do DNA, ( enquanto a minha formula diz que a unidade e’ outra coisa) tive que fazer a pesquisa e

percebi que tenho que pesquisar o que e’ chamado de nucleosome pela Ciencia. A o mesmo tempo descobri alumas coisas importantes . por exemplo, na figura:

The crystal structure of the nucleosome core particle consisting of H2A , H2B , H3 and H4 core histones, and DNA. The view is from the top through the superhelical axis.

 

https://en.wikipedia.org/wiki/Nucleosome

Entao definem isto como: ” an octamer of histone proteins wraps DNA around itself in about 1.7 turns of a left-handed superhelix.”. E, …

The nucleosome core particle (shown in the figure) consists of about 146 bp of DNA[12] wrapped in 1.67 left-handed superhelical turns around the histone octamer, consisting of 2 copies each of the core histones H2AH2BH3, and H4. Adjacent nucleosomes are joined by a stretch of free DNA termed “linker DNA” (which varies from 10 – 80 bp in length depending on species and tissue type[19]).

Apoptotic DNA laddering. Digested chromatin is in the first lane; the second contains DNA standard to compare lengths.

Schema of nucleosome organization.[28]

The crystal structure of the nucleosome core particle (PDB1EQZ[10][11])

Nucleosome core particles are observed when chromatin in interphase is treated to cause the chromatin to unfold partially. The resulting image, via an electron microscope, is “beads on a string”. The string is the DNA, while each bead in the nucleosome is a core particle. The nucleosome core particle is composed of DNA and histone proteins

Ok. Aqui me vem uma intuicao. Note-se que as cinco proteinas (histones) se juntam e fazem com que uma tira de DNA se enrole em volta delas…!!! Porque e para que?

As cinco proteinas se organizam como as cinco funcoes da formula da Matrix. O DNA e’ entendido aqui como sendo uma longa sequencia de unidades fundamentais que sao sistemas em si mesmas, cada qual um sistema diferenciado dos outros, ao mesmo tempo que o sistema- modelo original e’ a formula. Entao porque e para que a formula se expressa e em seguida se aproxima ou puxa uma fita contendo copias diferenciadas de si mesma e veste-se com essa fita?!

Primeiro passo aqui, e’: existe alguma situacao semelhante que sirva de parametro? Vejamos…

Encontrei uma! Uma familia-modelo e’ composta por 7 individuos cada qual faixa etaria e exercendo uma funcao no sistema familiar. Acontece que em volta desta familia-modelo existem  muitas familias que sao copias diferenciadas do modelo padrao. Estes sistemas familiares em volta compoem o sistema social humano, o qual ‘e mera projecao do sistema familiar e do individuo humano.

Transladando isso para nosso problema do nucleosome, temos que”

A fita de DNA circundante representa um sistema social composto de inidades que estao no seu centro, ou seja, histones.

Porque uma familia humana se veste com um tecido confeccionado com outras familias humanas? Porque e’ imposicao natural, e’ a natureza sempre construindo novos sistemas mais complexos a partir de outros mais simples. Para que? Para sobreviver, ter melhor existencia e evoluir,… talvez tendo um objetivo, o qual pode ser um sistema finalizado, o qual pode ser mera reproducao da fonte que a produziu

Entao neste momento historico descobrimos mais um detalhe do DNA: ele e’ um sistema social ! 

Existe de imediato alguma utilidade pratica nesta descoberta? Ela nos faz rever a genetica e elucida algum misterio em outras partes dela? Por enquanto, nao vou procurar isso.

E temos um problema. O sistema social humano e’ um envoltorio de um sistema familiar humano porque a familia humana e’ a unidade fundamental do sistema social… Ou nao? A unidade fundamental seria o individuo? O problema e’ o mesmo que vejo no nucleosome. O sistema social DNA tem como unidade fundamental o conjunto de nuleotideos, que sao formados por bases nitrogenadas, ACGT, e nao por proteinas histoines. Isto se resolve se por-mos os nucleotideos como individuos e as histones como a familia. Acabou-se este problema.

 

Genetica vinda das estrelas: Um novo mecanismo ou processo complementar com o Phanton DNA?

sexta-feira, agosto 25th, 2017

xxxxx

No experimento que revelou o DNA-fantasma ( num tubo de vacuo inseriu-se fotons que se espalharam caoticamente no tubo. Inserido um pedaco de DNA, os fotons se alinharam ao longo dos seus eixos. Retirado o DNA, os fotons permaneceram mantendo a figura do DNA), pode estar um complemento ao processo dos genes semi-vivos. Se os buiding blocks do DNA organiza os fotons a sua imagem, e’ possivel que os seus iguais, que sao os building blocks astronomicos tambem podem faze-lo. Ai’ a coisa complica, pois nunca tinha pensado nisto e fica esquisito. Isto sugere a possibilidade de que tenhamos galaxias fantasmas no espaco, formadas apenas de fotons?

Galaxias-fantasmas… eu fui o primeiro a inventar este nome. Existem?

Bem, vou abrir esta seccao para fazer esta pesquisa. um video que tem as imagens da experiencia feita e’:

https://www.youtube.com/watch?v=yHYsUlzR-6E&list=FL0tAEtDLdLbDZnGrmn_lLcA&index=35

Sacred Geometry DNA changes 2012 Mollecular Atom Consciousness.mp4

O nome do pesquisador foi: Vladimir Papanov (ou Popanov).

 

Porque a Natureza fez todas as Faces Humanas diferentes?

quarta-feira, agosto 16th, 2017

xxxxx

Existem quase 8 bilhões de seres humanos, mas não existe um individuo igual a outro. Quem ou que determina que não exista um individuo igual a outro?! E porque? Como a Natureza na Austrália sabe que não pode fazer lá alguém de uma forma porque essa forma já existe a milhares de quilômetros dali, e perdida lá na imensa área da Sibéria, na Russia?! Ao menos uma minima diferença deve ser a especifica identidade de cada ser humano, só ele ou ela tem aquilo, ninguém mais! Cada ser humano e’ uma mensagem, unica, como uma carta escrita para ele entregar em mãos, e será esta a sua missão, como sugere a Matrix/DNA?!  Mas esta e’ a característica e a missão de cada gene do seu corpo: e’ como se eles trouxessem cartas, cada qual sendo um projeto a fazer, para entregarem a você, quando acabassem de construí-lo/a.

Esta incrível diversidade é um fenômeno real, acontecendo aqui e agora, na frente de nossos olhos. Porque e como a Natureza produziu este fenômeno? Foi para algum proposito ou emergiu apenas por acaso?

A cosmovisão da Matrix/DNA Theory está dizendo que a causa deste fenômeno veio das estrelas, já estava escrita na galaxia…!

-“Hein?! Será mesmo?…”

A Ciência descobriu que existe uma outra situação similar na Terra alem da diversidade entre os animais onde exitem milhões de indivíduos de mesma especie, mas nenhum igual a outro.E isto no mundo microscópico, muito distante a olho nu. Trata-se dos genes. E se a teoria da Matrix/DNA estiver acertando, isto está acontecendo também entre os bilhões de nucleotídeos que compõem a unidade fundamental de informação do nosso DNA! Ora,… se um fenômeno existe no distante microcosmo, existe no nosso médio-cosmos, e existe também no outro distante macrocosmos, então, não é um acaso, é um mecanismo, um processo, uma Lei Natural!

Porque existe esta lei? Esta lei determina que se houver um trilhão de humanos e não tiver mais forma diferente de face para inventar, ela vai fazer um novo individuo com nariz que tenha apenas um buraco,… ou três buracos no nariz, ao invés dos dois que todos os outros tem?! “Pare de brincadeira, seu Louis, viemos aqui para aprender serio…!”

-” Ah… mas eu sempre achei este negocio meio esquisito. Teria sido muito mais inteligente criar um nariz com um buraco só, ou então com quatro, do que dois. Eu já fiz experiencias com isto, sugando água de um balde com um, dois, 4 canudinhos, medindo a energia que meu corpo gasta em cada caso, como a energia que gasta o nariz para inalar o ar. E depois de tomar dois baldes de água, com a barriga estourando, consegui completar as contas e descobrir que um buraco só economizaria muita energia…”

-” Mas não basta ser cientista maluco para entender a Natureza. A Matrix/DNA explica por exemplo, como já existia a bilhões de anos, e na galaxia, o ancestral do nariz, e com dois buracos. Por isso temos dois buracos, mera transmissão genética do nosso ancestral… ”

-” Hein?!… Nas estrelas? Você está dizendo que galaxias também respiram?! E você ainda vem dizer que eu sou o cientista maluco… Oh, raios, por acaso fui eu quem na selva amazônica acreditou que ouviu a Natureza virgem sussurrando esse segredo nos meus ouvidos… e por isso fiz a teoria da Matrix/DNA… Mas você tem razão, vamos deixar de brincadeiras e voltar `a nossa aula.”

Quando alguns dentre nos falam com soberba dizendo que nossas Ciências já sabem tudo, vamos descobrindo que há muito mais coisas que a Natureza ainda esconde de nos. Porque a Natureza está brincando de jogar dados conosco? Ora a Natureza não joga dados com suas criaturas, ela sempre revela seus segredos `aqueles que não a ignoram porque vivem artificialmente em cima de uma camada de asfalto que os separa dela, mas sim aos que ainda a namoram com respeito, amor e humildade, ajoelham-se acariciando e cheirando a terra, prestando seu culto `a sua majestade e curiosos para conhece-la por inteiro, aplicam dois métodos infalíveis – o reducionista e o sistêmico – ambos científicos.

Assim, este curioso fenômeno nos leva a conhecer mais um pouco da nossa fantastica biologia, pois os biólogos descobriram algo: ao polimorfismo da face humana eles acrescentam o polimorfismo dos nucleotídeos que são um dos tijolinhos básicos na construção dos nossos corpos. Click na imagem para aumenta-la:

Single nucleotide polymorphisms (SNPs) -2

Existem posições no nosso código genético onde indivíduos tem um nucleotídeo ( por exemplo, G), e outros tem um diferente nucleotídeo (exemplo, C). Porque? Por acaso ou por um proposito, como sugere a Matrix/DNA?

Polimorfismo de nucleotídeo único ou polimorfismo de nucleotídeo simples

As formas dos nucleotídeos é assunto de interesse da Matrix/DNA. Segundo esta teoria, a unidade fundamental de informação no DNA é constituída por 4 nucleotídeos, porque a configuração do conjunto de 4 nucleotídeos é exatamente igual a formula universal para sistemas naturais, o que significa portanto, que é um sistema, ou seja, os building blocks do DNA são copias diferenciadas entre si de um mesmo e único sistema.

O conjunto total dos seres humanos tem suas origens no conjunto total de informações do DNA. Onde a Matrix/DNA Theory está sugerindo que nestas bilhões de unidades de informação, cada uma é unica, não existe uma igual a outra. Desde que a humanidade é evolucionariamente uma auto-projeção do DNA, ou sua genética, o resultado desta projeção deve ser similar `a coisa sendo projetada. Então, nos sabemos porque e como a Natureza produziu este fenômeno em relacao `a humanidade, faltando porem `as Ciências Acadêmicas a busca de resposta a essa questão em relacao ao DNA.

A Matrix/DNA já tem uma sugestão para esta questão: LUCA, o astronomico Ultimo Universal Ancestral de Todos os Sistemas Biológicos, ou seres vivos, está sendo fragmentado pela entropia em seus bits-informação, e em planetas como a Terra – com boas condições – estes bits estão trabalhando como o fluxo de ordem que se levanta em cada ciclo “caos>ordem>caos…”. Este processo está tentando reproduzir LUCA neste novo meio-ambiente (totalmente diferente do meio-ambiente onde LUCA foi formado), resultando nesta nova forma de sistema, que denominamos de “sistemas biológicos”.

Desde que estes bits-informação são emitidos para o espaço interno da galaxia ( colapso termodinâmico do quase-fechado sistema), espalhados, dispersos em diferentes tempos e espaços, os novos sistemas obtém quantidades e qualidades diferentes destes bits, quando compondo aminoacidos e nucleotídeos, e isto pode ser  resposta ao polimorfismo dos nucleotídeos.

Single nucleotide polymorphisms (SNPs)

Single nucleotide polymorphisms (SNPs)

Polimorfismo de nucleotídeo único ou polimorfismo de nucleotídeo simples

Esta sugestão da Matrix/DNA é racional, faz muito sentido, porem, isto quer dizer que as nossas diferenças não são causadas pela Natureza maior, a Universal, e sim veio a existir porque os sistemas astronômicos onde fomos gerados estão em decaimento? Então as nossas diferenças e nosso sofrimento nesta era de caos aqui não são leis naturais, universais?

Bem… A Matrix/DNA responde isso com duas sugestões:

1) Os humanos possuem cabeças fazendo a função de ovos dentro das quais existem os cérebros fazendo a função de amnion e placenta, e um embrião de auto-consciência, um novo tipo de sistema natural. Como aconteceu com todos os sistemas naturais, a evolução os cria em duas fases. Primeira a fase dos ovos botado fora e a prole abandonada a própria sorte, e a segunda fase onde se revela que na verdade os ovos nunca foram botados fora dentro do grande esquema das coisas, pois eles sempre estiveram dentro de um sistema maior, o qual sempre nutre e protege os ovos e passa isto biologicamente no fenômeno do amor maternal que começou a aparecer com os repteis, o que fez uma especie deles evoluir para mamíferos, os quais justamente mantem os ovos dentro até o nascimento do baby…

Como o embrião de consciência que carregamos na cabeça é um sistema natural ainda na primeira fase, somos, em sentido universal, ovos botados fora, abandonados a própria sorte, sem saber que, na verdade, o embrião que carregamos tem sua feliz gestação garantida na hierarquia dos sistemas naturais, por um sistema maior que não vemos. Por isso estamos sujeitos nossos corpos estão sujeitos a tragedias, dores, panicos, predadores…e morte, enquanto nosso Eu sendo gestado não é afetado fisicamente por nada disso…

2) Galaxias não possuem consciência expressada, apesar de já carrega-la como estado potencial, assim como fetos humanos ainda não expressam consciência porem já a tem em estado dormente na sua genética. Mesmo sem consciência, elas foram formadas pela genética extra-universal que esta resumida na formula da Matrix/DNA, e esta sim, por ser o principio vital, possui livre-arbítrio, mesmo quando esta na sua fase inconsciente. Ora, as galaxias, que são as nossas ancestrais, devido este livre-arbítrio se enveredou por um caminho errado, com a tendencia a se tornar um super-egoísta sistema fechado em si mesmo. Então nossa criadora cósmica cometeu um grande ” pecado”, um grande erro. Ela tentou eternizar uma forma atrasada e incompleta, provisoria, da evolução, interrompendo sua própria evolução. Ela se fez ao seu próprio corpo como a um paraíso, para viver mais intensamente os gozos neste paraíso, mas um paraíso errado onde ela não pode se suportar e teria como único destino sua total extinção.

E se você pudesse, a ajudaria? De que adiantaria a ajudar uma criatura inconsciente de que existe um caminho errado e ela aprecia ir por ele? Ela retornaria ao mesmo pecado. Porem existe um método. Você fragmenta seu corpo em todos seus bits-informação, de maneira que, se o erro total é 100%, cada bit sera’ uma fracão diferenciada deste erro. Depois você leva todos estes bits para outro lugar ( digamos, a superfície de um planeta onde as condições sejam ideais), e os solta ali, deixando-os com seu livre arbítrio, sua parcela do grande erro, mas sem o falso paraíso, para se defrontarem. Obviamente no inicio vão estar em conflito mutuamente, pois a parcela de erro de um incomoda todos os outros 99%, enquanto esse um é incomodado pelas parcelas de erro nos outros. Geram inicialmente o caos `a sua volta, mas vão apanhando tanto nesse caos – já que em cada batalha, mesmo vitoriosa, se desgasta e perde alguma coisa – que começam a perceber que eles mesmo criaram o caos devido seus conflitos. e passam a querer cooperar com os outros que chamam para fazer o estado de ordem. Assim como estamos agora aumentando o caos aqui porque estamos novamente construindo o tipo de paraíso errado que esta interferindo negativamente no clima da Terra. Então cada individuo começa a aceitar o acerto dos outros e se obriga a conter seu erro. No final, respeitando o livre arbítrio deles e sem você dar tudo de mão beijada, você os conduziu a serem arautos da ordem e da justiça, pois quem foi vitima da injustiça sempre sera’ ardente defensor da justiça. Assim parece que as nossas diferenças que causam sofrimentos aqui não são as diferenças genéticas, benéficas, como genes que somos, mas sim as diferenças maléficas, e alguém ou algo parece que esta a nos ajudar com um método bem eficiente e inteligente. Ou então isto esta’ acontecendo meramente por leis naturais porque nosso universo estaria tunelado naturalmente como um ovo a gerar um ser aqui, e dentro deste ovo existiria os mecanismos de correção de erros.

-” Essa Matrix/DNA sempre surpreendendo com suas historias malucas mas que fazem um sentido logico do capeta! Somos vitimas de tragedias, mas podemos tender a crer que é tudo por acaso ou por algum proposito… cada qual tem que escolher sua preferencia e eu respeito cada escolha como soberana! Mas agora me lembro de um livro grosso dos diabos que meus professores me enfiaram goela a dentro para ler, senão levava palmatoria: a Bíblia. La’ tem uma fabula exatamente igual, falando que estamos aqui devido ao “pecado original”, quer dizer, cometido antes das nossas origens. Raios… deve ser mera coincidência… E ela quer dizer que carrego um ovo encima do pescoço e l’a dentro estou gerando um embrião?!… Que eu estou gravido? Ora, gravida esta a avo dela…! Bem,… na verdade, ela diz isso no sentido de eu ser um gene cósmico, ai’ a coisa fica mais `a altura da minha grandiosidade…”

Um importante passo na busca de mais conhecimento do DNA é buscar meios de visualizar esta unidade de informação internamente para localizar onde cada uma tem algo diferente da formula perfeita, o que indicará a sua diferença. E para essa identificação, a forma externa dos nucleotídeos também podem contribuir. Deparo-me agora com esta noticia de que a biologia acadêmica já tem uma área de pesquisa e informação dos dados obtidos ate, a respeito das formas externas dos nucleotídeos, a qual se chama SNPs – Single Nucleotide Polymorphisms. Portanto, está aberta nova área de pesquisa para sabermos o que a Biologia já sabe sobre isso. E depois retornamos com esse conhecimento para consertar algumas coisas e acrescentar as novidades na cosmovisão da Matrix/DNA.

What are single nucleotide polymorphisms (SNPs)?

https://ghr.nlm.nih.gov/primer/genomicresearch/snp

(ler e continuar a Google pesquisa)

Single nucleotide polymorphisms (SNPs) - 3

Polimorfismo de nucleotídeo único ou polimorfismo de nucleotídeo simples

 

 

O Código Genético Existe? A definição acadêmica de código genético esta errada?

quarta-feira, agosto 16th, 2017

xxxx

Eu pensava que o nome “código genético” se referia `as informações ou características produzidas pelos genes nos organismos. Mas não e’. Definição de código genético e’:

Código genético é a relação entre a sequência de bases no DNA e a sequência correspondente de aminoácidos, na proteína. Ou seja, refere-se apenas ao jeito que as bases do DNA fazem os RNA’s mensageiro para que estes vao ao ribossomo fazer proteínas.

Então aquilo que eu costumava dizer – “não existe código genético” não se diz mais.

Mas… o uso do nome “codigo genetico” para fazer o que ele faz segundo a definicao academica, parece estar errado. Tendo em vista o que os codigos de 3 letras fazem, deveria chamar-se “codigo proteico”, ou outra coisa qualquer. 

Ainda acho que o erro esta na definição e não no que eu pensei. Pois dizer código genético, o genético tem que referir-se a genes. E não estou vendo genes entrar nesta historia, neste processo de formação de aminoacidos e proteínas. Na definição do Wikipedia mesmo diz que entram 64 bases para fazer os 20 aminoacidos, e 64 bases, mesmos os seus nucleotídeos, não formam nenhum gene, estes precisam de muito mais.

Preciso debater isto com algum biólogo.

Mas porque eu tinha pensado que não existe código genético? Foi quando a formula da Matrix/DNA se encaixou perfeitamente sobre o conjunto formado por 4 nucleotídeos juntos, sendo uma sequencia de dois numa haste, multiplicado por dois porque entra os dois nucleotídeos paralelos da outra haste. Isto queria – ou quer dizer  se a teoria estiver certa – que a unidade de informação do DNA ‘e este conjunto de 4 nucleotídeos e que cada  conjunto deste, ou seja, cada unidade de informação e’ um sistema completo e funcional, no mesmo modelo da formula da Matriz/DNA.

Mas se assim for, não haveria a grande variação de códigos para formar os genes. Entao a solucao mais razoavel e’ que nao deve existir duas unidades de informacao iguais, que cada unidade ‘e uma copia da formula, do sistema inicial, mas contendo alguma minima diferenciacao interna. Por isso pensei que o codigo genetico – enquanto o conjunto de informacoes para as caracteristicas do organismo – nao existe como codigo, mas sim apenas como uma pilha de um sistema, cada um diferente de todos os demais. Esta diferenciacao dentro dos sistemas resultaria na grande variacao de informacoes.

Mas apenas agora percebo que quando a escola diz ” codigo genetico” esta se referindo apenas `a producao das diferentes proteinas.

Fica agora uma questao: porque o conjunto de 4 nucleotideos formando um sistema, qual a funcao de um sistema. Bem, e’ possivel que tenha funcao na formacao dos genes, e nao das proteinas.

Porque o RNA precisa de 3 bases para formar um codon (cau, gct) o qual produz um aminoacido? ( Mas e’ aminoacido ou proteina? Espera ai: cada codon produz um aminacido, e para produzir uma proteina e’ preciso muitos dos 20 aminoacidos, entao, como diz na Wikipedia, para formar uma proteina de 200 aminoacidos, entram 600 bases, ou 200 codons.

O motivo do porque o RNA precisa de 3 bases para formar um codon esta visível na formula: o RNA representa um lado da face da formula, num lado tem 3 partes ou Fs. Entao o RNA nao contem F1, mas contem F4, ficando a face esquerda = F2,F3,F4 – e a face direita nao tem o F4 mas tem o F1, ficando F6,F7 e F1.

Devo continuar a pensar nisso, pesquisar genes para ver como as unidades sistemicas os produzem, etc.

 

Como e porque humanos conceituam a beleza da face e qual o segredo destas faces? Ver Video.

sábado, março 11th, 2017

xxxx

Jill Helms faz uma palestra sobre as diferenças entre faces bonitas e com defeitos. Porem devido seu pouco conhecimento ela não desce `a profundidade requerida para se entender o fenômeno em sua totalidade. Apenas o conhecimento da cosmovisão da Matrix/DNA nos revela informações sobre o tema jamais imaginadas antes. Então leia meus dois comentários copiados abaixo que foram postados no vídeo do Youtube e no meu Facebook, depois veja abaixo uma interessante descoberta baseada na formula da Matrix/DNA e depois clique no link para assistir a palestra Procure as legendas e transcript do texto em português no TED)

https://www.youtube.com/watch?v=qIDuFyXjcA0&index=6&list=PLsRNoUx8w3rPvhx_lImJfT7aiQ5tEbxoj

Reconsidering beauty | Jill Helms | TEDxStanford

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – Mar/3/11/2017

Why the genes has wired us to determine which are beautiful faces? Because it is their goal to rewards health ovules and spermatozoons. They wish the best environment for doing their job.

Beautiful faces has exactly symmetry and balance because its DNA has the same symmetry and balance. Symmetry is produced by the systemic function number 5 of Matrix/DNA universal formula for systems. Any natural system begins to be built from the bottom running to the left. Then the left face is reproduced as the right face by F5. At the RNA-world was the uracil base doing this function and it copied a strand of RNA as the right strand, creating the DNA. From here, the genes build animals faces once time entirely, but repeats the copied result of one’s DNA.
So, the golden ratio is anything else than the active act of the reproductive systemic function and measuring its point at the formula we get 1,618… the phi number.
So, the environmental/nutritional conditions inside the ovule at the moment of fecundation determines the symmetry and the balance of DNA which will be repeated at face’s formation.
A non-health ovule’s environment produces diseases and since the face is a kind of mirror of the DNA, the face will show the disease. And remember: perturbations at ovule’s environment mimics the perturbations of the external environment. That’s why rich and evolved people usually has more beautiful faces than poor people at poor regions. (If you are interested in this issue and want to see the systemic formula and understanding this issue, see the formula at my website and its explanations.)
xxxxxx
Facebook de Mar/03-12-2017
Louis Charles Morelli 

Em que estou a pensar agora? Na minha fantastica descoberta desta semana.

Os humanos criaram um preconceito baseado numa abstração da imaginação que diz: ” Existem faces bonitas e faces feias”. Este preconceito e’ muito influente na vida toda das pessoas, praticamente o principal determinador da sociedade humana para qual qualidade de vida o individuo terá. Um absurdo irracional?

Não sei se os outros animais, como cachorros e macacos, também possuem este preconceito entre eles e se criaram algum valor para determinar o que e’ face bonita ou feia. Mas assim como para nos humanos não existe diferença de faces entre macacos e todos nos parecem feios, assim também alguma inteligencia superior extraterrestre com outro tipo de corpo, com certeza nos vera’ a todos como tendo faces iguais e sendo feios.

Nesta semana assisti um vídeo do TED-Talk com uma palestra sobre este tema ( o link esta no meu artigo). A autora apresenta curiosos detalhes e informações inclusive históricos que nunca havíamos pensado. Mas como ela não conhece a base deste mundo e quem constrói faces – a formula da Matrix/DNA – ela trata o tema com seu conhecimento supérfluo e passando valores errados. No meu website nesta semana escrevi um artigo lidando com o assunto mais profundamente e descobrindo coisas que eu nunca havia pensado antes.

Porque a natureza produz faces ditas “bonitas”, onde as partes são bem balanceadas com tamanhos bem encaixados e as duas meias-faces apresentam perfeita simetria, enquanto produz outras faces – a maioria – sem estas perfeições?

A resposta esta nas diferenças do trabalho realizado pelo DNA com seus genes. Tudo e’ determinado a partir do momento que um espermatozoide alcança o centro de um ovulo e depois nos nove meses seguintes. A qualidade dos ambientes interiores do ovulo e da bolsa embrionaria mais o estado evolutivo dos genes herdados dos genitores determinam o modelo da face a ser construída.

Então, pessoas que vivem na pobreza, com um ambiente externo cheio de obstáculos, perturbações, e muita escassez de nutrimentos e acomodação do organismo, tem estas situações projetadas para dentro do ovulo e saco embrionário. Pessoas mais afortunadas que nascem em berços ricos e ambiente externo pacifico, controlado pelos humanos, com boa nutrição, projetam isto para o interior e processamento da gestação. Para ver isto basta comparar o físico de alemães com indígenas nativos, ou o povo desafortunado de Bangladesh.

O que me deixa atônito e’ como estes conhecimentos tao básicos não são a base de áreas como psicossociologia, economia,etc. A suprema missão do ser humano seria lutar para melhorar a qualidade de vida e manter a evolução mental da humanidade. Senão, para que fazer filhos e deixar novas gerações? E um dos mais urgentes assuntos a resolver e’ a pobreza que afeta a maioria dos humanos, a qual dentre outras mazelas, produz os organismos imperfeitos.

Existe detalhes mais profundos a conhecer neste assunto das faces, para entende-lo na sua totalidade. Como este que citei no artigo:

A simetria ou assimetria são a primeira causa do que aos nossos olhos parece bonito ou feio. Uma face ‘e dividida ao meio exato vertical, com a linha fronteiriça passando desde a testa, para o meio dos olhos, das duas narinas, da boca, do queixo, das mãos e pernas. Se ano existisse esta forca natural e seu mecanismo especifico denominado simetria, nada impediria que organismos tivessem um, três, ou cinco olhos, mãos, narizes, etc. Queríamos ter mais mãos, varias bocas – uma para comer ao mesmo tempo que outra para beber, outra para falar, etc. Mas a simetria impede que nossos esforços se realizam na forma física.

O fenômeno da simetria vem sendo observado e estudado desde a Grécia antiga, onde os filósofos descobriram a “golden ratio”, ou a razão dourada, ou ainda a geometria sagrada. E a representaram matematicamente com um numero, 1,618,… chamado numero “phi” porque mediram esta simetria nas espirais das plantas, flores e outros fenômenos naturais, como os lábios humanos, e sempre resulta no mesmo numero. Então se acredita num desenho supernatural inteligente.

Mas com a formula da Matrix/DNA eu descobri de onde vem este mecanismo e porque este numero. Esta explicado no artigo do meu website e na formula. Os DNA’s masculino e feminino são divididos ao meio vertical e repetem o que aconteceu nas origens da vida, no RNA-world – quando uma haste de RNA tem seu circuito energético continuado nas pontas para repetir a figura e propriedades da haste ou face esquerda na forma da haste ou face direita. Porem, este conhecimento imediatamente nos leva a perceber como é importante o estado ou qualidade do ambiente interno do organismo produzido pelo ambiente externo nos meses da gestação. E assim surgem as sugestões do que devemos fazer para na humanidade todos as pessoas nasçam com um organismo mais perfeito. E isso é de uma importância imensurável..

Veja na formula na formula da Matrix/DNA o que é o principio da simetria:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

A função dos sistemas responsável pelo fenômeno da simetria é a função numero 5 – a função da reprodução do sistema ( funções sistêmicas são diferentes forças naturais que surgiram das sete frequências/vibrações das ondas de luz, mas isto é uma outra historia mais complicada. Costumo pensar que funções são os obreiros construtores universais). Esta função se materializa nos sistemas criando um corpo físico para se expressar, de acordo com o tipo de sistema, os materiais disponíveis, o meio ambiente, etc. Então para atuar nos sistemas astronômicos ela produziu os cometas, nos sistemas vivos ela produziu o espermatozoide ou pólen, na genética ela produziu a base nitrogenada chamada uracila, no sistema celular ela produziu os tipos de RNA que se movem dentro da célula.

Todos os sistemas naturais são evoluções de sistemas anteriores. Os novos sistemas surgem com mais complexidade e novas formas. Existem dois métodos aplicados pela Natureza para produzir sistemas. O primeiro e’ feito criando inicialmente um tipo de corpo e em seguida aplicando nele a força do ciclo vital, a qual o transforma em varias formas com diferentes funções. Depois por simbiose a Natureza conecta estas diferentes formas sempre seguindo a sequencia do ciclo vital, e as formas se tornam as partes do sistema. Depois de assim gerado uma nova forma do sistema universal, a Natureza aplica o segundo método, que e’ simplesmente a auto-reprodução do original.

Então vejamos como foi montado o sistema DNA a partir da entropia do sistema astronomico que criou o DNA. Primeiro surge a forma de um corpo biológico que sera o núcleo do DNA. Esta foi a molécula atrelada na haste, que chamamos de açúcar desoxirribose. Em seguida o principio vital transformou ou produziu esta molécula em outras formas consecutivas, e assim surgiram as 5 bases nitrogenadas. Agora precisava conectar todas estas formas num só sistema. Então a conexão começa com um circuito de energia/informação a partir do corpo inicial, que na formula e’ F1. O circuito vai subindo no sentido horário `a esquerda, captando F2, F3 e F4. Aqui o circuito se bifurca em duas metades: uma vai continuar a forma esférica para gerar a maturidade e envelhecimento, a outra vai retornar a F! como energia crescente para realimentar F1 e produzir novo ciclo apos a morte da parte esférica. Isto é reprodução do sistema.

Então notamos que primeiro a Natureza produziu a meia-face esquerda do DNA, com uma so haste, três moléculas penduradas nela, o que se chamou RNA. Em seguida a F5 toma a meia-face esquerda como modelo e a repete como a meia-face direita. Assim a direita sera simétrica `a primeira.

Claro, existem outras coisas a considerar aqui, por exemplo, a diferença de que na meia-face esquerda a energia do sistema esta crescendo até atingir o pico em F4 e a partir dai começa a entropia do sistema e a meia-face direita terá a energia em queda, o que produz a degeneração e envelhecimento do sistema. O nosso cérebro é outro bom exemplo, e esta descoberta nos leva a entender porque estamos usando mais o hemisfério esquerdo e porque o hemisfério direito tem propriedades tao estranhas ao nosso raciocínio logico.

Mas a formação da face humana pelos genes já ocorre pelo segundo método, onde uma figura intermediaria entre os modelos de faces do pai e da mãe é gerada e reproduzida por inteiro. E não são os genes que determinam o modelo, mas sim a identidade de sistemas, no caso, o sistema DNA. E como fora do organismo, existe a biosfera, a qual contem o DNA vindo do sistema astronomico e dividido em fótons solares e terrestres, existe uma relacao de conflito no processo da gestação humana, entre o DNA humano que procura o estado harmônico da ordem e o DNA astronomico que aqui chega no estado de caos. Depende do estado evolutivo e saúde do DNA humano, se ele vai se impor ao DNA cósmico ao modelar a face ou se ele ainda esta’ fraco e o DNA cósmico vai dominar o processo. Assim surge a face bonita ou a face imperfeita.

Mas tudo o que eu digo aqui nada mais a forma como estou interpretando a formula. Outras mentes com diferentes experiencias podem descobrir detalhes mais importantes na formula. Por enquanto apenas escrevo minhas teorias… e não sou nada petante a Verdade, com este meu cérebro débil e super-limitado para conhecer a Verdade. Como eu ano acredito sem fazer os testes experimentais científicos, não acredite no que minha interpretação esta sugerindo. Você vale mais para minha missão se tiver sua mente aberta e independente para me ajudar a progredir mentalmente. Que a força física da Matrix perfeita e a sabedoria da consciência universal esteja contigo…

Fecundação e Embriogênese: Video Imperdível!

quarta-feira, janeiro 4th, 2017

xxxx

https://www.youtube.com/watch?v=iZGjgJIn3FE

Alexis Carrel Diz que essa Civilização Indesejada foi Construída pela Ciência. A Matrix/DNA Discorda

sexta-feira, dezembro 30th, 2016

xxxx

O texto copiado abaixo, do grande filósofo Alexis Carrel, me deixou desconfortavel, pois me parece fora de foco. Vamos ao texto e depois `a nossa opinião:

Alexis Carrel

França
28 Jun 1873 // 5 Nov 1944
Cirurgião/Fisiologista/Biólogo

Civilização Construída ao Acaso

A civilização moderna encontra-se em má posição porque não nos convém. Foi construída sem conhecimento da nossa verdadeira natureza. Deve-se ao capricho das descobertas científicas, do apetite dos homens, das suas ilusões, das suas teorias e dos seus desejos. Apesar de ter sido edificada por nós, não foi feita à nossa medida.
Na verdade, é evidente que a ciência não seguiu nenhum plano. Desenvolveu-se ao acaso, com o nascimento de alguns homens de génio, a forma do seu espírito e o caminho que tomou a sua curiosidade. Não se inspirou de modo nenhum no desejo de melhorar o estado dos seres humanos. As descobertas produziram-se ao sabor da intuição dos cientistas e das circunstâncias mais ou menos fortuitas das suas carreiras.
Se Galileu, Newton ou Lavoisier tivessem aplicado os poderes do seu espírito ao estudo do corpo e da consciência, talvez o nosso mundo fosse diferente do que é hoje. Os cientistas ignoram para onde vão. São guiados pelo acaso, por raciocínios subtis, por uma espécie de clarividência. Cada um deles é um mundo à parte, governado pelas suas próprias leis. De tempos a tempos, certas coisas, obscuras para os outros, tornam-se claras para eles. Em geral, as descobertas são feitas sem nenhuma revisão das consequências. Mas a forma da nossa civilização resultou dessas consequências.Alexis Carrel, in ‘O Homem esse Desconhecido’

xxxx
E a sugestão que extraio vendo o mundo pela perspectiva da Matrix/DNA:
Primeiro, existem muitas evidências para que as grandes descobertas científicas nao tenham sido produtos do acaso. Para a maioria delas existem relatos de acontecimentos paralelos em várias partes do globo em que outras pessoas estavam buscando na mesma direcao. Por exemplo, eu descobri a (teoria da…) formula da Matrix/DNA na selva, por volta de 1980. Sem publicá-la em lugar algum ( apenas registrando os direitos autorais no Brasil em 1990 e nos USA em 2000), dois irmãos estavam pesquisando e planejando o filme Matrix. E nesse tempo surgiram teorias relacionadas a uma matriz universal em vários paises, basta ver quantos websites existem no Internet. Pode-se notar facilmente que nenhum autor conhecia as teorias dos outros.
Mas assim foi com Einstein e a Luz, com Darwin e a Evolução, etc. Até o avião, surgiu quase ao mesmo tempo com Santos Dumont na França e com os dois irmãos nos USA. Portanto a teoria de que existe uma especie de inconsciente coletivo que conduz os cérebros `a evolução simultânea, ou que o cérebro humano sempre vai alcançar novos conhecimentos `a medida que sua configuração neuronal vai se complexificando – e isto em termos de população e nao de indivíduos isolados – não pode ser descartada.
Segundo, a Ciencia nao constroi civilizacoes. Quem constrói civilizações sao humanos, usando ou nao a seu bel prazer os conhecimentos científicos e suas tecnologias `a disposição.  E nestes humanos que construiram civilizacoes existiu uma carga genética herdada dos ancestrais animais. Os animais nao construíram as regras sociais, de poder, nas selvas ou desertos, mas assimilaram o que a Natureza tinha construído. E tanto na selva, como nos ares e nos mares, vemos a divisão social em três classes, determinadas pela força bruta dos agentes sociais: a) os grandes predadores; b) os medios predadores; c) as presas. Ora, todas as civilizacoes humanas, desde o escambo ao feudalismo ao comunismo ao capitalismo como a civilização moderna imita o mesmo figurino. Todas sao divididas entre a classe alta dos aristocratas, a classe média, e a classe dos pobres, C. Nossa civilização moderna esta assim nao por acaso, ela foi determinada assim pela Natureza.
Se ela está indesejada, nao nos convém, e’ porque ou somos da classe media ou da classe C. Claro, para os aristocratas ela esta otima. Mas se ate os animais, o ambiente produzia os seres vivos, com o emergir do homem, este passou a produzir o meio-ambiente. As selvas deram lugar a cidades, fazendas. A seguir, este novo ambiente produzido pelo homem das primeiras gerações, produziu os humanos das gerações seguintes. Enfim, o ambiente produz o homem que produz o ambiente que produz o homem…
Ora, quando o homem produziu seu ambiente poderíamos dizer que agora as civilizações não sao mais determinadas pela Natureza e sim construídas pelo homem. Mas foi a ciência que produziu esta civilização? Nao. As tribos começaram  serem formadas com usos e costumes que se tornaram regras mas ditadas pelos humanos mais fortes atraves de uma criacao muito sutil, gerada pela evolução do cérebro: a cultura. Sentados a beira do fogo para conversarem, era o mais forte que falava mais alto e falava mais e ninguém ousava contrariá-lo, como hoje ninguém contraria o chefe numa reunião no trabalho. O mais forte interpretou o mundo a sua maneira, de forma que lhe era conveniente para manter e melhorar sua condição de vida, inventou deuses fortes a sua imagem e semelhança, e o resultado hoje observável e’ que ele conservou, imitou autenticamente o mesmo sistema da selva. Porque? Porque ele tinha em si a carga genetica tendente ao instinto de predador, inclusive, em relacao a sua própria espécie. Então, voltamos ao início, ficando com a impressão que a natureza – que criou essa garga genetica – continua determinando os modelos de civilizacao.
Se o grande predador utilizou e aplicou as benesse de poder oferecidas pelas ciências, foi simplesmente por causa da força bruta, de seu poder, pois tudo o que e’ produzido pela humanidade e’ abocanhado por ele.
Esta tragédia foi um mal necessário. Imaginemos que is humanos que nascem com o instinto para se conformarem como presa, com a ajuda do novo intelecto, observassem que sua união pode desbancar a aristocracia. E que realmente a desbancassem e assim teriam o poder sobre as ciências e seus produtos. Ao invés da civilização moderna fazer o que está fazendo, continuando a ser progressista por causa das descobertas cientificas e suas tecnologias, ela estaria caminhando para se assentar de uma maneira auto-sustentável e continuar a conservar este estado eternamente… enquanto as mudanças do planeta nao a dizimasse. Pois os predadores continuam o progresso porque eles sao insaciáveis, em termos de territórios e quantidades de ovelhas em seus territórios, em termos de luxúria no descanso, etc. E a grande massa de presas tende ao equilibrio eterno, portanto, os avancos das ciencias seriam interrompidas e combatidas, quando se conseguisse instalar uma civilização no modelo do ” Admiravel Mundo Novo”, de Huxley.
Nossa civilização moderna – desculpe senhor Carrel – nao e’ produto do acaso e nem da ciência, mas sim da Natureza. Se a Natureza e’ produto do acaso, isto ninguém pode saber por enquanto…

Genes Salteadores Liquidam Óvulos e Diminuem a Fertilidade

domingo, dezembro 25th, 2016

xxxx

Este artigo exprime um processo natural importante além de trazer novas importantes informações, tais como transposons, os genes salteadores. A cópia de um segmento do DNA pode ser comparada a uma pilha de folhas de um livro que inserimos numa maquina copiadora. A máquina tem que produzir as cópias na sequência certa para que se possa ler e entender o material. Se a maquina nao tiver este controle, folhas podem saltar de uma posição para outra, tornando quase impossível ler o material. isto e’ o que fazem os genes salteadores, pulando para diferentes posicoes e atrapalhando a reprodução do DNA, células e ate’ a reproducao de seres vivos que podem nascerem defeituosos.

Estes genes sao responsáveis pela liquidação de grande parte dos óvulos produzidos no nascer da fêmea. Se eles aumentarem muito e atuarem livremente, a femea pode ficar esteril. Porém, por outro lado, grande quantidade de óvulos aumenta a possibilidade de ovulos defeituosos serem escolhidos numa reproducao, rsultando em seres defeituosos. Os genes salteadores eliminam muitos destes ovulos defeituosos. Então, suspeita-se que eles na verdade seriam uma bênção dissimulada.

Observando o processo pela ótica da fórmula da Matrix/DNA, parece-me que tudo isso ocorre devido ao decaimento pela entropia na face esquerda da matrix.

Copio o artigo para traduzi-lo quando tempo tiver.

 

Fertility: Sacrificing eggs for the greater good

http://medicalxpress.com/news/2014-05-fertility-sacrificing-eggs-greater-good.html

Medical Press – May 29, 2014

A woman’s supply of eggs is a precious commodity because only a few hundred mature eggs can be produced throughout her lifetime and each must be as free as possible from genetic damage. Part of egg production involves a winnowing of the egg supply during fetal development, childhood and into adulthood down from a large starting pool. New research by Carnegie’s Alex Bortvin and postdoctoral fellow Safia Malki have gained new insights into the earliest stages of egg selection, which may have broad implications for women’s health and fertility. The work is reported in the early on-line edition of Developmental Cell.

Bortvin’s team discovered that the fetal egg die-off is connected to segments of the egg’s DNA known as transposable elements or “jumping genes.” As developing eggs gain the ability to guide embryo development, transposons gain the ability to start moving. These ancient virus-like genes begin to leapfrog around the egg’s DNA, thereby producing new mutations, just as transposon movement causes color mutations in ears of corn. A transposable element named LINE1 is the most likely to become activated in mammalian eggs.

Jumping genes can be particularly destructive in sperm and eggs, since much of their is an essential part of the recipe for developing a healthy baby. Think of the genome of an egg or sperm as a stack of papers being photocopied. In order to be read and understood, they have to come out of the copier in the same order they went into it. But jumping genes are like pages that insert themselves at random into the stack, making the reading process difficult or even impossible.

Prior studies by Bortvin and others showed that male germ cells quash the movement of transposons, minimizing mutations and ensuring high levels of sperm production. In contrast, Bortvin and Malki discovered that female mice allow transposon movement to take place, but then get rid off immature eggs harboring the highest number of mutations before the female mouse is even born. The team proposes that this purging process allows for the selective survival of immature eggs whose genetic material has acquired relatively few new mutations.

Bortvin’s group also discovered that the process of immature egg purging must be finely balanced. Overly stringent surveillance could result in excessive egg purging, too few surviving eggs, and premature loss of fertility. Surveillance that is not stringent enough, on the other hand, would allow eggs with a lot of jumping gene-related errors to survive, and lead to a high level of birth defects, such as those caused by an incorrect number of chromosomes in the offspring.

“Our findings suggest that the ovary of a newborn girl already contains both ‘good’ eggs and those destined to give rise to Down syndrome or miscarriages,” Bortvin said. “Further study may show that these ‘good’ cells are ovulated first and the abnormal ones usually come later.”

Importantly, Bortvin and Malki discovered that a drug AZT, which inhibits multiplication of AIDS-causing HIV virus in humans, also alters jumping gene activity in immature eggs. In particular, it is effective against LINE1 transposons. This discovery raises the possibility that the number and quality of immature eggs might be enhanced by drug treatment.

Finally, Bortvin and Malki’s work raises the question of whether this immature egg purge is actually a blessing in disguise. Despite their destructive power, are also the source of serendipitous genetic novelty that can make species stronger and better suited for survival over time. By allowing just the right amount of beneficial -generated genetic variation, female mammals are giving their offspring and species the best chance of thriving in an uncertain, dangerous world

SPLICING – ÍNTRONS E ÉXONS: Pesquisar isto

segunda-feira, outubro 24th, 2016

xxx

Basta uma rápida olhadela no assunto para se entender porque os cientistas dizem que este e’ um processo de incrível complexidade. E a explicação geral que encontrei baseado na formula da Matrix/DNA e’ bem diferente da vaga explicação fornecida pela ciência acadêmica. Resumindo o que entendi, numa sequencia de DNA que forma um gene, tem trechos de aminoacidos que nada expressam: são os introns. E quando este gene forma um RNAm para manda-lo ao ribossomo para este confeccionar uma proteína, os introns são copiados tambem neste RNA. Mas os introns não poderiam ser mandados para transcrição pois produziriam proteínas defeituosas ou inuteis. Então o RNAm contendo os introns e’ chamado de pre-RNA pois ele vai ser modificado ainda dentro do nucleo celular. Esta modificação e’ o splicing, processo pelo qual os introns são retirados do RNA, ficando so os trechos de exons, os quais são necessarios e suficientes para produzir a proteina desejada.

Então porque existem estes introns, se nada produzem e aoarentemente so’ atrapalham? Porque não foram descartados pela evolução? Devido a estas questoes, durante um bom tempo as ciencias academicas denominaram estes trechos de introns como “DNA-lixo”. Mas depois do Projeto Proteosome e outras descobertas, este conceito de lixo foi abalado e agora surge uma nova teoria: a de que os introns são necessários para sinalizar longínquos processos dentro dos genes em outras operações.

Mas agora vamos traduzir isto para a linguagem da Matrix/DNA.

Pelo que conclui na primeira vez que tive contacto com este fenomeno, `a primeira vista, introns representam formas temporarias de um corpo evoluindo sob o ciclo vital. Mas porque certas formas não podem ser expressadas numa proteína, se as proteínas representam as sequencias de formas de um trecho do circuito sistêmico, ou seja, do ciclo vital? Segundo a Matrix/DNA, a funcao existencial das proteinas e’ reproduzir o circuito esferico da formula, com todos seus elementos. Pense no rolo de fita de um filme contando uma historia completa da sua vida. Agora corte esta fita em pedacos. Pois cada proteina representa um pedaco da historia vital de um corpo. E neste caso dos introns, e’ como se a proteina que representa o trecho entre a idade de 10 anos,3 meses, 2 dias,18 horas, 24 segundos ate’ a idade de 14 anos, 6 meses… não quer ou não pode conter a forma do corpo na idade de 12 anos, 5 meses, 18 dias. E isto não fazia sentido.

Mas existem muitos introns, na verdade, eles existem alternados com exons ao longo do DNA. E’ como se um individuo quisesse apagar, esconder, certos momentos de sua vida quando fez coisas erradas. Mas isto so e’ possivel imaginariamente, não fisicamente de fato.

A não ser que o DNA humano seja composto por uma superposição de genes. Genes de outras especies, ou ao menos da especie ancestral, continuariam registrados no DNA, tentando agir ou se expressar no mesmo instante que os genes da especie humana.

Ora, mas o DNA humano ‘e 99% igual do ancestral chimpanzé. Então ele seria 99% de introns? Não e’.

Pode ser que todos os genes humanos herdados dos chimpanzés sejam necessários na embriogênese, para formar o corpo, mas depois de formado, o corpo humano se diferencia, e apenas expressa os genes que causam essa diferença. Então nesta fase seria necessário eliminar os aminoacidos de genes herdados, que não mais contribuem para as novas proteínas humanas.

Ainda assim fica esquisito. Parece que no DNA humano existem dois ciclos vitais ao menos, superpostos: o do humano e o da especie anterior. A coisa seria similar a superposição quântica. Se assim for, o processo do splicing também deve estar ocorrendo nos processos quanticos, mas ainda não foi observado. Indagar a um cientista quântico se isto sera’ possível…

Na época dessa investigação, fui anotando tudo o que era relacionado ao fenômeno. Como…

– Preciso lembrar tambem, que a forma dos “laços” ou introns se assemelham aos laços no gráfico do ” Universo de Mil Faces”, o que veio do gráfico da subida da escada onde os laços seriam os “escorregões”. Estes acontecem quando a evolução descarta a forma mais evoluída e acomodada que esta no topo para retornar ao passado buscando uma especie mais simples que seja acessível `a evolução. Seriam os introns, os escorregões do tempo?

– Notar o que diz a cientista no video abaixo: Splicing e’ a razão do porque nos podemos ter o mesmo numero de genes em nosso genoma que a mosca Drosophila, e ainda assim ser-mos mais complexos. E isto é porque nos fazemos o splicing em modos ou maneiras alternativas, e portanto, obtendo o máximo de nossos genes, fazendo múltiplos produtos de cada gene.”

E isto de novo cheira a superposição.

Porem, então lembrei-me de outro artigo antigo onde lidei com o fenômeno do DNA lixo. Alem disso uma frase lida não sei onde ficou batendo na minha cabeça: o spliceosome – a maquina molecular que executa o splicing – nada mais e’ que um catalítico. Ou seja, ele acelera ou desacelera uma reação química, dependendo da situação, assim como você acelera oi freia seu carro. E esta propriedade esta relacionada a velocidade a qual esta relacionada a dimensão tempo, e não espaço. Então,.. como as formas temporárias de um corpo se referem a dimensão espaço, caia a ideia de que os genes estariam escondendo fases formais, concretas da vida. Mas pareceu-me agora que eles estavam escondendo tempos da vida. E a explicação baseada na formula da Matrix/DNA que mais me convenceu foi esta:

O ser humano tem uma vida de 80 anos. Mas o seu DNA registra a historia de todos seus ancestrais, e entre estes estão os átomos e galaxias. Uma galaxia pode atingir 10 bilhoes de anos. Como o DNA lida com essa diferença de tempo de vida das criaturas? Ele nao pode demorar bilhoes de anos para formar um corpo humano como ele demorou para formar uma galaxia. Simples: inventa-se os introns!

Introns sao trechos com aminoacidos repetidos `a exaustao. AGAGAGAH… por isso nada codificam biologicamente. Mas codificaram astronomicamente.

E’ preciso entender o que significa “tempo” sob a perspectiva da formula da Matrix/DNA. Tempo mao e’ uma essencia de per se, ele nao tem uma substancia propria como tem o espaco. Tempo ‘e mais um conceito criado pela imaginacao humana porque precisava-se uma ordem cronologica para se registrar os eventos. Enquanto os aborigenes da America ficaram 500 anos sem mudarem quase nada, na Europa se inventava o canhao, descobria-se a penicilina, construia-se cidades. Na Europa o tempo avancava, na selva americana o tempo havia parado. Mas ao se contar a historia geral da Humanidade, e’ preciso que a historia dos aborigenes se entenda que quase nada avancou em 500, mas na Europa aconteceram coisas que se nao contadas nao se entende o final. Entao, quando se separam as duas historias, na historia dos aborigenes, os humanos colocam numeros ( 1340,1341,1342,etc.) para informar que estao se passando 500 anos, ou melhor, que enquanto isso o mundo estava evoluindo em outro lugar. A Natureza tem apenas um rolo de filme para contar a historia universal geral. O processo da embriogenese de uma galaxia e’ o mesmo da embriogenese de um ser humano. Como manter a historia das galaxias registradas no DNA humano? Para informar que durante 9 meses humanos se passam bilhões de anos galácticos, entre um evento e outro do processo ela insere, aos invés de números, os aminoacidos e repete-os quanto for necessário: agagagagag…. Por isso parece aos cientistas que os introns controlam os momentos de outros genes entrarem em operação.

Mas depois que a embriogênese humana aconteceu, a formula sera repetida milhões de vezes acada segundo para realizar as inúmeras tarefas microscópicas a nível celular onde as velocidades – em relacao a velocidade da formação e processos da galaxia – seriam supersônicas. E quem faz a formula ser repetida são as proteínas. Então tem que cortar fora delas o  tempo na perspectiva astronômica. Tem-se que acelerar os processos, as reações químicas. E isto chama-se catalise. Por isso a frase ” o spliceosome e’ um catalítico” me caiu como um raio na cabeça. ( E alias, este foi mais um exemplo de “seremdipity” assunto do qual trata a cientista no video abaixo)

 

SPLICING – ÍNTRONS E ÉXONS

Gene.png

O Splicing é um processo que remove os íntrons e junta os éxons depois da transcrição do RNA. O splicing só ocorre em células eucarióticas, já que o DNA das células procarióticas não possui íntrons. A estrutura fundamental para clivar essas ligações entre os nucleotídeos é o spliceossomo. Ele consiste na retirada dos íntrons de um mRNA precursor, sendo um dos processos necessários para formar um mRNA maduro funcional.

O spliceossomo é uma estrutura com atividade catalítica responsável pela execução do splicing. É um complexo formado por 5 espécies de RNA e mais 50 proteínas. ribonucleoproteínas (de maneira similar ao ribossomo) que são proteínas ligadas a moléculas de RNA do tipo snRNA (pequeno RNA nuclear). É a máquina de excisão. Essa monstruosa parafernália reconhece início e fim dos íntrons, depois os unem, formando uma alça que então é cortada.

Assistindo o video da descobridora do splicing, no Youtube:

Joan Steitz (Yale/HHMI): SNURPs and Serendipity

(snRNPs (pronounced “snurps”), or small nuclear ribonucleo proteins, are RNA-protein complexes that combine with unmodified pre-mRNA and various other proteins to form a spliceosome, a large RNA-protein molecular complex upon which splicing of pre-mRNA occurs. The action of snRNPs is essential to the removal of introns from pre-mRNA,…)

Meu post no Youtube:

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli   Out/25/2016

Unbelievable the extreme complexity of this process, the extraordinary natural engineer. Hundreds of natural forces and elements, in shape of different molecules, coming from all directions, meet at the same point in time and space for to build a spliceosome and operation of its machinery.
But, at Matrix/DNA Theory, its formulas and models are suggesting a different existential meaning of this process. Accordingly to Matrix/DNA what are introns? They are the larger time of an event occurred at our ancestrals in relation to the short time of the same event occurred at humans bodies. This galaxy is our ancestor also. The embryogenesis of a galaxy is equal the embryogenesis of a human being. One big difference is the time in astronomical dimension and in biological dimension. But, both times are registered at the universal Matrix/DNA.
Then, how Nature solves the problem of a DNA that register both histories? Creating the introns where the larger and now unused time is registered as a repetition of aminoacids: AGAGAGAGA… That’s explains what is the spliceosome: merely a catalytic. It works the times of chemical reactions. (see my long thesis at my website, if you are interested)

xxxx

Pesquisa:

Rever o texto ( – Notar o que diz a cientista no video abaixo: Splicing e’ a razão do porque nos podemos ter o mesmo numero de genes em nosso genoma que a mosca Drosophila, e ainda assim ser-mos mais complexos. E isto é porque nos fazemos o splicing em modos ou maneiras alternativas, e portanto, obtendo o máximo de nossos genes, fazendo múltiplos produtos de cada gene.”)… pois isto não esta batendo com a sugestão da Matrix. Ver de novo como ocorre o splicing de maneiras alternativas…

Superposicao Quantica Desdobra-se nas Fases do Ciclo Vital?

terça-feira, outubro 18th, 2016

xxxx

O ultimo artigo aqui – sobre maos humanas  fala em superposicao de genes evoluindo para a separacao dos genes em ordem cronologica como no ciclo vital. Ha muito venho suspeitando que a superposicao quantica seria todas as diferentes formas de um corpo acontecendo  num so momento sob a perspectiva humana do tempo microscopico. Expliquei a incerteza de Heisenberg com essa teoria. E agora surge a possibilidade de que a enorme bagnca de formas monstriuisas nas origens da vida foi devido a superposicao de fotons, a qual foi repetida inicialmente pelos genes…..

Preciso desenvolver esta tese.