Archive for the ‘Evidências da Matrix/DNA’ Category

Ciclo Vital das Células: Oscilação do Núcleo

segunda-feira, setembro 11th, 2017

xxxx

http://www.alphr.com/science/1006968/internal-clock-is-discovered-in-a-living-human-cell

Internal clock is discovered in a living human cell

Sugestao da Matrix/DNA = Ele é produzido pelo circular de informação no circuito. Tal como acontece com uma onda de luz (a qual é a primeira ocorrência deste fenômeno no universo e desde o qual o fenômeno é repetido em todos os sistemas naturais), a vibração ou intensidade dos flashes cintilantes começa forte, na maior intensidade do circuito, e continua forte em crescente ate a F4, quando começa a decair porque começa a entropia.)

Matrix/DNA suggestion – It is produced by the flux of information in the circuit. As it happens with a light wave (which is the first occurrence of this phenomena in the Universe and from which the phenomena is repeated at natural systems), the vibration or intensity of the scintillating flashes starts strong at the highest intensity of the circuit and continues strong in increasing to the F4, when it begins to decay because entropy begins.)

The discovery may give insights into how and when diseases start – 11 Sep 2017

Cells dramatically change their shape and size during a lifetime. But this is the first time the changes have been seen over short time periods.

O ritmo da  cintilacao num  precise point of a cell in its life cycle…. During the lifetime of the cell, the amount the cell changes in shape during these ‘flickers’ also gets smaller. This means measuring the fluctuations can give away the age of the cell.

“However, with this discovery, which shows that the nucleus exhibits rapid fluctuations that decrease during the life cycle of the cell, we can enhance our knowledge of both healthy and diseased human cells.”

the nucleus of the living cells, and saw a part of it, known as the nuclear envelope, flickering over a period of a few seconds. 

(Este mecanismo de oscilacao do nucleo das celululas foi projetado nos organismos? De que forma os corpos de organismos sinalizariam estas pulsacoes?)

“This process can serve as an internal clock of the cell, telling you at what stage in the cell cycle the cell is,”

“We know that structural and functional errors of the nuclear envelope lead to a large number of developmental and inherited disorders, such as cardiomyopathy, muscular dystrophy, and cancer,” she said. “Illuminating the mechanics of nuclear shape fluctuations might contribute to efforts to understand the nuclear envelope in health and disease.”

xxxx

A proposito, eu postei esta resposta num debate:

God of War – Q1. what are the type of mathematical equations that describe the growth of organisms?

Matrix/DNA : – Lol, good! I am just coming back from reading the best scientific news today, it is related to “grow of organisms”, which is related to life’s cycles and here you have a little idea how the knowledge of Matrix/DNA models and formula works in parallel with official science and offers different interpretation for natural phenomena. The news is in the link:
http://www.alphr.com/science/1006968/internal-clock-is-discovered-in-a-living-human-cell
Please, read the article and come back to this post….
I never knew that cells’ nucleus are flickering. But, missing this knowledge was my fault, because my formula predicted it 30 years ago. My fault is due no enough time for analyzing all predictions from the formula, which must be millions. So, look what Matrix/DNA says now:
” This internal clock is produced by the flux of information in the systemic circuit. As it happens with a light wave (which is the first occurrence of this phenomena in the Universe and from which the phenomena is repeated at natural systems like cells), the vibration or intensity of the scintillating flashes starts strong at the highest intensity of the circuit and continues strong in increasing to the F4, when it begins to decay because entropy begins. It is merely the life’s cycle pathway.”
Since you don’t know how to analyzing the formula, I think you will not understand this says from Matrix/DNA, but my long time doing it ( 30 years), I am very practical doing it.
Where and when the researchers would have this interpretation, linking a reductive detail of a phenomena to the whole Cosmos, linking it with the first waves of light emitted at the Big Bang? When they will linking thermodynamics like entropy to this phenomena for having new glimpses how to control it and finding ways for avoiding the diseases they are looking for? That’s why I am here alerting that the current scientific method and scientists world view must be amplified for inserting the systemic method upon the reductive method, and how is the new kind of lab we are in needs just now.
Organisms grow and decay are very well represented by Matrix/DNA formula, which is not showed as mathematical equation but by software’s diagram because the dynamics of life are based on codes, genetics codes, and computational codes are not writing with mathematical equations. Now I will take my beer in commemoration of more one victory of my theory… Cheers…

Biofotons:

quinta-feira, setembro 7th, 2017

xxxx

Cientistas detectam biofotons movendo-se no cérebro, justo como previu a Matrix/DNA Theory a 30 anos atras. Explico algo no comentário copiado abaixo ( artigo traduzido por “O Universo Racionalista” e a fonte com link abaixo do Arxiv/Org.) :

https://universoracionalista.org/existem-canais-de-comunicacao-optica-em-nossos-cerebros/?utm_medium=botao&utm_source=ur&utm_campaign=onesignal

Existem canais de comunicação óptica em nossos cérebros?

xxxx

Referência: arxiv.org/abs/1708.08887“Are There Optical Communication Channels in the Brain?”

xxxx

Meu comentario postado no artigo:

Louis C. Morelli – 9/7/2017
 Grato pela importante informação. Apenas não compreendo porque o artigo insiste na ideia de que o cérebro “produza” os fótons. E porque não “absorve e move fótons”? Que moléculas excitadas liberem fótons não quer dizer que elas os produzem. Não sei a quanto tempo os cientistas observaram biofotons no cérebro, porem os meus modelos e formulas na Teoria da Matrix/DNA sugeriu justo isso a 30 anos atras. Depois de descobrir que existe um modelo teórico deste sistema astronomico cujos building blocks são exatamente similares ao building block do DNA, fiquei procurando um mecanismo que teria trazido `a superfície do planeta as informações astronômicas para iniciar abiogêneses. O mecanismo da genética preencheu os requisitos e o melhor candidato por ter trazido estas informações eram os fótons ( a transmissão se daria pela luz estelar, radiação cósmica, etc.). Então na época ao registrar os copyrights da teoria escrevi denominando estes fótons de genes semi-vivos, ou biogêneses, como ancestrais não-biológicos dos nossos genes. Em algum outro lugar cientistas estavam pensando em biofotons… e eu não sabia disso?

Mas minhas formulas sugerem que estes fótons criam seus próprios canais de inter-comunicação formando uma network que subjaz os flashes das sinapses… portanto, não necessitaria de canais de fibras óticas.

Sinapses: Exemplo de prévios design?

quarta-feira, setembro 6th, 2017

xxxxx

Quando a NASA publicou a foto mais profunda do Universo, muita gente confundiu-a com a imagem do interior do cérebro, pois são quase iguais. E alguns disseram: ” O Universo parece um cérebro!”. O que diriam agora estas pessoas se soubessem o que acabo de descobrir, que as sinapses entre neurônios são evoluções de interações entre astros celestes? Talvez diriam: ” Parece que o Universo também pensa!”

Como a Natureza inventou esta extraordinária engenharia que são as sinapses, devido `as quais nos podemos pensar? As sinapses neuroniais são a base da mente, da consciência. Então a consciência existe como mero produto do acaso, ou existe um Universo tunelado para produzir consciência, a qual já estaria programada a acontecer desde antes do Big Bang?

Agora – quando pesquisadores procuram conhecer as origens e evolução das sinapses – descobrimos que as esponjas, que ainda não tinham nem sequer um sistema nervoso, já tinham os genes ( ou seja, as informações), que mais tarde vieram ser os genes das sinapses (veja links e o texto abaixo). Como a acadêmica visão de mundo explicou isto? Que aqueles genes deveriam estar produzindo outra coisa ( a qual não sabem qual seria), e na evolução foram selecionados quando sua função ficou obsoleta e passaram a executar outra, ou sofreram alguma mutação por acaso. Sim, se os genes estavam la’ é porque estavam com alguma função, pois o DNA não contem genes sem função. E’ possível que a teoria acadêmica esteja correta, e se sim, o sistema nervoso teria surgido por puro acaso, tudo teria começado quando um gene sofreu uma mutação por erro de transcrição e ao invés de fazer sua função passou a fazer outra, a qual justamente iria criar a nossa capacidade de pensar… segundo a teoria acadêmica. Ou não, pois ainda tem gente que não evoluiu mais que o inexistente cérebro das esponjas, pois não param para pensar…

SpongeColorCorrect.jpg

Esponjas (poríferas)

Mas existe outra teoria que acho mais racional ( a qual, segundo a teoria acadêmica, surgiu no meu cérebro por mais uma mutação ao acaso). Para todas as questões sobre qualquer fenômeno e eventos naturais ela tem uma explicação extraída de seus modelos e formulas. Então vamos consultar estes modelos perguntando:

“Existia algum mecanismo/processo no ancestral sistema astronomico onde uma peça tinha a função de ejectar informação, como é o mecanismo dos neurônios ejetando informações pelas sinapses?”

E a resposta da Matrix/DNA é: ” Sim: a F1 e a F4, ejectavam corpos que eram informações para construir as peças e reproduzir o sistema. Portanto, o fenômeno que hoje denominamos de “sinapses” é mera continuidade evolutiva de um especifico mecanismo dos sistemas naturais, dentro da evolução universal. Como pode ser visto nestas representações da formula:

The MatrixDNA as Closed System

The MatrixDNA as Closed System

O Ultimo Ancestral Não-Vivo e Inanimado

O Ultimo Ancestral Não-Vivo e Inanimado

A Matrix/DNA sugere que sistemas são produtos da evolução cosmológica e elabora modelos dos mais complexos sistemas astronômicos sugerindo similar. Então ela indica que idades com sistemas biológicos.  Então ela sugere nestes modelos que já existiam mecanismos, processos, fazendo estas funções de emitir objetos como sinais carregando informações de uma peça para outra. Ora, se isto for correto, os genes com estas informações tinham que ter sido inseridos nos primeiros sistemas biológicos que eram ainda protótipos, ensaios, do que viria a ser a reprodução final do sistema ancestral. “Afinal – conjectura a teoria – babys não tem bigodes porem os genes para produzi-los estão la’ desde a fecundação.”

Então, segundo a Matrix/DNA, para a qual este Universo ‘e como a placenta dentro da qual esta’ sendo gerado um embrião na forma de sistema universal auto-consciente, num mero caso de reprodução genética, a presença da consciência aqui já estava programada antes do Big Bang.

Informações em:

https://www.hindawi.com/journals/aai/2010/845723/

Constraints of Biological Neural Networks and Their Consideration in AI Applications

” …  While the functional evolutionary origins of synapses are unclear, recent studies have demonstrated that the genes required to produce proteins necessary for synaptic transmission are found in the genomes of sponges, which lack nervous systems [7]. Therefore, it is probable that synaptic transmission has its origins in exploiting proteins produced for another purpose. While synaptic processing is responsible for the successful functioning of animal nervous systems, it is developed from evolutionary modification of a “best available” solution, and in some cases may be constrained by the slow transmission rates of the process.”

A Post-Synaptic Scaffold at the Origin of the Animal Kingdom

http://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0000506

“Highly conserved protein interaction motifs and co-expression in sponges of multiple proteins whose homologs interact in eumetazoan synapses indicate that a complex protein scaffold was present at the origin of animals, perhaps predating nervous systems. A relatively small number of crucial innovations to this pre-existing structure may represent the founding changes that led to a post-synaptic element”. …. The core potential for evolving synapses in sponges may extend to other types of junctions. As metazoan cell types emerged, both orthologs and paralogs of the genes found here became components of junctions other than synapses as well. Therefore, the set of protosynaptic genes (as well as other genes) might be viewed not as prototypical with regard to synaptic junction evolution, but as a set of genes capable of giving rise to a diversity of junctions.

Wikipedia: Sponges

” Sponges contain genes very similar to those that contain the “recipe” for the post-synaptic density, an important signal-receiving structure in the neurons of all other animals. However, in sponges these genes are only activated in “flask cells” that appear only in larvae and may provide some sensory capability while the larvae are swimming. This raises questions about whether flask cells represent the predecessors of true neurons or are evidence that sponges’ ancestors had true neurons but lost them as they adapted to a sessile lifestyle.”

(neurônios,sinapses,cérebro)

Nucleosome: Componente do DNA a Pesquisar – DNA como um sistema social

terça-feira, setembro 5th, 2017

xxxx

Devido a uma mensao no video copiado num artigo aqui (genetics,epigenetics and diseases) de que o nucleosome e’ a unidade fundamental do DNA, ( enquanto a minha formula diz que a unidade e’ outra coisa) tive que fazer a pesquisa e

percebi que tenho que pesquisar o que e’ chamado de nucleosome pela Ciencia. A o mesmo tempo descobri alumas coisas importantes . por exemplo, na figura:

The crystal structure of the nucleosome core particle consisting of H2A , H2B , H3 and H4 core histones, and DNA. The view is from the top through the superhelical axis.

 

https://en.wikipedia.org/wiki/Nucleosome

Entao definem isto como: ” an octamer of histone proteins wraps DNA around itself in about 1.7 turns of a left-handed superhelix.”. E, …

The nucleosome core particle (shown in the figure) consists of about 146 bp of DNA[12] wrapped in 1.67 left-handed superhelical turns around the histone octamer, consisting of 2 copies each of the core histones H2AH2BH3, and H4. Adjacent nucleosomes are joined by a stretch of free DNA termed “linker DNA” (which varies from 10 – 80 bp in length depending on species and tissue type[19]).

Apoptotic DNA laddering. Digested chromatin is in the first lane; the second contains DNA standard to compare lengths.

Schema of nucleosome organization.[28]

The crystal structure of the nucleosome core particle (PDB1EQZ[10][11])

Nucleosome core particles are observed when chromatin in interphase is treated to cause the chromatin to unfold partially. The resulting image, via an electron microscope, is “beads on a string”. The string is the DNA, while each bead in the nucleosome is a core particle. The nucleosome core particle is composed of DNA and histone proteins

Ok. Aqui me vem uma intuicao. Note-se que as cinco proteinas (histones) se juntam e fazem com que uma tira de DNA se enrole em volta delas…!!! Porque e para que?

As cinco proteinas se organizam como as cinco funcoes da formula da Matrix. O DNA e’ entendido aqui como sendo uma longa sequencia de unidades fundamentais que sao sistemas em si mesmas, cada qual um sistema diferenciado dos outros, ao mesmo tempo que o sistema- modelo original e’ a formula. Entao porque e para que a formula se expressa e em seguida se aproxima ou puxa uma fita contendo copias diferenciadas de si mesma e veste-se com essa fita?!

Primeiro passo aqui, e’: existe alguma situacao semelhante que sirva de parametro? Vejamos…

Encontrei uma! Uma familia-modelo e’ composta por 7 individuos cada qual faixa etaria e exercendo uma funcao no sistema familiar. Acontece que em volta desta familia-modelo existem  muitas familias que sao copias diferenciadas do modelo padrao. Estes sistemas familiares em volta compoem o sistema social humano, o qual ‘e mera projecao do sistema familiar e do individuo humano.

Transladando isso para nosso problema do nucleosome, temos que”

A fita de DNA circundante representa um sistema social composto de inidades que estao no seu centro, ou seja, histones.

Porque uma familia humana se veste com um tecido confeccionado com outras familias humanas? Porque e’ imposicao natural, e’ a natureza sempre construindo novos sistemas mais complexos a partir de outros mais simples. Para que? Para sobreviver, ter melhor existencia e evoluir,… talvez tendo um objetivo, o qual pode ser um sistema finalizado, o qual pode ser mera reproducao da fonte que a produziu

Entao neste momento historico descobrimos mais um detalhe do DNA: ele e’ um sistema social ! 

Existe de imediato alguma utilidade pratica nesta descoberta? Ela nos faz rever a genetica e elucida algum misterio em outras partes dela? Por enquanto, nao vou procurar isso.

E temos um problema. O sistema social humano e’ um envoltorio de um sistema familiar humano porque a familia humana e’ a unidade fundamental do sistema social… Ou nao? A unidade fundamental seria o individuo? O problema e’ o mesmo que vejo no nucleosome. O sistema social DNA tem como unidade fundamental o conjunto de nuleotideos, que sao formados por bases nitrogenadas, ACGT, e nao por proteinas histoines. Isto se resolve se por-mos os nucleotideos como individuos e as histones como a familia. Acabou-se este problema.

 

Abelhas, sistema social e a formula da Matrix/DNA

segunda-feira, setembro 4th, 2017

xxxx

Incrivel como o sistema social das abelhas revela a formula da Mattrix/DNA. O fato do hive alimentar a que sera rainha com abundancia decorre da Funcao 7 quando fornece material em abubdancia para criar F1, que sera a rainha do sistema! Registrado aqui para entrar no capitulo relacionado do livro.

https://www.reddit.com/r/askscience/comments/6xvtf6/how_is_queen_bee_becoming_a_queen_bee_is_it/

How is queen bee becoming a queen bee ? Is it natural or is it acquired ? from askscience

[–]thatguybuster 15 pontos 

From Wikipedia :

“All bee larvae are fed some royal jelly for the first few days after hatching but only queen larvae are fed on it exclusively. As a result of the difference in diet, the queen will develop into a sexually mature female, unlike the worker bees. Queens are raised in specially constructed queen cells.”

Apparently there are already Queen larvae chosen from a previous queen from a hive.

xxxx

[–]natalieisnatty 14 pontos 

Any female bee can become a queen bee based on diet, so it is an acquired trait.

Extra information (aka me info-dumping on bees because I love them):

The way bee sexes work is that the queen can lay fertilized (two sets of chromosomes, one from her and one from a mate) and unfertilized (one set of chromosomes, only from the queen) eggs. The unfertilized eggs become male bees and the fertilized eggs become female bees.

The vast majority of fertilized eggs hatch into worker bees. They are female, but sterile and cannot usually produce eggs. However, if the worker bees decide that the hive is too crowded, or that their queen is sick, they will build a special place for her to lay an egg called the “queen cup.” It’s much larger than a normal honeycomb cell. She’ll lay a perfectly normal fertilized (female) egg in there and then forget about it. Then, once the egg hatches the worker bees feed it tons of food and royal jelly. The proteins in the royal jelly activate parts of the baby bee’s DNA that are normally suppressed, and she grows into a queen bee. She’s big, female, and fertile.

If the hive is too crowded, then the old queen bee will leave with a large portion of bees and start a new hive somewhere else before the young queen hatches. If the old queen is sick, then the worker bees will kill her before the young queen hatches. Queens never cohabitate.

Once the new queen emerges successfully, she’ll go on a “nuptial flight” where she meets drones and collects a lifetime supply of sperm. This takes a few days, and sometimes she gets eaten by a bird. This is the worst possible thing that can happen to her hive. Since they’re fresh out of eggs (from killing the old queen a few days ago) they can’t turn any new larvae into queens (a queen bee made in a normal cell, as opposed to a queen cup, is called an ‘emergency queen’). In this scenario, some worker bees will start laying eggs. However, since they’ve never mated, their eggs are unfertilized and hatch into drones. These drones fly off and (hopefully) propagate the hive’s DNA by mating with a queen. The rest of the hive dies :(

So, yeah! Royal jelly and lots of food is what makes a queen bee, not genetics. Royal jelly is a very complex mixture of protein and other molecules, so it’s hard to know exactly what part of it switches off the “worker genes” and turns on the “queen genes”.

xxxx

 

NASA publica video da Terra em que ela parece uma criatura viva, e respirando

quarta-feira, agosto 23rd, 2017

xxxx

Cada vez mais o intuitivo inconsciente dos funcionarios da NASA vem se aproximando da conclusao que eu cheguei a 30 anos atras publicando a Matrix/DNA Theory, na qual apresentei modelos teoricos de astronomia onde sistemas astronomicos apresentam propriedades biologicas, como os seres vivos. Agora, publicaram um video das simulacoes computacionais que eles calcularam sobre a Terra, e talvez tenham se surpreendidos como a logica ( no caso, computacional) so’ pode nos conduzir a esta conclusao. Pena que ainda quase nada se sabe do nucleo terrestre e a teoria academica sobre ele nao esta sendo modificada devido falta de dados, pois entao, a criatura quase viva seria melhor revelada. Pois segundo meus modelos, a Terra externa ‘e como um ovo carregando como nucleo o germe vivo de uma estrela.

Vale a pena ver o video e ja localizei os autores da musica usada pela NASA, que merece ser ouvida no link para o segundo video abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=zlqjz9OEhk0

Who are the authors of this beautiful music? Look here:

E meu comentario postado abaixo do video no Youtube:

Louis Charles Morelli  Louis Charles Morelli – 8/23/2017

So,… who says that life came from non-life? Or who needs magical gods for explaining life here? Earth is not a living creature as we understand “life”, but it is not non-life also. Any living being is a working system and Earth is not a system in itself, it is merely part of a system, called stellar system. System only comes from previous systems, there are no self-organizing systems. We can not making comparisons between systems as living beings with parts of systems, like Earth. So, is the stellar system, more “alive”? Has it all forces and elements for producing organic matter and biological systems? Where “life” came from? Thinking about this question, applying comparative anatomy between these systems, I elaborated Matrix/DNA Theory with the following explanation: No, a stellar system alone has no all forces and elements necessary for building biological systems, but a building block of galaxies has all forces, all elements, and the exactly anatomical configuration for reproducing itself – nannotechnologically – as the building blocks of DNA, a lateral base-pair of nucleotide. The evolution of these building blocks towards the fist cell system was due the new state of matter, water, and its production, organic chemistry. Earth alone, neither this stellar system are alive, but they are organs, or parts, of something half-alive… By the way, Earth, the Sun, this system and this galaxy are our ancestors like bacteria and monkeys are… ( this is merely, a theory, don’t forget it)

A luz ex-machine contendo o codigo para sistemas foi bombeada para o interior do tecido do espaco/tempo, ou seja, a materia escura?

segunda-feira, agosto 21st, 2017

xxxx

Desde que eu penso ter descoberto o código da vida e dos sistemas naturais no espectro da onda universal da luz emitida no Big Bang, e fiquei me perguntando como um código registrado na luz, em seus fótons, poderia ter-se tornado arquiteturas de matéria e energia, a resposta que tenho encontrado é da propagação destas ondas através da dark matter.

Agora me deparo com os dizeres de um cientista que esta bem perto de confirmar minhas conjecturas teóricas. Pois ele compara os efeitos de uma colisão entre dois buraco negros com o momento do Big Bang nas origens do Universo ( que fez parte da minha teoria neste particular da luz), e vai mais alem no seu acerto com minha teoria – pois ela oferece um modelo das origens das partículas fundamentais com duas espirais se fundindo.

Vejamos o link e o que ele diz:

TED Talks:

Allan Adams: What the discovery of gravitational waves means

https://www.ted.com/playlists/391/the_lights_and_sounds_of_the_u?utm_campaign=social&utm_medium=referral&utm_source=linkedin.com&utm_content=playlist&utm_term=science

” Ha’ 3 bilhoes de anos atras, numa distante galaxia, dois buracos negros prenderam-se numa espiral, caindo inexoravelmente um na direcao do outro, e colidiram, convertendo material suficiente para 3 sois em oura energia num decimo de segundo.

Durante aquele breve momento, o brilho foi mais intenso do que todas as estrelas, em todas as galaxias, em todo o conhecido universo. Foi mesmo um grande Big Bang.

Nao libertaram a energia em forma de luz – pois eles eram buracos negros – mas sim toda aquela energia foi bombeada para o interior do tecido espaco/tempo, fazendo com que o Universo explodisse em ondas gravitacionais.

Uma onda gravitacional e’ uma ondulacao na forma do espaco/tempo. `A medida que a onda passa, ela estica o espaco e tudo o que ha’ nele, numa direcao, e comprime-a na outra.”

Previsão da Matrix/DNA Confirmada com a descoberta da onda G no núcleo solar

domingo, agosto 6th, 2017

xxxx

Quando um povo esta’ meio perdido porque esta’ sendo testado pelas crises em suas crenças existenciais, suas interpretações do mundo natural e/ou espiritual, é o momento de grande oportunidade para a evolução provocar as mutações psíquicas ou mentais, no sentido de corrigir os erros e encaminhar este povo para os acertos. `A primeira vista este método da natureza parece desumano, covarde, pois se um ser vivo esta lutando em desespero pela sobrevivência material deveria-se ajuda-lo nessa luta imediata e não levar-lhe filosofias para o cérebro, pois isto o enfraqueceria na luta física real e poderia aniquila-lo. Mas temos observado nas muitas vezes em que a natureza é cruel com suas criaturas que ela parece entender que a tortura da carne não tem importância, talvez porque isso não fere fisicamente a consciência, que é o que realmente lhe importaria. De qualquer maneira o mecanismo sempre funcionou, desde as mutações cosmológicas em átomos e galaxias: um sistema que esta no topo da evolução se acomoda e interrompe sua evolução, a natureza ataca com a entropia que o leva a degeneração e morte, fragmenta-o em seus bits-informação, conduz estes bits a um novo ambiente, ali se confrontam competitiva e caoticamente, mas de dentro do caos eles vão se levantando como o fluxo da ordem e da harmonia que gera o novo sistema a ocupar o topo. Foi nessa mistura alucinante e sofrida do caos que a natureza inseriu novas informações através do ambiente que produziu as novas mutações necessárias.

Muitas nações estão em maior ou menor grau de crises agora, algumas em crise econômica, outras em crise pela insatisfação com o estado da vida, do trabalho, etc. Particularmente o Brasil esta numa crise de identidade e econômica de grande perturbação. O caos se agita, momento oportuno para a evolução universal, que de alguma forma deve inserir na mentalidade brasileira novas informações que produzira nova interpretação da natureza, da existência, uma nova visão do mundo, da qual surgira um novo estado de ordem passada a tormenta, mais sincronizada com a realidade universal.

Como e de onde vira’ as novas informações, quais serão elas. lembre-se que estas informações nada tem a ver com soluções econômicas ou politicas num primeiro plano. Elas são de ordem cosmovisionária, visando alterar operações e conexões entre neurônios do cérebro. Sao as alterações que depois conduzem o povo, inconscientemente, a solucionar os problemas atuais e se estabilizar num n ovo estado de ordem.

Não seria generoso por parte da natureza, por exemplo, focalizar os jovens da classe media que tem como supremo objetivo agora conseguir se instalar em escolas superiores ao mesmo tempo que tenha garantido um certo conforto financeiro, e lhes enviar um novo Jesus Cristo trazendo novas informações e pregando mensagens para a vida depois da morte. Eles estão precisando de um Barrabás, um novo líder forte que derrube os atuais poderosos e traga progresso econômico para eles. Mas a natureza vai fazer assim como fez com os desesperados judeus naquela época.

O que escrevi aqui até agora são conclusões baseadas em fatos reais observados, porem, este conjunto de fatos nos leva irresistivelmente a elaborar novas conclusões, ao que chamamos de teorias, portanto, o que vou expor agora são produtos da minha teoria. Na verdade ( sugere a minha teoria), a natureza bruta se constitui de uma longa avalancha, uma cadeia de causa e efeitos que avança misturando tudo, fazendo e destruindo e refazendo, sem qualquer rumo previsto por ela. Mas infiltrada no meio desta cadeia existe um principio que vem do alem da natureza universal, do antes do Big Bang e de algo alem deste universo percebido por nos. Este principio já produziu em outros planetas algumas formas de vida com consciência bem mais evoluídas que a humana, as quais descobrem o principio e seu objetivo, e então passam a ajuda-lo a progredir, assumindo-o e dirigindo-o a fazer suas transformações em seres de consciência menos evoluídas, como nos humanos. Mas eles não podem modificar o conjunto das forcas e elementos naturais, englobados no que chamamos de leis naturais, pois o proposito deste principio e’ que as consciências se construam por si próprias para serem depois totalmente livres, e isso implica que sejam mantidos certos livre-arbítrios destas criaturas. Eles devem pegar o principio e leva-lo as redondezas das criaturas, disponibilizando-lhes a ingestão ou não destas novas informações. Eles não podem enviarem Barrabás para modificar as estruturas sociais, e sim Cristos, Budas, para atuar a nível mental.

A função de Jesus foi tao sutil que talvez ninguém mais a tenha percebido ate’ hoje. E para inserir este Jesus em nosso meio, basta a consciências extraterrestres mais evoluídas, procurarem um embrião em formação que esteja morrendo antes de se formar, inserirem um software programado no seu DNA, e faze-lo reviver sob o domínio deste software.

A maior causa dos sofrimentos e conflitos entre humanos naquela época eram as lendas religiosas deturpando totalmente os objetivos do principio cósmico, então a mensagem teria que estremecer os velhos testamentos e apresentar um novo. Se ainda perduram resquícios na mentalidade humana atual, a dominância dos velhos testamentos foi substituída por outra dominância relativa a visões do mundo, a dita visão materialista cientifica. E qual a origem desta nova visão?

A maior causa de conflitos hoje deve-se `a formação do cérebro no meio do caos selvagem passando pelos animais que transferiram para o homem sapiens suas configurações neuroniais, nas quais a divisão dos indivíduos e do poder se deve aos três instintos básicos: o de grande predador ( que nos sistemas sociais humanos tem produzido as aristocracias dominantes); o de médio predador ( produzindo as classes medias) e a das presas ( produzindo a grande massa dos dominados). O objetivo supremo do principio vital e consciente é exorcizar do cérebro humano estes 3 instintos. Como o mais difícil é purificar o crebro com tendencia a grande predador pois eles se acomodam pela força e privilégios que desfrutam objetando as mudanças, Jesus trouxe informações em mensagens e atuou como exemplo a ser imitado visando amenizar as três tendencias, mas principalmente mensagens que tocassem mais fundo a tendencia a grande predador. Dois mil anos depois – o que e’ quase nada para o tempo cósmico do principio – pouco influenciou, mas pelo menos a barbárie dos chefes inquisidores brutais das religiões foi em algum grau menor, amenizada.

Não existem seres mais práticos, pragmáticos, utilitaristas, na luta pela sobrevivência e busca de conforto, do que os animais irracionais. Herdamos o cérebro deles e com isso nossa moderna e dominante visão do mundo é a cientifica, extremamente utilitarista, pragmática, exclusivamente pratica, sem qualquer poesia, emoções, etc., atributos trazidos pela consciência. Hoje os tais extraterrestres enviariam softwares que fariam seus portadores estremecerem as bases dessa mentalidade, que são as erradias interpretações dos fenômenos naturais com os quais o método cientifico trabalha. reinterpretando, corrigindo a visão de mundo, conduz-se os cérebro a se re-configurarem no caminho certo.

Pois este autor aqui não recebeu nenhum software nem nunca teve nenhuma experiencia alienígena, mas foi la’ passar sete anos nas noites solitárias a conversar com a natureza virgem para tentar consertar sua herdade visão do mundo que ele intuía estar errada. Esta dentro das possibilidades humanas se corrigir sem precisar da interferência externa, pois a natureza também contem em si o principio da autocura. O resultado do coloquio noturno e secreto com a natureza foi uma nova visão do mundo que me obriga a reinterpretar todas as interpretações que os cientistas tem feito sobre cada nova descoberta de fato real que fazem. Não que eu acredite como religioso na minha visão do mundo e nas interpretações que ela sugere, pois sei que meu primitivo cérebro não seria capaz de processar as informações complexas da Verdade. Mas como também não acredito nas interpretações dos cientistas, e as minhas tem ganhado nos últimos 30 anos, continuo insistindo com elas, afinal, elas me conduziram a exorcizar de mim os três instintos, então, deve ser experimentada, pois se elas não são a Verdade, parecem terem avançado mais na sua direcao que a materialista.

Reinterpretar as interpretações da academia que opera o método cientifico. Isto implica coisas complexas como acrescentar e diminuir detalhes nos atuais modelos teóricos de átomos, galaxias, células, cérebros, código genético, etc. Então vou, para finalizar este longo artigo, apenas citar um exemplo do ocorrido hoje que ilustra como estou fazendo este trabalho. Logo de manha ao buscar as noticias cientificas na Internet me deparei com uma que tem um efeito espetacular no meio acadêmico intelectual e cientifico. O titulo é:

Descoberta dá início a uma nova física solar

no link:

http://hypescience.com/segredo-nucleo-sol/

3948293487 core 1

Resumindo muito e num linguajar popular para leigos como eu, a noticia diz que, apesar de sempre terem acreditado que as esferas concêntricas de diferentes matéria solar tenham suas rotatividades iguais, na mesma velocidade, descobriram que o núcleo do Sol gira 4 vezes mais rápido que a ultima camada da superfície. Com isto descobriu-se que o núcleo solar é conduzido por uma especifica forma de frequência de onda, a denominada onda G, a qual é diferente do tipo de onda que opera na sua superfície, a onda P. Ora, esta descoberta tem muitas implicações, e uma delas significa que vão ter que repensar e refazer muitos conceitos teóricos do seu modelo teórico solar. Inclusive falam na noticia que esta descoberta traz novas informações sobre como foi as origens, a formação do Sol e do sistemas solar.

Pois por inacreditável que possa ser, eu fiz um modelo teórico astronomico na selva a 30 anos atras, muito diferente da teoria acadêmica, que previu exatamente a descoberta deste exato resultado. Não apenas parecera inacreditável para o publico, mas é definitivamente inacreditável para os acadêmicos, pois eles se recusam sequer a dar uma olhada nos meus modelos. Não adiantaria eu gritar que o que vale na Ciência é a teoria com maior capacidade de previsão, a que tem apresentado mais previsões que foram confirmadas, eles não aceitam que alguém fora de seu meio pudesse fazer tal coisa, assim como os acadêmicos e reitores religiosos da Idade Media não aceitaram sequer olhar para a teoria de Copérnico, ela não fazia qualquer sentido face sua visão do mundo.

Os meus modelos interpreta uma galaxia como tendo sido formada numa primeira geração pelo processo da simbiose e depois as outras gerações aprenderam a se replicarem. Sugere que os sete tipos principais de astros conhecidos – desde planetas, estrelas, quasares, pulsares, etc. – são apenas diferentes formas de um único astro inicial – uma estrela gasosa – na qual estava aplicada o mesmo processo vital que faz hoje um corpo humano se modificar em diferentes formas ao longo de sua vida – formas tao diferentes como a morula e’ de um adolescente, ou um embrião é diferente de um adulto. Sugere que o sistema formado pela simbiose destas formulas e’ exatamente igual a uma unidade fundamental de informação do DNA biológico, sugerindo então que existe uma especie de DNA universal para todos os sistemas naturais, animados ou não. E sugere ainda que esta formula é o principio vital universal que se manifestou pela primeira vez na forma da onda de luz completa pelos sete tipos de radiações conhecidas.

Ora, estas sete radiações diferenciadas entre si, apresentam especificas faixas de frequências com suas especificas vibrações. Como seu espectro geral chamamos de onda de luz, notamos que as intensidades e comprimentos destas faixas estão numa sequencia que corresponde exatamente a mesma sequencia de diferenças de intensidades de energia ao longo da vida de um corpo humano. A primeira faixa da onda, a dos raios gama, é a da maior intensidade pois ela acabou de nascer, de ser emitida pela sua fonte. Da mesma forma, as primeiras formas de um novo corpo humano, estão numa faixa em que a energia é a mais inquieta, mais intensa, que suas formas posteriores, como jovens, adultos, etc.

Se o processo de formação dos sistemas astronômicos e seus astros individuais imitam o processo da formação dos corpos humanos e da onda de luz, isto significa que o Sol existe condizido por um espectro invisível destas mesmas ondas, nesta mesma sequencia. Estas ondas concêntricas tem inicio certamente no núcleo solar. E no inicio a energia é mais inquieta, mais intensa. Então qual seria das esferas solares aquela que rodopiaria mais rápido? Certamente não as ultimas da estratosfera solar, nem a da superfície, mas justamente a do núcleo. E não foi justamente isto que confirmaram agora?

Mas qual a importância de um zé ninguém mudo e isolado no mundo estar mostrando para ninguém ver ou ouvir, provas de que ele esta interpretando a natureza com mais acertos que as interpretações da academia que domina a sociedade humana?

Como eu disse no inicio, quer queiram ou não, a natureza aproveita as fases de crises para estremecer nossas estruturas físicas o que pode nos levar a mutações mentais. Assim, através de cirurgias dolorosas, ela vai, inconscientemente, tentando ajustar todos seus elementos, suas criaturas, na avalancha de causas e efeitos. Quando isso acontece a tragedia abate a muitos, que caem para não se levantarem mais ou como moribundos. Mas ao mesmo tempo existem nossas consciências irmãs mais evoluídas que tentam atuar antes que estas tragedias aconteçam, enviando-nos softwares que tentam nos levar a mudança por nos mesmos, o que seria muito menos sofrível. Porem, ainda existe em nos a capacidade de produzir-mos estes softwares nos mesmos, no caso do nossos irmãos não aturarem a tempo, ou não funcionarem tao rápido. Quando estou informando estas acertadas previsões, se alguém estivesse lendo-as, automaticamente sua visão de mundo estaria sendo mutada, sem precisar passar por cirurgias dolorosas. Nisto veja importância no que faco e por isso vou continuar insistindo… a toda vez que sair mais uma descoberta cientifica. Raios, eu já sabia da frequência G no núcleo solar a 30 anos…

 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

(Artigo da ScienceAlert ja’ traduzido pelo Hypescience)

A região mais interna do Sol está obviamente escondida de nós, e parece que isso permitiu que o núcleo de nossa estrela escondesse um enorme segredo. Pela primeira vez, os cientistas conseguiram medir com precisão a rotação do núcleo solar, revelando que ele não gira à mesma velocidade que a superfície – mas quase quatro vezes mais rápido.

Os pesquisadores consideravam a possibilidade de que a rotação do núcleo do Sol não pudesse acompanhar a sua parte externa, mas até agora não havia como saber com certeza – e muitos assumiram que todo o Sol se movia da mesma forma, em um movimento integrado.

Mas os dados mais recentes, obtidos pela Agência Espacial Europeia (ESA) e o Observatório Solar e Heliosférico da NASA (SOHO), fornecem a primeira evidência de um tipo de onda de gravidade de baixa frequência (onda g, não o mesmo que ondas gravitacionais) que reverberam através do Sol, o que acabou se tornando a chave para capturar a rotação do núcleo da estrela.

“Estivemos procurando essas ondas há mais de 40 anos e, embora as tentativas anteriores tenham insinuado as detecções, nenhuma foi definitiva”, diz o astrônomo Eric Fossat, do Observatório da Côte d’Azur, na França. “Finalmente, descobrimos como extrair inequivocamente sua assinatura”.

Até agora, os cientistas haviam conseguido medir ondas de alta frequência, chamadas ondas de pressão ou primárias (ondas p), que passam pelas camadas superiores da estrela e são facilmente detectadas na superfície solar.

Em contrapartida, as ondas g oscilam profundamente no interior solar e, embora possam nos falar sobre o comportamento do núcleo, elas não possuem assinatura clara na superfície.

“As oscilações solares estudadas até agora são todas ondas sonoras, mas também deve haver ondas de gravidade no Sol”, explica Fossat, “com movimentos ascendentes e descendentes, bem como horizontais, como ondas no mar”.

Usando alguns dados de observação de 16 anos do SOHO, os pesquisadores conseguiram isolar uma espécie de onda g chamada modo g, analisando quanto tempo leva para uma onda sonora viajar através do Sol e chegar de volta à superfície novamente: uma viagem de 4 horas e 7 minutos.

Combinando as leituras, eles descobriram uma série de modulações – como um movimento de ondas subaquáticas – que mostrava como as ondas g estavam chacoalhando o núcleo do Sol.

Os resultados sugerem que o núcleo do Sol gira em torno de uma vez por semana, que é quase quatro vezes mais rápido que a superfície solar e as camadas intermediárias, que variam, girando em 25 dias no equador e 35 dias nos pólos.

“Este é certamente o maior resultado da SOHO na última década, e uma das melhores descobertas de todos os tempos da SOHO”, diz Bernhard Fleck, cientista do projeto SOHO e do Goddard Space Flight Center da NASA.

Volta ao início

Quanto à forma como essa discrepância rotacional surgiu, o melhor palpite dos pesquisadores é que é uma espécie de volta aos primórdios do Sol. Eles acreditam que, de alguma forma, a radiação e o vento solar projetados a partir do Sol são, de fato, capazes de diminuir a velocidade de rotação das regiões externas, (NÃO) , mas é um fenômeno apenas superficial, que deixa a rotação do núcleo intacta.

“A explicação mais provável é que essa rotação do núcleo é um resquício do período em que o Sol se formou, há cerca de 4,6 bilhões de anos”, diz o astrônomo Roger Ulrich, da UCLA. “É uma surpresa, e emocionante pensar, que podemos ter descoberto uma relíquia do que o Sol era quando se formou pela primeira vez”.

Em suma, é uma descoberta maciça para os astrônomos, e agora que finalmente confirmamos a presença de ondas g no Sol depois de persegui-las por tanto tempo, os pesquisadores dizem que estão apenas começando. “É muito especial ver o núcleo do nosso próprio Sol para obter uma primeira medida indireta de sua velocidade de rotação”, diz Fossat. “Mas, mesmo que essa busca de décadas tenha terminado, uma nova janela da física solar começa agora”. 

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Noticia no Science Alert ( no comments)

Scientists Just Revealed a Hidden Secret About The Sun’s Inner Core

http://www.sciencealert.com/scientists-just-revealed-a-surprising-secret-about-the-sun-s-hidden-core

xxxxxxxx

O paper publicado no Journal “Astronomy&Astrophysics”

O PDF  de 17 paginas e’ free para leitura

Asymptotic g modes: Evidence for a rapid rotation of the solar core

https://www.aanda.org/articles/aa/abs/2017/08/aa30460-17/aa30460-17.html

Abstract ( e minha pesquisa)

Context. Over the past 40 years, helioseismology

(ver helioseismology)

has been enormously successful in the study of the solar interior. A shortcoming has been the lack of a convincing detection of the solar g modes,

( ver solar g modes )

which are oscillations driven by gravity

(ver oscillations driven by gravity)

and are hidden in the deepest part of the solar body – its hydrogen-burning core. The detection of g modes is expected to dramatically improve our ability to model this core, the rotational characteristics of which have, until now, remained unknown.

Aims. We present the identification of very low frequency g modes in the asymptotic regime

(ver isso)

and two important parameters that have long been waited for: the core rotation rate, and the asymptotic equidistant period

(ver)

spacing of these g modes.

Methods. The GOLF instrument on board the SOHO space observatory has provided two decades of full-disk helioseismic data. The search for g modes in GOLF measurements has been extremely difficult because of solar and instrumental noise. In the present study, the pmodes of the GOLF signal are analyzed differently: we search for possible collective frequency modulations that are produced by periodic changes in the deep solar structure. Such modulations provide access to only very low frequency g modes, thus allowing statistical methods to take advantage of their asymptotic properties.

Results. For oscillatory periods in the range between 9 and nearly 48 h, almost 100 g modes of spherical harmonic degree 1 and more than 100 g modes of degree 2 are predicted. They are not observed individually, but when combined, they unambiguously provide their asymptotic period equidistance and rotational splittings, in excellent agreement with the requirements of the asymptotic approximations. When the period equidistance has been measured, all of the individual frequencies of each mode can be determined. Previously, p-mode helioseismology allowed the g-mode period equidistance parameter P0 to be bracketed inside a narrow range, between approximately 34 and 35 min. Here, P0 is measured to be 34 min 01 s, with a 1 s uncertainty. The previously unknown g-mode splittings have now been measured from a non-synodic reference with very high accuracy, and they imply a mean weighted rotation of 1277 ± 10 nHz (9-day period) of their kernels, resulting in a rapid rotation frequency of 1644 ± 23 nHz (period of one week) of the solar core itself, which is a factor 3.8 ± 0.1 faster than the rotation of the radiative envelope.

Conclusions. The g modes are known to be the keys to a better understanding of the structure and dynamics of the solar core. Their detection with these precise parameters will certainly stimulate a new era of research in this field.

xxxxx

Preciso agora ( depois de uma pesquisa sobre frequência G, etc.) ver quais as novas implicações para esta nova interpretação de uma estrela como o Sol. Por exemplo,

  1. esta sugerido que o núcleo imita F1, o estado embrionário no circuito sistêmico. Quais serão os outros seis estados do Sol? Seria as faixas das orbitas dos planetas outros estados, inclusive vibratórios, da mesma onda?
  2. os astrônomos sugerem que esta descoberta lança nova luz sobre a formação do sol. Para a Matrix/DNA, devo pensar se ela pode ajudar a calcular a segunda fase das formações dos sistemas astronômicos, ou como eles evoluíram da formação por simbiose para a formação por auto-replicação.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Questao postada no sub-reddit, topic Science > Asttrophysics

 

The spetacular discovey is that the sun’s nucleous rotates 4 times fast than its surface and has a “frequency G”. It happens that the Matrix/DNA Theory has an astronomic model which 30 years ago predict these discoveries. The model suggests that the sun’s nucleous performs the function F1 of a universal formula for systems. But, the F1 at galaxies suggests the existence of a rotative vortex replacing the theoretical existence of black holes. Now we have the problem: is the sun’s nucleous the origins of a “dust’s star formation” or the origins of a black hole? You can see the news at ScienceAlert:https://www.sciencealert.com/scientists-just-revealed-a-surprising-secret-about-the-sun-s-hidden-core

Mensagem da Matrix/DNA

domingo, agosto 6th, 2017

xxxx

Mas um grande dia de comemoração pela turma de um só’ da Matrix/DNA… Ha’ 30 anos registrei os copyrights dizendo que o sistema solar tem ondas concêntricas com faixas esféricas de diferentes frequências e vibrações na mesma sequencia de uma onda de luz. E que portanto o núcleo solar devia ter a primeira faixa, da conhecida onda G, que e’ a de mais intensa energia. Pois apenas nesta semana a comunidade acadêmica cientifica, contra tudo o que diziam suas teorias e contra tudo o que negaram quando eu dizia isso nos debates interneticos, descobriram e confirmaram não apenas que as ondas G estão no núcleo solar, como também descobriram seu obvio efeito: que o núcleo solar gira mais rápido que a superfície. Quatro vezes mais rápido!
O futuro sempre desmentiu as mentiras, sempre clareou os fatos. Naquela época os donos das universidades não queriam admitir, mas o futuro desenterrou os papeis empoeirados de Copérnico, um zé’ ninguém, foi o primeiro a descobrir que o Sol não gira a nossa volta, como desenterrou dos porões da biblioteca os papeis de Mendell, outro que morreu desconhecido, para mostrar que ele foi o primeiro a descobrir a genética…Ora, de alguma maneira o futuro desenterrara meus copyrights no Rio e em Washington e mostrara que fui o primeiro a ver as ondas G no núcleo solar, o primeiro a dizer que nunca houve origens da vida aqui, o primeiro a dizer que o DNA vem desde o Big Bang, que não existe código genético, o primeiro a unir a evolução cosmológica `a evolução biológica com um elo evolucionário que ainda desconhecem. o primeiro a elaborar um modelo teórico do átomo e da galaxia mais próximo da verdade… E o primeiro a descobrir que neste universo esta ocorrendo um processo de reprodução genética de um sistema natural consciente que deflagou o Big Bang como num ato de fecundação, e que nos, humanos, somos partes dos genes meio-conscientes que esta construindo este embrião… Que fui o primeiro a descobrir no céu, os astros possuem ciclo vital igual a nos, que formam famílias, namoram, se casam, se reproduzem como nos e as estrelas, como mães atarefadas a manterem seus rebentos planetas protegidos debaixo de suas asas gravitacionais enquanto os nutre com seu néctar energético… O futuro talvez descobrira que fiz algumas teorias erradas também, mas as corretas suplantam, portanto, estou no meu direito quando tomo no presente uma cerveja para antecipar uma comemoração que por certo acontecera quando não mais estiver por aqui… Um brinde `a onda G!
Para um cidadão comum parece não ter nenhuma vantagem em saber estas coisas distantes do macro e microcosmo mas na verdade existe uma grande vantagem – fundamental – se sua visão do mundo aponta para um significado sublime para nossa existência, e as previsões de sua visão vão sendo todas confirmadas – pois isto confirma o significado da existência e este me indica que passaremos por todas as mortes e o nosso futuro sera grande…
Para quem quiser ver a noticia desta descoberta:

Planetas Solitarios: Evidencia prevista no modelo da Matrix/DNA

segunda-feira, julho 31st, 2017

xxxx

O nosso modelo teorico astronomico indica que – ao menos no primeiro metodo de formacao dos astros – eles sejam forjados apenas como nucleos dentro de vortices nucleares em meio a poeira cosmica e emitidos ao espaco livre onde sofrerao as mudancas de formas tal como corpos humanos passam por mudancas de formas ao longo de seu ciclo vital. Entao a 30 anos atras quando registramos o copyright da Matrix/DNA, fomos o primeiro a sugerir que tal estranheza exista, ou seja, planetas solitarios vagando no cosmos sem estarem atrelados a nenhum sistema estelar. Claro, na epoca isto parecia uma aberracao ilusoria aos astronomos, pois era impossivel de acordo com a teoria academica. mas recentemente ocorreu a surpreendente descoberta de um planeta em tais condicoes e depois outros mais foram descobertos. O artigo a seguir fornece informacoes sob a perspectiva da teoria academica.

http://imagensdouniverso.blogspot.com/2014/08/planetas-andarilhos-os-planetas.html

Planetas andarilhos, os planetas solitários que vagam pelo universo

Planetas solitarios ou andarilhos

Um planeta andarilho (ou planeta de livre flutuação) é, geralmente, um corpo do tamanho de Júpiter que habita o espaço entre as estrelas, sem estar ligado pela gravidade a qualquer uma delas (como a Terra está ligada ao Sol, por exemplo). Isso significa que é um planeta sem uma estrela-mãe. Os cientistas creem que estes planetas são formados diretamente a partir do colapso de nuvens de gás interestelares (como estrelas) sem massa para inflamar (como uma anã marrom), ou que são formados em um sistema planetário e de alguma forma “superam” a gravidade de sua estrela e ficam livres dela (na verdade, são expulsos do sistema). Essa segunda opção ocorre quando um planeta, que normalmente é de grande massa, migra em direção à sua estrela-mãe. No processo, passa através dos materiais que sobraram da formação daquele sistema. Naturalmente, todos os planetas entre o planeta migrante e a estrela-mãe serão afetados. Alguns mudarão sua órbita (movendo-se para mais perto ou mais longe da sua estrela hospedeira), outros podem entrar em uma rota de colisão com um objeto diferente (uma lua ou outro planeta) e serem destruídos, e ainda outros podem ser ejetados do sistema, e se tornarem “andarilhos”. Vamos dizer que o planeta que se dirige a sua estrela-mãe tem cinco vezes a massa de Júpiter. Ele pode gravitacionalmente ejetar um planeta menor, mesmo que este tenha a massa de Júpiter (o que é muito grande). Isto implica que pode haver vários planetas andarilhos que foram ejetados de todos os sistemas que tem um “Super Júpiter” (planetas grandes e quentes) orbitando de maneira muito próxima sua estrela-mãe. Na verdade, esse cenário é bem provável. Pesquisadores descobriram recentemente que estes planetas livres são muito comuns. Pode haver quase o dobro deles em comparação com o número de estrelas. Só que, infelizmente, eles são muito difíceis de observar, uma vez que a maneira mais simples de encontrar um planeta é estudando o efeito que ele tem em sua estrela-mãe – quando um planeta passa na frente de sua estrela, obscurece sua luz por um momento. Para acompanhar esses planetas andarilhos, os cientistas monitoram o céu, observando o efeito que eles têm nas estrelas que estão muito, muito mais distantes do que os próprios planetas. Eles entortam essa luz das estrelas de fundo, fazendo com que se amplie e brilhe mais forte. Porém, essa técnica faz com que seja quase impossível observar planetas andarilhos menores, com a nossa tecnologia atual. E, mesmo se encontrarmos um, vai ser extremamente difícil de rastreá-lo. O que é um pouco triste, visto que tecnicamente devem ser mais numerosos do que os corpos do tamanho de Júpiter. Quanto à habitabilidade desses planetas solitários, eles são extremamente frios, mas talvez não tão frios quanto seria de se esperar, visto que frequentem o abismo que é o espaço interestelar. Certos gigantes gasosos, como Júpiter e Saturno, emitem mais energia do que recebem do Sol. Além do calor gerado durante a contração do núcleo do planeta, o decaimento radioativo é uma fonte de calor que captura uma quantidade considerável de calor gerado durante a criação do planeta. Então, qualquer um destes planetas nômades pode permanecer gasoso, apesar do frio intenso. Também é possível (mas improvável) que alguns desses planetas mantenha a sua lua (ou luas) após a expulsão do sistema. O aquecimento provocado pelas marés do satélite seria uma outra fonte de calor para o planeta. No entanto, seria mais óbvio dizer que eles são, em geral, frios demais para abrigar a vida como a conhecemos.