Warning: Missing argument 1 for ShareThisShareButtons\Button_Widget::__construct(), called in /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-includes/class-wp-widget-factory.php on line 43 and defined in /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-content/plugins/sharethis-share-buttons/php/class-button-widget.php on line 29

Warning: Illegal offset type in /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-includes/class-wp-widget-factory.php on line 43

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-content/plugins/sharethis-share-buttons/php/class-button-widget.php:29) in /home/theunive/public_html/pt-br/artigos/wp-content/plugins/disable-xml-rpc-pingback/disable-xml-rpc-pingback.php on line 51
Circuítos Sistêmicos « The Universal Matrix/DNA – Artigos

Archive for the ‘Circuítos Sistêmicos’ Category

Auto-Reciclagem da Matrix/DNA Fórmula Parece Ser a Base de Eletricidade em Bactérias/Fotossíntese

quarta-feira, abril 8th, 2015

xxxx

Ler este link que tem vários outros links para papers cientificos sobre este tema: 

Bacterial batteries, Bacterial digital memory, Magnetic BCI compass, DNA-protein lattice, Engineering chlorophylls.

http://www.scitechdigest.net/2015/04/bacterial-batteries-bacterial-digital.html

Matrix/DNA Pesquisa a Troca de Energia do Petróleo por Energia Solar Para manter a Civilização Industrial

sábado, março 21st, 2015

xxxx

[–]TheMatrixDNA  

Solar and planetary nuclear energy can move natural systems better than fossil fuel – accordingly Matrix/DNA Theory. If you see the formula of all natural systems in its website you will understand what I am telling about. We have mimicked Nature’s mechanisms and systems by artificial way, with new materials, and then, we had to use artificial energy. Maybe another life form got the easiest way for natural industry.

Yours own body is a machine, an industrialized one. Is there any human made machine superior to that? And what is the energy that created the human-machine? It comes from plants. What energy created and still fuels plants? So, the very secret is to known better the chloroplasts and photosynthesis, trying to mimic this natural device for getting natural energy without changing it, without killing its free movement and then, finding the soft materials that this energy will arrange as industrial machines. At Matrix/DNA world view we are researching this issue. But the problem is more complex due two things that the Matrix’s models are pointing out that the Earth and solar magnetic fields also contributed when driving the natural energy to create biological natural systems and both – light and magnetic field – works under the process of life’s cycle nad here lays their ability to create natural system/machines.

Este comentario acima veio como resposta a uma pergunta feita no Reddit:

http://www.reddit.com/r/AskScienceDiscussion/comments/2zr0xn/if_life_is_possible_on_other_planets_how_likely/

If life is possible on other planets, how likely is it that fossil fuels would develop? Would industrialization be possible without fossil fuels?  – self.AskScienceDiscussion

submitted friday, march, 2015, by thapopjackson

Mistérios do Mundo Explicados pela Matrix/DNA: O Principio da Incerteza e a Dualidade Onda/Particula

sexta-feira, março 6th, 2015

xxxx

A fórmula da Matrix/DNA nos leva de imediato a formular uma explicação elegante que pode resolver alguns dos mais intrigantes mistérios na cabeça dos físicos:

a) Como é que uma partícula pode apresentar diferentes formas e estados ao mesmo tempo?! Como pode uma coisa ser onda e particula ao mesmo tempo?!

b) Num mundo onde tudo deve ser explicado com certeza tendo  por base a longa cadeia de causas e efeitos, como pode existir o “Principio da Incerteza de Heisenberg”, determinado a ser uma incerteza por toda a eternidade?!

Na fórmula da Matrix/DNA vemos que não apenas as partículas, mas o nosso próprio corpo apresenta-se como particula e onda ao mesmo tempo. Como?! Será que ouví direito? Impossível!

Vamos explicar. Em cada momento somos a síntese de uma vida, ou seja, nosso corpo não é apenas a forma que se apresenta aqui e agora, mas sim esta forma mais a memória de todas as formas anteriores da vida passada desde o momento do nascimento. Esta memória do passado chama-se “idade” e ela é mostrada visivelmente ao bater-se o olho em qualquer corpo humano.  Então a nossa forma aqui e agora, no presente momento, é a soma de uma forma e substancia espacial e uma forma e substancia temporal. Neste momento seu corpo está mostrando sua forma material no espaço, ao mesmo tempo que está mostrando seu tempo no espaço, sua idade.

A fórmula da Matrix/DNA descreve um sistema natural e em pleno funcionamento, e desde que todo sistema natural é montado pelo processo do ciclo vital, o circuito energético da fórmula tem que mostrar os aspectos espaço e tempo do sistema, ao mesmo tempo. O aspecto espaço é mostrado através das 6 formas principais do corpo do sistema durante uma vida do sistema, ou seja, temos uma visão de um corpo, que pode ser chamado de partícula dependendo do tamanho do observador. Enquanto isso,  o aspecto tempo, é apenas mostrado através das setas do circuito entre as formas do corpo. Estas setas significam que o fluxo de informações, na forma de energia, que corre dentro do canal do circuito, e que pode se tornar uma partícula se for instantaneamente interrompido, são o jeito que o tempo se propaga, na forma de ondas. Tal como as ondas que vemos numa tela onde se projeta o espectro da passagem e velocidade da luz.

Ora, se um observador cujo complexo sensorial só pode captar o aspecto “corpo material ocupando um pedaço do espaço”, e não pode captar ao mesmo tempo, todos os  momentos passados e futuros daquele mesmo corpo, mas sabe que isso existe, ele tentará calcular a idade do corpo pelo aspecto visível do corpo naquele momento. Por outro lado, se existir um observador que só possa captar o aspecto “tempo e história de um corpo”, mas não possa ver e sentir o corpo, será como assistir um filme de 80 anos resumido em poucos segundos. Na tela apareceria apenas um fluxo sem forma movendo-se a tal velocidade que a forma seria invisível.

Na linguagem cientifica, só existe um real fenômeno natural se ele puder ser medido. Por exemplo, Deus não pode ser medido, então, por esse método e raciocínio cientifico, Deus não existe. Sem parar para analisar o mérito desse raciocínio, ele é necessário e precisa ser respeitado, senão o Homem não pode ter uma Ciência para o conhecimento universal humano. O empreendimento cientifico realmente nasceu quando Francis Bacon se irritou com tanta gente de tantas tribos falando tantas coisas diferentes sobre este mundo e vendo tantas experiencias reais sendo perdidas pelo todo porque não acumulava de maneira ordenada as experiencias das partes, das varias tribos, e resolveu trazer todas estas experiencias, todos os fatos narrados para a mesa e dar uma definição unica para cada elemento sobre a mesa, a ser conhecido em todos os lugares e tempos futuros. Essa definição exata e com o acordo de todos os observadores ao redor da mesa é o que se entende por medição do fato.

Então a Física descobriu as menores partículas que compõem a matéria. E tratou de medi-las, para obter uma definição e ser transmitida para o conhecimento de todos. Elas tem uma forma, uma velocidade, um estado físico como sólido, gasoso, uma cor, etc., o máximo de dados que se pode obter delas. E foi aí que surgiu um grande problema com as partículas, o qual foi denominado de “Principio da Incerteza de Heisenberg”, devido o nome do pesquisador que primeiro constatou esse problema. Se fixamos uma partícula num ponto do espaço e num exato único momento,podemos obter e medir sua massa, mas não sua velocidade – e pelo pouco que sei, o normal das partículas é estarem sempre em movimento. Se projetamos o movimento de uma partícula na tela, vemos passar o corpo dela sem forma mas podemos medir sua velocidade. O que nunca dá para fazer é obter as duas medições juntas. E isso atrapalha enormemente o nosso conhecimento, controle, manipulação destas partículas e de todos seus efeitos no mundo real.

É como se alguem te disser: “Vi um alienígena que tem a nossa forma, mas é verde. Ele estava mamando numa mamadeira e ao mesmo tempo na frente de um computador vendo lá complexos gráficos e fórmulas… E ele me mandou um sinal telepático  informando que  vai vir te visitar ” Você não tem nenhum dado para decidir se o alienígena é uma criança ou um adulto. Se ele vai apenas vir brincar ou debater visões de mundos. Não há como se preparar para uma abordagem, como saber controlar e dominar o próximo evento, é ele quem vai decidir e dominar o que irá  acontecer. Assim sempre estaremos perante tais partículas.

Ora, mas a fórmula e visão de mundo da Matrix/DNA sugere que longe de ser umas completas estranhas e coisas de outra realidade, as partículas fundamentais da matéria são apenas mais uma das espécies “vivas” dentro da enorme diversidade de espécies no Universo, e como tais, são nossas longínquas ancestrais. Se são realmente nossas ancestrais, então provavelmente elas já devem possuir em sim mesmas, todas as propriedades complexas vitais que nós temos hoje, porem de forma muito simples evolutivamente falando, e a maioria sem serem expressadas, existindo apenas como potencial latente, esperando que se tornem mais complexas para se expressarem. Pois a mesma Matrix/DNA sugere que nada surge neste Universo por mágica, nem mesmo as nossas complexas atuais propriedades vitais… elas já existiriam aqui desde o primeiro momento do Big Bang. E se for assim mesmo… as partículas tambem são regidas como nós, pelo ciclo vital, aquela fôrça ou processo que faz um corpo mudar em várias formas, transformando-se continuamente, ao longo do seu tempo de existência.

Ora, vimos que para um alienígena que nunca viu um ser humano, ao se deparar com um, verá sua forma, mas nunca sua idade. Verá seu corpo material ocupando um ponto no espaço, mas nunca o ponto  que ele tem ocupado na escala natural universal do tempo – apenas o tempo presente. E nós humanos somos como alienígenas observando a espécie das partículas… está aí então explicado o problema descoberto por Heisenberg.

Heisenberg nada sabia sobre a fórmula da Matrix/DNA para sistemas naturais e nunca pensou nas partículas como sendo em si mesmas, sistemas – apesar dos mais simples possíveis. Mas, enquanto esta fórmula é uma realidade quando descreve todos os sistemas biológicos, ela ainda é apenas uma teoria e existindo apenas dentro de uma cabeça de um ser humano, no tocante a ser a mesma fórmula para todos os sistemas do Universo, para todas as porções de matéria organizadas num corpo, como são as partículas.  Já tenho reunido milhares de evidencias sugerindo que ela exista, mas isso ainda não é suficiente para se acreditar que ela exista de fato. Enquanto esta prova final não vem, podemos nos entreter com as explicações elegantes que ela fornece para fenômenos que ainda não possuem explicações comprovadas. A incerteza de Heisenberg que se espalha das partículas para a maioria dos fenômenos tratados ao nível subatômico – no reino estudado pela teoria quântica – ainda continuará a ser uma incerteza, não vamos acreditar que a resolvemos. Mas tambem não é inteligente e salutar ignorar totalmente esta sugestão,pois ela fornece idéias para novas abordagens e experiencias, e apenas através de novas abordagens, novas experiencias e  novos dados, resolveremos definitivamente este problema.

Sistema Imunológico: Vídeo Mostra Glóbulos Brancos nos Defendendo de Vermes – E a Explicação da Matrix/DNA

quinta-feira, novembro 20th, 2014

xxxxx

https://www.facebook.com/video.php?v=735315876561829&set=vb.111604802266276&type=2&theater

Os globulos brancos são de vários tipos. Um tipo específico deles possui um receptor químico compatível com um receptor químico presente na superfície do verme, uma célula apresentadora de antigeno “ativa” os anticorpos e eles se ligam ao verme. Esses receptores são diferentes para bactérias, vírus, vermes… ( esta é uma síntese da explicação da Ciência Oficial)

Mas como a Natureza fêz isto?! Tendo apenas para começar… átomos! E aqui usa apenas poucos tipos de átomos. Como a Natureza consegue mover um pacotinho de átomos – é o que, literalmente, são estes glóbulos brancos – e dirigi-los para realizarem um objetivo préviamente desejado?! Ok, você pode ver um pacotinho de átomos tal como um cisco qualquer, leve, sendo movido pelo vento e outros movimentos ao redor dele, mas nunca este cisco vai realizar um movimento para realizar um objetivo. Ele não é auto-dirigido e nem dirigido por nada mais que meras forças ao acaso. Estes “ciscos” aqui são dirigidos. Como? Porque?! O que eles tem de especial que os pacotes inanimados de átomos – como uma pedra – não tem?

Vamos buscar uma explicação na fórmula da Matrix/DNA…

À primeira vista a resposta está na hierarquia de sistemas. O corpo humano é um sistema maior, dentro do qual aparece um intruso, um sistema menor – o verme. Mas tanto o corpo humano como o verme possuem as mesmas raizes biológicas, talvez um ponto em comum, que seria um ancestral comum. A partir deste ancestral comum, a evolução desenvolveu aceleradamente uma linha que chegou ao corpo humano, e outra linha lenta, quase parando, que ainda está na fase de verme. O verme não deve estar na mesma linha evolucionaria do corpo humano, porque, como o video mostra, são dois sistemas incompativeis, não podem coexistir no mesmo espaço/tempo. Em outras palavras, este verme não é ancestral do corpo humano. Se não é um ancestral menor ou maior que um corpo humano, nem um ancestral mais simples ou mais complexo, o verme não é um sistema-fractal do fractal-sistema corpo humano. Então, forças do sistema maior são perturbadas por forças do sistema menor, pois as forças não estão em sintonia entre si, os dois corpos não dançam o mesmo ritmo da musica. Como o sistema maior reage se for perturbado por ter a propriedade da busca do equilibrio termodinamico por um tipo seu exclusivo de ‘” desejo”, e o verme que tambem tem esta propriedade porem esta em outro caminho de busca deste equilibrio, um entra em conflito com o outro.

O fluxo de energia/informações do sistema maior é diferente do mesmo fluxo no sistema do verme em algum ou alguns pontos. As particulas que estão na frente desta caravana-fluxo tem um destino, que é construir o próximo “F” da fórmula, e para isso usam os materiais ao redor, e nisso encontram o material verme… elas simplesmente o vão moldar para servir de material para sua próxima construção. Então, em relação a corpo humano estas particulas se tornam ” anticorpos,  glóbulos brancos”. Acontece que o verme tambem tem seu fluxo, quase inteiramente coincidente com o fluxo destas particulas, então existem os pontos iguais. Estes pontos é o que entendemos por “receptores quimicos”. Vence a força maior, o sistema menor é desmanchado e usado para construir realimentar a reconstrução continua do maior.

Mas vamos tentar destrinchar melhor isso, pois daqui podemos descobrir novas coisas.

Depois de uma pesquisa fazendo uma paciente busca sobre cada elemento para relembrar nossa memória do que aprendemos na escola:

1) Globulos brancos ? Anticorpos?

2) receptores quimicos ?

3) vermes ?

4) célula apresentadora de antigeno ? 

Como a Cobra Inventou Seu Modo de Mover-se? A Onda de Luz Natural e a Fórmula da Matrix/DNA Explicam

quinta-feira, outubro 2nd, 2014

Na selva cada detalhe observado levantava a pergunta: Porque? De onde veio isso? Como a Natureza chegou a esse ponto aqui?

Assim foi quando uma cobra passou à  minha frente. Como ela descobriu que fazendo aquele tipo de movimentos ela podia se deslocar, mover-se de um ponto a outro?! É preciso notar que a maneira descoberta pela cobra para “caminhar” requer inteligencia, muita engenharia e conhecimento dos princípios da Física. Justo na semana passada o New York Times publicou um robot que foi desenvolvido baseado numa intrigante descoberta (ver link e video em : Secrets of the Sidewinder – http://www.nytimes.com/2014/10/09/science/secrets-of-the-sidewinder.html?ref=science

. Pesquisadores queriam saber como uma cobra consegue mover-se sobre areia, principalmente subir uma colina arenosa. Levaram areai para um laboratório e observaram filmando os movimentos para descobrirem atonitos que a cobra imita dois tipos de ondas. Uma onda é horizontal, o corpo sempre firme na superficie, mas a outra onda é vertical quando partes do corpo da cobra se levanta da superficie. E assim concatenando ondas verticais com ondas horizontais a cobra consegue subir uma colina sem solo firme, como é arenosa.

A grosso modo, a cobra é uma linha, e assim ela surgiu no mundo. Se a Natureza não tivesse inventado aqui a Vida, todo objeto na forma de linha seria estático, imóvel. Mas vemos ali uma linha se movendo.

É preciso profundos conhecimentos de Física, que uma criança humana não descobriria por si mesma. É preciso primeiro encurvar a linha na forma de “S”. Que uma linha reta se mova tornando-se um “S” já é um fenômeno, uma descoberta intrigante, para uma coisa que não tem cérebro de pensar. É preciso se colocar no lugar da cobra mas mão se esquecendo que ela praticamente não tem cérebro, tal como o entendemos: é simplesmente um difuso sistema nervoso com um núcleo. Mas de nada adiantaria adquirir a forma de S se não houver o passo seguinte. É preciso fixar uma ponta em solo firme e fazer a outra ponta mover-se. Mas qual ponta vai fazer o que? Tentei cutucar a cobra na ponta da frente, na cabeça, para ver se ela dava marcha-a-ré pelo mesmo movimento que ela avança para a frente. Ela não fez isso, apenas continuou movendo a ponta da frente, para o lado, e retornando para trás sempre avançando para a sua frente. Falta repetir a experiencia muitas vezes e com outras cobras, talvez ela também saiba dar marcha-a-ré.

É preciso fixar a ponta de trás, e a partir dessa ponta, imprimir um impulso para desfazer o S. Assim, quando a linha se esticar, a cabeça estará alguns pontos mais a frente. Feito isso, é preciso novamente repetir a forma de S. E nova esticada, mais alguns pontos são alcançados. Se de repente algo indica que a direção melhor é para um lado, o S terá que ser inclinado, e a cobra se inclina. Toda uma inteligente engenharia está aplicada aí. Senão houvesse essa inteligencia, ou sentir-se queimada por um fogo, a cobra se enrolaria, pularia, desesperada, faria todos os movimentos possíveis, a linha adquiriria muitas formas diferentes, mas ela não sairia do mesmo lugar. isto seria o que eu deveria estar vendo ali à minha frente. Mas o que estou vendo mão é normal, não é o curso lógico do longo fluxo irracional de causas e efeitos a se esperar dos movimentos físicos brutos da matéria. Tem algo sutil e invisível ali inserido na cobra fazendo aquele movimento de causa não-material. Tem que ter. Mas o que?!

A coisa se complica quando olhamos para alem da cobra. Existem muitas outras formas de vida movendo-se com o mesmo movimento. Os peixes nadando no mar, é praticamente o mesmo movimento serpenteante. Antes ainda, na evolução, existem os minúsculos e quase invisíveis “candirus”, que são linhas biológicas a moverem-se na água dos rios e tragédia dos animais, os quais me fizeram passar por verdadeiros momentos de terror, mêdo, quando tinha que descer da “voadeira” e entrar na água para retirar pedaços de galhos e cipós que se enroscavam nas hélices do motor. O candiru é uma linha quase invisível que sente atração pelo cheiro ou presença de urina e vai atrás, penetrando no orifício do pênis ou vagina e uma vez lá dentro, começa a comer tudo ao seu redor. Ví uma vez uma mulher gritando de dor e sendo carregada pelos nativos devido um bicho que penetrara por alguma ferida no calcanhar de um pé, e os nativos dizendo que era o candiru. Outra vez conheci um garimpeiro na fila de um centro de saúde na selva, dizendo que já tinha perdido as bolas do saco, o pênis, e feito varias cirurgias para tirar o candiru, mas sentia que continuava sendo comido por dentro. Terrível! Quanto desejei ter na selva um destes saquinhos plásticos com zíper para guardar salsicha na geladeira… Aqui não damos valor aquilo e jogamos no lixo sem pestanejar, mas somente estando sem acesso a ele é que percebemos que o “saquinho”pode salvar outro saco muito importante para nós  e também salvar uma vida…

Mas essa coisa sem cérebro algum, se move devido uma complicada e inteligente engenharia aplicando princípios fundamentais da Física. E isso não é natural, a não ser que não conhecemos a verdadeira Natureza.

Hoje eu suspeito que sei o que criou aquela maneira de “caminhar” neste Universo material. Se meus modelos de astronomia estiverem corretos, ã 10 bilhões de anos atras, cometas no céu já aplicavam aquele principio.  Esferas de magmas chamejantes emitidas pelos gigantescos vulcões dos pulsares caiam no espaço sideral mas eram capturadas no circuito magnético do sistema, que tem a forma espiral, e assim impulsionados em queda na direção do núcleo do sistema. nesta queda as esferas sofrem o atrito com a substancia espacial, o que provoca uma erosão na sua superfície,  e os fragmentos desta erosão continuam o movimento da queda, e continuam próximos da esfera pela atração gravitacional, e assim surge a cauda do cometa. Ora, correndo numa estrada encurvada como é a linha de uma espiral, a cauda se contorce, se distorce, adquire a forma de S. talvez aqui pela primeira vez a natureza expressou esta novidade, ou talvez e mais provavelmente, este tipo de deslocamento venha de antes, de algum aspecto dentro dos sistemas atômicos. Assim cheguei na imagem do espectro eletromagnético de uma onda de luz natural. para encaixar a luz na teoria de maneira que explicasse os efeitos que observo aqui e agora, para explicar a evolução cosmológica, a origem e desenvolvimento das primeiras partículas, etc., tive que mudar a atual teoria da luz elaborada pela comunidade acadêmica, seja o resultado certo ou errado. E neste modelo a luz é resultado do desfazimento de uma fonte em espiral, algo fantasmagórico como um vórtice quântico, que teria sido a origem e primeira manifestação da matéria quando a luz penetrou o oceano espacial cheio com uma substancia, com o nome qualquer de éter, ou dark matter, etc. Veja onde a cobra está nos levando!

Quando a fonte natural espiralada de luz natural se desfaz na forma de linha, ela continua se expandindo inicialmente conservando o movimento espiral, o qual é todo constituído por trechos em forma de S. A um observador desavisado meio-cego a onda é concêntrica, mas um observador apoiado numa inteligencia sabe que na verdade a onda continua sendo espiral. Pode até se tornar depois numa linha reta, uma seta,  como quando capturada dentro de cabos ou transformada por fontes de laser, artificialmente pelos humanos. E desde que a luz natural original aconteceu pela primeira vez neste Universo emitida por big bangs, e assim espiralada ela se expandiu penetrando a matéria, a causa inicial do movimento da cobra vem de alem do Universo, do antes do Big Bang. Ela veio na Matrix, na sua fórmula, pois se F5 não se contorcer na forma espiral cheia de Ss, a fórmula não funcionaria. A onda de luz capturada na tela do computador se torna uma senoide expandindo-se num grafico cartesiano, e assim percebemos que ela foi a primeira coisa neste Universo a expressar a força do ciclo vital, ela continha já em si o código da Vida. Uma onda de luz natural é em si mesma uma forma de Vida. Isso nos faz pensar no que vamos encontrar neste Universo a fora sem perceber que estamos perante formas de Vida.

O movimento intencionado de deslocamento no espaço da  cobra não foi por ela inventado, nem por seus ancestrais vivos, biológicos. É algo que já estava entranhado, inscrito, na sua matéria, a nível dos átomos que constituem seu corpo, da energia dentro destes átomos.

Observar a Natureza nos seus detalhes mais insignificantes sobre os quais passamos os olhos sem vê-los, é o me’todo pelo qual se desenvolve o cérebro e se captura a Natureza universal transformando-a toda dentro de uma pequeno cérebro numa substancia plasmática iluminada com luz natural invisível cujo total denominamos “mente”, Ou auto-consciência. Metafisicas à parte, que podem ser a verdade ou mero produto da nossa imaginação, da nossa interpretação errada de fenômenos naturais, o fato é que estas observações nos leva a descobrir, conhecer, os mecanismos e processos naturais, e tentando imita-los a nosso favor, assim criamos e desenvolvemos a nossa tecnologia. Alem de ser um estado emocional de contemplação e satisfação indescritível, daqueles que nos produzem lagrimas verdadeiras nos olhos. A Natureza Universal é realmente “estonteante”.

Para ajudar a entender os argumentos acima, copiamos aqui alguns dos modelos da Matrix/DNA Theory, uma visão de mundo iniciada a partir da simples observação de detalhes como o arrastar-se de uma cobra na selva.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

É preciso lembrar que a fórmula acima tem na verdade a forma de espiral e não esfera, porem ainda não tive tempo de mudar esse desenho. O movimento serpenteante acontece em F5, quando em queda pela linha de força dentro co campo eletro- magnético espiralado.

Vídeo Mostrando Imagens de Como o Cérebro Funciona… E Sugestão da Matrix/DNA Como Melhorar a Tecnologia

segunda-feira, setembro 8th, 2014

xxxxx

É muito bom cada nova informação do que é, como é, e como funciona nossos cérebros, pois isso é a coisa mais importante do mundo para você – o seu “Eu”. O cérebro evoluí ou involuí, dentro da população moderna uma pequena minoria está evoluindo enquanto a maioria está entorpecida, ou desviada para a evolução errada, rumo à extinção de seus herdeiros. Você pode entrar e trazer seus entes queridos para a minoria, basta querer.

Lembre-se que quando havia apenas os primatas na Terra como os seres mais evoluídos, apenas uma minoria evoluiu e se transformou no homo sapiens, a maioria se extinguiu ou continua aí como macacos. E nada impede que nova divisão aconteça na espécie humana. E agora cientistas estão constatando o que já suspeitávamos: a dominação exercida através desta cultura civilizatória tem o poder de atrofiar e desviar os órgãos sensoriais do corpo e sua recepção pelo cérebro.  Não permita acontecer isto com seu cérebro, acompanhando-nos nesse desmascaramento das mentiras desta cultura ( Veja artigo aqui: http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=8034. Portanto você não pode perder este bonde, e aqui conosco na Matrix/DNA você não apenas acompanha a minoria conhecendo a cada dia o que ela vai conhecendo, mas ainda existe a possibilidade de que esta diferente racionalista visão do mundo o lance na minoria na da vanguarda dentro daquela minoria.

Portanto, o vídeo com link abaixo é necessário que seja de seu conhecimento. Mas antes de assisti-lo é bom ler as sugestões da Matrix/DNA, postada como comentário na pagina do vídeo:

Video: Imaging the living brain

http://medicalxpress.com/news/2014-09-video-imaging-brain.html#nRlv

TheMatrixDNA ( comentario em portugues) – September, 08, 2014

Vocês precisam conhecer a formula natural, padrão universal, que subjaz cada movimento interno do cérebro, assim, perante a aparente e complexa caoticidade, vocês poderiam identificar e isolar estes movimentos.  Qualquer idéia, qualquer pensamento, obedece o processo do ciclo vital, assim, pensamentos nascem, se desenvolvem, degeneram e morrem, sendo ou não memorizados para futuros usos e lembranças. Acontece que este processo desenha um circuito sequencial o qual é a fundação de todos os sistemas, desde seus inícios aos seus fins. A Teoria da Matrix/DNA tem a fórmula, seria muito bom que pesquisadores a conhecessem. Nós temos calculado que o primeiro inicial estado da fórmula é pura luz natural, na forma de ondas. Nós temos notado que as sinapses são uma espécie de impulsos elétricos. Nossas suspeitas é de que este fenômeno pertencente às dimensões da luz subjaz e dirige o estado da circulação do sangue no cérebro. Mas, sem conhecer a formula e o processo do ciclo vital encriptados dentro de cada movimento das ondas de luz, os pesquisadores não desenvolverão a melhor tecnologia para estas pesquisas.

( Em Inglês):  

You need to know the natural formula, the universal pattern, that underlies each brain movement, so, from the complex messy, you could identificate and isolating these movements. Any idea, any thought, obeys the life’s cycle process, so thoughts are born, developing, degenerating, dying, and going or not going to be memorized. It happens that this process designs a sequential circuit which is the foundations of any systems, its beginnings and its ends. The Matrix/DNA Theory has the formula, it should be good that researchers knows about that. We have found that the first initial state of that formula is pure natural waves of light. We have noting that synapses are kind of electric impulses.  Our suspicion is that phenomena linked to light dimension underlies and drives the state of blood circulation. But, without seeing the process of life’s cycle encrypted inside any light motion, the researchers will not develops the right technology for researching.

xxxx

Comentarios postados em: 

http://medicalxpress.com/news/2014-09-video-imaging-brain.html#nRlv

Louis Charles Morelli ·  Top Commenter · September, 08, 2014

My suggestion for next experiments: building phrases made upon the Matrix/DNA formula – there is a natural tendency for identification of such phrases. Any thought or idea is modeled also by the sequences of life’s cycle process – they are born, develops, degenerates and dies, being or not memorised. So, all thoughts designs the same pattern of electric neural circuit. We can do phrases obeying the same model. it happens that any neural circuit is also based upon that formula, so, facilitating more complex communication brain-to brain.
Daniel Macha ·  ·  Top Commenter · Port Angeles

Quantum entanglement knows no distance too great for communication between particles.
Perhaps the same is true for telepathy. If so, is it possible that speed of telepathy is actually much faster than the speed of light?
Louis Charles Morelli ·  Top Commenter · Works at Self employed
Yes, quantum entanglement was the first idea coming to my mind too. But… Matrix/DNA Theory suggests that telepathy is slower than the ëinstenian” speed of light due our media – polluted atmosphere – posting more obstacles to light waves propagation than the dark matter of empty space. Light has no speed because does not know time ( time is merely a unit for measurement created by human beings), accordingly with Matrix/DNA Theory. By the way… the question is opened…
xxxxx

Alerta:

O planeta está mudando e um dia não vai mais suportar a Vida na Terra. Apenas uma minoria terá viajado no Cosmos e encontrado outro planeta para habitar, a maioria perecerá aqui sob choro e ranger de  dentes. Mas não somos como os religiosos que nada estão fazendo para mudar este destino porque acreditam que eles serão salvos porque são escolhidos e privilegiados por Deus, e que o castigo seria Deus ignorando os “pecadores”. Enquanto isso, estes religiosos tentam o máximo possível escaparem da obrigação moral e física de suarem o rosto produzindo o que consomem ao menos, vampirizando assim a energia dos “pecadores”, atrapalhando a evolução deles. Não, nós queremos que todos os humanos, seja branco, preto, amarelo, católico, judeu, muçulmano, capitalista, comunista, todos, se salvem. Nós entendemos que cada ser humano é uma mensagem unica, contem uma informação especifica e indispensável para conseguir nossa transcendência desta forma animalesca, portanto cada humano é um gene, e se um gene for atrapalhado em sua missão, nós, eu, transcendente, nasceremos com um aleijão. Por isso, quando dissemos acima que você pode trazer seus entes queridos para essa minoria, queríamos dizer tambem, que todos os humanos são seus entes queridos. É preciso que você seja mais um agente das mudanças que precisam serem feitas com urgência.

Como Energia em Ondas Move-se no DNA. Pesquisar

domingo, agosto 24th, 2014

xxxxx

Video: Atom/Electron Double Helix DNA wave motion revealed.

https://www.youtube.com/watch?v=Fc3qSkkOGNU#t=27

Muito interessante mas não tive tempo de estudar. Pesquisar isto.

NASA: Como e Porque Apareceu na Natureza Este Fenômeno de Animais Dormindo? Veja Como Isto Estava Escrito nas Estrelas

sábado, agosto 9th, 2014

A NASA está com um sério problema na sua luta para conquistar o espaço sideral – o que significa que é um problema seu, meu, da Humanidade, por três motivos principais: 1) sabemos que este planeta vai parar de sustentar a Vida aqui e temos que desde já começar a buscar a maneira de como nossos herdeiros vão se mudar para outro mundo; 2) 99,9999% das riquezas do Universo ainda estão lá fora, nos esperando, para evoluir nossa tecnologia e nos salvar desta estupida condição atual de meros animais rastejantes no solo deste planetinha perdido; 3) a nossa eterna inquietação existencial precisa de respostas.

O problema da NASA noticiado aqui ( Study Compiles Data on Problem of Sleep Deprivation in Astronauts

http://www.nasa.gov/content/study-compiles-data-on-problem-of-sleep-deprivation-in-astronauts/#.U-ZVw_ldXSg e cujo ” scientific paper”foi publicado aqui :

Prevalence of sleep deficiency and use of hypnotic drugs in astronauts before, during, and after spaceflight: an observational study

http://www.thelancet.com/journals/laneur/article/PIIS1474-4422(14)70122-X/abstract   )…

… é sobre o fato de que astronautas quando em serviço não conseguem dormir o necessário, e isso prejudica seu desempenho, cujo estado de vigília é essencial nestas missões. Por isso a NASA está financiando um grupo de neurologistas, psicólogos, etc. para elucidarem a causa do problema, e um “paper” foi agora já publicado, tambem com link a seguir. Mas…

A maioria dos organismos se adaptaram as mudanças diárias de iluminação, exceto os que vivem sem contato com a luz do Sol e influência das marés.

O pessoal da NASA e a maioria dos intelectuais e cientistas hoje têm um sério problema. Abordam um problema quando ele está no meio de sua existência, e daí observam-no e se limitam a descrever o resto. Não buscam as causas originais, primeiras, do fenômeno observado. E todo e qualquer fenômeno neste mundo, para ser completamente entendido, tem que contar sua história evolutiva regredindo até a sua causa primeira que se manifestou com o Big Bang. Tudo aqui tem a mesma e unica idade – 13,7 bilhões de anos, alcançada através de sucessivas mudanças de formas na longa senda das ancestralidades. Assim o atual “conhecimento cientifico”  é como uma nuvem espraiando sobre a superfície das coisas, nada com penetração na realidade existencial das coisas.  Só na Matrix/DNA estou fazendo isso – pegando cada fenomeno natural e buscando sua total e long história –  por mais absurdo que isso pareça.

Os astronautas tem problema para “dormir”. Mas o que é “dormir”? Porque, quando e como a Natureza inventou este fenômeno, esta cena, que definimos com este nome na nossa linguagem – “dormir”?! Faça esta pergunta à equipe da NASA – e vão imediatamente estourar as champanhas comemorando o fato que descobriram pela primeira vez um ser extra-terrestre. Mas esta seria a primeira pergunta racional e ao não fazê-la, ao não respondê-la, estão determinando mais um caso de longos gastos financeiros em pesquisas que vão se arrastarem vagarosamente no tempo como tem sido todos os casos nas abordagens das grandes e tradicionais doenças que continuam sem solução. Não se domina, não se controla, não se tem poder de fato, não se conhece de fato, qualquer objeto natural, sem conhecer sua história de 13,7 bilhões de anos.

O que significa, qual a causa, de existir um corpo, um sistema natural, em repouso, num estado que dizemos… “está dormindo”? Após responder isto é que vamos procurar a causa do porque um corpo dorme bem e outros dormem mal. Então, se preparem que agora vou leva-los ao Big Bang – pois foi ali que o Universo “acordou” pela primeira vez.

As nossas antigas ancestrais – as primeiras galaxias originais – “dormiam” para enganar a morte, e com isso se auto-reciclavam eternamente. Este artificio, ou “jeitinho maroto das galaxias”, foi herdado por nós – sistemas biológicos – mas como somos ainda mais fracos que as galaxias,  tivemos que dar mais outro “jeitinho”, adaptado às nossas circunstancias terrestres.

Qualquer pedra que cair no solo e ficar em repouso, jamais se levanta outra vez, por si própria. No entanto, corpos “vivos” caem no solo e repousam tambem, porem… milagre!!! … de repente se levantam e voltam a mover-se novamente! Não porque as Leis Naturais vindas com este Universo, já muito bem conhecidas pela Física, determinem que isso aconteça. Não conheço nenhuma lei publicada pelas Ciências Humanas que seja como uma força que seja gerada dentro de um corpo material capaz de tira-lo da posição de repouso. Você conhece? Sei que este fenômeno de haver “movimentos” da matéria neste mundo começou quando ondas de luz contendo a fórmula para sistemas naturais emitidas pelo Big Bang penetrou a dark matter. Sei que a auto-reciclagem dos sistemas astronômicos só pode ser explicada se houver uma força vindo de fora deles – e ao procurar esta fôrça no Universo inteiro, a unica possibilidade que me surgiu é a de que o Universo é rotativo, ou seja, gira sobre si próprio. Ao fazer assim, ele deveria fazer girar uma nuvem de poeira estelar, de uma galaxia morta, a qual cria um eixo central e a partir daí surgiria uma nova galaxia. Então nossas primordiais ancestrais morreriam de fato. Mas elas inventaram um mecanismo de lançar um ramo lateral de si própria enquanto estão vivas, o qual as reproduzem, enganando a morte. Tal mecanismo é facilmente visível na fórmula da Matrix/DNA universal com a qual a Natureza monta os sistemas naturais. Por isso vamos trazê-la para cá, na figura abaixo:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

O corpo humano é um sistema total composto de dois sub-sistemas – o cérebro e o corpo físico abaixo do cérebro. Como sistema-filho, governado e alimentado por este sistema astronômico que nos envolve, o corpo humano tambem deveria “morrer”, após todo cansaço físico, todo stress, pois isto significa ataque pela entropia quando a energia decresce e o sistema degenera, sem possibilidade de retorno. Por isso, mesmo que um ser vivo fique 16 horas inativa, e o sono o invade prostrando-o por terra, o sistema astronomico regula nossos corpos como um relógio, através do que chamamos de “ciclo arcadiano… ou cicladiano? “. Ao cair dormindo, pelas leis naturais um corpo jamais deveria se levantar “vivo” outra vez. Pois qualquer pedra que cair no solo e ficar em repouso jamais se levanta por si própria.   Nós humanos, formados de dois sistemas, aplicamos a mesma tatica dos nossos tataravós celestes, sem o saber-mos, pois quando um sub-sistema – o cérebro – é atacado pela entropia ( o cansaço, stress) e vai “morrer” diariamente, o outro sistema – o corpo – já providenciou o envio de um ramo lateral de seu fluxo circulatório na direção do cérebro, e se mantem ativo e alimentando-o. Quando o sub-sistema corpo é por sua vez atacado pela entropia, é o cérebro que , na calada da noite e sorrateiramente, envia o fluxo lateral, e continua mantendo as funções vitais ativas  fisicas.

Vejamos na fórmula acima quando é que acontece o “dormir”. Tudo começa na F1, quando um vórtice rotativo no meio de uma nuvem de poeira no espaço ( ou quando um óvulo num corpo feminino é fecundado) mistura esta massa com a energia vinda de F4 e gera um novo rebento-peça-órgão para um novo sistema. O novo rebento vai evoluir e transformar-se em varias formas devido ser imbuido do processo recebido das ondas de luz primordiais, processo denominado “ciclo vital”. Ao chegar em F4, o outrora rebento que agor é um adulto maduro começa o que nos sistemas biológicos denominamos “atividade sexual”, e então o fluxo do circuito sistêmico se bifurca, criando um ramo lateral que carrega metade das informações do sistema e metade da energia crescente do sistema, antes que ela comece a decair pela entropia. Esse “cromossoma macho, Y” é F5. Depois disso a metade rstante do fluxo segue seu caminho atacado pela entropia quando a energia decresce, degenera, o sistema se desfaz em fragmentos, de massa. Poeira. Sob um sistema astronômico maior que continua girando, é recriado o vortex central e tudo começa de novo. Ora, enquanto o fluxo de informações está perfazendo o circuito, o sistema está “vivo”, assim como enquanto houver sangue correndo nas veias de um ser humano ele está vivo. Quando o fluxo se desmancha, o sistema morre, está morto. A não ser que… metade de sua alma ficou escondida no meio da poeira, viva ainda. Assim como a mente invisível continua funcionando no meio de um corpo imóvel de um ser vivo. Entendeu? É preciso dizer mais? Está aí onde e como e porque a Natureza aqui na frente dos nossos narizes nos mostra estas cenas de corpos dormindo.  E sonhando.

Porem, antes de termos este corpo físico e cérebro, fomos pequenas e isoladas células, micro-organismos. Neste estado, as células, recém vindas da geração da nossa galaxia, eram muito mais influenciadas e dependentes do sistema astronômico. Tanto que as células tambem dormem ao sentirem a falta ou decréscimo da luz solar, quando o Sol se esconde no outro lado do planeta. para as células, o período da noite é reminiscencia biológica do antigo período da noite do sistema, quando ele ficava oculto dentro da escura nuvem de poeira. para um estudo sério, teremos que considerar tambem a coisa toda ao nível celular.

Mas agora vamos tentar transformar este conhecimento que muitos dizem “inútil”, em algo pratico, para nossa utilidade.  Não existe como entender este fenômeno se não procurar-mos ver, principalmente no cérebro, como ele é uma cópia derivada evoluída deste sistema que tem por estrutura fundamental esta fórmula. Não se esquecendo que a fórmula mostra o estado de sistema fechado em si mesmo, perfeito, enquanto o cérebro se tornou um sistema aberto e ainda não-perfeito.  não tem como entender este processo do “dormir” sem antes localizar-mos e entender-mos a atuação da entropia energética neste sistema. Já tenho percebido que esta entropia produz os radicais livres, produz as plaquetas em volta de neurônios levando a doenças como o Alzheimer, produz a ereção e desejo sexual, a menopausa, etc… E agora o artigo da NASA me faz notar que tambem está envolvida na qualidade do sono. Mas porque em astronautas?

A primeira solução seria evidente: no espaço a ausência gravitacional altera o movimento da energia fluindo nas conexões dos neurônios, e a energia entrópica deve “demorar mais para acontecer”. Mas esta solução não é a unica porque o estudo mostra que a deficiência do sono acontece nos mesmos astronautas ainda antes de viajarem para o espaço.  Talvez reproduzam o estado dc ausência gravitacional dentro das capsulas de treinamento? Provavelmente. Enfim, teríamos que observar os astronautas e re-estudar o problema, mas… por favor… vamos chegar no problema com alguma prévia inteligencia, com algum conhecimento ao novel e dimensão do Cosmos que os astronautas estão adentrando. Sem a fórmula da Matrix/DNA… podem listar mais essa “doença” no mesmo rol interminável dos estudos sobre o câncer, a diabete, o Alzheimer, etc., e esperar mais uma longa história de drogas salvadoras que, no final,  nunca eliminam estas doenças.  Eu, infelizmente tenho que parar essa pesquisa agora para ir no trabalho duro para pagar minhas miseras contas no final do mês… e não tenho acesso à observação direta do problema na NASA. Mas dou a minha contribuição, a fórmula vai de graça…

 

Study Compiles Data on Problem of Sleep Deprivation in Astronauts

http://www.nasa.gov/content/study-compiles-data-on-problem-of-sleep-deprivation-in-astronauts/#.U-ZVw_ldXSg

Prevalence of sleep deficiency and use of hypnotic drugs in astronauts before, during, and after spaceflight: an observational study

http://www.thelancet.com/journals/laneur/article/PIIS1474-4422(14)70122-X/abstract

PESQUISA DA MATRIX/DNA:

1)WIKIPEDIA : Ritmo circadiano ou ciclo circadiano

Some features of the human circadian (24-hour) biological clock

circadian rhythm /sɜrˈkdiən/ is any biological process that displays an endogenousentrainable oscillation of about 24 hours. These rhythms are driven by a circadian clock, and rhythms have been widely observed in plantsanimalsfungi, and cyanobacteria. The term circadian comes from the Latin circa, meaning “around” (or “approximately”), and diem or dies, meaning “day”. The formal study of biological temporal rhythms, such as daily, tidal, weekly, seasonal, and annual rhythms, is called chronobiology. Although circadian rhythms are endogenous (“built-in”, self-sustained), they are adjusted (entrained) to the local environment by external cues called zeitgebers, commonly the most important of which is daylight. ( CONTINUAR A LER)

2) Melatonin Secretion…

3) Wrist actigraphy…

4) Sleep-promoting drugs – procurar as fórmulas quimicas…

Incrível! Existe um Desconhecido Sistema Circulatório no Corpo Humano, e Ninguem Sabia Até Agora?! E envolvido no Cancer, Obesidade?!

quarta-feira, agosto 6th, 2014

Lendo agora êste longo “scientific paper”, em formato de pdf, para depois retornar aqui com minhas conclusões baseadas na fórmula da Matrix/DNA. Se isto for verdade, é revolucionario…, e vai bater com as previsões feitas pela Matrix/DNA há 30 anos atrás!Mas o mais importante é que se me fornecerem os traços deste complexo circulatório, posso monta-los e obter o sistema, baseado na fórmula da Matrix. Isto tudo em busca da eliminação de uma vez por todas destas mortais doenças que assolam a Humanidade.

Bonghan Circulatory System as an Extension of Acupuncture Meridians ( em pdf)

http://www.geneticacupuncture.com/Kwang-Sup%20Soh-PIIS2005290109600418.pdf

Mas… como sempre, ao mesmo tempo que se lê uma tese, é preciso ouvir a oposição, como este post dos céticos ( e ver os links sugeridos no post):

Not a lot out there on this, but given that the research originated in North Korea in the 1960s, its conceivable that it was ignored in the west and warrants further study.  There do seem to be other researchers that have made some headway to establishing that the structures observed exist and are not part of the lymph or blood systems.
That said, even if it were established that a third circulatory system exists, its probably a huge stretch to say that it corresponds acupuncture meridians.  First, it doesn’t look like there has been enough study to demonstrate that  this supposed system can be found throughout the entire body.  Second, we’re talking about structures that have to be dyed with a very  specific type of dye just to be discernible from surrounding tissue, and structures that are so small, they required modern tech to uncover. Third, I would think you could make the case that any system within the body ties in with  acupuncture meridians; blood, lymph or the nervous system (or can be made to tie in given the sheer number of differing meridian maps from the various “schools” of crapupuncture).http://en.wikipedia.org/wiki/Kim_Bong-han
http://en.wikipedia.org/wiki/Primo-vascular_system
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=primo-vascular+system

xxxxxx
PESQUISA MATRIX/DNA:

Primo-vascular system

http://en.wikipedia.org/wiki/Primo-vascular_system

The primo-vascular system (PVS) is a key component of the circulatory system, alongside blood vessels and lymph vessels. It is distributed throughout the entire body and is mostly made up of primo-vessels (PV) and primo-nodes (PN).[2]

Superficial primo-vessels, also known as Bonghan ducts and Bonghan channels,[3] were first reported in 1962 by the North Korean scientist Kim Bong-han. However, it was not until the late 2010s that other researchers confirmed Kim’s earlier findings.[4]

( CONTINUAR AQUI)

Mais Uma Descoberta da Matrix/DNA: O que é e como acontece a Expressão dos Genes

quinta-feira, março 20th, 2014

A expressão de genes ( a ativação funcional dos genes dentro de uma célula) é um processo fundamental para a vida. Um importante passo neste processo é a síntese de proteínas, onde os amino-ácidos, os building blocks que compõem o filamento da proteína, são conectados juntos como as pérolas num colar. Mesmo pensando que este mecanismo tem previamente sido descrito detalhadamente, alguns “estocásticos” aspectos tem sido negligenciados: na cadeia de eventos que caracterizam a síntese de proteínas há um certo componente de acaso, que influencia o tempo que é utilizado para a proteína ser montada. No link a seguir, foi publicado uma oportuna novidade sobre este assunto:

Science Codex

Protein synthesis and chance

http://www.sciencecodex.com/protein_synthesis_and_chance-126951

posted by news on january 29, 2014 – 4:01pm

Recentemente foi publicado no jornal Physical Review E um estudo de uma equipe do SISSA que tem investigado este aspecto e que descreveu o processo de translação de proteínas com um modelo matemático. No meu entender, estes cientistas desconfiaram que o processo seja apenas casuístico, que talvez existiria uma maneira de controla-lo, e o método escolhido foi a Matemática. Mas antes de lê-lo, permita-me informar que a leitura do artigo me induziu a observar a fórmula que denominei “Matrix/DNA” e que penso ser a fórmula que a Natureza tem usado para criar todos os sistemas naturais, desde átomos a galáxias a corpos humanos… e agora para desenvolver este novo sistema que denominamos de mente ou auto-consciência.  E dessa observação concluí que existe uma causa inteligível para o processo, que ele pode ser entendido e controlável, mas não aplicando-se a Matemática, e sim, a própria biologia da vida, com seus mecanismos e processos.

Eu já sabia qual o significado das proteínas para os sistemas biológicos (ditos “sistemas vivos”): proteínas representam – na organização biológica da matéria – o circuito sistêmico esférico da Matrix, nos trechos em que o corpo que rola no circuito porque animado pelo ciclo vital, salta de uma forma para a outra, sem estacionar ou apresentar completas as formas intermediarias. Portanto, proteínas representam o aspecto das ondas do tempo no circuito, enquanto os corpos ou partículas representam objetos no espaço do circuito. Para clarear esta definição, pense no álbum de fotografias da sua vida onde tem apenas seis ou sete fotos, cada uma representando seu corpo nas varias formas etárias, desde uma foto na sua forma de baby, depois de criança, adolescente, etc. Seu corpo muda de forma a cada minuto pois células morrem e são substituídas por outras sempre diferentes em algum minimo detalhe, mas no seu álbum não estão todas as milhares destas diferentes formas. Estes espaços de tempo entre uma forma e outra é representada na formula da Matrix por setas curvas, as quais representam a onda do tempo transcorrido entre duas formas. Quando a Matrix se tornou biológica, muitos das suas arquiteturas foram feitas com algumas formas fixas, como no seu álbum de fotografias. Assim são os diferentes genes: cada gene representa uma forma do corpo que rola no circuito, seria impossível ou desnecessário representar as milhões de formas diferentes do corpo do sistema no DNA.

Mas para isso ficar melhor entendido vamos trazer para cá a fórmula da Matrix:

 

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Observando a fórmula acima, vemos que o circuito sistêmico externo é formado de setas e corpos denominados “funções”. Quando esta fórmula está operando no nível genético das células, as setas são substituídas pelas proteínas, e as figuras das funções, que representam formas do corpo em determinadas faixas etárias, por genes. O sistema inteiro, pelo DNA. Isto nos conduz a notar algo muito interessante, a fazer uma pergunta, por exemplo: “Quem foi o senhor Joaquim que morreu ontem? Acho que o conheci a 20 anos atras quando morei nesta cidade, Como era a aparência dele?” Ora o Joaquim morreu velho e já corcunda e se quisermos responder ao forasteiro teremos que calcular como era sua aparência a 20 anos atrás. Na verdade nós não somos apenas uma pessoa, se levar-mos em conta as transformações efetuadas pelo ciclo vital, nós somos milhares em um. Tanto que se fossemos apresenta o que fomos em vida numa foto seria impossível, teríamos que apresentar um filme com duração de 80 anos. Mas por incrível que pareça, o DNA é isto: uma foto apenas contendo todas as milhares de formas diferentes de um organismo, na forma de genes.  Por isso que quando chega a hora certa ele leva-o a envelhecer: ele esta apenas expressando uma forma sua futura que ele já continha desde seu nascimento! De fato, a Matrix é sempre uma traquinas nos aprontando estas peças, nos fazendo notar coisas que nunca havíamos pensado antes, apesar de existirem sob nossos narizes.

Em cada etapa de sua vida você tem mudado não apenas a forma de seu corpo, mas também a sua função como individuo, principalmente dentro das duas novas formas de sistemas que criamos: o familiar e o social. Enquanto baby a sua função é garantir a perpetuação da espécie apesar de não realizares nenhum trabalho útil, e enquanto adulto sua função de pai, mãe, traz consigo a sua função produtiva no sistema social. Por isso, na fórmula da Matrix, apesar de estar representando um corpo sendo transformado pelo ciclo vital, eu achei melhor colocar nas sete formas fixadas, não os nomes de baby, criança, adulto, etc., e sim o nome de função seguido de um numero. Pois a Matrix vale para todos os sistemas, e muitos sistemas, como átomos e galaxias, teria que ser explicado que adolescente é o elétron na terceira camada eletrônica, ou o planeta na galaxia, ou ainda o ribossomo na célula, etc. Vamos trazer para cá mais uma figura representando a fórmula, agora com as funções trocadas por formas reais produzidas pelo ciclo vital, num corpo humano e num corpo astronomico:

Human and Earth Life Cycle by MatrixDNA

Human and Earth Life Cycle by MatrixDNA

Mas se o jovem tem uma função e o adulto tem outra, esta mudança de função não ocorre de um momento para outro, ela vai mudando lentamente, tomando talvez uma década. E o DNA não precisa esperar essa década, ele faz um novo gene representando a forma adulta dando um certo salto no tempo depois que fez os genes representando as formas do jovem. Porem aí ele tem um problema: quando chega o RNA trazendo uma mensagem de que a célula ou o organismo necessita urgente realizar uma operação, e o responsável por essa operação é um dos genes da forma adulta, como ele pode acionar apenas aquele gene sem ter que fazer um gene inicial na forma de mórula e leva-lo por todas as fases até atingir a forma requerida? Eu ainda não refleti o suficiente sobre essa questão, mas sei que aí entram as proteínas. Uma determinada proteína representa o trecho do circuito, digamos, da seta entre a F2 e F3. Se ela continuar alem da F3 ela se tornaria uma partícula, a ferramenta fixa executando a F3. Mas para isso existe o Gene F3, ela apenas representa todas as formas anteriores e por isso ela vai direto executar a função daquele gene e não de qualquer outro. Entendeu? Nem eu que já estou escolado em pensar na Matrix  ainda não entendi muito bem, mas sei que é por aí.

É difícil de entender e necessita mais estudo porque realmente a coisa é complexa. Por exemplo, suponha que me viesse alguém agora que estou velho, me pedindo para resolver um problema que precisa aplicar raiz quadrada e função trinomial. Eu iria desejar estar na minha forma adolescente quando estudava no ginásio e tinha estas formulas frescas na memória, agora já não consigo me lembrar delas. É ilusão pensar que quanto mais madura uma pessoa se torna mais capaz de realizar qualquer tarefa, pois tem tarefas que podíamos fazer quando mais novos e quando velhos, já não somo mais capazes. Então imagine este problema no nível do DNA, quando tem que rapidamente expressar os genes certos para produzirem as proteínas certas para uma determinada operação. Talvez a operação exija uma tarefa inicial que é executada pelo gene da F3, uma tarefa seguinte que só pode ser feita pelo F1 e a seguinte tarefa novamente pelo F3… Isto nos tomará muitos anos de estudo.

Mas os diversos e quase infinito números de funções que existem intermediarias às sete fixadas na fórmula também têm seu ponto fixo no circuito, cada uma delas. Digamos que o organismo requer uma operação que seria executada no ponto F3 – 0,1674965… E em seguida outra função no ponto F3 – 0,85328543… Ora, a proteína emitida pelo gene em F3 para executar a primeira operação seria mais curta que a outra, e sua tradução demoraria menos que a outra. Uma tomaria menos tempo para ser montada que a outra. Claro! Mas para um observador que nada sabe da Matrix, e portanto não interpreta a existência de proteínas pelo mesmo significado que penso ver nelas, não existe razão lógica para essa variação de tempo, por isso o texto acadêmico diz que “a diferença de tempo contem uma certa dose de acaso”, e isso “afeta a tradução podendo produzir mutações ao acaso”. Eu concordo que numa tarefa mais demorada, existe muito mais chances de ocorrer erros que numa tarefa mais curta. Principalmente porque à medida que aumenta o numero do ponto no circuito, aumenta a complexidade da função, e complexidade envolve mais erros que tarefas simples. Então, à primeira vista, fico com o pressentimento de que o conhecimento fornecido pela Matrix seria inútil, algo como uma cultura inútil. Os acadêmicos simplesmente observaram uma parte de um evento e concluíram pelo óbvio, passando a navalha de Occam no problema. E seguindo sempre a orientação do método reducionista cientifico, perdidamente baseado na Física e Matemática, vão aplicar a Matemática para tentar abordar o problema das doenças humanas. Eu tive que dar uma volta por todos os sistemas do Universo, pensar em átomos, galaxias, ondas do tempo e partículas do espaço, etc, perdidamente baseado no método sistêmico, para chegar à mesma conclusão. Mas será isso mesmo? Já disse alguém que o acaso é desconhecimento de causas. Qual a diferença entre um pesquisador que acredita na mutação pelo acaso buscando a cura para uma doença e outro pesquisador que sabe qual a causa da mutação? Esta resposta só a teremos quando alguém de dentro da Academia descobrir a fórmula da Matrix e os pesquisadores imbuídos do conhecimento da Matrix atacarem estas doenças tradicionais que continuam torturando e matando humanos por milênios, sem que até agora se tenha encontrado suas curas. A resposta virá se estes pesquisadores encontrarem ou não as curas.

A seguir copio o artigo aqui ( os grifos são meus), pois necessito ler e reler e fazer a pesquisa de cada detalhe, alem de tentar entender este trabalho e técnica destes autores, os quais, para mim, são os verdadeiros e maior heróis da Humanidade, pois dedicam suas vidas buscando o beneficio para todo ser humano, alem de serem os fornecedores de dados nos quais tenho me apoiado para a elaboração das minhas teorias.  A Matrix/DNA se apóia sobre os ombros de gigantes, a verdade tem que ser sempre lembrada.

In mathematics, a stochastic system refers to a process that is subject to random changes, which fluctuate, however, around an average value. For the sake of simplicity, the system can be described considering only the average value, i.e., in a “deterministic” manner, where, given the conditions, the variable can assume only a single definite value. In actual fact, however – and this is true for many biological processes – the “cloud of values” that a variable can assume when the process is repeated over time can affect the efficiency of the process.

A group of scientists at SISSA has analyzed the stochastic nature of the protein translation process, testing it with computer simulations. “We considered a specific aspect of translation: the distribution of binding times (BT) that is the time needed for tRNA (a molecule capable of transporting amino acids) to carry the proper amino acid to the ‘matrix’ (mRNA) which ‘prints’ the proteins according to a specific code”, explains Pierangelo Lombardo, who carried out the research together with Luca Caniparoli – both from SISSA. “This time interval is not always the same, but it varies in a more or less random manner”.

“Imagine you know there is an average BT value, for example 1, which can be used conventionally when describing the system. In actual fact, however, each time we observe the process the value may be 1.1, 0.9, 0.7, 1.3 and so on. The value assumed each time by the BT changes in a stochastic, though not completely random, manner because it distributes into a cloud with a specific shape around the mean”, continues Lombardo. “The shape of this cloud is not indifferent, as it has an effect on the time needed for process of protein synthesis. What we found in our study is that the BT fluctuates more (i.e., the cloud is more spread out) than previously thought and consequently so does the time needed for protein translation”.

“Observations like this extend our knowledge on protein synthesis processes”, he concludes. “Knowing how translation times decrease and increase may also be useful to understand under which conditions these mechanism can fail”.

More in detail…

Gene expression consists in building proteins (or other macromolecules) starting from the genetic information contained in the DNA. The process occurs inside the cells. The original matrix of proteins are genes, small parts of DNA contained in the cell nucleus. The sequence of elements (nucleotides) making up the DNA contains the information needed for building proteins.

Simplifying the process greatly, we can say that first a sort of carbon copy is made of the sequences encoded in the gene. This first step is called “transcription”: a portion of DNA is copied into a small RNA molecule, termed mRNA or messenger RNA. This portion travels to the parts of the cell where the second step, translation (or protein synthesis), takes place with the help of structures called ribosomes which “read” the mRNA sequence and collect the material needed to build the protein.

Proteins, in fact, are made up of long chains of amino acids, the tiny building blocks normally found dissolved in the cytoplasmic fluid. Some small RNA molecules, called tRNA and different from mRNA, bind specifically to amino acids giving rise to tRNA-amino acid complexes. These complexes then go and interlock, like the teeth of a zipper, with the chain of mRNA, one after the other into the proper sequence of amino acids, which bind to each other to form the strand of protein.

Source: International School of Advanced Studies (SISSA)

xxxxx

Pesquisa da Matrix/DNA:

Stochastic – ( From Wikipedia )

In probability theory, a purely stochastic system is one whose state is non-deterministic  (i.e., “random”) so that the subsequent state of the system is determined probabilistically. Any system or process that must be analyzed using probability theory is stochastic at least in part. Stochastic systems and processes play a fundamental role in mathematical models of phenomena in many fields of science, engineering, and economics.

Stochastic comes from the Greek word στόχος, which means “aim”. It also denotes a target stick; the pattern of arrows around a target stick stuck in a hillside is representative of what is stochastic.

Biology

In biological systems, introducing stochastic “noise” has been found[by whom?] to help improve the signal strength of the internal feedback loops for balance and other vestibular communication. It has been found to help diabetic and stroke patients with balance control.[6] Many biochemical events also lend themselves to stochastic analysis. Gene expression, for example, has a stochastic component through the molecular collisions — as during binding and unbinding of RNA polymerase to agene promoter — via the solution’s Brownian motion. ( continuar a ler)