Archive for the ‘Pesquisas da Matrix/DNA’ Category

Cerebro e Matrix/DNA: Inteligencia Surge de Um Algoritmo no Cerebro Humano

domingo, março 26th, 2017

xxxx

https://futurism.com/new-clues-hint-at-the-imminent-release-of-teslas-newest-model/

Intelligence May Stem From a Basic Algorithm in the Human Brain

A theory posits that the all of our thoughts are a function of a basic algorithm, N=2^i–1.

This development may be huge for AI, since artificial neural networks operate much like the brain, applying this formula may be the key to true intelligence.

 

The brain’s formula

The Scientific Paper:

Brain Computation Is Organized via Power-of-Two-Based Permutation Logic

http://journal.frontiersin.org/article/10.3389/fnsys.2016.00095/full

Original Research ARTICLE

Front. Syst. Neurosci., 15 November 2016 | https://doi.org/10.3389/fnsys.2016.00095

Meu comentario publicado no paper da Frontier:

I am a layman in this specific area, but from my specialized field I think I can offers a new insight to the authors about this “flexible behavior”. My theoretical results are suggesting ( since about 30 years ago), a general natural formula for all natural systems, and the brain’s structure for this process called “intelligence” must obey that formula. It happens that the formula is an algorithmic representation (as you can see the formula at my website). So, in this case my models has predicted yours findings.
The difference is that my algorithmic formula is a kind of “living process”, than, the flexible behavior, while yours mathematical algorithm is not. Thoughts mimics biological or living processes, they are developed by a life’s cycle common process. That’s the secret of creation, autonomy, etc., which, AI does not have it, yet. I had no time for learning yours mathematical development for arriving to yours formula and making comparisons with my formula, for to perceive where are the differences. I think this work can help you developing yours research and knowledge on this issue. Cheers…

Pesquisar:

  • Theory of Connectivity ( proposes that the origin of intelligence is rooted in a power-of-two-based permutation logic (N = 2i–1), producing specific-to-general cell-assembly architecture capable of generating specific perceptions and memories, as well as generalized knowledge and flexible actions.)
  • Muito importante a pesquisar aqui: We show that this power-of-two-based permutation logic is widely used in cortical and subcortical circuits 
  • modulatory neurons, such as dopaminergic (DA) neurons – use a simpler logic despite their distinct subtypes.

 

Oportunidades de Divulgacao: Cientista Italiano com meu nome. Pesquisar os Papers

domingo, março 26th, 2017

xxxxx

Pesquisar se algum destes papers sao relacionados `a Matrix/DNA para contactar L. Morelli. Suas areas sao neurologia e astronomia! Justo o vasto horizonte da Matrix/DNA. Ele se interessaria em amalgamar as duas areas.

Metabotropic glutamate receptors and brain ischemia: differential effects on phospoinositide turnover in young and aged rats.

  • P Lorenzini
  • S Pestalozza
  • S Fortuna
  • L Morelli
  • M T Volpe
  • A Meneguz

 Annali dell’Istituto superiore di sanità

Cerebro E Relogio Biologico: Poder dos Astrocystes

domingo, março 26th, 2017

xxxx

Astrocytes Keep Time For Brain and Behavior

http://neurosciencenews.com/astrocytes-behavior-time-6292

Neuroscience News –

xxxx

Pensava-se que o ciclo circadiano ( relogio biologico) era regulado por um gene e 20.000 neuronios que estao numa regiao ( the suprachiasmatic nuclei, or SCN ). No meio destes neuronios estao 6.000 astrocystes que sao celulas na forma de estrelas. Pensava-se que estes astrocystes nao tinham funcao importante apenas estavam ali para encher espaco. Depois descobriu-se que os genes do tempo estao presents em quase todas as celulas do corpo, desde pulmoes, estomago, etc. Agora descobriu-se que os astrocystes se conectam com neuronios (uma conexao de sinapses tripartite, tendo um astrocystes no meio de dois neuronios) e que estes astrocystes tem a capacidade de regular o tempo. Brilham e apagam ritmicamente. E descobriu-se que eles tem mais poder que os neuronios sobre o tempo, ou seja, o poder estava escondido atras do trono e nao sentado no trono. ( Entao estaria errada a hipotese de que a glandula pineal capta a luz como uma antena e campos magneticos da Terra?)

 

Image shows astroyctes.

In this slice of the master clock, cells expressing an astrocyte-specific structural protein that had been stained red (top right panel) matched up well with cells that had been equipped to fluoresce green when they were expressing a clock gene (middle right panel), demonstrating that the scientists could watch astrocytes tick in the clock. NeuroscienceNews.com image is credited to Herzog Lab.

xxxx

Pesquisar:

 – the suprachiasmatic nuclei, or SCN

Sistema Imunológico: Como a Natureza o Inseriu nos Sistemas Biológicos?

sexta-feira, março 17th, 2017

xxxxx

Vídeo da batalha entre vírus e anticorpos. Mas antes de assistir…

A humanidade esta’ pagando um preço muito caro por ainda não ter entendido a Natureza. Milhões, bilhões de humanos continuam sendo barbaramente torturados por doenças absurdas sem que a nossa Ciência nada consiga fazer para salva-los. Mas a Ciência não tem culpa disso, ela oferece a visão e os instrumentos suficientes para esse entendimento da Natureza. A culpa esta sendo dos humanos, cuja racionalismo esta empacado pela mistica. Soma-se `a esta imaginação infantil criadora de fantasias que impede a humanidade sair de sua infância e entrar na fase adulta, os interesses mesquinhos materiais e a arrogância dos humanos que se apoderaram da Ciência. A Natureza se abre como um livro para o estudante humilde e bem intencionado, mas para entende-la é preciso uma razão muito naturalista e concentrada no esforço de aprender com admiração, pois nas suas profundezas a Natureza universal, que produziu átomos, galaxias, elefantes e humanos, é muito, mas muito complexa…

Um exemplo é a moda cientifica atual de procurar e delegar as doenças a genes, um pequeno amontoado de átomos. genes teriam propósitos, como o de dirigir organismos complexos a se reproduzirem, sendo que genes não possuem o menor resquício sequer de algum principio de sistema nervos, quanto mais inteligência para ter propósitos para o futuro…Assim nunca vão erradicar as doenças mortais que a milênios estão ai’, torturando e matando humanos. Enquanto isso, esta’ visível que os genes pertencem a um sistema – o DNA – e que agem por comandos deste sistema. Mas a inteligencia humana se desviou do foco em sistemas naturais a seculos, e sem conhecer algo de sistemas naturais não se vai nunca descobrir a causa destas doenças.

Temos aqui outro exemplo, um vídeo tecnicamente muito bem feito, porem, revelando um conhecimento superficial que jamais resolvera’ o mal que ele relata.

Não faça como todo mundo, tal como se estivessem assistindo uma batalha mas sem saber quais países estão guerreando, quais armas e meios de comunicação estão sendo aplicados, sem conhecer os generais e presidentes dos países, porque estão guerreando, etc… No final, você viu uma batalha, viu o território onde foi realizada, mas saiu sem saber mais nada. E você ouviu um narrador contando a batalha, sem explicar nada.

Lembre-se que células e vírus nem sistema nervoso possuem, quanto mais um cérebro, o qual seria necessário para explicar as operações complexas nesta batalha. No filme, uma simples célula, sai de um rio de sangue, sobre nas margens, atravessa um longo território, passa por milhares de outras células, e vai diretamente sobre uma célula, adentra-a e la dentro encontra o que saiu a buscar: vírus. Ora, nem macacos com cérebros conseguiriam fazer isso, talvez nem humanos sem aparelhos técnicos. Mas para ela se decidir a sair do rio, recebeu antes a visita de uma outra célula que lhe trouxe uma ordem de comando para fazer aquilo. Ora, células não poderiam se comunicarem desta maneira.

Então qual a causa desta batalha que se torna tao complexa apenas imitada por humanos inteligentes? A resposta é simples, porem desconhecida de todos os envolvidos nestas observações. Acontece que cada célula possui átomos e estes, elétrons. Estes elétrons são invadidos por partículas de luz, chamadas fótons, como estas que vem do sol. Estes fótons vieram de um sistema completo e funcional, muito simples (abaixo mostrarei a face deste sistema). O sistema de onde vieram foi fragmentado em seus bits-informação, registrados nestes fótons, cada fóton é uma informação que continua ativa, e quando se encontram em qualquer outro lugar, tendem a se enfileirarem numa sequencia ordenada que é a mesma sequencia de posições que estavam no sistema desfeito. E assim tentam reconstruir materialmente o hardware, a arquitetura física, do sistema de onde vieram. Se o sistema reconstruído é uma célula, ela vai contem uma rede de network formada por estes fótons dentro dos elétrons de suas organelas e demais substancias. Depois de construírem as células, estes fótons usam-nas para construir organismos, pois buscam repetir a incrível perfeição do sistema de onde vieram.

Você vai assistir uma batalha dentro de um organismo, entre células e vírus. Os vírus também não sabem o que fazem, eles jamais teriam a capacidade para sair de um meio formado de células para entrarem num rio de sangue e irem pescar diretamente apenas um tipo único exclusivo de peixe, chamado de célula CD4.

Tanto células como vírus estão aqui movendo-se sob o comando de uma entidade de um sistema, na forma de uma maquina quase perfeita. Cada tipo de célula ou vírus representa uma peça dessa maquina, e peças funcionam sem intenções, percepções, inteligencia. Elas não se movem por si mesmas, são movidas pela engrenagem, e determinadas a fazerem um tipo de movimento. Depois do vídeo vou apresentar o sistema de onde vieram as informações que compõem o quadro onde se realiza a batalha. Você vera que neste sistema, e a bilhões de anos atras, muito antes das origens de células e vírus, a peça representada pelos vírus são movidas de uma posição e dirigidas para um único local exato. Então a célula alvo dos vírus, representa naquele sistema, a peça que esta naquele local naquele momento.

Apenas conhecendo-se a formula dos sistemas naturais, a formação de sua identidade e capacidade de controle do todo interno, mais seu aspecto hardware/software, realmente se entende e conhece este processo complexo. A unica outra alternativa racional seria a de uma montagem inteligente, porem, tendo-se conhecimento da formula não se necessita desta alternativa… a não ser que a formula – que surgiu no meio desta Natureza impressa em ondas de luz desde o Big Bang – tenha sido criada com inteligencia alem deste Universo.

Bem, aqui esta a “alma” do sistema que criou vírus, células e organismos.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Já foi detectado que os vírus são os representantes biológicos da função 5, ou F5. Produzidos em F4, se dirigem a F1. Então a célula alvo na corrente sanguínea esta’ representando F1. Os vários tipos de células que formam o sistema de defesa são peças formadas na sequencia desta formula pelo processo do ciclo vital. Então temos que identificar qual é F2, F3, e assim por diante. Quando o vídeo diz que a célula tal se dirige a outra célula tal e lhe passa uma informação é preciso entender que são representantes de duas funções vizinhas no circuito da formula. Uma célula, digamos, F2, se dirige apenas a F3, sem possibilidades de errar, pelo mesmo motivo que o ciclo vital faz com que a forma criança de um humano se dirija a forma de adolescente e esta a forma de adulto, pois não teria como um adolescente errar e ir para outra forma senão a de adulto.

Uma questão ainda não respondida pela Matrix/DNA. O nosso ancestral sistema astronomico, na sua forma de sistema fechado, não realizava qualquer troca com o mundo externo, portanto, devia ter um mecanismo impedindo invasores. Mas provavelmente se tratava apenas de um campo magnético, assim como o planeta Terra se defende. Existiria outro mais eficaz?

Porque senão existia, o sistema de imunidade biológica foi um salto demasiado grande na evolução… não vejo a base solida para dar esse salto. E como não vejo uma função sistêmica capaz de exercer esta função de defesa, suspeito que isto seja produto da entidade do sistema.

Observando o vídeo:

  1. A corrente sanguínea imita o circuito esférico da formula para sistemas. Enquanto no circuito trafega energia e fótons na forma de informação, na corrente sanguínea trafegam muitos elementos, como nutrientes, células, etc.
  2. A entrada de vírus na corrente seria como a entrada de meteoritos ou qualquer outro invasor dentro do circuito astronomico. Desde que o circuito é um corpo rolando no espaço/tempo, estes invasores também no sistema astronomico adentram o corpo do sistema.
  3. Porque os vírus atacam o Linfócito CD4 (pesquisar), e não os outros elementos? Porque atacam diretamente os policias, os soldados do organismo? O que os informa, ou como eles sabem que são os soldados e não os civis, os primeiros a serem eliminados? Porque vírus e linfócitos são opostos entre si? Ou seria uma relacao predador/presa? Tera’ o linfócito, e apenas ele, um tipo de nutriente preferido pelos vírus? ( Ver a composição atômica e molecular dos dois).
  4. Com a morte dos linfócitos, macrófagos são atraídos pelos vírus. O que produz os macrófagos e como sabem que tem vírus? Pesquisar ou rememorar o que são macrófagos. Morreu a infantaria, agora vem a policia montada.
  5. Macrófagos passam uma informação aos linfócitos CD4, os quais se ativam. Ora isto é uma network! Coisa da entidade do sistema. Mas o que significa passar informação e o que significa ficar ativado, a nível molecular?
  6. Linfócito CD4 informa linfócito B e CD8 para ficarem ativados… ( eles não possuem radio ou telefone, tem que ter mensageiro levando as mensagens em mãos). Isto esta’ parecendo mais uma repetição do ciclo vital. Seriam as varias formas de linfócitos produzidas na sequencia do ciclo vital?
  7. Linfócitos CD8 saem da circulação sanguínea… Sera’ que vão combater os vírus no local que entram para invadir?
  8. Hummm… vão para as células infectadas pelos vírus. Apenas quando os vírus entraram na corrente sanguínea alertaram o sistema de defesa. Quer dizer que este Sistema não capta quando as células são invadidas?
  9. Os CD8 matam as células infectadas com vírus! Bons médicos…
  10. Linfócito B vai ao gânglio para produzir anticorpos… O que são gânglios? Como eles se encaixam na formula da Matrix/DNA? Como esse linfócito sabe que tem de ir la? E os linfócitos já não são, em si mesmos, anticorpos?
  11. Linfócito B sai dos gânglios carregado de anticorpos… e volta para a corrente sanguínea. Hummm… fazendo o papel de RNA-mensageiro e RNA-transportador?
  12. Então foram ativados dois tipos de linfócitos: um tipo para matar as células infectadas, e outro para produzir anticorpos e atacarem os virus dentro da corrente sanguínea… Mas os anticorpos não matam os virus, apenas os cercam, neutralizando-os. Entao vem os macrofagos que comem os virus na corrente. FIM

Raios! O que significa “inteligencia”? Senão um método complexo de apresentar resultados? E não acabamos de assistir um método complexo apresentando resultados? Eximias estrategias militares. Qual a diferença entre o método destas pequenas criaturas e o método dos humanos? Então existe inteligencia no mundo microcósmico? E antes das origens do homem?  Seriam estas pequenas criaturas, células, vírus, inteligentes?

Tem algo desconhecido ai’. Tem uma inteligencia dentro deste meio ou atuando neste meio desde fora. Se estiver dentro do meio, significa que a Natureza é e sempre foi inteligente, mesmo antes das origens do homem. Então… o que é “Natureza”? Mas se tiver fora… Seria a tao sugerida face software que a Matrix/DNA esta’ sugerindo existir em todo hardware-sistema? Tambem natural, porem imperceptível aos nossos sentidos?

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Pesquisa: (ver linfócitos,macrófitos,gânglios)

  1. Linfocito CD4:

 

Linfócito é um tipo de leucócito (glóbulo branco) presente no sangue. São produzidos pela medula óssea vermelha, através das células-tronco linfoides…

Obs: Bem,… então antes temos que ver o que é leucócito.

Os leucócitos, também conhecidos por glóbulos brancos, são um grupo de células diferenciadas a partir de células-tronco pluripotenciais oriundas da medula óssea e presentes no sangue.

Obs 1: medula óssea, base da produção do sistema imunológico, seria o campo do campo magnético?

Obs 2: as células troncos não devem serem diferenciadas, seriam as primeiras células formadas na fecundação. A partir delas começa a diferenciação celular mas veja no quadro seguinte algo bem interessante:

xxxx

Obs: As primeiras células não são diferenciadas entre si, portanto iguais – e que devem formar a morula – se diferenciam em apenas dois tipos de células, as quais são ainda indiferenciadas. Um tipo, a mieloide, é que vai se desdobrar nas muitas células diferenciadas que vão compor a estrutura sistêmica e funcional do organismo. Mas o outro tipo é o grande mistério. Ele parece surgir como um ramo lateral vindo de algo estranho `a estrutura. E’ a célula indiferenciada linfoide. A partir dela vai surgir vários tipos de células diferenciadas, mas todas tem como unica função a defesa do sistema. Isto parece uma nova invenção no Universo, o mecanismo de auto-defesa ( porem a Matrix diz que isto não pode acontecer, este Universo não pode produzir nova informação do nada). A não ser que…

Isto me lembra o planeta Terra. Ele foi formado por material visível – poeira gazes – formando uma mistura indiferenciada e esta vai produzir a estrutura do planeta, vai se diferenciar em rochas, água, etc. Afora isso, e depois de estruturado surge um segundo elemento, invisivel, que parece vir de fora da linhagem hereditaria solida dos astros: o campo magnetico. E este exerce a funcao de defesa do planeta.

Isto sugere que … A CELULA TRONCO TENHA UM CAMPO MAGNETICO…!!!

Ou uma substancia biologica que imite ou represente os campos magneticos?

Não gosto disso. Parece que estou descambando para a metafisica. Mas busco a verdade, esta esta’ com o Universo, e o Universo esta’ pouco se lixando para o que eu gosto ou não…

Bem,… em varias outras situações a formula tem sugerido que todos os sistemas naturais tem como contrapartida um campo magnético, inclusive sistemas vivos. O qual – e aqui avançando muito na especulação – poderia ser a “identidade do sistema”.

Devo continuar este estudo. Parei na Wikipedia vendo leucócitos e linfócitos… 

Doutores Alertam que na America o vicio das drogas esta devastador e fora de controle

domingo, março 12th, 2017

xxxx

A falta de uma visao de mundo forte e convincente com uma grande missao a realizar deixa estes jovens a merce das drogas. Num estado que era exemplar como um santuario de disciplina, como New Hampshire, leva doutores a alertarem que apesar de ja terem trabalhado contra varias epidemias no mundo, nunca viram algo tao devastador e fora de controle como o vicio das drogas no estado. A divulgacao da cosmovisao da Matrix/DNA teria dado Resistencia e desviado muitos destes jovens deste tragico destino, como ela fez comigo.

New Hampshire’s opioid crisis getting out of control

Submitted by Emma Tiller on Sat, 01/21/2017 – 09:38

http://nashuavoice.us/content/57792-new-hampshire-s-opioid-crisis-getting-out-control

Fenomenos Parapsicologicos _ Lista dos Scientific Papers

segunda-feira, março 6th, 2017

xxxxx

Selected Psi Research Publications

http://www.deanradin.com/evidence/evidence.htm

Desde cura a distancia, telepatia, sobrevivência da mente apos morte, etc.

Teoria do Principio Antrópico e Diferença da Teoria da MatrixDNA

domingo, março 5th, 2017

xxxx

Sugestão da MatrixDNA Theory

Racionalmente pensando, o Universo apenas pode gerar arquiteturas naturais aplicando o mesmo método pelo qual ele foi gerado. Por isso corpos humanos apenas podem gerar humanos e não girafas ou automóveis, e pelo mesmo método que eles foram gerados. O Universo não pode criar novas informações do nada, por magica, para inventar métodos que ele não tem informações para.
Acontece que Universo é apenas um aglomerado de galaxias, que evoluiu desde o Big Bang a este topo evolucionário e nada indica que exista algo mais complexo que galaxias. A evolução no sentido cosmológico parou nas galaxias, o universo agora apenas cresce em tamanho. Não é um sistema funcional e sim uma massa de sistemas. Isto é igual, na geração de corpos humanos, quando o corpo feminino produz a placenta, o amnion. Então o Universo estava tunelado para se tornar a infraestrutura placentária. E assim como na geração humana o que produz um sistema funcional dentro da planeta é um código genético – o DNA – assim também no Big Bang deve ter emergido um código para produzir um sistema interno. Na cosmovisão da Matrix/DNA Theory este código foi localizado na onda total de luz que se forma pela radiação no espectro eletromagnético. A forma como essa onda de luz surge e se propaga no tempo/espaço é pelo mesmo processo que produz os ciclos vitais dos corpos humanos, e separando-se as faixas de frequência/vibração dessa onda, aplicando-a sobre a dark matter surge um sistema atômico, e como um código ou formula ela conduz este sistema a evoluir para as formas de sistema estelar, galáctico, celular, humanos. Temos encontrado esta formula na infraestrutura de todos os sistemas naturais, inclusive na unidade fundamental de informação do DNA.
Não o Universo não foi programado para criar a vida nem humanos, estes são apenas resultados do processo de reprodução num estilo genético/computacional quântico do sistema desconhecido que produziu o universo. Mas, lembre-se, isto também é ainda apenas uma teoria, tal como é a do principio antrópico.
xxxx

Como funciona o princípio antrópico

princípio antrópico

Tudo leva a crer que a existência de vida na Terra decorra de uma enorme e complexa coincidência de múltiplos fatores. Mas há cientistas que pensam diferente. Para uma parte deles não foi o acaso que fez isso acontecer. Esses cientistas têm procurado provar que o propósito de existência do Universo e de todas as leis que o governam é justamente possibilitar o surgimento de vida inteligente no nosso planeta. Assim, do Big-Bang ao emaranhamento quântico, tudo conspira intencionalmente para um único fim: a existência do ser humano, o nome dessa controversa ideia, que coloca o homem não só como centro mas também como a razão de ser do Universo, é princípio antrópico.

Assim o Universo seria do jeito que é não por acaso, mas sim pela simples razão de que ele se desenvolveu sob medida para permitir o florescimento da vida humana. Essa visão quase divina da existência e do significado do Universo, levada adiante por importantes cientistas, é inspirada por várias “coincidências” que possibilitam a existência da vida, como a massa dos elétrons, a força da gravidade, as propriedades especiais dos átomos de Carbono. Qualquer pequena alteração nesses elementos – como a variação de apenas 1% na força da gravidade – eliminaria a possibilidade do surgimento de seres vivos. Por conta disso, os cientistas têm estudado, desde a segunda metade do século 20, a possibilidade de haver uma ligação direta entre a existência de vida inteligente sobre a face da Terra e a origem do Universo.

O princípio antrópico prevê também que o nosso Universo é apenas um dos vários que existiriam num “multiverso”. Apesar de parecer ficção científica, a ideia de múltiplos Universos, sendo que alguns deles seriam adequados à vida, vem da teoria da inflação caótica desenvolvida pelo cosmólogo russo Andrei Linde, da Universidade de Stanford (EUA), nos anos 1980. Assim, existiria um “Universo” bem maior do que o nosso, que seria apenas uma parte desse multiverso. Infinito em extensão, o multiverso conteria cada forma possível de “Universos”, alguns similares ao nosso, outros com leis físicas distintas e, segundo o princípio antrópico, elas seriam incompatíveis com a existência de vida.

Mas foi na década anterior ao surgimento da teoria de Linde que o astrofísico Brandon Carter, da Universidade de Cambridge (Reino Unido), criou o termo “princípio antrópico”, para expressar que as propriedades do Universo são do jeito que são para possibilitar a existência da vida humana.

Princípio antrópico: um Universo feito sob medida para o homem

© istockphoto.com / Pleio – Segundo o princípio antrópico, o Universo foi feito sob medida para possibilitar a existência de vida inteligente na Terra

A ideia de que o Universo foi feito sob medida para possibilitar a existência do ser humano remonta à fundação da ciência ocidental. No século 17, cientistas britânicos como Isaac Newton e Robert Boyle acreditavam nisso. Mas no começo do século 20 essa ideia tinha pouca credibilidade e soava mais como um pensamento esotérico do que como ciência. Apesar disso alguns cientistas, como o naturalista Alfred Russel Wallace, continuavam a arriscar suas reputações ao declararem que o Universo é do jeito que é para produzir um mundo que permitisse o desenvolvimento da vida até o surgimento do ser humano.

Esse antropocentrismo exacerbado recebeu um golpe quase fatal com a teoria da relatividade de Albert Einstein. Associada às descobertas que os astrônomos tinham feito sobre a natureza do Universo nas primeiras décadas do século 20, a teoria de Einstein mostrava que a compreensão do Universo só seria possível a partir das complexas equações da relatividade geral, o que colocava o ser humano como um mero figurante nessa história toda e não como o ator principal.

Mas algumas coincidências existentes no Universo continuaram a intrigar vários cientistas. Uma delas mostrava que a proporção entre o tamanho do Universo visível e um elétron é igual à proporção com que a intensidade da força eletrostática entre os elétrons e os prótons excede a força gravitacional entre eles. Enquanto para alguns isso tratava-se de uma incrível coincidência, para outros sinalizava que existia alguma conexão ente a Física aplicada ao Universo e a das partículas subatômicas.

Um dos cientistas que deu atenção a esse fato foi o físico britânico Paul Dirac, ganhador do Prêmio Nobel. Para ele essa relação refletia uma lei fundamental da Física, o que levava a uma previsão assustadora. Se a relação entre essas duas proporções deve ser sempre a mesma, como o cosmo está em expansão e seu tamanho está aumentando, essa proporção só permaneceria igual se a força da gravidade estivesse enfraquecendo com o passar do tempo na mesma taxa com que o Universo se expande.

Nos anos 1950, o astrofísico Fred Hoyle, colega de Dirac na Universidade de Cambridge e um dos mais brilhantes cientistas do século 20, descobriu uma outra incrível coincidência que relacionava diretamente as propriedades do Universo com a existência de vida na Terra. Hoyle investigava a origem dos elementos químicos quando recorreu a uma inesperada solução.

Segundo a pesquisa de Hoyle, os mais simples e comuns elementos químicos, o Hélio e o Hidrogênio, parecem ter sido criados com o calor provocado pelo Big-Bang, o processo que supostamente deu origem ao Universo. Reações nucleares no interior das estrelas poderiam ser a resposta para a formação dos demais elementos, principalmente o Carbono, essencial para a existência de vida. Mas para isso acontecer o Carbono deveria apresentar uma ressonância que Hoyle não conseguia encontrar.

Para superar o impasse, ele recorreu de forma pioneira ao princípio antrópico: essa ressonância no Carbono tinha de existir, senão não haveria vida. Pouco tempo depois, pesquisadores identificaram a ressonância conforme Hoyle havia previsto. O uso que Hoyle fez do princípio antrópico para prever uma propriedade fundamental dos átomos foi recebida com ceticismo pela comunidade científica. No entanto, nos anos seguintes a teoria ganharia novos impulsos.

Princípio antrópico: o Universo depende de nós para existir

Não se sabe por que as propriedades encontradas no cosmo têm o valor que têm. Talvez por que eles sejam os únicos valores possíveis para elas. Assim, pode ter sido uma combinação fortuita deles que levou ao surgimento da vida ou, então, pode-se supor que a vida é tão adaptável que ela floresceria de diferentes formas em Universos com outras propriedades. A energia propulsora do Big-Bang teria desenvolvido a ideia de um processo de inflação caótica criadora de vários Universos. Esses não são os únicos argumentos para questionar o princípio antrópico. Na segunda metade do século 20, uma série de evidências derrubaram o raciocínio de Paul Dirac a respeito do enfraquecimento da gravidade, elemento que sustentava sua tese da conexão entre a Física do Universo e a das partículas subatômicas. Apesar disso, a ideia do princípio antrópico conquistou outros adeptos no meio científico e ganhou força a hipótese de que os valores de determinadas constantes no cosmo não são simples coincidência.

Em 1973, o astrofísico Brandon Carter, da Universidade de Cambridge, criou o nome de princípio antrópico para essa ideia. Mais do que isso, ele estabeleceu duas variáveis para ele. O princípio antrópico fraco, que diz que o fato de existirmos coloca limites para certas propriedades do Universo, e o princípio antrópico forte, que prevê que o Universo é impelido a ter propriedades compatíveis com a vida inteligente.

O físico russo Andrei Linde, a partir da teoria da inflação cósmica proposta por Alan Guth, que explica a energia propulsora do Big-Bang, desenvolveu a ideia de um processo de inflação caótica. Esse processo poderia ter produzido uma variedade de Universos. O físico norte-americano Lee Smolin foi mais longe e sugeriu que nesses vários Universos que surgem há uma espécie de evolução darwiniana, que os levaria a tornarem-se adaptados para a existência da vida. A visão de Smolin, que centra seus argumentos em torno da relação entre os buracos negros e a produção dos elementos químicos necessários para o surgimento da vida, está alinhada com as leis da Física e pode significar um novo impulso à teoria do princípio antrópico.

Apesar do princípio antrópico ainda soar como algo além dos domínios da ciência, como se fosse um axioma teológico, muitos cientistas importantes, principalmente aqueles que são estudiosos dos mecanismos quânticos, têm se dedicado a ele. Uma das mais recentes especulações a respeito do princípio antrópico foi construída pelos físicos John Barrow e Frank Tipler. Segundo eles, o Universo é constituído com um número infinito de informações que, em algum momento no futuro com computadores capazes de processá-las, poderiam ser combinadas de forma a atingirem as complexas fórmulas exigidas para o surgimento da vida.

Fonte: “HowStuffWorks – Como funciona o princípio antrópico”. Publicado em 13 de novembro de 2009

http://ciencia.hsw.uol.com.br/principio-antropico3.htm

Fractal Dragon Curve: Como os fotons astronômicos criaram a vida…?

terça-feira, fevereiro 21st, 2017

xxxx

Esta é uma simulação de computador que tentaria mostrar como os fótons cósmicos ( vindos do Sol, do núcleo terrestre e possivelmente de outras regiões da galaxia), que trouxeram os bits-informação da formula Matrix/DNA para criar sistemas, e que adentraram os elétrons dos átomos na superfície terrestre, assumindo o comendo dentro dos átomos para guia-los a novos tipos de combinações e criarem a matéria orgânica. No ponto abaixo representado pelas figuras seria o momento que estariam sendo criados macromoléculas, como o DNA. Cada traco representa um fóton, portanto cada quadrado com 4 tracos representam a parte variável da formula formada pelas 4 funções intermediarias (F2, F4,F6 e F7), que atuam como genótipos.

Recursive construction of the curve

Finalmente na tela do monitor aparece esta imagem em movimento, a qual é um fractal.

Dragon curve animation.gif

este tipo de fractal é conhecido matematicamente como Heighway Dragon Curve.

Isto tudo é obtido com uma equação em programação que começa assim:

It can be written as a Lindenmayer system with

  • angle 90°
  • initial string FX
  • string rewriting rules
    • XX+YF+
    • Y ↦ −FXY.

That can be described this way : Starting from a base segment, replace each segment by 2 segments with a right angle and with a rotation of 45°

(Por isso matematicos estao encontrando uma correlacao entre o mecanismo de autocorrecao do DNA com a logica matematica e percebendo similares com a dragon curve, como cita o artigo em

http://cosmicfingerprints.com/mathematics-of-dna/

Mais assunto para pesquisar…

O que e’ Lindenmayer system ?

https://en.wikipedia.org/wiki/L-system

Origins

‘Weeds’, generated using an L-system in 3D.

As a biologist, Lindenmayer worked with yeast and filamentous fungi and studied the growth patterns of various types of algae, such as the cyanobacteria Anabaena catenula. Originally the L-systems were devised to provide a formal description of the development of such simple multicellular organisms, and to illustrate the neighbourhood relationships between plant cells. Later on, this system was extended to describe higher plants and complex branching structures

An L-system or Lindenmayer system is a parallel rewriting system and a type of formal grammar. An L-system consists of an alphabet of symbols that can be used to make strings, a collection of production rules that expand each symbol into some larger string of symbols, an initial “axiom” string from which to begin construction, and a mechanism for translating the generated strings into geometric structures. L-systems were introduced and developed in 1968 by Aristid Lindenmayer, a Hungarian theoretical biologist and botanist at the University of Utrecht. Lindenmayer used L-systems to describe the behaviour of plant cells and to model the growth processes of plant development. L-systems have also been used to model the morphology of a variety of organisms[1] and can be used to generate self-similar fractals such as iterated function systems.

(continuar estudando…)

Simetria, Supersimetria: As profundezas do misterio supremo

sábado, fevereiro 18th, 2017

xxxx

Porque a Natureza cega produz arquiteturas simétricas?! Para que? Como? De onde ela tirou essa ideia? Por que sempre temos dois olhos e não um só, ou 3, 5? Porque um situado exatamente na mesma altura e posição do outro? Claro que a simetria não existe produzida pelo acaso. Ela é uma lei fixa, a natureza determina que ela existe e proíbe outras alternativas. Se não fosse isso, se dependesse do livre fluir dos movimentos, corpos, objetos, os animais teriam vários olhos. Olhos atras da cabeça seria de extrema utilidade. nos desejamos ele com fervor, mas a natureza impede. Temos que obedecer sua determinação a respeito de simetria. Porque?

Mas… pensando melhor,… não existe simetria em tudo. O lado de trás da cabeça humana não é igual, não é simétrico, ao lado da frente. O dorso da mão não é igual a palma.

Pelo que sei, os físicos têm uma visão de um mundo simétrico. Se existe a partícula X tem que existir sua partícula X1. E simetria é interpretada pelos humanos como “beleza”. Ela nos é agradável. Não será então que os físicos montaram uma visão de mundo errada, baseado em que tudo é simétrico, porque procuramos apenas o que nos é agradável? Quando somos defrontados com o desagradável, foi ele que veio a nos, sempre; nos nunca vamos procurar o desagradável, o feio.

Ou talvez apenas detectamos  o que é simétrico devido nosso antropomorfismo, ou seja, nos nos projetamos sobre aquilo que buscamos. Nossa face é simétrica, nossas pernas são simétricas, nos somos simétricos, então selecionamos do mundo o que é simétrico e ignoramos o que não é?

Pode ser, porem, não foi nos que nos fizemos, e sim a Natureza. Então, porque ela nos fez simétricos?

Segundo a minha cosmovisão, que tem como ponta de lança a formula da Matrix/DNA a simetria foi criada pela Natureza por dois métodos. Assim como a célula: a primeira célula foi criada por simbiose entre elementos separados entre si; e então depois de criada a primeira por simbiose, elas aprenderam a auto-reprodução, e a segunda fase então é reprodução. Simetria também. Pra entender vamos puxar a formula para cá:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

A formula é simétrica. Ela tem duas meias faces, divididas por F5. Toda vez que a formula montou um sistema novo ela pegou um corpo existente, aplicou-lhe a força do ciclo vital, esta transformou o corpo em outras formas e funções, comportamentos, propriedades, diferentes, depois juntou estas formas diferentes num só novo corpo que funcionou como um sistema.

Então nessa fase a simetria foi criada pelo fluxo que corre no circuito esférico. De F1 a F4, a energia e o corpo estão crescendo. Quando parte de F4 começa a entropia, a energia e o corpo entra em decrescimento, degeneração. Mas o fluxo cria o trecho de F5 a F7 a imagem e semelhança do que foi criado pelo trecho de F1 a F4.  S face da esquerda é copiada como face da direita. E o resultado é simétrico.

Foi quando percebi isso que desvendei a razão da existência do número Phi, ou da chamada “sagrada geometria”. medindo-se o circuito esférico do sistema, quando chegamos ao centro da linha F5, encontramos 1,618… Ai tudo se esclarece: F5 é a função da reprodução da face esquerda em face direita, nada tem de misteriosos ou sobrenatural nesse numero.

Depois desta fase o corpo aprende a se reproduzir e a simetria surge espontaneamente toda vez que ele se reproduz.

Mas porque a formula produz simetria? Ela podia descambar de F4 para outras direções criando coisas diferentes de maneira que não se encaixariam face esquerda e direita.

Creio que isso se responde com um duas explicações. primeiro, o postulado universal da Matrix/DNA: neste universo esta’ ocorrendo um processo de reprodução genética do universo ou seja la’ o que o criou. Ora, tudo o que é criado geneticamente é baseado num processo que denominamos de sexual e mesmo que o elemento seja hermafrodita ou assexuado, essa criacao depende da fusão de duas partes simétricas. Por isso então a simetria seria uma constante universo, porem apenas emerge em eventos de criacao.

A segunda explicação estaria nos baloes de Yukawa. A matéria existe devido pipocar nesta dimensão uma bolha que surge como um ponto e morre como bolha e outra que surge como bolha e morre como um ponto. A simetria já esta toda ai, surgindo junto com a origem do Universo, ou da matéria.

Mas os físicos tem outras ideias sobre simetria. Então estou abrindo mais este capítulo para pesquisar e registrar tudo o que conseguir aprender sobre a ideia deles e o que eles tem conseguido de dados e teorias a respeito.

 

 

Cérebro, Memoria: Hipótese da Consolidação dos Sistemas – Mais Uma Previsão Acertada da Matrix/DNA

terça-feira, fevereiro 14th, 2017

xxxx

Uma nova experiência laboratorial está exigindo uma mudança no paradigma da Neurologia e gerou a Hipótese da Consolidação dos Sistemas: memorias de curto-prazo envolve o hipocampo, mas memórias de longo prazo é de algum modo desconhecido transferida para outras áreas, como o córtex.

Os cientistas dizem que o mecanismo é desconhecido, mas tendo a formula que montou o cérebro humano, posso ver claramente qual é e como funciona o mecanismo.

A evidência é que numa experiência recente, no laboratorio alguém tentou ativar a memória através de neurônios do córtex um mês mais tarde, e de fato a memoria foi reativada. ( ver a fonte desta notícia no link abaixo e nos próximos dias farei novo artigo sobre os “papers” oficiais publicados)

Isto é importante porque como os cientistas, eu sempre pensei que a memória existisse no hipocampo, ou na região central do cérebro, mas com esta informação ela pode estar em muitas regiões, parecendo que é espalhada.

Mas então apenas agora me lembro que a formula da Matrix/DNA (mostrada na figura abaixo) sugere isso claramente, ou seja, eu já sabia disso, sem saber que sabia, porque nunca raciocinei a formula em relacao a memoria. O cérebro é um sistema em si mesmo, vendo-o separado do resto do corpo. Ele tem núcleo (a região central onde está o hipocampo), tem partes ( as diversas glândulas, regiões cerebrais, etc.), tudo interconectado, funcionando. O cérebro é mais uma cópia da formula da Matrix/DNA, ou seja, esta formula monta todos os sistemas naturais `a sua imagem e semelhança, na medida que permite o ambiente e os materiais do ambiente, o estágio evolutivo, etc. Podes ver que o cérebro tem hemisférios direito e esquerdo como a formula tem suas faces esquerda e direita dividida pelo circuito F5, que no cérebro se torna o corpus callosum. E a formula monta cada sistema a partir de um objeto inicial, um corpo, aplicando nele o ciclo vital que o faz se diferenciar em várias formas/funções e depois conecta estas diferentes formas como suas partes. Assim se formou o cérebro desde os primeiros rompantes de sistema nervoso nos seres primitivos como as bactérias.

Na formula está claro que o sistema-cérebro possui memória em F1, onde começa o circuito do sistema, ou seja, mais um ciclo vital. O circuito nada mais é que o fluxo de informações avançando, ou seja, um corpo crescendo em idade, como o corpo humano faz após nascer. Em F1 ocorre a gestação de novos sistemas, como o corpo humano, onde F1 é representado pela mulher grávida. Ora, um novo ser começa a ser formado com informações memorizadas que vieram de seus genitores. Por isso a memória já está em F1.

Então quando o fluxo sai de F1 e vai para F2, ele está sendo a informação do corpo inteiro, está levando o corpo inteiro, e com isso, claro, vai a memória do corpo. A nossa memória quando estamos na forma de adulto ( que na formula e’ F4), veio da memória na nossa forma como adolescente (F3), com mais alguns acréscimos.

Então quando transportamos a formula para o sistema “cérebro” e vemos F1 representada pelo hipocampo, notamos que o circuito sobe pelo hemisfério esquerdo em direcao ao córtex, e com isso ele está levando a memoria. Quando o circuito perfaz-se totalmente, a memoria está presente em todo lugar que ele passou, e se fixou. Assim conhecemos o mecanismo que transporta a memória pelo cérebro.

Mas estamos aqui pensando na formula quando ela desenvolve e estrutura a forma do cérebro, e se torna o template do cérebro. Outra coisa é mais tarde na evolução biológica chegando ao ser humano quando a formula retorna para criar os pensamentos, igualmente a sua imagem e semelhança.

Cada pensamento nasce vive e morre pela mesma configuração da formula, porém, os pensamentos são muitos, ocorrem em sequências, nunca dois ao mesmo tempo, e tem duração de vida brevíssima, muito menor que a do cérebro. Além disso, pensamentos não se fixam nem se auto-reciclam idênticos. Pensamentos são micro-ciclos abstratos ( softwares) de e dentro de um macrociclo concreto (o hardware) que é o cérebro. Isto significa que em relacao a pensamento, a memória está sempre em movimento, pulando de região para região, é impossível fixá-la em algum ponto, e depois que ela passa por uma região, desaparece daquela região. E as partes da memória carregadas por cada pensamento morrem com os pensamentos, ou, quando o pensamento for importante, quando ele foi contaminado por informação nova que não existia antes, ele chega ao córtex e perfaz a trajetória de F5, retornando diretamente do córtex (F4) para o hipocampo e registrando-se ali definitivamente como mais um acréscimo da memória estrutural.

Então existe a memória estrutural e a memória abstrata mental, ou memória dos pensamentos, segundo a Teoria da Matrix/DNA.

Muito simples entender isto quando se tem a formula, concorda? Porém, o maior absurdo disto e’ que os cientistas não conhecem e nem entenderiam a formula. para explicar de onde ela veio eu teria que montar um curso universitário de alguns anos e isso me e’ impossível. Então, infelizmente, vão continuar gastando bilhões e dólares para descobrir coisas por acaso quando uma teoria dirigindo as experiências ficaria muito barato e com melhores resultados.

Vamos trazer a formula para ver isso melhor:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

 

Fonte da informação sobre a experiencia cientifica:

Think you’ve got a terrible memory? You don’t know the half of it

http://ideas.ted.com/think-youve-got-a-terrible-memory-you-dont-know-the-half-of-it/?utm_campaign=social&utm_medium=referral&utm_source=facebook.com&utm_content=ideas-blog&utm_term=social-science

Observe no artigo que o entrevistador pergunta aos neurologistas porque a memória é tão maleável?

Eu vou ter que procurar porque eles pensam que a memória é maleável, ou seja, maleável em que sentido, em relacao a que? A formula está sugerindo claramente que a memória é tão maleável como um corpo humano, mudando ou desenvolvendo-se em diferentes formas, etc. Mas as respostas dos cientistas foram muito nebulosas e acho que não responderam a pergunta. Um deles citou o fato de que tendemos a esquecer um evento de extrema agonia e para explicar isso ele diz que nosso cérebro faz isso para nos poupar de dolorosas recordações inúteis, etc. Ora, o cérebro por si só não tem propósitos, não pode saber que mentalmente sofremos ao recordar, ele não faz nada disso, e como “o cérebro é eu” e “eu sou o cérebro”, ele estaria apagando, extraindo uma parte de si mesmo, o que penso ser impossível. Combatem o dualismo de Descartes em corpo e alma porém criam o dualismo cérebro e o eu como se fossem duas coisas distintas? O que acontece – segundo a minha cosmovisão – em relacao aos “pânicos esquecidos, apagados da memória” é o mesmo que acontece quando nosso corpo é ferido ou uma perna quebrada. A ferida se cura, cicatriza e desaparece, a perna volta ao normal, etc. Falta de entender que a memoria em si é um sistema, um sub-sistema do cérebro, e como tal deve ser vista como um organismo, com mesmas propriedades. A  seguir copia do trecho desta pergunta:

Entrevistador: “A question for the group: Why is human memory so malleable?”

Elizabeth Loftus: Whatever your theory is, why would Darwin or God or whoever have made us with memories that are so malleable? That must serve some sort of function, and one of the functions that malleable memories can serve is to be able to correct errors that creep in. You can update your memory with accurate information, and that is certainly a benefit. ( obs.: sim, porém neste caso, quem “update” ou corrige erradas informações na memória são nossas experiências afrontando a realidade do mundo externo, o qual atua como um medico, e as corretas informações inseridas são como os remédios ou cirurgias ministrados pelo medico-realidade).