Archive for the ‘reproducao’ Category

Imagem de superfície de planta com crateras e polens igual imagem de pulsar com vulcões e cometas!

quinta-feira, maio 16th, 2013

Esta ev  uma imagem da superficie de uma planta com crateras e polens. Interessante ev que ev uma imagem muito semelhante a ideia sugerida pelos modelos da Matrix/DNA de como deve ser a superficie do pulsar com seus vulcoes emitindo cometas. Como a funcao do polen no sistema vegetal ev a mesma funcao do cometa no sistema astronomico, as coincidencias aumentam, para reforcar a sugestao da Matrix/DNA que as primeiras criacoes biologicas na Terra imitaram ou copiaram o ancestral celeste…! Tenho que pesquisar isso e essa imagem servira de inspiracao para o desenho do pulsar.

Obtido em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0001-37652013000100147&lng=pt&nrm=iso&tlng=en

Anais da Academia Brasileira de Ciências

Relationship between pollen morphology and chromosome numbers in Brazilian species ofLippia L. (Verbenaceae)

http://dx.doi.org/10.1590/S0001-37652013005000010

XXXXXXXXXX

 

Pollen Formation: Development Of A Pollen Grain Within The Pollen Sac Of An Anther – A cross section of the developing anther displays four chambers. These chambers are called pollen sacs (see upper left illustration). Each pollen sac is filled with cells containing large nuclei. As the anther grows, each of these cells goes through two meiotic divisions, forming a four-celled tetrad. These cells are called microspores. Each one of these microspores eventually becomes a pollen grain. First, each nucleus divides by mitosis to become two nuclei. One is the tube nucleus. The other is a generative nucleus. The wall of the cell thickens to protect the developing pollen grain. As the anther ripens, the wall between the paired pollen sacs disappear. The pollen sacs burst open and the mature pollen grains are ready for dispersal.

 

Ovule Formation: Development Of An Ovule Within The Ovary At The Base Of The Pistil – While pollen grains are forming in the anthers, there are also changes in the ovary. An ovule starts as a tiny knob on the ovary wall. Each knob contains one cell. The ovule grows away from the wall on the end of a short stalk through which it is nourished. It is completely enclosed except for a tiny pore called a micropyle. The single ovule cell now goes through two meiotic divisions, resulting in four megaspores. One of these survives. This megaspore get larger and turns into an oval embryo sac ( see upper right illustration). More cell division occurs and a polar nucleus is formed in a cell in the center of the embryo sac. This sac goes on developing until it is ready for fertilization. In order for fertilization to take place, a pollen grain must get to a stigma pad of the pistil – pollination.

xxxxxxxxxx

REPRODUCAO DAS PLANTAS – WIKIPEDIA

Na maioria das espécies de plantas verdes, os indivíduos podem reproduzir-se tanto assexuada (agâmica) como sexuadamente (reprodução gâmica, ou por meio de gâmetas).23

Assexuadamente, as plantas se reproduzem através da separação de partes do indivíduo que podem dar origem a novos indivíduos. Neste processo, não há recombinação genética, e portanto os descendentes são geneticamente iguais aos “pais”, podendo ser considerados clones de um indivíduo. A reprodução assexuada nas plantas ocorre de várias maneiras: por brotamento (ou gemulação), por fragmentação, pela formação de estolhos, e poresporulação. Na esporulação podem se formar células especiais os esporos que podem ser aplanósporos (normalmente transportados pelo vento ou por animais) ou zoósporos (móveis) com dois ou mais flagelos.

O homem tirou partido desta capacidade de reprodução assexuada nas plantas, desenvolvendo métodos especializados de multiplicação, como aestaquiaalporquia e enxertia.24

reprodução sexuada nas plantas verdes ocorre normalmente com alternância de gerações, em que ocorre um esporófito (o indivíduo “adulto” nasplantas vasculares) e um gametófito – o indivíduo que produz os gâmetas – que pode ser “parasita” do esporófito, como nas espermatófitas ou ter vida independente. Nas plantas verdes aquáticas (por exemplo, as Chlorophyta e Charophyta, ou algas verdes) existe a produção de gâmetas móveis, podendo o processo ser por isogamia (gâmetas iguais) ou oogamia (gâmetas “femininos” grandes e imóveis e masculinos, móveis).

 

Sensacional! Imagens do Momento da Ovulação Idênticas às Imagens do Modêlo Cosmológico da Matrix/DNA

quinta-feira, dezembro 6th, 2012

Momento da ovulação é fotografado pela primeira vez

http://hypescience.com/momento-da-ovulacao-e-fotografado-pela-primeira-vez/comment-page-1/#comment-240015

HypeScience

Óvulos e Imagens Iguais à Cosmologia da MatrixDNA

Óvulos e Imagens Iguais à Cosmologia da MatrixDNA (click na imagem)

Incrível como isso possa acontecer! Desenhos feitos precáriamente nas árduas condições da selva amazônica, há 30 anos atrás, agora são fotografados como fatos reais! E maior a surprêsa quando sabemos que a observação da natureza biológica aqui na Terra nos conduziu a suspeitar que estes fenômenos seriam evoluções de fenomenos que ocorrem no espaço sideral, e que poderiamos calcula-los, desenha-los. Mais uma vez mais uma previsão correta, quando esta nova visão do mundo previu que a formação de óvulos e tôda a sequencia que leva ao nascimento de humanos é exatamente igual a toda a sequencia que leva ao nascimento de astros, planetas e estr6elas!

Observe o desenho calculado na selva para origens dos astros:

Matrix/DNA Universal - Modêlo Cosmológico Original

Matrix/DNA Universal - Modêlo Cosmológico Original

Estás vendo como se trata exatamente do mesmo processo, até as formas são imitadas biológicamente aqui?!

Texto do artigo e a seguir, comentário explicativo:

“Observar a ovulação em humanos é extremamente raro e as imagens anteriores foram confusas. Jacques capturou o evento por acidente enquanto preparava uma histerectomia parcial em uma mulher de 45 anos. A liberação do óvulo foi considerada um evento repentino e veloz, mas as imagens, que serão publicadas na revista científica Fertility and Sterility, mostram que o evento leva, ao menos, 15 minutos. Pouco antes da liberação do óvulo, enzimas decompõem o tecido do folículo maduro, uma bolsa cheia de fluído na superfície do ovário que contém o óvulo. Isso leva à formação de uma protuberância avermelhada e, depois de algum tempo, surge um buraco, do qual o óvulo emerge envolto por células de apoio. Em seguida ele entra na trompa de Falópio, que o leva até o útero.”

Comentário postado pela Matrix/DNA:

Louis Morelli6.12.2012

Muito grato por estas imagens que são mais uma evidência para os modêlos evolucionarios da Teoria da Matrix/DNA. Estas imagens foram desenhadas e registradas há 30 anos atrás como resultado dos modêlos teóricos, porque são exatamente iguais às imagens do nascimento de uma nova estrêla, como se pode ver no site da Matrix/DNA Theory. Mera coincidência? Não, isso é evidencia de Evolução Universal. Compare os dois textos descritivos:

Matrix/DNA: “Antes da formação e uma nova estrêla, a entropia (enzima)decompõe uma velha gigante vermelha em fragmentos os quais formam uma nebulosa (ovário) a qual gira em rotação formando um vortex central (folículo maduro)contendo a massa degradada com todas as informações do sistema (genes). O turbilhão produz esferas incandecentes e se fundem com cometas capturados (óvulos mais espermatozóides) e com certo pêso são emitidos ao espaço sideral onde passarão pelas fases de baby-stars, planetas, pulsares, supernova, gigante vermelha e o ciclo recomeça…

Como vemos, o que está em baixo é cópia do que está encima e nós somos filhos das estrêlas.

Mas na Natureza, para realizar um processo, muitas vêzes um mecanismo é várias vêezes repetido. Podemos ver tambem os óvulos como sendo as partículas e fragmentos que resultam da fragmentação da estrêla na Função 7. Assim o cadaver estelar que é formado e aparece na imagem como metade da estrêla se decompondo pode ser visto como folículo maduro, e o canal que conduz os fragmentos a se contituir no vortex pode ser visto como a trompa de Falópio. Na verdade o óvulo é o fragmento estelar. pois apenas ele serás misturado aos cometas para formasr a esfera incandescente, que representa o óvulo depois da fecundação.

As Mulheres e a Questão do “X Cromosoma: X Inativação” – A Fórmula Da Matrix/DNA Explica

terça-feira, maio 1st, 2012

Artigo Inspirador:

Nature.com – Library

X Chromosome: X Inactivation

http://www.nature.com/scitable/topicpage/X-Chromosome-X-Inactivation-323

Êste artigo que faz parte da seção cientifica e educativa da Nature.com, traz excelentes novidades que á primeira vista são evidências que reforçam nossos mod6elos e a teoria de que os cromossomas sexuais não são um privilégio dos seres vivos, mas sim apenas a forma biológica de dispositivos que já existiam antes das origens da Vida, compondo sistemas astronomicos, atômicos, e suas origens reais se perdem alem das brumas nevoentas do Big Bang.

Vamos iniciar a leitura do artigo acrescentando os comentários da nossa versão (infelizmente ainda não poderei expor aqui a tradução dos textos no artigo). Para tanto de inicio traremos para cá a figura do nosso modêlo  teórico sugerindo como os ancestrais “não-vivos” dos cromossomas se encontravam no estágio universal evolutivo quando a galáxia era o sistema mais evoluído :

Clique na figura para vê-la ampliada:

Os Ancestrais dos Cromossomas Sexuais no Sistema Galáctico

Os Ancestrais dos Cromossomas Sexuais no Sistema Galáctico

Nature.Com:

Females (XX) carry twice as many X-linked genes on their sex chromosomes as males (XY). How do cells control gene expression to manage this potentially lethal dosage problem?

Unlike the gene-poor Y chromosome, the X chromosome contains over 1,000 genes that are essential for proper development and cell viability.

Matrix/DNA:

Esta afirmação de que XX carregam duas vêzes mais genes X duplos em seus cromossomas sexuais do que os XY tem sido motivo de muitas perguntas dentro da Matrix/DNA e tem nos levado a suspeitar que o fato está relacionado ao ainda fantasmagórico e não bem entendido fenômeno da superposição quântica.

Olhando a fórmula, vemos que um X representa uma volta completa do sistema, portanto representa uma vez o sistema completo. Mas se o novo ser recebe X da mãe e outro X do pai, como fica? Dois sistemas? Não pode ser, sabemos que o novo ser será um unico sistema. Temos deduzido que a dupla presença da mesma informação apenas reforça a informação, o que seria a causa responsável pelo novo ser se tornar feminino, ou seja, expressa a dominancia do aspecto feminino, que na galáxia era o sexo dominante.

Quando o novo ser recebe X e Y subentende-se que o X contem Y mas ao receber mais um Y faz este aspecto tornar-se o dominante por estar representado duas vêzes.  Portanto, o território ou meia-face esquerda da fórmula seria expressada como dominante, enquanto a outra meia-face da direita ficaria inativa, quase invisivel, recessiva. Não apresenta nenhum problema de superposição.

Mas existe um outro problema na herança de cromossosmas para a fêmea: o X recebido  da mãe não é exatamente igual ao X recebido do pai. Sabemos que existem as diferenças nas caracteristicas dos sistemas doadores, como diferenças da cor dos olhos, do tipo de nariz, etc.  Em outras palavras, se ambos os Xs representam uma mesma espécie de sistema, esta espécie é diversificada dentro de si mesma, cada sistema tem seu tipo de configuração das particulas e das ondas ( na fórmula astronomica, particulas seriam os astros e ondas seriam os periodos de tempo decorridos do ciclo vital). Seria como superpor dois sistemas iguais por fora com algumas diferenças por dentro. E isto torna a idealização do processo mais dificil.

Mas por estranha coincidência existe um outro pessoal que está tendo o mesmo problema mas numa àrea tão dispar que parece nada ter a ver com nossa área. Trata-se dos Físicos lidando com os fenômenos quanticos. No material publicado por eles lê-se, por exemplo:

Wikipedia ( Quantum superposition) : “The principle of quantum superposition states that if a physical system may be in some configuration—an arrangement of particles or fields—and if the system could also be in another configuration, then it is in a state which is a superposition of the two, where the amount of each configuration that is in the superposition is specified by a complex number.”

Bem, se eu entendí direito o inglês, êste enunciado não está dizendo que estão lidando com dois sistemas, um sobreposto ao outro: está dizendo que não se pode ver bem o sistema para afirmar qual sua configuração. Se supõe-se que o sistema está na configuração X os resultados vão confirmar, mas se supor que esteja na configuração X’, tambem vão se confirmar (isto está relacionado com o “gato de Schrodinger”, mas esta é outra história).

Os sistemas vivos são os atuais produtos de uma evolução que começou ( ou ao menos passou por), com os sistemas quanticos.  A evolução se propaga por ondas concentricas de maneira que tudo o que uma onda anterior tem, passa a ser a infra-estrutura das  ondas posteriores. Isto significa que tudo o que se vê na dimensão ou nivel quantico, acontece nas infra-estruturas da domensão ou nivel biológico. Vai daí que voltamos a aplicar nosso método da anatomia comparada: o que vemos de superposição no reino biológico serve para calcular o que não vemos na superposição do reino quantico e vice-versa. Os fisicos calculam um meio-termo estatistico na superposição de eletrons e chamam o de numero complexo; nós calculamos um meio têrmo estatisitico entre o X do homem e o X da mulher e ao invés de numero complexo temos um filho com metade das caracterisiticas de cada um. Devo quando tiver tempo continuar a estudar essa area da pesquisa da quantica e procurar suas relações com os modêlos da Matrix/DNA.

Voltemos ao artigo da Nature:

However, females carry two copies of the X chromosome, resulting in a potentially toxic double dose of X-linked genes. To correct this imbalance, mammalian females have evolved a unique mechanism of dosage compensation distinct from that used by organisms such as flies and worms. In particular, by way of the process called X-chromosome inactivation (XCI), female mammals transcriptionally silence one of their two Xs in a complex and highly coordinated manner (Lyon, 1961). The inactivated X chromosome then condenses into a compact structure called a Barr body, and it is stably maintained in a silent state (Boumil & Lee, 2001).

( Continua)

Conspiração dos Genes Para Não Existir Mais Homens. E a Matrix/DNA Explica a Ameaça e Tem a Solução

quarta-feira, fevereiro 22nd, 2012

Artigo de hoje na:

BBC NEWS SCIENCE-ENVIRONMENT

http://www.bbc.co.uk/news/science-environment-17127617

Título: Male Y chromosome extinction theory challenged

Teoria da Extinção do Cromossomo Masculino Desafiada

By Neil Bowdler – 22 February 2012 Last updated at 13:39 ET

Esta teoria é baseada num fenômeno constatado cientificamente – está havendo uma diminuição, um decaimento gradual dos genes que ativam a masculinidade. E isto sugere que os hoemens vão desaparecer, ficando apenas mulheres a reproduzirem-se meióticamente. Os modêlos da Matrix/DNA previram a 30 anos atrás que isto deveria ocorrer se LUCA, o Last Universal Common Ancestor ainda tiver fôrça suficiente em nossa carga genética para continuar a comandar nossa evolução dirigida a reproduzi-lo. Basta olhar a fórmula da Matrix: o pulsar que é o elemento masculino do sistema teria a função de “abrir” o sistema, atirando seus cometas-espermatozóides para o espaço sideral para fecundar qualquer fêmea que passasse pelos seus caminhos. Esta a ordem imperativa que vem dos genes para o macho: atacar tôda fêmea, espalhar sua semente onde for possível. Tôda esta crença social de que o homem humano correto é aquêle que copula apenas com uma mulher sacramentado pelo casamento é anti-natural, é uma imposição sexual feminina dominada instintivamente pela rainha-mãe buraco negro que era a imperadora dentro do corpo de LUCA. Os sacerdotes das religiões e as elites economicas de machos gostaram da idéia e aprovaram-na porque ela é a causa que condiciona 90% dos homens a serem hoje escravos voluintários. Assim os sacerdotes homens e os homens ricos escapam do trabalho duro. O sistema Luca foi muito facilmente reproduzido nos seres vivos inferiores como formigas, abelhas, etc., porque a carga genética vinda de Luca – cujo corpo era/ou ainda é um sistema matriarcal – dominava totalmente os cérebros de insetos. Em colmeias e formigueiros existe uma rainha e que apenas ela se reproduz de forma direta, enquanto os machos são reproduzidos por ovos largados fora apenas lhes são permitido existir como escravos para servir a rainha, mesmo os que são soldados. Mas no corpo de Luca o pulsar tem que obedecer uma ordem: dirigir seus cometas-espermatozóides para dentro do sistema e na direção da fêmea que se aloja no nucleo. Porque o sistema é fechado em si mesmo, dêle nada sai. No “paraíso” quem dominava era Eva, até mesmo ela tinha mais costelas que Adão e de fato: o “tronco” do corpo humano é um fractal-matrix assim como a galáxia já o era, e as costelas humanas são materializações na Terra dos aros do vórtice galáctico. E como vimos no capítulo “A Origem Celeste dos Cromossomas X e Y”, o cromossoma Y, a quem podemos chamar de Adão, expressava-se menos que o X. Tudo isto indica que Luca vem, desde as bactérias até os corpos humanos, se reproduzindo sutilmente, passo a passo, fielmente. Essa irremediavel tendencia feminina de se interiorizar ao ponto de fechar-se egoisticamente como sistema é um pecado que já a derrubou do céu uma vez e a postou-se a rastejar na Terra com as dores do parto e mais fraca que o homem, etc. Mas ela não aprende, ela continua a querer o mesmo destino e como humana ela quer tudo o que pode leva-la ao mesmo destino: quer casar e se assentar no lar doméstico que seja o mais próximo possível de um grande palácio tendo seus rebentos planetinhas, digo, filhos orbitando, brincando à sua volta e quanto ao macho lhe é permitido dar alguma vazão à sua tendencia extrovertida, êle pode sair de casa e andar caçando pelas redondezas, como o pulsar pode vagar nas periferias do sistema, mas na hora do sexo ela não admite dividi-lo com nenhuma outra. Tôdas estas fôrças reunidas vão acabar com a existência da bipolaridade evolutiva, da fôrça oposta polar do macho, quando o processo da reprodução estiver finalizando e o macho não for mais necessario para proteger o sistema porque o sistema se fechou completamente. Então o casamento não será mais necessário para o feminino e quanto aos homens, se forem mantidos alguns, serão solteiros, como os mamelucos castrados obreiros no formigueiro ou como os soldados zangões das abelhas que após a cópula caem mortos. Se a mulher humana acordasse e entendesse isto, ela procuraria o mais depressa possível rever e mudar os seus valores. Mas veja bem, não se quer dizer com isto que o homem é santo, correto, etc. Êle tem a outra tendencia pecaminosa que é de se extrovertir tanto que se dominar o sistema êle se destrói e destrói o sistema, pois se fragmenta como guerreiro e aventureio a vagar no espaço sem fim. Os dois são 50% errados e 50% certos. Não pode haver dominio de uma tendencia encima da recessão da outra. tem que haver equilibrio. A sabedoria vai se afirmar quando juntarem os 50% certo de um com os 50% certo do outro. Aí acontecerá a transcendencia da forma, a Humanidade mesma deixará de esxitir, uma forma mais energética e mentalizada virá em seu lugar. Emquanto isso não acontecer vamos indo de queda em queda até aprender. O Universo não tem pressa. Não sou eu quem está dizendo isto. Apenas estou lendo os mapas, os modêlos da Matrix/DNA. Talvez minhas interpretações do mapa estejam erradas.

Então é fato cientifico que está ocorrendo a redução gradual dos genes masculinos e a explicação da Matrix/DNA é que a biosfera terrestre tende a evoluir no sentido de reproduzir a forma e o estado do sistema que a criou e dentro do qual ela existe: êste sistema astronomico que nos rodeia e da qual nosso planeta é apenas uma peça. Mas como descrevemos nos modêlos, o sistema astronomico é o mais avançado passo possível à Natureza Universal em sua meta de se estabelecer como perfeito e fechado sistema termodinâmico sob frenético frenesi vibracional energético. É um sistema de uma engenharia extraordinária na sua simplicidade economica e funcionamento visando sua perpetuação eterna, como descrevem os modêlos. E a criação/produção de sistemas biológicos na Terra ou em qualquer outro astro com iguais condições, foi apenas uma passo evolutivo com severa mutação devido ao sistema ter sido atacado pela Lei de Clausius, com sua fôrça que é medida pela entropia, a lei universal da degeneração e morte dos sistemas… errados. A fórmula do sistema astronomico errado continua existindo encriptada no DNA de todos os seres vivos e essa mesma fórmula modela, dirige, a evolução do meio-ambiente, sendo que nossa dedução para o que será o futuro, é a da máquina que funciona como o relógio newtoniano reproduzida na Terra, conduzindo a Humanidade a ser meramente mais uma peça robótica dessa engrenagem. Mas isto apenas acontecerá se essa força continuar a operar dentre nós e a ela nos submeter-mos como os insetos fizeram. Porem, não somos insetos. Temos uma mente desperta, uma inteligência. A qual já conseguiu descobrir e desmascarar a face negra da Matrix, dominando êste nosso mundo. A “fôrça negra” pode se apoderar da sua biosfera e até mesmo do nosso corpo, alojando tudo no Admiravel Mundo Novo, porem, acontecerá algo com que ela não contava: manteremos a nossa auto-consciência livre e soberana, sutil e sorrateiramente pondo nossos corpos em naves espaciais e saindo para nosso crescimento e engrandecimento na aventura cósmica. A homens e mulheres a serpente não enganará mais, não haverá outra queda. Porque aposto nisso? Porque apenas com êsse nosso cerebrosinho já desbravamos e desvendamos o que existiu no tempo passado a 13,7 bilhões de anos e o que existe no espaço a milhares de quilômetros luz! Porque a milhares de anos, gerações após gerações, tôdas tem se empenhado com vigor na busca do conhecimento e nossa geração continua fazendo-o. E pela lógica o Universo deve estar conspirando para ajudar a quem se ajuda.

Formas de vida inferiores já sacramentaram êsse destino determinado pela máquina celeste, porque não possuem intelecto e força para evita-lo: as sociedades das abelhas, das formigas, etc. Imitam, reproduzem , exatamente, a máquina celeste, como descrevo em outro artigo aqui. E estas sociedades são matriarcais, onde dominam uma rainha, sendo que o elemento masculino apenas resiste porque as abelhas não estão no espaço sideral portanto não conseguem reproduzir o aspecto perfeito de sistema fechado, é preciso escravos para abastecer o sistema de energia. E porque matriarcal? Porque o elemento feminino é expressado como dominante e o masculino como recessivo nestas sociedades primitivas?

Porque os insetos estão, cronológicamente, bem mais próximos das origens da vida que os humanos. A carga genética que vem do espaço através das radiações terrestres e solares é ainda muito forte, dirigindo o modêlo social a reproduzir o emissor. E na galáxia, que é hermafrodita como o foi a primeira célula viva que ela gerou, reina absoluta a peça, ou parte, ou ainda órgão, do sistema que executa as funções femininas, enquanto a peça que executa as funções masculinas está dominada. Isto é claramente observado nos modêlos.

Apresentamos o modêlo de como e porque existem cromossomas X e Y. O que eram como eram (ou como são ainda) no espaço sideral, no ultimo ancestral comum a todos os seres vivos (LUCA). Observe a figura abaixo:
xxx

Matrix/DNA: Origem Astronomica dos Cromossomas Sexuais


xxx

O cromossoma feminino veio do circuito esférico total do sistema, enquanto o masculino veio apenas da metade esquerda. Portanto o feminino contem “tôdas” as informações do sistema e são expressadas, enquanto o masculino (apesar de tambem conter tôdas as informações do sistema pois êle recebe o que vem na ponta do fluxo da direita), mantem metade das informações em estado recessivo e só expressa a metade da face esquerda. Se a Natureza Universal tivesse, a partir da nebulosa de átomos a 10 bilhões de anos atrás, seguido as leis normais da Evolução, nunca teria existido galaxias como são hoje, povoada de canibais buracos-negros, pois a forte e irresistivel tendência do elemento feminino em constituir-se como sistema fechado e acomodada dentro de um casulo nuclear auto-suficiente seria contrabalançada pela irresistível tendência do elemento masculino em exteriorizar-se para novos espaços e experiencias até dissolver-se totalmente. Êste equilibrio de balanços de fôrças teria mantido a infraestrutura celeste como sistema aberto à continuidade da Evolução. Mas a Ciência Humana já constatou que a matéria, ao menos por aqui, tem a tendencia à inércia sob equilibrio termodinamico e essa tendencia prevaleceu na nebulosa de átomos e dirigiu a evolução a partir dela. Foi necessário ao Universo, ou seja lá quem estiver por trás dêle, acionar a Lei de Clausius, a segunda lei da termodinamica, cujo derenrolar é medido pela entropia. O ataque da entropia levou o sistema celeste à sua queda e fêz com que seus descendentes, na forma de célula viva, caísse a se arrastarem nas superficies de astros em busca do alimento com o seu suor e sob a lei da degeneração e morte.

O nosso grande problema agora é que essa tendencia funesta está em nossa carga genética e está indo a repetir o mesmo fatal pecado. Êste o desespêro que me atacou na selva e me fêz a contragôsto voltar à civilização para discutir o tema com outros humanos e ver o que podemos fazer para evitar às nossas futuras gerações êsse terrível destino. Nós temos uma chance. Pois acontece que na sua estratégia de reprodução, os fótons-genes semi-vivos que estão vindo da galáxia não contavam com uma inesperada mutação que ocorreu no cérebro dos primatas, a qual abriu as portas para a emergencia da auto-consciência. Nosso intelecto é forte, êle pode superar as fôrças da matéria que reinam em nossos corpos e que ditam nossos impulsos e instintos. Mas para isso precisamos nos unir e lutar, em nome da liberdade dos nossos futuros herdeiros!

A Natureza aqui na Terra está nos conduzindo ao Admiravel Mundo Novo, a bela e proféticamente genial utopia descrita por Aldous Huxley. Não somos nós os criadores dessa tecnologia mecanizada, a natureza já faz tudo isso no céu, nós apenas temos sido guiados a imita-la. ACONTECE QUE EXISTEM MILHÕES DE POSSIBILIDADES DIFERENTES E UMA QUASE TOTAL GAMA DE DADOS E FENÔMENOS AINDA POR SEREM DESCOBERTOS, MAS A NATUREZA (SOB A PREDOMINANCIA DE SUA MEIA-FACE COMO SISTEMA FECHADO), SELECIONA OS DADOS QUE A ELA APENAS INTERESSA NOS MOSTRAR. FOI ISSO QUE CONCLUÍ AO VER TANTAS INFORMAÇÕES NA SELVA AINDA VIRGEM E BRUTA QUE NÃO ESTÃO SENDO TRANSFORMADAS EM TECNOLOGIA MAS AS QUAIS TEM TUDO PARA REALMENTE CONDUZIR A HUMANIDADE A UM CAMINHO MAIS FELIZ E LIVRE DO QUE O QUE ESTAMOS VIVENDO. Seis e meio bilhões de seres humanos vivendo a maior parte do dia como escravos arrolados numa engrenagem produtiva rotineira e imbecilizante, como zumbis perambulando entre monumentos de ferro e concreto! Ísso é desumano! Se conhecessemos os mecanismos e processos naturais da outra metade da face da Matrix, os quais estão na selva e aqui à nossa disposição, derrubaríamos tôdas estas cidades, todos estes tipos de contruções, descobririamos outras formas de sistema social, nenhum ser humano seria escravo, todos os cérebros humanos sendo livres e ajudados a se desenvolverem para que desenvolvam a gestação dessa auto-consciência ainda nasciturna. O método cientifico sistêmico que têve um timido começo com gênios como Lynn Margullis, Fritjof Capra, etc., foi sistematizado num corpo teórico por Bertallanfy, mas foi aí desviado para a robótica, a cibernética, por Wiener e outros, precisa ser ressuscitado como estamos fazendo com a Matrix/DNA, apresentando pela primeira vez um real e valioso calculo da anatomia de um sistema natural perfeito, e este novo pensamento nos conduzirá ao conhecimento da outra metade de mecanismos e processos naturais, a uma nova super-ciência e à nossa revolução.

O Admirável Mundo Novo está entrando em nosso ser sem que o percebamos, e pior, a êle se aduz outra genial utopia profética que foi a obra de George Orwell em “O Grande Irmão”. O único equivoco de Orwell foi que, ao invés do grande irmão, as forças naturais estão nos conduzindo à Big Queen Mother, à “Grande Rainha”, como nas sociedades das abelhas, das formigas, e da própria galáxia.

O debate dêste artigo sôbre se o destino da inexistência do elemento masculino na Humanidade se confirmará ou não e quando poderá ocorrer, está plenamente correto, tem sua razão de ser. Faz parte da estratégia instintiva dos genes. Esta tem por meta, primeiro enfraquecer o representante biológico masculino inibindo a expressão de seus genes. Mas que não se preocupem nêsse sentido, a masculinidade nunca seria extinta, como não o foi nas sociedades dos insetos. Apenas inicia-se com um enfraquecimento para ser possivel dominar e escravisar, e a partir daí se mantem o escravo porque é util á sobrevivência do sistema. Seis e meio bilhão de humanos já podem testemhunhar isso mesmo hoje.

Mas existe um outro fundamental aspecto da Natureza que pode e deverá evitar a repetição do êrro histórico. Essa fôrça material apoderada pelos genes e emitida do meio-ambiente é a fôrça da matéria simplesmente, no seu aspecto de “hardware” do Universo. Ora, como bem estão gritando nossos modêlos aos quatro cantos do mundo, dentro e no meio dêsse hardware existe tambem um “software”. Êle estava como potencial latente na nebulosa de átomos, dormia na galaxia, começou a acordar na célula viva e finalmente está a despertar como um bebê no ser humano. Já temos sua fotografia, o desenho de sua fisiologia, na figura da fórmula da Matrix/DNA. E tudo indica, e assim esperamos que seja com tôdas nossas fôrças, que o software é fôrça do sistema aberto, a contraparte da fôrça material de tendencia a se constituir como sistema fechado. Para a salvação das próprias mulheres (acho que seria terrivel um destino de abelha rainha sem futuro que na verdade é outra forma de escravidão, e sem outra alternativa a não ser esperar as mudanças naturais e a terrível queda novamente), o software deve ser o antïdoto, uma força universal sempre com a tendencia de abrir os sitemas e se lançar ao desconhecido explorando novas possibilidades da evolução. Um antídoto que, se administrado em demasia, se não contido pela força material e feminina, tambem pode ser um grande êrro fatal.

A história da evolução de nossos computadores bem pode ser uma imitação da História Natural. E seria lógico, pois a mente criança ainda humana nada cria, apenas tem copiado da Natureza, inclusive seu aspecto computacional. E nesta história dos computadores podemos observar que os softwares tem evoluido na imaginação humana e forçado a mudança, a evolução dos hardwares.

A natureza-hardware é uma fôrça cega como qualquer animal que ela criou. A ela apenas interessa establizar sua matéria, seu corpo, num frenético excitado sistema termodinamico sob equilibrio eterno. Sutilmente, lentamente, gradualmente, sem que o percebamos pelos nossos próprios olhos, ela está nos conduzindo como corpos materiais, partes dela, a êsse mesmo destino. Um Paraiso terrestre ajardinado imitando o Eden, que por coincidencia ou não, tem na sua forma de circuito sistêmico a forma da serpente engolindo a própria cauda. Ali estão fluindo os ancestrais celestes dos machos e fêmeas que bem poderiam ser denominados de Adão e Eva. O sistema é ainda na forma de uma maçã, mas nunca deveríamos comer dessa maçã, pois ela representa a fórmula natural de sistema fechado em suii mesmo, a suprema expressão do supremo egoísmo, cortando relações com o mundo externo e fechando as portas à evolução, ameaçando o Universo de se estagnar numa forma fisica imbecil provisória. Êsse aspecto de supremo egoísmo seria como um pecado original, antes de nsoss origens humanas e foi muito bem dectetado em nossa carga genética por Dawkins na sua estupenda obra denominada “O Gene Egoísta”. Mas o império do céu têve sua “Queda”. Os circuitos masculinos e femininos hoje na forma de nossos cromossomas caíram na Terra e se rastejam como sistemas abertos carregando aquêle demonio dentro de si, o êrro da tendencia a retornar ao super-egoismo individualista.

Mas á natureza-hardware se levanta aqui, dentro de sete bilhões de cabeças humanas, a natureza-software. Se esperneia ainda nos estertores do nascimento num mundo ainda dominado pela sua contra-face. Apesar de ainda não ter sequer aberto seus olhos próprios, ela já viu o gene e desmascarou sua estratégia, ela já viu o algoz no céu e mostra seu retrato. Ela já percebeu a estratégia de seu eterno adversário e lançou os alertas através de suas porções nas cabeças de Huxley e Orwell. Tudo isso me deixa animado, nós vamos vencer esta, nós não vamos novamente a uma queda terrível. Nossos herdeiros vão cantar nosso suscesso ao invés de chorarem nossos fracassos. Nós vamos, e tenho certeza, o Universo conspira a nosso favor. Podem surrupiar devagarinho os genes masculinos, porque antes que êles terminem – e nós temos ainda talvez 100.000 anos – terá havido um novo salto evolutivo, a auto-consciência se tornará criança, jovem, adulta e sábia, ao ponto de inutilizar tôda essa estratégia macabra dos genes da galaxia. Mas é claro: a estratégia dêles já está avançada, esta geração está por demais se robotizando sob a tecnologia, os movimentos feministas que foram necessarios estão extrapolando e a personalidade feminina está se estabelecendo como dominante final, o clima terrestre está mudando, são vários fatôres nos aconselhando a tomar-mos providências urgentes, nos unir-mos, conversar-mos, discutir idéias e planos de ação. Não é hora de ser-mos exclusivamente hardware atendendo os reclames da matéria em nossos corpos, não é hora para ser feminista nem machista, não é hora para debater ideologiais e religiões, é hora de se concentrar nos fenômenos naturais, arrancar da natureza seus segredos, aprender seus mecanismos e processos, para formatar o poder que a auto-consciência vai necessitar, e para isso existe apenas um método: as Ciências! O método cientifico reducionista unido ao método cientifico sistêmico!Ciência: esta deveria ser a maior celebridade do ser humano responsável e consciente.

O Sexo e a Procriação: De onde a Natureza copiou a idéia e inventou tudo isto, pela Matrix/DNA (Atualização 2)

quarta-feira, agosto 31st, 2011

Muito interessante artigo encontrei num web-site em espanhol, e não pude evitar de postar um comentário relatando como a fórmula da Matrix/DNA resolveu o problema, cujo comentário vai aqui abaixo depois do texto do artigo.

DARWIN O DISEÑO INTELIGENTE ?

http://www.darwinodi.com/

La emergencia de la reproducción sexual como problema para el evolucionismo

La emergencia de la reproducción sexual como problema para el evolucionismo

Jun – 22 – 2011

Por: Felipe Aizpún

Jonathan M. es el firmante de un interesante artículo publicado recientemente en el blog de Discovery Institute sobre la problemática explicación de la aparición de la reproducción sexual en los orígenes del proceso evolutivo de las formas vivas. Me limitaré a ofrecer la traducción directa del mismo, si bien con un pequeña reflexión añadida: la recombinación sexual es, sin duda, el elemento imprescindible para la diferenciación de los individuos y por lo tanto el elemento clave que permite la emergencia de la “identidad” y finalmente, de la “personalidad” de los seres vivos más avanzados, en contraposición con la indistinguible falta de identidad diferenciada entre los organismos más elementales, como por ejemplo los unicelulares que carecen de una “historia” propia, ya que al perpetuarse (y no morir estrictamente) a través de los procesos de división celular no son sino meros episodios de un evento biológico único. Una simple coincidencia, supongo…

Sex, the Queen of Problems in Evolutionary Biology

Jonathan M. July 13, 2011

El origen de la reproducción sexual en organismos con ancestros que se reproducían asexualmente es un misterio profundo para los biólogos evolucionistas. El origen y la preservación del sexo y la recombinación es un fenómeno que no puede explicar fácilmente el evolucionismo darwinista. De hecho, el sexo supone un serio problema para las explicaciones evolutivas tradicionales. Graham Bell describió el dilema en su libro “The Masterpiece of Nature: The Evolution of Genetics and Sexuality”:

El sexo es el rey de los problemas en biología evolutiva. Quizás no hay otro fenómeno natural que haya despertado tanto interés; en todo caso ninguno ha sembrado tanta confusión. Las intuiciones de Darwin y Mendel, que han iluminado tantos misterios, han fracasado hasta la fecha en arrojar algo más que una tímida luz sobre el misterio central de la sexualidad, enfatizando así, su falta de claridad en su aislamiento.

¿Cuáles son los problemas?

Hay varias razones por las que el origen del sexo supone un problema. Para empezar está el desperdicio de recursos que supone producir machos. Si asumimos que una hembra en reproducción sexual da vida a un número equivalente de machos que de hembras, sólo la mitad de la progenie podrá a su vez tener vástagos, en contraste con las especies de reproducción asexual en donde todos los vástagos pueden a su vez reproducirse. Así, se debería esperar que la hembra asexual proliferase, de media, el doble de rápido que las especies sexuales. Dadas las desventajas de la reproducción sexual, se podría esperar que fuesen superadas por las especies asexuales. Más aún, hay que tener en cuenta que, a diferencia de las especies asexuales, las hembras de las especies que se reproducen sexualmente perpetúan sólo la mitad de su genotipo. Por lo tanto, la transición desde un estado asexual a un estado de reproducción sexual es una apuesta por el 50% del genotipo superviviente más exitoso. Dado que todo el propósito de la selección natural es la preservación de aquellos organismos capaces de transmitir los genes más poderosos, esto supone un golpe en el corazón de la racionalidad evolucionista.

Comentário da Matrix/DNA: ” É da História que se obtem a lógica da Evolução. E esta História relata que a 4 bilhones de anos atrás, o sistema natural mais evoluído e que dominava o Universo era o building block das galáxias. O qual, como se pode ver na na figura “O ciclo vital humano e astronomico” era um sistema fechado e hermafrodita. As galáxias mais velhas foram atacadas pela entropia, iniciando um auto-colapso, fragmentadas em seus bits-informação, e êstes espalhados no espaço interno caindo na direção do nucleo. Atraídos e capturados em planetas estes bits trabalham como genes, pois se atraem, se reunem, e na reorganizam na mesma sequencia que estavam no corpo original. Mas as condições materiais nos planetas são diferentes das condições do espaço onde as galaxias foram geradas, inclusive a matéria é diferente, pois se na formação das galaxias haviam apenas os estados sólido e gasoso da matéria, nos planetas surgiu um terceiro estado, o liquido, onde predomina a água. E com isso surgiram as reações quimicas organicas. Portanto, o meio-ambiente produziu uma brutal mutação, apresentando ao menos duas novidades: o sistema na forma biológica e aberto.

Há que se considerar ainda que a entropia num sistema em equilibrio termodinamico produz o caos. E no caos a selecão natural (que nos processos de reprodução é dirigida pelos fenótipos e genótipos do corpo ancestral ) é praticamente anulada, permitindo que outras forças naturais predominem. O resultado mais notável é que o sistema ancestral fechado e portanto bloqueador da evolução foi desfeito e a evolução liberada. Ora, como o próprio texto diz, a divisão dos sexos permite a diversidade e emergencia de novas personalidades e é da interação entre diferentes que aumenta a possibilidade de complexidade, portanto, de evolução.

Qual foi o resultado final desta História, da transformação do hermafrodita em bi-sexual? Foi a libertação da Evolução. Foi a demonstração que nêste mundo a matéria apenas por si mesma não é a dominante e sim que existe alguma força na Natureza mais poderosa e esta força favorece a evolução. Uma prova disso é que, os genes do sistema ancesrtral tinham naturalmente uma poderosa tendencia a reconstituir fielmente a forma do ancestral, e o fizeram ao criar as primeiras formas dos sistemas biológicos que é o reino vegetal, os quais imitam quase que fielmente o sistema fechado, mas aqui se tornaram um beco sem saída: o reino vegetal não evoluiu, estagnou. A célula vegetal apenas se abre para o Sol através do cloroplasto para fazer a fotossintese e assim se tornar autonoma, praticamente fechada em simesma. Suprimindo-se os cloroplastos desta célula, surge a célula animal e esta torna-se incapaz de produzir seu próprio alimento e portanto tem que se abrir para interagir com o mundo, mas é justamente como sistema aberto que ela evolui.”

Retorno ao texto do artigo:

Estos dilemas no son nada nuevo. En su libro “Evolution: The Triumph of an Idea” Carl Zimmer reconoce estos problemas:

El sexo no es sólo innecesario, sino que debería de haber sido un desastre evolutivo. Por una razón, es una forma de reproducción ineficiente… Y el sexo tiene otros costes también… Sin duda, cualquier grupo de animales que desarrolla una evolución sexual debería de ser rápidamente superada por especies no sexuales.

Comentário da Matrix/DNA: “Não concordamos. Não existe uma forma viva não-sexual, portanto não existe uma experiencia comprovada como evidência, e portanto, qualquer conclusão será sempre uma mera conjectura. Muito menos nunca existiu uma co-existência e confrontação entre espécies sexuais e não-sexuais. Portanto, a opinião de Zimmer não pode ser um postulado cientifico. Quando nos aventuramos a fazer tambem uma conjectura, concluímos diferente. Uma espécie não-sexual apenas aumenta em numero, nunca em qualidade. Os individuos são todos iguais, não existe diferenciação e serão eternamente iguais permanecendo no mesmo estado inicial, mesmo que mude as condições ambientais. No caso de co-existência de uma espécie não-sexual ao lado de uma espécie sexual, esta ultima teria a desvantagem inicial de ser superada em numeros, porem a evolução de suas qualidades logo lhe acrescentaria poder e com isso dominaria a maioria não-sexual. Mas relembramos que esta não pode ser nem mesmo uma teoria cientifica.”

Retornando ao texto:

Y sin embargo, el sexo reina… ¿Porqué el sexo es un éxito a pesar de todas sus desventajas?

Comentário da Matrix/DNA: “Porque as vantagens superam as desvantagens, claro.”

Los problemas van aún más lejos. Tenemos, por supuesto, el rompecabezas adicional relacionado con el hecho de que los gametos (las células sexuales) experimentan un proceso de división celular fundamentalmente diferente (meiosis en vez de mitosis). Meiosis supone la copia de sólo la mitad del material cromosómico. Al igual que en la mitosis (que acontece en las células somáticas) cada cromosoma se duplica para producir dos cromátidas. Sin embargo, a diferencia que en la mitosis, los cromosomas homólogos están sólo asociados. Así, al comienzo de la meiosis cada cromosoma visible posee cuatro cromátidas. En la primera división, estos cromosomas homólogos se separan de forma que cada núcleo derivado tiene exactamente la mitad de cromosomas. En este punto, cada uno está presente en dos copias (cromátidas). Estas cromátidas son pues separadas en la segunda división de forma que cada nuevo núcleo sólo tiene ya una copia. Para que pueda funcionar la reproducción sexual es esencial que el proceso de meiosis haya evolucionado para tener el número adecuado de cromosomas. Y esta característica tiene que haberse originado sólo en los gametos y no en las células somáticas. Esta dificultad se ve acentuada por la multitud de nuevos elementos que encontramos en la meiosis, lo que la hace improbable como resultado de una acumulación gradual de modificaciones.

Comentário da Matrix/DNA: ” A explicação do porque a Evolução selecionou o caminho mais tortuoso da meiose está na nossa figura “A origem dos cromossomas”. A reprodição assexuada sóacontece pela divisão celular, certo? A replicação de umacélula ocorre através da divisão do DNA e sua separação da haste esquerda da haste direita. Porque? Porque o DNA não se duplica sem se dividir? Porque o DNA é um conjunto de sistemas completos ( umpar de nucleotideos) e nenhum sistema material pode se duplicar. Pela simples razão que o circuito de informações que conecta as partes tem que se fechar, ou seja, a ponta inicial tem que se ligar à ponta final. Senão não existe sistema, apenas processos. O ancestral astronomico, que é o building block das galaxias consegue se reciclar, nunca se duplicar. Para que surja um novo sistema estelar é preciso que uma estrela morra e seu material recomponha a estrutura anterior. Portanto, antes existia reciclagem, e para existir um novo tinha que morrer antes o velho. A divisão do DNA é a divisão de uma face sistêmica em duas meias-faces, sendo que cada meia-face consegue organizar a matéria circundante em sua outra meia-face. Quando um sistema se divide em duas partes ocorre a divisào do circuito, e o fluxo de informações cheganuma ponta sem continuidade e portanto se dispersa no espaço externo. Mas ao se dispersar em meio à matéria as informações recompõem o restante do fluxo e religa suas pontas. A meiose é o caminho mais árduo. Porem ela é a diferença entre a reprodução que exige a morte do original e mantem onumero de individuos eternamente constante e a reprodução que mantem o original com vida, para se reproduzir mais que uma vez e assimcrescer em população.”

Retorno ao texto:

Y además está el problema añadido de la complementariedad entre macho y hembra, una aparente y significativa muestra de co-evolución.

Comentário da Matrix/DNA: “Esta complementaridade entre macho e fêmea, notável por produzir o fenômeno em que os acessórios de um corpo isolado no espaço tenha as exatas proporções para se encaixar nas proporções de outro corpo isolado no espaço só pode acontecer naturalmente se dividir-mos em dois um corpo que já possua todos os acessórios encaixados. Ou seja, a bi-sexualidade simétrica é obtida de um corpo hermafrodita… como era nosso ancestral astronomico. Digo naturalmente porque êste mesmo fenômeno pode ser obtido tambem por uma inteligencia capaz de planejar medidas, um inteligernte designer, mas a História sugere que não foi este o caso na origem da bi-sexualidade.”

Soluciones Propuestas

En el mismo día de la semana primera de Julio se publicaron dos artículos en conocidas revistas científicas proponiendo dos alternativas diferentes y completamente contradictorias en torno a la emergencia evolutiva de la reproducción sexual. Uno de los artículos lleva por titular “El sexo evolucionó para prevenir infecciones de parásitos, según científicos”. El artículo se refiere a un trabajo publicado en la revista Science y comienza reconociendo el problema señalado antes por mí:

La reproducción sexual, que precisa de dos individuos, es mucho menos eficiente que la auto-fertilización, al menos desde la perspectiva evolucionista. Por tanto, ¿porqué las criaturas, como los humanos, empezaron a establecer conductas sexuales entre sí? Según un nuevo estudio, lo hicimos para combatir a los parásitos. Hemos hablado con los investigadores para descubrir qué tiene esto que ver con el sexo.

El artículo continúa explicando,

Biólogos de la Universidad de Indiana han encontrado pruebas de lo más convincente hasta el momento de que el desencadenante de la reproducción sexual fue la necesidad de evitar la muerte ocasionada por parásitos. La lógica del asunto es que si un organismo se reproduce asexualmente, entonces la variación genética de la especie en su conjunto se estancaría y eso llevaría a que algún parásito capaz de ocasionar la muerte a un individuo de esta clase pudiera terminar con toda la especie (las bananas constituyen un ejemplo de ello).

La reproducción sexual se convierte así en una forma de introducir la variedad genética, un proceso que debe de repetirse constantemente para evitar ataques de los nuevos y más letales parásitos. Esto se conoce como la “hipótesis de la Reina Roja” tomando el nombre de una frase del libro de Lewis Carroll “Alicia a través del Espejo”: debes correr todo lo que puedas para mantenerte en el mismo sitio.

Y así, se argumenta que las aparentes desventajas del sexo antes mencionadas se compensan con la ventaja de la inmensa flexibilidad genética que procede de barajar los genes en el proceso de recombinación y fertilización. Esto implica que la población está en mejor disposición de adaptarse a las contingencias del entorno como son los parásitos. Esto daría a la reproducción sexual una ventaja significativa y dejaría a las especies asexuales más vulnerables a la extinción.

Pero la cuestión es que el hecho de esta obvia ventaja NO explica cómo surgió en el primer momento la reproducción sexual. De hecho esa inmensa flexibilidad genética sería beneficiosa únicamente para las generaciones futuras y no para la población originaria. La selección natural, careciendo de perspectiva de futuro no puede retener las innovaciones biológicas en función de su futura utilidad. Los problemas antes señalados son fuertes desventajas presentes que deberían haber entorpecido la reproducción sexual desde el inicio. Más aún, la reproducción sexual es un fenómeno de tal complejidad que muy improbablemente habría podido evolucionar por mutaciones en número suficiente de individuos para que pudiéramos esperar su mantenimiento a partir de un pequeño número de individuos capaces de sobrevivir a sus inconvenientes iniciales.

Más aún, la eficacia de la hipótesis de la Reina Roja ha sido crecientemente rechazada últimamente. Tal como se expresaba un artículo de 2004 en la BBC, “para que esta teoría funcione debería de haber un montón de parásitos por ahí fuera y con muy perniciosos efectos”

Como señalara John Maynard Smith en el capítulo 12 de su libro “La Teoría de la Evolución”

Debemos concluir que los primeros estadios de la reproducción sexual tuvieron lugar bajo la influencia de fuerzas selectivas muy diferentes de las que son responsables del mantenimiento y generalización de los procesos sexuales una vez adquiridos.

El segundo artículo, publicado en Science Daily, se titulaba “El sexo no trata de promover variaciones genéticas, según algunos investigadores”. Este artículo reconoce el problema mencionado y dice:

Heng y su colega Root Gorelick, profesor asociado en Carleton University en Canada, proponen que aunque la diversidad puede provenir de la combinación de genes, la función primordial de la reproducción sexual no es la promoción de la diversidad. Por el contrario, es mantener el contexto del genoma (es decir, la colección completa de genes de un organismo ordenada según la composición cromosómica y su topología) lo más estable posible, para preservar la identidad de la especie. Este sorprendente análisis se ha publicado como trabajo de portada recientemente en un número de la revista Evolution.

“Si el sexo fuera solo para aumentar la diversidad genética no habría evolucionado en un principio” dice Heng. Ello se debe a que la reproducción asexual en la que solo un individuo es necesario para procrear, conduce a mayores tasas de diversidad genética que la reproducción sexual.

El artículo sigue preguntándose,

De hecho, hace dos mil millones de años en la biosfera la vida se basaba únicamente en la reproducción asexual y todos los organismos eran capaces de reproducirse sin una competencia costosa por emparejarse. Con la más eficiente reproducción asexual, el origen y la pervivencia del sexo, no precisamente el medio más apto de reproducción, desconcierta a los científicos quienes durante décadas se han venido preguntando ¿porqué el sexo ha evolucionado y sobrevivido?

Y qué solución nos ofrecen esta vez, podríamos preguntarnos.

Según Heng, la ventaja escondida del sexo frente a la reproducción asexual es que limita la macroevolución, la evolución a nivel del genoma, para permitir que sobreviva la identidad de las especies. En otras palabras, sirve para evitar que la especie A se convierta en la especie B. Entre tanto permite la microevolución, evolución al nivel de los genes para permitir a los miembros de la especie su adaptación al entorno.

Entendido. El sexo evolucionó para evitar la evolución. Aparte del hecho de que esto sigue sin explicar en términos de causalidad lo que buscábamos (ni resuelve ninguno de los problemas arriba mencionados) la hipótesis de que el sexo evolucionó para impedir la macroevolución hace menos plausible todavía la reivindicación evolucionista de que todas las especies vivas son el producto de la descendencia con modificación a partir de mutaciones fortuitas sujetas a la selección natural.

El sexo sigue siendo el último rompecabezas, el rey de los problemas en biología evolutiva. Explicar su emergencia en el seno de la racionalidad evolucionista está condenado inevitablemente al fracaso. Tal como señalara recientemente David Tyler: “una y otra ves los darwinistas rellenan los huecos en el conocimiento con sus modelos teóricos, pero tarde o temprano, la próxima generación de estudiosos comprenderán que los darwinistas han construido un mundo virtual que no se corresponde con el mundo real que nos muestra la investigación”.

Comentário da Matrix/DNA: “Sexo é a forma evolutiva atual de um processo simples, mecânico,que foi mais simples ainda antes, como electro-magnético. Êste processo deu inicio ao movimento no Universo constituido de um dualismo que de outra forma jamais se interagiriam. O dualismo que faz com que todas as coisas existentes tenham sua contraparte de mesma forma e espécie, portanto simétrica, mas de tendencias opostas. Isto tudo é bem visivel ao se comparar dois vortexes, um com spin á direita e outro à esquerda. Os dois são iguais na forma, mas apontam em direçòes opostas. Se existe o quente tem que existir o frio, se existe o curto tem que existir o comprido, se existe o bem tem que existir o mal, se existe o macho tem que existir a fêmea, e assim por diante. O sexo é o mecanismo que faz um dos extremos interagir com sua outra extremidade e dessa interação produzir uma terceira forma, diferente das duas originais. O homem e a mulher são simétricos na forma, auto-complementares na matéria, mas de caráters opostos: enquanto o homem aponta na direção dos sistemas abertos a mulher aponta na direção dos sistemas fechados. Em cada nova geração os carateres brutos e inflexiveis originais se flexibilizam e se aproximam, cada vez mais. Isto indica que no final surgirá um carater meio-termista que nào aponte em nenhuma destas duas direções e sim para uma terceira, ainda inimaginavel.

E aqui nos permita um passeio filósofico muito interessante. É da interação entre o bem e o mal que surge a terceira forma, a Sabedoria. Ou teria existido uma Sabedoria que foi dividida entre o bem e o mal? Entre Deus e Satanás!? Existiria então algo acima de Deus e Satanás, algo acima do mal e do bem? E porque não? Na verdade, bem e mal são coisas relativisticas: o bem de hoje e aqui é sempre o mal de amanhã e de acolá. E vice-versa. Da interação e conflitos entre o bem e o mal, entre Deus e o Diabo, os dois se anularão e surgirá uma terceira coisa: a Sabedoria. Apenas a Sabedoria poderia ver de fora e de cima a existência de Deus e Satanás, não sendo nem Deus, nem Satanás. O problema é que existe sim, algo que pode se a perceber das existências de Deus e Satanás, ao menos, em conceito. A Inteligência Humana. Pense nisso. Porque eu tento pensar e me perco em confusão, talvez você tenha melhor resultado que eu. Mas aí me ensine, ok?”

xxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Comentário postado por Matrix/DNA

Hay, Felipe. Gracias por ter usado mi image no artigo about ATP. Tengo uma nova teoria sôbre la causa da existência do fenômeno sexual and I should be very grateful if you say what you think about.

El fenômeno sexual e sus estruturas es algo muy complexo para ter sido inventado pela matéria simples dêste planeta. Hay pensado nisto? Esto sugestiona que los principios naturales do fenomeno viene de algo más. De onde? Se buscar-mos no passado antes dos sistemas biológicos (seres vivos)aparecerem, podemos encontrar a evolução de tôdas as estruturas sexuales nos sistemas não-vivos . Por exemplo, se a cosmologia for como a Teoria da Matrix/DNA sugestiona, nossa ancestral a 10 bilhones de anos atrás já tinha todo o aparato sexual, de forma mecânica, astronomica. Se usted ver mi image ” Ciclo Vital Humano e Astronomico” em http://theuniversalmatrix.com , pode entender como um sistema astronomico hecho com vortex e esferas era hermafrodita e já hacia sexo, procreation, a circa de 10 billones de anos atrás.

O sexo masculino é meramente una evolução da emissão de uma substancia de um nucleo, passando por um canal e sendo emitido para o exterior. Isto vemos no nucleo atomico quando o proton emite um pion, e depois no nucleo de um planeta/pulsar quando o nucleo emite magma que pasa por volcanos e son emitidos no espaço sideral na forma de cometas, os espermatozóides do espaço. O sexo feminino é uma evolução do mecanismo onde um corpo invaginado recebe a substancia emitida pelo corpo simétrico ao seu, e esta substancia adentra ao nucleo impulsionada pela fuerza centripeta geralmente em rotação espiral, pasa por transformações e é re-emitida ao espaço exterior como resultado destas transformações rotativas. Esto hace o neutron no nucleo atômico, e o quasar contendo um black-hole no centro de galaxias.

Mas indo mas fundo no passado, nas origens do Universo, vamos ver o primeiro ato sexual no Universo: a descobierta do Premio Nobel Hideki Yukawa sôbre como funciona a connection nuclear entre protons e neutrons me levou a calcular como foi a primeira connection entre os vórtices quanticos com spins contrarios, qual o resultado final, e usted descobre así que é tudo igual ao sistema reproductor sexual, a nivel de particulas!

Entonce… no hay emergencia do sexo na Terra. A forma biológica de um processso natural a qual damos lo nombre de sexo e reproduction es um processo que viene desde as origens do Universo, passando por átomos e galáxias, sob evolução.

Mas porque existe e qual o significado do sexo? Podemos ver isso nas origens do Universo. Naquele tempo, surgiam vortexes com spins à direita e outro grupo à esquerda. Ninguno conseguia se mantener e sobreviver e debido su velocidade ciega se chocabam. E sus choques generavam o chaos no environment. Porem o chaos os enfraqueciam e com isso se enfraquecia o chaos generado por eles, oque lhes permitia diminuir la velocidad e os malos resultados dos choques entre eles. Más tranquilos se juntaram à la moda de Yukawa e trocaram a substancia de energia pion, e se tornaram um quark, a primeira particula material. Foi através desta “marriage” que conseguiram firmar como existentes e por mais tiempo. Lo orgasmo es lo bien-estar da matéria alcançando equilibrio termo-dinamico e venciendo la fuerza mortifera de la entropia, mas o orgasmo puede ser visto tambiem como a celebration desta gran vitória que determinava la existencia e la perpetuation da espécie, la vitória da vida contra a muerte abrupta e eterna.. E así es hasta hoy… com los seres humanos.

Usted hay visto como localizei todos los principios da machineria do ATP, no nucleo da galaxia. E así estamos descobrindo a evolucion continua, vindo desde antes das origenes do Universo, carreadas pou una formula que a Naturaleza tiene utilizado para organizar la materia into systems and torna-los siempre mas aprimorados. . El sexo es apenas mais una identificacion de origenes.
Estoy testando todos estes modelos teóricos ainda pero tiengo encontrado muchas evidencias para conservar esta possible and logical explanation sobre la existencia de nuestras vidas. Cheers…

Resposta do Felipe:

Felipe dice:

31 agosto, 2011 en 10:45 AM
.
Louis, gracias por tu comentario. Sin duda es una teoría muy interesante aunque muy heterodoxa. Un motivo para reflexionar tranquilamente.

E meu post como resposta:

Felipe,

Yo analizé su artigo, haciendo um comentário para cada item, e se te interessar, veja em meu website em “Artigos” o titulo: ” O Sexo e a Procriação: De onde a Natureza copiou a idéia e inventou tudo isto, pela Matrix/DNA”.

Estou de acordo com usted que a diversificacion e portanto a evolucion que resultou do sexo pode ser uma simples coincidencia, um efeito ao acaso. Mas se provar-mos que o sexo é resultado da evolução de um simples mecanismo fisico da matéria, quando se constitui em sistemas termo-dinamicos, entonces, o sexo teria se tornado um efeito da diversificação e evolução na matéria simples. Teriamos o problema de quem veio primeiro: the egg or the chicken? E ficamos sem elementos para decidir se tudo isto foi produto da evolução Darwiniana ou de um desenho inteligente. Cierto?

xxxxxx

Jonathan dice:

Que los gametos tengan la mitad de los cromosomas para unirse con el gameto opuesto en la fecundación me parece algo que nos muestra DISEÑO.

Matrix/DNA: No necessariamente, Jonathan. Pense numa esfera. Divide-a ahora pela mitad. Siempre una mitad será la mitad da informacion que hace falta à outra mitad. E se a esfera for o circuito de uno sistema, todas las partes de una mitad son las partes que hacem falta à outra. Como las duas mitads da nuestra face. Pero, la inteligencia es mayor quando consegue um resultado final fantástico pelo método mais simples e economico. Portanto,la esfera es algo que me decha suspetando se non será obra de um diseño… Cheers…

xxxxx

5.
creatoblepas dice:

¿Y quién diseñó al diseñador?.

Matrix/DNA: Quién diseñó al diseñador foi o anti-diseñador. Mas quién diseñó o anti-diseñador? Foi o diseñador, claro…

A FALSA IDÉIA SÔBRE MOLÉCULAS AUTO-REPLICADORAS

quarta-feira, fevereiro 10th, 2010

Molécula de RNA

                 Molécula de RNA

 O materialismo científico está fazendo com que seus adeptos afirmem com convicção que em determinado momento a bilhões de anos atrás uma certa molécula, por acaso previsto no calculo das probabilidades, começou a se replicar, confeccionando cópias de si mesma, ou seja, o fenômeno da reprodução teria sido inventado pela primeira vez na História do Universo e na Terra, e isto teria sido o grande gatilho disparador que faltava para a Vida surgir na Terra. Os modêlos da Teoria da Matriz/DNA Universal também indicam que a certa época uma arquitetura natural existente na Terra começou a se duplicar, porém, sugerindo uma outra versão e creio, apesar de parecer fantástica, é muito mais profunda e racional, entrando no estado do mundo anterior inclusive às origens dêste planeta, para dali retirar as causas e fôrças naturais que teriam se desenvolvido a partir de mecanismos físicos até chegar  ao processo biológico da auto-duplicação.

Segundo a versão da Teoria da Abiogêneses, o primeiro fenômeno da auto-duplicação aconteceu por que… aconteceu… êles dizem. “Simplesmente aconteceu… assim é este mundo, coisas acontecem devido às infinitas possibilidades que podem ser medidas pelo calculo das probabilidades, sem precisar de nenhum prévio propósito existente em algum lugar fora do contexto  em que existia aquela molécula.” Mas até hoje acho que ninguém conseguiu apresentar em laboratório alguma molécula simples se auto-duplicando. Pelo que sei, a molécula mais simples que pode se auto-duplicar é o RNA. Como podemos ver nesta frase dita não me lembro onde: “Research by Christof Biebricher showing the formation of RNA molecules 400 bases long under freezing conditions using an RNA template, a single-strand chain of RNA that guides the formation of a new strand of RNA.” Acho inclusive que esta descoberta de que o RNA pode se auto-duplicar inclusive fora da célula – e portanto, em abiogêneses, pode ter feito isto antes de surgir o primeiro ser vivo – está na fundação da moderna tendência e forte crescimento no meio cientifico da hipótese do RNA-World. 

Mas o RNA não é uma molécula simples e, segundo a Teoria da Matriz, quando o RNA se formou já não havia mais abiogêneses, a fase de transformar a matéria inorgânica em vida já estava terminada. O RNA já não é mais da época em que se confeccionou a matéria-prima para a Vida, pois êle próprio já é a vida consumada. RNA é uma completa e terminada reprodução de um lado da face da Matriz. Pode se ver no software: a criança é confeccionada em F1, nasce como baby em F2, cresce como jovem em F3, amadurece em F4, quando termina a parte esquerda da face. Ora, tendo esta metade, a outra surge automática, pois o adulto se torna senil e o senil morre, perfazendo as funções F6 e F7. Acho que a idéia que se tem do mecanismo pelo qual um RNA acaba produzindo uma çopia está relacionada com a chirolarity ou bi-polaridade, no sentido que, digamos, existe um RNA carregado positivamente, e isto faz com os átomos ou substancias simples ao redor dêle automaticamente se auto-organizam justamente como sua contra-face, carregado negativamente. Bem, não sei o que os cientistas dizem sobre esse mecanismo, preciso consultar. Mas pela teoria da Matriz o mecanismo é explicado de outra maneira. Desde que existe um principio já estruturado e operante do sistema matricial, o circuito que começa em F1 tende a chegar ao F7, da mesma maneira que, desde que existe uma criança já formada, o seu ciclo de vida que começou no óvulo fecundado tende a chegar à forma de humano idoso. Se não houver algum obstáculo que interrompa este circuito, (como por exemplo a falta de alimento para o jovem adulto) que se encontra na ponta final do filamento do RNA, onde se situa a F4, que vai acontecer as outras formas finais, que vai se completar um ciclo, é automático. A não ser que esgote a disponibilidade de alimento no ambiente, ou seja, que não existam os átomos necessários. Em outras palavras: no momento que surgiu o primeiro RNA na Terra, a existência do futuro DNA foi determinada. Porque DNA significa a Matriz completa, significa um ciclo vital sistêmico completo. Mas então, sob esta perspectiva da Matriz, o fenômeno da auto-duplicação não foi inventado na Terra e pela Vida, pois ele já existia nos céus muito antes das origens da Terra. A importância desta nossa tese são duas: 1) Talvez o mecanismo acreditado pelo pensamento contempr6aneo esteja equivocado e talvez estaríamos aqui apresentando o mecanismo correto;  2) muda-se a visão do mundo, pois ao invés de um mundo ao acaso estritamente materialista, estamos sugerindo que os eventos aqui tratados vêm de um tempo e lugar além do Big Bang, ou por produção naturalista genética ou deixando a porta aberta para a possivel existência de uma inteligência além do Big Bang que cria universos através de softwares ou programas vivos.

 Antes de apresentar a versão da Matriz deixa-me colar aqui um trecho da sensacional aula do Professor Eric Lander, na heróica, genial, filantrópica iniciativa do MIT – Massachusetts Institute of Technology, no website http://ocw.mit.edu/OcwWeb/Biology/7-012Fall-2004/VideoLectures/detail/embed10.htm

que é uma série de cursos gratuítos, de uma eficiência e qualidade espetacular que posso mesmo dizer ter sido o maior presente que já recebí alguma vez na minha vida (eu que no meio da selva ou no trabalho árduo em New York não tenho a oportunidade de frequentar uma sala de aula) e assim, mesmo não acreditando que Êle me ouça, peço a Deus que proteja aquelas pessoas do MIT e as mantenha iluminadas com tais idéias tão benéficas no socorro à nossa espécie humana tão necessitada de iniciativas como estas. Para você ter uma idéia da importância da coisa e ser motivado a fazer aquêles cursos gratuítos, digo que o próprio Bill Gates, no seu website particular, disse que tem assistido às aulas!

Vamos então ler um trecho da aula (quando tiver tempo o traduzo, ou se alguém puder faze-lo, muito grato), o qual serviu de inspiração para eu apresentar agora mais esta tese:

 Prof. Eric Lander: “These (virus) were very simple things. I’m reluctant to call them creatures. Are they alive? This is a favorite question people would like to debate. They say are viruses alive? And the answer is who cares? I mean it depends on what you want to define alive to mean. To me it’s not alive in that it cannot replicate on its own without a host, so I won’t call it alive. But, anyway, I’ll refer to them loosely as these creatures that eat bacteria. They were very simple. And all they really had in them was some DNA in their capsid, this capsid up here, and some protein. But they could attach to a bacterium and after a certain amount of time cause the bacteria to burst open and produce lots of daughter-phage, lots of daughter bacteriophage. It could replicate within this bacteria. So, somehow this, while I might not want to call it alive, certainly can reproduce itself, or at least with the help of a     bacterium can reproduce itself .” ………………………………………………………………………………………………………………….

Êste fato imediatamente me leva a pensar o seguinte: “Uma arquitetura natural que chamamos de virus apresenta já uma enorme complexidade adquirida por um longo período de evolução, contendo proteínas, RNA e/ou DNA, e com tudo isso ainda não alcançou o nível de complexidade que é necessário para ser-se hábil a auto-duplicar-se.  Porque?  Como então acreditar que uma primitiva molécula muito menos complexa tenha alcançado essa habilidade? Isto não faz sentido racional. Acho que está óbvio aí que o segrêdo do mistério todo está na palavra “sistema”. O vírus é uma parte, uma peça, de um sistema, e quando esta peça se insere neste sistema – mesmo que ele já tenha uma operatividade própria – ela se expressa mais fortemente que a peça correspondente que já existia no sistema, assume o pôsto da outra peça, sequestra a maquinaria do sistema e assim se auto-duplica. Ou seja, se o sistema existente tinha a habilidade de se auto-duplicar por inteiro, agora com êste novo intruso êle mudou para a capacidade de duplicar uma de suas partes internas. ……………………………………………………………………………………………………………

Pelos modêlos da Matriz tenho concluído muito tempo antes que os vírus são originários dos bit-informações deixados no “ar” pelo antigo pulsar do sistema solar, que desempenham a funçao de macho reprodutor e os mesmos modêlos mostram como muito antes da existência dos virus, os sistêmas astronômicos já possuíam esse mecanismo de reproduzir suas peças internas degradadas”Isto é possível? Existe algum parâmetro na Natureza conhecido de fato por todos humanos, que confirme ser possível a Natureza aplicar este processo?……………………………………………………………………………………………………………

Uma rápida meditação nos leva ao seguinte quadro: No período da guerra fria o Império Soviético queria expandir o comunismo. Então ele enviou agentes subversivos que se conectou a pessoas sugestionáveis que viviam numa fazenda da Amazônia, ( se lembram do episódio da Guerrilha do Araguaia?), aos poucos fêz sua pregação doutrinaria, fizeram a revolução, o motim na fazenda, aprisionaram o fazendeiro e transformaram a fazenda num gueto comunista onde os agentes subversivos e seus asseclas tomaram o poder e assim tinham mais chance de deixar maior progênie. Se nenhuma fôrça externa atuar refreando este processo, não será o sistema organizatório da fazenda capitalista que vai ser exportado para as terras vizinhas fazendo outras fazendas capitalistas, mas sim os filhos dos agentes comunistas saindo daqui e indo para as terras vizinhas fazendo fazendas comunistas… ou os filhos dos virus subversivos saindo para fazendas-células, as quais seriam “cancerosas”, do ponto de vista da nacão Brazil cujo modêlo de sistema social é o capitalismo… É isto que os virus fazem! E se êsse fenômeno é visualizado aqui e agora na espécie humana, e o homem não cria nada do nada mas sim aplicando mecanismos já existentes na Natureza, está aí nos virus invadindo células o fenômeno ancestral dos agentes russos invadindo uma fazenda na Amazônia. E em quantas outras situações este mesmo processo deve estar acontecendo na Natureza, seja a nível atômico, astronômico, celular, etc.? Sim existe um parâmetro, nosso raciocínio está autorizado a prossseguir nesta linha pelo nosso auto-policiamento de nossa Razão……………………………………………………..

Sistemas! Nunca aconteceu isto, de por simples efeito casuístico da probabilidade uma certa molécula simples inventar onde nunca existiu antes este fenômeno da auto-duplicação. Ora, pense sériamente na cena: um corpo material tornando-se dois exatamente iguais! Isto é fantástico, certo? O primeiro ser que se auto-duplicou era um sistema. E aí o crente materialista contesta: “O DNA por si só, isolado, não é um sistema e mesmo assim, numa solução quimica contendo os ingredientes necessários, ele se auto-duplica.” Ah… meu  Deus… quanta dificuldade encontro devido as pessoas não conhecerem a Matriz. Quando não existiam átomos complexos, pesados, no Universo, e sim apenas os átomos leves que no máximo podem constituir gazes, êstes formaram protótipos das atuais estrêlas. Estas possuem reações nucleares que permitem a fabricacação de átomos mais pesados e complexos. Com a produção de atomos pesados as estrêlas puderam desenvolver os sistemas estelares. Mas uma estrela, agora que ela pode fabricar atomos pesados, não precisa dis planetas e outros que formam seu sistema para auto-duplicar-se. Basta ela morrer, se fragmentar, deixar seus restos mortais na forma de poeira turbilhonando num ponto qualquer da galáxia auto-rotativa que ela vai ressuscitar… e justamente este mecanismo de proto-auto-reciclagem, que depende de que um corpo morra antes para se auto-ressuscitar, e que até hoje é reproduzido aqui pelos zangões que copulam com a rainha e morrem imediatamente porem não sem antes deixarem seu genoma que os auto-replicará, este mecanismio que existia no céu a bilhões de anos antes das origens da vida na Terra, é o mecanismo ancestral do fenômeno da auto-reprodução biológica e também da auto-duplicação da molécula enclauzurada no nucleo da célula…………………………………….  Eu acho isto lindo de morrer, para mim jamais apeareceu uma teoria tão… elegante. Não porque seja vaidoso bradando aos quatro ventos que eu descobrí a Matriz, qualquer um que tivesse nascido tão fud… como eu nascí a ponto de ser enxotado pela civilização para o meio da selva, o teria disccoberto, pois esta descoberta foi feita pelo espirito virgem e selvagem da Natureza apoiada sobre os ombros de gigantes como Grigffith, Francis Crick, Watson, etc., usando-me como mero instrumento. Em todo caso, torço para que seja comprovado o pouco que deve existir de correto nestes primeiros modelos da Matriz, pois estas perspectivas próprias dela, estas mensagens que ela nos envia, são muito mais belas e confortantes para nosso anseio de significar algo mais neste mundo que o simples papel de meros macacos melhorados, do que a perspectiva e mensagem fria e niilista que nos envia a doutrina materialista. Você não concorda? Havia sim um propósito, um prévio design existente que produziu o fenômeno da Vida e da reprodução aqui na Terra, isto não foi obra apenas de um montículo de matéria compondo uma simples molécula ao sabor do acaso que tirou este fenômeno da cartola como num passe de mágica. A Matriz está sugerindo que nós somos os genes operários do Universo construindo nosso próprio corpo do futuro, isto sinigifca que somos alguém, que nossa vida tem um sentido sublime, e que um futuro grandioso nos aguarda. Se a Matriz for apenas um sonho, ao menos ela serve como a energia potencial que me mantem querendo continuar esta vida, o que eu não iria querer continuar se tivesse a abrupta certeza de que não passo de mero macaco melhorado vivendo uma existência inútil e indesejada por um Universo não-amigável que me trataria como mera verruga incômoda e incongruente que nada teria a fazer mo Universo. Se eu não tivesse a consciência de que sou um cego tateando este mundo desconhecido como uma criança quando engatinha, e a educação para perceber que um cego não pode e não dever guiar outros cegos, eu diria: venham viver este sonho comigo pois juntos é possivel que “our dream will come true”.

Entendendo o Nascimento da Auto-Consciencia

segunda-feira, janeiro 12th, 2009

(artigo sob construcao aberto a colaboracoes) 

Leio rapidamente no livro “The User Illusion”, de Tor Norretranders, pag. 228, esta frase:

“The desperate difficulties in understanding man’s functions through introspection or self-observation discovered by pionners like Helmholtz and Freud in the nineteenth century have caused many scientists to lose interests in introspection. Subjects such as counciousness and awareness were struck off the agenda, because one cannot trust what people say about themselves. The mind cannot understand itself from within, so many scientists elected to study it only from without, by observing objective signs of the activities of the mind…”

      . Porque nossa mente nao pode entender ela mesma? Porque nossa mente nao sabe como e’ sua forma fisica nem qual a substancia que a compoe? Segundo o que estao sugerindo os modelos da Matriz, a resposta esta’ em outra semelhante pergunta: Porque um feto, um embriao nao pode entender-se a si mesmo?  Porque um embriao nao tem ideia de sua forma fisica, nem mesmo uma pequena crianca entende o que ela e’,  quem ela e’,  como ela esta’ inserido no mundo? O que e’ o mundo, para um recem-nascido? Resposta para ambas as perguntas: porque trata-se de sistemas naturais ainda em estagio de gestacao e formacao, onde formas atuais serao mudadas e ainda existem genes retrogrados cujas propriedades serao expressadas com a maturidade.  Mas os adultos – que se situam do lado de fora – podem ver e entender a forma e a constituicao fisica de fetos e embrioes. Pois os mesmos problemas que os embrioes e recem-nascidos tem com a dimensao material fisica de seus corpos, nos, adultos, enquanto seres mentalizados, temos com a dimensao material fisica das nossas mentes. Mas o conhecimento da Matriz, a analize de seus modelos, nos revela uma nova visao sobre nossa mente, desde suas origens no Big Bang e historia de sua ancestralidade, como e’ sua forma fisica atual e a substancia que a compoe, com muitas boas novidades.

Se o leitor se colocar como observador dentro do Universo, dira’ que a mente humana ou auto-consciencia surgiu como mais uma mutacao evolucionaria. Os neo-darwinistas defendem a tese de que a mente e’ mero produto da evolucao do cerebro, apesar de conhecerem os teoremas de Tarsk e Turing sugerindo que seria impossivel aqualquer arquitetura natural se transformar no fenomeno mental.  Se o leitor imaginar-se fora do tempo e espaco universal, baseando-se nos modelos da Matriz, inclusive vendo o passado antes do Big Bang,  vera’ que a auto-consciencia e’ apenas mais uma das formas provisorias do ciclo vital do sistema que gerou geneticamente o Universo, e entendera’ como os mecanismos da macro-evolucao poderiam ter produzido um novo sistema mutado a partir do cerebro humano. Mais importante ainda e’ o entendimento de softwares naturais propiciados pela Matriz, pois a mente humana esta na fase do software retroalimentado e mutado pelo hardware cerebral.  Existem no minimo quatro fortes indicios apoiando o que a Matriz esta’ dizendo:

1) O indicio mais notavel e surpreendente esta’ na anatomia da cabeca humana e formas de seu conteudo, somente percebido quando se conhece a Matriz, mas por sua novidade e complexidade, vamos falar dele num paragrafo a parte mais a frente;

2) o fato ja relatado acima, da mente estar imitando exatamente o nosso estado quando eramos embrioes ou babies em relacao aos nossos corpos;

3) o tempo muito recente de seu aparecimento em relacao ao tempo de bilhoes de anos da Natureza e em relacao `a longevidade dos outros sistemas naturais criados pela Natureza;

4) a propria obra de neurologistas como Tor Norretranders, revelando que apenas 16% dos signais ou estimulos do mundo que chegam ou passam rente `a nossa mente sao vistos ou percebidos por ela. Pelas observacoes do que tem acontecido na Natureza ate’ agora, deduz-se logicamente que existe uma forca ou lei natural conduzindo este novo sistema a ser capaz de captar os 84% restantes. Portanto, a auto-consciencia e’ ainda um sistema imaturo.

O HOMEM CARREGA SOBRE OS OMBROS OS ECOS DE UM NOVO EVENTO DE FECUNDACAO MACRO-EVOLUCIONARIA

Vamos entao voltar a falar sobre o indicio da prematuridade da auto-consciencia observado na anatomia e formas internas da cabeca humana. Antes precisamos mencionar uma recente descoberta que li ainda ontem em algum lugar mas que os modelos da Matriz ja’ tinham me conduzido a prever esta descoberta 20 anos atras. Sabiamos a muito tempo da metamorfose que ocorre quando uma larva se transforma em borboleta. O que nao sabia-se e fez nos ultimos dias muitos estudiosos cocarem a cabeca foi a descoberta de que existem muitos insetos cujas larvas continuam a existir por muitos meses mesmo apos deles terem brotado a nova forma metamorfoseada. E’ como se um unico individuo se dividisse em dois! E isto tem muitas implicacoes, uma delas e’ que vai mudar a teoria da arvore evolucionaria da vida sugerida por Darwin e ensinada em todas as escolas, pois nao existe apenas a evolucao vertical darwinista, e aduzindo outras descobertas como a da da hibridizacao onde dois individuos se tornam um, surgiu a chamada “HGT” (Horizontal Gene Transfer), que faz a arvore torcer-se mais parecendo uma web, ou teia. Pois com o avento da auto-consciencia esta’ ocorrendo o mesmo, ou seja, a larva, que e’ o cerebro humano, continua a existir mesmo que a metamorfose para auto-consciencia ja esteja muito adiantada. mas isto e’ normal em macro-evolucao, basta recordar o que temos dito sobre o Universo, cujo ceu estrelado e mundo externo a nos, humanos, e’ a larva que continua viva enquanto nos, a nova forma metamorfoseada do Universo ja’ estamos numa forma bem adiantada. 

A forma da cabeca humana e a forma do seu conteudo e’ a forma fractal exatamente igual a de todas arquiteturas materiais construidas anteriormente em todos os sistemas naturais pela Funcao Sistemica Universal Numero 1! Este e’ um detalhe incrivel, lindo de morrer, com que nos brinda mais uma vez o conhecimento mais profundo da Natureza. Parece que ninguem notou isto antes, um detalhe que salta `as vistas no primeiro instante!  Nao era necessario esperar ter-mos descoberto o software da Matriz para que alguem visse este detalhe; se ele, o obvio, o evidente, nao foi visto ate’ agora e’ porque todos os seres humanos, inclusive os especialistas, estao fantasiando, mistificando, distorcendo o fenomeno “mente humana”. Estao vendo fantasmas onde nao existem. Se estivessem fieis ao raciocinio materialista natural, teriam visto na forma externa e interna da cabeca humana o detalhe que expressa apenas mais um evento evolucionario tao normal como aqueles que produziram todas as especies novas, de atomos a girafas. Pena que ainda nao tive tempo para aprender como inserir imagens aqui nos artigos, pois bastaria copiar a imagem que vou descrever com palavras a seguir em uma simples busca de imagens pelo Google. 

A grosso modo, a cabeca humana tem a forma de um ovo. No seu interior tem uma massa cinzenta como se fosse a clara do ovo. No centro dessa massa tem outra esfera menor chamada sistema nervoso, como se fosse o nucleo do ovo. Mas esta esfera menor possui uma extensao, na forma de uma cauda, que sai fora da cabeca e se extende por toda medula espinhal. Ora, isto tudo forma uma imagem que ja vimos mil vezes nos bancos escolares. E nas aulas de educacao sexual… E’ a mesma imagem de um ovulo penetrado pela cabeca de um espermatozoide que possui um cilio que fica pra fora… E’ a mesma imagem que vemos na posicao da Funcao n.1 nos building blocks dos sistemas astronomicos, seja no hardware ou no software. Isto chama-se fractal, de formas e processos naturais, padroes universais que sao sempre repetidos toda vez que uma dada funcao universal entra em acao e constroi a arquitetura material ou ferramenta na qual ela se incorpora para que possa operar no meio-ambiente. No quadro da Matriz em sua fase de building block dos sistemas astronomicos, do ultimo nao vivo ancestral que esta sendo reproduzido, a Funcao n.1 mostra um feto tornando-se um embriao, nascendo para a luz do quasar, enquanto la dentro do utero galactico outro espermatozoide esta’ entrando e deixando o rabo la fora. Nossa mente como software ou circuito energetico/informacional daquela coisa denominada “cortex” que se situa no alto do cerebro, parecendo sair para ver pela primeira vez a luz da estrela, enquanto la no fundo vai ficando o eco, a ressonancia, de sua recente fecundacao…  Seria mera coincidencia a existencia de tantas cenas iguais – seja no ceu, seja no nascimento dos corpos animais, seja na visao de raio-x da cabeca humana? Ora… me engana que eu gosto! Isto e’ comum em macro-evolucao: a mente humana e’ como a recem formada borboleta, ela esta’ prestes a voar (acho que a minha ja esta voando demais), mas a larva inclusive contendo ainda o eco do evento de sua fecundacao continua a existir. Nada a admirar: tambem ainda mantemos no cerebro um caroco como resquicio do cerebro reptiliano.   

A forma geral da cabeca humana e de seu conteudo  e’ a forma do evento ou momento da fecundacao de um ovulo por um espermatozoide. A cabeca humana esta’ sendo o palco do mais novo surgimento e criacao de uma nova especie de sistema natural derivada das formas anteriores deste sistema natural que denominamos de “Universo”. A nova especie macro-evolucionaria chama-se “auto-consciencia”.  O fato de existir aqui seis bilhoes de copias diferenciadas entre si significa que ainda estamos na fase de recente entropia do sistema antepassado, de caos, e lento soerguimento da Phoenix levantando-se das proprias cinzas (lembrando-se que a Phoenix neste caso e’ uma entidade ex-machine, existindo antes do Big Bang e fora do Universo material). Como auto-consciencia somos embrioes ainda, ou quando muito, babies recem-nascidos. Como auto-consciencia ainda nem sequer vimo-nos frente a um espelho para conhecer a nossa imagem fisica. E ter consciencia disto ja e’ um grande passo evolucionario, prerrogativa de nossa atual geracao que nenhuma outra teve antes, assim como esta’ ocorrendo outro grande passo evolucionario com nossas criancas de hoje que possuem muito maior consciencia da tecnologia que tivemos nos. Oxala’ todos os seres humanos fossem vapazes de entender isso… que mentalmente somos recem-nascidos, mentalmente somos quase nada, portanto nao sabemos nada. Se homens como Hitler e tantos outros que se acharam capazes de saberem muito e serem donos da verdade a ponto de impor `a forca suas ideologias sobre outros seres humanos tivessem visto este detalhe que estava a frente de seus narizes ou refletido no espelho quando viam sua propria imagem, o mundo hoje seria bem melhor. Humildade irmao, humildade e curiosidade e naturalidade, como nossos babies…   

      . O estado de auto-consciencia ou “mente humana” e’ o mesmo de qualquer novo sistema natural, um sistema natural que esta’ sendo desenvolvido pela Natureza nestas regioes do espaco cosmico, mas aqui ela e’ o topo alcancado pela evolucao universal, ao menos nestas regioes. E como sempre a Natureza fez antes quando “criou” um novo sistema, uma nova especie macro-evolucionaria, ela esta’ usando a mesma formula de software da Matriz e o mesmo processo de reproducao sexual genetico. Portanto um grande salto destes cientistas e mesmo das pessoas comuns como nos, no conhecimento da mente humana, sera’ dado ao conhecer a formula matricial, pois a mente tambem tera’ um corpo fisico, um hardware, montado e organizado no mesmo esquema e configuracao dos outros sistemas naturais.

Temos muitos problemas como seres mentalizados. Tomamos muitas decisoes erradas, a toda hora estamos enfrentado o triste fato de que o mundo externo e nem mesmo o nosso corpo, com seus instintos, nos obedece enquanto “mentalizados”. Na maior parte do tempo nossa mente esta’ em total confusao sem conseguir conectar os dados registrados na memoria, impedindo-nos de dominar o muindo material como seria de esperar-se do topo evolucionario. Para entender um pouco a causa dessa confusao e debilidade da auto-consciencia recem-nascida sera’ salutar recordar o que acontece na emergencia de uma nova especie de sistema natural a nivel macro-evolucionario.  Portanto vamos rever como a Matriz descreveu o processo embrionario do sistema atomico. Quando os atomos se limitavam apenas aos leves, como o hidrogenio, nao eram um corpo sistemico em relacao ao tempo, apenas em relacao ao espaco. Os setes orgaos do atomo sao ainda proto-orgaos, manifestados apenas como campos eletro-magneticos chamados de camadas eletronicas. Entre estas camadas sobem e descem eletrons, e quando um eletron toca uma camada, esta se expressa, expressando a funcao sistemica do orgao que ela representa. Portanto um atomo neste estado nao apresenta um sistema, ou ele e’ so’ estomago, no momento seguinte e’ so’ coracao, no outro apenas um figado, etc. Por isso nao canso de repetir uma frase da Matriz que gosto muito:

“O movimento dos eletrons imitam os dedos de um pianista pois eles tocam e expressam a funcao oculta numa camada eletronica da mesma forma que o dedo do pianista toca e expressa o som oculto numa tecla do piano”

Apenas quando o inicial semi-atomo de hidrogenio tomou um banho de estrelas e transformou-se em grandes atomos mais complexos, possuindo varios eletrons os quais preenchem muitas ou todas as camadas eletronicas, ele tornou-se um sistema material em relacao `a dimensao “tempo”, tambem, ou seja, todas suas camadas sao permanentemente tocadas por eletrons fixados nelas, logo, ele e’ um corpo com todos os orgaos materializados ao mesmo tempo. 

     . Agora retornemos `a mente humana. Qualquer estimulo (seja interno ou de fonte externa) que adentra o cerebro, dirige-se para determinada regiao de neuronios fazendo-os se expressarem. Essa expressao produz sinais eletricos que representam uma das partes do software matricial. Cada regiao desempenha uma das sete funcoes sistemicas universais. Cada regiao ira’ se materializar como orgao de um novo corpo, portanto, nesta fase, a mente esta’ como o atomo leve. Os estimulos que adentram e perambulam de regiao a regiao do cerebro sao como os eletrons tocando as camadas eletronicas. Sera’ a maior constancia de estimulos fazendo determinada regiao se expressar que a ira’ solidificando, materializando. `A medida que regioes vao se adensando e se fixando o sistema vai se formando, ate’ que todas estejam solidificadas, no estagio embrionario, pronta para vir `a luz do mundo. Tendo o mapa do software como pano de fundo torna-se mais facil entender cada regiao, cada expressao, cada detalhe e por fim o conjunto geral do que e’ e o que e’ auto-consciencia. Infelizmente nao tenho tempo e nem recursos para observar o cerebro, principalmente o que aparece no M.R.I e outras tecnicas de mapeamento das atividades cerebrais baseados em raio-x, etc. mas tenho esperancas de que, quando um ou mais cientista descobrir a nova visao do mundo propiciada pela Matriz e empregar este conhecimento no estudo da mente, vamos realizar avancos espetaculares…  Por ora entendemos nossas confusoes mentais, entendemos porque, se temos a Natureza e todo seu passado registrados na memoria no centro do Dna em nossos neuronios, ainda nao podemos dominar o mundo material. Acontece que nossa massa cinzenta esta’ dividada por regioes de atividades, o que significa que os dados da memoria estao divididos em compartimentos, e quando apenas um ou uns poucos se expressam em um dado momento, claro, nao podemos fazer as devidas conexoes. Mesmo que ja estejamos na fase de recem-nascidos ou criancas mentais, nossos orgaos mentais ainda nao se conectam como um sistema completo e solido. E ainda faltam se expressarem as propriedades adultas que os corpos das criancas nao tem. Como serao elas nao podemos sequer imaginar, assim como os repteis jamais poderiam imaginar como sua aparelhagem sexual seria transformada quando se tornassem mamiferos.      

  Para terminar sera’ bom rever o significado existencial da mente humana segundo a Matriz. Para isso precisamos pensar em termos de Universo. O Universo nao e’ aquela imensidao estrelada que vemos la’ fora. Aquilo sao fosseis ou formas primitivas de especies que ficaram para traz. Universo e’ “sistema” e ainda um  “sistema natural sob evolucao”, que surgiu como nosso corpo surgiu,  fragmentado em genes quando rebentou a cabeca de um espermatozoide e fez um grande big bang, cujos genes na forma de vortices quanticos se juntam cada vez mais ate’  que um dia finalmente reproduzam a forma do sistema-pai e entao… ao inves de big bang comemoraremos um big birth. No  processo reprodutivo do nosso corpo, tivemos todas as formas de nossos antepassados: primeiro fomos uma massa informe de celulas com o nome de morula assim como o Universo era uma massa informe de atomos; depois passamos pelas formas de blastocisto, peixe, reptil, mamifero quadrupede, ate’ completar-nos quando adquirimos a forma humana igual a de nossos pais. Por seu lado, o Universo, que tambem foi uma producao genetica natural, que e’ um sistema natural, esta’ agora novamente fragmentado em genes mas na forma de genes mentais a caminho de repetir mais uma forma de seus ancestrais criadores. Em outras palavras, nos somos a forma ultima do Universo hoje. Se esta forma agora e’ a auto-consciencia, nao resta duvida que o sistema gerador do Universo tem como uma de suas formas,  a  auto-consciencia ! E … durma com um barulho destes. Porem, agora durmiras melhor porque estas descobrindo por forca da logica e das evidencias na Natureza que sua mente, apesar de tao pequenina e ainda tao novinha, tem uma correspondente, gigantesca, incalculavel, maior que todo este Universo… e que ja existia antes do Big Bang !… Hoje, uma das questoes que mais ocupam minha  cabeca, e’ sobre esta minha nova visao de um mundo rodeado e penetrado por uma mente de dimensoes e poderes e pensamentos inimaginaveis, enquanto bilhoes de pequenos fragmentos de mentes – e apenas aqui na Terra – pipocam dentro dela por ai’… parece ate que estou vendo aquela cena inicial da origem do Universo quando pipocavam aqueles fantasmas na forma de tornados ou bolhas quanticas. O problema e’ que eu, hoje, sou uma destas bolhas… e preciso urgente fazer-me ouvir pela gigantesca mae da minha bolha, gritar para avisa-la que aqui na Terra estamos passando mal, mas nao sei como se da’ a conexao, ou se e’ possivel uma conexao, ou ainda se ela tem consciencia da minha existencia… O embriao, quando quer reclamar de algo e se fazer ouvir, chuta a barriga da mae… e eu nao sei o que chutar…