Archive for the ‘religiões’ Category

O jogo do empurra-empurra entre Deus e humanos

sexta-feira, junho 22nd, 2018

xxxx

Estou pensando como é engraçado o jogo de empurra-empurra entre alguns humanos e seus deuses. Quando chamo humanos para iniciar-mos uma cooperativa e/ou unidade de produção explicando que essa é a unica alternativa para saírem da pobreza e salvarem essa Natureza, a maioria diz que não cabe a nos resolver estes grandes problemas humanos e sim a Deus. Mas os fatos nos mostram que os deuses estão ausentes na solução destes problemas e parecem dizer que deixam as soluções ao livre-arbítrio dos humanos. Fica um empurrando para o outro… Raios,… nesse empurra-empurra ninguém vai fazer nada até que seja tarde demais…
 
E’ como a outra historia da segunda vinda:
– ” Jesus volte logo, me leve daqui…”
– ” Mas antes de Eu voltar e para Eu voltar e’ preciso que vindes a Mim…”
– ” Mas como vou a ti se nao voltas aqui?…ir ai eu nao vou, nao posso…”
– ” Então se você não vier a Mim eu não vou a você…”

Debate entre experts em Ciencias e Religiao. Questao: Ciencia refuta Deus?

sexta-feira, junho 8th, 2018

xxxx

Nos, agnosticos da cosmovisao da Matrix/DNA, somos “indecisos” nesta questao. Para nos o problema todo esta’ na palavra “Deus”, “God”. Suspeitamos que o atual conhecimento cientifico de fato – sem as teorias dos trabalhadores das ciencias, conhecidos como “cientistas” – desaconselha a fe’ num tipo de Deus tal como e’ descrito na Biblia. E provavelmente todos os outros tipos de deuses descritos nos livros sagrados das outras religioes. Mas os nossos modelos e calculos nos levaram a suspeitar que existe uma especie de “superconsciencia” em outra dimensao alem da que podemos captar com nossos sensores e alem do que tem captado o conhecimento cientifico atual. Esta suspeita superconsciencia seria diferente de todas as descricoes de Deus, portanto evitamos denomina-la Deus ou por outro nome alegorico qualquer.

Esta suspeita surge principalmente de um calculo muito simples dentro dos nossos modelos:

Neste Universo existe, internamente, um sistema natural, que surgiu a 14 bilhoes de anos atras e vem evoluindo, no sentido de que ele surgiu no estado de extrema simplicidade e atraves da Historia Natural Universal tem ate’ agora se transformado no sentido de cada vez mais complexo. Varios outros indicios notados nos nossos modelos resultam na sugestao de que neste Universo esta’ ocorrendo um processo evolutivo pelo simples metodo genetico. Entao nos voltamos para observar a Natureza que conhecemos e procuramos alguma situacao onde um sistema surge em extrema simplicidade, evolui do simples para o mais complexo, e pelo metodo do processo genetico. Isto porque nossas conclusoes teoricas so’ se tornam reais teorias da cosmovisao se encontrar-mos na Natureza real um parametron Comprovado e conhecido por todos. A Teoria de Hawkings sobre uma hipotetica existencia de buracos negros nao passaria neste crivo, pois nao encontramos em nenhum outro lugar um parametron Comprovado real que nos avise que a Natureza e’ capaz de fazer tal objeto.

Encontramos uma situacao comprovada e conhecida por todos que se encaixa perfeitamente como parametro real: trata-se da fecundacao, gestacao e desenvolvimento de cada novo ser vivo. Eles surgem num estado de extrema simplicidade ( uma celula dentro de um ovo); eles evoluem dp mais simples para o mais complexo: e eles sao feitos pelo metodo genetico. O achado nao foi surpresa, pois como nao cremos em magicas sobrenaturais, e portanto este Universo nao poderia criar por magica informacoes que ele nao continha na sua origem, entao ele nao poderia ter inventado outro processo para criar coisas como sistemas vivos que nao fosse o mesmo processo pelo qual ele foi criado.

Encontrado o parametro real, comprovado que a Natureza pode fazer e realmente fez o que pressupoe a teoria, passamos ao estudo comparativo entre a historia do corpo vivo criado e a historia do sistema universal criado. Assim vamos projetando o que conhecemos da micro-historia visivel aqui e agora sobre a macro-historia nao visivel do passado, pressentida no presente mas tambem nao visivel no futuro; e fazemos o exercio contrario ou seja, projetando o que se conhece cientificamente do macrocosmo sobre este evento microcosmico. Assim vamos encontrando num as respostas que faltam mas estao no outro, o que ajudou-nos a aprimorar as duas narrativas destas historias.

Mas um detalhe fragrante salta ao0s olhos, o qual parece sr uma crucial diferenca: em certo momento ( dos 6 aos 8 meses de gestacao) o cerebro do ser vivo humano apresenta a propriedade da consciencia. Isto significa que na evolucao do sistema dentro deste Universo, esta propriedade surgiu nos seus 14 bilhoes de anos. Nao ha’ nenhuma dificuldade aqui porque estamos contando os dois tempos sob a perspectiva humana, entao o que e’ feito em 7 meses na micro-escala humana pode corresponder ao que e’ feito em 14 bilhoes de anos na macroescala do universo.

Mas.… sabemos que nao e’ cada novo cerebro recem formado humano que inventa pela primeira vez no mundo a propriedade da consciencia, porque sabemos que ela ja existia antes, na especie humana, que esta fora e alem do pequeno universo oval do feto. A consciencia ja existia desde o momento da fecundacao na heranca genetica recebida, portanto nos 6 meses  – desde as formas de celula inicial, morula, blastula, feto, e ate a de embriao – ela existiu no estado potencial, nao expressada. Em relacao a historia universal nao temos nenhuma evidencia ou pista para concluir se foi este universo que inventou pela primeira vez no mundo a consciencia, ou se ela ja existia antes e alem dele. mas esntao aplicamos o mesmo metodo de projetar o conhecido da micro-historia sobre seu espelho que ‘e a macro-historia e chegamos a nova teoria de que nestes 14 bilhoes de anos – desde a forma de sistema atomico, estelar, galactico, celula vegetal, e animal irracional – a consciencia esteve no estado potencial, sem ser expressada. E por conseguinte temos que transportar a fonte desta consciencia no fato observado aqui e agora como fonte para o fato existente mas ainda nebuloso da macro-historia, e chegamos a teoria de que a consciencia humana nao foi inventada dentro deste Universo, mas sim ja deve ter existido antes das origens e alem do Universo.

Entao o que denominamos como superconsciencia cosmica em nada se compara com as definicoes de deuses de todas as religioes conhecidas. Pelo que conhecemos da Ciencia humana – seus fatos comprovados – ela nao pode refutar esta teoria, muito pelo contrario, por ser uma teoria intrinsicamente naturalista, ela deveria aceitar como a mais provavel teoria que ela pode produzir sobre tal assunto. Ela ‘e mais consistente do que a teoria de que do nada veio tudo, pois nao existe aqui e agora nenhum parametro conhecido onde um Comprovado nada gera alguma coisa. O fato teorico que embasa a teoria do nada ‘e o resultado zero da energia do universo, mas isto feito equivocadamente, porque a existencia do sistema natural universal nao tem como essencia primeira a energia, ela veio encriptada como codigo em algo que sobra quando as energias se auto-anulam: a luz. Em outras palavras, seja como for, o reino alem deste universo nao nos enviou nenhuma energia, mas sim um a onda de luz, a qual, ao avancar, no seu atrito com a substancia especial que pode ser um eter ou a materia escura, produz a energia positiva, e na sua volta `a fonte, produz a energia negativa. As duas devem ser descartadas quando o universo, como qualquer ovo, com sua clara formada de galaxias fazendo o papel da placenta, e’ descartados ao nascer da criatura.

Vamos entao ao debate no video, e a seguir tentaremos assinalar e analizar cada ponto fundamental citado por ambos lados:               

DEBATE: Atheists vs Christians (Krauss + Shermer vs D’Souza + Hutchinson)

8:24 Lawrence Krauss (Atheist)

15:45 Ian Hutchinson (Christian)

23:34 Michael Shermer (Atheist)

31:02 Dinesh D’Souza (Christian)

 

O Poder Oculto dos Grandes Predadores no Controle do Pensamento das Massas

quinta-feira, maio 31st, 2018

xxxx

Leões descansando no alto da colina ou no meio escondidos no meio dos arbustos, depois de um farto repasto, ficam observando as manadas trabalhando disciplinadas, transformando grama em suculenta carne. Os antigos pastores de ovelhas do Oriente ficavam o dia todo sentados na sombra de uma arvore observando as ovelhas e conheciam os movimentos de cada uma. Desde que todos os predadores tem como objetivo supremo a manutenção da ordem em seu território para a máxima produção de suas presas, e desde que eles tem todo o tempo do mundo para planejarem e otimizarem suas estrategias nesse intuito, obviamente, se forem inteligentes como humanos, vão elevar esta capacidade ao nível de arte. Assim, como diz o autor no texto abaixo, ” em quase todos os atos da nossa vida diária, seja na esfera da politica ou dos negócios, em nossa conduta social ou na ética em nossos pensamentos, nos somos dominados por um relativo pequeno numero de pessoas… que entendem o processo mental e os padrões sociais das massas. São eles que puxam os cordões que controlam a mente do publico.”

Vejamos o texto na integra:

In almost every act of our daily lives, whether in the sphere of politics or business, in our social conduct or our ethical thinking, we are dominated by the relatively small number of persons…who understand the mental processes and social patterns of the masses. It is they who pull the wires which control the public mind.

The conscious and intelligent manipulation of the organized habits and opinions of the masses is an important element in democratic society. Those who manipulate this unseen mechanism of society constitute an invisible government which is the true ruling power of our country. …We are governed, our minds are molded, our tastes formed, our ideas suggested, largely by men we have never heard of. This is a logical result of the way in which our democratic society is organized. Vast numbers of human beings must cooperate in this manner if they are to live together as a smoothly functioning society. …In almost every act of our daily lives, whether in the sphere of politics or business, in our social conduct or our ethical thinking, we are dominated by the relatively small number of persons…who understand the mental processes and social patterns of the masses. It is they who pull the wires which control the public mind.

– Bernays, Edward. (1928). “Propaganda”, Ig Publishing, Brooklyn, NY, Sept, 2004, page 37

Texto visto em:

https://www.zerohedge.com/news/2018-03-22/brave-new-world-who-controls-matrix 

Segundo a cosmovisão da Matrix/DNA isto e’ muito mal. Segundo ela somos 8 bilhões de fracões de um grande erro cometido no corpo de um ancestral e ao mesmo tempo somos 8 bilhões de genes semi-conscientes cada qual com uma informação especifica, intransferível e mortalmente necessária, construindo, junto com outros genes espalhados em muitos mundos deste Universo, uma parte do embrião de uma grande consciência cósmica. A ação desta minoria predadora entorpece, inibe a liberdade destes genes fazerem sua missão, ameaçando o grande proposito natural da evolução nesta região do Universo, e com isto conduzindo a humanidade a caminhar em sentido oposto que ao determinado pela Natureza, a qual pode ser indiferente `as especies que se tornam becos sem saída, quando o todo se move na sua direcao universal e atropela, extermina, qualquer obstaculo que tenta detê-la. A culpa maior e’ dos predadores porem as presas tem sua parcela de culpa porque, apesar de entorpecidas pelo controle e propaganda do predador, não utilizam o potencial encriptado em sua psique pela essência consciente que paira no ar, preferindo antes aceitar e tornar sua absurda condição de vida em sua zona de conforto e inercia. Quem escolheu dentre tantas outras, a cosmovisão da Matrix/DNA como a mais racional ( e não acredita nela como a verdade ultima) lutara para encontrar meios que levem tanto predadores como presas a auto-exorcizarem-se destes instintos herdados do corpo do ancestral animal irracional.

Como curiosidade a mais, vou citar um de meus últimos pensamentos. Nunca acreditei que na Terra houve um homem que “era filho de Deus”, ou em si mesmo um Deus, e conclui que o novo testamento era pernicioso `a humanidade porque incentivava a manutenção do instinto de presa nas massas, em oposição ao instinto de predador claramente revelado e enaltecido no velho testamento. Apenas uma frase do novo testamento me levava a alguma admiração por alguma sabedoria nas palavras imputadas a Jesus Cristo, aquela que anunciava a preferencia pela sagrada família universal em contraposição `a malfadada família nuclear em nome da qual tantas mazelas são cometidas. Mas recentemente me peguei pensando como eu atuaria se fosse uma super-inteligencia de outro planeta, e que tivesse a mesma cosmovisão da Matrix/DNA, e que viesse observar a humanidade na Terra, considerando que são genes como eu necessários `a minha causa. Claro, a primeira ideia seria eliminar o poder dos grandes predadores para liberar o caminho `a evolução natural, mas observando a mentalidade das massas isto poderia ser pior, pois ceder-lhes o livre poder inevitavelmente levaria `a destruição da vegetação e uma obesa super-população, alem de que o progresso tecno-cientifico seria inibido. Considerando que eu não poderia ficar na Terra por tao longo tempo aplicando como governo as restrições ao instinto de presa e incentivos `a auto-exorcização, esta hipótese estaria descartada.

Aplicar por força tecnológica uma mutação a nível de genes no DNA para uma abrupta exorcização imposta de fora seria um desastre. Não se pode dar o diploma de medico ou engenheiro gratuitamente ao filho relapso cheio de pecados e vícios, ele nunca seria capaz de atuar no novo nível evolutivo.

Então o que poderia fazer uma maior inteligencia de outro sistema estelar para re-dirigir este caminho nefasto e suicida que a humanidade esta’ trilhando? Claro, uma maior inteligencia veria mais soluções que a minha menor inteligencia, mas, uma solução seria fazer exatamente o que… Jesus Cristo fez!

Eu observava os dois mil anos pós-Cristo, durante os quais sempre houve mantido estes dois instintos, todos os sistemas sociais criados o foram pelos grandes predadores imitando exatamente a divisão de poder na selva entre animais. E concluía que a existência de um homem chamado Cristo que foi de certa forma um filosofo religioso em nada havia alterado a Historia, ou talvez prejudicado ainda mais ao reforçar a aderência ao instinto de presa nas massas.

Mas então observei que a mensagem de Cristo não ficou apenas no nível da classe pobre, ela atingiu e conquistou considerável numero de elementos da classe media, justo aquela faixa humana que tem na genética o instinto de médio predador. O qual, na mais sofisticada sociedade humana, ‘e utilizada como capatazes permitidos para ajudar no controle das presas, em grande numero. Ora, o meio existe num quase insustentável equilíbrio entre os dois opostos, mutações ocorrem mais a miúde, saindo elementos desta faixa ora tendendo a fortalecer a classe dos grandes predadores ora fortalecendo a classe dos pobres. Quase com certeza, todos os classe media alcançados pelo evangelho cristão, tornam-se agentes subversivos dentre a força de capatazes. Que e’ a força principal em que apoia os grandes predadores humanos.

Então a mensagem deixada por jesus Cristo pode de fato se tornar uma brisa suave e lenta, sem nenhuma pressa porque atua na escala do tempo astronomico e não na escala de tempo humana, e atuando no mesmo molde da macroevolução que toma milhões ou bilhões de anos e microevoluções para se sair com uma nova especie, que no fim produzira uma nova especie humana… auto-exorcizada!

Rapaz… eu tenho que aprender a calar minha boca quando precipitados e não refletidos julgamentos me vem a tona. No meu sofrível nível de capacidade cerebral atual, eu teria feito unicamente a unica solução que agora se me apresenta, e esta já foi aplicada por alguém que sempre desprezei. Se Jesus Cristo foi um alienígena de um mundo mais evoluído, sua mensagem tao sutil e tao eficiente nos faz ver que alem do céu e da Terra existem muitas profundidades jamais imagináveis em nossa vã filosofia.

Cristaos fundamentalistas alimentando intencoes de matar muitos no apocalipse?!

domingo, maio 20th, 2018

xxxxx

Num artigo sobre a chacina na escola de Santa Fe’, tem o seguinte comentario, que merece atencao e investigacao:

My parents were duck hunters – but only when they visited land that we own in the Mississippi River. They kept the two shotguns buried in our basement behind boxes. Contrast to a friend of mine today who has husband with 10 guns. He worries because he doesn’t have a ” gun for every window in his house “. He plans on putting all his kids and grandkids at each window when ???????? happens? They are fundamentalist Christians. What is wrong with people today? It used to be that Christians wanted to help their neighbors; now they want to shoot them.

Raios! Cristo jamais ensinou tal coisa, ele se oporia energicamente contra esse plano. O que esta acontecendo nas igrejas ditas “cristas”? O que pastores e padres andam dizendo?

A Bíblia versus O Livro das Leis: O Deus dos ricos e o Deus dos pobres: apenas um cenário idêntico `a selvagem divisão entre predadores e presas

quarta-feira, maio 16th, 2018

xxxx

Os leões acabaram de atacar o rebanho. Quando desceram das sombras da elevada colina e apareceram nos campos foram notados pelas ovelhas, que se puseram a correr desesperadas. Então o leão mais velho e líder deu o urro do horror, anunciando a sua gang que ia começar a festa. Como sempre, dentre as ovelhas as novilhas ainda quase babies, com pernas mais curtas ficam para traz na correria, estas são as presas mais fáceis para os leões, e as preferidas, pois tem a carne suculenta de sangue, tenra, e ouvir seus gritos de infante no momento em que são estraçalhadas vivas, e’ o momento de orgasmo máximo dos leões. O momento em que expressam seu poderio, sua força invencível, e seu ódio, desprezo pelo fraco. As ovelhas adultas vão parando de correr, pois ouviram os gritos dos infantes, sabem que os leões não virão por mais algum tempo, sentem-se salvas porque o ritual, de conceder seus rebentos para o altar dos sacrifícios aos deuses da montanha, foi cumprido.

Quando os leões festejam cada qual arranca um pedaço, um órgão preferido, e um sai com o figado na boca, outro o coração e uma parte das costelas, e se riem uns para os outros, assim como moleques na escola se divertem com maliciosidade fazendo o bullying do feio e fraco no meio da roda. Tal pode ser o êxtase dos leões que acontece algo que os humanos não sabem, apenas os ocultistas podem ver, o inicio de um ritual.  De seus cérebros crescem como que nuvens plásmicas invisíveis com rápidos clarões devidos repentinos raios e relâmpagos, que são extensões das sinapses entre seus neurônios. Estas “nuvens” crescem tanto que se encontram umas com as outras, se amalgamam, formando uma só imagem como um holograma no centro da roda dos leões em algazarra e êxtase. E essa imagem se transforma numa entidade fantasmagórica, com cabeça de serpente mas juba de leão, corpo espiral serpenteante e comprido mas com membros e garras de leão. E essa entidade fala aos leões quando estes se aquietam e se debruçam sob a sombra das arvores no alto da colina:

” Esta cumprido! Eu sou a serpente dos Céus, do Éden, eu prometi que lhes daria a força, a vitoria sobre os cães inúteis, os sem classe e estirpe, os filhos do caos e da desordem, vocês são os meus 1% mais os 4% de lobos e hienas escolhidos, vocês são estrelas, cada um e’ uma estrela, e estrelas tem toda a abundância do espaço e do tempo, as farturas como dadivas desta Natureza sem fim e locupleta de riquezas mil, existem planetas de ouro, outros de diamantes e as mais lindas perolas, outras de relva e flores tao belas jamais imaginadas, tudo a sua disposição porque vocês são os únicos desbravadores científicos e criadores das tecnologias, as estrelas são livres para moverem-se para onde quiserem e podem praticar todos os seus desejos, pois o espaço e’ infinito, as abundancias são ilimitadas, por isso seus desejos não se chocam, não criam conflitos entre vocês, e por isso devem ser unidos contra os que não querem ser estrelas brilhantes, que preferem apagar as estrelas em si próprios. Festejem como lhes aprouver, este e’ o privilegio meritório aos fortes que me seguem!”

Enquanto isso nos campos de relva verde as ovelhas estão cabisbaixas, tristes e incomodadas pelo choro das mães das novilhas que estão sendo estraçalhadas, ouvindo seus gritos, e as mães rolam no solo árduo, correm atabalhoadamente em círculos, se jogam nos troncos das arvores, pois qualquer dor física sera’ menos sofrível que as ajuda a suportarem a dor dos sentimentos, emotiva. Assim com o rebanho paralisado em torpor enquanto as mães se torturam e gritam de dor, igualmente inicia um ritual, de seus cérebros crescem e emanam nuvens plásmicas que se encontram e se amalgamam no meio da roda do rebanho, formando uma imagem, um holograma que compõem uma figura, e levanta-se uma entidade fantasmagórica. E esta entidade se dirige as mães perante os olhos do rebanho, e enlaça as mães num abraco fraternal, carinhoso, e diz em voz baixa e suave: ” Eu vim para apascentar-lhes e ajudar-lhes a curar suas feridas. Eu sou quem sou e no Éden eu lhes dei tudo e lhes prometi que de vocês sera o reino dos céus. Vocês vieram para conhecer, amar e servir!…

Mas nisso surge o bode azul com chifres, um deformado nascido dentre o rebanho, que salta violentamente ao centro da roda querendo empurrar e expulsar o holograma da divindade enquanto vocifera em alta voz:

  • ” Não ouçam este mentiroso e enganador! E derrotado ate pelos lobos judeus aliados e servis aos leões romanos, pagando com sangue na cruz pela sua fraqueza! Aquele que não apareceu para empunhar armas e lutar defendendo as mulheres, idosos e criancinhas devorados em seu nome na arena de Nero! Este e’ o grande ausente que esta mancomunado com o deus dos leões, este e’ a outra face de Satan, o eterno ausente nas suas necessidades e sempre presente nos discursos prometedores que nada mais visam que os seus filhos, os seus corpos e sangue a serem entregues ao grande Satan do alto da colina.”
  • -” Não, meu filho… – interrompe a divindade fantasmagórica…
  • – Não me chame de filho, não sou filho dos fracos e covardes… Onde estavas antes dos leões atacarem? Não dizes que podes ver os tempos, o passado e o futuro, como não prevês as tragedias para evita-las aos seus filhos? Onde estavas para impedir mais esta tragedia aos que você diz serem seus filhos? E seus irmãos, suas irmas, seus pais, suas mães? Enviando sinais de paralisia mental para entorpecer o rebanho exigindo o sacrifico da vitima no seu altar?
  • – Não, meu filho, eu estava no meu reino que não e’ deste mundo, o reino dos meus filhos, para onde vão os meus escolhidos, e você nunca vai entender com sua mente e razão humana ( glup, eu quis dizer “razão bodifera”), pois as respostas e explicações estão na dimensão espiritual, não são para o vosso entendimento…”
  • – “Sei, sei – interrompe o bode chifrudo azul – e só nos resta ama-lo temendo-o e obedecendo não e’? E nos conformarmos em viver esta vida estupida sem sentido de ficar 24 horas trabalhando transformando grama em suculenta e nova carne para pastejo dos demônios, não e’? Eu acabei de assistir agora qual o destino de seus escolhidos, de suas criancinhas…  Meus amigos, – diz o bode voltando-se para fitar o rebanho `a volta – eu sou seu amigo, eu sou seu irmão, eu sou sua especie, eu sou forte porque os leões nunca me pegaram, pois sou planejador, cauteloso, vigilante, e se preciso for, eu posso morrer mas caindo de pé, ferindo a fera com meus chifres pontiagudos. Deixem de ouvir esta falsa divindade que nada mais e’ que um fantasma projetado pelas suas mentes, vocês são em muito maior numero que as feras na colina, vocês são 90% ou ate 95%, vocês tem a força e o poder, a qual lhes e’ usurpada pelas mentiras deste Satan que se faz passar por santo dos santos…. Deixem de serem como estas mães choronas mas inertes, passivas, que por preguiça mental e não por fraqueza física não tomaram as providencias possíveis antes de gerarem seus filhos.”
  • “No alto da colina – continuou o bode azul – neste momento, o deus dos predadores, Satan, festeja comemorando com seus filhos mais esta vitoria de guerra. Tambem as feras são enganadas sem o saberem, pois acima de todos os deuses esta a realidade desta Mãe Natureza Universal e a força de Suas Leis. E uma destas Leis, assim como revela o conhecimento da Historia Natural e não as falsas versões da Historia para incluir seleções de escolhas convenientes aos desejos, mas inexistentes na realidade, sempre determinou que todo grande predador, se acomodou no leito dos privilégios e conforto, tornou-se um beco sem saída para a evolução, tornou-se gordo, e pesado incapaz de se defender, e com isso foi extinto. Ondes estão os dinossauros, reis dos continentes, a águia, rainha dos ares, as orcas, rainha dos oceanos? O que restam deles sabem que não tem outro futuro senão a extinção de sua especie e herdeiros para toda a eternidade. Por isso vocês não podem aceitar passivamente este estado de coisas em que ficam cedendo, dando de seu trabalho, energia e suor, para alimentar e fazer crescer os monstros sem futuro, que serão maior peso para as costas de seus filhos. Eles dizem que vocês são bárbaros causadores da desordem, os que perturbam a ordem… mas que ordem? Ora a ordem segundo o sistema que lhes satisfaz, que mantem seus territórios e direitos sobre os rebanhos, ao qual tentam se agarrar e defender com a coragem dos suicidas, pois preferem a violência, a guerra total, a própria morte, que não ter como satisfazer seus caninos da boca e os abstratos da psique, que foram feitos pelos deuses com o único intuito de matar, estraçalhar, devorar. Mas vocês são sim, na sua ignorância e preguiça mental contra as ciências da natureza, agentes da desordem e da destruição do reino vivo mais baixo que e’ a vegetação, e devido seu descontrole na sua multiplicação como ratos, vocês também estão condenados a desaparecerem quando extinguirem esta vegetação. Eu não quero vocês no poder, no alto da colina, pois para a minha suprema meta, que e’ a transcendentalidade destas formas animalescas, a exorcização destes instintos repugnantes, vocês no poder seriam igual obstaculo como o são os predadores de hoje. Minha unica chance de sucesso e’ agora animar e buscar nos vencidos, a força para não deixar crescer os dominantes. Por isso tenham a certeza de que neste momento estou alinhado ao vosso lado, sem pertencer a sua ideologia e comportamentos e sem aceitar seus deuses. Todos os deuses são fantasmas, auto-projeções dos desejos inconfessáveis do inconsciente, projetados como hologramas que são vistos pelo consciente enganado. A palavra dos deuses e’ elaborada, polida, mas com frases roubadas ou emprestadas do consciente.
  • Vocês podem se defenderem e ate eliminar os lobos e os leões se quiserem, e devem querê-lo, senão por vocês mesmos, façam-no em nome de sus filhos. Sei que são desajeitados, que tem cascos nas mãos e pés ao invés de garras, que só sabem e preferem trabalhar com a boca ao invés das patas e com a cabeça buscando soluções técnicas para eliminar a escravidão ao trabalho rotineiro, mas mesmo com os cascos, se deixarem se manifestar a força que em vos dorme como potencial latente, mesmo os cascos, mas com a vontade e a inteligencia vocês podem preparar artefatos e armadilhas que combatem as feras. Mesmo com cascos mas com a boca podem colher e afinar galhos, esticar cipos, construírem arcos e flechas que ferem e matam as feras `a distancia e de surpresa. Com seus cascos e bocas agarrando traves pontiagudas podem cavar buracos imensos em volta do campo de relva verde, cobrindo os buracos com folhas e colhendo assim de surpresa as feras em celas das quais nunca mais poderão sair. Sigam amim, que eu estou sempre ausente do rebanho tentando cavar estes buracos com meus chifres, tentando fazer meus arcos, eu lhes ensinarei as estrategias de defesa e ataque, pois temos que responder a agressão da guerra que eles nos promovem, não tem como salvar nossos filhos desta carnificina se não for com uma carnificina preliminar, onde alguns de nos sera certamente sacrificados, mas somos o grande número, e os que se salvarem vitoriosos herdarão a Terra!

                                                                         INICIO do FIM 

Moral da historia. Os dois lados tem seus deuses, o deus vermelho das feras predadoras e ricas, e o deus  violeta/purpura das escravas presas e trabalhadoras pobres. Ate a classe media dos lobos e hienas deve ter seu deus, apesar de que me ‘e evidente que cultuam o mesmo deus vermelho dos grandes predadores de quem vivem a se aproveitarem das sobras da carnificina. Somente o bode chifrudo azul, um meio-carneiro, meio-lobo, produto de rara mutação da evolução, não tem seu deus azul. O bode sabe de onde vem, qual a causa primeira que produziu predadores e presas. No inicio dos tempos deste mundo, la’ pelas eras do Big Bang, no meio do infinito espaço escuro de dark matter inerte, massa pura, houve a emanação e explosão de uma fonte de luz branca, tao forte que nos cegaria as vistas, e por isso quando olhamos para ela nossos olhos se cegam e vemos no seu lugar a escuridão. E o bode racional e cientifico observou – não com os pobres e limitados olhos humanos de ver, não com os pobres e poucos sensores dos cérebros humanos, mas com o exercício de sua inteligencia matemática – o espectro dessa luz fantasmagórica que a tudo deu inicio, que trouxe o movimento onde nada se movia, que fez o infinito borbulhar como espuma quântica, assim como o espermatozoide invade um ovulo de oceano amniótico inerte e alojando-se no seu centro, explode sua membrana e libera a força que move e traz a vida a um novo rebento. O bode observou com a inteligencia, calculou por anos e seculos de geração a geração os segredos dessa luz e por fim conseguiu enquadra-la numa figura alojada no gráfico cartesiano, `a qual denominou ” o espectro total eletromagnético”. E percebeu que esta luz se propaga e se espalha no espaço como ondas, e que cada onda e’ composta por sete diferentes estados, cada qual com um nível vibratório, um comprimento e uma frequência própria, especifica. E viu que do ponto onde a onda se explode ela tem a maior força, a maior energia, a a maior vibração, as quais vão diminuindo a medida que a onda se propaga, ate as ultimas faixas se tornarem um fio contínuo que por fim se desintegra em partículas, os fótons… E viu que os fótons criam o mundo manifestado do retorno a fonte, este nosso mundo materializado onde vão recompondo a onda de luz do fim para o inicio, para chegarem e retornarem a fonte de onde foram criados. Um simples e conhecido processo de reprodução genética rege este mundo, porem, reprodução de não se-sabe-o-que, seja la o que tenha criado este Universo através de espalhafatosos eventos de Big Bangs.  E o bode azul viu que a faixa inicial com força vibratória e elevada energia era a substancia do deus das feras, dos leões predadores no alto da colina. E também viu que a substancia do deus do rebanho era a ultima faixa de linha continua mais as suas partículas a serem dispersadas individualmente no espaço. E com isso entendeu porque todas as partículas dos rebanho, porque todas ovelhas são fracas e jamais conseguem se unirem, porque se tornam partículas individuais, separadas em carne e espirito de sua especie, num extremo ato de egoismo individualista. E o bode azul entendeu todo o resto dos mistérios deste mundo. Viu que a onda universal e’ da cor de uma brancura purina, mas aos cegos olhos do bode ela se divide em sete cores, começando pelo vermelho energético e super-vibrante, a cor do deus dos predadores sanguinários, e depois vem a cor laranja, a amarela, a verde, a azul, violeta e por fim aquela que e’ confundida entre negra e branca, na mesma sequencia do arco-iris e da aura bodifera. E viu sua própria substancia azul fluindo de uma das faixas intermediarias próxima da faixa da luz que os humanos chamam de “visível”. Ele era o meio-termo, o ponto de equilíbrio entre o extremo predador e o extremo inerte, e descobriu que ambos os extremos, opostos em tudo entre si, são ambos expressões do extremo egoismo, e que a unica salvação para os vivos na Terra sera’ a exorcização destes instintos extremos incrustados na psique. E assim, como bode chifrudo azul eu existo neste meio, e para isso eu me mantenho vivo, para lutar por este exorcismo. Eu não sei o que ou quem esta por traz da fonte emanadora daquela luz que vem do alem deste Universo. Não entendo porque ela tem que vir na sua forma dual, sempre manifestando tudo em opostos entre si, se isto sempre causa os conflitos, o sofrimento, o choro e ranger de dentes, apresar de que também esta’ evidente que se as especies vencem os extremos em si, elas transcendem para uma forma e um destino mais sublime. Mas não interessa por enquanto buscar a resposta deste grande e maior mistério, cujas informações estariam alem da capacidade do meu pequeno cérebro em process-las e entende-las, o que interessa agora e’ lutar aqui como homem e vida, dentro dos limites deste Universo, para erradicar os extremos e alcançar a transcendência. Suspeito que com ela, poderemos ultrapassar as fronteiras ultimas deste mundo e então nos depara frente a frente com a solução do grande mistério.

FIM

Estou muito ocupado fazendo uma investigação comparativa entre o povo do “Deus dos Pobres” e o povo do “Deus dos Ricos”. Para isso primeiro coloquei sobre a mesa ” O Livro Cientificista Materialista Evolucionista da Historia Natural” porque para qualquer conclusão eu tenho que me ater aos fatos reais comprovados por mim e mais os fatos que eu não vi porem são sugeridos pelos trabalhadores que escreveram o livro cientificista e que são testáveis, muitos deles eu assisti os testes e os aprovei. Tendo sobre a mesa a coleção dos fatos reais avistados na minha experiencia de vida, agora vou por sobre a mesa os livros destes deuses, que a meu ver são a maneira que cada qual conecta os fatos e dai extrai sua visão do mundo, e cuja visão geral funciona como feed-back retroalimentando o tipo especifico de interpretação de cada grupo sobre um mesmo fenômeno ou evento natural, real. Então de um lado tem os livros dos deuses dos pobres, a começar pela Bíblia, o Kuran ou Alcorão, o Talmude, o Budista… e do lado dos deuses dos ricos inicio com o “Livro das Leis” da filosofia thelemita no qual a divindade espiritual que ditou e inspirou o livro fala tudo exatamente o oposto do que fala por exemplo, a Bíblia.

Se algumas pessoas disseram que viram seu Deus e este disse que “tenha compaixão e ajudai os fracos e humildes pois eles são meu rebanho, eles herdarão os seus, e blá-blá-blá…”, outras pessoas disseram que viram seu Deus e este disse: ” Vocês, menos de 5%, são os meus escolhidos e eleitos, porque vocês são as estrelas que brilham e a sabedoria, a vocês darei todo o poder porque os outros 95% são como cães, então unam-se e massacrem, escravizem, tratem como cães sem futuro os outros 95% e blá-bla-blá…”.

Ao ver isso retorno ao livro cientifico e me certifico de que de fato desde suas origens a humanidade em todas as nações e civilizações tem apresentado esta divisão de 5% de fortes dominantes e 95% de fracos dominados, fracos porque tendo maior força em numero, se deixam escravizar e torturar e morrer pelos 5%. Contra a historia real visível não existem argumentos e esta tem sido a historia real e ainda nos dias de hoje.

Então volto aos livros religiosos procurando qual a justificativa que cada Deus forneceu para fundamentar o seu conselho. `A primeira vista, a justificativa fornecida pelo Deus dos ricos e’ mais humanamente racional, mais sincronizada com a logica natural que temos observado. Diz o Deus dos ricos que cada humano tem uma estrela em si, e’ uma estrela, e estrelas são livres para satisfazerem seus desejos, pois o espaço e’ infinito, elas não se chocam, as dadivas da natureza são abundantes, tem para todos. E assim devia ser na Terra, cada um satisfazendo seus desejos sem escrúpulos, porem os 95% não querem assim, eles causam a desordem e por isso os choques, os conflitos. Então, que massacrem os 95%! Enquanto isso, a justificativa do Deus dos pobres para seus mandamentos e’ que os humanos devem serem bons e deixar as questões, as soluções, para o mundo espiritual, pois humanos não podem conhece-las. Ora, se os dois deuses se manterem com estas mesmas doutrinas, este atual estado da humanidade deveria perdurar ate’ o infinito, o que não vai acontecer porque sabemos que o sistema solar esta’ mudando, se transformando e vai varrer fora todo traco de vida neste planeta. A cosmovisão da Matrix/DNA sugere que existe um processo natural que pode ser considerada uma lei universal:

1 – Quando uma forma de sistema natural que se constitui no mais complexo de um dado ambiente, chega aos limites de sua capacidade de evolução, a especie colapsa-se ou estagna-se, suas informações se desintegram, retorna no tempo ate a sua forma que ainda era aberta `a evolução, geralmente tendo seu próprio corpo como o novo ambiente mutado. Obedecendo a lei da dualidade universal, no novo ambiente as informações se juntam em dois grupos distintos, digamos, a face branca e a face negra. Em tudo um grupo e’ exatamente o oposto do outro, apesar de suas formas serem iguais. Ou seja, o fenótipo e’ um só, porem o genótipo são dois opostos entre si. Devido a esta oposição entram em conflitos, geram o caos a volta, o caos os maltrata somando-se aos mal tratos dos conflitos, ate’ que ambos se enfraquecem e caiam. Na queda se avaliam em suas diferenças, pesam os porquês de cada um, percebem que podem haver acordos, e assim se levantam tornando novamente um só em prosperidade. Assim caminham o sistema para a maturidade onde atinge as limitações de suas capacidades evolutivas, porem, deram um passo transcendente em complexidade, em relacao ao ultimo ancestral que era o mais complexo. E novamente outro ciclo evolutivo tem inicio. Mas existe a outra alternativa em que as partes conflitantes nunca entram num acordo, então se tornam um beco evolutivo sem saída, são ambos descartados e a evolução recomeça onde parou no ultimo.

O que vai acontecer com o sistema “especie humana” se esta divisão e estes deuses continuarem, e’ justamente a pior alternativa, a extinção. Por isso temos que arregaçar as mangas e lutar urgente, na busca deste exorcismo destes dois instintos. nem rico nem pobre, nem esquerdista nem direitistas,nem comunista nem capitalista… simplesmente humanista transcendental.

xxxx

Coletar agora cada mandamento, cada frase, do Livro das Leis e procurar sua oposta na Bíblia:

( a continuar)

Thelema: A Religiao da Gang Predadora fundada por Aleister Crowley

domingo, maio 13th, 2018

xxxx

Fiquei sabendo hoje da existencia desta crenca, seita, corrente filosofica ou religiao, por nome de Thelema. Fiquei sabendo porque alguns leitores que me fizram perguntas sobre a formula da Matrix/DNA sao adeptos desta filosofia. Entao vamos pesquisar algo sobre:

From: https://en.wikipedia.org/wiki/Thelema

  • O Livro sagrado ( veja link abaixo para a versao do Livro da Lei) contem uma joia de coletaneas de frases de odio contra as pessoas – como vou dizer… as pessoas que tentam ser e praticar o bem – e como o discipulo deve aplicar sobre elas seu poder e dominio, praticando sobre elas tudo o que lhe der vontade e seu desejo, pois estas pessoas sao como “caes”. Se eu conseguir elaborar as palestras aos pobres das favelas no Brasil, devo fazer uma coletane daquelas frases e ler para eles, antes de tudo, para saberem com quem estao tratando, quem e’ a gang predadora no Brasil.
  • O cantor e compositor brasileiro Raul Seixas foi um grande divulgador e seguidor da obra de Aleister Crowley. Suas principais canções sobre Crowley e a Thelema são “Sociedade Alternativa”, “Novo Aeon”, “Loteria de Babilônia” e “A Lei”.

Aleister Crowley (1875–1947) was an English occultist and writer. In 1904, Crowley claimed to have received The Book of the Law from an entity named Aiwass, which was to serve as the foundation of the religious and philosophical system he called Thelema.

traducao: Aleister Crowsley (1875-1947) era um escritor e ocultista ingles. Em 1904 Crowley proclamou ter recebido O Livro da Lei de uma entidade de nome Aiwass, cujo livro veio para server como a fundacao do sistema religiosos e filosofico que ele nomeou Thelema.

According to Crowley, every individual has a True Will, to be distinguished from the ordinary wants and desires of the ego. The True Will is essentially one’s “calling” or “purpose” in life. Some later magicians have taken this to include the goal of attaining self-realization by one’s own efforts, without the aid of God or other divine authority

traducao: de acordo com Crowley, cada individuo tem um Verdadeiro Desejo, a ser distinguido dos ordinaries desejos e preferencias do ego. O Verdadeiro Desejo e’ essencialmente o chamada ou proposito de alguem em sua vida. Alguns posteriors magicos usaram isto para incluir a meta de buscar lutando pela auto-realizacao pelos seus proprios esforcos, sem a ajuda de Deus ou outra autoridade divina.

Matrix/DNA – Bem,… cada gene existe porque cada gene tem uma verdadeiro desejo, apenas seu, especifico seu. Este “desejo” e o que o move a realizar seu trabalho, que e’ inserir a sua informacao especifica que so ele tem na construcao do embriao ou na producao de certas proteinas cunorindo assim sua missao suprema que e’ a razao de sua existencia. O fato de que um conjunto de informacoes geneticas tenha sido dividido em suas unidades fundamentais advem – segundo nossa cosmovisao – do evento em que a formula da Matrix/DNA se enveredou por uma direcao errada, tornando-se sistema fechado em si mesmo, o que aconteceu quando ela construia o building block das galaxias, e foi atacada pela entropia que a fragmentou em seus bits-informacao.

Assim o que veio para a Terra e iniciou abiogenese foram estes bits na forma de photons.  Este evento teria uma racional e inteligivel explicacao: a unica maneira de corrigir um sistema errado e ainda manter seu livre-arbitrio e’ divider seu grande erro, ou grande pecado, nas suas mais diminutas parcelas, e depois por todas estas parcelas a conviverem, o que acontecera o erro de um grande defeito sendo obrigado a ver e conviver com um grande numero de semlhantes todos errados para ele, e cada um mostrando um tipo de erro especifica, diferente de todos os demais. Assim este ser defeituoso porque carrega 1% do grnade erro vai apender a desgostar dos 99% de erros que sao o erro dele mesmo nos outros. Quandos todos odiarem os 100% do grande erro estarao curados, exorcizados dele. Portanto, essa ideia central em Thelema – apesar de totalmente metaforica, claro, sem explicacoes tecnicas, geneticas – bate com o que temos encontrado. Assim, o ” …  the goal of attaining self-realization by one’s own efforts, without the aid of God or other divine authority…) ( a meta de buscar auto-relaizacao pelo esforco proprio, sem a ajuda de Deus ou outra autoridade divina), e’ a mais racional e cientifica definicao de um gene, e por extensao, de um ser humano, mesmo que ambos nao saibam disso. e no caso humano, se equivoca pedindo ajuda nessa luta. Se alguem ajuda-lo livrando-o das agruras da missao ele nunca vai aprender a desgostar do grande erro que esta em si mesmo.

A Cosmologia de Thelema e’ uma identica descricao da Matrix no seu estado astronomico, porem em outra das varias versoes metaforicas

A Cosmologia de Thelema e’ uma curiosa coincidencia com a descricao da formula da Matrix/DNA no seu aspecto de matriz dos sistemas astronomicos. Os deuses da religiao parecem descrever exatamente cada funcao da formula ( cuja outro nome destas funcoes pode ser ” obreiros universais” por estas funcoes criam os orgaos, as partes de todos os sistemas), e o que e’ ainda mais curioso, a sequencia hierarquica de cada Deus, de acordo com suas descricoes, bate exatamente com a sequencia hierarquica de cada funcao no sistema da formula. Assim, a F1 que e’ a entidade feminina criadora da formula chama-se Deusa Nuit. De F1 nasce F2, que e’ o germe de astro ou estrela, o menor objetos da formula e Claro, o filho e’ complemento da mae, exatamente a descricao do Deus Hadit. F2 e’ quem inicia o movimento do circuito esferico, e como ele ‘e o nucleo ardente de cada astro, que se torna o DNA biologico, ele esta ni nucleo de cada homem e cada estrela, como diz a descricao de Hadit. Quando o texto abaixo fala de Ra-Hoor-Khuit e Horus ele parece estar exatamente descrevendo F3 e F4, os quais em astronomia sao os astros tipo planetas e pulsares que  executa a funcao masculine e o pulsar se transforma em sois, tal como o texto associa Horus ao Sol. A seguir, na formula comeca a entropia, com o circuito formando a estrela (F6), que comeca a decair, quando o texto descreve isso como a entrada no “silencio” e por fim o ultimo Deus descreve o processo de F7 quando massa e energia desgovernada e’ domada para reiniaciar outro ciclo da formula. Interessante coincidencia de intuicoes – a minha e a de Crowley – apesar de um estar falando um palavreado tecnico-cientifico racional e outro se expressando por metaforas metafisicas… quando o significado final e’ exatamente um so’ !

Cosmology

Thelema draws its principal gods and goddesses from Ancient Egyptian religion. The highest deity in the cosmology of Thelema is the goddess Nuit. She is the night sky arched over the Earth symbolized in the form of a naked woman. She is conceived as the Great Mother, the ultimate source of all things.[57] The second principal deity of Thelema is the god Hadit, conceived as the infinitely small point, complement and consort of Nuit. Hadit symbolizes manifestation, motion, and time.[57] He is also described in Liber AL vel Legis as “the flame that burns in every heart of man, and in the core of every star”.[58] The third deity in the cosmology of Thelema is Ra-Hoor-Khuit, a manifestation of Horus. He is symbolized as a throned man with the head of a hawk who carries a wand. He is associated with the Sun and the active energies of Thelemic magick.

Other deities within the cosmology of Thelema are Hoor-paar-kraat (or Harpocrates), god of silence and inner strength, the brother of Ra-Hoor-Khuit,[57] Babalon, the goddess of all pleasure, known as the Virgin Whore,[57] and Therion, the beast that Babalon rides, who represents the wild animal within man, a force of nature.

O evento da revelacao mistica:

O ano de 1904 foi capital para Crowley, o mistério que iria persegui-lo por toda a vida estava por se revelar, como dádiva e maldição. Ele já era um Magista competente, iniciado na Aurora Dourada, uma das mais importantes Ordens mágicas de todos os tempos.

Nesta época, Crowley estava viajando o mundo. Em março e abril ele estava no Cairo, Egito, em companhia de sua esposa, Rose Kelly. O casal se entregava às alegrias da viagem de núpcias, mas nem por isso Crowley deixava de ser um Mago. Ele faz uma invocação de elementais do ar para sua jovem esposa, e qual não foi a sua surpresa, ao invés dos silfos a mulher começa a balbuciar: Hórus falava através dela. O deus prescreve então uma série de detalhes para um ritual de invocação, o resultado deste Ritual se da nos dias 8, 9 e 10 de abril, nos quais Crowley recebe o Livro da Lei, um poderoso Grimório de instruções mágicas, a Lei da era de Aquário. Crowley se choca com o conteúdo do Livro, mas a força das revelações lá contidas, influenciando eventos históricos de magnitude gigantesca (Primeira e Segunda guerras mundiais, por exemplo), deixou fora de dúvida a veracidade, beleza e poder do Livro da Lei.

Ditado por uma entidade de nome Aiwaz (que mais tarde Crowley associou a seu Eu superior). Nele, a Lei da nova era é sintetizada na frase Faze o que tu queres há de ser o todo da Lei, e tem como contraponto e complemento Amor é a lei, amor sob Vontade. Facilmente poderíamos imaginar um paraíso da libertinagem, mas a vasta obra de Crowley nos mostra que liberdade sim, mas com conhecimento, em suas próprias palavras:  ” O tolo bebe, e se embebeda: o covarde não bebe. O homem sábio, bravo e livre, bebe, e dá glórias ao Mais Alto Deus.”

O Livro:

Texto inspirado pelo sistema fechado como a besta fera? Ou como o estado sabio do ser feliz? Ele parece-me querer dizer que os pobres e fracos sao assim porque tem medo de desafiarem o que acreditam ser Deus – nao obedecendo Seus mandamentos – enquanto a chave da felicidade e’ justamente o oposto, pois o mundo tem muitas dadivas para se aproveitar – Faca tudo de acordo com seu desejo – e seja a “serpent”, a esfera circular de um sistema fechado em si mesmo, que suga a propria cauda para ser immortal, sem escrupulos. Trouxas, fracos, miseraveis, sao os da plebe,  os que nao me conhecem porque nao querem me conhecer.

Matrix/DNA: Bem…, eu nao vou opinar para nao orientar ninguem, porque a Verdade eu nao conheco, e nao quero correr o risco de orientar errado. O que essa doutrina diz pode ser claramente vista como as duas opcoes fatais extremas existentes neste universo: ser um sistema fechado em si mesmo ou um sistema aberto `a sua aventura no desconhecido ate’ sua dissolucao. Por muitas razoes de observacao e interpretacao eu prefiro para mim ser o sistema aberto, ainda que eu ache que exista a terceira opcao, no meio dos extremos, a qual seria ser sistema aberto porem impondo-se certas restricoes, para transformar-se, transcendendo a sua forma, antes de dissipar-se. E perante esta preferencia, o autor do livro e’ meu oposto, meu inimigo. Alem disso, a sugestao indicada pela formula – de que somos 8 bilhoes de genes semi-conscientes – sugere uma postura na vida totalmente diferente do que este autor apregoa. Mas como nao conheco a Verdade, nao afasto a suspeita de que minha preferencia seja um erro fatal. No entanto, prefiro correr o risco sendo assim, porque tenho repugnancia `a alternativa preferencial do autor.

Este texto ( um texto do livro) esta em:

http://lib.oto-usa.org/libri/liber0220.html

17 – Hear me, ye people of sighing!

The ‎tristezas ‎of pain and ‎me arrependo

Are left to the dead and the dying,

The folk that not know me as yet.

18 – These are dead, these fellows; they feel not. We are not for the poor and sad: the lords of the earth are our kinsfolk.

19 – Is a God to live in a dog? No! but the highest are of us. They shall rejoice, our chosen: who sorroweth is not of us.

20 – Beauty and strength, leaping laughter and delicious languor, force and fire, are of us.

…. bem assim o racismo, preconceito, instinto selvagem predador, continua no texto …

Mas devo ler este texto com calma, pois existe muitos “interessantes”, descrevendo como seria realmente o carater de um grande predador, uma besta fera.

Nao sei ainda se a identidade de um sistema fechado teria esse carater em relacao a: 1) as partes internas do sistema; ou 2) ao restante do mundo fora do sistema. `A primeira vista deveria ser em relacao `as coisas fora do sistema, pois as partes internas sao os tentaculos da entidade, devem ser protegidos, saciados, etc. Mas o sistema fechado ancestral astronomico nao se relacionava com nada de fora, entao… Teria uma explicacao: ao cair na Terra, a ideologia do sistema fechado nao pode ser exercida no total poder porque o sistema nunca pode ser tao isolado como era no ceu, ele depende de quase tudo na Terra, inclusive do trabalho escravo de humanos. Entao seria de supor-se algo metafisico, fantastico: o espirito do ancestral, que ainda domina a astronomia, quer se reproduzir, se firmar fielmente na Terra, atraves dos humanos, porem os humanos sao sentimentalistas, tem essa coisa de escrupulos, compaixao. Sua necessidade seria de vir aqui tentar convencer uma pequena porcentagem dos humanos a se juntarem dentro da ideologia do espirito e formar algo como uma elite, os Illuminate, algo assim. Mas, para isso nao seria necessario vir um espirito fantasmagorico, mesmo porque a Matrix/DNA sugere que a entidade do ancestral nao tinha auto=consciencia e nenhuma inteligencia para elaborar tal tipo de textos, regras, etc.  A pista vem do autor Crowley: A divindade que me apareceu era meu proprio anjo da guarda. Isso significaria para a Matrix/DNA que a formula fechado registrada na nossa genetica esteve se expressando livremente no autor, vindo de sua memoria inconsciente, talvez pelo uso de drogas, ou alguma alteracao mental pela sua obsessao com ocultismo e magia… ‘E a mesma formula que cria a fera carnivora predadora na selva, e depois passa-se para o humano primitivo.

Veja algumas destas “joias”:

 26 – I am the secret Serpent coiled about to spring: in my coiling there is joy. If I lift up my head, I and my Nuit are one. If I droop down mine head, and shoot forth venom, then is ‎arrebatamento ‎of the earth, and I and the earth are one.

Para ver bem isso deixa-me trazer dois aspectos da formula da Matrix/DNA aqui:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

O Ultimo Ancestral Não-Vivo e Inanimado

O Ultimo Ancestral Não-Vivo e Inanimado

Sim, o sistema fechado tem a forma de serpente, uma mistura de uma esfera que se torce e liga sua ponta inicial a ponta final fechando-se a esfera. Se ela levanta a cabeca e abre a boca ( justamente a forma e funcao de F1) ela chupa a propria cauda, onde esta seu rebento, as outras funcoes sistemicas, e assim a cabeca e as partes do sistema sao realmente uma unica entidade. Ela e’ assim enquanto building block da galaxia. Acontece que uma das partes ( a F3) e’ justamente um planeta como a Terra. Ela quer dizer que se desce envolvendo a Terra, o planeta se torna sua F3, e assim de fato ela e a Terra se tornam um. Na figura de baixo, F1 e’ o vortices `a esquerda e F3 – planetas – e’ a figura azul no topo.

 25 – Ye are against the people, O my chosen!

Isto, pela otica da Matrix/DNA, siginifica a entidade do sistema fechado ancestral chamando um pequeno numero de pessoas ( sua parentela, como ela diz em outros lugares) para serem um sistema isolado, contra o resto dos humanos.

27 – There is great danger in me; for who doth not understand these runes shall make a great miss. He shall fall down into the ‎poço ‎called Because, and there he shall perish with the dogs of Reason.

e depois: If Power asks why, then is Power weakness.

Certo! Eu encontrei uma grande felicidade para viver minha velhice, que e’ o meu tempo ser curto para o deleite de estudar e descobrir o mundo atraves da Matrix/DNA. Mas muitas vezes, quando saio da aura feliz da investigacao, me vem a tristeza, eu caio abaixo moralmente, basta ver as noticias e notar as acoes do predador, das monstruosidades do homem e da Natureza nas suas tragedias contra humanos, e entao minha Razao me domina, sempre se perguntando “porque?”. Ai todas minhas esperancas sofrem abalo e a duvida sobre se existe ou nao a Matrix/DNA me assola. Espero manter a aura da Matrix para nao perecer como “os caes da Razao”, nas palavras do autor. Ele prega que a Razao e’ um mal, e se ela observer escrupulos, perguntando-se porque ao inves de simplesmente praticar seus desejos, ela enfraquece o poder do individuo. E o pior que ele pode estar certo, os fatos reais que conheco nao descarta essa possibilidade, mas, se estiver certo eu repugno e combat o mundo, mantendo a Razao e perguntando porque? A vida sempre foi severa e torturante comigo, talvez esteja ai a causa, mas entao ela tera que continuar a ser ruim comigo, porque nao consigo ser de outro jeito. E ainda tem mais essa:

28 – Also reason is a lie; for there is a factor infinite & unknown; & all their words are skew-wise.

Certo! Eu sei que minha Razao nao pode ser “A Razao”, porque nao conheco tudo e A Razao apenas seria de fato apos conhecer tudo. E sim, minha razao e’ skew-wise, ela vai sempre estar mudando, `a medida que mais vou conhecendo.

Os tres itens abaixo sao forte indicativo de que a entidade reveladora nada mais e’ que  a expressao

de uma psique modelada pela genetica herdada do ancestral animal predador que foi fortemente alimentada va vida de

Crowley, um filho de rico, que viveu a vida como rico parasita em orgias. Nos tres dias de lua de mel ele deve ter ingerido muitas drogas.

36.

There are rituals of the elements and feasts of the times.

32

37.

A feast for the first night of the Prophet and his Bride!

38.

A feast for the three days of the w

Esta frase em 11 – Chapter III confirma o inconsciente predador que digo acima:

be upon them, o warrior, I will give you of their flesh to eat!

Para mim chega! Nao quero vomitar.

Espera… tem mais uma chave apontando para a correta teoria da Matrix/DNA:

http://lib.oto-usa.org/libri/liber0002.html

The Key to this Message is this word— Will. The first obvious meaning of this Law is confirmed by antithesis; “The word of Sin is Restriction.”

Again: “Thou hast no right but to do thy will. Do that and no other shall say nay. For pure will, unassuaged of purpose, delivered from the lust of result, is every way perfect.”

Take this carefully; it seems to imply a theory that if every man and every woman did his and her will— the true will— there would be no clashing. “Every man and every woman is a star,” and each star moves in an appointed path without interference. There is plenty of room for all; it is only disorder that creates confusion.

From these considerations it should be clear that “Do what thou wilt” does not mean “Do what you like.” It is the apotheosis of Freedom; but it is also the ‎mais rigorosas ‎possible ‎laço‎.

Do what thou wilt— then do nothing else. Let nothing deflect thee from that austere and holy task. Liberty is absolute to do thy will; but seek to do any other thing whatever, and instantly obstacles must arise. Every act that is not in definite course of that one orbit is erratic, an hindrance. Will must not be two, but one…

Deixemos a Matrix interpretar isto:

Bem,… desde que a forma da formula universal que criou a forma de sistema biologicos – ou seja, a Vida na Terra – era um sistema fechado, e’ compreensivel que a biosfera – ou seja, a cria – reproduza a forma de sua criadora – ou seja, o sistema fechado. O sistema fechado pode ser definido assim: ele se separa do mundo e se constitui num ser que existe para fazer apenas seu desejo, egoistamente. Essa tendencia, essa ideologia, esse carater, foi o que construiu o DNA biologico e nele se inseriu. A meta dessa historia evolutiva biologica e’ reproduzir na superfivie da Terra um sistema fechado, o mais fiel possivel ao criador, apesar das dificuldades do novo ambiente.

Esse carater deveria ser expressado por todos os individuos biologicos de todas as especies. E se o fosse – Segundo diz o texto sagrado de Thelema, nao haveria conflitos, choques, pois cada individuo e’ uma estrela ( a formula da Matrix/DNA diz que cada individuo do sistema fechado ancestral era um astro, um corpo astronomico, sendo uma estrela ou carregando o germe de uma estrela). Diz o texto que o espaco e’ grande, infinito, cada estrela pode realizar o caminho, a orbita que quiser que nao vai se chocar com outra. Assim, nao apenas o texto de Thelema, mas a propria logica natural trazida pela formula no seu estado de sistema fechado dizem isso: faca apenas e tudo o que desejas e nao se preocupe com mais nada. nao se pergunta porque, como, ee nao se preocupe com consequencias. Agindo assim esta-se dando livre curso `a natureza no seu caminhar, esta-se deixando a reproducao genetica acontecer sem perturbacoes.

Entao quem seriam os “outros”, ou seja a enorme massa de “ignorantes”, “fracos” ” como caes” que devem ser atacados e eliminados? ora todos aqueles que fossem de alguma forma uma perturbacao ao livre curso do processo genetico. Assim como o DNA contem em si um mecanismo que identifica, combate e elimina os erros graves de transcricao genetica ou mutacoes aleatorias, assim o magnetism da vida, o DNA de toda a biosfera tera que combater os erros em si, os individuos que perturbam o processo de reproducao. E entao existem os humanos que sao movidos por “emocoes”, “sentimentos” “escrupulos” e sao cautelosos em fazerem seus desejos com medo de consequencias. Estes sao os a serem combatidos e eliminados, pois – como diz o texto de Thelema – eles causam disordem, e com isto criam as condicoes para os conflitos, os choques de interesses.

De fato a doutrina tem uma logica racional impecavel – segundo essa interpretacao sob a perspectiva da Matrix/DNA. Mas… sera’ ela a verdadeira logica para o bem da humanidade? A Matrix diz que nao, tem um erro fundamental, profundo, nisso tudo, que levaria a humanidade ao sofrimento e extincao. E ja li outros autores chegando a conclusao que se um dia a sociedade humana chegasse a constituir-se um sistema fechado em si mesmo, ela se extinguiria. Os primeiros passos para isso seria seguir no rumo do Brave New World, de Huxley, sob o governo de direito ” The Big Brother”, porque o governo poderoso de fato estaria acoima do Big Brother, fazendo deste tambem um escravo, seria a “entidade invisivel e abstrata de controle do sistema”. E a biologia evolutiva aponta varios casos de especies que se tornarem sistemas fechados em si, becos sem saida para a evolucao, e foram descartados, como os dinossauros e todos os grandes predadores.

Me lembro agora de duas razoes malignas para a humanidade apontadas pela Matrix.

  1. O Universo ( e se houver algo acima dele) nao suporta, nao tolera, e destroi todo sistema fechado em si mesmo. Pois o Universo nada mais e’ – enquanto aglomerado de galaxias – que um ovo cosmico, contend esta placenta constituida de sistemas astronomicos, onde internamente ocorre a evolucao de um feto pelo processo natural de reproducao genetica daquilo que criou o Universo. Entao, os sistemas astronomicos nada mais sao que uma formas provisoria deste ser universal, e se este sistema querer se perpetuar eternamente, parando a evolucao, seria como na genese de um embriao humano houvesse um aborto no estado de morula, ou feto… Para continuar o processo genetico, a evolucao, e’ preciso que os sistemas sejam abertos `a sua evolucao. O que o texto de Thelema esta querendo insinuar e’ que o “espirito” do nosso ancestral sistema fechado veio aqui ditar um livro com leis para os genes que estao corretos no processo de reproducao da galaxia e dando-lhes poder para combater e aniquilar os que estao tentando manter o caminho aberto para a evolucao universal. Se os resultados de minha investigacao que me levou `a sugestao de que exista a formula da Matrix/DNA estiverem mais proximos do acerto, tocando os pes da Verdade, a versao da  Historia Universal Natural escrita por esta cosmovisao diz que o nosso ancestral foi atacado pelo Universo, atraves da entropia, foi destruido, fragmentado em seus bits-informacao e jogados nas superficies dos planetas para se arrastarem ate aprenderem o caminho correto. Entao, esta entidade de Thelema e’ um caso perdido, jamais deveriamos reproduzi-lo. Se tentar, vem a Queda. ja aconteceu uma vez, e a logica imperativa diz que acontecera tantas outras vezes quanto haja reincidencia neste erro.
  2. Podemos – a biosfera toda, com todas suas especies biologicas – estar-mos condenados atraves de nossos genes, a reproduzir o deus caido, o nosso ancestral que cometeu um pecado inaceitavel pela natureza universal. Alias, o codigo impresso no DNA determina esse destino. Assim como a gestacao de um animal ocorre livre e naturalmente, assim deveria ser a gestacao da qual fazemos o papel de genes aqui. Mas… algo saiu errado. Existem estes elementos pertubadores que, inclusive, segundo o texto sagrado do Thelema, obriga a entidade elemental do sistema galactico a vir aqui como um remedio, uma droga terapeutica, fazer correcoes no processo reprodutivo. Inoculando soro revigorante nos seus anti-corpos para combater os elementos pertubadores ( na minha teoria nao existe uma entidade elemental consciente de sistemas anteriores, mas pode existir uma forssa com substancias e energias que nao captamos que esta inserida na psique humana por acao destes genes, e isto seria o insconsciente do escritor deste texto).

Entao, o que teria sido a causa da perturbacao? Ora, nossos genes, nossa genetica, esta sendo palco de duas forssas convergentes: a reproducao do sistema fechado astronomico e a reproducao do sistema aberto universal. Assim nossa genetica esta dividida em duas opcoes, porem, devido a galaxia estar logo aqui a nossa volta, e o Universo estar mais distante, a tendencia da reproducao da galaxia se torna dominante, e o Universo, recessivo. Mas sabemos que na genetica, os genes recessivos, mesmo assim, influenciam alguma coisa na formacao do baby. E existem os momentos de fraqueza do dominante, que sao aproveitados pelo recessive para inserir algo de seu carater, seu desejo. Eu desconfio que a causa da perturbacao e’ sugerida pelos meus resultados em outro plano da cosmocvisao; a que o sistema universal tem sido um conjunto de duas faces distintas, uma funcionando como duro, materializado hardware e a outra como suave, quase abstrato, software. A face software e’ a que vem do universo ou alem dele, ao que denominamos “consciencia cosmica”. Apesar de recessive, tendo as portas da psique humana fechadas, essa suave substancia tem penetrado de alguma maneira neste processo reprodutivo ocorrendo aqui, e seria ela a causa das perturbacoes. Porem, apesar de eu apreciar esta ideia e ver nisto uma logica, nao deixa de ser uma metafisica, nem de teoria poderia ser chamada, entao, fica ao criterio de cada um.

Somos estrelas? Nao, somos seres rastejantes sem brilho na superficie de um planeta, estrelas sao outra coisa. mas nem mesmo metaforicamente? Bem, somos – segundo a versao cientifica – feitos com material das estrelas, mas passaros e avoes sao ambos feitos de atomos, ambos tem asas e voam, no entanto sao coisas muito diferentes entre si. Assim, o corpo do ultimo ancestral dos sistemas biologicos era composto por estrelas, a biosfera tem a tendencia a se reproduzir como algo assemelhado ao buiding block dos sistemas astronomicos, mas – segundo a Matrix – nos building blocks a consciencia cosmica dormia, e em nos ela esta se despertando e se levantando, e ela sera nosso destino, nao as estrelas. Alem disso, a superficie da Terra e’ um espaco limitado, os seres moventes aqui se chocam, inevitavelmente. A entidade do Crowley esta’ “far away off the beam”.

 

Hawkings defende o absurdo de sua cosmovisao: Antes do Big Bang apenas existia o Nada

sexta-feira, março 9th, 2018

xxxx

A Matrix/DNA participa nos debates na secao de comentarios deste artigo:

O que havia antes do Big Bang e da aparição do Universo, segundo Stephen Hawking

https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/bbc/2018/03/08/o-que-havia-antes-do-big-bang-e-da-aparicao-do-universo-segundo-stephen-hawking.htm

Meus comentarios enviados vao para moderacao, nao se sabe se serao publicados:

Comentario n.1:

Louis Charles Morelli  – Marco/09/18

Hawkings perdeu seus sensores naturais, ele nao toca, nao ouve, nada sente do mundo real. Seu cerebro foi conectado a um cerebro eletro-mecanico, o qual tem sensores mecanicos, como telescopios nas naves, microscopios eletronicos, etc. Entao Hawkings programou o cerebro eletro-mecanico com as informacoes humanas que ele tinha e pos esse cerebro com seus tentaculos a explorer os invisiveis macro e microcosmos. Mas estes sensores discriminam dados, por exemplo, organizacao biologica e neurologica da materia eles nao captam nada. Entao estes sensores voltaram e o cerebro eletro-mecanico passou suas informacoes ao cerebro humano. Este, baseado nas informacoes do computador reprogramou-o e o enviou novamente. Mas a certa altura este feed-back estava produzindo o contrario, ou seja, o cerebro-eletromecanico e’ quem esta dirigindo o humano, a visao do mundo sera exclusivamente mecanica, apropriada a fisica e matematica. Este e’ um dos perigos da Inteligencia Artificial tendo robots-sensores. A Teoria da Matrix/DNA colheu os mesmos dados disponiveis aos cientistas ( radiacao cosmica, expansao, propriedades da luz) e o cerebro humano fez os calculos e chegou a conclusoes muito diferentes. Crer que do nada surja algo ou que um minusculo atomo contenha o Universo e’ um absurdo metafisico religioso. E crer que estes humanos rastejando num planetinha perdido na imensidao sideral sem conhecer 5% do que existe neste Universo seriam capazes de processar as informacoes da Verdade Ultima e’ muita arrogancia…

xxxx

Louis Morelli em resposta a Rafael Cardoso em mar/09/18

Rafael Cardoso –  os cientistas nao estudam o Big Bang cientificamente, pois a Ciencia so pode lidar com objetos reais e nao fantasmas teoricos, a Ciencia nao produz teorias nem sugere causas ela apenas se focaliza no objeto que ela alcanca e pode tocar. Quando os filosofos gregos observavam uma camisa suada no canto da sala e dias depois com larvas a Ciencia atuava duas vezes: na observacao e constatacao da camisa suada e depois na constacao de larvas. A Ciencia nada dizia o que aconteceu no tempo em que ela esteve ausente. Portanto a geracao espontanea foi uma teoria surgida na mente humana, nao comprometa a Ciencia com isso. Agora existem apenas 3 fatos provados sobre o Universo conduzindo humanos a teoria do Big Bang. Nao comprometa a Ciencia com isso, ja vimos que a mente humana produz muitas besteiras. Para chegar as origens do Universo com uma teoria respeitavel sera necessario milhoes de evidencias e nao apenas tres.

xxxx

Comentario n.3

Porque uma mente humana produz tais absurdas afrontas imaginarias a si mesma? Nao e’ racional crer no Nada, crer que do Nada surge alguma coisa, que um minusculo atomo contenha o Universo… Hawkings perdeu seu complexo sensorial e sente o mundo atraves dos sensores de um cerebro eletro-mecanico o qual apenas funciona pela matematica que Hawkings acredita ser a logica, a linguagem e que pode interpretar o mundo. Quando ele produz algo nao vem de um cerebro humano, mas sim de um eletro-mecanico, cujos sensores mecanicos lhe estao fornecendo suas informacoes mecanicas do mundo. (cont…)

xxxx

moreiramoraes1971832 – Mar/09/18

E como o nada possui matéria? Acredito que existia sim a matéria, é o que podemos chamar de matéria dispersa como enormes átomos e a sequëncia se fez como as ligações atomicas unindo-se por campos magnéticos e ou equivalencias até um determinado tamanho e dai o colapso, como toda estrutura entrou no ponto de desiquilibrio irreverssivel, quanto mais crescia mais desiquilibrava, isso não só em um grande corpo de matéria mas em dois ou mais e isso fez a grande explosão em cadeia,com muita temperatura, calor, colisões em altas velocidades gerando novas estruturas, galaxias, e planetas….

Resposta de Louis Morelli

Mas para que empregar o tempo fazendo todas estas elocubracoes imaginarias inventando situacoes nunca vistas como possiveis no mundo real se ainda nada sabemos deste Universo, principalmente nos 95% dele que se supoe ser de material desconhecida?! E porque se cegar para o fato que justo e agora na nossa frente este mesmo Universo esta produzindo corpos humanos na mesmissima situacao suposta pelos conceitos gerais da teoria do Big Bang? Porque preferir a possibilidade fundamentada no imaginario `a possibilidade fundamentada no real? Ate quando esta tendencia de fantasiar com o sobrenatural (seja com deuses magicos ou nadas magicos) vai impedir de funcionar o racional puro e natural? O inicio na simplicidade singular, o bigbang, a expansao do corpo, a radiacao “cosmica”, tudo isso acontece num embriao humano, entao para que apelar ao absurdo imaginario?! De uma olhada na Teoria da Matrix/DNA e veras a teoria racional.

 

Porque Evolucao nao existe – Extenso e completo relatorio por criacionistas

domingo, fevereiro 25th, 2018

xxxx

A teoria da Matrix/DNA tem sugerindo que a teoria da evolucao e’ mais correta do que a teoria religiosa da biblia, apesar de que a Matrix faz uma complete reformulacao da teoria da evolucao sugerindo que a teoria de Darwin e mesmo o modern darwininismo esta muito incompleto. Aqui vai um texto escrito por pastores criacionistas para mostrar o que pensam da evolucao. Bom sera ver os comentarios a seguir que sao um alerta contra a impressao causada pelo artigo.

http://www.cornswalled.com/2014/02/the-wasted-career-of-charles-darwin.html#more

E-bbok na Amazon:

https://www.amazon.com/The-Wasted-Career-Charles-Darwin-ebook/dp/B00ICSZ5N4/

Friday, February 7, 2014

The wasted career of Charles Darwin

 Update by Peter Cornswalled:

Pursuant to the wishes of my late brother, Alexander, his extensive body of writing will be published. This article is now available for your Kindle in both English and Spanish

The original author of this article has granted me permission to publish it, but has asked that his name not be connected to it, do to left leaning ideologies that have subsequently infected his thinking.

In the late 1800’s Charles Darwin introduced his now infamous book, The Origin of Species. This work introduced what is now known as Darwinian evolution. Evolution however was nothing new, “The Greeks believed in a form of evolution,” centuries before the birth of Jesus Christ. (Ham, 100) The Origin of Species was destined to change the course of history and cause the re-evaluation of Victorian morality. It would be said that the evolutionary model “Helped make atheism respectable.” (Ham, 85) The assumptions necessary to support the evolutionary model would weaken science and result in the bias of a scientist and not the facts determining the results of experiments and field research. It would compel Cesare Lombroso to form a criteria for the identification of the criminal element based upon physical characteristics such as the subject’s brow ridge and eye shape. Darwin’s model would be applied to the business world to justify ruthless business tactics and excuse, even glorify, maltreatment of the lower classes. It would penetrate the religious community and result in the formation of the theocratic evolutionists. Finally, it would allow society to remove God and his moral absolutes. This final result would cause the persecution of Christian values and beliefs and the formation of numerous misconceptions about Christianity. The resulting removal of moral absolutes would legitimize abortion and prompt so-called “mercy killings” and provide a new basis for racial prejudice. The Evolutionary model of origins would impact not only science, but criminology, business, religion, and basic morality.

When The Origin of Species was published in 1859, it was not the only incident of importance. Japan had unwillingly ended it’s self imposed isolation only five years earlier. A war between Great Britain and Persia Had been over for three years. France went to war against Austria, and won that war the same year. The construction of the Suez Canal began, and the first American oil wells were drilled. The American Civil War was a mere two years away. It was far from being an inactive period in world history.

To truly comprehend the consequences of the evolutionary model one must first see the misinformation and false trails that lead Darwin to construct this model of origins. Darwin’s education included study in the department of Theology at Cambridge University, from which he graduated in 1831. The dogma taught at this university included several erroneous interpretations of Biblical data and concepts contrary to both the Bible and science. One fallacy Darwin was taught as fact was the idea that the Genesis account of Creation stated that reproduction within the created types, or baramins, was comparable to “Pennies from a mint.” (Marsh, 136) This theory was discarded around 1400 AD., when the more accurate variation within created types was realized from both science and the Biblical record. Despite the dethroned status of this theory it was taught as fact to Darwin. Needless to say, he would find it to be inaccurate as he proceeded to examine the scientific data. Frank Marsh records the second fallacy in his paper, The Genesis Kinds in the Modern World. “At Cambridge, Darwin was also taught that all modern forms of plants and animals had been created and set down in the very pattern of geographical distribution in which we find them today. Actually there is no scriptural ground for this latter teaching.” (Marsh, 138) Not only does this concept find no support in scripture, but it is in direct opposition to the story of Noah’s flood. Darwin found nature to completely disprove the theories he had been taught at Cambridge regarding the origin of the Earth and thought the Bible disproven as well. This led him to conclude that life had arisen by natural processes without the aid of God. He then constructed a model of the most likely way this could of occurred, a model he recorded in The Origin of Species. The great tragedy of this is Darwin’s failure to examine the Bible for himself. Not until his declining years did he study the Bible he had thought disproven. Not until then did he realize the delusions that he had disproven were not in the Bible at all. For more information on Darwin’s later rejection of his own model see “Did Charles Darwin Become a Christian?” by John W. Klotz, and Wilbert H. Rusch, Sr. Volume 29, Number 2 of the Creation Research Society Quarterly (CRSQ in Bibliography) contains updated information.

The flawed origin of the evolutionary model gives rise to difficulties. Anyone who attempts to account for the numerous flaws present in the model must realize that Darwin himself later recanted of his own accord. One must also realize these flaws are presented only in the highest levels of the current education system, and information on them is made available only to those who go to great lengths to find literature dealing with these flaws. This brings us to the first flaw of the model. Modern educators present the Evolutionary model as a proven fact, as a law of nature. This is both misleading and inaccurate. The two current models of the Earth’s origin are Creationism and Evolutionism, neither of which is directly subject to the scientific method. In order for something to become a “fact” or a “Law of nature” it must be subjected to the scientific method. This requires the formation of a hypothesis that is tested. As both origin models are belief systems about past events they cannot be tested, and thus can be neither proven or disproven. They are models, a system of beliefs from which predictions can be made and tested. These predictions can then be used to determine which model fits the observed data better. They are both models, not facts or laws.

Another one of the flaws involved in the evolutionary model entails the mechanism of evolution, the driving force behind this “onward and upward” process. Darwin originally attributed this function to use and disuse. The idea was simple, a man exercises, building up his muscles. These enlarged muscles would be passed on to that man’s children. The problem with this is easy to see in the light of modern genetics. No mater how much he could bench press, the man could not change his DNA. “Traits acquired by use and disuse just don’t affect heredity.” (Morris and Parker, 94) Those who still clung to this outmoded concept were subsequently dubbed Darwinists, and those who accepted the next proposed mechanism of evolution were called Neo-Darwinists. Under use and disuse natural selection served only to weed out the weak and maintain the status quo, the same position assigned natural selection since Creationists first described it fifty years before Darwin; use and disuse were relied upon to provide the upgrades.

The mechanism proposed by Neo-Darwinists upgraded natural selection to a more prominent role. Random mutations in the germ cells provided the raw material for evolution and natural selection chose the most beneficial ones. However this provides no true method of betterment. Random chance was the only way to produce an upgrade and provided the only material natural selection had to work with. The major flaw with this is the lack of time. Even the billions of years postulated by evolutionists is not enough time to evolve a Hydra, let alone a human being. This allowed the formation of the Post-Neo-Darwinists. This group accepts the basic arguments of the Neo-Darwinists with a few changes. Essentially, as this new group postulates, evolution is not the slow, painstaking process that was previously thought, but a rapid process taking place in isolated populations. The accelerated pace of this most recent development explains the absence of transitional forms in the fossil record, and allows an age in accordance with Creationist’s research. Numerous Post-Neo-Darwinists are also young-earth evolutionists, individuals that accept Earth ages as young as 10,000 years, while supporting evolution. This level of fluctuation is sadly typical of proponents of the evolution model.

To further illustrate the negative effect of Darwin’s model on science witness the example of the Monera classification. In order for evolution to take place there must be an organism to evolve. One of the major problems of the evolution model is, and will remain, the origin of the first living organism. Such an organism must come from non-living mater, a process known as abiogenesis that was disproven by Louis Pasteur. In 1868 one of Darwin’s strongest supporters, Ernest Haeckel wrote a lengthy paper about organisms he classified under the family name Monera, these organisms were later reclassified as Protisa. The Monera classification was originally created to bridge the gap between living and non-living matter. In 1868 Thomas Henry Huxley wrote an extensive paper entitled On Some Organisms Living at Great Depths in the North Atlantic Ocean the paper was as long-winded as the title. These “Organisms” consisted of mud dredged from the bottom of the North Atlantic Ocean and preserved in alcohol. Huxley classified the protoplasm-like substance as two distinct species and declared them the “missing link” between living and non-living matter. This status for Huxley’s organisms continued to be accepted as the first solid proof of evolution until 1872, when a scientific expedition revealed the material Huxley and numerous supporters had hailed as living to be lifeless mud. The appearance of protoplasm had arisen from a chemical reaction that occurred when the dredged mud was placed in a strong alcohol solution. The gelatinous mass was a precipitate of lime. The first conclusive evidence of this was provided by J. Y. Buchanan and is recorded in volume 24 of the Proceedings of the Royal Society of London, 1876. (Rupke, 182) It does not take much knowledge or wisdom to see the incredible error that takes place when lime is mistaken for a living organism. The involvement of the evolutionary model can be clearly seen upon the examination of Huxley’s goals. He was nicknamed “Darwin’s Bulldog” because of the extreme methods he used when supporting the evolutionary model. The organisms described in Huxley’s paper was the end result of a long and torturous search for the missing link the Monera classification would of provided.

A more modern, and more disheartening example of the model’s influence on science can be seen in the hunt for the ancestor of man. Note Nebraska man, built from one solitary tooth. When the jawbone that fit the tooth was discovered, the jawbone and the tooth were revealed to of come from an extinct species of pig. (Gish, 187-188) Piltdown man was a hoax, there is no existing fossils of Peking man, and Nethanderal man was re-classified as fully human in the mid-1960’s. As J. Hawkes stated in volume 204 of Nature magazine, “It still comes as a shock to discover how often preconceived notions have affected the investigation of human origins.” (Gish, 189) Not only does it effect the “investigation of human origins” but all aspects of science, no matter if the harmful bias is admitted or if it is concealed. The integrity of the scientific community has also been weakened by the irrational assumptions made by scientists in support of the evolutionary model. Varves, for example, are generally used as a method of determining the ages of the rocks containing them. “A varve is generally defined as a sedimentary lamina or sequence of lamina deposited in a still body of water in one year’s time.” (Oard, 72) In other words, the layers of sediment that form at the bottom of a lake or pond. These layers are alternately light and dark in color. The light layer is supposedly put down in summer, and the dark layer in Winter. One set of layers equals one varve. The assumption made is that one varve has been put down in one year, and there are no gaps in the record. The error in this conjecture becomes apparent when we see examples of multiple varve deposition per year. 360 varves were deposited in a 160 year time span in Lake Walensee, Switzerland and 42 were deposited in a 30 year time span in a Norwegian Glacial lake. (Oard, 76) This is illustrative of the type of difficulties faced by this method. Floods, droughts, and temporary isolation of still bodies of water can also play havoc with varve chronology.

Another example of unreasonable assumptions made by evolutionists is the various methods of determining the age of rocks. The most common method is determining the ratio of parent atoms to daughter atoms in radioactive decay. “The use of radioactive decay as a basis for absolute age determination involves the premise that a parent element decays at a known rate, which remains constant, into a daughter element.” (Acrey, 73) Scientists also assume the sample contained no atoms of the daughter element at formation, or at least a known ratio of parent atoms to daughter atoms. The various methods of ratio measurement are generally identified by the elements measured. The Lead:Thorium and Lead:Uranium methods (Both Uranium and Thorium decay to form lead) are invalidated by “Selective uranium leaching by acid waters” and the fact that “Most radioactive minerals contained some lead when they formed.” (Acrey, 73) The Lead:Alpfa method is unreliable because “So many of the Earth’s minerals have unknown proportions of thorium and uranium.” (Acrey, 73) This pattern holds true for all the lead, uranium, Carbon-14, and Fluorine methods that exist today. It is worthy of note however that the Fluorine method is useful in determining the order in which fossils were deposited at individual sights. The Carbon-14 method is considered accurate to a maximum age of 10,000 years when used on organic material. This is a theoretical maximum that arises from the fact that the amount of Carbon-14 that would be present in older samples would be so minute that the test’s margin of error would exceed the remaining sample.

Efforts to support evolution have been the source of numerous problems. For example the theory of atavism. According to this theory “some individual animals, including humans, at times revert back to an earlier evolutionary type”. (Bergman, 33) This theory is known as the human atavism theory when applied to H. Sapiens. “A tragic example of the use of evolution by another field was its uncritical acceptance into the field of criminology.” because of its “tragic consequences for multi-thousands of persons.” (Bergman, 33) The human atavism theory was applied to criminology by Cesare Lombroso, the first person to apply science to the field of criminology. Lombroso was conducting an autopsy on a famous criminal when he decided the subject bore a striking resemblance to an ape. In 1878, two years after experimentation put the Monera fallacy to rest, he published an interesting theory in a book he entitled The Criminal Man. The theory was simple, Lombroso postulated that criminals were evolutionary throwbacks to the savage state. This concept would have been relatively harmless if it were not for the manner in which Lombroso had it implemented. He encouraged a modification of the legal system that would dispense punishment based not upon the severity of the crime, but the “advanced” or “primitive” status of the criminal. Lombroso’s theories were used to create the descriptions of the basic criminal type. An enlarged brow for example, or pointed as opposed to curved earlobes designated an individual as savage and unreliable. Lombroso proudly relates instances where his analysis and testimony determined the verdict of trials, and laments the instances in which he failed to make a difference. He wanted those who had no characteristics that could be traced to atavism to be spared punishment for crimes as severe as murder because of their innately good nature, while those who displayed evidence of being throwbacks should be disposed of for the most trivial offenses. In essence, Lombroso would have a “modern” man who murdered his wife fined and released; while a “primitive” man would be executed for shoplifting. This is not an exaggeration, this is the kind of reform Lombroso and his supporters wanted. The connection between physical and behavioral characteristics was central to Lombroso’s theories, yet this assumption was contradictory to basic genetics. The concept of atavism has since been discarded, as an atavism could occur only if the mutations that supposedly cause evolution replicated genetic data previously purged from the gene pool by natural selection, as there is not enough DNA to encode discarded traits. Such a mutation, were it to occur, would subsequently be classified as a harmful mutation, and not an atavism. Despite the demise of the atavism theory Lombroso’s concepts live on. Whenever one hears about “The criminal face” or a defense lawyer asks a jury if “That is the face of a murderer”, Lombroso, and his disproven concepts, are being glorified.

The theory of human atavism is not the only portion of evolutionary thought to escape the confines of science. “Application of the principal of ‘survival of the fittest’ to human affairs came to be known as social Darwinism.” (Davidheiser, 338) Essentially the poor were regarded as weak and deserving of death. This was also used as the justification for unfair and cruel business practices. The stronger businessman would have a job when it was over, and the unfit one would be unemployed. James J. Hill in an explanation of his motives said, “The fortunes of the railroad companies is determined by the law of survival of the fittest.” (Hofstadter, 45) Robert E. D. Clark was speaking of Social Darwinism when he said, “Evolution, in short, gave the doer of evil a respite from his conscience. The most unscrupulous behavior towards a competitor could now be rationalized; evil could be called good.” (Davidheiser, 339) Therein lies the true evil of Social Darwinism, not only did it excuse evil, but glorified it.

The application of pseudo-science had other repercussions in society. It provided a new excuse for racism. Terms such as “White man’s burden”, pan-Slavism, and pan-Germanism came into being, each one praising the superiority evolved status of the respective races. Pan-Germanism was used by Hitler to build support for his political agenda. It has been rumored that Hitler died claiming the Slavic peoples had proven themselves stronger in World War Two, nearly a century after Darwin published The Origin of Species. Evolution, and its removal of God was one of the major supports for Marx and Stalin in their removal of God from their communist nation. The final mockery of Social Darwinism was Darwin’s apparent rejection of it. Social Darwinists were further mortified by the embarrassment they caused to responsible scientists. (Davisheiser, 338 and 342)

The force with which evolution was touted as truth with the weight of men such as Lombroso and Huxley behind it soon forced the population to conclude that evolution was true, and blinded them to it’s status as an alternate interpretation of the existing data. This resulted in an attempt by religious leaders to mesh the science of God with the science of atheism, to conform to secular ideals. This is akin to mixing oil with water. As a result non-theistic Christians and theistic evolutionists developed from the Creationists. Non-theistic Christians reject the divinity of Christ and the existence of God, regarding the Bible as a quaint collection of advice. Jesus Christ is called a “good teacher”. The problem with this is Jesus claims to be God. A reading of the Gospels will reveal Jesus is one of three things. He is either a liar, a lunatic, or he is exactly who he claims to be. There are no other options. Theistic evolutionists attempt to blend evolution and the Bible by claiming God used evolution to Create the Earth, the first 11 chapters of Genesis are regarded as poetry. This group eventually finds itself unable to trust the Bible. The final group are the Creationists, of which the author is a member. We recognize that evolution is an attempt to explain the universe from an atheistic viewpoint. It is not “Religion vs. Science” as some would have us believe, but “The science of one religion vs. the science of another religion.” These definitions are independent of other denominational separations. All three groups are represented in each of the subdivisions that make up the Christian faith. Remember, evolution is the science of atheism, and atheism is a religion that denies the existence of God.

Earlier on I mentioned that “Evolution helped make atheism respectable.” (Ham, 85) This is an accurate statement. Not only did it make evolution respectable, but it made theism detestable. The separation of Church and state, originally intended to prevent the government from regulating religion, has since been twisted to ban the teaching of the Christian values upon which this nation was founded. The founding fathers must be rolling over in their graves. Biblical values are not tolerated, they are despised and ridiculed. The Church has come under fire for refusing to permit gays to become ministers, despite the fact that the Bible strictly forbids homosexuality. “Do not lie with a man as one lies with a woman; that is detestable.” Leviticus 18:22. Chapter 20, verse 18 of the same book orders all homosexuals be put to death! Remember, in the early days of the government, when the founding fathers were still alive, and for decades after their deaths, the supreme court cited the Bible as a precedent in court decisions! The debasement of the Bible was the direct result of the evolutionary model of origins. Once people believed there was no God, the Bible lost its authority. When the Bible lost its authority, the moral absolutes it contains lost relevance. The removal of Christianity and the values it represents from schools has resulted in entire generations growing up knowing nothing about Christianity. This has resulted in the formation of numerous misconceptions about the Christian faith. Not only does the school system arrogantly, and inaccurately proclaim the Bible disproven, but has reduced the Christian to a “goody two shoes” trying to earn salvation. Christians do not earn salvation. No amount of good works can save a human soul. “For all have sinned and fall short of the Glory of God.” Romans 3:23. Salvation is a gift from God. We are saved by grace, not our actions. It is not what you do, but what you believe.

There have of course been repercussions in the secular society. The removal of God and his moral absolutes has resulted in an increase in numerous social ills. Evolution regards humans as nothing more that animals, and as we kill an unwanted animal, and put suffering animals to death, why not do the same to humans? If there is no Creation to be the pinnacle of, then we are not the pinnacle of God’s Creation. This has resulted in the debasement of human life. Life is no longer considered sacred by society, and this has resulted in two great evils, abortion and assisted suicide. Before Darwin the only moral issue that arose when someone considered an abortion was what the Bible says. The Bible makes it very clear that a fetus is not potential life or a non-viable tissue mass, but a living human being with a soul. “If the fetus is human life, that trumps any argument you can make about the individual rights of the mother.” (Limbaugh, 55) Once the status of the fetus was up for grabs, the result of the rejection of Biblical law, such asinine arguments as “freedom of privacy” were used to allow this wholesale slaughter to take place. The same thought processes apply to those with painful illnesses. If we are no more than animals, and we put animals to sleep, then why not put people to sleep? Jack Kevorkian, AKA “Jack the Dripper” (Limbaugh, 60), has applied this logic to humanity. It may be against the values of the majority, but it is in perfect harmony with the evolutionary model. Another result of Darwin’s coup has been a new foundation for racism. Before Darwin those intent upon discrimination read questionable justification into Biblical text. After Darwin the claim was made that whites were the most evolved race and all others were seen as inferior, lower on the evolutionary scale. It was Lombroso’s discrimination all over again, and was strongly influenced by Social Darwinism. Non-whites are now described as lower life forms, not yet evolved to the point of being fully human. The problem with this logic is, if we are all animals anyway, how can we say that one group is more evolved then the other? Moreover, what special treatment does being human earn us in the animal world? The implications of such logic are staggering.

Evolution, the most influential concept in the modern world truly has influenced us far beyond the realm of science. Darwin’s atheistic model of origins has had serious repercussions. The methods used to guess the age of the Earth, and the very formation of the model itself display the negative effect it has had on science. Lombroso and his work show the damage the model has done to criminology. The fruits of Social Darwinism were truly bitter, including communism, nazism, and monstrous business tactics. Religion has been ridiculed and defamed by the misconceptions its isolation has produced. Abortion is evidence of the feel-good attitudes spawned by Darwin’s model, and Dr. Death displays the disregard with which human life is held. Finally, Darwin has produced a new basis for racial hatred.

To all those who still think Darwin’s great coup has been a force for good, there is one final quote: “Well, if you are a product of chance, your brain is a product of chance. Therefore, the thought patterns that determine your logic are also the products of chance. If your logic is the result of chance processes, you can’t be sure it evolved properly. You can’t trust your own logic.” (Ham, 26) Remember, one of the most basic tenants of evolution is that all life it the product of chance.

Bibliography

Acrey, D. O. Problems in Absolute Age Determination. Creation Research Society Books. Kansas City. 1990

Bergman, Jerry. The Biological Theory of Atavism: A History and Evaluation. CRSQ. June 1992, vol.29 No. 1 Pages 33-44.

Darwin, Charles. The Darwin Reader. Charles Scribner’s Sons, New York. 1956

Farb, Peter. Humankind. Houghton Mifflin Co. Boston Mass. 1978

Farrington, Benjamin. What Darwin Really Said. Schocken Books, New York. 1982

Gish, Duane T. Ph.D. Evolution: The Challenge of the Fossil Record. Master Books, El Cajon. 1985

God. The Holy Bible. Concordia Publishing House, St. Louis MO. 1984

Ham, Ken The Lie: Evolution. Master Books, El Cajon CA. 1987

Hardin, Garrett. Science, Conflict, and Society. W. H. Freeman and Co. San Francisco. 1969

Hofstadter, Richard. Social Darwinism in American Thought. George Braziller inc. 1969

Klotz, John W. and Rusch, Wilbert H. Sr. Did Charles Darwin Become a Christian? Creation Research Society Books, Norcross. 1988.

Lammerts, Walter E. Scientific Studies in Special Creation. Creation Research Society Quarterly Books. Kansas City. 1990

Limbaugh, Rush. The Way Things Ought to Be. Pocket Books, New York. 1992

Marsh, Frank Lewis. The Genesis Kinds in the Modern World. Creation Research Society Books. Kansas City. 1990

Morris, Henry M. and Parker, Gary E.. What is Creation Science? Master Books, El Cajon, CA. 1987

Newman, Robert C. The Darwin Conversion Story. CRSQ. September 1992, vol.29 No. 2 Pages 70-72

Oard, Michael J. Varves-The First “Absolute” Chronology. CRSQ. September 1992, vol.29 No. 2 Pages 72-80

Roth, Charles E. The Most Dangerous Animal in the World. Addison Press, Reading Mass. 1971

Rupke, N. A. A Summary of the Monera Fallacy. Creation Research Society Books. Kansas City. 1990

von Fange, Erich A. Ph.D. Genesis and the Dinosaur. Living World Services, Syracuse, IN. 1990

Webster, Noah LL.D. New Concise Webster’s Dictionary. Unisystems Inc. New York. 1984

Zimmerman, Paul A. The Spontaneous Generation of Life. Creation Research Society Books. Kansas City. 1990

 

Corny’s biggest fan said…
good post but one thing…

where’s the continued venom about Distorted View and TIm Henson ?

me thinks you’d get more exposure by taking on DV again

C.B. Walker said…
“Evolution helped make atheism respectable”?

This is just my opinion, but I believe that most Christians would respect a “saved” child molester more than a harmless atheist. Atheists seem have very little respect in general, and in my experience, touting evolution hurts that even more. Wouldn’t evolution make God more respectable? The notion that He set events in motion billions of years ago, in such a way as to achieve the universe as it is now, is beyond incredible. To simply “create” the final product would be like playing a video game with all of the cheat codes on hand.

Aside from that, the evolution versus creation debate just seems to distract us from a bigger problem anyway—government schools. Everybody who pays property tax funds the government school system. Creationists dislike evolution because they would rather not fund the teaching of evolution and vice versa. As a creationist, you should not be forced to fund a system that would teach your children evolution. Just as someone without children should not be forced to pay for another’s child’s education.

Anonymous said…
Wow, I can not believe how well he completely disproved evolution using science based in the 1800’s and without listing a reference written in the last 10 years. That quite a feat sir. I tip my white cone hat to you.

lolcornswalled said…
I just lost brain cells!!!!! T-T!!!! Reading this made me feel mental! I…I…I can’t even say anything!!! Except, ZOMG! It’s C.B.! Keep at it bud! “I’m a mummy! Raar!” -C.B. Walker

ObesityKing said…
Darwin’s career was NOT a wasted one. Contributing possibly the most important scientific ideas ever deduced does NOT make the origin of species INFAMOUS.
Darwin did NOT recount his claims.
Science is NOT a belief system, and the theory of evolution is NOT about EARTH’S origin!
Building up muscles to pass to your offspring is NOT darwinian evolution, that is LAMARCKIAN and is known by science to be ridiculous.
Punctuated equilibrium occurs ALONGSIDE phyletic gradualism over BILLIONS of years.
What creationist research?
Atavisms have NOT been discarded
HITLER!?!? We are not talking about biology anymore?
Abortion has NOTHING to do with evolution
Darwin did NOT produce a new basis for racism
Evolution is NOT an ‘onward and upward process’
Evolution is NOT about chance
IDIOT 
40KEndgame said…
Why did Darwin waste his career? I could see evolution being God’s method of creating every living thing, since the big bang seems to coincide with God saying “Let there be light!”. God may not experience the same speed of which time flows as we do. His 7 days could be our 13.7 billion years. 

Peter Cornswalled said…
The Wasted Career of Charles Darwin is now available for your Kindle in both English and Spanish

O cristianismo e’ uma forssa para o bem da humanidade ou nao? Neste debate o publico decidiu que nao e’.

domingo, fevereiro 18th, 2018

xxxx

Quais devem ser as escolhas dos humanos para que a Humanidade tenha vida longa e melhor? Existe uma grande diferenca nas respostas quando separamos as pessoas em dois grupos: os que conhecem mais a natureza a nivel universal e os que conhecem muito menos. Neste video podemos vivenciar esta diferenca se comparar-mos as escolhas de uma plateia intelectualmente mais evoluida com as escolhas do povo comum que sao expressadas no dia a dia. A questao do debate e’: o cristianismo e’ uma forssa para o bem da humanidade ou nao? Dois altos representantes da Igreja Catolica sao confrontados com dois nao-religiosos com elevada educacao sobre os aspectos gerais da humanidade e da natureza universal. O fato de que as igrejas retiram da sociedade elevadissima soma em dinheiro e propriedades, devolve a titulo de esmolas uma paquena parcela deste dinheiro, e o maior montante e’ absorvido pela Igreja para aumentar seu patrimonio e distribuir entre seus elementos que consomem produtos e nada produzem com suas maos, ja revela que as religioes sao buracos negros sugando a ja pobre humanidade. Mas quem enxerga uma questao como essa tem que ser bem treinado a buscar o resultado geral final , e isto e’ impossivel ao povo comum que nao se dedica a informacoes e dados que ultrapassem seus limites individuais ambientais. Por nao considerar e nao conhecer a influencia destes aspectos em sua vida individual, mas ao mesmo tempo, por ouvir a fala mansa dos elementos da instituicao ocultando estes fatos, o povo comum votaria a favor da Igreja. Mas nesta plateia de pessoas mais esclarecidas, dentre 2.200 pessoas, 1800 votaram contra a existencia e os efeitos do cristianismo sobre a humanidade.

 

Cientistas religiosos e ateus, ambos projetam experimentos baseados em suas ideologias. Quem esta’ certo?

terça-feira, janeiro 16th, 2018

xxxx

Visto no artigo:

EVOLUTION IS SLOWER THAN IT LOOKS AND FASTER THAN YOU THINK

https://www.wired.com/2017/03/evolution-slower-looks-faster-think/

Seção dos comentários:

-” Creationist scientist is an oxymoron. Unlike true scientists, a “Creation Scientist” starts with the answer, which is “God did it”, and proceeds to design “experiments” to validate that answer.”

-” A creation scientists is simply one who believes in the literal account of Genesis.
I hope you don’t call your self an evolutionary scientist! Because in your reasoning, that would mean starting with the answer, which is “random chance and time did it”, and proceeding to design “experiments” to validate that answer.”

Raios, a meu ver os dois estão certos. Cientistas misticos que acreditam literalmente na narrativa de Gênesis  – sem base racional – numa resposta definitiva para explicar os mistérios do mundo, ” Deus fez isto”, e partindo desta premissa na mente, projetam experimentos nesta unica linha de logica, esperando provar sua fé. Por outro lado, também ainda não se pode provar que evolução seja o processo básico da natureza universal. Cientistas que acreditam literalmente nesta narrativa – sem prova cientifica – partem desta crença para projetar novos experimentos, esperando encontrar a prova.

Como resolver isto? Sendo imparcial?

Acho que racionalmente, quando temos um fenômeno natural sem explicação ( como a origem das especies e sistemas naturais), devemos procurar alguma outra situação da natureza que seja a imagem e semelhança do fenômeno, e que saibamos a explicação. Então, neste caso, não conheço nenhuma outra situação na Natureza onde múltiplas variações de um fenômeno tenha sido criado por magica por uma entidade sobrenatural. E conheço um fenômeno em outra situação da natureza onde vejo um processo a imagem e semelhança da evolução: embriogênese de um corpo humano. Vejo ali ocorrendo transformações de formas, sendo que cada ultima forma ‘e mais complexa que as anteriores, e isto, para mim, define “evolução”. Por isso, mesmo sabendo que minha evidencia não prova que exista universal evolução, vou seguir a bandeira dos cientistas evolucionistas. Não tenho a menor base racional para seguir a outra bandeira.