Archive for the ‘Ciência Acadêmica Oficial’ Category

A cultura humana foi produzida pela sua biologia, porem, já existia cultura nas estrelas – revela a Matrix/DNA

sexta-feira, setembro 1st, 2017

xxxxx

Bom artigo sobre origens e desenvolvimento da cultura humana, defende a tese de que a biologia é a causa produtora da cultura. Por meu lado, fui consultar a formula da Matrix/DNA e conclui que a cultura humana esta’ para o sistema social humano assim como a identidade dos sistemas naturais estão para os sistemas, portanto, o que se entende por cultura já existia antes das origens dos sistemas biológicos. Postei um comentário explicando isso no artigo, o qual vai copiado abaixo do link:

O ser humano como um animal biologicamente cultural

https://universoracionalista.org/o-ser-humano-como-um-animal-biologicamente-cultural/?utm_medium=botao&utm_source=ur&utm_campaign=onesignal

O ser humano como um animal biologicamente cultural

Louis C. MorelliLouis C. Morelli – 1/9-set/2017

Good food for thought! Mas eu acrescentaria algo ao artigo. Dizer que a cultura é biológica leva a crer que a biologia criou a cultura pela primeira vez na Natureza, mas vou buscar fatos no passado quando ainda não existia a biológica organização da matéria para sugerir que cultura veio antes, seria uma constante universal. A formula universal para todos os sistemas naturais sugere que cultura é um nome para outra coisa existente mais profunda: a identidade de um sistema natural qualquer.

Como a formula demonstra, sistemas são o conjunto de partes especificas e funcionais inter-conetadas dentro de um involucro qualquer. A soma de informações de cada parte gera o sistema que tem mais informação do que todas suas partes separadas. Porem, como estas partes interagem entre si gerando sub-partes que também interagem, mais informações internas são geradas, as quais não são agregadas `as partes, porem são acrescentadas ao conjunto total de informações que é o sistema. Com isso, o sistema gera uma identidade própria, diferente e muito maior que a identidade de cada parte.

E’ esta identidade de sistema que controla o equilíbrio interno ( que vem da evolução do equilíbrio termodinâmico nos sistemas “não-vivos”) entre todos os seus elementos. E isto acontece em qualquer sistema natural, desde os mais simples como átomos, sistemas estelares, galácticos, vegetais, bacterianos, etc. Pois esta identidade destes sistemas simples, muitos antes da biologia aparecer, que evoluiu para cultura quando a humanidade criou sistemas sociais.

Vendo ” cultura” por esta perspectiva se entende melhor este fenômeno, pois vamos buscar suas raízes, suas causas primeiras desde o Big Bang. E assim encontramos explicação para algo que é dito no artigo mas fica difícil de engolir: que novos genes são produzidos para encaminhar ao homem cultural. Não se trata de novos genes, a função e seu mecanismo já existia disponível na nossa herança dos sistemas não-biológicos, bastava expressa-la. E também acabamos de criar outra definição para cultura: é a identidade de um sistema. Cultura também pode ser a sua mente em relacao ao seu corpo como sistema, ou ainda, cultura é uma espécie de software que permeia um sistema natural físico, o qual é o hardware. Mas tudo isso que digo é resultante da minha interpretação dos modelos teóricos da Matrix/DNA Theory e posso estar cometendo erros de interpretação.

xxxx

O paragrafo notável do artigo que revela sua tese da cultura como produto biológico é o seguinte:

”  O ser cultural do homem deve ser entendido como biológico. Há mais do que um jogo de palavras na afirmação de que o homem é naturalmente cultural, ou ainda, de que a chave para a compreensão da natureza humana está na cultura e a chave para a da cultura está na natureza humana. O homem é a um só tempo, criatura e criador da cultura. Nas palavras de Morin (1973, p. 92), “o que ocorreu no processo de hominização foi uma aptidão natural para a cultura e a aptidão cultural para desenvolver a natureza humana”. Desse modo, “desaba o antigo paradigma que opunha natureza e cultura” (p. 94). Entretanto, apesar da força do argumento, mesmo várias décadas depois, ainda não se foi muito adiante.”

O que causa as instantâneas “experiencias fora do corpo”? Cientistas Dizem que e’ Falha nos Ouvidos!

segunda-feira, agosto 14th, 2017

xxxx

(Traduzir artigo e comentario)

What Causes Spooky Out-of-Body Experiences? It Could Be Your Ears

https://www.livescience.com/60047-out-of-body-experiences-inner-ear.html

And my comments posted at 8/14/2017

 Louis Charles Morelli

We have scientists and their technical article focused on the ear, and all comments below from the public saying that is not the ear, it is… a thing called “soul”. Nature working in its way, the universal duality of opposites is here. But, Nature also has another universal trait: at initial conditions of any system, arises two extreme opposites which are in mutual conflict. The conflict creates chaos around, and suffering for both. The suffering makes they wake up, conflict is worst, then, they join as a par. The par produces a third element, which is more evolved than the two parents. Ok, it means that who is right here, is not scientists, neither mystics. Must have a third alternative, with the right solution. Which is it? I think is Matrix/DNA Theory world view. It suggests that we humans, carries on ahead with the function of a egg. Inside the egg there is the amnion and placenta, which are the brain. The fact of spinal cord means that the egg was recently fecundated, the cord is the remains of spermatozoon’s tail. The creature being generated has a body under formation composed by energy from the synapses. This is the physical, hardware part of the creature. Which has under formation its software, its mind, which we call consciousness, composed by the cloud of light resulting from the energy sparks.
So, we are 8 billion half-conscious genes building a baby consciousness. My friends scientists and religious… this conflict is no intelligent. Because, genes are mortally dependable of their own success but also of the other 8 billion success. If one unique gene does not make his/her work, we – the baby – will born handicapped.
Which has the best belief that produces the best moral code for a better humanity? The scientists belief is too much “could”, mechanistic, does not respect the humans emotions, felling, etc. The “souls” believers are too much metaphysicals, while the embryo that need work is here, at material ground. The Matrix/DNA supporters are trying to help all 8 billion genes for to get good life’s conditions for doing well their job that we need. Think about that…
xxxxx
Other good article about this issue:
The woman who ‘can leave her body at will’: Student sheds light on the strange brain activity involved in out-of-body experiences

Read more: http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-2575550/The-woman-leave-body-Student-sheds-light-strange-brain-activity-involved-body-experiences.html#ixzz4pldmqw3t

E’ o espaço cheio de espuma quântica? Ver sugestão da Matrix/DNA

segunda-feira, agosto 7th, 2017

xxxx

Is Space Full of Quantum Foam?

I think that Physics and Math arrives to the last limits of the mechanic organization of matter, when trying to see the deepest into space. Also, their scientific tools are limited to at least three slices from the seven slices of light ( our brain’s sensors are limited to one slice, the visible light and percepted vibrational state). Physics and Math deals only with bone-skeleton and its mechanics, in a living body. Can not reach the soft meat and its more complex organization of matter. Where is, at the reign of fundamental particles, the principles that will express the biological organization? What if the space is fulled with a kind of membrane and its properties? Like something from outside this universal space can cross it and another things can not ( like long light waves)? Is it not the time for Biologists, Neurologists, being called fot to study this problem, for participating in a Theory of Everything? Skeletons are produced by living soft meat, inserted into genetics. What if galaxies are also in this way? At Matrix/DNA Theory we are discovering that this galaxy has a soft coberture of biological properties. What if beyond the limits of galaxies – after a kind of membrane – is there life? For sure, Physics and Math alone, plus our limited scientific instruments, never will grasp the foundations of this universe’s existence.

A Genese, segundo a crenca academica escolar moderna, versus a Genese segundo a Matrix/DNA Theory

terça-feira, agosto 1st, 2017

xxxx

O artigo copiado abaixo e’ a mais recente e bem explicada para os leigos, sintese do que se acredita hoje no nivel dito ‘cientifico”, tenha sido as origens e desenvolvimento do universo, nosso unico mundo palpavel. Deve-se reconhecer nele o gigantesco e heroico esforco de humanos por seculos em busca do conhecimento existencial. Muitos passos desta teoria foram calculados apos observacao do que acontece aqui e agora, nas reacoes quimicas e fisicas dos laboratorios. Entao se aqui a fusao de hidrogenio produz helio, e hidrogenio deve ter sido o primeiro elemento produzido nas origens, entao conclui-se que da nebulosa de hidrogenios veio a nebulosa de helio, e assim por diante.

Eu, particularmente, e ainda na minha infancia, me senti insatisfeito acompanhando o rumo que essa teoria tomava, pensava que os metodos de deducao estavam incorretos. parecem-me demasiado reducionistas. Para um microbio dentro de um ovulo que observasse a fecundacao e os primeiros passos do desenvolvimento fetal de um humano, sua teoria seria igualmente reducionista, analisando os movimentos fisico-quimicos. Porem o responsavel por todos os movimentos seria algo invisivel, o DNA, e entao a teoria do microbio teria saido totalmente fora da razao.

Quantas coisas mais havia nas origens do universo alem das particulas efemeras, do hidrogenio? O problema deste reducionismo e’ que a teoria final induz a pensar-se num universo sem sentido, sem significado existencial, fator que e’ o mais importante para nos quando buscamos qual o significado da nossa existencia. Desconhecendo a existencia do DNA, e do universe muito maior e mais complexo alem do pequeno ovulo, ignorando o produtor de tudo aquilo, que foi uma criatura humana, o microbio veria meros movimentos que julgaria sem conexao e portanto tudo produto do acaso no mero desenrolar de forcas brutas.

O metodo de usar o que acontece aqui e agora para deduzir o que aconteceu la’ e’ logico, racional, o unico racional que temos. Mas como surgem varias ramificacoes religiosas de um unico livro porque cada grupo seleciona algumas mencoes e ignora outras, me pergunto porque a inteligencia moderna esta selecionando apenas as reacoes fisico-quimico e entre apenas o que estamos vendo, para elaborar esta teoria cosmologica do todo. E se havia elementos, principios, biologicos, neurologicos, ou ate’ mesmo mentais, incluidos nos eventos da origem? Onde estava na simplicissima nebulosa de hidrogenio inicial as forcas e elementos naturais que mais tarde produzria a biologia, a neurologia, a consciencia? Sem ver o DNA e o universo la’ fora, o microbio nem sequer pensaria nisso. Fecharia questao em torno de sua grande visao teorica e tudo isso que outros aventassem seria considerado imaginacao ou sonhos de poetas. Mas sabemos o quanto ele estaria errado. Mas nao podemos permitir que mentalidades de microbios facam as cabecas e doutrinem nossos filhos nas escolas, como esta’ infelizmente acontecendo, basta ler o artigo abaixo.

Na visao academica escolar estou vendo um enredo que imita o que acontece na Biblia quando ela se divide em velho e Novo Testamentos. No novo testamento, o Deus do velho feito homem surge e age totalmente diferente do deus no velho, para desespero dos judeus. O Messias nao foi nada do que esperavam, tendo sua visao de mundo baseada no Deus vingativo, cruel, escravagista e selecionador de alguns filhos em detrimento dos demais, todos fatores que lhes convinham. Assim, a moderna cosmovisao dita cientifica dividiu a Historia Universal em dois capitulos, a Evolucao Cosmologica, desde o Big Bang ate’ 10 bilhoes de anos de idade, e a Evolucao Biologica nos ultimos 3 a 4 bilhoes de anos. Uma nada tem a ver com a outra. Assim como os hebreus deturparam totalmente deus no velho testamento, a moderna academia deturpou totalmente o velho testamento da Historia Universal.

Eu coloquei em cheque a teoria academica e experimentei usar outros fenomenos naturais reais do aqui e agora, aplicando-os para deduzir o que aconteceu la’. Pois na evolucao biologica houve na verdade desde suas origens, a transformacao de uma especie de celula inicial em novas especies com mais complexidade e essa linhagem perdurou ate’ chegar no humano. Muitas especies paralelas surgidas e que nao levavam ao humano foram descartadas. Entao intui que tambem a nivel universal, desde um tipo inicial de sistema natural evoluiram outras formas deste sistema, cada vez mais complexas, ate chegar a celula viva inicial, e depois ao homem. E porque nao? Porque a evolucao universal teria aplicado uma regra para a cosmologica e outra diferente para a biologica?!

Mas se foi assim os atomos, as galaxias sao tao nossos ancestrais quanto o sao as bacterias e os ditos primos do macaco. E se foi assim, dentro daqueles atomos e galaxias havia uma especie de DNA dirigindo tudo como existiu sempre nos ultimos 4 bilhoes de anos.

Este foi um dentre outros motivos que me fez arregacar as mangas, ir la na natureza virgem da selva intocada ainda testemhunha dos primeiros eventos nas origens da vida, buscar esquematizar este Sistema e esmiucar tudo em busca do ancestral cosmologico do DNA. E como resultado encontrei a formula da Matrix/DNA, a qual muda muita coisa na descricao historica do artigo academic abaixo mas o mais importante, aponta na direcao de um estupendamente racional significado da existencia deste mundo e de nos mesmos dentro dele.

Vamos a ver como esta a ultima forma mais atualizada da cosmovisao escolar academica: 

A Genese, segundo a crenca academica escolar moderna

 

Trezentos mil anos após o Big-Bang a luz surgiu, em meio a uma mistura negra de gases primordiais e imersa em um oceano de matéria invisível. Centenas de milhares de anos depois, o Universo foi lentamente mergulhando em trevas, uma fase desconhecida da formação do Universo conhecida como “Idade das Trevas” que durou quase meio bilhão de anos. Então em meio às camadas de gás (hidrogênio, hélio e pequena quantidade de lítio) houve um acúmulo desses gases em nuvens difusas até que, à medida que se esfriavam, passaram a se concentrar no centro de cada nuvem em aglomerados do tamanho do nosso Sol. Atraindo cada vez mais gás circundante, cada aglomerado transformou-se em um gigante astro, cerca de 100 vezes maior que o nosso Sol, e a intensa compressão de seus núcleos desencadeou as reações de fusão nuclear do hidrogênio que deram origem às primeiras estrelas do Universo.

Com uma vida breve de cerca de alguns milhões de anos, elas se extinguiram em explosões (supernovas), lançando no Universo elementos mais pesados, como o oxigênio e o carbono, sementes de futuras estrelas e planetas. Dessa forma, 2 bilhões de anos depois do Big-Bang já tínhamos as primeiras galáxias, com seus buracos negros e quasares, e, 4 bilhões de anos depois, as estrelas em seus vários tipos: supernovas, gigantes vermelhas, gigantes azuis e anãs marrons. Estima-se que em aproximadamente 100 trilhões de anos cintilará a última estrela formada de maneira convencional e uma nova era terá início.

Existem duas maneiras possíveis para a formação dos astros. Na primeira, a nuvem de gás e pó interestelares inicia a sua contração quando o campo magnético que a percorre começa a se reduzir, em virtude de sua difusão para fora dos limites da mesma. A força magnética, assim reduzida, pode chegar a um ponto em que se torna demasiadamente débil para conseguir se opor à força da gravidade da nuvem, a qual, ao contrário, cresce com o aumento da densidade durante o colapso. A este tipo de formação estelar dá-se o nome de espontânea, em oposição ao nascimento de estrelas “induzido” por acontecimentos exteriores como, por exemplo, os ventos solares, a pressão da radiação, ou ainda, as ondas de choque.

Em resumo, o nosso Sistema Solar pode ter nascido de um disco protoplanetário, devido à ação do vento estelar ou da explosão de uma estrela maciça próxima. Ou pode ser que a herança preservada no interior dos meteoritos primitivos nos tenha sido legada por uma família inteira de estrelas maciças que terminaram a sua vida numa espécie de fogos de artifício cósmicos de supernovas. Em tais condições, não existe nenhum rastro que nos permita identificar de onde, nem como, terá surgido o Sistema Solar.

Será que novamente deixaremos ao acaso o motivo de toda essa ordenação obtida após o tumult? Não será possível que haja uma Consciência Cósmica diretora desses fatos? A palavra ordenação implica a existência de “ordem”. Ordem faz pressupor a existência de Algo ou Alguém que ordene. Algo ou Alguém ordena e a criação se faz.

Durante os seus primeiros 100 milhões de anos, o gás e a poeira que giravam no disco protoplanetário ao redor do Sol foram se aglomerando, até que há cerca de 4,6 bilhões de anos começou a história de nosso planeta. Em geral, planetas como a Terra são formados durante dezenas de milhões de anos, mas recentemente pesquisadores da Espanha, Alemanha e EUA fotografaram pela primeira vez 18 corpos celestes na constelação de Órion que parecem ser planetas “flutuantes”, pois não orbitam nenhuma estrela. Esses astros detectados teriam sido formados num curto espaço de tempo (a constelação tem “apenas” 5 milhões de anos), graças ao colapso gravitacional de partes de uma nuvem molecular, também composta por gases e poeira. Atualmente eles são bolas gigantes de gás, com massa entre 8 e 15 vezes maior que a de Júpiter. Contudo, esses “aglomerados” não ficaram grandes o suficiente para iniciarem as reações de fusão nuclear típicas de estrelas (queima de hidrogênio) ou de anãs marrons (estrelas pequenas que queimam deutério, um dos isótopos mais frágeis do hidrogênio).

Por definição, um planeta tem até 13 Mj (Massa de Júpiter), e uma anã marrom, entre 13 e 75 Mj. Acima de 75 Mj, há energia suficiente para o início da fusão nuclear, a fornalha que alimenta as estrelas e as faz emitir uma luz mais intensa. No núcleo dessas estrelas, os prótons colidem entre si e um deles se transforma em nêutron convertendo o átomo de hidrogênio em hélio e liberando um fóton. Na migração para a superfície o fóton de luz vai colidindo com os átomos de hidrogênio e hélio, gerando calor, e empurrando-os para fora contra a força gravitacional da estrela que os puxa para o centro. Estima-se que cada fóton, produzido no nosso Sol, demore 1 milhão de anos para sair dele.

 

Meu comentario postado no artigo:

Excelente artigo. Este artigo favorece a minha teoria astronomica e desfavorece a teoria astronomica academica official. Pois o artigo inteiro descreve interpretacoes teoricas, o unico fato real mencionado e’ a observacao dos 18 planetas de Orion, e a conseguente especulacao sobre suas origens. Mas este unico fato justamente se encaixa perfeitamente no meu modelo geral. Uma grande surpresa aguarda a cosmovisao academica: essas bolas de aparente gaz que formam estes que eles chamam de planetas na verdade sao os gemes de novos astros. Foram emitidos por um vortices nuclear nesta nebulosi, serao contraidos ao atravessarem espaco frio, tornando-se os nucleos ou germes de estrelas incubadas. Depois a estas bolas efervencentes contraidas serao agregadas massa entropica do espaco, quando se tornam planetas. mas continuara seu desenvolvimento, tornar-se-ao pulsares e apenas entao florescerao como estrelas supernovas. Este e’ o principio ancestral astronomico do ciclo vital, que hoje produz sistemas biologicos seguindo a mesma sequencia de formas e desenvolvimento. Qualquer curiosidade veja a teoria no meu website. Mas claro, nao sou o dono da verdade, e toerias sao teorias sujeitas a serem “debunkadas” ou consertadas e promovidas a fato real.

“Buracos Negros nao existem!”, diz… Stephen Hawking. Existem Buracos Cinzas

domingo, julho 30th, 2017

xxxx

Raios!, Ha’ tempos tenho trombado com academicos quando digo que buracos negros tal como teorizado pela Fisica, nao existem, e eles simplesmente acham que estou fora da realidade. Mesmo que eu descreva o modelo racional sugerindo que no nucleo das galaxias existe outro tipo de elemento. Agora aparece alguem do meio academico concordando comigo. Mas quem? Justo o criador da teoria dos buracos negros!

Stephen Hawking

Stephen Hawking diz que buracos negros não existem, mas sim os buracos cinzas

http://imagensdouniverso.blogspot.com/2014/01/stephen-hawking-diz-que-buracos-negros.html

Na semana passada, o físico Stephen Hawking publicou um pequeno artigo que tem causado polêmica no meio científico. Hawking sugeriu que os buracos negros não existem – não da maneira como conhecemos. (Minha observacao: “Como conhecemos”?! Ora, nunca ninguem viu um buraco negro, entao, como alguem os poderia conhecer?). Ao invés disso, existem buracos cinzas. Apesar do artigo ter sido veiculado através de uma plataforma online e não ter sido publicado em nenhuma revista científica, nem trazer cálculos ou descrições complexas, as idéias sugeridas por Hawking tem grande peso. Principalmente porque ele próprio foi um dos criadores da teoria moderna sobre buracos negros. A existência e a compreensão dos buracos negros sempre dividiram opiniões dos cientistas por ser um assunto com muitos paradoxos. A principal contribuição de Hawking para a astronomia foi tentar explicá-los.

O físico percebeu que a teoria da relatividade não se harmonizava com a física quântica para explicar os buracos negros. De acordo com a teoria quântica, a energia e a informação deveriam escapar de um buraco negro. Sob a ótica da relatividade – a teoria clássica – não. Hawking começou então a pensar em uma “Teoria de Tudo”, que desse conta da física quântica e da relatividade e mostrasse que as leis conflitantes podem ter coexistido em algum momento. Hawking propôs que mini buracos negros, do tamanho de fótons e com um bilhão de toneladas de matéria – que poderiam ter dado origem ao big bang criando o tempo e o espaço – poderiam obedecer às leis da gravidade por conta de sua enorme massa, mas estariam sujeitos às leis da mecânica quântica devido a sua ínfima dimensão. Em seu novo artigo, Hawking contesta a existência de um “horizonte de eventos” no buraco negro, uma região próxima de um buraco negro em que a gravidade seria tão forte que nada poderia escapar, nem mesmo a luz. Essa impossibilidade de fuga é prevista pela teoria clássica. E se não existe um “horizonte de eventos”, não há buracos negros, se considerarmos que eles funcionam como locais dos quais a luz não pode escapar para o infinito, de acordo com o físico. Isso não quer dizer que Hawking deixou de acreditar na existência de buracos negros perdidos pelo espaço. Em seu novo artigo, ele defende que ao invés de um “horizonte de eventos”, existe um “horizonte aparente”, um fenômeno consistente com a teoria clássica e a quântica. Para Hawking, esse fenômeno poderia reter a matéria temporariamente, podendo a liberar posteriormente, porém de maneira distorcida. Dessa maneira, não haveria perda de informação dentro de um buraco negro – as informações apenas se transformariam. Esses sistemas que liberam energia não seriam exatamente negros… mas cinzas. Sim, Hawking acredita que podem existir buracos cinzas, mas que ainda há muito a entender sobre eles. Embora a teoria seja plausível, alguns pesquisadores acreditam que a idéia de que qualquer matéria poderia sair de um buraco negro radical. No entanto, até poucas décadas atrás, a idéia da existência de buracos negros parecia absurda para a maioria da comunidade científica.

Alinhamento da rotacao de quasares separados por bilhoes de anos-luz! Mais uma evidencia a favor da Matrix/DNA

domingo, julho 30th, 2017

xxxx

Para os academicos esta informacao foi assustadora ( veja o titulo do artigo: Alinhamento Assustador de Quasares em Distâncias de Bilhões de Anos-Luz), mas para nos da Matrix/DNA foi mais um dia de comemoracao a ser somado a centenas de outras comemoracoes, pois nosso modelo previa a informacao.

Assim como os moradores humildes inventaram a lenda do monstro do Lago Ness devido ilusao de otica ao verem um animal menor, os astronomos modernos inventaram a lenda dos buracos negros por erro de interpretacao sobre o que existe de fato e invisivel no nucleo das galaxias. Os modelos da Matrix/DNA se desenvolveram pela logica naturalista e quando chegaram ao ponto onde estrelas de uma galaxia se dissolvem por velhice, indicaram que sua materia degradada na forma de poeira estelar forma uma gigantesca nuvem que devido ao movimento rotacional do universo, comeca a girar ate formar um centro como um ralo, um mero vortice turbolhonar, de onde nascem novas estrelas por um processo explicado no modelo. Entao, ao inves do famigerado fantasma engolidor de mundos que chamam de “buraco negro”, temos apenas um turbilhao seguindo praticamente as mesmas leis que formam os rodamoinhos aqui no solo terrestre.

Agora os astronomos descobrem algo com que nao contavam: os buracos negros, separados entre si por bilhoes de anos luz, estao sincronizados em termos do sentido de rotacao e paralelismo de seus eixos de rotacao! Ora, pelo modelo academico isto nao faz o menor sentido e como diz o astronomo da equipe que descobriu o fenomeno, as chances disto acontecer seria de menos de um por cento. Eu diria que sao zero por cento. Como que um buraco negro formado aqui devido o colapso gravitacional de uma estrela alcancando a singularidade absoluta ( outra impossibilidade racional) iria saber qual o sentido de rotacao e a posicao do eixo de outros buracos negros que ja existem a bilhoes de anos luz alem? Impossivel.

Entao e apenas agora, os astronomos matam a charada:” Isto so seria possivel se todos os buracos negros obedecem uma estrutura unica universal”- disseram no artigo. E foi isto que disse a Teoria da Matrix/DNA a 30 anos atras. Todas as nebulosas estaveis giram num mesmo sentido porque o universo impoe este mesmo movimento a todas elas.

Bem,… um ralo formado pela agua que se escoa numa pia pode ser visto por um humano como um buraco negro.

Uma vaca rodopiando no alto de um furacao se olhar para o centro do olho do furacao pode crer estar vendo um buraco negro.

Mas a minha sabia iletrada avo’ sorria nos chamando para ver o que ela chamava de rodamoinho. A masturbacao matematica levada ao exagero comeca a produzir visoes de fantasmas como qualquer outra supersticao produzida por cerebros perdidos no controle de suas faculdades mentais.

Bem vamos ler o artigo e guarda-lo aqui como mais uma evidencia de predicao certeira da Matrix/DNA.

Pela importancia dos dados e desconfiado que o site do artigo pode sumir do ar, copiamos aqui o artigo ressaltando os topicos importantes relacionados ao nosso modelo:

http://imagensdouniverso.blogspot.com/2014/11/dados-do-vlt-mostram-alinhamento.html

Dados do VLT Mostram Alinhamento Assustador de Quasares em Distâncias de Bilhões de Anos-Luz

Novas observações feitas com o Very Large Telescope do ESO no Chile tem revelado alinhamentos sobre as maiores estruturas já descobertas no universo. Uma equipe de pesquisadores europeus encontrou que os eixos de rotação dos buracos negros supermassivos centrais em uma amostra de quasares são paralelos entre sim em distâncias de bilhões de anos-luz. A equipe também descobriu que os eixos de rotação desses quasares tendem a se alinhar com estruturas vastas na teia cósmica onde eles residem.

Os quasares são galáxias com buracos negros supermassivos muito ativos em seus centros. Esses buracos negros são circundados por discos de rotação de material extremamente quente que é frequentemente expelido em longos jatos ao longo dos eixos de rotação. Os quasares podem brilhar mais intensamente do que todas as estrelas no resto de suas galáxias hospedeiras somadas. Uma equipe liderada por Damien Hutsemékers da Universidade de Liège na Bélgica usou o instrumento FORS no VLT para estudar 93 quasares que são conhecidos por formarem grandes grupos espalhados por bilhões de anos-luz, vistos num tempo em que o universo tinha cerca de um terço da sua idade atual. “A primeira coisa estranha que nós notamos foi que alguns dos eixos de rotação dos quasares estavam alinhados entre si – apesar do fato desses quasares estarem separados por bilhões de anos-luz”, disse Hutsemékers.

A equipe então foi mais a fundo e procurou se os eixos de rotação estavam linkados, não somente entre si, mas também com a estrutura do Universo em grande escala no mesmo tempo. Quando os astrônomos observaram a distribuição das galáxias em escalas de bilhões de anos-luz eles descobriram que eles não estavam distribuídos de maneira aleatória. Eles formavam uma teia cósmica de filamentos e aglomerados ao redor de imensos vazios onde as galáxias eram escarças. Esse alinhamento estranho e belo de material é conhecido como estrutura de grande escala. Os novos resultados do VLT indicam que os eixos de rotação dos quasares tendem a ser paralelos nas estruturas de grande escala onde eles próprios são encontrados. Assim, se os quasares estão num longo filamento então a rotação dos buracos negros centrais apontará ao longo do filamento. Os pesquisadores estimam que a probabilidade desses filamentos serem simplesmente o resultado de coincidência é de menos de 1%. “Uma correlação entre a orientação dos quasares e a estrutura que eles pertencem é uma importante previsão dos modelos numéricos da evolução do nosso universe ( observe que esta previsao academica se refere a alinhamentos internos de uma galaxia, o que e’ um fato obvio pois a galaxia obriga todos os astros internos a se conformarem aos seus movimentos. Mas o que descobriram agora nao estava previsto, ou seja, que o fenomeno se aplica entre galaxias separadas). Nossos dados fornecem a primeira confirmação observacional desse efeito, em escalas muito maiores do que tem sido observado em dados de galáxias ditas normais”, adiciona Sominique Sluse do Argelander-Institut für Astronomie em Bonn, Alemanha e Universidade de Liège.

Essa equipe poderia não ter visto os eixos de rotação ou os jatos dos quasares diretamente. Ao invés disso eles poderiam medir a polarização da luz de cada quasar e, para 19 deles, encontrar um sinal significantemente polarizado. A direção dessa polarização, combinada com outras informações, poderiam ser usada para deduzir o ângulo do disco de acreção e então a direção do eixo de rotação do quasar. Os alinhamentos nos novos dados, em escalas maiores do que as previstas atualmente pelas simulações, podem ser uma aposta de que existe um ingrediente faltante nos nossos modelos do cosmos”, concluiu Dominique Sluse.

 

Apenas para lembrar aos contestadores: ainda quase nada se sabe sobre formação de planetas

segunda-feira, julho 10th, 2017

xxxx

Pesquisadores encontram planeta que não deveria existir

Uma equipe internacional de pesquisadores descobriu um sistema planetário extremamente peculiar, onde um planeta gigante de gás morno e maciço está orbitando uma estrela incrivelmente rápida. De acordo com a física, este planeta não deveria existir. Mesmo assim, ele existe, não dando a mínima para o nosso limitado conhecimento.

Uma coisa é certa: esse sistema fará com que nosso conhecimento sobre a formação planetária e os sistemas planetários evolua. Sabemos que os modelos são aproximações e essas exceções dizem onde precisamos procurar novas respostas.

O HIP 65426b nos lembra que, embora as descobertas de exoplanetas sejam comuns, ainda há muito que não sabemos sobre sua formação.

Materialismo Invadindo e Interpretando a Consciência: Dennet

segunda-feira, julho 10th, 2017

xxxx

Imagem

Acho que Dennet se esquece que computadores possuem software. Comparar neurônios e cérebros a maquinas e mais exatamente a computadores já é arrogância, haja visto que os especialistas em cérebros – neurologistas – ainda nem localizaram a memoria no cérebro e pouco ainda decifraram dele. Mas dizer que o computador pode produzir uma mente igual a humana sera’ o mesmo que dizer que o hardware foi quem criou o software que o tornou um processador de dados. Ora, todos sabemos que isso veio de mentes externas ao computador, como a mente do Bill Gates.

Pela minha teoria da Matrix/DNA, a natureza já construiu a maquina natural mais perfeita possível, que é o building block das galaxias, cujo modelo e formula estão em meu website. Mas aquela maquina – que foi ou é nossa ancestral – apesar de ter um principio de mente, de software, não a expressa. Pois a mente humana é um produto evolucionário da identidade de todos os sistemas naturais, aquele controle abstrato que mantem o equilíbrio termodinâmico nas operações internas do sistema, e que resulta da soma das informações de todas as partes e mais as informações das interações entre as partes e destas para com o mundo externo. Então os estados ancestrais no passado da mente humana, dormia nos sistemas atômicos, sonhava nas galaxias, começou a despertar nas plantas e animais, acordou no macaco e se levantou no homem – apesar de que ainda seja apenas um estado embrionário do que deve ser uma consciência universal. Da mesma forma que não é cada cérebro embrionário que aos 7 meses inventa a consciência, pois se ela não existia expressada antes nas formas de morula, blastula, e feto, ela esteve a todo tempo presente como potencial latente nestas formas e veio de universo externo alem do pequeno universo do embrião, ou seja, de seus criadores.

E a formula da Matrix indica que essa “mente” vem de antes do Big Bang, antes da maquina natural, assim como a mente humana que se projeta como o software no computador existe desde antes das origens do computador. Dennet é um pobre como naturalista e pensador, coitado…

A consciência é apenas uma ilusão?

http://socientifica.com.br/2017/06/consciencia-e-apenas-uma-ilusao/

A consciência é apenas uma ilusão?

Origens da Vida: Academica evidencias for abiogenesis? ( 4 papers)

segunda-feira, julho 3rd, 2017

xxxx

Ver estes links, copiar os papers e traduzi-los neste artigo… obtidos no debate no video do Youtube:

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ&lc=z13pjnu43knzvj2qx04cdtdgdtzovrn4u34.1499025023358620

God of War 白起 – 5/02/2017
Evidence for abiogenesis: Scientists are now able to simulate early Earth conditions in the laboratory. They have observed the formation of precursors or “building blocks of life”, such as amino acids and nucleic acids, via entirely naturalistic processes. NO divine “creation” is involved. http://www.pnas.org/content/112/3/657.abstracthttps://phys.org/news/2015-03-chemists-riddle-life-began-earth.html
xxxx
https://www.nasa.gov/content/nasa-ames-reproduces-the-building-blocks-of-life-in-laboratory

NASA Ames Reproduces the Building Blocks of Life in Laboratory

NASA scientists studying the origin of life have reproduced uracil, cytosine, and thymine, three key components of our hereditary material, in the laboratory.  They discovered that an ice sample containing pyrimidine exposed to ultraviolet radiation under space-like conditions produces these essential ingredients of life.

Os cientistas da NASA que estudaram a origem da vida reproduziram o uracile, a citosina e a timina, três componentes-chave do nosso material hereditário, no laboratório. Eles descobriram que uma amostra de gelo contendo pirimidina exposta à radiação ultravioleta sob condições semelhantes ao espaço produz estes ingredientes essenciais da vida. A pirimidina é uma molécula em forma de anel composta de carbono e nitrogênio e é a estrutura central para uracile, citosina e timina, que são todas as três partes de um código genético encontrado em ácidos ribonucleicos (ARN) e desoxirribonucleicos (DNA). O ARN eo DNA são fundamentais para a síntese protéica, mas também têm muitos outros papéis. “Demonstrou pela primeira vez que podemos fazer uracile, citosina e timina, os três componentes do RNA e do DNA, não biologicamente em um laboratório em condições encontradas no espaço”, disse Michel Nuevo, cientista de pesquisa da NASA Ames Research Centro, Moffett Field, Califórnia. “Estamos mostrando que esses processos de laboratório, que simulam condições no espaço exterior, podem fazer vários blocos de construção fundamentais usados ​​pelos organismos vivos na Terra”. Uma amostra de gelo é depositada em um substrato frio (aproximadamente -440 graus Fahrenheit) em uma câmara, onde é irradiado com fótons de alta energia ultravioleta (UV) de uma lâmpada de hidrogênio. Os fotões de bombardeio quebram os laços químicos nos ices e quebram as moléculas do gelo em fragmentos que se recombinam para formar novos compostos, como uracilo, citosina e timina. Os cientistas da NASA Ames foram simulando os ambientes encontrados no espaço interestelar e no sistema solar externo há anos. Durante esse período, eles estudaram uma classe de compostos ricos em carbono, chamados de hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAP), que foram identificados em meteoritos e quais são os compostos mais ricos em carbono observados no universo. As HAPs geralmente são estruturas baseadas em vários anéis de seis carbonos que se assemelham a hexágonos fundidos ou a um pedaço de fio de galinha. A molécula de pirimidina é encontrada em meteoritos, embora os cientistas ainda não conheçam sua origem. Pode ser semelhante aos HAP ricos em carbono, na medida em que pode ser produzido nas explosões finais das estrelas vermelhas gigantes, ou formadas em densas nuvens de gás e pó interestelar. “As moléculas como a pirimidina têm átomos de nitrogênio em suas estruturas de anel, o que as torna um pouco pessimizadas. Como uma molécula menos estável, é mais suscetível à destruição por radiação, em comparação com suas contrapartes que não possuem nitrogênio”, disse Scott Sandford, Pesquisador de ciência espacial da Ames. “Queríamos testar se a pirimidina pode sobreviver no espaço e se pode sofrer reações que a transformam em espécies orgânicas mais complicadas, como o uracilo, a citosina e a timina das nucleobases”.
Google Translate for Business:Translator ToolkitWebsite Translator

Pyrimidine is a ring-shaped molecule made up of carbon and nitrogen and is the central structure for uracil, cytosine, and thymine, which are all three part of a genetic code found in ribonucleic (RNA) and deoxyribonucleic acids (DNA). RNA and DNA are central to protein synthesis, but also have many other roles.

“We have demonstrated for the first time that we can make uracil, cytosine, and thymine, all three components of RNA and DNA, non-biologically in a laboratory under conditions found in space,” said Michel Nuevo, research scientist at NASA’s Ames Research Center, Moffett Field, California.  “We are showing that these laboratory processes, which simulate conditions in outer space, can make several fundamental building blocks used by living organisms on Earth.”

An ice sample is deposited on a cold (approximately –440 degrees Fahrenheit) substrate in a chamber, where it is irradiated with high-energy ultraviolet (UV) photons from a hydrogen lamp.  The bombarding photons break chemical bonds in the ices and break down the ice’s molecules into fragments that then recombine to form new compounds, such as uracil, cytosine, and thymine.

NASA Ames scientists have been simulating the environments found in interstellar space and the outer Solar System for years.  During this time, they have studied a class of carbon-rich compounds, called polycyclic aromatic hydrocarbons (PAHs), that have been identified in meteorites, and which are the most common carbon-rich compound observed in the universe.  PAHs typically are structures based on several six-carbon rings that resemble fused hexagons, or a piece of chicken wire.

The molecule pyrimidine is found in meteorites, although scientists still do not know its origin.  It may be similar to the carbon-rich PAHs, in that it may be produced in the final outbursts of dying, giant red stars, or formed in dense clouds of interstellar gas and dust.

“Molecules like pyrimidine have nitrogen atoms in their ring structures, which makes them somewhat wimpy.  As a less stable molecule, it is more susceptible to destruction by radiation, compared to its counterparts that don’t have nitrogen,” said Scott Sandford, a space science researcher at Ames.  “We wanted to test whether pyrimidine can survive in space, and whether it can undergo reactions that turn it into more complicated organic species, such as the nucleobases uracil, cytosine, and thymine.”

Nucleobases structures
Pyrimidine is a ring-shaped molecule made up of carbon and nitrogen and is the central structure for uracil, cytosine, and thymine, which are found in RNA and DNA.
Credits: NASA

In theory, the researchers thought that if molecules of pyrimidine could survive long enough to migrate into interstellar dust clouds, they might be able to shield themselves from destructive radiation.  Once in the clouds, most molecules freeze onto dust grains (much like moisture in your breath condenses on a cold window during winter).

 

Nucleobases cytosine thymine image

The ring-shaped molecule pyrimidine is found in cytosine and thymine.
Credits: NASA

These clouds are dense enough to screen out much of the surrounding outside radiation of space, thereby providing some protection to the molecules inside the clouds.

Scientists tested their hypotheses in the Ames Astrochemistry Laboratory.  During their experiment, they exposed the ice sample containing pyrimidine to ultraviolet radiation under space-like conditions, including a very high vacuum, extremely low temperatures (–440 degrees Fahrenheit), and harsh radiation.

They found that when pyrimidine is frozen in ice mostly consisting of water, but also ammonia, methanol, or methane, it is much less vulnerable to destruction by radiation than it would be if it were in the gas phase in open space.  Instead of being destroyed, many of the molecules took on new forms, such as the RNA/DNA components uracil, cytosine, and thymine, which are found in the genetic make-up of all living organisms on Earth.

“We are trying to address the mechanisms in space that are forming these molecules.  Considering what we produced in the laboratory, the chemistry of ice exposed to ultraviolet radiation may be an important linking step between what goes on in space and what fell to Earth early in its development,” said Christopher Materese, another researcher at NASA Ames who has been working on these experiments.

“Nobody really understands how life got started on Earth. Our experiments suggest that once the Earth formed, many of the building blocks of life were likely present from the beginning.  Since we are simulating universal astrophysical conditions, the same is likely wherever planets are formed,” says Sandford.

Em teoria, os pesquisadores pensaram que, se as moléculas de pirimidina pudessem sobreviver o tempo suficiente para migrar para nuvens de poeira interestelar, elas poderiam se proteger de radiação destrutiva. Uma vez nas nuvens, a maioria das moléculas congela em grãos de poeira (muito como a umidade na sua respiração se condensa em uma janela fria durante o inverno).

Essas nuvens são densas o suficiente para detectar uma grande parte da radiação externa circundante do espaço, proporcionando assim alguma proteção às moléculas dentro das nuvens.

Os cientistas testaram suas hipóteses no Ames Astrochemistry Laboratory. Durante o experimento, expuseram a amostra de gelo contendo pirimidina à radiação ultravioleta sob condições semelhantes ao espaço, incluindo um vácuo muito alto, temperaturas extremamente baixas (-440 graus Fahrenheit) e radiação áspera.

Eles descobriram que, quando a pirimidina é congelada em gelo consistindo principalmente em água, mas também amônia, metanol ou metano, é muito menos vulnerável à destruição por radiação do que seria se estivesse na fase gasosa em espaço aberto. Em vez de serem destruídas, muitas das moléculas assumiram novas formas, tais como o RNA / DNA uracile, citosina e timina, que são encontrados na composição genética de todos os organismos vivos na Terra.

“Estamos tentando abordar os mecanismos no espaço que estão formando essas moléculas. Considerando o que produzimos no laboratório, a química do gelo exposto à radiação ultravioleta pode ser um importante passo de ligação entre o que se passa no espaço e o que caiu na Terra no início Em seu desenvolvimento “, disse Christopher Materese, outro pesquisador da NASA Ames, que trabalhou nesses experimentos.

“Ninguém realmente entende como a vida começou na Terra. Nossos experimentos sugerem que uma vez que a Terra se formou, muitos dos blocos de construção da vida provavelmente estavam presentes desde o início. Como estamos simulando condições astrofísicas universais, o mesmo é provável onde os planetas são formados “, Diz Sandford.

Alan Sokal e o descarrilamento da Ciencia do seculo XX

sexta-feira, junho 16th, 2017

xxxx

https://universoracionalista.org/alan-sokal-o-pior-inimigo-da-ciencia-nao-e-deus-sao-os-politicos-e-a-propaganda/

Alan Sokal: “O pior inimigo da Ciência não é Deus; são os políticos e a propaganda”

Sokal demonstra arrogancia quando afirma porque acredita que as Ciencias Humanas seja o metodo correto na busca do conhecimento. Entao ele diz: ” As ciências usam as observações, os experimentos e a reflexão racional sobre dados empíricos, métodos que os seres humanos devem usar para chegar a um conhecimento confiável.”

Ocorre que a Ciencia Humana nunca agiu assim. Ela sempre foi antromorfizada e dirigida por ideologias e interesses monetarios e poder. Por exemplo, existem algumas experiencias e observacoes que servem como fatos empiricos confiaveis para induzirem a reflexao racional a concluir que existe evolucao biologica, ao contrario da crenca de que algum deus magico teria criado as especies prontas. Por outro lado outros tantos fatos conduzem a reflexao racional a concluir que houve ou ainda exista a evolucao cosmologica ( desde as particulas para atomos para galaxias).

Pois bem: se houve evolucaoo desde o ano zero (Big Bang) ate’ a completa formacao dos sistemas astronomicos `a 10 bilhoes de anos atras, e a seguir houve a evolucao biologica nos ultimos 3,5 bilhoes de anos, o que deve a reflexao raxional concluir? Que existe uma evolucao unica iuniversal. Claro.
No entanto, e nunca vou entender o porque, separaram as duas evolucoes de maneira que o ultimo topo da evolucao cosmologica nao pode ser o ancestral direto do primeiro ser biologico. Quebraram a evolucao universal em dois blocos sem nenhuma conexao entre si, e no vazio do meio, deu no que deu, criaram uma mistica, tal como fizeram as religioes. A mistica do Deus Acaso magico Absoluto. Capaz de criar humanos e auto-consciencia a partir de uma material insossa, disforme, estupida, de um pequeno planeta perdido na imensidao cosmica.

Claro que a reflexao racional saiu voandop pela janela  nesse caso. Entao inventaram um acaso construtor da extraordinaria engenharia que vemos perante nossos olhos aqui, e continuaram baseando-se nessa mistica para inventor a forca basilar da evolucao que sempre comecaria por uma mutacao ao acaso.
bastou-me manter a reflexao racional para descobrir que o modelo teoorico astronomico esta errado e por isso a busca pelo processo da origem da vida esta’ emperrada no item ” condicoes iniciais”. Nos ultimos dias alegam que ainda nao chegaram la’ somente porque ainda nao descobriram qual era o estado do mundo quando a vida apareceu, ou seja, as tais condicoes iniciais. Com os meus modelos astronomicos ( claro, tambem teoricos) a concepcao do mundo tomou outro rumo, as duas evolucoes tornaram-se uma unica e as premissas para a evolucao biologica foram encontradas no ultimo topo da evolucao cosmologica. inclusive encontramos o elo evolucionario entre uma galaxia e um primeiro ser vivo, ou seja, um sistema celular completo e functional.

Entao vem a pior consequencia deste comportamento ideologico insano que tanto esta prejudicando a maioria dos humanos que pode nos levar a total extincao. A visao de mundo errada e’ financiada e apenas experiencias ditadas por essa visao sao feitas. As doencas milenares continuam sem solucao e matando, 90% da populacao mundial continua sendo escravizada no trabalho rotineiro absurdo e as conquistas da Ciencia nao os alcanca, em nada esta’ melhorando suas vidas. A minha visao de mundo denominada Matrx/DNA Theory esta sugerindo calhamacos de novas experiencias cientificas sobre estas areas que mais torturam a humanidade, porem, nao existem vontade nem financiamentos para tais experiencias. Com isso, a Ciencia retroalimenta uma ideologia saindo fora daquela sua meta designada pelos pais fundadores do Iluminismo. Sokal nunca sequer pensou nisso que estou dizendo, por isso ele vem a publico afirmando com conviccao algo que os resultados sendo observados contrariam plenamente.