Archive for the ‘células’ Category

Instrutivo Vídeo: Minhocas São a Causa de Agressivo Debate Entre Cientistas Religiosos e Ateus: Multicelularidade e Embriogenese

sexta-feira, maio 1st, 2015

xxxxxx

Os biólogos Paul Nelson ( liderando o grupo dos criacionistas em volta do Discovery Institute) e PZ Myers ( liderando os ateus em volta do blog Pharyngula)  num debate interessante sobre embriogenese de minhocas mas cuja verdadeira intenção e foco é o politico debate entre os cientistas e intelectuais que acreditam que a Vida é produto do Acaso e os que creem ser produto de um projeto inteligente. Quando eu tiver tempo volto para traduzir os debates, por enquanto indico os links abaixo:

Do lado criacionista:   

More on the White Space in Evolutionary Thinking: A Critic Responds to How to Build a Worm

Ann Gauger April 30, 2015 12:25 PM

http://www.evolutionnews.org/2015/04/the_white_space_1095671.html

E do lado materialista:

The wisdom of worms

http://freethoughtblogs.com/pharyngula/2015/05/01/the-wisdom-of-worms/#more-23829 

Para pensar neste domingo: A Luz, os fótons, e sua criação da Vida

domingo, abril 26th, 2015

xxxx

Fumaça e cinzas do vulcão Calbuco são vistas da cidade de Puerto Montt, 22 de Abril 2015. REUTERS

Imagem impressionante da erupção do  vulcão no Chile

Os meus cálculos da anatomia comparada entre sistemas naturais vivos e não-vivos e os  modelos teóricos resultantes destes cálculos estão sugerindo que ondas de luz natural são a primeira forma dos primeiros sistemas naturais surgidos neste Universo visível, e que tais ondas se fragmentam em partículas fótons, os quais adentram os átomos e os movem no sentido de se combinarem para reconstruir o modelo de sistema que formavam na onda de luz. Como uma onda de luz natural se propaga por vibrações que mudam suas formas e intensidades a partir da mais forte para as mais fracas, e estas sequencias de vibrações/frequências são exatamente igual a sequencia de mudanças de energia nos corpos vivos sujeitos ao ciclo vital, fica sugerido que uma onda de luz é algo pré-vivo, contem o primeiro código da vida – que é a origem do DNA e da genética – e assim a luz imprimiu a vida na matéria de éter do espaço sideral e assim surge a vida nos planetas como a Terra.

A partir deste resultado geral começam a surgir os problemas dos detalhes, os quais são minha ocupação atual tentando resolvê-los. Por exemplo, como e porque, após formar um sistema como a célula vital, estes fótons passam a multiplicar estas células e as conduzi-las para que formem o mesmo sistema agora mais ampliado, gerando os seres multi-celulares. Tenho em mente que não posso cair no equivoco de dar inteligencia ou propósitos a partículas como os fótons, assim como tem caído o pensamento cientifico moderno baseado no gene centrismo. Pensar que genes -os quais são meramente um bocado de átomos combinados de certas maneiras – possuem propósitos como o de se replicarem e se perpetuarem é ilógico. Portanto, se fótons não agem com intenções mas simplesmente obedecem as fôrças do ambiente e seus movimentos, e às fôrças naturais de atrações ou repulsões entre eles mesmos, é compreensível que reconstruam com a massa ou matéria o sistema de luz de onde vieram, mas uma vez que se assentam num sistema em equilíbrio e auto-suficiente como são as células vegetais, a razão lógica seria se tornarem sistemas fechados, individualistas, como são os sistemas galácticos que  formaram antes.

No entanto, e principalmente com a célula animal a qual prescinde da propriedade da fotossíntese e por isso tem que  ser um sistema aberto, estes fótons não param sua atividade na direção de formar sistemas cada vez mais complexos, e passam a construir uma projeção ampliada multicelular do formato do sistema individual celular. O que faz indivíduos formarem os coletivos? O fato constatado é que formam, desde os átomos se aglomerando para formarem rochas, água, até os pássaros se aglomerando em bandos em pleno espaço vazio e aberto. Mas porque partículas estupidas sem qualquer intenção e propósito são conduzidas e obrigadas a este comportamento? Quais as fôrças naturais responsáveis por isso?

Temos agora uma massa informe, uma população de bilhões de indivíduos denominados “neurônios”. A Natureza deve estar trabalhando para conectar e organizar estes indivíduos num sistema, que seja à imagem e semelhança do individuo, ou seja, do neurônio. Como  o nosso cérebro está sendo modelado, que tipo de exercícios e/ou pensamentos podemos fazer para facilitar e apressar a corrida ao cérebro mais complexo e quiçá, perfeito? Meu maior obstaculo nesta investigação é a falta de visualização do cérebro no seu total, em 3 dimensões, pois todas as imagens impressas que temos não mostram o interior e suas configurações, assim não estou conseguindo pegar o primeiro fio da meada que nos levará a descobrir a Matrix/DNA projetada no cérebro como sistema natural.

Este é mais um dos milhares de problemas dentro da Teoria da Matrix/DNA para pensar neste final de semana.  Imagine um humano que nunca viu nada do interior do corpo de animais nem de humanos, que saiba que humanos vem de barrigas mas não sabe como nem porque. Mas este humano é curiosos e tem necessidade de saber tudo, como era dentro da barriga que o fêz surgir do jeito que surgiu, o que existe no interior do seu corpo, etc.

Pois assim, tal como este humano totalmente ignorante da sua existência, é o ser que está fazendo esta investigação: um ser denominado “mente”, ou “uma auto-consciência”. Como auto-consciência eu não sei o que tem dentro e como funciona o cérebro que me fêz surgir assim, ou que ainda está me formando, não consigo ver nem entender como é meu corpo pois nem mesmo vejo a substancia de sou formado. Sinto que essa substancia é iluminada porque ela se forma a partir de sinapses elétricas, sinto que ela está se tornando mais uma forma complexa de sistema natural, e assim, eu, como ser final da evolução universal aqui e agora, me vejo conectado ao  principio deste universo porque toda essa história se começou com a mesma substancia do meu corpo: a Luz. Mas eu vou insistir e morrer tentando descobrir tudo isso.

Se alguém ler isto e tiver alguma pergunta ( se alguma outra auto-consciência é tão ignorante sobre sua existência como eu sou e está curiosa para resolver este mistério), pode fazê-la nos comentários abaixo ou enviar um e-mail para austriak727@hotmail.com.

E pensando neste e-mail, o nome “Austriak” foi emprestado de uma paranormal do Rio de Janeiro que disse ter entrado em contacto por telepatia com os alienígenas de uma esquadra de discos-voadores que esteve aqui em 1980 ( eu mesmo vi uma formação triangular se movendo no céu e pensei que eram bolas de fogo ou meteoritos incandescentes) e que o seu interlocutor alienígena disse se chamar Austriak e que era o comandante da esquadra do Império Galáctico sediado em Orion, Nébula, e que estava aqui porque este planeta e a vida que ele hospeda estavam correndo perigo devido a movimentos gigantescos no seu interior, e ele estava consertando isso.

Image result for esquadra de discos voadores

Claro que nada sei e nada acredito nem desacredito. Mas nesta semana houve um terremoto violento  no Nepal quase ao mesmo tempo que um vulcão no Chile entrou em erupção e parece-me que os dois fenômenos podem estarem relacionados. Se isto for, novamente o interior da Terra – o germe de estrela que ali está se desenvolvendo – está se remexendo inquieto, o que pode provocar a vinda urgente de Austriak. Oxalá ele acessasse nossa Internet, visse este artigo, e se decidisse me dar uma mãozinha nesta investigação do inferno… toda a Humanidade seria beneficiada. mas talvez Austriak pense como Spinoza que disse que “Deus não pode nos dar uma mãozinha fazendo milagres porque não pode violar a ordem natural que funciona de acordo com Suas próprias leis…”.

Image result for esquadra de discos voadores

Raios…, tamo fud… Talvez estejamos fazendo alguma coisa ou muitas coisas erradas aqui na superfície deste planeta de maneira que está afetando o embrião estelar lá dentro e ele reage dando chutes na barriga o que se traduz para nós aqui em terremotos e vulcões…

Vista de Puerto Varas, no sul do Chile, mostra o vulcão Calbuco. 22 de abril de 2015, EPA

O povo da aldeia assiste e ouve o rugir do vulcão

 

 

As células navegam no oceano amniótico ovular dirigidas pela mesma causa que dirige a navegação e vôos de animais pelos oceanos da Terra…?!

quinta-feira, janeiro 22nd, 2015

” Na embriogênese, células  recém-nascidas de uma bolota chamada mórula se afastam para a periferia indo ocupar posições especificas, pelo mesmo motivo que tartarugas saem do Sul e nadam milhares de quilômetros indo desovar no norte cem terem a menor referencia para orientação geográfica:  campos magnéticos.”

Esta frase me pipocou na  cabeça hoje na cama, mal acordei. Claro, ela propõe uma teoria “fantástica”, de acordo com meu raciocínio,  e absurda, de acordo com o raciocínio dos formandos pelas ciências modernas. Parece-se com aquelas frases absurdas como… “o raio de curvatura do vôo do urubu malandro é inversamente proporcional ao raio de curvatura da lambada do rabo do  jacaré”… A gente não sabe como estas coisas pipocam nos cérebros, ou como as cabeças humanas produzem tais lampejos assim, do nada.

Mas… veja-se este artigo aqui:  Campos Magnéticos: Tartarugas tambem captam para navegar! – See more at: http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/#sthash.AZ8wpKwn.dpuf

Ví este artigo há e tenho pensado neste  fenômeno. Até coloquei um post na revista do artigo: “Fico me perguntando onde está e como é a antena da tartaruga que capta estas linhas de  ondas magnéticas invisíveis! Será que tartaruga tem alguma glândula no cérebro relacionada à pineal?”

Mas pelo que eu saiba, até hoje ainda é um mistério qual o mecanismo que faz as células tronco se diferenciarem e “navegarem” numa exata direção do “oceano amniótico” onde irão se posicionar e executarem sua função especifica. Fica difícil imaginar que uma microscópica molécula – DNA – seja quem dirige esta célula, num espaço muito longe de onde ela se encontra. Seria o mesmo que o Talibã mandando um míssil do Afeganistão para acertar a cabeça de um chargista localizado numa certa sala de um certo prédio de Paris. Tá certo que o Talibã  não tem sequer a inteligencia de uma molécula, mas ainda assim, é o que o DNA estaria fazendo se esse for o mecanismo aplicado ali, na mórula e na blástula.

Sabemos que corpos astronômicos como a Terra possuem uma realidade material invisível a nós a qual denominamos de campo e linhas magnéticas. A Terra é um corpo material. Tartarugas e células são corpos materiais. Então onde está o absurdo  em suspeitar que tartarugas e células tenham campos magnéticos próprios? E assim como humanos interagem com outros humanos, células interagem com outras células, porque não suspeitar que campos magnéticos interagem com campos magnéticos?

Estas suspeitas estão cada vez mais crescendo na minha cabeça e ultimamente tenho coletado muitas novidades noticiadas sobre campos magnéticos. Estou até suspeitando que o sistema solar está todo preenchido por um campo magnético cujo centro é o Sol, que emitiria ondas magnéticas em sete frequências diferentes, cada qual consistindo  em uma aureola espacial circular, cada qual numa vibração ondulatória especifica, e que qualquer planeta que estivesse na mesma aureola orbital que está a Terra, poderia gerar a Vida, se o planeta tiver as minimas condições para tal. Estas aureolas com suas diferentes intensidades vibratórias estariam na mesma sequencia da sequencia de frequências das ondas de luz. Quando saímos desta faixa vibratória  astronômica ótima para a vida, nosso corpo tenderia a se deformar… portanto vamos ter que desenvolver naves e trajes espaciais para mandar astronautas alem da nossa faixa.

Raios. Este assunto está cru, ninguém acredita nele. Apenas vão a cada dia acumulando novas descobertas que são mais evidencias indicando que deve existir algo aí muito importante para nossa existência e debaixo de nossos narizes que não estamos percebendo. Tartarugas descobertas nadando ao sabor de linhas magnéticas invisíveis… é como noticiam a coisa e apenas descrevem o fenômeno, sem sequer raciocinar inquiritorialmente sobre ele.

 

Vou levar adiante a pesquisa deste assunto. Se isso existe mesmo, e está influenciando minha vida, meu corpo, vou seguir suas pegadas até agarrar seus calcanhares. Claro!

Próximo passo: voltar a re-estudar em embriogênese tudo o que se refere à diferenciação celular. procurar o mapa do cérebro das tartarugas para procurar ali o que está desempenhando a função  de antena.  

 

Do Video “Inner Life Of a Cell”: Pesquisa Pela Matrix/DNA

domingo, março 10th, 2013

http://www.youtube.com/watch?v=yKW4F0Nu-UY&NR=1&feature=fvwp

Inner Life Of A Cell – Full Version.mkv

1) A existência do sistema imunológico é um mistério

Leucócitos – são células brancas do sangue com a função de imunização, devorando corpos estranhos. São criadas pelas células hematopoiéticas e aqui me recordo de um grande enigma para resolver: Como os sistemas biológicos criaram o fenômeno da autodefesa, ou imunização ! De onde a matéria burra da Terra tirou essa ideia!  O que havia antes das origens dos sistemas biológicos que executavam tal função! Nos átomos, nas galáxias…

Bem…LUCA era um sistema fechado em si mesmo, não permitia nada de fora entrar. Mas acho que essa propriedade era obtida colateralmente, sem uma forca ou mecanismo dirigido diretamente para isso. A autodefesa era uma consequência da velocidade de giro do circuito externo, o qual criava uma espécie de casca compacta, impedindo a entrada de elementos externos. Se nossos planetas girassem a mesma elevada velocidade, o Sol seria defendido. Mas nos sistemas biológicos esse mecanismo, essa forca com essa função, é especifica, dirigida, autônoma. Tem uma possibilidade, mas que é demasiado grandiosa, e se verdadeira, revelaria que falta muito ainda para entendermos da Natureza e LUCA. A possibilidade de que a autodefesa seja criada por uma psicologia sistêmica, que remonta aos sistemas astronômicos, atômicos e vai ter suas origens na Luz! Seria mais um indicio de que a “alma” surgiu aqui a bordo da Luz, dormiu nos sistemas não biológicos e começa a acordar nos biológicos. Mas se isto for a resposta, significa que essa alma não estava inerte nos ancestrais. Por enquanto não vejo outra explicação para a existência desse mecanismo aqui. Por enquanto, o primeiro elemento onde esse fenômeno se manifestou são as hematopoiéticas… devemos continuar a busca antes delas…

Epa!… A lampadinha das grandes descobertas parece que acendeu outra vez dentro do meu cocuruto! Estou vendo mentalmente as imagens rápidas de onde estavam em LUCA os mecanismos e como eles geraram a medula óssea, os ossos, e as células do sangue… o próprio sangue! Foi tudo copiado da região do circuito, inclusive o “cabo” que contem o circuito corrente, numa espécie de campo eletromagnético.

2) Descoberta pela Matrix/DNA das origens da Medula Óssea (Tutano), Ossos e Sangue!

Qualquer corpo externo a um sistema solar que tivesse seus planetas em alta velocidade giratória precisaria muita potencia para sequer atingir um planeta. Pois todo planeta tem uma cobertura de repulsão (basta ver como o campo magnético da Terra segura as radiações solares) e se em alta velocidade essa forca de repulsão deve aumentar. Pois esse envoltório rígido, árduo de ser penetrado se tornou ossos, nos sistemas biológicos. Em LUCA não era apenas planetas que carregavam esta cobertura repulsiva e sim todas as seis formas de astros. E seu circuito era relativamente as suas proporções, veloz, frenético, pois LUCA existia em constante estado orgástico, o que denuncia a fricção rápida.

O circuito de LUCA nunca era alcançado por invasores externos. Mas o circuito era composto dualmente: no seu aspecto “espaço”, representado pelos corpos dos astros, e no seu aspecto “tempo” pelas setas intermediarias entre duas formas. Pois os corpos se tornaram as células hematopoiéticas da medula, e as setas s tornaram as células do sangue, ou o próprio liquido do sangue. E as células da medula óssea não são também atingidas por invasores externos, pois estes teriam que penetrar os ossos, que são os representantes do que fora outrora o campo, ou cabo, magnético. Sensacional! Isto merece um artigo a parte, e a partir daqui vamos entender melhor como tratar ossos, medulas e sangue e entender as causas de suas doenças. Por exemplo, os componentes do sangue são renovados continuamente e a medula óssea é quem se encarrega desta renovação. Porque! Porque ela veio de um ancestral que auto-reciclava todos seus componentes…

Wikipédia: Medula Ossea 

A medula óssea, também conhecida como tutano, é um tecido gelatinoso que preenche a cavidade interna de vários ossos e fabrica os elementos figurados do sangue periférico como: hemácias, leucócitos e plaquetas.

A medula óssea é, um órgão hematopoiético. Ela é constituída pelas linhagens que originam os três elementos citados acima, de células que tomam parte na fabricação do osso (osteoblastos e osteoclastos), de células e fibras que compõem uma malha para sustentar todas as células referidas (fibras e células reticulares). É onde estão as células progenitoras das células sanguíneas. Ali também têm origem as alterações que vão ser responsáveis por inúmeras doenças. No homem adulto sadio produz cerca de 2,5 bilhões de eritrócitos, 2,5 bilhões de plaquetas e 1,0 bilhão de granulócitos por kg de peso corporal.[1]

A medula óssea é constituída por um tecido esponjoso mole localizado no interior dos ossos longos. É nela que o organismo produz praticamente todas as células do sangue: glóbulos vermelhos (Eritrócitos), glóbulos brancos (Leucócitos) e plaquetas (Trombócitos). Estes componentes do sangue são renovados continuamente e a medula óssea é quem se encarrega desta renovação. Trata-se portanto de um tecido de grande atividade evidenciada pelo grande número de multiplicações celulares.

xxxx

Estou fugindo do tema deste artigo que era o vídeo, mas isso é assim mesmo, por se tratar de sistemas a Matrix/DNA começa por pesquisar um especifico fenômeno e acaba sempre tendo que dar a volta no Universo inteiro. Mas depois devo separar os tópicos em vários artigos.

Ainda falta explicar de onde e como a matéria burra da Terra obteve a ideia para o sistema de autodefesa dos organismos! Acho que não: o mecanismo existia dentro de uma função, ele apenas adquiriu vida própria e na forma de guerreiro, predador.

xxxx

 

 

Nós, Mamíferos Fomos Feitos Tambem Por Virus! Mamma mia!

sexta-feira, fevereiro 17th, 2012

xxx

Quando você era apenas um feto, necessitou de nutrientes para sobreviver e se transformar em embrião. Claro que tais nutrientes só poderiam vir do corpo da mãe. Mas como ter acesso aos nutrientes se você estava dentro de um utero que estava isolado dentro do corpo da mãe? Os nutrientes estavam na placenta que existe logo após as paredes do utero, separada dêste. Pela lógica das coisas você não era para ter nascido, todos nós seríamos abortados como fetos mortos. Mas a Natureza tem uma sabedoria extraordinária! Aconteceu então uma espécie de milagre: surgiram entre as paredes do útero e a placenta umas camadas de células preenchendo o espaço, camadas estas que permitem a passagem de tais nutrientes. E quem fêz estas camadas de células?

Virus !!!

Quem poderia ter imaginado uma coisa destas?! Fomos instruídos para odiar os virus porque alguns dêles nos matam, mas agora percebemos que a existência dêles nêste mundo foi necessária e inevitável para a Evolução produzir seres vivos como a espécie humana. A Natureza convocou os virus quando a espécie mais evoluída aqui eram os répteis e usou seu trabalho para transformar um réptil num mamífero. Impressionante!

Bem… leia meus comentários aqui e o artigo publicado em:

Discovern Magazine – Seção Blogs – The Loom

Mammals Made By Viruses

Título: Mammals Made By Viruses

February 14th, 2012 11:48 PM by Carl Zimmer

Em 2000, uma equipe de cientistas de Boston descobriram um peculiar gene no genoma humano. Deram-lhe o nome de ERVWE1. Êle tem o código para produzir uma proteína feita sómente pelas células da placenta. Êles chamaram essa proteína de “syncytin”.

As células que produzem syncytin estavam localizadas apenas onde a placenta faz contacto com o útero. Estas células se fundem, ou se unem, para criar uma unica camada de células, chamada de “syncytiotrophoblast”, a qual é essencial para o feto sugar, drenar, nutrientes de sua mãe. Os cientistas descobriram que o que liga as células como uma espécie de ponte é essa proteína, a syncytin. Então, para que no futuro as células possam se conectarem, precisam antes fabricar a syncytin, como nós do lado de cá de um rio, para atravessar-mos mercadorias à outra margem, precisamos antes fazer uma ponte.

Até aqui tudo bem, nos maravilhamos com as previdências e fantástica engenharia da Natureza, mas estamos acostumados a aceitar isto. O que torna o caso realmente formidável é que êsse gene que faz essa ponte, essa proteína, não é um gene humano! Êle tem todas as características dos genes dos virus. Algum antepassado nosso extorquiu êsse gene do DNA de um virus e nenhum de seus descendentes nunca mais o devolveu. Agora tem virus nascendo aleijado, outro vêsgo de um ôlho, porque lhes falta êsse gene. Devolvam o gene ao virus, meu amigo, minhas amigas, senão vocês podem ir para o inferno…

O problema é que se meu pai tivesse devolvido o gene eu não teria nem nascido e não estaria aqui agora blogando… Se eu devolver o gene nunca terei filhos. Vou ficar triste pelo resto da vida com êsse tremendo pêso na consciência. Somos ladrões de genes de criaturinhas indefesas.

O artigo é longo e continua com informações valiosas. Apenas para ilustrar reproduzimos a figura abaixo mostrando como foi a evolução da inserção dêsse gene:
xxx

Ciclo Evolutivo do Gene para Syncytin


xxx
Observe o desenho na base onde se lê “maternal vessel”, a faixa ou camada de células formada pela syncytin.

Virus têm se infiltrado por êles mesmos no genoma de nossos ancestrais por centenas de milhões de anos. Êles tipicamente têm conseguido isso ao infectarem ovulos e espermas, inserindo seus próprios DNA dentro do nosso. Existem 100.000 conhecidos fragmentos de virus no genoma humano, perfazendo cêrca de 8% do nosso DNA. ( Tem um casal vizinho lá de casa que quando a mulher ficou grávida só se expressaram êstes 8% de genes e quando o filho nasceu era apenas um virus, por isso êles criam seu filho escondido numa caixa de fósforos na casa… Mas, agora falando a verdade, acho que você já sabe que muitas vêzes êstes fragmentos de genes viróticos se replicam e se tornam virus completos, por isso nosso corpo cria virus dentro de nós mesmos!)

A maioria dêste DNA de virus tem sido atacado por tantas mutações que hoje nada mais são que meras bagagens que nossas espécies carregam de uma geração a outra. Ainda assim há alguns genes virais que ainda fazem proteínas em nossos corpos. Syncytin aconteceu de ser uma proteína extremamente util para nossa biologia, por isso a Evolução, através de seu mecanismo da seleção natural, permitiu a êsse gene que a produz, a se expressar e o mantêve até hoje no DNA dos mamóferos. Originalmente, syncytin permitiu aos virus fundirem células dos corpos de seus hospedeiros para que êles pudessem se propagarem de uma célula para outras. Agora essa proteína permite a bebês se colarem ao corpo de suas mães.

Agora vamos analisar êsse fenômeno, como e porque aconteceu essa espécie de milagre, à luz da fórmula da Matrix/DNA, e prepare-se para vibrar de emoção com a sabedoria da Natureza. O que são os virus, como e porque surgem na Terra? Virus são apenas uma das sete peças de um sistema natural. Observe a fórmula da Matrix.
xxx

Fórmula da Matrix/DNA no Estado de Sistema Fechado


xxx

Virus são os instrumentos materiais, os representantes no ecossistema da biosfera terrestre da Função Sistêmica Universal n. 5. Esta função que nasce em F.4 – o elemento masculino do sistema – sai fora do circuito esférico rumo ao interior do sistema, para terminar na F.1 – o elemento feminino do sistema. É a unica peça movel dos sistemas naturais e a unica intermitente, quer dizer, só aparece quando um sistema está maduro e começa sua fase de reprodução. É uma peça fundamental na reprodução e perpetuação das espécies. Ela funde duas outras peças, une-as, a F.4 à F.1. No céu, o unico astro que perambula entre outros é o cometa, e estudando suas demais características descobrimos que cometas são os instrumentos materiais dentro dos sistemas astronomicos fabricados pela faixa do espectro da luz natural correspondente à Função Sistêmica Universal n. 5 quando a luz adentra a matéria inerte e lhe imprime a dinâmica do ciclo vital, quer dizer, organiza a matéria em sistemas funcionais. O cometa é o espermatozóide do espaço. Não os que vemos passar por aqui, êstes são espermatozóides que nunca alcançaram o alvo, vão vagar até se desfazerem. No sistema celular essa função criou o RNA, o mensageiro, o transportador. Na divisão dos orgasnismos pelo sexo essa função entrou criando o espermatozóide. No sistema nucleotideo ela criou a base uracila, a unica que só existe no RNA e é intermitente, só aparece quando é formado um novo nucleotideo que vai compor a fita do DNA.

Cada Função Universal criou uma das cinco principais organelas do sistema celular. A F.1 criou o nucleo, A F.2 criou o centríolo, a F.3 criou o ribossomo, a F.4 criou a mitocondria (por isso a mitocondria tem DNA tambem pois ela representa o elemento macho que precisa ter DNA para a reprodução, e por isso ela emite os bólidos de energia ATP como seu ancestral no céu, o pulsar, emite os energéticos cometas). A F.6 criou o lisossomo que faz a limpeza da célula retirando seus detritos como sua ancestral no céu, a estrêla decadente se fragmenta expulsando seus detritos. A F.7 criou o cloroplasto, que só existe na célula vegetal e como representa o seu ancestral no céu, a estrêla, é êle que conecta a célula vegetal ao Sol e faz a fotossíntese. E a F.5, criou qual organela? Uma que fôsse intermitente, quer dizer, só aparece na reprodução, os virus. Por isso os virus tem a tendencia de penetrar na célula, ir até o nucleo onde se situa a fêmea, e só sabe se reproduzir desenfreadamente, ou juntar o aparato masculino ao feminino se fazendo de ponte, como a syncytin.

As organelas eram, antes de ser formado o primeiro sistema celular, apenas compostos moleculares como o ribossomo, o lisossomo, ou pré-organismos já com RNA/ou DNA como as mitocondrias. Existiam separadas, porque foram pacotinhos de genes semi-vivos vindos do sistema astronomico, eram apenas certos trechos do circuito daquêle sistema. Com o tempo e por simbiose se juntaram dentro de uma membrana, perfazendo o circuito completo e assim o primeiro ser vivo saiu a se arrastar na superficie da Terra.

Os virus são tambem uma organela celular.

E porque êles tem a capacidade de fazer uma proteína que funde o utero à placenta? Ora, já respondemos acima, basta dar uma olhada para o céu, êles lá só sabem fazer é fundir dois corpos. E a maioria dos cometas que não chegam no horizonte de eventos do vórtice formado no meio da poeira estelar (vórtice êsse errôneamente teorizado pelos físicos como se fôsse um buraco negro), porque não tiveram a fôrça necessária para penetra-lo, ficam orbitando no meio da poeira que mais tarde vai justamente se constituir na ancestral celeste da placenta dos mamíferos, ao se agregar ao nucleo da semente de uma nova estrêla e se tornar o depósito de nutrientes para o germe se alimentar até desabrochar. Por isso a syncytin só existe ali entre o utero que imita o buraco negro onde se desenvolve o embrião de uma nova estrêla e o resto do Universo, o qual, nêste caso, é o corpo da mãe.

Êste é o pêso, a fôrça, de uma teoria consistente. Não é porque descobriram no ano 2.000 a syncytin, o gene do virus no DNA dos mamíferos e por causa de eu saber disso tudo apenas hoje quando leio êste artigo que estou descobrindo agora a identificação com minha teoria. Essa história da placenta como imitação do horizonte de eventos, dos virus como reprodutores e organelas, e constantes do DNA, já a escrevo aqui nêste webisite há anos e já a registrei com direitos autorais a 20 anos atrás, antes da syncytin ser descoberta em 1998. É a capacidade de previsão certeira desta teoria que a cada dia me convence mais que algo nela, ou muito dela, deve estar correto. A formula da Matrix/DNA surge nêste Universo material codificada no espectro electro-magnético de qualquer raio de luz natural, (como explico aqui em outro artigo), mas de onde vem essa luz, qual sua fonte natural, A Teoria da Matrix/DNA não sabe dizer. Vou morrer levando comigo êste mistério não-resolvido para meu tumulo…

Mas se assim for, se a teoria da Matrix/DNA está correta, os cientistas estão interpretando algo de forma errada. A teoria diz que tôdas as informações vindas de LUCA – o nosso ultimo ancestral comum astronomico – já existiam no primordial DNA. Isto significa que os genes dos virus tambem surgiram no DNA dos seres vivos à mesma época. A presença dêstes genes no DNA, provavelmente localizados na região chamada DNA-lixo, independente da inserção dêles pelos virus, pois são partes do trecho do circuito sistêmico, o qual está completo no DNA dos vegetais e apenas sem os genes para cloroplastos nos animais. Acontece que aqui o problema se torna complexo e ainda não tive tempo para estudar essa questão. Os genes dos virus são genes biológicos, derivados dos genes semi-vivos astronomicos e a maioria dêstes está inativa na região que denominamos DNA-lixo. Êles só se despertariam para novamente se expressarem se alguma condição de sobrevivencia atuar como um estimulo. Como no ancestral astronomico êles trabalhavam com material mais simples, deve ter tido mutações nos seus derivados que compõem os genes biológicos dos virus. Por isso talvez os cientistas não os encontram no meio do DNA: já não mais se parecem com seus mutados descendentes nos virus. Mas isto levanta uma suspeita: talvez êstes genes não tenham sido inseridos por virus. Talvez estes genes no DNA dos organismos vivos tenham produzido os virus, mesmo que mais tarde, devido à maior eficiência dos genes virais mutados, e devido à proximidade de coexistência de ambos no nucleo celular, a Natureza preferiu selecionar o material viral e deixou o material do DNA primordial inativo.

Outro fator a considerar: porque êstes genes só aparecem dos mamiferos para cá, e não nos ancestrais anteriores como os répteis? Se não aparecem nos anteriores, a Teoria da Matrix/DNA explica o porque. Tenho outro artigo aqui explicando como a engenharia de manter os ovos e nutrir os embriões dentro do corpo da fêmea surgiu e se desenvolveu nos ancestrais não-mamiferos. O artigo, se não me engano chama-se ” Dos répteis aos Mamiferos: Um Ato Heróico?” Isto aconteceu porque no céu, no ancestral sistema astronomico, já existiam as duas fases, a primeira de botar os ovos fora, e a segunda, de manter os ovos dentro. Quer dizer, o aparato de reprodução dos mamíferos já estava estabelecido na fórmula da Matrix desde as origens do Universo. Então, é comprensivel que, mesmo já registrados no DNA desde as amebas, os genes responsáveis pela produção da syncytin só iriam se expressar quando se iniciasse a segunda fase, a formação dos mamiferos. Que estivessem já no DNA dos organismos ou voando por aí nos virus, não importa: estava determinado por uma onda/raio de luz que entrariam em ação no momento certo.

xxx

A seguir, alguns de meus comentários postados na Internet em artigos, foruns de discussão, etc.

http://blogs.discovermagazine.com/loom/2012/02/14/mammals-made-by-viruses/comment-page-1/#comment-76450

34. Louis Morelli Says:
February 17th, 2012 at 12:03 pm

Thanks! I had a lot of information here, useful for my work. But, I am asking the opportunity for debating a different approach about these phenomena, based in the viewpoint of Matrix/DNA Theory.

The existence of virus, the origins of placenta and mammalian reproductive apparatus are explained by the Matrix formula that was present in the state of the world before biogenesis. Hence, this information here about syncytin, the fuses, already was predicted by this theory 30 years ago, as proved by copyrights.

What’s virus? There is a universal natural formula for all natural systems and viruses are the performer of systemic function number 5 at cells systems (See the formula at my article “Nós, Mamíferos Fomos Feitos Tambem Por Virus! Mamma mia! (Portuguese – fevereiro | 17 | 2012). Google it.

How was the origin of placenta and mammalian reproductive apparatus? It is explained in my article “From Reptile to Mammals: A Heroic Act? (English – November 13th, 2011)”

There is a controversial point between the two theories. Matrix suggests that the original genes that later produced syncytin already were registered in the primordial DNA and they are there, at the junk DNA. But they were prohibited to express because the evolution of biological systems obeys the same chronology ordered by the formula and the formula first makes system laying eggs out, only in a later phase the system keeps the egg within. So, in parallel was evolving the virus which DNA had several mutations at the point that some genes are not re-cognoscible when faced with its similar genes at the living beings’ junk DNA.

There is this possibility: the living beings genes produced the viral genes which had mutations and went back to living beings DNA when evolution determined that it was time for their expression.
Viruses, as performers of F5, are supposed to be cells organelles. This function build tools for reproduction and perpetuation of species, then it appears only at intervals in the cell system. Viruses are the performers of male functions, the cells tool as their spermatozoon. The cause evolution had keep this viral organelle outside the cell system is because they have the bias to reproduce by re-cycling closed systems. Then, the virus keeps orbiting around the female apparatus (in this case, the uterus) and mixing at ingredients and cells in that region they produces syncytin.

Everything equal when the Matrix formula was building the galaxies building blocks: uterus is the black hole at the galaxy nucleus, placenta is the formation of events’ horizon with stellar dust. Fetuses are seeds of a new star and virus are the comets that make the fecundation, fusing the black hole with the external Universe, which, in this biological case, is the mother’s body.
This is a different theory, maybe has a lot of wrong things in their models, but his ability to make predictions has been incomparable with others theories.

xxx
http://blogs.discovermagazine.com/loom/2012/02/14/mammals-made-by-viruses/comment-page-1/#comment-76450

35. Louis Morelli Says:
February 17th, 2012 at 12:19 pm

Besides the debate among different theories, there is this practical and urgent case related to these viruses:

Wikipedia: Clinical significance

HERV-W has been associated with multiple sclerosis and schizophrenia in humans. (HERV-W_7q21.2 provirus ancestral Env polyprotein also known as Env-W or enverin or syncytin is a protein that in humans is encoded by the ERVWE1 gene.

Then, my job just now is searching information everywhere about these diseases and trying to understand it from the Matrix/DNA formula viewpoint.

xxx

A seguir começa a compilação de dados para mais esta pesquisa da Matrix/DNA

Wikipedia ; Syncytin > ERVWE1

HERV-W_7q21.2 provirus ancestral Env polyprotein also known as Env-W or enverin or syncytin is a protein that in humans is encoded by the ERVWE1 gene.

Function: Many different human endogenous retrovirus (HERV) families are expressed in normal placental tissue at high levels, suggesting that HERVs are functionally important in reproduction. This gene is part of an HERV provirus on chromosome 7 that has inactivating mutations in the gag and pol genes. This gene is the envelope glycoprotein gene which appears to have been selectively preserved. The product of this gene, syncytin, is expressed in the placental syncytiotrophoblast and is involved in fusion of the cytotrophoblast cells to form the syncytial layer of the placenta. The protein has the characteristics of a typical retroviral envelope protein, including a furin cleavage site that separates the surface (SU) and transmembrane (TM) proteins which form a heterodimer.[3]

Clinical significance: HERV-W has been associated with multiple sclerosis[4] and schizophrenia in humans.

Multiple sclerosis
From Wikipedia, the free encyclopedia:

Multiple sclerosis (abbreviated to MS, known as disseminated sclerosis or encephalomyelitis disseminata) is an inflammatory disease in which the fatty myelin sheaths around the axons of the brain and spinal cord are damaged, leading to demyelination and scarring as well as a broad spectrum of signs and symptoms.[1] Disease onset usually occurs in young adults, and it is more common in women.[1] It has a prevalence that ranges between 2 and 150 per 100,000.[2] MS was first described in 1868 by Jean-Martin Charcot.[3]

Comentário da Matrix/DNA:

Nesta primeira breve abordagem, aprendemos que a esclerose decorre de uma inflamação nas camadas gordurosas de myelin formadas em volta dos axons dos neuronios, geralmente em jovens e mais nas mulheres. O quadro nos lembra imediatamente o mesmo quadro das camadas de syncytin em volta do utero. O que nos traz a essa comparação de padrões é o fato de que os genes envolvidos em syncytin tambem estão envolvidos nessa inflamação, tambem estão presentes no myelin. Temos do syncytin e da formula da Matrix/DNA a teoria de que se trata de gene viral, que virus se localizam em órbita de aparatos que representam F1, o qual é extritamente feminino, por isso já se entende porque a doença ataque mais as mulheres. Tambem sabemos que a maior atividade dos virus é na fase de inicio da reprodução sexual, por isso já se entende porque a inflamação surge mais nos jovens. Deduzimos que os sinais que correm dentro dos axons são entendendidos pelos virus ou seus genes como fetos de uma nova mensagem, por isso os genes virais se dirigem aos axons e ao orbitarem-no acabam criando uma camada-ponte entre o axon e o resto do cérebro, assim como a syncytin funde o utero com o resto do corpo da mãe. Vamos continuar buscando mais informações para penetrar mais fundo nos segrêdos e causas desta doença, buscando uma solução de cura. Que Deus, ou seja lá qual é a fonte por tras da luz natural, esteja conosco. Nossos irmãos estão sendo torturados por essa doença e precisam de nossa ajuda, sempre é bom a mim mesmo lembrar isso para manter-me recolhendo energia de onde for possível e fazer êste trabalho.

Inflammation
From Wikipedia, the free encyclopedia

Inflammation (Latin, īnflammō, “I ignite, set alight”) is part of the complex biological response of vascular tissues to harmful stimuli, such as pathogens, damaged cells, or irritants.[1] Inflammation is a protective attempt by the organism to remove the injurious stimuli and to initiate the healing process. Inflammation is not a synonym for infection, even in cases where inflammation is caused by infection. Although infection is caused by a microorganism, inflammation is one of the responses of the organism to the pathogen. However, inflammation is a stereotyped response, and therefore it is considered as a mechanism of innate immunity, as compared to adaptive immunity, which is specific for each pathogen.

Myelin
From Wikipedia, the free encyclopedia

Myelin is a dielectric (electrically insulating) material that forms a layer, the myelin sheath, usually around only the axon of a neuron. It is essential for the proper functioning of the nervous system. Myelin is an outgrowth of a type of glial cell. The production of the myelin sheath is called myelination. In humans, the production of myelin begins in the fourteenth week of fetal development, although little myelin exists in the brain at the time of birth. During infancy, myelination occurs quickly and continues through the adolescent stages of life.

Schwann cells supply the myelin for peripheral neurons, whereas oligodendrocytes, specifically of the interfascicular type, myelinate the axons of the central nervous system. Myelin is considered a defining characteristic of the (gnathostome) vertebrates, but myelin-like sheaths have also arisen by parallel evolution in some invertebrates, although they are quite different from vertebrate myelin at the molecular level.[1] Myelin was discovered in 1854 by Rudolf Virchow.[2]
xxx

Myelin Em Tipicos Neuronios

xxx

Pathogen
From Wikipedia, the free encyclopedia

A pathogen (Greek: πάθος pathos, “suffering, passion” and γενής genēs (-gen) “producer of”) or infectious agent – in colloquial terms, a germ — is a microbe or microorganism such as a virus, bacterium, prion, or fungus that causes disease in its animal or plant host.[1][2] There are several substrates including pathways whereby pathogens can invade a host; the principal pathways have different episodic time frames, but soil contamination has the longest or most persistent potential for harboring a pathogen.

xxx

Sôbre: Doença de Borna

Estudo aponta vírus comum entre o genoma humano e o de outros mamíferos

publicado em 07/01/2010 às 08h24:
http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/estudo-aponta-virus-comum-entre-o-genoma-humano-e-o-de-outros-mamiferos-20100107.html

xxxx

Matrix/DNA Softwares em Àtomos e Moléculas Sugerem Como é a Forma Material da Mente!

segunda-feira, novembro 14th, 2011

A fórmula universal da Matrix pode ser entendida numa das sua produções biológicas, a arquitetura no interior da cabeça humana: tem o cérebro-hardware e o conjunto dos pensamentos, ou a mente – como software. Mas esta dupla face da Matrix não emergiu pela primeira vez no cérebro humano, êste é apenas evolução desde o primordial DNA. O DNA não é um código que encripta uma mensagem, como acredita a comunidade acadêmica. Isto seria místico, quase uma apelação ao sobrenatural, pois um mero amontoado de átomos não poderia jamais produzir e transmitir mensagens. Segundo a Matrix nos levou a concluir, o DNA é um mero conjunto de derivados de um unico sistema natural original, formado por um conjunto de moléculas que compõem um par de nucleotídeos. Mas não restam duvidas que o DNA, alem de ser um agrupamento complexo de átomos, o hardware ancestral do cérebro, possue um comando intangível, invisivel, de instruções – o software ancestral da mente.

A Matrix nos levou a encontrar o que algum sábio chinês encontrou a três ou cinco mil anos atrás quando êle escreveu: “A mente dorme na pedra, sonha no vegetal, acorda no animal e desperta no Homem” ! Sábias palavras! O sábio não sabia da existência de átomos, galáxias e computadores, como sabemos agora e apenas atualizamos o que êle intuiu: “A mente-software existe em potencial latente nas partículas e átomos, se move sonambula nos astros e galáxias, acorda nos vegetais, desperta nos animais e se torna viva e consciente como um bebê no Homem”.

Nós conseguimos elaborar um modêlo teórico de um diagrama de software que teria sido a forma da Matrix quando ela construiu o hardware na formação das galáxias originais. Não é possivel ainda reproduzir no papel ou no computador a correta imagem do diagrama porque êle é um vórtice espiral, tem a forma de um cône, as setas de interações se contorcem, e precisaria ser visto em quatro dimensões. Mas agora vimos na Internet, imagens bem próximas da imagem real do software Matrix quando estava construindo átomos e depois moléculas orgânicas.

xxxx

Átomo na forma da Matrix/DNA

xxxx

Àtomos como Matrix/DNA formando Moléculas

xxxx

Moléculas como Matrix/DNA formando Células

Para completar êste trecho da Evolução do Software Mental intuído pelo sábio chinês, de átomos à Consciência Humana, falta calcular-mos agora:

– Matrix/DNA Software das Células Neuroniais formando um Cérebro;
– Matrix/DNA Software do Cérebro formando a Auto-Consciência Humana;

Nossos pensamentos são incapazes de verem a si próprios, nossa mente não se sente como corpo, temos a impressão que a mente não é material, parece algo abstrato. Você tambem se sente assim? A Teoria da Matrix/DNA vem correndo em nosso socorro oferecendo uma explicação porque sentimos assim.

Para tanto ela nos apresenta duas figuras reais, as quais, infelizmente não terei tempo para postar aqui agora, mas todo mundo as viu muitas vêzes. Uma é a figura total do cérebro, composto de dois sistemas nervosos, o simpático e o parassimpático ou subconsciente. Como conjunto total o cérebro é aquela massa cinzenta na forma de uma esfera meio deformada contendo uma espécie de cauda, que desce pela medula óssea. A figura do cérebro total é muito parecida com a figura de um espermatozóide. A outra que a Matrix nos apresenta é a figura de uma cabeça, mais exatamente do crâneo ósseo apenas. É uma figura muito parecida com a figura de um ôvo, ou um óvulo. Espermatozóide e óvulo! Porque a Matrix/DNA começa mostrando estas duas figuras quando diz que vai nos explicar o que é, e como é, a forma da nossa mente?!

Calma! A Matrix vai continuar sua explicação. Agora ela pega a figura do cérebro total e a sobrepõe sôbre a figura da cabeça humana. O que vemos agora? Mais exatamente, quando as duas figuras se conectam, vemos como é a nossa realidade hoje ( do nosso cérebro dentro da nossa cabeça e sua medula dentro do nosso torax), idêntica à figura que vemos de um espermatozóide entrando no óvulo, sua cauda ainda está para fora. Você nunca tinha notado êstes detalhes que fazem a Natureza apresentar tantos maravilhamentos aos olhos de um agnóstico como os religiosos dizem verem no mundo pelos olhos de suas religiões? Nós carregamos, em nossa essência intima, uma arquitetura que é a central de nossa inteligência, na forma de um espermatozóide iniciando a fecundar um óvulo!

Mero acaso? Mera coincidência? Desconfie quando a coincidência mostra dois fenômenos se encaixando perfeitamente… talvez haja aí um padrão universal oculto.

Um feto humano, dentro do útero materno, já possui consciência de sua existência? Êle certamente não pode ver seu corpo, nem senti-lo com as mãos, pois nem olhos abertos tem. Acho que ninguém sabe pois não é está incógnita que gera o debate controversial entre os pró-aborto e os contra-aborto? Um embrião bem adiantado parece já ter consciência que existe, mas ainda não se pode ver. Um bebê recem-nascido ainda com os olhos fechados já sente bem o seu corpo mas ainda não se vê, não tem idéia de como é sua forma, qual a sua substancia. Nós adultos, já vemos nosso corpo, sabemos quais suas substancias, conhecemos nossa forma.

Porem, somos tambem pensamentos, somos, em essência, pensamentos, cujo conjunto denominamos mente, ou auto-consciência. Mas uma mente não consegue se ver a si própria nem a sua imagem semelhante que está dentro da cabeça do vizinho. Ela ainda não tem um “ôlho mental”, ou se já tem, ainda não o abriu, e assim ela parece estar ainda no estado de bebê recem-nascido (por mais que Lobsang Rampa nos venha falar de sua “terceira visão” já aberta). A mente não pode se tocar, não faz a minima idéia de qual a substancia de sua corpo. Muito menos tem idéia de sua forma. Ainda não chegou o tempo do “Concurso de Misses Universo da Espécie Mental”. Então finalizando, a auto-consciência humana é um fenomeno novo no Universo, ela surgiu ainda apenas a alguns minutos atrás se tomar-mos por referencia o tempo astronomico que é o tempo real, e ela apresenta as características semelhantes à fase do ciclo da vida que vai, nos humanos, de feto a bebê recem-nascido. Precisamente, qual o estágio evolutivo ela está, eu não sei: tenho meditado sôbre isso, às vêzes minha mente pensa que é um embrião, que vê o mundo externo por uma janelinha que é a visão carnal, outras vêzes que é um bebê recem-nascido ainda de olhos fechados, que não vê o mundo externo na dimensão a que ela pretence (talvez holografica?).

A figura da arquitetura material, visivel, que produziu, ou produz, essa auto-consciência humana, é a figura de um espermatozóide fecundando um óvulo. Pela Matrix/DNA estava previsto que tinha de ser assim. Um de seus postulados universais é: “Cada função sistêmica universal tem seu jeito de fazer e dar forma ao seu corpo material, tem o seu padrão, o seu estilo artístico, o qual é sempre repetido, salvo as variações nos detalhes devido às diferenças entre os ambientes e as diferenças entre os tipos de material que ela tem disponivel para esculpir sua obra”. Então tem a Função Sistêmica Universal N.1, bem vizível no diagrama/software da Matrix/DNA. Quando ela foi convocada a atuar na Terra para construir a arquitetura em que um bebê biológico é gerado ela modelou a massa terrestre e se saiu com algo na forma de óvulo fecundado por espermatozóide. Quando ela foi convocada para construir no espaço sideral a arquitetura em que um bebê astronomico é gerado, ela modelou a massa disponivel constituida apenas dos estados sólido e gasoso da matéria, ela se saiu com a forma de vórtice no meio da nebulosa de átomos sendo fecundado por cometas. E agora ela foi novamente convocada para construir dentro de um animal a arquitetura em que um bebê de auto-consciência é gerado. Existe agora maior riqueza de materiais disponiveis, a evolução elevou o nivel de complexidade do sistema natural universal que vem se evoluindo desde o Big Bang. Com um hardware tecnológimente desenvolvido como êsse, um Bill Gates seria quase capaz de desenvolver o software do Windows a ponto de dotar o computador com uma cópia de si mesmo como mente, a inteligencia artificial. Mas, a Função Universal é a mesma que começou a atuar no Big Bang, trabalhou com sua parte na tarefa ao fazer o átomo, etc., e um artista tem seu estilo unico de esculpir suas obras, por isso tudo, dentro do animal, ela esculpiu as mesmas formas ao participar agora da construção d6este fenômeno emergente: a auto-consciência humana.

Nêste ponto, ao pensar nisso, chego a me arrepiar tôdo! Acho que não é por ficar embevecido com minha intelig6encia por ter descoberto tudo isso, sempre mantenho um aviso aceso na minha mente: “Cuidado que você pode estar totalmente errado, “far away off the beam”! Acho que já ultrapassei a fase de ter vaidades, quando me dei conta do tamanho inconmensurável do Universo e do tamano pequenino do meu cérebro, a sensação de que não passo de um vírus ignorado pelo Universo. Acho que a sensação emotiva que sinto automaticamente é produzida pelo estado da contemplação de uma engenharia extraordinária na Natureza.

Isto tudo me leva a deduzir que a auto-consciência tem um corpo, é constituída de várias substâncias e, ou já tem ou está adquirindo, uma forma inteligivel, no mesmo modêlo do sistema/software da Matrix/DNA Universal !!!

Mas… se nossa mente já for um embrião, ou um bebê de berço, porque é que o nosso corpo carnal, que já serviu sua missão na evolução, que era a de gerar a auto-consciência nesta época e região do Universo, ainda está parado no tempo em que a mente foi concebida, a milhares ou milhões de anos atrás, conservando a forma do instante da concepção? Porque ainda temos um cérebro e uma cabeça lembrando aquêle evento no momento da concepção da mente? Ora… os répteis, que tiveram a missão na evolução de gerarem os mamíferos, que se transcenderam em forma para a forma mais evoluida dos mamiferos, ainda aí estão, lembrando os eventos quando os mamiferos surgiram na Terra. As bactérias de nossas origens tambem ainda aí estão. Se nosso entendimento da evolução estiver correto, as formas da evolução que completaram sua missão ficam por aí até desaparecerem de vez. Isto sugere que a forma da espécie humana tambem desaparecerá… em nome de sua transcendência para a forma mental!

Como consciência somos ainda bebês, nsossos sentidos sensóreos ainda não estão desenvolvidos ou não estamos tocando nada ainda relacionado à dimensão menos materializada e mais energizada, mais luminosa, própria da nossa dimensão, talvez ainda estejamos dentro do ôvo, ou dentro do utero materno, ou talvez nascemos nesta madrugada e ainda estamos num berço, de olhos ainda fechados. talvez até existam nossos pais de mesma sustancia e forma nos observando no berço, ou nos esperando fora do Universo que venhamos à verdadeira luz do mundo. Não sei. Um bebê nada sabe ainda. Mas um bebê pode rir e chorar conforme o mundo externo o trata. Assim como faço ainda rir de contentamento a cada vez que a Natureza me toca com revelações como estas. Os adultos diplomados das Ciências e Teologias pensam que sou louco quando me vêm sorrindo sózinho sem razão aparente. Mas os adultos em volta do berço tambem pensam que os bebês são irracionais quando riem ou choram sem uma razão que possam captar. Eu não acho. Desconfio que os bebês percebem mistérios que nós adultos não percebemos. E assim, talvez em nossas orações, quando não obtemos os milagres que pedimos, seja porque os nossos pais de pura consciência mas naturais, que nos observam no nosso berço na forma de uma cabeça humana, não captam o porque estamos chorando: os bebês sentem tudo o que atinge o berço, e choram quando não querem que balancem demasiado o berço. Abraços…