Archive for the ‘Órgãos Humanos’ Category

O Coração da Galáxia se Reproduziu como o Coração Humano!

domingo, dezembro 11th, 2016

xxxx

#Sístole #Diástole

Vendo esta imagem, alguem postou:

Hilda Assumpçao: Fantástica a obra de Deus!!

E eu respondi:

Louis Charles Morelli – 12/11/2016

Se for obra de Deus ele fez um programa computacional antes do Universo prevendo acontecer isso 13,8 bilhões de anos depois. Porque estes movimentos e esta arquitetura inteira já existe e funcionando igual no céu a bilhões de anos: o núcleo pulsátil das galáxias. Esta e’ a atual forma biológica evolucionária vinda daquele ancestral astronomico. As quais, de fato, fizeram nos, sob plano divino ou não…

Obs: a diferença e’ que, na galaxia, ou mais exatamente no núcleo desta galaxia, não existe mais uma arquitetura pulsantes assim. Este ” pulsar” consta nos building blocks das galaxias, e refere-se ao ritmo em que o sistema “morre” e “renasce” continuamente. Então a pulsação astronômica seria mais um pulso de luz, que se acende e se apaga intermitentemente.

A maior utilidade desta figura e minha teoria e’ que observando a figura, – ou seja, o mecanismo funcionando aqui e agora – podemos calcular como e’ os movimentos da força centrípeta e centrifuga no sistema galáctico. Notar que quando o “bicho” abre sua bocarra, ele abre também o olho esquerdo, e quando a fecha, ele fecha o esquerdo e abre o direito. Na formula dos building blocks isto significaria que quando inicia a força centrifuga se expressa a face esquerda e quando atua a forca centrípeta, apenas a face direita se expressa. E isto e’ profundo… Veja estas figuras e tente ver o mecanismo O coração esta no lugar de F1):

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

 

Origem e Evolução dos Órgãos Sensoriais

quarta-feira, novembro 23rd, 2016

xxxx

Sea nettles.jpg

Medusas Cnidarias – Primeiro sensor?

De onde a Natureza tirou a ideia de criar órgãos sensoriais em certos corpos para perceberem o mundo a sua volta?! Talvez a pergunta esteja mal formulada. Como e porque num corpo natural – e pela primeira vez nos 13,8 bilhões de anos do Universo – a Natureza se moveu na direcao de fazer este corpo perceber o mundo a sua volta?! Quais forças e elementos naturais abriram este caminho, e porque?

As outras formas de vida alienígenas, que tipos de sensores terão? Os nossos sensores vão evoluir? Por exemplo, a visão, evoluirá para enxergar as outras faixas do espectro eletromagnético? Nos desenvolveremos outros sensores ainda nem sequer imaginados?

Como sera para sempre proibido ter certeza do que ocorreu exatamente nos primórdios dos órgãos sensoriais ( a não ser que exista um espelho do tempo onde esteja filmada toda a historia passada), todo mundo terá apenas teoria. E talvez uma destas teorias acerte exatamente com as respostas.

Na minha teoria cosmovisionária – a Teoria da Matrix/DNA – os órgãos sensoriais “biológicos” se explica a partir da intuição de que o que criou os sistemas biológicos foram os sistemas astronômicos. E os criou por um processo primitivo similar ao processo genético biológico. Ou seja – sistemas biológicos são meras evoluções dos sistemas astronômicos.

O estado de sistema em que estava este sistema galáctico denominado Via Láctea era o de sistema fechado em si mesmo, oposto ao sistema aberto. Ao menos e’ isso que se conclui ao se observar o meu modelo cosmológico. E um sistema fechado em si mesmo jamais vai criar órgãos sensoriais voltados ao exterior, pois ele se encontra isolado do mundo externo e não teria qualquer motivo para realizar o esforço dessa criacao.

Porem, a cria dos sistemas astronômicos na superfície terrestres sofreram uma mutação devido ao aparecimento do estado liquido da matéria, e esta mutação os fez como sistemas abertos. E os sistemas abertos dependem mortalmente das interações com o mundo externo para sobreviver. Então os órgãos sensoriais biológicos foram criados aqui, pela matéria orgânica e seus sistemas. Porem, como a natureza nunca pode criar informação do nada, deduz-se que os órgãos sensoriais biológicos foi mais uma evolução mutada de sensores existentes nos sistemas ancestrais – astronômicos e atômicos. Teremos que incluir na pauta de nossas pesquisas a busca do que eram e como estavam estes ancestrais dos sensores biológicos nos sistemas não-biológicos. Por exemplo, se uma partícula interage com outra a distancia, ou mesmo uma estrela se conecta a um planeta, e’ porque possuem sensores para perceberem o que alem delas, mesmo que não tenham consciência que o percebem.

Alem de suscitar uma grande indagação filosófica existencial, o conhecimento total da historia das origens no Big Bang e sua evolução ate chegar aos nossos sensores atuais – e nos que ficaram perdidos em outras especies inferiores – nos devera ajudar sobremaneira a desenvolver nossa tecnologia.

Portanto, abre-se mais este capitulo de pesquisa. Iniciaremos por registrar um paper cientifico para posterior leitura, tradução, e pesquisa:

Evolution of sensory structures in basal metazoa

http://icb.oxfordjournals.org/content/47/5/712.full

Abstract

Cnidaria have traditionally been viewed as the most basal animals with complex, organ-like multicellular structures dedicated to sensory perception. However, sponges also have a surprising range of the genes required for sensory and neural functions in Bilateria.

Family tree of Cnidaria and the origins of animals ( ver melhor em https://en.wikipedia.org/wiki/Cnidaria:

Metazoa
Glass sponges
Demosponges
Calcareous sponges
Eumetazoa
Ctenophora (comb jellies)
Planulozoa
Cnidaria
Anthozoa
(sea anemones and corals)
Medusozoa
Hydrozoa
(Hydra, siphonophores, etc.)
Cubozoa
(box jellies)
Staurozoa
Scyphozoa
(jellyfish, excluding
Staurozoa)
Placozoa
Bilateria
Myxozoa
Other Bilateria
(more complex)

 

O Misterio do Orgasmo Feminino, e Duas Diferentes Respostas

quinta-feira, agosto 4th, 2016

xxxx

Conhecido nos meios academicos como aguerrido evolucionista, o professor biologo e autor do Pharyngula, PZ Myers, mais uma vez se mexe inquieto ao ler um scientific paper sugerindo que o orgasmo feminino tenha uma utilidade no processo da reproducao, por isso, ele teria sido criado por um proposito. Ora, para os evolucionisas e ateistas, nada no Universo pode ter sido feito por algum plano previo, a toda pergunta sobre o porque existe tal fenomeno natural, a resposta sera sempre a mesma: Nao existe razao para isto, pois isto e’ justamente acaso e circunstancias”. Entao a reacao de Myers ao cientista autor do “paper” foi exposta neste interessante e bem informado artigo com link abaixo, sempre repetindo nas suas proprias palavras o orgasmo feminino e todo orgasmo simplesmente existe porque existe, ou, nas suas proprias palavras “there is no reason for it, it’s just chance and circumstance”.

E’ possivel que Myers esteja correto, porque nao? Alias, a maioria dos professores universitarios hoje acreditam nisso e estao ensinando isto `a geracao de humanos que vao governar os destinos da Humanidade amanha. Ninguem tem nenhum fato comprovado, cientifico, racional, para derrubar esta teoria. Mas eu,,, sempre que me faco uma pergunta do porque aqui nesta biosfera existe um fenomeno natural, eu saio for a da pele de humano e subo as estrelas para olhar de la’ e dar uma resposta. Pois como estabelece o teorema de Goethe, ” ninguem, estando dentro de um sistema, pode saber a verdade do sistema”. E eu vejo la no ceu sombras, imagens esparsas e confuses as quais tento interpreter. E dentre estas imagens penso ter visto aquelas que explicam porque existe aqui estes curiosos fenomenos do orgasmo, sexo, reproducao, etc. Entao, nao pide resistir e postei um comentario no artigo do Myers expressando minha diferente resposta, mas fiz questao de salientar que nao acredito nela, apenas acho que e’ a mais racional, por enquanto.

Vale a pena ver, e aqui abro mais este capitulo para pesquisar este tema. Existem no artigo links para trabalhos que precisam serem lidos.

The mystery of the orgasm

http://scienceblogs.com/pharyngula/2016/08/02/17534/

Perhaps we need to think more about human psychology. There’s an interesting phenomenon that goes on all the time when people read about evolution: they shoehorn the observations into some functional purpose. There’s just something so satisfying to our minds to be able to say “that thing exists for this particular reason”, and we find it frustrating to say, “there is no reason for it, it’s just chance and circumstance”. It shouldn’t be so, but our minds just try to fit everything into that particular mold.

Now watch: some people — maybe even you — are going to now try and develop an adaptive scenario for why having brains that work that way is a good thing. We try to build a teleological framework around everything, and so it must have a purpose that is being fulfilled, and we rarely stop to think about whether it may be actually limiting us. Maybe it’s not good. Maybe there are other ways that brains can work, and this particular mode of thinking is just a clumsy kludge that resulted from the gradual agglomeration of stuff, mostly unselected, that built up the substrate for human cognition.

A case in point: the female orgasm. There’s a new paper out on the subject, and there are lots of articles being written on it, and they generally start out by pointing out that there’s something puzzling about the phenomenon: shouldn’t it have, you know, a reason for existence? It can’t just be, it has to do something useful for women, or reproduction, or pair bonding, or any of dozens of hypotheses that have been proposed.

xxxxx

Meu comentario:

Perhaps we need to think more about human psychology. There’s an interesting phenomenon that goes on all the time when the modern academic mindset read about evolution: they shoehorn the observations into the nihilist world view’s purpose which is ” there is no reason for it, it’s just chance and circumstance”. There is this teleological framework around everything, and not maybe but it is for sure, it is not good. Universal absolute answer has proved to be disastrous by all religions which says same thing: ” There is no mystery, it is the whish of God”. So, female orgasm is not a mystery, we have the answer. But, always happened that the evolution of human knowledge should that all absolute answer were wrong. For instance, the modern knowledge of Astronomy is suggesting that orgasm is product of a driven tunneled evolution, so, it has a naturalistic purpose.

Life was produced here by this astronomic system. Or someone knows some force or element that came from beyond this system surrounding us which produced this planet also? Of course, not. There are two possible reasons for explaining this event:

  1. A fortuity event by chance when common forces and elements existing in the long chain of events coming from the Big Bang met just here and just at the same time; since the chain is not driven from outside it, there is no reason for life, it’s just chance and circumstance;
  2. This developmental Universe is merely a process of genetic reproduction, or self-recycling, of a finished Universe (which can be a different thing, being universes merely a temporary embryonary shape) existing before the Big Bang, so, the event of life obeyed this reproductive purpose.

There are no scientific proved fact debunking any of this alternatives. But, psychologically, humans has the tendency to believe in one and refusing the other. Ok, Mr. PZ Myers is human so he choose one, and the first one. I am human and I bet at the second.

I have built a different theoretical model of astronomic systems that connects evolutionary this astronomic system to these biological systems. So, every biological property existing here that was approved by natural selection for to be established into the evolutionary tree, must be existing in its simplest shape as expressed or not expressed potential force/element composing the astronomic system theoretical model. So, the questions now is: why is there – at biological systems – female orgasm? Why is there sex? Why is there orgasm? Why is there reproduction? All answers are there, in this theoretical model – which still was not debunked by any scientific proved fact. The model of LUCA – the last universal common ancestor – which is this astronomic system, was hermaphrodite and had orgasms, but, for getting it, it was necessary that its female and male organs should be stimulated, by the natural course of its forces flawing inside its internal systemic circuit, a property of our ancestors thermodynamic systems. The modern son of LUCA is not an individual human, but the Humanity, and Humanity still is hermaphrodite. Can you explain why and how genes are counting the total number of men and women for to know if the next one will be female or male for keeping this marvelous balance through millions years?

But there is a third hidden alternative.

3 – The two alternatives above are non complete or wrong.

The difference between me and Myers is that I consider the third alternative, so, I have no beliefs that mine is the ultimate absolute answer. I have no beliefs at all, I am still looking all hypothesis and theories.

 

Coração: As origens astronômicas e atômicas dos mecanismos que desenvolveram este orgão

quinta-feira, junho 2nd, 2016

xxxxx

O coração tem como função bombear o sangue de forma que circule por todo o sistema vascular sanguíneo através de sucessivos movimentos de contração, e relaxamento.

xxxxxx

Porem, basta ler, por exemplo, o capitulo sobre coração no Wikipedia para se ver que existem muitos detalhes tornando este orgao complexo e de extraordinária engenharia. A grande pergunta filosófica, existencial e’: ” Como essa matéria deste planeta – constituida de agua, rochas, gazes- construiu esta incrível obra?! Claro, os acadêmicos responderiam buscando os primeiros sinais deste orgao nas especies primitivas para mostrar como surgiu e se desenvolveu ate chegar a esta forma na especie humana.

Mas quem conhece a formula da Matrix/DNA e interpreta os fenomenos naturais pela sua perspectiva, sugere um outro tipo de origem e um outro motivo para essa evolucao.Por aqui, todos os sistemas naturais tem ao menos um orgao executando a funcao de bombeamento e reciclagem do circuito sistemico, porque esta funcao consta da formula universal para sistemas naturais. O corpo humano e’ um sistema natural, portanto nao foi a materia deste planeta que inventou ou quem criou pela primeira vez no Universo algo com esta funcao  e executando este mecanismo.  Tambem a evolucao deste orgao na Terra desde os seus primeiros sinais mais simples nos moluscos, depois nos repteis, etc., nao foi como querem os academicos uma feliz sequencia de acasos, mutacoes aeatorias, adaptacoes, como sugerem a sua teoria da evolucao. Esta evolucao foi dirigida pela formula da Matrix/DNA que ja tinha em si mesma este aparato exeutando esta funcao. Na unidade de informacao do DNA, por exemplo, ja havia um pricipio de mquina de bombeamento ( um coracao), a qual e’ a molecula denominada “acucar” que tem em cada nucleotideo, encaixada nas hastes. Aqurla molecula bombeia o circuito de energia que flui entre as moleculas do nuckeotideo.

 

Vamos entao localizar na formula (no seu aspecto de software) onde esta a lei universal que dota os sistemas de uma peca com a funcao de bombeamento?

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Formula da Matrix/DNA

Pois e’, fica facil perceber que a funcao do coracao corresponde a figura na funcao 1. Mas vamos ver melhor no desenho rustico, feito a mao na selva:

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

A formula da Matrix/DNA manifestando-se como alguns dos sistemas naturais: sistema celular, sistema nucleotideo, sistema astronomico, etc.

Aqui percebe-se melhor como o material que flue dentro do canal esferico que se constitui no circuito sistemico, chega ao vortex na funcao 1 e e’ bombeado de volta para o circuito. Inclusive o coracao dos animais superiores desenvolveu uma forma biologica do canal sistemico como se pode ver na figura do coracao acima.

Algumas curiosidades surgem aqui. Qunado a formula esta na forma astronomica, toda vez que o material sai de F7, o sistema morre. E’ a materia interna que corre por dentro do canal que recria o vortex F1 e este recria o sistema. Ou seja, ao morrer uma sistema estelar ou uma galaxia, o seu material se constitui numa nebulosa de detritos que forma outro sistema estelar. Interpretando assim, literalmente, toda vez que um humano respira, quando exala todo o ar dospulmoes, o seu corpo morre por alguns milionesimos de segundos, mas quando se inspita o ar novamente, o mesmo corpo volta `a vida. O quemantem o corpo vivo sem mrrer na verdade, deve ser o cerebro, que se mantem ativo a cada lapso em que o organismo morre. Em todo caso, a formula e’ flexivel para se adaptar as diferentes situacoesdos sistemas e assim vemos como ela se desdobra na longa evolucao universal…a qual nos possibilita uma visao muito maior, cosmica, dos fenomenos na Terra e suas evolucoes, que a teoria Darwinista.

Pesquisa

  1. O coracao também produz um hormonio denominado de Peptídeo natriurético atrial, responsável pelo controle da volemia e concentração de íons Na⁺ ( Ver Wikipedia) : O que e’ este peptideo, o que e’ volemia e porque controlar ions? Isto pode lancar luz sobre este hormonio ao se comparar sua producao com a producao do material estelar. 

2.  Estudar as origens e evolucao do coracao para aprender melhor como a formula trabalha, como se reproduz atraves de varios degraus evolucionarios:

Conforme a filogenética, o coração começa a ocorre de forma simples no filo Mollusca e permanece evoluindo nos demais filos conseguintes.

Coracao no Mollusca:

Os moluscos constituem um grande filo de animais invertebrados, marinhos, de água doce ou terrestres, que compreende seres vivos como os caramujos, as ostras e as lulas.

Wikipedia em Ingles: Circulatory system

Molluscs’ circulatory systems are mainly open. Although molluscs are coelomates, their coeloms are reduced to fairly small spaces enclosing the heart and gonads. The main body cavity is a hemocoel through which blood and coelomic fluid circulate and which encloses most of the other internal organs. These hemocoelic spaces act as an efficient hydrostatic skeleton.[7] The blood contains the respiratory pigment hemocyanin as an oxygen-carrier. The heart consists of one or more pairs of atria (auricles), which receive oxygenated blood from the gills and pump it to the ventricle, which pumps it into the aorta (main artery), which is fairly short and opens into the hemocoel.[9]

The atria of the heart also function as part of the excretory system by filtering waste products out of the blood and dumping it into the coelom as urine. A pair of nephridia (“little kidneys”) to the rear of and connected to the coelom extracts any re-usable materials from the urine and dumps additional waste products into it, and then ejects it via tubes that discharge into the mantle cavity.

 

A Origem e Evolução dos Órgãos Internos dos Organismos Vivos sob a Perspectiva da Formula da Matrix/DNA.

quinta-feira, junho 2nd, 2016

xxxx

A seguinte frase abaixo me alertou para um grande problema:

” The atria of the heart also function as part of the excretory system by filtering waste products out of the blood and dumping it into the coelom as urine.”

O problema e’ que vou ter de abrir mais um capitulo que sera gigantesco, talvez de um livro de 600 paginas e uns 30 anos de trabalho. Trata-se de pesquisar e descrever toda a evolução dos órgãos dos seres vivos, a partir do primeiro ser vivo, ou ainda da primeira molécula conhecida, provavelmente o RNA, sob a perspectiva da formula da Matrix/DNA.

Nesta frase podemos ver que `a medida que se desce na escala da evolução, os muitos órgãos modernos vão se contraindo a números menores de órgãos, sendo que os órgãos dos primitivos executavam muitas funções ao mesmo tempo. Vemos na frase que as funções de reciclagem ou bombeamento do circuito ( feitas pelo coração) era feita ao mesmo tempo que a função de excreção.

Isto vem do fato de que a formula da Matrix – quando vai desenvolver uma nova forma universal de sistema – pode começar com uma so peça, um so corpo material e depois, aplicando sobre ele a força do ciclo vital, transforma este corpo em no minimo sete derivados. Assim, o primeiro corpo tem que executar todas as sete funções de maneira simultânea e primitiva.

Então esta pesquisa vai ter que encontrar e definir o formato do primeiro tipo de órgão depois estudar como ele se abriu em diversos tipos de órgãos.

E para que fazer isso? Ora, se não se conhece as origens, o desenvolvimento, e o significado existencial de um objeto, não se pode entende-lo e domina-lo, como por exemplo, curar suas disfunções. Alem disso, esta pesquisa pode ampliar em muito o leque de conhecimento sobre a própria formula da Matrix/DNA

Anatomia do Sistema Reprodutor Masculino – Ótimo Video

sexta-feira, janeiro 15th, 2016

xxxx

A maioria dos homens morrem sem saber o que e’ próstata, ou o que tem dentro daqueles ovos, etc. Este video surpreende com uma complexidade existente que não imaginávamos.

Human Physiology – Functional Anatomy of the Male Reproductive System

https://www.youtube.com/watch?v=v22CjFYizi0

xxxx

E como não podia deixar de ser, publiquei um comentário no video:

Louis Charles Morelli – Jan – 15 – 2016

So, I have invented a contraceptive male method. Attach two ice’s stones at the scrotum, before sexual intercourse. The sperms will freeze and not go up. My mother said that I am a genius, she was pretty right!

Barba: Qual sua função e porque mante-la

sábado, julho 4th, 2015

xxxx

Em 2012, foi descoberto que barbas em homens bloqueiam 90-95% dos raios ultravioletas (UV), retardando assim o processo de envelhecimento e reduzindo o risco de câncer de pele [20]. Além disso, os pêlos faciais bloqueiam o pólen e poeira, reduzindo os sintomas de alergias sazonais e retém a umidade e protege contra o vento, mantendo o homem com um aspecto mais jovem. Além do mais, o ato de se barbear é geralmente a causa de pêlos encravados e infecções bacterianas que levam à acne [21, 22].

[21] Quarles FN, Brody H, Johnson BA, Badreshia S, Vause SE, Brauner G, Breadon JY, Swinehart J, Callendar V. Pseudofolliculitis barbae. Dermatol Ther. 2007; 20(3):133-136.

[22] Ribera M, Fernández-Chico N, Casals M. Pseudofolliculitis barbae. Actas Dermosifiliogr. 2010; 101(9):749-57.

Pesquisadores Descobrem de Onde Veio o Penis na Terra, Mas a Matrix/DNA de Onde Ele Veio do Céu

sexta-feira, dezembro 5th, 2014

xxxx

Mystery solved: Where the penis comes from

http://news.sciencemag.org/biology/2014/11/mystery-solved-where-penis-comes

Tiny buds where legs should be if snakes had legs are the beginning of this snake embryo's paired penises.

Tiny buds where legs should be if snakes had legs are the beginning of this snake embryo’s paired penises.

 

E meus comentarios postados no News Science:

 

Avatar

While you ask: “Exactly how does the penis form?”, we, at Matrix/DNA Theory ask: “What have formed the penis? How and where Nature got the idea for making penis?! Which were the forces, mechanisms and elements, from the non-living word, used by Nature to make penisis?

The answer is in the Matrix/DNA universal formula for natural systems. Biological penis is evolution from giant volcanoes formed at old planets’ surfaces. These volcanoes expels magma from nuclear reactions to the space in shape of comets, which were the ancestors of spermatozoids. Comets carry on inside the bits-information from the astro, which were the ancestors of chromosome Y. Comets are driven by spiral magnetic lines towards the “white hole” at the center of the building block of astronomical systems, which performs the female function of vaginas. These “vaginas” are surrounded by a beautiful and luminous “quasar” ( which are the ancestors of women, flowers, everything that can attract the male chromosome). See at Matrix/DNA website the diagram picturing how X and Y are formed at astronomical dimensions.

Am I wrong? Yes… this extraordinary engineering of sexual reproduction was invented first time by the stupid matter of this lost planet… is it right?  Or you have seen a magical god creating it from nothing? I am telling you: biological evolution is merely a continuous process from cosmological evolution. Everything Nature did here – included pehisis and vaginas – has its simplest ancestor shapes in the sky. But… who or what did the sky… I have no idea…

“Tiny buds where legs should be if snakes had legs are the beginning of this snake embryo’s paired penises.”

This is wrong! The shape of Snakes are copies of the spherical circuit of the universal natural formula for any systems, and the tiny buds are just at the location where works the function that built the male counterpart of its reproduction. Legs are a thing developed later by biological systems from the original structure called flagella and cilia.

“Now that they understand the penis’s origin…”

Here is a big problem prejudicing the human reasoning and going far away of the beam. There are no “origins” of anything, no origins of life, no origins of universes. Everything is product of transformation from something less complex, a slow and gradual process coming since the Big Bang. We never should use this word “origin” because it is the cause producing mystic and magical thought. If there were origins of something, it should meaning that something emerged at the long flow of causes and effects coming outside this flow, by supernatural forces, even that this “supernatural” is believed to be absolute randomness. This word and the concepts behind this word is a science-stopper: these researches never will do what we are doing at matrix/DNA world view: searching the deep roots of “penis” evolution till finding its first manifestations at the Big Bang. There was a kind of program running inside snakes, lizards, that drove the development of penis and clitoris and this program is coming from cosmological evolution as our models shows it.

“They pinpointed the cells destined to become the penis, but those cells differed depending on the species studied…”

Big confusion here. Snakes, birds, lizards are “natural systems”. And natural systems are built by a universal template, a kind of formula. This formula have seven different systemic functions, which models matter building its material tool, used by the function to perform its systemic job. This formula is encrypted at any lateral-pair of nucleotides, the fundamental unit of information of the DNA. Natural closed systems have the bias to be spherical with planned surfaces, but opened systems needs to create extensions from the planned surface for interacting with the external world. Then, this is the job of Function number 4 ( see the formula at Matrix/DNA website) and it will build the right extension for the right needs of the new system. The needs can be tails, legs, hair, or penisis, which will determinate the specific specialization of the cells located at that region. But, the immediate ancestor of all biological systems did not need legs, tails or wings, it had only the ancestor for penisis, because the ancestor was self-replicating. So, the natural bias of these cells is to build penisis, clitoris. While legs, tails, came later modelled by the interactions at the new terrestrial environment.

Corpo Humano: Quadro Animado da Respiração

sábado, outubro 25th, 2014

xxxxxxx

Registrado para pesquisa:

https://plus.google.com/u/0/explore/scienceeveryday

http://tabletopwhale.com/

Porque os seres vivos foram feitos “respiradores”?! Ou,… porque os seres vivos “se fizeram” respiradores?! Parecem uma bomba funcionando, até mesmo enquanto estão inertes, dormindo! A respiração deve ser algo de tremenda importância para que um composto de matéria tenha vida, pois bastam uns poucos minutos sem respirar e o corpo morre! Se tem tanta importância para nós, precisamos conhecer bem esse negócio. Tentei encontrar respostas nas Ciências, mas não encontrei. Isto porque a Ciência descreve o que vê, mas não menciona de onde vem o fenômeno, e qual o significado existencial do fenômeno.

Porque a cada segundo um sistema natural denominado “corpo humano” realiza um ciclo em que absorve do ar muitos átomos de oxigênio e emite todos aqueles átomos de oxigênio acompanhados por átomos de carbono que estavam dentro do corpo?! É como se cada átomo de oxigênio que entra na inalação, vai dentro do corpo, agarra um átomo de carbono e carrega-o para fora. Porque os átomos de carbono do meu corpo tem que serem expulsos a cada minuto?!

Tenho encontrado as explicações do porque e os significados existenciais de cada fenômeno da natureza sempre quando consulto os mapas, a fórmula da Matrix/DNA. E aqui, mais uma vez ela não me deixou na mão, vindo mais uma vez com uma resposta surpreendente, que nunca fora imaginada antes. No final, resumindo, é o seguinte: partes do seu corpo morrem a cada minuto, e a cada minuto renascem. Isto no seu nível atômico. Seu corpo, no nível dos seus átomos, parece-se com uma galaxia. Formada de bilhões de sistemas estelares. E assim como no céu, a cada momento morre um sistema estelar e nasce outro, assim no seu corpo morre uma aglomerado de átomos e são substituídos por outros vindos pelo ar! Na respiração.

O corpo humano é um sistema natural que tem uma vida de, digamos, 80 anos. Este sistema é composto de sistemas celulares, cada célula tem uma vida de alguns dias. Os sistemas celulares são compostos de sistemas atômicos, que tem uma vida de algumas horas. Os sistemas atômicos são compostos de sistemas-partículas, as quais tem uma vida de 17 bilionésimos de segundos. Então durante uma vida de um corpo humano, surgem e desaparecem milhões de gerações de células,  surgem e desaparecem bilhões de gerações de átomos, trilhões de gerações de partículas. Nós morremos apenas uma vez, mas assistimos quatrilhões de mortes ocorrendo dentro do nosso corpo. Se não morremos em 17 bilionésimos de segundo como as partículas que são os tijolinhos básicos do nosso corpo, morrem, é graças à hierarquia dos sistemas. E isto se descobre apenas observando e se perguntando o que é a… respiração.

Vamos tentar conhecer este fenômeno da respiração levantando tudo o que a Ciência descobriu, mas antes, vamos dar uma olhada na fórmula da Matrix/DNA para explicar detalhadamente o que ela disse acima.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

O desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Bem,… aí está a formula universal para todos os sistemas naturais e o meu, o seu corpo, é um sistema natural. De chofre, já vemos que a fórmula tem uma “bomba”, que é F1. Em seguida procuramos se este sistema respira, mas não vemos onde e como. É compreensível pois esta figura retrata apenas a fórmula no seu estado de sistema fechado em si mesmo, e não no outro estado, que é o aberto a trocas com o mundo exterior. No sistema fechado nada entra ou sai, portanto, não respira. Mas tambem é quase certo que quando uma ou mais peças do sistema se abre para relações com algo do mundo externo, o sistema ainda continua sem respirar. Então porque os sistemas biológicos foram feitos “respiradores”?

Voltando ao infográfico acima, e observando o movimento, temos a impressão que o sistema nasce e morre continuamente. bem agora começamos a perceber os princípios da respiração, na fórmula. Pois a fórmula faz com os sistemas fechados sejam auto-recicláveis. Toda vez que o fluxo de energia/informação chega a F7, a peça que representa o estado de “cadáver” do sistema, o sistema morre. Mas sua massa degradada se une com F5, que é energia nova, crescente, e constrói F1, de onde o sistema renasce.

Bem,… já sentimos que a respiração está relacionada com o ciclo continuo de nascimento e morte. Mas no sistema fechado isto não é respiração, pois entre a morte e o renascimento nada entra de fora, enquanto entre a inspiração e exalação, entra o O2 e sai CO2.

Esperem aí…! Uma intuição, uma novidade nunca pensada antes está pintando agora por aqui.

Porque os átomos de oxigênio e carbono?

E não outros quaisquer?

Estes dois átomos são de extrema importância para a fórmula da Matrix/DNA.

O Carbono é numero atômico 6, tem 6 prótons e 6 elétrons. É o único átomo no mundo que é 6. E uma breve olhada na fórmula, vemos que ela tem 6 peças, cada qual representando uma função sistêmica universal. Já há 30 anos, desde quando ví a fórmula pela primeira vez, e me perguntei porque o Carbono foi o escolhido para iniciar a Vida, iniciando as primeiras moléculas orgânicas, colocando-se no centro de todos os aminoacidos, obtive o parecer das Ciências: é porque o Carbono é um átomo “amigável”, flexível, ele se combina com os outros átomos, facilmente. Ora, mas porque o Carbono é mais amigável que os outros? Qual a propriedade especial que ele tem, que os outros não tem? Ninguem respondeu, ninguém sabia.

Comecei então a olhar o átomo de maneira nova. Por exemplo, é possível que cada par “proton/neutron”, ou mesmo cada trio “proton+neutron+1 eletron”, seja no sistema atômico, a ferramenta material em que se encarna uma função sistêmica.

Para quem não está treinado a pensar o mundo tendo como base a Matrix/DNA, vou informando que a matéria no inicio era uma só. Digamos, era a dark matter, ou o eter, ou a massa inerte do campo de Higgs, ou seja lé que outro nome queiram dar, não importa: o que entendo por matéria é a substancia que preenche o espaço. é a substancia do espaço. A matéria era uma só, igual em todas as regiões do Universo. Mas ela foi invadida, penetrada, pela LUZ. Talvez ondas de luz emitidas pelo Big Bang. E a LUZ, não é uma só. Ela tem um numero infinito de formas, porem, nós, para facilitar nosso trabalho, classificamos todas estas formas em apenas sete grandes grupos, aos quais chamamos de frequências. Então temos a frequência que vemos como sendo ultra-violeta, outra vemos como infra-vermelha, etc. Ora, cada frequência tem seu estado vibratório diferente de todas as demais.

Então quando uma onda de luz penetra a matéria, a substancia espacial inerte, ela vibra, sacudindo essa substancia. E então a substancia se quebra em pedaços, porções, porque ela não pode ter uma parte vibrando forte como na frequência do raio gama e outra parte vibrando fraco, como na frequência do radio. Cada pedaço, cada porção se divide do todo vibrando na sua intensidade especifica. Se são sete principais tipos de vibrações, já temos aí a matéria se diversificando, se apresentando em sete formas diferentes.

E o que aconteceu a seguir, nas origens deste mundo?

Vamos trazer para cá a “figura” da LUZ, segundo o que tenho interpretado dela:

Light - The Electro-Magnetic Spectrum

Creio que uma onda se luz se expande em ondas circulares concêntricas, como aquelas que vemos quando uma pedra bate na água parada de um lago. Mas isso não aparece na tela do medidor e do computador, apenas vemos ela na forma dessa linha ondulatória. Então, à direita, a vibração é a mais forte, depois vai enfraquecendo à medida que avança para a esquerda… na figura. Ora, isto significa que a fonte da onda está à direita. É como se pedra que bateu na água estivesse à direita. Apenas menciono isso para notar algo muito importante: a onda obedece uma sequencia de frequências/vibrações. Toda onda em qualquer lugar e tempo obedece sempre a mesma sequencia, onde o 1 é gamma-ray, o 2 é X-ray, e assim por diante. Então o 3 vai sempre ser vizinho do 2 e do 4. Isto faz com que, se a onda for quebrada em sete partes, cada parte com uma frequência, e depois estas partes se encontrarem em algum lugar, o 3 vai ter uma força de atração com o 2 e o 4, mais que com o 5, o 1 o 7.

Isto foi repetido nos movimentos migratórios humanos, fato que serve para ilustrar o que ocorria com nossa ancestral onda de luz nas origens do Universo. Pegamos como exemplo, a cidade de New York. para ali vieram povos de muitos lugares do mundo, mas eles se misturam mais no centro da cidade, enquanto se dividem mais nas periferias. Existem os bairros chinês, o hispano, o italiano, o irlandês. Porque? Ora porque ao chegar de mala e cuia em New York e ao encontrar pessoas vindas do mesmo lugar, o chines tende mais a se juntar a outro chines que a um italiano. Primeiro fator é porque falam a mesma língua. Existe uma mais forte atração mutua entre dois chineses de New York porque eram vizinhos de onde vieram. E antes que se misturem com alemães, mexicanos, a tendencia é antes se misturarem com vietnamitas, coreanos… porque tem os mesmos olhos apertados e costumes, culturas , mais similares. O pedaço de ultra-violeta, ao se encontrar numa região distante, tende se emparelhar com outros ultra-violeta, mas antes de se misturar com microwave ou radio, ele prefere se relacionar com X-ray e Visible, porque é mais fácil ligar uma ponta de sua vibração com a destes dois. Cada dois vizinhos tem entre si uma continuidade da intensidade de vibração. Isto é muito importante para entender porque o mundo de hoje ficou assim.

É importante porque uma onda de luz original trouxe para o Universo o requisito fundamental para que existam sistemas naturais e a Vida. Pois cada sistema natural – para ser realmente um sistema e completo – tem que ter no minimo seis partes, seis peças, seis órgãos. Isto é fácil vendo-se a fórmula da Matrix acima. Não existiria F2, que representa, por exemplo, a forma da semente, se não existisse F1, que representa a fonte criadora inicial do sistema. Cada peça é a soma de uma cópia da peça anterior mais alguns acréscimos de complexidade, ou seja, cada peça é o mesmo que a peça anterior transformada. Não existiria uma criança se não existisse um bebê: cada criança é a soma de uma cópia de um bebê mais o acréscimo de alguma complexidade, ou seja, cada criança é um bebê transformado. Assim, cada frequência da Luz é uma forma continua de uma frequência anterior. E assim chegamos à definição literal, genuína, do que é um ciclo vital.

O que mais diferencia um corpo vivo de uma pedra é que o vivo se move, enquanto a pedra é estática. A Luz se move, portanto… não é como a pedra estática. Este movimento é relacionado com a dimensão “espaço”. Mas tem tambem o movimento relacionado com a dimensão “tempo”. Aqui tambem apenas os vivos se movem, as pedras não. É um movimento sem deslocamento no espaço. É o movimento de um corpo pequeno se tornando grande, jovem se tornando adulto. Este movimento em relação ao tempo é o ciclo vital.

O ciclo vital aplicado a um corpo gera um interessante efeito: ele faz o corpo mudar suas formas, ele transforma o corpo, e depois transforma o que foi transformado… Isto vem da onda de luz: a inicial forte vibração gamma-ray apresenta uma forma de espectro, mas o gamma ray se transforma em X-ray, que tem outra forma no espectro… Em outras palavras, foi a onda de luz original que trouxe para este mundo o código do processo do ciclo vital, o qual é o código da Vida.

Se cada porção da matéria penetrada pela luz se se separa das outras porções porque vibra diferente das outras, e se depois todas estas porções são misturadas, cada porção vai procurar primeiro se relacionar com seu vizinho antes das separações. A porção vibrando em gamma-ray vai se unir com a porção X-ray, e mais acolá a porção Infrared vai se relacionar com a porção em microwave… Nunca o infrared vai cair de amores primeiro com um Radio antes de cair pelo microwave. Dentro de um navio, o chinês só vai conseguir falar bem com outro chinês, e não com um alemão.

É nessa sequencia de vizinhos que as partes vão se juntando, primeiro, dois a dois, depois três, depois grupo de quatro. No final, todos se unem formando um grupo de sete, porem podes ver, que o chines ficou perto do coreano que ficou perto do indiano que ficou perto do inglês que ficou perto do americano… Assim a Natureza montou o primeiro sistema natural perfeito de matéria. Imitando a onda de luz perfeita. E assim o sistema funciona, adquire vida. Portanto, a fórmula da Matrix/DNA para sistemas naturais é ao meso tempo, a mesma figura acima do espectro de uma onda de luz. isto porque a fórmula da Matrix tambem está sob as regras da evolução, do ciclo vital, e sua primeira forma neste mundo foi na forma de uma onda de luz.

Bem,…

Começamos a falar de respiração e acabamos dando uma volta pelo Universo inteiro, não apenas em relação a seu espaço, mas tambem em relação aos seus 13,7 bilhões de anos, seu tempo total. E porque demos essa volta? Nós estávamos nos perguntando porque o átomo de carbono foi o escolhido para ser o eixo central da Vida. E mencionei que fiz a pergunta a alguns experts na época, sobre qual a propriedade especial do carbono, e ninguem sabe. Mas existe uma resposta, porem ela está na fórmula da Matrix/DNA.

A vibração parece ser o primeiro tipo de movimento que surgiu neste espaço onde hoje se assenta o Universo. O pessoal que lida com a quântica está tambem chegando a esta conclusão, quando sentem ver que do vácuo total brotam vibrações, que geram as primeiras partículas, etc. Em outras palavras – e se trouxéssemos Darwin para definir com suas palavras o que é vibração – vibração é o LUCA, o ultimo ancestral comum a todos os tipos de movimentos existentes no mundo hoje. Ela parece ser a origem de todas as forças naturais. Ela parece ser a origem do que entendemos por “trabalho”. Mas existem sete grupos de vibrações. É o mesmo que dizer que existem sete tipos de “trabalhadores”. De forças. Estes trabalhadores, estas forças, na formula da Matrix/DNA ganha um nome: função sistêmica. São a F1, a F2, e assim por diante. São as vibrações gamma-ray, X-ray, e assim por diante.

Com isso podemos agora argumentar do porque penso que o carbono é, dentre todos os 100 ou 200 tipos de átomos que existem, o único que representa fielmente a Matrix/DNA. É porque um sistema completo tem que ter no minimo e não mais que seis funções universais. Mas estas funções metafisicas, invisíveis, sempre fabricam uma ferramenta para poderem operar num determinado ambiente, essa ferramenta é o corpo em que ela encarna para executar um trabalho. O átomo é um sistema formado por partículas, portanto as funções encarnam partículas quando precisam atuar no meio dos átomos.  Você se lembra daquelas fórmulas aprendidas ainda na escola elementar, quando os átomos tinham aquelas ondas concêntricas que se chamavam camadas eletrônicas e cada uma tinha um simbolo: S1, P2, d3, etc. até a ultima, que era 7. Pois eu tive que fazer um novo modelo do sistema atômico quando encontrei a fórmula da Matrix/DNA. Sendo um sistema natural, o átomo é um nosso ancestral primitivo, pois nós somos sistemas naturais mais complexos. O átomo é tão ancestral nosso quanto foi a bactéria, os repteis, os mamíferos de quatro patas. Se nós somos vivos, é porque no átomo já existiam os os princípios da Vida. E os modelos atômicos feitos pelas Ciências – seja o antigo de Rutherford, ou o moderno da quântica – são átomos mortos, eu preciso de dar vida aos átomos, eu preciso de modelos onde os átomos tem direito à vida. A forma que encontrei foi um modelo onde cada camada eletrônica é um campo de uma função sistêmica universal. Cada camada é uma parte do sistema. Um órgão. Então, no meu modelo, o átomo é um sistema primitivo que pode ou não expressar um órgão. Ele expressa quando tem ao menos um elétron, o qual traz atividade de órgão. Nós temos sete sub-sistemas, cada qual com um órgão central. Então o átomo é um ser vivo tão primitivo que as vezes ele só tem um coração ( o núcleo) e um figado funcionando ( a camada 4). Esse é o hélio, meu grande amigo de outrora, das noitadas à beira da fogueira. Outro átomo é um sujeito ambulante que anda só expressando o coração, o figado e o estomago. Este é o átomo com numero atômico 3. E assim por diante. tem átomos que expressam exageradamente um monte de órgãos repetidos, como o Uranio214.  Mas tem apenas um átomo que representa todos os seis órgãos e apenas eles sem repetição, criatura fiel da Matrix/DNA. É o átomo do Carbono. Por isso foi escolhido para ser o primeiro e mais importante no corpo do senhor da Terra.

Você ainda pode estar com um grilo incomodando-o. “Mas… podes pensar – “vejo na fórmula sete funções e não seis.” Um momento. Estamos falando do sistema em sua estrutura existencial num determinado momento. A F5 apenas reproduz um sistema em outro. Ela faz o sistema se propagar no tempo. Mas fixe o sistema num momento para estuda-lo, sem estar movendo-se auto-reciclando-se, e a F5 desaparece. A prova disso está no núcleo celular. A unidade fundamental de informação no DNA é composta dos dois açucares laterais mais as 4 bases nitrogenadas. São seis funções. A sétima, que é a uracila, apenas tem no RNA.

Bem, nós falamos muito do Carbono. O outro átomo da respiração é o Oxigênio. Porque o oxigênio? Vamos á fórmula da Matrix/DNA.

O Oxigênio é numero atômico 8, significando que tem oito prótons, oito elétrons. Isto significa que quando a fórmula da Matrix formou se reproduziu completa no nível atômico, na forma do carbono, ela continuou a evoluir os átomos, para formar a natureza diversificada que temos hoje. Do carbono 6 veio o átomo 7, depois o 8, depois o 9… Isto significa que cada par de próton/elétron acrescentado reforçou uma das funções sistêmicas. Se a F3 tiver duas partículas ao invés de uma como as demais, a função o que ele representa vai ser a dominante no sistema. É a propriedade principal, dominante de cada tipo de átomo que revela qual a função está reforçada. Ora o oxigênio é oxidativo, ou seja, ele corrói os materiais. Portanto deve ser um agente entropico. Na formula, existem dois agentes entrópicos, que são F6 e F7, todos os da face direita. A face onde o sistema entra em degeneração e leva à morte. Então o oxigênio 8 entrou ali naquela faixa entra F7 e F1. É o agente da morte, por isso é corrosivo. Mas lembre-se que em termos de fórmula da Matrix/DNA,  a morte não é pior que o nascimento, a morte não é algo ruim, negativo, pois sem ela, o sistema teria apenas uma vida curtíssima. Ela mantem o sistema existindo quase eternamente, pois ela é necessária para a sua auto-reciclagem. Estamos falando de sistema fechado em si mesmo.

Para finalizar, entendi porque a respiração utiliza C2 e O2. Sabemos que o nosso corpo tem vários diferentes níveis de realidade, varias diferentes dimensões, formadas por diferentes tipos de organização da matéria. Tem a dimensão atômica, a dimensão celular, a dimensão dos órgãos… Sabemos que na dimensão celular, as células tambem nascem e morrem. As células nascem e morrem, o corpo inteiro nasce e morre… todos os sistemas nascem e morrem. Isso inclui os átomos. Sabemos que as células que morrem são substituídas por novas porque as células se dividem, auto-reproduzindo-se. Mas e os átomos? Como a estrutura do corpo humano no nível dos átomos substitui os átomos que morrem por átomos novos? Eles não se dividem auto-reproduzindo-se. Ora, assim como o corpo é formado de partes, órgãos, que são grupos de células, assim tambem no nível atômico, e formado por regiões de átomos, que são grupos de átomos. Cada região tem como unidade fundamental a formula da Matrix que é um átomo de carbono, e depois a ele se acrescenta mais átomos com mais ou menas partículas. Se quisermos desintegrar um figado para renova-lo, vamos separar suas células; se quisermos desintegrar uma região de átomos para renova-la, vamos separar seus carbonos. Para separar um carbono de outro, só mesmo matando-os. Isto faz o matador Oxigênio. Então o oxigênio entra no corpo vindo com o ar, cada qual se atrela a um carbono, mata-o, separa-0, e leva-o embora, para fora do corpo. Por isso na respiração entra O2 e sai CO2. Cada oxigênio é como um caixão de um defunto carbono. E como se repõe cada carbono retirado? Ora, o carbono tambem é o centro da vida vegetal. Nós adquirimos os carbonos substitutos quando nos alimentamos.

Sabemos que o corpo humano é um macro-sistema biológico que respira, inalando O2 e eliminando Co2. Este macro-sistema é composto de níveis de sistemas químicos, atômicos celulares. Sabemos que no nível celular a respiração libera energia, no nível químico ativa o metabolismo das moléculas ricas em energia como a glicose. Então é como se um evento de inspiração/inalação começa num patamar de complexidade superior e vai se desdobrando, alcançando os patamares inferiores, menos complexos, até chegar ao nível atômico. Acabamos de teorizar o que realmente ocorre no nível atômico, apenas.

Outro fato que precisamos mencionar apenas rapidamente aqui, é que a Matrix nunca para em ponto nenhum dentro do Universo quando quer explicar o significado existencial de um determinado fenômeno natural. Ela sempre faz o serviço completo, indo do Alfa ao Omega e depois retornando do Omega ao Alfa. Ou seja, ela conta a história da evolução de 13, 7 bilhões de anos de cada objeto, cada fenômeno apresentado aos nossos olhos pela Natureza. Então, se descobrimos o que é a respiração ao nível do corpo humano, ao nível do átomo, como estava ela antes do átomo? Chegamos assim nas origens do Universo e vemos a respiração acontecendo entre os balões de Yukawa. Mas isto é outra longa história…

Bem,…

Eu nunca tinha pensado nisso…

Foi a imagem, o infográfico da respiração, visto por acaso na Internet, que começou tudo isso. Ele é o culpado, se tudo aqui estiver errado, não eu,…

Mas existe a possibilidade de que esteja quase tudo certo… e nesse caso, um ato de louvor ao artista do infográfico.

Agora, só nos resta pesquisar mais, testar esta nova teoria. A qual abriu minha mente para detalhes intrigantes da Natureza, do meu próprio corpo, que nunca percebera antes… E mais uma vez a fórmula da Matrix/DNA mostrou que ela pode impregnar as coisas com sua lógica impecável.

xxxx

Pesquisa do Fenomeno da Respiração, em Todos os Niveis de Organização da Matéria:

Respiração ( breathing)

Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Breathing

Co2, Gas Carbonico 

( em andamento)

Menstruação/Ejaculação: Entendendo-as Por uma Nova Perspectiva

quarta-feira, agosto 27th, 2014

Este artigo e pesquisa é baseado no artigo publicado em:

Fôlha de São Paulo

http://darwinedeus.blogfolha.uol.com.br/2014/08/05/bodas-de-sangue/

Essa equivocada tendencia da filosofia cientifica moderna em projetar os valores humanos desta época, como a violência e a competição, em todos os fenômenos naturais, esta causando, entre muitos malefícios, o emperramento da nossa medicina. As disfunções do organismo e as grandes doenças tradicionais continuam matando e torturando sem que a medicina as elimine atacando o mal pela raiz porque a atual visão do mundo está equivocada e assim não percebem as causas fundamentais de tais distúrbios. As mulheres, por exemplo, vão continuar ainda por algum tempo sofrendo as disfunções da menstruação e inclusive uma TPM que não tem razão de ser, não aconteceria se elas soubessem a verdadeira realidade do mundo e significado das coisas. E agora chegam ao absurdo de quererem jogar as mães contra os fetos que gestam, como se fetos tivessem culpa, ou tivessem autonomia de ação, preferencias, etc. Por isso insisto em artigos como esse, que alias, me ajudam em mais temas para mais pesquisas. Veja abaixo minha primeira abordagem num comentário que ainda tentarei postar na Folha:

Bodas de sangue

POR RLOPES

05/08/14  16:44

Por que as mulheres menstruam, afinal de contas? As moças que sofrem com esse incômodo mensal, bem como as variações de humor que podem acompanhar o período imediatamente anterior a ele (a célebre TPM), sem falar nos membros do sexo masculino que convivem com elas, certamente já se fizeram essa pergunta angustiada inúmeras vezes. Acontece que, até onde sabemos, a menstruação é um dos detalhes mais interessantes da biologia humana quando se trata de explicar certos mecanismos-chave da evolução.

A começar, claro, pelo fato de que esse negócio de ter as “regras” mensais (como dizia a sua bisavó) é relativamente raro entre mamíferos. É basicamente coisa de primatas de grande porte como nós e alguns morcegos, entre outros bichos. E parece ter relação direta com o tipo especial de placenta que caracteriza a gravidez humana.

Ah, a placenta! Essa maravilhosa bolsa protetora que a mamãe produz para aconchegar seu bebezinho ao longo de nove meses! Né?

Mentira, excelso leitor. Quem produz a placenta é o organismo do próprio feto. E, em espécies  como a nossa, ela não se comporta de um jeito propriamente fofinho.

ESQUEMA MAFIOSO

Digo isso porque a placenta dos primatas de grande porte é um tecido altamente invasivo, comportando-se de maneiras que lembram o funcionamento de um tumor (inclusive do ponto de vista dos detalhes moleculares, como os genes que se ativam ao longo desse processo).

Para ser mais específico, a placenta dos fetos humanos é capaz de rasgar as paredes do endométrio (o revestimento interno do útero) e cravar seus dentes (metaforicamente, é claro) nas artérias que estão por baixo dele, fazendo com que os vasos sanguíneos passem a desviar seu conteúdo diretamente para o futuro bebê. É tipo um “gato” biológico. Além disso, o feto é capaz de usar estratégias mais insidiosas, como a manipulação hormonal direta do organismo da mãe graças à conexão sanguínea entre os dois. Não é impossível que mães de meninos, embora sejam (óbvio) mulheres, carreguem células com o cromossomo Y, a célebre marca genética da masculinidade, em seu organismo. Isso porque células derivadas de seus bebês ainda circulam pelo corpo delas mesmo vários anos após a gravidez.

É aqui que, do ponto de vista da biologia evolutiva, a coisa começa a ficar interessante. Sei que isso vai soar um pouco cínico, mas há excelentes razões para acharmos que existe um conflito de interesses fundamental entre mães, pais e bebês. Assim como crianças às vezes abusam da boa vontade dos genitores e fazem birra querendo mais brinquedos/chocolates/videogames do que os pais conseguem bancar sem ir à bancarrota, fetos também podem “querer” demais do organismo da mãe (entre muitas aspas, claro, porque fazem isso sem a menor consciência do que estão fazendo). Acabam manipulando de forma agressiva demais o organismo da grávida, desencadeando, por exemplo, problemas como pressão alta e diabetes, justamente por serem “gulosos”.

Do ponto de vista do feto, escangalhar a saúde da mãe, desde que ele receba muitos nutrientes para virar um bebezão grande e saudável, “vale a pena”. Curiosamente, em geral, essas situações parecem ter ligação com a ativação desenfreada de genes legados ao feto pelo pai (lembre-se de que todos nós temos duas cópias de cada gene, uma vinda do pai e a outra, da mãe). É claro que, de novo, pelo lado paterno, o “interesse” inconsciente, do ponto de vista genético, é produzir um bebê altamente saudável, enquanto a saúde da mãe, em si, não importa tanto.

Finalmente, é preciso considerar o ponto de vista da mãe, importantíssimo, claro: não vale a pena perder a saúde por conta de um único bebê se ela ainda tem chances de se reproduzir outras vezes no futuro. Fica armado o cenário, portanto, para o cabo-de-guerra — o que nos leva, finalmente, à menstruação.

FAXINA

Diante da necessidade da mãe de não ser manipulada a esmo por fetos gulosos e egoístas, o mínimo que ela pode fazer é realizar uma “triagem” rigorosa (de novo, óbvio, totalmente inconsciente e de natureza bioquímica) da qualidade dos embriões que podem se implantar em seu útero. Ocorre que a primeira “linha de defesa” é o próprio endométrio — o qual, diferentemente do que a gente poderia imaginar, é um lugar RUIM para a implantação dos embriões. Para eles, conseguir se fixar no útero costuma ser justamente DIFÍCIL porque o endométrio lhes impõe uma série de circunstâncias inóspitas. Só os fortes aguentam o tranco.

A treta, porém, é pior ainda do que o parágrafo acima dá a entender. Nessa luta para barrar embriões meia-boca, o endométrio se tornou um lugar pobremente abastecido por vasos sanguíneos, dificultando a implantação embrionária. Por outro lado, esse mesmo fato faz com que a área seja relativamente pouco sujeita a “ordens” hormonais por parte do organismo da mãe, o que poderia deixá-la mais vulnerável a infecções e também à influência bioquímica de embriões malandrinhos. O pior cenário, do ponto de vista reprodutivo/evolutivo, seria um embrião sem potencial de desenvolvimento, que ficasse preso ao endométrio, semimorto, sugando nutrientes da mulher e impedindo a coitada de ter uma gravidez realmente viável.

A solução radical para esse dilema: raspar o tacho — literalmente. Raspa-se totalmente o endométrio toda vez que não existirem sinais inequívocos de que uma gestação viável está em curso. Daí o que nós chamamos de menstruação — uma forma “sangrenta” de controle de qualidade para um processo que, por mais fofo que seja em teoria, também tem seus momentos sanguinolentos por natureza.

xxxxx

Comentario de um leitor a observar:

Leo Barci

4 semanas atrás

Parece me estranho as afirmações do ultimo paragrafo . Quando a mulher esta no período ovulatório , o endométrio , encontra se espessado e riquíssimo em vasos sanguíneos e ao contrario ele é altamente sensível ao ataque hormonal . quando ocorre a fecundação , a célula ovo que estimula o antes corpo luteo a se manter ativo ( agora corpo albicans ) , para a produção de Progesterona que vai manter ativo esse endométrio ate que se forme a placenta , essa sim , responsável pela produção de progesterona que ira manter todo esse esquema ate o final da gestação .

xxxx

Meu Comentario postado na Folha de São Paulo:

…….

Era para ser assim o comentario, porem o limite de palavras impediu:

Vejamos isto por uma diferente perspectiva:

Por que as mulheres menstruam ? Pelo mesmo motivo do porque os homens ejaculam: efeito do processo de degeneração entrópica de todos os sistemas naturais, e o corpo humano é um sistema natural. Se as mães e a medicina moderna entenderem isso, o tratamento das anormalidades será mais fácil e eficiente. Óbvio que os fenômenos menstruação/ejaculação são produtos da Evolução, porem a Evolução não foi inventada pela primeira vez pela matéria estupida deste planetinha perdido na imensidão cósmica; a Evolução é universal e para entende-la é preciso conectar evolução biológica à sua ancestral evolução cosmológica, e em se fazendo isso, descobrimos que existem mais mecanismos no processo do que os meros três descobertos por Darwin.  E vai mudar essa perspectiva de guerra/competição entre feto e organismo da mãe.  Menstruação/Ejaculação são sim, mecanismos de limpeza do corpo-sistema, mas isso vem da termodinâmica dos sistemas desde as origens do Universo e não foi criado pelos mamíferos. E nunca vamos entender as verdadeiras relações entre feto/corpo da mãe/influencia do pai se não observar-mos a fórmula universal para sistemas naturais e as formas dos sistemas nossos ancestrais que ela veio desenvolvendo. E à primeira vista, esta fórmula já sugere algumas novidades neste tema da menstruação/ejaculação ( mas nada será entendido senão tiveres a fórmula da Matrix/DNA à vista):

1) O que produz a placenta não é apenas o organismo do feto, mas sim a placenta se forma como resultado de um novo estado do corpo materno produzido pela fecundação de um óvulo, que altera o sistema inteiro, portanto é o sistema neste estado e mais o feto que produz a placenta. Vemos melhor como isto ocorre se observar-mos o que acontecia num nosso ancestral que conseguiu ser um sistema perfeito, que foram as galaxias originais. A placenta em tal sistema era/é o horizonte de eventos que se forma em torno do núcleo-ovo do sistema, e se forma  devido ã chegada ali da massa degradada de estrelas mortas, chamada “poeira estelar”. Nesta zona emergem os novos germes de novas estrelas, os quais são cobertos por essa massa, a qual vai constituir a reserva de nutrientes quando começar as reações nucleares da estrela, e no novo germe essa massa/placenta se torna as camadas geológicas.  Mas para que o sistema produza um novo germe estelar é preciso que um pulsar ( o macho do sistema) emita cometas ( os cromossomas Y do Cosmos), na direção do núcleo-ovo, ou seja, que o sistema adquira o estado de “gravidez”. Então a placenta se forma quando surge um germe, o que dá a ilusão de que é o germe que produz a placenta. Mas se não houvesse o germe com seus receptores de massa, nào se produziria a placenta, o que, de certa forma, valida a tese de que o germe produz a placenta… “tambem”. resumindo, a placenta surge pelo feed-back entre os organismos da mãe e do feto. Se existir conflitos gerando anomalias será devido ao desequilíbrio nesse feed-back.

2) As regras mensais apareceram apenas nos mamíferos ( e não nas espécies anteriores aos répteis) porque no mamífero começa na evolução biológica a segunda fase do processo de evolução dos sistemas naturais. A primeira fase é a “dos ovos botados fora e a prole abandonada à própria sorte”, a segunda fase é a “dos ovos mantidos e protegidos dentro do sistema”. Novamente, no nossos ancestral sistema galáctico isto pode ser melhor entendido. Todo novo germe estelar é ejectado do núcleo-ovo central para o espaço sideral, porem, como o espaço sideral está dentro do sistema, o germe cai na órbita de uma sua estrela onde é gestado, nutrido, até tornar-se nova estrela. No sistema humano, o óvulo fecundado cai no útero, que representa o espaço sideral, e sofre das intempéries do ambiente inóspito, mas se lograr exito, se a massa à volta agregar-se a ele, ele passa a orbitar de maneira segura até seu “segundo” nascimento. Entender isso nos levará a corrigir antes as condições intra-uterinas.

3) A placenta não é um tecido invasivo pois ela é composta do produto interno da entropia do sistema (organismo da mãe) e se forma porque o germe absorve esse produto porque ele contem os nutrientes para se tornar um embrião. O destino normal da matéria degradada pela entropia é ser expelido pelo corpo. No sistema celular, o lisossoma faz isto, no sistema corpo-humano é principalmente o fígado que faz isso, no sistema galáctico é o cadáver estelar que faz isso. Se não for expelida, ela pode se tornar um tumor, ou no caso do cérebro, em plaquetas em volta de neurônios causando o Alzheimer.

3)… 4)… Infelizmente não tenho espaço aqui para continuar isso. A fórmula da Matrix/DNA pode ser vista googlando “A Matriz/DNA Universal dos Sistemas naturais e Ciclos Vitais”.

xxxxxxx

E trazendo a fórmula para cá:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

A “placenta” se forma na função F2, e seus componentes vem desde F7. Enquanto o feto é F2 e vem desde F1. No desenho rustico abaixo isto pode ser melhor visualizado:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Estás vendo o germe – aquelas bolinhas amarelas saindo do vórtice – no meio da poeira estelar? Aí está se formando o ancestral astronômico do que mais tarde se tornaria a “placenta”. Em seguida o germe cresce pela agregação da poeira ao seu corpo, e quando a energia de uma estrela despertar este germe ( o qual então estará no estado de núcleo de um planeta), o germe começa as reações nucleares como esta que produz a luz do Sol, porque o núcleo vai comendo a placenta, ou seja, suas camadas geológicas, de dentro para fora. Come porque esta massa degradada contem átomos que contem elétrons que contem energia que é o que o novo ser precisa.

xxxxx

Pesquisa da Matrix/DNA:

1) Telométrio:

Obs: Verificar este comentario do telométrio: – Leo Barci: Parece me estranho as afirmações do ultimo paragrafo . Quando a mulher esta no período ovulatório , o endométrio , encontra se espessado e riquíssimo em vasos sanguíneos e ao contrario ele é altamente sensível ao ataque hormonal . quando ocorre a fecundação , a célula ovo que estimula o antes corpo luteo a se manter ativo ( agora corpo albicans ) , para a produção de Progesterona que vai manter ativo esse endométrio ate que se forme a placenta , essa sim , responsável pela produção de progesterona que ira manter todo esse esquema ate o final da gestação .