Archive for the ‘Campo Magnético Hum’ Category

Energia na Base dos Instintos para Predadores e Presas – Ben Davidson – ThumderboltsProject

segunda-feira, janeiro 23rd, 2017

xxxxx

https://www.youtube.com/watch?v=rJ08nS32KrI

xxxxx

Meu comentario postado no Youtube sobre este video:

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – jan-01/23/2017

Congratulations. The EU is developing in parallel with other world view, The Matrix/DNA Theory, which suggests the existence of a unique universal system containing different shapes of DNA, evolving since the Big Bang to us today. We suggest a universal formula for systems that suggests a lots about how energy works. The common points are:
1) New natural systems (as atoms, galaxies, biological cells), are composed when Nature applies the force of vital cycle upon a body resulting as mass of a prior less evolved system. The body change shapes like our body goes from the shape of fetus to kids to adults due this force. These new shapes becomes the working parts of a new complex system. A nebulae of atom becomes a galaxy, a mass of unicellular becomes a multicellular organism. But, where Nature gets the force of life’s cycles? From the universal light wave composed by all seven kinds of electromagnetic radiations. The exactly sequence of different frequencies/vibrations of this light wave is seeing as the exactly sequence that yours body is transformed into new shapes. So, we have found that when a light wave emitted by a source like the Big Bang and propagates through dark matter, it creates a system (atom) that evolves to galaxies, cells, human brains. But light does not creates it directly. When light propagates it causes friction at dark matter and the results is energy, electricity. So, the Electric universe is the link between the code for systems ( and life) imprinted into a light wave and the spatial substance, which can be called dark matter, aether, etc. It is important to know the destructive effect of electricity that occurs in chaotic environment like the Earth biosphere and the constructive effect created by energy at ordered state environments.
2) One of the biggest puzzle and mission of Matrix/DNA world view is exorcising the instincts for predator/preys from the human psyche and genetic charge inherited from animals, and yours video has contributed a lot for it. All social systems created till now ( feudalism, monarchy, communism, capitalism) are merely mimicking the rules of the jungle among animals, so, the big predators are at the high class, the medium predators composes the medium class and the mass of poors, the preys of the lower class. Our question was from what dimension of the non-biological world this mechanism came from. We can see the functions of predators and preys easy and clear at the galactic systemic model, we know where the ancestral of these instincts were at our ancestral and creator galaxy. But, where the galaxy got it? The image of DC showing how works the two sides sources of the electric current solved this problem. At Matrix/DNA formula, the stronger side is F1 and the weak side is F7, and mow we have a big understand about what is going on in this black box. You can see and analysing the inter-relations between the two sides and everything equal the relations between predators and preys. Now I will search what is the two magnetic sources at a human body, why they produces DC and not AC, end how to fix it. This will meaning the exorcism of these instincts, which leads all other species to their extinction and is the cause of the nowadays torture of 90 % percent of global population. If you see the universal formula for natural systems at my website, you can improve the EU knowledge. Google: ” The Universal Matrix of All Natural Systems and Life’s Cycles”. Cheers..

xxxxx

A Base Elétrica da Materia Mostrando os Princípios dos Instintos para Predador e Presa: Sensacional!

O que revela as imagens no vídeo, quando a corrente alternada e corrente continua são acionadas:

AC – Alternating current: os dois lados são iguais, a corrente vem dos dois lados, a descarga e’ igual nos dois lados, a imagem ‘e muito simples, forma-se um raio curvo e simples, completo, igual, dentro de toda a câmara.

DC : um lado e’ muito mais ativo que o outro. O anodo esta no lado onde o raio esta empurrando-se para longe dele e invadindo o outro lado. Quando se liga os emissores de DC, na câmara que estava apresentando o raio igual do AC, o raio inteiro e’ puxado apenas para um lado, o qual se apresenta como o mais forte e mais ativo.

Ok. Para mim, particularmente, da Matrix/DNA, a visão destas imagens imediatamente me lembra um dos maiores assuntos que estou pesquisando agora. Trata-se de buscar entender a presença dos instintos animalescos com tendência a predador e presa que estão encravados na genética e na psique humana. Entendo que exorcizar a alma humana destes instintos e’ a condição primeira exigida para eliminar este escravagismo de um lado e a luxuria com seu consumismo supérfluo dos recursos naturais, do outro, esta carnificina e tortura praticada por um dos lados, ou seja, mudar totalmente o estado da humanidade, e dirigir a humanidade a desviar-se do destino da auto-extinção. Acho que não existe outro objetivo mais supremo no momento para a humanidade… exorcizar estes instintos.

Mas de onde os animais receberam estes mecanismos, processos, forças? Na formula da Matrix/DNA para o estado de sistema astronomico se vê claramente ali estes instintos, quando a peça anterior no circuito sempre se transforma na peça seguinte, ao mesmo tempo que pode se interpretar ao reverso, onde a pesa seguinte sempre devora a anterior. Isto faz parte inevitável do ciclo vital. Que as moléculas orgânicas, e depois as bactérias, repteis, leões, e humanos apresentem este fenômeno, já era de se esperar.

Mas porque a formula tinha que ser assim? Ela vem de um onda de luz, e nesta vemos que toda frequência se transforma numa frequência seguinte. Tambem continua isto acontecendo na formula quando ela montou os sistemas astronômicos. Que a forma seguinte engole a forma anterior e’ apenas uma questão relativa do ponto de observação. Vendo-se por outro ponto o que se vê e’ a forma anterior transformando-se na forma seguinte. Porem quando se formaram os sistemas biológicos, a linha evolucionaria que carrega a transformação funcionou mas ao mesmo tempo, se dividiu e funcionou também pela outra perspectiva, aquela onde realmente a forma seguinte – que e’ a maior, mais forte – devora, se sobrepõe, escraviza, parasita, a forma anterior – que e’ a menor, mais fraca. A linha da transformação funcionou transformando bactérias em repteis e repteis em mamíferos. Mas surgiu em paralelo a linha da cadeia alimentar, dividida entre predadores e presas. Este surgimento e’ o grande mistério e o qual precisa ser eliminado da face da Terra. Sabemos que ele surgiu quando a Natureza apresentava como dominante a sua face do caos, mas ainda não resolvi se o caos produz a carnificina primeiro, ou se o cais foi produzido pela carnificina primeiro. Este fenômeno, estava presente na onda luz original? Sim, mas apenas a linha das transformações de sequencias. A luz nunca se colapsa fazendo o caminho inverso. A ano ser que uma outra nossa teoria tenha consistência: a de que a onda de luz original de fragmenta em fótons e estes reencetam o caminho inverso através da matéria, reproduzindo a onda de luz, dirigindo-se de volta a fonte inicial. mas isso envoveria

Ora, as imagens de DC (   ….  ) do que ocorre na dimensão evolucionaria anterior `a existência de sistemas astronômicos e biológicos, revelam que esta dicotomia conflitante já existia desde quando o avançar da luz criou a energia. Então a causa primeira destes instintos esta no Universo Elétrico?! Entao estes instintos fazem parte de um significado cosmico muito distante do nosso conhecimento? Entao seria impossivel exorcizar estes instintos da psique humana, pois toda vez que o cortassemos fora, a base energetica da carga genetica o traria de volta?

Sinto que acabamos de dar um grande passo na busca do entendimento destes insintos, porem, caimos numa dimensao muito distante e complexa, e nela teremos que esmiucar e buscar explicacoes.

Sera um efeito da diferenca entre sistema fechado e sistema aberto? Porque essa diferenca entre os efeitos da AC e da DC? Ok,… de subito nos surge a verdade de que nao avancaremos aqui senao voltarmos ao tempo da escola e pesquisar tudo o que define AC e DC.

( hipotese em desenvolvimento)

xxxx

The Fibonacci Spirals no Sol

Não apenas Ben Davidson e seu pessoal da Teoria do Universo Elétrico defende essa ideia, mas também a NOAH, do governo Americano desenharam a espiral de Fibonacci sendo vista no Sol. Ben diz que essa espiral e’ vista em todo lugar no Sol.

Isto une duas predições feitas a 30 anos atras tendo como base a formula da Matrix/DNA:

  1. Na origem dos sistemas biológicos entraram informações carregadas por fótons vindos de dois lugares principalmente: do Sol e do núcleo da Terra onde jaz um germe estelar. O processo que determinou estas duas vindas e’ o mesmo processo sexual mostrado pela formula, onde a energia da Terra seria feminina e a energia do Sol, masculina. Sendo assim, a energia do Sol opera com base na F5, que e’ a carga genética masculina emitida para fecundar a carga feminina na Terra. Ora,…
  2. A espiral de Fibonacci esta relacionada com o numero Phi, responsável pela simetria dos corpos que da ordem e beleza aos corpos. Mas a formula da Matrix/DNA mostra que no circuito sistêmico onde cai o numero de Phi (1,618…) e’ justamente a posição ocupada por F5. Sendo responsável pela função da reprodução, deduzimos que a simetria ocorre porque F5 copia ou reproduz a face esquerda dos sistemas e a situa a sua direita, para se tornar a face direita. Portanto a formula já havia previsto que o Sol produz F5, o qual e’ Phi, através da espiral de Fibonacci.

Grande evidencia para a teoria da Matrix e ótima informação fornecida por Ben Davidson, novamente.

xxxx

Teoria da Mente tendo como substância, um plasma:

Num frasco-câmara passa a corrente eletro-magnética gerada por dois magnetos. O ambiente dentro da câmara pode ser mudado, do vácuo total para atmosfera. Cada ambiente muda e produz um estado específico da corrente. Num ambiente ela se apresenta como plasma (no vácuo total), no outro se apresenta como linhas ou raios vibrantes de eletricidade ( quando a câmara e’ enchida com ar).

Dai me leva a suspeitar e elaborar os princípios de uma nova hipótese, quando junto isso com a formula da Matrix/DNA. Sabemos que as imagens das sinapses se assemelham ‘a imagem da energia na forma de raios, aleatórios. Isto acontece no ambiente da massa de neuronios. Mas dessa massa e destas sinapses, se produz a mente, os pensamentos, e mais exatamente em outro local, o neocortex. Então podemos suspeitar que no neocortex o ambiente e~diferente, e produz o outro estado desta energia, uma espécie de plasma.

A primeira questão aqui seria: se na câmara podemos ver o estado de plasma, porque o MRI que vê as sinapses não pode ver o plasma da mente?

( teoria a desenvolver ) 

xxxx

Elegant Simplicity

Ben defende que a teoria do Universo Elétrico e’ construída sobre argumentos que são elegantemente simples. O que define esta expressão? penso que se trata do seguinte: pega-se fenômenos naturais simples e conhecidos e interpreta-se de maneira diferente do que foi interpretado ate agora, mas de maneira que na imagem do simples se adivinha encriptado complexos significados, processos e mecanismos. Se for isso, isso e’ justamente o que e’ a Teoria da Matrix/DNA, principalmente ‘e o que sente ao ver a formula da Matrix.

Mas porque a Teoria do Universo Elétrico impregna estes fenômenos simples com elegância? Baseando-me na Teoria da Matrix/DNA, realmente deve existir um mundo elétrico como template, como substancia de fundo, do universo material que nossos sensores captam. Isto porque tudo tem inicio quando a onda de luz universal composta dos sete tipos de radiações eletromagneiticas, se expande infiltrando-se na substancia do espaço – que deve ser a dark matter – ela produz friccao neste contacto. O produto desta friccao e’ o que denominamos de energia, ou pode ser o mesmo que eletricidade. Então como essa luz contem em si o código para ciclo vital que e’ o que monta os sistemas naturais, ela passa esse código para a energia. Esta existindo no meio da dark matter, separa-a em porcões de acordo com cada tipo de sua vibração e assim cria as partes para montar os sistemas. Então, a energia ‘e o elo entre a dark matter – que fornece a massa para o hardware – e a luz, que e’ o software. Se realmente for assim, então e’ claro, a energia esta na base, como pano de fundo, de todas as coisas materiais desse Universo. Não se esta errando ao chamar isto de Universo Elétrico e realmente os modelos teóricos desta teoria são elegantemente simples – porque na verdade revelam uma complexidade estonteante e bonita.

xxxx

Teoria da Gravidade versus Teoria da Atracão da Eletricidade:

Mostrando como um lado e’ mais forte e puxa o mais fraco, Grahan sugere que esta eletricidade e’ o que mantem astros e galaxias unidos e não a hipotética força chamada de gravidade.

xxxx

Jatos cosmicos de luz dos buracos negros sugere a emissão de um circuito sistêmico vital pelo núcleo galáctico segundo a Matrix/DNA

A imagem de um jato emitido por uma região do espaço sideral ( onde, como Ben diz, o mainstream diz existir um buraco negro, mas ele não concorda com esse nome e teoria, e espera que se ache um nome melhor, justamente como nos da Matrix/DNA não concordamos e esperamos esse nome melhor) mostra o jato dividido em segmentos que são “equidistantes `a parte”, quer dizer, o jato e’ dividido em segmentos de tamanhos iguais e têm distâncias iguais entre si. Isto bate com o que sugeriu a Teoria da Matrix, 30 anos atras. Este emissor deste jato seria um astro executando a função número 1 da formula (F1) e ele deveria emitir o template do circuito por onde a semente ou germe de um novo astro vai percorrer tocado pelo processo do ciclo vital. Como este processo vem de energia produzida por uma onda de luz – e a onda de luz contem a formula para este processo vital – cada segmento antecipa uma das formas que o astro vai apresentar em determinada idade. Em outras palavras, se a Matrix/DNA estiver acertando aqui, este jato cósmico deve ser dividido em sete segmentos, cada qual composto pelo estado vibratório da frequência eletromagnética que ele representa. Muito boa previsão da Matrix e ótima informação do Grahan.

xxxx

Efeito Placebo: Efeito de ondas magnéticas emitidas pelo cérebro sobre a química do corpo…?

Estas possibilidades sugeridas pelo Universo Elétrico leva Ben Davidson a citar o The Global Consciousness Project

xxxx

Pesquisa:

Procurar no website de Ben e outros lugares, imagens dos dois magnetos lado a lado da câmara produzindo a visão da eletricidade, para por no site e fazer cartaz para palestra.

Terceiro Olho, Glandula Pineal,… Baseado no Terceiro Olho da Tuataras

quinta-feira, agosto 25th, 2016

xxxx

Para aqueles que ja conseguiram exorcizar de sua mente o espectro herdado geneticamente dos animais relacionados aos instintos de predador/presa, qual a alternativa que temos na tentativa de conduzir outros humanos a realizar tal facanha? Praticamente nenhuma desde que o estado natural desta biosfera favorece eles e nao a nos, portanto. eles tem a forssa, as sortes, os privilegios.

Talvez houvesse uma alternativa, uma esperança. A mente – ou auto-consciencia – não e’ uma heranca desta galaxia (como sao os instintos animais), ela vem de algum lugar fora da galaxia, segundo o que esta sugerindo a formula da Matrix/DNA. Acho logico supor que esta dimensao inimaginavel da mente seja superior em complexidade, poder, `a galaxia e  suas coisas internas. E parece provavel que nesta dimensao superior haja entidades – ou coisas – conscientes. E estas “entidades” devem, de alguma forma, notar quando suas “crias” comecam a desabrochar em qualquer lugar. E talvez, ao verem estas crias em serias dificuldades, poderiam ate intervir e ajudar. Nesse caso, nos teriamos alguma ajuda para afrontar os humanos apoiados pela galaxia. Mas o que isto tem a ver com o “terceiro olho”, a glandula pineal, etc.?

Duas coisas. Primeiro que forssamos nossa mente a acelerar seu desenvolvimento e para tanto precisamos forssar o aprimoramento de nossos sensores. Existem sensores que regrediram na evolucao dos ancestrais, como esse terceiro olho das tuataras. Temos que buscar informacoes sobre tudo relacionado a eles. Segundo que se possivel for acelerar o desenvolvimento destes sensores ( pelo metodo esquematico de meditacao da Matrix/DNA), talvez consigamos gritar mais alto e ser-mos ouvidos pelas entidades do mundo auto-consciente. Claro isto e’ mera especulacao e uma possibilidade remota, mas a maioria do que conseguimos hoje era possibilidade remota antes de surgirem.

Entao no Reddit surgiu um debate sobre este assunto:

Tuataras have a “third eye” that is “no longer” used for vision. Was it earlier in evolution? Are there creatures with 3 functional eyes in the fossil record?

https://www.reddit.com/r/askscience/comments/4z2ie1/tuataras_have_a_third_eye_that_is_no_longerE sobre seu ^terceiro oljho_used/?sort=old&limit=500

E entao postei o seguinte comentario no debate:

TheMatrixDNA – 8/26/2016

This is speculation, but, based on a solid theory, Matrix/DNA. The third eye was the first sensor produced by the astronomic template of DNA for perceiving itself. This template was built by photons, which are the bits-information-like-genes trying to reproduce here at Earth surface the decayed astronomic system, that’s why the third eye, the pineal gland, the antennas, are related to light.

The problem was that the decay of this astronomic system was produced by entropy which creates chaos from which lift up order. Our biosphere began with the chaotic state of Nature, biological shapes surpassed the force of the ancestor template and the third eye, as everything related to light, became a recessive dominated trait, waiting that biological organisms reaches the state of order for coming back again. As I said, this is what I’m getting reading the formulas of Matrix/DNA and I could doing mistakes. But it is useful for us, in the sense that it wake up our wishes to resuscitate the third eye, the antennas through the recovery of pineal gland, because for understanding this world we will need sensors able to grasp electromagnetic fields… or the photons network behind the DNA, the solar system, the galaxy, etc., merely called “Matrix/DNA”. Cheers,…

xxxxx

Vamos fazer uma breve pesquisa e retornar depois ao debate no Reddit.

O que e’ tuatara?

Tuatara are reptiles endemic to New Zealand and which, although resembling most lizards, …

Sphenodon punctatus in Waikanae, New Zealand.jpg

Tuatara, apenas em New Zeland

E sobre seu terceiro olho:

The eyes ( tuataras) can focus independently, and are specialized with a duplex retina that contains two types of visual cells for both day and night vision, and a tapetum lucidum which reflects onto the retina to enhance vision in the dark. There is also a third eyelid on each eye, the nictitating membrane.

The tuatara has a third eye on the top of its head called the parietal eye. It has its own lens, cornea, retina with rod-like structures, and degenerated nerve connection to the brain, suggesting it evolved from a real eye. The parietal eye is only visible in hatchlings, which have a translucent patch at the top centre of the skull. After four to six months, it becomes covered with opaque scales and pigment. Its purpose is unknown, but it may be useful in absorbing ultraviolet rays to produce vitamin D, as well as to determine light/dark cycles, and help with thermoregulation. Of all extant tetrapods, the parietal eye is most pronounced in the tuatara. It is part of the pineal complex, another part of which is the pineal gland, which in tuatara secretes melatonin at night.[17] Some salamanders have been shown to use their pineal bodies to perceive polarised light, and thus determine the position of the sun, even under cloud cover, aiding navigation. The tuataras third eye are pronounced photoreceptive eye, which is thought to be involved in setting circadian and seasonal cycles.

A parietal eye, also known as a third eye or pineal eye, is a part of the epithalamus present in some animal species. The eye is photoreceptive and is associated with the pineal gland, regulating circadian rhythmicity and hormone production for thermoregulation.

Adult Carolina anole (Anolis carolinensis) clearly showing the parietal eye (small grey/clear oval) at the top of its head.

The parietal eye (very small grey oval between the regular eyes) of a juvenile bullfrog

 

 

 

 

 

 

 

 

The third eye ( https://en.wikipedia.org/wiki/Third_eye)

(also known as the inner eye) is a mystical and esoteric concept referring to a speculative invisible eye which provides perception beyond ordinary sight.[1] In certain dharmic spiritual traditions such as Hinduism, the third eye refers to the ajna, or brow, chakra.[2] In Theosophy it is related to the pineal gland.[3] The third eye refers to the gate that leads to inner realms and spaces of higher consciousness. In New Age spirituality, the third eye often symbolizes a state of enlightenment or the evocation of mental images having deeply personal spiritual or psychological significance. The third eye is often associated with religious visions, clairvoyance, the ability to observe chakras and auras,[4] precognition, and out-of-body experiences. People who are claimed to have the capacity to utilize their third eyes are sometimes known as seers.

According to this theory, humans had in far ancient times an actual third eye in the back of the head with a physical and spiritual function. Over time, as humans evolved, this eye atrophied and sunk into what today is known as the pineal gland…

The pineal gland, also known as the pineal body, conarium or epiphysis cerebri, is a small endocrine gland in the vertebrate brain. The shape of the gland resembles a pine cone, hence its name. The pineal gland is located in the epithalamus, near the center of the brain, between the two hemispheres, tucked in a groove where the two halves of the thalamus join. The pineal gland produces melatonin, a serotonin derived hormone which modulates sleep patterns in both circadian and seasonal cycles.

Debate no Reddit:

 

Campo Magnético e o Sexto Sentido Humano?

segunda-feira, julho 4th, 2016

xxxx

Baseado no texto-introdução ( copiado para traduzir e pesquisar):

The Radical Search for a Magnetic ‘Sixth Sense’ in Humans

http://singularityhub.com/2016/07/03/the-radical-search-for-a-magnetic-sixth-sense-in-humans/?utm_source=StoryGrid&utm_medium=link&utm_campaign=content%20access

Shelly Xuelai Fan is a neuroscientist at the University of California, San Francisco, where she studies ways to make old brains young again. In addition to research, she’s also an avid science writer with an insatiable obsession with biotech, AI and all things neuro. She spends her spare time kayaking, bike camping and getting lost in the woods.

“Magnetic pull.”

We often use the phrase to describe attraction, but only in a figurative way. After all, unlike homing pigeons, humans don’t have the power to perceive magnetic fields.

Or do we?

magnetic-sixth-sense-in-humans-61

According to a small group of maverick scientists, the possibility of finding working compasses within our bodies ranges from “not surprising” to “overwhelming.”  The idea that humans can sense magnetism has been floating around in fringe academic circles for decades, mostly relegated to an unsavory pool of research topics that includes telepathy and mind control.

Study results from early pioneers only added to the contention. Some reported positive results with their human subjects; others dismissed the data when they couldn’t be replicated. No one had a clue how such a sense could work mechanistically or why humans  — who aren’t obligatory migratory animals — should have the ability.

Yet the evidence kept piling up. One group discovered proteins that respond to changes in magnetic fields in the human retina. Another found trace amounts of a highly magnetic mineral scattered all over the human brain.

And magnetic sense doesn’t just serve migratory animals. Among biologists, it’s now widely accepted that many species are attuned to the Earth’s magnetic field. Among these are surprising candidates such as bacteria, lobsters, and mammals including wood mice and dogs.

“It’s part of our evolutionary history. Magnetoreception may be the primal sense,” says Dr. Joe Kirschvink, a geophysicist at the California Institute of Technology.

It’s a ripe time for a re-investigation. A strong proponent of human magnetoception, Kirschvink is spearheading a new $900,000 project, funded by the Human Frontier Science Program, to finally figure it all out.

Push and Pull

The debate over whether humans can sense and extract spatial information based on the Earth’s magnetic field kicked off 30 years ago, when Dr. Robin Baker at the University of Manchester published a bizarre result in the esteemed academic journal Science.

In a series of experiments, Baker took hundreds of blindfolded university students on a bus trip that followed a tortuous road for up to 32 miles. At the final destination, he asked the students to point to the compass direction of the university.

Uncannily, most students could pick out the correct quadrant. When Baker added a bar magnet into their blindfolds to block the presumed magnetic sense, however, they lost their ability.

The subjects didn’t know why they pointed the way they did. They weren’t following a mental map, and most were surprised when their guess was so near the correct direction, Baker wrote in his paper.

Baker’s results seemed conclusive, but there was one big caveat. When asked to repeat his tests in the US, his efforts failed. Kirschvink was among his critics. Intrigued by the potential of human magnetoreception, the geophysicist tried to replicate several of Baker’s findings, but ultimately failed.

Amid all the controversy, research in the field dwindled.

Magnetite and Cryptochrome

Ironically, it was Kirschvink who picked up the torch.

A big breakthrough came in the 1990s, when his team discovered a highly magnetic mineral called magnetite in human brain cells.

The crystals are present at a minimum of 5 million per gram of brain tissue, they reported in the paper. That’s a lot.

Previous work had already shown that magnetite functions as a magnetic sensor in certain types of bacteria, allowing them to navigate based on the Earth’s magnetic field.

How the mineral activates neural pathways is still debatable. One idea is this: magnetite is an integral part of proteins called magnetoreceptors that sit on a neuron’s surface. Changes in the magnetic field tugs magnetoreceptors open, which lets ions rush into the cell. This creates a current, which is then passed down to the next neuron.

It’s a plausible theory, but the mere presence of magnetite in the brain doesn’t mean it’s functional. At the time of his discovery, Kirschvink speculated that magnetite might be behind some of the health issues associated with electromagnetic fields, only adding in passing that a better than average magnetic sense (presumably due to higher levels or more sensitive magnetite) might be why some people have a better sense of direction.

Two decades later, another finding pushed human magnetoreception back into the limelight. While studying monarch butterfly migration, Dr. Steven Reppert at the University of Massachusetts homed in on an ancient protein called cryptochrome.

Cryptochrome is an integral part of the body’s clock system — it belongs to a family of proteins found in all kingdoms of life. The protein changes its chemical behavior at the quantum level based on changes in magnetic fields. This is thought to create light and dark patches across an animal’s vision, allowing it to sense the field through its vision.

In 2010, Reppert found that fruit flies lacking cryptochrome lost their innate ability to detect magnetic fields. Surprisingly, when his team introduced the human version of the protein into cryptochrome-deficient flies, they regained their magnetic sense.

The conclusion? Since the protein is situated on our retina, humans may also be able to “see” magnetic fields. Why we can’t consciously perceive the fields like we do color, however, is an open mystery.

Although healthy skepticism is in order, the findings “suggest that a reassessment of human magnetosensivitiy may be in order,” wrote Reppert and colleagues.

Cagey Experiments

A reassessment, using all the tools modern science has to offer, is exactly what Kirschvink and colleagues set out to do.

The plan is this: volunteers, wearing an EEG cap, are placed into a human-sized dark metal box lined with aluminum. Known as a Faraday cage, the device efficiently blocks out ambient electromagnetic noise from cell phones, computers and other confounding instruments.

During a test, wire coils along the Faraday cage generate a rotating magnetic field similar in strength to the Earth’s. If humans have a magnetic sense, the scientists reason, this should trigger the brain to respond, which can be measured through EEG readings.

Earlier this year, at the Royal Institute of Navigationconference Kisrchivink presented his preliminary findings using two dozen subjects.

When the magnetic field rotated counterclockwise, EEG showed a sharp drop in alpha waves after a few hundred millisecond delay. Usually this happens when neurons fire up, suggesting the brain is actively responding to the change.

Intriguingly, the effect vanished when magnetic fields were rotated clockwise. It seems that the human compass has polarity, says Kirschvink.

Although Kirschvink hasn’t yet published his results, he’s completely behind them.

“Nailed it,” he wrote in an email to Science, “Humans have functioning magnetoreceptors.”

Rethinking Direction

Contrary to Kirschvink’s statement, the quest is far from over.

The results first need to be replicated before they gain wider acceptance. Then comes the harder questions: if humans have magnetoreception, where are the receptors, how do they work and can we actually use them to navigate?

Conclusive answers are a ways off, but scientists have some ideas.

Cryptochromes, which sit in the eyes, likely measure changes in the field’s intensity and inclination — that is, how sharply the magnetic field’s angle strikes the Earth’s surface — rather than the state of the field directly. The even more mysterious magnetite may be present in other organs related to navigation, such as the inner ear. Both systems could work together to provide a spherical coordinate system used for spatial orientation.

Part of the reason human magnetoreception is so hard to study is that it’s so muted compared to our other senses. If it exists, it’s likely processed subconsciously.

Why would such a useful sense dwindle in humans?

Perhaps humans learned to rely on other means for navigation, such as place cells and grid cells in the hippocampus of the brain. Without use, the magnetic sense withered away.

Or perhaps we still have our full ability to detect and use magnetic fields, but “our electromagnetic world is interfering with our ability to do this kind of stuff,” says Dr. John Phillips at Virginia Tech.

Since we can’t (or won’t) shut down our electronics, could we perhaps one day boost our innate magnetoreception system? After all, optogenetics — using light to activate neurons — is steadily marching towards clinical trials. Is finding a magnetic tool to activate magnetite-containing receptors impossible?

It’s a moonshot, but it’s fun to speculate. As Phillips put it, “this is the fun stage where we are not constrained by many facts.”

 

Bebês e Câncer: Ultrasom produz câncer, mesmo a longo prazo? Seria esta a causa de tanto câncer nos adultos hoje?

terça-feira, agosto 18th, 2015

xxxxx

Uma mulher grávida faz um exame de ultrassom em um hospital do subúrbio de Paris, em 22 de julho de 2013

Tema baseado na declaração (em pdf) pelo seguinte link:

http://www.ncrponline.org/Publications/Reports/Misc_PDFs/Ultrasound%20Summary–NCRP.pdf

Publicado pelo Departamento Americano “National Council on Radiation Protection and Measurements”

( Este tema interessa-nos nas pesquisas da Matrix/DNA Theory devido tratar de campos eletromagnéticos e radiação da luz – principais tópicos de investigação nestes momentos.)

Resumindo, e cientificamente, o fato verdadeiro e’ que ” ninguém sabe ainda”, e qualquer pessoa que afirme ou garante algo deve ser assim refutado.. Como se pode ver pela seguinte declaração neste documento:  O NCRP conclui que ” o conforto obtido da ausência de dados ate esta data de nenhum maleficio baseado em evidencia epidemiológica deve ser temperado com o fato de que não existem apropriados e adequados estudos epidemiológicos para a pratica clinica atual”.

Vamos iniciar traduzindo (em azul) a introdução do documento das autoridades americanas (acrescentando em vermelho nossas anotações e opiniões). Os muitos erros de gramatica e falta de acentos deve-se a que estou usando um teclado em ingles. 

Diagnostic Ultrasound Safety

A summary of the technical report “Exposure Criteria for Medical Diagnostic Ultrasound:

II. Criteria Based on all Known Mechanisms”

Seguranca no Diagnostico de Ultrasom

Um resumo do documento técnico ” Critérios de Exposição para Diagnostico de Ultrassom em Medicina”

Criterio baseado em todos os mecanismos conhecidos

Physicians have used ultrasound to make images of the inside of the human body for nearly half a century. Most infants now born in the United States were exposed to ultrasound before birth. And in Germany, Norway, Iceland and Austria, all pregnant women are screened with ultrasound. To date, researchers have not identified any adverse biological effects clearly caused by ultrasound, even while three million babies born each year have had ultrasound scans in utero (while in the womb). This is an enviable safety record.

Médicos tem usado ultrassom para fazer imagens do interior do corpo humano por cerca de meio seculo. (por isso nossa pergunta no titulo deste artigo, pois estou surpreso com o repentino estouro de casos de câncer em pessoas que nasceram apos essa época). A maioria das crianças agora nascidas nos Estados Unidos foram expostas ao ultrasom antes de nascerem. E na Alemanha, Noruega, Irlanda e Austria, toda mulher gravida são filmadas com ultrasom. Ate esta data, pesquisadores não tem identificado qualquer efeito adverso biológico claramente causado por ultrasom, mesmo quando três milhões de bebes nascidos a cada ano tem tido radiografia ultrassônica no útero (enquanto na barriga). Este e’ um avaliável recorde de segurança.

However, the National Council on Radiation Protection and Measurements (NCRP) advocates continued study of ultrasound safety, improvements in the safety features of ultrasound systems and more safety education for ultrasound system operators. Because of the sheer numbers of people exposed to ultrasound, any possibility of a harmful effect must be investigated thoroughly. This summary is drawn from a report that reviews the studies of ultrasound safety to date, and makes recommendations for further research and for improving the safeguards designed to ensure that the benefits of ultrasound continue to outweigh any risks.

Todavia, o Conselho Nacional Sobre Proteção Radioativa e Medidas defende o continuado estudo da segurança no ultrassom, melhorias nas características de segurança dos sistemas de ultrasom e maior educação de segurança para operadores de sistemas de ultrasom. Devido ao grande numero de pessoas expostas ao ultrasom, qualquer possibilidade d um maléfico efeito deve ser investigado a fundo. Este resumo e’ obtido de um registro que revê os estudos sobre segurança  de ultrasom ate esta data, e faz recomendações para posterior pesquisa e para aperfeiçoar os cuidados recomendados para assegurar que os benefícios do ultrasom continuem a superar quaisquer riscos.

( Se alguém precisar de mais tradução avise na seção de comentarios ou mande e-mail ( austriac727@hotmail.com ), que o farei sem custos. Para mim, continuarei a ler o documento e registrar algo na seção pesquisas abaixo.)

No entanto, registro uma importante informacao captada mais a frente no documento, a qual nos serve de bas par responder  qualquer pessoa que afirme ou garanta que o ultrasom nao faz mal: ” Cientificamente, ninguem sabe.”

Thus, the NCRP concludes that “the comfort obtained from the absence to date of any harm based on epidemiological evidence must be tempered by the fact that there are no epidemiological studies appropriate and adequate for current clinical practice.”

Assim, o NCRP conclui que ” o conforto obtido da ausência de dados ate esta data de nenhum maleficio baseado em evidencia epidemiológica deve ser temperado com o fato de que nao existem apropriados e adequados estudos epidemiológicos para a pratica clinica atual”.

E’ possivel ate que o ultrasom esteja criando uma nov rassa de super-humanos. Tive essa ideia ao ler isto: ” When exposed to stressful heat, mammalian cells produce heat-shock proteins. Scientists believe that these proteins somehow help to protect the cells against damage from heat. However, ultrasound heats the tissues so quickly that the cells may not have time to produce these protective heat-shock proteins.” ( Quando expostas a temperaturas mais elevadas que o normal no utero, como pode fazer o ukltrasom, as células dos mamíferos produzem proteínas combatentes do calor. Cientistas tem acreditado que estas proteínas de alguma maneira ajudam  proteger as células contra danos do calor. Todavia, o ultrasom esquenta tão rápido que estas células pode não ter tempo par produzir estas proteínas combatentes.” O que pensei foi numa raça de humanos conseguindo chegar mais perto do Sol ou aguentando melhor os efeitos do aquecimento terrestre.  bebe

xxxx

Pesquisas da Matrix/DNA:

– What is ultrasound?

Este paragrafo me informa que ultrasom e uma onda de som em alta frequência maior que as frequencias normais dos varios tecidos e órgãos do corpo humano.

Se esta onda invasora altera as frequencias mais baixas do corpo ou se passa sem alterar nada, e’ uma questão. Talvez possa não alterar nada no momento, mas talvez ela possa deixar residuos de sua alta vibração, que com o tempo podem serem incorporados no codigo do corpo, e se isso acontecer, esta inserção pode ir lenta e imperceptivelmente mudando o código e se manifestar mais tarde.

– If ultrasound exposure were causing a dramatic or novel effect on fetuses, it would be relatively easy to identify the effect. However, it is difficult, from a statistical point of view, to identify a slight increase in a common trait.

Bem… baseado nos resultados teoricos da Matrix/DNA eu suspeito dessa informação. O metodo pelo qual as informações do sistema astronomico se inseriram nos atomos da Terra para produzir os sistemas biologicos teria sido a transmissão de fotons-bits-informação – ancestrais dos genes – e nem os fotons e nem as configurações de conexões que eles formam entre os atomos foram captados pelos instrumentos cientificos. Esta configuração deve formar uma aura energético/luminífera de fundo subjazendo todos os materiais do corpo, como fundações do corpo – inclusive vibratorias. Então qualquer possivel alteração nesta dimensão invisivel não estaria sendo captada.

 

Descoberta a Força da Sorte e do Azar nas Pessoas: 30% a Mais ou a Menos na Freqüência da Vibração Pessoal

quarta-feira, julho 29th, 2015

xxxx

Já tenho a quantidade suficiente de fatos reais comprovados para ter certeza da existência de uma “coisa” a qual por enquanto vou denominar simplesmente de força. E tenho evidencias suficientes para concluir com forte grau de certeza, que essa força existe no espaço de carne e osso entre o cérebro e a ponta dos dedos, de um corpo humano.

No principal experimento que certificou estes fatos foram observados duas amostras, dois corpos humanos, obviamente diferentes entre si. Mas alem da experiencia, a observação livre no mundo real de muitos exemplares como amostragem, confirmou o resultado.

Esta força determina graus diferentes de acessibilidade das pessoas na capacidade de obter qualquer coisa do mundo externo, que estão disponíveis a serem apropriados, possuídos, pelos corpos humanos. Desde a qualidade do clima para o dia marcado para um projeto, da media de renda que recebera ao longo a vida, ate a qualidade do corpo que terá ao nascer para enfrentar o mundo.

Antes de prosseguir com a analise vamos rapidamente listar os fatos concretos da experiencia ( pois obviamente neste ponto um leitor já começaria a se cansar e se tornar incrédulo), depois continuaremos com a analise:

xxxxx

1) O individuo “A” nasceu num lar de classe media baixa, com família, berço razoável;

O individuo ” B” nasceu num lar de classe pobre C, ambos os pais deficientes físicos que logo desapareceram quando ele tinha apenas 3 anos de idade. 40%  a mais a favor de A?

2) O individuo “A” nasceu com físico saudável normal e rosto de aparência considerada ” bonito”, o que já determinava um nivel de aceitação e oportunidades oferecidas por outros humanos, principalmente pelas mulheres, pelos selecionadores de candidatos a emprego, etc.;

O individuo B ficou com o físico débil abaixo do peso normal para toda a vida talvez devido a desnutrição na infância e talvez esta debilidade tambem tenha se revelado nas potencialidades do cérebro. Ele nasceu com um rosto considerado feio, o que afastava de si as melhores oportunidades oferecidas pelos outros humanos.

3) O individuo A teve um acidente no trabalho e recebeu 100.000,00 dólares de indenização quando trabalhava num pais estrangeiro, voltou ao seu pais e comprou uma casa.

O individuo B teve um acidente no trabalho quando trabalhava no mesmo pais estrangeiro e recebeu 65.000,00 dólares de indenização. Foi ao seu pais e sua cidade com vontade de comprar uma casa, mas o dinheiro não era suficiente, acabou gastando o dinheiro. Mais 35% a favor dólares de A?

4) Os dois individuos conseguiram aposentadoria nos dois mesmos países. O individuo A recebe no pais A 400,00 e no pais B, o correspondente a 480,00 dólares.

O individuo B recebe no pais A,  216,00 dólares e no pais B , o correspondente a 280,00 dólares. As diferenças entre estes números mostram novamente uma razão de 3:1., ou 33%.

5) O individuo A tem um carro novo no valor de 25.000,00 dólares. O individuo B tem um carro velho no valor de 15.000,00.  Desde os computadores a todos os outros objetos pessoais foi verificado sempre um índice de 35% a 40% a mais de eficiência e qualidade a favor de A. Muitos não foram comprados mas sim achados, ganhados, recebidos como prêmios em sorteios, etc., o que indica que a mesma diferença estava no evento do achado, nas pessoas que deram, nos valores dos prêmios que os sorteios distribuíram, o seja, no mundo externo fazendo face a diferentes corpos humanos.  E foi comprovado que devido a toda esta estrutura física apresentando sempre 35% para melhor a favor de A faça com que B se depare dom azares incríveis em tudo que vai fazer na vida, obtendo sempre no minimo 35% de retorno a menos que A, apear de na maioria das vezes ter atuado com mais esforço, conhecimento e inteligencia na solução e manejo das coisas externas.

xxxxx

Portanto, vem  a pergunta: “E’ importante a pesquisa metódica e a busca de conhecimento sobre esta força para a vida do ser humano? Sim! Ela determina se um corpo humano vai nascer na mais pura miséria e morrer nesta miséria ou se outro corpo humano vai nascer na maior riqueza e morrer com essa riqueza. Então ela já deve existir no mundo antes de uma pessoa nascer, assim como a genética de um casal já estava no mundo antes de seu filho nascer. Essa genética determinou o aspecto saúde do futuro ser: se ela era saudável ou se portava alguma doença hereditária. E assim como fazemos pesquisas genéticas para tentar evitar que uma doença seja transmissível de pais para filhos, tambem podemos faze-lo para evitar que o aspecto negativo dessa força determine no momento inicial de um corpo humano que sua vida sera precária. Alem disso temos exemplos de pessoas que conseguiram mudar o tipo desta forca. São raríssimas excessoes, como a dos nascidos na miséria que se tornam ricos pelo seu comportamento. Como existem filhos de diabéticos que conseguem evitar que a doença se manifeste neles, ou consiga cura-la em vida. Então tambem existe a possibilidade de um conhecimento conseguir controlar esta força.

Em outras palavras, ela é  a primeira e é tudo para os seres humanos. Sua investigação deve ser a prioridade agora.

O nome desta força poderia ser ampliado para “a força dos benefícios”. Porque ela separa a quantidade e qualidade dos benefícios em partes, faixas, porcentagens, frações, e determina para cada diferente corpo uma especifica porcentagem de benefícios que o mundo externo permitira a um corpo humano possuir.

No experimento efetuado foi comprovado que em todas as ocasiões que os dois indivíduos se moveram para se apropriarem ou provocarem uma reação no mundo externo, o individuo “A” obteve sempre uma porcentagem entre 35 a 50% de superior qualidade que o individuo ” B”. A experiencia colocou os dois indivíduos em muitas competições diferentes, em todas o mesmo resultado foi obtido, mas vamos começar citando a experiencia mais marcante e que fornece mais informações para avançar o conhecimento dessa “coisa” misteriosa, invisível, intocável.

Os dois indivíduos foram colocados em dois quartos diferentes. Os dois quartos possuem no teto duas lampadas de gaz fluorescentes. Os dois quartos possuem o mesmo tipo de interruptores na parede, na mesma posição. Os dois quartos estavam com a luz apagada quando os dois indivíduos entraram. Os dois indivíduos que já sabiam a posição dos interruptores e os podiam ver pela claridade entrando pelas portas abertas, colocaram os mesmos dedos médios das mesmas mãos direita nos interruptores e os moveram para cima. A lampada do quarto do individuo “A” acendeu com a claridade de seus 100%  de potencial. A lampada do quarto do individuo “B” não se pode dizer que ” acendeu”, pois apresentou uma claridade de menos de 50% de sua capacidade normal. Enquanto num quarto a claridade permitia ver com clareza todos os moveis e objetos, no quarto de B não se via os objetos menores.

Esta experiencia em particular não foi previamente preparada, ela foi acidental, pegando o investigador de surpresa. Normalmente, em outros prédios, os dois indivíduos obtêm a mesma claridade. Não foi testado e observado se em alguma ocasião o fato se repete em outros prédios. Os dois quartos da experiencia observada estão em casas separadas, mas são justamente os quartos onde moram os indivíduos. O individuo ” B” reclamou que isso normalmente acontece desde a primeira vez que ele ele foi morar no quarto. O dono da casa disse que não tinha conhecimento disso pois nunca outro inquilino reclamou disso. O individuo “A” disse que nunca a claridade foi diferente daquela de 100%, desde que foi morar no quarto.

Obviamente esta ocorrência não foi listada na lista das provas cientificas. Ela apenas esta aqui para ser discutida num nível de curiosidade filosófica, que não se atenha o leitor cético a basear seus argumentos nesta ocorrência.  Mas tambem que não venha o cético dizer que as provas não são cientificas ou que sejam discutíveis, pois fatos e números comprovados não se discutem. As outras provas foram obtidas verificando os fatos do mundo externo relacionados aos dois individuos. As ocorrências que resultaram nestas provas não foram previamente preparadas por ninguem, apenas, digamos, foram apresentadas aos individuos e inseridas nos individuos, pelo mundo externo que é igual para os dois individuos, ou, esta no mesmo estado natural para os dois individuos. Quanto aos quartos não podemos dizer a mesma coisa. Provavelmente, os dois quartos estavam em estados diferentes ( em relacao a eletricidade e lampadas) e assim se apresentaram aos dois individuos.

Mas esta ocorrência é fundamental porque ela nos conduziu a um avanço teórico na nossa investigação. Talvez este avanço não é racionalmente apropriado, talvez ele seja falso porque seria produto de uma previa tendencia do investigador. Este começou  suspeitar de uma entidade para a coisa misteriosa., Ele começou a por como template, como molde, como ponto de referencia na comparação teórica entre os dois indivíduos, a imagem do espectro da radiação eletro-magnética tal como aparece na tela de um computador. Ele começou a apostar numa resposta para a coisa misteriosa, e isso pode conduzir o investigador a pista errada se o suspeito não for o criminoso. Mas considerando que os motivos do investigador são lógicos e fortes indícios, vamos explicar este avanço teórico.

Em algum lugar dentro da caixa do interruptor, a energia elétrica que vem do mundo externo esta ali, parada, em estado potencial. Podem serem muitos interruptores diferentes numa mesma cidade, mas é previsível que a força que chega ali seja a mesma. Não existem diferenças de porcentagens entre forças em diferentes interruptores. Os interruptores tambem eram da mesma marca, exatamente iguais. Mas as duas lampadas mostraram dois resultados finais diferentes.

Obviamente um leitor desavisado vai sorrir e pensar que isto é fácil de resolver: as lampadas são diferentes, ou seja, as de um quarto são novas e estão em bom estado, as do outro são velhas e estão em mal estado, ou,… o problema esta nos reatores da caixa de lampadas. Mas a nossa investigação não é tao pequena e limitada  assim ao mundo imediato, ela abrange horizontes amplos, Isso não responde nada a nossa suprema questão aqui: porque os dois diferentes corpos foram conduzidos pelo mundo externo de modo que o quarto representando o mundo externo de um seja de 35 a 50% inferior em qualidade em relacao ao outro?! Não, não é um mero acaso fortuito, pois a vida toda o mundo externo tem feito a mesma diferença acontecer para os dois individuos.

Vamos gastar mais um tempo aqui e analisar isto com mais cuidado. Neste ponto você responderia que o individuo A pode pagar um aluguel mais caro, então seu quarto deve estar numa casa melhor, mais nova, etc. Certo, concordo. Mas porque A pode pagar um aluguel mais caro? Ora, porque ganha mais. E porque ganha mais? Ora porque deve ser melhor no trabalho que B. Negativo. Todos os patroes anteriores disseram, e pode-se observar isso assistindo os dois trabalharem, que B produz mais e melhor porque se dedica mais ao trabalho. Bem – poderia retrucar você – talvez seja caso de carisma, aparência, etnia, etc. O serviço publico no Brasis e` um exemplo de que os melhores para os cargos estão fora e os menos dedicados estão dentro, devido a que apenas alguns mais abastados podem estudar e fazer os concursos ou devido ao apadrinhamento secular. Sim, mas isso tudo foi determinado antes do nascimento. Então talvez o genoma dos pais não contenham apenas as informações das características carnais dos corpos, talvez tenha algo mais ai, relacionado a magnetismo, hologramas,… Ora – você poderia ironizar – você esta sugerindo que astrologia existe? Obviamente que não, apesar de que essa coisa de diferentes faixas magnéticas, transmissão de ondas de luz, etc., existiam antes nos sistemas astronômicos, os quais são nossos ancestrais. Nos teremos que abrir uma linha de pesquisa de laboratorio tendo como base a formula da Matrix/DNA para investigar o que aconteceu com o eletro-magnetismo na evolução desde  galaxias ao genoma humano. Por exemplo, porque as antenas dos insetos que os possibilitam sentirem campos magnéticos foi se atrofiando nos animais superiores ate se tornar um mero caroco no centro do cérebro humano, chamado glândula pituitária, já que precisamos conhecer as outras 7 dimensões previstas na String Theory. Talvez a nossa grande ignorância sobre esta força que tem de existir, esteja no fato de que nosso sensor cerebral para ela esta desativado, e precisamos reativa-lo.

As diferenças continuas aconteceram quando o corpo dos individuos tocaram o mundo externo. Esta força esta dentro dos corpo dos individuos e ela é diferente em cada individuo. Sera que a força em faixas diferentes, se diferenciaram quando chegaram nas pontas dos dedos? Ou esta força vem do cérebro, e  de la, já vem diferente? Vejamos. Não foram as mentes dos individuos que pensaram ou decidiram diferente. Obviamente as duas vontades, os dois comandos mentais eram o mesmo: ” Quero 100% de claridade”. Então surgem duas alternativas:

a) se a força esta parada em estado potencial no cérebro ( como a força elétrica esta no interruptor), alguma coisa aconteceu com a forca do individuo “B” no espaço que vai do cérebro a ponta de seu dedo. Isto e mais que 50% das possibilidades, tem que ser investigado a fundo. Existem diferenças anatômicas ou materiais nos corpos humanos que produzam diferentes níveis de qualidade dos estímulos emitidos pelo cérebro como comandos e decisões?!

Bem, é obvio que existem, ao menos no tocante a força bruta: tem individuos com corpos mais fortes cujas decisões ou vontades do cérebro – como por exemplo, ” vou mover esta pedra” – se realizam, e individuos mais fracos que tem a mesma vontade mas não conseguem mover a pedra. Mas no caso da luz é diferente, não se trata de diferença de forca física, os dois interruptores foram movidos iguais. Não se pode dizer que um cérebro e mais fraco que o outro, ou que a vontade de um é mais fraca que a do outro, pois os dois movem os interruptores de forma igual.

b) A forca pode estar vindo desde fora do cérebro, do corpo humano. Mas não do mundo externo físico. O mundo externo não se preparou diferente para receber cada um dois corpos, não ofereceu nem cedeu qualidades diferentes, os objetos foram sacados do mundo externo pelos individuos. mas sempre vem em niveis diferentes, e o pior, na mesma porcentagem de diferença. Isso tambem não acontece determinado pelos individuos. Não existe diferença entre fraco e forte entre os individuos.

Seria então verdadeira a teoria largamente comercializada da diferença entre pensamentos positivos e negativos? Ora, perante o evento, os dois individuos apresentaram o mesmo nivel de positividade, de vontade, de decisão. Não é isso.  A capacidade de ser diferente e se apresentar diferentemente esta na força antes dela entrar nos individuos. Pois ela já esta ali em estado potencial, porem num, ela é uma coisa, no outro,  outra coisa. Ainda pode ser que os interruptores humanos para esta força, ou seja, os cérebros,  sejam diferentes e isto causa a diferença na força em estado inerte potencial. Sim, cérebros são hard-wired, configurados, de formas diferentes. Nesse caso ela viria do mundo externo igual, mas cérebros a modificariam quanto estão ainda sem entrar em atividade.

Bem, chegamos no amago da questão e aqui a coisa pega, fica tudo muito complicado, a escuridão abate total. Como sempre deu resultado, a estrategia aqui é parar, desviar o cérebro para outra coisa,  deixar que nos próximos dias ele volta ao assunto, bota um pouco de ordem na casa, e num belo dia ao acordar… voila`!,… um quadro mental da resposta surge límpido e claro.

Vamos agora listar as provas-fatos:

1) O individuo “A” nasceu num lar de classe media baixa, com família, berço razoável;

O individuo ” B” nasceu num lar de classe pobre C, ambos os pais deficientes físicos que logo desapareceram quando ele tinha apenas 3 anos de idade. 40%  a mais a favor de A?

2) O individuo “A” nasceu com físico saudável normal e rosto de aparência considerada ” bonito”, o que já determinava um nivel de aceitação e oportunidades oferecidas por outros humanos, principalmente pelas mulheres, pelos selecionadores de candidatos a emprego, etc.;

O individuo B ficou com o físico débil abaixo do peso normal para toda a vida talvez devido a desnutrição na infância e talvez esta debilidade tambem tenha se revelado nas potencialidades do cérebro. Ele nasceu com um rosto considerado feio, o que afastava de si as melhores oportunidades oferecidas pelos outros humanos.

3) O individuo A teve um acidente no trabalho e recebeu 100.000,00 dólares de indenização quando trabalhava num pais estrangeiro, voltou ao seu pais e comprou uma casa.

O individuo B teve um acidente no trabalho quando trabalhava no mesmo pais estrangeiro e recebeu 65.000,00 dólares de indenização. Foi ao seu pais e sua cidade com vontade de comprar uma casa, mas o dinheiro não era suficiente, acabou gastando o dinheiro. Mais 35% a favor dólares de A?

4) Os dois individuos conseguiram aposentadoria nos dois mesmos países. O individuo A recebe no pais A 400,00 e no pais B, o correspondente a 480,00 dólares.

O individuo B recebe no pais A,  216,00 dólares e no pais B , o correspondente a 280,00 dólares. As diferenças entre estes números mostram novamente uma razão de 3:1., ou 33%.

5) O individuo A tem um carro novo no valor de 25.000,00 dólares. O individuo B tem um carro velho no valor de 15.000,00.  Desde os computadores a todos os outros objetos pessoais foi verificado sempre um índice de 35% a 40% a mais de eficiência e qualidade a favor de A. Muitos não foram comprados mas sim achados, ganhados, recebidos como prêmios em sorteios, etc., o que indica que a mesma diferença estava no evento do achado, nas pessoas que deram, nos valores dos prêmios que os sorteios distribuíram, o seja, no mundo externo fazendo face a diferentes corpos humanos.  E foi comprovado que devido a toda esta estrutura física apresentando sempre 35% para melhor a favor de A faça com que B se depare dom azares incríveis em tudo que vai fazer na vida, obtendo sempre no minimo 35% de retorno a menos que A, apear de na maioria das vezes ter atuado com mais esforço, conhecimento e inteligencia na solução e manejo das coisas externas.

Mesmo que, ao mesmo tempo, se constatou que o individuo B possui no minimo o triplo de informações  mais que o individuo A –  por que B frequentou três vezes mais escola, chegou a universidade apos um esforço sobre-humano, e leu 50 vezes mais livros uteis que A, que não passou do ensino secundário. Por exemplo, apesar de B saber muito mais de gramatica, digitação e computação que A, devido as deficiências de seu computador demorou 60 minutos para digitar um texto que A no seu computador mais eficiente digitou em 30 minutos. Mas ai fomos para as impressoras… e a mesma relacao de dificuldades aconteceu de novo, apesar da impressora de B ser mais moderna que a de A. Ou seja, B teve que consertar vários problemas de configuração de fabrica, de conexões de softwares,  ou atualizações,  que A não teve, e quando perguntado A mostrou que não tinha o conhecimento sobre impressoras para consertar se tais problemas lhe acontecesse.

Em determinado momento o investigador perguntou a B:

– ” Você não ficou revoltado, ou com inveja, quando viu que naquela ocorrência quando ocorreu o primeiro dia de trabalho seu e depois o primeiro dia de trabalho de B, na mesma companhia e na mesma função, você teve demasiados azares, problemas acidentais que não foram produzidos por você, enquanto A quase não os teve?”

-” Não. Ja tenho notado isso muitas vezes na minha vida. Mas a culpa não foi de A. Por isso não os invejo, apenas me revolto contra esta sina do destino. A culpa é de algo fora deles, não sei o que ou quem… Ja aconteceu no minimo quatro vezes quando tentei subir uma montanha de obstáculos em busca do sucesso que estava no pico desta montanha. Depois de estar todo machucado pelas lutas no caminho, mas estar a um passo de alcançar o pico, alguma coisa aconteceu nas quatro vezes que ou a montanha se desmanchou sob meus pés, ou um vendaval imprevisto atingiu a montanha, de maneira que nas quatro vezes escorreguei e cai no ponto zero de novo. Nas quatro vezes o acontecimento que me derrubou foi totalmente absurdo, incontrolável. Por exemplo, eu fui a uma aldeia em volta de uma grande mina de ouro e comprei um terreno para montar um negocio que la não tinha e era lucro certo, uma pastelaria com caldo de cana, etc.. Mas antes de eu sacar o dinheiro do banco para levantar o prédio, o governo brasileiro tomou uma decisão que nunca havia ocorrido na historia do pais: congelou todas as cadernetas de poupança. No final tive que ceder a metade do terreno a um sócio que entrou com o capital para levantar o prédio e ficaria com a metade dos lucros, sem fazer nada. Mas quando o prédio estava pronto, novamente aconteceu outro absurdo que nunca tinha ali acontecido antes: o governo interditou a mina. Nesta ocorrência a montanha tremeu sob meus pés duas vezes porque a primeira não foi suficiente para me derrubar. Ora, estes eventos não poderiam estar acontecendo num mundo externo no qual eu não existisse. Eles de fato acontecessem mas apenas logicamente num mundo externo onde eu existo. Por isso estou suspeitando que eu sou o produtor inconsciente do mundo externo em que penso estar vivendo. Enquanto isso tenho assistido montanhas de passos fáceis aparecerem para outros indivíduos de maneira que conseguem alcançar o pico com a maior facilidade. Não é a mesma diferença na lenda entre Sísifo e Prometeu, pois eu sempre atuei como Prometeu e não Sísifo. Mas se eu fosse Prometeu, no dia que ele alcançou o pico e ia ver o trono de Zeus, para lhe roubar a tocha de fogo, teria surgido um vento inesperado e apagado a tocha. Eu comparo isso as estranhezas que estamos descobrindo existir na dimensão dos fenômenos quânticos. Como digerir o fato de que uma coisa é uma onda e uma partícula ao mesmo tempo, ou como aceitar que uma bala de revolver passe por dois buracos numa parede ao mesmo tempo? Não se trata de aceitar ou não, a coisa acontece na realidade e pronto, não vemos o invisível responsável como causa, não podemos entender as causas. A estranheza aqui não é que um único individuo seja a sorte e o azar ao mesmo tempo, mas sim que dois individuos, um seja sempre a sorte e o outro seja sempre o azar, não importa quando e onde. Mas esta é a realidade deste mundo, o qual pode ser uma Matrix emitida por algo que desconheço em mim mesmo,…  assim como tenho um figado que nunca vi, nunca senti nem toquei, e só sei que existe por ter ouvido outros falarem.”

Estes são fatos verídicos, e são apenas os fatos verificados. O acontecimento da lampada tambem é verídico. Existem outros fatos que não foram verificados, porem, é o mesmo que seis ou sete sorteios de moeda cara ou coroa apresente sempre um único resultado igual. Obviamente vamos olhar a moeda com desconfiança, tendo quase a certeza, ou a certeza absoluta, que tem algo na cara que não tem na coroa. E aposto com quem quiser que se os dois individuos forem no mesmo restaurante, sentarem na mesma mesa, e pedirem a mesma bisteca, o indivíduo A recebera uma bisteca com menos osso que B, na proporção de mais 35% de carne.

Algumas evidencias arroladas aqui vão parecer absurdas, inacreditáveis. Por exemplo, ao observar A digitando um texto no seu próprio computador, ele cometeu um erro no seu idioma – Português – e digitou uma palavra sem o devido acento. O certo seria digitar “Não”, mas ele digitou Nao. Imediatamente o corretor automático ortográfico do Google mostrou o erro e ofereceu como alternativa a palavra correta, então bastou ele clica-la e tudo se acertou. Ao mandar B digitar o mesmo texto porem em outro computador, no seu próprio, me lembrei daquela ocorrência e quando chegou na hora de digitar Não eu pedi que ele digitasse sem o acento. Imediatamente o Google avisou, mas não apresentou na sua lista de sugestões a palavra Não com acento e sim a variação “Naã”. Absurdo, o Google e um só, como explicar aquilo?! Perguntei se ele havia mexido no dicionario em seu computador, se teria inserido aquela variação sem sentido e apagado a palavra correta e ele respondeu que nunca mexeu ali, mas comprou o computador de segunda mão… Então B teve que deletar a palavra errada que tinha digitado, clicar em Naã, acrescentar um o em Naã, apagar um a, e assim ficou certo. Então perguntei a ele porque ao invés daquele trabalho ele simplesmente já não digitou Não corretamente. Ele respondeu que não sabe o porque, pois até um amigo técnico em computador já tentou consertar, mas o teclado dele não tem como mudar de inglês para português, por isso ele esta digitando tudo sem acentos e depende do Google para consertar… com as mazelas do Google. Claro, com todos estes problemas ele vai demorar o dobro de tempo para digitar qualquer texto em português. Isto vem para reforçar o que vou defender aqui: o mundo externo, incrivelmente, torna sua vida 35% mais difícil em tudo que ele faz, em relacao a tudo que A faz”.

Quero lembrar que a String Theory, ou Teoria das Codas, que esta a cada dia ganhando mais evidencias a favor, indica que existam ao menos 11 dimensões na realidade deste mundo que nos cerca, das quais percebemos, vemos, e tocamos, apenas três ou quatro. Quero tambem lembrar que a Matrix/DNA Theory descobriu que ao longo da vida de um corpo humano, a sua energia vital varia em qualidade, intensidade, numa sequencia que começa no mais forte e vai caindo até o mais fraco. Do baby inquieto ao cadáver inerte. Durante esta vida o corpo muda de formas, etc. Porem, esta mesma sequencia, esta mesma variação de intensidade, vibração, formas, existe numa simples onda de luz que se propaga no espaço. Se o copo humano termina fragmentado como o pó de onde surgiu, uma onda de luz termina fragmentada nas partículas fundamentais que são os fótons. De maneira que as coincidências são tantas que deixam de serem coincidências e indicam que a vida de uma onda de luz e sua energia e igual a vida de um corpo humano e sua energia. Quero ainda lembrar que existem muitas investigações cientificas em aberto sobre magnetismo, campos magnéticos, etc. E` possível que assim como a Terra e o Sol tem seus campos magneticos, tambem o corpo humano tenha um correspondente campo magnético não produzido por ferro escaldante no núcleo, mas por alguma outra coisa interna. Todas estas lembranças são apenas para avisar que ainda não sabemos quase nada deste mundo e de nos mesmos, portanto, não existem fatos para desaprovar a existência desta força, porem, existe uma inegável quantidade de evidencias e fatos reais arrolados indicando sua existência.

 

O investigador esta vitima de uma tendencia que se lhe afixou na mente, apesar de todo seu esforço em tratar as outras possibilidades com a mesma suspeita e energia. Esta tendencia o tem levado a uma frase final, uma teoria: ” Toda pessoa tem uma propriedade interna a seu corpo que ainda nos e desconhecida, mas esta propriedade tem força que afeta a vida no dia a dia, assim como a mente é algo abstrato e invisível mas dela emana uma força tambem desconhecida que dirige um corpo humano a executar movimentos, seguir comandos. Esta propriedade não é a mente apenas, pois mentes diferentes tomam decisões iguais, lidam com condições externas iguais, mas obtêm resultados diferentes. Esta propriedade não é igual em todas as pessoas, e parece que ela divide a população em classes de qualidade de vida, pela qualidade e quantidade que as pessoas obtêm do mundo externo. As pessoas não escolhem o tipo desta propriedade que possuem, pois todas escolheriam a mais elevada. Esta propriedade esta instalada no corpo de uma pessoa antes do seu nascimento quando vem `a luz do mundo externo. Mas não se sabe se ela se instala no período dos nove meses de gestação ou se vem de um tempo antes do momento inicial da fertilização. Se este for o caso, podemos considerar como forte, a hipótese de transferência ou hereditariedade genética. Esta propriedade me parece estar relacionada ao espectro eletromagnético das radiações de um campo magnético. Parece estar relacionada a frequências, vibrações, intensidades. Por exemplo, o individuo A da experiencia tem uma mais forte intensidade vibratória, o que o situa mais próximo da radiação gama, enquanto o individuo B tem uma mais fraca intensidade vibratória que o situa mais próximo da radiação radio, no outro final da escala das radiações. Eu já tenho outras investigações em andamento que sugerem, por exemplo, que as diferentes distancias dos nove planetas do sistema solar em relacao ao Sol se devem a estarem situados em orbitas solares correspondentes aos seus estados vibratórios. Nesta teoria, o espaço em volta do Sol recebe uma onda de luz/energia proveniente do Sol que se propaga por ondas concêntricas e na mesma sequencia do espectro eletromagnético. Estas faixas de ondas possuem diferentes frequências, intensidades, vibrações, comprimentos de onda, portanto estas faixas de ondas são como avenidas circulares que determinam a direção de um planeta no seu movimento no espaço livre. Se diferentes planetas existem em diferentes fixas destas ondas, é porque tambem os planetas tem suas ondas eletromagnéticas, mas uma delas é dominante em relacao a todas as outras e esta tem uma vibração especifica que a situa na sua orbita solar. Pois na relação entre humanos e esta biosfera, este ecossistema terrestre, deve existir a mesma propriedade. O mundo ao redor dos humanos tem um unica faixa vibratória, e esta seleciona e elege os humanos cuja faixa vibratória seja igual a ela ou mais próxima. Esta teoria é falsificável, testável, ou seja, é sujeita e possível `a investigação cientifica. Apenas nos esta faltando um cérebro com sensores mais evoluídos para captar este fenômeno e instrumentos científicos que possam faze-lo. Sendo assim, eu inicio esta pesquisa, e espero que outros se juntem nesta importantíssima característica que determina a sorte ou azar no destino dos seres humanos. Nos temos que declarar como nossa inimiga numero um as faixas que nos causam prejuízos, ou seja, as outras pessoas alem de nos. Pois existem neste momento bilhões de crianças, velhos, jovens, adultos, homens e mulheres sendo torturados por estarem invadidos por inadequadas vibrações. São pessoas do nosso sangue, é a nossa especie, portanto toda e qualquer empreitada visando beneficia-las deve ser incentivada.”

 

E para interromper aqui por hoje esta investigação, trago ainda a imagem do espectro eletromagnético que o investigador tem na cabeça guiando-o tendenciosamente por um dos muito caminhos possiveis:

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

 

Continuando esta investigação, vou registrar aqui mais um testemunho real de outra pessoa que se encaixa na faixa dos 30% a menos, fato que acho ter relacao com este assunto. Trata-se do relato de uma senhora postado como comentario no artigo em:

 

As discretas invasões da burguesia

http://outraspalavras.net/posts/quem-sao-mesmo-os-invasores/

Alexandrina Pacheco – Posted agosto 24, 2014 at 9:02 PM
Veja meu caso: casei me com um homem que cumpriu todas as suas “obrigações” com a Santa Terrinha Brasil, pagou todos os Impostos e descontos como fazem todos os assalariados , serviu a Força Aérea, onde entrou com 17 anos na Base aérea em Salvador, acabado o tempo de 4 anos, saiu e sonhava em ir para Aviação comercial, lutou muito tendo de ser vendedor para sustentar se até cumprir todos os outros quesitos para então ingressar na carreira comercial, já sabendo que dificilmente iria a Comando pois linha de acesso era longa, derivou então para a carreira de Engenheiro de voo, ou Mecânico de voo, ou F/e como são designados. Casou se comigo aos 37 anos, e como eu não tinha heranças de família, nem bens, sempre pagamos aluguel, tivemos 3 filhos e vivíamos com o ordenado dele. Pusemos nossos filhos em Colégio particular, porque na época a Educação Pública no Brasil já tinha caído do pedestal de melhor ensino, e nunca sobrou dinheiro para a “tal casa própria”, sempre tentando melhorar entramos em alguns planos absurdos tais como Haspa e outros , até que surgiu uma proposta para um plano para complementação de aposentadoria AERUS, e aí como as prestações eram salgadas, tiramos nossos filhos do Colégio Particular e foram para a rede Pública para que pudéssemos cumprir com nossa obrigação. Sabe o que aconteceu? como tudo no Brasil a obrigação perante a Lei era que a PREVIC da época que tinha outro nome que me foge agora , fosse a vigilância e o cuidado com os investimentos, como todos sabem a Seguradora AERUS que já foi a 5 no Brasil, abriu o bico pelo consentimento dos que deveriam fazer seu dever e não fizeram e entrou em Liquidação Judicial em 2006, e tome processos e mais processos os aeronautas e aeroviários da VARIG, TRANSBRASIL ficaram cada dia recebendo menos e alguns até 8% do que seria sua pensão, enquanto AERUS ia vendendo o SEU PATRIMONIO. Ganhamos varias vezes na Justiça alguns dos processos que se o Governo cumprisse com sua parte o plano teria como continuar, mas qual o que , estamos como no caso dos precatórios……nada e já se passaram 8 anos, somos todos velhos cuja média de idade é 76 anos, e o sádico do Governo está esperando morrer o último. Meu marido morreu em 2010, e eu vivo com a pensão dele do INSS, e moro de favor em um apartamento emprestado por uma amiga de boa alma, não sei até quando. Fui operada de Câncer no Pulmão em 2013, Fevereiro, tenho 70 anos o Brasil de hoje me assusta muito, é bem difícil as adaptações do mundo moderno, continuo sem casa própria , com uma vida bem comedida, planos de saúde inviáveis de se pagar , e vendo gente que quer viver no Centro de são Paulo com toda infraestrutura , sem ter feito nada por isso, e como ficamos ? Alugueis estão pela hora da morte, gente que mora na periferia que toma conduções lotadas e estudam ficam com todas as dificuldades enquanto outros querem tudo na mão? há muita coisa que precisa ser revista no país, e não acredito que priorizar alguns, jogando classes contra classes seja o melhor caminho, nem essa expansão ou inchaço de construções em São Paulo, totalmente verticalizado possa trazer algum conforto. (FIM)
Veja como funciona a invisível força que controla nossas vidas. A historia da vida deste ” piloto” se assemelha em muito com a historia da vida do personagem acima, contido sempre em 30% inferior na qualidade de vida, nunca conseguindo superar essa faixa por mais esforço e disciplina que tenha empregado. Eu suspeito que o piloto tinha algum desvio racional, algum vicio, que o atrapalhava. como o personagem A acima tinha o vicio da filosofia imaginaria. Então ainda fica a duvida se realmente esta forca invisível existe. Mas pode ser que estes desvios, vícios, já sejam um artefato aplicado por esta forca sobre esta pessoa, mesmo que esta forca seja vinda do próprio EU, uma entidade cósmica no subconsciente que não e’ conhecida e captada pelo consciente temporal de uma vida.
Enfim, que continuemos esta investigação…

A Lua é Um Feto Morto Abortado? Mais uma Evidencia para o Modelo Cosmológico da Matrix/DNA

sábado, dezembro 6th, 2014

xxxx

Study Reveals, Long-Ago Moon’s Magnetic Field Might Have Trumped Earths’

http://www.capitalwired.com/study-reveals-long-ago-moons-magnetic-field-might-have-trumped-earths/27097/

DECEMBER 6, 2014 – BY 

( veja o meu comentário postado no artigo da Capital Wired e copiado abaixo)

Tenho que evitar estes assuntos sobre Astronomia pois estou perdendo um precioso tempo enquanto a Matrix/DNA está me levando a descobertas a toda hora nos campos mais práticos e produtivos da Biologia, Medicina, Tecnologia, etc. Mas todos os dias quando abro o leque na Internet sobre as novidades cientificas do dia anterior, sou bombardeado de imediato por assuntos relacionados à astronomia. E como a desconstrução de uma cultura viciada começa pelo estremecimento das falsas verdades acreditadas por uma equivocada visão deste mundo astronomico, concluo que não posso deixar passar estas oportunidades. Então, paciência: se me chamam para a briga escolhendo o terreno astronomico, eu não fujo desta briga porque, apesar de não ser o campo que mais estou estudando, tambem sei jogar nêle.

A Lua como Feto Abortado por ter caído no Ventre de um Planeta ao invés de uma Estrela – http://www.reddit.com/r/NoStupidQuestions

Enquanto o corrente modelo teórico acadêmico astronomico sugere que a origem da Lua se deve a uma colisão entre a Terra e outro grande astro, o modelo téorico astronomico da Matrix/DNA sugere que a Lua teve a mesma origem de todos os outros astros, ou seja, pelo mesmo processo de reprodução biológica mas bastante reduzido e simplificado devido ser um processo ancestral muito antigo na escala evolucionaria. Segundo esta teoria, quando uma estrela e/ou seu sistema “morre”, ela resulta em poeira estelar que fica girando sobre si mesma devido o movimento de rotação da galaxia. Esse giro produz um rodamoinho no centro da névoa de poeira funcionando como um ralo tapado de uma pia, no qual a água entra e retorna à superfície formando bolhas. Estas bolhas são compostas de material pesado, com mais ferro, em estado altamente energizado, por isso são bolhas incandescentes ( no rodamoinho entram tambem esferas de magmas incandescentes vindos como cometas expelidos por pulsares). As bolhas são expelidas do rodamoinho para entrarem numa zona densa de poeira circundante, a qual se agrega à superfície da bolha. À medida que a bolha se afasta do centro turbilhonar a temperatura no espaço declina e a poeira torna-se cada vez mais congelada por isto sobre a bolha se formam camadas diferenciadas por densidades. Até este ponto, em tudo é igual ao que depois evoluiu para as sementes vegetais e depois ainda para a embriogênese de corpos vivos, onde a bolha representa o germe latente e as camadas externas representam o amnion e a placenta que vão alimentar o germe quando despertar e iniciar suas “reações nucleares” que é sua forma de alimentação pré-natal.

Caindo no espaço interestelar o novo astro vaga sob os efeitos das correntes de forças da galaxia até se aproximar de algum astro com força magnética ou gravitacional para capturar o “menor abandonado, sem família e sem teto”. Se penetra um sistema estelar como o nosso sistema solar, a tendencia do novo astro é ser capturado pela órbita da estrela central que possui força magnética maior que a dos planetas. Ao cair nessa órbita o menor abandonado ganhou uma nova mãe e um teto. Então acontece o mesmo quando pegamos um grão de milho que estava inerte dentro de um saco no celeiro e o introduzimos no solo: primeiro a água incha a semente toda, em seguida penetram os fótons que vieram da estrela e estavam dentro dos átomos da terra até alcançar o germe da semente ( aquela ponta branca que tem nos grãos de milho), o que desperta-o e ele começa a “comer” o envoltório amarelo do grão, que ali foi feito para servir de reserva de alimento ao embrião. Portanto o novo astro tem seu corpo alcançado pela energia da estrela a qual penetra-o alcançando seu núcleo, e assim o astro se torna um planeta, tendo internamente o germe que se desenvolverá e se tornará uma nova estrela.

Nas suas origens, quando a Terra e a Lua ainda eram peraltas vagando livres no espaço interestelar, tinham a mesma face – https://twitter.com/moonemojii

Mas… nem tudo ocorre sempre assim, tal como nas gestações humanas saem fetos defeituosos, ocorrem abortos prematuros, etc. Se o novo astro passar muito perto de um planeta de maneira que a atração magnética deste sobreponha o alcance da atração da estrela, o novo astro cairá nessa órbita do planeta. Passará metade de sua vida sem a luz da estrela, pois terá neste meio-tempo, entre ele e a estrela, um planeta impedindo o curso da energia da estrela. Assim o germe fica entre desperta ou não desperta, como que morrendo varias vezes, até finalmente morrer de vez e tornar-se uma Lua do planeta. Pois a diferença entre estrelas e planetas é que estes são “escuros”, opacos, não irradiam energia como as estrelas.

Um importante fator na constituição de astros é o que se refere a seus campos magnéticos. Estes campos são os espaços ao redor de uma corrente elétrica qualquer. A Terra por exemplo tem um campo magnético gerado pela camada externa de seu núcleo que é composto de uma magma quase liquido altamente incandescente ( lembre-se de como ele surge na superfície em forma de lavas vulcânicas) e cujo “liquido” se move como uma corrente elétrica devido a rotação do planeta. E como então fica essa questão de campo magnético nas “luas”?

Pelo modelo cosmológico da Matrix/DNA publicado e registrado desde a selva amazônica à 30 anos atrás, deduz-se logicamente que as luas apresentaram nos seus primeiros tempos um próprio campo magnético, ora na sua origem quando saiu do vórtice criador e ora nas vezes que quase-despertou pelo recebimento de maior quantidade de energia estelar. Deduz-se ainda que, uma vez estabelecida a morte do “feto” interno destas “luas”, se extingue para sempre seu campo magnético. Isto sugere o modelo. E o que dizem os dados científicos realmente comprovados?

Leia-se o artigo com link acima e estaremos bem informados. Ou seja, o assunto de campos magnéticos de luas ainda não foi resolvido pelo modelo padrão acadêmico ( o Standard Model), mas foram obtidos fortes indícios que ao menos a Lua da Terra já tece em priscas eras um campo magnético, e agora sabe-se com certeza que não tem mais. Estes indícios vem principalmente de asteroides reminiscentes da Lua que apresentam ainda campos magnéticos.

Mas ainda tem um detalhe muito importante a considerar aqui. Dias atrás inserí neste website o artigo:

” A Lua Está Viva… Mais Uma Acertada Previsão da Minha Teoria a 30 Anos Atrás?!” – See more at: http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?paged=2#sthash.fdZ4v3FC.dpuf

Imediatamente o leitor desavisado vai pensar: “Mas então agora tudo o que se descobre ora que a lua é um astro morto ou ora que a Lua está viva – estava previsto por uma unica teoria? Ou uma coisa ou outra…”

É por isso tambem que me desgosta o fato de que a Matrix/DNA, construída dentro da Biologia,  entra inevitavelmente no campo da Astronomia ( pois para mim a Biologia é mera sequencia evolutiva de uma linhagem que passou pela Astronomia), pois a Cosmologia Astronômica ainda é um assunto que beira a metafisica. Ou seja, o Cosmos é tão desconhecido que suas possíveis explicações podem mudar da água para o vinho de um dia para o outro. Tudo ainda é possível em termos de Cosmologia, e isto não apenas em relação ao acadêmico “Standard Model”. Então se num dia sou informado que foi detectado vulcão ativo na Lua e imediatamente corro à fórmula da Matrix/DNA para tentar captar o que ela indica sobre isto, localizo o evento como sendo a Função 3, o que indica que a Lua está em processo vital, portanto, ela ainda está viva. mas no dia seguinte sou informado que a Lua não tem mais o campo magnético que tinha no passado, então corro novamente à fórmula e localizo o evento na Função 2, mas com o corpo saindo fora do circuito vital… e isto indica que a Lua é um feto morto e abortado prematuramente. Nos dois casos o modelo previu uma consequência que foi corroborada pelo pessoal da área cientifica. Como pode ser isto?! Ora a explicação é simples: “Lembre-se que digo aqui que ” o novo astro cairá nessa órbita do planeta. Passará metade de sua vida sem a luz da estrela, pois terá neste meio-tempo, entre ele e a estrela, um planeta impedindo a passagem da energia da estrela. Assim o germe fica entre desperta ou não desperta, como que morrendo varias vezes, até finalmente morrer de vez e tornar-se uma Lua do planeta.” Então, o germe dentro da Lua pode ou estar morto ou ainda com potencial de vida latente, não tenho dados confirmados para decidir isto. Pode estar ainda na fase do “morre durante suas noites e ressuscita durante seus dias”, sendo estes intervalos determinados pela distancia que a Terra esteja do Sol em sua órbita elíptica.

Enfim, meu objetivo não é provar que o modelo que desenvolvi está certo e o concorrente esteja errado. Nosso supremo objetivo é a busca da Verdade. Eu até prefiro ser o perdedor nesta disputa, pois se o modelo em que se estrutura hoje todo nosso empreendimento cientifico e fundamenta a visão de mundo do homem moderno, estiver errado, a Humanidade será prejudicada e mais uma vez atrasada em sua evolução pois teremos que retornar a um ponto no passado, limpar tudo o que fizemos depois pois estará tudo errado, e recomeçar de novo a partir daquele ponto. Como aconteceu quando Copérnico surgiu com o modelo heliocêntrico e tivemos que desmanchar tudo o que fizemos em dois ou três mil anos de crença no modelo geocêntrico. Até hoje ainda não conseguimos limpar os cérebros de muitos humanos de toda aquela falsa mitologia religiosa principalmente para retornar estes cérebros à sua saúde e desenvolvimento sadio de acordo com o que é a realidade natural, do mundo em que existimos e temos de lutar para sobreviver e melhorar a nossa qualidade de vida.

Mas… na ultima possibilidade que o modelo universal acadêmico esteja errado, e portanto as escolas estejam encaminhando os cérebros de nossas crianças para uma equivocada visão do mundo, para que engrossem esta louca corrida que já hoje está sugerindo que podemos estar indo rumo à nossa total extinção, então é melhor que tenhamos agora um pequeno prejuízo, como uma espécie de cirurgia de autocura, para nossa salvação.  E por incrível que pareça, são pequeninos e quase não notados detalhes como esta aparente alienada questão de campos magnéticos de luas, que juntos podem serem nossa salvação, pois o simples fato de estremecer-mos as certezas da visão de mundo estabelecida é uma forma de começar a corrigi-la em seus equívocos. Pois quer queiramos ou não, e depois que vencemos a necessidade de empregar a totalidade da vida apenas na busca de alimentos, todos os comportamentos e atitudes humanas são como ondas disparadas por uma fonte central: a nossa interpretação do mundo total, a imagem pessoal que temos do mundo que domina nossos cérebros e principalmente os cérebros dos humanos que estão no poder e escolhendo os caminhos para nossa grande caravana humana.

xxxx

Textos importantes do artigo: 

– “According to the researchers, the moon once had a magnetic heart, which helped the moon produce a magnetic field stronger than Earth’s now have.”

Matrix/DNA: Sim, todos os astros quando nascem e ainda não tem seu germe nuclear coberto por camadas de fria poeira estelar, emitem forte campo magnético. Ao flutuarem vagando no espaço interestelar têm seu germe nuclear coberto por matéria cada vez mais congelada, o que diminui a intensidade externa deste campo magnético pois o abafa internamente. Este é o estado de planetas como a Terra agora. Porem, à medida que o germe cresce dentro do planeta se aproximando da cobertura superficial, o campo magnético retorna a ser emitido com maior intensidade, alcançando seu climax quando se torna pulsar e depois uma estrela.

– “Though, numerous riddles linger about the magnetic field of the moon, for example, what fueled it and when it’s finished, the researchers added.”

Tradução: ” Apesar da informação na frase anterior, pensa-se nos numerosos enigmas que ainda adiam o conhecimento se, por exemplo, o que alimentou o campo magnético e quando ele se extinguiu…”

– “The moon today does not have an inclusive magnetic field. Nonetheless, asteroids that space explorers gathered amid the Apollo missions proposed the moon once had a magnetic field billions of years back.”

Matrix/DNA: Isto foi dito e registrado à 30 anos atrás pelo que os acadêmicos e estudantes universitários chamaram de semi-macaco troglodita vindo das selvas, quando leram um artigo escrito pelo macaco no jornal “Fôlha de Londrina”.  O macaco não tinha nenhum asteroide para dele tirar sua conclusão, mas esta despontou de seus simples cálculos macáquicos desenvolvidos na sua observação da biosfera amazônica e calculando quem ou o que teria criado sua tataravó biosfera.

– “However, researchers were unsure whether the moon created a magnetic field the same way Earth does, or if the magnetic fields seen on the moon were rather generated by external powers. For example, celestial effects on the moon could have flickered super-heated plasma that produced solid, concise magnetic fields, clarifying the charged rocks the space travelers found.”

Matrix/DNA: Todos os astros são formados com um inicial latente campo magnético, mas são os poderes externos de outras estrelas ou planetas que podem deflagrar ou extinguir tais campos magnéticos.

–  “The crucial inquiry of lunar science for more than four decades, even before the Apollo missions, is to what degree is the moon an unmelted primordial body like numerous space rocks, instead of a dissolved developed body with a multilayered structure, which can have a metallic center with a magnetic field.”

Matrix/DNA: A segunda alternativa está quase correta, salvo pelo indicio de que a Lua não deve ter mais seu campo magnético, ou ainda pode estar em vias de sua extinção.

– “… a few models say the moon began off frosty and unmelted, while others propose it was made from a monster affect and foresee it ought to have been scorched.”

Matrix/DNA: A Lua começou congelada na sua superficie e incandescente no seu nucleo.

– “confirmation that the moon had a magnetic field 4.25 billion to 3.56 billion years back, no less than 1 billion years after the moon created.”

Matrix/DNA: Então o Standard Model sugere que a Lua tem a mesma idade dos planetas do sistema solar. Claro isto é devido a sua teoria da formação destes sistemas, quando todos teriam nascido de uma mesma nebulosa de poeira estelar. Este tópico é ainda um problema para o modelo da Matrix/DNA, que ainda não resolveu se este sistema estelar foi formado pelo processo da primeira geração ou pelo processo das gerações subsequentes.

– ”  Weiss said, “Earth’s magnetic field is presently 50 microteslas in potency. The early moon may have had a magnetic field that was greater, perhaps up to more than 70 microteslas.”

Matrix/DNA: Justamente isto é o que indica o modelo da Matrix/DNA, mas acrescentando que tambem a Terra teve outrora um campo magnético mais potente.

– “It stays questionable what may have fueled this shockingly exceptional lunar magnetic field. “It’s difficult to see how the moon’s magnetic field could be as tough as it appeared given how the moon has a little center,” Weiss said. “The moon’s center is perhaps 1/5 to 1/7 the radius of the moon, while the Earth’s center is possibly one-half the planetary range. This implies the surface of the moon is much far from its center than you see with Earth. Since magnetic fields fall quickly in force with distance, it’s tricky to see how the moon could have had a magnetic field that was that that tough throughout its surface.”

Matrix/DNA: “Minha Santa Erotilde dos torresmos fritos!”. Isto é tão fácil de resolver! Claro, é facil quando temos o modelo da Matrix/DNA como base. Todos os astros no céu, quando nascem, são ancestrais dos bebes humanos que nascem na Terra. E todo mundo sabe que bebes nascem pequeninos e se tornam adultos grandões. Nos bebes a distancia entre seus coraçõezinhos e sua pele superficial é menor que nos adultos a distancia entre seus “coraçãozões” (Arre! Este português me obriga a fazer cada ginastica de língua que um dia ela se dá um nó e morro sufocado!)…, e sua pele superficial. Claro! Então tanto a Lua como a Terra, nos seus tempos de infância, que eram como uma semente, tinham seu nucleo-germe altamente concentrado e rotativo, gerando intenso campo magnético, que era externalizado com potencia porque tinham ainda poucas ou menos camadas geológicas abafando essa força que têm agora. À medida que o germe se expandia, diminuia a sua densidade e com isso a força de seu campo magnético.

– “Given the extent of the moon — just around a quarter of Earth’s distance — the moon ought to have cooled hastily…” 

Matrix/DNA: Temos um problema aqui, entre nossas teorias. Pelos meus cálculos, a Lua deve ter recebido menas camadas geológicas que a Terra e estas eram ainda mais quentes que as ultimas camadas da Terra. A Lua teve estas camadas esfriadas ou mantido a temperatura mais fria inicial devido ao mesmo motivo pelo qual a superfície do nosso planeta não pega fogo pelo bombardeio solar: quando ela se esconde do Sol por estar nas costas da Terra, o que o faz na metade de seu tempo de existência, funciona como as noites terrestres que esfriam o calor aumentado durante o dia.  Então não teria havido esfriamento rápido da Lua. Mas isto é um assunto onde não vejo muita importância para se discutir.

 “Though, novel models propose that the moon’s innards may have been less gooey than suspected, and that radioactive material inside the moon could have kept it hotter. These elements may have empowered a convection-fueled lunar dynamo to last until maybe 3.5 billion or 3.4 billion years ago.”

Matrix/DNA: Justamente o que sugere nosso modelo. Enquanto o germe se torna feto o campo magnético continua, mas quando o feto morre, o campo se extingue. Isto sugere que o feto “morreu” entre 3,5 bilhões ou 3,4 bilhões de anos atras. Eu vou calcular isso direitinho porque preciso saber a data, o dia exato que o feto morreu, para estabelecer a o dia da missa em sua sagrada memória…

Comentario publicado pela Matrix/DNA no artigo:

“… the moon once had a magnetic heart, which helped the moon produce a magnetic field stronger than Earth’s now have.”

It is just what was predicted by Matrix/DNA astronomic model, 30 years ago. All astronomical bodies have stronger magnetic fields at its formation and it decreases till these bodies becoming old planets or, like moons, are aborted as died fetuses. But, accordingly to this model, the body’s nucleus is seen as a germ, not as a heart.

Though, numerous riddles linger about the magnetic field of the moon, for example, what fueled it and when it’s finished, the researchers added.”

It is the same cause that fueled the magnetic field of Earth at its infant times. These nuclei are formed with degraded mass as stellar dust from a died system plus highly energetic concentrated ironess magma coming from neighbours system or pulsars. The nucleus emits stronger magnetic field forces while the astro-baby is crossing the dust, which are aggregated upon the nucleus building the geologic layers. Which makes the decrease of that superficial force and if the astro does not fall directly into a star’s orbit and does not receive its energy, the germ dies, finishing the magnetic field.

“… if the magnetic fields seen on the moon were rather generated by external powers.”

Astronomic bodies, while at their formation, are the ancestors of vegetable seeds. Or does you think that vegetable seeds were created by magics from a divine superpower or by magics of an ex-machine-maker randomness? It is all about a unique line of evolution, from cosmological to biological. So, when we have a question about these emerging astros we can search the answer observing a vegetable seed or human embryogenesis. There is a potential magnetic field freezed at the germ, which is triggered by the energy of a star. But if instead a star, the “baby-astro” falls into a planetary orbit, the germ is waked up during the day and almost dues during the night, or when it is at the other side of the planet.

Ok, by while it is theory against theory, only time and more data will be judge about which model is less wrong.

 

Campos Magnéticos Astronomicos x Sinalizações Entre Genes? – Mais Dados

terça-feira, novembro 25th, 2014

xxxx

Introdução:

Aqui na Terra, e mais precisamente no nível genético, observamos  o admirável fenômeno de genes sendo expressados ou inertes devido sinais elétricos percorrendo moléculas e ligando ou desligando genes. De onde veio esta extraordinária engenharia, este funcional mecanismo, evolutivamente? Onde estavam e como eram os princípios deste mecanismo quando a evolução tinha como tôpo os sistemas astronômicos, ancestrais dos modernos sistemas celulares? Claro estas perguntas parecem ao leitor sem sentido, e apenas dentro da Matrix/DNA Theory uma mente humana faz a si mesma estas perguntas. Porque para mim isto é o que faz sentido, e não o contrario, como todos estão pensando, nas três hipóteses que apresentam e as quais impedem-nos de pensar em se fazer perguntas como estas:

1) Tem o grupo que não as faz porque “um Deus mágico criou tudo o que aqui está por mágica”;

2) Tem o grupo que não as faz porque “emergiu aqui a Vida vindo da matéria inorgânica que era a estupida matéria deste minusculo planeta perdido na imensidão cósmica e se desenvolveu pela evolução Darwiniana portanto antes das origens da Vida era o Cosmos e seus sistemas astronômicos os quais nada tinham deste mecanismo;

3) Tem o grupo do grosso da população não-pensante em coisas que seus olhos não vêem e suas mãos não tocam, por serem tão práticos na vida como seus recentes ancestrais animais.

Não! Eu nunca vi nenhuma mágica e nenhum deus nunca falou comigo ( portanto se me ignoram não são meus deuses); eu não posso admitir que esta matéria bruta deste planeta inventou estas coisas e portanto tudo aqui deve ser resultado de uma evolução continua que vem desde as origens deste universo material, e me recuso a ser mero animal portanto penso exigindo explicações visando forçar a minha transcendência alem dos meus ancestrais animais. Tem sentido sim as perguntas que a Matrix/DNA Theory me inspiram a fazer.

Campos Eletro-magnéticos dos Astros x Campos Eletromagéticos do DNA

Vários indícios vindos dos desenvolvimentos das teses dentro da Matrix/DNA  tem apontado que o fato cientificamente comprovado que astros como o Sol e a Terra mudam seus campos magnéticos, ora carregando e descarregando energéticamente seus polos norte e sul, seriam a nível astronomico o ancestral do mecanismo que evoluiu biológicamente para o fato tambem comprovado que genes mudam seu estado energético, estando carregados e se expressando, ou não. Como tem sido impossível visualizar e conhecer este mecanismo muitíssimo importante para nossa saúde física, a nível de genes, se conhecer-mos sua procedência, sua funcionalidade em outros sistemas maiores onde podemos ver mecanismos, podemo avançar muito na busca desse conhecimento. Infelizmente eu não tenho tempo para desenvolver esta tese e sou o único homem no mundo que se aventurou por este caminho que talvez seja um caminho todo errado, mas se estiver certo, estamos perdendo uma grande oportunidade de diminuir as torturas das doenças por mal funções genéticas que caem sobre nós, humanos. O que posso fazer por enquanto é vir registrando tudo o que sou informado e tem alguma relação com o tema. Portanto,…

 

Enceladus – Saturno-y-mas-7- Ice Geysers on a Distant Moon-Saturn’s Moon – Cryogeysers erupt from the south pole of the tiny moon Enceladus..jpg

https://plus.google.com/u/0/105302493912761395251/posts/JDcSgFTogUj

Comentario da Matrix/DNA Theory postado no artigo:

 

 

The Matrix/DNA Theory is the unique researching evolutionary relations between astronomical magnetic firlds and DNA magnetic field due the possibility that the phenomena of tthe mechanisms of genes switched on or off are evolutionary developments from the flips between poles of astronomical bodies. So, thanks for Saturn community by this useful information that was enrolled into our investigations. We need to consider that both phenomena ( at astronomical and genetic level) are still not known and if there is an evolutionary link between them, the study of one can help to elucidate the other, and vice-versa.

Comentarios interessantes:

“During the August 11, 2008 flyby, Cassini’s plasma sensors found ion and electron beams propagating from Saturn’s northern hemisphere.  Their variability was something of a puzzle until it was noted that time-variable emissions from Enceladus’ south polar vents could correspond with the footprint’s brightness variations in Saturn’s aurora.”

– from https://www.thunderbolts.info/wp/2011/10/19/electric-enceladus/

Note that none of our observations of Enceladus were predicted by theorists.  Even the presence of water in the liquid state was a tremendous surprise, given the fact that this was thought to be a cold pole on a dead moon turned out to be the hottest region of this active body.

We’d be wise to check in with other ideas on this, and there is one emerging explanation which can wipe out a dozen anomalies in the planetary sciences.  I am trying to raise awareness of this issue because none of the missions which are currently being planned to these outer moons have taken this other explanation into account.

Please learn what electrical discharge machining is …

https://plus.google.com/+ChrisReeveOnlineScientificDiscourseIsBroken/posts/5Bpk1oRbEec?pid=6072112183139059010&oid=108466508041843226480

xxxx

+Emanuel Marshall​ even more rudimentary than that. Every spinning orb has an electromagnetic field. Its analogous to people and static electricity. Regardless of size shape or density. Put on some tube socks on and rub your feet across a fur carpet like you are going to shock your mom.
xxxxx
Just goes to show negative gravity can be just as powerful as positive gravity.
Although heat and cold are common by products of gravity. They don’t have to be a part of the process. We find this to be true in magnetism and atom smashing
xxxx
Those are not “ice geysers”, they are electric discharges.
xxxxx
It may also be a form of sublimation from ice formations. I am not sure though, now that I take a closer look. There appears to be light in that geyser. which suggest positive gravity transitioning out of a negative gravity field. The cold version of a solar flare. Even better yet . The light is a result of fluorescent gas escaping from the ice. The transition in gravity causing it to light up
+Rodney Miller What’s the difference between “positive gravity” and positive electric charge of a magnetic field pole?
+Rodney Miller
Or it’s just sunlight on ice particles. Good old Occam

Sistema Imunológico: Vídeo Mostra Glóbulos Brancos nos Defendendo de Vermes – E a Explicação da Matrix/DNA

quinta-feira, novembro 20th, 2014

xxxxx

https://www.facebook.com/video.php?v=735315876561829&set=vb.111604802266276&type=2&theater

Os globulos brancos são de vários tipos. Um tipo específico deles possui um receptor químico compatível com um receptor químico presente na superfície do verme, uma célula apresentadora de antigeno “ativa” os anticorpos e eles se ligam ao verme. Esses receptores são diferentes para bactérias, vírus, vermes… ( esta é uma síntese da explicação da Ciência Oficial)

Mas como a Natureza fêz isto?! Tendo apenas para começar… átomos! E aqui usa apenas poucos tipos de átomos. Como a Natureza consegue mover um pacotinho de átomos – é o que, literalmente, são estes glóbulos brancos – e dirigi-los para realizarem um objetivo préviamente desejado?! Ok, você pode ver um pacotinho de átomos tal como um cisco qualquer, leve, sendo movido pelo vento e outros movimentos ao redor dele, mas nunca este cisco vai realizar um movimento para realizar um objetivo. Ele não é auto-dirigido e nem dirigido por nada mais que meras forças ao acaso. Estes “ciscos” aqui são dirigidos. Como? Porque?! O que eles tem de especial que os pacotes inanimados de átomos – como uma pedra – não tem?

Vamos buscar uma explicação na fórmula da Matrix/DNA…

À primeira vista a resposta está na hierarquia de sistemas. O corpo humano é um sistema maior, dentro do qual aparece um intruso, um sistema menor – o verme. Mas tanto o corpo humano como o verme possuem as mesmas raizes biológicas, talvez um ponto em comum, que seria um ancestral comum. A partir deste ancestral comum, a evolução desenvolveu aceleradamente uma linha que chegou ao corpo humano, e outra linha lenta, quase parando, que ainda está na fase de verme. O verme não deve estar na mesma linha evolucionaria do corpo humano, porque, como o video mostra, são dois sistemas incompativeis, não podem coexistir no mesmo espaço/tempo. Em outras palavras, este verme não é ancestral do corpo humano. Se não é um ancestral menor ou maior que um corpo humano, nem um ancestral mais simples ou mais complexo, o verme não é um sistema-fractal do fractal-sistema corpo humano. Então, forças do sistema maior são perturbadas por forças do sistema menor, pois as forças não estão em sintonia entre si, os dois corpos não dançam o mesmo ritmo da musica. Como o sistema maior reage se for perturbado por ter a propriedade da busca do equilibrio termodinamico por um tipo seu exclusivo de ‘” desejo”, e o verme que tambem tem esta propriedade porem esta em outro caminho de busca deste equilibrio, um entra em conflito com o outro.

O fluxo de energia/informações do sistema maior é diferente do mesmo fluxo no sistema do verme em algum ou alguns pontos. As particulas que estão na frente desta caravana-fluxo tem um destino, que é construir o próximo “F” da fórmula, e para isso usam os materiais ao redor, e nisso encontram o material verme… elas simplesmente o vão moldar para servir de material para sua próxima construção. Então, em relação a corpo humano estas particulas se tornam ” anticorpos,  glóbulos brancos”. Acontece que o verme tambem tem seu fluxo, quase inteiramente coincidente com o fluxo destas particulas, então existem os pontos iguais. Estes pontos é o que entendemos por “receptores quimicos”. Vence a força maior, o sistema menor é desmanchado e usado para construir realimentar a reconstrução continua do maior.

Mas vamos tentar destrinchar melhor isso, pois daqui podemos descobrir novas coisas.

Depois de uma pesquisa fazendo uma paciente busca sobre cada elemento para relembrar nossa memória do que aprendemos na escola:

1) Globulos brancos ? Anticorpos?

2) receptores quimicos ?

3) vermes ?

4) célula apresentadora de antigeno ? 

De Onde a Natureza Obteve Essa Idéia de Ligar ou Desligar um Gene no DNA?! Veja a Surpreendente Explicação da Matrix/DNA

sexta-feira, novembro 7th, 2014

Genes: Qual a Origem da Expressão dos Genes? Uma Hipótese pela Matrix/DNA

Pensando no fenômeno da mudança ou reversão dos campos magnéticos da Terra e do Sol, tive esta intuição: este mecanismo que operava nos sistemas astronômicos, tornou-se no sistema DNA o mecanismo que  “liga e desliga” um gene. Quando liga, faz um gene vir à ativa, sair do estado de dormência, inércia, ou seja, o gene se expressa. O Sol a cada 11 anos muda seu campo magnético dando uma virada total, fenômeno que ainda não foi explicado cientificamente. Observando a fórmula Matrix/DNA obtenho uma explicação racional para esta mudança, pois ela tambem é bipolar e o movimento da energia vai de um polo a outro, alternadamente. Mas esta alternância me levou a perceber mais um detalhe: enquanto o fluxo de energia está num polo, digamos, o Polo Sul, o outro polo não existe de fato, apenas existe como potencia latente, ou existe em potencial. À medida que o fluxo avança e chega ao outro polo, digamos, o Polo Norte, agora é o Polo Sul que não existe, ou seja, existe apenas em potencial. Vai daí que suponho que este mecanismo evoluiu quando o building block dos sistemas astronômicos evoluiu para a forma de nucleotídeos, tornando-se a base do fenômeno da expressão dos genes.

E isto é espetacular, tendo em vista a nossa busca desesperada para eliminar doenças mortais tradicionais que parecem estarem relacionadas com a genética, que parecem ter como causas as erradas sinalizações dentro do DNA fazendo expressarem genes errados em momentos errados. Alem disso este assunto nos conduz ao avanço na busca do conhecimento e entendimento da Vida.

Tendo isto em mente, tentarei arrumar tempo para desenvolver mais esta hipótese, começando por trazer a fórmula da Matrix/DNA e a seguir “gogglando” a busca “expressão de genes” para obter todas as informações que as Ciências já coletaram.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Mas tambem temos que nos lembrar que esta figura acima é a fórmula no seu estado de building block de sistemas astronomicos, que esta fórmula tambem está sob evolução, portanto ela muda de forma, desde a mais simples a cada vez mais complexa. A sua forma mais simples é a de um vortex quantico ( que pipocavam no espaço nas origens do Universo), o qual se desfaz no meio da substancia espacial adquirindo a forma de ondas de luz, por isso vamos tambem trazer para cá a figura de uma onda de luz segundo a minha interpretação do que é uma onda de luz me baseando na fórmula da Matrix/DNA. Pois está me parecendo que a expressão dos genes ocorre porque cada trecho do DNA pulsa, ou vibra, numa frequência especifica, e energia move-se nas hastes da mesma forma que as ondas de luz. Então um gene ou grupos de genes se expressa quando a energia chega na frequência X no trecho do DNA sob a frequência X, e não se expressa quando a energia passa pelo trecho em outra diferente frequência.

Light - The Electro-Magnetic Spectrum

 

E gogglando “gene expressão”:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gene ( ler isto)

Gene expression : http://en.wikipedia.org/wiki/Gene#Gene_expression ( ler isto) 

A Fórmula da Matrix/DNA é Bipolar! Virá daí as origens do Campo Magnético da Terra, dos Polos Norte e SUL, do Campo Elétrico, etc.?

sexta-feira, novembro 7th, 2014

Hipótese intuída a partir da teoria sobre a causa da “galactic rotation curve” – com links abaixo.

Vamos começar trazendo a formula da Matrix/DNA:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

É fácil perceber que esta formula é bipolar. F1 representa um Polo e F4 representa o outro. vamos ver mais abaixo qual é o Polo Norte e qual é o Sul.  Alem de lançar luz sobre as origens do campo magnético dos astros, esta descoberta me remete de pronto a um dos mistérios ainda não cientificamente explicados: porque as galaxias giram? Mais exatamente, existe um problema sobre esta rotação, denominada de “galactic rotation curve” – o que não é relacionado com a causa da rotação da galaxia – que me levou a repensar a fórmula e descobrir que ela contem as origens do porque os sistemas no espaço são rotativos.

Uma teoria sugerida recentemente ( veja link abaixo) sugere que a curva na rotação galáctica é devido ao núcleo ser eletricamente carregado, positivo, e a periferia ser negativa, sem carga elétrica. Os movimentos de energia entre estes dois polos explicaria a curva. Mas não foi apresentado evidencias convincentes ( como diz o texto abaixo). Porem, para a teoria da Matrix/DNA, esta teoria faz sentido em relação à causa da rotação da galaxia e todos os outros sistemas/corpos astronômicos e pode até estar correta. Pois galaxias são sistemas naturais e como tais estão assentados sobre a fórmula. Seja como for, o artigo de Brian Koberlein ( link abaixo) que trouxe esta teoria à cena, me fez postar o seguinte comentario:

Louis Morelli – 07, November,2014

Your comment is awaiting moderation.

This issue is very important for understanding cosmological and biological evolution, I think. For yours sake, this issue can explains how and why there are this things called “gene expression”. “If”… there is this difference of charges, what would be the cause? I am a layman about academic official astronomy, but, studying those different natural systems that composes the Amazon jungle’s biosphere I was obligated to deal with the Nature about the space and its elements above the biosphere, which was existing before this terrestrial biosphere, so ( I thought) this astronomical system must be the creator of life here, I need studying astronomy also. And, finally, I got a different cosmological model. But, I had no time for studying everything that Science has collected about the out space and what really is known about this issue about charges of astronomical systems.

My theoretical model is suggesting the following:
a) DNA is the biological shape produced by evolution from a universal natural formula called “Matrix/DNA” which is the “DNA” of atoms and astronomical systems;
b) This formula was evolved from simple light waves at the universe’s origins and can be drawn as a simple software diagram – as can be seeing at Matrix/DNA website;
c) Observing this formula we see that it is dipole, or bipolar: the flow of energy/information that runs inside the spiral circuit is alternated, then, sometimes the nucleus is charged and the periphery is not, and other times this situation is reversed. This should explain lots of things, like galactic rotation, the flip between Sun’s poles, the movements of Earth’s magnetic field, etc.
d) Evolving from astronomical systems to biological systems, the building block of astronomical systems became the building block of DNA, which is a lateral pair of nucleotides. The mechanism of polar variant charges became the mechanism that swift genes in or out;

And so on… I know that this is weird for academic world view, but… the heliospheric model was also weird to the current academic view at Middle Age… and our scientific knowledge should be delayed if Copernicus, Galileo, Kepler, etc., had no fighting for their ideas. With the difference that their idea was the right one, and my idea can be the wrong one… only more data and time will be the judge.

Esta teoria sobre a “rotation galactic curve”, não é uma teoria da sobre a causa da rotação da galaxia, que isto fique bem claro. Ela se refere a um fenomeno misterioso apontado por medições da velocidade da rotação da galaxia, o qual indicou que esta velocidade varia para mais e para menos dentro da própria galaxia, o que, para mim, é muito estranho. Como pode um rodamoinho ter diferentes velocidades em suas espirais?! Porque? Uma explicação seria a de que o rodamoinho esteja num ambiente dividido em diferentes camadas, com diferentes temperaturas, diferentes densidades da substancia espacial, etc. Mas… o fundo do Universo parece ser homogeneo e não dividido em camadas. Para entender esta diferença é preciso ver o grafico:

Rotation’velocity'(km/s)’ X Distance’from’galactic’centre'(kpc)’ , em:

 http://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1409/1409.3096.pdf

Antes de tudo, é preciso lembrar que a fórmula é uma espiral e que na figura parece circular, esférica, porque ainda não tive tempo para conserta-la. O fluxo de energia sai de F1 e sobe para F2, até F4, quando então continua porem agora caindo, até F1. Mas quando a energia ainda está em F1, F4 não existe. E quando está em F4, F1 não existe. Ou seja, o não existe significa que apenas existe em potencial, dentro do fluxo. Assim podemos dizer que enquanto a energia está em F1, este é o polo carregado eletricamente e o outro, negativo, descarregado. Bem, parece-me que assim funciona o campo magnético da Terra.

Vamos traze-lo para cá:

—–

Mas outro dado interessante veio recententemente: a cada 11 anos o Sol muda de polo, ou seja, Morte torna-se Sul e Sul torna-se Norte.

Vamos trazer isto para cá:

—-

A Ciência Oficial não sabe explicar porque isto acontece no Sol. Mas a fórmula da Matrix/DNA tambem é assim: a cada meio-ciclo do fluxo de energia, o polo carregado muda. Ora. se a fórmula para sistemas naturais é assim, o sistema solar é natural, tem que ser assim.

Vejamos a pesquisa sobre este assunto:

Not Even Wrong

https://briankoberlein.com/2014/11/04/even-wrong/

Recently a science blog that should know better picked up a story about a new theory that could explain dark matter as an electrical effect within our galaxy. The story was then picked up by several popular science sites. It all stems from a paper that appeared recently on the arxiv. Calling it a paper is a bit of a stretch. It’s actually two pages of unsubstantiated claims with a half-page graph of the galactic rotation curve.

Measurements galactic rotation curve was one of the first hints of dark matter, but the author claims dark matter isn’t needed if the Milky Way is positively charged near its center, and negatively charged near its periphery. Assume this, and the galactic rotation curve can be explained without dark matter. Assuming that to be true for a moment, what evidence does the author give to support the idea? Simply (and I quote) “In fact it is quite implausible that the [galactic] core should remain electrically neutral.” That’s it. There are no details presented at all. Just “we can tweak the electric charge of the galaxy to fit the rotation curve.”

Vamos então destrinchar esta teoria:

 http://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1409/1409.3096.pdf

Galactic Charge
S. Reucroft1
ThinkIncubate, Inc., Wellesley, Mass., USA
Abstract
The hypothesis of a galactic charge separation between core and periphery is noted as a
possible explanation of the apparent anomalous rotation behaviour.

( continuar a ler)

xxxx

http://en.wikipedia.org/wiki/Electric_dipole_moment

Animation showing the electric field of an electric dipole. The dipole consists of two point electric charges of opposite polarity located close together. A transformation from a point-shaped dipole to a finite-size electric dipole is shown.

Esta figura sugere a fórmula da Matrix/DNA claramente dividida entre suas duas faces, a esquerda e a direita. Com uma diferença: o fluxo de energia sai sempre da carga possitiva, e na direção da carga negativa. O pulsar não as faz inverterem os polos.

xxxx

Importante notar:

Earth’s electromagnetic field

An electromagnet is a magnet that is created by a current that flows around a soft iron core.[18] Earth has a solid iron inner core surrounded by semi-liquid materials of the outer core that move in continuous currents around the inner core;[19] therefore, the Earth is an electromagnet. This is referred to as the dynamo theory of Earth’s magnetism.

Portanto, não é o núcleo que cria o campo magnético, mas sim a camada semi-liquida que rodeia o nucleo e se move em continuas correntes em volta do nucleo.

xxxx

Schematic illustration of the invisible magnetic field lines of Earth, represented as a dipole magnet field.

Schematic illustration of Earth’s magnetic field. Credit/Copyright: Peter Reid, The University of Edinburgh