Archive for the ‘Ciência Oficial Acadêmica’ Category

Cientistas religiosos e ateus, ambos projetam experimentos baseados em suas ideologias. Quem esta’ certo?

terça-feira, janeiro 16th, 2018

xxxx

Visto no artigo:

EVOLUTION IS SLOWER THAN IT LOOKS AND FASTER THAN YOU THINK

https://www.wired.com/2017/03/evolution-slower-looks-faster-think/

Seção dos comentários:

-” Creationist scientist is an oxymoron. Unlike true scientists, a “Creation Scientist” starts with the answer, which is “God did it”, and proceeds to design “experiments” to validate that answer.”

-” A creation scientists is simply one who believes in the literal account of Genesis.
I hope you don’t call your self an evolutionary scientist! Because in your reasoning, that would mean starting with the answer, which is “random chance and time did it”, and proceeding to design “experiments” to validate that answer.”

Raios, a meu ver os dois estão certos. Cientistas misticos que acreditam literalmente na narrativa de Gênesis  – sem base racional – numa resposta definitiva para explicar os mistérios do mundo, ” Deus fez isto”, e partindo desta premissa na mente, projetam experimentos nesta unica linha de logica, esperando provar sua fé. Por outro lado, também ainda não se pode provar que evolução seja o processo básico da natureza universal. Cientistas que acreditam literalmente nesta narrativa – sem prova cientifica – partem desta crença para projetar novos experimentos, esperando encontrar a prova.

Como resolver isto? Sendo imparcial?

Acho que racionalmente, quando temos um fenômeno natural sem explicação ( como a origem das especies e sistemas naturais), devemos procurar alguma outra situação da natureza que seja a imagem e semelhança do fenômeno, e que saibamos a explicação. Então, neste caso, não conheço nenhuma outra situação na Natureza onde múltiplas variações de um fenômeno tenha sido criado por magica por uma entidade sobrenatural. E conheço um fenômeno em outra situação da natureza onde vejo um processo a imagem e semelhança da evolução: embriogênese de um corpo humano. Vejo ali ocorrendo transformações de formas, sendo que cada ultima forma ‘e mais complexa que as anteriores, e isto, para mim, define “evolução”. Por isso, mesmo sabendo que minha evidencia não prova que exista universal evolução, vou seguir a bandeira dos cientistas evolucionistas. Não tenho a menor base racional para seguir a outra bandeira.

A nao-científica Teoria da Matrix/DNA que nao e’ teoria pseudocientifica: Mas qual sua definição?

sábado, dezembro 16th, 2017

xxxx

O texto extraído de um livro faz uma coletânea de nomes relacionados `as diferentes interpretações do mundo, dando-lhes nomes, porém várias vezes no texto se torna evidente que o autor nao e’ impessoal, ele tem a mente doutrinada dentro das ciências academicas deste seculo e revela uma abordagem unilateral. Para mim nao interessam definições humanas, apenas os fatos reais como fenômenos naturais e o que tenho feito e’ colher todos os dados conhecidos e realmente comprovados, seja popularmente empirica ou academicamente cientifica, conectá-los entre si segundo minha intuição, descobrir uma nova possível interpretação do mundo ao obter um quadro final e a partir daí buscar nos conhecidos tudo o que serve de evidencias a favor desta interpretacao, ate’ o momento em que encontre algum fato real que derrube totalmente a interpretação e continuar a acompanhar a coleção de mais fatos obtidos no dia para compará-los com a interpretação e classificá-los como evidências, pois como disse, no dia que um fato contradizer a teoria, e na medida que estremeça ou não o alicerce todo da teoria, procurar refazê-la onde possa ter errado ou então, se o fato contrário for forte e definitivo, joga-la no cesto de lixo. Por enquanto ela nao apenas está sobrevivendo como está ficando mais robusta, não importa se a chamem disso ou aquilo…

 

O critério de demarcação de Martin Mahner: Humanidades e Pseudohumanidades

A bruta realidade do trabalho do cientista manual moderno perante a impossivel solucao da origem da vida

domingo, setembro 3rd, 2017

xxxx

James Tour ( produtivo cientista, inventor, centenas de papers publicados, e fora da Ciência, declarado criacionista), foi expulso da posição de capataz-professor dos grandes predadores porque não se conformou com as mentiras na cultura humana destinada ao manípulamento das mentes da massa de estudantes. Uma aula de extrema abordagem puramente técnica, a realidade nua e crua, mostrando que a mente humana não pode por enquanto processar a informação de como o mundo pre-biótico conseguiu sequer produzir as moléculas precursoras das moléculas mais complexas, muito menos como conseguiu montar milhões de peças prontas para finalizar com um avião pronto. Retornar a esta aula sempre que nos debates for confrontado pelos arrogantes “cientificistas defensores da teoria da abiogeneses tal como ela esta elaborada hoje. E fazer uma pesquisa sobre James Tour. Não tem como escrever meu livro sem mencionar dados desta palestra.

https://www.youtube.com/watch?v=_zQXgJ-dXM4

Qual a origem das informacoes que transformaram o universo simples em universo complexo? Pela Perspectiva de um acdemico moderno.

sábado, setembro 2nd, 2017

xxxx

https://www.edge.org/conversation/the-computational-universe

THE COMPUTATIONAL UNIVERSE

Seth Lloyd [10.22.02]

… by the basic laws of quantum mechanics, full of quantum fluctuations are all the time injecting, programming the universe with bits of information.”

(… pelas basicas leis da mecanica quantica, cheia de flutuacoes quanticas, estao todo o tempo injetando, programando o universe com bits de informacao).

Visao de um mundo puramente casuistico. Assim diria um microbio assistindo a evolucao de um feto e estando dentro do ovo. A Matrix/DNA sugere outra resposta, baseada na opiniao de outro microbio assistindo o mesmo processo estando fora do ovo: as informacoes foram fornecidas pelos pais, elas sao expressadas devido aos movimentos (flutuacoes) dos genes.

O fato e’ que ninguem sabe explicar o que sao flutuacoes quanticas e menos o que as produzem, assim como ninguem explica energia,gravidade, apenas sabemos descrever o que as vemos fazer. Entao, o que ha’ de errado com a tese na minha Matrix/DNA Theory comparando flutuacoes quanticas nas origens do sistema universal com movimentos geneticos na origem de um sistema biologico?!

(… hi… hi…hi… Acontece que penso como filosofo sistemico sempre conduzindo minha mente fora de um sistema para analiza-lo melhor, enquanto o metodo reducionista que estes caras sempre praticaram e so’ sabem fazer os mantem sempre dentro do ovo…)

Eis um trecho da tese de Seth Lloyd:

Another feature that everybody notices about the universe is that it’s complex. Why is it complicated? Well nobody knows. It turned out that way. Or if you’re a creationist you say God made it that way. If you take a more Darwinian point of view the dynamics of the universe are such that as the universe evolved in time, complex systems arose out of the natural dynamics of the universe. So why would the universe being capable of computation explain why it’s complex?

There’s a very nice explanation about this, which I think was given back in the ’60s, and actually Marvin, maybe you can enlighten me about when this first happened, because I don’t know the first instance of it. Computers are famous for being able to do complicated things starting from simple programs. You can write a very short computer program which will cause your computer to start spitting out the digits of pi. If you want to make it slightly more complex you can make it stop spitting out those digits at some point so you can use it for something else. There are short programs that generate all sorts of complicated things. That in itself doesn’t constitute an explanation for why the universe itself exhibits all this complexity, but if you combine the fact that you have something that’s dynamically, computationally universal with the fact that you’re constantly having information injected into the universe, — by the basic laws of quantum mechanics, full of quantum fluctuations are all the time injecting, programming the universe with bits of information — then you do have a reasonable explanation, which I’ll close with.

O que é Ciência? Definição pela Matrix/DNA perspectiva…

quarta-feira, agosto 23rd, 2017

xxxxx

Esta definicao me aconteceu intuitivamente quando lia o debate no link:

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ&lc=z12rtxmiipbfz1ake22vcfh4lymvcpskj.1503499044863482

e postei o seguinte comentario:

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli

Science had several owners since it was born, although the owners comes and go, Science will continuing walking by itself along the time.
Science has no theories, the very scientific act is solely the observation and experimentation of real facts and events happening in the material world, and the clear identification of what is Science is the accumulation of data got by its acts. So, at Earth, humans are merely a tool, an instrument used by Science. But Science is universal, then, at other planets, aliens are its tools.
Science can not think by itself, it can not elaborate theories, linking facts here and now with supposed facts far away. There are rocks, rocks are subject of Science investigation. Linking rocks with the far away event of life’s origins is merely human business. It is a valid tentative, although, I like human’s theories because has theories that have driven Science to successful investigations, as have others driven Science to nowhere. But, this is how human knowledge advances: trial and error. This painful method would not be necessary if humans decides not be owners of Science, searching for profits or power, only knowledge, as was the goal of the Founding Fathers of the new Enlightenment.
It happens that humans sometimes drives the scientific acts to points of their personal interests for profits or ideologies, like the ancient apostles did and the modern are doing also. Who decides which point, are those “fundraisers”, the big corporations and their apostles inserted into universities, like the big corporation Catholic Church did. Driven Science means repeating acts upon a unique dimension of reality, selecting a line of research and ignoring others, in the way that these acts works as feed back to the prior acts, and only a fake face of Nature is revealed. This is the opportunity for Science applying a painful lesson. “Do you want a mechanistic reality? Science will give it to you, and then, will slaving you inside yours mechanical reality.” That’s why we are going towards the Brave New World under the rules of the Big Brother.
And that’s why I choose to live isolated at Amazon jungle leaving Science working through me, without driven it,without any other personal interest than the search for knowledge, and got the fave of an living Universe, described the most by Biology than Physics and Math. Please, never forget that those that were believing they was the owner of academic knowledge and our schools, were replaced when Copernicus opened the doors to the modern apostles. Who, for sure, will be replaced again… Meanwhile, Science walks free its own way…

Buscando o Publico Alvo: Desinteresse dos estudantes por ciências – por disciplinas e países

sexta-feira, agosto 11th, 2017

xxxxx

Pesquisa em PDF. Ver principalmente as conclusões finais (pag 144)

http://roseproject.no/network/countries/brazil/bra-caldeira-tolentino-neto.pdf

Existe uma organização internacional que faz a pesquisa em 40 países:

http://www.ils.uio.no/english/rose/

Veja porque a minha teoria explica mais racionalmente que a teoria academica, como e porque o sistema solar produziu a vida dentro dele

domingo, julho 30th, 2017

xxxx

No artigo com link e titulo abaixo, o autor faz um brilhante trabalho explicando informcoes cruciais para se entender o Sol. Porem, trata-se de uma interpretacao do Sol pela otica da academia cientifica desta era, e como sabem, tenho insistido que existe outra interpretacao mais logica e racional tendo-se em vista o que o sistema solar produziu aqui sob nossas vistas: a Vida! Acho que fui feliz num comentario postado no artigo chamando a atencao para este problema:

Fim do Sol

O Fim do Sol

http://fisicameuespacotempo.blogspot.com/2011/05/o-sol-um-dia-vai-acabar.html

O Sol um dia vai acabar?

E meu comentario postado no artigo:

Louis Charles Morelli – 30/Julho -07/2017

 Andre, perdao por invadir seu espaco, e com uma observacao “far away off the beam”, como alguns astronomos Americanos tem me dito. Mas se gostas de entender a natureza universal mais que defender as teorias humanas, forneco “good food for thought”. Voce diz no comentario que ainda tem muitos detalhes a acrescentar no texto acima, e penso que conheco todos, porem, mesmo assim, voce nao acha que essa teoria academica esta super-reduzindo a complexidade de dois astros – o Sol e a Terra – que juntos tinham todas as forcas e elementos naturais necessarios para produzirem a primeira celula viva dentro deles? Onde e qual era a forca ou elemento que transformou materia inorganica em organica? Qual a forca que dirigiu atomos terrestres a novas combinacoes resultando nas primeiras moleculas quimicas organicas? Qual elemento do sistema solar sabia se auto-replicar, ou ao menos ja continha os principios fisicos para tal mecanismo? E assim por diante… se o sistema solar nao tinha algum destes principios, teriamos que acreditar que algo veio de fora do sistema solar para produzir a vida na Terra, o que nao e’ la’ muito cientifico.
Pois bem. Com estas perguntas passei 7 anos estudando a biosfera amazonica, buscando tambem as causas de suas origens, e os resultados sempre apontavam que a luz solar trouxe muitas mais informacoes do que sabemos. Buscando como estas informacoes estariam inseridas nestes astros, acabei por desenvolver um diferente modelo ou teoria astronomica, o qual contem todas aquelas forcas e elementos necessaries para produzir o que vemos aqui. Mas claro, nao sou astronomo, e mero filosofo brasileiro, ninguem vai sequer pensar no assunto, entao so’ me resta deixar o tempo fornecendo mais dados para testar qual teoria esta certa. Se voce tiver interesse em ver um trabalho que parece for a de foco em relacao `a visao academica official atual, digite: http://theuniversalmatrix.com  Abracos….

Mais Uma Vitoria da Matrix/DNA? Descoberta Estrela Moribunda Sem Virar Buraco Negro.

sexta-feira, maio 26th, 2017

xxxx

http://hypescience.com/pesquisadores-flagram-estrela-virando-buraco-negro-sem-explodir/

Diz o artigo:

” Astrônomos acreditam que uma estrela moribunda tenha se transformado em um buraco negro sem uma explosão…. O ponto de vista típico é que uma estrela pode formar um buraco negro apenas depois de virar supernova. Se uma estrela consegue pular a supernova e ainda se transformar em buraco negro, isso poderia ajudar a explicar porque não vemos supernovas se formando a partir de estrelas massivas” (ler mais…)

Bem,… no meu modelo astronomico ( teorico, claro), estrelas moribundas nao viram buracos negros, como pode ser visto na figura a seguir:

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

O Ultimo Ancestral Não-Vivo e Inanimado

O Ultimo Ancestral Não-Vivo e Inanimado

Estas figuras sugerem que astros nascem, crescem, vivem e morrem pelo mesmo processo de força vital que nos humanos. Então o que se vê na figura é apenas um astro nascendo, tendo suas formas mudadas como mudam as formas dos corpos humanos. Então quando o astro chega na forma de pulsar (F4) ele se torna uma estrela supernova, a qual vai envelhecendo em F6 e quando chega a F7, moribunda, ela se desfaz no seu pó, ou seja, suas partículas de massa, já que sua energia se perdeu antes. Sua poeira forma uma nuvem, a qual inicia a rodopiar sobre si mesma pelo rodopiar da galaxia, formando uma especie de ralo ou turbilhão no centro, que vai dai gerar novo astro. Então não existe buraco negro no meu modelo tal como esta’ teorizado pela Física. O que existe é um buraco, porem igual o que vemos se formar em qualquer vórtice, qualquer rodamoinho.

Mas,… tenho um problema. Este modelo se refere aos primeiros sistemas astronômicos primordiais, pois assim apareceram as sete formas de astros conhecidas hoje. E segundo ainda o modelo maior da teoria da Matrix/DNA, que engloba este modelo astronomico para ser um modelo cosmológico total incluindo o fenômeno das origens e desenvolvimento da vida e da consciência, as galaxias tiveram dois processos diferentes de formação. Mas também o sistema celular teve dois processos de formação. O primeiro foi por simbiose, que juntou separados micro-organismos que se tornaram organelas e assim formaram a primeira célula. Depois elas aprenderam a se reproduzirem, sem ser preciso repetir o processo das galaxias originais. E ainda não calculei como o primeiro processo se modificou para produzir as galaxias mais novas. Então, no caso desta estrela referida no artigo, não sei se foi feita pelo primeiro ou segundo processo.

Mas, em todo caso, na minha intuição, quando uma estrela de segunda geração morre, o processo pelo qual ela passa a seguir não deve ser muito diferente do primeiro, e jamais vai formar o fantasmagórico e nunca visto e impossível pelas leis naturais, buraco negro dos físicos. Mas vamos esperar mais dado, apenas o tempo e nosso esforço em obter mais dados serão os juízes nesta controvérsia.

Termodinamica: A Segunda Lei Obedecida Pela Matrix/DNA Formula

quarta-feira, março 15th, 2017

xxxx

Muito se debate a respeito da questão de que seres vivos não obedecem a segunda lei da termodinâmica.

A Segunda lei da Termodinâmica estabelece que, num sistema fechado, nenhum processo ocorre que aumente a rede de organização ( ou diminui a rede de entropia) do sistema.

A minha formula de sistema total, completo, funcional, isolado, fechado em si mesmo, apresenta a mesma lei. Vejamos:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Para que aumente o nível de organização de um sistema – o que implicaria em aumento de complexidade, evolução – é necessário nova informação, no sentido de que informação seja qualquer novo elemento com forma e função inexistentes antes. Como nada cria informação do nada, e o sistema e’ fechado, não realizando trocas de nenhuma especie com o mundo externo, nenhuma nova informação ira’ surgir dentro deste sistema.

Também a entropia, uma vez iniciada, não teria mais como o sistema estanca-la. No sistema fechado da Matrix/DNA a entropia tem inicio quando partículas saem fora do circuito de informação/energia, indo para o interior em direcao ao núcleo. Isto significa que na próxima rodada do circuito o sistema não mais sera’ de tanta perfeição como nas rodadas anteriores, e o aumento destas partículas desviadas acaba desmanchando o sistema.

A Ciência Academica Oficial não tem a formula natural universal para sistemas naturais, por isso faz grande confusão entre sistemas, processos e partes ativas ou desativadas despregadas de sistemas. Por exemplo, vejamos um texto onde essa falha produz erros conceituais:

” Devido a segunda lei da termodinâmica, o Universo tomado como um todo esta inevitavelmente movendo-se na direcao do estado de completo caos e acaso, sem qualquer ordem, padrão, ou beleza. Este destino foi popularizado no seculo 19 como a “morte quente” do Universo”.

Ora, não existe nenhuma prova de que o Universo constitua um sistema. Onde esta’ o núcleo? Quais são as partes funcionais e como funcionam? Como estão conectadas?

Conforme a Matrix/DNA o Universo deve ser uma massa de sistemas – as galaxias, ou conglomerados de aglomerados de galaxias – mas não um sistema, mesmo porque, sua função como reprodutor genético lhe da’ mais a forma disforme e função de placenta. Mas sem a formula da Matrix/DNA realmente muito se confunde sobre o que realmente são sistemas naturais.

Então o falho conhecimento sobre sistemas causa esse tipo de desentendimento, por exemplo, entre a vida e a teoria termodinâmica, ou mais exatamente entre os conceitos biológicos e as rígidas leis da Física. Vejamos:

Quando a entropia teve inicio num sistema astronomico, mais preferivelmente um sistema galáctico, ela se inicia na periferia e seus produzidos radicais livres são colapsados para o interior, já que do sistema fechado nada escapa. Estes bits-informação podem se encontrarem na superfície de um planeta na mesma época e causarem o caos entre si pois bits distantes uns dos outros no sistema não se reconhecem e não possuem a tendencia para se conectarem. Disputam espaço, energia, etc. Mas quando bits que foram vizinhos no circuito do sistema se encontram, se reconhecem e se reagrupam tentando reconstruir o sistema para o qual foram modelados. Tudo acontece normalmente como meteoritos no espaço são atraídos para astros e não para gazes.

Este caos inicial produz a continuidade do aumento da entropia, já que o sistema esta’ se enfraquecendo e mais partículas se desviam do circuito. Eu diria mesmo – e isto me ocorreu apenas agora – que, desde que o Sol esta sob entropia, perdendo sua energia, o sistema solar tende a desaparecer pela entropia. ( mas se a formação do sistema se deu pelo primeiro método original, os planetas ainda ativados vão sair antes do sistema, na forma de estrelas, ou novos sois).

O sistema esta’ morrendo, a operação automática de auto-reciclagem vai parar de funcionar, mas na verdade ele não esta’ desaparecendo, e sim, se transformando. Pois os bits reagrupados vão re-ergue-lo, dentro de seu próprio corpo, porem, devidos as abruptas mutações devido a gênese diferente de sistema fechado para sistema aberto, o sistema se transforma de astronômico em biológico. Então a entropia produz o caos, mas no caos ocorre a mutação, transformação e reordenação do estado de ordem. Este é outro detalhe que a Ciência Oficial e a teoria da termodinâmica não alcançaram ainda.

Diferenca entre Luz e Radiacao: Desacoplamento da Materia da Radiacao

domingo, março 5th, 2017

xxxxx

Qual a diferença entre Luz ( pela definição da MatrixDNA) e radiação e espectro eletromagnético? Qual a diferença entre o estado inicial da luz no Universo visto pela teoria acadêmica e pela teoria da MatrixDNA? O texto a seguir lança alguma luz na questão:

Texto lido em ( seguindo o texto vem nosso estudo e conclusão):

http://www.bertolo.pro.br/fisica_cosmologia/Cosmologia/Cosmology/decoupling.htm

Era do Desacoplamento

Em todos os instantes iniciais, antes de cerca de 105 anos, a formação dos átomos foi sufocada pelas colisões energéticas de partículas com outras partículas. Para o elétron instalar-se numa vizinhança, grande o suficiente, de um próton, para as forças eletromagnéticas os ligarem, um certo período de paz relativa teve que ser estabelecido. O universo inicial foi, porém, algo mais calmo. As partículas eletricamente carregadas (principalmente prótons e elétrons) fortemente interagiram com radiação altamente energética (fótons) de tal um modo que nenhuma estrutura eletricamente neutra (tais como átomos) fosse capaz de existir. Quando a matéria estiver em um estado eletricamente carregado como este, é dita estar num estado de plasma. Daí a analogia do universo inicial com uma festa selvagem que tem sido usada para a época muito inicial do universo, a “festa” ainda continua a plena velocidade neste momento. Fique tranqüilo, as “fações anti-sociais” como os neutrinos já se foram, e as partículas exóticas, como os quarks, tem sido subjulgados em outras partículas, como os elétrons e prótons, e os fótons “social butterfly” ainda estão tendo um tempo selvagem juntos. Porém, é inevitável que as partículas eventualmente se ligarão eletricamente, pois o universo continua a se expandir. Esta expansão significa que as partículas se esfriam, o que é igual a dizer que a energia cinética que elas previamente tiveram das colisões com outras partículas, começa a se encolher. Aí entra um ponto, quando o fluxo de colisões não é grande o suficiente para prevenir a ligação elétrica. Finalmente são formados átomos estáveis. Estes átomos são os átomos mais simples desde que só os núcleos mais simples tiveram chance de serem formados no universo inicial. Conseqüentemente, o átomo mais abundante é o átomo de Hidrogênio. A maioria do universo seria Hidrogênio atômico (aproximadamente 75%). O resto seria principalmente Hélio

Os fótons que adoram interagir com partículas carregadas por espalhamento delas, têm agora que competir com estruturas atômicas eletricamente neutras. O número de fóton espalhando cai. Uma multidão de fótons, de repente nada tem a fazer. A festa finalmente terminou. Os fótones fluem fora passado os átomos recentemente formados. É dito agora que o universo é transparente a fótones. Este período, entre 1/10 de um milhão de anos e um milhão de anos após o big bang, veio ser chamado de ERA DO DESACOPLAMENTO pois os fótons desacoplam das partículas carregadas durante este período. Eles seguem adiante os “passos” dos neutrinos que fluiram para fora anteriormente,  somente 1 segundo após o big bang. A era anterior a este tempo de desacoplamento às vezes é chamada de ERA DOMINADA PELA RADIAÇÃO, pois a radiação foi tão crucial ao desenvolvimento deste estágio mais primitivo. A radiação destes instantes mais primitivos era a principal forma de energia. A matéria era a princípio quase inexistente e somente gradualmente tornou-se significante quando o número de partículas elementares foram produzidas do instante posterior a Era Inflacionária em diante. Quando os fótons desacoplaram, o último controle significante que radiação teve sobre a matéria diminuiu. Conseqüentemente, depois que este tempo de desacoplamento a era é chamada de ERA DOMINADA PELA MATÉRIA.

Fig 1: Desacoplamento da Materia e Radiacao – Big Bang Theory ( verde significa a era inicial de plasma de hidrogenio. Amarelo sinifica a formacao do primeiro atomo, de hidrogenio).

 

Os fótons que são libertados constituem uma nuvem de radiação que cobre o universo inteiro. Considerando que o  universo está principalmente vazio, não há nada que capturaria todos estes fótons. Conseqüentemente, eles ainda deveriam estar hoje ao redor. Além disso, desde que o big bang aconteceu em todos lugares, que estes fótons deveriam estar em todos lugares. Esta é uma predição da teoria do Big Bang.

Matrix: E esta teoria de que os fótons do Big Bang devem estar em todos os lugares ainda hoje seria a causa da radiação de fundo cósmica. Eles seriam a radiação. A radiação que segue este tipo de curva foi observada como vinda de todas as direções do espaço em 1965, nos Bell Laboratories Estados Unidos, por Arno Penzias e Robert Wilson.

xxxxx

” … Após a temperatura ter atingido níveis mais baixos, aproximadamente 3000 K, a Nucleossíntese Primordial cessou, pois, não mais existia calor suficiente para prosseguir com as reações de formação de novos elementos

Neste momento, o Universo tornou-se transparente à radiação. Este processo é conhecido como desacoplamento da matéria e da radiação (figura 1)

Nesta fase, com o decrescimento da temperatura a níveis cada vez menores, prótons puderam combinar com elétrons livres para formar o primeiro átomo, o átomo de Deutério. E, tendo o átomo de Deutério grande instabilidade, pares destes átomos puderam se unir formando uma molécula de Hidrogênio,H2.  2

A partir desta época, a matéria estava livre para se condensar. Agora, a matéria passa a dominar o panorama. O que antes era domínio da radiação passa a ser domínio dos átomos e moléculas e a gravidade reivindica o seu poder.

A gravidade, atraindo a matéria para regiões mais densas que outras da vizinhança durante milhões de anos, provocou a formação de grandes nuvens moleculares de onde serão formadas as estrelas e da reunião das estrelas, galáxias.

xxxx

Analise da MatrixDNA:

Primeiro, o conhecimento agora de que a teoria sugere ter havido nas origens do universo uma separação entre matéria e radiação ( que seria luz para Matrix) incita uma suspeita inquietante e muito profunda. Houve um conflito da matéria ou da formula da Matrix quando o sistema astronomico se formou como sistema fechado, cortando relações com o resto do mundo. Então seria o segundo conflito. Isto sugere a inquietante possibilidade de que neste universo existe duas entidades opostas, sempre se defrontando. E como estas substancias destas duas identidades vieram de antes do Big Bang, então parece que o conflito vem do alem do universo. E seriamos nos uma destas duas entidades ou um terceiro elemento que fica pagando o pato nestas guerras? Tenho que tentar esquecer esta suspeita, de entidades em conflito ( deuses e demônios?!), pois nunca poderia resolver isto.

Segundo, estes fótons seriam os bits-informação genéticos escapados da formula da Matrix na onda de luz primordial. Ou seriam os fótons negativos, escuros, do reino da energia negra e dark matter, que estão retornando, recompondo a luz, tendo como meta retornar a fonte da luz? Novamente sinto que estou saindo fora do aqui e agora pratico, vamos esquecer isto…