Archive for the ‘Mineralogia’ Category

O Caminho para Entender Como Pensa Deus é o Estudo Cientifico da Sua Obra – a Natureza. Pois é Através da Sua Obra que o Artista se Revela, e não pela Palavra Inventada pelo Homem Escrevendo Contos Imaginários

sábado, abril 18th, 2015

xxxx

Veja no link abaixo 25 imagens de surpreendente beleza sugerindo fenômenos produzidos pela Natureza neste nosso planeta. Claro que algumas imagens sugerem serem artificiais ou produto de fotoshop. Mas as imagens reais são vistas e tratadas por  no minimo dois tipos diferentes de pessoas.

Existem as pessoas que acreditam já conheceram a Verdade do mundo, como as adeptas de todas as religiões, que ao se depararem com uma jóia natural apenas se limitam a contemplar a beleza. Nestas, o estimulo da luz que entra no cérebro da pessoa, se depara com uma rede neuronial instalada como uma barreira,  a qual o conduz para uma região “religiosa” sem saída, onde as conexões absorvem o estimulo e o aniquilam. Estas regiões se denominam: “foi Deus que fêz isso diretamente para encantar os olhos dos humanos, e neste caso, foi feito especialmente para mim”. E pronto, a curiosidade termina aí. Estas pessoas são as que pagam vultosas somas às jóias para conserva-las e exibi-las.

Existem outras pessoas que o mesmo estimulo entra numa rede neuronial menos densa, ainda difusa e cheia de frestas, e ali o estimulo  fica agitando a rede no  sentido de encontrar um ponto de equilíbrio onde se fixar. Seria o caso, por exemplo, do cérebro sem religião e insatisfeito  com o  paradigma cientifico doutrinante da época, de um menino chamado Eisntein, cujos olhos seguiam no espaço os jorros de luz que lhe produziam uma inquietação cerebral, a vontade pela busca de entender a causa da variação de cores, a interação entre a luz e a matéria, etc. Se nossos olhos e sensores só podem ver da luz que  se propaga no espaço a faixa denominada visivel enquanto no minimo seis outras faixas ainda nos permanecem ocultas e desconhecidas, a variedade de cores mostradas por estas pedras devem significar que não a luz, mas algo dela – como talvez os seus tipos diferenciados de vibrações – ficou impregnado na pedra.

Como  e porque isso  acontece? Meu desejo é apontar o mais poderoso microscópio para a profundidade intima desta pedra e tentar ver o que da luz está ali aprisionado. O estimulo que entra numa cabeça agnóstica sem verdades estabelecidas vai levar esta cabeça cada vez mais próxima do Grande Autor desta obra natural, seja lá o que ou quem ele for, enquanto cabeças fechadas na crença de versões erradas do Grande Autor jamais iriam produzir os inícios desta fantastica moderna tecnologia dos leitores óticos. A noção de beleza é uma ilusão relativística que contamina um especifico observador situado e limitado a um pequeníssimo ponto do  espaço-tempo, como é um ser humano existindo aqui e agora. Um macaco não veria beleza e não daria valor a estas pedras depois de experimenta-las com a língua e ver que não  se pode comê-las. Alienígenas vindos de outros pontos no tempo/espaço certamente veriam a mesma pedra nas suas versões especificas de configuração neuronial.

 

Por isso o humano que acredita na sua versão de beleza e por isso lhe dá valores humanos, limitando nisso sua  interação com o objeto, estaria fadado a ficar plantado no seu ponto do espaço até o dia em que o Sol e/ou este planeta mudar e não mais suportar a vida aqui. Se pensar responsavelmente, todo humano, todo pai e mãe, se juntaria em grupos de vizinhos para manter a Sala das Curiosidades, onde suas crianças seriam incentivadas e teriam à sua disposição os instrumentos científicos que ampliam o poder dos nossos limitados sensores naturais, para garantir que a Humanidade não será pêga pelas surpresas naturais ao mover-se com desenvoltura no Cosmos e que sempre caminhará para sua eternidade.

O primeiro grupo de pessoas foram os que em toda a Antiguidade e ainda hoje, contemplam o céu noturno estrelado e concluem: ” O unico propósito da criação das estrelas foi um presente de Deus para enfeitar as noites dos seres humanos”. São bilhões, trilhões de estrelas num espaço profundo sem fim… E a maioria das estrelas que jamais poderiam serem vistas pelo homem, foram feitas para que?! Enquanto isso, do segundo grupo se levanta nobres empreendimentos como a NASA, que luta para chegar cada vez mais perto delas e tem nos revelado um fantástico cabedal de informações surpreendentes do espaço  profundo fazendo nossa mente se projetar ampliando-se alem dos antigos horizontes humanos no tempo e no espaço. Apesar de aqui neste grupo tambem sempre emergiram mentes cansadas que vão criando paredes instaladas de conexões rigidas neuroniais e pregam teorias absurdas sobre propósitos ou falta deles, novas mentes jovens emergem no dia a dia o que sustenta e mantem a grande aventura humana.

Na selva amazônica encontrei morros cujo solo estavam forrados de lindas pedras de todas estas cores e ali ficava muito tempo olhando-as, tentando quebra-las para ver dentro, usando meu sofrível e rustico pequeno microscópio, enquanto meus olhos se levantavam curiosos fazendo perguntas à luz que vem do Sol. Depois que minha investigação passou a sugerir que uma onda de luz contem o código que imprime a dinâmica da vida no éter espacial universal, tais pedras passaram a serem,para mim, os fósseis que mostram estas faixas da luz e este código fossilizado na pedra. Agora por exemplo tento detectar a ordem cronológica em que estas faixas de ondas se assentaram no mineral para tentar elucidar mais detalhes deste código, que vem desde o Big Bang, ou alem dele como suspeito, assim cada vez mais entendendo como funciona o trabalho da fonte primeira desatas ondas de luz e talvez assim me aproximando cada vez mais do seu criador. O estado cientifico naturalista do ser, e não o estado estanque religioso, é quem caminha na direção certa do Deus correto porque não foi desviado para profundos e escuros abismos de versões incorretas.

Aprecie as incriveis imagens no link abaixo:

Worlds Biggest Amethyst Geode – The ‘Empress Of Uruguay’

Chrysocolla In Malachite – Imitando seu Grande Artista Criador, as fôrças brutas e elementos da Natureza jorram no espaço/tempo convergindo para pontos localizados e assim a mineralogia imita formas da biologia.

 

Bismuto: Claro, isto parece ser obra do homem, mas foi apresentado como sendo natural… Fonte: http://higherperspectives.com/wp-content/uploads/2015/04/cr2.jpg

25 Unbelievably Beautiful Stones And Minerals

http://higherperspectives.com/stones-and-minerals/