Archive for the ‘LUCA’ Category

Video: Irreducivel Complexidade versus Evolucao da Agulha Molecular versus Heranca da Evolucao Cosmologica

quarta-feira, outubro 4th, 2017

xxxx

Este artigo comecou aqui: https://evolutionnews.org/2017/09/charles-darwin-michael-behe-two-revolutionary-scientists/

e revelou-se de grande importancia para divulfdgacao da Matrix/DNA devido a grande polemica e o corolario de sites se abindo para o tema, o que noss fara’ proceder a uma pesquisa intense nestes sites, sempre tentando publicar a versapo da matricx. Outro link que se segue e’: http://www.nature.com/news/2008/080917/full/455281a.html , e

https://en.wikipedia.org/wiki/Type_three_secretion_system

Michael Behe e o Misterio das Maquinas Moleculares

https://www.youtube.com/watch?time_continue=3371&v=7ToSEAj2V0s

At this link ( http://theuniversalmatrix.com/en-us/articles/?p=15 ) is solved how the bacterial flagellum was built:
1) By “previous” design, but, not intelligent design, in the way that mother giraffe does not apply intelligence for building a new baby giraffe. The process applied for building the bacterial flagellum was pure natural genetics which is an evolutionary product from a mechanism that emerged with the Big Bang. So, the ultimate answer (if it is or don’t intelligent design, randomness or other thing), is unknown.
2) The bacterial flagellum is really irreducible complexity to anything existed before at Earth surface. But it is reducible ( all its parts) to the building blocks of galaxies, like this Milk Way (see the astronomic model at the website), which is the real last non-biological ancestor (LUCA). The way a galaxy rotates creating the spiral arms contains a kind of motor that is the same configuration of bacterial flagellum. So, there is irreducible complexity in relation to Earth, but there is no irreducible complexity in relation to natural astronomic systems;
3) We need to understand that the stupid matter of this lost planet did not invented – first time in the universe –  these complex things like genetic code, human beings, consciousness, etc. But, the Matrix/DNA Theory, working with the approach of systemic and not reductionist or mystical thoughts, re-wrote the Universal History from today to the origins of this world, finding that everything complex here had a long evolutionary history that began with a few information that can be seen at any natural light wave. So, the effect (our perceived world) is entirely explained but, the cause escapes from us because the source is beyond and before the Big Bang, then, as we can’t advancing beyond the last material frontier, what is or who is, is it intelligent or not,… the source still is merely humans conjectures.

Teorias da Origem da Vida: Coletanea das Existentes

terça-feira, janeiro 3rd, 2017

xxxx

( Artigo ainda em construção. Falta organizar os assuntos, correção ortográfica, etc.)

Inspirado no artigo:

As teorias para o surgimento das primeiras células – e da vida na Terra

http://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-38205665?ocid=socialflow_facebook

xxxx

Todas estas teorias erraram e todas erraram pelo mesmo motivo. Trata-se de uma falha de processamento no cérebro humano, não vejo outra explicação. O motivo e’ a arbitrária separação dos sistemas naturais ditos vivos dos sistemas naturais ditos “nao-vivos”. O primeiro ser vivo realmente digno deste nome, completo, funcional, era um sistema, o sistema celular. Mas antes dele ja’ existiam outros sistemas, completos, funcionais. Se os humanos quiseram inventar a palavra “vida” e com ela denominar o sistema completo, funcional, denominado celular, teriam obrigatoriamente que aceitar que os outros sistemas naturais, completos, funcionais, que ja’ existiam, tambem sejam “vivos”. Ao contrario, decidiram definir o celular de “animado”, e os outros de “inanimados”. Mas como inanimados se apresentam uma parafernalia de movimentos internos e da mesma forma realizam trocas com o exterior, etc? A arbitraria e absurda separacao continuou. Assim separaram a História Natural Universal em dois blocos – o da Evolucao Cosmologica, desde o Big Bang ate’ os 10 bilhões de anos do Universo, e o da Evolução Biológica, desde aquela data ate os dias atuais. Dividiram a História Universal da Evolução do Sistema Natural que surgiu logo apos o ato fecundador do Big Bang e hoje se encontra aqui nestes tempos e região universal na forma nascente de Sistema Natural Autoconsciente, em dois blocos, sem nenhum elo evolutivo entre eles, sem a forma-elo, criando um abismo negro e sem fundo entre os dois grandes blocos. Como resultado so’ poderiam concluir que a forma de sistema biologico nao teria seguido a lei natural da transformação, portanto, teria surgido de algum lugar e fonte fora da longa cadeia natural de causas e efeitos que vem desde o Big Bang.

Nesse momento desviaram-se do pensamento racional puro, construido por esta Natureza, e sairam a vagar no mundo das fantasias imaginarias, onde surge a mistica, o pensamento magico. Mas a causa e’ compreensível, o deslize pode ser perdoado, nao foi culpa dos humanos. Como disse acima, existe uma nova forma emergindo daquele sistema natural universal, mais exatamente emergindo desde esta forma atual de sistema humano, o cerebro. Esta forma apareceu ainda nos ultimos segundos do tempo astronomico, e se ja passou do estagio fetal nao sabemos, mas com certeza ainda nao alcancou o estagio de baby nascido, pois nem seus olhos propios abriu ainda, nem sabe qual a substancia e a forma de seu proprio corpo. E todos sabemos que quando os humanos passam da fase de babies para a fase de criancas, sua consciencia ainda nada tem de racional, para ela todos os objetos a sua volta sao brinquedos, ela vive num mundo encantado, ate tem amigos fantasmas com quem conversa. Ora, a humanidade tambem surgiu muito recentemente em relacao a escala de tempo do sistema universal, para este, a humanidade e’ uma crianca. A psique individual se projeta na psigue coletiva, claro: a humanidade vai se organizando num tipo de sistema, num sistema individual, a imagem e semelhanca de seu building block, que ‘e o individuo. Entao nao poderia ter acontecido de forma diferente: a mentalidade do coletivo humano esta na fase do pensamento magico, do mundo encantado, que não existe de fato. E a historia do mundo sera uma fabula locupleta de magicas, monstros, mitos. Justamente mitos preenchendo o abismo negro imaginariamente criado entre os dois blocos, que na verdade e’ apenas um.

E surgiram dois mitos, diferentes na narrativa, na forma de imaginar o mundo encantado, eregidos por uma parte da humanidade-crianca num continente, e oitra parte de humanidade-crianca sob efeitos do ambiente diferente de outro continente. Surgiu o deismo e o materialismo, ou ateismo. Um acredita realmente no amigo fantasma e deram-lhe o nome de Deus. Outro acredita que os objetos respondem a ele magicamente, pois ele tem conseguido sobreviver com privilégios so’ observados em jogos da sorte, ;oterias, e assim deram o nome ao grande criador do mundo encantado de Acaso. O que existe de mais comum entre os dois mitos e’ que ambos sao magicos, ambos vem de fora da longa cadeia natural de causas e efeitos que vem desde o Big Bang. Ambos seriam nao-naturais, ou seja, sobrenaturais.

O primeiro grupo aceita sorrindo a critica de que creem no sobrenatural. O segundo grupo resiste irracionalmente, pois nao querem entender que se a “vida”, ou melhor, a forma de sistemas biologicos, surgiu, e’ porque ela foi erigida pelas forcas e elementos que vinham rolando na longa cadeia de causas e efeitos. Ora entao ela era previsivel e nao produto do acaso. Basta identificar todas as forcas e elementos que vem rolando, mais o calculo da consistencia do espaco em que vem rolando, e nao tem como nao ver a certo momento a vida formada e rolando no meio. Entao existem uma geracao mais moderna ou envelhecida da humanidade ainda crianca que ja preseente este fato, e comecam a suspeitar que o Universo estava “tunelado” para produzir a vida, ou melhor, a forma de sistemas biologicos. E e’ desta geracao que sairam os autores das teorias arroladas neste artigo da BBC. Mas eles continuam ainda com o pensamento impregnado com resquicios do mito e por isto, eles mantem a malfadada separacoa, e por isto estao nos caminhos errados.

As criancas inevitavelmente se enveredam pelos primordios do pensamento magico porque nascem como ovos mantido dentro e protegidos, alimentados ate a maturidade. Uma caracteristica dos mamiferos, que foi um passo evolutivo adiante dos ancestrais repteis, que botavam os ovos fora abandonando a prole `a propria sorte. Mas o que aconteceria se uma crianca nascesse como ovo botado fora? Instantaneamente atacada pelas intemperies ao relento, pelos predadores e sem alimentos? Sera que ela tambem manteria pelo mesmo tempo o pensamento magico? Ela veria o mundo encantado? Certamente ela nao teria ninguem com quem falar ou aprender a falar, nao conversaria com amigos fantasmas. E como ela interpretaria o mundo se conseguisse ir sobrevivendo por extrema sorte os primeiros anos? E mais: imaginado-se que ela nascesse geneticamente com o dom ou tendencia a filosofar, a questionar a existencia das coisas que ve e ate mesmo a sua existencia, iria ela separar o mundo em dois blocos, iria ela criar im mito para preencher o vacuo entre os dois blocos? Quando na noite ao relento mantendo um olho vigilante na terra e outro levantado prescrutando o ceu e as estrelas, ela se sentiria separada ou conectada a extensao da natureza que se perde no firmamento?

Eu sei a resposta porque eu vivi esta terrivel e odiadamente experiencia. Pior, por duas vezes. Uma realmente logo ao nascer sem familia e teto, e outra quando ja adulto, escapei da escravidao na civilizacao e me embrenhei como fugitivo na selva amazonica. A qual me deu um banho de mundo real, da verdadeira natureza, a ponto de executar uma lavagem cerebral de toda a cultura hmana adquirida ate aquela idade e reduzir o espectro ao estagio de semi-macaco. Sem a s habilidades dos macacos na sobrecvivencia naquele unferno caotico, eu fui um macaco-crianca no meio deles, ja nem mais um humano-crianca como os que existiam la fora, na civilizacao. Digo que nao foi um regresso ao estagio fetal, pois sai no outro lado, antes da fecundacao. Porem com mais uma anomalia ironica: um macaco crianca filosofo. Como nao pderia deixar de acontecer, o filosofo no macaco construiu sua cosmovisao, sua maneira peculiar de interpretar o mundo real. E nao vi a separacao. Nao vi a divisao entre vida e nao-vida. E assim sai a procurar o bicho que me teria feito. A mim, aos meus vizinhos silenciosos que chamam de palntas e aos ruidosos e importunos que chama de animais. Com um olho abaixado procurando na terra e outro levantado procurando na extensao do meu mundo que se perdia no azul do firmamento.

Claro que seria impossivel a tal misero e semi-selvagem individuo, mesmo conseguindo sobreviver e crescendo, encontrar o que a civilizacao milhares de anos mais avancada intelectualmente e com poderosos instrumentos invadindo as profundezas dos invisiveis micro e macrocosmos, encontrar o que nao encontraram. Mas seu sobrevivi e ate me curei do primeiro ataque da malaria, do segundo jamais teria passado. Quis a sorte mais uma vez que humanos nativos da selva que ja pressentiam minha existencia nos arredores de seu territorio,  me encontrassem moribundo e decidissem me salvar como fizeram com os quackers moribundos do Mayflower. E quis o azar que esees nativos selvagens decidram me catequisar nos seus mitos, pegando um cerebro recentemente lavado com esfregao de espinhos das palmeiras e que poderia ter se reerguido e se levantado como uma pagna em branco a ser escrita pela razao pura natural, e desviando-o para o reino dos mitos de sua tambem consciencia crianca. Porem, do azar se levantou a tremenda sorte que o reino dos mitos a que fui apresentado nao era o mito criado pelos predadores de humanos bem nutridos a 10.000 anos atras  a falar com a voz mais alta e possante em volta da fogueira `as ovelhas mansas e temerosas, como eles eram filhos de deuses poderosos, os quais lhes teriam passado a forca. Nao foi o reino originario dos dois mitos se levantando da mentalidade ocidental. Me levaram a um novo retrocesso, muito mais profundo no tempo e no cerebro, ao estado da psique antes do humano-crianca, a forma mesma do embriao. de onde comeca e se forma a imaginacao. Me levaram ao outro continente onde surgiram os mitos orientais. A ouvir a descricao das imagens visionarias de dragoes aflorando das aguas do lago e soltando fogo pela boca como viu o filosofo chines. Mas ao inves de reiventar o simbolo do I-Ching pela mesma visão, e a partir daí desenhar a aura e seus chacras, as aulas de biologia em que eu havia visto o DNA me afloraram na mente na memória que resistira a lavagem e ao invés de dragão e aura eu vi o DNA, dançando no azul do firmamento com um eixo central na forma de um buraco cônico negro e os astros em volta na forma de moléculas, mais tarde identificadas como a timina, a citozina,…

Nao, na aurora da pre-humanidade nao houve uma imediata incursao na mitologia. Aqueles semi-humanos tiveram visoes do micro e do macrocosmo reais. Ou melhor, nao foram visoes vistas por olhos de ver, mas sim recordacoes vindas da memoria primitiva, que ainda nao havia sido poluida pela cultura dos predadores em volta da fogueira. Memorias construidas geneticamente, herdadas dos ancestrais… nao-vivos. Das nossas formas ancestrais quando estavamos na forma de atomos e galaxias. Ou quando estavamos se formando na forma de biologicos, quando fomos os primeiros nucleotideos, que aos pares, formam um sistema completo e funcional e sao um dos elos evolucionarios que foram ocultados do humano-crianca quando ele criou a separacao.

Os nativos tomam uma beberagem feita de raizes e ervas selvagens parecido com o que se chama de Santo Daime. Caem no chao ou em cima de esteiras e ficam balbuciando incoerencias com um largo sorriso que as vezes tornam-se gargalhadas, felizes da vida. Neste momento nasce osseus mitos dos deuses e demonios espiritos da selva. Mas para um filosofo abusado de perguntador ao lado observando-os, descrevem as visoes que suas imaginacoes alteradas pela beberagem produzem. Mas o filosofo que saber como funciona o cerebro, o que a droga produz, e isto nao se aprende fazendo a exoeriencia, ingerindo a droga, e sim mantendo seu cerebro vigilante e racional e arrancando do cerebro alterado o que ele esta produzindo. Assim se descobre que o naticvo reconta fielmente a fabula de Adao e Eva e desceve fielmente o Paraiso do Eden. Que?!

Eu disse que me levaram nao ao tempo das origens dos mitos, nao a fase etaria da crianca humana portadora do pensamento magico, mas antes desta fase, no estagio da consciencia fetal. O paraiso com Adao e Eva se ve antes e somente depois de muito pensar, de muito interpretar, e’ que se forma um quadro e pode-se pegar a pena e escreve-lo. Ele foi visto muito antes de se escrever a Biblia. Por um tal de Schimeon Ben Jochai, se a russa Helena Blavastic conseguiu a informacao correta no seu prologo da doutrina secreta. Porque o paraiso, Adao e Eva, realmente existiram. Nao o paraiso, nao o Adao e Eva que foram escritos, mas sim o que se levantou da memoria da humanidade fetal vindo das profundezas de neuronios em cujos nucleos numa fita biologica denominada DNA o nosso passado muito remoto foi registrado. Naquela epoca, uma galaxia era um verdadeiro paraiso para os dois principios ativos que formavam seu corpo, um com tendencias que hoje identicamos como masculinas e outro com tendencias que hoje identificamos como femininas. Ai estao o Adao e a Eva que foram malversados, contorcidos, mascarados, numa interpretacao eivada de auto-projecao do humano, antropomorfica. Os nativos selvagens da Amazonia nao estao no estagio intelectual que estavam as nacoes ja oorganizadas e ja com a psique da humanidade crianca que escreveram a Biblia. Eles estao no nivel intelectual das tribos de barbaros. Mas foi a estes que a Natureza revelou o paraiso e Adao e Eva. Foun a psique do humano crianca, que inventa amigos fantasmas com quem conversam e que tratam todos os objetos como brinquedos magicos, que tambem deu um banho de sua imaginacao numa imagem real que ela havia visto na forma embrionaria e dela se recordava na fase de humano crianca. Desua experiencia aprendi que num cerebro lavado da cultura humana, ainda limpido e puramente natural, a memoria ve-se a su mesma e assim comeca a consciencia de sua existencia. E quand a memoria ve-se a sui mesma, ve o que ela realmente e’. Ela nao ve uma grande parte sua como memoria-lixo como se tem visto a memoria moderna. No lugar de lixo ela ve o passado do que ela realmente foi, o passado do sistema natural universal que se formou nos idos do Big Bang. Ela recorda suas formas e suas experiencias quando foi um sistema atômico, quando foi um sistema galactico, porque todas estas experiencias estao nela registradas. Ela jamais iria sequer pensar que sua forma atual foi trazida pela cegonha por acaso ou por mágica divina, porque ela enxerga a forma de seus pais, de seus avos e bisavos, ate os ultimos ancestrais emergindo do Big bang… na forma de simples onda de luz. Simples na aparência porque sao mais complexas que nos desde que elas ja contem a formula para fazer-se a si mesma, como entidade viva.

Então como todos sabemos, seria impossível ao semi-macaco na selva encontrar o que este exército super bem aparelhado e milhares de anos mais avançado ainda não encontrou. A tal criatura acredita que encontrou, certamente ele caiu na mesma armadilha, ele enveredou-se no reino infantil dos mitos. Porém o que ele encontrou – o nosso DNA em suas formas evolucionárias mais primitivas existindo nos corpos de átomos e galáxias – e’ totalmente natural, está previsto na longa cadeia, não existe qualquer menção ao supernatural. Nao existem deuses nem acasos magicos. Entao onde esta o mito? Possivelmente nos seus modelos teóricos de átomos e galáxias, na sua interpretação diferente do DNA, de seus building blocks, no propósito do universo tunelado por um processo de simples reprodução genética de universos. Mas este ” provavelmente” e’ imediatamente balbuciado sem pensar, por quem tem o cérebro configurado por conexões neuronais modeladas pela visão dos mundos separados. realmente este cerebro nao conseguiria processar esta informacao. Entao o que me resta e’ testar cientificamente os modelos. Ou que alguma nova descoberta comprove-os. A teoria da Relatividade teve que esperar por um eclipse para comecar a ser vista com alguma seriedade. A Teoria do Big bang esperou por um defeito nos cabos telefônicos para a descoberta da radiação de fundo cósmica e guinda-la ao patamar de teoria plausivel. Nos aqui tambem estamos esperando. Algo que a levante ou a derrube para sempre. Ninguem mandou um filósofo se vestir de macaco, viver sete anos na selva no meio de macacos e retornar para contar esta historia macaquica. Que se f… o filosofo!

Ainda hoje esse  Se esquecem de que antes da vida surgir na Terra a matéria deste Universo já vinha em evolução, desde átomos para sistemas estelares para siste demas galácticos – e o primeiro ser vivo surgiu formado pelos mesmos átomos e dentro destes sistemas astronomicos. Entao como separa-los evolucionariamente?

Pela evolução, sistemas naturais mais simples se transformam em sistemas naturais mais complexos, não existe outra origem conhecida e muito menos comprovada cientificamente para sistemas naturais. Supor que tenha surgido um sistema natural fora dessa linhagem evolucionária por transformações e’ supor que este novo sistema tenha vindo de algum lugar fora da longa cadeia de causas e efeitos que começou no Big Bang. Teria que ter vindo de um lugar nao-natural, em relacao a esta natureza total a que damos o nome de Universo. de algum lugar sobrenatural, mas nenhum fato conhecido e comprovado prova que exista o sobrenatural, de onde tiraram essa ideia então? Falha de processamento nos circuitos neuronais.

Então vem com essa ideia absurda outra ideia que e’ uma aberração, uma heresia cientifica e contra a razao pura naturalista: a palavra “origens” e o conceito que a define. Quando e como alguém viu a origem de algum sistema natural que nunca tenha existido antes? Quando e como alguém viu um sistema natural qualquer que nao tenha vindo de outro sistema pré-existente?! Quando alguém viu assistiu os primeiros passos e o desenvolvimento de um sistema natural que nao tenha sido elaborada por um ambiente natural cuja complexidade nao se assemelhe `a complexidade do sistema? Isto de fato seria uma origem, a emergencia de algo totalmente novo, inédito, para o qual a Natureza nao tinha em si nenhuma informação. A palavra origem imediatamente nos leva a pensar num evento espontâneo ocorrendo no meio da longa cadeia de causas e efeitos mas que nao tenha sido produzido pelo fluxo normal das forças e elementos que vinham rolando nessa cadeia. Nao existem origens de universos nem de vida como eventos espontâneos, únicos, seja ao acaso ou por um entidade sobrenatural, nunca ninguém viu tal evento ocorrer. Isto seria mágica e nunca ninguém viu mágicas, apenas truques ilusorios. No entanto a literatura cientifica e por consequencia a escolar está repleta de teorias de origem espontanea do universo, d planeta, da galaxia, da vida… Raios, o que esta acontecendo com o racional humano?!

Então uma falha leva a outra: separando erradamente a evolução universal em evolucao cosmologica e evolução biológica em dois blocos de evolução sem nenhum elo, nenhuma conexão racional, natural, entre os dois blocos, nao resta outra alternativa senão apelar ao imaginário e acreditar em origens de coisas complexas, seja espontaneamente ou a longo prazo. Sem nenhuma razão inteligível, sem nenhum processo natural conhecido, a certa altura da longa cadeia de causas e efeitos, átomos terrestres comecaram a se comportarem de maneira nunca existido antes e a fazerem inéditas combinações que nunca fizeram antes. Ora, então o que de nao-natural atuou sobre estes atomos? Ninguém sabe responder porque esta pergunta nao faz sentido racional porque baseada numa premissa nao-existente de fato.

O primeiro ser vivo, que se pode chamar como tal, completo e funcionando, foi o primeiro sistema celular. Nao foi um novo sistema vindo de fora da natureza, ou feito por um processo nunca aplicado antes pela natureza. Nunca ninguem viu e comprovou que existam tais coisas. Era um sistema mais complexo ( e muito) que todos os outros sistemas naturais que existiam naquela época, ou entao, nao muito mais complexo que um sistema ja existente mas ainda desconhecido pela humanidade. O fato de ter sido elaborado muito mais complexo se explica pela complexidade maior existente na superficie da Terra que as complexidades existentes antes nos ambientes onde foram elaborados os sistemas ancestrais, atomicos e astronomicos. Aqui existia o estado liquido da materia, uma novidade que na sua embriogenese os atomicos e astronomicos nao tiveram. O estado liquido “transformou” a quimica inorganica na mais complexa quimica organica, mas o estado liquido tambem nao teve uma origem espontanea, ele veio das transformacoes dos estados gasosos e solidos ( talvez incluindo-se o estado eletromagnetico, etc.). Aagua produziu uma mutacao espetacular na embriogenese da primeira celula. Houve um espetacular salto evolutivo, mas apenas em relacao a sistema celular/sistema pré-existente, pois este salto teve uma duracao de milhoes ou bilhoes de anos enquanto ocorriam transformacoes no meio ambiente.

Nao houve abiogenese. Nao houve materia inanimada dando ” origem” a sistemas animados, vivos. Atomos e galaxias nao sao sistemas inanimados, eles funcionam internamente. Mas entao surge o terceiro erro ainda como consequencia do erro da imaginaria separacao: comparam um sistema completo, funcional, com pedacos, partes, ou mesmo dejetos, de outros sistemas. Ora, sistema tem que ser comparado a sistema! Ficam comparando moléculas que nao sao sistemas em si com processos vitais e mesmo sistemas vivos procurando encontrar o fio evolucionario entre eles! As moleculas (aminoacidos,proteinas,RNA e DNA) nao sao sistemas em si, sao partes de sistemas que reconstroem sistemas assim como os tecidos diferenciados na embriogenese humana reconstrou o sistema “corpo humano”. Se Oparin e …. queriam reconstruir o estado do mundo momentos antes da vida e ver dele surgir um elemento vivo, teriam que antes conectar a amonia, o hifgdrogenio, o metano, com as faiscas eletricas formando um sistema funcional. Jogaram partes ao leu dentro do tubo, conseguiram partes do sistema celular, mas nunca conseguriam um sistema celular, nem mesmo conectar os aminoacidos obtidos compondo uma proteina.

O sistema celular veio do sistema nucleotideo, ou seja que outro nome deem ao building block, o fundamental bits-informacao, que compoem as pilhas de nucleotideos que sao o RNA e o DNA. Mas a falha no processamento cerebral nem mesmo os permitem descobrir que um par lateral horizontal e vertical de nucleotideos funciona como um sistema completo. E este sistema nucleotideo serve exatamente para explicar como foram os building blocks que formaram as galaxias. Entao ai esta o elo evolutivo que manda ao inferno a imaginaria e impossivel separacao. O sistema celular teve uma embriogenese ( e nao abiogenese) de milhoes ou bilhoes de anos porque seu criador, o sistema menos complexo que foi transformado, era astronomico e na astronomia os tempos sao muito mais longos que na escala praticada por humanos.

Este erro abismatico conduz os pesquisadores auma busca atabalhoada, fora de foco. E entao surgem as teorias, fora de foco. vamos ver neste artigo da BBC uma bela coletanea destas teorias e vamos ver a analise de cada uma delas por essa teoria que nao cometeu esso erro imaginario, denominada Matrix/DNA. Para tanto tive que copiar o artigo aqui, aproveitando a exelente ajuda do website Bio+, que ou ele ou a propria BBC traduziu para o portugues:

As teorias para o surgimento das primeiras células – e da vida na Terra

http://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-38205665?ocid=socialflow_facebook

Origem do Primordial Ancestral (LUCA) da Vida Diversificada e a Complexidade do Proteoma

sábado, outubro 29th, 2016

xxxx

The proteomic complexity and rise of the primordial ancestor of diversified life

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3123224/

Published online 2011 May 25. doi:  10.1186/1471-2148-11-140

( Ler o artigo, depois traduzi-lo)

Background

The last universal common ancestor represents the primordial cellular organism from which diversified life was derived.

O ultimo universal comum ancestral representa o organismo celular primordial a partir do qual a diversificação da vida foi derivada.

LUCA: Cientistas desvendam genética e vida de Luca, “pai” de todos os seres vivos

quinta-feira, julho 28th, 2016

xxxx

Cientistas desvendam genética e vida de Luca, “pai” de todos os seres vivos

http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2016/07/26/cientistas-desvendam-genetica-e-vida-de-luca-o-pai-de-todos-seres-vivos.htm

E isto vem do seguinte “paper”:

The physiology and habitat of the last universal common ancestor

http://www.nature.com/articles/nmicrobiol2016116

(Obs: O artigo ‘e proibido porem no fim tem os PDFs com links que podem ser copiados, inclusive um muito importante com as 355 proteinas de LUCA)

O mais antigo ancestral universal teria vivido em locais quentes e ricos em mineirais, como perto de vulcões submarinos

O mais antigo ancestral universal teria vivido em locais quentes e ricos em minerais, como perto de vulcões submarinos

O mais antigo ancestral universal teria vivido em locais quentes e ricos em minerais, como perto de vulcões submarinos ( para imagem aparecer no Google)

xxxxx

Meu comentário enviado ao artigo

Louis Morelli – Julho (07) – 28 – 2016

LUCA, o criador da vida na Terra era meio-vivo mas nunca existiu na superfície da Terra, pois ele contem a Terra – e este sistema astronomico galáctico que nos envolve por todos os lados e seu building block, sua unidades fundamental de informação, esta dentro do do nosso DNA, nanotecnolizado, como o par lateral de nucleotídeos. Quem quer ver a face de LUCA olhe meu avatar ao lado ou veja suas formulas no meu website.

E’ um grande ato de fé’ acreditar que em qualquer lugar deste planeta, átomos de carbono, separadamente, começaram a capturar e agregar outros átomos, de maneiras diferentes formando os 20 aminoacidos. Depois estes 20 aminoacidos se juntaram formando uma coisa só – uma proteína. Outro passo de magica. Enquanto isso, ao lado, outros átomos formavam nucleotídeos, e depois estes nucleotideos se juntaram formando o RNA… E depois RNA e proteínas se juntaram… ora, tenham a santa paciência!

xxxx

E outro comentario resposta:

Avatar de 030366030366 – ontem

Deus é divino em todas as suas criações; nada passa despercebido ao Seu olhar

Louis Morelli – Julho (07) – 30 – 2016

Ja vem alguem querendo usar a Ciencia como muleta para pregar sua metafisica, tal como estao fazendo outros metafisicos, denominados “ateus”. Passa sim, metade da Historia deste Universo tem passado longe dos olhos de alguma entidade sobrenatural que tivesse um minimo dos sentimentos virtuosos humanos. Todos os sistemas naturais – de atomos a glaxias a corpos humanos – quando gerados passam por duas fases da evolucao: a primeira, como ovos botado for a, depois vem a segunda, com ovos mantidos dentro e nutridos com protecao. A primeira fase ‘e caotica, reino dos horrores, e esta nova forma de sistema natural sendo gestada em nossas cabecas – a auto-consciencia – ainda e’ um embriao passando na primeira fase. Por isso estamos sujeitos aos horrores, como predadores, tragedias climaticas, acidentes, etc. Fique crendo no errado e nao lute virtuosamente para vencermos esta fase e talvez este embriao seja abortado para sempre, sem vida.

xxxxx

outro comentario enviado em 30/Julho; 

ospandrade745031714 – 2 dias atrás

Hummm… estes cientistas são muito bons……preciso correr e avisar aos meus amigos sobre este grande achado. Francamente…

Louis Charles Morelli – Julho(07) – 30 -2016

Esta a vida dos cientistas de fato, de quarda-po branco dentro dos laboratorios. Um enorme trabalhao, analizando gene por gene dentre milhares, e tendo como exemplos, varias especies, para tentar identificar e isolar os que surgiram primeiro na mais primordial forma de vida possivel. Antes de critica-los deves ir ao paper cientifico da Nature, onde podes inclusive fazer download destes 355 genes. Um grave erro que cometem, a meu ver, e’ permitir que aos fatos de laboratorio se imponham as opinioes, ideologias, teorias humanas, como fizeram estes cientistas. Imediatamente tentaram interpretar os fatos, mas levados pela visao de mundo reinante no meio academico – a qual certamente e’ temporaria e sera desbancada, como foram todas as outras anteriores – chegaram ao ponto que Oparin e depois Uller chegaram – a teoria do estado redutivo da terra primordial. Um planeta ainda sendo formado ao mesmo tempo gerando o complexissimo LUCA. Errado!

xxxx

Origem da Vida x Cometa 67P : Mais evidências para Matrix/DNA Theory

domingo, fevereiro 8th, 2015

xxxx

Comet 67P’s carbon blanket promises solar system birth insights

http://www.rsc.org/chemistryworld/2015/01/comet-67p-rosetta-carbon-blanket-promises-solar-system-birth-insights

‘Organic compounds are formed in molecular clouds such as those existing before the solar system was born,’ he explains. The molecular clouds would initially have contained solid grains where mixtures of water ice and ices of simple organic compounds like methane, methanol, carbon dioxide and carbon monoxide were present. Energy from ultraviolet light or cosmic rays could then have converted these simple molecules into larger organics. Similar phenomena should have also occurred in the pre-solar nebula’s outer reaches, where ices were safe from sublimation by the growing Sun’s heat. “

Reler e pesquisar este artigo. 

O que os Virus tem a verem com Pulsares e Cometas? Herança Genética?

quarta-feira, dezembro 3rd, 2014

A visão de mundo, ou a “cosmovisão”, denominada Matrix/DNA é o estado do ser pensante, como filósofo naturalista, em que todo fenômeno natural detectado, observado, leva imediatamente às perguntas: “De onde a Natureza obteve a “idéia” para fazer isto e justamente aqui, agora?! Onde estavam as forças, os elementos, os mecanismos e processos, que foram usados aqui para construir este fenômeno, em toda a História da Evolução Natural, Universal, nos nossos sistemas ancestrais atômicos e astronomicos? Porque?”

Este estado de ser pensante é baseado na “crença” de que não existe e nunca existiu mágicas ao menos neste universo material alcançavel pelos sensores dos nossos cérebros, nem mágicas de alguma divindade não-natural, nem mágicas de acidentes por acasos absolutos. Se existem tais coisas, elas atuaram antes e fora deste Universo. O Universo, ou melhor, a Natureza Universal, não pode criar novas informações vindas do Nada, portanto, tudo o que existe aqui foi feito com informações presentes nas origens deste Universo. Existe uma longa cadeia ou fluxo de causas, efeitos, que se tornam causas de novos efeitos, sem interferencias sobrenaturais, na qual vão entrando informações que estavam no ar disponiveis assim como existem os genes retrógrados que só entram em atividade depois que um corpo tem formada certa arquitetura, ou na qual as informações originais se fundem, se misturam, criando sub-informações, no que é conhecido como “fuzzy logics”.

Então, todo novo detalhe natural observado tem que ser esmiuçado no confronto com a História da Evolução Universal, tem-se que buscar suas antecessoras até chegar no Big Bang, nas ondas de luz codificadoras que resultam dos desmanches dos ex-machines vortices quanticos – os quais já possuem em si as sete forças brutas naturais e as propriedades vitais. Os quais foram os primeiros “genes” dentro deste Universo. Assim, neste universo-ovo está ocorrendo um mero processo de reprodução genética do sistema ex-machine que deflagrou o Big Bang, e nós, humanos, observando os passos desse desenvolvimento genético pensamos estar vendo “evolução”.

Esta crença intuitiva que vem inata desde a infancia em certo tipo de configuração das conexões neuroniais dentro de um cérebro humano, e que conduz um ser humano a ser inevitavelmente um filósofo naturalista, agnóstico, pode ser uma crença longe da Verdade Ultima e pode estar parcialmente ou toda errada. Se for assim, todo o castelo da matrix/DNA ruirá por Terra quando algum fato natural devidamente comprovado, derruba-la totalmente. Sabendo disso, e não sendo o supremo objetivo do filósofo provar que sua cosmovisão é melhor, mas sim não ser enganado nem por sua teoria predileta e sua obra, a meta suprema de buscar e encontrar a Verdade – ou provar que não existe uma Verdade Ultima – o próprio filósofo busca cuidadosamente o fato mortal que tiraria sua cosmovisão de seu caminho.

Voltando agora com os pés no chão e para o assunto inspirador deste artigo, vamos trazer para cá esta imagem:

xxxxx

HIV

The human immunodeficiency virus (HIV) attacks the immune system (AIDS)

Isto aí são os virus da AIDS. De onde a Natureza obteve a idéia, os mecanismos, para fazer isto aqui?!Por que o faz, para que? Precisamos saber disto urgentemente, é uma questão de vida ou morte o maior conhecimento possivel destas criaturas, estas terroristas que ameaçam e torturam humanos até leva-los à morte. Penso que são nossos inimigos numero um, hoje. Meu sonho agora seria reunir recursos para ir à região do Rio Ébola com medidores “geiseres” porque a informação que tenho é que os virus vieram de morcegos. Então isto bate com a teoria da Matrix/DNA: deve ter caido algum fragmento de meteoro, de cometa, naquela região, que abriu uma cratera, que se tornou uma caverna que está sendo habitada por morcegos. Ali, no fundo daquela caverna, está o material que irradia emitindo sinais que penetram DNA’s de plantas ou animais fazendo expressar nestes DNA’s os genes que estão inertes na região do DNA-lixo, a qual é o registro de toda a história cosmológica antes das origens da vida, e cujos genes expressados e reunidos produzem os virus. Os morcegos seriam os originadores dos virus apenas de forma indireta. Mas se não for assim, senão tiver um meteórito por tras de cada virus na Terra, ainda assim a teoria continua de pé, pois ela diz que a Terra é bombardeada continuamente por bits-informações vindas da irradiações de astros, na forma de fótons ou outra particula elementar, os quais são informações que podem codificar moléculas viróticas.

Uma primeira olhada na imagem acima, passou-me a impressão que estava vendo o céu, alguma estranha galaxia com aqueles tipos de astros flutuando no espaço. A ausencia da gravidade espacial no meio liquido, e talvez a ação de sutis campos magnéticos destas criaturas biológicas seriam a causa dos astros-virus estarem mais próximos, mais amontodaos que os astros no céu. E isto me leva imediatamente ao modelo teórico cosmológico construído pela fórmula da Matrix/DNA. Neste modelo, pulsar é o nome que dei a astros na idade de planetas velhos locupletados fe gigantescos vulcões dos quais são emitidos lavas, magmas, que caem como bolotas chamejantes no espaço sideral, ou seja, os cometas nasciturnos que ainda não morreram por não terem atingido o seu alvo, o astro a ser fecundado. Daqui, deste passado, a Natureza tirou e evoluiu o mecanismo aplicado pelos virus. Desvendando suas origens, temos mais dados para nossa grande meta que é a de destruí-los antes que eles nos destruam. Os virus possuem aqueles “esporos” que atraem e são atraidos a certos receptores na superficie das células porque no Cosmos os vulcões são confeccionados para se conectarem à distancia com receptores no nucleo dos sistemas. Os virus expelem o material genético que está em seu nucleo central porque os vulcões ejetam o magma que vem do nucleo central dos astros. Estamos assistindo a nivel microscópico uma cena “fractal” de uma cena a nivel macrocósmico. Estamos assistindo aqui uma cena que é o futuro da cena do passado no Cosmos.  Nada de magicas nem de demonios criadores de virus para nos atormentar.

Que aconteça este fenomeno natural na Terra, é inevitavel. Faz parte das projeções de um corpo reprodutor para formar outro corpo que é sua reprodução. Sendo aqui o reprodutor este sistema astronomico que nos envolve e o corpo reproduzido os primeiros sistemas moleculares organicos. Mas isto não deve nos desanimar, devemos continuar a busca até o fim, desvendando cada vez mais o fenomeno a nivel cada vez mais microscópico, chegando ao nivel das forças naturais quase abstratas como são as força do magnetismo, nucleares fortes e fracas, etc. Deve existir uma maneira de ao menos desviar este fenomeno para longe de nossos corpos, ou tornar nossos corpos não-hospedeiros deste fenômeno. Afinal, até os virus podem se tornarem resistentes a forças que aplicamos neles e os aniquilamos antes. Tenho umas idéias para fazer isto, a nivel de identidade de sistemas, pois o sistema imunológico de defesa humano é uma reprodução da identidade circuital dos sistemas naturais.

Para se entender isto vamos trazer para cá, esta figura:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

O primeiro ser realmente vivo, completo, foi a primeira célula, formada com um núcleo e todas as organelas. Mas de onde a Natureza tirou a “idéia” para fazer uma célula biológica pela primeira vez? Simples evolução universal: o building block sos sistemas astronômicos se “projetou” por inteiro, reproduzindo-se, assim como temos um filho, nosso corpo se projeta por inteiro, se reproduzindo. Vamos esquecer por ora os motivos que causaram a grande mutação em termos de tamanho, substancias, etc. , o que está explicado em outro capitulo. O período de mais ou menos 3 bilhões de anos que durou essa reprodução – desde as primeiras formações de moléculas até chegar à célula final – foi a embriogênese de um novo rebento astronomico, em dimensões microscópicas.

O building block dos sistemas astronômicos tinha sua “matriz genética”, a qual evoluiu para a forma do DNA biológico. Mas essa matriz não era como o DNA, um composto especifico que fica dentro da célula que contem as informações do inteiro sistema celular; ela era o sistema inteiro, assim ela continha todas as informações do sistema. Ela era mais externa que interna.

Aqui dentre os sistemas biológicos, os filhos são em tudo muito semelhantes aos pais, porque o DNA é transmitido de geração a geração encerrado dentro de um pacotinho cromossômico, o que evita bruscas mutações. Mas os building blocks astronômicos se fragmentam em seus bits-informação ( que é toda sua matéria e energia degradada) e não são ejetados cerrados dentro de algum envoltório fechado e sim são espalhados no espaço e em tempos na escala astronômica. Quando tais bits que eram vizinhos próximos no sistema astronomico se encontram na superfície de um astro em boas condições de cultura, eles se juntam na mesma sequencia que estavam e, às vezes, um pequeno pacote de bits já apresenta uma quase vida. Foi isso que fez um único ancestral se diversificar nas milhares ou milhões de espécies biológicas.  Até que finalmente todos os pacotinhos se juntaram num só corpo, e assim surgiu o primeiro sistema biológico completo, a tal da primeira célula.

Bem,… vemos na figura acima do building block astronomico que pulsares e cometas ocupam as posições F4 e F5. Mais tarde F4 foi a função que criou o sistema reprodutor masculino, e F5 a função que criou o espermatozoide. Portanto, os dois ligados ao sistema reprodutivo.

Quando comecei a estudar mais detalhadamente os vírus porque a formula da Matrix/DNA vinha sugerindo novas explicações para tudo que existe em Biologia, e virus – devido seu poder maligno mortal – é algo muito importante para se buscar conhece-los melhor, um primeiro fator me chamou atenção: eles não podem se reproduzirem sozinhos, precisando para isso da maquinaria reprodutora existente dentro de um sistema celular. Mas no momento que penetram uma célula, passam a reproduzirem desvairadamente, como se essa fosse a suprema função de sua existência. Ora… isso era justamente o que faria F4 e F5 na formula da Matrix/DNA. Então surgiu a forte suspeita que virus são pacotinhos genéticos incompletos semeados na superfície da Terra correspondentes aos trechos que vão de F4 a F5, os quais, no building block astronomico são pulsares e cometas.

Um detalhe interessante da Matrix/DNA é que uma função sistêmica universal parece-se com um artista ou trabalhador que seu estilo especifico, unico, de fazer seu trabalho, seja em qualquer ambiente e quais materiais estiverem disponíveis. Cada função sempre modela o seu “corpo”, a sua ferramenta material, da mesma forma, variando apenas em detalhes que não são possíveis manter o modelo original devido muitas diferenças no novo ambiente. Sendo assim, os virus teriam que ter uma forma semelhante ao do pulsar, pois a mesma função, a mesma artista modelou os dois. E quando bato o olho agora numa figura do virus da Aids imediatamente me lembro da forma do pulsar feita na minha figura. Aquelas extensões que mais parecem crateras no corpo do virus imitam exatamente os vulcões dos pulsares. É mais um indicio ( claro, nada mais que mais um indicio apenas) de que a fórmula da Matrix/DNA pode de fato existir e que está – do jeito que a calculei – bem próxima da fórmula real. Por isso vamos manter este registro para engrossar esta longa busca de mais dados sobre virus e pulsares…

Me surge agora a idéia de que uma coisa urgente a fazer aqui é tentar desvendar porque o virus desativa o sistema imunológico de defesa. Este sistema é imitação do circuito inteiro da fórmula, o qual produz a identidade do sistema, o qual deve controlar e manter o sistema existente, como no caso da Matrix fechada, nada de fora pode entrar, o que significaria a morte do sistema. Parece até o caso quando um casal se morre por amores e atração mutua que se fecham num quarto e deixam o mundo acabar lá fora. De dentro do quarto só vai saindo filhos. A casa, o sistema familiar se desorganiza todo. Parece que isto acontece quando a parte masculina representada pelo virus se encontra com a parte feminina que é o nucleo celular. A função masculina reprodutiva é na célula, feita pela mitocôndria, mas de alguma maneira o virus tira a mitocôndria para escanteio. Mas isso será mais uma pesquisa para quando tiver tempo…

 

Afrodisiaco Larva/Fungo Seria Fluxo Sexual Pulsar/Estrela?

quarta-feira, janeiro 15th, 2014

Ophiocordyceps sinensis

Afrodisiaco fungo lagarta kira jari ou yakasumba

Ao tomar conhecimento da existencia desta estranha criatura, imediatamente me veio a mente a formula da Matrix/DNA, como a fonte que explica tudo. Fungo e’ um vegetal e lagarta e’ um animal. A diferenca entre os dois comecou nos seres unicelulares, quando o software da galaxia comecou a organizar atomos terrestres. Num processo a celula viva imitou o inteiro sistema galactico, no outro, a celula saiu a caminhar sem estar complete, faltando os cloroplastos que faz a fotossintese e que corresponde a F6, estrela. Sendo que F4 e’ na formula o elemento masculino e que emite F5 como um ramo sexual reprodutivo lateral, tenho deduzido que na celula animal foi misturado fotons desta funcao misturados com um pouco de fotons da funcao F6, o que resultou na mitochondria. Por outro lado, na formula da Matrix/DNA, F6 e’ predador de F4, e se pudesse agarrar o ramo lateral F5, tambem o faria de presa. Agora temos este fenomeno entre um vegetal que e’ predador de um animal, no sentido de paratisismo ( e’ predador porque se alimenta do cerebro do animal). Como o fungo e’ um vegetal muito primitivo, ele deve estar a procura de informacoes das funcoes a esquerda e a direita de onde mais se expressa seu circuito (F6), ou seja, de F4 e F7. E a lagarta como animal mais expressa justamente uma mistura F4+F5.

O fato e’ que estou sentindo o cheiro aqui de mais uma das bombasticas descobertas possibiltadas pela Matrix/DNA. Tenho que ver a fundo o que ‘e fungo, sua constituicao anatomica, ao mesmo tempo que esta lagarta. portanto fica aberto mais este capitulo para pesquisa.

Wikipedia – Ophiocordyceps sinensis is a fungus that parasitizes larvae of ghost moths and produces a fruiting body valued as an herbal remedy. The fungus germinates in the living larva, kills and mummifies it, and then the stalk-like fruiting body emerges from the corpse. It is known in English colloquially as caterpillar fungus, or by its more prominent foreign names (see below): yartsa gunbu or yatsa gunbu (Tibetan), or Dōng chóng xià cǎo (Chinese: 冬虫夏草; literally “winter worm, summer grass”).

The moths in which O. sinensis grows are ambiguously referred to as “ghost moth”, which identifies either a single species or the genus Thitarodes, and the species parasitized by O. sinensis may be one of several Thitarodes that live on the Tibetan Plateau (Tibet, Qinghai, West-Sichuan, SW-Gansu & NW Yunnan), and the Himalayas (India, Nepal, Bhutan).

O. sinensis is known in the West as a medicinal mushroom, and its use has a long history in Traditional Chinese medicine as well as Traditional Tibetan medicine.[2] The hand-collected fungus-caterpillar combination is valued by herbalists and as a status symbol;[3] it is used as an aphrodisiac and treatment for ailments such as fatigue and cancer, although such use is mainly based on traditional Chinese medicine and anecdote. Recent research however seems to indicate a variety of beneficial effects in animal testing, including increased physical endurance through heightened ATP production in rats ( continuar a ler)

A Formação Embrionária do Cérebro é Como Uma Sinfonia Em Três Movimentos… Que já Estava Escrita nas Estrêlas!

domingo, dezembro 29th, 2013

Imagine as origens de uma cidade como São Paulo. Ali chegam imigrantes de todas as partes, desde o Ceará, Bahia, Paraná, e também do Japão, da Itália, de Portugal, etc. No inicio todos estes povos fazem o mesmo modelo de casas já existentes no Brasil, a mesma cultura, a mesma alimentação, porque é pouca a variedade de materiais. Sómente depois, mais tarde, estas diferentes comunidades começam a trocar as casas por modelos de seus locais de origem, assim fazendo com alimentação, costumes, etc. Pois bem: é assim que se desenvolve o órgão mais importante do cérebro humano, o córtex central, centro do conhecimento, que define comportamentos, capacidades de percepção, assimilação, etc.  Pensávamos que – como acontece com o resto do corpo e mesmo com as outras áreas do cérebro – o neocortex estaria formado, finalizado, já no nascimento. Mas não! Cientistas descobriram que o neocortex tem uma segunda fase de formação que tem inicio na adolescência do individuo, quando entra em ação genes que praticamente separam o todo em regiões e ajudam a especialização de cada região para execução de diferentes tarefas, um processo que continua na fase adulta. 

É muito importante aos pais conhecerem esta informação para entenderem o que acontece na cabeça de seus filhos e assim saberem qual a época certa para ensinar isto ou aquilo. E muito curioso. Observe, por exemplo, como o desenvolvimento embrionário de um único cérebro humano imita fielmente a história da formação e desenvolvimento do cérebro biológico da espécie humana. No inicio desta História, e segundo a moderna teoria evolucionista, existia apenas um grupo de humanos primitivos na Africa. Começaram a emigrar para outros continentes, como Asia, Europa. Suspeito que quando chegavam nestes lugares, fossem quais fossem, procuravam fazer suas habitações no mesmo modêlo que faziam na Africa, considerando-se as diferenças e escassez de materiais, procuravam a mesma ou mais parecida alimentação, mantinham sua cultura, obviamente, já que não existia outra. Mas cada ambiente tem suas particulares especificas, a Europa é fria, a Asia tinha elefantes, etc. Estes detalhes dos ambientes foram modelando seus habitantes, transformando seus hábitos, até mesmo seus corpos, e por fim surgiu essa diversidade de povos que vemos hoje, diferenciados por suas regiões.

Pois é: Na Natureza, o que é verdade para a grande História Geral, é também verdade para cada pequena história individual. O processo da macro-evolução do cérebro da espécie humana é o mesmo processo do desenvolvimento a nível genético de um único cérebro individual. Aqui na teoria da Matrix/DNA tenho observado religiosamente este principio. Tenho repetido que não acredito que a Natureza jogue dados com suas criaturas, aprontando armadilhas para seus filhos caírem nelas; está fácil aprender qual o sentido da nossa existência, pois a maneira como a Natureza atua aqui, foi a maneira como ela formou este Universo e nós dentro dele. Ela não nos mostraria uma história falsa aqui, nos enganando. Tanto assim que vou projetando os pequenos conhecimentos que vou obtendo sôbre o aqui e agora para calcular como funciona o Cosmos e o que ocorreu no tempo passado para inferir como deve ter sido a História Natural Universal. E nesse trabalho descobri por exemplo que esta pequena história de um cérebro individual não apenas imita a Média História da Humanidade, mas vai mais fundo, imitando a História do desenvolvimento da Vida a nível universal. Pois se encontramos uma tribo original na Africa se espalhando e mantendo seus princípios nas novas terras, encontramos também uma arquitetura natural original no espaço celeste e formada pelos astros e estrêlas, se espalhando e mantendo seus princípios em cada planeta que alcançou.

Esta é nossa versão revelada no artigo contando a história de Luca, o “Last Universal Common Ancestor”. De certa forma, esta noticia sobre o cérebro humano é mais uma previsão acertada por minha teoria há 30 anos atras lá no meio da selva amazônica! Boa informativa leitura…   

Human brain development is a symphony in three movements

http://news.yale.edu/2013/12/26/human-brain-development-symphony-three-movements

By Bill Hathaway – December 26, 2013
O cérebro humano se forma e desenvolve com uma impressionante coreografia calibrada e marcada por distintos padrões de atividade dos genes em diferentes estágios desde o útero até a idade adulta – informaram pesquisadores da University of  Yale, no jornal Neuron.

A equipe da Yale conduziu uma analise de larga escala da atividade dos genes no neocortex cerebral – uma área do cérebro que governa a percepção, comportamentos e conhecimento – em diferentes estágios do desenvolvimento. A analise mostra a arquitetura geral das regiões do cérebro, que é formada nos primeiros seis meses depois da concepção por uma aceleração da atividade genética diferente para cada região do neocortex. Este rush é seguido por uma variedade de intermissões começando no terceiro semestre da gravidez. Durante este período, a maioria dos genes que estão ativos em especificas regiões do cérebro são paralisados – exceto os genes que desenvolvem conexões entre todas as regiões do neocortex. Então, no inicio da adolescência, a orquestra genética começa novamente e ajuda sutilmente a organizar e formar as regiões do neocortex que progressivamente executam tarefas mais especializadas, um processo que continua na fase adulta.

Esta analise é a primeira a mostrar este esquema tipo “ampulheta do tempo” do desenvolvimento do cérebro humano, com intervalos de calmaria na atividade genética entre elevados padrões de complexidade na expressão genética. “Intrigante – dizem os cientistas – é que alguns destes padrões de atividade genética que definem o esquema de ampulheta do tempo não foram observados no desenvolvimento de macacos, indicando que estes padrões executam uma regra na modelação das características especificas do desenvolvimento dos cérebros humanos. A descoberta enfatiza a importância da interação entre genes e meio-ambiente na fase infantil logo após o nascimento, quando a formação das conexões de sinapses entre as células do cérebro se tornam sincronizadas, e esta interação determina como as estruturas do cérebro serão usadas mais tarde na vida, disse Nenad Sestan, professor de neurobiologia do Instituto de Neurociências Yale’s Kavli  e autor supervisor da pesquisa. Por exemplo, disrupções de sincronização das conexões sinápticas durante os primeiros anos da infância tem sido implicadas no autismo.

Sestan disse que o cérebro humano é mais como uma vizinhança, a qual é melhor definida pela comunidade vivendo nela do que seus edificios. “O zoneamento do local pode ser construído rapidamente mas então tudo passa a ser mais lento,  o neocortex focaliza sómente no desenvolvimento de conexões, quase como uma rede elétrica”, disse Sestan. mais tarde quando estas regiões estão sincronizadas, as vizinhanças começam a definir distintas identidades funcionais, como o bairro dos italianos e o bairro dos chineses.”

( Mihovil Pletikos, Andre ́ M.M. Sousa, and Goran Sedmak of Yale are co-lead authors of the study. Other Yale authors are Kyle A. Meyer, Ying Zhu, Feng Cheng, Mingfeng Li and Yuka Imamura Kawasawa. The work was funded by the National Institute of Mental Health, the James S. McDonnell Foundation, and the Kavli Foundation.)

A Via Láctea é um Ser Vivo? Para Manter Este Planeta Habitável é Preciso Conhece-lo. Participe/Assista Este Debate.

sábado, outubro 26th, 2013

Lancei um novo topico no Forum com link abaixo. Meu “portingles” com erros de concordancia suscita discriminacao nos leitores de lingua inglesa e o tema pe desconfortavel, pois todos ja tem sua visao de mundo e nao aprecia outras, que sempre vao parecer “estranhas”, portanto, criticas venenosas e depreciativas virao em primeiro lugar…  se alguem se aventurar a participar.

PhysForum Science, Physics and Technology Discussion Forums -> Biology, Chemistry, Medicine, Other Sciences -> Biology

http://www.physforum.com/index.php?act=ST&f=27&t=51974

The Milk Way Is A Living Being…?! (A Via Láctea é um Ser Vivo?)

Posted: Today at 12:04 AM – by TheMatrixDNA
” It is possible to mimic the entire process of sexual reproduction having six balls and a vortex floating at interstellar space. And every biological property seen at any living being. At least, it is possible in a theoretical design in paper, you can see it in Internet. 
The odds is that the design fits very well as the building block of galaxies and has the same configuration of the building blocks of DNA. So, there is a new theory suggesting that LUCA, the Last Universal Common Ancestor is at the sky and never was here at Earth, as thought Darwin. And it is LUCA for any kind of “life” that we will find in the Universe. Let’s go to debate our different theories? We can change informations, fixing our mistakes, and learn from each other. unsure.gif “
( Tradução: “É possível imitar o processo completo da reprodução sexual tendo apenas seis bolas e um vórtice pairando no espaço interestelar. E todas as propriedades biológicas vistas nos seres vivos. Ao menos, é possível num modelo teórico desenhado no papel, você pode vê-lo na Internet. 
O estranho é que o modelo cabe muito bem como tijolinho/unidade fundamental das galaxias e tem a mesma configuração do tijolinho/unidade fundamental do DNA ( que é um par lateral de nucleotídeos). Então, existe uma nova teoria sugerindo que LUCA – o Ultimo Ancestral Comum Universal – esta no Cosmos e nunca esteve aqui na Terra, como pensou Darwin. E que ele é LUCA para qualquer forma de vida que encontrar-mos no Universo.  Vamos debater nossas diferentes teorias? Nos podemos trocar informações, corrigir nossos erros, e aprender de cada um. “
Agora é só esperar as pedras e ovos chocos. O maior problema nestas discussões sobre visões particulares do mundo é que muitas pessoas não conseguem se ater aos fatos reais, sobejamente conhecidos e comprovados, sempre se perdendo em seus conceitos interpretativos e crenças enraizadas pelas tradições. Se eu posso ter criado uma nova fantasia sem nexo com a realidade, ao menos não encontrei ninguém ainda que tenha desaprovado essa teoria baseado em fatos reais. O que você acha?
XXXXXXX
Ok. I agree that the title “The Milk Way is a living being?” and the phrase “six balls in interstellar space… sexual reproduction” are weird enough for someone coming to this topic. How could a human modern mind accepting that the whole process of sexual reproduction at biological systems is merely a biological shape of a process that exists in electro-magnetic shape at the world of atoms systems,  and exists in mechanical shape at the building block of astronomical systems? Never, nobody, no human has published such idea. Our culture invented words and concepts that is leading human reasoning far away from the reality of Nature, in such way that the real description of natural phenomena becomes incredibles. One weird word is “life”.  Adding other weird word “origins” to “life” we have “origins of life”. But there is no origins of life, there is no origins of anything, at least inside this Universe. There is evolution from simple to complex, it is very different. Origins leads to magical think because it appeals to supernatural causes, appeals to events outside the long chain of causes and effects that began with the Big Bang, or before that. “Origins o9f life” is a erroneous concept that inhibits the Natural Reason of human heads and installs atheists or deists, magical thinking. For instance, calculating what happens with a nebulae of dust resulted from the death of a stellar system, and drawing the sequence of events, we get a final picture that is exactly equal to the pictures of embryogenesis, in which, first appears the morula, then the blastula, the fetus, embryo and a final human baby. At the space the picture shows a central vortex spinning, surrounded by dusts, which are swallowed into the “black whole”. Calculating the movements and transformations of this dust inside the vortex, we have a body as morula, blastula and as final product, a baby of an astronomical body. Everything mechanical and can be described by Newtonian mechanics. This initial baby falls into space yet surrounded by frozen dust and goes into transformations, becoming planet, pulsar, supernova, red giant and dies, fragmented into dusts. This is a process of life’s cycles, equal this one that produces transformations at human bodies. What is wrong is the current scholar models of astronomy. It is leading us to blindness, we can’t see ours ancestors 10 billion years ago. As result we needed to invent this stupid concept: origins. Inventing magical origins we needed inventing magical gods, magical probabilities, magical time, magical genes, magical evolution, magical natural selection, magical mathematics, magical non-existent formulas, and so on… The real natural chain of events was forgotten.
Ok. My method of investigation was formal logics guided by comparative anatomy between natural systems, 7 years at the heart of Amazon jungle observing connections and structural formation of systems. I am introducing what I got, but, as a naturalist philosopher extremely materialistic, I am skeptical of anything, so, I don’t believe in my results. They are under tests in the last 30 years, tests against facts and facing other kinds of reasoning from other kinds of cultures. I suspect that the suffering at the hells inside the jungle, the malarias several times, the poisons of scorpions and others kinds, maybe has distorted my brain and the results that I got could be totally wrong. But, maybe it is Nature, in its salvage and real state calling us back to her arms. So, bring on facts over the table, only facts, first. NASA images, infrared data, etc. Then let’s go to debate our different interpretations and different methods of connecting those facts. For instance: why do you cal DNA as “the genetic code” when I am seeing merely a big pile of a unique systems derived into millions of different individuals, like Humanity is 7 billions of different individuals derived from a unique structural system?! The word “code” leads to magical thinking (gods or probabilities are able to create message in genetics codes!),  while the word “diversification” keeps the human mind occupied with observable natural phenomena and so, keeps the DNA and genetics under pure natural reasoning.

Novas Descobertas Sobre o Envelhecimento e a Visão da Matrix/DNA

segunda-feira, outubro 21st, 2013

A newly discovered biological clock measures aging throughout the body. (Credit: UCLA/Horvath lab)

O corpo humano é uma nova forma evolucionaria do sistema natural universal que começou a existir desde o Big Bang, na forma de vórtice quântico, o qual projetou uma onda de luz, a qual carrega em si a dinâmica do ciclo vital, portanto, imprimindo dinâmica, movimento, vida, ma substancia que preenche o espaço abrangido hoje pelo Universo.

Como todas as formas deste sistema universal apresentam o processo da degeneração, envelhecimento, e morte, o corpo humano, paras nosso pesar, também o faz. Eu suspeito que a morte é um mal necessário se a evolução for um proposito da existência, pois sem a morte formas inacabadas e inadequadas do sistema universal, as quais são formas provisorias, se estabeleceriam como definitivas, interrompendo a evolução. Por exemplo, se os macacos tivessem descoberto o elixir da eternidade, não morreriam e não transcenderiam sua forma fisica, e não haveria hoje a especie humana. Também considero como possibilidade logica a sugestão que a formula da Matrix/DNA esta fazendo de que todas as formas do sistema universal são compostas de software e hardware, e de que enquanto o hardware morre, pode ser substituído e transformado, o software apenas cresce em quantidade de informação e se expande em qualidade, sempre sobrevivendo a morte dos corpos. Mas minhas suspeitas a parte, ficamos com o puro e real fato de que os nossos corpos envelhecem e morrem.

A morte pode ser um mal necessário, mas quando acontece o envelhecimento, ele nos trás indesejáveis efeitos colaterais, denominados ” doenças “, como o Alzheimer, os canceres, etc. Portanto, é de nosso extremo interesse estudar este processo de envelhecimento com a intenção de eliminar estes efeitos colaterais. As Ciências Oficiais muito tem se esforçado na busca de entender este processo, mas pouco tem avançado na eliminação dos maus efeitos. Enquanto isso vejo que destacar o corpo humano como um sistema natural e compara-lo com a formula de sistema perfeito da Matrix/DNA é uma diferente e nova abordagem do fenômeno que mostra novos aspectos do fenômeno ( por isso incluo abaixo dois aspectos dessa formula para serem observados). Na forma de sistema perfeito, ele nasce e tem sua energia em crescimento ate alcançar a Função sistêmica universal F4, quando ela atinge seu pico mais elevado, e neste momento começa a sua queda, uma degeneração que é medida pela entropia. No corpo humano isto indica que o corpo esta em elevação enquanto os genes primordiais ainda estão construindo-o,  e quando o ultimo gene executa sua ultima função, o corpo imediatamente começa a decair. Isto acontece talvez aos 16 ou 18 anos, quando se forma a barba, ou tem inicio a inteira atividade sexual. Se o corpo humano não decai imediatamente é porque o sistema é aberto e com isso continua a receber alimentação de energia exterior. O que não evita a degeneração, mas prolonga-a.

Outro fato interessante que se observa na formula de sistema perfeito é que a degeneração tem inicio na periferia do sistema,  e os detritos causados por ela, ao invés de serem imediatamente expulsos do sistema, são internalizados, e dirigem ao seu centro, levando o sistema ao auto-colapso. Lembre-se que na termodinâmica entropia não significa diminuição de energia mas sim diminuição da qualidade da energia no sistema. Isto porque os fragmentos internalizados vão se misturando com as partes e circuitos internos prejudicando seus funcionamentos, e o sistema tende a se tornar uma massa amorfa.  Por exemplo, no caso do cérebro considerado como nova forma do sistema, os detritos se acumulam formando as placas, muitas delas circundando neurônios, isolando-os, o que leva ao mal de Alzheimer, ou seja, perda da memoria.

Agora com esta noticia deste artigo parece que a Matrix/DNA mais uma vez confirma suas previsões. Estão descobrindo que na mulher o envelhecimento é mais rápido a partir dos seios, os quais são um acessório da periferia, e ainda mais interessante, a formula da Matrix/DNA já havia sugerido antes que os seios são na mulher os representantes da função 4, que é o aparato masculino da formula de sistema perfeito, o qual é hermafrodita. Justamente podemos ver na formula que a energia começa a decair na F4.

Ainda estou longe de começar a estudar o corpo humano baseado na formula da Matrix/DNA para tentar entender o processo do seu envelhecimento. Me faltam totalmente as condições materiais para tal, como a falta de tempo.  Por isto a Humanidade esta urgentemente necessitando de ajuda, da sua participação, todo mundo poderia ajudar aqui, tendo a formula da Matrix/DNA, inclusive divulgando estes artigos escritos aqui, ou fazendo a tradução para outros idiomas, já que eu não posso faze-los.  Não desejo para ninguém as torturas do envelhecimento e suas doenças, mas quem aqui não atuar agora, pode se arrepender depois.  Mas esta divisão do corpo em relógios marcando os ritmos de envelhecimento de cada parte, como mostra a figura acima, já nos ajuda valiosamente quando o for-mos fazer.  Por isto registro aqui com carinho e muitas esperanças este valioso artigo para voltar a ele se Deus ( ou seja la o nome de quem for que esteja por trás disso tudo) o permitir.

Scientist Uncovers Internal Clock Able to Measure Age of Most Human Tissues; Women’s Breast Tissue Ages Faster Than Rest of Body

http://www.sciencedaily.com/releases/2013/10/131020203006.htm?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+sciencedaily%2Ftop_news%2Ftop_science+%28ScienceDaily%3A+Top+News+–+Top+Science%29&utm_content=FaceBook

(obs: ver no Google outros sites que publicaram a notica para postar comentarios)

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.