Archive for the ‘Biofísica’ Category

Circuito sistêmico neural entre cérebro e intestino

domingo, novembro 18th, 2018

xxxxx

http://socientifica.com.br/2018/12/seu-intestino-esta-diretamente-conectado-ao-seu-cerebro-por-meio-de-um-circuito-de-neuronios/

Seu intestino está diretamente conectado ao seu cérebro por meio de um circuito de neurônios

Estudo revela que o intestino tem uma conexão muito mais direta com o cérebro através de um circuito neural que permite transmitir sinais em meros segundos.

O intestino humano é revestido com mais de 100 milhões de células nervosasé praticamente um cérebro em si mesmo. E de fato, o intestino realmente fala com o cérebro, liberando hormônios na corrente sanguínea que, ao longo de cerca de 10 minutos, nos dizem o quanto está com fome, ou que não deveríamos ter comido uma pizza inteira. Mas um novo estudo revela que o intestino tem uma conexão muito mais direta com o cérebro através de um circuito neural que permite transmitir sinais em meros segundos. As descobertas podem levar a novos tratamentos para a obesidade, transtornos alimentares e até mesmo depressão e autismo – todos eles ligados a um intestino com defeito.

O estudo revela “um novo conjunto de caminhos que usam células intestinais para se comunicar rapidamente com o tronco cerebral”, diz Daniel Drucker, um cientista clínico que estuda distúrbios intestinais no Instituto de Pesquisa Lunenfeld-Tanenbaum, em Toronto, Canadá, que não estava envolvido com o trabalho. Embora muitas perguntas permaneçam antes que as implicações clínicas se tornem claras, ele diz: “Essa é uma peça legal e nova do quebra-cabeça”.

Em 2010, o neurocientista Diego Bohórquez, da Duke University, em Durham, na Carolina do Norte, fez uma descoberta surpreendente enquanto examinava seu microscópio eletrônico. As células enteroendócrinas, que estudam o revestimento do intestino e produzem hormônios que estimulam a digestão e suprimem a fome, têm protuberâncias semelhantes a patas que lembram as sinapses que os neurônios usam para se comunicar entre si. Bohórquez sabia que as células enteroendócrinas poderiam enviar mensagens hormonais ao sistema nervoso central, mas ele também se perguntava se elas poderiam “conversar” com o cérebro usando sinais elétricos, como os neurônios fazem. Se assim for, eles teriam que enviar os sinais através do nervo vago, que viaja do intestino para o tronco cerebral.

Ele e seus colegas injetaram um vírus da raiva fluorescente, que é transmitido através de sinapses neuronais, para os cólons de camundongos e esperaram que as células enteroendócrinas e seus parceiros se acendessem. Esses parceiros acabaram se tornando neurônios vagais, relataram os pesquisadores na Science.

Em uma placa de Petri, as células enteroendócrinas alcançaram os neurônios vagais e formaram conexões sinápticas entre si. As células até expeliram o glutamato, um neurotransmissor envolvido no olfato e paladar, que os neurônios vagais capturaram em 100 milissegundos – mais rápido que um piscar de olhos.

Isso é muito mais rápido do que os hormônios podem viajar do intestino para o cérebro através da corrente sanguínea, diz Bohórquez. A lentidão dos hormônios pode ser responsável pelos fracassos de muitos supressores de apetite que os atingem, diz ele. O próximo passo é estudar se essa sinalização do cérebro intestinal fornece ao cérebro informações importantes sobre os nutrientes e o valor calórico dos alimentos que ingerimos, diz ele.

Existem algumas vantagens óbvias para a sinalização do cérebro, como a detecção de toxinas e veneno, mas pode haver outras vantagens em sentir o conteúdo de nossas entranhas em tempo real, diz ele. O que quer que seja, há uma boa chance de que os benefícios sejam antigos – as células sensoriais intestinais datam de um dos primeiros organismos multicelulares, uma criatura plana chamada Trichoplax adhaerens,

Trichoplax adhaerens, que surgiu há cerca de 600 milhões de anos.

Pistas adicionais sobre como as células sensoriais do intestino nos beneficiam hoje estão em um estudo separado, publicado hoje na Cell. Pesquisadores usaram lasers para estimular os neurônios sensoriais que inervam o intestino em camundongos, que produziam sensações recompensadoras que os roedores trabalhavam duro para repetir. A estimulação a laser também aumentou os níveis de um neurotransmissor que estimula o humor, chamado dopamina, no cérebro dos roedores, descobriram os pesquisadores.

Combinados, os dois artigos ajudam a explicar por que estimular o nervo vago com corrente elétrica pode tratar depressão grave em pessoas, diz Ivan de Araujo, neurocientista da Icahn Escola de Medicina Monte Sinai, em Nova York, que liderou o estudo celular. Os resultados também podem explicar por que, em um nível básico, comer nos faz sentir bem. “Embora esses neurônios estejam fora do cérebro, eles se encaixam perfeitamente na definição de neurônios de recompensa”, que estimulam a motivação e aumentam o prazer, diz ele. [Science]

Quantum Vacum: O Caminho para a Luz Original?

domingo, julho 29th, 2018

xxxx

ARK® CRYSTAL TECHNOLOGY

Scientists have discovered that when all classical sources of matter and energy are removed, creating what is referred to as a vacuum, there is still energy present, even at absolute zero. This discovery has redefined empty space with the definition of a quantum vacuum – a substantive quantized medium filled with harmonic zero-point energy oscillations.

Vacuo quântico (definicao): Um substantivo meio quantizado preenchido com oscilações harmonicas de energia no ponto zero 

This sea of continuous energetic oscillations has now been identified by some physicists as the elemental source of all mass, form and structure.

Este oceano de oscilações continuas energéticas foi agora identificado por alguns fisicos como senso a fonte elementar de toda massa, forma e estrutura.

The quantum vacuum must have coherent modes of oscillations in order to give rise to mass, form, and structure. Indeed, the geometry of these oscillation modes

geometria dos módulos oscilatórios?

are now being discovered by scientists to have very fundamental functions at the base of reality and that this constant flux

( constante fluxo? Se a luz original foi o gatilho do Big Bang, quer dizer que ela continua sendo constantemente fornecida ao Universo? Entao não houve um gatilho do Big Bang, e sim uma metralhadora? Isto significaria que o Big Bang continua acontecendo…)

of quantum energy is intrinsically and integrally entangled. This universal network of the vacuum harmonic oscillations of the zero-point field can be considered as information exchange in innumerable quantum computational units, or Planck spherical oscillators,

Osciladores esféricos de Plank? Pesquisar isso.

where each Planck sphere is one bit of information.

Epa! Tocou na Matrix/DNA novamente. Tenho que ver estes bits informacao.

It is this unified space-memory network that in-forms and connects all things to produce coherence, order, and systems intelligence

Bem,… A Matrix/DNA disse a 30 anos atras que a luz original que banha o fundo do Universo tras em si a formula para criar o sistema universal e dar-lhe todas as formas existentes.

Bem,… mas o que tem a ver cristais com tudo isso?

Ciclo Vital das Células: Oscilação do Núcleo

segunda-feira, setembro 11th, 2017

xxxx

http://www.alphr.com/science/1006968/internal-clock-is-discovered-in-a-living-human-cell

Internal clock is discovered in a living human cell

Sugestao da Matrix/DNA = Ele é produzido pelo circular de informação no circuito. Tal como acontece com uma onda de luz (a qual é a primeira ocorrência deste fenômeno no universo e desde o qual o fenômeno é repetido em todos os sistemas naturais), a vibração ou intensidade dos flashes cintilantes começa forte, na maior intensidade do circuito, e continua forte em crescente ate a F4, quando começa a decair porque começa a entropia.)

Matrix/DNA suggestion – It is produced by the flux of information in the circuit. As it happens with a light wave (which is the first occurrence of this phenomena in the Universe and from which the phenomena is repeated at natural systems), the vibration or intensity of the scintillating flashes starts strong at the highest intensity of the circuit and continues strong in increasing to the F4, when it begins to decay because entropy begins.)

The discovery may give insights into how and when diseases start – 11 Sep 2017

Cells dramatically change their shape and size during a lifetime. But this is the first time the changes have been seen over short time periods.

O ritmo da  cintilacao num  precise point of a cell in its life cycle…. During the lifetime of the cell, the amount the cell changes in shape during these ‘flickers’ also gets smaller. This means measuring the fluctuations can give away the age of the cell.

“However, with this discovery, which shows that the nucleus exhibits rapid fluctuations that decrease during the life cycle of the cell, we can enhance our knowledge of both healthy and diseased human cells.”

the nucleus of the living cells, and saw a part of it, known as the nuclear envelope, flickering over a period of a few seconds. 

(Este mecanismo de oscilacao do nucleo das celululas foi projetado nos organismos? De que forma os corpos de organismos sinalizariam estas pulsacoes?)

“This process can serve as an internal clock of the cell, telling you at what stage in the cell cycle the cell is,”

“We know that structural and functional errors of the nuclear envelope lead to a large number of developmental and inherited disorders, such as cardiomyopathy, muscular dystrophy, and cancer,” she said. “Illuminating the mechanics of nuclear shape fluctuations might contribute to efforts to understand the nuclear envelope in health and disease.”

xxxx

A proposito, eu postei esta resposta num debate:

God of War – Q1. what are the type of mathematical equations that describe the growth of organisms?

Matrix/DNA : – Lol, good! I am just coming back from reading the best scientific news today, it is related to “grow of organisms”, which is related to life’s cycles and here you have a little idea how the knowledge of Matrix/DNA models and formula works in parallel with official science and offers different interpretation for natural phenomena. The news is in the link:
http://www.alphr.com/science/1006968/internal-clock-is-discovered-in-a-living-human-cell
Please, read the article and come back to this post….
I never knew that cells’ nucleus are flickering. But, missing this knowledge was my fault, because my formula predicted it 30 years ago. My fault is due no enough time for analyzing all predictions from the formula, which must be millions. So, look what Matrix/DNA says now:
” This internal clock is produced by the flux of information in the systemic circuit. As it happens with a light wave (which is the first occurrence of this phenomena in the Universe and from which the phenomena is repeated at natural systems like cells), the vibration or intensity of the scintillating flashes starts strong at the highest intensity of the circuit and continues strong in increasing to the F4, when it begins to decay because entropy begins. It is merely the life’s cycle pathway.”
Since you don’t know how to analyzing the formula, I think you will not understand this says from Matrix/DNA, but my long time doing it ( 30 years), I am very practical doing it.
Where and when the researchers would have this interpretation, linking a reductive detail of a phenomena to the whole Cosmos, linking it with the first waves of light emitted at the Big Bang? When they will linking thermodynamics like entropy to this phenomena for having new glimpses how to control it and finding ways for avoiding the diseases they are looking for? That’s why I am here alerting that the current scientific method and scientists world view must be amplified for inserting the systemic method upon the reductive method, and how is the new kind of lab we are in needs just now.
Organisms grow and decay are very well represented by Matrix/DNA formula, which is not showed as mathematical equation but by software’s diagram because the dynamics of life are based on codes, genetics codes, and computational codes are not writing with mathematical equations. Now I will take my beer in commemoration of more one victory of my theory… Cheers…

Origem e Evolução dos Órgãos Sensoriais

quarta-feira, novembro 23rd, 2016

xxxx

Sea nettles.jpg

Medusas Cnidarias – Primeiro sensor?

De onde a Natureza tirou a ideia de criar órgãos sensoriais em certos corpos para perceberem o mundo a sua volta?! Talvez a pergunta esteja mal formulada. Como e porque num corpo natural – e pela primeira vez nos 13,8 bilhões de anos do Universo – a Natureza se moveu na direcao de fazer este corpo perceber o mundo a sua volta?! Quais forças e elementos naturais abriram este caminho, e porque?

As outras formas de vida alienígenas, que tipos de sensores terão? Os nossos sensores vão evoluir? Por exemplo, a visão, evoluirá para enxergar as outras faixas do espectro eletromagnético? Nos desenvolveremos outros sensores ainda nem sequer imaginados?

Como será para sempre proibido ter certeza do que ocorreu exatamente nos primórdios dos órgãos sensoriais ( a não ser que exista um espelho do tempo onde esteja filmada toda a história passada), todo mundo terá apenas teoria. E talvez uma destas teorias acerte exatamente com as respostas.

Na minha teoria cosmovisionária – a Teoria da Matrix/DNA – os órgãos sensoriais “biológicos” se explica a partir da intuição de que o que criou os sistemas biológicos foram os sistemas astronômicos. E os criou por um processo primitivo similar ao processo genético biológico. Ou seja – sistemas biológicos são meras evoluções dos sistemas astronômicos.

O estado de sistema em que estava este sistema galáctico denominado Via Láctea era o de sistema fechado em si mesmo, oposto ao sistema aberto. Ao menos é isso que se conclui ao se observar o meu modelo cosmológico. E um sistema fechado em si mesmo jamais vai criar órgãos sensoriais voltados ao exterior, pois ele se encontra isolado do mundo externo e não teria qualquer motivo para realizar o esforço dessa criação.

Porem, a cria dos sistemas astronômicos na superfície terrestres sofreram uma mutação devido ao aparecimento do estado liquido da matéria, e esta mutação os fez como sistemas abertos. E os sistemas abertos dependem mortalmente das interações com o mundo externo para sobreviver. Então os órgãos sensoriais biológicos foram criados aqui, pela matéria orgânica e seus sistemas. Porem, como a Natureza nunca pode criar informação do nada, deduz-se que os órgãos sensoriais biológicos foi mais uma evolução mutada de sensores existentes nos sistemas ancestrais – astronômicos e atômicos. Teremos que incluir na pauta de nossas pesquisas a busca do que eram e como estavam estes ancestrais dos sensores biológicos nos sistemas não-biológicos. Por exemplo, se uma partícula interage com outra a distancia, ou mesmo uma estrela se conecta a um planeta, é porque possuem sensores para perceberem o que alem delas, mesmo que não tenham consciência que o percebem.

Alem de suscitar uma grande indagação filosófica existencial, o conhecimento total da historia das origens no Big Bang e sua evolução ate chegar aos nossos sensores atuais – e nos que ficaram perdidos em outras especies inferiores – nos devera ajudar sobremaneira a desenvolver nossa tecnologia.

Portanto, abre-se mais este capitulo de pesquisa. Iniciaremos por registrar um paper cientifico para posterior leitura, tradução, e pesquisa:

Evolution of sensory structures in basal metazoa

http://icb.oxfordjournals.org/content/47/5/712.full

Abstract

Cnidaria have traditionally been viewed as the most basal animals with complex, organ-like multicellular structures dedicated to sensory perception. However, sponges also have a surprising range of the genes required for sensory and neural functions in Bilateria.

Family tree of Cnidaria and the origins of animals ( ver melhor em https://en.wikipedia.org/wiki/Cnidaria:

Metazoa
Glass sponges
Demosponges
Calcareous sponges
Eumetazoa
Ctenophora (comb jellies)
Planulozoa
Cnidaria
Anthozoa
(sea anemones and corals)
Medusozoa
Hydrozoa
(Hydra, siphonophores, etc.)
Cubozoa
(box jellies)
Staurozoa
Scyphozoa
(jellyfish, excluding
Staurozoa)
Placozoa
Bilateria
Myxozoa
Other Bilateria
(more complex)

 

Biofisica: Estudo dos Vínculos Entre Sistemas Mecânicos e EletroMagnéticos Naturais e os Sistemas Biológicos da Biosfera Terrestre

terça-feira, julho 5th, 2016

xxxx

Começar estudo por:

http://biorxiv.org/collection/biophysics

xxxxx

http://biorxiv.org/content/early/2016/07/04/061960  –  Based on observations that the electron beam induces doming of the thin vitreous ice layer, we developed an algorithm to correct anisotropic image motion at the single pixel level across the whole frame, suitable for both single particle and tomographic images

Matrix/DNA: Corrigir as direções/intensidades dos elétrons e’ corrigir e adaptar os fótons dentro dos elétrons `a formula da Matrix no seu estado perfeito. Assim se corrige as imperfeiçoes no mundo biológico. Eles estão usando um algoritmo que corrige os fachos a nível de pixels, mas sem entender o que deve ser corrigido e qual algoritmo expressa a formula. Isto temos que desenvolver. ( voltar no link e ler o paper)