Archive for the ‘Vida’ Category

Porque no Planeta Terra tem água, Vida e nos outros deste Sistema, não?

sexta-feira, agosto 3rd, 2018

xxxx

??

Video mostrando as maravilhas deste planeta:

https://www.facebook.com/earthescapevids/videos/349180758946573/?t=2

Não da’ para aceitar isso sem mais nem menos. Quando vejo as fotos do Hubble das superfícies de todos os outros planetas, desoladas, estereis, violentas, vazias, e a seguir vejo esta incrível complexidade na superfície deste planeta, tenho que perguntar: “O que aconteceu de tao diferente neste planeta? Qualquer que seja a resposta logo vem a seguinte pergunta: “E porque não nos outros?” E ai vem a Teoria da Matrix/DNA explicar: ” Primeiro, entenda que o Sol tem um campo magnético que começa no seu núcleo e se estende por todo o sistema. Segundo entenda que este campo emite ondas concêntricas. Terceiro, olhe no espectro eletromagnético, veras sete faixas de frequência, sendo a faixa justo no meio, a quarta faixa, o ponto de maior equilíbrio da onda. Justo onde esta a orbita da Terra. No ponto de equilíbrio não dominam nem os estados solido nem o gasoso da matéria, mas sim o estado do meio, o liquido, por isso, a água. Quarto,… entenda que a Vida e’ formada em superfícies onde se encontram os 50% de informações que estão no núcleo do planeta e vem ‘a superfície por vulcões, gases oceânicos, etc., mais 50% das informações sobre estrelas que vem gravadas nos fótons da luz solar, e que vem em condições ótimas de serem expressadas, o que acontece na quarta faixa vibracional. Assim, idade adequada, posição adequada e ótimo casamento de informações só pode irromper numa exuberância de vida… Nenhum outro planeta neste sistema reúne estas condições. Mas em muitos outros sistemas tem planetas iguais. Sera’ mesmo?

mais evidencias astronomicas para o modelo da Matrix/DNA: estrelas velhas quietas x novas inquietas

segunda-feira, junho 4th, 2018

xxxx

http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/2018/05/30/estudo-com-estrela-similar-ao-sol-ajuda-a-explicar-evolucao-da-vida-na-terra/

Estudo com estrela similar ao Sol ajuda a explicar evolução da vida na Terra

Meu comentario enviado ao artigo (checar se foi publicado)

Sao trabalhos assim que podem se tornar o ‘breakthrough” em Ciencias, e obter uma descobertas que revolucione o estudo das origens e evolucao da vida na Terra. parabens `as astronomas brasileiras. Existe uma possibilidade inversa: que as invasoes solares tenha fornecido elementos catalizadores ou informacoes decisivas para mudancas ou desenvolvimento de uma vida que teria estado bilhoes de anos parada, como sugerem os meus modelos na Teoria da Matrix/DNA. Afinal, nao foi esse “boost” vindo de meteoritos e cometas que trouxeram elementos faltantes?

Como foi que a matéria sem vida, se tornou vida? Resposta da Matrix/DNA

terça-feira, janeiro 30th, 2018

xxxx

Como foi que um líquido sem vida dentro de um óvulo se tornou vida e parte dessa vida? Ou seja, voce? E’ a mesma resposta para a pergunta do título. A matéria sem vida na superfície da Terra a 3,5 bilhões de anos atras, de por si so’ jamais poderia se tornar algo vivo e parte desse algo vivo. No caso do liquido no ovulo, a materia dentro do óvulo so começou a se tornar matéria viva depois que nela penetrou um genoma, um programa para fazer um ser vivo. Então a resposta para o que aconteceu na matéria na superfície da Terra e’ que nela chegou uma especie de genoma. Como sabemos que as coisas complexas vieram da evolução das coisas mais simples, este genoma que chegou na matéria primitiva deve ter sido muito mais simples que o genoma no ovulo. Mas sabemos também que o genoma que penetrou o óvulo foi emitido por uma fonte, e conhecemos essa fonte. Logo, o genoma primitiva na materia sem vida teve uma fonte, mas vocês ainda não a conhecem, ao menos não tem nenhum forte candidato. Eu tenho um candidato e aposto nele. Quem e’ o candidato-fonte? Voce pode encontra-lo por si mesmo. Vou explicar como faze-lo:

Minha avó na sua santa ignorância dizia que filho de peixe peixinho será. E eu pensei que o contrário também era verdade: se e’ um peixinho, filho de peixe será.

E em qual tipo de peixinho eu estava pensando: o primeiro ser vivo a aparecer neste planeta, ou seja, um sistema celular com nucleo e organelas, e  funcionando. Antes dela, sejam os aminoacidos, as moleculas mais complexas como proteinas, o RNA, o DNA, tudo foi prototipos, formas infra-estruturais, como sao as formas da morula, da blastula, feto e embriao do ser vivo chamado de baby. O peixinho era aquela celula. Quem foi o peixe?

Bem, em p;rimeiro lugar, m inha avo dizia aquilo querendo lembrar que o peixinho tem a mesma forma do peixe. Portanto, a celula viva tinha a mesma forma de quem a fez. A materia sem vida da Terra estava ja de cara descartada, pois em nada ela tem a forma da celula. O peixe estava escondido em algum lugar e portanto tambem seu genoma veio escondido do nosso conhecimento.  Por enquanto apenas sei que havia algo parecido com a celula e que esse algo emite seu genoma, o qual penetra a materia sem vida da Terra. Mas como detecta-lo? Existe um metodo.

A passagem do peixe para o peixinho e’ um processo conhecido que chamamos de reproducao. Esta tem inicio com a chegada do genoma, continua com as formas de morula, blastula, etc. Entao a passagem da celula-fonte para a celula biologica viva teve inicio com a chegada do genoma, continuou com as formas de aminoacidos, moleculas complexas, e isto se chama “reproducao da celula-fonte” e nao abiogeneses, como os academicos acreditam. Abiogeneses, ‘e uma palavra errada que desvia o raciocinio do caminho certo para leva-lo a questoes sem fundamentos, fantasias e proposicoes absurdas, como ” a materia sem vida se tornou materia viva”. O amnion nao se tornou um baby.

Sabendo agora que houve um processo de reprodução e não a hipotese sem fundamento racional denominada abiogêneses, vamos nos fixar na forma da primeira célula viva, pois aquela tera que ser a forma da celula-fonte. E agora, sabendo que existe evolucao, e que muitas vezes neste processo de reproducao ocorre alguma mutacao, muito leve que altera apenas algum pequeno detalhe na prole gerada, vamos calcular a forma da celula viva regredindo na evolucao, perdendo algumas das suas complexidades, tornando-se um pouco mais simples, e vamos desenhar o resultado. Com isso estamos fazendo o mesmo que o delegado quando chama as testemunhas, pede que descrevam o que viram do suspeito, enquanto ao lado um desenhista faz o “retrato falado”.

E assim obtive o retrato do suspeito, e com ele em maos, sai a campo para procura-lo.

Mas imediatamente dei meia-volta e retornei a mesa de calculos. Eu havia me esquecido de algo determinante. A tal da reproducao entre a celula fonte e a celula filha demorou bilhoes de anos, e neste tempo o ambiente nao ficou parado, ele tambem teve mutacoes, se trnaformou para chegar ao estado do dia em que a celula filha nasceu. E este nascimento aconteceu a muitos milhoes de anos atras, entao tambem o dia em que a celula filha nasceu nao tinha o mesmo ambiente que tem hoje. Entao nao adianta eu sair no campo la’ fora procurar a celula fonte, certamente ela nao poderia sobreviver ao ambiente de hoje. Nem oxigenio existia, o que poderia mata-la, ela devia precisar de amonia que carregava a atmosfera naqurles seus tempos, etc.

Entao preciso ver o camarada Oparin, o Miller, que ja fizeram calculos dessa evolucao reduzida, mais os conhecimntos adquidridos recentemente, e fazer outro retrato falado, que gora ai se tornar o mapa do territorio onde estava a célula-fonte. Neste twrritorio stav o peixe, sera possivel detecta-lo, sem estar la, e passado tanto tempo? Mas… espera ai… ainda tem outra coisa que ia me esquecendo.

O peixe nao esta no meio da materia sem vida. O meu pai e minha mae nao estavam dentro do ovulo no liquido sem vida. Estavam la fora. Entao a celula-fonte nao estava na superficie da Terra. Raios !!!…

Agora embananou tudo? Ficamos sem esperanças de resolver o maior quebra-cabeças do mundo? Eu e’ que nao vou desistir. Vou dar um jeito e vou la fora procurar o danado.

La fora, da superficie terrestre, significa o que está além da atmosfera, e não apenas o que vemos acima, mas sim o que esta dos lados, embaixo… ou seja, o sistema solar, a galaxia… o peixe está em algum lugar nesse meio. Não estou brincando, foram calculos corretos, foi a orientacao da Natureza, que afirmaram que a celula fonte esta la, e isto significa parar as buscas aqui na superficie da Terra. Tenho o retrato falado dela, mas nao posso ir no campo procura-la…

Me restou ficar namorando o retrato falado. Ali estava a fotografia da minha tatatataravo ( ela tinha que ser hermafrodita, pois sua filha, a célula viva, era hermafrodita) , pessoa amada de muito respeito, querida, eu daria tudo para estar ao lado dela, ouvir tantas histórias que eu queria aprender, ela deve saber de muitas coisas deste universo afora… Eu iria tentar espiar pelo buraco da fechadura da porta de seu quarto, pois estou curioso como um hermafrodita faz sexo consigo mesmo…

Fiquei muitos anos dormindo com o retrato ao lado, e nesse tempo eu vivia isolado na selva, na qual eu sabia que minha tatataravo nunca viveu, então quando pensava nela, imediatamente a via no Cosmos, e pensava no Cosmos.

O que tem no Cosmos? Sete tipos de astros conhecidos até agora. Como eles nascem? Como nasce um quasar, um pulsar?! E la ia eu para a voadeira, meu pequeno barco a motor, rumar para as livrarias e biblioteca da cidade, buscar estas informações.

Nos livros eu ficava sabendo que havia um exército de quimicos ajoelhados na beira de pântanos, mergulhados no fundo dos oceanos em volta das fontes termais, todos procurando LUCA, o ultimo ancestral comum, que para mim se chamava célula- fonte e nao estava aqui, estava no céu. E quando eu me via ajoelhado na beira de pântanos removendo a lama com pauzinhos e olhando com lentes ou o velho microscópio para ver o micro-mundo ali, minha cabeca comecava a esquentar sob o sol torrido dos trópicos, para eu me lembrar que sem a luz do sol nada vivo de movia, a nao ser os bichinhos cegos no fundo do oceano recebendo os tais termais que vinha das profundezas da Terra, provavelmente do nucleo. Então se a luz do sol movia seres na superfície, os seres no fundo do oceano deveriam ser movidos por alguma energia semelhante a energia do sol, o que induzia a pensar que o núcleo da Terra tem algo de estrela…

Muitos detalhes assim foram cada vez mais me convencendo que os modelos teoricos astronomicos que estavam nos livros não estavam dizendo toda a verdade, e se não estavam… me fizeram elaborar um mapa errado do território onde viveu ou ainda vive minha tatataravo. Era preciso refazer os modelos teóricos, mas sem ter um Hubble, sem poder dirigir a NASA para meus objetivos, o que eu podia fazer? Refazer o retrato falado do ambiente, baseado em que?

Testemunhas ! Sim eu precisava de mais testemunhas e me dei conta que tinha uma ao meu lado que ainda não tinha sido convidada a dar seu depoimento: o retrato falado da minha tatataravo! Eu ja tinha pensado em como muitos detalhes na forma dos organismos imitam o ambiente terrestre. Por exemplo, o coração pulsando, expandindo e se contraindo, cada vez que expande se encosta numa costela ossea, parecia com as águas do oceano em ondas que se expandem e encostam na dura rocha dos continentes. Então o retrato falado da minha tatataravo tinha muitos detalhes que eram pistas de como deve ser o ambiente celeste onde ela foi feita. Vamos a ver isto…

( a continuar ) 

Origens da Vida: Teoria do RNA World

domingo, novembro 12th, 2017

xxxx

Paper: Origin of Life: Transitioning to DNA genomes in an RNA world

https://elifesciences.org/articles/32330

Abstract

The unexpected ability of an RNA polymerase ribozyme to copy RNA into DNA has ramifications for understanding how DNA genomes evolved

Matrix/DNA: ‘Ok. De repente descobriram que o RNA tem uma polymerase ribozyme que copia o RNA e como resultado aparece o DNA ! Por isso surgiu a nova teoria do RNA-world. E com isso eles creem que vao obter o entendimento de como o genoma do DNA evoluiu. Nos percebemos a 30 anos atras quando elaboramos o modelo teorico da formula, que esta pode ser dividida em duas metades, uma face esquerda e outra direita. Observando-se a formula, percebe-se que a funcao 5 que ‘e intermitente, quando emerge e atua, ja’ divide a formula nas duas faces. Se o fluxo de informacoes que vem desde F1 no sentido horario, pela face esquerda, ultrapassar F4, ele constroi F6 e continua agora em queda entropica ate completar o circuito esferico. Isto significa que a formula determina que toda estrutura material elaborada por ela tenha a face direita como uma especie de copia da esquerda. Quando comparamos a formula com um building block do DNA percebemos que as duas sao a mesma configuracao e funcionamento, o que indica que o DNA pode ser dividido pela formula entre haste esquerda e direita. E qualquer uma das faces depois da divisao tambem representa a anatomia geral do RNA. Mais tarde descobrimos que F5 e’ o phi number, responsavel pela bi-lateral simetria. Ora, replicar o DNA, abrindo o zipper, separando os nucleotideos em duas hastes com suas bases, e’ produzir bi-lateral simetria.

Entao tinhamos a forte suspeita de que o RNA tivesse surgido primeiro que o DNA, e este apenas se formou quando a molecula de RNA foi capturando bits-informacao ralacionados `a face direita. nao nos surpreendeu quando depois surgiu a teoria do RNA-world. Porem aparentemente temos dois problemas entre as duas teorias.

  1. Enquanto existia apenas RNA – Segundo a teoria da Matrix – este era incapaz de replicar-se… ou nao? Vejamos. Quando o circuito chegou a F4, ele teria diretamente formado F6 ou F5? Se formou primeiro F5, a funcao replicadora, nao vejo como esta poderia funcionar sem o circuito esferico completo, na forma do DNA. Parece-me que F4 apenas seja estimulado a produzir F5 se a entidade do Sistema estiver instavel e buscar a estabilidade termodinamica. Alem disso, sabendo-se que RNA nao possui o acucar desoribose – que e’ F1 – ele deve ser constituido apenas de F2, F3 e F4. mas como F5 e’ uracila, que e’ uma base presente apenas no RNA, ele teria o orgao reprodutor porem nao teria a carga genetica completa para produzir DNA. Para ter ela complete precisaria ter F1. Entao o RNA nao podia se auto-replica. Ora, acredito que para o projeto de criar o primeiro DNA, a partir do RNA teria que existir muitos exemplares de RNA, apenas um nao teria tempo para executar tudo. O que significa que teriamos de considerer a hipotese de que nao houve um unico primordial RNA, mas sim, que essa molecula surgiu varias vezes separadas entre si. Mas se, formado o RNA, ao inves de partir para elaborar F5. o fluxo tivesse entrado a fazer a face direita fazendo ja F6, entao a direita construiu F1, o que permitiu ao Sistema iniciar sua replicacao.

Mas sabemos que o RNA tem a capacidade de se replicar. Como ele o faz, sem F1. Parece impossivel, a nao ser que F2 tenha em si mais da metade das informacoes de F1, o que tambem nao ‘e uma ideia confortavel. Entao surge aqui uma ideia e uma pergunta aos quimicos: Onde e como o RNA se auto-replica? Porque a Matrix sugere apenas uma possibilidade: que ele atue como virus, ou seja, ele precise penetrar no nucleo da celula e utilizer a F1 do DNA para se replicar.

Esta  questao preciso consultar os quimicos ou a biologia molecular.

2. O Segundo problema e’  que no DNA, os dois fluxos de informacoes – da haste esquerda e da direita – tem sentidos e significados opostos entre si. Na primeira a energia e’ crescente, fase de desenvolvimento e construcao; na segunda a energia e’ entropica, decrescente, fase de degeneracao, auto-aniquilamento. Entao para que o RNA produzisse DNA, quando seu fluxo chegasse a F4, e ao sair dessa funcao, teria que ter em si agregada a funcao da entropia. Vinda de onde, e como? A entropia nada constroi a nao ser caos, nao iria construir F6. E se o RNA adquirisse a entropia a partir de F4, ele nunca se auto-replicaria.

Este problema nos leva a suspeitar que o RNA surgiu, originalmente, em duas formas, opostas entre si. Digamos, uma spin right e a outra, spin left. Alias, parece-me que tudo na natureza tem que surgir nestes dois pares opostos. O problema e’ que, tendo-se duas fitas de aparencias iguais, e nas duas correm um fluxo de energia de uma ponta a outra, e sendo as duas aparentemente no sentido horario, como se vai detectar que numa o fluxo vai da ponta A para a B e a outra vai de B para A? Se as 4 pontas parecem iguais, quem determina qual seja A ou B?

Olhem…, sabe de uma coisa? Para mim nao vejo vantage nenhuma em ficar titrando a poeira de cima dos registros historicos para saber quem veio primeiro ou depois. O importante e’ saber que tanto RNA como DNA estao contidos na formula da Matrix que veio do ceu. O que ela fez aqui primeiro ou depois nao me interessa a ponto de ficar quebrando a cabeca com esse enignma complicado. certo que sempre e’ util elaborar um esquema destas especulacoes, um raciocinio metodico e escrito como fiz acima, pois destes raciocinios muitas vezes surgem importantes insights para outros problemas. Como foi a cima a repentina questao ou hipotese de que o RNA primordial funcionou como virus. Mas eu vou parar esse assunto por aqui.

  • ” Ok, senhor Louis, podes parar e descansar a cabeca. Mas antes voce me permite apenas mais uma perguntinha, que nao tem a ver com RNA, DNA…?”
  • “Pois nao…”
  • ” Quem surgiu primeiro, o ovo, ou a galinha”? ( e o perguntador vai se afastando e saindo correndo…)
  • – ” Arrrrghhh…. vem aqui, moleque, ah, se eu te pego…”

z

 

Sobre Os Conceitos errados advindos de nomes como “vida” e “origins”

sexta-feira, novembro 3rd, 2017

xxxx

No matter what one understands to be the cause of crop circles, whether they are all human-made or involve aquifers, ley lines, divine feminine energy, ancient sacred sites, ball lightning or even UFOs, crop circles bring to the fore a mysterious disconnection between language and the visible, as described in Jean-François Lyotard’s book Discourse, Figure.

The French philosopher argues there is an unstable relationship between linguistic meaning and units of signification, that is, the visible patterns of words, dreams, symbols and visual art. Because there is no inherent meaning in any given signifier (meaning always relies on another word and a wider context), and art and symbols are conceptually opaque by default, they necessarily defy easy rational understanding

Lições de vida: O que só se descobre na hora da morte

terça-feira, agosto 8th, 2017

xxxx

Bronnie Ware, uma enfermeira que durante vários anos cuidou de pessoas que eram muito idosas ou estavam enfermas em suas casas – escreveu “The Top Five Regrets of the Dying – A Life Transformed by the Dearly Departing”, que, como o título diz, trata dos cinco arrependimentos mais comuns manifestados pelas pessoas antes de morrerem.

No livro da Bronnie aparecem essas ideias, e os comentários dela:

  1. Eu gostaria de ter tido a coragem de viver a vida que eu quisesse, não a vida que os outros esperavam que eu vivesse.

“Esse foi o arrependimento mais comum. Quando as pessoas percebem que a vida delas está quase no fim e olham para trás, é fácil ver quantos sonhos não foram realizados. A maioria das pessoas não realizou nem metade dos seus sonhos e têm de morrer sabendo que isso aconteceu por causa de decisões que tomaram, ou não tomaram. A saúde traz uma liberdade que poucos conseguem perceber, até que eles não a têm mais.”

  1. Eu gostaria de não ter trabalhado tanto.

“Eu ouvi isso de todo paciente masculino que eu trabalhei. Eles sentiam falta de ter vivido mais a juventude dos filhos e a companhia de seus parceiros. As mulheres também falaram desse arrependimento, mas como a maioria era de uma geração mais antiga, muitas não tiveram uma carreira. Todos os homens com quem eu conversei se arrependeram de passar tanto tempo de suas vidas no ambiente de trabalho.”

  1. Eu queria ter tido a coragem de expressar meus sentimentos.

“Muitas pessoas suprimiram seus sentimentos para ficar em paz com os outros. Como resultado, ele se acomodaram em uma existência medíocre e nunca se tornaram quem eles realmente eram capazes de ser. Muitos desenvolveram doenças relacionadas à amargura e ressentimento que eles carregavam.”

  1. Eu gostaria de ter ficado em contato com os meus amigos.

“Frequentemente eles não percebiam as vantagens de ter velhos amigos até eles chegarem em suas últimas semanas de vida e não era sempre possível rastrear essas pessoas. Muitos ficaram tão envolvidos em suas próprias vidas que eles deixaram amizades de ouro se perderem ao longo dos anos. Tiveram muito arrependimentos profundos sobre não ter dedicado tempo e esforço às amizades. Todo mundo sente falta dos amigos quando está morrendo.”

  1. Eu gostaria de ter me permitido ser mais feliz.

“Esse é um arrependimento surpreendentemente comum. Muitos só percebem isso no fim da vida que a felicidade é uma escolha. As pessoas ficam presas em antigos hábitos e padrões. O famoso ‘conforto’ com as coisas que são familiares O medo da mudança fez com que eles fingissem para os outros e para si mesmos que eles estavam contentes quando, no fundo, eles ansiavam por rir de verdade e aproveitar as coisas bobas em suas vidas de novo.”

O que e’ vida? Artificial Intelligency vai tornar a definição ainda mais dificil

quinta-feira, julho 20th, 2017

xxxx

Pedaco de texto obtido num debate:

“… you’d need to have an absolute definition of what constitutes alive… or life.

So a virus is not alive because as a system it requires another systems to act as a reproduction factory… otherwise it just sits there as a polymer doing nothing. Or perhaps you’d need to explain if a digital systems that can copy itself and metabolize in a computers memory is alive…or more alive than a biological virus?

So if an A.I. model gets to replicate itself breeding with other models to create a more complex or even less complex but more capable model is it technically alive?”

TRAPPIST-1: Onde esta a maior chance da primeira descoberta de Vida fora da Terra. Panspermia?

sábado, junho 10th, 2017

xxxx

http://www.trappist.one/#

https://www.eso.org/public/unitedkingdom/images/eso1706o/

A size comparison of the planets of the TRAPPIST-1 system, lined up in order of increasing distance from their host star. The planetary surfaces are portrayed with an artist’s impression of their potential surface features, including water, ice, and atmospheres.

A size comparison of the planets of the TRAPPIST-1 system, lined up in order of increasing distance from their host star. The planetary surfaces are portrayed with an artist’s impression of their potential surface features, including water, ice, and atmospheres.

Enhanced interplanetary panspermia in the TRAPPIST-1 system

https://arxiv.org/pdf/1703.00878.pdf

We present a simple model for estimating the probability of interplanetary panspermia in the recently discovered system of seven planets orbiting the ultracool dwarf star TRAPPIST-1, and find that panspermia is potentially orders of magnitude more likely to occur in the TRAPPIST-1 system compared to the Earth-to-Mars case.

Nos apresentamos um simples modelo para estimar a probabilidade de panspermia interplanetaria no recente descoberto Sistema de sete planetas orbitando a ultrafria estrela ana TRAPPIST-1, e achamos que panspermia e’ potencialmente de grande magnitude para parecer mais possivel ocorrer em TRAPPIST-1 comparado com o caso de Terra-para-Marte.

As a consequence, we argue that the probability of abiogenesis is enhanced on the TRAPPIST-1 planets compared to the Solar system. By adopting models from theoretical ecology, we show that the number of species transferred and the number of life-bearing planets is also likely to be higher, because of the increased rates of immigration.

( continuar traducao)

 

Vida Extraterrestre: Nova teoria

sábado, junho 3rd, 2017

xxxx

Interessante artigo onde enviei o post copiado abaixo que esta aguardando aprovacao do moderador

Gizmodo

Hibernating Aliens Could Explain The Great Silence

Read more at https://www.gizmodo.com.au/2017/06/hibernating-aliens-could-explain-the-great-silence/#comment-3885145#pSublsCE04V1Zfsl.99

https://www.gizmodo.com.au/2017/06/hibernating-aliens-could-explain-the-great-silence/#comment-3885145

 

thematrixdna @thematrixdna

Reading all comments here, nobody remembered this possibility. Matrix/DNA Theory is suggesting that any advanced life form more evolved than human beings, will create its own environment, where a unique astronomical body performs the seven systemic functions performed today by the known seven kinds of astronomic bodies. Such final astronomical body and the physical structure of such life form, I think, can not be detectable by our current technology.
Stars, planets, quasar, pulsar, comets ,black holes, moon, each one has a specific systemic function that fits this life form needs. So, why not resume 7 into 1, having everything at the same time/space?
For understanding such astronomical body you need know the astronomical systemic model that works like the perfect automated machine, almost a perpetum motor, at my website.
People are forgetting that the first change when any new intelligent species does is about its environment, like humans changed the landscape of jungle into urban cities.

O que e’ Vida? A Morte e’ Real?

sexta-feira, janeiro 6th, 2017

xxxx

What Is Life? Is Death Real?

https://www.youtube.com/watch?v=QOCaacO8wus

E meu comentario postado no Youtube.

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – Jan-01/06/2016

Matrix/DNA Theory has solved this problem 30 years ago, and the key here is “SYSTEMS”. All natural systems are composed by hardware and software. The words “life”, “living” are wrong concepts that makes no sense, it was created by ancient people that didn’t know systems and softwares. Thoday, those that does not know the universal formula that Nature has applied for crating systems (from atoms to galaxies to human bodies) also does not understand what is a natural system. The formula called Matrix/DNA creates matter picking up an initial non-animated object (let’s say, a star, a proton, an amino acid, etc) and makes that a wave of cosmic radiation (resulting from all seven kinds of electromagnetic radiations, from radio to gamma-ray,etc., aka, wave of light, which will perform the role as software) pass through it and be absorbed. Since that this wave has seven different frequencies/vibrations which are eternally in motion, the object is splitted and transformed into seven different shapes. It happens that the dynamics of that wave is just what we call ” the process of life’s cycles”. It is like picking up a human fetus and applying this wave, the fetus will develop into seven principal different shapes (embryo, baby, kid, teenager,etc.). So, the initial star will be a supernova, a red giant, star dust, black hole inside a quasar, a planet, a pulsar, a comet). Like the shape of kid is connected with the shapes of babies and teenagers by the life’s cycle, this astronomic bodies self-conected among them in the same sequence of the life’s cycle. Now we have a real complete system with the seven universal systemic functions. The cell system was made through symbiosis by six organelles plus nucleus by same process, so the atom with seven electronic orbitals. A system creates an identity that is the sum of informations of all its parts plus the informations from the exchanges of these parts. The identity is bigger than the system, controls everything inside the system, in a vital performance. The identity of yours brain is yours mind. It is the software, everything else is the hardware. So, life is the software made of waves of light emitted at the Big Bang. If you say that a human is alive, so, you must say that an atomic system, a galaxy system are alive too and that’s why Matrix/DNA discovered that the building block of galaxies has a cover of phenomena that all life properties that our body performs. And that the building blocks of galaxies has as template a formula that is the same formula/template of the building block of DNA… and atoms. The difference between our dynamic body (aka “life”) now and our stopped body under decomposition (there is no death for us)? The difference is that the hardware does not works but the working software will emigrate for a new and better hardware. This software was sleeping at atoms, dreaming at galaxies, began waken up at plants and animals, but, at human beings, it is still a embryo of consciousness, which have not opened its own eyes for to see its substance and shape of its body. This ex-machine embryo is the real “you”. Yours existence began at the Big Bang ( the fecundation) and you are going to your birth at the day of The Big Birth. More details in Matrix/DNA world view.