Archive for the ‘Astronomia’ Category

Bomba! Nem o Sistema Solar nem a Via Láctea são discos planos achatados e sim… esferas! … Sugere a Matrix/DNA

terça-feira, fevereiro 20th, 2018

Para ter-mos uma pálida ideia de quanto existe neste mundo que nos não sabemos, vou citar um exemplo:

Temos visto as fotos de galaxias distantes tiradas pelo Hubble. Em todas as fotos, as galaxias se apresentam como sendo um disco plano, achatado. As vezes, raramente, uma foto mostra uma galaxia com alguma protuberância no centro, dando a ideia de ser uma espiral achatada. Isto e’ o que nos mostra nossos instrumentos científicos que são meras extensões dos nossos sentidos naturais, neste caso, dos nossos olhos.  Puro engano!

As galaxias são bolhas, esferas bem arredondadas. Mas para vê-las na sua totalidade como esferas, seria preciso uma visão e uma glândula pineal sobressalente como antena capazes de ver a realidade revelado pelas sete faixas da luz universal. Como sabemos essa luz apresenta sete diferentes faixas, diferentes em frequência de onda, de vibração, de densidade, velocidade, movimento, etc. E nos apenas vemos e percebemos com todos nossos cinco sentidos a parte do mundo revelado pela faixa que esta bem no meio das sete, a quarta faixa, a qual denominamos de luz visível. Esta quarta faixa central apenas mostra a parte da realidade dos objetos que esta no seu centro, como num disco plano, mais um pequeno alargamento em espessura deste plano, ao qual denominamos de “largura”. Então vemos e percebemos as densidades, os sons, as temperaturas, etc., da maneira tridimensional, ou seja percebemos da parte central dos objetos a região compreendida em sua largura, o seu comprimento e sua altura. Então não vemos as partes do mundo que são reveladas pela faixa dos raios gama, do infra-vermelho, do ultravioleta, etc. nem percebemos as coisas e criaturas que existem no estado vibratório destas faixas. Apenas podemos captar do mundo as coisas que estão na mesma faixa vibratória que nossos corpos e mente estão, ou seja, a quarta vibração. Não apenas nos humanos: o nosso planeta, que foi quem nos forneceu aos nossos corpos este estado vibratório e de percepção, ele nos fez assim porque ele também tem seu corpo no estado vibratório da quarta faixa. Então por isso ele ocupa a faixa da onda orbital do sistema solar localizada em quarta posição, ou seja, ele e’ o quarto planeta a partir do Sol no centro. E por isso também só percebemos o sistema solar na sua região central plana achatada… mas ele também e’ uma esfera.

Cada faixa  tem seu mundo, sua realidade própria, da qual não adianta tentar-mos imaginar como seja, pois nosso cérebro não poderia processar esta informação. Com a nossa evolução nos iremos gradativamente ampliando nossa percepção e entrando nas duas faixas vizinhas, a da direita e a da esquerda. Recebendo informações destes mundos aos poucos vamos desenvolvendo nossos cérebros e sensores, e dai sim, seremos capazes de processar todas as informações destes mundos. Seguiremos assim ate’ entrarmos nas sete faixas e absorve-las completamente.

Por isso nossas teorias sempre são incompletas, tem que serem remendadas a cada avanço no conhecimento, a ponto de que a uma situação em que nelas não caibam mais remendos e então são transformadas em outras teorias mais amplas. A teoria Ptolomaica de que a Terra seria o centro do mundo nos satisfez por 2.500 anos, ate que ela não conseguiu mais satisfazer nosso cérebro alimentado com novas informações e então Galileo, Newton a transformaram consertando alguns erros. Mas suportamos Newton por um seculo ate que Einstein com sua teoria da relatividade veio mostrar vários erros e a transformou em algo mais amplo. Assim vai acontecer com tudo o que pensamos hoje que sabemos, tudo sera’ transformado e relegado a base apenas primitiva do conhecimento.

Ainda me persiste a duvida do que significa estar no quarto estado. Seria isto indicador de que nosso conhecimento apenas conhece de fato o que esta na quarta faixa, ou seria indicador de que percebemos não apenas a quarta, mas também as três primeiras, que são a nível evolutivo inferiores `a nossa? Por ora vou ficar com a hipótese que isto e’ indicador de que nosso cérebro vive as quatro dimensões quando convive aqui na superfície da Terra com representantes das três primeiras dimensões, porem nossa mente se esquece e ignora a parte do nosso corpo que se encontra nas três dimensões inferiores propositadamente, para ficar livre e aprender a nova dimensão em que ela emerge. Assim estamos captando desde partículas a átomos a rochas e a astros espaciais que seriam representantes da primeiro dimensão. Captamos o reino vegetal que seria representante da segunda, e o reino animal como representantes da Terceira, mas não vivemos ou não nos sentimos na pele destas criaturas.

Como serão as outras seis faixas de discos planos desta galaxia que não estamos percebendo nem temos qualquer ideia de que existem bem aqui ao nosso lado? Como sera’ cada faixa, com seu especifico, único e separado mundo, suas criaturas, suas leis naturais, seus significados e conceitos? Se as estruturas das galaxias na nossa dimensão são astros, serão também astros existentes nestas outras dimensões ou suas estruturas são outras coisas que não podemos sequer imaginar? Temos uma pálida ideia do que sera’ a terceira faixa porque vemos e percebemos animais e o que buscam no mesmo mundo que compartilham conosco, porem, eles captam melhor sinais da primeira faixa, como os campos magnéticos, por estarem mais próximos dela do que nos. Mas como serão as faixas de mundos superiores? Sera’de la’ que viriam estes discos voadores que parecem ser fantasmas de outra dimensão? Seja como for, o simples fato de que já percebemos a existência de galaxias enquanto nem plantas nem animais o percebem, de saber-mos que somos quase cegos porque só vemos a sétima parte da realidade, indica que estamos evoluindo na direcao de transcender-mos para viver a quinta dimensão, e isto nos alerta para que tentemos no máximo do possível imaginar como sera um mundo bem mais evoluído, mais ordeiro, sem esta sombra de caos que ainda permeia nossa dimensão, para sabermos quais as regras comportamentais que devemos desenvolver para sermos aceitos e convidados com alguma ajuda a dar-mos mais este grande salto rumo ao sublime destino que deve existir na transcendência final alem das sete faixas da luz, no qual deve ser chamado de reino da fonte dessa luz universal.

Já esta’ chegando o tempo em que começamos a perceber erros na teoria geral da Relatividade de Einstein. Sugerem minhas formulas um erro sutil na sua teoria, quando ele morreu acreditando que o Universo tenha a forma cilíndrica. Pois quando calculei a evolução e historia universal do sistema que esta se desenvolvendo dentro deste Universo, pondo-o a rolar ao sabor das leis naturais conhecidas ate’ hoje num gráfico cartesiano tendo como coordenadas o tempo e espaço, e iniciando com o Big Bang, no final reparei que a trajetória do corpo tinha desenhado dentro do gráfico uma figura! E bem conhecida: justamente a imagem de uma unidade do DNA, ou mais, justamente a figura da formula que denominei de Matrix/DNA. E isto significa que a forma da face do Universo não e’ esférica, nem cilíndrica, mas sim a forma do DNA!

Surpreso fiquei dias, semanas, pensando naquela incrível coincidência e comecei a pensar que aquilo estava querendo revelar algo muito importante, só não sabia o que. Ate’ que um dia me toquei… Ora, quem foi que procurou a face do Universo? Senão o meu cérebro que e’ composto de neurônios tendo no centro justamente o DNA? No final quem estava procurando era o DNA, e como ele e’ como nos, ou seja, tem uma personalidade forte ( basta ver como ele a expressa geneticamente em nossos detalhes físicos), ele não consegue a sublimidade de ser impessoal. Então ele se auto-projeta no que procura a ponto de encontrar-se a si mesmo. Assim como Narciso viu sua imagem refletida na água e se considerou o mais perfeito e belo do mundo. Assim como os homens primitivos imaginaram Deus se auto-projetando e concluindo que Deus seria a nossa imagem e semelhança. Então somos traídos por nos mesmos quando tentamos entrar em áreas proibidas muito mais elevadas do que onde estamos. E então também admirei como Einstein, o qual considero tenha sido um grande gênio, pode cometer um erro tao infantil: ele descobriu com sua teoria da relatividade que tudo e’ relativo e se tudo e’ relativo – ele deveria ter percebido – o Universo e’ relativo. Então sua face se apresentara’ de uma forma especifica para cada diferente observador ocupando um especifico ponto no tempo e espaço, tal como a galaxia faz conosco. Sim, o Universo e’ relativo no sentido que ele pode mostrar mil faces diferentes, cada uma ao sabor e gosto do fregues arrogante que ele atende. E bota eu e meu DNA neste cesto de fregueses.

Bem…, se alguém ler isto aqui, saiba que isto não e’ verdade, apenas mais uma hipótese inicial que me surgiu agora quando estou novamente estudando as formulas e modelos teóricos da Matrix/DNA Theory. A nossa verdade oficial e’ de que a Via Láctea se parece com um disco achatado, e isto deve seve ser respeitado sempre que ouvirmos nossos irmãos descreverem-na assim. Porque como não temos certeza de que nossa logica racional não esta desviada da logica da verdade, não vamos nunca afirmar isso com firmeza e veemência. Alem do mais, estas possibilidades aventadas neste texto são produtos de uma teoria feita por humanos, e como disse acima, as teorias podem estar a frente do nosso tempo intelectual de hoje mas com certeza estarão atras dos tempos intelectuais dos amanhas. Mas também acho que não devemos ignorar essa possibilidade, porque se ela for verdade, estaremos ajudando nossos irmãos a abrirem mais suas mentes encaminhando-os junto conosco para os planos mais elevados. Ámen!

( Obs.: abaixo apresento o espectro eletromagnético total das sete faixas, porem ao gráfico da escola acadêmica foi inserido nomes e significados que foram sugeridos pela teoria quando ela sugeriu a bombástica possibilidade de que a onda total original da luz universal que foi emitida junto com o Big Bang e a qual nossa visão não pode captar, traz em si o código da formula para criar todos os sistemas naturais, inclusive a… Vida! Sendo assim, identificamos cada forma etária do corpo humano nas suas intensidades de energia, funções nos sistemas sociais e familiares, etc., com cada uma das faixa da luz universal, o que significa ainda que se as nossas formas mudam devido ao processo do ciclo vital, significa que a onda de luz também e dividida em diferentes formas porque ela também se propaga no espaço e no tempo com um ciclo vital… (clique na imagem para amplia-la):

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

 

A busca por sinais de vida la’ fora continua, porem, mirando os alvos menos promissores.

domingo, janeiro 28th, 2018

xxxx

Pela NASA:

https://www.facebook.com/NASA/videos/10155974115166772/?type=3&theater

Our experts are well on the way to toppling a barrier that has thwarted scientists from achieving a long-held ambition: building an ultra-stable telescope that locates and images dozens of Earth-like planets beyond our solar system and searches their atmospheres for signs of life. Details: http://go.nasa.gov/2DTyaBx

Louis Charles Morelli – 1/28/2018 

Great job, but, life? Do you means “biological organization of matter”? The law that produces diversity at Earth suggests there is no biological systems around Earth like there is no other human species at Earth. I would looking for signals of complex systems more complex than galaxies. The periodic table shows that there are lots of atoms repeating the properties of carbon, all they must be able to develop these systems, till reaching intelligence. And the Matrix/DNA formula for natural systems is what we need for detecting “living” non-biological systems. If we wish to find biological systems we need to look for planets too far away… At the ends of the others galaxy’s arms, this is the environment that produces organic chemistry and biology. The seeds for complex systems more than galactic system are everywhere, because the galaxy projects itself in shape of the building blocks of DNA, but since galaxies are mechanics, electro-magnetic, there are lots of other possibilities than organic matter for reaching intelligence… Ok, this is merely my humble different world view…and I am with you, this job is great

Louis Charles Morelli  – 1/28/18

We are going into this search with too much narrow human concepts, unable to think universally. At Earth there is life in the rocks, in the ocean, in the air… every place here. Same thing about the universe and the enormous possibilities for diversification of complex working systems. If we make an arrangement of connections between the seven kinds of known astronomic bodies, we get a system repeating the same life’s cycle of our human body. Since that astronomic systems are described by Newtonian mechanics, these astronomic systems has the appearance of mechanic machines but containing biological properties. Since we are getting Artificial Intelligence from mechanic like-brains-systems, it is great the possibility that from the ancestor astronomic system can develops mechanics systems with intelligence. or electromagnetic systems, or other thing. I think we will be very surprised when to know what alien means.

Luz: pesquisar nisto qual a interacao da Luz e a Materia

segunda-feira, dezembro 25th, 2017

xxxx

http://socientifica.com.br/2017/07/astronomos-observam-estranha-distorcao-quantica-no-espaco-vazio-pela-primeira-vez/

Astrônomos observam a estranha distorção quântica no espaço vazio pela primeira vez

Meu comentario publicado no artigo:

Curioso. Se ao inves de um cadaver estelar, supor-mos que este astro e’ uma estrela recem-nascida, todos os fatos realmente comprovados neste artigo, batem do mesmo jeito. E assim o modelo astronomico de uma diferente teoria, a Matrix/DNA sugere ser este astro: um astro-baby. O forte campo magnetico, a passagem da luz no aparente vacuo, o surgimento das particulas virtuais, e a possibilidade citada no artigo de que poeira estelar causa polarizacao da luz, favorece mais o nosso modelo que o modelo academico. Todavia, o fato de que o instrumento apenas permite ver os fenomenos dentro da limitada margem da luz visivel, ficando as outras seis faixas do espectro sem reveler seus segredos, explica que apeas temos teorias que certamente serao modificadas com melhores instrumentos.

PESQUISA DOS DETALHES NO ARTIGO:

 

 “A birrefringência é um fenômeno que consiste na criação de dois raios refratados a partir de um único raio inicial, quando esse incide sobre um meio anisotrópico (p.ex., um cristal de calcita).”

Matrix/DNA: Seria isto a presenca da funcao 4 criando o ramo lateral reprodutor?

” A polarização da luz no vácuo na presença de campos magnéticos fortes foi pensada inicialmente na década de 1930 pelos físicos Werner Heisenberg e Hans Heinrich Euler como um produto da Teoria da Eletrodinâmica Quântica (EDQ ou QED). A teoria descreve como a luz e a matéria interagem. Pela primeira vez esse estranho efeito quântico foi observado por uma equipe de cientistas liderada por Roberto Mignani, do INAF Milão, Itália, e da Universidade de Zielona Gora, Polônia.

Matrix/DNA: Muito importante pesquisar esta teoria…

” A birrefringência foi observada em torno de RX J1856.5-375, uma estrela de neutrons. Ocorre que nas proximidades da estrela de nêutrons, que é cercada por um campo magnético muito intenso, é encontrada uma região de vácuo no espaço (justamente devido ao campo magnético da estrela de nêutrons), onde a matéria aparece e desaparece aleatoriamente, segundo as leis da física quântica.

Matrix/DNA: Entao a quantica sugere que fortes campos magneticos criam vacuos onde material aparece e desaparece aleatoriamente? Sera o campo forte um indicio de que existe luz presa ali? De cuja interacao com a substancia especial resulta materia?

” As estrelas de nêutrons são os núcleos remanescentes muito densos das estrelas maciças — pelo menos oito vezes mais massivas do que o nosso Sol — que explodiram como supernovas no final de suas vidas. Elas também têm campos magnéticos extremos, bilhões de vezes mais fortes do que o do Sol, que permeiam sua superfície externa e seus arredores.”

Matrix/DNA: isto nao bate com meu modelo astronomico para primeira geracao de astros. Estrelas no final de suas vidas se fragmentam em poeira estelar, nao em algo mais denso que ela mesma. E a presence de forte campo magnetico  favorece mais o meu modelo que o modelo academico: a freuencia/intensidade do espectro eletromagnetico e’ mais forte quanto mais proxima da fonte, indicando que o astro e’ recem-nascido, como diz meu modelo.

” Os vácuos são espaços supostamente vazios (de acordo com Einstein e Newton, pelo menos), onde a luz pode passar desimpedida. Mas, de acordo com a QED, o espaço está cheio de partículas virtuais que continuamente surgem e desaparecem.”

Matrix/DNA: batendo co a previsao da teoria da Matrix/DNA, com a diferenca que esta nao indica existencia de vacuo perfeito, mas sim que o espaco contem ou e’ uma substancia.

” Usando o instrumento FORS2 no VLT, os pesquisadores conseguiram observar a estrela de nêutrons apenas com luz visível.”

Matrix/DNA: Bem, isso indica que todas as conclusoes sao teorias que certamente serao modificadas, pois falta ver o objeto na sua totalidade, o que inclui mais as seis dimensoes da luz invisivel.

“Existem outros processos que podem polarizar a luz das estrelas à medida que viaja pelo espaço. A equipe analisou cuidadosamente outras possibilidades — por exemplo, a polarização criada pela dispersão de grãos de poeira —, mas consideram improvável que elas produzam o sinal de polarização observado.”

Matrix/DNA: Esta’ ai’… Segundo nossos modelos, o astro-baby e’ cercado de poeira estelar (Funcao 2). E isto seria suficiente para explicar a polarizacao da luz.

 

 

Mudanca Obrigatoria de nomes no modelo astronomico da Matrix/DNA?

segunda-feira, dezembro 25th, 2017

xxxx

Segundo o link abaixo, estrelas de neutrons parecem preencher todos os requisites que minha teoria sugere para o astro na Funcao 2, ao qual tenho denominado “astro-baby”, ou luas. Devo pensar melhor isso:

http://socientifica.com.br/2017/07/astronomos-observam-estranha-distorcao-quantica-no-espaco-vazio-pela-primeira-vez/

SOROS em Samambaias: Mais evidencias para a Matrix/DNA Theory

quarta-feira, dezembro 13th, 2017

Vocês já viram aquelas bolinhas aveludadas atrás das folhas da samambaia? Aqueles pontinhos se chamam SOROS e o surgimento deles indica que as samambaias estão em época de reprodução. Em cada soro são produzidos inúmeros esporos que quando amadurecem caem no chão úmido e podem germinar passando por várias fases de desenvolvimento.

 

Foto de BIO+.

Soros nas folhas de samambaias: polipos reprodutores

E fica facil ver os soros e todo o processo em outra situacao antes das origens da vida, indicando de onde a Natureza obteve essa ideia para repetir isso aqui. Esferas de magmas de gigantescos vulcoes dos pulsares emitidas no espaco caem na espiral indo direto para o quasar em cujo centro existe o vortice nuclear com massa degradada da morte de estrelas. O magma traz energia e metade das informacoes (a parte Y) do sistema galactico para manter o vortice girando ( o qual faz a funcao de X), e da mistura com a massa nasce um novo baby astronomico. Se os biologos nao conhecerem astronomia e principalmente a formula da Matrix/DNA onde fica facil detector tudo isso, nunca vao conhecr de fato os fenomenos biologicos. Quem entenderia uma arvore nao sabendo que existe a raiz?

Material Escolar Usando Figuras com fonte deste Website: PDF – Teoria do Big Bang

quarta-feira, novembro 15th, 2017

xxxx

Material do Ensino Medio, contem 3 figuras do meu website

DO BIG-BANG AO URÂNIO:

As Nucleossínteses Primordial, Estelar e Explosiva – Uma abordagem para o Ensino Médio.

http://www1.pucminas.br/imagedb/documento/DOC_DSC_NOME_ARQUI20140721092520.pdf

Luis Adriano Pedrosa

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática

Área: Física

E o link para este PDF no meu arquivo:

file:///C:/Users/austr/Downloads/DO%20BIG-BANG%20AO%20URÂNIO%20%20PUC.pdf

Mais uma descoberta astronômica indicando que a teoria academica esta errada e a Matrix/DNA esta certa

terça-feira, novembro 14th, 2017

xxxx

https://www.seeker.com/space/astronomy/this-zombie-star-had-repeated-supernova-explosions-instead-of-dying

ASTRONOMY

This ‘Zombie Star’ Had Repeated Supernova Explosions Instead of Dying

A star exploded six decades ago and somehow survived, and apparently exploded several more times during the last few decades of its life.

A Terra – Uma Criatura Viva. Bonito Video pela NASA porem, com um grave equivoco…

segunda-feira, outubro 23rd, 2017

xxxx

https://www.youtube.com/watch?v=zlqjz9OEhk0&lc=z12wdnjjypaespbxl04cdzcbjpjzh3kp224.1508662277159596

My comment posted in YouTube at 1023/2017

The signals of a living planet are not seen at its external appearance, like the first almost-living creature produced in this planet – viruses – has no external signals of life. The active nucleus and its surrounding layers are showing the same signals that a corn seed will show when inserted into the land and receiving water/sun’s light. Biological systems, (aka, life) were made by and inside these astronomic systems (stellar and galactic system) so, it is rational to think that all basic elements and life’s properties must be present in a very primordial shape in these systems. The current astronomical models are wrong that’s why you are not seeing the clear signals of primordial life in this planet. As planet’s nucleus we have the germ of new stars and if this Milk Way is old enough that would be formed by the first process of galactic formation, we will see in the next thousands years the big transformations as every living thing. By the way, the video is a brilliant art work and has a good message. Congratulations to NASA.

And…

My comment posted at 08/22/2017

So,… who says that life came from non-life? Or who needs magical gods for explaining life here? Earth is not a living creature as we understand “life”, but it is not non-life also. Any living being is a working system and Earth is not a system in itself, it is merely part of a system, called stellar system. System only comes from previous systems, there are no self-organizing systems. We can not making comparisons between systems as living beings with parts of systems, like Earth. So, is the stellar system, more “alive”? Has it all forces and elements for producing organic matter and biological systems? Where “life” came from? Thinking about this question, applying comparative anatomy between these systems, I elaborated Matrix/DNA Theory with the following explanation: No, a stellar system alone has no all forces and elements necessary for building biological systems, but a building block of galaxies has all forces, all elements, and the exactly anatomical configuration for reproducing itself – nannotechnologically – as the building blocks of DNA, a lateral base-pair of nucleotide. The evolution of these building blocks towards the fist cell system was due the new state of matter, water, and its production, organic chemistry. Earth alone, neither this stellar system are alive, but they are organs, or parts, of something half-alive… By the way, Earth, the Sun, this system and this galaxy are our ancestors like bacteria and monkeys are… ( this is merely, a theory, don’t forget it)

A Morte de Uma Estrela Sendo Fotografada Para Comparação com o Modelo Da Matrix/DNA

sexta-feira, setembro 22nd, 2017

xxxx

Crescente Olho Vermelho: Bolha Cósmica Envolve Velha “Estrela de Carbono” 

https://www.space.com/38202-carbon-star-bubble-alma-photos-video.html?utm_source=notification

Campo magnetico das galaxias: Importante na busca de entendimento do Universo

terça-feira, agosto 29th, 2017

xxxx

(Este artigo tem muitas novas informações sobre campo magnetico, portanto devera ser traduzido e analizado pela Matrix/DNA. Abaixo meu comentario postado no artigo)

https://www.seeker.com/space/astronomy/magnetic-field-5-billion-light-years-away-offers-insight-into-our-universe

Magnetic Field 5 Billion Light-Years Away Offers Insight Into Our Universe

The most distant galactic magnetic field that has ever been observed provides intriguing clues about the evolution of magnetism in the unfolding universe.