Archive for the ‘Astronomia’ Category

A Via Láctea colidiu com outra galaxia justo quando houve aqui a Cambian Explosion?

terça-feira, outubro 9th, 2018

xxxx

Milky Way nearly collided with a smaller galaxy in cosmic fender bender

In a contest between our galaxy and the Sagittarius dwarf, the winner is clear… unless you were an unlucky star.

http://www.astronomy.com/news/2018/09/milky-way-nearly-collided-with-a-smaller-galaxy-in-cosmic-fender-bender

Matrix/DNA comment: (posted on reddit at 10/09/18)

Matrix/DNA astronomic models suggests this is possible. The seeds for life are spreaded by the building blocks of galaxies. A new galaxy must have different building blocks which means different seeds, which could be the increase in diversity. A far away hypothesis, but it is possible.

ESAGaiaMilkyWay

Matrix/DNA: A Via Láctea colidiu com outra galaxia justo quando houve aqui a Cambiam Explosion?

 

Galaxia com gas da periferia colapsando para o nucleo, evidencia para os modelos da Matrix/DNA

domingo, setembro 30th, 2018

xxxx

https://en.wikipedia.org/wiki/Cyclic_group#/media/File:Hubble2005-01-barred-spiral-galaxy-NGC1300.jpg

Hubble2005-01-barred-spiral-galaxy-NGC1300.jpg

Barred spiral galaxy NGC 1300 photographed by Hubble telescope. In the core of the larger spiral structure of NGC 1300, the nucleus shows its own extraordinary and distinct “grand-design” spiral structure that is about 3,300 light-years (1 kiloparsec) long. Only galaxies with large-scale bars appear to have these grand-design inner disks — a spiral within a spiral. Models suggest that the gas in a bar can be funneled inwards, and then spiral into the center through the grand-design disk, where it can potentially fuel a central black hole. NGC 1300 is not known to have an active nucleus, however, indicating either that there is no black hole, or that it is not accreting matter. The image was constructed from exposures taken in September 2004 by the Advanced Camera for Surveys onboard Hubble in four filters. Starlight and dust are seen in blue, visible, and infrared light. Bright star clusters are highlighted in red by their associated emission from glowing hydrogen gas. Due to the galaxy’s large size, two adjacent pointings of the telescope were necessary to cover the extent of the spiral arms. The galaxy lies roughly 69 million light-years away (21 megaparsecs) in the direction of the constellation Eridanus.

xxxx

Pelos modelos teóricos da Matrix/DNA, os building blocks dos sistemas astronomicos, quando atingem a ultima metade da vida, tem sua periferia colapsando internamente na direcao do centro, ou nucleo. Como esta constatado nesta galáxia. Resta saber se:

  • as propriedades do building block se projetam como propriedades das galaxias. Provavelmente sim, haja visto que num caso similar, as propriedades da celula original se auto-projetam como propriedades do organismo.
  • Se esta galáxia e’ de primeira ou segunda geracao. Na segunda geracao o processo de formacao e’ diferente da primeira, assim como todas as celulas posteriores tiveram formacao por um processo diferente da celula original.
  • Se tem uma espiral dentro da outra pode ser uma extensão evolucionaria do aspecto também sugerido pelo modelos da formacao de particulas nas origens do Universo em que as particulas surgem como turbilhoes em dois grupos – um girando a direita e outro a esquerda – e com sua propagação se tornam dois vortices, um crescendo a partir de um ponto e o outro decrescendo a partir da aureola externa para se tornar um ponto. Assim, talvez esta galáxia seja resultado ou da fusão de duas galaxias ou ela esta sedimentando os dois tempos de formacao num so tempo.

Os turbilhoes na superfície de Júpiter: Previsão correta e mais uma evidencia para a Matrix/DNA Theory

domingo, setembro 2nd, 2018

xxxxx

Intricate swirls in Jupiter's volatile northern hemisphere are captured in this image from NASA's Juno spacecraft. Bursts of scattered bright-white 'pop-up' clouds appear with some visibly casting shadows on the neighboring cloud layers beneath them.

Aqui estamos realmente assistindo a formação de um pulsar e posteriormente, de uma supernova… segundo meus modelos teóricos compondo a Matrix/DNA Theory. De dentro para fora cresce um germe de estrela, comendo o que resta de nutrientes nas camadas externas através das reações nucleares e a pressão gerada produz gigantescos vulcões com estes turbilhoes na superfície. Quanto mais os nutrientes pesados são processados, maior e mais leve Júpiter fica, e esta leveza o livra da força magnética do núcleo solar ate que ele um dia saia do sistema e vá brilhar como mais uma estrela. Os acadêmicos se riem e acham estranho que eu use metáforas do mundo vivo para descrever fenômenos astronômicos porque eles são misticos duvidando que a Vida foi criada por e dentro de sistemas astronômicos que seriam – segundo eles – não-vivos e por isso precisam de assombrações como o Acaso Magico para explicar origens espontâneas de astros e da vida, o que e’ um absurdo. O tempo com mais informações, sera o juiz de quem esta certo ou errado.

 

Luz Ilusória: Eu estou vendo galaxias, ou gases, ou poeira?

terça-feira, agosto 28th, 2018

xxxxx

Se o Universo for uma especie de maquina, ou de organismo, ou alguma coisa entre os dois, nos ainda não temos tecnologia para descobri-lo. O Universo pode ainda não ser um sistema na sua totalidade, mas sim um aglomerado de sistemas, então estas maquinas ou organismos poderiam ser suas galaxias, constelações, etc. Lembre-se sempre que, em relacao ao Universo,  nos somos como aquelas pequeninas partículas dentro de átomos ( nosso sistema solar) dentro de células ( a nossa galaxia Via Láctea),  que apontássemos nossas lentes para o ambiente ao nosso redor dentro do corpo humano ( o nosso Universo), e veríamos o pâncreas, o figado, apenas como nuvens de gases e poeira, os prótons de outros átomos seriam nossas estrelas, etc. Jamais estas partículas poderiam sequer imaginar que estão dentro desta coisa chamada de organismo, ou corpo humano. Da mesma forma, é insano e irracional escolher qualquer teoria ou hipótese sobre o Universo como certa.

Então quando ouvires ou ler estes arrogantes e pobres humanos que existem aos montes na Internet dizendo que tem certeza que o Universo começou com um Big Bang, ou “que já sabemos como funciona este Universo”, não se deixe iludir, ninguém sabe nada, ainda, mas nunca deixe de ver, seguir, as imagens e real dados que estão sendo divulgados dia a dia, pois isto em muito nos ajuda na evolução mental, a ser melhores humanos mais sintonizados com as verdades da Natureza que não começa nem termina neste planeta e sim, Ela é o Universo inteiro, ampliando nossos horizontes mentais. As informações abaixo ajudam-nos a entender o quão pouco ainda temos de tecnologia e conhecimento desse imenso Universo que ha’ apenas um século começamos a ver que existe alem da nossa galaxia, alem de melhor informar os amadores a astrônomos que tem telescópios em casa. ( texto obtido em:

https://www.zooniverse.org/projects/zookeeper/galaxy-zoo/talk/1268/570127?comment=944770

Galaxias são feitas de bilhões de estrelas. Estrelas brilham, então nos as vemos pela luz que emitem. Galaxias estão muito distantes e por isso nos não podemos ver suas individuais estrelas. Nos apenas vemos agrupamentos de estrelas num brilho só. As cores são misturas de branco-azulado, branco ou avermelhado, como na imagem abaixo:

not gas but stars

Existem bilhões de estrelas nesta galaxia

Veja em: https://www.zooniverse.org/projects/zookeeper/galaxy-zoo/talk/subjects/20284233

“Gas”

Existe gás em galaxias, a maioria são gases constituídos de hidrogênio ou gases de oxigênio. Gás não brilha, então nos não podemos ver gases em nossas imagens obtidas pelos telescópios. Se uma galaxia esta’ muito distante ela parece uma nebulosa, mas ainda são estrelas que estamos vendo, e não nuvens de gás. Ocasionalmente a luz ultravioleta ou Raios-X pode brilhar no gás de hidrogênio e fazer o gás iluminar como uma lampada fluorescente, e emitir luz em agradáveis cores de azul escuro, azul claro, verde ou vermelho.

voorwerpje Vermelho é gás de hidrogênio aquecido, branco são estrelas. Esta galaxia é identificada como 1237668348137177128
( ver mais em:

(https://www.zooniverse.org/projects/zookeeper/galaxy-zoo/talk/1269/582784?comment=967386)

“Poeira estelar” e plano ou disco de poeira

Poeira significa pequenas moléculas. Poeira não brilha, mas nos podemos ver seus locais e posições quando ela bloqueia a luz de uma galaxia atras dela.

Example Alt Text Disco de poeira com uma galaxia atras.

Ver mais em: https://www.zooniverse.org/projects/zookeeper/galaxy-zoo/talk/subjects/20283682

Cygnus X-1: novos dados se encaixam como evidencias do modelo da Matrix/DNA

segunda-feira, agosto 20th, 2018

xxxx

https://hypescience.com/tecnologia-de-raios-x-revela-qual-o-formato-da-materia-em-torno-de-um-buraco-negro/comment-page-1/#comment-310276

Cygnus X-1: tecnologia revela matéria nunca antes vista em torno do buraco negro

Ótimo avanço no sentido de obtenção de mais informações, porem talvez um retrocesso no sentido teórico: se a base inicial do modelo teórico estiver errada, todo resultado de cálculos posteriores estarão cada vez mais nos induzindo ao erro. Partindo de outro modelo teórico inicial, interpretamos estes novos dados de uma maneira diferente. A constatação da emissão de raios-X e’ mais uma evidencia da minha previsão registrada como direito autoral ha 30 anos atras, e o modelo dispersivo acima bate com minhas previsões. Porem, os pesquisadores estudaram a forma da matéria e não sua substancia, sobre a qual meu modelo também faz previsão: trata-se de matéria advinda da fragmentação de estrelas – portanto interestelar dust – misturada com “germes” ou “sementes” de novos astros ejetados do vórtice turbilhonar no núcleo da constelação, o qual não é o teorizado “buraco negro” do modelo acadêmico. Assim a luz de origem dispersada vem da matéria na forma do modelo estendido, porem vem de corpos iguais ao mostrado no modelo lamp-post. Raios-X e’ a segunda faixa no espectro eletromagnético da onda de luz que expressa o ciclo vital, portanto uma faixa que revela a função sistêmica do útero e o evento do nascimento de novos corpos, no caso astronomico, de novos astros que futuramente serão estrelas. Enfim, pergunto qual a conexão entre o modelo teórico acadêmico sobre astronomia que explica o que essa astronomia produziu dentro dela, que foi o fenômeno dos sistemas biológicos vivos, e pergunto qual o prévio estado do mundo que teria produzido a astronomia dos acadêmicos. Eles nunca me responderam, mas o meu modelo responde logica e racionalmente de forma satisfatória. deixemos o tempo e mais dados decidirem este conflito entre teorias.

Ondas Gravitacionais, Faixas da Onda de Luz: Vídeo em Astronomia

quinta-feira, agosto 9th, 2018

xxxx

Gravitational waves finally detected!

https://www.facebook.com/ScienceMagazine/videos/10153715335600589/?t=1

Cometas: O Incrível Hulk e a mensagem para mulheres a engravidarem

quinta-feira, agosto 9th, 2018

xxxx

Mensagem da Matrix/DNA publicada no Facebook em Agosto/08/18:

Para as mulheres que querem engravidar… me procurem porque tenho o melhor estoque genético… quer dizer, não é nada disso que eu queria falar aqui… O negocio é o seguinte: as mulheres que querem engravidar devem olhar o céu a noite e tentar ver um cometa verde e grande (por isso apelidado de Incrível Hulk) pois cometas estão ligados aos símbolos da fertilidade, já que cometas são os espermatozoides do espaço sideral, ou seja, os ancestrais astronômicos dos espermatozoides biológicos. Se o veres podes rezar assim: “Meu cometa querido, visite meu marido e de uma injeção de animo nos seus espermatozoides… não… não… não precisa vir aqui para o nosso lado… você esta louco?… vocês são muito desastrados, não tiram antes os sapatos para entrarem e entram arrombando tudo, como quando exterminaram com os dinossauros… pode conectar o contacto com sua futura geração na Terra por telepatia mesmo…”

Este cometa vaga perdido no espaço sideral porque é um espermatozoide que não alcançou o núcleo do sistema, nenhum “buraco negro” e por isso não fecundou para nascer um novo astro celeste, é um espermatozoide morto vagando ao sabor das mares gravitacionais e campos eletromagnéticos dos astros pelos quais passa perto e assim vai ser até quando se desfazer por completo. Ele foi produzido com o magma expelido por algum gigantesco vulcão em algum pulsar ( o ancestral fálico e o ancestral macho das galaxias), traz portanto informações genéticas de mundos distantes, infelizmente desperdiçadas.

Mas você pode também acreditar na teoria oficial ensinada nas escolas, de que cometas são formados espontaneamente de poeira estelar reminiscente da formação de algum sistema estelar e nada mais tem na cabeça que rochas, gelo, água, e nenhuma função ou proposito racional. Mas ai você também terá que acreditar que toda essa parafernália e extraordinária engenharia que constitui o processo da nossa reprodução foi inventada pela matéria bruta e estupida deste planeta, ou então ouvir a aula na Igreja e pensar o contrario, que existe um Deus tao pequeno e ineficiente que precisaria ir em todos os planetas esquentando o cocuruto para imaginar as formas das coisas, de cada detalhe deste processo.

Pois tudo o que eu disse acima é minha teoria e baseado nos meus cálculos e modelos teóricos, pela qual a nossa reprodução e’ um processo natural que vem evoluindo desde antes das origens deste Universo, talvez uma evolução programada por algum Deus, ou talvez uma mera reprodução do processo pelo qual um Deus gera seus filhos. . Ambos são teorias, nem eu nem eles podem prova-las, você escolhe a que mais atende sua exigência intelectual…
Obs.: para quem se interessa e quer ver mesmo, baixe um app no celular chamado Sky Map e ai escreva o nome cientifico do cometa que esta no artigo… o app vai indicar a direcao e o local onde o cometa esta…

Look Up! You Might Be Able to See a Green Comet Tonight

https://www.popularmechanics.com/space/solar-system/a22664658/incredible-hulk-green-comet/

It’s being called the “Incredible Hulk comet.”

Comet LoveJoy

Imagem do Citoplasma com Organelas em 3D

sábado, agosto 4th, 2018

xxxx

 

Imagem incrível de um citoplasma com suas moléculas e organelas em 3D! 😍 Créditos: David Goodsell

Imagem incrível de um citoplasma com suas moléculas e organelas em 3D! 😍
Créditos: David Goodsell

Parece uma vista aérea e não por acaso; esta obra foi desenhada por quem esta’ no ceu. Não por alguma divindade sobrenatural e sim apenas pelo sistema astronomico que produziu a Vida aqui… Pena que a crença acadêmica esta’ atrapalhando a Fisica e a Biologia ao separar o criador que veio da Evolucao Cosmologica da sua criatura que iniciou a Evolucao Biologica. Nao aceitem isso, e serao capazes de ver o Cosmos atraves do microscopio apontado para uma celula. Assim como não existe duas naturezas, não existem duas evoluções, ela e’ so’ uma,.. a Evolucao Universal. Prestem atencao na Matrix/DNA Theory que esta mostrando a figura do elo evolucionario entre a galáxia e o primeiro ser vivo…

O sol muda de tamanho a cada 11 anos e nós não sabemos por quê

quinta-feira, agosto 2nd, 2018

xxxx

Obs: Este artigo fornece informações para calcularmos como foi a mudança do primeiro processo para o segundo processo na formação dos sistemas astronômicos. Nos artigos tem vários links para papers, etc.

The Sun Is Changing Shape And We’re Not Sure Why

http://www.iflscience.com/space/the-sun-is-changing-shape-and-were-not-sure-why/all/

De pulsar a estrela?

De acordo com um novo estudo do Instituto de Tecnologia de Nova Jersey (EUA) e da Universidade de Côte d’Azur (França), o sol se expande e encolhe em um a dois quilômetros a cada 11 anos.

Esses movimentos são como “inalações” e “exalações” muito fracas, com esses quilômetros extras aumentando o raio do sol em apenas 0,00029%, no máximo.

A mudança

A mudança é tão pequena que é incrível que a equipe tenha sequer conseguido detectá-la. Para isso, os pesquisadores se concentraram nos fluxos de plasma que escapam e retornam à superfície solar – fios de gás ionizado altamente energéticos.

Essas ondas de plasma são semelhantes às ondas sonoras emitidas por um instrumento musical. O sol é um pouco como um saxofone: do mesmo jeito que você pode fazer sons diferentes dependendo das chaves que pressiona e do quando expande a tubulação do instrumento, as frequências das ondas de plasma mudam dependendo de quão grande é o sol.

Embora seja uma tarefa complicada, essa alteração pode ser medida com bastante precisão. Foram necessários 21 anos de observações usando dois telescópios espaciais da NASA para alcançar a descoberta.

Essa “respiração” que altera a forma da nossa estrela, como você pode já ter imaginado, tem a ver com o ciclo solar.

Ciclo solar

A cada 11 anos, o sol se move de um máximo para um mínimo solar.

No máximo, jatos solares de intensa atividade magnética ocorrem com mais frequência e se agrupam no equador da estrela. Tais “manchas solares” aumentam as chances de tempestades solares, o que pode significar qualquer coisa, desde auroras mais potentes em nossos céus até problemas nas nossas infraestruturas elétricas. Durante o mínimo solar, manchas solares se tornam mais raras.

Este fenômeno é impulsionado pela atividade magnética no interior do sol. De fato, as ondas de plasma que a equipe do novo estudo rastreou ficam abaixo da superfície da estrela, na ordem de vários milhões de metros.

Os cientistas concluíram que o sol se expande um pouco durante o mínimo e se contrai um pouco durante o máximo solar.

Por quê?

A equipe não sabe porque essa mudança de tamanho ocorre. Os cientistas não têm atualmente uma “teoria” que ligue os deslocamentos às atividades magnéticas internas do sol, mas eles acreditam que haja uma associação. No caso, a “respiração” pode estar relacionada à mudança na orientação dos campos magnéticos que ocorrem durante o ciclo.

A alteração incrivelmente pequena nas dimensões solares não afeta o clima na Terra. Nosso maior problema continua sendo a mudança climática que nós mesmos estamos causando.

As descobertas foram publicadas em um artigo na revista científica The Astrophysical Journal. [IFLS]

Centro da Via Láctea: mais recente imagem artística obtida. Buraco Negro ou Olho do Turbilhão?

quinta-feira, agosto 2nd, 2018

xxxx

Estonteante imagem mostra a visão mais clara já feita do centro da Via Láctea

“A imagem incrível foi criada a partir das observações do novo rádiotelescópio MeerKAT, na África do Sul. Seus 64 pratos coletam ondas de rádio de todo o universo, usadas neste caso para construir um retrato… Não podemos observar Sagitário A* em luz visível, porque ele está envolto em espessas nuvens de poeira e gás. Com a tecnologia um radiotelescópio deste porte, no entanto, os cientistas conseguem espiar através da poeira… “O centro da galáxia era um alvo óbvio: único, visualmente impressionante e cheio de fenômenos inexplicáveis – mas também notoriamente difícil de fotografar usando radiotelescópios”…

Essa imagem inclui filamentos perto do próprio buraco negro, que não aparecem em nenhum outro lugar da nossa galáxia. Esses filamentos são longos, estreitos e magnetizados. Sua origem é um mistério…”

xxxx

Pesquisa: Radiotelescopio

Wikipedia: Contrastando com um telescópio óptico, que produz imagens a partir da luz visível, um radiotelescópio observa as ondas de rádio emitidas por fontes de rádio, normalmente através de uma ou um conjunto de antenas parabólicas de grandes dimensões.

… Muitos dos corpos celestes, como os pulsares ou galáxias ativas (como os quasares), produzem radiação em radiofrequência e são, portanto, observáveis na região rádio do espectro electromagnético.

… Radio telescopes are the main observing instrument used in radio astronomy, which studies the radio frequency portion of the electromagnetic spectrum emitted by astronomical objects, just as optical telescopes are the main observing instrument used in traditional optical astronomy which studies the light wave portion of the spectrum coming from astronomical objects.

… Since astronomical radio sources such as planets, stars, nebulas and galaxies are very far away, the radio waves coming from them are extremely weak, so radio telescopes require very large antennas to collect enough radio energy to study them, and extremely sensitive receiving equipment. Radio observatories are preferentially located far from major centers of population to avoid electromagnetic interference (EMI) from radio, television, radar, motor vehicles, and other manmade electronic devices.