Archive for the ‘Abiogênese’ Category

Replicação do DNA Filmada e Surpreende as Teorias Cientificas

terça-feira, junho 20th, 2017

xxxx

Original paper:

http://www.cell.com/cell/fulltext/S0092-8674(17)30634-7?_returnURL=http%3A%2F%2Flinkinghub.elsevier.com%2Fretrieve%2Fpii%2FS0092867417306347%3Fshowall%3Dtrue

Noticia em Ingles:

http://www.sciencealert.com/dna-replication-has-been-filmed-for-the-first-time-and-it-s-stranger-than-we-thought

Noticia em Portugues:

http://hypescience.com/replicacao-do-dna-foi-filmada-pela-primeira-vez-e-nao-e-bem-como-esperavamos/

Replicação do DNA foi filmada e não é bem como os livros da escola descreviam

Replicação do DNA foi filmada e não é bem como os livros da escola descreviam

xxxx

ENZIMAS DE REPLICAÇÃO DO DNA

Esta materia com video vem do Facebook, Soubiomais:

https://www.facebook.com/Soubiomais/videos/692919990915863/

Enzyme Helicase – e’ quem vem de fora e inicia o processo da replicacao do DNA

 

#BiologiaMolecular

No processo de replicação do DNA várias enzimas estão envolvidas, como a DNA-polimerase, helicases, proteínas SSB, ligases, topoisomerases e primase. Aqui estão algumas.

As helicases são enzimas com função de quebrar as pontes de hidrogênio entre as bases, para que as duas fitas de DNA se separem. Essa separação é essencial para que a forquilha de replicação se movimente.

A primase é a enzima que sintetiza os primers (iniciadores), que são pequenas sequências de RNA, a partir de um molde de DNA. Em eucariotos, a atividade da primase está localizada como componente da DNA-polimerase.

A DNA-polimerase é a enzima que faz a síntese de uma nova fita de DNA. Ela possui a capacidade de adicionar nucleotídeos na extremidade 3’OH de uma região pareada do DNA, fazendo com que a cadeia se estenda no sentido 5’→3’.

A polimerase δ é responsável pela replicação do genoma nuclear, enquanto a polimerase α está envolvida na síntese do primer para o início da replicação e na formação dos Fragmentos de Okazaki. As polimerases β e ε participam dos processos de síntese durante a reparação do DNA. E a polimerase é responsável pela replicação de DNA mitochondrial.

Ver agora a replicacao do RNA, que, Segundo me parece, foi a primeira vez que uma molecula se replicou.

XNA replication

Cientistas russos descobrem formas de vida na superfície da ISS

segunda-feira, junho 12th, 2017

xxxx

Cientistas russos descobrem formas de vida na superfície da ISS

http://hypescience.com/agencia-espacial-russa-descobre-formas-de-vida-na-superficie-da-iss/

Luz: Fotons nos Eletrons

quinta-feira, junho 8th, 2017

xxxx

Prova cientifica da sugestao da Matrix/DNA Theory de que nas origens da vida, photons solar e nuclear trerrestre adentravam eletron assumindo a maquinaria atomica e digirindo os atomos a combinacoes biologicas como projecao da formula.

https://en.wikipedia.org/wiki/Light

EMR in the visible light region consists of quanta (called photons) that are at the lower end of the energies that are capable of causing electronic excitation within molecules, which leads to changes in the bonding or chemistry of the molecule.

EMR = Eletro-magnetic-radiation

Origem da Vida: Descrição Da Primeira Química para Leigos

domingo, junho 4th, 2017

xxxx

Post postado em:

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ&lc=z12rtxmiipbfz1ake22vcfh4lymvcpskj.1496220005938083

What drives the molecules to be ordered by themselves? is there an ordering force? How do yo know that first molecules that got some level of order, kip that order during millions of years? I can tell a story of how the Mona Lisa painted alone without human intervention, will you believe that tale? No? why no?, I can not believe in your tale
To Jorge Juarez: I believe you may not understand how chemistry works. I will try to explain in layman’s terms.
RNA/DNA did not just form by themselves. At first, there were extremely simple replicating molecules. How this works is that when these molecules come into contact with certain chemicals, they bind. Certain molecules will bind to certain parts of the molecule. Some of these happen to be a “reverse” copy; they bind in the opposite order.
When all spots have been filled, the new molecule splits at these sites, and thus replicates. It splits do to opposite forces. These first molecules were only 5-6 atoms in length; very simple. Because these molecules could replicate, they eventually became very common, and thus were everywhere.
Now, it is common knowledge that molecules can undergo changes (chemical reactions). Sometimes, these changes would make these molecules replicate faster by becoming more attractive (more binding spots). Sometimes they would become more stable (harder to break). Etc. Now, because these changes would make these molecule “superior” (they were able to replicate better than previous versions), they would become very numerous. And just like before, after time they would become extremely common.
Now, this process would repeat, and repeat, and repeat. Each time getting just SOMEWHAT slightly more complex. Repeat this process millions of times, and its not hard to see where DNA came from. The reason the molecules kept that order is because once they started replicating, there were tons of them. So even if most got destroyed, there were always extra because they replicated. What you have to also understand is that there are TRILLIONS AND TRILLIONS of different chemical combinations possible.
Even infinite. So it is not unlikely that at LEAST one of these combinations could produce a self-replicating molecule. Also, there are 10000000… molecules in the Earths oceans, undergoing chemical reactions. So its not really hard for life to form.
The analogy of the Mona Lisa does not work, because dna did not just fully appear. It took millions of small very simple steps in order to finally emerge. The process took millions-billions of years.
xxxx
+Jorge Juarez  – Because we do not know the exact conditions of early Earth. That is why we are unable to replicate it. That is the whole point; we are trying to find the conditions of early Earth. We have an idea, but its too long ago to know exactly. Thus, scientists are trying different methods and environments. We are slowly narrowing it down. The key is replicating the EXACT same conditions. Given that this was 4 BILLION YEARS AGO, I think a lot of credit is due to the fact we ALREADY have RNA forming in labs. This I think is your misunderstanding. We DO know how life formed. We DO know the process. What we don’t know is the environment.

Origem da Vida: Nova Descoberta discute: Fundo de Oceanos ou Lagos na Superficie?

quinta-feira, maio 11th, 2017

xxxx

Baseado no artigo ( ver meus comentarios postados no artigo e copiados abaixo):

Phys.ORG

Oldest evidence of life on land found in 3.48-billion-year-old Australian rocks

May 9, 2017

https://phys.org/news/2017-05-oldest-evidence-life-billion-year-old-australian.html?utm_source=nwletter&utm_medium=email&utm_campaign=daily-nwletter

Fossil evidence of early life has been discovered by UNSW scientists in 3.48 billion year old hot spring deposits in the Pilbara of Western Australia – pushing back by 3 billion years the earliest known existence of inhabited terrestrial hot springs on Earth.

Previously, the world’s oldest evidence for microbial on land came from 2.7- 2.9 billion year old deposits in South Africa containing organic matter-rich ancient soils.

“Our exciting findings don’t just extend back the record of life living in by 3 billion years, they indicate that life was inhabiting the land much earlier than previously thought, by up to about 580 million years,” says study first author, UNSW PhD candidate, Tara Djokic.

“This may have implications for an origin of life in freshwater hot springs on land, rather than the more widely discussed idea that life developed in the ocean and adapted to land later.”

Scientists are considering two hypotheses regarding the origin of life. Either that it began in deep sea hydrothermal vents, or alternatively that it began on land in a version of Charles Darwin’s “warm little pond”. ( read the article, link above)

xxxx

Morelli  – posted 5/9/2017
The land surface hypothesis is more plausible for life’s origins than the deep oceans, because abiogenesis needed sun’s energy. There are seeds for life everywhere inside galaxies because these seeds are galaxies’ genome. The destiny of any seed is the quality of the place it falls. But there is a big difference between biological systems and other systems non-carbon based. It is possible other kinds of “life” based on every element which the atomic number be multiple of seven in the periodic table, because these elements repeats all properties of carbon. (These are suggestions from Matrix/DNA Theory)
starfart – 5/9/2017
This looks like a marvelous find. I have no doubts that the materials examined exhibit good evidence for microbial life in the surface hot spring setting. However, I don’t see why this finding should dismiss seafloor hydrothermal vents as a potential setting for the origin of life. Its a bit puzzling that evaporate deposits on surface hot springs are stressed as a ‘concentrator’ of complex biogenic material as if undersea hydrothermal precipitate processes aren’t capable of doing that as well. In the end, though, it wouldn’t surprise me in the least if it turns out that either or both settings figured prominently in the origin of life. This isn’t an either-or dichotomy. Both hydrothermal vents and surface hot springs have the same important suite of properties for biogenesis…and they were no doubt equally ubiquitous on the early Earth
Morelli – 5/9/2017

“Both hydrothermal vents and surface hot springs have the same important suite of properties for biogenesis…and they were no doubt equally ubiquitous on the early Earth.”

Maybe you have found the exactly point. Matrix/DNA Theory has suggested that the first cell system ( aka, living thing) needed 50% of a planet’s nucleus energy and 50% of a star energy. The planet’s energy is able to build the primordial molecules and some organelles ( less mitochondria and chloroplasts) and no DNA, only RNA. The last elements are build with the concourse of a star energy. Than, it is possible that life began at thermal vents but was finished at land surface.
We are based on our theoretical model of a seed for life, which is a kind of astronomical genome at microscopic level.

 

 

Otimo Video Sobre Pesquisas da Origem da Vida nas Rochas

sexta-feira, abril 28th, 2017

xxxx

Ao alcançar um nível intelectual o ser humano fica desesperado em saber o que ele é, e para isso ele precisa antes saber como a vida surgiu neste mundo de rochas, gases e água. Primeiro ele teorizou que a vida começou pelos gases sob relâmpagos elétricos e tentou reproduzir a atmosfera inicial da Terra num tubo de ensaio onde aplicou descargas elétricas. Conseguiu a formação de umas moléculas de aminoacidos parecidas com as usadas pela vida mas estas moléculas nunca deram o passo evolucionário seguinte, que seria elas formarem proteínas, RNA, etc. Desanimado nesta hipótese veio a teoria da sopa primordial, em algum pântano ou na lama no fundo de oceanos sob ventos vulcânicos… mas também não conseguiu o estalo inicial. Agora um novo grupo esta crendo na teoria de que as intrigantes reações químicas nas superfícies de minerais e rochas de todos os tipos podem ser a chave para o mistério. Dessa linha de pesquisa trata este vídeo, muito bem elaborado e informativo.

Porem… tem um zé ninguém por ai, um semi-macaco saído da selva amazônica, americano de origem brasileira, sem diploma cientifico, que me aparece com uma outra nova teoria, a principio totalmente estapafúrdia e diferente, mas o cara tem arrolado tantas evidencias e tem uma certa logica na coisa que… Bem, no Youtube, na seção de comentários deste vídeo, este cara se intromete com um comentário o qual copio abaixo:

Origin of Life – How Life Started on Earth

https://www.youtube.com/watch?v=xyhZcEY5PCQ

xxxx

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli  – 4/27/2017

Lol! Now it is rock? No soup anymore?And no gases under electric strikes? I still prefer Matrix/DNA Theory: soup, rock, gases, were the ingredients for the hardware of life. But… where was the software? It is simple: bits-information in shape of photons resulted from the fragmentation due entropy that attacked our astronomic system. They fall at planets’ surfaces and if there are good conditions, they reproduces the system where they came from.
These photons invade electrons inside atoms and creates networks of atoms like neurons emitting synapses, be it inside rocks, soup, gases, or a mixed cake of everything.
The big fault for human intelligence is due our wrong astronomic theoretical models. Planets, stars origins, galactic formations, our theories about are wrong. There are seven kinds of astronomic bodies, there were seven organelles, elements, in the first cell system. These astronomic bodies are arranged as a working system, almost biological. It is the fundamental unit of information of a galaxy. But its configuration and shape is just the same of an unit of information of our RNA/DNA.
It means that biological DNA is a formula evolved from the formula that builds atoms and galaxies. This formula is called Universal Matrix/DNA. You can see this formula and the theoretical models of astronomic systems at my website. I got it applying comparative anatomy between all natural systems, from atoms to human beings.
It is losing time searching how life began at Earth, we need search how the first biological system began. Only changing this word “life” which is a wrong concept, and we see the need for linking cosmological and biological evolution in one unique lineage. Or we learn how to study the photons coming from the sun and the Earth’s nucleus or we will need wait that spatial exploration fix our knowledge of our truly creator.

Origens da Água na Terra: Novas Descobertas Sao mais Evidencias para a Teoria da Matrix/DNA

domingo, janeiro 29th, 2017

xxxx

 

Os caras estão mais perdidos que cego em tiroteio, e como nos, da Matrix/DNA, continuamos acertando todas nossas previsões, estaríamos rindo de segurar a barriga, porém, estamos furiosos por estarem prejudicando a evolução mental da humanidade.

Para entender-mos a nossa existência neste planeta precisamos entender a existência do planeta, seu lugar no contexto do Cosmos. Mas para este entendimento precisamos de informações, e informações sobre coisas tao distantes dos nossos limitados cinco sensores cerebrais, são difíceis, exigem muita investigação, cientifica.Enquanto não acha soluções para fenômenos e eventos naturais distantes da nossa percepção, os humanos inventam misticas, fantasias, pois a humanidade esta’ na sua infância coletiva a qual imita a infância imaginativa e magica individual, de toda criança. Assim surgem as invenções de deuses… e de gerações espontâneas, ao acaso, de fenômenos sólidos concretos, como é o nosso planeta.

Infelizmente esta infância mental inventa suas fantasias e elas dominam a educação escolar até nossas universidades modernas. Ali é ensinado que nosso planeta se formou quando uma nebulosa de gás e poeira formou o Sol e da sobra desse material surgiu a Terra… tudo muitíssimo simples, espontâneo, ao acaso. Por outro lado, nos, da Matrix/DNA tivemos que trabalhar dia e noite arduamente por 30 anos investigando as origens e formação deste planeta, e chegamos a uma teoria totalmente diferente e muito, muitíssimo complexa. Ora, o principal motivo nesta brutal diferença dos resultados finais, é que eles começaram seus cálculos a partir de outra teoria nas origens do Universo – o Big Bang – e continuando a calcular os passos evolucionários seguintes desta ” grande explosão”, chegaram a tal nebulosa de gaz e poeira e com ela tiveram que calcular como nela surgiria um planeta. Enquanto por nosso lado, primeiro observamos o planeta aqui e agora, tudo o que ele produziu, inclusive e principalmente a vida biológica, e juntando todas as forças e elementos da vida mais o que se sabe de fato concreto do Cosmos, descemos do futuro em relacao ao passado para chegar ao estado do mundo que produziu este planeta. Nos começamos do presente e não do passado remoto porque apenas sabemos com alguma certeza o que existe no presente. A incrível complexidade dos produtos deste planeta não poderia deixar ninguém, em sã consciência e racionalidade, acreditar que o mundo que o fez e o método com que o fez tenham sido de tanta simplicidade.

Bem,… a bom tempo, desde que se começou a fabricar instrumentos que funcionam como extensões dos nossos sentidos para perceber os invisíveis micro e macrocosmos, eles vem levando cacetadas atras de cacetadas, a cada dia que um Hubble da vida passeando nas fronteiras do nosso sistema manda uma imagem do Cosmos. As imagens não batem com seu modelo teórico, mas apesar de tantas cacetadas, ao invés de recalcularem o modelo e procurar outro, ficam remendando-o fazendo da teoria uma colcha de retalhos já impossível de sustentar-se. Enquanto isso, a nossa voz miúda que não alcança as universidades, continua anunciando como cada imagem esta batendo com nosso modelo. Ate quando imagens começarem a negar nosso modelo, mas ai não teremos problema nenhum em abandona-lo ou reforma-lo a luz das novas informações.

Um dos maiores problemas que se apresentou a teoria acadêmica trata da existência da água neste planeta. Se ele foi formada como sobra do Sol, no meio de uma nuvem de gaz e poeira, como surgiu esta imensa quantidade de água que é maior que o volume de todos os continentes juntos?! Apenas isso seria fato suficiente para desacreditar-mos de nosso modelo e partir para buscar onde erramos. Mas não. O ego, o presente status social, as privilegiadas condições sociais em que acomodaram suas vidas, jamais os permitira sequer pensar que teriam de chegar aos estudantes e mandarem esquecer tudo o que ensinaram, jogar os textos do curriculum escolar no lixo, e terem que reaprender tudo de novo, depois de terem atingido a meia-idade… Imagine se Platão chegasse um dia a seus discípulos e dissesse que descobriu que seus ensinamentos sobre geração espontânea da vida estava toda errada… Ele cairia no descredito imediatamente, estaria morto e hoje ninguém ouviria seu nome.

E quando nos debates pergunto a um especialista… ” E a água?” ele fica irritado e responde algo que poderia ser traduzido assim: ” Eu gosto, só como farofa, não suporto comer mingau. Então não venha botar água na minha farofa transformando-a em mingau que eu prefiro morrer do que comer mingau.” E se agarra a sua farofa protegendo-a com unhas e dentes. Mas… e a água?

O nosso modelo de formação da Terra não tem nenhum problema com a água, alias, obrigatoriamente ela tem que existir, segundo o modelo. Por que os nossos planetas não foram formados como sobra de estrelas – ao contrario, eles carregam o germe de uma estrela em seus núcleos. Não foi formada numa nebulosa de gaz e poeira apenas, havia muitos outros elementos e forças. E ele veio de longe, tao longe que atravessou nebulosas de poeira congelada, a qual se agregou a sua superficie, e quando caiu na orbita de uma estrela quente, o gelo simplesmente derreteu, formando os oceanos que quase cobrem toda a superficie. A água esta do nosso lado, como mais uma evidencia arrolada a favor do nosso modelo.

Mas,… se qualquer extraterrestre racional iria ficar horrorizado ao ouvir falar que gás e poeira ao redor de uma estrela quente gera água, os nossos acadêmicos, e gerações mais gerações de estudantes, engole a absurda proposta sem qualquer raciocínio. Não é de se surpreender, se estes mesmos acadêmicos e estudantes elegeram a pouco como best-seller um livro que chama-se ” O Tudo Veio do Nada”. Esta na moda, é a onda do momento, o que faz os que o pronunciam nas rodas de botequim como um intelectual respeitado. Porem, existem as exceções que ainda de alguma maneira conseguem manter um pouco de controle sobre suas propriedades mentais, e estes não engoliram tao fácil o absurdo. Sentiram-se incomodados, suspeitaram da “verdade cientifica”. Porem, como também estes estão com os seus neurônios compactamente configurados pela visão de mundo explosivo com seu Big Bang ao acaso, não puderam atinar com algo mais racional e remendaram a teoria com outro absurdo: a água no planeta veio de colisões com cometas que eram ricos em água… Meu Deus, tenha a santa paciência! E’ a onda do momento, quem repete isso é expert, a nata da intelectualidade mais moderna!

Acontece que,… se o cérebro humano é produto natural de matéria mole e de uma  biosfera que teve origens caóticas, portanto ainda apresentando muitos defeitos, este mesmo cérebro tentou se reproduzir tecnologicamente com matéria mais dura, na forma de computadores. Estes cérebros eletromecânicos – apesar de também serem milhões de anos-luz fora da realidade natural – não conseguem fazer tanta besteira como faz a matéria mole. E então nesta semana alguns tecnólogos produziram uma simulação computacional de como seria as origens do planeta, e, a água apareceu! La’ nos primeiros momentos da formação do planeta! Raios… mas então não existiu bombardeio pesado de cometas aguados!

Aconteceu o seguinte. Em 2014, pesquisadores japoneses testaram algumas reações químicas baseadas em hidrogênio liquido e quartzo, que é o mais comum e estável forma de sílica nesta parte do planeta, sob altas pressões e temperatura. Depois, uma equipe da University of Saskatchewan no Canada raciocinou que se estas reações ocorrem com sílica e ela esta no interior do planeta, no manto, então porque não fazer uma simulação computacional desta reação acontecendo justamente naquele lugar? Fizeram isso e descobriram surpresos que no manto a reação produz… água! Claro, é apenas simulação computacional, o mapa nunca é real como o território, mas as vezes a simulação pode se aproximar bastante do evento real.

Este material nestas temperaturas e pressão existe entre 40 a 400 quilômetros de profundidade. Então imediatamente perceberam que o nosso planeta não é apenas azul quando visto do espaço, mas é azul também de dentro para fora…

O resultado da simulação ganha mais força quando lembramos que estudos realizados nos últimos anos encontraram evidencias da existência de vários oceanos plenos de água comprimidos em rochas tao profundas quanto os 1000 quilômetros. E então o responsável pela equipe diz que “esta pesquisa sugere que a água do planeta veio de dentro,… apesar de que ninguém de nos sabe ainda exatamente como isso aconteceu”.

Bem, segundo sugere o nosso modelo de formação da Terra, o seu núcleo esférico era pequeno quando começou a crescer devido ser agregado por detritos e poeira congelada a mediada que atravessava a zona de eventos logo apos o vórtice nuclear e portanto, este gelo pode ter milhares de quilômetros de profundidade. Mas o gelo também estava na superfície quando o planeta se aproximou do Sol e seu calor começou a descongela-lo na forma de rochas e água, portanto, a água veio de dentro e de fora também.

Fica registrado o artigo ( link para o paper que originou este artigo, abaixo), como mais uma evidência a favor da Matrix/DNA Theory. E lembrando mais uma vez que não vamos entender nossa existência aqui senão entender-mos o planeta e a galaxia que nos fez dentro dela. Mas para isso a Humanidade precisa amadurecer para deixar de ter sua mente povoada de fantasias como as mentes de nossas crianças. Por isso gasto meu tempo com estes assuntos astronômicos, que não era meu proposito no inicio da minha investigação.

Apenas mais um adendo:

O artigo diz que: “Water formed in the mantle can reach the surface via multiple ways, for example, carried by magma in the form of volcanic activities.”

Sim, e chego até mesmo a suspeitar de algo estarrecedor. Essa água no interior do manto e tao próximo do núcleo efervescente, recebendo aquele imenso calor, pode estar se evaporando no inteiro do planeta e chegando na superfície, e dai para a atmosfera no estado de vapor e… não estaria ai a principal causa do famigerado efeito estufa?!

NEWScientist

27 January 2017

Planet Earth makes its own water from scratch deep in the mantle

https://www.newscientist.com/article/2119475-planet-earth-makes-its-own-water-from-scratch-deep-in-the-mantle

xxxx

paper:

http://Journal reference: Earth and Planetary Science Letters, DOI: 10.1016/j.epsl.2016.12.031

xxxx

paper dos pesquisadores japoneses:

Restricted access

Formation of SiH4 and H2O by the dissolution of quartz in H2 fluid under high pressure and temperature

http://ammin.geoscienceworld.org/content/99/7/1265

These results indicate that the chemical reaction between dissolved SiO2components and H2 fluid caused the formation of H2O and SiH4, which was contrastive to that observed in SiO2–H2O fluid. Results imply that a part of H2 is oxidized to form H2O when SiO2 components of mantle minerals dissolve in H2 fluid, even in an iron-free system.

xxxxx

meus comentarios publicados na midia:

https://www.reddit.com/r/science/comments/5qjvyv/planet_earth_makes_its_own_water_from_scratch/

Planet Earth makes its own water from scratch deep in the mantle from science

TheMatrixDNA  – 1/29/2017

Ok. The existence of water in this planet has been a puzzle only because the theory of planet formation is wrong. My astronomic model – The Matrix/DNA Theory – suggests a different process for planet’s formation and in this process, water was present at the formation as in the whole interstellar space, and still can come from within. And it does not need these elevated pressures and atmosphere

xxxx

Louis C. Morelli, New York, United States, 1/29/2017

Read more: http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-4165242/Earth-makes-water-deep-mantle.html#ixzz4X8sjUojw

Teorias da Origem da Vida: Coletanea das Existentes

terça-feira, janeiro 3rd, 2017

xxxx

( Artigo ainda em construção. Falta organizar os assuntos, correção ortográfica, etc.)

Inspirado no artigo:

As teorias para o surgimento das primeiras células – e da vida na Terra

http://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-38205665?ocid=socialflow_facebook

xxxx

Todas estas teorias erraram e todas erraram pelo mesmo motivo. Trata-se de uma falha de processamento no cérebro humano, não vejo outra explicação. O motivo e’ a arbitrária separação dos sistemas naturais ditos vivos dos sistemas naturais ditos “nao-vivos”. O primeiro ser vivo realmente digno deste nome, completo, funcional, era um sistema, o sistema celular. Mas antes dele ja’ existiam outros sistemas, completos, funcionais. Se os humanos quiseram inventar a palavra “vida” e com ela denominar o sistema completo, funcional, denominado celular, teriam obrigatoriamente que aceitar que os outros sistemas naturais, completos, funcionais, que ja’ existiam, tambem sejam “vivos”. Ao contrario, decidiram definir o celular de “animado”, e os outros de “inanimados”. Mas como inanimados se apresentam uma parafernalia de movimentos internos e da mesma forma realizam trocas com o exterior, etc? A arbitraria e absurda separacao continuou. Assim separaram a História Natural Universal em dois blocos – o da Evolucao Cosmologica, desde o Big Bang ate’ os 10 bilhões de anos do Universo, e o da Evolução Biológica, desde aquela data ate os dias atuais. Dividiram a História Universal da Evolução do Sistema Natural que surgiu logo apos o ato fecundador do Big Bang e hoje se encontra aqui nestes tempos e região universal na forma nascente de Sistema Natural Autoconsciente, em dois blocos, sem nenhum elo evolutivo entre eles, sem a forma-elo, criando um abismo negro e sem fundo entre os dois grandes blocos. Como resultado so’ poderiam concluir que a forma de sistema biologico nao teria seguido a lei natural da transformação, portanto, teria surgido de algum lugar e fonte fora da longa cadeia natural de causas e efeitos que vem desde o Big Bang.

Nesse momento desviaram-se do pensamento racional puro, construido por esta Natureza, e sairam a vagar no mundo das fantasias imaginarias, onde surge a mistica, o pensamento magico. Mas a causa e’ compreensível, o deslize pode ser perdoado, nao foi culpa dos humanos. Como disse acima, existe uma nova forma emergindo daquele sistema natural universal, mais exatamente emergindo desde esta forma atual de sistema humano, o cerebro. Esta forma apareceu ainda nos ultimos segundos do tempo astronomico, e se ja passou do estagio fetal nao sabemos, mas com certeza ainda nao alcancou o estagio de baby nascido, pois nem seus olhos propios abriu ainda, nem sabe qual a substancia e a forma de seu proprio corpo. E todos sabemos que quando os humanos passam da fase de babies para a fase de criancas, sua consciencia ainda nada tem de racional, para ela todos os objetos a sua volta sao brinquedos, ela vive num mundo encantado, ate tem amigos fantasmas com quem conversa. Ora, a humanidade tambem surgiu muito recentemente em relacao a escala de tempo do sistema universal, para este, a humanidade e’ uma crianca. A psique individual se projeta na psigue coletiva, claro: a humanidade vai se organizando num tipo de sistema, num sistema individual, a imagem e semelhanca de seu building block, que ‘e o individuo. Entao nao poderia ter acontecido de forma diferente: a mentalidade do coletivo humano esta na fase do pensamento magico, do mundo encantado, que não existe de fato. E a historia do mundo sera uma fabula locupleta de magicas, monstros, mitos. Justamente mitos preenchendo o abismo negro imaginariamente criado entre os dois blocos, que na verdade e’ apenas um.

E surgiram dois mitos, diferentes na narrativa, na forma de imaginar o mundo encantado, eregidos por uma parte da humanidade-crianca num continente, e oitra parte de humanidade-crianca sob efeitos do ambiente diferente de outro continente. Surgiu o deismo e o materialismo, ou ateismo. Um acredita realmente no amigo fantasma e deram-lhe o nome de Deus. Outro acredita que os objetos respondem a ele magicamente, pois ele tem conseguido sobreviver com privilégios so’ observados em jogos da sorte, ;oterias, e assim deram o nome ao grande criador do mundo encantado de Acaso. O que existe de mais comum entre os dois mitos e’ que ambos sao magicos, ambos vem de fora da longa cadeia natural de causas e efeitos que vem desde o Big Bang. Ambos seriam nao-naturais, ou seja, sobrenaturais.

O primeiro grupo aceita sorrindo a critica de que creem no sobrenatural. O segundo grupo resiste irracionalmente, pois nao querem entender que se a “vida”, ou melhor, a forma de sistemas biologicos, surgiu, e’ porque ela foi erigida pelas forcas e elementos que vinham rolando na longa cadeia de causas e efeitos. Ora entao ela era previsivel e nao produto do acaso. Basta identificar todas as forcas e elementos que vem rolando, mais o calculo da consistencia do espaco em que vem rolando, e nao tem como nao ver a certo momento a vida formada e rolando no meio. Entao existem uma geracao mais moderna ou envelhecida da humanidade ainda crianca que ja preseente este fato, e comecam a suspeitar que o Universo estava “tunelado” para produzir a vida, ou melhor, a forma de sistemas biologicos. E e’ desta geracao que sairam os autores das teorias arroladas neste artigo da BBC. Mas eles continuam ainda com o pensamento impregnado com resquicios do mito e por isto, eles mantem a malfadada separacoa, e por isto estao nos caminhos errados.

As criancas inevitavelmente se enveredam pelos primordios do pensamento magico porque nascem como ovos mantido dentro e protegidos, alimentados ate a maturidade. Uma caracteristica dos mamiferos, que foi um passo evolutivo adiante dos ancestrais repteis, que botavam os ovos fora abandonando a prole `a propria sorte. Mas o que aconteceria se uma crianca nascesse como ovo botado fora? Instantaneamente atacada pelas intemperies ao relento, pelos predadores e sem alimentos? Sera que ela tambem manteria pelo mesmo tempo o pensamento magico? Ela veria o mundo encantado? Certamente ela nao teria ninguem com quem falar ou aprender a falar, nao conversaria com amigos fantasmas. E como ela interpretaria o mundo se conseguisse ir sobrevivendo por extrema sorte os primeiros anos? E mais: imaginado-se que ela nascesse geneticamente com o dom ou tendencia a filosofar, a questionar a existencia das coisas que ve e ate mesmo a sua existencia, iria ela separar o mundo em dois blocos, iria ela criar im mito para preencher o vacuo entre os dois blocos? Quando na noite ao relento mantendo um olho vigilante na terra e outro levantado prescrutando o ceu e as estrelas, ela se sentiria separada ou conectada a extensao da natureza que se perde no firmamento?

Eu sei a resposta porque eu vivi esta terrivel e odiadamente experiencia. Pior, por duas vezes. Uma realmente logo ao nascer sem familia e teto, e outra quando ja adulto, escapei da escravidao na civilizacao e me embrenhei como fugitivo na selva amazonica. A qual me deu um banho de mundo real, da verdadeira natureza, a ponto de executar uma lavagem cerebral de toda a cultura hmana adquirida ate aquela idade e reduzir o espectro ao estagio de semi-macaco. Sem a s habilidades dos macacos na sobrecvivencia naquele unferno caotico, eu fui um macaco-crianca no meio deles, ja nem mais um humano-crianca como os que existiam la fora, na civilizacao. Digo que nao foi um regresso ao estagio fetal, pois sai no outro lado, antes da fecundacao. Porem com mais uma anomalia ironica: um macaco crianca filosofo. Como nao pderia deixar de acontecer, o filosofo no macaco construiu sua cosmovisao, sua maneira peculiar de interpretar o mundo real. E nao vi a separacao. Nao vi a divisao entre vida e nao-vida. E assim sai a procurar o bicho que me teria feito. A mim, aos meus vizinhos silenciosos que chamam de palntas e aos ruidosos e importunos que chama de animais. Com um olho abaixado procurando na terra e outro levantado procurando na extensao do meu mundo que se perdia no azul do firmamento.

Claro que seria impossivel a tal misero e semi-selvagem individuo, mesmo conseguindo sobreviver e crescendo, encontrar o que a civilizacao milhares de anos mais avancada intelectualmente e com poderosos instrumentos invadindo as profundezas dos invisiveis micro e macrocosmos, encontrar o que nao encontraram. Mas seu sobrevivi e ate me curei do primeiro ataque da malaria, do segundo jamais teria passado. Quis a sorte mais uma vez que humanos nativos da selva que ja pressentiam minha existencia nos arredores de seu territorio,  me encontrassem moribundo e decidissem me salvar como fizeram com os quackers moribundos do Mayflower. E quis o azar que esees nativos selvagens decidram me catequisar nos seus mitos, pegando um cerebro recentemente lavado com esfregao de espinhos das palmeiras e que poderia ter se reerguido e se levantado como uma pagna em branco a ser escrita pela razao pura natural, e desviando-o para o reino dos mitos de sua tambem consciencia crianca. Porem, do azar se levantou a tremenda sorte que o reino dos mitos a que fui apresentado nao era o mito criado pelos predadores de humanos bem nutridos a 10.000 anos atras  a falar com a voz mais alta e possante em volta da fogueira `as ovelhas mansas e temerosas, como eles eram filhos de deuses poderosos, os quais lhes teriam passado a forca. Nao foi o reino originario dos dois mitos se levantando da mentalidade ocidental. Me levaram a um novo retrocesso, muito mais profundo no tempo e no cerebro, ao estado da psique antes do humano-crianca, a forma mesma do embriao. de onde comeca e se forma a imaginacao. Me levaram ao outro continente onde surgiram os mitos orientais. A ouvir a descricao das imagens visionarias de dragoes aflorando das aguas do lago e soltando fogo pela boca como viu o filosofo chines. Mas ao inves de reiventar o simbolo do I-Ching pela mesma visão, e a partir daí desenhar a aura e seus chacras, as aulas de biologia em que eu havia visto o DNA me afloraram na mente na memória que resistira a lavagem e ao invés de dragão e aura eu vi o DNA, dançando no azul do firmamento com um eixo central na forma de um buraco cônico negro e os astros em volta na forma de moléculas, mais tarde identificadas como a timina, a citozina,…

Nao, na aurora da pre-humanidade nao houve uma imediata incursao na mitologia. Aqueles semi-humanos tiveram visoes do micro e do macrocosmo reais. Ou melhor, nao foram visoes vistas por olhos de ver, mas sim recordacoes vindas da memoria primitiva, que ainda nao havia sido poluida pela cultura dos predadores em volta da fogueira. Memorias construidas geneticamente, herdadas dos ancestrais… nao-vivos. Das nossas formas ancestrais quando estavamos na forma de atomos e galaxias. Ou quando estavamos se formando na forma de biologicos, quando fomos os primeiros nucleotideos, que aos pares, formam um sistema completo e funcional e sao um dos elos evolucionarios que foram ocultados do humano-crianca quando ele criou a separacao.

Os nativos tomam uma beberagem feita de raizes e ervas selvagens parecido com o que se chama de Santo Daime. Caem no chao ou em cima de esteiras e ficam balbuciando incoerencias com um largo sorriso que as vezes tornam-se gargalhadas, felizes da vida. Neste momento nasce osseus mitos dos deuses e demonios espiritos da selva. Mas para um filosofo abusado de perguntador ao lado observando-os, descrevem as visoes que suas imaginacoes alteradas pela beberagem produzem. Mas o filosofo que saber como funciona o cerebro, o que a droga produz, e isto nao se aprende fazendo a exoeriencia, ingerindo a droga, e sim mantendo seu cerebro vigilante e racional e arrancando do cerebro alterado o que ele esta produzindo. Assim se descobre que o naticvo reconta fielmente a fabula de Adao e Eva e desceve fielmente o Paraiso do Eden. Que?!

Eu disse que me levaram nao ao tempo das origens dos mitos, nao a fase etaria da crianca humana portadora do pensamento magico, mas antes desta fase, no estagio da consciencia fetal. O paraiso com Adao e Eva se ve antes e somente depois de muito pensar, de muito interpretar, e’ que se forma um quadro e pode-se pegar a pena e escreve-lo. Ele foi visto muito antes de se escrever a Biblia. Por um tal de Schimeon Ben Jochai, se a russa Helena Blavastic conseguiu a informacao correta no seu prologo da doutrina secreta. Porque o paraiso, Adao e Eva, realmente existiram. Nao o paraiso, nao o Adao e Eva que foram escritos, mas sim o que se levantou da memoria da humanidade fetal vindo das profundezas de neuronios em cujos nucleos numa fita biologica denominada DNA o nosso passado muito remoto foi registrado. Naquela epoca, uma galaxia era um verdadeiro paraiso para os dois principios ativos que formavam seu corpo, um com tendencias que hoje identicamos como masculinas e outro com tendencias que hoje identificamos como femininas. Ai estao o Adao e a Eva que foram malversados, contorcidos, mascarados, numa interpretacao eivada de auto-projecao do humano, antropomorfica. Os nativos selvagens da Amazonia nao estao no estagio intelectual que estavam as nacoes ja oorganizadas e ja com a psique da humanidade crianca que escreveram a Biblia. Eles estao no nivel intelectual das tribos de barbaros. Mas foi a estes que a Natureza revelou o paraiso e Adao e Eva. Foun a psique do humano crianca, que inventa amigos fantasmas com quem conversam e que tratam todos os objetos como brinquedos magicos, que tambem deu um banho de sua imaginacao numa imagem real que ela havia visto na forma embrionaria e dela se recordava na fase de humano crianca. Desua experiencia aprendi que num cerebro lavado da cultura humana, ainda limpido e puramente natural, a memoria ve-se a su mesma e assim comeca a consciencia de sua existencia. E quand a memoria ve-se a sui mesma, ve o que ela realmente e’. Ela nao ve uma grande parte sua como memoria-lixo como se tem visto a memoria moderna. No lugar de lixo ela ve o passado do que ela realmente foi, o passado do sistema natural universal que se formou nos idos do Big Bang. Ela recorda suas formas e suas experiencias quando foi um sistema atômico, quando foi um sistema galactico, porque todas estas experiencias estao nela registradas. Ela jamais iria sequer pensar que sua forma atual foi trazida pela cegonha por acaso ou por mágica divina, porque ela enxerga a forma de seus pais, de seus avos e bisavos, ate os ultimos ancestrais emergindo do Big bang… na forma de simples onda de luz. Simples na aparência porque sao mais complexas que nos desde que elas ja contem a formula para fazer-se a si mesma, como entidade viva.

Então como todos sabemos, seria impossível ao semi-macaco na selva encontrar o que este exército super bem aparelhado e milhares de anos mais avançado ainda não encontrou. A tal criatura acredita que encontrou, certamente ele caiu na mesma armadilha, ele enveredou-se no reino infantil dos mitos. Porém o que ele encontrou – o nosso DNA em suas formas evolucionárias mais primitivas existindo nos corpos de átomos e galáxias – e’ totalmente natural, está previsto na longa cadeia, não existe qualquer menção ao supernatural. Nao existem deuses nem acasos magicos. Entao onde esta o mito? Possivelmente nos seus modelos teóricos de átomos e galáxias, na sua interpretação diferente do DNA, de seus building blocks, no propósito do universo tunelado por um processo de simples reprodução genética de universos. Mas este ” provavelmente” e’ imediatamente balbuciado sem pensar, por quem tem o cérebro configurado por conexões neuronais modeladas pela visão dos mundos separados. realmente este cerebro nao conseguiria processar esta informacao. Entao o que me resta e’ testar cientificamente os modelos. Ou que alguma nova descoberta comprove-os. A teoria da Relatividade teve que esperar por um eclipse para comecar a ser vista com alguma seriedade. A Teoria do Big bang esperou por um defeito nos cabos telefônicos para a descoberta da radiação de fundo cósmica e guinda-la ao patamar de teoria plausivel. Nos aqui tambem estamos esperando. Algo que a levante ou a derrube para sempre. Ninguem mandou um filósofo se vestir de macaco, viver sete anos na selva no meio de macacos e retornar para contar esta historia macaquica. Que se f… o filosofo!

Ainda hoje esse  Se esquecem de que antes da vida surgir na Terra a matéria deste Universo já vinha em evolução, desde átomos para sistemas estelares para siste demas galácticos – e o primeiro ser vivo surgiu formado pelos mesmos átomos e dentro destes sistemas astronomicos. Entao como separa-los evolucionariamente?

Pela evolução, sistemas naturais mais simples se transformam em sistemas naturais mais complexos, não existe outra origem conhecida e muito menos comprovada cientificamente para sistemas naturais. Supor que tenha surgido um sistema natural fora dessa linhagem evolucionária por transformações e’ supor que este novo sistema tenha vindo de algum lugar fora da longa cadeia de causas e efeitos que começou no Big Bang. Teria que ter vindo de um lugar nao-natural, em relacao a esta natureza total a que damos o nome de Universo. de algum lugar sobrenatural, mas nenhum fato conhecido e comprovado prova que exista o sobrenatural, de onde tiraram essa ideia então? Falha de processamento nos circuitos neuronais.

Então vem com essa ideia absurda outra ideia que e’ uma aberração, uma heresia cientifica e contra a razao pura naturalista: a palavra “origens” e o conceito que a define. Quando e como alguém viu a origem de algum sistema natural que nunca tenha existido antes? Quando e como alguém viu um sistema natural qualquer que nao tenha vindo de outro sistema pré-existente?! Quando alguém viu assistiu os primeiros passos e o desenvolvimento de um sistema natural que nao tenha sido elaborada por um ambiente natural cuja complexidade nao se assemelhe `a complexidade do sistema? Isto de fato seria uma origem, a emergencia de algo totalmente novo, inédito, para o qual a Natureza nao tinha em si nenhuma informação. A palavra origem imediatamente nos leva a pensar num evento espontâneo ocorrendo no meio da longa cadeia de causas e efeitos mas que nao tenha sido produzido pelo fluxo normal das forças e elementos que vinham rolando nessa cadeia. Nao existem origens de universos nem de vida como eventos espontâneos, únicos, seja ao acaso ou por um entidade sobrenatural, nunca ninguém viu tal evento ocorrer. Isto seria mágica e nunca ninguém viu mágicas, apenas truques ilusorios. No entanto a literatura cientifica e por consequencia a escolar está repleta de teorias de origem espontanea do universo, d planeta, da galaxia, da vida… Raios, o que esta acontecendo com o racional humano?!

Então uma falha leva a outra: separando erradamente a evolução universal em evolucao cosmologica e evolução biológica em dois blocos de evolução sem nenhum elo, nenhuma conexão racional, natural, entre os dois blocos, nao resta outra alternativa senão apelar ao imaginário e acreditar em origens de coisas complexas, seja espontaneamente ou a longo prazo. Sem nenhuma razão inteligível, sem nenhum processo natural conhecido, a certa altura da longa cadeia de causas e efeitos, átomos terrestres comecaram a se comportarem de maneira nunca existido antes e a fazerem inéditas combinações que nunca fizeram antes. Ora, então o que de nao-natural atuou sobre estes atomos? Ninguém sabe responder porque esta pergunta nao faz sentido racional porque baseada numa premissa nao-existente de fato.

O primeiro ser vivo, que se pode chamar como tal, completo e funcionando, foi o primeiro sistema celular. Nao foi um novo sistema vindo de fora da natureza, ou feito por um processo nunca aplicado antes pela natureza. Nunca ninguem viu e comprovou que existam tais coisas. Era um sistema mais complexo ( e muito) que todos os outros sistemas naturais que existiam naquela época, ou entao, nao muito mais complexo que um sistema ja existente mas ainda desconhecido pela humanidade. O fato de ter sido elaborado muito mais complexo se explica pela complexidade maior existente na superficie da Terra que as complexidades existentes antes nos ambientes onde foram elaborados os sistemas ancestrais, atomicos e astronomicos. Aqui existia o estado liquido da materia, uma novidade que na sua embriogenese os atomicos e astronomicos nao tiveram. O estado liquido “transformou” a quimica inorganica na mais complexa quimica organica, mas o estado liquido tambem nao teve uma origem espontanea, ele veio das transformacoes dos estados gasosos e solidos ( talvez incluindo-se o estado eletromagnetico, etc.). Aagua produziu uma mutacao espetacular na embriogenese da primeira celula. Houve um espetacular salto evolutivo, mas apenas em relacao a sistema celular/sistema pré-existente, pois este salto teve uma duracao de milhoes ou bilhoes de anos enquanto ocorriam transformacoes no meio ambiente.

Nao houve abiogenese. Nao houve materia inanimada dando ” origem” a sistemas animados, vivos. Atomos e galaxias nao sao sistemas inanimados, eles funcionam internamente. Mas entao surge o terceiro erro ainda como consequencia do erro da imaginaria separacao: comparam um sistema completo, funcional, com pedacos, partes, ou mesmo dejetos, de outros sistemas. Ora, sistema tem que ser comparado a sistema! Ficam comparando moléculas que nao sao sistemas em si com processos vitais e mesmo sistemas vivos procurando encontrar o fio evolucionario entre eles! As moleculas (aminoacidos,proteinas,RNA e DNA) nao sao sistemas em si, sao partes de sistemas que reconstroem sistemas assim como os tecidos diferenciados na embriogenese humana reconstrou o sistema “corpo humano”. Se Oparin e …. queriam reconstruir o estado do mundo momentos antes da vida e ver dele surgir um elemento vivo, teriam que antes conectar a amonia, o hifgdrogenio, o metano, com as faiscas eletricas formando um sistema funcional. Jogaram partes ao leu dentro do tubo, conseguiram partes do sistema celular, mas nunca conseguriam um sistema celular, nem mesmo conectar os aminoacidos obtidos compondo uma proteina.

O sistema celular veio do sistema nucleotideo, ou seja que outro nome deem ao building block, o fundamental bits-informacao, que compoem as pilhas de nucleotideos que sao o RNA e o DNA. Mas a falha no processamento cerebral nem mesmo os permitem descobrir que um par lateral horizontal e vertical de nucleotideos funciona como um sistema completo. E este sistema nucleotideo serve exatamente para explicar como foram os building blocks que formaram as galaxias. Entao ai esta o elo evolutivo que manda ao inferno a imaginaria e impossivel separacao. O sistema celular teve uma embriogenese ( e nao abiogenese) de milhoes ou bilhoes de anos porque seu criador, o sistema menos complexo que foi transformado, era astronomico e na astronomia os tempos sao muito mais longos que na escala praticada por humanos.

Este erro abismatico conduz os pesquisadores auma busca atabalhoada, fora de foco. E entao surgem as teorias, fora de foco. vamos ver neste artigo da BBC uma bela coletanea destas teorias e vamos ver a analise de cada uma delas por essa teoria que nao cometeu esso erro imaginario, denominada Matrix/DNA. Para tanto tive que copiar o artigo aqui, aproveitando a exelente ajuda do website Bio+, que ou ele ou a propria BBC traduziu para o portugues:

As teorias para o surgimento das primeiras células – e da vida na Terra

http://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-38205665?ocid=socialflow_facebook

Origem e Evolução dos Órgãos Sensoriais

quarta-feira, novembro 23rd, 2016

xxxx

Sea nettles.jpg

Medusas Cnidarias – Primeiro sensor?

De onde a Natureza tirou a ideia de criar órgãos sensoriais em certos corpos para perceberem o mundo a sua volta?! Talvez a pergunta esteja mal formulada. Como e porque num corpo natural – e pela primeira vez nos 13,8 bilhões de anos do Universo – a Natureza se moveu na direcao de fazer este corpo perceber o mundo a sua volta?! Quais forças e elementos naturais abriram este caminho, e porque?

As outras formas de vida alienígenas, que tipos de sensores terão? Os nossos sensores vão evoluir? Por exemplo, a visão, evoluirá para enxergar as outras faixas do espectro eletromagnético? Nos desenvolveremos outros sensores ainda nem sequer imaginados?

Como sera para sempre proibido ter certeza do que ocorreu exatamente nos primórdios dos órgãos sensoriais ( a não ser que exista um espelho do tempo onde esteja filmada toda a historia passada), todo mundo terá apenas teoria. E talvez uma destas teorias acerte exatamente com as respostas.

Na minha teoria cosmovisionária – a Teoria da Matrix/DNA – os órgãos sensoriais “biológicos” se explica a partir da intuição de que o que criou os sistemas biológicos foram os sistemas astronômicos. E os criou por um processo primitivo similar ao processo genético biológico. Ou seja – sistemas biológicos são meras evoluções dos sistemas astronômicos.

O estado de sistema em que estava este sistema galáctico denominado Via Láctea era o de sistema fechado em si mesmo, oposto ao sistema aberto. Ao menos e’ isso que se conclui ao se observar o meu modelo cosmológico. E um sistema fechado em si mesmo jamais vai criar órgãos sensoriais voltados ao exterior, pois ele se encontra isolado do mundo externo e não teria qualquer motivo para realizar o esforço dessa criacao.

Porem, a cria dos sistemas astronômicos na superfície terrestres sofreram uma mutação devido ao aparecimento do estado liquido da matéria, e esta mutação os fez como sistemas abertos. E os sistemas abertos dependem mortalmente das interações com o mundo externo para sobreviver. Então os órgãos sensoriais biológicos foram criados aqui, pela matéria orgânica e seus sistemas. Porem, como a natureza nunca pode criar informação do nada, deduz-se que os órgãos sensoriais biológicos foi mais uma evolução mutada de sensores existentes nos sistemas ancestrais – astronômicos e atômicos. Teremos que incluir na pauta de nossas pesquisas a busca do que eram e como estavam estes ancestrais dos sensores biológicos nos sistemas não-biológicos. Por exemplo, se uma partícula interage com outra a distancia, ou mesmo uma estrela se conecta a um planeta, e’ porque possuem sensores para perceberem o que alem delas, mesmo que não tenham consciência que o percebem.

Alem de suscitar uma grande indagação filosófica existencial, o conhecimento total da historia das origens no Big Bang e sua evolução ate chegar aos nossos sensores atuais – e nos que ficaram perdidos em outras especies inferiores – nos devera ajudar sobremaneira a desenvolver nossa tecnologia.

Portanto, abre-se mais este capitulo de pesquisa. Iniciaremos por registrar um paper cientifico para posterior leitura, tradução, e pesquisa:

Evolution of sensory structures in basal metazoa

http://icb.oxfordjournals.org/content/47/5/712.full

Abstract

Cnidaria have traditionally been viewed as the most basal animals with complex, organ-like multicellular structures dedicated to sensory perception. However, sponges also have a surprising range of the genes required for sensory and neural functions in Bilateria.

Family tree of Cnidaria and the origins of animals ( ver melhor em https://en.wikipedia.org/wiki/Cnidaria:

Metazoa
Glass sponges
Demosponges
Calcareous sponges
Eumetazoa
Ctenophora (comb jellies)
Planulozoa
Cnidaria
Anthozoa
(sea anemones and corals)
Medusozoa
Hydrozoa
(Hydra, siphonophores, etc.)
Cubozoa
(box jellies)
Staurozoa
Scyphozoa
(jellyfish, excluding
Staurozoa)
Placozoa
Bilateria
Myxozoa
Other Bilateria
(more complex)

 

Origens da Vida: Teoria da Cidade Perdida Como Berço da Vida

terça-feira, novembro 15th, 2016

xxxx

Artigo referente:

Lost city could have been cradle of life ( Cidade Perdida pode ter sido o berço da Vida)

http://www.telegraph.co.uk/news/science/science-news/3323815/Lost-city-could-have-been-cradle-of-life.html

Pesquisadores anunciaram que hidrocarbonos – o elemento de oleo, gaz e moléculas necessárias para a vida – esta sendo constantemente gerado por simples reações químicas na interação entre a água do mar e rochas debaixo da Cidade perdida no meio do Atlântico. (Uau! A 30 anos atras, quando registrei os copyrights da minha teoria, escrevi la’ que as origens da vida se deu em alguma praia onde as águas do mar se mistura com as rochas…Mas a minha descrição era muito mais complexa, onde, inclusive, eu escrevi que essa mistura so foi possível apos o aparecimento da Lua causando o vai-e-vem das mares)

Sendo hábil em produzir os building blocks da vida faz estes sítios, os quais são encontrados nos vários oceanos, serem os mais prováveis como o lugar onde a vida se originou na Terra, de acordo com o paper publicado no Journal Science.

Hidrocarbonos, moléculas com varias combinações de átomos de hidrogênio e carbono, são chaves para a vida celular. Por exemplo, as paredes celulares podem serem construídas de simples cadeias de carbono e aminoacidos e são cadeias curtas de hidrocarbono ligados a nitrogênio, oxigênio ou átomos sulfúricos.

” A geração de hidrocarbonos foi o primeiro passo, de outra maneira a Terra teria permanecido sem vida”, disse o cientista.

Uma analise descartou a origem biológica para os hidrocarbonos, os quais são materiais das reservas de gaz e oleo, que se formaram dos remanescentes de plantas e animais pre-históricos e caíram no leito dos mares. Mas no caso da Cidade Perdida, a verdadeira fonte dos hidrocarbonos é inorgânica, não viva.

“The detection of these organic building blocks from a non-biological source is possible evidence in our quest to understand the origin of life on this planet and other solar bodies,” Proskurowski says

A detecção destes building blocks orgânicos desde uma fonte não-biológica é possivel evidencia em nossa busca para entender a origem da vida neste planeta e outros astros do sistema solar.”, disse o cientista.

( ver mais no artigo)

Opinião da Matrix/DNA: Micróbios inteligentes porem sem conhecimento viviam na placenta de uma mulher gravida e assistiram os primeiros meses de formação do embrião. Muito pequenos, viram o inicio de combinações atômicas nunca vistas antes, quando carbonos se ligavam a hidrogênio e depois a estes se juntou o nitrogênio, o oxigênio, etc. Viam aquilo tornar-se uma especie de bolota, depois viram a bolota se dividir ao meio, depois estas duas se dividiram em quatro e assim por diante até começar a tomar uma forma de um girino. Ficaram fascinados e até hoje se perguntam se aquilo foi alguma magica ou foi mero acaso que aqueles átomos se encontraram ali e se combinaram e se desenvolveram daquela forma nunca vista antes.

Como se confirmou no teorema de Godel, ” quem esta dentro de um sistema nunca poderá saber a verdade deste sistema”. Para tanto tem que sair fora do sistema e olha-lo de fora, não tem outra maneira. E acontece que nos humanos estamos fora do sistema onde estão os micróbios e temos mais conhecimento e sabemos a verdade por trás daqueles eventos. Uma verdade que nunca jamais os micróbios entenderiam, pois nada sabem de vidas alienígenas mais complexas como os humanos, de reprodução, de gametas, DNA, etc. Jamis iriam crer que naqueles átomos existem forças internas e externas invisíveis, as quais, podemos chamar de “comando de instruções dos genes, ou do DNA”.

Esta hipotética metáfora serve para ilustrar o que esta’ acontecendo com os cientistas na Cidade Perdida. Eles não tem conhecimento de que nos elétrons daqueles átomos penetraram fótons vindos com material ejectado do núcleo terrestre e alcançado o leito dos oceanos pelos tais ventos marinhos, assim como pode ter estado ali tambem fótons vindos da energia solar. Eles não sabem que estes fótons pertenceram a um sistema meio-mecânico/meio-biológico que existe em tamanho astronomico, dentro do qual, inclusive este planeta e esta estrela pertencem. E eles possuem um modelo teórico cosmológico errado, que desfigura a face real do sistema que emitiu os fótons com um “comando de instruções”. Se eles tivessem o modelo correto dos “pais” da vida na Terra, teriam percebido já’ nas primeiras formacoes de aminoacidos, que estava se formando a face a imagem e semelhança da face dos progenitores.  Eles nem mesmo sabem ainda que qualquer onda de luz natural, como aquelas emitidas desde o Big Bang e que banharam toda a substancia escura deste Universo, já possuíam em si o código. este comando de instruções, para gerar a vida. Mas eles sabem que as partículas da Luz se chamam “fótons”.

Mas, claro, a Ciência progride, os instrumentos tecnológicos se tornam cada vez mais sofisticados, e oxalá – antes que nossa especie seja exterminada devido a falta de conhecimento da verdadeira moral que emerge da verdadeira visão do mundo – a tecnologia no trato com fótons se aprimore e consigamos “descobrir” qual a informação neles registrada. Por isso, e apenas agora me dou conta disso – devíamos investir tudo o que pudermos na busca do estudo sobre fótons.

Eu ainda prefiro o que as formulas e modelos teóricos da minha teoria sugeriram, ou seja, que os eventos destas origens se deram a céu aberto nas praias e não no fundo dos oceanos. Pois nos meus cálculos, os eventos foram fortemente influenciados pela luz do Sol… Alias, nunca vi nenhum fenômeno vital sem a presença da luz solar. Acho que não existe nem formação de vida sem forte presença de luz solar, e no fundo do oceano desta luz chega apenas esparsos fótons. Basta procurar praias onde existe material vulcânico, contendo sulfa).