Archive for the ‘planeta’ Category

Porque no Planeta Terra tem água, Vida e nos outros deste Sistema, não?

sexta-feira, agosto 3rd, 2018

xxxx

??

Video mostrando as maravilhas deste planeta:

https://www.facebook.com/earthescapevids/videos/349180758946573/?t=2

Não da’ para aceitar isso sem mais nem menos. Quando vejo as fotos do Hubble das superfícies de todos os outros planetas, desoladas, estereis, violentas, vazias, e a seguir vejo esta incrível complexidade na superfície deste planeta, tenho que perguntar: “O que aconteceu de tao diferente neste planeta? Qualquer que seja a resposta logo vem a seguinte pergunta: “E porque não nos outros?” E ai vem a Teoria da Matrix/DNA explicar: ” Primeiro, entenda que o Sol tem um campo magnético que começa no seu núcleo e se estende por todo o sistema. Segundo entenda que este campo emite ondas concêntricas. Terceiro, olhe no espectro eletromagnético, veras sete faixas de frequência, sendo a faixa justo no meio, a quarta faixa, o ponto de maior equilíbrio da onda. Justo onde esta a orbita da Terra. No ponto de equilíbrio não dominam nem os estados solido nem o gasoso da matéria, mas sim o estado do meio, o liquido, por isso, a água. Quarto,… entenda que a Vida e’ formada em superfícies onde se encontram os 50% de informações que estão no núcleo do planeta e vem ‘a superfície por vulcões, gases oceânicos, etc., mais 50% das informações sobre estrelas que vem gravadas nos fótons da luz solar, e que vem em condições ótimas de serem expressadas, o que acontece na quarta faixa vibracional. Assim, idade adequada, posição adequada e ótimo casamento de informações só pode irromper numa exuberância de vida… Nenhum outro planeta neste sistema reúne estas condições. Mas em muitos outros sistemas tem planetas iguais. Sera’ mesmo?

Teoria Gravitacional de Einstein/Newton x Teoria Do Entrelaçamento de Campos Magnéticos da Matrix/DNA

segunda-feira, julho 9th, 2018

xxxxx

Nova Frente de Pesquisa

Deve existir algum tipo de conexão, de trocas, entre um planeta e um pulsar, ou um pulsar e uma estrela, assim como entre planetas e estrelas. As setas da formula da Matrix/DNA conectando abstratamente os astros baseadas no fluxo do ciclo vital devem ser impulsos, pontes, que, se um astro anterior estiver próximo a um astro posterior, o fluxo deve se materializar de alguma maneira. O astro superior deve sugar algo do anterior enquanto serve de ancora, de hospedeiro, para manter a estabilidade/integridade do anterior.

E não vejo outra alternativa para estas conexões abstratas – vir-a-ser materializadas – que não seja os campos magnéticos destes astros.

Como no sistema solar faltam a maioria dos tipos de astros, estas conexões devem ser bem tênues (muito esticadas, pouco densas), mas fortes o suficiente para manter o sistema funcionando. E’ preciso então coletar aqui tudo o que as ciências astronômicas sabem hoje sobre campos magnéticos de cada astro do sistema solar para tentar montar o quadro dessa rede.

E’ preciso rever completamente as teorias gravitacionais de Newton (mecânica) e de Einstein ( o espaço curvo espiralado, a relatividade geral, etc.)

Qual a noção de “gravitação”, ou “força gravitacional” nas mentes de Newton e Einstein? E mesmo para a astronomia moderna? Como essa força encurva o espaço e insere uma especie de “rede para peixes” que tem a consistência para manter e mover os astros no espaço celeste `a semelhança de como a força do oceano mantem e move os peixe no meio de sua água?

Tenho a impressão de que o Sol tem um campo magnético que abrange totalmente o sistema, indo ate’ o externo cinturão de asteroides. Onde alcança a sua luz, os seus fótons, ali esta’ seu campo magnético. E como que ignorando a existência da matéria dos astros, quando esse campo solar magnético se encontra com campos magnéticos dos astros, alguma conexão deve se estabelecer, nos moldes da abstrata conexão do processo ou fluxo vital. E isto seria o responsável pela configuração e funcionamento do sistema hoje, e não a teórica gravitação universal também abstrata imaginada pelas mentes de Newton e Einstein. Os campos magnéticos devem sim agir sobre a também abstrata ainda desconhecida substancia espacial, contorcendo-a, encurvando-a, como sentimos acontecer ( e vemos acontecer com limalhas de ferro) aquela força invisível ao redor de imãs.

São duas grandes dificuldades para investigar esse assunto: 1) A formula da Matrix/DNA e’ também abstrata nos planos atômicos e astronômicos, ela se reveste de substancia material apenas como sistema biológico. Mas assim como a mente e’ abstrata porem tem uma força que pode mover a matéria – um braco, uma perna – assim também a formula pode estabelecer uma ação sobre a matéria de dois astros por ela conectados.; 2) Não sabemos como foi a passagem do primeiro processo de formação dos astros e sistemas astronômicos para o segundo processo.

Enfim, novo item a pensar, investigar,… e muito. Nunca se esquecendo de ter em mente como inspiração intuitiva a formula da Matrix/DNA. Se ela estiver errada ou não existir de fato, vamos elaborar uma teoria totalmente errada, mas mesmo essas sempre fornece situações imaginadas novas que podem ser reais.

xxxx

meu post no facebook em Julho/09/18

Isto parece filosofia maluca, sem utilidade, mas senão a praticar-mos, com todo o sacrifico mental que exige de nos, vamos para sempre continuar sendo torturados e mortos pelas doenças e ate’ por microscópicos vírus, porque não conhecemos e não entendemos como funcionam os elementos do nosso corpo. Ou perderemos a vida no planeta porque não sabemos como a natureza do planeta funciona. Então vamos la’:
A forma do seu corpo, adulta, se conecta `a já’ não existente forma de seu corpo no passado, adolescente? Claro que não, pois as duas formas não podem existir ao mesmo tempo. Mas nos sistemas naturais as sete formas diferentes de qualquer corpo ao longo de sua vida, se conectam. No caso do sistema celular, por exemplo, a forma do núcleo corresponde ao embrião, o ribossomo corresponde `a criança/adolescente, a mitocôndria ao adulto… e todas estas formas estão materializadas, fixadas, ao mesmo tempo. Os órgãos (organelas) da célula foram criados um a um porque o processo do ciclo vital – o qual faz nossos corpos mudarem de formas durante uma vida – fez com que uma organela produzisse outra organela com forma diferente, justamente a forma seguinte no ciclo vital ( esta foi uma das minhas maiores descobertas observando as coisas na selva). Elas não apenas devem se conectar, como existem numa relacao de simbiose, uma fornecendo `a outra o que ela precisa para existir.
Agora somos como uma equipe de médicos que tem na maca um paciente doente: um elefante. E não temos a menor ideia de como começar a procurar onde esta a doença que esta derrubando o elefante. na verdade esse paciente e’ o nosso planeta Terra. Ele esta doente, mas e’ enorme, e quase nada sabemos do seu corpo. O pior e’ que ele não e’ um paciente isolado, ele e’ como um órgão de um corpo muito maior, que e’ o sistema solar. E sabemos que o Sol e a Lua influenciam na vida do nosso planeta. Talvez os outros planetas ao redor também. Como vamos curar esse paciente, ou ao menos como vamos aprender a trata-lo com o carinho e o respeito que ele merece para ter vida longa e saudável, transmitindo essa saudê e longevidade `a nossa vida?
sei que a maioria das pessoas tem um bloqueio mental cultural quase invencível que perante estas perguntas elas imediatamente reagem negativamente: ” ora, isso não e’ assunto para eu gastar meu tempo e forçar minha mente, isto foi feito por Deus, esta escrito que vai vir o apocalipse, não temos nada a fazer senão se deixar levar pelos acontecimentos..” Eu rejeito energicamente este bloqueio e essa postura. Nosso destino dependem grande parte do nosso livre-arbítrio, nossas atitudes aqui e agora. Claro que as tempestades fora do nosso controle acontecem, mas podemos por exemplo evitar a tempestade que aniquilou os dinossauros, com a NASA desenvolvendo tecnologia para acertar e despedaçar meteoritos no espaço antes que nos atinjam.
Temos que quebrar a cabeça tentando adivinhar como esse sistema funciona, assim como fizeram Newton, Einstein. Mas eles não fizeram o suficiente, prova disso e’ que continuamos com o paciente doente sem saber o que fazer. Porem, eu desconfio que a formula para sistemas naturais que penso ter descoberto pode ser a fonte de muitas luzes para ver o que ainda não vimos neste sistema. Tanto que a formula esta levando meu raciocínio para hipóteses e teorias nunca pensadas antes. Neste artigo com link abaixo forneco umas pistas…

Ciência Humana: As bizarrices estão no mundo natural, não nas nossas teorias… Mas qual a função da teoria senão retratar o mundo real?!

sexta-feira, julho 6th, 2018

xxxx

Todos, mas todos mesmos, fenômenos constatados no espaço sideral que não batem com o modelo da teoria astronômica acadêmica, são chamados de ‘estranhos”, “bizarros” e para explicar todos sempre recorrem a um evento nunca provado: colisões cataclísmicas. Ora, a logica do mundo e’ ditada pela Natureza Universal e não pela mente humana. Se existe um fenômeno natural que a mente humana diz ser bizarro, a bizarrice, o erro, esta na mente humana e não na logica natural. Ou vamos mudar toda a Natureza Universal para satisfazer e se adaptar `a mente humana?

 

https://hypescience.com/colisao-bizarrices-urano/

Colisão há bilhões de anos pode explicar bizarrices de Urano

E meu comentário enviado ao artigo ( nunca sai publicado os comentários na hora. Verificar se são retidos pela moderação) 

Louis Morello – julho 07/06/18

Mais uma vez a Mágica Dona Colisão dos Céus vem matar uma inimiga bizarra da Invencível e Eterna Teoria Astronômica dos Homens. Esta teoria virou uma colcha de retalhos tão remendada que se algum não-torcedor dos humanos observá-la, não vai reconhecê-la no modelo original. Mas ao invés de ver que a bizarrice esta no modelo teórico e não nos astros, mantém-no com unhas e dentes. Eu sou torcedor dos humanos e desejaria que nossa visão do mundo esteja próxima da verdade, mas assim não da’. Se houvesse computador e simulação quando a teoria dizia que o Sol roda em volta da Terra, a Mágica Dona Colisão teria mantido integra a crença da Terra fixa no centro com unhas e dentes até aparecer o primeiro satélite.
Será possível que esse pessoal não desperta para perceber que algo na Teoria Nebular sobre a formação dos planetas e sistemas estelares esta’ muito errado? Basta olhar para o que este sistema astronomico produziu aqui, dentro dele, na superfície de um dos seus planetas, e portanto apenas com forças e elementos dele… os sistemas biológicos, aka “Vida”? Então onde estavam estas forças e elementos no estado do mundo a 3,5 bilhões de anos atras? Caíram de outra galaxia por magica? Primeiro de tudo, este sistema astronomico aplicou aqui o chamado processo do ciclo vital. Onde um corpo surge do material existente, cresce transformando-se em varias formas, amadurece, degenera e morre. Os criados sistemas biológicos inventaram este processo do nada? Por mágica ou novamente por uma colisão salvadora? Não: se este processo foi aplicado pelo sistema astronomico e’ porque ele próprio ele foi formado pelo processo. Apliquei esta possibilidade numa estrela leve formada nos primórdios da nebulosa de átomos e vi nos cálculos simuladores a estrela se transformando e tomando as formas dos outros seis tipos de astros conhecidos, de quasares a planetas a pulsares.
Oh… mas usar um fato natural comprovado e conhecido por todos aqui como parâmetro para elaborar um modelo teórico astronomico e’ coisa de louco… o certo e’ imaginar o que nunca se viu ( astros surgindo por acaso e geração espontânea na forma que são, como Deus criou todas as especies na forma que estão), isso e’ racional… Urano, terá’ suas bizarrices explicadas quando aprenderem que existiu dois processos de formação dos sistemas astronômicos e saberem calcular como o primeiro processo evoluiu para o segundo, o que ainda não fiz.
Quando levanto os olhos nus ao céu e vejo o esplendor do estado de ordem, a incrível suavidade e exatidão da mecânica celeste, e não vejo nenhuma colisão, nada que revele o estado de caos desta biosfera a qual o homem projeta ao Cosmos antropomorficamente, e me lembro destas teorias das colisões caóticas, sinto revolta desta heresia contra o gênio da mecânica Newtoniana.

Onda magnetica emitida pelo Polo Sul: anatomia do planeta pela formula da Matrix/DNA?

quarta-feira, julho 4th, 2018

xxxx

What’s Really Going On? Another Huge Wave Anomaly Caught Coming from Antarctica

E’ preciso notar que o autor deste video fez brilhantes predicoes. Em 2017 ele disse que a concentracao e movimento das ondas sobre a America central poderia causar terremotos. E em 2018 houve terremotos nesta regiao e mais ainda, a erupcao de vulcoes.

Ok. Para quem tem a cosmovisao da Matrix/DNA em mente, uma onda emitida por um polo do planeta lembra as ” ondas ” emitidas pelas funcoes 1 e 4 da formula.

Entao a seguir vem uma hipotese: os polos norte e sul do planeta estao para a formula justamente como F1 e F4. Conclusao: os dois polos podem emitir “alguma coisa relacionada as partes do sistema que constituem o planeta”. Mais exaytamente F1 pode emitir o germe de uma nova parte ( ou se as partes estao fixadas, uma nova onda que avancara reafirmando a existencia de todas as partes); e F4 pode emitir o sinal para F1 emitir o germe.

Entao tem que haver uma atencao voltada para esta questao: os polos realmente representam F1 e F4? Se sim, qual e’ F1 e qual F4?

Numa seguinte analise, e perguntando-se o que ou quais seriam as partes do sistema-planeta, surgem duas alternativas: ou podem ser as camadas esfericas a partir do nucleo ( como sao as partes no atomo), ou podem ser os continentes (o numero de continentes bate com o numero de partes, e os continentes se situam em posicoes na superficie do circuito esferico que lembra as posicoes das partes na formula). Essa questao nao foi solucionada ainda.

Se, o Polo Sul for realmente uma funcao da formula e justamente F1, e se F1 planetario emite germes na forma de ondas do campo magnetico, e ainda se estas ondas afetam cada parte onde chegam, a primeira parte a ser atingida e apresentasr efeitos seria F2, em cuja posicao estao a America do Sul e America Central. Em seguida seria afetada F3, America do Norte e Groenlandia. A seguir seria F6, a Europa, ou Eurasia, abarcando os dois porque pertencem ao mesmo continente. E depois Africa, Oceania (F7).

A hipotese ja’ fornece assim algum elemento para ser testada. De fato houve turbulencias em F2, em 2018. Devemos ficar atentos se houver turbulencias em F3, e depois nos demais continentes e nesta mesma sequencia.

Digno de nota aqui e’ como a Historia Humana bate com a formula. A formula funciona formado pelo p;rocesso do ciclo vital, o qual transforma as formas das partes, instalando um circuito sistemico no sentido horario. Pois a Historia Humana e a lovcalizacao dos povos em seus continentes parece repetir exatamente esta sequencia em sentido horario do ciclo vital.

A F2 representa o mais novo, o embriao feito crianca. nesta posicao estao as Americas, que justamente em termos da Historia Humana sao os povos mais “novos”; a funcao 3 representa um grau mais avancado, em que a crianca se torna adolescente e ate jovem adulto iniciando a puberdade: o povo da America do Norte apresenta um nivel mais evoluido, mais Maduro, que as outras duas Americas; F6 reprenta o adulto da puberdade ao inicio da senilidade, a idade da maior atividade e assimilacao da aprendizagem, o que parece exatamente o papel do povo europeu e a mais velha ainda Asia, na Historia; a F7 representa a senilidade ou decadencia do sistema. De fato, o povo do continente africano deveria ser considerado o mais velho do planeta, pois foi la’ a a origem da humanidade e de onde sairam os povos para os outros continentes.

 

 

A primeira foto de um planeta em formação na Historia da Humanidade?!

segunda-feira, julho 2nd, 2018

xxxx

Esta é a primeira foto de um planeta em formação

Em 02 de julho de 2018

Esta é a primeira foto de um planeta em formação

Analise do texto:

HypeScience: ” Pela primeira vez, os astrônomos capturaram uma imagem direta de um planeta enquanto ele se formava através do disco de poeira que envolve sua estrela, uma anã-laranja a 370 anos-luz da Terra. A estrela chama-se PDS 70 e os astrônomos há muito suspeitavam da existência do planeta em formação à sua volta. Ele foi nomeado PDS 70b ”

Matrix/DNA ; ” Se e’ uma anã-laranja e tem um disco de poeira 1a sua volta, pode significar duas possibilidades exatamente contrárias entre si: ou e’ uma estrela nova, recem-formada ( cujo quadro bate com a teoria da Matrix/DNA) tal como acreditado pela teoria academica, ou pode ser o oposto, uma estrela velha, morrendo, se desfazendo em poeira estelar ( hipotese nao aceita pela teoria academica mas tambem se enquadra na teoria da Matrix/DNA, pois esta sugere em seus modelos que, `a distancia, as duas situacoes podem apresentar imagens iguais). Precisamos mais dados… Podemos estar na mesma situacao que foi uma armadilha aos antigos: ” Tudo indica que a Terra e’ fixa e quem se move e’ o Sol” … para depois descobrir-mos que a imagem nos levou a uma ilusao de otica.

HypeScience: ” Estrelas recém-formadas são orbitadas por um disco rodopiante de poeira, rochas e gás. Acredita-se que a formação planetária ocorre quando essas partículas colidem umas com as outras, crescendo e se tornando mais fortes gravitacionalmente, coletando material de seu caminho orbital.”

Matrix/DNA: ” E’ possivel que seja tudo assim, de acordo com o modelo astronomico da Matrix/DNA. Mas apenas se este for o segundo o processo de formacao dos astros, que se desenvolveu a partir do primeiro processo. No primeiro processo, o da formacao dos building blocks das galaxias, o que nasce de uma nebulosa de poeira e gaz rotativa e’ o nucleo dos astros, um corpo pequeno e constituido por uma especie de ferro incandescente, o qual nao brilha muito. Justamente como nesta imagem, da qual o modelo academico diz ser uma estrela pequena, ana , mas preciso ainda da informacao sobre a intensidade de seu brilho.  A seguir, no mesmo ninho em que sao formados varios nucleos ou germes de astros, quando estes se distancaim do centro da nebulosa ( ou enquanto o centro da nebulosa se desfaz ) e atravessam a zona de poeira e gaz congelada, estes nucleos recebem a agregacao desta poeira congelada cobrindo-o, e nisso se torna um planeta. Porem, segundo a informacao adiante de que o planeta da foto gira em orbita da estrela descarta a possibilidade de ser o primeiro processo, pois o planeta formado se afasta do centro do ninho e portanto de todos os outros germes sendo ainda formados. Precisamos de mais informacoes… que aqui aventariam a possibilidade de nos ajudar a calcular como se da’ o segundo processo de formacao astronomica.”

HypeScience: ” Agora, finalmente fizemos uma imagem direta de uma dessas lacunas, no disco protoplanetário da PDS 70, descoberto em 2012 por pesquisadores do Instituto Max Planck de Astronomia (Alemanha) e do Observatório Europeu do Sul, uma organização intergovernamental sediada na Alemanha.”

Matrix/DNA : Então o que tínhamos era imagens de estrelas pequenas rodeadas por um disco de poeira e gás, e dentro destas nebulosas de poeira haviam lacunas, como buracos. Utilizando novas técnicas foi possível ver o que existe dentro destas lacunas, e as evidências sugerem ser um planeta em formação. Não se explica ainda varias questões, como por exemplo, porque a nuvem de poeira adquire a forma de disco plano, quando o mais logico seria se apresentar como uma esfera ou outra figura disforme. As relações entre a gravitação e a substância espacial  – que seja a dark matter – e considerando-se o espaço curvo da relatividade, não explica o disco.  Por sua vez, o modelo da Matrix/DNA sugere que no inicio a nebulosa adquire a forma espiral devido seu movimento de rotação em torno de um eixo o qual e’ constituído da matéria mais pesada e incandescente da nebulosa, e depois da formação dos astros essa espiral se desfaz como um disco plano, mesmo que ainda mantendo no centro um pico sugerindo uma espiral. Tal como a maioria das imagens que temos de galáxias hoje. No entanto, talvez a teoria acadêmica tenha uma explicação convincente ou uma teoria sobre o porque a nuvem adquire a forma de disco plano, apenas eu ainda a desconheça ( pesquisar isso).

 

 

 

 

 

 

De planeta a pulsar, como se desenvolvem os vulcoes… e cometas

terça-feira, junho 5th, 2018

xxxx

Predicting How Fast Magma Is Building Below Yellowstone

https://www.msn.com/en-us/weather/topstories/predicting-how-fast-magma-is-building-below-yellowstone/ar-AAyfbJI?li=BBnbfcL&ocid=spartanntp

(varias novas informacoes sobre o que se sabe e novas teorias a respeito do nucleo e sua atividade produzindo magmas. O artigo acima da MSN leva ao paper abaixo:

Direct measurement of advective heat flux from several Yellowstone hot springs, Wyoming, USA

(paper com free PDF em 16 paginas. A minha pesquisa no PDF deve definir os termos tecnicos, etc.)

https://pubs.geoscienceworld.org/gsa/geosphere/article/531475/Direct-measurement-of-advective-heat-flux-from

water next to the ocean

© Provided by IBT Media

A Terra – Uma Criatura Viva. Bonito Video pela NASA porem, com um grave equivoco…

segunda-feira, outubro 23rd, 2017

xxxx

https://www.youtube.com/watch?v=zlqjz9OEhk0&lc=z12wdnjjypaespbxl04cdzcbjpjzh3kp224.1508662277159596

My comment posted in YouTube at 1023/2017

The signals of a living planet are not seen at its external appearance, like the first almost-living creature produced in this planet – viruses – has no external signals of life. The active nucleus and its surrounding layers are showing the same signals that a corn seed will show when inserted into the land and receiving water/sun’s light. Biological systems, (aka, life) were made by and inside these astronomic systems (stellar and galactic system) so, it is rational to think that all basic elements and life’s properties must be present in a very primordial shape in these systems. The current astronomical models are wrong that’s why you are not seeing the clear signals of primordial life in this planet. As planet’s nucleus we have the germ of new stars and if this Milk Way is old enough that would be formed by the first process of galactic formation, we will see in the next thousands years the big transformations as every living thing. By the way, the video is a brilliant art work and has a good message. Congratulations to NASA.

And…

My comment posted at 08/22/2017

So,… who says that life came from non-life? Or who needs magical gods for explaining life here? Earth is not a living creature as we understand “life”, but it is not non-life also. Any living being is a working system and Earth is not a system in itself, it is merely part of a system, called stellar system. System only comes from previous systems, there are no self-organizing systems. We can not making comparisons between systems as living beings with parts of systems, like Earth. So, is the stellar system, more “alive”? Has it all forces and elements for producing organic matter and biological systems? Where “life” came from? Thinking about this question, applying comparative anatomy between these systems, I elaborated Matrix/DNA Theory with the following explanation: No, a stellar system alone has no all forces and elements necessary for building biological systems, but a building block of galaxies has all forces, all elements, and the exactly anatomical configuration for reproducing itself – nannotechnologically – as the building blocks of DNA, a lateral base-pair of nucleotide. The evolution of these building blocks towards the fist cell system was due the new state of matter, water, and its production, organic chemistry. Earth alone, neither this stellar system are alive, but they are organs, or parts, of something half-alive… By the way, Earth, the Sun, this system and this galaxy are our ancestors like bacteria and monkeys are… ( this is merely, a theory, don’t forget it)

A Formacao do Planeta e a Origem da Vida

terça-feira, outubro 3rd, 2017

xxxx

(Artigo em construção: rever e anotar novidades)

32:32 – Termal vents (black smoker) resulta da constante movimentacao das placas tectonicas que provocam a penetracao da agua no interior do planeta reagindo com magma e sendo expelida como vapor negro, e nisso traz consigo informacoes matriciais do nucleo da Terra.

33:08 – Sulfite minerals – provindo das aguas profundas misturadas com magma, estes minerais tem a propriedade de catalizar reacoes quimicas que produzem moleculas primordiais da vida, o que confirma a nossa teoria matricial de que  os primeiros 50% da abiogenese foi dirigido por informacoes do nucleo planetario. Mas este fato chama atencao para outro aspecto matricial que estamos tentando desvendar. Parece que os elementos atomicos que formam as primeiras moleculas vitais possuem um estado vibracional/frequencia de onda especifico do espectro da onda de luz (traduzido em energia). Quando estao em ambientes dominados pelas outras seis faixas da onda estao instaveis, e assim nao podem formar mutuas conexoes duradouras entre si. Mas quando estao num ambiente dominado pela mesma faixa que a sua, se estabilizam e formam as conecoes. Entao, catalise seria isto: um elemento do ambiente externo de identidade igual dos elementos reagentes. E nisso vai bater a teoria matricial, pois o sulfite pertence ao nucleo planetario entao a uma das primeiras faixas de onda, enquanto a vida comeca por suas combinacoes iniciais que dizem respeito tambem as primeiras faixas de onda.

Planetas: Teorias da formação Pela Academia de Ciências e pela Matrix/DNA Theory

terça-feira, agosto 22nd, 2017

xxxx

A Short History of Planet Formation

https://www.youtube.com/watch?v=VAKSzsJcpQk

Louis Charles Morelli Louis Charles Morelli – 8/22/2017

There are four ways for searching planet formation: 1) reductionist, is what Dr. Shahar is doing, first studying the basic Physics and Chemistry of it system’s components: 2) Systemic, which is comparisons between a system and the Matrix/DNA universal formula for systems, and making comparative anatomy between systems: 3) Trying to compose the history, from the past Big Bang to nowadays, and 4) From the future to the past, going from the final product today built by the forces and elements as a system and trying to know the reverse of its evolution, going towards the Big Bang. I am not well informed, I have knowledge of works being doing by Academic Science only by methods 1 and 3. So, I tried something about methods 2 and 4 and I got the Matrix/DNA astronomical models and theory. It results in a different general world view which affects the approaches to astronomic bodies formation. What will happen if academic researches tries methods 2 and 4? Maybe it will reduce time, money and sacrifices for getting the final knowledge.

Astronomia: Formação de Sistemas Astronômicos pelo Segundo Método

domingo, agosto 20th, 2017

xxxx

Assistindo ( link abaixo) a moderna teoria astronômica acadêmica sobre formação de sistemas estelares onde a estrela nasce primeiro que os planetas – tive uma ideia para explicar o segundo método da formação de sistemas astronômicos.

Depois de seu primeiro método de formação – que foi simbioses – a célula aprendeu a se replicar já adulta, meramente se multiplicando já pronta. Então porque este método não teria vindo do ancestral astronomico? Se sim, isto significa que depois do método da simbiose – que formou as primeiras galaxias ou o building block de galaxias – tanto sistemas estelares quanto galácticos aprenderam a se reciclarem já adultos, prontos. Então neste segundo método, realmente a teoria acadêmica está correta.

Isto encerra a pesquisa da Matrix/DNA sobre o segundo método na formação de sistemas astronômicos.

Porem ela não conhece ainda o primeiro método e isto desvirtua a interpretação do que são sistemas astronômicos em seguida desvia o conhecimento dos processos nas origens da vida e de seu significado, pois o primeiro método mostra sua face biológica, que obedeceram, na sua primeira geração, a formação de cada astro pelo processo do ciclo vital.

https://www.youtube.com/watch?v=VAKSzsJcpQk