Archive for the ‘Doenças’ Category

Câncer Paradoxo: Porque a maioria não expressa a doença? Corpo Humano como ecossistema…

sábado, outubro 20th, 2018

Mais noticia ruim e irracional. Descobriram que a maioria das pessoas saudáveis tem as mesmas causas dos que tiveram câncer. Agora não se admira mais´porque tenta gente tem cancer e sim porque todos não tem. A grande questão agora e’ saber como os corpos da maioria sem câncer conseguem evita-lo. E estas mutações estão acontecendo em células profundas que nada tem a ver com cigarro, álcool, ultravioleta, e nada adianta os cuidados do corpo em dietas, exercícios… Baseado na formula da Matrix/DNA, continuo insistindo que essas mutacoes são produzidas a nível do corpo como sistema, o qual tem sua entidade, a qual pode atuar sobre cada célula. Mas eles insistem em procurar na célula, a nível molecular, como sempre fez o método reducionista. Tem cientista opinando que a resposta e’ que o corpo e’ um ecossistema, e se esta aumentando a população de uma especie por um tipo de mutação, o corpo produz uma especie ade células adversarias que competem com os recursos, mantendo as cancerosas em baixo numero. este esta quase chegando onde estou apontando.

Healthy cells carry a surprising number of cancer-linked mutations, but they don’t turn into tumors. What’s holding them back?

https://www.nytimes.com/2018/10/18/science/cancer-genetic-mutations.html

Fato cientifico e mais Matrix/DNA sugerem a existencia da aura, e uma tecnica de meditacao para se autocurar.

quinta-feira, outubro 11th, 2018

xxxx

Em 1864, durante a guerra da Prússia com a Dinamarca, o médico alemão Gustav Fritsch tratou de muitos soldados com ferimentos que deixavam o cérebro à mostra e observou que, quando ele tocava num hemisfério cerebral, o lado oposto do corpo estremecia. Mais tarde Fritsch demonstrou sistematicamente que, quando ele estimulava eletricamente o cérebro, o hemisfério esquerdo controlava o lado direito do corpo e vice-versa. Foi uma descoberta fantástica, demonstrando que o cérebro é de natureza basicamente elétrica, e que uma região controla o lado oposto do corpo.

Isto vem de encontro ao que minha pesquisa pessoal – aplicando tantos métodos diferentes, como anatomia comparada entre sistemas vivos e não-vivos, hipnotismo dos curandeiros sob o Santo Daime na selva amazônica, etc – esta’ sugerindo, e devido a tal sugestao elaborei um esquema de meditação técnica que aplicada nos casos que tive ferimentos ou inicio de doencas, para mim tem dados resultados que, se não forem meras coincidentes, são quase “magicos”. Veja a sequencia da pesquisa que me levou a esta conclusão:

  1. O metodo da anatomia comparada entre todos os sistemas naturais me levou a descobrir um padrão comum em todos, consistindo de um circuito energético dinâmico idêntico a uma formula para sistemas;
  2. Se este circuito estava na primeira celula viva e estava tambem no sistema astronômico que criou esta celula, o processo pelo qual este circuito ou formula passou do sistema astronomico para o sistema celular deveria ser o da transmissão genetica. Experimentando aplicar o resultado calculado deste processo cheguei aos genes semi-vivos, que seriam particulas fotons emitidas tambem pelo Sol. Mas quando todos fotons se juntavam aqui na superficie da Terra, formavam uma especie de formula invisível que penetram atomos terrestres organizando-os nos sistemas vivos e passando a constituir uma especie de aura destes sistemas, que seria outro nome para o padrão comum que encontrei;
  3. Os depoimentos visionários dos xamans relatavam a visao de uma figura energética indo do cerebro aos quadris, e quando desenhei esta figura notei que coincidia surpreendentemente com os relatos de milhares de anos atras dos videntes orientais, que criaram aqueles desenhos de aura compostos de duas serpentes (kundaline) enroscada em espiral tendo entre elas, especies de sois luminosos cada qual numa cor, que chamaram de chakras. Mas o relato dos xamans acrescentavam algo mais ao desenho oriental: uma especie de vórtice turbilhonar escuro – descrito por eles como um buraco negro – situado mais ou menos no alto da cabeca, sobre o cortex. O qual viria a se tornar a funcao F1 na formula da Matrix/DNA;
  4. Juntando as quatro pistas – o desenho da figura sistêmica vinda da galáxia que era o padrão comum, mais o relato dos xamans, mais os relatos dos orientais, e mais o nosso conhecimento atual científico do DNA, cheguei a conclusão que a tal aura nada mais seria que um gigantesco DNA feito como sinapses das conexoes dos fotons dentro dos atomos ocupando o corpo todo e ao qual todos os outros bilhoes de microscópicos DNAs das celulas prestam culto. Pois as tais serpentes que se mexiam e contorciam se assemelham as duas hastes do DNA, ambas em espiral, e os chacras no meio delas seriam as moléculas de bases nitrogenadas. Mas entao a aura seria apenas duas secções do DNA, uma menor apenas formando a cabeca seu cerebro, e a outra maior formando o tronco e quadris.
  5. Considerando as conexões conhecidas entre o cerebro e as demais partes do corpo, e sabendo-se que no DNA, se numa secção a haste A esta’ na direita, na proxima ela torce-se para se tornar a haste B na esquerda, estava previsto que a haste A que vinha do lado direito do cerebro estaria passando pelo lado esquerdo do tronco, e vice-versa.

E esta teoria toda, resultado de 30 anos de trabalho, sofreu em forte embalo quando tomei conhecimento do fato descoberto pelos cientistas. Porem, a meu ver o mais importante disso e’ que a teoria toda estava firmemente apontando a sugestao de que nosso cerebro, atraves da nossa mente ( e aqui tive nova grande surpresa quando tomei conhecimento dos conceitos extraídos pelos cientistas que lidavam com os fenomenos quânticos, o que veio a ocorrer bem mais tarde) pode captar estas particulas fotons do ar ( no relato do xaman elas flutuam em volta dos corpos humanos e são atraídas pelo vórtice turbilhonar na posicao do cortex), e dirigi-las atraves dos circuitos energéticos que são as hastes da aura para todo local do corpo onde ocorre algum problema. Como a mente conhece a formula para sistema perfeito e considera que esta formula e’ composta pelos fotons, a mente pode organizar mentalmente a formula perfeita aplicando-a na região afetada, a qual certamente estará com alguma parte da sua copia da formula com algum defeito, e assim fazer a formula perfeita se impor e consertar os problemas fisiológicos na região. Nisto consiste o tipo de meditação que planejei e que me surpreendeu quando tive acidentes graves ficando prontamente curado e sem dor, ou quando estava sendo atacado, contaminado por agentes nocivos com o perigo de iniciar uma doenca grave, como as malarias na selva ou uma simples gripe nas cidades. Mas como sou filosofo naturalista sou entao o mais extremista materialista, e portanto o maior cético que so acredita no que puder ver e tocar, e como so apliquei esta técnica sobre mim mesmo, não posso ser desonesto afirmando que ela existe e funciona. Para alguém interessado eu so posso sugerir: e’ pegar ou largar. Eu não largo pois apos 40 anos depois que aprendi isto e não ter sido necessario tomar um comprimido sequer para nada, sem nunca ter ficado doente ou com sequelas graves de acidentes, eu repito: não vou largar porque…

” em time que esta’ ganhando – mesmo que não se saiba por que esta’ ganhando – não se mexe.”

Pesquisa: Ataque de oxidantes produzindo radicais livres na célula

quinta-feira, outubro 4th, 2018

xxxxx

Ataque excessivo de oxidante produz free radicals que ofende a célula principalmente o retículo endoplásmatico, importante órgão na confecção de proteínas.

Localizo este ataque como sendo do agente F7+F1 e preciso saber porque afeta primeiramente o R.E.

Importante e bem informativo paper para entender e pesquisar, principalmente porque foi feito por pessoas da Universidade de Londrina, com quem posso tentar debate, na tentativa de ir aprendendo como aplicar a formula Matrix/DNA na pratica.

https://www.researchgate.net/publication/257373523_Chemoprotective_action_of_L–selenomethionine_on_the_modulation_of_genes_involved_in_oxidative_stress_and_in_the_UPR_pathway

Idéia: As doenças sistêmicas não poderiam ter como causa a atemporalidade da network fotônica?

quarta-feira, agosto 29th, 2018

xxxx

Num dos últimos artigos aqui, cheguei a uma conclusão de que a mente não reconhece tempo e espaço, ela não tem lugar no espaço nem nas idades. Seria atemporal. Em outros artigos cheguei a conclusão que a mente nada mais é que uma nova forma do sistema universal. E antes tinha chegado a conclusão que a formula para sistema universal surgiu na forma de luz. O copo humano é um sistema, formado de ossos, órgãos, etc. Tudo isto se refere a espaço, ocupam um lugar no espaço. Mas o corpo humano é também outro sistema em relacao ao tempo: se alinhar-mos todas as formas diferentes do corpo na mesma sequencia etária, acabamos por obter a mesma formula para sistemas.

Alem disso, alongo tempo minhas formulas e modelos vem sugerindo que as doenças mortais milenares, como câncer, diabetes, tem causas não localizadas, mas sim resultantes de mal funcionamento do sistema.

Ora isto pode significar que os genes ou outros elementos no corpo que estão inertes, ou em estado potencial apenas, porque vão atuar em formas mais avançadas na idade, podem retroagir entrando em atividade numa forma precoce. Isto causaria enorme distúrbio no sistema. Doenças…

Fica aqui registrada esta ideia maluca repentina porque tem nexo, para refletir nela com mais tempo…

Por exemplo, uma criança ou jovem pode estar tendo algum comportamento errado em relacao a forma que lhe esta definida no futuro quando for adulto ou idoso…

Estudo do Cérebro: Psicocirurgia, cirurgias nos cérebros com doenças mentais

sexta-feira, abril 6th, 2018

xxxxx

E’ importante o artigo como um apanhado geral da historia e evolução das técnicas de cirurgias cerebrais. O texto copiado abaixo da’ uma ideia de como já sabem dos circuitos no cérebro:

Psicocirurgia: passado, presente e futuro

Deve ser enfatizado que os gânglios da base são o alvo inicial para todos os circuitos do lobo frontal, e que uma compreensão da estrutura e função dos gânglios da base é essencial. Os gânglios da base compreendem um complexo sistema de processamento que, em essência, interpreta sinais corticais difusos no estriado e retorna informações ao córtex através do globo pálido, substância negra e tálamo. É importante notar que as lesões das estruturas dos gânglios da base dentro do circuito frontal podem originar distúrbios que se assemelham a lesões do lobo frontal. Embora não tão prevalente ou amplamente estudado, tais síndromes estriatais também existem em que desinibição e disfunção executiva foram documentadas [20].

A dança do DNA: mais uma esplêndida descoberta prevista e explicada pela formula da Matrix/DNAd

sexta-feira, fevereiro 9th, 2018

xxxx

APRENDENDO A EXTRAORDINÁRIA ENGENHARIA DA NATUREZA

Baseado no artigo:

Dynamic DNA dance identified with new CRISPR/Cas9-based labeling

http://med.stanford.edu/news/all-news/2018/02/dynamic-dna-dance-identified-with-new-crispr-cas9-based-labeling.html

Meu comentario postado no Facebook em fev/09/18

Imagine que você precise amarrar o cadarço do sapato, e está em pé. Obvio que voce nao vai curvar a coluna tentando levar as mãos ao pe. Então sua mente entra em cena para planejar e mover seu corpo. De alguma maneira, seja sentado ou com os pés em cima de algum patamar, você vai dobrar as pernas. Quer dizer, você vai puxar os pés para mais perto das mãos. Pois bem..

Cientistas descobriram agora que o DNA faz a mesmíssima coisa quando vai produzir uma proteína mas uma parte do código está num local dele e outra parte esta longe. Ele se rebola, dança, puxa a parte distante para perto… Foi mais uma daquelas descobertas que deixou os cientistas boquiabertos, porque nunca tinham imaginado que o DNA faz isso e o mistério de como partes distantes do DNA se ligam tem gasto muito tempo em estudos e experiências.

Aqui na Matrix/DNA visão do mundo, estou comemorando mais uma conquista. Pois minha teoria previa isso e sugeria uma explicação. Esta os cientistas não pensaram ainda.

Ao contrario da crença geral de que o DNA seria um código genético, tenho dito que não e’, e sim uma mera pilha de cópias diferenciadas de um único sistema. Mas aí vem a segunda parte que os cientistas desconhecem: todos os sistemas naturais, de atomos a galaxias a building blocks ou tijolinhos do DNA, foram feitos por uma mesma e única formula natural. A qual eu montei e denominei “Matrix/DNA”.

Acontece que essa formula, quando comparada e colocada como template ou forma de fundo de qualquer sistema natural, nos abre um leque imenso de descobertas sobre o que na realidade são os sistemas naturais. Ela me levou a descobertas de arrepiar os cabelos, por exemplo, a percepção pela primeira vez no mundo de que uma mao humana mostra exatamente o enredo da história da nossa vida: a palma representa a fonte da criacao como a barriga de uma mulher grávida, o dedo mindinho representa o corpo na forma de baby, o outro a forma de criança ate o polegar encurvado representar o velhinho idoso. Mas isto nao e’ mero acaso: a formula dos sistemas foi feita com um único corpo sendo modificado pela força do ciclo vital, então cada forma diferente se torna uma parte funcional que depois o circuito se fecha e assim surge um sistema perfeito, vivo! E para fazer as mãos, a natureza forneceu uma cópia da mesma formula. As sociedades de abelhas e formigas que funcionam de forma engrenada e automática se encaixam perfeitamente nos seus mínimos detalhes quando as comparo com a formula. E assim por diante, a cada dia vou descobrindo que milhões de coisas na Natureza agora se explicam maravilhosamente.

Mas o que tem a ver a formula da Matrix/DNA com a danca do DNA descoberta agora?

Ora, uma outra revelação da formula e’ que todo sistema natural cria sua própria identidade. E’ uma entidade abstrata, oculta aos nossos sentidos, mas que pode ser percebida ao se observar os efeitos internos e externos, e as historias dos sistemas. Esta entidade emerge como o conjunto de informações do sistema, ou seja, a soma das informações de cada parte do sistema, mais as informações das interconexões destas partes e as relações externas. Dois exemplos fáceis são a mente no cérebro e o software no seu computador, o qual, por não ser um sistema-hardware natural, não pode criar sua própria personalidade.

E então, alem do DNA ser uma pilha de cópias diferenciadas de um sistema, quando ele se torna uma individualidade, estas regiões de cópias passam a serem suas partes e no seu todo ele se torna tambem um sistema. A forma de seu sistema e’ uma projeção evolutiva do sistema que e’ seu building block. Entao, novamente a Matrix/DNA…

Voltando-nos agora para os cientistas que ate hoje nao sairam do laboratorio pois estão embasbacados observando o que descobriram, eu perguntaria a eles qual a forssa, a causa, que move o DNA a se mover e dançar assim de maneira a executar uma obra, específica?! Pois na realidade – ignorando-se os segredos nas entrelinhas – o DNA nada mais e’ que uma porção de átomos conectados entre si ao que se denomina de molécula. Ora, atomos e moleculas nao tem inteligencia alguma para executarem nada previamente planejado. Muito menos poderiam prever o futuro, pois fazer algo desejado e’ prever de antemão a imagem do objeto que se vai fazer. Claro, os cientistas não tem a menor explicação e vão sempre responder do mesmo jeito: “Bem,… e’ isso que acontece. e’ isso que vemos acontecer – a dança – apenas isso que sabemos e agora vamos procurar utilidades práticas nessa descoberta”. A Ciencia descreve fenomenos e eventos, separados entre si. Quem busca causas, razões e tenta conectar os fenômenos para obter um quadro geral, sao os filósofos naturalistas, como eu. A ciência vê um aborígene ou um pássaro movendo-se numa espécie de dança e para por aí, emitindo um postulado: ” Eles se movem dancando”. E este comportamento e’ aleatório, não faz sentido. Apenas quem vê o conjunto e busca mais a fundo porque eles dançam vão perceber que a dança tem um motivo prático, logico, que e’ seduzir um possível parceiro sexual.

O que esta movendo o DNA a se contorcer, dobrar-se, e’ sua “mente”, sua entidade personalizada como sistema natural. Claro que sendo uma arquitetura muito simples, um arranjo molecular de átomos, e’ uma entidade sem qualquer consciência, sem inteligência para planejar projetos futuros. ‘E uma entidade um grau mais evoluída do que a entidade do planeta Terra, que mantem todo este sistema complicado funcionando numa equilibrada homeostase, gerando furacoes para corrigir indesejadas compressões, blocos de gelo num lugar para diminuir uma tórrida e perigosa temperatura em outro lugar, essa nossa sagrada sabedoria da mãe Terra a qual denominamos de Deusa Gaia. Mas mesmo assim, tanto Gaia quanto a entidade do DNA são queridas ancestrais do que hoje se tornou a prodigiosa mente humana. Uma linhagem evolucionária da qual a Matrix/DNA está aqui apontando com firmeza, emergiu la’ nas origens do Universo junto com o Big Bang.

Porém, o conhecimento deste mundo todo novo revelado por essa formula me leva ja’ a planejar mais um passo de pesquisas além da descoberta de hoje. Pois como a entidade do DNA “sabe” que la no meio da célula, ou na corrente sanguínea além da célula, ou la no fígado do organismo, esta precisando de uma especifica proteina, dentre as mais de 20.000 existentes?! Ora, não pode saber, ele mal poderia saber o que acontece dentro de seu casulo nucleico. Entao de onde parte o inicio do projeto, quem ou o que notifica o DNA do projeto a fazer? Esta questão me apareceu apenas agora, então corro para o oráculo da fórmula mais uma vez. E a resposta surge clara, limpida, obvia! Ora, o DNA criou um organismo, o corpo humano, que e’ um sistema e portanto tem uma entidade. Isso ai nada mais e’ que um papo, uma conversa entre entidades ocultas ocorrendo dentro do nosso corpo! Penso que a entidade organica que se ocupa disso nao seja a mente, e sim a entidade do sistema nervoso secundario que cuida de todas as tarefas rotineiras automaticamente, como a respiração. A mente e’ outra forma mais evoluída vinda destas entidades antigas e internas, ela e’ entidade de um novo sistema mil vezes mais complexo, denominado cérebro.

Então agora surge a questão que me levaria correndo ao laboratorio de seu tivesse acesso a algum: como a entidade do organismo se comunica com cada entidade de cada DNA?! E olha: descobrir isso pode ser um duro golpe eliminando a maioria das doenças com causas sistemicas, como diabetes, cancer, etc. Oxala’ alguem que seja alguem de fato e não apenas um mero meio-macaco melhorado recém vindo da selva resolva ressuscitar a abandonada ciencia dos sistemas, descubra a formula, aprenda a entender estas descobertas e com acesso ao meio acadêmico conduza as pesquisas que tanta tortura humana de hoje pode eliminar para sempre.

 

 

Epigenetica: Como as experiencias da infancia sao escritas no DNA

terça-feira, janeiro 23rd, 2018

xxxx

Palestra no TED, meus comentarios na discussao:

Epigenetics: How Early Life Experience is Written into DNA

https://www.ted.com/talks/moshe_szyf_how_early_life_experience_is_written_into_dna

And my comments published in TED:

Louis Morelli – 01/23/2018

From the Matrix/DNA world view we have some different theories about epigenetics:

1) First of all, epigenetics is the evolutionary development of the primitive force that search systemic’s internal thermodynamic equilibrium, survival and good functioning. When the system is born, earlier problems with the environment obligates the system to internal rearrangements, (expressing unusual genes at unusual time), which makes it weak and this weakness increases with time.

Nature has one unique template/formula that has built all natural systems since the Big Bang – from atoms to galaxies to cells and now human bodies (see the Matrix/DNA formula). So, the same formula creates the bigger system, the environment, and the microscopic system, the creature. So, there is a common final point of convergence for environment and creature. The secret for to fix the creatures individual expression of genes is also to fix the problems of immediate environment (like slavery of monkey four by monkey one, bring on the real mother, etc.)

Post n. 2

2) Epigenetics is a kind of abstract force, like softwares throught hardwares, or the mind acting upon the body’s physical matter. At the ancestors non-biological systems it has been called “the identity of systems”, which arises as the total set of information of each part plus the new information from the internal interaction among parts plus external changes. Its evolution goes towards to be consciousness.

This force acts also trying to avoid impulses or instincts from each part, which is prejudice to the whole system. It is everything natural, no intelligence here, like the flow of forces. Human beings has a bad instinct encrypted into the DNA code and inherited from animals, which is the tendency to big predator, or medium predator, or prey. But, this trait is coming from the bigger systems environment in state of chaos, which created our biosphere. This explains why automatically monkeys 1,2,3.4 are self-arranged into a hierarchy.

Our biggest challenge is to lead each human being to self-exorcizing from these instincts. All diseases from epigenetics are caused by non-optimal human evolution in synchrony with the changes in the environment, which is going towards the ordered state. Our social systems mimics the rules of wild jungle in state of chaos, and humans predators of humans as human preys are conservative of this chaotic state. The insistence in this behavior results like in the jungle, everybody goes to extinction, as reaction from the forces of the environment’s biggest system.

Post n. 3

3) DNA is not a code, like 8 billons different human beings does not compose humanity as a code. DNA’s building blocks are two parallels nucleotides working as a system and in same configuration of the universal natural formula for systems, Matrix/DNA. So, each building block is a copy of that perfect formula with some unique individual little difference, like each human being has something that no other has.

So, the DNA can be two ways: 1) one a fixed pile of inherited copies arranged into a fixed configuration; 2) second, an emergent set of those copies performing new configuration, as a second layer, produced volatile by the momentum. If the earlier configuration of the external stimulus are changed, what happens with the second layer? I think it will change only if the entity of the system imposes the change. Because is the entity that has made the first change.  Since that the older stimulus will be always weaker than the first infant stimulus, the identity will take time or never will perceive the external change. I think this is a job more for psychology than geneticists, because psychology acts upon the entity. But, the psychologists need to know the changes in the genes.

Formula da Matrix/DNA vista em “Lymph node”

domingo, novembro 12th, 2017

xxxx

Parece evidente a presence da formula nesta figura, onde a area Azul/purpura seria F1, as B e T cells seriam as outras funcoes… Estas glandulas pertencem ao immune system.  Muito importante pesquisar esta possibilidade porque lymphs podem se tornarem tumores e cancer. Material inicial obtido em Wikipedia.

https://en.wikipedia.org/wiki/Lymph_node

Lymph node pela Matrix/DNA formula?

Lymph node pela Matrix/DNA formula?

There are clusters of nodes under the arms, in the groin, neck and abdomen

A lymph node or lymph gland is an ovoid or kidney-shaped organ of the lymphatic system, and of the adaptive immune system, that is widely present throughout the body. They are linked by the lymphatic vessels as a part of the circulatory system. Lymph nodes are major sites of B and T lymphocytes, and other white blood cells. Lymph nodes are important for the proper functioning of the immune system, acting as filters for foreign particles and cancer cells. Lymph nodes do not have a detoxification function, which is primarily dealt with by the liver and kidneys.

In the lymphatic system the lymph node is a secondary lymphoid organ.[3] A lymph node is enclosed in a fibrous capsule and is made up of an outer cortex and an inner medulla.[3]

Lymph nodes also have clinical significance. They become inflamed or enlarged in various diseases which may range from trivial throat infections, to life-threatening cancers. The condition of the lymph nodes is very important in cancer staging, which decides the treatment to be used, and determines the prognosis. When swollen, inflamed or enlarged, lymph nodes can be hard, firm or tender ( cont. a ler)

xxxx

Outro link: ( Cont. a ler)

https://elifesciences.org/articles/25496

In the Drosophila hematopoietic organ, the lymph gland, the posterior signaling center (PSC) acts as a niche to regulate the hematopoietic response to immune stress such as wasp parasitism. This response relies on the differentiation of lamellocytes, a cryptic cell type, dedicated to pathogen encapsulation and killing. Here, we establish that Toll/NF-κB pathway activation in the PSC in response to wasp parasitism non-cell autonomously induces the lymph gland immune response.

Ciclo Vital das Células: Oscilação do Núcleo

segunda-feira, setembro 11th, 2017

xxxx

http://www.alphr.com/science/1006968/internal-clock-is-discovered-in-a-living-human-cell

Internal clock is discovered in a living human cell

Sugestao da Matrix/DNA = Ele é produzido pelo circular de informação no circuito. Tal como acontece com uma onda de luz (a qual é a primeira ocorrência deste fenômeno no universo e desde o qual o fenômeno é repetido em todos os sistemas naturais), a vibração ou intensidade dos flashes cintilantes começa forte, na maior intensidade do circuito, e continua forte em crescente ate a F4, quando começa a decair porque começa a entropia.)

Matrix/DNA suggestion – It is produced by the flux of information in the circuit. As it happens with a light wave (which is the first occurrence of this phenomena in the Universe and from which the phenomena is repeated at natural systems), the vibration or intensity of the scintillating flashes starts strong at the highest intensity of the circuit and continues strong in increasing to the F4, when it begins to decay because entropy begins.)

The discovery may give insights into how and when diseases start – 11 Sep 2017

Cells dramatically change their shape and size during a lifetime. But this is the first time the changes have been seen over short time periods.

O ritmo da  cintilacao num  precise point of a cell in its life cycle…. During the lifetime of the cell, the amount the cell changes in shape during these ‘flickers’ also gets smaller. This means measuring the fluctuations can give away the age of the cell.

“However, with this discovery, which shows that the nucleus exhibits rapid fluctuations that decrease during the life cycle of the cell, we can enhance our knowledge of both healthy and diseased human cells.”

the nucleus of the living cells, and saw a part of it, known as the nuclear envelope, flickering over a period of a few seconds. 

(Este mecanismo de oscilacao do nucleo das celululas foi projetado nos organismos? De que forma os corpos de organismos sinalizariam estas pulsacoes?)

“This process can serve as an internal clock of the cell, telling you at what stage in the cell cycle the cell is,”

“We know that structural and functional errors of the nuclear envelope lead to a large number of developmental and inherited disorders, such as cardiomyopathy, muscular dystrophy, and cancer,” she said. “Illuminating the mechanics of nuclear shape fluctuations might contribute to efforts to understand the nuclear envelope in health and disease.”

xxxx

A proposito, eu postei esta resposta num debate:

God of War – Q1. what are the type of mathematical equations that describe the growth of organisms?

Matrix/DNA : – Lol, good! I am just coming back from reading the best scientific news today, it is related to “grow of organisms”, which is related to life’s cycles and here you have a little idea how the knowledge of Matrix/DNA models and formula works in parallel with official science and offers different interpretation for natural phenomena. The news is in the link:
http://www.alphr.com/science/1006968/internal-clock-is-discovered-in-a-living-human-cell
Please, read the article and come back to this post….
I never knew that cells’ nucleus are flickering. But, missing this knowledge was my fault, because my formula predicted it 30 years ago. My fault is due no enough time for analyzing all predictions from the formula, which must be millions. So, look what Matrix/DNA says now:
” This internal clock is produced by the flux of information in the systemic circuit. As it happens with a light wave (which is the first occurrence of this phenomena in the Universe and from which the phenomena is repeated at natural systems like cells), the vibration or intensity of the scintillating flashes starts strong at the highest intensity of the circuit and continues strong in increasing to the F4, when it begins to decay because entropy begins. It is merely the life’s cycle pathway.”
Since you don’t know how to analyzing the formula, I think you will not understand this says from Matrix/DNA, but my long time doing it ( 30 years), I am very practical doing it.
Where and when the researchers would have this interpretation, linking a reductive detail of a phenomena to the whole Cosmos, linking it with the first waves of light emitted at the Big Bang? When they will linking thermodynamics like entropy to this phenomena for having new glimpses how to control it and finding ways for avoiding the diseases they are looking for? That’s why I am here alerting that the current scientific method and scientists world view must be amplified for inserting the systemic method upon the reductive method, and how is the new kind of lab we are in needs just now.
Organisms grow and decay are very well represented by Matrix/DNA formula, which is not showed as mathematical equation but by software’s diagram because the dynamics of life are based on codes, genetics codes, and computational codes are not writing with mathematical equations. Now I will take my beer in commemoration of more one victory of my theory… Cheers…

Genética, Epigenética e Doenças: Transcrição do Vídeo

quarta-feira, setembro 6th, 2017

xxxxx

Questao mencionada no video (“How genotype give rise to phenotype? This is a central problem in Biology”)

https://www.youtube.com/watch?v=SHpfkNRscOc

Questões /Informações  no vídeo importantes, classificadas pelo ponto do tempo da palestra ( retirado no transcript no Youtube)
06:30
to solve, a big, a big question if you like, is where DNA, despite being the
06:34
thread of life, you can put it in a tube and gaze, gaze at it for as long as you
06:39
want and it remains utterly dead. So the question is really what does it
06:45
take to make it alive? When Craig Venter synthesized a bacterial
06:50
genome an important synthetic biology milestone, it had to be put into a living
06:55
cell before it became alive. How can one bypass that?
06:58
As the chemists say, you only really understand something if you can make it.
07:03
We can’t actually make life but it would be good to know some of the rules required
07:08
to do that.
xxxx
07:17
First of all a basic fact, genes make proteins, here is the chromosome, here is
07:23
the sequence of the genes, there is the RNA.
07:25
It encodes the sequence of the amino acids that lead to the protein that folds up to
07:30
then do all the lifelike things that are required.
07:34
But how are only the right genes expressed in a cell type?
07:36
This has been a question, a long standing question.
07:39
Do we know the answer to it? Why globin is expressed in blood cells and
07:43
keratin is expressed in skin cells, etcetera.
07:46
We, we approximate knowledge about it, but actually, there’s an enormous amount to
07:50
find out.
Matrix/DNA: Isto indica que a diversificação de células e localização de genes específicos em células especificas é mais devido a uma organização do sistema, do organismo como sistema, do que organização individual das células ou genes individuais do DNA. Portanto indica que a formula Matrix inscrita no DNA se projeta como modelo para todo o organismo, e isto deve ser feito por uma network de fótons, uma especie de aura.
xxxx
07:50
Most of the genome is actually
07:54
inaccessible. This is this gray, it’s rather difficult
07:57
to look at this picture I think because the DNA is gray and looks although it
08:01
should be in the background but this is a nucleusome, the repeating unit of the, of
08:06
the chromosome, if you like. The fundamental repeating unit.
Matrix/DNA: O autor diz que o nucleosome ( ele diz nucleusome, o que esta errado) e’ a unidade repetitiva do chromossoma, e nao sei se com isso ele quer dizer do DNA. Enquanto a Matrix/DNA sugere que a unidade fundamental do DNA e’ composta de 4 nucleotideos, dois pares laterais e verticais.
xxxx
08:08
And the DNA clings to the outside of it. And proteins that want to make genes
08:15
active, can’t actually get at the DNA properly.
08:18
So, how does the gene activation machinery gain and how does it keep access?
08:22
Again, we have some beginning answers to this, but we don’t, by any means, have a
08:28
full picture.
xxxxx
Protein-coding DNA sequences are only 1%
08:32
of our genome. So, if you look at a piece of the human
08:36
genome, you see these vertical stripes correspond to the bits of this gene that
08:41
are separated from each other. In fact genes are fragmented and they are
08:47
a tiny minority of all the DNA. What is the rest of it for?
08:52
There is an enormous, there’s a vast majority that is, that we can’t explain.
xxxx
09:14
It’s particularly after the encode project which found lots of potential regulatory
09:19
sequences throughout here. So, this other DNA is doing stuff.
09:23
And perhaps, it’s doing stuff that makes for example, humans and other mammals far
09:30
more complex than yeast.
Me ocorreu uma ideia agora. Segundo a formula, o tal junk DNA são registros da Matrix do passado, de antes da abiogeneses ate’ o Big Bang. Nesse caso, são registros do ambiente externo a um sistema biológico, pois este nem existia ainda. Mas depois do inicio da abiogeneses, nestes 4 bilhões de anos, a galaxia, o universo mudou, evoluiu, ao menos ficou diferente porque se expandiu. E desta macro-dimensão devem checar fótons `a Terra, por radiação cósmica. Ora, fótons procuram e se juntam com seus vizinhos de outrora, como qualquer imigrante em pais novo. Estaria então sendo acrescentados ao DNA humano, mais exatamente entre as bases do junk DNA, os registros da Matrix a nível macrocósmico? Parece ficção, e curiosos que isto ressuscitaria o adagio antigo de que temos o universo dentro de nos.
xxxx
09:30
more complex than yeast. So finally, there are questions almost
09:37
sociological questions. Does the environment have any impact on
09:40
gene expression?
xxxx

Como surgiu “epigenetics”, qual a definicao:

10:25
The original epigenetics definition comes from Conrad Waddington, who was actually
10:31
my predecessor as Buchanan Chair, Chair, Chair of Genetics in Edinburgh.
10:36
And what he meant was in contrast to pre-formationism, but the development
10:43
proceeded by the gradual unfolding of the information in the genes, to produce the
10:46
whole organism. So, for him, how information of the genes
10:50
is read during embryo, during embryonic development to give the whole organism was
10:54
the essence of what epigenetics was about. We would now call this developmental
10:59
biology. How the genotype gives rise to the
11:01
phenotype. But it’s acquired, or a sort of, a special
11:05
status in epigenetics, really, because of this iconic picture, the epigenetic
11:11
landscape. I’m not going to dwell on this either.
11:13
Because quite honestly, having had it explained to me several times, I’m never
11:16
totally sure, exactly how this helps.
Second definition of epigenetics which is rather different has actually different
11:41
origins epistemological origins. How characteristics are inherited across
11:48
cells or organism generations without changes in the DNA, its sequence, itself.
11:53
An example of this is this cat, the so-called tortoise shell cat, or calico
11:58
cat, in, in, in the US, which has these patches of fur.
12:02
It has two x chromosomes. One of them has a gene that gives black
12:06
fur, the other one has a gene that gives orange fur, and cells early in
12:11
development, inactivate one or the other of those chromosomes for, for reasons we
12:14
don’t, which I will, I will come back to actually, a little bit later.
12:18
And you get a patch of skin because the cell that originally inactivated the
12:22
orange fur gene gave rise when it divided to cells that did exactly the same thing.
12:28
So, that was inherited. All the gene or the, the DNA is still
12:32
there in these cells, in, in the orange ones, and the black ones, but there is
12:37
difference that is inherited and that’s epigenetic according to this definition.
12:43
So, heritable traits of this kind might be influenced by the environment.
12:48
And this is sort of revitalized that an ancient argument about nature versus
12:55
nurture, where nature is genetics, the idea that we’re, our genes are, are in
12:59
control and nurture is the opposite, the idea that our environment determines who
13:03
we are.Of course, it’s a mixture of both but
13:07
epigenetics has given a, a, a new lease of life to the nurture argument.
13:12
And so, one can see articles such as this and there are many examples I could have
13:17
chosen why your DNA isn’t your destiny, the new science of epigenetics reveals how
13:23
choices you make can change your genes and those of your kids.
13:27
Now, I’m not an expert on some of the epidemiology behind this, but the, the
13:32
molecular biology, in my opinion, is far less convincing than it is for other
13:35
aspects of epigenetics. It is, however, an extremely interesting
13:40
idea, that the environment can give rise to changes that get passed on, but it is
13:45
systematically overstated in a lot of places one finds it described.
13:49
So, one has to be circumspect about the, this kind of argument in my opinion.
13:54
There are couple of excellent examples in plants, in worms where immune, immunity is
14:00
involved, but some of the more sociological aspects, in my opinion,
14:05
require further evidence. So, I’m sticking with this as my example
14:09
of heritable epigenetics. It’s closer to the molecular biology we
14:12
actually understand. So, Epigenetics 3, biological significance…
xxxx
17:04
disease. So, epigenetics then embraces key unsolved
17:09
problems in Biology, how, how the genotype give rise to phenotype, that’s the
17:12
Waddington one, how traits are inherited across cell or organism generations
17:17
without changes in the DNA sequence and how structural adaptation of the genome
17:21
facilitates gene activity programs. As far as I’m concerned, this is not a
17:26
word one needs to dwell on with sort of almost a theological interest about what
17:34
it means.
xxxx
17:39
And I, I like to think of it as how the genome is organized and managed to make
17:43
DNA if you like, come alive.
xxxx
Sobre CG islands:
 In fact, for a long time, we were used to
26:00
the fact that CG islands existed, but we didn’t really know what they were for.
26:04
And, and actually, one almost forgot to ask, well, they’re always there, what are
26:08
they for? In fact, it now seems very likely that
26:11
they are platforms to set up appropriate genome structures at gene promoters.
26:16
Very important function. And there are other proteins that bind CG,
26:21
that recruit other things to them, and this is a very, a rapidly growing area.
xxxx