Archive for the ‘Répteis/Mamíferos’ Category

A Pergunta-Bomba que Materialistas Vão Temer Ouvir ?

quarta-feira, janeiro 6th, 2016

xxx

Quando não existia nenhum macaco, qual foi o animal que se transformou nos primeiros macacos?!

A capivara? Um boi? O canguru?…

E’enorme na Internet e nas escolas a discussão sobre o não-elo ou o elo que teria saído dos macacos e se tornado humano. Mas antes de pensar nesta questão, deveriam pensar no mamífero-elo que teria saído dos mamíferos e se tornado macaco. Certo? Pois a pergunta sobre o elo macaco-humano e’ efeito da causa anterior, a pergunta sobre o elo mamífero-macaco.

São como guardas de transito que estão parando os automóveis numa blitz e não estão vendo passar as carretas… Coando agulhas e deixando passar camelos?

Image result for repteis

Repteis

 >>>>>…… 

Mamiferos

 

 

 

 

 

 

 

 

>>>>…..

Image result for macacos

Macacos

Vou procurar um tempo livre e vasculhar a teoria evolucionista se eles já responderam esta questão. Talvez eu esteja seculos atrasado… mas… nas centenas de discussão que assisti, não vi nem tocar neste assunto. Você sabe a resposta e vai me fazer o favor de me ajudar a economizar meu tempo e energia do meu cocuruto?

Tempos atras eu pensei em outra questão: como e porque uma réptil quase sem cérebro, de sangue frio e botando os ovos fora, resolveu por si mesma, fazer forca para segurar os ovos dentro e escolher a opção de todas as desvantagens da gravidez  Quando ela tem vontade de urinar ou defecar ela simplesmente libera a coisa, não prende os intestinos. Para que?! Sofrer sem um motivo logico qualquer?

Mas, a sagrada escritura de Darwin diz que isto aconteceu assim, os materialistas aceitaram a narração pura sem refletir nela. Como os religiosos aceitam uma narração de ” … e Deus mandou passar ao fio da espada todas as crianças, mulheres e homens daquela tribo..” sem refletir no evento em si. E os poucos que questionaram e refletiram se basearam em fantasias de suas imaginações sem evidencia alguma. Como e porque alguns repteis conquistaram a sua transcendência para mamíferos? Ou que seja peixes, sapos, pássaros?!

Bem, como os outros humanos eu escolhi e votei numa hipótese, com  o detalhe de ser uma hipótese diferente de todas as criadas pelos outros humanos em todos os tempos e lugares, uma hipótese que eu mesmo achei e conclui que ela não somente e’ possível, ms e’ a mais racional que conheço. Eu antes fiz um modelo teórico astronomico que acho mais racional do que os outros existentes, e nesse modelo, já esta la, a bilhões de anos muito antes das origens dos rapteis, um objeto botando seus ovos fora e depois, ele mesmo, mantendo os ovos dentro. Então de la veio a força natural que obrigou aquela réptil a se comportar daquela maneira ilógica e anti-darwinico-evolucionista para ela. Pois tal réptil jamais teria sido selecionado pela seleção natural de Darwin. Para esta, mesmo o protótipo da fêmea gravida  – uma fêmea mais pesada e desajeitada devido os ovos dentro – e’ uma doente mais frágil e e menos capaz que a outra réptil que se livrou dos ovos, não adaptada a luta para defesa e sobrevivência. Assim como não posso aceitar racionalmente que um deus tenha eleito um povo em detrimento dos outros, não posso aceitar que a seleção tenha escolhido o pior em detrimento do melhor.

– ” Ah… foi um evento ao acaso produzindo uma mutação, assim como a queda de uma montanha cria uma parde represando as águas de um rio.” – responderia algum materialista. Engraçado! Eu nunca tinha pensado nas origens da virgindade dessa maneira! A película da virgindade ‘e igual uma represa? Não, não, isso nada tem a ver! Então qual foi a forca natural que segurou, represou, os ovos dentro? Ou melhor, qual foi o elemento feito por acaso que emergiu de átomos e começou a segurar os ovos dentro? Como foi o evento ao acaso, o acidente, que produziu esta mutação dentro do DNA?

Claro que ninguem e nunca vai responder esta questão, pois não existe maquina do tempo para voltar ao passado e ninguém vai reproduzir o evento em laboratorio, pois se conseguir reproduzir um evento então ele não foi por acaso, e’ uma regra. Mas a minha teoria ainda e’ a unica que tem chance de provar como aconteceu, se localizar no céu um sistema astronomico igualzinho o meu modelo teórico. Eu sou o único humano que continua vivo e correndo nesta maratona. Olhando pra o céu com uma luneta do tempo do Galileo e procurando o objeto dos meus sonhos. Cada louco com sua mania…

E agora meu cérebro volta ao ataque me fustigando com esta nova pergunta.

– ” Quando não existia nenhum macaco, qual foi o animal que se transformou nos primeiros macacos?! “

E se existirem teorias, e se as teorias existentes não satisfazerem meu raciocínio, vou ter que pegar o pequeno microscópio do tempo do Pasteur e voltar na selva procurando outra… ou então passar dias debruçados em cima da formula da Matrix ate ver algum astro deixando de se mover com quatro patas e passando a usar so duas. Pondo-se de pe’. Mas como por se de pe’, se todos são redondos? Que ideia mais maluca!

Não vai ser por ai. Tem que ter algum outro detalhe diferenciador entre os mamíferos existentes naquela época, e os macacos. E tal detalhe deve estar explicito na formula. Não tenho outra alternativa senão procura-lo. Talvez esteja na configuração do DNA?

Epa! Uma explicação simples que teria sido apontada por um evolucionista seria: ” Tire um mamífero de seu habitat normal, leve-o para outro diferente, e você vera a transformação m macaco.

Ok. Vou levar alguns bois e vacas para o polo norte.E tirar algumas especies marinhas e traze-las para o continente. Bem, se os evolucionistas no estilo de Darwin afirmarem que isto ocorreu, eles devem ter pelos fosseis para provar isso. Vou indaga-los.

 

Evolução:Extinção dos Dinossauros por Acaso ou pela Lei da Matriz?

quarta-feira, dezembro 7th, 2011

Depois dos modêlos da Matriz passei a suspeitar da tão propalada teoria de que a grande extinção dos animais gigantescos a 60 milhões teria sido causada por impacto de um meteórito. Pois ao contrario do que a teoria da micro-evolução de Darwin sugere – que a complexidade é acrescentada por um movimento de competição entre os protagonistas, e o ambiente seleciona os que melhor se adaptam, possibilitando o aumento de sua prole, tornando-os os mais fortes e capazes – esta teoria da macro-evolução sugere que tornar-se mais forte e impor-se pela competição é uma armadilha fatal. A espécie que está no tôpo evolucionario (como estavam os répteis antes dos mamiferos, ou como estão os humanos agora) gira ao sabor do circuito do software-matriz, significando que quando a espécie alcança a Função 4 a evolução descarta-a como carta fora do baralho e lança um fluxo paralelo, o qual vai conduzir exemplares daquela espécie para as devidas mutações (na Função 1) e transcêndencia para a forma superior. A partir daí o fluxo lateral é que vai constituir o tronco e fazer a árvore crescer, enquanto os demais exemplares vão constituir um galho que seca e se extingue (indo para as funções entrópicas 6 e 7), podendo ainda permanecer na arvore por milhões de anos. Vejamos novamente o software-matriz:

origem-astronomica-dos-cromossomas-sexuais.jpg

 Não sei ainda qual é o sinal do momento a ser lançado o fluxo lateral, mas deve ser algo relacionado com o comportamento individual ser ainda acessivel ou não a assimilação pelo organismo de novas informações.

O fato é que a vitória de alguns que não devida à sincronia com o ritmo natural ao invés de leva-la à complexificação, leva-a ao aumento da gordura, do crescimento corporal, do aumento do poder sôbre outros grupos, e isto é cavar a própria sepultura. Isto leva a criatura a se super-especializar num modo de existência, tornando-se um sistema fechado em si mesmo, tornando-se um beco sem saída, termo-dinamicamente acomodado, podando sua energia interna e fechando as portas à evolução até que a inevitável mudança do ambiente ou alguma grande catastrofe planetaria (pouco provavel) a extinga completamente. Quando isto acontece, a Natureza faz o conveniente retorno. A Evolução caminhou dos répteis pequenos, como lagartos, lagartixas, e continuou daï na direção dos dinossauros, porem a certa altura retornou para um réptil menor, talvez uma espécie de lagarto (dizem agora chamar-se cyanodonts), para se redirecionar na direção dos mamíferos. Não era preciso grandes catástrofes para acabar com os gigantes répteis, tal como para estar diminuindo o reinado dos gigantes gatos (leões, tigres) e dos grandes animais marinhos (como a baleia), ou das aves (águias), a natureza não está recorrendo a castastrofes ou esperando outro meteórito. 

Portanto, o novo aliado nesta suspeita, um renomado cientista é promissor, apesar de que, como alternativa ele sugere outra catastrofe planetaria, com a qual tambem não simpatizo. Vejamos o breve excêrto abaixo:    

Summary: Paleontologist Peter Ward of the University of Washington discusses his latest book, entitled “Gorgon: Paleontology, Obsession, and the Greatest Catastrophe on Earth”. Unterview at

Astrobiology Magazine

http://www.astrobio.net/interview/922/the-greatest-catastrophe-on-earth

AM: You say in your book that while an asteroid impact has been suggested as a cause of the P-T extinction (Permian/Triassic extinction) , follow-up studies have not been able to support that claim.

PW: I do not think that asteroid impact was a cause. There is a new paper just out that suggests that explosive volcanism can look like the remains of asteroid impact. The paper, by J. Phipps Morgan, et al., says that explosive volcanic eruptions are sometimes able to generate the shocked quartz, microspherules, and other geologic traces commonly attributed to large extraterrestrial impacts, while also triggering a mass extinction event.

Ward comes to a different conclusion:

Ward believes that a lowering of atmospheric oxygen caused the P-T extinction. These low oxygen conditions continued on through the Triassic and most of the Jurassic, influencing the development of animals that evolved during this time. Birds, for instance, developed their unique air-sac respiratory system because of this extremely low oxygen environment.

The reason the atmosphere lost its oxygen, Ward suggests, was because ocean levels dropped, exposing anoxic organic materials to the atmosphere. The newly-exposed materials oxidized, pulling oxygen out of the air, and the iron in these materials rusted, creating the red rock layers that are so distinctive in post-Permian geology. Explosive volcano eruptions from Siberia may have contributed to this loss of oxygen as well, expelling huge amounts of carbon dioxide, carbon monoxide, methane, and other gases into the atmosphere. Whatever happened in the P-T, it happened on a geologically fast time scale, within 50,000 years or less.

AM: The ancestors of mammals are the cynodonts, which survived the P-T extinction. Why wouldn’t mammals have retained the cynodont capacity to exist at lower O2 levels?

PW: Mammals survived only at very low size. There were no large mammals until oxygen went up again.

We don’t know about mammals with low O2 capacity, except for those that live at the highest elevations. For instance, the South American alpacas and llamas. They have special respiratory capabilities – they have very big chests and big lungs – and their blood has more hemoglobin. There’s no way to tell from the fossil record how much hemoglobin an organism had. We can tell whether they had big chests, though.

AM: Has a direct link been established between the mammal-like reptile cynodonts and modern day mammals? Or could mammals have evolved independently as an example of convergent evolution?

PW: No, we are definitely part of the surviving stock going back to mammal like reptiles – there are just too many similarities in head and bone anatomy for it to have been convergent evolution

                                            Nosso ancestral, o cynodont ?

                                                    cynodont

Descoberto Peixe Gravida Amamentando Filhote!

sábado, outubro 9th, 2010

Veja artigo em: BBC Earth News

http://news.bbc.co.uk/earth/hi/earth_news/newsid_9039000/9039805.stm

Pregnant European eelpout fish suckles young embryos

E o “paper” completo em: ScienceDirect

http://www.sciencedirect.com/science?

Embryonic suckling and maternal specializations in the live-bearing teleost Zoarces viviparus

E agora? A Teoria da Evolução continua dizendo que o mamífero veio dos répteis ou vamos para mudar para os peixes?

Quanto à Teoria da Matriz, vamos ter que acrescentar algo no artigo “Dos répteis para os mamiferos”. Mas não unvalida a teoria. A descoberta reforça a suspeita que, assim como a Matriz sugere que a vida pode nascer em qualquer lugar do Universo onde haja sistema estelar semelhante ao nosso, sugere que também pode ter surgido em diferentes lugares na Terra, então é aceitável que em todos os nichos onde ela surgiu, ou tôdas as espécies que reuniram os genes de LUCA até a Função 3, podem desenvolver o aparato uterino e gestacional. Porque em LUCA os ovos começam a serem mantidos dentro do corpo gerador quando o planeta (Função 3) é capturado na órbita de uma estrêla.