Archive for the ‘buraco negro’ Category

Buracos negros estudados num tanque com água e o parecer da Matrix/DNA

domingo, fevereiro 24th, 2019

xxxxx

A formula da Matrix/DNA nos conduz a formular uma teoria nítida sobre o que existe no centro dos building blocks dos sistemas astronômicos. Esta teoria resulta ser bastante diferente da teoria acadêmica sobre buracos negros, que é o que dizem existir no centro das galaxias. Não me interesso muito em discutir isso porque o que existe ou não no centro da galaxia não ajuda nem atrapalha nosso objetivo imediato que e buscar soluções para melhorar minha vida na Terra e a de quem mais se simpatizar com estas soluções e se inscrever como sócio participante, e também a de estender os benefícios de tais soluções a quem delas necessitar. Mas como um dos objetivos principais nesta busca de soluções indicou que os valores humanos decorrentes de cosmovisões interferem na minha vida, e a crença numa cosmologia gera valores que são praticados pelos donos do poder prejudicando minha vida, devo investir algum tempo criticando o modelo acadêmico.

Minha dificuldade primeira é que o meu modelo não é sobre atuais galaxias e sim sobre os sistemas astronômicos que geraram galaxias e sistemas estelares. Assim como a célula vital teve dois métodos para se formar ( a primeira célula se formou por simbiose e as demais por auto divisão/reprodução), assim aconteceu na evolução dos sistemas astronômicos. E ainda não tenho calculado as mudanças ocorridas entre a primeira fase e a segunda fase para ter um modelo mais exato do que existe no centro das galaxias hoje. Mesmo assim, o simples fato de ter um modelo diferente nos habilita a fazer o que ninguém mais faz, ou seja, olhar a teoria acadêmica reinante com um olhar mais cético, analisando suas premissas e a logica nas suas conclusões. Existem muitos cientistas opositores do modelo reinante, mas eles vem de diferentes perspectivas, não a mesma que a minha. E tenho encontrado a meu ver muitos pontos falhos na teoria acadêmica, o que me motiva mais ainda a inquirir e criticar. A meu ver a teoria acadêmica peca por “masturbação Física e Matemática” ao extrapolar os limites da Matemática a campos em que ela não traduz a realidade. Quando vejo, como neste artigo abaixo indicado, que cientistas estão descendo do pedestal do imaginário para por mais os pés no chão, usando agora a realidade de um tanque com água para elaborar teorias, fico mais satisfeito.

No meu comentário abaixo do seguinte link, explico mais:

O que se pode aprender sobre buracos negros ao simulá-los em um tanque d’água? 

https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/bbc/2019/02/24/o-que-se-pode-aprender-sobre-buracos-negros-ao-simula-los-em-um-tanque-dagua.htm

Meu comentário enviado ao UOL (esperando moderação?):

Bem,… eu elaborei um modelo teórico astronômico mais baseado no que a astronomia produziu como efeito do que ela e’: a vida. Esse modelo acadêmico separa a natureza cosmológica da natureza biológica, sem nenhum elo evolucionário entre as duas e não consigo aceitar isto. Vai dai que meus cálculos apontaram a existência de um vórtice rotacional no centro do sistema, mas a partir dai eles estão sugerindo algo muito diferente do teorizado pelos acadêmicos. O vórtice turbilhonar e’ o ancestral astronômico do aparato feminino de reprodução e tem por efeito produzir os germes de novos astros, nada tem desse fantasmagórico buraco negro. Então a energia re-transmitida pelo vórtice sai junto com massa, da poeira estelar que forma o horizonte de eventos, assim como no ralo de água ela sai misturada com água. E buracos negros não tem cordas esticadas, que e’ isso!? Se alguém se interessar por outra teoria podemos debater aqui?

segunda-feira, novembro 5th, 2018

xxxx

Esta noticia traz um problema para Matrix/DNA. Dizem que o gás no horizonte de eventos gira na velocidade de 30% a velocidade da luz. Isto significaria que o núcleo – seja um buraco negro ou um vórtice turbilhonar – gira muito rápido e muito mais rápido que a galaxia. Como encaixar isso no modelo da Matrix/DNA…

A simulation of material orbiting close to a black hole.

https://cosmosmagazine.com/space/confirmed-a-monster-black-hole-at-the-heart-of-the-milky-way

NEWS SPACE 01 NOVEMBER 2018

Confirmed: a monster black hole at the heart of the Milky Way

Long suspected, the existence of a supermassive black hole has now been ‘resoundingly’ proven.

New observations by the European Space Observatory (ESO) show clumps of gas swirling around at about 30% of the speed of light on a circular orbit just outside what astronomers conclude is the black hole’s event horizon.

O Buraco Negro : Bela Impressao Artistica

quinta-feira, junho 21st, 2018

xxxx

Buraco negro e uma impressão artística

Fonte: L. Calçada/ESO Esta imagem artística sugere a teoria acadêmica de como deve ser as redondezas de um supermassivo buraco negro tipico, como aqueles situados no núcleo de muitas galaxias. O buraco negro por si mesmo e’ rodeado por um disco de acreção brilhante por ser muito quente, com o material capturado e, mais distante, um anel de poeira. Existem também frequentes jatos de alta velocidade de materiais ejetados pelos seus polos que podem se estenderem a grandes distancias no espaço sideral. Afinal, esta imagem teórica não e’ muito diferente da imagem que teorizamos na Matrix/DNA quando dizemos que ao invés de buraco negro no núcleo galáctico existem meros vórtices turbilhonares formado no centro de nebulosas rotativas decorrentes de sistemas degenerados e os quais dão inicio a novos sistemas, um processo de auto-reciclagem que mais tarde evoluiu para o processo de auto-reprodução nos sistemas biológicos.




 

A luz ex-machine contendo o codigo para sistemas foi bombeada para o interior do tecido do espaco/tempo, ou seja, a materia escura?

segunda-feira, agosto 21st, 2017

xxxx

Desde que eu penso ter descoberto o código da vida e dos sistemas naturais no espectro da onda universal da luz emitida no Big Bang, e fiquei me perguntando como um código registrado na luz, em seus fótons, poderia ter-se tornado arquiteturas de matéria e energia, a resposta que tenho encontrado é da propagação destas ondas através da dark matter.

Agora me deparo com os dizeres de um cientista que esta bem perto de confirmar minhas conjecturas teóricas. Pois ele compara os efeitos de uma colisão entre dois buraco negros com o momento do Big Bang nas origens do Universo ( que fez parte da minha teoria neste particular da luz), e vai mais alem no seu acerto com minha teoria – pois ela oferece um modelo das origens das partículas fundamentais com duas espirais se fundindo.

Vejamos o link e o que ele diz:

TED Talks:

Allan Adams: What the discovery of gravitational waves means

https://www.ted.com/playlists/391/the_lights_and_sounds_of_the_u?utm_campaign=social&utm_medium=referral&utm_source=linkedin.com&utm_content=playlist&utm_term=science

” Ha’ 3 bilhoes de anos atras, numa distante galaxia, dois buracos negros prenderam-se numa espiral, caindo inexoravelmente um na direcao do outro, e colidiram, convertendo material suficiente para 3 sois em oura energia num decimo de segundo.

Durante aquele breve momento, o brilho foi mais intenso do que todas as estrelas, em todas as galaxias, em todo o conhecido universo. Foi mesmo um grande Big Bang.

Nao libertaram a energia em forma de luz – pois eles eram buracos negros – mas sim toda aquela energia foi bombeada para o interior do tecido espaco/tempo, fazendo com que o Universo explodisse em ondas gravitacionais.

Uma onda gravitacional e’ uma ondulacao na forma do espaco/tempo. `A medida que a onda passa, ela estica o espaco e tudo o que ha’ nele, numa direcao, e comprime-a na outra.”

“Buracos Negros nao existem!”, diz… Stephen Hawking. Existem Buracos Cinzas

domingo, julho 30th, 2017

xxxx

Raios!, Ha’ tempos tenho trombado com academicos quando digo que buracos negros tal como teorizado pela Fisica, nao existem, e eles simplesmente acham que estou fora da realidade. Mesmo que eu descreva o modelo racional sugerindo que no nucleo das galaxias existe outro tipo de elemento. Agora aparece alguem do meio academico concordando comigo. Mas quem? Justo o criador da teoria dos buracos negros!

Stephen Hawking

Stephen Hawking diz que buracos negros não existem, mas sim os buracos cinzas

http://imagensdouniverso.blogspot.com/2014/01/stephen-hawking-diz-que-buracos-negros.html

Na semana passada, o físico Stephen Hawking publicou um pequeno artigo que tem causado polêmica no meio científico. Hawking sugeriu que os buracos negros não existem – não da maneira como conhecemos. (Minha observacao: “Como conhecemos”?! Ora, nunca ninguem viu um buraco negro, entao, como alguem os poderia conhecer?). Ao invés disso, existem buracos cinzas. Apesar do artigo ter sido veiculado através de uma plataforma online e não ter sido publicado em nenhuma revista científica, nem trazer cálculos ou descrições complexas, as idéias sugeridas por Hawking tem grande peso. Principalmente porque ele próprio foi um dos criadores da teoria moderna sobre buracos negros. A existência e a compreensão dos buracos negros sempre dividiram opiniões dos cientistas por ser um assunto com muitos paradoxos. A principal contribuição de Hawking para a astronomia foi tentar explicá-los.

O físico percebeu que a teoria da relatividade não se harmonizava com a física quântica para explicar os buracos negros. De acordo com a teoria quântica, a energia e a informação deveriam escapar de um buraco negro. Sob a ótica da relatividade – a teoria clássica – não. Hawking começou então a pensar em uma “Teoria de Tudo”, que desse conta da física quântica e da relatividade e mostrasse que as leis conflitantes podem ter coexistido em algum momento. Hawking propôs que mini buracos negros, do tamanho de fótons e com um bilhão de toneladas de matéria – que poderiam ter dado origem ao big bang criando o tempo e o espaço – poderiam obedecer às leis da gravidade por conta de sua enorme massa, mas estariam sujeitos às leis da mecânica quântica devido a sua ínfima dimensão. Em seu novo artigo, Hawking contesta a existência de um “horizonte de eventos” no buraco negro, uma região próxima de um buraco negro em que a gravidade seria tão forte que nada poderia escapar, nem mesmo a luz. Essa impossibilidade de fuga é prevista pela teoria clássica. E se não existe um “horizonte de eventos”, não há buracos negros, se considerarmos que eles funcionam como locais dos quais a luz não pode escapar para o infinito, de acordo com o físico. Isso não quer dizer que Hawking deixou de acreditar na existência de buracos negros perdidos pelo espaço. Em seu novo artigo, ele defende que ao invés de um “horizonte de eventos”, existe um “horizonte aparente”, um fenômeno consistente com a teoria clássica e a quântica. Para Hawking, esse fenômeno poderia reter a matéria temporariamente, podendo a liberar posteriormente, porém de maneira distorcida. Dessa maneira, não haveria perda de informação dentro de um buraco negro – as informações apenas se transformariam. Esses sistemas que liberam energia não seriam exatamente negros… mas cinzas. Sim, Hawking acredita que podem existir buracos cinzas, mas que ainda há muito a entender sobre eles. Embora a teoria seja plausível, alguns pesquisadores acreditam que a idéia de que qualquer matéria poderia sair de um buraco negro radical. No entanto, até poucas décadas atrás, a idéia da existência de buracos negros parecia absurda para a maioria da comunidade científica.

Alinhamento da rotacao de quasares separados por bilhoes de anos-luz! Mais uma evidencia a favor da Matrix/DNA

domingo, julho 30th, 2017

xxxx

Para os academicos esta informacao foi assustadora ( veja o titulo do artigo: Alinhamento Assustador de Quasares em Distâncias de Bilhões de Anos-Luz), mas para nos da Matrix/DNA foi mais um dia de comemoracao a ser somado a centenas de outras comemoracoes, pois nosso modelo previa a informacao.

Assim como os moradores humildes inventaram a lenda do monstro do Lago Ness devido ilusao de otica ao verem um animal menor, os astronomos modernos inventaram a lenda dos buracos negros por erro de interpretacao sobre o que existe de fato e invisivel no nucleo das galaxias. Os modelos da Matrix/DNA se desenvolveram pela logica naturalista e quando chegaram ao ponto onde estrelas de uma galaxia se dissolvem por velhice, indicaram que sua materia degradada na forma de poeira estelar forma uma gigantesca nuvem que devido ao movimento rotacional do universo, comeca a girar ate formar um centro como um ralo, um mero vortice turbolhonar, de onde nascem novas estrelas por um processo explicado no modelo. Entao, ao inves do famigerado fantasma engolidor de mundos que chamam de “buraco negro”, temos apenas um turbilhao seguindo praticamente as mesmas leis que formam os rodamoinhos aqui no solo terrestre.

Agora os astronomos descobrem algo com que nao contavam: os buracos negros, separados entre si por bilhoes de anos luz, estao sincronizados em termos do sentido de rotacao e paralelismo de seus eixos de rotacao! Ora, pelo modelo academico isto nao faz o menor sentido e como diz o astronomo da equipe que descobriu o fenomeno, as chances disto acontecer seria de menos de um por cento. Eu diria que sao zero por cento. Como que um buraco negro formado aqui devido o colapso gravitacional de uma estrela alcancando a singularidade absoluta ( outra impossibilidade racional) iria saber qual o sentido de rotacao e a posicao do eixo de outros buracos negros que ja existem a bilhoes de anos luz alem? Impossivel.

Entao e apenas agora, os astronomos matam a charada:” Isto so seria possivel se todos os buracos negros obedecem uma estrutura unica universal”- disseram no artigo. E foi isto que disse a Teoria da Matrix/DNA a 30 anos atras. Todas as nebulosas estaveis giram num mesmo sentido porque o universo impoe este mesmo movimento a todas elas.

Bem,… um ralo formado pela agua que se escoa numa pia pode ser visto por um humano como um buraco negro.

Uma vaca rodopiando no alto de um furacao se olhar para o centro do olho do furacao pode crer estar vendo um buraco negro.

Mas a minha sabia iletrada avo’ sorria nos chamando para ver o que ela chamava de rodamoinho. A masturbacao matematica levada ao exagero comeca a produzir visoes de fantasmas como qualquer outra supersticao produzida por cerebros perdidos no controle de suas faculdades mentais.

Bem vamos ler o artigo e guarda-lo aqui como mais uma evidencia de predicao certeira da Matrix/DNA.

Pela importancia dos dados e desconfiado que o site do artigo pode sumir do ar, copiamos aqui o artigo ressaltando os topicos importantes relacionados ao nosso modelo:

http://imagensdouniverso.blogspot.com/2014/11/dados-do-vlt-mostram-alinhamento.html

Dados do VLT Mostram Alinhamento Assustador de Quasares em Distâncias de Bilhões de Anos-Luz

Novas observações feitas com o Very Large Telescope do ESO no Chile tem revelado alinhamentos sobre as maiores estruturas já descobertas no universo. Uma equipe de pesquisadores europeus encontrou que os eixos de rotação dos buracos negros supermassivos centrais em uma amostra de quasares são paralelos entre sim em distâncias de bilhões de anos-luz. A equipe também descobriu que os eixos de rotação desses quasares tendem a se alinhar com estruturas vastas na teia cósmica onde eles residem.

Os quasares são galáxias com buracos negros supermassivos muito ativos em seus centros. Esses buracos negros são circundados por discos de rotação de material extremamente quente que é frequentemente expelido em longos jatos ao longo dos eixos de rotação. Os quasares podem brilhar mais intensamente do que todas as estrelas no resto de suas galáxias hospedeiras somadas. Uma equipe liderada por Damien Hutsemékers da Universidade de Liège na Bélgica usou o instrumento FORS no VLT para estudar 93 quasares que são conhecidos por formarem grandes grupos espalhados por bilhões de anos-luz, vistos num tempo em que o universo tinha cerca de um terço da sua idade atual. “A primeira coisa estranha que nós notamos foi que alguns dos eixos de rotação dos quasares estavam alinhados entre si – apesar do fato desses quasares estarem separados por bilhões de anos-luz”, disse Hutsemékers.

A equipe então foi mais a fundo e procurou se os eixos de rotação estavam linkados, não somente entre si, mas também com a estrutura do Universo em grande escala no mesmo tempo. Quando os astrônomos observaram a distribuição das galáxias em escalas de bilhões de anos-luz eles descobriram que eles não estavam distribuídos de maneira aleatória. Eles formavam uma teia cósmica de filamentos e aglomerados ao redor de imensos vazios onde as galáxias eram escarças. Esse alinhamento estranho e belo de material é conhecido como estrutura de grande escala. Os novos resultados do VLT indicam que os eixos de rotação dos quasares tendem a ser paralelos nas estruturas de grande escala onde eles próprios são encontrados. Assim, se os quasares estão num longo filamento então a rotação dos buracos negros centrais apontará ao longo do filamento. Os pesquisadores estimam que a probabilidade desses filamentos serem simplesmente o resultado de coincidência é de menos de 1%. “Uma correlação entre a orientação dos quasares e a estrutura que eles pertencem é uma importante previsão dos modelos numéricos da evolução do nosso universe ( observe que esta previsao academica se refere a alinhamentos internos de uma galaxia, o que e’ um fato obvio pois a galaxia obriga todos os astros internos a se conformarem aos seus movimentos. Mas o que descobriram agora nao estava previsto, ou seja, que o fenomeno se aplica entre galaxias separadas). Nossos dados fornecem a primeira confirmação observacional desse efeito, em escalas muito maiores do que tem sido observado em dados de galáxias ditas normais”, adiciona Sominique Sluse do Argelander-Institut für Astronomie em Bonn, Alemanha e Universidade de Liège.

Essa equipe poderia não ter visto os eixos de rotação ou os jatos dos quasares diretamente. Ao invés disso eles poderiam medir a polarização da luz de cada quasar e, para 19 deles, encontrar um sinal significantemente polarizado. A direção dessa polarização, combinada com outras informações, poderiam ser usada para deduzir o ângulo do disco de acreção e então a direção do eixo de rotação do quasar. Os alinhamentos nos novos dados, em escalas maiores do que as previstas atualmente pelas simulações, podem ser uma aposta de que existe um ingrediente faltante nos nossos modelos do cosmos”, concluiu Dominique Sluse.

 

Minha eterna briga contra os buracos negros

segunda-feira, maio 8th, 2017

xxxx

Estão tentando tirar uma foto do ralo que surge no centro de galaxias rotativas, pensando que vão fotografar um buraco negro, o mais fantasmagórico ser espacial que existe apenas na imaginação humana. Claro não pude deixar de dar meu piteco postando o comentário copiado abaixo:

How to take a picture of a black hole

https://www.ted.com/talks/katie_bouman_what_does_a_black_hole_look_like?utm_campaign=social&utm_medium=referral&utm_source=facebook.com&utm_content=talk&utm_term=science

Louis Morelli

Posted at 5/8/2017

The drain produced by the spirals of rotation of water at your sink, is a black hole? Galaxies are under rotations, they are spirals, there is a drain at their center… why the hell has human beings to see a drain as the ghost and complex black hole?
Produced by singularity? There was one unique moment of singularity in this universe, its first moment. Natural singularity never could happens again at any place in this universe. If it was possible, it should happened at the beginning when matter was to simpler and there was no systems yet, but then, the universe never would evolve.
Of course, at the center of a drain in a cloud of dust from nebulae of gaseous atoms or from the death of stars, must have heavy elements at fusion, like iron, etc. These elements are what makes the nucleus of astronomic bodies.
The theory that is pointing towards the existence of black holes as described like the cannibals of entire galaxies, etc, is Math lead to extreme intellectual masturbation. There are no such things. The astronomic models of Matrix/DNA Theory, suggesting all mechanisms for origins and death of such drains is more rational.
You are looking for photos of a natural drain, never will have photos of black holes, they does not exist…

Buracos Negros da Academia ou Simples Vortices Rotativos da Matrix/DNA?

segunda-feira, junho 8th, 2015

xxxx

Todas as caracteristicas sobre buracos apontadas nesta figura pelos tecnicos da NASA sao igualmente aplicaveis como caracterisiticas apontadas para o modelo de vortices nos nucleos galacticos apontadas pela Matrix/DNA Theory. Entao ficamos no impasse sem ter nenhum humano com provas-fatos que o capacite a julgar qual o correto: os fantasmagoricos e nunca vistos buracos negros ou os simples rodamoinhos rotativos que vemos uma das suas variacoes aqui mesmo na Terra?

Eu ainda prefiro o meu modelo porque ele foi apontado  pela vida e fatos reais provados e conhecidos na Terra, conectados tendo como codigo de instrucoes a lei da evolucao. O modelo academico foi apontado pela por fatos conhecidos na Fisica entre a materia e mais algumas teorias ja existentes dentro d Fisica, tendo como codigo de instrucoes as leis do raciocinio matematico humano. Neste modelo academico nao existiria lugar para a vida, ele nao serve como as bases ancestrais que devem ter contido os principios da vida, por isso, os que nele acreditam so podem acreditar na origem da vida como um evento ao acaso.

NASA's Chandra X-ray Observatory's profile photo

https://plus.google.com/u/0/+NasaChandra/posts/EMGQYWeVsFv?pid=6156969756302516994&oid=108989304512664110313

Translation for Portuguese:
1) Um buraco negro nao tem uma superficie no sentido literal da palavra. Existe apenas uma simples regiao, ou fonteira, no espaco em volta de um buraco negro alem do qual nos nao podemos ver. Esta fronteira e chamada de ” horizonte de eventos” .
Teoria Matrix/DNA: O mesmo pode ser dito do modelo de vortices no nucleo galactico. Nao muda nada.
( continuar esta traducao)

Buracos Negros e Big Bang Não Existem: Provas Matematicas de Cientista?

segunda-feira, outubro 27th, 2014

http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-2769156/Black-holes-NOT-exist-Big-Bang-Theory-wrong-claims-scientist-maths-prove-it.html

São os Tumulos que Caçam Defuntos, e não os Defuntos que Vão para os Tumulos, Segundo os Físicos Modernos! E a Tese foi Aprovada “Cientificamente”!

terça-feira, agosto 12th, 2014

Esta noticia, publicada com estardalhaço, me deixou mais uma vez, indignado:

Supermassive Death: 3 Stars Get Eaten By Black Holes

// 

http://news.discovery.com/space/galaxies/supermassive-death-3-stars-get-eaten-by-black-holes-140811.htm

Black Hole – NASA/JPL-CALTECH

 

Bem… desde que o considerado guru da Física Moderna, Lawrence Krauss,  publicou seu livro best-seller “Tudo Vem do Nada”,  e estudantes do mundo inteiro correram nas livrarias para degustar o sumo da mais elevada inteligencia moderna, este burro aqui não era para se surpreender com mais absurdos racionais vindos da academia, porem, o ataque está sendo demasiado para aguentar sem retrucar. Qual é o certo: é o tumulo que caça e come o defunto ou é o defunto que invade, penetra, o tumulo? O certo é: existem túmulos e existem defuntos; os defuntos são depositados nos túmulos onde bactérias e o tempo destroem-nos. De certa maneira, está certo qualquer uma das duas afirmações acima, dependendo do ponto de vista do observador. Túmulos devoram defuntos que entram em túmulos. Mas no espaço sideral, segundo os físicos modernos, são os túmulos (buracos negros) que atraem ou atacam os corpos de suas vitimas (estrelas em seu pleno potencial, vivas ainda!), para come-las.  E isto está errado,…  segundo os modelos astronômicos da Matrix/DNA.   Aqui na Terra, defuntos são levados ao tumulo, e como é aqui, assim é no céu. Vamos ver onde estão errando:

Segundo a noticia,  “Astrophysicists have analyzed two decades-worth of X-ray data… ( Astrofísicos tem analisado duas décadas de valiosos dados de raios-X… emitidos por buracos negros) . A primeira questão, que acoberta o primeiro erro, é: “Porque os núcleos galácticos, e não buracos negros, emitem Raios-X?”.

Pois a unica coisa que se tem como certa, como dado real cientifico comprovado, é que existe núcleos nas galaxias. Mas o que tem dentro destes núcleos nunca foi visto ou tocado ou filmado, portanto nada se tem de dado cientifico e sim, teorias. Que tenha um buraco negro e este funcione de tal e tal maneira, é pura teoria, portanto. Cientificamente e racionalmente é isto aí, não adianta se incomodar com alguem lembrando que a crença em buracos negros ainda é mitologia. A teoria acadêmica parte do pressuposto que ocorra um processo  que leva à singularidade absoluta, o que criaria um buraco negro, mas nunca, em lugar algum, alguem viu ou provou ter ocorrido um retorno à singularidade absoluta. Ainda teoricamente, porem agora mais racionalmente, teria havido um estado de singularidade extrema nas origens do Universo, pelo simples fato que temos observado existir uma evolução, a qual indica que existe um processo que vai do simples para o cada vez mais complexo. Ora, fazendo-se o calculo do caminho reverso, partindo da complexidade de hoje, chega-se a um ponto inicial de extrema singularidade. Mas… daí a dizer que este estado possa acontecer de novo no Universo, e até mesmo “afirmar” que acontece, e que produza buracos negros… é um desvario irracional. Se houvesse esta possibilidade, e sabendo-se que a matéria tende ao estado de repouso absoluto, nada teria impedido a matéria inicial que formou as primeiras nebulosas, ter retornado à singularidade. E assim, toda vez que se desse partida num novo Universo, ele poderia avançar alguma coisa na sua evolução, mas sempre retornaria à singularidade, e o Universo ficaria eternamente patinando sem sair do lugar…

Tenho elaborado um gráfico cartesiano ( pena que perdí o papel na selva – acho que foi quando corremos dos queixadas para salvar a pele e perdí a mochila – mas farei outro e o trarei para cá), que mostra porque o retorno à singularidade absoluta não existe. Ao calcular a trajetória de um corpo inicial partindo do Big Bang num gráfico tendo como coordenadas o tempo e o espaço, e fazendo este corpo rolar ao sabor das leis da evolução cosmológica, resultou numa figura em que a macro-evolução é formada de micro-ciclos evolucionários onde um novo corpo nasce de outro, sobe 3 degraus na escada da evolução, escorrega dois, caindo no primeiro degrau, sem atingir o solo. Do primeiro degrau outras forma mais evoluída deste corpo se levanta e sobe mais 3… assim tem caminhado a evolução. Ora, se em cada ciclo o corpo atingisse o solo, o reino da singularidade absoluta, ele nunca teria ido alem dos 3 primeiros degraus. Assim como eu nunca voltei ao grafico para desenvolvê-lo porque ao correr e ter que subir numa arvore, tive que me livrar da pesada mochila nas costas e joga-la ao solo. Os porcos do mato cairam matando em cima da mochila com cheiro de comida e estraçalharam-na enquanto eu via do alto da arvore e berrava; “Não comam meus papéis, meus graficos, seus tarados de uma figa…”  Mas isto foi um exemplo de como a Natureza trabalha: suba, escorregue, mas não atinja o solo, pois ali tudo é desfeito e retorna a singularidade absoluta, como os fragmentos de papel nas mandibulas do queixada.

O pressuposto fundamental para buracos negros, visto assim, de forma leiga mas natural, sem precisar apelar para calculos e linguagem técnica, está errado, não existem buracos negros tal como pintados pela teoria.

Mas é praticamente um dado comprovado que nossos receptores estejam captando raio-X vindo do núcleo das galaxias. Como a teoria não previu isso –  e ao contrario, ela afirma o contrario quando diz que dos buracos negros nada escapam, nem a luz – foi necessário arrumar uma explicação de como e porque vem os raios-X. Os modelos astronômicos da Matrix/DNA nunca me trouxeram esta questão, porque neles está acertado previamente que núcleos galácticos tem que emitirem raios-X. E praticamente tem que emitirem luz apenas no espectro de ondas concernente à frequência do raio-X. Mas os astronomos não inseriram isto em seus modelos porque tambem ainda não entenderam o que é uma onda de luz, e o que significa a frequência do raio-X. Portanto temos que sair dos níveis das galaxias e entrar mais profundamente na Natureza, nas suas dimensões onde imperam as ondas de luz. Paras tanto, sou obrigado a trazer para cá um dos modelos teóricos da Matrix/DNA, o que se refere justamente a isto, a luz:

 

Nós descobrimos, levados nas ondas da fórmula da Matrix universal, que uma onda de luz natural, original, ( a emitida pelo(s) Big Bang(s) de um Universo pulsante, e não a luz natural porem emitida por estrelas e outros, que são meras estações repetidoras das ondas originais, e muito menos a luz produzida por humanos) contem em si o código que imprime a dinâmica da Vida na matéria inerte, esta substancia que preenche o espaço cósmico denominada eter ou mais recentemente, dark matter. Afora esta estonteante descoberta ( que indica ter a Vida já ser oriunda de uma fonte existente antes e alem deste Universo material), fica o fato que a sequencia de vibrações diferenciadas de uma onda de luz que se propaga é a mesma sequencia de formas diferenciadas de um corpo humano que se propaga no tempo levado pela fôrça do ciclo vital. Ou seja, uma onda de luz natural tem um ciclo de Vida: ela é gerada, nasce, cresce, amadurece, degenera e morre. fragmentando-se em pó, que são suas partículas fótons. E justamente essa sequencia, segundo outra nova grande descoberta dentro da Matrix/DNA, é o que forma corpos de matéria diferenciados e separados no espaço, depois os reconecta na mesma antiga sequencia, e o resultado final é um sistema natural completo e funcionando. Não é apenas os corpos dos seres vivos que seguem esta sequencia, e sim todo e qualquer outro sistema natural, de átomos a galaxias. Cada espécie ou forma de astro dentro de uma galaxia é a representante de cada uma das faixas de onda de luz. E foi fácil para mim montar a figura acima. Qual o tipo de astro que corresponde à frequência do raio-X? Justamente o que está dentro do núcleo da galaxia, o vulgo “buraco negro”. Mas não o buraco negro fantasma, canibal do espaço, monstro devorador de mundos inteiros, que surgiu na cabeça desmiolada por uma doutrina materialista absurda. Só existem fantasmas na mente fantasiosa de crianças ou adultos que antes de crescerem mentalmente, foram capturados por alguma mistica religiosa de nível intelectual sofrível. E sim a estrutura que a fórmula da Matrix/DNA sugere existir dentro dos núcleos galácticos ou quaisquer nebulosas de poeira resultantes de sistemas estelares mortos. Um simples ralo girando em espiral, um rodamoinho, um vórtice central, igual aos que vemos surgirem e desaparecerem repentinamente nos quintais de nossas casas, porque as leis daqui são as mesmas leis de lá. Tudo começa com uma nebulosa de poeira estelar, gaz, todos os tipos de detritos, e mais os bólidos de energia emitidos pelos pulsares, que paira num espaço dentro de uma galaxia maior ou de um Universo que tambem gira sobre seu próprio eixo, fazendo a poeira rodopiar e criar um eixo central, onde surge o tal do buraco negro… um mero rodamoinho natural. Mas a sequencia de eventos a partir daí são muito simples, porem acobertam um significado muito complexo: tudo ocorre como ocorre dentro do útero materno após um óvulo fecundado. As leis daqui vieram de lá, portanto o que vemos aqui, é um exemplo do que acontece lá. Prá que procurar chifres na cabeça de cavalos?! Onde esqueceram a navalha de Occan?!

Qual o problema ao se constatar que estrelas mortas tem sua matéria dirigida para dentro dos núcleos galácticos? Se aqui na pia de casa eu vejo que todo cisco e poeira que cai na água rodopiante indo para o ralo leva consigo a poeira para o mesmo ralo?  Ah… mas,… descrever a coisa assim não é elegante, não causa impressão, e tira o trabalho dos grandes gênios, como o Stephen Hawking… Ora, se você não quer que o autor do fantasma Harry Potter perca seu trabalho, continue a apreciar seus contos, mas por favor, não se esqueça que estás num mundo de fantasias, não vá inserir esta obra no curriculum escolar e dizer às crianças despreparadas que também adoram tais histórias de monstros e fantasmas a acreditarem que isto exista no mundo real.

O maior problema nesta noticia que afeta prejudicialmente a formação da mente juvenil, está aqui:

” In a new study by the Moscow Institute of Physics and Technology and Space Research Institute of the Russian Academy of Sciences, astrophysicists trawled through observations from two space observatories to discover three likely occasions where stars have been eaten by supermassive black holes. Their work has been accepted for publication in the journal Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. ”

Todo mérito vai aos cientistas do Moscow Institute of Physics and Technology por terem esforçadamente observado as imagens e calculado uma teoria para explicar certos efeitos, não existe razão para se eliminar a tese de que tres estrelas desapareceram dentro do nucleo galactico. O problema está na frase: “… stars have been eaten by supermassive black holes…”. para melhor esclarecer isto devo trazer aqui outro modelo teórico da Matrix/DNA:

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Esqueça a pobreza do desenho, pois foi feito a duras penas nos joelhos a beira de pântanos na selva amazônica, tendo apenas lápis e papel de embrulhar pão. Tente descobrir o significado disso aí, pois ele tem as respostas para a maioria das nossas questões existenciais.  Nós não inventamos um circuito elétrico caseiro para acender uma luz; isto estava registrado no DNA em nossa memória, porque é dessa exata maneira que o circuito energético de uma galaxia acende uma nova estrela no céu. Amplie a imagem e procure F7. É o estado das estrelas moribundas, quando seu núcleo já comeu quase todos os nutrientes energéticos que tinha no seu envoltório placentário, nas suas camadas geológicas, e assim como uma gigante vermelha ela começa a se desfazer no seu aspecto de massa. O rodopiar do sistema canaliza sua poeira para o ralo central, realimentando-o, para continuar reciclando o sistema. Onde alguém viu aí gigantescos buracos negros comendo as estrelas ainda com vida?! Pois é isto que transmite o “paper” aprovado pela Royal Astronomical Society e publicado em seu  Journal Monthly Notices ! bem ao gosto desta cultura de 10,ooo anos criada e retroalimentada até agora pelos grandes predadores dentro da espécie humana para se justificarem nos seus atos de predação na comelança da energia dos trabalhadores… pois se a Natureza faz assim… é porque está certo que nós façamos assim tambem. Não, a Natureza no seu estado e ordem e equilíbrio cósmico não faz assim, apenas se vê isto quando no seu estado de caos como foi o gerador desta biosfera terrestre.  Nem mesmo os cadáveres das estrelas mortas são devorados no tumulo negro, mas apenas o material decomposto de seus cadáveres, obedecendo a máxima de que “do pó vierstes, ao pó retornarás” ( mas aqui a frase deveria continuar dizendo a verdade:  … para que te levantes numa nova vida…”).

E o artigo termina dizendo:

“This work has added some much needed detail to these rare events, indicating that (on average) one star every 30,000 years in any given galaxy will be destroyed by the central supermassive black hole, though the researchers caution that more observations of stars being eaten by supermassive black holes are needed.” ( o grifo é meu).

Não, não tema que a nossa estrela e nenhuma outra estrela viva vá ser devorada por monstros. Não tema que tumulos se levantem dos cemitérios na calada da noite e saiam devorando seres vivos por aí. Todas as estrelas vão morrer de velhas, naturalmente. E no estado de ordem não existem acidentes, seria um absurdo ilógico.  Não vá endurecer seu coração e se tornar um novo grande predador porque a Natureza faz assim, porque isto é mentira! Não vá perder a esperança de que sua Vida, sua existência, tenha algum significado nobre e um propósito mais sublime do que o simples viver uma experiencia como mero macaco melhorado. A visão de mundo sugerida pela Matrix/DNA tem vindo vencendo a teoria acadêmica nos últimos 30 anos,  ela está sugerindo que sua Vida tem sim, um fantástico significado e um majestoso futuro, pois este Universo é mero palco onde está ocorrendo um processo de reprodução genética, e tu és o gene consciente criando o objetivo final deste processo. Tu és o Filho, a Filha, que nascerá para alem deste Universo, no dia do Big Birth. Mas agora tens que salvar seus filhos estudantes desta famigerada visão de mundo povoada de fantasmas e monstros que não existem.

xxxxx

Meu comentario postado no artigo da Discovery:

“… stars have been eaten by supermassive black holes…”

The astronimcal model of Matrix/DNA Theory is suggesting a different interpretation of same data: died stars are fragmented and its fragments goes towards the galactic nuclei, where a kind of rotative spiral vortex mixes mass with energy coming from pulsars, recycling the material and producing new stars. There are no such things as ghosts black holes eating stars still alive. And the explanation for X-ray emission from galactic nucleus are well explained by the model os electromagnetic spectrum from Matrix/DNA Theory. Ok… it is theory against theory… time and new data will be the judge… see Matrix’s explanations at http://theuniversalmatrix.com/…