Archive for the ‘gene’ Category

Aprendendo a Entender e Detectar a Formula da Matrix/DNA

domingo, fevereiro 5th, 2017

xxxx

Photo

https://lh3.googleusercontent.com/

Borboletas e o Artista Misterioso

Uma pergunta:
Claro que não existe nada dentro da borboleta fazendo este desenho na superfície da borboleta, muito menos com algum proposito. Genes são desenhistas porem, cegos, obedecendo as forças envolvidas e não podem olhar a borboleta de fora para verem seus desenhos. Então como a natureza produz esta obra?!

Quando vejo estas linhas retas vermelhas, como que dirigindo-se a triângulos também vermelhos, rodeados de manchas negras, o que me lembra o horizonte de evento, logo me vem a mente a formula da Matrix/DNA, a qual produziu os genes. Todas estas formas e nestas posições estão naquela formula.

Parece que inconscientemente os genes, ou melhor, as forças brutas dominadas pela formula, estão projetando a formula na superfície da borboleta. Esta hipótese parece um pouco forçada, mas e’ a unica que me aparece, por isso vou continuar nesta linha de interpretação, testando-a.

De Onde a Natureza Obteve Essa Idéia de Ligar ou Desligar um Gene no DNA?! Veja a Surpreendente Explicação da Matrix/DNA

sexta-feira, novembro 7th, 2014

Genes: Qual a Origem da Expressão dos Genes? Uma Hipótese pela Matrix/DNA

Pensando no fenômeno da mudança ou reversão dos campos magnéticos da Terra e do Sol, tive esta intuição: este mecanismo que operava nos sistemas astronômicos, tornou-se no sistema DNA o mecanismo que  “liga e desliga” um gene. Quando liga, faz um gene vir à ativa, sair do estado de dormência, inércia, ou seja, o gene se expressa. O Sol a cada 11 anos muda seu campo magnético dando uma virada total, fenômeno que ainda não foi explicado cientificamente. Observando a fórmula Matrix/DNA obtenho uma explicação racional para esta mudança, pois ela tambem é bipolar e o movimento da energia vai de um polo a outro, alternadamente. Mas esta alternância me levou a perceber mais um detalhe: enquanto o fluxo de energia está num polo, digamos, o Polo Sul, o outro polo não existe de fato, apenas existe como potencia latente, ou existe em potencial. À medida que o fluxo avança e chega ao outro polo, digamos, o Polo Norte, agora é o Polo Sul que não existe, ou seja, existe apenas em potencial. Vai daí que suponho que este mecanismo evoluiu quando o building block dos sistemas astronômicos evoluiu para a forma de nucleotídeos, tornando-se a base do fenômeno da expressão dos genes.

E isto é espetacular, tendo em vista a nossa busca desesperada para eliminar doenças mortais tradicionais que parecem estarem relacionadas com a genética, que parecem ter como causas as erradas sinalizações dentro do DNA fazendo expressarem genes errados em momentos errados. Alem disso este assunto nos conduz ao avanço na busca do conhecimento e entendimento da Vida.

Tendo isto em mente, tentarei arrumar tempo para desenvolver mais esta hipótese, começando por trazer a fórmula da Matrix/DNA e a seguir “gogglando” a busca “expressão de genes” para obter todas as informações que as Ciências já coletaram.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Mas tambem temos que nos lembrar que esta figura acima é a fórmula no seu estado de building block de sistemas astronomicos, que esta fórmula tambem está sob evolução, portanto ela muda de forma, desde a mais simples a cada vez mais complexa. A sua forma mais simples é a de um vortex quantico ( que pipocavam no espaço nas origens do Universo), o qual se desfaz no meio da substancia espacial adquirindo a forma de ondas de luz, por isso vamos tambem trazer para cá a figura de uma onda de luz segundo a minha interpretação do que é uma onda de luz me baseando na fórmula da Matrix/DNA. Pois está me parecendo que a expressão dos genes ocorre porque cada trecho do DNA pulsa, ou vibra, numa frequência especifica, e energia move-se nas hastes da mesma forma que as ondas de luz. Então um gene ou grupos de genes se expressa quando a energia chega na frequência X no trecho do DNA sob a frequência X, e não se expressa quando a energia passa pelo trecho em outra diferente frequência.

Light - The Electro-Magnetic Spectrum

 

E gogglando “gene expressão”:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gene ( ler isto)

Gene expression : http://en.wikipedia.org/wiki/Gene#Gene_expression ( ler isto) 

Genes:O Dualismo Predador/Presa Deve Atuar Entre Genes e Pode ser a Causa Ainda Desconhecida de Muitas Doenças

segunda-feira, março 4th, 2013

 Esta ideia me ocorreu apenas agora, mas me parece que era obvia. O predador não deve ser capaz de matar/eliminar a presa mas mantê-la inerte, recessiva. Com isso a presa não elabora sua proteína ou a faz com defeitos. Tudo isso seria uma projeção microscópica do sentido da existência de um universo em processo de reprodução genética. O bebe final nasce dom defeitos, o que obrigara ao predador uma autocorreção. Os ciclos de alternância entre genes predadores e recessivos lembra a ideia de reencarnação da doutrina espirita. O que devo fazer por enquanto e manter na lembrança este possível mecanismo quando estiver pesquisando doenças e mutações.  

Psicologia humana, feminina: ARTIGO: “Mulheres bonitas são mais egoístas”, e a interpretação da Matrix/DNA

sábado, fevereiro 2nd, 2013

Superinteressante

http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/mulheres-bonitas-sao-mais-egoistas/comment-page-1/#comment-2888211

Êste é um assunto que tem considerável efeitos na nossa vida do dia-a-dia, apesar de não ser notado. O grosso da Humanidade se coloca como deslumbrados perante um temporario padrão de beleza fisica e apêlo sexual pagando um elevado prêço por isso. Quantas pessoas existem hoje que se omitem da maldição que cai sôbre todos os seres humanos mesmo antes de nascerem, resumida no “comerás o teu pão com o suor do teu rosto”. São pessoas atuando como predadoras, vampirizando a energia de outras pessoas, pois tudo o que consomem não cai do céu, exigem sacrificios humanos na sua feitura. Mas por outro lado, porque seres humanos se prestam a êsse absurdo irracional papel de serem escravos voluntários? A explicação é um prévio condicionamento mental que vem de raízes profundas nos tempos da história de nossos ancestrais, inclusive dos não-humanos. Outro efeito dessa ilusão hipnótica é vista nas borboletas atraidas para a luz de uma lampada e ali ficam orbitando até cairem mortas. Planetas escuros orbitam estrelas luminosas, eletrons descarregados de fótons orbitam prótons luminosos, isto está na nossa natureza e enquanto não conhecer-mos, não desmascarar-mos estas forças negarivas da natureza não nos livraremos delas. “Feios” orbitam submissamente em torno de “bonitos”, enquanto a teoria da evolução ensinada nas escolas rtransmitem às crianças que na natureza os melhores designs “comem” os piores designs e são naturalmente selecionados deixando prole maior. Mas aí está a grande armadilha que uma vez já provocou a queda de nossos ancestrais a que se deu os nomes de Adão e Eva. Abaixo daquele artigo na Superinteressante postamos o comentário abaixo que está agueardando aprovação para ser publicado:

The Matrix/DNA diz:

A explicação para o realçado egoísmo das mulheres mais bonitas e o aviso para que os mais feios não devem alimentar êsse egoísmo, vem de um mais profundo entendimento do mundo. Todos os seres humanos possuem uma dominancia do grupo dos “genes egoístas” ( descritos por Dawkins como selfish gene) herdados dos nossos ancestrais não-humanos pelo simples avançar da evolução. E quando seres humanos conseguem viver num ambiente confortável estes genes são mais incentivados a se expressarem. A origem da força natural expressada pelo egoísmo remonta aos tempos em que a matéria contendo um principio mental ainda “adormecido” estava formando as primeiras galaxias e as fêz como sistemas fechados em si mesmos, isolados do mundo, o que é a expressão maxima do egoismo. Como aquelas galaxias foram ancestrais dos sistemas biológicos como nós, aquele evento está registrado na memória do DNA e foi intuido/relembrado pelos autores da Biblia, os quais, sem entenderem direito o que estavam lembrando, expressaram aquelas lembranças metafóricamente, na forma da fabula de Adão e e Eva no paraiso. Basta ver os modelos cosmológicos da Matrix/DNA Theory para se entender isto. A força feminina era a rainha e ela criou aquele falso paraiso impondo à força masculina participar daquele sistema. Por algum motivo a Natureza não admite sistemas fechados egoístas, e aciona a força da entropia para destrui-los, prova disso foi a Queda. Agora estas mulheres bonitas, inconscientemente, se deixadas livres ditando as regras em nossa sociedade, tendem a repetir o êrro de Eva, a comer a maçã oferecida pela serpente que Eva mesmo criou, e elas vão nos levar a repetir o erro ancestral reconstruindo aqui o falso paraiso. Por isso não se deve lhes dar maior privilégios que a outros e lhes facilitar a vida: as dificuldades aqui tem justamente o efeito de combater o gene egoísta, reanimar o gene altruista dos sistemas abertos, extirpar aquele pecado original da nossa personalidade.

O DNA-LIXO PRODUZ AS MASSAS HUMANAS DAS QUAIS O LULA É COMO UM GENE ATIVADO QUE SE EXPRESSA

terça-feira, abril 26th, 2011

O DNA é o Código da Vida, na forma de uma fita magnética retorcida, mas 95% dêle parece não codificar nada, pois é uma mera repetição infindável do mesmo símbolo, por exemplo, “aaaaaaaaaggggggggg…”. Na linguagem científica deu-se o nome a estas vastas regiões repetitivas de “DNA-Lixo”, vindo do Inglês “Dust-DNA”,  porque não se tem detectado ali nenhuma função ou atividade importante. Isto tem confundido o pensamento de cientistas e filósofos naturalistas como eu. Para que e porque a Natureza – que sempre tem descartado o que é inútil – tem mantido estas longas massas de símbolos por 3 bilhões de anos?! Por incrível que pareça, a resposta é a mesma para a pergunta: “Porque os ricos necessitam dos pobres? Seria possível existirem apenas a elite, num mundo sem as grandes massas? A Natureza diz que não e quem sussurra esta mensagem é a Matriz/DNA ! Mas… e aqui vou abrir um parentêsis nêste artigo para no paragrafo a seguir explicar a minha cosmovisão baseada na Teoria da Matriz/DNA.

A Natureza tem determinado nêstes 13,7 bilhões de anos que matéria seja organizada em sistemas, que haja sistemas, como átomos, galáxias, corpos humanos, sistemas sociais humanos, etc. E tôdo sistema é formado por energia e massa, dois estados da matéria. Portanto, a Natureza determinou antes das origens dos seres humanos, que existiriam ricos e pobres, uma representação biológica da dualidade  “energia-massa”. Mas eu não aceito isso. E conto com a emergente propriedade mental que possuo para me revoltar e eliminar da Humanidade essa ditadura “dessa” Natureza. Seja ela produto de um Deus ou do Diabo. Até agora existem as massas humanas, eu fui estupidamente produzido em meio a essa massa, mas até o ultimo suspiro estarei lutando contra êste modêlo de sistema. O que é Natureza? É uma fórmula/software existente e atuando na matéria, a qual apresentei aqui sob o nome de Matriz/DNA. A Matriz é como os vírus ou bactérias no sentido que tanto podem ser bons ou serem maus para nós, depende de algumas coisas. E a matriz/DNA tem demonstrado que está sob evolução. E aqui está a Razão do porque acho que me é racional lutar contra ela e contra o tipo de vida indesejável que ela meu: vamos fazê-la evoluir para um tipo de sistema onde tôda auto-consciência existente e encarnada constitua um sistema onde todos são iguais e tenham os mesmos iniciais direitos e deveres. Não abro mão disso! 

Agora voltemos ao objetivo dêste artigo.

 Mas durante os seis anos que estive isolado na selva amazônica observando e identificando os circuítos dos sistemas naturais que se conectam numa intrincada rêde compondo a biosfera total que mais tarde se projetou na forma dêste intrincado cérebro que temos hoje, também notei que cêrca de 95% da matéria que a compõe é mera massa de informações repetitivas, ou seja, poderia ser considerado como lixo e não-funcional. A partir desta observação, o salto inevitável à conclusão de que o lixo natural da biosfera é uma projeção ao futuro do lixo no DNA foi um raciocínio lógico. Mas se agora nós temos o “lixo” ampliado no espaço e no tempo de maneira que podemos observa-lo a ôlho nu, de sentí-lo a ponto de nêle nos introduzir-mos e verificar seu estado material, então podemos aplicar os calculos da evolução regressiva e da contração do espaço-tempo nêste período de 3 bilhões de anos e projetar no invisivel estado material do DNA as propriedades identificadas para finalmente entender o que é êsse “DNA-Lixo”. Porque e para que a Natureza o mantém. De onde êle veio.

A evolução se propaga como ondas concêntricas a partir de um núcleo central que foi o Big Bang. Assim como o que vemos quando atiramos uma pedra num lago de águas paradas, cada nova camada de onda nasce dos ultimos limites de capacidades da onda anterior, para abranger maior tempo e espaço e assim captar os ciscos, as sujeiras, as partículas-informação que existem nas águas à frente, e dessa captação e incorporação faz da ultima onda sempre a mais complexa que tôdas as anteriores. Mas a ultima onda não surge do nada e sim é a herdeira de fôrças e propriedades transmitidas pelas ondas anteriores, e estas características formam o esqueleto estrutural, a forma circular, as velocidades, etc, das regiões iniciais que receberão a cobertura das novas informações, das novas partículas. Então cada nova onda é formada por tôdas as informações de tôdas as ondas anteriores, senão seria impossível ela se formar e existir na água. Êsse fenômeno que acontece às nossas vistas aqui e agora nas águas do lago não é mero acaso: trata-se de uma projeção fractal no futuro de uma fórmula-matriz operacional que surgiu nas origens do Universo, de onde deduzimos que o que aqui vemos como água, naquêles tempos deve ter sido uma espécie de éter plásmico, ou porque não, a matéria escura que hoje descobrimos preencher 95 % do Universo.

Assim também é a Evolução, é a Vida, é o Cosmos. E é o DNA. Mas não apenas tudo isso pois a evolução não parou no DNA, ela continua e hoje produz como ultima camada da ultima onda estas coisas tão complexas como a mente humana, e os corpos-sistemas dos seres biológicos. No meio dessa História Natural, uma das formas de ondas produzidas foi o sistema social humano, do qual, estudiosos vêm compôsto de 95%, massas humanas, e 5%, elites, sendo estas classificadas de acôrdo com a qualidade dos valôres do estudioso, que se dividem em definir esta elite no aspecto de poder material ou no aspecto de capacidade intelectual.

Nas águas do lago observamos que à medida que os círculos se ampliam o nucleo circular central tambem se amplia e vai incorporando ondas vizinhas que vão desaparecendo. As primeiras ondas que são como as ancestrais das ultimas ondas podem desaparecer mas as informações que patentearam a existência delas continuam a existir e ter sua utilidade na ultima forma mais evoluída. Será mesmo nobre e honesto de nossa parte deprecia-las com a definição de “lixo”? Agora, passando a observar a forma mais evoluída dêste padrão matricial que vemos nas águas, que é o DNA, não temos mais alicerces sólidos e maior sabedoria para abordar e entender as vastas regiões repetitivas do DNA?

O primeiro sistema biológico real, funcional, completo, que surgiu na Terra, e que denominam de “ser vivo” foi um sistema celular, o qual já continha um pequeno DNA, e se minhas informações estiverem atualizadas, êle já era composto de cêrca de trezentos genes. Ora, genes são pacotes de informações constituídos de outras informações que são os nucleotídeos que por sua vez são constituídos de informações que são átomos, os quais são vastos pacotes de informações ainda mais simples que são as partículas… Enfim, naquêles trezentos pacotes de genes podem existir trilhões de informações. Mas a grande pergunta que ninguem que utiliza outros métodos de investigação nunca respondeu é: são informações sôbre o que?! A Matriz/DNA sorri e exclama: “Ora, olhe para as ondas nas águas do lago…”

Nas vastas regiões silenciosas e dormentes do DNA jazem as almas dos nossos ancestrais, desde os vórtices quânticos primordiais, aos átomos e às galáxias.

O registro eterno de que um dia existiram materialmente continuam sendo carregados por nós e parece que se destinam ao infinito. A ultima forma da Evolução Universal, que é a auto-consciência humana – ao menos nesta região do Universo – nasceu ainda ontem a 200.000 anos, como sugerem os ultimos modêlos cientificos arrolados no estudo da origem e evolução da consciência, ela ainda é um feto embrionário que está se formando como corpo na mesma configuração sistêmica de todos os sistemas ancestrais que a antecederam, e parece-nos que sua substância deve ser algo plásmica ou holografica. A consciência humana é a ultima onda na água do lago universal aqui e agora. Mas as ondas anteriores imediatas que foram a biosfera terrestre, o corpo humano, e o cérebro humano, notadamente constituídos de matéria a nós perceptível e visível, foram a manifestação sólida de um fractal universal que contem em si as várias existências anteriores dêste mesmo fractal, as quais hoje estão em nossos corpos, mas são invisíveis. Por isso estamos descobrindo no laboratório que a mente humana pode interagir e influir nos elementos de realidades e dimensões tão distantes como as partículas fantasmagóricas elementares: mente humana e almas dos ancestrais são a mesma coisa, a mesma essência, o invisivel se identifica com o invisivel. A própria consciência, por conclusão lógica, será uma espécie de alma embutida nas formas transcendentais que ainda podem surgir no futuro. O registro de sua existência está assegurado ao infinito para o qual é transportado dentro da Matriz/DNA. Quando isso acontecer, vamos apreciar que  nossas futuras gerações se refiram a nós como “lixo”?

Sempre que vai iniciar uma nova onda no lago, fôrças e propriedades das ondas ancestrais são convocadas a participar como o alicerce, a plataforma sólida, o corpo da mãe onde se assentará o novo embrião. Mas ás vêzes ocorrem mudanças bruscas nunca experimentadas pelas ondas anteriores nas águas à frente, seja pela presença de uma cupula flutuante de fungos, ou mesmo detritos de vegetais de um tronco que se decompôs. Portanto a nova onda surge num ambiente adverso, tal como ocorreu com as mudanças climáticas a milhões de anos atrás, que extinguiu abruptamente espécies como os dinossauros, mas que foi a oportunidade para a explosão de novas formas de vida no Cambriano. Nêstes eventos certas fôrças e propriedades dos ancestrais, que foram extremamente ativos na sua época, são convocados novamente a repetir o nível de atividade. Em nossa linguagem matricial diremos que informações ou genes no meio daquelas longas regiões repetitivas são convocadas a se expressarem. É possível que num novo ambiente, o representante material e codificado na Matriz que a 10 bilhões de anos atrás atuou em alguma substância quando se formava a primordial nebulosa de átomos, tenha que retornar a fazer sua mesma função.

Saindo do DNA e projetando-nos agora, bilhões de anos à frente, vamos nos deparar com o sistema natural denominado “sistema social humano”. O qual é meramente um fractal ampliado no tempo e espaço da sua forma fractal quando era DNA, porem agora muito mais complexo, ou seja, constituido de muitas maiores quantidades derivadas do fractal inicial universal, ao qual a Matriz/DNA sugere o nome de “bits-informação”. Ou seja, os “genes” primordiais recebidos daquilo ou daquêle ente, desconhecido ainda, que gerou êste Universo. E assim podemos projetar o que agora descobrimos do DSS, sigla de “DNA-Suporte-Sagrado” (pois êste será o nome que aqui no ambiente da Matriz/DNA vamos identificar e exprimir nosso respeito àquelas vastas regiões repetitivas do DNA), para melhor entender a sociedade humana.

De fato, temos que concordar com os estudiosos que dividem essa sociedade em 5% de humanos mais ativos individualmente e 95% de humanos menos ativos que se exprimem como fôrça ativa apenas no seu aspecto coletivo. Não concordaremos com a classificação entre “elite” e “massa”, pois isto supervaloriza indevidamente um dos segmentos e deprecia indevidamente o outro. Estamos descobrindo hoje muitos dos segrêdos do DSS, os quais surgem da fortuíta comparação com as ondas no lago, e como sempre voltaremos a refletir sôbre êste fenômeno, com certeza êste artigo será sempre refeito e enriquecido com novas descobertas. Uma delas é a curiosa esplicação do porque o mundo estava programado para resultar que os membros das elites consigam se informarem mais sôbre as novidades e as coisas mais complexas do que é possível aos membros da massa. Vemos que hoje os humanos mais abastados dispõe de mais potentes instrumentos de captação de informação, como a Internet, a frequência nas universidades, as viagens internacionais, etc., e de mais tempo para usarem êstes recursos, do que é possível aos elementos da massa, mesmo que êstes o desejassem ávidamente. Porque o mundo se programa de maneira que as informações novas, não existentes ou não comuns nos ambientes das gerações anteriores, se disponibilizem ao acesso dos membros das elites, mais que aos da massa? Ora, olhe para as ondas do lago: as fôrças e propriedades da onda anterior se projetam para formar a nova e ultima onda, mas avançam até a meio caminho da nova camada circular e aí a nova onda se depara com os ciscos, os detritos, como tambem com as seivas, os néctares, de recifes de corais, camadas flutuantes de fungos, troncos de sequóias apodrecidos, que jazem nas águas mais distante do lugar onde impactou a pedra e têve as origens das gerações. Portanto os ultimes níveis chegando aos limites e à  fronteira da ultima onda irão incorporar estas novas informações, as quais podem ou não vazar e em menor quantidade para os niveis iniciais da mesma onda. Assim, informações em poder das elites podem ou não vazarem e chegarem ao conhecimento das massas. Interessante… não é?

Outro detalhe importante que aprendemos aqui é que as elites de hoje serão as massas amanhã. Assim como as massas de hoje foram elites em ondas anteriores. Cito como exemplo a minha própria experiência de vida, a história de minha carga e herança genética. Pesquisando a genealogia do meu sobrenome cheguei aos palacios de Roma onde ancestrais faziam parte da elite do Império do mundo. Mas naturalmente essa carga genética como tudo o mais foi atacada pela entropia degenerativa, os filhos abastados se entregando a orgias sem a disciplina dos pais e erodindo os patrimonios, perdendo os poderes do Império até que os ultimos remanecesntes, meus pais, foram acabar num país de terceiro mundo sem nada mais que a roupa do corpo. Mas a queda continuou de maneira que faleceram logo após gerarem a nova geração, quando eu tinha 3 anos de idade. Eu fui o ultimo patamar no fundo do poço, o qual foi a mais profunda e selvagem área das selvas amazônicas, aquêle ponto Zen onde o fluxo começa a reverter para cima. Surgí portanto nos mais inferiores extratos das massas, uma massa que foi elite outrora, mas a minha insaciavel dedicação ao estudo e busca de informações num ambiente tão inóspito, sem acesso aos instrumentos disponiveis à civilização, sem o tempo livre devido as lides para a sobrevivência , não a explico como sendo uma virtude a qual eu devia me vangloriar, mas sim se explica pelos comuns processos da evolução natural, a qual é como um barco a motor navegando contra a correnteza e que no seu caminho vai recolhendo os naufragos como eu.        

Mas uma das particularidades notáveis é que dessa “massa” de humanos muitas vêzes emerge alguns que se expressam a ponto de liderar os destinos de todo o conjunto. Podemos citar uma infinidade de exemplos, como Karl Marx e até mesmo Jesus Cristo, no seu aspecto humano. No Brasil tivemos o notável exemplo de Luís Ignácio da Silva, o Lula, que nascido nas mais inferiores camadas da onda de suporte da nova sociedade brasileira, emergiu se projetando e ultrapassando os limites da onda ancestral para se posicionar nas ultimas fronteiras da onda mais moderna. O mundo contem segrêdos qua ainda nossa mais elevada sabedoria desconhece e por isso ainda não podemos atinar como e porque a alma do “gene” Lula foi convocada a despertar e reassumir suas funções na grande senda da evolução universal. Mas são eventos como êsse as oportunidades para captarmos os sinais iluminadores do nosso caminho evolutivo, por isso devemos prestar atenção a êles, refletir sôbre êles, recompor teóricamente o quadro que produziu o evento, como estava o estado do mundo e da sociedade brasileira naquêle momento, pois é nossa meta mudar a situação de nossos ancestrais que eram mais levados pela vida que condutores dela, para com sabedoria assumir-mos nossa cota de responsabilidade nos destinos da evolução, com a recompensa de que assim nós seremos os condutores e livres programadores do nosso destino. Um destino que já pode ser previsto se novamente olharmos as águas do lago. Quando as ultimas ondas atingem o fim das águas e se deparam com uma nova realidade que é as margens do continente, elas se projetam nestas novas terras na forma de espuma plásmica, onde se misturam todos os niveis das ondas, massas e elites numa só essência, e como os anfíbios primordiais que vieram dos oceanos, começam a arrastarem-se para formarem um novo e espetacular reino da Vida. Sagrado seja êsse nosso destino e sagrado seja o DNA-Suporte.

Não somos os Genes do Criador, e sim, Vírus dentro do Criador?

domingo, abril 18th, 2010

Novidades na cosmovisão da Matriz/DNA. Acordei hoje com um pensamento perturbador que nunca havia pensado antes. Como é sabido, os modêlos desta cosmovisão indicam que este Universo – êste mundo material – é uma produção genética. De onde se conclui que – se ao menos aqui nestas regiões – o ser humano é o sistema mais evoluído que existe, êle deve ser o gene que carrega a mensagem e a missão reprodutora da fonte natural que gerou o Universo.

Mas… os mesmos modêlos podem dar margem a uma outra interpretação. É possível que êste Universo seja apenas parte do corpo, ou o corpo inteiro, da fonte natural. E que o ser humano tenha brotado, emergido nêle como os virus e as bactérias existem no corpo humano. Eu ainda não tive tempo de rever tôda a conjuntura dos modêlos para analizar esta hipótese, mas de imediato ela parece possível. Porém, se ela fôr o verdadeiro significado da nossa existência, muitas coisas devem mudar.

A genial frase de Einstein encerrando a questão magma que êle levou para seu tumulo sem resposta me ribombeia na cabeça: “Será o Universo amigável a nós?!”

Se sim, a Humanidade está salva e sua próxima forma transcendente terá um futuro grandioso garantido. Se não… estamos perdidos? Ainda não: existem bactérias más e existem boas, para o hospedeiro. Cabe a nós identificar o todo e descobrir como ser uma boa bactéria para o mundo. O Universo nos ignorará do mesmo jeito porem não acionará a fôrça de Clausius (a fôrça degenerativa do segundo principio da termodinâmica medida pela entropia),  para nos eliminar, como fêz com nosso ancestral LUCA (the Last Universal Common Ancestral).

Principalmente a existência da auto-consciência em nós, indica que somos genes? Cujo futuro é estarem todos reunidos num só ser e nascer para fora dêste Universo como o filho da fonte ex-machine? O que explicaria um monte de questões e aplacaria um monte de revoltas, como por exemplo, a existência de ricos e pobres se explicaria pelas dadas situações em que alguns genes devem se expressar enquanto outros devem se retrair como recessivos e apenas contribuir para que aqueles se expressem? Mas que tambem deixam muitas coisas absurdas sem explicação, como a cena de leões invadindo uma aldeia de nativos e estraçalhando mulheres e crianças.

Por outro lado, principalmente a influência humana no aquecimento global e alterações no planeta indica que somos virus ou bactérias… e malignas? Pode ser que sim, e a maioria das evid6encias imediatas sugerem lógicamente que esta é a verdade. Mas você pediu para nascer? Você tem culpa de ter sido feito assim, com êsse corpo cheio de necessidades parasitárias do planeta? No entanto você não é estupido como as bactérias malígnas em seu corpo. Você sabe que se matar o corpo que o hospeda… você é destruído junto com êle. E sabe que se você adoecer o corpo que o hospeda, haverá alterações nêle, que êle sentirá sua presença, e que êle dispõe de exércitos de defesa que serão lançados contra ti.

Este artigo parece reflexão inútil que não levaria a nada ( sem contar que para os místicos seria totalmente irracional), mas para mim êle tem um conteudo que deve ser memorizado, por isso o registro aqui. Penso ser muito importante correr-mos atrás de mais dados, científicos, investir-mos mais esfôrço na tecnologia espacial e micro-cósmica como os aceleradores de partículas, pois temos urgente que saber definir o que será uma boa bactéria amigável ao Universo enquanto também boas para nós mesmos. Precisamos de mais dados que nos conduza à Grande Unificação entre a relatividade geral, a quantica, a mecânica celestial de Newton, as quatro equações supremas do eletro-magnetismo de Maxuell, o elo entre evolução cosmológica e evolução biológica da Matriz/DNA e à resposta à questão de Einstein a qual é a nossa questão suprema.  Tais dados precisam revelar nossa real condição. O que somos, o que devemos fazer?