Archive for the ‘galaxia’ Category

Luz Ilusória: Eu estou vendo galaxias, ou gases, ou poeira?

terça-feira, agosto 28th, 2018

xxxxx

Se o Universo for uma especie de maquina, ou de organismo, ou alguma coisa entre os dois, nos ainda não temos tecnologia para descobri-lo. O Universo pode ainda não ser um sistema na sua totalidade, mas sim um aglomerado de sistemas, então estas maquinas ou organismos poderiam ser suas galaxias, constelações, etc. Lembre-se sempre que, em relacao ao Universo,  nos somos como aquelas pequeninas partículas dentro de átomos ( nosso sistema solar) dentro de células ( a nossa galaxia Via Láctea),  que apontássemos nossas lentes para o ambiente ao nosso redor dentro do corpo humano ( o nosso Universo), e veríamos o pâncreas, o figado, apenas como nuvens de gases e poeira, os prótons de outros átomos seriam nossas estrelas, etc. Jamais estas partículas poderiam sequer imaginar que estão dentro desta coisa chamada de organismo, ou corpo humano. Da mesma forma, é insano e irracional escolher qualquer teoria ou hipótese sobre o Universo como certa.

Então quando ouvires ou ler estes arrogantes e pobres humanos que existem aos montes na Internet dizendo que tem certeza que o Universo começou com um Big Bang, ou “que já sabemos como funciona este Universo”, não se deixe iludir, ninguém sabe nada, ainda, mas nunca deixe de ver, seguir, as imagens e real dados que estão sendo divulgados dia a dia, pois isto em muito nos ajuda na evolução mental, a ser melhores humanos mais sintonizados com as verdades da Natureza que não começa nem termina neste planeta e sim, Ela é o Universo inteiro, ampliando nossos horizontes mentais. As informações abaixo ajudam-nos a entender o quão pouco ainda temos de tecnologia e conhecimento desse imenso Universo que ha’ apenas um século começamos a ver que existe alem da nossa galaxia, alem de melhor informar os amadores a astrônomos que tem telescópios em casa. ( texto obtido em:

https://www.zooniverse.org/projects/zookeeper/galaxy-zoo/talk/1268/570127?comment=944770

Galaxias são feitas de bilhões de estrelas. Estrelas brilham, então nos as vemos pela luz que emitem. Galaxias estão muito distantes e por isso nos não podemos ver suas individuais estrelas. Nos apenas vemos agrupamentos de estrelas num brilho só. As cores são misturas de branco-azulado, branco ou avermelhado, como na imagem abaixo:

not gas but stars

Existem bilhões de estrelas nesta galaxia

Veja em: https://www.zooniverse.org/projects/zookeeper/galaxy-zoo/talk/subjects/20284233

“Gas”

Existe gás em galaxias, a maioria são gases constituídos de hidrogênio ou gases de oxigênio. Gás não brilha, então nos não podemos ver gases em nossas imagens obtidas pelos telescópios. Se uma galaxia esta’ muito distante ela parece uma nebulosa, mas ainda são estrelas que estamos vendo, e não nuvens de gás. Ocasionalmente a luz ultravioleta ou Raios-X pode brilhar no gás de hidrogênio e fazer o gás iluminar como uma lampada fluorescente, e emitir luz em agradáveis cores de azul escuro, azul claro, verde ou vermelho.

voorwerpje Vermelho é gás de hidrogênio aquecido, branco são estrelas. Esta galaxia é identificada como 1237668348137177128
( ver mais em:

(https://www.zooniverse.org/projects/zookeeper/galaxy-zoo/talk/1269/582784?comment=967386)

“Poeira estelar” e plano ou disco de poeira

Poeira significa pequenas moléculas. Poeira não brilha, mas nos podemos ver seus locais e posições quando ela bloqueia a luz de uma galaxia atras dela.

Example Alt Text Disco de poeira com uma galaxia atras.

Ver mais em: https://www.zooniverse.org/projects/zookeeper/galaxy-zoo/talk/subjects/20283682

Bomba! Nem o Sistema Solar nem a Via Láctea são discos planos achatados e sim… esferas! … Sugere a Matrix/DNA

terça-feira, fevereiro 20th, 2018

Para ter-mos uma pálida ideia de quanto existe neste mundo que nos não sabemos, vou citar um exemplo:

Temos visto as fotos de galaxias distantes tiradas pelo Hubble. Em todas as fotos, as galaxias se apresentam como sendo um disco plano, achatado. As vezes, raramente, uma foto mostra uma galaxia com alguma protuberância no centro, dando a ideia de ser uma espiral achatada. Isto e’ o que nos mostra nossos instrumentos científicos que são meras extensões dos nossos sentidos naturais, neste caso, dos nossos olhos.  Puro engano!

As galaxias são bolhas, esferas bem arredondadas. Mas para vê-las na sua totalidade como esferas, seria preciso uma visão e uma glândula pineal sobressalente como antena capazes de ver a realidade revelado pelas sete faixas da luz universal. Como sabemos essa luz apresenta sete diferentes faixas, diferentes em frequência de onda, de vibração, de densidade, velocidade, movimento, etc. E nos apenas vemos e percebemos com todos nossos cinco sentidos a parte do mundo revelado pela faixa que esta bem no meio das sete, a quarta faixa, a qual denominamos de luz visível. Esta quarta faixa central apenas mostra a parte da realidade dos objetos que esta no seu centro, como num disco plano, mais um pequeno alargamento em espessura deste plano, ao qual denominamos de “largura”. Então vemos e percebemos as densidades, os sons, as temperaturas, etc., da maneira tridimensional, ou seja percebemos da parte central dos objetos a região compreendida em sua largura, o seu comprimento e sua altura. Então não vemos as partes do mundo que são reveladas pela faixa dos raios gama, do infra-vermelho, do ultravioleta, etc. nem percebemos as coisas e criaturas que existem no estado vibratório destas faixas. Apenas podemos captar do mundo as coisas que estão na mesma faixa vibratória que nossos corpos e mente estão, ou seja, a quarta vibração. Não apenas nos humanos: o nosso planeta, que foi quem nos forneceu aos nossos corpos este estado vibratório e de percepção, ele nos fez assim porque ele também tem seu corpo no estado vibratório da quarta faixa. Então por isso ele ocupa a faixa da onda orbital do sistema solar localizada em quarta posição, ou seja, ele e’ o quarto planeta a partir do Sol no centro. E por isso também só percebemos o sistema solar na sua região central plana achatada… mas ele também e’ uma esfera.

Cada faixa  tem seu mundo, sua realidade própria, da qual não adianta tentar-mos imaginar como seja, pois nosso cérebro não poderia processar esta informação. Com a nossa evolução nos iremos gradativamente ampliando nossa percepção e entrando nas duas faixas vizinhas, a da direita e a da esquerda. Recebendo informações destes mundos aos poucos vamos desenvolvendo nossos cérebros e sensores, e dai sim, seremos capazes de processar todas as informações destes mundos. Seguiremos assim ate’ entrarmos nas sete faixas e absorve-las completamente.

Por isso nossas teorias sempre são incompletas, tem que serem remendadas a cada avanço no conhecimento, a ponto de que a uma situação em que nelas não caibam mais remendos e então são transformadas em outras teorias mais amplas. A teoria Ptolomaica de que a Terra seria o centro do mundo nos satisfez por 2.500 anos, ate que ela não conseguiu mais satisfazer nosso cérebro alimentado com novas informações e então Galileo, Newton a transformaram consertando alguns erros. Mas suportamos Newton por um seculo ate que Einstein com sua teoria da relatividade veio mostrar vários erros e a transformou em algo mais amplo. Assim vai acontecer com tudo o que pensamos hoje que sabemos, tudo sera’ transformado e relegado a base apenas primitiva do conhecimento.

Ainda me persiste a duvida do que significa estar no quarto estado. Seria isto indicador de que nosso conhecimento apenas conhece de fato o que esta na quarta faixa, ou seria indicador de que percebemos não apenas a quarta, mas também as três primeiras, que são a nível evolutivo inferiores `a nossa? Por ora vou ficar com a hipótese que isto e’ indicador de que nosso cérebro vive as quatro dimensões quando convive aqui na superfície da Terra com representantes das três primeiras dimensões, porem nossa mente se esquece e ignora a parte do nosso corpo que se encontra nas três dimensões inferiores propositadamente, para ficar livre e aprender a nova dimensão em que ela emerge. Assim estamos captando desde partículas a átomos a rochas e a astros espaciais que seriam representantes da primeiro dimensão. Captamos o reino vegetal que seria representante da segunda, e o reino animal como representantes da Terceira, mas não vivemos ou não nos sentimos na pele destas criaturas.

Como serão as outras seis faixas de discos planos desta galaxia que não estamos percebendo nem temos qualquer ideia de que existem bem aqui ao nosso lado? Como sera’ cada faixa, com seu especifico, único e separado mundo, suas criaturas, suas leis naturais, seus significados e conceitos? Se as estruturas das galaxias na nossa dimensão são astros, serão também astros existentes nestas outras dimensões ou suas estruturas são outras coisas que não podemos sequer imaginar? Temos uma pálida ideia do que sera’ a terceira faixa porque vemos e percebemos animais e o que buscam no mesmo mundo que compartilham conosco, porem, eles captam melhor sinais da primeira faixa, como os campos magnéticos, por estarem mais próximos dela do que nos. Mas como serão as faixas de mundos superiores? Sera’de la’ que viriam estes discos voadores que parecem ser fantasmas de outra dimensão? Seja como for, o simples fato de que já percebemos a existência de galaxias enquanto nem plantas nem animais o percebem, de saber-mos que somos quase cegos porque só vemos a sétima parte da realidade, indica que estamos evoluindo na direcao de transcender-mos para viver a quinta dimensão, e isto nos alerta para que tentemos no máximo do possível imaginar como sera um mundo bem mais evoluído, mais ordeiro, sem esta sombra de caos que ainda permeia nossa dimensão, para sabermos quais as regras comportamentais que devemos desenvolver para sermos aceitos e convidados com alguma ajuda a dar-mos mais este grande salto rumo ao sublime destino que deve existir na transcendência final alem das sete faixas da luz, no qual deve ser chamado de reino da fonte dessa luz universal.

Já esta’ chegando o tempo em que começamos a perceber erros na teoria geral da Relatividade de Einstein. Sugerem minhas formulas um erro sutil na sua teoria, quando ele morreu acreditando que o Universo tenha a forma cilíndrica. Pois quando calculei a evolução e historia universal do sistema que esta se desenvolvendo dentro deste Universo, pondo-o a rolar ao sabor das leis naturais conhecidas ate’ hoje num gráfico cartesiano tendo como coordenadas o tempo e espaço, e iniciando com o Big Bang, no final reparei que a trajetória do corpo tinha desenhado dentro do gráfico uma figura! E bem conhecida: justamente a imagem de uma unidade do DNA, ou mais, justamente a figura da formula que denominei de Matrix/DNA. E isto significa que a forma da face do Universo não e’ esférica, nem cilíndrica, mas sim a forma do DNA!

Surpreso fiquei dias, semanas, pensando naquela incrível coincidência e comecei a pensar que aquilo estava querendo revelar algo muito importante, só não sabia o que. Ate’ que um dia me toquei… Ora, quem foi que procurou a face do Universo? Senão o meu cérebro que e’ composto de neurônios tendo no centro justamente o DNA? No final quem estava procurando era o DNA, e como ele e’ como nos, ou seja, tem uma personalidade forte ( basta ver como ele a expressa geneticamente em nossos detalhes físicos), ele não consegue a sublimidade de ser impessoal. Então ele se auto-projeta no que procura a ponto de encontrar-se a si mesmo. Assim como Narciso viu sua imagem refletida na água e se considerou o mais perfeito e belo do mundo. Assim como os homens primitivos imaginaram Deus se auto-projetando e concluindo que Deus seria a nossa imagem e semelhança. Então somos traídos por nos mesmos quando tentamos entrar em áreas proibidas muito mais elevadas do que onde estamos. E então também admirei como Einstein, o qual considero tenha sido um grande gênio, pode cometer um erro tao infantil: ele descobriu com sua teoria da relatividade que tudo e’ relativo e se tudo e’ relativo – ele deveria ter percebido – o Universo e’ relativo. Então sua face se apresentara’ de uma forma especifica para cada diferente observador ocupando um especifico ponto no tempo e espaço, tal como a galaxia faz conosco. Sim, o Universo e’ relativo no sentido que ele pode mostrar mil faces diferentes, cada uma ao sabor e gosto do fregues arrogante que ele atende. E bota eu e meu DNA neste cesto de fregueses.

Bem…, se alguém ler isto aqui, saiba que isto não e’ verdade, apenas mais uma hipótese inicial que me surgiu agora quando estou novamente estudando as formulas e modelos teóricos da Matrix/DNA Theory. A nossa verdade oficial e’ de que a Via Láctea se parece com um disco achatado, e isto deve seve ser respeitado sempre que ouvirmos nossos irmãos descreverem-na assim. Porque como não temos certeza de que nossa logica racional não esta desviada da logica da verdade, não vamos nunca afirmar isso com firmeza e veemência. Alem do mais, estas possibilidades aventadas neste texto são produtos de uma teoria feita por humanos, e como disse acima, as teorias podem estar a frente do nosso tempo intelectual de hoje mas com certeza estarão atras dos tempos intelectuais dos amanhas. Mas também acho que não devemos ignorar essa possibilidade, porque se ela for verdade, estaremos ajudando nossos irmãos a abrirem mais suas mentes encaminhando-os junto conosco para os planos mais elevados. Ámen!

( Obs.: abaixo apresento o espectro eletromagnético total das sete faixas, porem ao gráfico da escola acadêmica foi inserido nomes e significados que foram sugeridos pela teoria quando ela sugeriu a bombástica possibilidade de que a onda total original da luz universal que foi emitida junto com o Big Bang e a qual nossa visão não pode captar, traz em si o código da formula para criar todos os sistemas naturais, inclusive a… Vida! Sendo assim, identificamos cada forma etária do corpo humano nas suas intensidades de energia, funções nos sistemas sociais e familiares, etc., com cada uma das faixa da luz universal, o que significa ainda que se as nossas formas mudam devido ao processo do ciclo vital, significa que a onda de luz também e dividida em diferentes formas porque ela também se propaga no espaço e no tempo com um ciclo vital… (clique na imagem para amplia-la):

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

 

Raios Cósmicos de Outras Galáxias Chegam a Terra Trazendo Fótons

terça-feira, setembro 26th, 2017

xxx

Bem… isso ja era suspeitado pela Matrix/DNA Theory, pois nao e’ muito confortável a ideia de que um único exemplar da formula vindo de apenas uma galáxia  contenha todas as informacoes para sistemas biologicos. Detectado que a Terra e’ de fato bombardeada por raios cósmicos vindos de outras galáxias as quais devem estar trazendo “fótons”…

Paper: NATURE

http://www.nature.com/news/high-energy-cosmic-rays-come-from-outside-our-galaxy-1.22655#/b1

Os raios cósmicos de alta energia vêm de fora da nossa galáxia

O mais curioso nesta notícia e’ a loucura humana. 1600 tanques de agua a cada intervalo de 1,5 kilometros em cerca de 3.000 kilometros para… captar raios cosmicos!

Para detectar esses chuveiros, o Observatório Pierre Auger tem 1.600 tanques de água de tamanho de carro colocados a intervalos de 1,5 km, para cobrir 3.000 quilômetros quadrados de planícies gramíneas na província argentina de Mendoza.

Quatro conjuntos de telescópios monitoram o céu sobre a disposição, e – nas noites sem lua – podem detectar flashes de luz ultravioleta gerados pelos chuveiros. A partir da sua localização relativamente próxima ao equador, a matriz pode pegar raios cósmicos provenientes de todo o céu do sul, bem como de grande parte do céu do norte, cobrindo 85% da esfera celestial.

Os raios cósmicos foram detectados usando 1.600 tanques de água colocados em intervalos de 1,5 km

Teorias da Origem da Vida: Coletanea das Existentes

terça-feira, janeiro 3rd, 2017

xxxx

( Artigo ainda em construção. Falta organizar os assuntos, correção ortográfica, etc.)

Inspirado no artigo:

As teorias para o surgimento das primeiras células – e da vida na Terra

http://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-38205665?ocid=socialflow_facebook

xxxx

Todas estas teorias erraram e todas erraram pelo mesmo motivo. Trata-se de uma falha de processamento no cérebro humano, não vejo outra explicação. O motivo e’ a arbitrária separação dos sistemas naturais ditos vivos dos sistemas naturais ditos “nao-vivos”. O primeiro ser vivo realmente digno deste nome, completo, funcional, era um sistema, o sistema celular. Mas antes dele ja’ existiam outros sistemas, completos, funcionais. Se os humanos quiseram inventar a palavra “vida” e com ela denominar o sistema completo, funcional, denominado celular, teriam obrigatoriamente que aceitar que os outros sistemas naturais, completos, funcionais, que ja’ existiam, tambem sejam “vivos”. Ao contrario, decidiram definir o celular de “animado”, e os outros de “inanimados”. Mas como inanimados se apresentam uma parafernalia de movimentos internos e da mesma forma realizam trocas com o exterior, etc? A arbitraria e absurda separacao continuou. Assim separaram a História Natural Universal em dois blocos – o da Evolucao Cosmologica, desde o Big Bang ate’ os 10 bilhões de anos do Universo, e o da Evolução Biológica, desde aquela data ate os dias atuais. Dividiram a História Universal da Evolução do Sistema Natural que surgiu logo apos o ato fecundador do Big Bang e hoje se encontra aqui nestes tempos e região universal na forma nascente de Sistema Natural Autoconsciente, em dois blocos, sem nenhum elo evolutivo entre eles, sem a forma-elo, criando um abismo negro e sem fundo entre os dois grandes blocos. Como resultado so’ poderiam concluir que a forma de sistema biologico nao teria seguido a lei natural da transformação, portanto, teria surgido de algum lugar e fonte fora da longa cadeia natural de causas e efeitos que vem desde o Big Bang.

Nesse momento desviaram-se do pensamento racional puro, construido por esta Natureza, e sairam a vagar no mundo das fantasias imaginarias, onde surge a mistica, o pensamento magico. Mas a causa e’ compreensível, o deslize pode ser perdoado, nao foi culpa dos humanos. Como disse acima, existe uma nova forma emergindo daquele sistema natural universal, mais exatamente emergindo desde esta forma atual de sistema humano, o cerebro. Esta forma apareceu ainda nos ultimos segundos do tempo astronomico, e se ja passou do estagio fetal nao sabemos, mas com certeza ainda nao alcancou o estagio de baby nascido, pois nem seus olhos propios abriu ainda, nem sabe qual a substancia e a forma de seu proprio corpo. E todos sabemos que quando os humanos passam da fase de babies para a fase de criancas, sua consciencia ainda nada tem de racional, para ela todos os objetos a sua volta sao brinquedos, ela vive num mundo encantado, ate tem amigos fantasmas com quem conversa. Ora, a humanidade tambem surgiu muito recentemente em relacao a escala de tempo do sistema universal, para este, a humanidade e’ uma crianca. A psique individual se projeta na psigue coletiva, claro: a humanidade vai se organizando num tipo de sistema, num sistema individual, a imagem e semelhanca de seu building block, que ‘e o individuo. Entao nao poderia ter acontecido de forma diferente: a mentalidade do coletivo humano esta na fase do pensamento magico, do mundo encantado, que não existe de fato. E a historia do mundo sera uma fabula locupleta de magicas, monstros, mitos. Justamente mitos preenchendo o abismo negro imaginariamente criado entre os dois blocos, que na verdade e’ apenas um.

E surgiram dois mitos, diferentes na narrativa, na forma de imaginar o mundo encantado, eregidos por uma parte da humanidade-crianca num continente, e oitra parte de humanidade-crianca sob efeitos do ambiente diferente de outro continente. Surgiu o deismo e o materialismo, ou ateismo. Um acredita realmente no amigo fantasma e deram-lhe o nome de Deus. Outro acredita que os objetos respondem a ele magicamente, pois ele tem conseguido sobreviver com privilégios so’ observados em jogos da sorte, ;oterias, e assim deram o nome ao grande criador do mundo encantado de Acaso. O que existe de mais comum entre os dois mitos e’ que ambos sao magicos, ambos vem de fora da longa cadeia natural de causas e efeitos que vem desde o Big Bang. Ambos seriam nao-naturais, ou seja, sobrenaturais.

O primeiro grupo aceita sorrindo a critica de que creem no sobrenatural. O segundo grupo resiste irracionalmente, pois nao querem entender que se a “vida”, ou melhor, a forma de sistemas biologicos, surgiu, e’ porque ela foi erigida pelas forcas e elementos que vinham rolando na longa cadeia de causas e efeitos. Ora entao ela era previsivel e nao produto do acaso. Basta identificar todas as forcas e elementos que vem rolando, mais o calculo da consistencia do espaco em que vem rolando, e nao tem como nao ver a certo momento a vida formada e rolando no meio. Entao existem uma geracao mais moderna ou envelhecida da humanidade ainda crianca que ja preseente este fato, e comecam a suspeitar que o Universo estava “tunelado” para produzir a vida, ou melhor, a forma de sistemas biologicos. E e’ desta geracao que sairam os autores das teorias arroladas neste artigo da BBC. Mas eles continuam ainda com o pensamento impregnado com resquicios do mito e por isto, eles mantem a malfadada separacoa, e por isto estao nos caminhos errados.

As criancas inevitavelmente se enveredam pelos primordios do pensamento magico porque nascem como ovos mantido dentro e protegidos, alimentados ate a maturidade. Uma caracteristica dos mamiferos, que foi um passo evolutivo adiante dos ancestrais repteis, que botavam os ovos fora abandonando a prole `a propria sorte. Mas o que aconteceria se uma crianca nascesse como ovo botado fora? Instantaneamente atacada pelas intemperies ao relento, pelos predadores e sem alimentos? Sera que ela tambem manteria pelo mesmo tempo o pensamento magico? Ela veria o mundo encantado? Certamente ela nao teria ninguem com quem falar ou aprender a falar, nao conversaria com amigos fantasmas. E como ela interpretaria o mundo se conseguisse ir sobrevivendo por extrema sorte os primeiros anos? E mais: imaginado-se que ela nascesse geneticamente com o dom ou tendencia a filosofar, a questionar a existencia das coisas que ve e ate mesmo a sua existencia, iria ela separar o mundo em dois blocos, iria ela criar im mito para preencher o vacuo entre os dois blocos? Quando na noite ao relento mantendo um olho vigilante na terra e outro levantado prescrutando o ceu e as estrelas, ela se sentiria separada ou conectada a extensao da natureza que se perde no firmamento?

Eu sei a resposta porque eu vivi esta terrivel e odiadamente experiencia. Pior, por duas vezes. Uma realmente logo ao nascer sem familia e teto, e outra quando ja adulto, escapei da escravidao na civilizacao e me embrenhei como fugitivo na selva amazonica. A qual me deu um banho de mundo real, da verdadeira natureza, a ponto de executar uma lavagem cerebral de toda a cultura hmana adquirida ate aquela idade e reduzir o espectro ao estagio de semi-macaco. Sem a s habilidades dos macacos na sobrecvivencia naquele unferno caotico, eu fui um macaco-crianca no meio deles, ja nem mais um humano-crianca como os que existiam la fora, na civilizacao. Digo que nao foi um regresso ao estagio fetal, pois sai no outro lado, antes da fecundacao. Porem com mais uma anomalia ironica: um macaco crianca filosofo. Como nao pderia deixar de acontecer, o filosofo no macaco construiu sua cosmovisao, sua maneira peculiar de interpretar o mundo real. E nao vi a separacao. Nao vi a divisao entre vida e nao-vida. E assim sai a procurar o bicho que me teria feito. A mim, aos meus vizinhos silenciosos que chamam de palntas e aos ruidosos e importunos que chama de animais. Com um olho abaixado procurando na terra e outro levantado procurando na extensao do meu mundo que se perdia no azul do firmamento.

Claro que seria impossivel a tal misero e semi-selvagem individuo, mesmo conseguindo sobreviver e crescendo, encontrar o que a civilizacao milhares de anos mais avancada intelectualmente e com poderosos instrumentos invadindo as profundezas dos invisiveis micro e macrocosmos, encontrar o que nao encontraram. Mas seu sobrevivi e ate me curei do primeiro ataque da malaria, do segundo jamais teria passado. Quis a sorte mais uma vez que humanos nativos da selva que ja pressentiam minha existencia nos arredores de seu territorio,  me encontrassem moribundo e decidissem me salvar como fizeram com os quackers moribundos do Mayflower. E quis o azar que esees nativos selvagens decidram me catequisar nos seus mitos, pegando um cerebro recentemente lavado com esfregao de espinhos das palmeiras e que poderia ter se reerguido e se levantado como uma pagna em branco a ser escrita pela razao pura natural, e desviando-o para o reino dos mitos de sua tambem consciencia crianca. Porem, do azar se levantou a tremenda sorte que o reino dos mitos a que fui apresentado nao era o mito criado pelos predadores de humanos bem nutridos a 10.000 anos atras  a falar com a voz mais alta e possante em volta da fogueira `as ovelhas mansas e temerosas, como eles eram filhos de deuses poderosos, os quais lhes teriam passado a forca. Nao foi o reino originario dos dois mitos se levantando da mentalidade ocidental. Me levaram a um novo retrocesso, muito mais profundo no tempo e no cerebro, ao estado da psique antes do humano-crianca, a forma mesma do embriao. de onde comeca e se forma a imaginacao. Me levaram ao outro continente onde surgiram os mitos orientais. A ouvir a descricao das imagens visionarias de dragoes aflorando das aguas do lago e soltando fogo pela boca como viu o filosofo chines. Mas ao inves de reiventar o simbolo do I-Ching pela mesma visão, e a partir daí desenhar a aura e seus chacras, as aulas de biologia em que eu havia visto o DNA me afloraram na mente na memória que resistira a lavagem e ao invés de dragão e aura eu vi o DNA, dançando no azul do firmamento com um eixo central na forma de um buraco cônico negro e os astros em volta na forma de moléculas, mais tarde identificadas como a timina, a citozina,…

Nao, na aurora da pre-humanidade nao houve uma imediata incursao na mitologia. Aqueles semi-humanos tiveram visoes do micro e do macrocosmo reais. Ou melhor, nao foram visoes vistas por olhos de ver, mas sim recordacoes vindas da memoria primitiva, que ainda nao havia sido poluida pela cultura dos predadores em volta da fogueira. Memorias construidas geneticamente, herdadas dos ancestrais… nao-vivos. Das nossas formas ancestrais quando estavamos na forma de atomos e galaxias. Ou quando estavamos se formando na forma de biologicos, quando fomos os primeiros nucleotideos, que aos pares, formam um sistema completo e funcional e sao um dos elos evolucionarios que foram ocultados do humano-crianca quando ele criou a separacao.

Os nativos tomam uma beberagem feita de raizes e ervas selvagens parecido com o que se chama de Santo Daime. Caem no chao ou em cima de esteiras e ficam balbuciando incoerencias com um largo sorriso que as vezes tornam-se gargalhadas, felizes da vida. Neste momento nasce osseus mitos dos deuses e demonios espiritos da selva. Mas para um filosofo abusado de perguntador ao lado observando-os, descrevem as visoes que suas imaginacoes alteradas pela beberagem produzem. Mas o filosofo que saber como funciona o cerebro, o que a droga produz, e isto nao se aprende fazendo a exoeriencia, ingerindo a droga, e sim mantendo seu cerebro vigilante e racional e arrancando do cerebro alterado o que ele esta produzindo. Assim se descobre que o naticvo reconta fielmente a fabula de Adao e Eva e desceve fielmente o Paraiso do Eden. Que?!

Eu disse que me levaram nao ao tempo das origens dos mitos, nao a fase etaria da crianca humana portadora do pensamento magico, mas antes desta fase, no estagio da consciencia fetal. O paraiso com Adao e Eva se ve antes e somente depois de muito pensar, de muito interpretar, e’ que se forma um quadro e pode-se pegar a pena e escreve-lo. Ele foi visto muito antes de se escrever a Biblia. Por um tal de Schimeon Ben Jochai, se a russa Helena Blavastic conseguiu a informacao correta no seu prologo da doutrina secreta. Porque o paraiso, Adao e Eva, realmente existiram. Nao o paraiso, nao o Adao e Eva que foram escritos, mas sim o que se levantou da memoria da humanidade fetal vindo das profundezas de neuronios em cujos nucleos numa fita biologica denominada DNA o nosso passado muito remoto foi registrado. Naquela epoca, uma galaxia era um verdadeiro paraiso para os dois principios ativos que formavam seu corpo, um com tendencias que hoje identicamos como masculinas e outro com tendencias que hoje identificamos como femininas. Ai estao o Adao e a Eva que foram malversados, contorcidos, mascarados, numa interpretacao eivada de auto-projecao do humano, antropomorfica. Os nativos selvagens da Amazonia nao estao no estagio intelectual que estavam as nacoes ja oorganizadas e ja com a psique da humanidade crianca que escreveram a Biblia. Eles estao no nivel intelectual das tribos de barbaros. Mas foi a estes que a Natureza revelou o paraiso e Adao e Eva. Foun a psique do humano crianca, que inventa amigos fantasmas com quem conversam e que tratam todos os objetos como brinquedos magicos, que tambem deu um banho de sua imaginacao numa imagem real que ela havia visto na forma embrionaria e dela se recordava na fase de humano crianca. Desua experiencia aprendi que num cerebro lavado da cultura humana, ainda limpido e puramente natural, a memoria ve-se a su mesma e assim comeca a consciencia de sua existencia. E quand a memoria ve-se a sui mesma, ve o que ela realmente e’. Ela nao ve uma grande parte sua como memoria-lixo como se tem visto a memoria moderna. No lugar de lixo ela ve o passado do que ela realmente foi, o passado do sistema natural universal que se formou nos idos do Big Bang. Ela recorda suas formas e suas experiencias quando foi um sistema atômico, quando foi um sistema galactico, porque todas estas experiencias estao nela registradas. Ela jamais iria sequer pensar que sua forma atual foi trazida pela cegonha por acaso ou por mágica divina, porque ela enxerga a forma de seus pais, de seus avos e bisavos, ate os ultimos ancestrais emergindo do Big bang… na forma de simples onda de luz. Simples na aparência porque sao mais complexas que nos desde que elas ja contem a formula para fazer-se a si mesma, como entidade viva.

Então como todos sabemos, seria impossível ao semi-macaco na selva encontrar o que este exército super bem aparelhado e milhares de anos mais avançado ainda não encontrou. A tal criatura acredita que encontrou, certamente ele caiu na mesma armadilha, ele enveredou-se no reino infantil dos mitos. Porém o que ele encontrou – o nosso DNA em suas formas evolucionárias mais primitivas existindo nos corpos de átomos e galáxias – e’ totalmente natural, está previsto na longa cadeia, não existe qualquer menção ao supernatural. Nao existem deuses nem acasos magicos. Entao onde esta o mito? Possivelmente nos seus modelos teóricos de átomos e galáxias, na sua interpretação diferente do DNA, de seus building blocks, no propósito do universo tunelado por um processo de simples reprodução genética de universos. Mas este ” provavelmente” e’ imediatamente balbuciado sem pensar, por quem tem o cérebro configurado por conexões neuronais modeladas pela visão dos mundos separados. realmente este cerebro nao conseguiria processar esta informacao. Entao o que me resta e’ testar cientificamente os modelos. Ou que alguma nova descoberta comprove-os. A teoria da Relatividade teve que esperar por um eclipse para comecar a ser vista com alguma seriedade. A Teoria do Big bang esperou por um defeito nos cabos telefônicos para a descoberta da radiação de fundo cósmica e guinda-la ao patamar de teoria plausivel. Nos aqui tambem estamos esperando. Algo que a levante ou a derrube para sempre. Ninguem mandou um filósofo se vestir de macaco, viver sete anos na selva no meio de macacos e retornar para contar esta historia macaquica. Que se f… o filosofo!

Ainda hoje esse  Se esquecem de que antes da vida surgir na Terra a matéria deste Universo já vinha em evolução, desde átomos para sistemas estelares para siste demas galácticos – e o primeiro ser vivo surgiu formado pelos mesmos átomos e dentro destes sistemas astronomicos. Entao como separa-los evolucionariamente?

Pela evolução, sistemas naturais mais simples se transformam em sistemas naturais mais complexos, não existe outra origem conhecida e muito menos comprovada cientificamente para sistemas naturais. Supor que tenha surgido um sistema natural fora dessa linhagem evolucionária por transformações e’ supor que este novo sistema tenha vindo de algum lugar fora da longa cadeia de causas e efeitos que começou no Big Bang. Teria que ter vindo de um lugar nao-natural, em relacao a esta natureza total a que damos o nome de Universo. de algum lugar sobrenatural, mas nenhum fato conhecido e comprovado prova que exista o sobrenatural, de onde tiraram essa ideia então? Falha de processamento nos circuitos neuronais.

Então vem com essa ideia absurda outra ideia que e’ uma aberração, uma heresia cientifica e contra a razao pura naturalista: a palavra “origens” e o conceito que a define. Quando e como alguém viu a origem de algum sistema natural que nunca tenha existido antes? Quando e como alguém viu um sistema natural qualquer que nao tenha vindo de outro sistema pré-existente?! Quando alguém viu assistiu os primeiros passos e o desenvolvimento de um sistema natural que nao tenha sido elaborada por um ambiente natural cuja complexidade nao se assemelhe `a complexidade do sistema? Isto de fato seria uma origem, a emergencia de algo totalmente novo, inédito, para o qual a Natureza nao tinha em si nenhuma informação. A palavra origem imediatamente nos leva a pensar num evento espontâneo ocorrendo no meio da longa cadeia de causas e efeitos mas que nao tenha sido produzido pelo fluxo normal das forças e elementos que vinham rolando nessa cadeia. Nao existem origens de universos nem de vida como eventos espontâneos, únicos, seja ao acaso ou por um entidade sobrenatural, nunca ninguém viu tal evento ocorrer. Isto seria mágica e nunca ninguém viu mágicas, apenas truques ilusorios. No entanto a literatura cientifica e por consequencia a escolar está repleta de teorias de origem espontanea do universo, d planeta, da galaxia, da vida… Raios, o que esta acontecendo com o racional humano?!

Então uma falha leva a outra: separando erradamente a evolução universal em evolucao cosmologica e evolução biológica em dois blocos de evolução sem nenhum elo, nenhuma conexão racional, natural, entre os dois blocos, nao resta outra alternativa senão apelar ao imaginário e acreditar em origens de coisas complexas, seja espontaneamente ou a longo prazo. Sem nenhuma razão inteligível, sem nenhum processo natural conhecido, a certa altura da longa cadeia de causas e efeitos, átomos terrestres comecaram a se comportarem de maneira nunca existido antes e a fazerem inéditas combinações que nunca fizeram antes. Ora, então o que de nao-natural atuou sobre estes atomos? Ninguém sabe responder porque esta pergunta nao faz sentido racional porque baseada numa premissa nao-existente de fato.

O primeiro ser vivo, que se pode chamar como tal, completo e funcionando, foi o primeiro sistema celular. Nao foi um novo sistema vindo de fora da natureza, ou feito por um processo nunca aplicado antes pela natureza. Nunca ninguem viu e comprovou que existam tais coisas. Era um sistema mais complexo ( e muito) que todos os outros sistemas naturais que existiam naquela época, ou entao, nao muito mais complexo que um sistema ja existente mas ainda desconhecido pela humanidade. O fato de ter sido elaborado muito mais complexo se explica pela complexidade maior existente na superficie da Terra que as complexidades existentes antes nos ambientes onde foram elaborados os sistemas ancestrais, atomicos e astronomicos. Aqui existia o estado liquido da materia, uma novidade que na sua embriogenese os atomicos e astronomicos nao tiveram. O estado liquido “transformou” a quimica inorganica na mais complexa quimica organica, mas o estado liquido tambem nao teve uma origem espontanea, ele veio das transformacoes dos estados gasosos e solidos ( talvez incluindo-se o estado eletromagnetico, etc.). Aagua produziu uma mutacao espetacular na embriogenese da primeira celula. Houve um espetacular salto evolutivo, mas apenas em relacao a sistema celular/sistema pré-existente, pois este salto teve uma duracao de milhoes ou bilhoes de anos enquanto ocorriam transformacoes no meio ambiente.

Nao houve abiogenese. Nao houve materia inanimada dando ” origem” a sistemas animados, vivos. Atomos e galaxias nao sao sistemas inanimados, eles funcionam internamente. Mas entao surge o terceiro erro ainda como consequencia do erro da imaginaria separacao: comparam um sistema completo, funcional, com pedacos, partes, ou mesmo dejetos, de outros sistemas. Ora, sistema tem que ser comparado a sistema! Ficam comparando moléculas que nao sao sistemas em si com processos vitais e mesmo sistemas vivos procurando encontrar o fio evolucionario entre eles! As moleculas (aminoacidos,proteinas,RNA e DNA) nao sao sistemas em si, sao partes de sistemas que reconstroem sistemas assim como os tecidos diferenciados na embriogenese humana reconstrou o sistema “corpo humano”. Se Oparin e …. queriam reconstruir o estado do mundo momentos antes da vida e ver dele surgir um elemento vivo, teriam que antes conectar a amonia, o hifgdrogenio, o metano, com as faiscas eletricas formando um sistema funcional. Jogaram partes ao leu dentro do tubo, conseguiram partes do sistema celular, mas nunca conseguriam um sistema celular, nem mesmo conectar os aminoacidos obtidos compondo uma proteina.

O sistema celular veio do sistema nucleotideo, ou seja que outro nome deem ao building block, o fundamental bits-informacao, que compoem as pilhas de nucleotideos que sao o RNA e o DNA. Mas a falha no processamento cerebral nem mesmo os permitem descobrir que um par lateral horizontal e vertical de nucleotideos funciona como um sistema completo. E este sistema nucleotideo serve exatamente para explicar como foram os building blocks que formaram as galaxias. Entao ai esta o elo evolutivo que manda ao inferno a imaginaria e impossivel separacao. O sistema celular teve uma embriogenese ( e nao abiogenese) de milhoes ou bilhoes de anos porque seu criador, o sistema menos complexo que foi transformado, era astronomico e na astronomia os tempos sao muito mais longos que na escala praticada por humanos.

Este erro abismatico conduz os pesquisadores auma busca atabalhoada, fora de foco. E entao surgem as teorias, fora de foco. vamos ver neste artigo da BBC uma bela coletanea destas teorias e vamos ver a analise de cada uma delas por essa teoria que nao cometeu esso erro imaginario, denominada Matrix/DNA. Para tanto tive que copiar o artigo aqui, aproveitando a exelente ajuda do website Bio+, que ou ele ou a propria BBC traduziu para o portugues:

As teorias para o surgimento das primeiras células – e da vida na Terra

http://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-38205665?ocid=socialflow_facebook

A Fórmula da Matrix/DNA é Bipolar! Virá daí as origens do Campo Magnético da Terra, dos Polos Norte e SUL, do Campo Elétrico, etc.?

sexta-feira, novembro 7th, 2014

Hipótese intuída a partir da teoria sobre a causa da “galactic rotation curve” – com links abaixo.

Vamos começar trazendo a formula da Matrix/DNA:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

É fácil perceber que esta formula é bipolar. F1 representa um Polo e F4 representa o outro. vamos ver mais abaixo qual é o Polo Norte e qual é o Sul.  Alem de lançar luz sobre as origens do campo magnético dos astros, esta descoberta me remete de pronto a um dos mistérios ainda não cientificamente explicados: porque as galaxias giram? Mais exatamente, existe um problema sobre esta rotação, denominada de “galactic rotation curve” – o que não é relacionado com a causa da rotação da galaxia – que me levou a repensar a fórmula e descobrir que ela contem as origens do porque os sistemas no espaço são rotativos.

Uma teoria sugerida recentemente ( veja link abaixo) sugere que a curva na rotação galáctica é devido ao núcleo ser eletricamente carregado, positivo, e a periferia ser negativa, sem carga elétrica. Os movimentos de energia entre estes dois polos explicaria a curva. Mas não foi apresentado evidencias convincentes ( como diz o texto abaixo). Porem, para a teoria da Matrix/DNA, esta teoria faz sentido em relação à causa da rotação da galaxia e todos os outros sistemas/corpos astronômicos e pode até estar correta. Pois galaxias são sistemas naturais e como tais estão assentados sobre a fórmula. Seja como for, o artigo de Brian Koberlein ( link abaixo) que trouxe esta teoria à cena, me fez postar o seguinte comentario:

Louis Morelli – 07, November,2014

Your comment is awaiting moderation.

This issue is very important for understanding cosmological and biological evolution, I think. For yours sake, this issue can explains how and why there are this things called “gene expression”. “If”… there is this difference of charges, what would be the cause? I am a layman about academic official astronomy, but, studying those different natural systems that composes the Amazon jungle’s biosphere I was obligated to deal with the Nature about the space and its elements above the biosphere, which was existing before this terrestrial biosphere, so ( I thought) this astronomical system must be the creator of life here, I need studying astronomy also. And, finally, I got a different cosmological model. But, I had no time for studying everything that Science has collected about the out space and what really is known about this issue about charges of astronomical systems.

My theoretical model is suggesting the following:
a) DNA is the biological shape produced by evolution from a universal natural formula called “Matrix/DNA” which is the “DNA” of atoms and astronomical systems;
b) This formula was evolved from simple light waves at the universe’s origins and can be drawn as a simple software diagram – as can be seeing at Matrix/DNA website;
c) Observing this formula we see that it is dipole, or bipolar: the flow of energy/information that runs inside the spiral circuit is alternated, then, sometimes the nucleus is charged and the periphery is not, and other times this situation is reversed. This should explain lots of things, like galactic rotation, the flip between Sun’s poles, the movements of Earth’s magnetic field, etc.
d) Evolving from astronomical systems to biological systems, the building block of astronomical systems became the building block of DNA, which is a lateral pair of nucleotides. The mechanism of polar variant charges became the mechanism that swift genes in or out;

And so on… I know that this is weird for academic world view, but… the heliospheric model was also weird to the current academic view at Middle Age… and our scientific knowledge should be delayed if Copernicus, Galileo, Kepler, etc., had no fighting for their ideas. With the difference that their idea was the right one, and my idea can be the wrong one… only more data and time will be the judge.

Esta teoria sobre a “rotation galactic curve”, não é uma teoria da sobre a causa da rotação da galaxia, que isto fique bem claro. Ela se refere a um fenomeno misterioso apontado por medições da velocidade da rotação da galaxia, o qual indicou que esta velocidade varia para mais e para menos dentro da própria galaxia, o que, para mim, é muito estranho. Como pode um rodamoinho ter diferentes velocidades em suas espirais?! Porque? Uma explicação seria a de que o rodamoinho esteja num ambiente dividido em diferentes camadas, com diferentes temperaturas, diferentes densidades da substancia espacial, etc. Mas… o fundo do Universo parece ser homogeneo e não dividido em camadas. Para entender esta diferença é preciso ver o grafico:

Rotation’velocity'(km/s)’ X Distance’from’galactic’centre'(kpc)’ , em:

 http://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1409/1409.3096.pdf

Antes de tudo, é preciso lembrar que a fórmula é uma espiral e que na figura parece circular, esférica, porque ainda não tive tempo para conserta-la. O fluxo de energia sai de F1 e sobe para F2, até F4, quando então continua porem agora caindo, até F1. Mas quando a energia ainda está em F1, F4 não existe. E quando está em F4, F1 não existe. Ou seja, o não existe significa que apenas existe em potencial, dentro do fluxo. Assim podemos dizer que enquanto a energia está em F1, este é o polo carregado eletricamente e o outro, negativo, descarregado. Bem, parece-me que assim funciona o campo magnético da Terra.

Vamos traze-lo para cá:

—–

Mas outro dado interessante veio recententemente: a cada 11 anos o Sol muda de polo, ou seja, Morte torna-se Sul e Sul torna-se Norte.

Vamos trazer isto para cá:

—-

A Ciência Oficial não sabe explicar porque isto acontece no Sol. Mas a fórmula da Matrix/DNA tambem é assim: a cada meio-ciclo do fluxo de energia, o polo carregado muda. Ora. se a fórmula para sistemas naturais é assim, o sistema solar é natural, tem que ser assim.

Vejamos a pesquisa sobre este assunto:

Not Even Wrong

https://briankoberlein.com/2014/11/04/even-wrong/

Recently a science blog that should know better picked up a story about a new theory that could explain dark matter as an electrical effect within our galaxy. The story was then picked up by several popular science sites. It all stems from a paper that appeared recently on the arxiv. Calling it a paper is a bit of a stretch. It’s actually two pages of unsubstantiated claims with a half-page graph of the galactic rotation curve.

Measurements galactic rotation curve was one of the first hints of dark matter, but the author claims dark matter isn’t needed if the Milky Way is positively charged near its center, and negatively charged near its periphery. Assume this, and the galactic rotation curve can be explained without dark matter. Assuming that to be true for a moment, what evidence does the author give to support the idea? Simply (and I quote) “In fact it is quite implausible that the [galactic] core should remain electrically neutral.” That’s it. There are no details presented at all. Just “we can tweak the electric charge of the galaxy to fit the rotation curve.”

Vamos então destrinchar esta teoria:

 http://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1409/1409.3096.pdf

Galactic Charge
S. Reucroft1
ThinkIncubate, Inc., Wellesley, Mass., USA
Abstract
The hypothesis of a galactic charge separation between core and periphery is noted as a
possible explanation of the apparent anomalous rotation behaviour.

( continuar a ler)

xxxx

http://en.wikipedia.org/wiki/Electric_dipole_moment

Animation showing the electric field of an electric dipole. The dipole consists of two point electric charges of opposite polarity located close together. A transformation from a point-shaped dipole to a finite-size electric dipole is shown.

Esta figura sugere a fórmula da Matrix/DNA claramente dividida entre suas duas faces, a esquerda e a direita. Com uma diferença: o fluxo de energia sai sempre da carga possitiva, e na direção da carga negativa. O pulsar não as faz inverterem os polos.

xxxx

Importante notar:

Earth’s electromagnetic field

An electromagnet is a magnet that is created by a current that flows around a soft iron core.[18] Earth has a solid iron inner core surrounded by semi-liquid materials of the outer core that move in continuous currents around the inner core;[19] therefore, the Earth is an electromagnet. This is referred to as the dynamo theory of Earth’s magnetism.

Portanto, não é o núcleo que cria o campo magnético, mas sim a camada semi-liquida que rodeia o nucleo e se move em continuas correntes em volta do nucleo.

xxxx

Schematic illustration of the invisible magnetic field lines of Earth, represented as a dipole magnet field.

Schematic illustration of Earth’s magnetic field. Credit/Copyright: Peter Reid, The University of Edinburgh

Somos como Particulas Vivendo dentro de um Atomo dentro de uma Célula dentro do Rabo de um Dinossauro Vivo chamado Universo?

quinta-feira, outubro 30th, 2014

xxxx

Ninguem da area acadêmica pode aceitar esta idéia: que o Universo seja um sistema, dividido em diferentes regiões, que são as partes do sistema. Pois para todo lado que apontamos nossos potentes instrumentos cientificos, seja tirando fotos como a acima, seja coletando e medindo a luz, etc., vemos sempre a mesma coisa o que nos leva a deduzir a atual definição academica do Universo: “… trata-se de um conglomerado de aglomerados de galaxias, tudo igual por todos os lados…”

Assim, deduzimos que o Universo é antes uma massa informe, e não chega a constituir um sistema organizado, o que de pronto afasta a hipótese de que o Universo seria alguma forma de Vida.

Eu jamais pensei que entraria na area da Astronomia quando estudava os sistemas naturais na selva amazônica. Mas indicios foram crescendo de que é impossivel entender as origens da biosfera terrestre sem olhar para cima e ao redor deste planeta, deste sistema solar e quiçá, desta galaxia. Pois o fio da Vida entrava por aí, até apontar o Universo como o suporte e criador desta biosfera. No final, depois de sete anos e dezenas de modelos calculados pela anatomia comparada sob os mecanismos da evolução cosmológica, cheguei ao modelo onde o Universo não é um ser vivo, tal como entendemos a Vida, nem um sistema complexo tal como a fórmula da Matrix/DNA, mas ele foi o primeiro ancestral nosso,  uma espécie quase viva que se fixou naquela forma e se tornou a placenta onde está ocorrendo a gestação de um feto. Hoje é conhecida a teoria ( ou talvez já tenha sido confirmado como fato) de que trechos do nosso DNA que contem as informações genéticas inteiras para virus, pode expressar estes trechos e “criar” virus dentro do nosso corpo. Já sabemos que nosso corpo não é um sistema apenas, e sim um verdadeiro ecossistema, pois 90% das células que constituem nosso corpo não são nossas células, são milhares de espécies de bacterias. Se os modelos teóricos sobre o Universo feitos pela Matrix/DNA Theory estiverem corretos, nosso corpo está se tornando à imagem e semelhança do que é o Universo como ecossistema.

A foto acima deve mexer e estimular quem tem a mente aberta ao conhecimento, e deveria estremecer a mente de quem tem já fortes opiniões formadas. Acho que mais ou menos algo como essa foto veria uma particula dentro de um atomo ( como os pequeninos humanos estão dentro de um sistema estelar) que apontasse um telescópio para alem do atomo e a da célula, vendo o ambiente ao redor de sua célula-galaxia. Por exemplo um lago de sangue estancado de um semi-sistema semi-vivo.  Ou uma molecula que poderia ser descrita pela mecânica Newtoniana.

Mas qual a importancia deste assunto? Com tantos problemas praticos que temos aqui e agora para resolver? Bem… os animais jamais resolverão quaisquer problemas mortais que lhes apareceram, tais como ataque de virus, mudanças climaticas, e isto porque os animais nunca levantam seus olhos curiosos para tentar inquirir o que é o céu lindamente estrelado que se vê do meio da selva. Não existem seres vivos mais praticos e pragmaticos do que os animais. Mas eu como humano quero e preciso ser diferente, não vou me contentar em deixar-me ser levado pelo vento para sempre, quero ter algum poder sobre meu destino…

A Spectre in the Eastern Veil
Image Credit & Copyright: Ken Crawford (Rancho Del Sol Observatory)
http://apod.nasa.gov/apod/ap141030.html

 

Meu comentario postado abaixo da foto:
Is this a liver or merely a molecule of this living Universe? After discovering that seven different kinds of astronomical bodies aligned at the right sequence performs all life’s properties in a mechanical fashion, which means that the building blocks of astronomical systems are precursors of biological life, we, at Matrix/DNA Theory are suspecting that we are inside a very primitive living Universe. If so, the Universe must be shared into different regions performing different organic functions. Billions times more simplest than a bacteria, very diffuse “organs”, not perceived by us yet, but… it is possible? How could a microbe living inside a cell inside the tail of a dinosaur, knowing that is living inside a living thing?

Por a Bicicleta na Horizontal… E sair voando nela! ( Veja Video)… Porque não tive essa idéia antes?

quinta-feira, agosto 28th, 2014

Antes de ler esse artigo, veja este vídeo ( mas volte aqui pois este artigo tem excelentes novas lições para aprender sobre a Natureza):

The World’s First Hoverbike Could Revolutionize the Drone Industry (Mehta Websolution)

https://www.youtube.com/watch?v=mNkLjv–q7Y

Os aros da roda de uma bicicleta podem tornarem-se como as hélices do helicóptero, empurrando o ar para baixo, gerando uma cama de ar, e… voar.basta tirar a bicicleta da sua posição normal, vertical, pô-la na horizontal, fazer umas modificações, acrescentar um motor… Imagine o quanto nossa vida teria sido facilitada se alguém tivesse feito isso antes. No minimo, nossas cidades teriam sido desenhadas e desenvolvidas diferente do absurdo que são estas cidades de hoje. Num rápido passeio o agricultor teria uma visão total de cima das suas plantações. A maioria das pessoas que morreram afogadas, ou quando apanhadas em enchentes, teriam sido salvas pelos próprios moradores locais. Sim, a vida teria sido melhor do que foi, e tudo isso só porque não pusemos a mente a trabalhar no lugar certo. Ela estava assistindo futebol ou telenovelas, na cama fazendo sexo, ou raptada pela cerveja, sempre vagabundeando por aí. O tema deste website – fornecendo a fonte para mil novas idéias como essa – causa pavor, pois tem que se concentrar e ler duro, o autor é um “chato”… e assim ninguém lê isso aqui, e assim, sozinho, não consigo os recursos para desenvolver as idéias que emanam destas descobertas.

A Natureza contem muitos mecanismos e processos, e cada vez que descobrimos mais um destes mecanismos, produzimos uma imitação tecnológica. Não existe tecnologia humana que não tenha já antes sido “criada” pela natureza. Nós não criamos nada, nós copiamos tudo. Então quando surge uma nova “invenção” humana, corro a buscar na fórmula natural da Matrix/DNA e na sua História natural Universal, onde e quando a Natureza já aplicava aquela tecnologia. E sempre encontro a resposta. A qual sempre fornece mais idéias para melhorar aquela tecnologia.  Mas, quem me conhece sabe que nasci pelado e sem um naco de terra, e assim as famílias cristãs das cidades por onde passei sempre viram a oportunidade em mim de ter mais uma mão de obra escrava para fazer aqueles serviços que eles não querem fazer e não querem pagar valores proporcionais às rendas que ganham. Então, se fico na cidade tenho que trabalhar duro para arrumar o dinheiro para pagar o quarto da pensão à noite e o jantar, senão quiser ir dormir no mato e comer pão com banana. geralmente escapo para a selva, mas lá não tem como levar as ferramentas. Sem um galpão para uma oficina mecânica, um laboratório, todas estas idéias vão comigo para o tumulo. Não tem problema, não tenho um passarinho para dar de comer, esse mundo não é meu, quando puder, volto para a selva, onde minha mente fica livre para ter orgasmos mentais cada vez que descubro mais uma das estonteantes peripécias desta Natureza.

Onde a Natureza aplicou o mecanismo de rodas com raios na horizontal para ficar boiando no ar? Ora, isto já se descobre rapidamente, bastando dar uma olhada na fórmula natural para sistemas naturais, a “minha” amada Matrix/DNA. deixa-me trazê-la para cá:

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Mas para ver melhor ainda essa bicicleta voadora natural, deixa-me trazer para cá o desenho rustico feito na selva, que contem encoberta, esta fórmula:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Onde está o mecanismo aplicado na bicicleta voadora?

Observe F1 na fórmula, que corresponde ao vórtice turbilhonar no desenho. É um rodamoinho, uma espiral formada de linhas de fôrça, que ficam girando na horizontal, mantendo o sistema boiando no espaço sideral. Pronto! Fácil, não?

Mas não se para por aqui. A fórmula deve fornecer mais idéias de como melhorar, como incrementar a bicicleta voadora vista no vídeo.

Eu notei ainda na selva, há 30 anos atrás, que esta roda cósmica foi o principio nas estrelas que mais tarde serviu de projeto para a natureza desenvolver a boca dos sistemas biológicos, até chegar neste tipo de boca humana ( também o nariz, com seus dois buracos e exata função respiratória está encoberto na fórmula, mas o nariz é outra história). Ora, a função do cone astronômico é ingerir a massa interestelar misturada com a energia vinda nos cometas, mistura-las internamente, e produzir as bolotas, emitindo-as para fora, as quais são germes de novas estrelas. No sistema celular este mecanismo todo está dentro do núcleo, onde o DNA ( após um pedido feito pelo sistema e trazido como mensagem pelo RNA), capta os átomos selecionados, mistura-os, dá-lhes uma forma, produzindo proteínas… e mandando-as para o espaço intracelular.

Então, em outras palavras, há 10 bilhões de anos atrás a Natureza produzia um sistema que tinha uma boca, comia, triturava os grandes pedaços de alimento pelo processo de jogar uns contra os outros, despedaçando-os cada vez mais, mas que fazia tambem o papel de uma “boca feminina”, que gerava novos bebês. Porque nessa massa e nessa energia estavam ocultos os fótons-genes para produzir estrelas.

Assim, existem no minimo duas maneiras para se “mastigar” alimentos. Uma, fazendo uma roda horizontal no espaço sideral utilizando linhas do campo magnético, gerando algo parecido com um “liquidificador”. Outra, é transformando esta boca adaptada para as condições nas superficies de planetas e nas dimensões menores, microcósmicas. Basta virar a roda da horizontal para a vertical, separa-la em duas metades iguais, porem, fazer com que uma metade seja fixa e a outra movente, repetindo o mesmo movimento que as linhas magnéticas fazem no espaço sideral. isso a natureza conseguiu fazer desenvolvendo o que chamamos de “maxilares”, colocados na metade de baixo da boca.

Você ainda duvida? Ok… leve sua mão à sua boca e segure firme o lábio superior. Agora mastigue o ar. Perceba que sua mão não se move. Agora segure firme o lábio inferior. Perceba como sua mão se move. Como cético que sou ( só acredito vendo), e sempre desconfiado que a Matrix está querendo me enganar, eu não acreditei nisso e fui tirar a prova. Prendi meu lábio inferior numa morsa, atarrachei bem até não aguentar mais a dor do apêrto, aí enfiei as unhas por baixo dos dentes superiores e tentei levantar a boca para mastigar o ar. ~Botei força prá car… alho,  e não consegui levantar minha cabeça de burro empacado. Tentei usar alicate, o macaco de levantar o carro… e nada. Assim cientificamente, provei mais uma das minhas teorias.

É simplesmente estonteante…, de uma beleza incomparável…, produzindo na mente orgasmos a nível cósmico…, quando descobrimos estes truques evolucionários da grande mestra e mamãe Natureza. Que engenheira genial. Em outra ocasião, ela precisava aplicar o mesmo mecanismo, mas desta vez, ao invés do corpo-cone ficar pairando no ar, ela queria que o corpo se movesse no espaço, adquirisse velocidade, etc. Então ela botou seu cocuruto a trabalhar, e o que ela inventou? Pegou o mecanismo das forças na forma de linhas magnéticas do cone do espaço sideral, imitou-as na forma de matéria biológica, conservou-as na vertical, para empurrar o ar para a frente e para trás na horizontal… e se saiu com estas coisas que chamamos de “asas”. Os passarinhos ficaram felizes da vida…

Mas o homem às vezes não é tão burro no seu nível de subconsciência ( só é muito burro no seu nível de super-consciência) e tambem deu seu jeito de aplicar este processo evolucionário na forma de tecnologia mecânica: observe as rodas dentadas de qualquer engrenagem de maquinas, como algumas estão na horizontal, para fazer girar outras que ficam na vertical, etc. isto se deve aquelas intuições que de repente pipocam numa cabeça, dando a impressão que Deus ou Santa Bárbara está sussurrando um ideia para dar uma ajudazinha, mas que na verdade é o nosso DNA emitindo imagens internas de coisas estranhas nunca vistas no mundo externo, porque este passado evolucionário cósmico está todo registrado naquelas regiões do DNA a que alguns não- amantes da mãe natureza chamam de DNA-lixo… Fazer o que? A arrogância os cegam…

A arrogância dos que foram criados em famílias e protegidos/alimentados dentro de um lar, faz com que, quando chegam na selva, assumem o ar de superioridade, botam suas maquinas a trabalhar e destroem a selva. Se tivessem nascido e sido criados como eu, o tempo todo ouvindo falar que “você é um moleque sujo de rua”, “você não é nada”, “veja se se enxerga”, etc., teriam reduzido a arrogância natural e aprendido a serem ao menos um pouco humildes, e teriam chegado na selva quietinhos, com o rabo entre as pernas, sabendo-se incapaz de ali sobreviver perante as forças descomunais dos espíritos da selva, e teriam aberto os ouvidos para ouvir e prestar atenção nos sussurros dos movimentos na selva, para aprender e descobrir um montão de coisas novas. Que não se descobre em laboratórios com ar condicionado. Mas…paciência, fazer o que? A Natureza sempre defendeu e sempre defenderá o seu projeto evolucionário, passando por cima de todos que se opõem como obstaculo ao seu caminhar. Cadê os dinossauros? Cadê as grande e poderosas civilizações dos faraós egípcios, dos imperadores romanos? Um dia se perguntará tambem: “Cadê a grande e poderosa civilização dos bilionários do século 21? Dos torcedores de futebol e assistidoras de telenovelas? “… se eles não acordarem rápido para a visão de mundo revelada pela Matrix/DNA que veio lá do meio das selvas,  ouvi-la, e começar a consertar o que ela está mandando consertar.

A bicicleta voadora do vídeo acima é uma visão animadora, espetacular. este pessoal que está concentrando o cérebro no seu tempo livre na busca de trazer o projeto para a realidade são verdadeiros heróis da Humanidade. Um brinde de todo coração a eles! Ela é possível de se tornar real aqui, porque ela já estava desenhada nas estrelas!

Mas… e quanto as idéias fornecidas pela fórmula da Matrix/DNA para incrementar, melhorar a bicicleta voadora e obter dela mais utilidades para a vida humana? para isso temos que voltar a observar a fórmula. E logo percebemos que a roda cósmica está circundada por uma “carga”de poeira estelar. Se esta roda se mover no espaço sideral, ela “carregará”essa carga junto com ela. ma observe que a carga sideral tambem tem seu motor próprio. Trata-se do cadáver estelar em F7. Então, começa a despontar a visão de uma grande bicicleta voadora carregando uma carga, um novo tipo de transporte aéreo de cargas grandes e pesadas, movida por dois motores… etc. Isto se tornará realidade no futuro. Pois tambem já foi desenhado nas estrelas. Bem vindos a bordo do submarino espacial.

( Raios… só agora quando terminei o artigo e levantei da cadeira percebi que ainda carrego a morsa presa e pendurada no lábio inferior… Essa gamação pela natureza está me deixando cada dia mais maluco… Socorrooooooo!)

As Causas Antes das Origens da Vida, do ID, da Libido,do Ego, e da Consciência

quinta-feira, agosto 28th, 2014

Freud, o pai da psicanalise, foi quem melhor identificou os efeitos de certas fôrças naturais que vem desde o Big Bang entrando na formação e evolução dos sistemas biológicos, ou seja, seres vivos. Descobriu ele que uma criança recém nascida não tem ainda uma psique, e nesse estado ele a chamou de ID. Ela é apenas uma energia, que tem como único objetivo, o prazer, à qual ele chamou de “libido” . Mas os demais indivíduos existentes não podem absorver um individuo assim, então eles impõem limitações à criança. O conjunto destes indivíduos, Freud disse, chama-se “a civilização”. Assim está criado um ponto de tensão entre a energia do prazer e a civilização. Ora, a civilização é mais forte que o individuo, então ele terá que se imiscuir no meio da civilização auto-controlando-se na sua pratica de prazer toda vez que pressentir que haverá contra-reação, punição. Assim o que não tinha psique, cria internamente um conjunto de medições, comparações, balanceamentos, avanços e regressos, etc. , o qual será sua psique, que Freud chamou de “Ego”. O Ego é força centrípeta ou seja, redutora do amplo a um ponto ( um ponto de poder sobre o externo a este ponto para usar o externo ao seu prazer) , e tambem centrifuga, ou seja, parte de um ponto para ampliar-se no espaço ( para conquistar mais prazer). O Ego é sua inteligencia, seu conhecimento, sua opinião, suas preferencias, ou seja, é tudo o que você pensa.

Não sei ou não me lembro quando lia algo de Freud, como ele tratou a questão da consciência, qual o nome que lhe deu. Então o que vou dizer da consciência aqui é minha opinião. Repare que o Ego não possui a propriedade da empatia, ou seja, ele é incapaz de se colocar no lugar do outro e sentir o que o outro sente, pois isso não lhe trás prazer algum. Então a consciência começou a surgir quando sobre o Ego começou a aparecer a empatia. Consciência é aquela energia que não precisa da civilização limitadora, pois ela própria entende a necessidade de limites e se impõe seus limites.

Sabendo-se que a matéria, o Universo inteiro é composto de massa e energia, pergunto: “Porque esta energia que é a criança recém-nascida não é a energia do Universo?” A pergunta não faz muito sentido, parece óbvio que a criança recém nascida é ainda a mesma energia que compõe o Universo. Então, se é assim, pergunto: “O que fez essa energia sedenta de prazer e que tem como único objetivo o prazer, antes das origens da Vida?”

A resposta sensata só pode ser uma: avançou sempre buscando mais e mais prazer.

Mas sabemos que a anergia mais a massa do Universo construíram os chamados sistemas naturais. Primeiro as partículas ( que já são sistemas em si), depois os átomos, as galaxias… Mas sabemos tambem que a energia é o elemento movente, ativo, enquanto a massa é o elemento inerte, passivo. Ora se a energia é o elemento movente, ela sozinha tinha a tendencia que viria a construir sistemas. A energia, sozinha, sem a massa, foi quem inventou a Evolução, a qual nada mais é que sucessivas transformações de um sistema inicial em sistemas cada vez mais complexos ( para obter cada vez mais prazer). Tanto que não existe sistema que não tenha dinâmica interna, um fluxo ou circuito de energia. Partes sem energia as conectando são coisas separadas, não são sistemas.

Porque a energia então construiu sistemas? A resposta só pode ser uma: porque usa os sistemas para obter mais e maior prazer.

Mas sabemos tambem que a tendencia da massa é se eternizar no estado de repouso absoluto. E quanto aos sistemas naturais – segundo a Teoria da Termodinâmica – o objetivo supremo é alcançar o estado de equilíbrio termodinâmico, onde massa e energia cedem 50% cada e recebem 50% cada, numa espécie de contrato social.

Ora, nós descobrimos a fórmula para sistema fechado em si mesmo, o qual é o sistema mais perfeito possível. E depois descobrimos que todos os sistemas naturais tem essa fórmula como template, considerando que a própria fórmula veio evoluindo junto com a evolução do sistema inicial. Mas quando fomos ver como seria a contraparte materializada desta fórmula no seu estado de perfeição ultima, descobrimos que o resultado é exatamente o modelo das galaxias originais. Simples: quando a energia e a massa encontraram o jeito de realizar seu contrato social, quando entraram em equilíbrio termodinâmico que estaria destino a permanecer assim por toda a eternidade, massa e energia estava dentro de uma galaxia, elas se modelaram como uma galaxia.

A forma de sistema fechado em si mesmo é a suprema manifestação do egoísmo – o que imediatamente nos lembra o nome “ego” de Freud. Então a pergunta agora é: “Sabendo-se que a forma de sistema biológico foi criada dentro da galaxia e pela galaxia, ( pois se alguém souber de algum elemento ou força que constitui um ser vivo que tenha vindo de fora da galaxia, traga-o e ganhará o Premio Nobel) , porque um sistema que chegou ao máximo da perfeição e tinha a pretensão de se eternizar nessa forma, criou ou se transformou, num novo sistema?! E ainda mais complexo que ele mesmo? A energia traiu a massa e rompeu o contrato social? Ou vice-versa…

E porque o ego da galaxia reapareceu na forma do sistema chamado “humano”?

Bem… esta pergunta me deixou na selva muitas noites sem dormir, tinha que partir atrás da resposta. O mesmo modelo do building block das galaxias é o meno modelo do building block do DNA – um par lateral de nucleotídeos. Mas antes ainda do DNA, o modelo da face esquerda do building block da galaxia é o mesmo modelo do nucleotídeo solteiro que faz a pilha do RNA. E depois o mesmo modelo emerge em seu resplendor como template, fôrma, do primeiro sistema celular funcional e completo, ou seja, o primeiro de fato ser vivo. Esta constatação indica obviamente que houve novamente a presença do processo da evolução, ou seja, uma continuidade evolutiva entre evolução cosmológica e evolução biológica. E quem gosta da evolução é a energia, não a massa.

Por isso passei a observar inquiridoramente a energia do sol batendo nos átomos inertes da lama dos pântanos na superfície da Terra. Afinal de contas é uma energia que vem de um sistema astronômico sem a qual a Vida não existiria, não daria um passo sequer. Assim cheguei aos fótons, e destes, à “Luz”, para descobrir que, antes das galaxias, antes dos átomos e das partículas, uma onda de luz original emitida por um Big bang já continha em si, a fórmula para sistemas naturais.

Os fótons do Sol, da radiação cósmica e dos que vem do núcleo da Terra, são bits-informação do sistema galáctico original, e como tal, trabalham como genes. A maior diferença com os genes biológicos é apenas uma causa no processo evolutivo: enquanto os genes biológicos são transmitidos do criador para a cria encerrados dentro de um envelope cromossômico, e assim produzem apenas uma forma de sistema, à imagem e semelhança do criador – os genes astronômicos são dispersos livres no tempo e no espaço, e juntam-se aos pedaços, em múltiplas diferentes combinações, o que produz a enorme diversidade de formas das crias.

Ora, estes genes astronômicos estão aqui com o propósito ultimo de reproduzir o sistema celeste de onde vieram. E aquele sistema celeste foi a máxima expressão do… Ego.  O ego da energia somado ao ego da massa que pode ser resumido no Ego Material.

Mas o Ego que reinou um dia dentro do Universo, foi atacado por uma força externa, não se sabe vinda de onde. Uma força que se mede pela entropia e que é o principio da degeneração, que leva à morte dos sistemas. Por isso o sistema perfeito celeste que se auto-prometeu eternidade, de repente caiu, e foi obrigado a produzir mais um novo sistema, o biológico, o qual, tinha que emergir como sistema aberto, para reencetar a evolução. Não houve traição entre eles, não houve quebra do contrato social. O que me parece é que houve uma traição da energia em relação à luz original. Pois nela a fórmula não admite uma interrupção da evolução enquanto… a própria luz não se auto-reproduzir, ou reproduzir quem a emitiu, … na forma de auto-consciência. Daqui veio aquela fôrça da entropia, que acabou com a festa orgíaca nos céus. O Ego humano é tão autentico filho do ego celeste que chega a ter lapsos de memória vendo imagens do passado naquela espécie de paraíso celeste, e devido a estas miragens escreve metáforas como a Queda do Paraíso, Adão ( energia) e Eva ( massa), e etc. Estás entendendo agora o que é essa auto-consciência ainda embrionaria que está gestando em sua cabeça-ovo?

Mil aplausos para o Freud… ele foi realmente genial. E ele me ajudou a montar este quebra-cabeças que é maior que o Universo!

São os Tumulos que Caçam Defuntos, e não os Defuntos que Vão para os Tumulos, Segundo os Físicos Modernos! E a Tese foi Aprovada “Cientificamente”!

terça-feira, agosto 12th, 2014

Esta noticia, publicada com estardalhaço, me deixou mais uma vez, indignado:

Supermassive Death: 3 Stars Get Eaten By Black Holes

// 

http://news.discovery.com/space/galaxies/supermassive-death-3-stars-get-eaten-by-black-holes-140811.htm

Black Hole – NASA/JPL-CALTECH

 

Bem… desde que o considerado guru da Física Moderna, Lawrence Krauss,  publicou seu livro best-seller “Tudo Vem do Nada”,  e estudantes do mundo inteiro correram nas livrarias para degustar o sumo da mais elevada inteligencia moderna, este burro aqui não era para se surpreender com mais absurdos racionais vindos da academia, porem, o ataque está sendo demasiado para aguentar sem retrucar. Qual é o certo: é o tumulo que caça e come o defunto ou é o defunto que invade, penetra, o tumulo? O certo é: existem túmulos e existem defuntos; os defuntos são depositados nos túmulos onde bactérias e o tempo destroem-nos. De certa maneira, está certo qualquer uma das duas afirmações acima, dependendo do ponto de vista do observador. Túmulos devoram defuntos que entram em túmulos. Mas no espaço sideral, segundo os físicos modernos, são os túmulos (buracos negros) que atraem ou atacam os corpos de suas vitimas (estrelas em seu pleno potencial, vivas ainda!), para come-las.  E isto está errado,…  segundo os modelos astronômicos da Matrix/DNA.   Aqui na Terra, defuntos são levados ao tumulo, e como é aqui, assim é no céu. Vamos ver onde estão errando:

Segundo a noticia,  “Astrophysicists have analyzed two decades-worth of X-ray data… ( Astrofísicos tem analisado duas décadas de valiosos dados de raios-X… emitidos por buracos negros) . A primeira questão, que acoberta o primeiro erro, é: “Porque os núcleos galácticos, e não buracos negros, emitem Raios-X?”.

Pois a unica coisa que se tem como certa, como dado real cientifico comprovado, é que existe núcleos nas galaxias. Mas o que tem dentro destes núcleos nunca foi visto ou tocado ou filmado, portanto nada se tem de dado cientifico e sim, teorias. Que tenha um buraco negro e este funcione de tal e tal maneira, é pura teoria, portanto. Cientificamente e racionalmente é isto aí, não adianta se incomodar com alguem lembrando que a crença em buracos negros ainda é mitologia. A teoria acadêmica parte do pressuposto que ocorra um processo  que leva à singularidade absoluta, o que criaria um buraco negro, mas nunca, em lugar algum, alguem viu ou provou ter ocorrido um retorno à singularidade absoluta. Ainda teoricamente, porem agora mais racionalmente, teria havido um estado de singularidade extrema nas origens do Universo, pelo simples fato que temos observado existir uma evolução, a qual indica que existe um processo que vai do simples para o cada vez mais complexo. Ora, fazendo-se o calculo do caminho reverso, partindo da complexidade de hoje, chega-se a um ponto inicial de extrema singularidade. Mas… daí a dizer que este estado possa acontecer de novo no Universo, e até mesmo “afirmar” que acontece, e que produza buracos negros… é um desvario irracional. Se houvesse esta possibilidade, e sabendo-se que a matéria tende ao estado de repouso absoluto, nada teria impedido a matéria inicial que formou as primeiras nebulosas, ter retornado à singularidade. E assim, toda vez que se desse partida num novo Universo, ele poderia avançar alguma coisa na sua evolução, mas sempre retornaria à singularidade, e o Universo ficaria eternamente patinando sem sair do lugar…

Tenho elaborado um gráfico cartesiano ( pena que perdí o papel na selva – acho que foi quando corremos dos queixadas para salvar a pele e perdí a mochila – mas farei outro e o trarei para cá), que mostra porque o retorno à singularidade absoluta não existe. Ao calcular a trajetória de um corpo inicial partindo do Big Bang num gráfico tendo como coordenadas o tempo e o espaço, e fazendo este corpo rolar ao sabor das leis da evolução cosmológica, resultou numa figura em que a macro-evolução é formada de micro-ciclos evolucionários onde um novo corpo nasce de outro, sobe 3 degraus na escada da evolução, escorrega dois, caindo no primeiro degrau, sem atingir o solo. Do primeiro degrau outras forma mais evoluída deste corpo se levanta e sobe mais 3… assim tem caminhado a evolução. Ora, se em cada ciclo o corpo atingisse o solo, o reino da singularidade absoluta, ele nunca teria ido alem dos 3 primeiros degraus. Assim como eu nunca voltei ao grafico para desenvolvê-lo porque ao correr e ter que subir numa arvore, tive que me livrar da pesada mochila nas costas e joga-la ao solo. Os porcos do mato cairam matando em cima da mochila com cheiro de comida e estraçalharam-na enquanto eu via do alto da arvore e berrava; “Não comam meus papéis, meus graficos, seus tarados de uma figa…”  Mas isto foi um exemplo de como a Natureza trabalha: suba, escorregue, mas não atinja o solo, pois ali tudo é desfeito e retorna a singularidade absoluta, como os fragmentos de papel nas mandibulas do queixada.

O pressuposto fundamental para buracos negros, visto assim, de forma leiga mas natural, sem precisar apelar para calculos e linguagem técnica, está errado, não existem buracos negros tal como pintados pela teoria.

Mas é praticamente um dado comprovado que nossos receptores estejam captando raio-X vindo do núcleo das galaxias. Como a teoria não previu isso –  e ao contrario, ela afirma o contrario quando diz que dos buracos negros nada escapam, nem a luz – foi necessário arrumar uma explicação de como e porque vem os raios-X. Os modelos astronômicos da Matrix/DNA nunca me trouxeram esta questão, porque neles está acertado previamente que núcleos galácticos tem que emitirem raios-X. E praticamente tem que emitirem luz apenas no espectro de ondas concernente à frequência do raio-X. Mas os astronomos não inseriram isto em seus modelos porque tambem ainda não entenderam o que é uma onda de luz, e o que significa a frequência do raio-X. Portanto temos que sair dos níveis das galaxias e entrar mais profundamente na Natureza, nas suas dimensões onde imperam as ondas de luz. Paras tanto, sou obrigado a trazer para cá um dos modelos teóricos da Matrix/DNA, o que se refere justamente a isto, a luz:

 

Nós descobrimos, levados nas ondas da fórmula da Matrix universal, que uma onda de luz natural, original, ( a emitida pelo(s) Big Bang(s) de um Universo pulsante, e não a luz natural porem emitida por estrelas e outros, que são meras estações repetidoras das ondas originais, e muito menos a luz produzida por humanos) contem em si o código que imprime a dinâmica da Vida na matéria inerte, esta substancia que preenche o espaço cósmico denominada eter ou mais recentemente, dark matter. Afora esta estonteante descoberta ( que indica ter a Vida já ser oriunda de uma fonte existente antes e alem deste Universo material), fica o fato que a sequencia de vibrações diferenciadas de uma onda de luz que se propaga é a mesma sequencia de formas diferenciadas de um corpo humano que se propaga no tempo levado pela fôrça do ciclo vital. Ou seja, uma onda de luz natural tem um ciclo de Vida: ela é gerada, nasce, cresce, amadurece, degenera e morre. fragmentando-se em pó, que são suas partículas fótons. E justamente essa sequencia, segundo outra nova grande descoberta dentro da Matrix/DNA, é o que forma corpos de matéria diferenciados e separados no espaço, depois os reconecta na mesma antiga sequencia, e o resultado final é um sistema natural completo e funcionando. Não é apenas os corpos dos seres vivos que seguem esta sequencia, e sim todo e qualquer outro sistema natural, de átomos a galaxias. Cada espécie ou forma de astro dentro de uma galaxia é a representante de cada uma das faixas de onda de luz. E foi fácil para mim montar a figura acima. Qual o tipo de astro que corresponde à frequência do raio-X? Justamente o que está dentro do núcleo da galaxia, o vulgo “buraco negro”. Mas não o buraco negro fantasma, canibal do espaço, monstro devorador de mundos inteiros, que surgiu na cabeça desmiolada por uma doutrina materialista absurda. Só existem fantasmas na mente fantasiosa de crianças ou adultos que antes de crescerem mentalmente, foram capturados por alguma mistica religiosa de nível intelectual sofrível. E sim a estrutura que a fórmula da Matrix/DNA sugere existir dentro dos núcleos galácticos ou quaisquer nebulosas de poeira resultantes de sistemas estelares mortos. Um simples ralo girando em espiral, um rodamoinho, um vórtice central, igual aos que vemos surgirem e desaparecerem repentinamente nos quintais de nossas casas, porque as leis daqui são as mesmas leis de lá. Tudo começa com uma nebulosa de poeira estelar, gaz, todos os tipos de detritos, e mais os bólidos de energia emitidos pelos pulsares, que paira num espaço dentro de uma galaxia maior ou de um Universo que tambem gira sobre seu próprio eixo, fazendo a poeira rodopiar e criar um eixo central, onde surge o tal do buraco negro… um mero rodamoinho natural. Mas a sequencia de eventos a partir daí são muito simples, porem acobertam um significado muito complexo: tudo ocorre como ocorre dentro do útero materno após um óvulo fecundado. As leis daqui vieram de lá, portanto o que vemos aqui, é um exemplo do que acontece lá. Prá que procurar chifres na cabeça de cavalos?! Onde esqueceram a navalha de Occan?!

Qual o problema ao se constatar que estrelas mortas tem sua matéria dirigida para dentro dos núcleos galácticos? Se aqui na pia de casa eu vejo que todo cisco e poeira que cai na água rodopiante indo para o ralo leva consigo a poeira para o mesmo ralo?  Ah… mas,… descrever a coisa assim não é elegante, não causa impressão, e tira o trabalho dos grandes gênios, como o Stephen Hawking… Ora, se você não quer que o autor do fantasma Harry Potter perca seu trabalho, continue a apreciar seus contos, mas por favor, não se esqueça que estás num mundo de fantasias, não vá inserir esta obra no curriculum escolar e dizer às crianças despreparadas que também adoram tais histórias de monstros e fantasmas a acreditarem que isto exista no mundo real.

O maior problema nesta noticia que afeta prejudicialmente a formação da mente juvenil, está aqui:

” In a new study by the Moscow Institute of Physics and Technology and Space Research Institute of the Russian Academy of Sciences, astrophysicists trawled through observations from two space observatories to discover three likely occasions where stars have been eaten by supermassive black holes. Their work has been accepted for publication in the journal Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. ”

Todo mérito vai aos cientistas do Moscow Institute of Physics and Technology por terem esforçadamente observado as imagens e calculado uma teoria para explicar certos efeitos, não existe razão para se eliminar a tese de que tres estrelas desapareceram dentro do nucleo galactico. O problema está na frase: “… stars have been eaten by supermassive black holes…”. para melhor esclarecer isto devo trazer aqui outro modelo teórico da Matrix/DNA:

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Sistema-Elo Entre os Sistemas Naturais Não-Vivos e os Sistemas Biológicos

Esqueça a pobreza do desenho, pois foi feito a duras penas nos joelhos a beira de pântanos na selva amazônica, tendo apenas lápis e papel de embrulhar pão. Tente descobrir o significado disso aí, pois ele tem as respostas para a maioria das nossas questões existenciais.  Nós não inventamos um circuito elétrico caseiro para acender uma luz; isto estava registrado no DNA em nossa memória, porque é dessa exata maneira que o circuito energético de uma galaxia acende uma nova estrela no céu. Amplie a imagem e procure F7. É o estado das estrelas moribundas, quando seu núcleo já comeu quase todos os nutrientes energéticos que tinha no seu envoltório placentário, nas suas camadas geológicas, e assim como uma gigante vermelha ela começa a se desfazer no seu aspecto de massa. O rodopiar do sistema canaliza sua poeira para o ralo central, realimentando-o, para continuar reciclando o sistema. Onde alguém viu aí gigantescos buracos negros comendo as estrelas ainda com vida?! Pois é isto que transmite o “paper” aprovado pela Royal Astronomical Society e publicado em seu  Journal Monthly Notices ! bem ao gosto desta cultura de 10,ooo anos criada e retroalimentada até agora pelos grandes predadores dentro da espécie humana para se justificarem nos seus atos de predação na comelança da energia dos trabalhadores… pois se a Natureza faz assim… é porque está certo que nós façamos assim tambem. Não, a Natureza no seu estado e ordem e equilíbrio cósmico não faz assim, apenas se vê isto quando no seu estado de caos como foi o gerador desta biosfera terrestre.  Nem mesmo os cadáveres das estrelas mortas são devorados no tumulo negro, mas apenas o material decomposto de seus cadáveres, obedecendo a máxima de que “do pó vierstes, ao pó retornarás” ( mas aqui a frase deveria continuar dizendo a verdade:  … para que te levantes numa nova vida…”).

E o artigo termina dizendo:

“This work has added some much needed detail to these rare events, indicating that (on average) one star every 30,000 years in any given galaxy will be destroyed by the central supermassive black hole, though the researchers caution that more observations of stars being eaten by supermassive black holes are needed.” ( o grifo é meu).

Não, não tema que a nossa estrela e nenhuma outra estrela viva vá ser devorada por monstros. Não tema que tumulos se levantem dos cemitérios na calada da noite e saiam devorando seres vivos por aí. Todas as estrelas vão morrer de velhas, naturalmente. E no estado de ordem não existem acidentes, seria um absurdo ilógico.  Não vá endurecer seu coração e se tornar um novo grande predador porque a Natureza faz assim, porque isto é mentira! Não vá perder a esperança de que sua Vida, sua existência, tenha algum significado nobre e um propósito mais sublime do que o simples viver uma experiencia como mero macaco melhorado. A visão de mundo sugerida pela Matrix/DNA tem vindo vencendo a teoria acadêmica nos últimos 30 anos,  ela está sugerindo que sua Vida tem sim, um fantástico significado e um majestoso futuro, pois este Universo é mero palco onde está ocorrendo um processo de reprodução genética, e tu és o gene consciente criando o objetivo final deste processo. Tu és o Filho, a Filha, que nascerá para alem deste Universo, no dia do Big Birth. Mas agora tens que salvar seus filhos estudantes desta famigerada visão de mundo povoada de fantasmas e monstros que não existem.

xxxxx

Meu comentario postado no artigo da Discovery:

“… stars have been eaten by supermassive black holes…”

The astronimcal model of Matrix/DNA Theory is suggesting a different interpretation of same data: died stars are fragmented and its fragments goes towards the galactic nuclei, where a kind of rotative spiral vortex mixes mass with energy coming from pulsars, recycling the material and producing new stars. There are no such things as ghosts black holes eating stars still alive. And the explanation for X-ray emission from galactic nucleus are well explained by the model os electromagnetic spectrum from Matrix/DNA Theory. Ok… it is theory against theory… time and new data will be the judge… see Matrix’s explanations at http://theuniversalmatrix.com/…

 

Astronomia: Novas Informações Sobre Formação de Galaxias Altera a Teoria Academica Mas Mantem Intactos os Meus Modelos na Matrix/DNA Theory

segunda-feira, janeiro 20th, 2014

Astronomers find evidence Milky Way grew ‘inside out’ 

Meus Comentarios postados na Mídia hoje (modelo geral de entrada):

This is a confirmation of “The Universal Matrix of Natural Systems and Life’s Cycles Theory” model for astronomical systems made 30 years ago when the academic Nebular Theory was suggesting the different model. There are two important details that astronomers today are ignoring:

1) the formation of galaxies were ruled by two different processes, like the formation of cell’s systems had two processes: first, for original galaxies, the symbiotic process, and then, the later systems learned how to replicates themselves by self-recycling.

2) The Periodic Table of elements shows that the formation and evolution of those elements were ruled by the same process that rules the evolution of biological systems: the process of life’s cycle. So, when at each 7 elements, the next one repeats the properties of the first one. ( ok, that’s theory against theories)

How was it that from an initial atomic nebulae emerged the shapes of pulsars, quasars, planets, stars, etc? Initially there were no stars systems, no heavy bodies as planets,pulsars, etc.

The explanation is: Nature applied the process that later we are seeing at biological systems: life’s cycle. This process makes a unique initial body ( a lighter star) changing its shapes, like it does with human bodies. And as the different shapes of a human body creates the familiar system, the different shapes of those initial stars created stellar and galactic systems.

You can see the Matrix/DNA models at my website, but, the method is just the reverse way used by astronomers. I have started from the end of evolution as we can see here and now, calculating by comparative anatomy the past till finding a kind of Big Bang. The sky of academic method does not explain the final result, which is these galaxies producing biological systems, aka “life”. Then, the astronomers’ sky was first described by Newtonian mechanics, but since that it does not explains observations of galaxies, they used General Relativity Theory. But now the images and data sent by Hubble and others are obligating changing the theory everyday, while the matrix/DNA model is surviving very well 30 years. The explanation is that astronomical systems seems to be mechanical, electro-magnetic systems, they are hiding a lighter coverture of primordial biological principles. Some way would happen if someone applies Physics and Math for studying the human body: they can grasp the internal mechanic structure of bone structure, but never will see be able for explaining the soft meat and biological organization that covers the skeleton. That’s why they did not find yet the foundations for life’s origins in their state of the world model for 4 billions years ago, while Matrix/DNA have explained it… of course… theoretically, asking testing and more data for confirmation, because my models are scientifically falsifiables.

XXXXXX

Principal “Paper”:

http://arxiv.org/pdf/1401.4437.pdf

Titulo:  The Gaia-ESO Survey: radial metallicity gradients and age-metallicity relation of stars in the Milky Way disk

Principal conclusão, exposta em Summary: 

Although our current sample is small, our results lend support to current pictures of the formation of the Galactic disk, such as the inside-out formation. This initial dataset presents the power of the Gaia-ESO Survey.

XXXXXX

http://www.natureworldnews.com/articles/5713/20140120/milky-way-grew-from-inside-out.htm  (confirmado, publicado)

http://www.sciencedaily.com/releases/2014/01/140120090649.htm – ( não espaço para comentarios? foi publicado no facebook deles))

http://www.redorbit.com/news/space/1113050383/gaia-confirms-inside-out-model-of-milky-way/ ( confirmado, publicado)

http://www.upi.com/Science_News/2014/01/20/Astronomers-find-evidence-Milky-Way-grew-inside-out/UPI-20551390262227/ – ( confirmado, foi publicado)

http://guardianlv.com/2014/01/milky-way-galaxy-formed-from-the-inside-out/    –  Error 503 Service Unavailable

http://economictimes.indiatimes.com/news/news-by-industry/et-cetera/milky-way-may-have-formed-inside-out/articleshow/29105827.cms?_rfh=1 – (aguardando moderação – verificar se foi publicado – dois comentarios)

http://www.hngn.com/articles/22452/20140120/the-milky-way-formed-inside-out-magnesium-reveals-galaxys-childhood-secret.htm  (confirmado, foi publicado)

http://www.science20.com/news_articles/metallicity_did_milky_way_galaxy_form_inside_out-128031#comment-171984  ( confirmado, foi publicado)

http://newstonight.co.za/content/milky-way-might-have-formed-inside-out-mechanism ( confirmado, foi publicado)

http://www.daijiworld.com/news/news_disp.asp?n_id=214058 (confirmado, foi publicado)

http://www.laboratoryequipment.com/news/2014/01/milky-way-may-have-formed-inside-out (confirmado, foi publicado

 http://www.spacedaily.com/reports/Milky_Way_may_have_formed_inside_out_Gaia_provides_new_insight_into_Galactic_evolution_999.html  (confirmado, foi publicado)

http://tech.firstpost.com/news-analysis/milky-way-galaxy-may-formed-inside-216639.html (confirmado, foi publicado)

http://www.sciencerecorder.com/news/milky-way-may-have-formed-from-the-inside-out/  (confirmado, foi publicado)

http://www.examiner.com/article/milky-way-inside-out-emerging-theory-suggests-milky-way-expanded-from-center  (confirmado, foi publicado)

http://www.scienceworldreport.com/articles/12292/20140120/astronomers-discover-milky-way-galaxy-grew-inside-out.htm ( diz que ja fiz o comment? Confirmar)

http://periscopepost.com/science-27/graphic-did-the-milky-way-form-inside-out-cambridge-university-scientists-make-new-breakthroughs-using-gaia-project-data-2502.html 

(aguardando moderação. Confirmar) 

http://www.spaceref.com/news/viewpr.html?pid=42333  (confirmado, foi publicado)

http://www.dailygalaxy.com/my_weblog/2014/01/new-discovery-shows-inner-regions-milky-ways-flying-saucer-shaped-disc-formed-first.html (confirmado, publicado)

http://www.ibtimes.co.uk/milky-way-formed-inside-out-when-stars-lived-fast-died-young-1433019  (confirmado, publicado)

XXXXXXXX

Outros posts/replies:

http://www.redorbit.com/news/space/1113050383/gaia-confirms-inside-out-model-of-milky-way/

Louis MorelliLess than a minute ago
You: “Along this cosmic evolution, which is the probability that within the milky way, from the dust of some of its exploded stars, the living being was formed?”
My answer is another question to you: “Along this genetic evolution, which is the probability that within a microscopic ovule, from the body of yours parents, and from the explosion of a spermatozoon membrane, yours own body was formed? Does it make sense applying statistics and probabilities here?”
Nature does not plays dices with its creatures. Nature is showing here and now how it makes things, be it now or billions years ago. Life was not formed by the dust of some exploded stars, it is result of the whole projection of a galaxy over any planet’s surface, because the properties of life were inside that primordial nebulae that formed galaxies. But… if you are trying to calculate things like “the infinite” – which Nature never showed to us here, then, it is human invention, you need going to the end of the infinite and coming back telling us that infinite really exists.