Archive for the ‘Química’ Category

Descoberta de Vida em Profundas Camadas de Gêlo da Antarctica interessa NASA e Fornece Bioquimica/Abiótica Informação para Matrix/DNA Theory

terça-feira, novembro 27th, 2012

Microbial life at −13 °C in the brine of anice-sealed Antarctic lake

http://www.pnas.org/content/early/2012/11/21/1208607109.full.pdf

Edited by David M. Karl, University of Hawaii, Honolulu, HI, and approved October 19, 2012 (received for review May 22, 2012)

Muita informação bioquimica util para Matrix/DNA desenvolver seus cálculos como a Matrix astronomica se inseriu nos átomos da Terra e quais os elementos envolvidos. Pesquisa a ser continuada.

Introduction

The permanent ice cover of Lake Vida (Antarctica) encapsulates anextreme cryogenic brine ecosystem (−13 °C; salinity, 200). Thisaphotic ecosystem is anoxic and consists of a slightly acidic (pH6.2) sodium chloride-dominated brine. Expeditions in 2005 and2010 were conducted to investigate the biogeochemistry of LakeVida’s brine system. A phylogenetically diverse and metabolicallyactive Bacteria dominated microbial assemblage was observed inthe brine. These bacteria live under very high levels of reducedmetals, ammonia, molecular hydrogen (H2), and dissolved organiccarbon, as well as high concentrations of oxidized species of nitrogen (i.e., supersaturated nitrous oxide and ∼1 mmol·L−1nitrate)and sulfur (as sulfate). The existence of this system, with activebiota, and a suite of reduced as well as oxidized compounds, isunusual given the millennial scale of its isolation from externalsources of energy. The geochemistry of the brine suggests thatabiotic brine-rock reactions may occur in this system and that therich sources of dissolved electron acceptors prevent sulfate reduction and methanogenesis from being energetically favorable. Thediscovery of this ecosystem and the in situ biotic and abiotic processes occurring at low temperature provides a tractable system tostudy habitability of isolated terrestrial cryoenvironments (e.g.,permafrost cryopegs and subglacial ecosystems), and is a potentialanalog for habitats on other icy worlds where water-rock reactionsmay cooccur with saline deposits and subsurface oceans.
Definitions:
1) Brine ( salmoura)
http://en.wikipedia.org/wiki/Brine
Brine is a solution of salt (usually sodium chloride) in water. In different contexts, brine may refer to salt solutions ranging from about 3.5% (a typical concentration of seawater, or the lower end of solutions used for brining foods) up to about 26% (a typical saturated solution, depending on temperature). Ver continuação
xxx
2) Cryogenics – ( Criogenia )

http://en.wikipedia.org/wiki/Cryogenics
In physics, cryogenics is the study of the production of very low temperature (below −150 °C, −238 °F or 123 K) and the behavior of materials at those temperatures. A person who studies elements under extremely cold temperature is called a cryogenicist. Rather than the relative temperature scales of Celsius and Fahrenheit, cryogenicists use the absolute temperature scales. These are Kelvin (SI units) or Rankine scale (Imperial & US units).
Importante:

Production of Cryogenic cooling of devices and material

Cryogenic cooling of devices and material is usually achieved via the use of liquid nitrogenliquid helium, or a cryocompressor (which uses high pressure helium lines). Newer devices such as pulse cryocoolers and Stirling cryocoolers have been devised. The most recent development in cryogenics is the use of magnets as regenerators as well as refrigerators. These devices work on the principle known as the magnetocaloric effect.

XXX

Origens da Vida: Importante Descoberta na Busca da Solução Dêste Mistério

quinta-feira, fevereiro 2nd, 2012

Fontes:
1 – Ciência Diária

Cientistas recriam processo químico para a origem da vida

http://cienciadiaria.com.br/2012/01/25/cientistas-recriam-processo-quimico-importante-para-a-origem-da-vida/
2 – Mail Online

British scientists recreate the molecules that gave birth to life itself

http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-2092494/Life-sweet-New-clue-chemical-origins-sugar-molecules-DNA-recreated-scientists.html

xxx

Origens do DNA na Sôpa Primordial

xxx

– “Há uma porção de perguntas fundamentais sôbre as origens da Vida e muitas pessoas dirigem estas perguntas à Biologia. Mas para a Vida emergir da matéria inanimada, tem que ter um momento – o tempo que a matéria sem vida consumiu para se organizar numa arquitetura viva. E tudo até êste ponto é Quimica, não é Biologia.” – disse Paul Clarke, da Universidade de York e líder da equipe que realizou uma notável façanha: recriou um processo que poderia ser o que ocorreu no mundo antes da existência dos seres vivos.

Os cientistas descobriram que as moléculas mais simples nos corpos dos seres vivos, os aminoácidos, tem a capacidade de catalizar (acelerar) reações químicas formando outras moléculas tambem simples mas muito importantes: lembre-se da figura do DNA, aquelas moléculas grandes que ficam nas hastes e parecem trapézios, formando os nucleotideos, denominadas ribose e desoxiribose, ou ainda simplesmente açucares. Aqui nêste artigo dão-lhes o nome de “treose” e “eritrose” ( é absurda a falta de atividade e de respeito, de consideração, para com os estudantes e o publico em geral dos responsáveis pelo departamento de educação no Brasil, principlamente dos responsáveis pelos textos do curriculum escolar. Uma unica molécula tem mil nomes e cada escritor ou comunicador usa o que lhe apetece, tudo colaborando para tornar a aprendizagem e assimilação demasiado confusa. Porque uma molécula não pode ter um nome só e obrigatório fora da restrita área dos profissionais de Biologia?!)

Diz o Artigo: Todas as moléculas biológicas têm uma capacidade de existir em duas formas de estrutura, canhota ou destra – como um objeto (forma destra) e seu reflexo no espelho (canhota). Todos os açúcares em biologia são construídos como moléculas na forma destra e também todos os aminoácidos que compõem os peptídeos e as proteínas são compostos em forma canhota. Os pesquisadores descobriram que o uso de simples aminoácidos canhotos para catalisar (acelerar) a formação de açúcares, resultou, predominantemente, na produção da forma destra de açúcares. Isso pode explicar como os carbohidratos originaram-se e o porquê da forma destra ser dominante na natureza.

E Paul Clarke explica: “Estamos tentando compreender as origens químicas da vida. Uma das questões interessantes é de onde vêm os hidratos de carbono, porque eles são os blocos de construção de DNA e RNA. O que conseguimos é o primeiro passo nesse caminho para mostrar como açúcares simples –treose e eritrose – se originam. Geramos esses açúcares de um conjunto muito simples de materiais que a maioria dos cientistas acredita terem estado em todo lugar no momento em que a vida começou.”

xxx

Análise pela Matrix/DNA:

Êste assunto interessa a nós filósofos naturalistas, pois a origem da vida é tema relacionado ao sentido da vida, o qual é um dos nossos objetos de investigação. Nós nos informamos sôbre o que o método cientifico reducionista obtem de dados e tentamos conectar os dados como quem monta quebra-cabeças para ver no final o quadro geral. Um dêsses quadros obtidos e que é o tema dêste website, denomina-se “Teoria da Matrix/DNA Universal”. Os modêlos teóricos sugerem visão e abordagem diferentes dos fenômenos naturais, desconhecidas pelos cientistas, e no tocante a esta descoberta, temos que recordar alguns postulados gerais da teoria. Mas é surpreendente a explicação que ela sugere para as origens dos carbohidratos.

A Matrix seria o DNA, o código universal, de todos os sistemas naturais, de átomos a galáxias, a seres vivos. O DNA biológico seria apenas uma das formas da Matrix, derivado da forma astronomica, a qual foi o ancestral direto. Segundo esta teoria, o carbono foi o átomo escolhido como base dos sistemas biológicos porque é o unico átomo dos existentes na Terra que contem a forma da Matrix quando ela era o DNA dos sistemas astronomicos, das galáxias.

Como o átomo de carbono é o representante do “DNA” astronomico? Êle é o unico átomo com numero atômico seis. Ou seja, possue seis protons e considerando-se que cada particula num átomo executa uma função especifica sistêmica universal, as seis funções que haviam e eram expressadas no circuito sistêmico da Matrix astronomica são expressadas no carbono. Se um átomo tem numero atômico cinco, por exemplo, êle peca por deficiência, e se tem mais de seis, peca por exagêro. A Matrix astronomica na verdade apresenta sete funções, mas a função numero 5 é intermitente, ela só aparece e entra em atividade na reciclagem/reprodução do sistema. Ora, a Matrix na forma de building blocks dos sistemas astronomicos é a unica situação no Universo onde aparece um sistema fechado em si mesmo. Portanto o átomo de carbono veio representar o tipo de sistema fechado. Mas no Cosmos, no espaço sideral, o sistema fechado se recicla e não se relaciona com nada do mundo exterior. No ambiente terrestre as condições ambientais e os diferentes materiais impedem essa reciclagem, por isso a Função n.5 não existe no carbono e nem no átomo com numero atômico sete, em nenhum átomo. Cada partícula a mais que as seis necessárias e suficientes é uma duplicata das seis originais e reforça a expressão da função que ela executa. Se o carbono se replicasse tambem aqui, e suas cópias ficassem ligadas entre si, teríamos combinações atômicas apenas de carbonos numa longa fileira como um rosário onde as contas fôssem tôdas iguais.

Mas ao invés de se manter como sistema fechado e se replicar o carbono se torna na Terra o átomo mais social, mais amigável, mais versátil e maleável, pois êle se torna o centro de grupos de átomos combinados, os mais diversos. Porque? Quando o building block das galaxias foi formado, só haviam os estados gasoso e sólido da matéria. Mas a constituição de astros passando por regiões congeladas e depois aquecidas criou o estado liquido e principalmente a água. A teoria sugere que o aparecimento do estado líquido, principalmente da água, fêz com que a Matrix fechada no céu se abrisse na Terra. Mas como a água faz isso? A teoria explica, mas para tanto é preciso observar o software da Matrix enquanto sistema fechado astronomico.

xxx

Matrix no estado evolutivo de software de sistema fechado

xxx

A água é formada por dois átomos de hidrogênio (H) e um átomo de Oxigênio (O). O H é numero atomico 1 porque tem duas particulas, um proton e um eletron, enquanto o “O” tem numero atômico 8, com oito partículas de cada. Isto significa que o H é um átomo incompleto como Matrix, tem apenas duas funções da Matrix, e como seu circuito termina na F 2, êste átomo exerce no mundo ao redor, esta função. Oberve na figura a F.2.

Agora saiba que um detalhe muito importante da Matrix é sua divisão em duas metades, pelo meridiano formado pela F. 5. Mas o fator mais importante que a divide conceitualmente em duas metades é a transformação dos estados da energia/massa que flue como fluxo de informação no circuito esférico sistêmico: a partir de F.1 e até F. 4 a massa/energia estão em estado crescente, e a partir de F. 4 até F. 7 a massa/energia decresce, degenera. A entropia ataca o sistema entrando pela F. 4 a qual é o divisor superior e como a massa/energia de F.7 é que “morre” e vai constituir F.1, significa que F.1 é o divisor inferior. Assim a Matrix é como a face humana, com duas partes simétricas na forma (porque a face humana é modelada sôbre a fórmula da Matrix). Diremos que a Matrix tambem tem sua face esquerda e face direita.

Ora, na água, o H é um pedaço da face esquerda enquanto o “O” ao possuir duas particulas a mais que as seis da Matrix, deve representar um pedaço maior da face direita devido que as funções 6 e 7 são duplicadas. O átomo de carbono é o representante fiel na Terra do aspecto de sistema fechado, o que significa que deveria estar em equilibrio termodinamico. Êle tenderia a não se relacionar, a não fazer combinações com nenhum átomo, porem sua defesa se limita aos átomos formando sólidos e gasosos. Êle não veio da Matrix conhecendo o estado liquido e êste pode invadi-lo para compartilhar seus eletrons de ultima camada. Mas ao se ligar uma molécula de água a um átomo de carbono acontece o que acontece nos nucleos dos átomos: sabemos que prótons não se ligam, repelem-se entre si, mas assim mesmo se ligam nos nucleos atômicos porque entre cada dois protons entra uma particula denominada neutron que funciona como cola entre os dois. Então a molécula de água forma o carbohidrato, ou seja algo como “carbono molhado”, e ela faz o papel de neutron, forçando o carbono a ser ligado com outros átomos.

Mas, fisicamente, como isso acontece? A molécula de água contem dois H, dois representantes da face esquerda, e um O, um representante da face direita. O que significa adesões de mais faces ao carbono?

Vamos recorrer a uma analogia e imaginar o carbono como sendo uma tábua de uma gangorra. Por ser sistema fechado deve estar em equilibrio termodinamico, e isto significaria que na gangorra a tábua está parada em equilibrio. Então se aproxima a água. Dois átomos de H se sentam na ponta esquerda da tábua, somando, diremos, 2 quilos. No centro da tábua – e não na ponta direita, se senta um Oxigênio ( no centro porque o Oxigênio tem os seis protons formando a Matrix completa que se sobrepõe à sua imagem dentro do carbono). Mas O é maior que C e tem a face direita dominante, então sobram-lhe duas partes que por ser da face direita, se deitam na tabua à direita. Assim a tábua fica com dois quilos à direita e dois quilos à esquerda.

Ora, novamente se estabeleceu um segundo equilibrio. Êste conjunto chamado carbohidrato vai continuar com a tendencia de sistema fechado do carbono central, assim a Natureza não pode avançar na evolução no sentido de construir a primeira arquitetura viva que tem de ser um sistema aberto. Ficará a evolução patinando aqui sem sair do lugar?

Existe um detalhe importantítssimo que estamos esquecendo. É o sentido do fluxo da energia/massa no circuito da Matrix. Na face esquerda a energia nasce no divisor inferior e corre para cima na direção do divisor superior. Em qualquer ponto que o circuito for separado do total, na ponta do pedaço separado a energia tende a crescer e para cima. Na face direita é o contrario, e qualquer ponta de um pedaço, ou mesmo da meia-face inteira, a energia tende a degenerar e para baixo.

Voltemos agora à gangorra. Na parte esquerda da tábua o que ali se assenta tem força para mover a gangorra para cima e na parte direita o ali assentado tem força para a mover para baixo. Talvez até mesmo os dois juntos constituam uma segunda face completa se os dois meios circuitos de encontram nas duas duas pontas. Isto significa que as duas forças não são exercidas ao mesmo tempo, pois na Matrix o fluxo ora está avançando pela esquerda, ora pela direita, nunca ao mesmo tempo. Se fôssem exercidas ao mesmo tempo, a intensidade de dois quilos de uma anularia a de dois quilos da outra e o sistema ficaria parado em equilibrio. Mas assim, intermitentes, significa que a gangorra está balançando.

E para que “balançar”um átomo de carbono? Para que tanto trabalho a Natureza dispendeu em criar a água, apenas para vir balançar o carbono?!

Se tudo na Natureza fôsse estático, se não houvesse movimento na matéria, não existiria evolução, ou seja, agregação de novas informações á ultima arquitetura mais evoluida. Em outras palavras diriamos que não haveria aumento da complexidade. Se colocar-mos bananas, maçãs, morangos, no copo do liquidificador e ficar-mos esperando, as frutas nunca vão se misturar e se tornar o delicioso suco cremoso. É preciso imprimir energia ao liquidificador, o qual mexe as frutas e as mistura. Da mistura emerge um novo produto, mais complexo que todos os seus três ingredientes. A Natureza faz isso quando constrói os rodamoinhos no centro das nebulosas de poeira de estrêlas mortas. O rodamoinho é o copo do liquidificador ligado, misturando massa com energia e produzindo como novo produto, sementes de estrêlas.

E segundo a teoria da Matrix a Natureza fêz isso tambem quando colocou a Lua no céu da Terra, para imprimir movimento às águas dos oceanos, com a maré indo e voltando, batendo nas costas dos continentes, misturando elementos do continente com elementos do oceano para produzir um novo produto, a célula viva. Ela tem que chacoalhar os estáticos, os acomodados e que se recusam a se moverem. Por isso a Natureza mais uma vez repetiu seu método ao chacoalhar, balançar o carbono: para obter novas misturas. O carbono é a tábua, os dois H sentados à esquerda, o grande O sentado no centro mas estendido com a cabeça à direita, e assim temos a gangorra da Vida.

Paul Clarke diz que “… estamos tentando compreender as origens químicas da vida. Uma das questões interessantes é de onde vêm os hidratos de carbono, porque eles são os blocos de construção de DNA e RNA.” Assim como êle descobriu que a Natureza é capaz de executar um processo que até então era desconhecido, e que tal processo, se foi realmente aplicado pela Natureza a 4 bilhões de anos atrás na superficie da Terra, vem trazer uma grande explicação a um dos mistérios nas origens da Vida, os modêlos da Matrix/DNA descobriu um processso que se foi aplicado pela Natureza seria o gatilho disparador da evolução em todos os tempos e lugares. Tal processo, lógico e possivel porque explica todas as origens, de galaxias a células vivas, forneceria a Paul Clarke a resposta que êle está buscando: de onde veio, e como veio, e para que veio, o carbohidrato.

Porque os aminoácidos – sempre canhotos, esquerdistas – produzem sempre uma molécula direitista?!

Para entender-mos primeiro o que são moléculas canhotas e destras é preciso relembrar uma matéria do colegial: quiralidade. Para começar apresentamos uma figura:

xxx

Mãos e Aminoácidos em Pares Quirais com Imagens Não Sobreponíveis

xxx

Definição da Wikipedia:

Quiral, que conduz ao termo quiralidade, é um termo usado em Química, para definir objetos não sobreponíveis à sua própria imagem no espelho. ( Mas se queres te informar sôbre quiralidade é melhor ver no idioma inglês, mesmo que tenha de usar um tradutor, pois é mil vêzes mais completo e elucidativo). Alí se lê: “Human hands are perhaps the most universally recognized example of chirality: The left hand is a non-superposable mirror image of the right hand; no matter how the two hands are oriented, it is impossible for all the major features of both hands to coincide. This difference in symmetry becomes obvious if someone attempts to shake the right hand of a person using his left hand, or if a left-handed glove is placed on a right hand. The term chirality is derived from the Greek word for hand, χειρ (cheir).”

Eu sei que o assunto da quiralidade é para os profissionais em Quimica e não para leigos como nós. Só para se ter uma idéia dessa complexidade veja o mapa abaixo ( e o nosso espanto é maior se clicar-mos duas vêzes na imagem para ler os detalhes).

xxx

Quralidade em sua Complexidade

xxx

Mas a Matrix/DNA é uma visão de conjuntos resultantes das associações dos detalhes onde os detalhes não precisam serem mencionados para descrever os conjuntos. Porque moléculas canhotas de aminoacidos produzem a molécula central no tijolo fundamental do código genético e sempre como molécula destra, normal?

Observe o software da Matrix como sistema fechado. Aminoacidos, assim como as proteinas que eles formam, são compostos de átomos que surgiram quando a Matrix tentava se recompor na Terra. Cada aminoacido é um pedaço, um trecho, do circuito total da Matrix. Ora, na Matrix o sentido do fluxo de informação, ou seja, da massa/energia, e ainda do aspecto onda/particula, é sempre o sentido horário. Se o fluxo estiver em F.3 com certeza êle vai para F.4 e não para F.2. E assim por diante. Isto significa que em qualquer lugar que se cortar o circuito, a energia que escapa pela ponta cortada tende a ir da esquerda para a direita. E isto significa que o pedaço é esquerdista, ou seja, em suas veias corre o sangue de carater esquerdista.

Mas existem dois pontos no circuito que fogem a essa regra. São F.1 e F. 4. Alem de esquerdistas são tambem centristas. Porque dirigem seus petardos um na direção do outro e os dois ocupam posições de centro, tanto na base como no topo. F.4 envia seu espermatozóide para F.1, o qual envia para F.4, um bebê (é sempre bom lembrar que a Matrix é a fórmula universal em que se modelam todos os fenômenos naturais, por isso ela pode ser interpretada de tôdas as maneiras).

Mas são justamente F.1 e F.4 que se assentam como os acúcares nos nucleotideos. Ora, eles não são esquerdistas nem direitistas, possuem todas as tendencias de maneira que no final da soma se tornam neutros. Pois neutros são todos os objetos reais, em termos de quiralidade. Tanto que na Wikipedia diz: “The term chiral in general is used to describe an object that is not superposable on its mirror image.” A imagem no espelho não é o objeto, êste sim, em si, e por si, sem espelhos e sua imagens, não é chiral, não é nada, é neutro.

As moléculas canhotas são trechos do circuito da Matrix em busca dos outros trechos faltantes para recompor a Matrix. Quando elas se juntam, juntam-se os bits informação que cada uma conseguiu sôbre o que lhes falta. E o que falta a elas são as duas funções centrais. Por isso aminoacidos produzem carbohidratos, como descobriu na pratica, Paul Clarke.

xxx

Nota: Êste tema continuará sob pesquisa e desenvolvimento, falta ler os outros artigos publicados como o MailOnline e tentar conseguir o paper no jornal de bioquimica. Tambem estamos estudando assuntos da treose, eritrose, carbohidratos, etc.

Kekulé e o Benzeno : Evidências a favor da Matrix/DNA

quarta-feira, outubro 12th, 2011

“Friedrich August Kekulé struggled to understand the structure of benzene until in a day-dream he envisioned it as a snake eating its own tail.”

Tradução: Kekulé tentou árduamente entender a estrutura do benzeno até que a descobriu através de um sonho durante o dia no qual êle viu a estrutura na forma de uma serpente engolindo sua própria cauda.

Porque êle não têve essa intuição durante os anos que estêve debruçado na bancada do laboratório procurando entender?! Como funciona o cérebro quando produz sonhos, e como ou o que fêz o sonho de Kekulé ser mais sábio que o próprio Kekulé acordado?!

A fórmula/software da Matrix/DNA – quando observada no seu aspecto de circuito sistêmico fechado em si mesmo e com o quadro em mente, desenhado à parte – exibe exatamente a figura de uma serpente engolindo a própria cauda. E isto faz sentido: uma serpente se engolindo a si própria seria o final ato do extremo da auto-adoração, do desprêzo pelo resto do mundo, do egocêntrismo, e tendo nosso ancestral se tornado esse tipo de personalidade, explicaria nossa herança do “gene egoísta”. Falando técnicamente, na fórmula da Matrix/DNA o sistema recicla a própria matéria degradada, ao ligar a ponta inicial do circuíto à sua ponta final.

Mas tambem, relacionando a fórmula aos muitos casos já encontrados e nêste website registrados, como é o caso de Kekulé e o benzeno, percebemos que em muito a fórmula nos ajuda a fazer acertadas previsões quando estamos tentando entender algo e o método reducionista não está ajudando. Uma imagem, na forma de flash, num sonho, ou numa meditação, vem ao cérebro esforçado, por alguma razão, mesmo que seja pela convergencia temporal espacial de um conjunto de fôrças produzindo uma imagem que não existe correspondente real. Kekulé devia ter visto a imagem de serpente engolindo a cauda algumas vêzes, pois ela faz parte da mitologia antiga. Então a imagem teria vindo á mente desde a memória que registrou a imagem vista no papel ou num templo.
mas porque veio essa imagem quando êle estava concentrado num problema envolvendo átomos e quimica? Novamente, pode ser mero acaso.

Mas existe uma outra teoria. Pensamentos são produzidos pelo cérebro que e baseados nas sinapses entre neuronios cujo nucleo é o DNA. DNA é constitúido de nucleotideos cujo par horizontal imita exatamente a fórmula da Matrix/DNA a qual transmite exatamente a imagem de serpente engolindo a própria cauda. Ora essa configuração de nucleotideos foi produzida pela quimica trabalhando com átomos. Eu acho que fica mais inteligivel ver uma isca composta de quimica e atomos como a que povoava os pensamentos de Kekulé como a responsavel por ter fisgado um elemento real como a fórmula natural do benzeno através de uma vara de pescar composta de nucleotideos que são produtos da quimica composta por atomos, do que uma vara composta por uma imagem vista no papel ou num templo.

Eu prefiro a segunda hipótese onde é possivel visualizar uma corrente lógica de causas e efeitos. A hipótese da imagem no papel ser mais forte que a iamgem da estrutura do cérebro de Kekulé não me convence. Mas claro, enquanto a Matrix/DNA não for comprovada, a questão fica em aberto. A utilidade de mencionar isso tudo é que quando estiver num trabalho de investigação na Natureza, vou me lembrar que talvez a fórmula da matrix/DNA pode me ajudar onde outros recursos falharam, como aconteceu com Kekulé.

O benzeno é um elemento que tem surpreendido os cientistas e os empresários em busca de lucro ou soluçoes tecnológicas. Uma avalancha de noticias ultimamente que pode serem vistas pela Internet anuncia que o benzeno tem propriedades espetaculares. mais uma vez o indicio reforça a teoria da Matriz/DNA: assim como ela aponta para o átomo de carbono como sendo o átomo-cópia mais fiel da fórmula que veio dos sistemas inanimados e tendo em vista que o carbono se tronou o principal elemento organizador das moléculas organicas, assim tambem ela aponta na direção do benzeno como o composto quimico que mais fielmente copia a sua estrutura de serpente engolindo a própria cauda.

Podem me chamar de louco e talvez eu esteja desperdiçando minha vida, mas como não vejo ou não posso empregar a minha vida em algo mais util no momento, eu não vou jogar essa fórmula no lixo. Vou continuar perseguindo-a e com muita energia.

A Morte Explicando Como a Origem da Vida não foi a versão da Ciência Acadêmica

sexta-feira, setembro 23rd, 2011

Artigo baseado em:
http://www.biology-online.org/biology-forum/post-134634.html#p134634 (Vide abaixo o texto)

A Morte Tem a Resposta para como foi a Origem da Vida

Se não podemos voltar atrás, a 3,5 bilhões de anos, para ver como a Vida começou, podemos ver aqui e agora quando ela termina, ou seja, assistindo a morte de um ser vivo, e saber como ela não começou apenas pelas fôrças físicas do mundo pré-biótico e nem com a contribuição das propriedades químicas na abiogênese.

Nos ultimos momentos antes da morte todas as moléculas bioquimicas do corpo ainda estão intactas e funcionando. No justo momento da morte elas ainda estão lá, mas no momento que os mecanismos regulatórios do organismo cessam, as moléculas começam a se desintegrarem.

Em outras palavras, as leis naturais da Física, da Quimica e da Termo-Dinâmica continuam operando mas sem a diretriz reguladora que foi agora removida, e o resultado é degeneração, desintegração, rumo às suas menores partes constituintes.

Portanto, o curso natural que as leis naturais seguem, é o de destruir as moléculas bioquimicas. Mais exatamente, é o de eliminar os vínculos entre os átomos que os organizam bioquimicamente. Desde que êste é o caso comprovado, como podem aquelas mesmas leis naturais guiarem a construção de vida celular, e quanto mais, o organismo inteiro ?!

Elas tem que serem dirigidas e forçadas a seguirem um diferente caminho para serem bem suscedidas na geração da vida. E o agente desta nova direção tem que ser o mesmo que mantem o organismo regulado e vivo. Ou seja: as leis naturais da organização vital já existiam antes da origem da vida. Claro!

Conclusão: seja lá o que for a vida, ela certamente não é parte constituinte da Física ou da Quimica.
Esta é a razão porque a visão naturalista da origem da vida sem algo como a fórmula da Matrix/DNA, sem a visão sistêmica e diferentes modêlos atômicos e astronômicos, é cientificamente ininteligivel. E portanto, a Teoria do RNA-World, tal como está elaborada, é equivocada e/ou incompleta.

Os cientistas da NASA compreenderam isto muito bem, quando emitiram um reporte estabelecendo que ” não existe plausível hipótese de rotas para formação de moléculas bioquímicas complexas, nem quimicamente nem termodinamicamente.”

A NASA emitiu êste reporte a contra-gôsto, foi forçada a isso pela quantidade de evidências. Se existe uma organização necessitada de dar uma explicação natural para a origem da vida esta é justamente a NASA. Lutando contra a escassez de fundos, se êles provassem que as leis naturais conhecidas, apenas por si só, podem dar inicio ao processo e desenvolvimento da vida, que resolveram o mistério da abiogênesis, e como êles estão envolvidos nesta pesquisa principalmente em astrobiologia, receberiam todos os fundos que necessitam. Mas seus administradores e cientistas foram obrigados a se curvarem perante o óbvio.

xxxxxxxxxxxx
Comentário postado por Matrix/DNA sob o artigo:

Jack, thanks by the existence of this blog, very helpful,

The RNA-World Theory became a scientific joke also. No? For instance, comments about this, please:

See the discussion between Craig Venter, Church and Shapiro, in this video

http://www.edge.org/documents/life/life_index.html

And haw do you refute this argument, for instance?

Theories – Origin of Life
http://www.biology-online.org/biology-forum/about14351-204.html

At the moment just prior to death all the biochemical molecules in the dog are still functioning and intact.
At the very moment of death they are still there, however as you rightly point out the regulatory mechanisms cease and the molecules begin to disintegrate.

In other words, the natural laws of physics, chemistry and thermodynamics continue operating but without the guiding regulation that has now been removed, and the result is degeneration, down to their constituent parts.

Therefore the natural course that natural laws take, breakdown biochemical molecules.
Since that is the case how can those same laws naturally guide the building of cellular life let alone the whole organisms
They have to be guided down the different regulated pathways if they are to succeed.
So whatever life is, it is certainly not a constituent part of physics or chemistry.

That is why a naturalist view of the origin of life is scientifically untenable.

That is also why NASA has been forced to draw the conclusion it has.

If any organisation needed a natural explanation to life’s origin it is they. Just think of all the funding they would receive if they could. There is every incentive for them to prove that they have conquered the problem of Abiogenesis, and if they were able to then I will let you speculate on the news headlines!!

xxxx

And you said: “… if you truly believe you’re onto something, make the most of it and stick to the proper method of conducting science.”

There is no climate for the proper method of conducting science as the supreme goals of the founding fathers, in the Illuminist Movement: science for the search of knowledge about the meaning of existence (against the meaning sold by the church). There is no funding for such enterprise.

First of all, we should go back to Oparin and Stanley/Urey experiment. Why those amino acids do not realize the next step in the lab, becoming proteins and RNA? What is missing in the Urey ingredients? What are determining, in this primordial soup, that life is only left-handed?

Second: We need to fall under the logic that the first complete biological system appeared in a given state of the world. If we bet that there are no supernatural causes, and we are not seeing links between the state of the world and biological systems, we need to understand that our theoretical models of the world are not right (mainly our cosmological models).

I am trying to return to the goals of the founding fathers. The result today is the Matrix/DNA Theory models. It is a suggestion of what is missing in the Urey ingredients. I am making the most of it and sticking to the proper method of conducting naturalism. I am sure nobody has proved facts for debunking the models. But, the deviation of scientific method is too big that the brains today are hard-wired for to escape from a different viewpoint and a return to the thru naturalism.

Fosfolipidio: O que é, porque existe êste fenômeno… segundo a teoria da Matrix/DNA

segunda-feira, setembro 12th, 2011

Deparei-me com um interessante escrito na Internet:

Forum Buology Online – Topic: Theories – Origin of Life
http://www.biology-online.org/biology-forum/about14351.html

by alextemplet » Mon Sep 22, 2008 1:55 am

Most biologists believe RNA was one of the first biochemical molecules to develop, and experiments have shown that under the right conditions it can perform the functions of itself as well as those of DNA and proteins. In fact there is an entire hypothesis called the “RNA world” that has been developed around these concepts; look it up on google or wikipedia and you’ll find plenty of info.

At my university, a group of students recently conducted experiments in which RNA was found to spontaneously isolate itself inside protective spheres of phospholipids. I’ll have to see if I can get a copy of the research paper; they think this could lead to explaining the formation of the first cells.

xxxxx

Como então, um reduzido numero de átomos unidos na forma de uma molécula organica (e por nós denominado de RNA), quando está num meio líquido onde exista um outro grupo de átomos (o qual denominamos fosfolipídio, que tem a forma de esferas ôcas), se conduz a penetrar nestas esferas e ali se isolar do mundo como se estivesse confortavelmente instalado em seu equilibrio termodinâmico?!

É preciso ver que aqui não existem instintos, intuições, etc.: são meras fôrças brutas naturais em ação. E parece-me que estas fôrças não existem nos átomos, porque não tenho conhecimento de que algum átomo isolado penetre alguma outra coisa, por si só. Então deduzo que esta fôrça existe quando átomos se combinam da maneira que forma o RNA; é uma fôrça que se torna propriedade emergente de um sistema maior que os seus átomos. Que fôrça é esta/ De onde ela vem?

Como sempre, corro a me socorrer dos modelos da Matrix/DNA. E de pronto descubro uma explicação lógica e racional. ( Sempre clique nas imagens para amplia-las e ver melhor)

The Matrix como fórmula de galáxias, células e DNA

Já descobrimos antes, em outra pesquisa que as camadas de gordura que nossos corpos possuem logo abaixo da pele representam aquelas camadas de poeira estelar que circundam o vortex nuclear na formação de um building block astronomico LUCA). Veja melhor na figura acima. O interior do corpo, com seus órgãos, é como se fôssem um nucleo, e a gordura seria como uma membrana externa. O nucleo de LUCA começou a ser reproduzido aqui na Terra na forma do RNA, êste representa o vortex. Pois essa gordura é constituída pelos lipidios. Então, em nosso ancrestral “não-vivo”, e a 10 bilhões de anos atrás, o RNA estava isolado dentro de uma esfera ôca de lipidio, genéricamente falando.

E assim descobrimos a fôrça misteriosa, a variavel escondida naquela sôpa primordial onde o RNA se isolava em esferas de lipídios. Os genes-fotons de LUCA, vindos de três lugares: radiação estelar cósmica, Sol, e nucleo terrestre. Os criacionistas têm razão na sua teoria da irredutivel complexidade… se basearem-se na origem da vida na Terra como ponto de referência. Mas se ampliarem seus horizontes no tempo e no espaço e verem mais longe, vão descobrir que tôdas as partes que aqui surgiram separadas e depois convergiram para um unico sistema celular, já existiam e estavam unidas num sistema flutuando no céu. Tudo é redutível a LUCA.

Fosfolipídios é o que forma as gorduras, o tecido adiposo. Existe a gordura marrom (predominante na forma embrionaria e infantil dos seres humanos) e a gordura branca (predominante na forma adulta humana). Ela é que dá massa a um corpo em crescimento, ela é o que estoca energia funcionando como reserva de combustivel para o corpo. Ora, em LUCA, nosso ancestral building block astronomico, tambem existe um material fazendo as mesmíssimas funções. Trata-se da poeira/debrís estelares oriundos da ultima estrela morta, ou de uma estrela velha se enfraquecendo, e que vai formar a nebulosa de poeira e gás donde vai surgir novo sistema estelar. Enquanto ela circunda o corpo-baby nas funções 2 e 3, e que chamamos de horizonte de eventos em torno do vortex central, ela forma as camadas geológicas ou placas tectônicas, é marrom, e depois quando estas camadas são digeridas pelas reações nucleares do germe nuclear, elas se tornam brancas, devido à energia explicita.

Sugere ainda os processos do modêlo que LUCA se desfaz pela entropia em bits-informação os quais são irradiados internamente em seu corpo e podem-se alojarem nas superficies de planetas, donde tentam se reerguerem na forma do sistema de onde vieram, ou seja, tentam reproduzir LUCA. Ora, os bits-informação das regiões 2 e 3 tendem a formar esferas ôcas com reserva nutrucional… o que nos conduz a acreditar que assim se originam os fosfolipidos.

E aqui se abre mais um vasto campo de pesquisas, não apenas na busca de decifrar os enigmas das origens da vida, dos funcionamentos dos nossos corpos, como tambem na busca de soluções para as disfunções do corpo humano, como a obesidade produzida pela gordura branca.

Por isso êste capítulo, iniciando esta pesquisa.

Primeiro lugar, a busca da definição na sagrada e amada WIKIPEDIA, cujos criadores merecem um grande abraço e nossa total admiração/respeito, por essa grande ação altruística, por que foram heróis da “Grande Causa da Humanidade”:

xxxx

Wikipédia, a enciclopédia livre.

Fosfolípido

Os fosfolípidos, fosfolipídios, são lípidos constituidos por uma molécula de glicerol, duas cadeias de ácidos graxos (uma saturada e uma insaturada), um grupo fosfato e uma molécula polar ligada a ele.

Ok, vamos começar a destrinchar isso. Definindo os nomes grifados acima:

Fosfolipídios - Phospholipids_aqueous_solution_structures

Fosfolipídios:

Fosfolipido - Phospholipid

Lipídios:

Lípidos ou lípidios são biomoléculas compostas por carbono (C), hidrogênio (H) e oxigênio (O), fisicamente caracterizadas por serem insolúveis em água, e solúveis em solventes orgânicos,[1] como o álcool, benzina, éter, clorofórmio e acetona. A família de compostos designados por lipídios é muito vasta. Cada grama de lipídio armazena 9 quilocalorias de energia, enquanto cada grama de glicídio ou proteína armazena somente 4 quilocalorias. É importante que se tenha um consumo moderado desta substância, pois além de conter maior valor energético, não é o primeiro nutriente utilizado pela célula quando ela gasta energia.

Lípidios - Lípids


Structures of some common lipids. At the top are oleic acid and cholesterol. The middle structure is a triglyceride composed of oleoyl, stearoyl, and palmitoyl chains attached to a glycerol backbone. At the bottom is the common phospholipid, phosphatidylcholine.

Molécula:

Uma molécula é uma entidade eletricamente neutra que possui pelo menos dois átomos, todos ligados entre si mediante ligação covalente. Isto exclui todos os metais, e também todas as substâncias como o sal de cozinha. Rigorosamente, uma molécula corresponde a uma união entre dois ou mais átomos que, em termos de diagramas energéticos (energia potencial U em função da separação espacial de seus átomos), é representada por uma depressão suficiente para confinar pelo menos um estado vibracional (um estado ligante).

Moléculas - Molecules

Comentários da Matrix/DNA: O que é molécula e orgânica? Por que elas se formaram? Observe no diagrama quimico que moléculas são cadeias de um building block, na forma de trapézio. Na molécula da figura, há três building blocks. Cada building block é à imagem da fórmula da Matrix que veio de LUCA. Isto significa que moléculas foram as primeiras tentativas de LUCA em se reproduzir aqui. Depende do tipo de átomos arrolados, das posições dêles, etc, qual será a função final da molécula.

Glicerol:

Glicerol ou propano-1,2,3-triol (IUPAC, 1993) é um composto orgânico pertencente à função álcool. É líquido à temperatura ambiente (25 °C), higroscópico, inodoro, viscoso e de sabor adocicado. O glicerol está presente em todos os óleos e gorduras de origem animal e vegetal (veja óleo vegetal e gordura) em sua forma combinada, ou seja, ligado a ácidos graxos tais como o ácido esteárico, oleico, palmítico e láurico para formar a molécula de triacilglicerol.

Glicerol - Glycerine chemical structure

Glycerine chemical structure

Glicerol - Glycerol-3D-balls

Ácidos graxos:

Ácidos graxos são ácidos monocarboxílicos de cadeia normal que apresentam o grupo carboxila (–COOH) ligado a uma longa cadeia alquílica, saturada ou insaturada. Como nas células vivas dos animais e vegetais os ácidos graxos são produzidos a partir da combinação de acetilcoenzima A, a estrutura destas moléculas contém números pares de átomos de carbono. Mas existem também ácidos graxos ímpares, apesar de mais raros.

Ácido Graxo - Fatty acid - Butanoic_acid

Fostato:

No campo bioquímico, um íon de fosfato livre em solução é chamado de fosfato inorgânico, para distinguí-lo dos fosfatos existentes nas moléculas de ATP, DNA ou mesmo RNA. Fosfato inorgânico é denotado geralmente como Pi. Fosfato inorgânico pode ser formado pelas reações de ATP ou ADP, com a formação do ADP ou AMP correspondente e a liberação de um íon de fosfato. Reações similares existem para outros nucleosídeos difosfatos e trifosfatos.

Em sistemas vivos, íons de fosfato podem ser criados pela hidrólise de um íon maior chamado pirofosfato, o qual tem a estrutura P2O74 -, sendo denotado PPi.

Fosfato - Phosphat - Ion

E voltando à definição de fosfolípidios:

São moléculas anfipáticas, isto é, possuem uma cabeça constituida pelo grupo fosfato que é polar ou hidrofílica(tem afinidade por água) e uma cauda constituída pelas cadeias de ácidos gordos apolar ou hidrofóbica, isto é que repele a água.

Fosfolipídio Polar e Apolar

Muito curioso isto. A cabeça deve ser cópia do nucleo de astros e a cauda cópia da poeira estelar e camadas geológicas. Como pode ser vista como cópia de um cometa. Claro, na cabeça – no nucleo – está a energia. Mas porque a cauda de um fosfolipódio repele a água? A Matrix/DNA responde em cima da bucha: LUCA, as galáxias enfim, foi feito com os estados sólido e gasoso da matéria apenas. Naquela época não havia ainda o estado líquido. E quando LUCA tenta se reproduzir aqui na Terra o mais fiel possível à sua forma original, claro, êle repele o estado liquido principalmente expressando sua Função 2 porque êste provocaria indesejáveis mutações. A mutação de sistema astronomico semi-mecânico/semi-biológico, em sistema biológico… VIVO!

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Recente artigo que reforça a Teoria da Matrix/DNA

O corpo humano é uma cópia projetada mateiral do software Matrix/DNA. Portanto cada órgão corresponde a uma das funções no diagrama/software. O fígado, por ser o agente da limpeza interna do circuíto sanguineo, indica ser o órgão da função 7, numa evolução que veio desde seu ancestral celular na função 7, o lisossomo. Ora, como agente de limpeza, o fígado deve receber tôda a gordura fluindo no sangue e dar um jeito de excreta-la do corpo. Mas se a quantidade superar sua capacidade operativa, essa gordura fica no corpo se acululando em qualquer lugar. Um dêstes lugares candidatos é o cérebro, onde existe grande quantidade de sangue fluindo concentrada em pouco espaço, e isso nos leva à hipótese de que problemas no fígado pode produzir as placas que se formam em torno de neurônios impedindo suas sinapses, produzindo a perda de memória. E o recente artigo abaixo vem reforçar esta hipótese:

http://www.cnn.com/2011/HEALTH/06/16/liver.disease.ep/index.html?iref=allsearch

The growing culprit behind liver disease

By Elizabeth Cohen, CNN Senior Medical Producer

June 17, 2011 6:22 a.m. EDT

(CNN) — The first time Wilson Alvarado got lost on the way to a neighborhood park, he told his wife, Patricia, not to worry about it — he was 62, he told her, and just getting a little forgetful.

Patricia thought it was strange, considering the park was only a half-mile away, and he’d driven there every week for more than 30 years. Then Wilson got lost again on the way to the park. A few months later, he called Patricia from the supermarket, asking why he was there.

“I thought, well, maybe he really is just getting old,” Patricia recalls. “My mother has Alzheimer’s, and I thought maybe that was it.”

It was easy to overlook the little memory lapses until several years later when the situation reached a head. While her husband was visiting relatives in Puerto Rico, Patricia received a phone call from his cousin saying they’d taken Wilson to the hospital because he “wasn’t making any sense” and was acting so aggressive the hospital put him in restraints.

“It was really horrifying,” she says.

Patricia had him put back on a plane to Buffalo, near their home in Cheektowaga, New York. His doctors explained that liver disease was behind Wilson’s memory lapses and erratic behavior.

“When you think about this kind of thing, you think about dementia or Alzheimer’s,” she says. “You don’t think about the liver.”

Wilson had cirrhosis, just like alcoholics get, but in his case, fat, not alcohol, was the culprit. At 5 feet 8 inches and 185 pounds, Wilson is overweight, and too much fat in his liver eventually caused it to malfunction.

According to the Centers for Disease Control and Prevention, two-thirds of Americans are either overweight or obese, and doctors say they’re seeing more and more patients like Wilson Alvarado.

“It’s overwhelming how many patients we’re seeing with this problem,” says Dr. Naim Alkhouri, a hepatologist at the Cleveland Clinic.

Dr. William Carey, also a hepatologist at the Cleveland Clinic, adds, “This is huge. We didn’t even know this disease existed 30 years ago. Now it’s the most common liver disease in America.”

‘We won’t have the ability to treat all these patients’

About a third of the U.S. population has nonalcoholic fatty liver disease, according to Dr. Michael Curry, a hepatologist at the Beth Israel Deaconess Medical Center in Boston.

Curry said most of those people — about 80% — will not develop significant liver disease. The other 20% will develop a disease called nonalcoholic steatohepatitis, or NASH. Of those, about 20-30% will go on to develop cirrhosis and end-stage liver disease, where the only real treatment is a liver transplant.

“That’s about 6 million people. We won’t have the ability to treat all those patients,” Curry says. “If we even have a fraction of that number of patients, it will overwhelm liver transplant programs.”

Laundry in the refrigerator

NASH is often silent, according to the National Institutes of Health. While some people have pain in the right side of their abdomen, most do not. Liver enzyme tests are sometimes normal, and even ultrasounds and CT scans don’t always pick up on the disease.

“Symptoms are few and far between,” the Cleveland Clinic’s Carey says.

“It can sneak up on you,” says Dr. Kevin Mullen, a hepatologist at the Case Western Reserve University School of Medicine. “Even your doctor might miss it.”

Often symptoms don’t show up until the disease has progressed. Sometimes, the first sign is a swollen stomach or ankles, or vomiting blood.

Some patients, such as Wilson Alvarado, develop brain changes called hepatic encephalopathy. As the disease progresses, the liver has a hard time filtering out toxins, which can go to the brain and cause problems such as memory lapses, trouble sleeping at night and lack of coordination.

“It might start out with minimal changes, like a few more dents in the car,” Curry says.

Later, the changes can become more disturbing.

“I had a patient who put his laundry in the refrigerator,” Carey says. “Another one couldn’t remember the family party that had just happened that very day.”

Curry adds, “One of my patients got into the shower and turned on boiling hot water and couldn’t figure out how to switch it off.”

Mullen says, “It really can be bizarre. They might try to sell their house for $100 or walking around the neighborhood unclothed.”

Preventing nonalcoholic fatty liver disease

If a patient loses weight, eats better and exercises, he or she can often reverse the disease in its earlier stages.

“That’s why we like to find these people early,” says Alkhouri of the Cleveland Clinic.

However, by the time the disease has advanced to the point of cirrhosis, it’s usually irreversible, he adds.

Alvarado had to have a liver transplant last month at the Cleveland Clinic, and his wife says his thinking has become more clear.

Definições:
Nonalcoholic fatty liver disease
http://www.mayoclinic.com/health/nonalcoholic-fatty-liver-disease/DS00577

Nonalcoholic fatty liver disease is a term used to describe the accumulation of fat in the liver of people who drink little or no alcohol.Nonalcoholic fatty liver disease is common and, for most people, causes no signs and symptoms and no complications. But in some people with nonalcoholic fatty liver disease, the fat that accumulates can cause inflammation and scarring in the liver. This more serious form of nonalcoholic fatty liver disease is sometimes called nonalcoholic steatohepatitis. At its most severe, nonalcoholic fatty liver disease can progress to liver failure.

Hepatic Encephalopathy
http://www.liverfoundation.org/abouttheliver/info/hepaticencephalopathy/

Why is the liver important?
The liver is the second largest organ in your body and is located under your rib cage on the right side. It weighs about three pounds and is shaped like a football that is flat on one side.

The liver performs many jobs in your body. It processes what you eat and drink into energy and nutrients your body can use. The liver also removes harmful substances from your blood.

Facts-At-A-Glance
Hepatic encephalopathy (HE) is a brain disorder caused by liver damage
HE can be an acute (short-term) or chronic (long-term) condition and can be mild, moderate, or severe
HE occurs when the liver cannot remove toxic chemicals in the blood and these chemicals enter the brain
Symptoms of HE may progress slowly, or may occur suddenly
Common symptoms of HE include confusion, forgetfulness, personality or mood changes, poor concentration and judgment, stale or sweet odored breath, change in sleep patterns, and worsening of handwriting or small hand movements
People with HE can enter a coma or have brain damage
HE can be a medical emergency and hospitalization is usually required
Treatments aim to manage the disease and keep people out of the hospital
The best way to reduce the risk of HE is to prevent, treat, or manage liver disease

xxxxxxxxxxxxxx

Bem, infelizmente tenho que interromper esta pesquisa agora, para ir trabalhar…

Ciências: Dica para os jovens detectarem seus talentos, descobrir algo original e ser o primeiro, para seu sucesso.

quarta-feira, setembro 7th, 2011

A matéria do Universo tende a fica eternamente inerte num equilibrio termo-dinâmico, no entanto, no meio dessa matéria existe uma fôrça que não tem permitido ao Universo se estagnar na paz eterna. Essa fôrça misteriosa que talvez tenha sido descoberta agora como sendo uma fórmula e que pode ser comunicada como um tipo de diagrama de software, denominada Matrix/DNA, obriga a matéria se mover, se organizar em sistemas, sempre transformando-os no sentido de torna-los cada vez mais complexos, ao qual denominamos “evolução”. Para a mente humana ( que parece ter também um corpo projetado por êste próprio software e seria sua forma mais evoluida), conhecer a fórmula é como o bebê recem-nascido que começa a descobrir o próprio corpo e o mundo externo, e as possibilidades do que pode seu corpo fazer no mundo: uma fonte inesgotável de novas possibilidades jamais imaginadas.

O Prêmio Nobel de Química, Akira Suzuki, responde a uma pergunta de VEJA (Nobel da Química hoje se beneficia do remédio que criou – 07/09/2011 – 08:04 – Ciência – http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/hipertenso-nobel-da-quimica-se-beneficia-da-propria-descoberta-que-lhe-valeu-o-premio)

Veja: Qual conselho o senhor dá para que jovens tenham uma carreira de sucesso?

Suzuki: “Quando jovens, ficamos na dúvida sobre qual caminho seguir. Isso é completamente normal. É importante aprender então com as pessoas mais experientes sobre as opções que existem. Acima de tudo, a decisão final precisa ser sua, não dos seus pais. Quando os pais forçam a carreira dos filhos, os resultados podem ser desastrosos. Depois que tiverem escolhido o caminho a ser seguido, utilizem todas as forças para conduzir o trabalho com criatividade e originalidade. Não imitem outras pessoas, é importante que descubram sua própria maneira de fazer o mundo. Herbert Brown, Nobel da química e meu professor, sempre me dizia para produzir conhecimento original, algo digno de ser publicado em livros didáticos.”

Suzuki tem um bom conselho, mas na realidade, penso que os jovens modernos estão com o problema da saturação no mercado de trabalho e alta competitividade que era muito menor nos anos 70 de Suzuki, , alem de que o sistema capitalista objetivando o lucro não financía e até mesmo impede que apliquemos as idéias e intuições que mais apreciamos. Uma dica surge na própria entrevista de Suzuki:

Veja: Por que o senhor escolheu a química como profissão?
Suzuki: “Quando jovem, queria ser matemático. Mas dois livros me fizeram escolher o caminho da química orgânica: Química Orgânica, da Universidade de Harvard, e Hydroboration, escrito por Herbert Brown, com quem estudei posteriormente. A química orgânica é praticamente o oposto da matemática, não tem nada de exata. Contudo, gosto muito de observar a criação das moléculas, como na natureza: as plantas pegam o gás carbônico e água e transformam em açúcar, energia. Poder entender, replicar e manipular esses processos em benefício da humanidade é edificante.”

Mas pensando bem, Suzuki não fêz algo “original”. Em 1979, aos 49 anos, ele publicou na revista Synthetic Communications o estudo em que descrevia a complicada reação química que lhe garantiria o prêmio Nobel três décadas depois. O procedimento facilitou a criação de remédios contra a hipertensão, câncer e defensivos agrícolas. Ora, êle simplesmente fêz o que todos os cientistas com raras exceções tem feito desde as origens da alquimia: aplicar o método reducionista de ver, identificar, separar, isolar, observar e descrever anatomia e comportamento de corpos isolados de seus sistemas.

Existe todo um novo mundo com uma vasta área a ser explorada, que é a abordagem sôbre os sistemas naturais,ou seja, o re-agrupamento de todas estas partes isoladas em suas conexões com outras partes formando sub-sistemas que interagem com o mundo externo por estarem dentro de outros sistemas maiores nesta infindável hierarquia de sistemas cujo final será como o abrir-se uma janela no Universo para descobrir o que existe alem. Portanto, o mundo está ainda praticamente virgem para as Ciências humanas conduzir a mente humana a descobrir-se e ao mundo. Eu queria ser jovem agora quando descubro que o futuro do Universo aos jovens pertence.

Porque? O que é a fórmula da Matrix/DNA? Um bebê recem-nascido quando abre os olhos pela primeira vez provavelmente vai ver os corpos de outras pessoas antes de ver o seu próprio. Quando foi a primeira vez que vimos nosso próprio bumbum refletido num espêlho? Curiosidade, não? Pois ver o diagrama da fórmula da Matrix/DNA pela primeira vez desenhada na tela do computador é a mente vendo pela primeira vez um corpo semelhante ao seu, o qual ela ainda nem formou totalmente e nunca viu porque ainda não abriu seus olhos próprios para ver as coisas abstratas ou holográficas da sua dimensão existencial. E ver a fórmula é ver a alma, o circuito de energia e conexões de todos os sistemas formados na matéria dêste Universo. Por isso ela se abre como uma fonte de inspiração e intuição para os jovens iniciarem agora os primeiros passos da nova super-ciência. O caminho está aberto e borbulhante com oportunidades.

Suzuki diz que “A natureza realiza a criação das moléculas: as plantas pegam o gás carbônico e água e transformam em açúcar, energia. Poder entender, replicar e manipular esses processos em benefício da humanidade é edificante.”

Mas mais interessante e edificante seria iniciar com as questões da nossa curiosidade natural que o método reducionista da velha Ciência nunca se faz: Porque a Natureza faz isso? Para que? Qual era o estado evolutivo do mundo quando a Natureza começou a fazer isso, para onde vai, como é utilizada o açúcar e essa energia pela evolução, qual o resultado final de todo esse movimento da matéria, que sistemas estas substâncias compõem, para que servem? Iniciando com estas questões em mente, nossa abordagem e trabalho irá por um caminho diferente daquele praticado por Suzuki, que consisitiu em “observar, descrever, replicar e manipular”. Pois agora não vamos apenas ter partes, peças isoladas nas mãos, mas sim, identificar todas as outras partes relacionadas a cada peça, identifcar os sistemas inteiros, replicar ou manipular sistemas. Mas o mais importante: dirigir nossa manipulação de maneira sintonizada com o Universo e suas leis naturais, e agilizar a evolução atuando para transformar os estados de caos em estados de ordem e corrigir os estados de ordem que se fixaram imperfeitos. O que fazemos hoje com nossa medicina e engenharia genética aplicadas ao nosso corpo carnal, vamos iniciar a fazer aplicando a medicina e engenharia genética ao corpo da mente humana e ao corpo do Universo. Está tudo aberto lá fora, para ojovem arregaçar as mangas e entrar numa fantástica aventura. E cada jovem irá por um caminho original.

The Matrix/DNA as Formula for Astronomic, Cell, Mind and DNA System

É possivel que a primeira visualização da fórmula, tal como ela está apresentada na tela do computador, não desperte a mente dos jovens ainda para o que ela realmente significa. Isto porque ainda não tive tempo de incluir os textos descritivos da fórmula e das milhões de informações que estão encobertas nas entrelinhas do circuíto do sistema. É como o bebê vendo os corpos da mãe e do pai vestidos, sem nada receber de explicação do que são os corpos, como funcionam. Não foram incluídos ainda porque não tive tempo desde que estou sendo obrigado a trabalhar até 14 horas por dia e nos sete dias da semana devido a atual crise financeira, e ainda devido a problemas técnicos muito fáceis de resolver por especialistas em computação, como o de que não tenho conhecimento sufificente para rapidamente incluir no computador os softwares certos para atuar no website. Portanto, torçam por mim que na primeira oportunidade faço êste trabalho e não os deixarei na mão. Por enquanto, observem a fórmula, pensem nela, tentem ir descobrindo nas entrelinhas as valiosas informações que ali se ocultam, e verào a imensa gama de oportunidades do que se tem para fazer ainda. Tateando a fórmula como o bebê que ainda não abre os olhos vai tateando o próprio corpo e tentando se entender.

The Matrix/DNA as Formula for Astronomic, Cell and DNA Systems

O que estava acontecendo ocultamente nas sôpas primordiais da superficie terrestre e no fundo dos oceanos enquanto a Matrix/DNA trabalhava no esforço de criar a Vida na Terra.

quarta-feira, agosto 24th, 2011

xxxxx

Fonte/Artigo:

Anomeric argument

http://prospect.rsc.org/blogs/cw/2011/08/15/anomeric-argument/

 

The Anomeric Effect

Existe um fenômeno na quimica molecular denominado “efeito anomérico” ou “anômero” que parece ser muito importante para a Vida mas que ainda é desconhecido seus mecanismos e causas pela comunidade cientifica tendo fomentado muita controvérsia e debates. Ao ler o artigo abaixo e pesquisar brevemente alguns detalhes em outras fontes como Wikipedia tambem suspeitei que o fenômeno é muito importante para desenvolver a Matrix/DNA. Postei um comentário no artigo do CHEMISTRYWORLDBLOG ( o qual está copiado abaixo) e aqui registro o fato para tê-lo na memória e voltar a esta pesquisa sempre que alguma novidade relacionada aparecer.

Moléculas: Rotações Espirais e Circulares

Normalmente estas “sugar-moléculas” apresentam-se com rotação equatorial (o que penso ser meramente rotação esférica horizontal ou circular) como é mostrado na figura da direita pelo OH que está à direita do eixo horizontal. Mas tem um caso especial onde o mesmo composto molecular inverte o OH do eixo passando-o para o tôpo da base, o que deve “concavear” a mólécula tornando-a uma espiral, mais como uma cópia mais fiel e inicial da quimica do software/Matrix da fase astronomica. Existem ao menos seis tipos de açucares com esse efeito que é denominado “efeito anômero” e importante é observar que os seis tipos surgem de uma cadeia de transformções sucessivas que muito lembra o circuito do software/Matrix e indica como funciona a actividade óptica a nível de simbologia quimica (ver figura a seguir).

Molecular Circuito da MatrixDNA D Galactose

Vamos ao artigo e aos meus comentários?

CHEMISTRYWORLDBLOG
http://prospect.rsc.org/blogs/cw/2011/08/15/anomeric-argument/#more-8685
Anomeric argument

Posted by Josh on Mon 15 Aug 2011
Categories: News

Fierce debate has erupted in the Journal of the American Chemical Society (JACS) over a phenomenon known as the anomeric effect. The controversy reminds us once again that while observations are usually verifiable, interpreting results is something all scientists need to play a part in.

The anomeric effect, familiar to many chemists, is important because it influences the shape of sugar molecules, which are, of course, biologically and medicinally relevant. In essence it means that sugars prefer their C1 hydroxyl groups to be in an axial orientation, whereas other cyclohexane based systems usually have their large substituents in an equatorial orientation. The reason for the anomeric effect is normally assumed to be hyperconjugation of a lone pair of electrons on the ring oxygen to the antibonding orbital of the carbon next door. The truth is though that academic dispute over the cause of the effect still exists.

xxx

(Matrix’s notes:
1 – ( From Wikipedia) : DNA and RNA are built up of the sugars ribose and deoxyribose. The sugar in DNA is deoxyribose, and has the formula C5H10O4.
2 – Cyclohexane is a molecular formula C6H12.
Cyclohexane conformation
The 6-vertexed ring does not conform to the shape of a perfect hexagon. The conformation of a flat 2D planar hexagon has considerable angle strain because its bonds are not 109.5 degrees; the torsional strain would also be considerable because all of the bonds would be eclipsed bonds. Therefore, to reduce torsional strain, cyclohexane adopts a three-dimensional structure known as the chair conformation. This was first proposed as early as 1890 by Hermann Sachse, but only gained widespread acceptance much later. The new conformation puts the carbons at an angle of 109.5°. Half of the hydrogens are in the plane of the ring (equatorial) while the other half are perpendicular to the plane (axial). This conformation allows for the most stable structure of cyclohexane. Another conformation of cyclohexane exists, known as boat conformation, but it interconverts to the slightly more stable chair formation. If cyclohexane is mono-substituted with a large substituent, then the substituent will most likely be found attached in an equatorial position, as this is the slightly more stable conformation.
Cyclohexane has the lowest angle and torsional strain of all the cycloalkanes, as a result cyclohexane has been deemed a 0 in total ring strain, a combination of angle and torsional strain. This also makes cyclohexane the most stable of the cycloalkanes and therefore will produce the least amount of heat (per CH2 unit) when burned compared to the other cycloalkanes.)
3 – Comparisons between cyclohexanes and axial sugars suggests that Nature was trying to change the Matrix’s formula at its closed systemshape stablished asastronomicsystems towards the shape of opened systems, as required by biologicalsystems. Being the torsional strain of cyclohexanes more stable than the other cycloalkanes, it means that cyclohexanes were the first terrestrialmolecularcompoinds and cycloalkanes were the intermediate fases of the transformation, which the finalfase should bethe sugars of RNA andDNA. These sugars should be rotational and espiraling for tobean opened system, instead achiral and equatorial circular.

xxx

It’s difficult to study the anomeric effect, firstly because in solution it’s difficult to isolate solvent molecules’ contributions to it and secondly because there is a relative scarcity of methods which can probe the underlying parameters which give rise to the effect.

It was interesting then, when Oxford University’s Ben Davis managed to create a gas phase complex of separate anomers and resolve their electronic spectra. He did this by shining a laser on a dry carbohydrate (D-glucose) mixed with an oligopeptide receptor. This created a gas phase mixture of the two anomers complexed separately by the receptor. The complicating solvent issue was removed and the α- and β-anomers could be studied independently. The infra-red spectra of the two complexes differed in some key points – notably the frequency of the peptidic N-H bond signals. This indicates the hydrogen bonding interactions between the receptor and the sugar is different for each anomer.

The electron density on the ring oxygen should be different for each anomer due to the different degrees of hyperconjugation. In theory this would contribute to different hydrogen bonding strengths between the ring oxygen and the peptidic NHs.

Interesting stuff. Except that a shadow was about to fall over Davis’ work in the shape of US-based computational chemist Yirong Mo. Almost immediately after Davis’ work came out Mo and his colleagues published what you might call a stern rebuttal of their conclusions. What’s a little disappointing is that Mo is just one of several scientists to comment on Davis’ work but since his rebuttal is put in the strongest possible terms, it seems likely that it is this paper which will garner the most attention. Mo’s work consists of computational modelling of a very similar system to the one Davis used where the anomeric effect is disabled. Mo showed that in this case, his modelling still predicts the same spectral differences that Davis observed and, therefore, says that the changes are not caused by the anomeric effect. The abstract of Mo’s paper states that Davis’ ‘”sensor” cannot probe the anomeric effect as claimed’, essentially proposing that Davis’ experiment is flawed.

xxx

Matrix’s notes:
1 – I don’t know the model used for computational simulations here. I am sure it is not based in the Matrix’s formula. Then, it should be a good method elaborating a computational simulation based in Matrix’s formula. Maybe the final result could be different and more likely Davis results.

xxx

I spoke to Davis and Mo as well as computational chemistry experts Jeremy Harvey from the University of Bristol and Jonathan Goodman from Cambridge University. A very subtle argument emerged. ‘The bottom line here is that intermolecular interactions – as between the sugar and the peptide model – are complicated,’ Harvey says, ‘assigning their strength based on relatively simple concepts such as the anomeric effect is hard. Spectroscopy, and energy decomposition analysis […] provide lots of insight, but leave lots of room for ambiguity.’

Davis emphasised that his work is very much a reporting of experimental results and that he doesn’t insist upon any specific conclusions about the causes of the anomeric effect. But he says ‘it’s great to see our experimental results stimulating such a lively debate in the theoretical community’.

To the uninitiated (which, given the complexity of the arguments involved, is many people) it looks like Mo’s paper shows Davis’ to be completely wrong. That is, after all, what he says in his abstract. This could be an instance when a little post-publication peer review could make a big difference to people’s perceptions. Picking apart the arguments is complex and time consuming, so when people take the time to look at complex debates like this it would be great to see their ideas and conclusions posted alongside the articles. That would make it clear that, actually, there is a debate to be had here, and as scientists, we want to stimulate it.

Josh Howgego

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
Post from

Louis Morelli says: Your comment is awaiting moderation.
Wed 24 Aug 2011 at 9:49 pm

Hay, Josh

I am researching this issue also but I have a “away off the beam” approach. It can be fuel for novelty thought.

As author of “The Matrix/DNA of Natural Systems” I am advocating and testing the idea that organic molecules were direct product from the action of the astronomical state of the world 3,7 millions years ago, and this state can be pictured as a diagram of software –the matrix formula, as showed in my website. If the hypothesis is right, the terrestrial atoms were configured like the astronomic system shape, then, we can understand a lot of new mechanisms and the whole means of the process. For instance:

1 – Why sugars prefer the axial rotation?

Matrix’s formula suggestion: “The astronomic state of the world about 4 billion years ago was based on the closed shape of natural systems, a closed door to evolution. Then, happened the entropy, the closed shape was fragmented, miniaturized and lift up as opened system = biological systems. The astronomic formula was resumed in a base par of nucleotides, the fundamental unit of information of RNA and DNA. The sugars at the DNA strains are a copy made with atoms of matrix’s formula, which is a rotating spiral, like galaxies. While equatorial rotation suggests a bias towards closed systems at biological scale, the rotating spiral suggests a bias towards opened systems. Then, the anomeric effect is a transition from closed system towards opened system. We can see this transition when “the anomers of glucopyranose are diastereomers, with the beta anomer on the right having an OH group pointing up equatorially in the lower right-hand corner of the figure, and the alpha anomer on the left having that OH group pointing down axially”. And we can see the systemic circuit of Matrix/DNA formula in the chain reaction called “Open-chain form of D-galactose” where each fase is a representation of each systemic function.”

By the way there are a lot of informations coming from the formula, which is unknown by scientific community. Since the formula is only theoretical yet and the method for getting it does not permit published peer review papers, there are no way for introducing it to scientific community beyond my website. I should be very grateful for continuing my work if my comment here will be questioned/criticized. Thanks…

Circuito da Matrix/DNA a nível molecular?

quarta-feira, agosto 24th, 2011

Molecular Circuito da Matrix/DNA? D-Galactose

Esta reação em cadeia tem tôda a aparência de se basear no software da Matrix/DNA. Se for, cada fase da reação deve corresponder a uma das funções universais. O primeiro passo seria identificar qual fase corresponde a qual função. A dificuldade maior está em que estas cadeias podem começar a partir de funções intermediárias e não a partir do inicio do software, a F1. Aqui, por exemplo, a presença de dois oxigênios (um elemento oxidativo e portanto entrópico e portanto preponderante da face direita) no composto inicial sugere que a cadeia está começando a partir de F6, ou F4. Só o aprofundamento na pesquisa sôbre o que a Quimica já sabe disso tudo poderá ajudar.

Importante dica aqui é como a actividade óptica, ou rotação óptica, está evidenciada a nível de simbologia quimica. O composto em C2 está numa direção (OH no lado esquerdo), muda em C3 (OH vai para a direita), permanece em C4, e volta para a primeira posição em C5 (OH volta para a esquerda).

(Fórmula em Wikipedia sob titulo “anomer” (anômero) sugerido pelo artigo:

Anomeric Argument

em: Chemistryworldblog

http://prospect.rsc.org/blogs/cw/2011/08/15/anomeric-argument/#more-8685