Archive for the ‘LUZ e eletromagnetismo’ Category

Ondas Gravitacionais, Faixas da Onda de Luz: Vídeo em Astronomia

quinta-feira, agosto 9th, 2018

xxxx

Gravitational waves finally detected!

https://www.facebook.com/ScienceMagazine/videos/10153715335600589/?t=1

Luz Liquida, o Condensado de Bose-Einstein: Fótons Retornando ‘a Fonte no Big Bang?

domingo, agosto 5th, 2018

xxxxxx

Fótons da luz dispersos e reunindo-se

Fótons da luz dispersos e reunindo-se

Varias previsões que fiz a 30 anos atras baseado nos modelos teóricos que resultaram na Matrix/DNA Theory, encontram neste artigo muitas evidencias e comprovações.

Mas como eu abordo o fenômeno “luz” por uma perspectiva bem diferente da dos cientistas – porque os modelos teóricos surgidos enquanto eu construía a teoria observando a natureza virgem da selva me obrigaram a esta abordagem – interpreto as experiencias e informações aqui de maneira que os cientistas não pensam. Por exemplo, Bose e Einstein abordaram o fenômeno baseados em dados de laboratórios e calculados pela logica Matemática, e sua interpretação final foi da existência da luz no estado de um superfluido, chamado de Condensado de Bose-Einstein (BEC). No meu método de abordagem, utilizei os poucos dados de laboratorio que conhecia, e acrescentei os métodos aplicados na elaboração da teoria geral, tais como anatomia comparada, logica formal, observação dos parâmetros factuais naturais, o calculo do reverso da evolução iniciando pelo ápice da complexidade ( a autoconsciência e a biologia humana) e retornando ao ápice da simplicidade no Big Bang, e minha interpretação final foi da existência de um fluxo de retorno da onda de luz original sendo reconstruída por suas partículas dispersas, os fótons, que assim utilizam a energia e a massa, ou seja a matéria, criando os sistemas naturais materiais. Como veremos aqui, são muitos os pontos em comum entre as duas interpretações.

Vários fatos da luz, no que chamam de estado superfluido, são evidencias ou comprovações das minhas previsões, tais como:

a) A “luz líquida” é uma substância muito peculiar. Não é sólida nem plasma e tampouco se comporta exatamente como um líquido ou um gás. Os cientistas a chamam de Condensado de Bose-Einstein (BEC). 

( Obs: na Matrix/DNA, o que chamo de ” luz original”, deve ser uma substancia ainda desconhecida porque não é captada nem por nossos sensores cerebrais nem pelos instrumentos científicos. O principal indicio que ela existe é porque ela faz o conjunto resultante das sete radiações – registradas no gráfico do espectro eletromagnético – funcionar como o ciclo vital sugerindo que ela contem o código para produzir sistemas naturais, como a Vida. Neste sentido, a luz original e’ como a entidade abstrata existente na genética que os acadêmicos denominam de “comando de instruções ao DNA”. Essa “luz liquida, ou superfluido, ainda não é a luz original, e sim a substancia que os fótons dispersos no fim da onda original vão formando quando encetam o caminho do retorno para recompor a onda original. Seria a luz negativa, se considerar-mos, aluz original emitida com o Big Bang como sendo a luz positiva. )

b) Nesse estado, as partículas se sincronizam e se movem em harmonia, formando um “superfluido”. É parecido com qualquer outro líquido ou gás, mas com propriedades especiais, uma das quais é que todas as suas partes estão relacionadas. Elas têm um “comportamento coletivo”, diz Sanvitto. “É como um grupo de bailarinos fazendo os mesmos movimentos ou uma onda de pessoas marchando no mesmo compasso.”

( Obs: Exatamente como previsto. Na onda original, todas as partes, partículas, estão alinhadas numa sequencia cronológica e sistemática, como é a sequencia cronológica observável nas continuas transformações do corpo humano. Ambos acontecem devido a força do ciclo vital. Portanto, na onda original, cada ponto ou partícula tem dois vizinhos imediatos: o primeiro da esquerda, anterior, e o primeiro ‘a sua direita, o posterior. Portanto, de fato, previ que todas as partes devem estar relacionadas e a reunião delas se da em harmonia. Com a final fragmentação da onda em partículas-fótons, estes inicialmente se encontram dispersados, porem procuram e se conectam aos antigos vizinhos primeiro, assim reconstruindo a mesma sequencia da onda original, no eterno retorno.)

c) A  luz, sob condições especiais, pode se comportar como um líquido que flui e ondula em torno dos obstáculos que encontra, como a corrente de um rio entre as pedras.

( Obs: Vamos imaginar os fótons no retorno como uma boiada caminhando por um campo limpo, conduzida por vaqueiros. De vez em quando no meio do campo aparece uma mancha de boa relva. As vacas que estando no meio da boiada se deparam com a relva tendem a parar e formam um grupo ali estacionado. As outras que vem atras e dos lados tem que contornar o grupo e seguir adiante. Pois no retorno dos fótons isso pode acontecer de duas maneiras. Quando a onda original avança, é possível que ela se quebre em suas faixas de frequências e se assim quebram a substancia da dark matter em porcões, e como cada faixa é uma forma do ciclo vital, cada porcão + faixa de luz tem propriedades e funções, tendencias, especificas. Isto vai se materializar e gerar os sistemas naturais. Quando retornam os fótons se deparam com estas partes solidas, objetos, e tem que contorna-los. Mas é possível também que os fótons no retorno criem eles mesmos os objetos-obstáculos que os demais tem que contornar.)

d) Os superfluidos não criam ondas e não experimentam fricção ou viscosidade.

( Obs: essa a fricção prevista na minha teoria, com a diferença que na minha teoria esta fricção da luz original ao avançar na substancial espacial é o que gera as energias. Porem, na minha teoria, a substancia do retorno cria ondas, pois ela reconstrói a onda original. Acontece que a onda original tem as dimensões do universo, assim a onda sendo reconstruída pelo “superfluido” também terá as dimensões universais. E nós, microscópicos humanos, estamos num ponto demasiado minusculo do Universo, estamos dentro de uma onda, e quem esta dentro de um sistema ou processo não pode saber a verdade do sistema porque não pode vê-lo do exterior.)

e) “Se você enviar um jato desses contra a parede, ele a escalará em qualquer direção e, eventualmente, voltará a se conectar depois do obstáculo”

( Obs: Exatamente como sugeriram os modelos e cálculos teóricos da Matrix/DNA)

f) Esta luz liquida, ou superfluido é vista como 5º estado da matéria

( OBS: Observando o gráfico do espectro eletromagnético segundo a teoria da Matrix/DNA:

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

Temos que a quinta dimensão seria aquela revelada pela faixa “infra-vermelho”. Segundo a Matrix/DNA, nossos sensores visuais e tactils apenas captam os objetos revelados pela faixa da luz visível com suas propriedades especificas, como nível vibracional, etc. E segundo esta teoria, com a evolução vamos desenvolver estes sensores e/ou adquirir mais sensores para ver esta dimensão. Se isto estiver correto, veremos a olho nu, no futuro, esta luz liquida.)

xxxx

Artigo da BBC:

O que é luz líquida, vista como 5º estado da matéria

https://www.bbc.com/portuguese/geral-45029867

Cientistas que estudam fenômenos quânticos demonstraram que a luz, sob condições especiais, pode se comportar como um líquido que flui e ondula em torno dos obstáculos que encontra, como a corrente de um rio entre as pedras.

Figura 1 – À esquerda: a luz encontra um obstáculo antes de se tornar um superfluido. À direita: a luz encontra um obstáculo depois de se tornar superfluido (DANIELE SANVITTO)

Superfluido

A “luz líquida” é uma substância muito peculiar. Não é sólida nem plasma e tampouco se comporta exatamente como um líquido ou um gás.

Os cientistas a chamam de Condensado de Bose-Einstein (BEC, da sigla em inglês) e a consideram o “quinto estado da matéria”.

Nesse estado, as partículas se sincronizam e se movem em harmonia, formando um “superfluido”.

“É parecido com qualquer outro líquido ou gás, mas com propriedades especiais, uma das quais é que todas as suas partes estão relacionadas”, diz Daniele Sanvitto, pesquisador do Instituto de Nanotecnologia da Itália.

Os superfluidos não criam ondas e não experimentam

fricção ou viscosidade.

(Obs: esta é a primeira vez que vejo mais uma previsão da Matrix/DNA a 30 anos atras sendo também citada por algum outro humano. Fricção da Luz. Na minha teoria, a luz original se expande no Universo no meio da dark matter, produzindo uma friccao entre as duas, da qual é produzida a energia.)

Eles têm um “comportamento coletivo”, diz Sanvitto. “É como um grupo de bailarinos fazendo os mesmos movimentos ou uma onda de pessoas marchando no mesmo compasso.”

Assim, um líquido comum, ao esbarrar numa parede, saltaria, mas um superfluido, como a luz líquida, circularia ao longo da parede.

“Se você enviar um jato desses contra a parede, ele a escalará em qualquer direção e, eventualmente, voltará a se conectar depois do obstáculo”, explica Sanvitto.

Para que serve a luz líquida?

Até poucos anos atrás, os superfluidos só podiam ser alcançados em temperaturas próximas ao zero absoluto (-273 °C), mas, em 2017, Sanvitto e seus colegas conseguiram produzir luz líquida à temperatura ambiente.

Um processador

Eles fizeram isso usando misturas de luz e matéria chamadas polaritons.

(Obs: pesquisar o que e’ POLARITONS)

“Este é o primeiro passo para ter aplicações desse líquido no dia a dia”, diz Sanvitto.

Até agora, os experimentos com BEC foram feitos somente em pequena escala nos laboratórios, mas os pesquisadores vêem um grande potencial para transmitir informações e energia sem desperdício.

( Mais uma evidencia da previsão da Matrix/DNA: fótons registram, carregam, e transmitem informações… como os genes)

Um exemplo seria a criação de computadores ópticos, que possam aproveitar a interação das partículas de luz sem o problema da dissipação ou aquecimento de computadores comuns. Isso os tornará muito mais rápidos e consumirá menos energia.

Essa tecnologia também pode revolucionar o manuseio de lasers e painéis solares. Como o cientista Michio Kaku mencionou em uma entrevista ao portal This Week in Science, há quem pense que, no futuro, o BEC poderia estabelecer as bases para se teletransportar objetos.

(Obs: Procurar o This Week in Science, e Michio Kaku )

Luz e Astronomia: Tipos de radiacoes emitidas pelo Sol

quarta-feira, agosto 1st, 2018

xxxx

Trecho captado num debate na Internet:

“O sol emite diversos tipos de radiações: raios-x, radiação ionizante, radiação ultravioleta, luz visível, radiação infravermelho e até ondas de rádio. O índice UV é o que representa a nocividade para a pele. Não o calor. O Sol tem ciclos, e é ele quem “controla” 95% do clima terrestre. E a Terra não tem QUALQUER influência sobre o clima solar. Somente o contrário.”

Como vem de comentador desconhecido e sem citar fontes, devo pesquisar isso. Surge a hipótese de que o Sol emita talvez ate todas as informações do building block dos sistemas astronômicos. Ou ao menos, a parte das radiações da face direita da Matrix. Pesquisar isso.

 

O Genoma de Deus sendo insuflado no Universo por Ele respirar Ondas de Luz

sábado, julho 21st, 2018

xxxx

Universo em Expansão

Universo em Expansão

A imagem acima é utilizada pelos físicos para explicar como o Universo esta’ se expandindo. Agora percebi que a mesma imagem pode ser usada para explicar o process o da evolução universal, que ocorre com os sistemas naturais dentro deste universo movida por uma essência comum criadora que representei na forma da formula Matrix/DNA. Cuja função pode ser comparada ao genoma transmitido pelos pais na geração de filhos.

Imagine que o balão menor é um ovulo. O ar que entra para expandi-lo é o espermatozoide fecundador.

Agora imagine que o balão cheio esta’ fixo. Ele não se expande, nem contrai. No lugar da face do homem imagine que esta’… Deus!

Mas ao invés de Deus estar soprando, Ele esta’ assim com a boca no balão porem, respirando e expirando. E ao invés de sua boca soprar o ar para o balão, sopra ondas de luz. Sabemos que a ondas de luz saem de sua fonte emissora em alta frequência e na forma de ondas curtas, e a medida que vai avançando no ar esta frequência vai diminuindo enquanto as ondas vão se tornando cada vez mais compridas. De maneira que quando as ondas alcançam as paredes do balão elas já estão fragmentadas em suas partículas, os fótons. Estes fótons espalhados começam a fazer o caminho de retorno, na direcao contraria a que veio a onda de luz, dirigindo-se para o bico do balão, e a maioria deles retorna para a boca de Deus com alguns poucos que ficam vagando no balão. Alguns cientistas estão pesquisando estas estranhas ideias de “energia e luz negativas”, opostas as positivas. Alguns suspeitam que essa misteriosa dark matter que preenche 95% do universo seja “massa negativa”. Pois ha 30 anos atras estes meus modelos teóricos sugeriram estes fótons escuros, os quais seriam a base destes negativos, e o universo assim como nossas vidas podem ser constituídos destes negativos. Quando os fótons retornam desde as paredes do balão, reconstroem a onda de luz, porem no sentido inverso. Quando saiu da fonte divina era como uma criança cheia de energia e termina por morrer como pó, que são os fótons; agora no sentido inverso, negativo, a onda começa com o pó e pouca energia e vai refazendo as sequencias seguintes de maneira que quando chega a Deus nasce como a criança cheia de energia. Quando o nascimento vem de Deus, a criatura vem no estado harmônico de ordem; quando vem das paredes do balão, vem no estado de caos. Por isso, por estes fótons-informação estarem modelando nossa biosfera sob estado de caos, estamos sujeitos a todo tipo de predadores, tempestades, etc.  como acontece com as especies que botam os ovos fora abandonando desde antes do nascimento a prole ‘a própria sorte. Mas não se preocupe, o grande plano determina que isto e uma fase temporária, a seguir veremos que na verdade nunca formos ovos botado fora porque não saímos do grande plano que se constitui de ovos mantidos dentro e protegidos, nutridos ate o nascimento.  Eu reclamo porque Deus não esta’ assistindo a miséria do mundo e evitando estas tragedias com animais e humanos, mas eu devia lembrar que os pais não podem estarem presentes assistindo os genes construindo seu filho dentro do útero materno, e como estamos também num processo de aprendizagem para a vida na casa que vamos nascer, estamos cursando uma escola, e esta época de ovos fora corresponde a quando estamos fazendo os deveres escolares, onde os professores não devem os exercícios por nos. Senão, não vamos aprender nada e chegar na casa dos pais bagunçando e quebrando tudo…

Puro e simples processo de respiração, pensara’ um observador desatento. Ai’ esta’ encoberto todo o segredo da evolução universal. Fótons, energias negativas? Na verdade, se considerar-mos que são estes fótons e energias que constroem e movem nosso mundo material, eles são os positivos, negativa seria a luz invisível que vem de Deus e não vemos. Fato é que aqui mesmo perante nossos olhos esta cena descreve exatamente como acontece a criação dos corpos humanos, a perpetuação da especie e sua evolução.

A cena pareceria um exemplo rebuscado pela teoria do eterno retorno, o universo cíclico, expandindo-se e contraindo-se eternamente por que Deus respiraria eternamente. Porem, o pequeno detalhe dos fótons espalhados que não retornam ao bico do balão faz a grande diferença que transforma um universo em eterno retorno num universo onde ocorre um processo de evolução, de maneira que num dado ponto, no final da evolução, mudou a substancia que sai da boca de Deus: ao invés de retornar a luz exalada, ela retorna transformada em uma auto-consciência. Assim como ao invés de retornarem óvulos e espermatozoides emitidos pelos pais, eles retornam transformados num lindo baby.

Os fótons que não retornam fazem exatamente as funções do espermatozoide+ovulo emitidos por um casal que criam novos exemplares humanos com mutações onde são acrescidas os graus de complexidade. No processo universal estes fótons transformam a simples luz emitida por Deus ( que pode ser uma super-auto-consciência) em uma especie de filho na forma de uma nova auto-consciência.

Basta lembrar do que acontece no mundo real segundo as mais modernas teorias da Física. E por curiosidade lembrar-se que Jesus cristo, numa brilhante intuição, nunca falou a palavra “Deus”, mas sim Ele olhava para o solo embaixo e dizia “o Filho”, e tronava os olhos para o céu dizendo “o Pai”. Com isso ele sugeria que a criacao não se da’ por magica com Deus criando mundos e vida por magica, os nomes pai e filho implica que o método da criacao é simplesmente um processo genético, natural.

Os homens sempre suspeitaram que este espaço sideral é uma substancia, e a cada época deram-lhe nomes diferentes e definições diferentes. Ora era a alma do mundo, ora o éter infinito, e na Física moderna pensa-se nos nomes dark matter ou até na espuma quântica vibracional que aparece no vácuo surgindo do nada, e da qual pensam emergir a matéria. No nosso balão acima, essa substancia que o preenche todo é o ar. Agora imagine o evento do Big Bang como sendo a primeira exalação de luz na respiração de Deus se expandindo no meio desta substancia espacial. Ao se propagar no meio da substancia ocorre normalmente um atrito, uma fricção, e essa fricção se torna a energia. Temos então um universo contendo a massa ( a substancia espacial inerte), a energia, e a luz… e apenas isso. Estamos nos primeiros momentos logo apos o Big Bang,

Não teria qualquer efeito criador se as ondas de luz emitidas no momento da criação, do Big Bang, fossem de uma luz igual a que vemos emitida pelas estrelas. Acontece que a luz das estrelas são a segunda geração, mais fraca, derivada de objetos – as estrelas – que foram geradas quando a luz era pura e mais intensa. Tão intensa que apesar destas ondas hoje estarem presentes em todo o universo, não a vemos porque sua claridade nos cega os olhos para ela. Nossos olhos apenas suportam os tipos derivados da luz de segunda geração em diante.

Acontece que a luz original era o genoma de Deus, contendo o código da vida, como se grava uma musica num disco de vinil, ou como ele esta gravado na fita do DNA. O código da vida modela um simples facho continuo de luz em ondas de luz composta de sete faixas diferenciadas entre si, porque em cada faixa existe uma especifica intensidade vibratória, frequência, comprimento de onda, etc. Assim estas ondas modeladas pelo código da vida e propagadas na substancia espacial produzindo a energia faz com que esta energia seja absorvida pela substancia. Ora, uma corrente de energia é ‘a imagem e semelhança da onda de luz que a criou, portanto também a energia se diferencia em níveis de faixas especificas. Aprisionada na massa da substancia espacial a energia faz esta massa se diferenciar por regiões porque cada local do espaço tem uma intensidade de vibração diferente das outras regiões. Com isso a substancia espacial mais a energia se separam em blocos que mais tarde vão se tornar corpos materializados.

Contendo o código da vida, significa que a onda de luz primordial se propaga pelo processo do ciclo vital. Aquele mesmo processo que faz um corpo humano mudar de formas ao longo de sua existência: surge na forma de morula, se transforma para blastula, depois feto… e assim por diante. Podemos resumir o quase infinito numero de minusculas  transformações que ocorrem a cada segundo num corpo humano em sete classes, sete formas principais, por isso apenas citamos a forma de morula, de blastula, omitindo as formas intermediarias, para facilidade de comunicação entre nos. Então o ciclo vital na onda de luz se projeta para a cria resultante da união entre massa e energia gerando corpos diferenciados em sete formas diferentes, com seus específicos estados vibracionais. Assim como existe um elo abstrato do tempo conectando a forma de jovem humano ‘a sua forma anterior de adolescente e ‘a sua forma posterior de adulto, se estes aglomerados separados de massa-energia se tocarem, podem-se conetar pela mesma linha do tempo.

Como analogia lembramos que dentre os humanos, os jovens procuram e fazem suas turmas com outros jovens mas se relacionam mais com adolescentes e novos adultos que com idosos, porque seus assuntos (vibrações), suas energias e  comportamentos são mais próximos uns dos outros. Assim, no espaço sideral algum tempo depois do Big Bang, um corpo de gaz leve da quarta faixa paira próximo a corpos da terceira e quinta faixa, o corpo de quinta faixa se põe no meio de corpos de quarta e sexta faixa, etc. Isto resulta num efeito fantástico e surpreendente, quando esta conexão se da’ por campos magnéticos dos corpos alinhando-os na exata sequencia das formas do ciclo vital, criando um circuito retilíneo que avança da forma mais nova para a mais madura, e como no ciclo vital a interação entre corpo humano e planeta, o ciclo vital faz com que o corpo cresça porque absorve o pó do planeta e volte a ser o pó quando morre. Com isto o circuito retilíneo se encurva fazendo a ponta inicial se ligar a ponta final de onde surge uma esfera, o circuito esférico. E assim surge um sistema completo, funcional, fechado. E desse sistema se derivaram todas as formas de sistemas naturais, de átomos a cérebros humanos. E agora esta’ se desenvolvendo aqui, dentro da cabeça de cada ser humano e de cabeças que podem aos trilhões estarem espalhadas por esse universo afora e que são, em síntese, nossos irmãos genéticos, esta próxima forma desse sistema, que talvez pode ser a ultima: o sistema auto-consciente. Por isso existem sete formas principais de astros no sistema galáctico, sete tipos de órgãos principais no sistema corpo humano, sete organelas principais no sistema celular, sete camadas diferenciadas de energia no sistema atômico, etc. Quando a teoria cientifica moderna esta’ crendo que estes sistemas surgem por auto-organização espontaneamente, na verdade são montados pelo processo do ciclo vital.

E quem é o comando de instruções para todas estas operações? Ele esta’ projetado na energia, desta se infiltra na massa, mas ele permanece acima das duas, altaneiro: é a onda de luz primordial. E nela vem o genoma de Deus.

Na morte a bolha de consciencia retorna a nuvem de Gaia

O que sai do corpo natural do elemento, da coisa desconhecida, que existia um minuto antes do Big Bang e produziu o Big Bang foi uma onda de luz carregando um código, o DNA desse elemento desconhecido. Esse DNA se envolve numa longa cadeia de causas e efeitos que se tornam as causas de novos efeitos e que já perdura por 13,8 bilhões de anos e neste momento desta historia, aqui nesta região do universo, o ápice de seu estado, de sua evolução é a mente humana, uma espécie de feto da super-auto-consciência que forçosamente tem que ter existido no corpo daquele elemento desconhecido pre-Big-Bang. Não é eterno retorno porque a coisa que começou com o Big Bang retorna transformada em outra coisa diferente. Assim como a espécie humana não paira num eterno retorno de reprodução de indivíduos copias iguais porque o que inicia a geração de um corpo humano é que sai da especie humana na forma de um genoma, na sua forma microscópica, e o que retorna para a especie humana não é a mesma forma do genoma, e sim o genoma na forma de um baby humano.

Podemos então mudar as teorias do eterno retorno, do universo inflacionário, etc, que acredita num inicio por um Big Bang e prevê um final como um Big Crunsh, onde talvez o eterno retorna a ser o ponto minusculo inicial. Agora nossa historia universal pode se chamar “Do Big Bang ao Big Birth”, porque enquanto toda a matéria é descartada como a placenta no nascimento, o que retorna ao desconhecido criador é uma auto-consciência, algo ‘a sua imagem e semelhança, portanto, um filho, e onde ha filho podemos sempre comemorar um grande nascimento. Do Big Bang ao Big Birth! Certo? Então, congratulações, pois isto significa que ao invés de porcões dessa auto-consciência como essa que é você, o seu verdadeiro Eu, não perece nas sucessivas mortes do corpo, mas sim esta num processo longo caminhando para um destino sublime. Meus parabéns!

Apenas para terminar, e voltando a observar a imagem acima, me lembro de uma ocorrência numa sala de aula que fez os alunos irromperem numa gargalhada quase fazendo o teto vir a baixo. O professor, um idoso excêntrico cientista físico sempre de guarda-pó branco e com aquele cabelão espetado do tipo de Einstein, explicava a teoria inflacionaria usando uma varinha para apontar os pontos dessa imagem refletida numa tela. Quando ia terminando a aula ele disse ” Resta ainda um grande mistério a ser resolvido nesta teoria, o qual me tem tirado muitas noites de sono e não vai me dar paz enquanto não resolve-lo. Pois fico olhando esse balão nessa imagem, refletindo em tudo o que ele transmite e significa, o universo inteiro e sua historia, se expandindo e se contraindo em ciclos eternos, mas uma pergunta crucial fica ribombando na minha cabeça”…

A classe toda paralisou, e claro, todo mundo olhando o balão e esperando o professor anunciar o grande mistério do balão.

E parando na frente da imagem, o professor repentinamente apontou a varinha para onde ninguem esperava, ninguem observava, que era a face do jovem que assopra, e clama em voz alta desesperada:

” Quem é este gajo!?”

” Por favor, alguém me responda, quem é esse gajo, onde mora, que idade tem, porque sopra o balão?”

Claro, a classe explodiu em gargalhada.

Mas esta realmente é a grande questão filosófica, cientifica…: do que, ou de quem, vem o genoma?

Luz: Diferencas entre ondas mecanicas e e ondas eletromagneticas

sábado, março 10th, 2018

xxxx

Image result for light waves

xxxx

Luz se move como onda transversal:

Related image

Website: Imagens, ideias, para novo site

sábado, março 10th, 2018

xxxx

Uma imagem com onda de luz contendo dos lados a tabela de numeros do Matrix:

Esta imagem e’ livre, ( porem para editar precisa Corel Drawn ou Adobe Illustrator) no link:

Abstract Wave Color Light Background Vector

Abstract Wave Color Light Background Vector

Outra no mesmo link acima:

Related image

O mundo fantastico da luz no nivel quantico

sexta-feira, março 9th, 2018

xxxx

Observe na figura dois cones roxo/cinza, um na esquerda em baixo e outro na direita em cima. Estes cones sao as cargas de dois eletrons, ou os dois eletrons em si mesmos. A diferenca entre eles e’ que um gira para o lado oposto ao do outro ( spin right and and spin left). No meio dos dois ve-se um espiral giratoria azul. Isto e’ luz na forma de um simples foton microonda.

Esta experiencia visa obter o computador quantico, esta seria uma foma muito mais rapida de processor informacoes. Para nos fica esta maravilha de informacao, de como aparece aos cientistas com seus poderosos microscopios, a luz, o foton, os eletrons.

E para a Matrix/DNA cosmovisao, buscamos onde esta este mecanismos/processo na formula, e de imediato nota-se a semelhanca com a formula, onde o vortices F1 se localiza entre os fluxos direito e esquerdo, justamente recebendo informacoes de um, processando-as com os dados que ja tem registrados em seu interior e emitindo-as para o outro fluxo.

Stylized illustration of coupled electron spin and light – CREDIT: N. SAMKHARADZE ET AL.

Ver artigo em:

Quantum Eletronics

Coupling light to single spins

http://science.sciencemag.org/content/359/6380/twis?utm_campaign=toc_sci-mag_2018-03-08&et_rid=17081225&et_cid=1895792

Luz: Evidencia de que ela carrega informacao

quarta-feira, fevereiro 28th, 2018

xxxx

https://www.wired.com/story/this-computer-uses-lightnot-electricityto-train-ai-algorithms/

THIS COMPUTER USES LIGHT—NOT ELECTRICITY—TO TRAIN AI ALGORITHMS

Bomba! Nem o Sistema Solar nem a Via Láctea são discos planos achatados e sim… esferas! … Sugere a Matrix/DNA

terça-feira, fevereiro 20th, 2018

Para ter-mos uma pálida ideia de quanto existe neste mundo que nos não sabemos, vou citar um exemplo:

Temos visto as fotos de galaxias distantes tiradas pelo Hubble. Em todas as fotos, as galaxias se apresentam como sendo um disco plano, achatado. As vezes, raramente, uma foto mostra uma galaxia com alguma protuberância no centro, dando a ideia de ser uma espiral achatada. Isto e’ o que nos mostra nossos instrumentos científicos que são meras extensões dos nossos sentidos naturais, neste caso, dos nossos olhos.  Puro engano!

As galaxias são bolhas, esferas bem arredondadas. Mas para vê-las na sua totalidade como esferas, seria preciso uma visão e uma glândula pineal sobressalente como antena capazes de ver a realidade revelado pelas sete faixas da luz universal. Como sabemos essa luz apresenta sete diferentes faixas, diferentes em frequência de onda, de vibração, de densidade, velocidade, movimento, etc. E nos apenas vemos e percebemos com todos nossos cinco sentidos a parte do mundo revelado pela faixa que esta bem no meio das sete, a quarta faixa, a qual denominamos de luz visível. Esta quarta faixa central apenas mostra a parte da realidade dos objetos que esta no seu centro, como num disco plano, mais um pequeno alargamento em espessura deste plano, ao qual denominamos de “largura”. Então vemos e percebemos as densidades, os sons, as temperaturas, etc., da maneira tridimensional, ou seja percebemos da parte central dos objetos a região compreendida em sua largura, o seu comprimento e sua altura. Então não vemos as partes do mundo que são reveladas pela faixa dos raios gama, do infra-vermelho, do ultravioleta, etc. nem percebemos as coisas e criaturas que existem no estado vibratório destas faixas. Apenas podemos captar do mundo as coisas que estão na mesma faixa vibratória que nossos corpos e mente estão, ou seja, a quarta vibração. Não apenas nos humanos: o nosso planeta, que foi quem nos forneceu aos nossos corpos este estado vibratório e de percepção, ele nos fez assim porque ele também tem seu corpo no estado vibratório da quarta faixa. Então por isso ele ocupa a faixa da onda orbital do sistema solar localizada em quarta posição, ou seja, ele e’ o quarto planeta a partir do Sol no centro. E por isso também só percebemos o sistema solar na sua região central plana achatada… mas ele também e’ uma esfera.

Cada faixa  tem seu mundo, sua realidade própria, da qual não adianta tentar-mos imaginar como seja, pois nosso cérebro não poderia processar esta informação. Com a nossa evolução nos iremos gradativamente ampliando nossa percepção e entrando nas duas faixas vizinhas, a da direita e a da esquerda. Recebendo informações destes mundos aos poucos vamos desenvolvendo nossos cérebros e sensores, e dai sim, seremos capazes de processar todas as informações destes mundos. Seguiremos assim ate’ entrarmos nas sete faixas e absorve-las completamente.

Por isso nossas teorias sempre são incompletas, tem que serem remendadas a cada avanço no conhecimento, a ponto de que a uma situação em que nelas não caibam mais remendos e então são transformadas em outras teorias mais amplas. A teoria Ptolomaica de que a Terra seria o centro do mundo nos satisfez por 2.500 anos, ate que ela não conseguiu mais satisfazer nosso cérebro alimentado com novas informações e então Galileo, Newton a transformaram consertando alguns erros. Mas suportamos Newton por um seculo ate que Einstein com sua teoria da relatividade veio mostrar vários erros e a transformou em algo mais amplo. Assim vai acontecer com tudo o que pensamos hoje que sabemos, tudo sera’ transformado e relegado a base apenas primitiva do conhecimento.

Ainda me persiste a duvida do que significa estar no quarto estado. Seria isto indicador de que nosso conhecimento apenas conhece de fato o que esta na quarta faixa, ou seria indicador de que percebemos não apenas a quarta, mas também as três primeiras, que são a nível evolutivo inferiores `a nossa? Por ora vou ficar com a hipótese que isto e’ indicador de que nosso cérebro vive as quatro dimensões quando convive aqui na superfície da Terra com representantes das três primeiras dimensões, porem nossa mente se esquece e ignora a parte do nosso corpo que se encontra nas três dimensões inferiores propositadamente, para ficar livre e aprender a nova dimensão em que ela emerge. Assim estamos captando desde partículas a átomos a rochas e a astros espaciais que seriam representantes da primeiro dimensão. Captamos o reino vegetal que seria representante da segunda, e o reino animal como representantes da Terceira, mas não vivemos ou não nos sentimos na pele destas criaturas.

Como serão as outras seis faixas de discos planos desta galaxia que não estamos percebendo nem temos qualquer ideia de que existem bem aqui ao nosso lado? Como sera’ cada faixa, com seu especifico, único e separado mundo, suas criaturas, suas leis naturais, seus significados e conceitos? Se as estruturas das galaxias na nossa dimensão são astros, serão também astros existentes nestas outras dimensões ou suas estruturas são outras coisas que não podemos sequer imaginar? Temos uma pálida ideia do que sera’ a terceira faixa porque vemos e percebemos animais e o que buscam no mesmo mundo que compartilham conosco, porem, eles captam melhor sinais da primeira faixa, como os campos magnéticos, por estarem mais próximos dela do que nos. Mas como serão as faixas de mundos superiores? Sera’de la’ que viriam estes discos voadores que parecem ser fantasmas de outra dimensão? Seja como for, o simples fato de que já percebemos a existência de galaxias enquanto nem plantas nem animais o percebem, de saber-mos que somos quase cegos porque só vemos a sétima parte da realidade, indica que estamos evoluindo na direcao de transcender-mos para viver a quinta dimensão, e isto nos alerta para que tentemos no máximo do possível imaginar como sera um mundo bem mais evoluído, mais ordeiro, sem esta sombra de caos que ainda permeia nossa dimensão, para sabermos quais as regras comportamentais que devemos desenvolver para sermos aceitos e convidados com alguma ajuda a dar-mos mais este grande salto rumo ao sublime destino que deve existir na transcendência final alem das sete faixas da luz, no qual deve ser chamado de reino da fonte dessa luz universal.

Já esta’ chegando o tempo em que começamos a perceber erros na teoria geral da Relatividade de Einstein. Sugerem minhas formulas um erro sutil na sua teoria, quando ele morreu acreditando que o Universo tenha a forma cilíndrica. Pois quando calculei a evolução e historia universal do sistema que esta se desenvolvendo dentro deste Universo, pondo-o a rolar ao sabor das leis naturais conhecidas ate’ hoje num gráfico cartesiano tendo como coordenadas o tempo e espaço, e iniciando com o Big Bang, no final reparei que a trajetória do corpo tinha desenhado dentro do gráfico uma figura! E bem conhecida: justamente a imagem de uma unidade do DNA, ou mais, justamente a figura da formula que denominei de Matrix/DNA. E isto significa que a forma da face do Universo não e’ esférica, nem cilíndrica, mas sim a forma do DNA!

Surpreso fiquei dias, semanas, pensando naquela incrível coincidência e comecei a pensar que aquilo estava querendo revelar algo muito importante, só não sabia o que. Ate’ que um dia me toquei… Ora, quem foi que procurou a face do Universo? Senão o meu cérebro que e’ composto de neurônios tendo no centro justamente o DNA? No final quem estava procurando era o DNA, e como ele e’ como nos, ou seja, tem uma personalidade forte ( basta ver como ele a expressa geneticamente em nossos detalhes físicos), ele não consegue a sublimidade de ser impessoal. Então ele se auto-projeta no que procura a ponto de encontrar-se a si mesmo. Assim como Narciso viu sua imagem refletida na água e se considerou o mais perfeito e belo do mundo. Assim como os homens primitivos imaginaram Deus se auto-projetando e concluindo que Deus seria a nossa imagem e semelhança. Então somos traídos por nos mesmos quando tentamos entrar em áreas proibidas muito mais elevadas do que onde estamos. E então também admirei como Einstein, o qual considero tenha sido um grande gênio, pode cometer um erro tao infantil: ele descobriu com sua teoria da relatividade que tudo e’ relativo e se tudo e’ relativo – ele deveria ter percebido – o Universo e’ relativo. Então sua face se apresentara’ de uma forma especifica para cada diferente observador ocupando um especifico ponto no tempo e espaço, tal como a galaxia faz conosco. Sim, o Universo e’ relativo no sentido que ele pode mostrar mil faces diferentes, cada uma ao sabor e gosto do fregues arrogante que ele atende. E bota eu e meu DNA neste cesto de fregueses.

Bem…, se alguém ler isto aqui, saiba que isto não e’ verdade, apenas mais uma hipótese inicial que me surgiu agora quando estou novamente estudando as formulas e modelos teóricos da Matrix/DNA Theory. A nossa verdade oficial e’ de que a Via Láctea se parece com um disco achatado, e isto deve seve ser respeitado sempre que ouvirmos nossos irmãos descreverem-na assim. Porque como não temos certeza de que nossa logica racional não esta desviada da logica da verdade, não vamos nunca afirmar isso com firmeza e veemência. Alem do mais, estas possibilidades aventadas neste texto são produtos de uma teoria feita por humanos, e como disse acima, as teorias podem estar a frente do nosso tempo intelectual de hoje mas com certeza estarão atras dos tempos intelectuais dos amanhas. Mas também acho que não devemos ignorar essa possibilidade, porque se ela for verdade, estaremos ajudando nossos irmãos a abrirem mais suas mentes encaminhando-os junto conosco para os planos mais elevados. Ámen!

( Obs.: abaixo apresento o espectro eletromagnético total das sete faixas, porem ao gráfico da escola acadêmica foi inserido nomes e significados que foram sugeridos pela teoria quando ela sugeriu a bombástica possibilidade de que a onda total original da luz universal que foi emitida junto com o Big Bang e a qual nossa visão não pode captar, traz em si o código da formula para criar todos os sistemas naturais, inclusive a… Vida! Sendo assim, identificamos cada forma etária do corpo humano nas suas intensidades de energia, funções nos sistemas sociais e familiares, etc., com cada uma das faixa da luz universal, o que significa ainda que se as nossas formas mudam devido ao processo do ciclo vital, significa que a onda de luz também e dividida em diferentes formas porque ela também se propaga no espaço e no tempo com um ciclo vital… (clique na imagem para amplia-la):

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

 

Luz de Laser descobre cidade oculta sob vegetacao: evidencias para minha teoria de vida nos sistemas naturais simples

sábado, fevereiro 17th, 2018

xxxx

As fomulas e modelos teoricos da Teoria d Matrix/DNA estao sugerindo mais uma ideia estranha `a humanidade: que sistemas naturais mais simples e de aparencia inanimada, como atomos, galaxias, e ate o planeta Terra sao constituidos de ancestrais propriedades vitais. Mas que essas expressoes sao muito sutis e aparecem bastante difusas como diferenca das mesmas expressoes bem delineadas nos organismos.  Por isso mesmo com nossos modernos equipamentos cientificos nao temos percebido-as naqueles sistemas. Mas estas expressoes devem ser percebidas se forem reveladas pelas outras seis faixas das radiacoes eletromagneticas, alem da unica faixa da luz visivel que nossos sensors captam.

Tome como exemplo as fotos do Hubble sobre galaxias distantes, nas quais se veem enormes contornos de gazes em diferen tes cores, concentracoes, etc. Se um hipotetico minusculo microbio do tamanho de uma particular olhasse para alem do atomo ou celula em que esta no nosso corpo e vise, por exemplo, os contornos do figado, ele deveria ver apenas uma volumosa formacao de nuvens. Entao, com outros tipos de “iluminadores” e captadores de materia em diferentes estados vibracionais deverao nos levar ao conhecimento de que na verdade as nuvens daquelas galaxias esao formando estruturas funcionais. A Matrix/DNA sugeriu isto a 30 anos atras, muito antes das modernas noticias sobre fotos do Hubble e tantas novas coisas que estavam a nossa frente porem sem serem percebidas, como a noticia do link abaixo. Onde uma nova tecnologia aprimorando o Laser revelou as ruinas de uma grande cidade maia encoberta pela vegetacao nunca antes notada pelo homem.

A cidade maia de Tikal estava rodeada de uma complexa rede de vias até então invisíveis

A cidade maia de Tikal estava rodeada de uma complexa rede de vias até então invisíveis… – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/bbc/2018/02/03/megalopole-maia-em-plena-selva-e-descoberta-com-nova-tecnologia-a-laser.htm?cmpid=copiaecola

https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/bbc/2018/02/03/megalopole-maia-em-plena-selva-e-descoberta-com-nova-tecnologia-a-laser.htm

‘Megalópole’ maia em plena selva é descoberta com nova tecnologia a laser…