Archive for junho, 2009

Aquilo (?!) Antes do Big Bang: Da’ a Luz a Ninhadas ou Trata-se de Morula Tornando-se Uma Criatura?

terça-feira, junho 30th, 2009

LUCA – the Last Universal Common Ancestral – semeia a Vida em todos os astros e aquelas sementes que caem em boa seara, desabrocham e proliferam. Mas ele aduba o terreno tambem, tal como nossos agricultores.  Sempre repetindo a mesma tecnica da embriogenese, a biogenese da Vida tambem necessita de algo como um ovo. Para isso, atraves da adubacao, LUCA chega a transformar a superficie de planetas. Para adubar o terreno para formas superiores da Vida, LUCA usa fungos, bacterias, etc. A atmosfera imita a clara do ovo, o nucleo imita a gema e da gema brota o germe que transforma a clara na placenta nutritiva ou meio ambiente para seu desenvolvimento. A clara, digo, atmosfera, e’ transformada inicialmente pelas formas de germes anaerobicas que produzem novos gazes como o oxigenio.

Mas agora surge uma questao neste meu cocuruto inquieto e curioso, sempre querendo dar um passo maior que a perna e conjecturar sobre o futuro. Alem e antes do LUCA astronomico existiu ou existe o LUCA  universal; claro, alguma coisa, existia antes do Big Bang e desde que nunca vimos nenhum milagre nem vimos nada surgindo do nada, deduz-se que este ovo universal nao pode criar coisas para as quais nao tenha informacoes, as quais tem que terem sido herdadas daquilo que existia antes dele e o gerou. Certo? Ou minha logica esta’ errando em algum lugar?   Esta ideia moderna da comunidade da Fisica de que o Universo deve ter partido de um ponto minusculo como um atomo esta’ contando apenas a metade da Historia. alguem ja’ viu em algum lugar uma coisa minuscula, existindo por si mesma e vindo do nada, se transformar num Universo?! Eu ja’… vejo todo dia algo assim: uma semente da’ origem a uma sequoia, um microscopico e invisivel genoma pode gerar um elefante. Tambem em nanotecnologia podemos botar 30.000 volumes de uma biblioteca dentro de um chip que cabe na cabeca de um alfinete e depois o chip minusculo pode gerar uma biblioteca com 30.000 volumes.  Mas antes do genoma, antes do chip e portanto antes do atomo minusculo que pode ter sido uma semente de universos. existiu sempre algo maior que a gerou. Pois entao agora que o bicho pega: esta enorme quantidade de seres vivos que devem existir em muitos, mas muitos mesmo, astros, significam que aqui neste ovo universal esta’ sendo gestada uma ninhada?!… ou todas elas sao como as milhoes de celulas que proliferam formando a morula, a blastula, e depois se constituem num so feto?!

Hein? Hein? O que voce disse? Nao ouvi bem… ( espero nao ter me excomungado por estar criando grilos na sua cuca…). Material para pensar nos dias de chuva aqui na selva, amigo.  

Diversidade das Especies: Mais Informacao da Matriz

segunda-feira, junho 29th, 2009

Luca sempre tem que resolver um quebra-cabecas quando quer se reproduzir e semear a Vida em algum planeta. O quebra-cabecas e’ igual aqueles que brincamos quando crianca ou aqueles que tem muito marmanjo como eu “jogando” na Internet: tem-se uma gravura qualquer num papel, corta-se o papel em muitos pedacos de formas e tamanhos desiguais, mistura-se todos os pedacos ( tambem chamados pecas) e tenta-se remontar a gravura encaixando cada pedaco no seu devido lugar. Os jogos na Internet, em Ingles, chamam-se “jigsaw”. 

     . Pois foi isso o que aconteceu aqui nas origens da Vida: Luca teve seu corpo/DNA separado em pedacinhos, os pedacos cairam em diferentes lugares do planeta e em diferentes tempos, adentraram os atomos da Terra, e demorou-se provavelmente alguns milhoes ou bilhoes de anos chacoalhando estes atomos seja atraves das mares, dos ventos oceanicos e de superficie, das chuvas, etc., ate que as pecas se reencontrassem (por acaso e estatiscamente), que funcionasse a lei da atracao entre elas, que fossem sendo montados primeiro as diferentes regioes da gravura ou diferentes orgaos do corpo original, ate’ que finalmente se alguns destes arranjos ja’ possuissem todas as propriedads basicas de organizacao e funcionalidade de um sistema.

      . Para os neo-darwinistas deve ser dificil pensar como e porque a Vida saiu-se com tanta diversidade e com formas tao diferentes entre si, se a Vida realmente tenha surgido com uma unica criatura e numa unica regiao. Basta lembrar-se de quao diferentes sao um mosquito e uma minhoca, duas criaturas que apareceram mais ou menos pela mesma epoca. E para os criacionistas deve ser dificil entender porque Deus fez tantas especies que nao tem sentido, nao tem objetivo algum. Basta lembrar-se de crocodilos e peixes-espadas.

      . Mas para a Matriz nao existe nenhuma dificuldade em explicar as causas de todas estas diferencas e a razao da existencia de cada especie. Pelo contrario, seria dificil explicar o mecanismo da macro-evolucao, da reproducao de LUCA, se estivesse faltando especies que representam cada uma das partes do corpo de LUCA.

     . Entao, o motivo de registrar este artigo hoje foi para nao esquecer uma intuicao que me ocorreu quando navegando na Internet um bloguista postou um Jig saw e nao resisti `a tentacao de brincar. Enquanto estava “apanhando” do jogo, e tentando ser esperto e resolve-lo antes que os outros, procurei  olhar o amontoado de pecas de longe e se haveria alguma estrategia para resolve-lo. Quando a minha mente estava estudando o jogo, surgiu repentinamente a ideia de que aquela mesma situacao havia ocorrido na Terra a 4 bilhoes de anos atras, momentos antes das origens da Vida. Mas eu tenho maos e o mouse para carregar e mover as pecas, porem o planeta nao tinha, por isso teve que esperar a Lua chegar do espaco e mover as aguas, etc.. Mas LUCA tinha uma vantagem que eu nao tenho: suas pecas tem uma especie de iman, originado pela polaridade, e basta uma peca chegar proxima de uma sua antiga vizinha e… pimba!.. estao reunidas de novo! ( Ei, espere: nos jogos do computador as pecas tambem tem esta atracao, pois basta voce passear uma peca por cima das outras, quen de repente aparece uma outra grudada nela, justamente seu par!). Mas registrar esta nova descoberta e’ importante nao so porque entiquece nosso conhecimento mas tambem porque vai assim se juntando as pecas da estrategia que usaremos para um dia manipular-mos os fotons que vem do Sol e nos mesmos produzir aquelas prineiras formas de Vida que aqui surgiram.

Mario e’ um grande engenheiro mecanico mas ele tem um problema: o vicio de jogos e passatempos, que as vezes o ocupam ate’ altas horas da madrugada. Ele esta’ viciado nestes tais jigsaw e um outro tipo, chamado algo como mahjong. Mas o vicio nao e’ um pecado de Mario, ao contrario, ele e’ mais uma vitima. O jigsaw esta’ registrado na sua carga genetica herdada de LUCA, e os genes tem muita forca sobre nossos habitos. E o Mahjong ( um passatempo que consiste em localizar o par de cada peca ate que se elimine todas), vem como carga genetica nao so de LUCA ( porque LUCA tambem tem que inicialmente unir cada peca a seu par), mas tambem vem desde as origens da Matriz/DNA no Big Bang, quando ainda nao se manifestara a materia e os vortices quanticos de spin right tinham que localizar e se unir aos seus pares com spin left. Como tambem este mesmo evento ocorreu na origem de seu proprio corpo, quando cada gene de seu pai teve que localizar o seu gene correspondente feminino e juntos determinarem uma unica caracteristica.

Mas esta ideia de ver o mesmo evento ocorrendo em todas as origens (do Universo, da Vida, do corpo humano), vem nos enriquecer com mais uma inquietante intuicao. Como Mario esta’ repetindo o mesmo evento, agora a nivel mental, e o evento sempre se aplica a origens, reforca-se a nossa tese de que a auto-consciencia ainda esta’ em suas origens… A debilidade da auto-consciencia, essa confusao de pensamentos que nos tornam ainda tao errantes, deve-se a que os bits da auto-consciencia estao espalhados caoticamente em cada cerebro humano como as pecas no jigsaw. E depois que alcancar-mos o estagio evolutivo em que cada cerebro humano resolveu seu quebra-cabecas, que montou sua gravura, talvez seja ainda apenas o principio da historia… pois talvez entao vai-se descobrir que cada gravura nao era a gravura total da grande mente universal que esta’ se reproduzindo aqui, mas sim apenas “regioes” dela.  Se for assim, o proximo passo sera’ encaixar cada consciencia humana no seu rspectivo lugar, e entao disso tudo surgira uma unica ( e dar-se-a razao a Teilhard di Chardin, ou Jung, com suas ideias de inconsciente coletivo no planeta!).

Esquizofrenia devido a fluxos casuisticos do codigo genetico:

Vindo bem a calhar e parecendo reforcar a tese acima, leio hoje no “Star Ledge”, de 07-02-2009, um artigo intitulado: “Schizophrenia risk linked to random genetic codes flaws”. Diz:

“O que os estudos mostram e’ que esquizofrenia nao tem uma causa genetica simples. Ela se parece mais com um massivo jigsaw puzzle (quebra-cabecas) e os pesquisadores apenas acharam umas poucas e terminais pecas, disse Thomas Insel, diretor do National  Institute of Mental Health.”

Voce ve como trabalha uma boa teoria?! Apenas observando os modelos que nos leva a construir, somos conduzidos a intuicoes e previsoes, antecipando `as vezes a noticia que ira’ sair nos jornais dois dias depois! 

Astronomia: Foto de Supernova Irregular, Explicada pela Teoria da Matriz

terça-feira, junho 23rd, 2009

 Em   http://chandra.harvard.edu/photo/2009/snr0104/  , no site da NASA sobre “Chandra, X-Ray Laboratory” , sob artigo de nome ” SNR 0104-72.3: Supernova Remnant is an Unusual Suspect”…

esta’ sendo publicada uma foto de uma Supernova com formato estranho, nao previsto pela teoria oficial denominada “Teoria Nebular”, mas que pode ser perfeitamente explicavel pelos modelos da Teoria da Matriz. Voce pode ir ao site, ver o artigo e a enorme confusao que suscitou tantas tentativas de explicacao e ver tambem o seguinte comentario que postei no meio dos comentarios que seguem o artigo: 

From Louis Morelli:

As said Donis, in the post above, “Listen, you guys are the experts, so my apologies for proposing some explanation for the irregular supernova remnant, that may be completely absurd BUT… Every tentative of explanations are based in the “Nebular Theory”. Since I advocate another astronomic model, The Universal Matrix of Natural Systems and Life’s Cycle, I will try to put the explanation from this theory (sorry the bad English, which can prejudice the explanation) :“ Supernovas are not result of explosion from white dwarf. The Matrix Theory does not suggest that new bodies appear by spontaneous generation as said by Nebular Theory. Astronomic bodies obeys a kind of life cycle, so like human beings, they change shapes while getting older. The new photo about baby stars in the center of the galaxy was designed by Matrix Theory about 25 years ago, and so, every photo from NASA in the last years are proven the models.  The models could be wrong or non complete, of course, but, if you know it, you have new opportunity for your progress.  What should be the object in this photo by Matrix Theory? We need go a little bit further for explain it, which is impossible here. But, resumed it is:“ When a planet is captured in the orbit of a star, the energy from the star reaches the planet’s core, then, it happens the something with a grain of corn: the germ of a star inside the core wake up and begin the nuclear reactions, when it is feeding from the geological plates surrounding it. The core grows from inside to outside, the pression produces volcanoes and billions years later; the volcanoes are so strong that emits matter like iron to the surrounding sky. The tectonic plates becomes tiny till disappearing completely and at this moment everything collapses into the core, which ignites the growing core and it suddenly is opened as a supernova. Everything happens like a seed of corn when grow up.  It is possible that the core “eats” more surrounding matter in the north than in the south ( due the geographic configuration between continents, oceans, gases, etc.) so, it is possible that the initial shape after the ignition be asymmetric, not circular. But, after some million years later, the star becomes circular.If you have some curiosity please see the web-site and models at http://theuniversalmatrix.com     The shape of SNR 0104-72.3 was better predicted by Matrix Theory than the Nebular Theory. I know that Matrix Theory seems an absurdity (it was for me when it resulted from my models), but, if you know and understand the final meanings, it is not absurd, it is the most rational possible. As I said in the post above, the process of formation of celestial bodies are mechanical and primitive process ancestors of the process about the formation of a plant, like corn. Now, I will ask you: who or what invented the process for formation of plants? God?! Prove it! Or do you think the whole process since the formation of a seed till the flourishment of fruits, this extraordinary engineer, is result by chance alone?! It should be more rational to think that not only the forces and the elements, but also the whole process, already was being applied in Nature, before life’s origins. The Nebular Theory has no foundations for life happened in the way it does.      As said Adonis, I am living in America for to stay more closer to advancement of Science and Astronomy specially, so, “ This is one governmental area where I have no problem with my tax dollars being spent. Thanks for all the great work. Have a great day.

Bomba! Esta’ havendo manipulacao psicologica de fetos intra-uterinos!

sexta-feira, junho 19th, 2009

Eu deveria estar envolvido nos assuntos do ultimo artigo, sobre a foto da Nasa sobre o nascimento de estrelas, pois nao deveria perder a oportunidade de divulgar a incrivel capacidade de previsao da Teoria da Matriz, mas vou deixar isso de lado para tratar de um assunto inadiavel. Ocorreu-me hoje durante o trabalho o lampejo de mais uma percepcao que ainda nao havia sido pensada: nossa mente esta’ sob um bombardeio `a la’ Pavlov (aquele treinador de caes), que foi bem descrito no livro de Huxley, “O Amiravel Mundo Novo”. E e’ muito bom investigar-mos este assunto porque ele diz respeito mortalmente, diretamente, `a nossa saude e liberdade mental. Como sempre me falta tempo, vou apenas deixar hoje registrado a manchete principal para nao esquece-lo e voltar `a carga sobre ele se Deus (?) quiser.

Para quem ainda nao leu o artigo onde expomos o que a matriz sugere sobre a mente humana, vou resumir: a mente, ou auto-consciencia, surgiu muito recentemente no mundo dos sistemas biologicos, e como producao natural, ela se encontra na fase de software que esta’ modelando seu hardware, mas a configuracao dela como sistema devera’ seguir a mesma Matriz presente em todos os outros sistemas naturais.  Devido seu recem-surgimento, conclue-se que ‘e algo muito nova ainda, na verdade nao se sabe se ela ja veio `a luz e esta’ na forma de bebe abrindo os olhos e descobrindo o mundo agora, ou se ainda esta na forma fetal/embrionaria, dentro de seu ovo, o qual e’ a caixa craneana, mergulhada em sua placenta, a qual e’ a massa cinzenta cerebral.

 Algumas ultimas indicacoes estao sugerindo que ela ainda esta’ no estagio fetal. Mas mesmo encerrada dentro de um ovo com casca tao grossa e dura, ela ja’ conhece um bocado do mundo externo. Sabemos que um feto sente a presenca da mae e muitos detalhes relacionados a mae, por isso nao e’ dificil entender que a mente sente a presenca do mundo externo e alguns de seus detalhes. Mas ela ainda nao tem olhos proprios, nenhum sentido de percepcao propria, entao ela sente o mundo percebido pelo cerebro com seus sentidos assim como o feto mal deve perceber o mundo atraves dos sentidos da mae. Porem existe uma novidade com o feto mental que nunca existiu antes com qualquer outra especie de feto de sistema emergente. Essa novidade tambem e’ inteligivel, considerando-se que a mente vem com uma mutacao, ou transformacao, que em muito aumenta a complexidade do seu sistema ancestral, o cerebro. Esta novidade refere-se ao tipo de alimento do feto mental. Enquanto o feto do sistema atomico devia alimentar-se de particulas, o feto do sistema biologico se alimentou de materia organica, o feto mental se alimenta de algo tao abstrato como e’ sua essencia fisica: informacao.

E a informacao parece ter a capacidade de penetrar atraves do craneo, mas com certeza ela chega `a mente atraves do complexo sensorial do corpo carnal que a sustenta. E e’ assim que o feto mental, apesar de ainda estar prisioneiro na cela escura que e’ a nossa cabeca, ja’ conhece muito do mundo externo. Ele esta’ sendo bombardeado por todo momento por informacoes que passam pela visao e chegam na forma de palavra escrita, seja no papel, na tela do computador, etc.  Tambem esta’ sendo bombardeado por imagens do mundo externo, e sem sair do ovo esse feto ja’ conhece o mundo. Nunca foi ao Japao, mas ‘e capaz de descrever muita coisa real que se passa neste momento numa rua qualquer de Toquio.

Ora, estas informacoes estao construindo a personalidade do feto. Mas esse feto ja tem alguns poderes sobre nos. Sabemos que apenas 16% das informacoes que chegam ao cerebro sao captadas pela mente, que a mente demora muito em reagir a estimulos, que a maioria dos nossos atos sao decididos a nivel de pensamento cerebral, que nossa mente esta’ em conflito com nosso cerebro e nosso corpo, que quase nao a consultamos, quase nao a obedecemos e portanto ela pouco atua sobre nossos atos e decisoes. E’ um feto ainda.

Mas mesmo assim ela atua. Em muitos seres humanos ela esta’ tao desenvolvida que, por exemplo, nao e’ apenas devido ao pensamento-cerebro ter medo da policia e da prisao que o homem adulto evita de possuir a menina adolescente do vizinho que o esta’  tentando ( nisto ele ate’ que conseguiria dar um jeito), mas aqui a natureza da heranca masculina animal e’ controlada, mudada, por acao da auto-consciencia, que nao aprova que seu corpo faca isto.

E a cada dia que passa ela vai atuar mais, ate’ que nas geracoes vindouras ela estara’ nascendo crianca, e com um poder descomunal, vai dominar a especie humana totalmente. Por isso e’ muito importante este detalhe agora, nesta nossa epoca: que tipo de personalidade as informacoes que estao chegando a este feto esta’ construindo?

Uma coisa e’ certa: a fonte emissora destas informacoes e’ o mundo externo. Mas por traz dele, havera’ alguem mais? O mundo externo tem algum proposito neste bombardeio de informacoes? De quem, ou do que, seria este proposito? Lembre-se: os modelos da Teoria da Matriz sugerem que a biosfera terrestre foi construida com bits-informacoes na forma de fotons, que eram uma especie de genes semi-vivos, que vieram do corpo de LUCA – the Last universal Common Ancestral. E LUCA caiu do ceu na Terra por causa de um desvio de personalidade: o egoismo extremo, do qual, herdamos o gene egoista. Mas a queda e a fragmentacao de LUCA, e o estado de caos que se observa na biosfera nos leva a suspeitar que LUCA nao tenha muita forca na direcao de nossos destinos.  E tem muitas pistas arroladas pela Teoria da Matriz sugerindo que a mente ou auto-consciencia e’ uma nova forma de sistema natural que vem de algum sistema acima de LUCA. Portanto, e’ discutivel ate’ onde LUCA estaria como o manipulador invisivel do nosso mundo imediato externo.

Deja como for, o mundo externo esta’ se infiltrando atraves da casca oval craneana e despejando informacoes sobre o feto, construindo sua psicologia, condicionando-o, manipulando-o. Lembro-me de uma cena do “Admiravel Mundo Novo” sobre um bercario onde os bebes deitados em seus bercos tem fios ligados aos cerebros que vem de gravadores que ficam repetindo: ” Sou um Alfa, um servo feliz da classe aristocratica, aleluia!” Ou do cientista russo Pavlov. Ele segurava um pedaco de bife numa mao, ficava acenando-a para um cachorro enquanto com a outra mao batia uma colher numa panela. O cachorro de longe comecava a desgustar, a boca a espumar e vinha imediatamente e comia a carne. Repetiu isto muitas vezes. Dias depois ele batia a colher na panela, o cao podia estar a cem metros de distancia, ja comecava a espumar e vinha correndo… porem nao havia mais carne na mao do cientista. Nao importava: fosse na casa de quem fosse, o cachorro ouvisse aquele som, ja o ligava automaticamente `a ideia da carne, quando sabemos que bater colher em panela nada tem a ver com carne. Isto se chamou “condicionamento mental” e foi entao usado intensamente pelo mundo burgues afora, basta lembrar das propagandas da coca-cola. Estara’ o mundo externo condicionando a personalidade de nossa mente? Entao ja terisamos perdido para sempre a liberdade da mente? A carga genetica de LUCA, seu proposito de sistema fechado em si mesmo, com sua correspondencia no sistema social descrito no Admiravel Mundo Novo, ja’ nos pegou de forma irreversivel? Ou o simples fato de nosso feto mental estar agora fazendo estas perguntas, significa que ainda nao, que ainda e’ livre? Seja como for, teremos que arranjar tempo, anotar ao menos os grupos de informacoes que estao vindo em maior quantidade, analiza-los, e tentar tomar alguma decisao, fazer algumas selecoes, antes que seja tarde demais… 

Mas… agora me parece que estou pensando besteiras, coisas impossiveis. lembro-me de minha irma, coitada, todo dia brigando com suas duas criancas: -” Comam banana e cereais, o medico disse que e’ melhor…” E as criancas embirradas batendo o pe’: ” Nao quero esta porcaria, quero chocolate, torresmo, sorvete…”

Se ja’ ‘e dificel para uma mae selecionar e fazer uma crianca comer isto e nao aquilo, imagine como seria dificel `a propria crianca selecionar e se obrigar a comer o que nao gosta e evitar a tentacao de comer o que gosta… Pois e’ isto que acabei de sugerir no texto acima: que nos somos o feto, a crianca, e nos teremos que selecionar dentre nosso alimento – informacoes – quais as que devemos ingerir ou nao. Pois a mae ou o pai dessa emergente auto-consciencia que surgiu em nos agora, nao estao por aqui para fazer isso.          

   

A Foto de “Baby Stars” e a Teoria da Matriz

quinta-feira, junho 18th, 2009

                             GRANDE   VITORIA   PARA  A  TEORIA  DA  MATRIZ !!!

 

Foto do Spitzer Space Telescope sobre baby stars

(Veja traducao abaixo) . This infrared image from NASA’s Spitzer Space Telescope shows three baby stars in the bustling center of our Milky Way galaxy. The three stars are the first to be discovered in the region — previous attempts to find them were unsuccessful because there is so much dust standing between us and our galaxy’s core. Spitzer was able to find the newborns with its sharp infrared eyes, which can cut through dust.

The center of our galaxy is a hectic place. It’s stuffed with stars, gas and dust. Astronomers have long wondered how stars can form in such chaotic circumstances. While they have known that stars are born there, they weren’t able to see the stars forming until now. Astronomers plan to search for more newborn stars in the region, and ultimately learn more about stellar births at the center of the Milky Way.

Traducao: (…)

Comentario da Matriz:

Simplesmente sensacional! Mais uma vez agradecemos o heroico esforco na busca de dados e a gentileza de nos ceder estes dados, ao mesmo tempo que ficamos embevecidos com a tecnologia humana. 

Mas… e agora? A Teoria da Matriz foi derrubada? O modelo de “A face de LUCA” nao correspondia `a realidade e nao passou de um mero devaneio na cabeca de Louis Morelli? Ou os metodos de investigacao aplicados com tanto sacrificio em longos 7 anos no inferno selvagem da Amazonia, os quais conduziram Luis Morelli a  calcular e modelar uma nova teoria astronomica, diferente de todas as que existiam, foram metodos errados ou aplicados erroneamente?  Tudo nao passou de um lindo sonho onde se viu “namoros no ceu entre astros, resultando em maes gravidas e gerando rebentos astronomicos pelo mesmo processo de embriogenese que sao gerados os seres vivos”?

E como fica a minha cara agora que existe registrado na Internet a minha intervencao em foruns questionando os experts sobre sua crenca na teoria oficial que relata nascerem as estrelas por geracao espontanea e ao acaso em simples aglomerados de poeira cosmica, ao mesmo tempo que informava-os de uma nova teoria e convidava-os a verem-na neste web site? E depois de reclamar publicamente que nao estavam sendo responsaveis e honestos os academicos astronomos que forneceram ao governo a Teoria Nebular como sendo cientifica, ensinando aos alunos como se fosse verdade cientifica que estrelas nascem assim se nunca ninguem havia visto o nascimento de uma estrela e que por muitos milhoes de anos ainda nunca ninguem podera’ ve-lo? Com esta foto fica perfeitamente claro que no nucleo de galaxias nao existem buracos negros e que a “Funcao 1” nao existe… certo?

Errado! Os modelos sofreram um duro golpe, um baque tremendo, mas sobreviveram e retornam ainda mais fortalecidos! Foi sim constatado que havia um erro, mas nao de essencia, e sim apenas de “nomes”. O nome “buraco negro” devera’ ser mudado no modelo da face de LUCA, para algo como “Buraco Branco”. Mas o formato, a funcao e os eventos sugeridos pelo modelo, sao todos comprovados nesta foto.

Na verdade, quando eu tive que dar um nome para aquele aparato que surgia no modelo como nucleo do building block astronomico, veio-me `a mente o nome “buraco negro” por varias razoes:

1) Falava-se na existencia de buracos negros, eu procurei o livro mais famoso na epoca, do Stephen Hawkings, li apressadamente tudo o que pude a respeito, notei que tais fantasmas nao haviam sido observados, apenas detectaram determinadas manifestacoes em certas regioes do espaco, mas a matematica estava bem desenvolvida na elaboracao da teoria. Porem, notei tambem que as manifestacoes registradas que serviam de base para a crenca na existencia dos tais buracos negros se aplicavam tambem ao que deveriam ser as manifestacoes ao redor do nucleo do meu modelo. E como um dos meus graficos sugeriam que a linguagem matematica sempre extrapolava os limites naturais de determinada fase de um ciclo historico natural, devido aos matematicos se excederem na atividade mental muito alem dos dados reais, pensei que aquele fantasma do espaco nao existia daquela forma, e como os unicos dados disponiveis sobre buracos negros tambem podiam levar a uma modelacao teorica igual `a que eu tinha em maos, entao deveria aproveitar aquele nome. Mas nunca, jamais, o meu “buraco negro” se pareceu com o teorizado pelos fisicos encabecados por Hawkings. O nome nao me agradava porque eu via ali um vortice no espaco repleto de poeira energizada e luminosa, mas tive que engoli-lo, pois o modelo teria que conter todos os astros existentes, e nao havia no modelo nenhum buraco negro tal como o pintavam, mas como as bases de dados “batiam”, resolvia-se esta incomoda questao usando o mesmo nome;

2) O nucleo galactico, como aparece em meu modelo, tem a forma e a funcao de um utero, o qual se encontra ” num “buraco”, mais exatamente dominado orificio ou canal vaginal e portanto no escuro, portanto, nao se diria errado que para alcancar um ovulo, o espermatozoide tenha que atravessar um “buraco negro”. Isto reforcou minha decisao em usar o nome;

3) O nucleo galactico aparece no meu modelo como sendo “luminoso”. Minha ideia nesta epoca optava pelo nome “buraco branco”. Isto vai contra a ideia de buraco negro. Porem, ele e’ luminoso para um observador que estivesse situado dentro dele ou muito proximo ao seu redor, podendo ve-lo a olho nu. O nucleo e’ todo circundado pela poeira e detritos que desprendem  de cadaveres estelares, e isto formava – no modelo – um denso e opaco anel circular ou mesmo conico, o que impediria um observador situado muito distante de ver o nucleo luminoso. Ele deveria ver apenas uma regiao escura, sem forma, o que, mais uma vez sugeria a ideia de um buraco no espaco e ainda, negro. Ou seja: o buraco tanto pode ser visto como negro e como branco, e’ uma questao relativistica, apenas dependendo do ponto no espaco em que estao situados os observadores.  

Enfim, com a nova foto, descubro que cometi um grande erro, e mesmo um erro de etica, moral, pois intencionalmente eu procurei me aliar a uma ideia que me cheirava a corrupta. O excesso da matematica e’ uma corrupcao dentro da Ciencia, as figuras sugeridas por este excesso devem ser denunciadas, questionadas, nunca consentidas e muito menos, promovidas. Mas eu ia ter que enfrentar uma batalha sem ter recurso nenhum: como um semi-selvagem recem-saido da selva iria gritar ao mundo que esta historia de buraco negro agindo como canibal do espaco, devorador de estrelas e galaxias inteiras, monstro alado e invisivel,… nao existe, e nao poderia existir, pois nao constava de meus modelos feitos na selva… ?!

Mas se o modelo nao tivesse ali um elemento com o nome “buraco negro”, seria ainda muito menos atraente e muito mais ridicularizado. Eu confiava que o tempo e novos dados iriam destruir aquele fantasma, mas ate’ la’, eu ja’ teria morrido e meus modelos iam comigo para o tumulo… por isso vendi a alma ao diabo e agora pago o pato, tendo que mudar duas palavras na imagem da Face de LUCA e torcer para que a imagem antiga desapareca da Internet. Enfim, nao existe alternativa: a Funcao 1 e’ executada pelo “buraco branco”, por mais feio e estranho que seja este nome.

Para se ter uma ideia de como se encontra a controversia entre eu, de um lado, representando os modelos da Matriz, e os astronomos oficiais, do outro lado, reproduzo a seguir uma questao feita por um internauta e respondida por um astronomo, no site “Curious about Astronomy? Ask An Astronomer.” Porque esta questao foi feita por mim muitas vezes e esta resposta sempre foi a mesma:   

Has anyone ever seen a star “turn on”?

Internauta: ” What actual observational evidence has been collected for star birth? My friend states that no one has actually seen a star being born, but I told him that observation over a long time in star birth regions would show a star shining one day when it was not there earlier. Is there anything like that?”

Astronomer Ryan Anderson: ” I don’t think anyone has ever observed a star “turning on” like a switch has been flicked. Even though star formation can happen quite “quickly” compared to other astronomical events, it still can take hundreds of thousands of years for a molecular cloud to collapse and form stars. That time scale totally dwarfs a human lifespan, so the likelihood of looking at the exact place in the sky where a star begins fusion, and looking with a powerful enough telescope, is extremely low.

That said, we have seen stars at every stage in their evolution, because there are so many of them! I like to make the following analogy: Imagine that you are an alien scientist visiting the earth for one day, and you need to learn about the life cycle of humans. You can’t witness one human’s whole life in one day, but if you observe many many humans at different stages of life, you could piece together how humans are born, live, and die. ( Nao posso esperar pela traducao antes de levantar de meu tumulo gritando: “E porque entao nao te imaginas como um alien astronomer que nao conhece e nunca viu o aparecimento de nenhum tipo de astro celeste, e tenha a calma suficiente antes de tirar precipitadas conclusoes de geracoes espontaneas, para observar calmamente as varias formas dos astros e verificar se nao existe uma conexao entre estas formas, tal como a conexao do tempo que levaria uma forma a se transformar na outra e assim descobririas que tambem no ceu os astros nascem, vivem e morrem como os humanos?!” 

With telescopes like the Spitzer infrared space telescope, which can look through dust clouds and which detects infrared light like that given off by stars even before they begin fusion in their cores, we can take stellar “baby pictures”. (Check the Spitzer website for some spectacular examples)

For more information about star formation, check these links (the second one has cool videos of computer simulated star formation):

Wikipedia : Star Formation – Observations
UK Astrophysical Fluids Facility (cool movies!)”

 Comentario da Matriz:

Na descricao da Nasa, logo abaixo da foto, explica-se que nunca havia sido observada uma baby star, porque a densa area de poeira em volta delas era impenetravel aos nossos instrumentos opticos, mas felizmente o novo telescopio ultrapassou esta barreira. Bem… tudo isto estava previsto no modelo da Matriz. Mas o modelo da Matriz diz que existe um vortice turbilhonar naquele centro, que ali penetram cometas, que ali existe todo um processo definido em tres fases, que se assemelham as fases da formacao de seres vivos. E porque a foto nao capta tudo isto? Porque nada disso existe? Eu confesso que nestes momentos sempre ponho a Teoria da Matriz sob suspeita, `as vezes ate’ mesmo quase chegando `a mesma reacao que deve ter tido todo mundo, ou seja, jamais acreditar naquilo. Mas o acumulo de evidencias em 30 anos, suportando o modelo, e que so’ eu as tenho, me fazem persistir no estudo e consideracao do modelo. A explicacao seria talvez, ate’ muito facil: o “infrared” pode captar as poderosas fontes de energia dentro do vortice, (e estas esferas de energia constam do modelo da Matriz), mas nao pode captar as linhas espirais do vortice, as quais sao meramente correntes ou forcas magneticas. Para captar estas teremos que desenvolver novas tecnologias. E’ certo que, segundo o modelo da Matriz, estas correntes ou linhas de forca espiraladas arrastem consigo muita poeira e detritos adjacentes, o que deve criar uma figura conica mais visivel, ou seja, um cone meio-escuro dentro da molecular nebulosa de poeira externa, e esta formaria finalmente uma figura arrendondada. Mas se o infrared atravessou, ignorou mesmo, a parede externa de poeira, como ele poderia se deparar e registrar a parede menos densa e conica interna? Portanto, a foto por infrared nao pode anular a hipotese da existencia do cone nuclear.

Em seguida, poderiamos argumentar que o infrared nao registrou os dados que revelariam o processo embriogenetico que estaria produzindo todas aquelas esferas que denominaram de baby stars. Ora, jamais ele poderia captar este processo, pois ele deve demovar centenas de milhares de anos ou mesmo de milhoes de anos. Pode-se ver varias diferentes esferas mas nao pode-se ver a ligacao temporal que une uma morula a uma blastula e esta a um feto…  Este contra-argumento nao faz sentido. 

A descricao diz ainda que o centro galactico e’ um lugar agitado. O modelo da Matriz disse isso a 30 anos atras. Tudo o que esta’ dentro de um turbilhao quente e a girar, esta’ sendo agitado. Diz tambem que e’ um lugar caotico. O modelo da Matriz disse que os cometas e detritos maiores que penetram o turbilhao sao triturados primeiro na base inferior do cone, devido serem lancados uns aos outros, o que os leva a se fragmentarem. Por isso inclusive se usou a analogia com os liquidificadores. Portanto, a Matriz tambem falou nesse caos a 30 anos atras.

Mas esta’ sendo cometido um grande equivoco na interpretacao da foto pelos astronomos da Nasa, segundo o que diz a Matriz. Refiro-me `a ideia ligada ao nome “baby stars”.  Isto devido pensarem que estao vendo estrelas reais ja’ nascendo como estrelas. Mas nao se assistiu ainda o que vai acontecer a seguir. Aquelas esferas estao mesmo se transformando em estrelas normais? Ora, esta transformacao leva outros milhoes ou bilhoes de anos, ninguem podera’ jamais assisti-las para afirmar que sejam assim ou assado. Nao preciso repetir aqui o que os modelos da Matriz dizem a respeito, basta ver a imagem da face de LUCA.  Mas elas sao claras ao indicarem que estas esferas fotografadas vao, antes de tornarem estrelas adultas, serem expelidas da nuvem de gaz, vao se revestirem de poeira congelada e se tornarem nucleos de planetas, os quais vao se transformar em pulsares e so’ entao se tornarao estrelas adultas.  Este detalhe – este trecho que vai desde aquelas esferas fotografadas ate’ a final formacao de uma estrela adulta – e’ muitissimo importante pois ele esta’ na base da formacao das duas cosmovisoes – da cosmovisao astronomica e academica moderna, e da cosmovisao da Matriz. Astros por mera geracao espontanea ao sabor do acaso antes das origens da Vida, ou astros sendo gerados por processos primitivos vitais? Observe que nem uma das duas cosmovisoes tem suporte cientifico, pois aquele trecho nao foi observado e nao pode ser comprovado, ainda. nao me venham dizer que a teoria academica e’ cientifica e a da Matriz nao e’, pois isto nao e’ verdade e todo mundo sabe disso! 

QUANTO AO TEMA DA PERGUNTA E RESPOSTA ACIMA:

Os amigos do internauta parece terem caido do ceu, pois ate’ agora eu pensava que era o unico que tinha observado este detalhe – de que nao existe teoria cientifica sobre formacao de estrelas ja’ que qualquer teoria nao e’ testavel, pois o processo nao pode ser observado – e atormentava os fanaticos crentes na Teoria Nebular. Ao menos nunca tinha visto ninguem mais fazer esta pergunta ou escrever esta observacao em algum lugar. Mas se os amigos do internauta estao do meu lado nesta pergunta, o internauta (que parece discordar dos amigos) erra quando supoe que um dia poderemos ver uma estrela brilhando onde antes nao existia nenhuma, pois se nos a ver-mos brilhando, nos nunca teriamos visto aquele ponto sem estrela brilhando nele. Talvez ele tenha sido engando pela leitura da biografia de Galileu. Diz-se que certa noite Galileu, que talvez fosse o unico homem na Terra a ter aquelas lentes poderosas na observacao do ceu, ja’ que ajudou a desenvolve-las – saiu altas horas da noite `a rua, apenas vestindo ceroulas, e gritando enquanto apontava para o ceu: ” Vejam, apareceu uma nova estrela no ceu que nao estava nos mapas! Isto significa que o Universo nao e’ estatico e imovel como diz a Biblia! Nele acontecem eventos, ele se move!” Exageros `a parte, se a estrela que Galileu viu e que os antigos nao teriam visto poderia ter sido uma supernova, originaria da implosao de um pulsar. Os modelos da Matriz sugerem que este evento pode ser realmente rapido: desde a bilhoes de anos atras o nucleo do astro vai comendo ou sugando os atomos ao seu redor que formam a crostra geologica do astro, vem comendo de dentro para fora, e chega um tempo em que a crosctra se tornou tao fina que pode de repente se colapsar toda e entao o astro revela no seu espelndor o seu nucleo tao efersvecente que se torna luminoso. Mesmo assim estou propenso a pensar que este colapso e essa revelacao tomaria um tempo muito grande para ser visto por inteiro dentro de umas poucas geracoes humanas. Mas… pode ser.  Porem neste caso a nova estrela brilhante nao teria sido formada naquele instante pela nuvem de gaz, nao teria vindo diretamente de uma baby star e sim seria uma supernova vindo da forma de um pulsar. 

Porem, ainda para mim, em particular, a mais emocionante e alvissareira parte desta noticia, nao esta’ praticamente na foto que confirma a Matriz, nem mesmo na noticia em si, e sim na questao e pergunta que fui encontrar atraves desta noticia. Me refiro ao astronomo tendo a ideia de se imaginar um extraterrestre observando humanos em varias formas diferentes sem saber que eram todas formas de um unico ser humano e assim descobrindo que temos um ciclo vital. Ele esta’ tendo a mesma ideia que tive numa madrugada em que estava trepado na copa da arvore mais alta do meu nicho na selva, para observar a linda e inigualvael noite estrelada da Amazonia e tentando penetrar seus segredos, a 35 anos atras… E isto promete que ele vai chegar onde cheguei, por si so’… Aleluia! 

=========================================================

Outro Artigo sobre a materia. Os trechos em vermelho sao comentados pela Matriz, a seguir.

Baby Stars Finally Found in Jumbled Galactic Center

http://www.spitzer.caltech.edu/Media/releases/ssc2009-13/release.shtml

For Release: June 10, 2009

PASADENA, Calif. — Astronomers have at last uncovered newborn stars at the frenzied center of our Milky Way galaxy. The discovery was made using the infrared vision of NASA’s Spitzer Space Telescope.

The heart of our spiral galaxy is cluttered with stars, dust and gas, and at its very center, a supermassive black hole. Conditions there are harsh, with fierce stellar winds, powerful shock waves and other factors that make it difficult for stars to form. Astronomers have known that stars can form in this chaotic place, but they’re baffled as to how this occurs. Confounding the problem is all the dust standing between us and the center of our galaxy. Until now, nobody had been able to definitively locate any baby stars.

“These stars are like needles in a haystack,” said Solange Ramirez, the principal investigator of the research program at NASA’s Exoplanet Science Institute at the California Institute of Technology, Pasadena. “There’s no way to find them using optical light, because dust gets in the way. We needed Spitzer’s infrared instruments to cut through the dust and narrow in on the objects.”

The team plans to look for additional baby stars in the future, and ultimately to piece together what types of conditions allow stars to form in such an inhospitable environment as our galaxy’s core.

“By studying individual stars in the galactic center, we can better understand how stars are formed in different interstellar environments,” said Deokkeun An of the Infrared Processing and Analysis Center at Caltech, lead author of a paper submitted for publication in the Astrophysical Journal. “The Milky Way galaxy is just one of more than hundreds of billions of galaxies in the visible universe. However, our galaxy is so special because we can take a closer look at its individual stellar components.” An started working on this program while a graduate student at Ohio State University, Columbus, under the leadership of Ohio State astronomer Kris Sellgren, the co-investigator on the project.

The core of the Milky Way is a mysterious place about 600 light-years across (light would take 600 years to travel from one end to the other). While this is just a fraction of the size of the entire Milky Way, which is about 100,000 light-years across, the core is stuffed with 10 percent of all the gas in the galaxy — and loads and loads of stars.

Before now, there were only a few clues that stars can form in the galaxy’s core. Astronomers had found clusters of massive adolescent stars, in addition to clouds of charged gas — a sign that new stars are beginning to ignite and ionize surrounding gas. Past attempts had been unsuccessful in finding newborn stars, or as astronomers call them, young stellar objects.

Ramirez and colleagues began their search by scanning large Spitzer mosaics of our galactic center. They narrowed in on more than 100 candidates, but needed more detailed data to confirm the stars’ identities. Young stellar objects, when viewed from far away, can look a lot like much older stars. Both types of stars are very dusty, and the dust lying between us and them obscures the view even further.

To sort through the confusion, the astronomers looked at their candidate stars with Spitzer’s spectrograph – an instrument that breaks light apart to reveal its rainbow-like array of infrared colors. Molecules around stars leave imprints in their light, which the spectrograph can detect.

The results revealed three stars with clear signs of youth, for example, certain warm, dense gases. These youthful features are found in other places in the galaxy where stars are being formed.

“It is amazing to me that we have found these stars,” said Ramirez. “The galactic center is a very interesting place. It has young stars, old stars, black holes, everything. We started mining a catalog of about 1 million sources and managed to find three young stars — stars that will help reveal the secrets at the core of the Milky Way.”

The young stellar objects are all less than about 1 million years old. They are embedded in cocoons of gas and dust, which will eventually flatten to disks that, according to theory, later lump together to form planets.

Other collaborators include Richard Arendt of NASA’s Goddard Space Flight Center, Greenbelt, Md.; A. C. Adwin Boogert of NASA’s Herschel Science Center, Caltech in Pasadena; Mathias Schultheis of the Besancon Observatory in France; Susan Stolovy of NASA’s Spitzer Science Center, Caltech in Pasadena; Angela Cotera of SETI Institute, Mountain View, Calif.; and Thomas Robitaille and Howard Smith of Harvard Smithsonian Center for Astrophysics, Cambridge, Mass    

A teoria do Universo Fine-tunned para a Vida

segunda-feira, junho 15th, 2009
Ouve-se cada vez mais  pessoas racionalistas conjecturando que o Universo parece ter sido “programado” para gerar a Vida, que em Ingles diz-se “fine-tunned”.   Existe inclusive livros inteiros defendendo esta ideia, como o citado abaixo. De fato, quando estudamos a teoria oficial cosmologica e terrestre vamos vendo que foram tantos os incriveis golpes de sorte e tantas extraordinarias coincidencias ocorridas, sem as quais nao teria surgido a Vida, que somos levados a desconfiar de que o acaso tenha imperado nesta Historia.  E o que sugere a Matriz a respeito?  O Universo foi “programado” pata terminar gerando a Vida ou nao?
Simples: se ela sugere que o Universo e’ uma producao genetica e palco da reproducao do que seja la’ o que for que tenha gerado o Universo, inevitavelmente o Universo foi tao preparado para gerar a Vida como qualquer mulher foi preparada.  Mas nao se deve ignorar a possibilidade que a mulher foi preparada assim pelps ancestrais da especie humana, que nada tinham de magicos nem eram sabios para fazer isso. Simplesmente, naturalmente, aconteceu.  Entao essa nova onda intuitiva do “fine-tunned”  deve ser acompanhada de perto pelos adeptos da Matriz,  prestando-se atencao a cada novidade relacionada, e neste artigo sera’ sempre acrescentado o que for surgindo. Por enquanto iniciemos com o seguinte (depois sera’ traduzido).   
COSMOS MAGAZINE
http://www.cosmosmagazine.com/reviews/1469/  

Critica do livro:

  The Goldilocks Enigma: Why is the Universe Just Right for Life?

By Paul Davies

Allen Lane

ISBN 0-713-99883-0

A$55

350 pages

Something looks fishy about the way our universe is “uncannily fit for life”. There seems to be nothing self-contradictory about the idea that its physical constants and other fundamental features — such as the amount of dark matter — could have been different. Yet relatively miniscule differences in any of these values would have produced a physical reality incompatible with the complex chemical processes that sustain life. In The Goldilocks Enigma, Paul Davies embarks on a comprehensive examination of current theories as to why the universe is so finely tuned, so astonishingly “just right”.

To prepare us, he starts with a lively account of recent developments in cosmological theory and fundamental physics. The first few chapters get us up to speed with such concepts as the flatness of space, the inflation (as opposed to mere expansion) of the universe, string theory, M-theory, and the possible effects of quantum events on the cosmological macrostructure of clustered galaxies. Nice.

One important concept is the possibility that universes such as ours — really only “pocket universes” — are being formed continually and eternally, creating an incomprehensibly vast, multiple landscape of wildly varying universes. (This grand multiverse is a quite different concept from the “many worlds” interpretation of quantum theory, which Davies also discusses.)

Davies considers a raft of answers to the book’s central question, but concludes that none is truly satisfying. He states that he is resigned to criticism from religious thinkers for his unwillingness to interpret the data as evidence of intelligent design. Though such interpretations have psychological appeal, he believes that they offer no explanatory advance. At the same time, he expects hard-headed physicists to deplore his sympathy for such mystical-sounding theories as that the Universe’s development is shaped by a fundamental life-creating principle, or that it somehow causes itself in a closed, self-consistent loop from future to past and back again (see ‘Life, the Universe and Everything’, Cosmos Issue 14, p46).

Given this multitude of brain-wrangling theories and conjectures, Davies tells the whole story in a clear, well-paced manner that rivets the attention while boggling the mind.

==========================================================================

Vejamos o que Wikipedia diz sobre o nome Goldilocks:

Goldilocks Principle

From Wikipedia, the free encyclopedia

The Goldilocks Principle states that something must fall within certain margins, as opposed to reaching extremes. It is used, for example, in the Rare Earth hypothesis to state that a planet must neither be too far away from, nor too close to, the sun to support life. Either extreme would result in a planet incapable of supporting life.[1] Such a planet is often called a Goldilocks planet.[2][3]

The Goldilocks Principle comes from a children’s story Goldilocks and the Three Bears in which a little girl found a house owned by three bears. Each bear owned a separate copy of many things, such as food, beds, etc. After testing each of the three, Goldilocks determined that one was always too much in one extreme, one was too much in the opposite extreme, and one was “just right”.

============================================================================

E agora vejamos a historia de onde se extraiu este principio:  

The Story of Goldilocks and the Three Bears

Once upon a time, there was a little girl named Goldilocks.  She  went for a walk in the forest.  Pretty soon, she came upon a house.  She knocked and, when no one answered, she walked right in. At the table in the kitchen, there were three bowls of porridge. Goldilocks was hungry.  She tasted the porridge from the first bowl. 
“This porridge is too hot!” she exclaimed.
So, she tasted the porridge from the second bowl.
“This porridge is too cold,” she said
So, she tasted the last bowl of porridge.
“Ahhh, this porridge is just right,” she said happily and she ate it all up.
After she’d eaten the three bears’ breakfasts she decided she was feeling a little tired.  So, she walked into the living room where she saw three chairs.  Goldilocks sat in the first chair to rest her feet.   
“This chair is too big!” she exclaimed.
So she sat in the second chair.
“This chair is too big, too!”  she whined.
So she tried the last and smallest chair.
“Ahhh, this chair is just right,” she sighed.  But just as she settled down into the chair to rest, it broke into pieces!
Goldilocks was very tired by this time, so she went upstairs to the bedroom.  She lay down in the first bed, but it was too hard. Then she lay in the second bed, but it was too soft. Then she lay down in the third bed and it was just right.  Goldilocks fell asleep.As she was sleeping, the three bears came home. 
“Someone’s been eating my porridge,” growled the Papa bear.
“Someone’s been eating my porridge,” said the Mama bear.
“Someone’s been eating my porridge and they ate it all up!” cried the Baby bear.
“Someone’s been sitting in my chair,” growled the Papa bear.
“Someone’s been sitting in my chair,” said the Mama bear.
“Someone’s been sitting in my chair and they’ve broken it all to pieces,” cried the Baby bear.They decided to look around some more and when they got upstairs to the bedroom, Papa bear growled, “Someone’s been sleeping in my bed,”
“Someone’s been sleeping in my bed, too” said the Mama bear
“Someone’s been sleeping in my bed and she’s still there!” exclaimed Baby bear.Just then, Goldilocks woke up and saw the three bears.  She screamed, “Help!”  And she jumped up and ran out of the room.  Goldilocks ran down the stairs, opened the door, and ran away into the forest.  And she never returned to the home of the three bears.

THE END

Meu Comentario:

Eu sempre gostei daquela frase: “Acima do Bem e do Mal, esta’ a Sabedoria”! Principalmente depois que vou descobrindo que o que e’ o bem para uma epoca e suas geracoes, torna-se o mal na proxima epoca… O DNA registra a Historia e nao e’ por acaso que a cada tres registros ele se contorce, e a haste que no registro anterior estava na direita passa para a esquerda, e vice-versa…

Mas este aspecto “triplice” da Natureza patece estar presente em tudo, e a sabedoria nunca esta’ na escolha dos extremos e sim no mais perto do equilibrio ou meio-termo possivel. Se surge um negocio que parece muito promissor e tenho dez mil dolares, devo jogar tudo no negocio ou nada? Nem um, nem outro extremo: devo investir a metade, cinco mil. Se o negocio era bom e nao joguei nada, vou me arrepender para o resto da vida. Se era uma fria, perdi cinco mil mas nao me quebrei de todo. Se era bom e joguei a metade, ganhei menos, mas mesmo assim, nao enfraqueci o coracao passando pelo stress e temor de perder tudo.

Assim parece que a Vida foi sabia desde quando era apenas materia bruta no Cosmos. O ser vivo nao poe a mao no super-aquecido porque ali ele se queima; nem poe a mao no super-congelado, porque ali tambem se queima. O ideal para nos esta’ nas temperaturas mais proximas do meio-termo, como nos 30 a 40 graus centigrados. Parece que a Vida veio de longe, e ao passar pelo Sol, disse:

-“Este astro e’ muito quente!”

Continuando sua busca chegou em outro gigante, Jupiter, e disse:

-” Este astro e’ muito frio!”

Foi quando passava pela pequena Terra que sentiu um aroma de mormaco aconchegante, resolveu toca-la, e disse:

-” Este astro esta’ justamente certo”!

Agora, se nos lembramos da Teoria da Matriz, do que ela narra  sobre os genes semi-vivos de LUCA espalhados no espaco, passando por todos os lugares, e escolhendo planetas como a Terra, para se reajuntarem… essa coisa de “Universo preparado naturalmente para gerar a Vida”, fica muito mais logica, certo?  

=================================

Porque o osso enterra o cachorro, igual ao estado humano na vizinhança da loucura.

domingo, junho 14th, 2009

Cachorros roem todos os nervos e comem a carne incrustrada no osso. Ora, osso puro, muito grande, não tem mais nenhuma utilidade. Se funcionasse uma lógica racional canina o osso seria naturalmente descartado, esquecido. Mas ao invés da sequencia lógica esperada, assistimos estupefatos o início de um ritual, semelhante aos rituais misticos humanos: o cachorro cava o solo, pega o osso, põe no buraco, e tem ainda a idéia de arrastar a terra no buraco, sobre o osso!

A causa desse comportamento irracional pode pode vir da herança genética de LUCA e de sua alma Matriz, e pode ser a mesma causa que conduz seres humanos a atos violentos por impulso. E ultimamente temos assistido constantes chacinas, sugerindo que muitos humanos estão tocando as vizinhanças da loucura, que um segmento do circuito do software da Matriz está sendo expressado.

Não existe este negócio de que o cachorro adquiriu o know-how do armazenamento de suprimentos para futuro consumo. Nem macacos que são mais inteligentes fazem isso! Nem existe essa idéia absurda de que o cachorro pensa que está plantando o osso e que vai nascer ali mais ossos. Não foi um cachorro que inventou a agricultura.

Então porque ele faz isto? Porque um corpo animal irracional executa um ato ritualistico, ou seja, realiza algo fora do contexto natural em que existe, totalmente inutil em relação à unica meta de sua existência que é a sobrevivencia imediatista? Um comportamento fora da natural sucessão de causas e efeitos, como são os atos religiosos humanos?

A explicação só pode ser encontrada nos modelos da Matriz. Existe uma fôrça física atuando nos átomos que constituem os nucleotideos do DNA do cachorro, que se expressa dominantemente dirigindo o corpo todo àquele movimento, de maneira que o cachorro não pode conter o impulso, apresar de que não sabe porque o faz. Observe o diagrama do software Matriz. Veja a função 7, e o que acontece entre F7 e F1. A entropia finaliza-se enterrando toda massa e energia degradada num buraco, para que seja reciclada quando recomeça um novo ciclo. Na célula quem faz isso é o lisossomo e as vesiculas. No sistema social, que é uma sofisticada reprodução do software Matriz, quem executa essa função é a policia. Mas o fenômeno pode ser claramente observado na imagem do ciclo vital dos astros. O cadaver estelar se desfaz em massa degradada que condensada torna-se um buraco… negro. E então ali, naquele buraco, é depositada todos os grãos, pedaços de rocha, pequenos meteóritos, e o restante da poeira estelar.

O cachorro enterra o osso obedecendo os mandamentos naturais, os quais já estavam escritos nas suas ancestrais celestes: as lindas estrelas!

Double-slit experiment:A Forca da Mente Movendo Objetos?

domingo, junho 14th, 2009

Hoje estou lendo coisas relacionadas ao “experimento da dupla fenda”, o qual, segundo me parece, originou esta ideia maluca no mundo da quantica de que a nossa mente pode dirigir o comportamento de particulas. E devo registrar este tema para voltar nele e por tudo o que ja’ tenho achado a respeito, quando vendo-o sob o ponto de vista da Matriz.

Va’ em wikipedia e veja o titulo “double-slit experiment” (nao sei se tem traducao). Ali fala sobre a inseparabilidade (nao e’ possivel separar) os aspectos de onda e de particula num feiche de luz: a luz se comporta como senso particula e onda ao mesmo tempo ( o que tem tirado o sono de muitos pensadores:como isto e’ possivel?!!!). Mas observando o modelo de LUCA, parece-me que nao existe problema nenhum aqui. A Matriz dis que “onda” e’ o aspecto material do fenomeno denominado “tempo”. E particula e’ aspecto material do mesmo fenomeno “corpo situado no espaco”. Entao…

Olhando para um ser humano, digamos, o adulto “Marcos”, e’ racional separar num lado a sua idade, e no outro lado, o seu corpo no estado e forma em que se encontra agora? Nao!

Marcos carrega a marca do tempo e a marca do espaco. Se nao carregasse a marca do tempo, Marcos adulto, com 30 anos de idade, deveria ter a mesma forma do bebe recem-nascido, do momento em que ele veio `a luz.

Entao, se marcos atravessar uma fenda, ele fez atravessar seu aspecto tempo e espaco, pela mesma fenda. Mas dizem que observando a luz atravessar a fenda, apenas se ve um aspecto da luz, nao se sabe qual. E nao observando o evento, a luz atravessa duas fendas ao mesmo tempo. Claro, preciso voltar a estudar este assunto e ver se e’ isso mesmo.

Porque, se Marcos fosse uma luz e nao um ser humano, ao ser observado por nos, pu passaria apenas seu aspecto “idade” numa fenda, ou apenas seu aspecto “corpo” numa outra fenda?! E se nao observassemos, Marcos se dividiria: seu aspecto “idade” passaria numa fenda ao mesmo tempo que seu corpo passaria em outra…

Coisa de louco… para nos deixar meio loucos…nao e’?

 Por hora estou com uma hipotese-imagem na cabeca: antes do principio, existia uma luz, inerte, nao existia os aspectos onda e particula, nao existia a divisao entre idade e corpo, ou entre materia e anti-materia. Mas a luz se moveu e quando ela sai da inercia, quando ela se move, so’ o faz dividida em si mesma, entre o eterno dualismo que aparece em tudo neste mundo. Mas se os dois “opostos” se amalgamam, termina o movimento e retorna a luz inerte. Tal como se fizermos um atomo de antimateria igual a um atomo existente de materia, e fizermos os dois se tocarem, ambos desaparecem e no seu lugar surge apenas “luz”.

Dai vamos longe: existiria Deus, simplesmente. Mas Deus se move, e assim ele desaparece, dando lugar a um dual: o bem e o mal… assim faria sentido aquela frase: nao comeis a fruta do mundo dual, voce ira’ flutuar entre o bem e o mal… permanecei aqui na eternidade sem conhecimento, como luz, simplesmente…

Religiao `a parte, precisamos traduzir tudo isto para a realidade do universo vivo, como sugere a Matriz. Teria a vida (o universo), sido gerado pelo movimento da nao-vida, e essa tal de nao-vida seria algo superior `a vida?

Este tema esta’ apenas no inicio. Temos que desenvolver isto. 

Molecule of life emerges from laboratory slime

sexta-feira, junho 12th, 2009
  • NewScientist 
  • 13 May 2009 by Kate Ravilious
  • Magazine issue 2708.
  • http://www.newscientist.com/article/mg20227084.200-molecule-of-life-emerges-from-laboratory-slime.html
  • CREATING life in the primordial soup may have been easier than we thought. Two essential elements of RNA have finally been made from scratch, under conditions similar to those that likely prevailed during the dawn of life.

    The question of how a molecule capable of storing genetic information – even DNA‘s simpler cousin RNA – could ever have arisen spontaneously in the primordial cooking pot has perplexed scientists for decades. RNA consists of a long chain composed of four different types of ribonucleotides, which each consist of a nitrogenous base, a sugar and a phosphate.

    Most people assumed that these three components first formed separately, and then combined to make the ribonucleotides. The only trouble was that it seemed impossible that two of the four bases with particularly unwieldy chemistry ever reacted spontaneously with the sugar.

    To tackle this problem, John Sutherland from the University of Manchester, UK, tried to work out a new recipe for RNA that gets by without forcing isolated bases and sugar molecules to react. His team experimented by cooking up ribonucleotides from five small molecules thought to be present in the primordial soup. “We started with the same building blocks as others, but take a different route,” Sutherland says.

    And this time the cooks seem to have got it right. The recipe and conditions that they came up with to mix the five ingredients – including a good blast of UV light – produce ribonucleotides via a joint precursor molecule that contains both the base and the sugar instead of making each in their free form (Nature, DOI: 10.1038/nature08013).

    This package deal sidesteps the problem of getting two unwilling partners to react, but only thanks to another trick, say the researchers. The reaction worked only when phosphate was present right from the start, although it does not react with the mixture until near the final stages. It turns out it is needed as a catalyst and as a chemical buffer early on.

    “We don’t use any way-out scenarios – all the conditions are consistent with what we know about early Earth,” says Sutherland. William Scott, from the University of California in Santa Cruz agrees: “It’s a great leap forward that demonstrates how prebiotic RNA molecules may have assembled spontaneously from simple and presumably relatively abundant constituents.”

    It’s a great leap forward that demonstrates how prebiotic RNA molecules may have assembled

    The need for UV light suggests life didn’t begin in a submarine vent, one possible scenario. Instead, it points towards a warm pond – an idea first mooted by Charles Darwin, who knew nothing of RNA.

    Comentario da Matriz:

    Devido a falta de tempo agora, nao vou poder analisar este historico acontecimento (nao ha’ palavras para expressar o quanto somos gratos aos pesquisadores neste trabalho) sob a luz da Matriz. Mas, de inicio, a noticia nao nos surpreende: este fenomeno ja foi previsto e descrito em nossos modelos a 25 anos atras quando calculamos como teria sido a transferencia dos bit-informacao de LUCA para os atomos na superficie terrestre.

    Pelo que entendi,  duas das bases nao reagem ou nao se ligam ao acucar que fica na haste do RNA. E eles conseguiram cozinhar a soupa primordial contendo cinco moleculas primevas muito simples de tal forma que resultou num composto total, ja’ contendo as bases, o acucar e o fosfato.

    Mas se as bases nao se ligam espontaneamente ao acucar, como isso aconteceu? Os pesquizadores acreditam que a resposta seja: aconteceu porque adicionamos o fosfato na mistura desde o inicio. Experiencias anteriores nao tinham feito isto porque pensava-se que o fosfato apenas atua no final da reacao. Agora supomos que ele atua desde o inicio, como catalizador e uma especie de tampao, ou amortecedor.

    Pelos modelos da Matriz a explicacao nao e’ bem essa. Parece o fosfato faz o papel de ponte entre dois acucares. Mas na verdade, o fosfato liga um sistema definido, diriamos mesmo “morto” a um novo sistema que nasce. O circuito de LUCA da’ uma volta e quando a completa, e’ o mesmo que o sistema tenha morrido,  pois uma volta significa um ciclo vital. Porem, no vortice da F1 onde o circuito vai parar desintegrado, o sistema renasce, pela reciclagem. No ceu esse continuo repor do sistema nao precisa de ponte, porem quando Luca se torna o building block do RNA, ou DNA, acontece um pilha de copias  do sistema, e estes sistemas tem que estarem ligados, para que as informacoes do primeiro passe para os seguintes. Entao, na materia organica entrou o fosfato para fazer esta ligacao. Mas pode-se deduzir tambem que o fosfato deve ser uma especie de cabo condutor, atraves do qual fluem informacoes.

    O problema e’ que nao e’ por falta do fosfato que as bases nao se ligam ao acucar. De onde vieram  e segundo o que  representam, realmente jamais deveriam se ligarem: as 4 bases devem representar as funcoes 2,3, 6 e 7., que em LUCA sao astro-baby,planeta, estrela e cadaver. Ora no ceu elas nao se ligam porque elas nao existem ao mesmo tempo. A ligacao e’ apenas conceitual, invisivel, imaterial. E aqui elas surgiram ligadas, e gracas a isto, o que era apenas o tenue e abstracto ciclo vital fixou-se como sistema solido, material.

    Os genes-semivivos, ou bits-informacao, que vieram de LUCA espalhados alheatoriamente no tempo e espaco da superficie terrestre, tenderiam a se reagruparem para reproduzirem o sistema de onde vieram. Claro: os chineses que chegam a New York ou Sao Paulo, vao todos, na medida do possivel, viverem juntos num mesmo bairro, e vao tentar reproduzir a China, seu sistema, sua comida, suas arquiteturas, etc., ate’ onde as leis e os materiais do novo local o permitirem. Mas como acontece com brasileiros na cidade americana de Newark, alem de causarem uma divisao na cidade entre brasileiros e os “outros”, vao causar uma divisao dentro da comunidade brasileira, tendendo a se reagruparem os que sao so sul do Brasil num lado e os que sao do norte, em outro. Enfim, os bits de LUCA devem ter se reagrupado aqui na mesma exata sucessao que estavam no circuito de LUCA: os visinhos de la serao, se possivel, os vizinhos daqui ( no caso dos bits de LUCA e’ preciso lembrar que estamos falando de um circuito representando um ciclo vital, onde o corpo do individuo com, digamos, 7 anos e um dia de vida so’ pode ligar-se ao corpo do mesmo individuo com 7 anos e dois dias e nao com o de tres dias: por isso a replica sera’ exata, e acho que por aqui vamos descobrir porque o DNA nao recebe e nao aceita os acrescimos que em inumeras experiencias temos tentado para produzir mutacoes para melhor; so aceitaria se acertassemos o bit seguinte).

    Entao, os bits de LUCA tenderam primeiro a reproduzirem aqui os corpos de LUCA, ou seja, se reuniram em moleculas que representavam ora apenas o planeta, ora o pulsar, etc. (e assim surgiram as bases, os acucares).  O segundo passo seria unir estas varias moleculas para formar o sistema. A Natureza teria que criar aqui um tipo de elo entre dois grupos de informacoes sucessivas do circuito ancestral. Um elo que nao amalgamasse acucares com bases numa mistura unica. Assim usou-se um elemento da Terra que fosse bom condutor, o fosfato. Ele nao interfere na reacao, ele nao liga as duas bases e se fixa no meio entre elas, porque no ancestral nao existia um cabo condutor fixo entre um sistema que morria e o outro que renascia. Se existisse, o sistema que nascia teria que ser deslocado no espaco, pois o que morria estava ocupando o espaco, e isso nao acontecia. Bem, essa materia precisa ser desenvolvida, e’ muito interessante mesmo, podemos ate’ descobrir ou nos inspirar a descobrir novas tecnologias de transporte e’ou comunicacao aqui, mas agora tenho que parar… (Agora esta’ me ocorrendo que a coisa deve ser procurada em LUCA como software e nao como hardware, como eu venho fazendo. Este e’ meu problema mortal: cada novo detalhe precisa ser mutio bem digerido, degustado, tomando-se horas senao dias a pensar no assunto para so entao chegar `a conclusao ais proxima da verdade. E nao tenho tempo para isso… Eu havia calculado como os bits se reagrupavam, porque formavam moleculas separadas e poraue depois elas moleculas se reuniam, mas nao havia pensado na substancia e mecanismo biologicos ou organicos que fariam essa uniao, e como. Esta’ aqui a oportunidade…)               

    O Mundo Atomico

    quinta-feira, junho 11th, 2009

    Esta categoria visa registrar todas as breves solucoes ou explicacoes que intuimos quando somos informados de algum detalhe sobre os atomos e vemos alguma correspondencia deste detalhe na Matriz. Sempre que possivel, iremos juntando os registros visando compor uma nova teoria atomica.

    Apesar de que o nosso conhecimento atual sobre o atomo ja’ e’ suficiente para que produzamos bombas que podem destruir o planeta, os modelos da Matriz esta’ sugerindo que o atomo tem ainda muitas caracteristicas desconhecidas. O atual eleito modelo atomico parece mais ser o modelo de um atomo morto, quando a Matriz esta’ sugerindo que o atomo apresenta em si todas as propriedades vitais. Pouco fiz ainda devido `a falta de tempo e tantos assuntos a desenvolver, mas apenas para se ter uma ideia da estranheza destas novas caracteristicas cito uma: a setima camada eletronica, quando tocada por um ou mais eletrons, apresenta as mesmas funcoes no atomo que um orgao denominado “figado” executa no corpo humano. Assim como estamos descobrindo que nossa mente sem tocar as particulas consegue dirigi-las ou alterar seus comportamentos, creio que chegara’ um dia em que a forca de nossa mente podera’ manipular atomos `a distancia, mesmo porque nossa mente e’ um sistema evoluido a partir do pre’-sistema atomico. Mas para chegar-mos la’ vamos ter que revolucionar nosso entendimento sobre o atomo, conhece-lo de verdade ja’ que dele quase nada sabemos ainda, e os modelos da Matriz podem vir a adicionar muitos novos conhecimentos, ate’ mesmo mudar totalmente o modelo teorico atual.

    1) Teorizando o pre-sistema atomico; um novo modelo do atomo segundo a Matriz

         . Porque o atomo nao e’ um sistema, nem um proto-sistema, e sim um pre’-sistema? Mera classificacao temporaria para visualizar melhor a macro-evolucao, enquanto nao nos ocorre ideia e nomes melhores. O primeiro sistema real que a Natureza produziu foi o sistema biologico ou celular. O sistema biologico foi o produto evolutivo das configuracoes astronomicas, cuja organizacao material mais evoluida era o building block astronomico. Este de fato nao existia como sistema, ou seja, nao apresentava – ou nao “apresenta” – as conexoes entre as suas pecas, pois elas nada mais sao que as formas de um ciclo vital, e nao e’ possivel estabelecer um canal fixo de comunicacao entre duas formas ciclicas vitais de um mesmo individuo, ja que as duas nao podem existirem ao mesmo tempo. Mas mesmo que as conexoes fisicas entre as pecas nao existam, elas se conectam, assim como sabemos haver uma conexao entre a forma de Paulo-crianca com a forma de Paulo-adolescente. Esta inefavel existencia de uma organizacao material que nao e’ um sistema mas que apresenta todas as funcoes e caracteristicas de sistema vai chamar-se por ora, “proto-sistema”.

    O proto-sistema foi/e’ uma fase na macro-evolucao. Estou mesmo suspeitando que foi uma das formas jovens do ciclo vital do sistema universal. E ele e’ descendente da ultima e mais evoluida organizacao material que existia quando ele surgiu: o atomo. Mais exatamente os atomos leves, menores, gazozos. O atomo parece ser um sistema: apresenta nucleo e periferia, todas suas partes estao conectadas entre si e cada parte executa uma funcao diferente, onde cada uma das sete camadas eletronicas executa uma das sete funcoes universais . Entao temos um problema: porque e como a Natureza teria avancado na direcao da construcao de um sistema, teria alcancado esse objetivo com o atomo, e depois teria regredido na direcao de um semi-sistema, como LUCA? Isto nao faz sentido.

    Creio que a resposta sera’ encontrada aqui: antes de LUCA existiam apenas atomos leves, talvez ate’ mesmo um unico tipo de atomo, o hidrogenio, o qual tem um proton e um eletron, faltando o neutron. Preciso rever o hidrogenio para ver se tem as sete camadas eletronicas. Parece-me que o movimento orbital do hidrogenio e’ diferente dos outros atomos, que os dois se movem em circulo e nao um ao redor do outro. Se isto acontece entao ja’ esta’ explicado: aquele atomo nao era um sistema, pois nao tinha divisao entre nucleo e periferia.

    Sabemos que os atomos pesados, solidos, com muitas super-particulas,  surgiram depois quando ja’ existiam as estrelas. E estes atomos pesados contem nucleo e periferia. Mas quando surgiram as estrelas, LUCA ja existia, ou seja, o proto-sistema ja existia. Teriamos entao que mudar a teoria dizendo que o primeiro sistema real criado pela natureza foi o atomico? A Macro-Evolucao teria encaminhado LUCA a produzir sistemas atomicos antes de produzir o primeiro sistema biologico? Ainda nao.

    O atomo ja’ continha em si as instrucoes ou conceitos que viriam a surgir mais tarde nos seres ditos “vivos”.  Se os seres vivos sao sistemas constituidos das sete funcoes universais que de fato estao ali materializadas ou expressadas, na forma de orgaos, os atomos tinham orgaos abstratos que nao se expressavam continuamente e ao mesmo tempo. Os orgaos dos atomos estavam na forma das sete camadas eletronicas, porem elas eram apenas a metade da historia: cada camada eletronica torna-se um orgao funcional, ou expressa-se na forma de orgao especifico quando e’ tocada por um eletron ( ou quando tem completado a sua quantidade especifica de eletrons).

    Entao o atomo – ao menos os tipos iniciais na evolucao – apresentam uma caracteristica muito curiosa. Voce ja’ imaginou como seria um homem que nunca apresentasse seu corpo inteiro num dado momento, mas apenas partes dele? Ou seja: num dado momento viriamos apenas um figado passando na rua, no momento seguinte aquele figado se transformaria num estomago… Realmente curiosa esta ideia: existiria um homem, mas todo seu corpo seria invisivel, com excessao da cabeca (nucleo) e de um orgao. Mas assim e’ o atomo de hidrogenio, que tem apenas um proton e um eletron.  Um atomo com dois eletrons apenas se tornaria na imagem de uma cabeca flutuando acima de um figado ligado a um estomago… 

    Mas sabemos que a natureza e’ como nos homens: ela nao cria as coisas mais complexas ja’ prontas, ela faz a coisa passo a passo, metodicamente, assim como nos nao criamos os automoveis senao depois que tivessemos iniciado com as carrocas…

    Enfim, para encerrar por hora este topico, chegamos a uma interessante ideia: O eletron em movimento dentro de um atomo, saltando de camada em camada, e expressando um diferente orgao ou funcao universal a cada camada que ele toca, assemelha-se aos dedos de um pianista, que ao tocar uma tecla expressa seu especifico tom musical.

    Raios, assim tambem descobrimos que quando um piano e’ tocado por uma so mao, ele nunca se expressa por inteiro, aprentando apenas um som especifico a cada momento.

    Bem, assim, vamos iniciando a construir nosso novo modelo atomico…

    2) O que significa eletron subindo ou descendo camadas? Este fenomeno existente no nosso ancestral “atomo” viria a determinar os altos e baixos do nosso corpo! 

    Ideia baseada no seguinte texto:

    (Wikipedia) –  Electrons de Valencia:
    Os electrões de valência têm a habilidade, como os electrões nas camadas mais interiores, de absorver ou libertar energia (fotões). Este ganho ou perda de energia poderá levar a que um electrão se mova para outro nível ou mesmo se libertar do átomo e da sua camada de valência.

    -Quando um electron absorve/ganha mais energia, move-se para uma camada mais exterior dependendo da quantidade de energia o electrão contém e ganhou devido à absorção de um ou mais fotões

    -Quando um electrão liberta/perde energia, então move-se para uma camada mais interna dependendo a quantidade de energia o electrão contém e perdeu devido à libertação de um ou mais fotões

    Comentario pela Matriz:

    Aqui vamos compreendendo mais um detalhe da forma como a macro-evolucao transformou o pre’-sistema atomico no proto-sistema LUCA. Eletrons ganhando energia vao subindo camadas, ou seja, se distanciando cada vez mais do nucleo e rumando para a periferia. Ora, num ciclo vital, ganha energia quem e’ novo, como um,baby e com esse ganho ele cresce. Com isso ele se distancia da mae, depois da casa materna, cada vez indo mais distante. Em LUCA, o individuo tem inicio na Funcao 1, que faz o papel da mae. O individuo vai se distanciando do nucleo e crescendo, e esse crescimento vai ate’ a fase de estrela, Funcao 6, quando ele adquire o maior tamanho possivel. Em termos humanos ele alcancou a fase de adulto pleno. Nesse percurso ele formou todo o lado esquerdo de LUCA.

    Ora… a partir da fase de estrela, ou adulto pleno, o individuo comeca sua queda entropica. Cada vez ele vai mais se aproximando do nucleo, da Funcao 1. E’ obvio que o individuo esta’ perdendo energia. E assim ele desenha todo o lado direito do corpo de LUCA.

    Entao podemos deduzir que estes dois movimentos dos eletrons no pre-sistema atomico evoluiram para os lados esquerdo e direito de LUCA. Com isso podemos inferir melhor o que esta’ acontecendo quando um eletron esta’ subindo ou descendo as camadas eletronicas. Sabemos que um eletron ascendente tem um corpo novo, faz os papeis das primeiras fazes da vida, ate’ o meio desta. E sabemos que os eletrons na direcao contraria possuem corpos idosos e fazem os papeis das ultimas fases da vida.