Archive for junho 14th, 2009

Porque o osso enterra o cachorro, igual ao estado humano na vizinhança da loucura.

domingo, junho 14th, 2009

Cachorros roem todos os nervos e comem a carne incrustrada no osso. Ora, osso puro, muito grande, não tem mais nenhuma utilidade. Se funcionasse uma lógica racional canina o osso seria naturalmente descartado, esquecido. Mas ao invés da sequencia lógica esperada, assistimos estupefatos o início de um ritual, semelhante aos rituais misticos humanos: o cachorro cava o solo, pega o osso, põe no buraco, e tem ainda a idéia de arrastar a terra no buraco, sobre o osso!

A causa desse comportamento irracional pode pode vir da herança genética de LUCA e de sua alma Matriz, e pode ser a mesma causa que conduz seres humanos a atos violentos por impulso. E ultimamente temos assistido constantes chacinas, sugerindo que muitos humanos estão tocando as vizinhanças da loucura, que um segmento do circuito do software da Matriz está sendo expressado.

Não existe este negócio de que o cachorro adquiriu o know-how do armazenamento de suprimentos para futuro consumo. Nem macacos que são mais inteligentes fazem isso! Nem existe essa idéia absurda de que o cachorro pensa que está plantando o osso e que vai nascer ali mais ossos. Não foi um cachorro que inventou a agricultura.

Então porque ele faz isto? Porque um corpo animal irracional executa um ato ritualistico, ou seja, realiza algo fora do contexto natural em que existe, totalmente inutil em relação à unica meta de sua existência que é a sobrevivencia imediatista? Um comportamento fora da natural sucessão de causas e efeitos, como são os atos religiosos humanos?

A explicação só pode ser encontrada nos modelos da Matriz. Existe uma fôrça física atuando nos átomos que constituem os nucleotideos do DNA do cachorro, que se expressa dominantemente dirigindo o corpo todo àquele movimento, de maneira que o cachorro não pode conter o impulso, apresar de que não sabe porque o faz. Observe o diagrama do software Matriz. Veja a função 7, e o que acontece entre F7 e F1. A entropia finaliza-se enterrando toda massa e energia degradada num buraco, para que seja reciclada quando recomeça um novo ciclo. Na célula quem faz isso é o lisossomo e as vesiculas. No sistema social, que é uma sofisticada reprodução do software Matriz, quem executa essa função é a policia. Mas o fenômeno pode ser claramente observado na imagem do ciclo vital dos astros. O cadaver estelar se desfaz em massa degradada que condensada torna-se um buraco… negro. E então ali, naquele buraco, é depositada todos os grãos, pedaços de rocha, pequenos meteóritos, e o restante da poeira estelar.

O cachorro enterra o osso obedecendo os mandamentos naturais, os quais já estavam escritos nas suas ancestrais celestes: as lindas estrelas!

Double-slit experiment:A Forca da Mente Movendo Objetos?

domingo, junho 14th, 2009

Hoje estou lendo coisas relacionadas ao “experimento da dupla fenda”, o qual, segundo me parece, originou esta ideia maluca no mundo da quantica de que a nossa mente pode dirigir o comportamento de particulas. E devo registrar este tema para voltar nele e por tudo o que ja’ tenho achado a respeito, quando vendo-o sob o ponto de vista da Matriz.

Va’ em wikipedia e veja o titulo “double-slit experiment” (nao sei se tem traducao). Ali fala sobre a inseparabilidade (nao e’ possivel separar) os aspectos de onda e de particula num feiche de luz: a luz se comporta como senso particula e onda ao mesmo tempo ( o que tem tirado o sono de muitos pensadores:como isto e’ possivel?!!!). Mas observando o modelo de LUCA, parece-me que nao existe problema nenhum aqui. A Matriz dis que “onda” e’ o aspecto material do fenomeno denominado “tempo”. E particula e’ aspecto material do mesmo fenomeno “corpo situado no espaco”. Entao…

Olhando para um ser humano, digamos, o adulto “Marcos”, e’ racional separar num lado a sua idade, e no outro lado, o seu corpo no estado e forma em que se encontra agora? Nao!

Marcos carrega a marca do tempo e a marca do espaco. Se nao carregasse a marca do tempo, Marcos adulto, com 30 anos de idade, deveria ter a mesma forma do bebe recem-nascido, do momento em que ele veio `a luz.

Entao, se marcos atravessar uma fenda, ele fez atravessar seu aspecto tempo e espaco, pela mesma fenda. Mas dizem que observando a luz atravessar a fenda, apenas se ve um aspecto da luz, nao se sabe qual. E nao observando o evento, a luz atravessa duas fendas ao mesmo tempo. Claro, preciso voltar a estudar este assunto e ver se e’ isso mesmo.

Porque, se Marcos fosse uma luz e nao um ser humano, ao ser observado por nos, pu passaria apenas seu aspecto “idade” numa fenda, ou apenas seu aspecto “corpo” numa outra fenda?! E se nao observassemos, Marcos se dividiria: seu aspecto “idade” passaria numa fenda ao mesmo tempo que seu corpo passaria em outra…

Coisa de louco… para nos deixar meio loucos…nao e’?

 Por hora estou com uma hipotese-imagem na cabeca: antes do principio, existia uma luz, inerte, nao existia os aspectos onda e particula, nao existia a divisao entre idade e corpo, ou entre materia e anti-materia. Mas a luz se moveu e quando ela sai da inercia, quando ela se move, so’ o faz dividida em si mesma, entre o eterno dualismo que aparece em tudo neste mundo. Mas se os dois “opostos” se amalgamam, termina o movimento e retorna a luz inerte. Tal como se fizermos um atomo de antimateria igual a um atomo existente de materia, e fizermos os dois se tocarem, ambos desaparecem e no seu lugar surge apenas “luz”.

Dai vamos longe: existiria Deus, simplesmente. Mas Deus se move, e assim ele desaparece, dando lugar a um dual: o bem e o mal… assim faria sentido aquela frase: nao comeis a fruta do mundo dual, voce ira’ flutuar entre o bem e o mal… permanecei aqui na eternidade sem conhecimento, como luz, simplesmente…

Religiao `a parte, precisamos traduzir tudo isto para a realidade do universo vivo, como sugere a Matriz. Teria a vida (o universo), sido gerado pelo movimento da nao-vida, e essa tal de nao-vida seria algo superior `a vida?

Este tema esta’ apenas no inicio. Temos que desenvolver isto.