Archive for agosto, 2009

O CÓDIGO COSMICO HUMANO… É O DNA DAS GALÁXIAS !!!(4)

sábado, agosto 22nd, 2009

 

the-human-cosmic-code.JPG

                                          L.U.C.A (Last Universal Common Ancestor), que é o Ciclo Vital dos Astros, e o Código do Cosmos, reproduz-se como nucleotideos  do DNA, o Código da Vida.

( Por favor, click na Imagem para ver melhor)

 Durante sete anos isolado no coração da selva amazonica virgem procurando entender as origens da biosfera pela identificação e observação dos sistemas naturais e das interações entre eles, aplicando um método extremamente materialista de raciocinio e lógica formal do qual fazia parte o método da anatomia comparada entre Sistemas Naturais vivos e não-vivos, nos conduziu a calcular e desenhar o retrato falado de um elo evolucionário entre os dois grupos, ou seja, um sistema-elo, natural, entre o estado do mundo a 4 bilhões de anos atrás e o primeiro ser vivo a mover-se na superficie da Terra a cerca de 3,5 bilhões de anos. Ou seja, este seria o elo evolucionário entre a História da Evolução Cosmológica e a História da Evolução Biológica. Este elo (eu pensava) teria que ter sido o gerador – o pai e/ou a mãe – de LUCA : o ultimo universal comum ancestral de todos os seres vivos.

 Após mais dez anos procurando um sistema natural cuja configuração correspondence com o “retrato falado” que tinha em mãos, e quase desistindo de procura-lo na superfície do planeta, tentei outras alternativas que surgiam pela lógica do raciocinio, dentre as quais surgia a alternativa de que este elo poderia não ter sido produzido pela matéria da Terra e sim ter vindo de alguma forma do espaço sideral – de algum lugar onde a matéria estivesse organizada de forma mais complexa que a terrestre. Urgia então analizar os modelos teóricos da teoria astronomica reinante e os fatos reais captados pro telescópios, etc.. Logo de inicio um detalhe nesta teoria era suspeito: a repetida afirmação de que astros surgem por um processo que em tudo pode ser denominado de “geração espontanea”. Já conhecemos o equivoco dos primeiros estudiosos durante mil anos acreditarem na geração espontanea da Vida, devido terem acreditado nas ilusões das aparências. Um breve estudo aplicando o relativismo einsteniano sobre dois observadores, um real situado na Terra e sob as dimensões espaço-temporais humanas, e outro hipotético gigantesco situado além da galáxia e sob as dimensões espaço-temporais astronomicas, nos fez concluir que a moderna teoria astronomica estava repleta de equivocos relativistas. As origens, nascimento e desenvolvimento de qualquer astro no céu jamais foi observada e nunca poderá ser observada pela espécie humana. E se ao invés de geração espontanea, as sete formas de astros fossem derivadas das transformações de um unico astro sujeito a um ciclo vital? Erta necessário montar modelos calculando isto, coisa que nunca fizeram antes.

Foi então, como a maior surpresa de minha vida,  descobri que “re-arranjando os elementos constituintes de uma galáxia de forma diferente daquela como foram conectados pelos modelos teóricos da moderna  “Teoria Astronomica Nebular”,   surgia um sistema astronomico que cabia, preenchia perfeitamente a imagem do meu retrato falado!

Assim como acontece numa delegacia de policia, o desenhista presta atenção nos detalhes comuns descritos por todas as testemunhas e não pode se deixar induzir por opiniões fundamentadas em aparencias, eu coletei o maximo possivel de dados como fatos reais que a humanidade havia colecionado em toda sua história, limpando-os da aura interpretativa que os impregnavam. O resultado é que um novo modelo do Cosmos se ajeitava perfeitamente nos contornos do criminoso procurado pelo retrato falado feito na Terra.  

Na selva eu passei muitos dias atordoado, extremamente excitado, com a mente em total reboliço, pois todo o mundo em que acreditei tinha que ser entornado, virado aos avêssos, de pernas pro ar, um choque violento entre cosmovisòes. Mas a nova cosmovisão que nascia ali era irresistivelmente mais racional, lógica, palpável, testavel cientificamente,  que a cosmovisão que reinava nos cérebros dos homens que lidavam com o mesmo mistério na distante civilização. O cêpo primitivo comum de Darwin, tão ansiosamente e incansávelmente procurado nos ultimos cem anos pelos biólogos e quimicos positivistas que, como eu,  agachados de joelhos e revirando a lama dos pantanos e fundos oceanicos, ou outros como Stanley e Miller que calcualvam a redução da atmosfera aos niveis da Terra primitiva tentando produzir LUCA no laboratório,  e todos nós buscavamos um LUCA orgânico, biológico e microscópico, surgia agora como um ser macroscópico, astronomico, semi-mecânico/semi-biológico, uma máquina biológica incrivelmente perfeita, mas deslocada da Terra para o… céu!

Passei dias revisando e revirando a história cronológica da minha investigação para ver onde teria errado, onde minha mente teria se desviado dá lógica da causação naturalista para vagabundear pelo mundo da mistica como tem ocorrido com todos os buscadores do entendimento do mundo e significado de sua e nossa existência. Nunca encontrei: jamais dei um passo adiante nos calculos se o ultimo modelo calculado não tivesse localizado um fenomeno ou evento real, natural, palpavel e conhecido de todos, para servir de parametro factual e não deixar a linha da lógica natural ser quebrada pela inserção de fantasias místicas, tas como a própria fantasia mística na crença de poder criativo a partir do nada da matéria, que tem enganado muitos teóricos modernos. 

    

  O “elo” se apresenta como um sistema natural que é a máquina mais perfeita possivel de existir, e os sete tipos de astros celestes se alinham num sistema funcional exatamente à mesma imagem e funcionalidade de um microscópico nucleotideo, o qual é a unidade fundamental de informação do DNA, o Código da Vida.  Portanto nunca houve “origens” da Vida mas sim um normal e gradual processo evolutivo onde por nanotecnologia a Natureza reproduz o macro em micro e por giantologia faz o caminho inverso. E também não faz sentido separar a matéria em matéria inanimada e Vida, pois isto seria comparar um urso inteiro com apenas um fígado isolado e inerte de outro urso para dizer que um “um urso é algo vivo” e “um fígado isolado  é algo inanimado”. Seres vivos são “sistemas” e como tais devem ser comparados com outros sistemas naturais como átomos e galáxias, as quais são igualmente dinamicas e apresentam em estado bruto todas as propriedades da vida.

A descoberta de que LUCA, o “Last Universal Common Ancestor” e iniciador de todas as espécies biológicas da Terra, não é um ser microscópico e nem existiu na superficie do planeta, mas sim é um ser macroscópico do qual a Terra é mais uma de suas peças, , nos envolvendo acima e abaixo e por todos os lados, tambem está inscrito em nosso íntimo código genetico, transforma e completa a Teoria da Evolução Darwiniana, pois conectando numa só linhagem evolutiva e racional a Evolução Cosmológica e a Evolução Biológica, nos conduz a descobrir que as tres variaveis ou postulados universais descobertas por Darwin (VSH =  Variação, Seleção Natural e Hereditariedade) explicam apenas partes da micro-evolução biológica, a qual nada mais é que apenas um dos ciclos de uma mutação da Macro-Evolução Universal, que para ser entendida são necessarias acrescentar mais quatro variaveis provenientes principalmente dos principios fisicos da termodinamica (Entropia, Conservação de Energia, Tempo como Ondas e Espaço como Partículas). Inclusive a evolução universal é um processo que é uma réplica da mesma evolução do computador, onde uma primitiva máquina de calcular nos conduziu a produzir um código energético mas abstrato de informações denominado “software”, o qual exigiu que a maquina como hardware fosse mutada, aperfeiçoada, e cuja mutação do hardware propiciou o aperfeiçoeamento do software, e assim tambem o mundo vem evoluindo desde o Big Bang”: A Natureza composta de matéria na forma de massa, o hardware, mais a matéria na forma de energia ou fluxo de informação, um código de instruções: o software, a alma do mundo. A complexidade, a evolução, resulta deste processo de feed=back ou retro-alimentação entre hardware e software. A ultima forma evoluida deste “software – alma do mundo” – é um sistema novo natural recém fecundado e ainda em estágio embrionario no meio de uma placenta que denominamos “cérebro humano”: é a Auto-Consciência ou Mente Humana.  

O homem tem um código, o DNA,… mas os corpos e sistemas astronomicos tambem tem um código, que é um ancestral do DNA! Portanto, o nosso DNA é apenas uma das formas evolutivas de uma fórmula natural, uma “Matriz Universal”!  

O Ser Humano é, em essencia, DNA: o Código da Vida. Mas o DNA é apenas uma pilha de uma espécie de tijolinhos, denominados “Nucleotideos”. Na figura acima (por favor, desculpe a falta total de técnica e arte do desenho, pois tive que passar desenhos feitos a mão e rabiscados em papéis na selva amazônica sob sofríveis e precárias condições, para o computador sem nada entender web design…), vemos as duas hastes laterais do DNA (cor laranja), formadas pela alternancia entre uma molécula de açúcar e uma de fosfato. Tambem vemos um par de nucleotideos, que sao complementados com as quatro bases comuns nitrogenadas (guanina, citosina, adenina, timina) e uma quinta alternada, a uracila. Portanto, o segredo maior do Código da Vida está na sua Unidade Fundamental, o Nucleotideo: a Unidade Fundamental de Informação. Como e porque a Natureza (ou seja lá quem tenha sido o autor disto, se Deus ou o Acaso), usou este metodo de organizar alguns átomos nesta arquitetura?! A resposta nos leva a uma das maiores e revolucionarias descobertas de todos os tempos: o nosso elo com este imenso céu estrelado que nos rodeia, denominado Universo!

 O Cosmos tambem possui DNA. E seu DNA tambem possui uma Unidade Fundamental, ou seja, todo o “edificio” cosmico foi construido com um unico tipo de ” tijolinho”, o qual é composto por sete tipos de astros: Buraco Branco ( que ocupa os mesmos espaços onde a Teoria Nebular está vendo um fantasma e denominando-o Buraco Negro), Quasar, Germe Estelar ou Lua, Planeta, Pulsar, Estrela, Cometa. Nesta sequencia os sete astros formam um Proto-Sistema, nos moldes da figura. Acontece,… ( e aqui está concebido um lance fantástico de extraordinaria engenharia natural), acontece que a forma, a anatomia, do Proto-Sistema Celestial e’ identica à forma de um … Nucleotideo! Nao só a mesma forma de Unidade Fundamental da Informação existe tanto no Céu como no Corpo Humano, mas tambem a Função de cada astro em seu Proto-Sistema é identica à Função de cada molécula no “Sistema Nucleotideo”! O que significa isto?!

Você já ouviu falar em Nanotecnologia. Podemos resumir uma letra escrita “A” neste tamanho, cuja tinta e papel contém milhares de átomos,   num microscópico “A” com apenas cinco atomos de tinta e poucas dezenas de papel, e assim colocar todos os 30.000 volumes da Biblioteca dentro da cabeça de um alfinete! A Natureza aplicou nanotecnologia quando fez seu corpo: resumiu os seus pais, do tamanho e peso que apresentam como adultos, num microscópico saquinho cromossomico! Nao tem importancia o tamanho de um corpo, mas sim a quantidade de unidades de informacao diferentes entre si, o que determina a qualodade e a identidade do corpo. Ora, um planeta como a Terra tem quaquilhões de unidades com a mesma informação, porem, devido ser um corpo muito simples, talvez não possua mais que um milhar de particulas-informação diferenciadas. Portanto seria possivel resumir o tamanho mantendo uma copia identica e colocar muitas vezes 30.000 planetas dentro da cabeça de um alfinete!

Agora podemos voltar ao tema “tijolinhos dos sistemas astronomicos identicos aos tijolinhos do corpo humano”,  e responder o que significa isto. A 4 bilhões de anos atrás, a Evolução Cosmologica que começou com o Big Bang tinha produzido uma espécie de arquitetura que ocupava o topo da Evolução, assim como a espécie humana ocupa o topo da Evolução dentre os Sistemas Biológicos na Terra. E a espécie que se encontrava no topo era o Proto-Sistema acima. Naquela epoca, átomos da Terra começaram a se comportarem estranhamente, combinando-se de maneira que nunca fizeram antes, surgiram as combinações denominadas moléculas e a cerca de 3,5 bilhões de anos atrás um fantastico primeiro ser vivo saiu arrastando-se na superficie deste planeta. Magica? Produzida por interferência direta de uma Criação Divina ou do Acaso Absoluto? Ou teria sido apenas mais um passo evolucionario a partir da ultima espécie evoluída naquela época? Onde estavam, como estavam organizadas, as forças, substancias e demais elementos que convergiram para um mesmo ponto e num mesmo momento astronomico e produziram a Vida?  

Os primeiros RNA/DNA surgidos nos primeiros seres vivos já continham cerca de trezentos pacotes de informações, denominados “genes”.  Mas… eram informações sobre o que? De quem? Com que significado? Seriam apenas informações sobre a Historia dos cerca de três bilhões de anos da biogenese, ou seja, da gestação do primeiro ser vivo? Ou haveriam ali informações sobre algo mais?

Neste momento começam a aparecerem as pistas para resolver-mos o quebra-cabeças do maior enigma de todos os tempos, aquele que mais de perto interessa ao ser humano. Enquanto um corpo humano demora nove meses para ser gestado, a gestação do primeiro sistema biológico, do primeiro ser vivo, demorou bilhões de anos! Portanto, o evento da gestação do primeiro ser vivo obedeceu às regras astronomicas e não as regras biológicas. E isto forçosamente nos obriga – na nossa incansável investigação sobre as nossas origens –  a desviar os olhos do solo da Terra e levantar a cabeça para observar o céu onde se encontram as dimensões astronomicas. O primeiro ser vivo já era um “SISTEMA” – o celular – e não apenas uma peça, um órgão, ou uma parte de um sistema. Portanto, seu criador, aquele que deveria estar inscrito nos transmitidos 300 pacotes geneticos e gestou a nova criatura por tanto tempo,  tem que ter sido, em si mesmo, um “sistema”. Mas na superficie nua e árida da Terra primitiva não havia sistema com configuração semelhante ao sistema celular que surgiu aqui. Certamente vieram forças e substancias de outros lugares alem da Terra. Mas como, de que maneira?

O primeiro ser vivo saiu a se reproduzir pelko processo genético. Desde que não cabe num raciocinio lógico formal a idéia de que aquele ser vivo tenha inventado o processo da reprodução genética, então a unica alternativa que resta é a de que ele próprio foi gerado por um processo genético. E assim fomos descobrir como fuunciona a reprodução genética a nivel astronomico: ao invés de os genes, os menores bits-informação, serem transmitidos em envelopes cerrados como são os saquinhos cromossomicos, como acontece na micro-evolução, na macro-evolução estes bits são transmitidos separadamente, espalhados no tempo e no espaço, o que explica enigmas como a diversidade das espécies e a irredutivel complexidade a um elemento iniciador hipotéticamente fixo na Terra.      

Como vimos acima, o estado do mundo naquela época apresentava como topo evolucionario o Proto-Sistema. Esta criatura, formada por sete corpos flutuando no espaco, era ou tinha o “DNA”, a forma da Matriz Universal,  mais evoluida do Universo. E vimos que ele é `a imagem e semelhança e funcionalmente identico ao DNA do primeiro ser vivo. Já vimos que existe a nanotecnologia e a Natureza sabe fazer uso dela. Portanto, creio não ser mais necessário expor motivos e argumentos e evidencias aqui: O Código do Cosmos evoluiu para o   Código da Vida!

Aliás,  já não faz mais sentido falar em “origens da Vida”. Primeiro porque a palavra “origem” significaria uma quebra abrupta na lei da causação, na corrente natural de causas e efeitos, motivada por algum elemento não-natural e eu, nem ninguém, nunca vimos isto ocorrer; segundo porque a maneira como funciona o Proto-Sistema Astronomico, apesar de na maior parte ser regido pelas leis da mecanica newtoniana, utiliza sete funções que sao identicas às sete principais propriedades vitais (reprodução, metabolismo, auto-regulação de pressão, etc), portanto não existe mais divisão entre Vida e inanimados, a não ser que teimem em continuar comparando sistemas completos com pedaços isolados de outros sistemas. 

Hoje completamos 200 anos passados desde que Charles Darwin têve a brilhante idéia da “Evolução” e desde então um exército de quimicos positivistas, físicos e biólogos de todas as areas se ajoelham na lama de pantanos ou lodo de fundos oceanicos em busca do mais misterioso personagem de todos os tempos: o microscópico cepo primitivo comum que teria deflagrado a Vida na Terra. A Teoria da Evolução Neo-Darwiniana está fundamentada na formula VSH ( Variação, Seleção, Hereditariedade). Mas Darwin não poderia ter alcançado a verdadeira essencia do processo da Evolucao com os conhecimentos da época, ele ficou limitado aos tres postulados universais variáveis, as pistas apontavam realmente para o microcosmo como residencia de LUCA, ele lidou apenas com a Micro-Evolução dos sitemas biológicos e na Terra, quando esta faz parte de um edificio cósmico de proporções inimaginaveis, que é regido pelas Leis da Macro-Evolução, as quais implicam em que a Evolução possua sete variaveis universais e não apenas as tres darwinianas, e que ao invés de um LUCA microscópico se arrastando nos pantanos da Terra, o verdadeiro criador da Vida na Terra é macro-cósmico e espraia-se no céu cobrindo-nos por todos os lados, estamos dentro dele e ele está dentro de nós!

Esta mudança do ponto de referencia de LUCA, do “gatilho disparador”, da base de uma visão de mundo, e a descoberta do nosso elo com o Universo, não poderia ter tardado mais e vem num momento oportuno. Nossa espécie tem sido humilhada, enfraquecida, perdemos nosso lar cosmico como centro do Universo, nossa posição como centro da criação, fomos vistos como mera extensão dos animais descendentes de macacos melhorados, perdemos a sintonia com a nossa Natureza e estamos a ponto de perder a autonomia e liberdade de nossa Auto-Consciencia. Esta nova cosmovisão vem como uma reação espetacular, capaz de nos reconduzir ao tronco da Evolução, não apenas daquela em que está assentado LUCA, mas a outra muito mais elevada e suprema que nos espreita desde além do Cosmos: retornamos não apenas ao centro do Universo mas sim nós descobrimos como sendo o próprio universo hoje, que o imenso céu de estrelas que vemos no firmamento nada mais é que os corpos e fósseis de nossos ancestrais, somos o Universo que adquiriu pernas e caminha, um Universo que começa a ter a consciencia de sua própria existencia, e essa consciencia do Universo, que a nós pertence começa a descobrir através da História que ela própria foi gerada genéticamente, portanto, o nosso próximo passo será a procura de uma auto-consciencia extra-universal que tem de ser e será. á nossa imagem e semelhança! 

Congratulações… seres humanos,… irmãos de especie! Todos nós estamos de parabens! Acabamos de descobrir que nossa existência tem sim, um propósito extra-universal e um sublime futuro a percorrer!

Educação:Como melhorar a qualidade do ensino da evolução nas escolas

sexta-feira, agosto 21st, 2009

to improve the quality of evolution education in schools?

Desde que a Teoria da Evolução por Darwin e mesmo sua face moderna neo-darwinista passa a idéia de que deve se excluir o dedo de Deus na história da vida, e desde que os fatos cientificos reunidos numa teoria qualquer jamais podem cientificamente tocar no assunto de Deus, essa idéia deve ser removida da Teoria da Evolução. Isto não é minha opinião e sim um imperativo cientifico. Se alguém discorda me aponte o porque.

Tocando em assuntos que não são de sua alçada, a Teoria da Evolução arrumou um grande problema, um problema desnecessário: angariou antipatias entre a maioria da população que é deísta, e um tipo de deísmo interferente na história da vida. Hoje ela se vê combatida e ameaçada dentro das escolas e inclusive por grupos que clamam fazer ciencia, como o Intelligent Designer. Poderia ter evitado esse dissabor se tivesse permanecido dentro de seus limites lógicos e exigidos pelos mandamentos cientificos.

Mas existe uma maneira de contornar esse problema, da teoria dar uma volta por cima e retornar com o mérito a que ela faz jus.

Por exemplo um dos principais escorregões da teoria nesse caso veio do prórpio Darwin quando disse algo como: “A diverdidade das espécies não foi criada de uma unica vez por Deus, mas sim surgiu pelos postulados da evolução a partir de um cêpo primitivo e ancestral de todas as espécies.”

Ora Darwin está correto ao dizer que Deus não esteve aqui criando os seres vivos um a um e na forma final que os conhecemos hoje, ele ainda está certo ao mencionar a existência do ancestral comum, mas ele está errado ao dizer que Deus não produziu a diversidade criando as espécies uma a uma. Pois traga-se sobre a mesa todos os milhares de dados que ele coletou e mais os milhões de dados que foram coletados após sua morte, aplique-se sobre estes dados as variaveis VSH – Variação, Seleção Natural e Hereditariedade – que são as regras que regulam a evolução segundo Darwin, e ainda podemos imaginar um Deus nas alturas fazendo tudo isso acontecer. Como?!

Basta deslocar o ponto no tempo e espaço onde teria existido LUCA (the Last Universal Common Ancestor) que Darwin imaginou sem no entanto ter nenhum fato comprobatório de que este teria sido o ponto, para um outro ponto mais distante no tempo e no espaço, como fizemos com os modelos da Teoria da Matriz Universal. Um pequeno deslocamento do ponto de referencia e descobrimos que, se de fato a diversidade das espécies foi produzida pela evolução, a própria evolução foi produzida por algo além da Terra e provavelmente do Universo. Portanto, continua válida a possibilidade de que algo ou alguem existente fora dos dominios da vida tenha criado o processo da evolução para que este criasse as espécies uma a uma. Para nós que elegemos os modelos da Matriz antes que a versão biblica, seja lá quem ou o que foi que produziu este Universo sob evolução o fez aplicvando leis e mecanismos e processos naturais, e não a magia. E nada temos contra quem dê a esse misterioso personagem ou objeto, o nome “Deus”. Temos sim, contra a idéia de magia, pois os modelos contasm toda a História Universal e em nenhum momento aparece qualquer ato de magia. E assim os modelos reforçam a tese de Spinoza: “Deus não transgrediria as Leis Naturais, se essas Leis foram por Ele próprio criadas. E magia é uma transgressão à ordem natural, principalmente à lei da causação, ou causa e efeito”

Mas com isso a Matriz tambem desloca “Deus” para um ponto no tempo e espaço muito mais distante que o imaginado pelos deístas que escreveram a Biblia. Ele agora é situado para além do Universo, repondo o direito e o nivel de grandeza que um Deus merece, um Deus que foi rebaixado a nivel humano quando o imaginaram no tempo e espaço da história humana.

Isto é evolução: os horizontes mentais vão se ampliando no tempo e no espaço, as forças desconhecidas que produzem fenomenos e cujas fontes eram imaginadas muito próximas vão se distanciando cada vez mais e permitindo que neste fosso entre nós e essas fontes se descubra qualidades naturais as quais vão nos aproximando como Natureza e como humanos destas mesmas fontes. Distanciar a fonte que foi mistificada para aproximar-nos da fonte que é a real.

Portanto, a Teoria da Evolução de Darwin deixa sim, uma porta aberta para a existência de Deus. Basta para isso entender-mos que Darwin não estudou a Evolução enquanto a nivel universal como ela é, e sim apenas a face micro-evolucionaria aplicada a sistemas biológicos, comumente denominados “seres vivos”. Ele pensou (como seria inevitavel pensar naquela época e mesmo comigo que tambem iniciei meus estudos pensando o mesmo) que LUCA seria um ser microscópico, que teria existido na superficie do planeta, e dentro do periodo biológico, quando agora os modelos da Matriz indicam que ele foi e ainda é, um ser macroscópico, astronomico, que existe como sistema compostos de astros incluindo os planetas, e que existe desde antes do periodo biológico. Basta essa pequena mudnaça de ponto referencial na teoria e Darwin não terá embasamento para refutar a idéia de que Deus é  responsável pela diversidade das espécies. Mas continua válida e agora com reforço teórico a idéia de Darwin de que as espécies foram produzidas uma a uma por métodos naturais e não por magia. 

    

Raios-X: Impressionante Caso Enaltecendo a Ciência

sexta-feira, agosto 14th, 2009

wilhelm-roentgen-e-o-raios-x.gif Wilhelm Conrad Röntgen, descobridor dos Raios-X

Muitos milhões de seres humanos sofreram torturas terríveis e morreram antes de 1900 porque não sabíamos que existe o Raios-X. Bilhões de pessoas hoje – inclusive eu algumas vezes e provavelmente você também –  passamos livres por estas tragédias, por isso devíamos erguer estátuas e criar o dia de Wilhelm Röntgen, ao invés de ficarem cultuando estas celebridades televisivas da inutilidade. Quando num acidente de carro tive um osso da perna lascado, fui livrado de muitas dores e tive salvo minha perna pela grande descoberta deste herói da Humanidade. 

Relato apenas um caso para que fique aqui registrado e para nunca esquecer, lido no website “Física e Cultura”, em http://www.cbpf.br/FISCUL/ , onde o leitor pode aprender toda a impressionante história da luta daquele homem e explica tudo sobre a história da descoberta. Este caso foi relatado no

“Jornal do Comércio”

Sexta-feira, 16 de fevereiro de 1896.

(Observe a data: 1896 ! Não é à tôa que o português vem todo errado)

A Photographia atravez dos Corpos Opacos

e começa assim:

O eminente professor de physica Wilhelm Conrad Roentgen, de Wutzburgo, acaba de fazer uma descoberta destinada, se os seus resultados se confirmarem amplamente, a produzir uma profunda revolução nas sciencias, sobretudo na medicina e mais particularmente e immediatamente ainda na cirurgia. Trata-se de uma descoberta realmente assombrosa, a photographia atravez dos corpos opacos, impenetraveis à luz e que os estudos do eminente professor provarão ser permeaveis a alguns raios luminosos. Excederia os limites da nossa competencia, entrar na explicação scientifica destes maravilhosos phenomenos. O que é certo é que a descoberta delles é sem dúvida uma das maiores conquistas da sciencia, predestinada a levantar uma ponta do véo de tantas cousas occultas até hoje aos nossos olhos, e cuja applicação irá determinar os mais inesperados resultados.

Limitamo-nos por hoje a apresentar aos leitores as experiencias que se tem feito em tal sentido e que, como se verá, têm sido as mais satisfatorias….”

A seguir o jornal cita vários eventos que assombraram o mundo na época e dentre eles extraio este caso impressionante:

O jornal de medicina inglez Lancet refere a seguinte observaçãorelativa a um doente, que se achava em tratamento havia muitos mezes em um dos grandes hospitaes, o Guy’s hospital.

Este individuo, que era marinheiro, tinha sido encontrado ébrio moribundo em um distrito mal afamado de Londres e transportado para o hospital. Passada a embriaguez, verificou-se que o infeliz estava paralytico das extremidades superiores e inferiores. O exame mais minuciosos não revelou mais do que insignificante chaga, situada na região dorso – lombar, e que não tardou a cicatrizar-se no fim de poucos dias. Desde então e a despeito de toda a medicação, o doente se conservava paralytico, quando o Dr. Williamson, chefe do serviço, teve a idéia de aplicar a photographia por raios-X na parte da columna vertebral correspondente à ferida.

 O cliché revelou-lhe a presença de um corpo extranho, cuja natureza não pode elle logo determinar, visto que estava insinuado entre a primeira vertebra dorsal e a primeira vertebra lombar. Uma incisão no ponto preciso correspondente fez-lhe descobrir uma lamina de faca tão fortemente incrustada nos corpos vertebrais que lhe foi preciso empregar reaes esforços para extrahi-la.

No fim de poucos dias o doente teve alta. Em Berna uma criança tinha mettido uma agulha na mão. Tratava-se de localisar exactamente este corpo extranho. O professor Kocher, com o auxílio do professor de physica Forster, tirou a photographia por raios-X do membro e graças a este meio conseguio alliviar promptamente o doente.

Impressionante, não é? Um marinheiro atraca num porto, sai para uma comemoração em terra firme, fica embriagado, é atacado por um assaltante que lhe crava uma faca com tanta força que ela entra no osso da coluna vertebral de maneira que quando ele puxa a faca só lhe vem o cabo. O marinheiro estava tão bebado que nada viu ou sentiu! Quando chega no hospital vê-se apenas uma ferida, um pequeno corte que logo cicatriza e ninguém  dá importancia aos arranhões de bebados. Mas uma faca tinha ficado lá dentro! Sem o Raios-X, sem Wilhem Conrad Röentgen… jamais alguem iria saber sobre essa faca, o individuo iria ser torturado com dores e ficar paralitico até a morte! Levando a faca para o caixão junto consigo! 

E no entanto, enquanto milhões de pessoas foram torturadas com dores horriveis até a morte desde os principios da Humanidade,  o Raios-X estava aí sendo desperdiçado porque era oculto a esta visão ainda muito débil que temos, prova de que não somos produtos de algum inteligente designer.

Mas esta história tem uma outra lição que não devemos deixar escapar-nos. Veja isto:

Um aspecto interessante sobre a descoberta dos raios X foi o fato dela não ter ocorrido antes, visto que vários cientistas, altamente capacitados e mesmo mais conhecidos do que Röntgen, vinham trabalhando com tubos de descarga há muitos anos. O fato de renomados cientistas não terem notado que estavam às voltas com um novo fenômeno tem a ver com a dificuldade de se “observar” aquilo que não se espera teoricamente. Por outro lado, como bem observou o conhecido historiador e filósofo da ciência Thomas S. Kuhn, é justamente a existência de investigações guiadas por paradigmas (um conjunto de problemas, expectativas teóricas, métodos e técnicas experimentais aceitas pelas comunidades científicas) que possibilita e mesmo conduz ao surgimento de anomalias, ou seja, “falhas” na natureza em se conformar inteiramente ao esperado.A Röntgen cabe o mérito de ter “visto” aquilo que outros “olharam” mas não perceberam e de ter concentrado seus esforços e habilidades na investigação do novo fenômeno, cujas repercussões fizeram-se sentir de forma imediata e estrondosa. Não sem razão , portanto, foi lhe atribuído o primeiro Prêmio Nobel de Física, no ano de 1901.”

Penso que o segredo do sucesso de Röentgen começou aqui:

“Em sua experiência Röntgen encontrou resultados inesperados. Aumentando a tensão aplicada aos eletrodos do tubo, ele observou um curioso fenômeno: um anteparo situado próximo ao tubo ficou fluorescente. Quando a corrente foi cortada esse fenômeno desapareceu.  Intrigado com este fenômeno e buscando compreender melhor essa nova radiação, Röntgen continuou suas experiências….

Como não havia outra alternativa, as Ciências nasceram e cresceram utilizando o método reducionista, que se limitaria a identificar, isolar e descrever fenômenos naturais, sem tempo para perguntar-se “porque?” Ainda hoje tem “cientificistas ateus” que dizem que não precisam de explicações para fenômenos gerais como a Vida, o Universo, etc. Aqui entra o Filósofo Naturalista – e para nossa sorte muitos cientistas, como Röentgen, o são por natureza – o qual tem por instinto nasciturno perguntar o porque a tudo, a cada nova imagem ou movimento que percebe na Natureza. E não se conforma enquanto sua mente não consegue uma maneira de arranjar as peças que circundam o fenômeno num quebra-cabeças racional e lógico e ele ficar por algum tempo satisfeito com a explicação encontrada. Quando o fenômeno é muito importante e a explicação encontrada promete ser util como conhecimento na longa evolução do pensamento humano, o filósofo elabora uma teoria e tenta divulga-la para conseguir apoio nos testes e mais cabeças pensantes para desenvolver o novo conhecimento. A Teoria da Matriz/DNA foi feita em grande parte assim. Por instinto natural, se eu estava sentado descansando embaixo de uma arvore, seja na selva ou no Central Park em New York, e um esquilo descesse da árvore correndo, caminhassae um metro para a direita, parasse e cheirasse o ar, aí virava-se para a esquerda, caminhando mais um metro, pairando e cheirando o ar, aí dava outra guinada mais a esquerda, mais um metro, cheirava e, inesperadamente, voltava para a arvore correndo… eu via aquilo e perguntava “porque?!” Porque “um monte de átomos reunidos num corpo” se move, faz estes trajetos absurdos sem qualquer razão, e retorna a ficar quieto onde estava antes?!

Horas refletindo e buscando na história do passado dos átomos, celulas e orgãos daquele animal, assim, como nos átomos e celulas e seivas daquela arvore, assim como nos átomos da atmosfera e nas fontes dos cheiros da atmosfera, enquanto com lápis e papel desenhava  a trajetória feita pelo animal e… de repente o que tinha parecido absurdo se revelava como sendo um evento racional, naturalmente inrevitável, percebendo que os movimentos do animal, os pontos onde ele parou, inclusive os tempos diferentes que ele permaneceu em cada ponto, fornecia no papel finalmente um desenho inesperado mas compreensível: seus atomos haviam participado de um ritual tradicional que eles aprenderam muito tempo antes das origens dos esquilos, redesenhado a forma da Matriz onde eles estiveram a tres bilhões de anos atrás…, o mesmo retrato de um astro celeste se movendo sujeito a um ciclo vital, o mesmo retrato da evolução de um astro no céu… era um forte indício de que LUCA continuava a dominar a psicologia de esquilos, que ele estava ainda regulando as leis gerais que dirigiam aqueles atomos do animal, que ele está ali incrustrado na sua genética… e assim finalmente tinha encontrado uma explicação racional e naturalmente lógica… 

Quase todos os dias estou vendo documentos cientificos sendo publicados em todas as areas, novas imagens e fotos por microscopios e telescópios, e ao ver as interpretações ou falta delas, sempre há algum detalhe que ninguém nota, mas para quem tem os mapas da Matriz tornam-se muito importantes. A Teoria Nebular que rege o mundo das ciencias astronomicas por exemplo está fazendo com que nossos especialistas deixem de perceber muitos detalhes importantissimos ou então interpretam outros detalhes de forma totalmente diferente da que a Matriz sugere. Não tenho como comunicar-lhes o que vejo e como vejo e mesmo que tivesse não prestariam atenção, primeiro porque estou isolado, desconhecido e sem os “papéis acadêmicos”, segundo porque se não explicar a nova cosmovisão desde o inicio não vão entender nada, e terceiro porque está diferente do que o paradigma oficial sugere.

Certa feita pensei em mandar estes recados desde a selva amazonica para os USA através de meus pombos correios. Mas logo os primeiros pombos voltaram com os papelitos amarrados nos pés e expressando-se através de danças comunicaram: “Eu não volto mais lá porque quando entrei no espaço aéreo daquele país de repente o céu escureceu de pombos que me cercaram e pediram documentos, coisas como um tal de visto no passaporte, se eu tinha social security number, me chamaram de “imigrante ilegal” e acabaram me deportando, escoltando-me até os limites do espaço aéreo… Fui enxotado… pombas!”

Brincadeiras à parte, pergunto como teria reagido aquela mulher que naquela tarde estava sentada no banco do parque do meu lado e também viu o mesmo esquilo naquele ritual? Certamente ela teria pensado assim:

– ” Ooops… um esquilo. Deixe-me ver, bem, meu corpo está salvo, estes animais não são ofensivos. Mas que bonitinho, tem os pelos lisos e aquela faixa de cores no centro da testa. Em que pode me ser util? Ser alisado, ter por perto me fazendo festas, serviria-me como animal de estimação. É… foi embora! E este homem aí do lado, desenhando e escrevendo num caderno, pensando, olhando para o nada, parece louco! Ou será que é bicha, pois não se me insinuou, parece que nem me viu aqui… que coisa estranha! Pouco importa: com aqueles sapatos rotos, aquela roupa  pobre sem marca  e amassada, deve ser mesmo um pé rapado.”

Filósofos não sabem ganhar dinheiro, são sempre pobres e hoje, pessoas de nivel intelectual se enriquecem, portanto são superiores a filósofos. Certa feita, Einstein estava sentado em sua sala lendo um livro quando a camareira se aproximou dizendo:

– “Sr. Eisntein, estou recebendo do correio várias cobranças de água, luz, prestações atrasadas e não temos dinheiro no banco…”

– ” Chiiii… então a minha situação está prêta, hein? Hummm… e o salário de professor… não sei onde vou arrumar esse dinheiro…”

Olhando de soslaio por cima dos ombros de Einstein e vendo o livro, a camareira perguntou:

– “Sr. Einstein… este papel que o senhor está usando para marcar a página do livro, não é um cheque?”

– ” Hein?!… Hummm… deixa ver… sim é um cheque… da Universidade de Waterloo… e de cinco mil dólares! Ah, … sim foi uma palestra que fiz lá a seis meses atrás…”

– “Mas, Sr. Einstein! Isso é suficiente para pagar todas as contas e meus salarios atrasados!” – disse isso e saiu com o cheque resmungando: “Esse aí só tem olhos para aquelas letras nos livros e não vê um cheque de cinco mil dólares embaixo de seu nariz!”

Quer dizer, a diferença entre o filósofo e um ser humano comum, normal, neste atual estágio da evolução, é que todos os pensamentos da pessoa comum começam e terminam no próprio umbigo, como expressão exclusiva do ego, utilitarista e imediatista. Enquanto o filósofo parece existir apenas mentalmente de maneira que ignora o próprio umbigo, nem se dá conta que existe, e sua mente se transporta para as coisas do mundo exterior, não se importando muito com as aparências, mas tentando invadir o nucleo interno das coisas e extrapolando na analise do exterior que o envolve. Eu me foquei primeiramente não num animal e sim num “monte de átomos, organizados de tal e tal maneira…”

Acho que o mundo precisa dos dois tipos de pessoas, as comuns para manter a humanidade viva e no melhor conforto possivel aqui e agora, e o filósofo, assim como os cientistas, para não deixar esta humanidade estagnar numa forma provisória e num estado do mundo único de hoje, para mante-la sob evolução, pois certamente as condições do mundo hoje serão alterados amanhã e se a humanidade não for alterada igualmente… se a HUMANIDADE SE SUPERESPECIALIZAR NUM MODO DE EXISTÊNCIA E TORNAR-SE UM FIM EM SI MESMA, SE TORNAR-SE  UM BECO SEM SAÍDA COMO FORAM OS DINOSSAUROS, E AGORA SE COMPORTAM OS LEÕES, AS BALEIAS, ETC., A NATUREZA QUE NÃO SE ESTAGNA, PASSA POR CIMA DELA, ANIQUILANDO-A… 

Na formula-software da Matriz como sistema fechado em si mesmo, podemos notar que todas as peças estão dominadas pelo mecaniciamo das massas, sob o poder e desejos da fêmea reinando na Função. O macho pulsar também está dominado pelos encantos da rainha e juntos formam o circuito da serpente engolindo a própria cauda. Apenas o macho pulsar poderia quebrar aquele ciclo eterno, se, quando ejacula os cometas, ao invés de direciona-los para o corpo da femea, desse uma volta em si mesmo e ejaculasse enviando os cometas para o espaço sideral, abrindo o sistema e lentamente permitindo à entropia desfazê-lo. É justamente esta a função dos filósofos naturalistas e intelectuais e cientistas com esse espirito de inndagação sobe o que está sendo considerado “conhecimento inutil”: eles sempre alimentam as civilizações com novidades, com descobertas revolucionarias, e assim mantem o sistema social humano aberto, atirando jatos da mente para horizontes alem do tempo e espaço perceptiveis aos sentidos.  

“Se existe Deus e Röentgen teve uma alma, que Deus mantenha essa alma em bom estado e lugar, pois se um dia eu for para aquele lugar me ajoelharei e beijarei os pés de um verdadeiro herói e benfeitor da Humanidade.”

A Filosofia Naturalista assim como os intelectuais pragmáticos está em baixa neste mundo moderno. Basta mencionar-se a palavra “filósofo”e um riso sarcástico, ironico, complacente se desenha nos lábios. Conhecimento de coisas que estão além do horizonte imediato alcançado a olho nu e pelos dedos e que não dão lucro imediato em dinheiro é taxado de “conhecimento inutil”. Vemos críticas a esse conhecimento inútil até nos murais de empresas e das universidades. Pois bem. Certa feita o filósofo jônico Tales caminhava pelas ruas de Mileto como sempre, olhando para o céu e fazendo seus calculos sobre a existência do mundo, quando caiu numa vala profunda que havia na trilha. Logo a seguir vinha duas donzelas ricas da Côrte, tôdas empetecadas com aqueles vestidos longos e rodados, bordados a ouro, luvas brancas segurando sombrinhas rendadas, e pararam ante o buraco olhando o filósofo lá embaixo, rindo e dizendo: “Esse aí se preocupa tanto com as coisas do céu que se esquece de olhar para os buracos embaixo de seus pés…ha…ha…”

Bem… se passaram quase tres mil anos e pergunto: Quem eram as donzelas? Quais os seus nomes? O que fizeram que ficou registrado na História? Um minimo feito qualquer…? Eram vaidosas porque o povo da época as achavam belas, mas existe alguma estátua delas em alguma praça de Atenas ou algum museu do mundo? Não adianta: o corpo material e seus pertences materiais desaparecem para o sempre. No entanto, a olho nu a mente de Tales se aprofundou tanto na Natureza que arrancou de seu mais íntimo rincão o tijolinho básico que constitui sua existência: o átomo! Sim, Tales foi o, primeiro homem no mundo a sugerir o nome “átomo”, o qual seria universal. Passaram-se tres mil anos mas as crianças de todos os quinto graus de todas as escolas do mundo aprenderam que existiu um homem que se chamava Tales de Mileto, pois todo mundo aprende que existe o átomo. Sua estátua e sua figura se espalha por museus, praças e livros. A mente humana mal está nascendo mas a sua constituição e seus feitos, mesmo quando ainda na sua infancia, têm um destino diferente do corpo e pertences materiais: ela será levada pelo homem na sua aventura cósmica para espaços e tempos inimagináveis, talvez até mesmo sendo recordada ao infinito.

Claro que este hino à mente estimulando mais seu uso que o apêgo a coisas materiais tem aqui um propósito “matricial”: tudo é válido no sentido de liberta-la da escravidão do Admiravel Mundo Novo que se avizinha, onde a menção da palavra “filosofia” poderá ser considerado o maior sacrilégio pelo Grande Irmão. 

 

 

Montanhas da Criação ou A Placenta Celeste?

terça-feira, agosto 11th, 2009

a-placenta-celeste.jpg

A Placenta Celeste pela Teoria da Matriz/DNA Universal

Continua a controvérsia entre a Teoria da Matriz/DNA e a Teoria Nebular. O Spitzer, um telescópio que navega no espaço sideral nos manda esta foto. Estas massas de gás frio e de poeira cósmica ficam situadas numa região de formação de estrelas designada por W5, na constelação da Cassiopeia. O pessoal da NASA, que conhecem apenas a Teoria Nebular e desconhecem os modelos astronomicos da Teoria da Matriz/DNA, interpretam que estas massas são criadoras de estrelas e por isso deram o nome á foto de “Montanhas da Criação”. Enquanto isso a Teoria da Matriz/DNA interpreta a foto de outra maneira e sugere outro nome: A Placenta Celeste. E explica:

“No Vórtice existente nos nucleos galácticos ou naqueles “buracos brancos” formados pela poeira de estrelas velhas e em decomposição, surgem as esferas chamejantes constituidas principalmente de ferro e quando são expelidas ou abortadas  pelos vórtices estas esferas atravessam o horizonte de eventos que é constituído pela massa de gás, debris, detritos de astros e estrelas desfeitas. Nestas regiões frias o caldo chamejante da esfera se enrijece e seu magnetismo atrai as massas da região, as quais se agregam e cobrem a esfera. Assim, a esfera inicial torna-se nucleo adormecido de uma esfera maior, a qual vai se tornar as camadas geológicas ou crostras de rochas e os oceanos, e nesta fase os astros são por nós humanos denominados como “planetas”. Dormitando como o germe dormita na semente de um grão de milho, o nucleo vai ser despertado quando o planeta cair na órbita de uma estrela, cuja energia vai se infiltrar no solo do planeta e alcançar o germe nuclear. Quando ele é despertado tem inicio as reações nucleares, ou seja ele começa a se alimentar das particulas de energia dos atomos que constituem o seu envoltório. Por isso, assim como em todos os embriões vivos, aquela massa nutritiva vai nutrir a formação do germe e então ela faz o mesmo papel da placenta para os seres vivos. Quando termina a energia contida na placenta, o planeta tem sua superficie coberta por gigantescos vulcões em erupção, tornando-se o que denominamos “pulsar”, e então tôda a atmosfera colapsa-se e o astro desabrocha mil vezes mais crescido e luminoso, na forma de uma estrela supernova, como filha da estrela que a amamentou. Os modelos da Teoria Nebular estão baseados apenas na mecânica celeste Newtoniana, a qual se aplica razoavelmente aos sistemas estelares, porém, quando estes sistemas evoluiram para sistemas galácticos tornaram-se semi-mecânicos/semi-biológicos, e é esta superficial cobertura de Vida que rege o Cosmos que continua despercebida para a astronomia moderna humana.”    

 O Spitzer, ao estar equipado com câmaras de infravermelho, consegue penetrar nestas nuvens escuras e detectar esferas luminosas que eram desconhecidas até agora e com isso interpretam-nas como novas estrelas em formação. Segundo a Matriz, de fato as esferas estão envolvidas no processo da formação de estrelas, mas porém, não são estrelas jovens, como dizem. Estas esferas estão, para as estrelas, assim como aquele germe branco na ponta de um grão de milho está para o envoltótio amarelo e nutritivo do grão de milho.  Ou assim como um feto humano está para um adulto humano. Antes de serem estrelas, elas serão nucleos de planetas e depois, pulsares.

O Sptizer consegue esta façanha porque a luz infravermelha consegue viajar através da poeira, enquanto que a luz visível é bloqueada por ela. Além disso, a própria poeira é aquecida pela luz das estrelas circundantes e emite no infravermelho.

Bem,… vamos esperar o tempo – que é o maior e unico gabaritado juiz nestes casos – decidir se o nome daquilo será as Montanhas da Criação ou A Placenta Celeste. ( Raios, não consigo engolir aquele nome; voces já viram montanhas onde ocorre criação de alguma coisa?! Eu nunca ví…)

O fato é que a Teoria Nebular, eleita mundialmente na falta de outra melhor na época, e que está sendo ensinada nos bancos escolares formando a cosmovisão de nossos filhos, parece-me eivada de misticismo e destituída de lógica e racionalidade. Nela a Evolução Cosmógica durante 10 bilhões de anos não tem os atributos e propriedades que expliquem o que o Cosmos produziu realmente: o fenômeno dos sistemas biológicos, cognominados de “seres vivos”, nos ultimos 3,7 bilhões de anos. Assim a História Universal está dividida em dois blocos sem conexão racional entre si ( A História Cosmológica e a História Biológica), não se detecta os principios que regem a evolução biológica que existiram na evolução cosmológica e vice-versa, não se identifica e nem se demonstra as forças e elementos fisicos que existiam no estado do mundo nos momentos antes das origens da Vida e que expliquem estas origens. Entre as duas Histórias criou-se um abismo de trevas e para contentar a curiosidade da mente humana ainda infantil criaram estórias fantasiosas de monstros e dragões alados, tais como o hipotético e fantasmagórico buraco negro canibal a devorar mundos inteiros. Por outro lado, os modelos da Teoria da Matriz/DNA Universal foi um ato rebelde mais adulto contra esta mística, forjado sob tortura nos infernos da selva amazônica em nichos jamais tocados pelo homem branco e portanto uma parte da biosfera que permanece ainda virgem e testemunha dos eventos nas origens da Vida, eventos estes que revelam ou sugerem um surpreendente porem racional reino astronomico nos envolvendo, dentro do qual existimos e pelo qual fomos gerados. Nestes modelos a fria mecânica celeste Newtoniana começa a  revelar uma cobertura ainda primitiva e selvagem de leis biológicas, os astros surgem como nossos reais antepassados e adquirem inclusive um principio do ciclo vital, cujas produções eliminam totalmente a crença moderna na geração espontanea e casuística de planetas e estrelas. A Teoria da Evolução Darwiniana descobre-se como a descrição de um mero ciclo micro-evolutivo da macro-evolução universal e suas tres variaveis ou postulados universais conhecidos como Variação, Seleção Natural e Hereditariedade tomam um banho de termodinamica, ganhando mais quatro variáveis para tornar-se a verdadeira Evolução Universal e assim inclusive explicar e preencher as lacunas na teoria darwiniana. O modelo dos building blocks dos sistemas astronomicos são tratados pela Natureza pela técnica da nanotecnologia – assim como ela faz quando transforma um corpo adulto humano numa microscópica célula que reinicia a reprodução de novo corpo – e assim sistemas astronomicos se reproduzem como sistemas microscópicos como são os “nucleotideos”, que são as unbidades fundamentais de informação ou “building blocks” dos sistemas biológicos. E assim nós, humanos, entendemos nnumrelance nossa intima e inquebrantável ligacão com o Cosmos, pois ele adentra nossa carne e nel;a instala sua semente, o DNA, que melhor seria denominado “O Código Cósmico Humano”. Enquanto isto, a descoberta do ancestral de RNA’s e DNA’s e portanto do primeiro ser vivo que moveu-se neste planeta, como sendo um ser astronomico, desloca a idéia de LUCA – the Last Universal Common Ancestral – da superficie da Terra e o situa no Céu, com isso obrigando-nos a mudar drasticamente nosso entendimento sobre nossa existência, inclusive reabrindo as portas do racionalismo materialista lógico para a a possibilidade da existência de Inteligencias Superiores, que parecem ocuparem-se em  criar universos brincando com softwares quanticos, ou então, que tal como nós, se fragmentam em seus bits-informação e se reproduzem como novos universos, o que daria um significado sublime e imortal para nossa existência como auto-consciencias. Mas como disse acima, os modelos estão sob testes e fotos como estas do Spitzer são duras provas pelos quais eles tem que passarem, e a resposta final está com o tempo. 

Cá nos Steits

sábado, agosto 1st, 2009

Esta coluna visa parodiar o antigo e saudoso Paulo Francis, que publicava nos principais jornais do Brasil uma coluna famosa, “Aqui em New York”. Mas com uma diferença: enquanto o Paulo era um intelectual, aristocrata, e bem pago para perambular nos ricos teatros da Broadway e no meio da socyalite novaiorquina para escrever prá rico brasileiro, nós vamos editar aqui artigos pela visão de imigrantes trabalhadores na construção, na faxina, etc., principalmente com muita mineirada.

Data: 31 de Julho de 2009

  Vacas voadoras vistas nos céus da América

Pois é verdade. É isso mesmo que você leu aí ! Era quarta-feira passada, pelas 3 PM (nota: PM não quer dizer Policia Militar e sim Post Meridian, que significa qualquer hora depois do meio-dia e vá-se acostumando com as muitas notas explicativas nesta coluna pois este autor é metido a engraçadinho) e um fazendeiro de Wantage Township ( uma cidade aqui perto) estava trabalhando dirigindo seu trator e começou uma forte ventania. Mais tarde as autoridades confirmaram que ocorreu ali um  poderoso tornado tipo EF-2 de 120 milhas por hora, que varreu as fazendas destruindo muitas residencias e derrubando milhares de arvores. Pois o vendaval ficou muito forte e o fazendeiro de nome Doug Rister sentiu o trator começar a ser levantado do chão, quando ele pulou fora e conseguiu escapulir do centro do rodamoinho. Mas nesse interim viu umas vacas sendo pegas pelo rodamoinho e sendo atiradas a 50 pés, enquanto tres delas saíram voando céu afora. Palavras do fazendeiro:

-” I looked up and saw tree limbs flying. It was a miracle, no one was hurt!”

     Vaca voando nos tornados não deve ser novidade, ninguém filmou ainda porque na hora do “pega” todo mundo sai debaixo e vai procurar um buraco prá se esconder, ninguém vai por a cabeça prá fora procurando vacas voando no céu. Mas a tendencia com esse aquecimento global é o planeta ficar cada vez mais maluco e os tornados cada vez mais fortes, tanto que vai ter vaca voando tão alto que vai ultrapassar a atmosfera e entrar em orbita eterna em volta da Terra. Como vamos chama-las? Novos satélites naturais ou Luas das Vacas? Quando a vaca for branca passa por Lua normal mas as pretas vão ser sempre luas em eclipse.

Mineiros economizando até celular em New York

Data: 31 de Julho de 2009

Com essa crise aqui na América, brasileiros estão dando um show de sobrevivencia, o mato está mesmo para cachorro, quer dizer, para quem foi treinado para sobreviver com o salário minimo no Brazil. Vai daí que os mineiros moram em arranha-céus próximos uns dos outros e com um binoculo numa janela vê-se as janelas dos outros espalhados no bairro. Então inventaram de comprar giz e escrever mensagens nos vidros das janelas para os outros com binóculos leêm. A coisa pegou bem que encostaram o celular e até não ligam o computador para falar no MSN Windows, só para economizar energia.  A fofoca agora é mantida em dia na seção das seis da tarde quando batem o maior papo via windows, mas é o windows janela mesmo. Um escreve lá: “Oi tchurma, tudo bem? Será que o dolar caiu”. E a mensagem corta os ares de Nova York provocando resposta numa janela de um edificio a 500 metros de distancia. Mas um português que mora no térreo insiste em entrar na conversa e escreve: “Acho que não caiu pois pois aqui embaixo não está…”

Mas americano está de olho vivo e com esta onda de terrorismo estes sinais pelo vidro pode dar problema. Como outro dia o Raimundo encostou o carro na rua embaixo de um predio onde mora e trabalha de baby-siter a namorada, cuja coitada não pode sair para namorar e nem receber o namorado em casa. E ele começou a escrever no vidro do carro: “Oi amor, tudo bem?”E ela com o binóculo lá na sacada do trigésimo andar vai na porta de vidro e responde : “Tudim… lov you!”. Feliz da vida ele apaga com o pano branco o que escreveu  e continua: “Ocê tá de mais com essa mini-saia aí em cima. Quando vai sair prá módi nóis i prá praia?

Nisso o serviço secreto americano captou a troca de mensagens, o país foi posto em alerta laranja, helicópteros sobrevoaram… que lingua arabe estariam usando os terroristas? Alguém sugeriu que era portugues e imediatamente foi convocado um  policial luso-americano para a tradução das mensagens…

 -“Meu bem, porque você veio de mini-saia?”

-“Ora quero testá se você sabe armar barraca, pois vai ser preciso prá barraca na praia, certo?”

Enquanto isso na van secreta que encostou próximo dali cheia de equipamentos de espionagem e com o policial portugues que vai traduzir, se ouve: 

– Hay, portuga! Qui focken job voce tá fazendo, em vez de olhar o que o cara está escrevendo no vidro do carro fica só olhando prá focken da sacada?! O que é “baraca”?

– Pois, pois, não sei isso é giria brasileira, eu acho que são brasileiros reais e não terroristas, pois esta giria e aquele monumento lá em cima…” Esse negócio de economizar celular ainda vai ficar caro… tô avisando!

 Obama encerra crise diplomática com uma cervejada 

obama-com-prof-gates-e-o-policial-crowley.jpg

As coisas estão mesmo de cabeça para baixo… Há 200 anos atrás, uma rodada de cervejas entre amigos num botequim de Paris deu inicio a uma das conversas mais inteligentes que já ví. E nesta semana uma rodada de cerveja na Casa Branca terminou com uma das conversas mais bestas que já vi.

Naquela época e naquela mesa estavam sentados nada mais nada menos que o mgrande cientista Louis Pasteur e o grande quimico positivista Linus Pauling. Observando a cerveja fermentar no copo começou uma discussão sobre a existência da vida. Assim como na cerveja o levedo produz a fermentação, Pasteur acreditava que deveria existir um principio vital fluindo na matéria terrestre, enquanto Pauling discordava dizendo que a vida deve ser produto de simples forças fisicas produzindo reações quimicas. Então Pasteur foi correndo para casa e fez aquela famosa experiencia, botando os ingredientes da cerveja num frasco esterilizado e tampando-o para não entrar ar e a cerveja não fermentou. Com isso ele afirmava que o principio vital vinha pelo ar. Foi o vencedor por algum tempo até que Urey e Miller fizeram a experiencia de botar alguns gases num frasco sob descargas elétricas e obter a formação de amino-acidos, uns dos tijolinhos da vida. Pasteur foi tachado de deísta, criacionista e Pauling subiu ao pódium. Hoje sabemos que a fermentação se deve ao levedo, bactérias, as quais são formadas de amino-acidos.

 Agora vem a Teoria da Matriz/DNA sugerindo que nos gazes do frasco existiam os fotons de um sistema semi-vivo ancestral, astronomico, portanto um real principio vital vindo alem do planeta e atuando em meio às reações químicas, porem este principio nada mais é que forças fisicas… organizadas no espaço sideral… quer dizer… Pasteur e Pauling estavam, ambos, 50% certos e 50% errados.

Mas semana passada um professor de Harvard muito conceituado, que por acaso é preto, chegava da China altas horas da madrugada e na sua mansão num bairro de classe alta próximo a Boston tinha problemas com a chave, e com seu amigo dava voltas à casa procurando lugar para entrar. Vai daí que uma motorista passando pelo local e acostumada a ver a casa fechada, viu os dois homens e avisou a policia. No final a policia algemou o Professor Gates levando-o para a delegacia, por “desacato à autoridade”. Acontece que o professor é amigo do… nada mais nada menos que o Presidente Obama… o homem mais poderoso da Terra! Onde esse policial foi mexer…

A coisa culminou com o presidente indo numa conferencia da imprensa e dizendo que o policial “acted stupidly” (atuou estupidamente). E então o meio policial do pais inteiro se agitou como para dar apoio ao policial. A coisa versou mesmo foi sobre racismo, pois o policial é louro, aquela região de Boston tem muitas passagens racistas, etc.. Quando a coisa estava esquentando o Obama muito esperto descobriu com podia esfria-la com um banho de cerveja e assim convidou o policial e o professor para fazerem as pazes na Casa Branca.

Com isso fica perturbada a coitada da cerveja que testemunha de tudo e sempre sobrando prá ela, anotou que as duas maiores preocupações dos humanos são:

1) Existe um principio vital que produz forças fisicas que produzem um principio vital que produz as forças na minha fermentação?

2) Um amigo do Presidente sendo molestado por uma autoridade do presidente na sua casa onde ele é a autoridade que paga o salario das autoridades, determina quem é a maior autoridade onde houve abuso de autoridade por parte do professor como autoridade da casa ou por parte do policial como autoridade do presidente?

Raios…

                                     —————–xxx—————–

 Nas profundezas dos oceanos, policial de transito aplica multa sobre submarino em alta velocidade 

  Não tem jeito mesmo, o Brazil está sempre atrasado em relação aos EUA. Na época que os primeiros carros apareceram no Brazil, aqueles rabos de peixe dirigidos apenas por adultos fazendeiros, nos EUA crianças já brincavam dirigindo tratores e caminhões. Agora que alguns adultos brasileiros estão dirigindo iates, a moda entre os jovens ricos americanos é nada mais mada menos que… adivinha! Pilotar sub-marinos nas costas da Flórida, e até já estão fazendo “pegas”. A coisa tá complicando com acidentes que resolveram botar semáforos lá embaixo mas não deu certo: a agua empurrada por um submarino que vem do norte para o sul faz o semáforo flutuante na agua girar de maneira que o verde fica para ele, mas o submarino que vem do leste para oeste gira o semaforo e se apossa do verde ao mesmo tempo e então… buuummm…

Aí tiraram os semáforos e puseram guardas mesmo, em carne e osso, lá embaixo, mas tambem não dá certo porque o apito não sai debaixo d’água. Por ora se limitam a dar tickets de multa aos mais apressadinhos. Mas já tem um grupinho esperto que descobriu como enganar os policiais. Fazem submarinos na forma de tubarões, e os guarda é que merecem agora levar uma multa  pois quando veem se aproximar um destes “tubarões”, correm mais que o diabo… 

Fique atento aqui que a cada meia-hora nossas poderosas antenas estarão captando noticias nesta aldeia enlouquecida…

———————————xxx——————————