Archive for outubro 3rd, 2009

Teoria da Recapitulação Cosmológica

sábado, outubro 3rd, 2009

haeckel_embryos.jpg

Embriões de Haeckel 

 Dentro da nossa perspectiva de que o Universo é uma produção genética, emerge a idéia de um “Universo Vivo”. Porem, para nós, Universo não é apenas aquela infinidade de estrelas que se vê no céu lá fora, ou seja, não é o superaglomerado de aglomerados contendo bilhões de galáxias. Aquilo tudo são fosseis dos ancestrais, ou espécies ancestrais que ficaram no passado e não mais evoluem e que se tornaram os mundos ambientais que suportariam as gerações futuras. Estrelas pairam no firmamento depois de terem terminado sua missão na longa senda da evolução e de lá nos espreitam esperançosas, torcendo por nós, pois somos a sua esperança de que sua existência continuará registrada no código universal e conosco conduzidas à eternidade, assim como aqui na Terra as espécies de animais que ficaram para traz na evolução mas ainda existem e nos espreitam, pois somos o dardo que projetaram de si rumo ao futuro infinito carregando na forma de um código a essencia de suas existências.  

O Universo que nasceu no Big Bang era o principio de um sistema assim como a primeira célula viva que nasceu aqui era o principio da biosfera terrestre. Esse sistema gera uma infinidade de subprodutos que ou vão sendo incorporados ao tronco da arvore da evolução e ali permanecem por muito tempo ou vão se tornando os galhos que secam e se extinguem, mas assim como naquela primeira célula o que importa é o codigo da memória na forma de RNA/DNA, o verdadeiro Universo do Big Bang é o sistema “Universo” que vem evoluindo de sistema em sistema, ora macroscópico ora microscópico, e se resume todo numa memória que denominamos de “A Matriz Universal”.     

       O Universo de hoje está fragmentado em inimaginavel numero de genes ativos em niveis adiantados, que são as formas de vida mais evoluidas espalhadas por muitos mundos, sendo que aqui nestas regiões estes genes tem a forma de seres humanos, ou talvez, da mente destes seres humanos. Portanto, o ser humano é o Universo que criou pernas e caminha.

Dentro desta linha de raciocinio e sendo atraídos pela teoria de Haeckel de que durante a gestação o ser humano vai mudando de formas e estas formas recapitulam os estagios da evolução biológica, nós somos obrigados a supor que esta teoria deveria ser ampliada. Pois ela apenas considera nossa ancestralidade biológica, mas, e nossa ancestralidade cosmológica? Observe no quadro acima que ele parte da forma do peixe, quando o feto já estava estruturado como corpo. Mas antes disso houveram as formas da morula, da blastula, e outras. Estas formas não recapitulam nada? Ora, olhando-se para elas parecem com nebulas de atomos, conglomerados de galaxias… Então surgiu esta idéia de que tambem a evolução cosmológica está presente nesta recapitulação. E não poderia ser de outra forma, literalmente:  a Matriz guarda na memória toda a História do Universo, que é sua própria história, e como aqui a Matriz toma a forma do DNA, essa memória referente ao período da evolução cosmológica está ali, naquelas regiões dos genes inativos , denominada junk-DNA. Vamos ver a teoria do Big Bang na nossa interpretação como sendo um evento à imagem e semelhança de um evento de fecundação de um óvulo por um espermatozóide. Portanto, até o ato inicial tem sua forma ou imagem recapitulada antes do nascimento de uma criança.

Bem… sabemos que a Teoria da Recapitulação é aceita por uns e contestada por outros, existem duvidas se os desenhos acima são realmente de Haeckel, etc. Mas por ora vamos ficar do lado do time que aceita a teoria, porque os modelos da Matriz sugerem que ela está certa.

A Teoria pode ser vista suscintamente na Wikipedia. 

ÁTOMO

sábado, outubro 3rd, 2009
atomo-2.jpgO que existe dentro dos átomos?  
                                                                          

             . Os átomos são nossos ancestrais quando ainda não tínhamos um bilhão de anos e logo foram selecionados para fazerem parte do tronco da árvore da evolução e com isso são umas das espécies mais antigas do Universo. Creio que essa seleção com mérito à  transcendencia deve-se por terem acasalado em harmonia os dois principios simétricos e assimetricamente opostos que naquela época se encarnavam nas superpartículas proton e neutron e esse acasalamento deu tão certo que se tornou o primeiro protótipo da familia, tendo o casal formado um lar nuclear onde suas crias – os elétrons – brincam ao redor nas sete camadas eletronicas. Mas também neles já se visualiza bem a Matriz em formação como se tivessem já os protótipos da cabeça e os sete órgãos. Interessante notar como a Natureza veio evoluindo por passos sôfregos porem bem assentados, pois o atomo primordial que era do tipo “teve”ou seja, formando gazes e com pucas particulas (hidrogenio, helium, etc.) éra um ser tão nefasto e primitivo que se parecia com um homem que existe a cada momento com apenas um de seus órgãos! Sim, num momento esse ser é apegas um fígado passeando por aí enquanto o resto de seu corpo permanece invisível, no momento seguinte se vê apenas um estômago, no outro apenas a cabeça, e etc. Pois as sete funções sistêmicas universais que constroem cada qual sua peça para encarnarem em dada situação e alavancar a evolução não podiam ainda se expressarem tôdas ao mesmo tempo, mas o lugar no espaço dentro do sistema já estava reservado para cada uma, o qual eram as sete camadas eletronicas. Elas só se expressavam quando possuiam ao menos um elétron e como este subia ou descia entre a primeira e ultima camada, pulando entre nucleo e periferia, cada função se expressava isolada das outras. Assim no átomo leve o elétron faz o mesmo que o dedo do pianista tocando as teclas do piano, um piano onde existem sete teclas apenas que representam as sete camadas, mas ao invés de emeitir um som diferente a cada camada, o toque do elétron expressa uma força que é a ancestral de um dos órgãos do corpo humano, ou ainda ancestral de uma das organelas na célula, ou mais ainda, ancestral de um tipo de astro no céu. 

O atual modelo atômico está ainda muito incompleto, faltando muitos detalhes, e isto desvia totalmente nossas interpretações e julgamentos sobre os átomos. Isto porque ele foi elaborado apenas pelos físicos que não poderiam ter notado a cobertura de nível biológico que nele existe já naquela época dirigindo o Universo para criar a Vida. Nosso principal interesse agora em pesquisar tudo o que pudermos sobre átomos é não apenas enriquecer esse modelo teórico existente mas tambem entender porque certos átomos foram selecionados para participarem ativamente dos corpos vivos quando o sistema mecânico Newtoniano, astronômico, evoluiu para sistema celular biológico. Claro, um dos beneficios oriundos da conquista desse conhecimento, assim á primeira vista, seria o desenvolvimento de uma medicina atômica, portanto produzindo técnicas reparadoras de defeitos no corpo humano desde o nível atômico.

O átomo de carbono foi o átomo central selecionado para transcender-se e ocupar o corpo do senhor da Terra.  Porque o carbono? O que ele tem de diferente dos outros que agradou à Matriz? À primeira vista já surge um motivo que parece evidente: numero atômico: 6. Pois são seis os tipos de astros fixos que formavam o corpo do ultimo comum ancestral – LUCA . Talvez cada um dos seis casais de protons e neutrons performem cada uma das seis funções fixas universais. Outro átomo muito importante na Vida é o Oxigênio. E porque? Também na primeira rápida olhadela já surge uma boa solução. Oxigênio tem oito protons. Isto significa que alem dos seis necessários, a ultima função, que é a F7, está reforçada duas vezes. Ora a F7 é a função que faz a faxina do sistema, limpando-o de todos os detritos indesejáveis e – nos sistemas abertos – botando-os para fora, como fazem os lisossomos na çelula ou o figado no corpo humano; e nos sistemas fechados, despejando os detritos na fornalha nuclear para serem reciclados, como faz o cadaver estelar no espaço sideral que direciona sua poeira e detritos degradados direto para dentro do Buraco Branco nuclear. Então o Oxigênio foi escolhido devido possuir um reforço nessa função de faxineiro que os quimicos resolveram denominar de “oxidação”: oxidar é queimar os materiais que em quimica significa acidez. Ora, a todo momento nosso corpo está digerindo matéria, absorvendo sua energia e precisa botar para fora a massa inutilizavel dessa materia e então ele  puxa Oxigênio da atmosfera para que este passe por todos os cantos do corpo lompando tudo e oxidando tudo transformando o lixo em CO2, o qual o corpo, através dos pulmões, empurra para fora. Assim foi inventado o fenômeno da respiração, elemento tão importante na nossa vida que sem ela não sobrevivemos mais que alguns minutos e tudo isso graça ao Oxigênio. Que no céu era um ser quase tão dócil e fiel à Matriz quanto era o carbono. 

Bem, então estamos decididos a entrar fundo nos segredos ainda inconfessados dos átomos, principalmente daqueles leves que entraram para a cena da Vida com tanto destaque, queremos ampliar nossos atuais modelos teóricos atomicos, já que completa-los totalmente ainda é impossivel, pois são tão pequenos que ninguém até hoje, nem usando os mais poderosos microscópios, conseguiu ver um átomo sequer. Tudo o que temos são modelos teóricos e os atuais já são muito bons pois basta ver quanto já conseguimos baseados nestes modelos, inclusive a nefasta bomba atômica. Mas ainda estamos pensando em ”atomos como objetos mecânicos. é preciso ver a vida nascendo através deles. Portanto, neste artigo vamos por ora registrando tudo o que ver-mos por aí que seja novidade sobre os átomos, a começar por suas definições na Wikipédia, pois assim, indo de carona no incansável e heróico trabalho dos cientistas nos laboratórios e nos campos arduos das pesquisas, catando os dados que vão colhendo, que surgem de repente novos iluminadores insights na nossa gigantesca missão de tentar entender este mundo e nele nossa existência.

Se alguem alem de mim ler isto aqui e souber de material a ser acrescentado, por favor, participe, e nos envie.

1) Wikipedia: Atom – http://en.wikipedia.org/wiki/Atom

2) Wikipedia: Carbon –    http://en.wikipedia.org/wiki/Carbon

3) Wikipedia: Oxigen – http://en.wikipedia.org/wiki/Oxygen

QUARKS

sábado, outubro 3rd, 2009

quarks.jpg