Archive for fevereiro 24th, 2010

A Natureza Dividida em Dois Blocos e O Abismo do Meio Preenchido com as Místicas Deísta e Probabilística

quarta-feira, fevereiro 24th, 2010

 Enquanto a Ciência não descobrir as fôrças e elementos que produziram o primeiro ser-vivo no estado do mundo a 4 bilhões de anos atrás prevalece a idéia do acaso e enquanto não conectar as leis da realidade subatômica com a nossa realidade prevalesce a idéia da incerteza. Assim o mundo está dividido em dois blocos tanto no seu aspecto espacial quanto temporal, entre os blocos existe um abismo e preenche-se este abismo com a mística deísta e ateísta. A única sugestão racional conectando todos os blocos com elementos naturais está nos modelos da desconhecida Teoria da Matriz/DNA.    

A controversa divisão da realidade espacial em dois mundos pela Teoria Quântica e a divisão  da realidade temporal pela Teoria da Evolução não existem de fato, está sugerindo A Teoria da Matriz/DNA. Estas equivocadas separações divO problema édeverm-se a que a dimensão subatômica está sendo estudada por pessoas que vem préviamente doutrinadas pela mentalidade da Física e da Matemática, quando deveriam também trazer a mentalidade da Biologia assim como o vitalismo de Pasteur pois o mundo subatomico também é regido pelas propriedades elementares da Vida. A divisão temporal em duas Histórias pela teoria da Evolução Biológica e Cosmológica  também não existe pelo mesmo problema da falta de conexão entre a Física/Matemática e a Biologia Vitalista: seus modêlos teóricos dos sistemas naturais inorgânicos seriam  também regidos pelas propriedades vitais.

Quanto aos deístas ocidentais, nem é preciso falar: a Vida teria sido produzida por mágica, nada tendo a ver com a evolução anterior. 

Nós vemos a auto-consciência existente nos seres humanos como um bebê recém nascido que está começando a aprender sôbre a realidade do mundo externo a ela, e êste artigo inicia um estudo relacionado á psicologia dos bebês porque suspeito que esta Ciência pode nos trazer a resposta para esta pergunta: Porque o bebê auto-consciência tem a tendência de dividir a realidade em duas, sem conexão de uma parte com a outra?

Nada entendo de bebês nem de psicologia infantil mas  tenho notado que um bebê vê um caminhão como um objeto para brincar e não útil para trabalhar, parece que trocando a realidade por um mundo de fantasia, ou então dividundo o mundo entre aqu6ele imediatamente real que lhe produz a fome e o leite que suga de outro irreal que produz do nada bonecas e caminhões e tudo mais que lhe cai no berço. Então neste detalhe da criança humana estaria a explicação do mesmo comportamento apresentado pelo adulto do oeste moderno. O Físico e o Matemático vive mentalmente um mundo gerado pelas leis da Física e sua lógica e como estas não explicam as produções dos mundo vivo, os produtos dêste lhes parecem pertencer a um mundo que surge de fora da sua lógica de causas e efeitos sem necessidade de explicações porque a auto-consciência nos seus primórdios ainda aceita a co-existência de mundos divididos ao acaso. Mas vamos ver como e porque digo que a alta classe intellectual do mundo modern divide o mundo em duas partes. Existe esta grande diferença entre o pensar do homem que lida exclusivamente com a matéria e diz que o certo é procurer explicar como funciona a Natureza mas nunca perguntar porque, pois isto nos leva sempre a um beco sem saída; e o pensar do filósofo naturalista como eu que lida mais com a pesquisa das conexões entre os fatos e diz que o mais certo é, além de procurar como funciona, tentar responder  porque o mundo produz a coisa que funciona assim. Portanto eu agradeceria muito se êste tema fosse conhecido e do interêsse dos psicólogos e neurologistas, pois êles podem encontrar as explicações para questões pertinentes à mente humana.      

  • 1) Separação do tempo

A História Universal de 13,7 bilhões de anos está dividida em dois blocos distintos sem conexão entre eles. De um lado temos a história da Evolução Cosmológica que vem do Big Bang até hoje e do outro temos como que uma história lateral que surgiu não se sabe como: a história Biológica ou história do pós-vida. Ninguém conseguiu mostrar onde estão – mo mundo que antecedeu as origens da vida – as forces e mecanismos que teriam produzido as propriedades da Vida, tais como o código com intruções e memorizações genetico,o sistema nervoso, a reprodução de corpos, o sistema sexual, digestive, o metabolism, etc. Apenas a Teoria da Matriz/DNA sugere um modelo do Cosmos de opnde extrai os principios fisicos e mec6anicos de todas estas propriedades, mas como ela se encontra sob rtestes, é desconhecida e indesejada pelos setores que dominam o conhecimento naturalista que apenas aceitam teorias formuladas por cientistas aprovados em suas instituições e a teoria não foi elaborada por estes cientistas, vamos aqui tambem ignora-la. O fato frio e intragavel mas real é que na esfera intellectual da humanidade o mundo está dividido em duas interpretações de ordens de fenomenos, duas lógicas,dois significados. Mas é preciso notar que estas coisas – interpretações, lógicas, significados – sào coisas abstratas, parece-me que são propriedades da mente humana, portanto nao se pode dizer que no mundo real exista esta divisão. Porque no mundo real, os elementos materiais dois tempos continuam a existirem ni mesmo espaço e as vezes se intercambiando seus elementos.   

Então em relação à dimensão tempo, a euto-consciência em seu estágio atual dividiu I mundo observavel e perceptivel peklos nossos sentidos em duas partes. Não é uma divisão entre dois tempos, pois o mundo não-vivo continua sua história normal; trata-se melhor do caso de em dado momento da historia antifga ter surgido uma linha do tempo que flue paralela à primeira.

  • 2) Separação do espaço

 A chegada da Teoria da Mecânica Quântica revelou fenômenos na dimensão microscopica que eram desconhecidos antes dela porem estes fenomenos nao existiriam e nao poderiam existir no macrocosmo, assim está entendendo a auto-consciência nesse seu atual estágio. Crescida e instruida nas experiencias com o médio-cosmos e tendo tentaculos adentrando o macrocosmos ela não pode entender e aceitar como fazendo parte do mundo que ela conhece estes fenomenos como o gato morto-vivo de Schrödinger ou a incerteza de Heinserberg. Este chegou a dizer numa conferencia que as particulas elementares na dimensão microscopic dificelmente podem ser chamadas de “reais”, na verdadeira acepção da palavra..Mas novamente, tanto a experiencia imaginaria de Schrödinger como a incerteza de Heisenberg nao coisas do mundo real externo e sim propriedades da mente humana. A equação de Schrödinger e o calculo das probabilidades já tem sido denunciados como sendo numerous abstratos e não a realidade. Dizem que não faz sentido reduzir a matéria a numeros ou qualquer outra entidade Matemática. A Teoria da Matriz também encontrou um mecanismo que faz a Matemática deixar de ser a única linguagem da Natureza para ser a linguagem que traduz apenas uma certa camada de ordem de fenômenos que constitui apenas 13% da verdadeira e ultima linguagem (não posso expor aqui o mecanismo que contem graficos e portanto é muito longo). Mas existe aqui uma novidade:  já se provou com experiências que um átomo pode aparecer em dois pontos diferentes do espaço no mesmo e exato instante. Eu não ví, não sou cientista, mas acredito na seriedade dos que fazem os “peer-review”. O fato do átomo ficar em dois lugares ao mesmo tempo pode vir a reunir os dois mundos em relação ao espaço, pois já se pesquisam isso com afinco porque pode, inclusive,  ajudar a projetar computadores mais velozes.

Curioso é notar que em outra instância da mente não existe esta divisão. Pois muitas mentes humanas vislumbraram e acreditaram  que a dupla presença de um mesmo corpo faz parte do mundo real médio e macrocosmico. Refiro-me às idéias ventiladas sobre transmigração das almas, ectoplasma, energia das pirâmides, no poder dos pendulos e cristais. A diferença notável entre estes dois tipos de consciência – a que não divide o mundo em dois e a que divide – é que a segunda se resume à consci6encia do chamado “western mindset” enquanto a primeira aparece em meio a todos os outros estados de consciência. Significa isto algo?

Bem, mesmo dentro do “western mindset”  existe uma divisão nesta crença sôbre a divisão do mundo em duas dimensões espaciais. A idéia de separar o mundo entre as coisas extremamente pequenas e as grandes partiu de Niels Bohr e de Werner Heisenberg, como primeira conclusão que tiveram perante as experiências que tinham em mãos. Bohr afirmava que os mundos macroscópico e microscópico eram “complementares”. Ambos se submetiam às regras quânticas, mas nos objetos grandes o efeito era desprezível e, por isso, podia ser descartado. Mas  os físicos americanos David Wineland e Chris Monroe, do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia, protagonistas da espetacular experiência em 1996 em que conseguiram fazer um átomo aparecer em dois pontos diferentes do espaço ao mesmo tempo, contestam: “Bohr e Heisenberg  forçaram uma divisão aparentemente arbitrária entre os mundos classico e quântico”.

A Teoria da Matriz/DNA fêz suas incursões pelo mundo subatômico, levada pelas projeções de seus modêlos. Lá – inclusive na época antes do surgimento da matéria – ela encontra as raízes da duplicação dos corpos, e ao aplicar o ciclo vital aos vórtices imateriais e mesmo aos materiais ela encontra explicações do porque não podemos identificar um corpo no tempo e no espaço no mesmo exato instante, oferecendo uma solucão para o problema de Heisenberg. Enfim, eu acredito que a Ciência irá descobrir mais e irá unificar o mundo espaço/temporal numa só realidade. Que ela vai descobrir no mundo antes das origens da vida a existência dos mecanismos e processos que já faziam algo como código genético, auto-duplicação, circuito nervoso de automação, etc. A Teoria da Matriz/DNA está mostrando que uma diferente abordagem da Natureza pode nos levar a estas descobertas, ela mesmo está sugerindo onde estavam estes princípios. Mas como ela vem da selva primitiva e não dos campus universitários, ela não conta. Vamos esperar para ver.