Archive for julho, 2010

Buckyballs e comportamento do Carbono no espaço: Mais uma evidência para a Matriz e sua utilidade em nanotecnologia?

sábado, julho 24th, 2010

(obs: artigo ainda em construção)

Baseado no artigo:

Buckyballs Found in Space

The discovery of these carbon structures in space could have a profound impact on our understanding of chemistry in the cosmos.

( Buckyballs encontradas no espaço. A descoberta destas estruturas de carbon no espaço poderá ter profundo impacto em nosso entendimento da química no Cosmos)

No site:

http://news.discovery.com/space/buckyballs-carbon-chemistry.html

 

Para entender êste tema precisamos antes fazer uma excursão imaginária  pelo reino das analogias.

 Desafiando a vontade de Deus (ao menos se der-mos o nome de Deus ao sistema natural mentalizado que provocou o Big Bang), o espírito primitivo da matéria teima em construir seu modêlo de Paraíso Eterno e viver nêle eternamente. O imaginário humano deu o nome de Lúcifer para o espirito na matéria e criou tôda aquela fábula do Anjo Rebelde para explicar as razões do porque Deus permite que vivamos sofrendo nêste ambiente caótico.

 Mas em linguagem da Filosofia Naturalista se explica a mesma história da seguinte maneira:

A matéria interage e é conduzida por uma espécie de software dividido em dois principios fundamentais, que ora se conflitam produzindo o caos no ambiente, ora se amalgamam transformando o caos em estado de ordem, e a partir dêste, gerando um terceiro principio que é filho dos dois e aimda mais evoluído que os dois. Êstes dois principios são responsaveis pela dualidade universal que começou – em relação à dimensão-espaço –  com dois vórtices girando um oposto ao outro (spin right e spin left) e hoje na espécie humana estão encarnados nos gêneros masculino e feminino. Em relação à dimensão tempo temos o exemplo da oposição entre nossa auto-consciência e nossos instintos carnais. Os dois são morfológicamente e fenótipicamente simétricos entre si (são iguais na forma e auto-complementares, como os lados direito e esquerdo da face humana), e são tendencialmente assimétricos entre si (se um tende fanaticamente para a esquerda, o outro tende fanaticamente para a direita, como as cargas positiva e negativa, ou no siistema social, o capitalista e o comunista).

 Uma das faces dêsse software – na espécie humana representada pelo homem – é aquela em que a fôrça existe dentro do elemento e se expande incontrolavelmente (vide nêste site o artigo sôbre Hideki Yukawa e a Cola Nuclear) , tende a ser extremamente extrovertido, de maneira que se nada a segurar ela se desmaterializa e morre dispersada em fragmentos no espaço. Por isso o homem tendia na antiguidade a ser o caçador vagante, o guerreiro em terras distantes, ou mais modernamente, o freguês de balcão de bar após a jornada de trabalho adiando o retorno para o casulo doméstico. Por isso êle tende a espalhar seu sêmen para qualquer lado na direção de qualquer rabo de saia que passe na sua frente. É o principio que abre os sistemas.

 A outra face – na espécie humana representada pela mulher – é aquela em que a fôrça existe inicialmente em sua plenitude e tendendo a se colapsar até tornar-se um unico ponto, tende a ser extremamente introvertida, de maneira que se nada a segurar, ela constrói seu paraiso doméstico, eterniza-o e corta relações com o resto do mundo. Por isso a mulher tende a construir a maior mansão e mais luxuosa possível, dominar um macho em seu leito para reproduzir o seu corpo sujeito à morte na forma de filhos, e assim jamais perder seu paraíso. Os melhores exemplos que temos quando êsse principio feminino torna-se dominante e o masculino recessivo são as colmeias da abelha rainha, as colonias de formigas e… LUCA. Onde Eva dominava e por isso estamos aqui agora pagando o pato. É o principio que tende a fechar os sistemas.

Ora, a matéria quando dirigida pelo software no seu aspecto de spin left ou feminino, tem como objetivo supremo a busca do equilibrio termodinâmico eterno, mas numa situação de intensa vibração, o que significa segurança e acomodação mais o estado de orgasmo, eternamente. Por isso quando um átomo tem apenas um elétron na ultima camada – na qual, para ser estável, sempre precisaria ter um par de elétrons – fica instável, adoidado ( é quando o átomo sai tôdas as noites para as discotecas à busca de parceiros), procurando outro na mesma situação para unirem seus elétrons solitários e formarem um par estável. E nós estamos aqui dentro de LUCA, num mundo dominado por este lado da face do software. Portanto, no Universo nestes tempos e nesta sua fase de sua evolução tôda a matéria tende a se constituir em sistemas fechados em si mesmos.

Como resultado existem as “buckyballs”. E agora saíremos do mundo analógico para entrar na realidade cientifica pura.

Em 1985, pesquisadores estavam conduzindo experiências em laboratórrio tentando entender como as longas cadeias de moléculas de carbono poderiam serem sintetizadas. Porque? Ora havia uma série de possiveis aplicações praticas para elas. Êles finalmente  descobriram e construíram uma terceira forma de carbono sólido, perfeitas e simétricas esferas geodésicas ( veja figuras ao lado), às quais deram o nome bonitinho e fácil de falar: buckminsterfullerene! Uma honenagem á profética visão do arquiteto americano Buckminster Fuller que vivia obcecado na tentativa de construir monumentos de forma geodésica cada vez mais perfeitos. E assim nascia esta grandiosa maravilha tecnológica conhecida como “nanotecnologia”, a qual pode nos facilitar muito a vida e salvar nosso planeta da morte à poluição.

O “fullerene” mais conhecido é uma buckyball de 60 átomos de carbonos arranjados na forma de pentágonos e hexagonos, uma sagrada molecular caverna de apenas um bilionésimo de um metro.

Porem depois descobriram que as buckballs se formam naturalmente na Terra e no espaço sideral. Mas é claro que isto deveria ocorrer para confirmar a previsão da teoria da Matriz. Porque? Ora, a buckyball é uma perfeita demonstração dentre a materia inorganica da tendência da matéria dentro de LUCA tornar-se um sistema fechado em si mesmo. Observe as figuras e sinta como os átomos se fecham herméticamente como querendo dizer: “Não vem que aqui não tem para mais ninguem!”

E como os fragmentos-genes de LUCA conseguem se auto-organizarem nesta estrutura?

Vinte e cinco anos depois da descoberta das buckyballs, estas moléculas com 60 empacotados átomos de carbono foram encontradas novamente, desta vez no espaço sideral! E nas profundezas dos detritos de uma estrêla do tipo de nosso Sol, mas que se encontra moribunda, quase morrendo. Ora mais uma vez se confirma os processos da Teoria da Matriz: quando a entropia ataca LUCA, seus fragmentos genes saem fora do circuito sustêmico, colapsam na direção de seu centro, ali se encontram inicialmente se conflitando e gerando o caos ambiente, para em seguida se auto interagirem pacificamente e formarem estruturas que tentem reproduzir o estado de sistema fechado de LUCA. Nada mais lógico que fôssem encontrar isso lá, onde se vê nitidamente um corpo atacado pela entropia.

 Observe como o artigo é capcioso. Êle diz:

 “Quando a luz bombardeia moléculas e átomos, êstes irão vibrar numa especifica, mesurável medida – um campo da ciencia conhecido como espectroscopia. Os pesquisadores, que estavam estudando a nébula de detritos, acharam ali algumas incomuns impressões digitais de luz infravermelha. Êles reconheceram então as moléculas com a configuração de 60 átomos de carbonos e mais suas favorecidas associadas, as moléculas de 70 átomos de carbono.

O que significa isto na linguagem da Matriz? Os fragmentos-genes de LUCA tendem a reproduzi-lo como sistema fechado com suas sete funções universais definitivamente expressadas. Para tanto precisam de sete peças materiais para expressarem as sete funções universais. O método para isto é transformar as unidades de informação do corpo de LUCA em bits-informação como sinais de fótons emitidos por radiação que pode ser infravermelha para atacar os átomos por dentro, dominar sua maquinaria como fazem os vírus dentro de uma célula e conduzi-los a se combinarem no modêlo de LUCA, Ora, quando chegam ao ponto de reunirem seis funções num composto, já está delineado o protótipo do sistema perfeito, mas ainda é um sistema aberto porque falta a ultima peça representando a ultima função. É o mesmo caso que aconteceu aqui entre as células animal e vegetal. Como resultado, quando estes fragmentos conseguem completarem seu objetivo formam compostos com sete átomos cada qual representando uma das funções e a partir daí, com o intuito de capturar e agregar-se tôda a matéria colapsada de LUCA, vai formando compostos multiplos decimais de sete, ou seja, 70, 700, 7.000, etc. Até que um dia – assim era a esperança de LUCA – tôda a matéria inorgânica estivesse configurada na forma de um sistema fechado perfeito. Mas do alto do Universo desceu a Lei de Clausius – o segundo principio da termodinamica – com sua clava forte chamada entropia e impediu LUCA de seu intento, o qual teria fechado o Universo na forma provisória inorganica e nunca permitido à Vida existir.         

  O artigo diz ainda:

 “Uma vez formada a molécula fullerene, será dificil destruí-la. Ela sobrevive às altas energias, à cruel radiação, até mesmo aos raios cósmicos que atingem-na.”

Mas tinha que ser assim: quando a matéria se torna um sistema fechado em si mesmo e o gene egoísta se expressa em sua plenitude, dominando soberana e ditatorialmente, nada dentro dêste Universo pode desfazê-lo. É preciso então entrar em ação um recurso do software-Alma do Universo, que foi ali implantado antes mesmo do Big Bang, pelo sistema mentalizado que fecundou êste Ovo Cósmico ou então por algum Deus-Criança que se compraz criando softwares vivos geradores de universos, botando nós dentro do mesmo saco! Que saco! Arrrrgghhhh… No dia que eu subir lá em cima vou dar um bom puxão de orelhas nesse moleque travêsso, responsável por exemplo, pelas minhas dôres de dente!

FIM

O Fim do Sexo e os Filhos Sintéticos

sábado, julho 17th, 2010

Com a fantástica façanha do Venter Institute produzindo uma nova espécie da vida, a partir de agora, se você quiser ter um filho com alguém especial para você, digamos, com a Jennifer Lopes ou Tom Cruise, bastar dar uma gorjeta para o garçon que os servir no restaurante para que êle lhe dê o garfo que usaram. Junte ao garfo uma amostra de seu DNA, leve a um laboratório e em 9 mêses terás vosso filho.

Depois de milênios da tortura massacrante e enfadonha do velho método de fazer bebês, os humanos tanto reclamaram que foram atendidos. Acabou-se aquela ginástica forçada, cansativa, aquela huminhação animalesca, estamos na era dos filhos sintéticos. Mas vou explicar o método do laboratório:

Tendo um exemplar do DNA, os cientistas os põe numa substância que colore cada elemento, cada base ou aúcar da haste, com uma cor diferente. Depois passa um foco de raio laser na fita do DNA e as cores vão sendo registradas num computador. Desta maneira, no final o computador copiou o DNA, o qual é jogado no lixo. Agora o código da vida da Jennifer ou do Tom está na forma de software dentro de um computador. Basta trazer quatro garrafas contendo bases e açucares feitas sintéticamente e ir lendo o código no monitor, arranjando as bases como manda o computador e pronto: temos dois DNA’s sintéticos, artificiais.Em seguida cruza os dois, bota o resultado numa garrafinha de proveta e espera nove meses…

Semana passada o Presidente Obama pediu uma investigação urgente sôbre o feito do Venter Institute, houve uma reunião do Committee on Energy and Commerce, iniciando a operação chamada “Effects of Developments in Synthetic Genomics”, onde um membro do Comitê disse ao Dr Venter:

– “I kind of like the traditional way of making human beings. It is fun and it is recreational, therapeutic, and there are a lot of positives and you have these little babies that you get to let your wife raise. I mean, it is a fun thing. I am trying to understand the significance of what has transpired.”

Tradução: “Eu sou do tipo que ainda gosta do jeito tradicional de fazer seres humanos. É divertido, prazeiroso e é recreacional, terapêutico e há muitos fatôres positivos, além de você ter êstes pequenos bebês que deixam sua espôsa feliz. Quero dizer, esta é uma coisa boa. E eu estou tentando entender a significância do que tem sido noticiado.” 

 Outro político que é republicano perguntou:

– “Quer dizer que o senhor não apenas criou uma nova espécie de seres vivos, mas também excluiu os genes que faziam os bichinhos produzirem coisas ruins e inseriu outros programando-os para fazerem o que o senhor quis?! Isso quer dizer que podemos programar os novos bebês americanos que vão nascer para votarem no Partido Republicano?!”

 Assistindo isso o LULA pulou da cadeira e ordenou: “Corram lá, comprem a fórmula, o computador dêsse homem, quero aqui todos os bebês votando no PT!”

 Brincadeiras a parte, não tenha dúvidas que a vida humana mudou na semana passada e partiu para um destino jamais imaginado antes. O que vem ainda por aí… apenas agora os futurólogos estão acordando, se recuperando do choque e começando a digerir a coisa…Mas tenha certeza: nunca mais nossa vida será a mesma! A nova espécie é filha de um computador!

Craig Venter

 

FIM

O Grande Tema Moral e Científico do Momento: Devemos ou não apoiar a fabricação de novas espécies de seres vivos em laboratório?

quarta-feira, julho 14th, 2010

 

Synthetic Biology

Fonte: http://www.raeng.org.uk/news/publications/list/reports/Synthetic_biology.pdf

Estou fazendo das tripas coração tentando ter o tempo para ler as 200 páginas do debate ocorrido recentemente no Govêrno Americano, onde Craig Venter dá importante e esclarecedor depoimento, mais exatamente no  

 Committee on Energy and Commerce

“Effects of Developments in Synthetic Genomics”

May 27, 2010, Statement of Rep. Henry A. Waxman

Chairman, (vide em pdf)

e no meio me surge o seguinte pensamento:

Fabricar DNA no laboratório significa acrescentar mais alternativas às já realizadas pela Matriz que fêz isso com o intuito de exorcisar de si o gene egoista. Ela usou um método que para explica-lo podemos fazer a analogia com um macaco atrapalhado com um côco querendo comer todo o saboroso miolo branco. Quando o macaco quer obter todo o miolo branco do côco êle tem que quebrar a casca no maior numero de pedaços possivel. Se êle quebra-lo apenas em dois pedaços, vai ser muito dificil obter as partes do miolo que ficam nas curvas do fundo. Já tendo pequenos pedaços onde as curvas e fundos desaparecem, é certeza que o macaco vai conseguir retirar tudo e com maior facilidade em menos tempo. Pois a Matriz tinha como que um côco representando o caráter duro, inflexível e fechado, do gene egoista. Para limpar-se dessa peste ela se fragmentou em seus menores bits informação, em todas suas unidades de informação, de maneira que – se der-mos um valor de 100% ao gene egoista e supormos que a Matriz se quebrou em 100 pedaços – significa que cada pedaço-bit contem 1% do gene egoista que é diferente de todos os outros 99 bits. Pondo estes 100 diferentes tipos de DNA a se confrontarem em seu egoismo e num meio caótico como o é a biosfera terrestre, impondo sofrimento a todos, espera a Matriz depurar a todos levando-os a se limparem por si mesmos. Depois é só recompor o DNA ajuntando todos os 100 pedaços limpos que teremos a Matriz novamente retornada ao seu estado puro como era quando fazia parte do criador deste universo.

Então o que Mr. Craig Venter e a biologia sintética está procurando fazer é obter novos diferenciados bits que a Matriz nunca fêz aqui. Assim de chôfre somos levados a pensar:

– “Não pode! Não devemos fazer isto! Podemos atrapalhar todo o plano da Matriz, e certamente vamos fazê-lo, pois quem vai construir os novos bits são os homens, os quais são portadores do gene egoísta e vão fazê-lo buscando atenderem seus propósitos egoístas. Em outras palavras, quem está fazendo isto é o gene egoista, um ardil dêle para se livrar do castigo pelo pecado original e reconstruir aqui na Terra o seu falso paraiso na forma do circuíto da serpente.”

Mas a gente não pode tomar decisão em cima de uma primeira impressão sem analizar bem a coisa antes trazendo outros aspectos à questão. Nós descobrimos que existe o gene egoísta, nós desmascaramos o demonio em nosso interior, e parece-me não ser de nossa índole fazer pacto com o demônio. Em outras palavras nós o queremos fora de nós, queremos exorcizá-lo de nós. Não sei se posso falar pela maioria dos humanos, ao menos eu quero isso, e vejo que gente que não é nada santo, como o ateu Richard Dawkins, com vontade de declarar guerra ao demonio, ao gene egoísta. Portanto, não estamos dominados pelo demonio e sim nos predispondo a unir forças com a Matriz pura do criador.

Os seres humanos tem sofrido muito devido suas fragilidades e ao ambiente caótico. Tem sido uma verdadeira carnificna e campo de tortura para a maioria. Será necessário tanta impiedade para com um fora-da-lei? O fato é que o mundo pensa que sim, a carnificina é fato e está aí para todo mundo ver. Mas temos que lembrar que o criador do Universo ainda não é o Deus dos religiosos, êle não é mágico, e sim natural como nós, apenas muito mais consciente e poderoso. Mas seu poder não pode evitar que seus filhos-herdeiros sejam castigados na prisão em que caíram por vontade própria. Então, se tiver-mos condições de fabricar porções da Matriz Biológica que minimize os castigos, estaremos fazendo a vontade do criador que sofre vendo o sofrimento de seus filhos e estaremos gerando benefícios para nós. Basta fazer os genomas certos que se encaixem onde os pontos de caoticidade da biosfera sejam mais extremos, para ameniza-la e dirigir o ambiente para o estado de ordem o mais rápido possível.

“- Um momento! Êste estado de ordem ( para os humanos desconhecedores da Causa da Grande Queda – o falso Paraíso do Éden), que os humanos tem em mente é a reconstrução do falso paraíso. É o Admirável Mundo Novo sob a tutela da Grande Mãe Eva, uma feliz criação para acomodar o corpo carnal e dar-lhe tôdas as satisfações, todos os prazeres, mas significa o interrompimento da gestação da auto-consciência dentro do nosso ôvo-cabeça. Um paraíso que visa eternizar a estupidez, fechando as portas à evolução até que o Universo tenha que intervir novamente impondo nova Grande Queda.”

Ora, acho que não iremos por este caminho, se tivermos tempo de levar, senão a todos, ao menos à maioria, o conhecimento da Matriz que desmascara o demônio. Temos a oportunidade de criar um ambiente terrestre mais amigável ao ser humano, ao planeta, ao Cosmos como um todo, ao mesmo tampo que mantemos livre e evoluindo a nossa auto-consciência. Para realizar isto necessitamos sim, fabricar os acêrtos que substituam os acidentes e êrros do caos ou preencham as lacunas dos recursos necessitados.

Enfim, nosso destino depende de que

 “a velocidade do desenvolvimento tecnológico para fabricar novas espécies de vida microbinana deve ser menor que a velocidade do ensinamento sôbre a Matriz para todos os povos.”

Assim, quem estará por trás e dirigindo todo o processo será a Matriz pura do criador e não a Matriz viciada do gene egoísta.

Vida Sintética: Ressuscitem Pasteur para pegar o Craig Venter!

sábado, julho 10th, 2010
Synyhetic Biology

Synthetic Biology

Fonte: http://scicollege.net/archives/120

Veja artigo no Guardian.co.uk

http://www.guardian.co.uk/science/2010/may/20/craig-venter-synthetic-life-form

Craig Venter creates synthetic life form

Grande marco na história da Ciência e gigantesco passo para a Humanidade!

Na minha opinião, o que Venter fêz foi pular o capitulo iniciado teóricamente por Oparin e experimentado por Mulley/Urey que consiste na busca da redução da atmosfera e condições terrestres ao nível do que era a 4 bilhões de anos atrás para ver se da matéria abíotica obtem-se os componentes básicos da Vida. Esta pesquisa está meio abandonada porque tudo o que produz não dá os passos seguintes sózinho, ou seja, os aminoácidos surgidos na experiência de Urey ficam inertes e não se ligam em polímeros para formar o próximo passo, que seria as proteínas. Alem disso os aminoácidos de Urey não são os aminoácidos usados pela Vida. Então Craig preferiu observar um genoma pronto e copia-lo, pegamdo átomos, combina-los na forma de aminoácidos e outros componentes, etc. Inserindo isso numa bactéria ela se reproduziu passando o genoma sintético de Craig para os filhos, os quais agora devem ser filhos da mãe bactéria e do pai Craig. Estes filhos terão outros filhos indefinidamente, portanto uma nova espécie surgiu na Terra, carregando um sinal de Caim na testa, que são as quatro marcas d’àgua no genoma. Fantástico! Mas…

A maioria dos ateus e críticos das religiões vieram correndo à midia perguntando: “E como fica o criacionismo agora? Hein?”

No meu caso me perguntei imediatamente: “E como fica a Teoria da Matriz/DNA Universal agora”? Hein? Será que chegou a hora de por tudo no lixo e retirar-me de cena?”

Claro que êste evento vai me obrigar a reestudar a Teoria e compara-la com a nova situação. Mas já de antemão parece-me que a teoria não sofre nenhum abalo, ao contrário, parece que ela sai do episódio mais reforçada. Ela sugere que os átomos na superficie da Terra estão acessíveis a serem penetrados pelos fótons que vem da energia solar, que tais fótons são bits-informação de LUCA. O objetivo supremo dos fótons-genes é reproduzir o sistema de onde vieram, assim como se os chineses imigrantes em New York, tivessem dinheiro e material suficiente, criariam um bairro para morar reproduzindo o ambiente da China, na medida que permitisse os materiais e condições de New York. Ora, Craig Venter usou átomos da superfície terrestre, que contem imigrantes vindo de LUCA – o qual é a própria Terra mais o Sol formando um proto-sistema. O que êle fêz foi apenas substituir o grande meio ambiente – que é produzido por LUCA,  assim como nós produzimos tôda a medicina no acompanhamento da gestante e depois a sala do parto. Craig fêz em 10 anos o trabalho que a Natureza demorou bilhões de anos para fazer no período ultimo da biogêneses, quando ela já tinha feito os ingredientes.

Mas acho que poderíamos pregar uma peça no Craig, da mesma forma que Louis Pasteur pegou de jeito os defensores da teoria da geração espontânea. Pasteur esterilizou e lacrou herméticamente os frascos contendo a matéria que diziam gerar formas de vida como micróbios. Não foi gerado nada, provando que os principios vitais vinham pelo ar ou algo mais. Da mesma forma poderíamos tentar colher átomos de uma certa região profunda da Terra, que não têve contacto nem êles nem seus vizinhos, com a energia solar mas que também não foram de alguma forma alcançados pelas substâncias que sobem desde o nucleo do planeta. Na nossa linguagem da Matriz seriam átomos estéreis, os principios vitais vem de algo mais. Daríamos estes átomos a Craig e pediria para ele repetir a experiência . Se a Teoria da Matriz/DNA Universal estiver correta, êle jamais conseguiria copiar o genoma. Teria o mesmo problema dos pesquisadores no laboratório que tentam acrescentar pedaços de polímeros ou proteínas às  pequenas moléculas que se formam na Natureza e que deveriam evoluir para RNA ou DNA mas ao invés disso, quando chegam a certo ponto, suas duas pontas se atraem, se curvam e se conectam formando uma anel fechado para sempre. Porque? Porque átomos simples tem suas próprias fôrças de atração que os leva deterministicamente a se conectarem a átomos específicos tambem simples e constituirem arranjos que resultam em rochas, àgua, coisas inorgânicas. Mas os átomos usados por Venter são especiais, eles contem o principio vital. Nós teríamos fechado o frasco, provando que a matéria de Craig é estéril. Daria Pasteur na cabeça!

No entanto, vamos continuar analizando isso tudo, é muito recente para conclusões definitivas.

Abraços,

Louis Morelli

Moléculas altruístas podem ter ajudado na formação das primeiras formas de vida

sexta-feira, julho 9th, 2010

Veja artigo completo em: http://cienciadiaria.com.br

E veja a seguir a versão da Matriz

Um trabalho desenvolvido por cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, EUA, mostra que pequenas moléculas poderiam ter agido como “parteiras moleculares” para ajudar na construção de blocos de longas cadeias de material genético, bem como auxiliado na seleção de pares de bases da dupla hélice do DNA. Para os pesquisadores, há evidências de que, antes de haver enzimas de proteínas para a produção de ambos, pequenas moléculas presentes na Terra pré-biótica (anterior ao surgimento da vida no planeta) teriam ajudado na formação destes polímeros ao promoverem sua automontagem 

Durante os experimentos, os cientistas observaram que a molécula de etídio pode auxiliar oligonucleotídeos (curtos fragmentos de uma cadeia simples de DNA ou RNA) na formação de polímeros. Um dos maiores desafios para a obtenção de um polímero é que, enquanto ele cresce, suas pontas começam a reagir umas com as outras em vez de formar cadeias longas – problema que é conhecido como ciclização. Mas, ao usar uma molécula que se liga entre pares de base vizinhas de DNA (conhecida como intercaladora), é possível formar peças curtas de DNA e RNA de forma a facilitar a criação de moléculas maiores. Agora, os pesquisadores buscam a verdadeira identidade desta molécula “mãe de todas”, responsável pela formação dos primeiros polímeros genéticos da Terra. A molécula altruísta que deu o primeiro passo no desencadeamento do complexo e explosivo surgimento da vida.

Primeira Versão da Matriz

Êste tema revela como foi árdua a luta da Natureza para recuperar os descendentes de LUCA aqui na Terra para a evolução, para corrigi-los do vício que levou seus ancestrais celestes a cometerem o pecado original. Uma batalha a nível de moléculas onde os agentes da Natureza tiveram que invadir muralhas cerradas de fortalezas onde se encerraram os descendentes viciados e trazê-los para fora onde os agentes esperavam-nos de mãos estendidas para formarem uma nova e mais ampla sociedade.

Vamos analizar o fenômeno friamente, sem impregná-lo com nossas místicas. Se entendo direito o que o texto diz, estamos observando o passado, antes das origens da vida, e vemos um grupo de átomos conectados formando como uma fita e sabemos que aquela molécula é parte inicial de uma grande fita que se comporia mais tarde e se chamaria RNA ou DNA. Porém, ainda pequena a fita muda de destino, suas pontas se ligam e formam um anel. Adeus RNA, não foi dessa vez. Mas observamos outro grupo menor ainda – que fatalmente iria curvar suas pontas e fechar-se – porém acontece algo estranho: aparece por perto um grupo pequeno de átomos conhecido como molécula de etílico que se agarra numa das pontas da pequena molécula evitando que se curve e feche, e traz outros átomos ligando-os naquela ponta. Parece que a ponta sofreu alguma mudança pois agora ela não se atrai mais pela outra ponta, e assim continua sendo agregado átomos a ela. Dessa forma um dia chegou-se a obter uma molécula completa de RNA e daqui a Vida apareceu. Por sua vez, a molécula de etilico com sua missão cumprida, desaparece quietinha da cena, não espera os repórteres, a televisão, a recompensa do govêrno, a fama de heroína, e vai anônima procurar outra molécula-bebê a quem ajudar a crescer…

Pô… mas estamos falando de átomos, uma gang ou turminha de átomos!  Átomos são conjuntos de partículas, êles não tem propósitos, êles não movem uma palha a não ser quando estão carentes de energia e procuram comida na forma de um elétron na camada superficial de outros átomos. Se tem um grupo dêles agindo diferente, com comportamentos anormais, e ainda mais com propósito de ajudar, ser babá de bebês, parteiros, está claro que não sabem o que fazem nem porque fazem aquilo. Deve existir alguma ou algumas fôrças, dentro ou fora dêles, com mais poder que a fôrça natural dêles, dirigindo-os. Ou isso ou então nos despimos do avental de cientista, mandamos a Ciência ir plantar batatas porque o mundo não é lógico. 

Eu penso que sómente a existência de sistemas pode explicar essas fôrças. É a unica coisa que conhecemos e sabemos comprovadamente que pode atuar na matéria sem nos ser visível. Um árabe que deveria estar trabalhando e procurando namorada de repente se enche de bomba e se mata. Um comportamento ilógico que veio de fora dêle: um sistema invisivel conhecido por religião islãmica ( ou ao menos um sistema ideológico de terroristas). Sistemas hierarquicamente maiores ou superiores em complexidade atuam sôbre sistemas menores externos ou sôbre seus sub-sistemas ou ainda, a essência de um sistema, aquilo que lhe dá sua identidade, que é o excesso de informação além da soma de informações de tôdas suas partes, atua sôbre suas próprias partes. Este excesso de informação que não está em nenhuma das partes, que resulta das experiências das interações entre as partes é a mente invisível do sistema. Assim como no homem existe uma entidade, que é abstrata, intocável, chamada mente, que é diferente do corpo que a produz, é diferente de todas as partes do corpo, mas tem poder de dirigir o corpo para onde ela decida. Átomos por si só não são heróis nem altruístas. Ponha bilhões de átomos conectados e eles formam uma pedra, que não move uma palha, porque pedras sôltas são pedaços desconectados de um sistema.

Mas qual então o sistema que existe naquela área, naquela sôpa de lama, conduzindo um grupo de átomos a comportamentos anormais? Ninguém vai procurar porque ali não se vê sistema nenhum, todo mundo jura que não existe sistema ali.

Como resultado, somos tentado a ver grupinhos de átomos como se fossem entidades pensantes, com propósitos! Está na moda dizer que genes tem propósitos, que tem conhecimento do futuro, pois êste outro amontoado de átomos possue o propósito supremo de se perpetuar! Parou-se totalmente de buscar  fôrças externas aos átomos, conferiu-se personalidade a êles. Perdemos o juízo! Rindo de nós ficaram os religiosos, pois êles acreditam que sabem de onde vem as fôrças: Deus.

Existe um sistema completo, muito grande, descomunal mesmo, dentro de uma massa informe de células muito minuscula. Me refiro ao código genético dentro de uma mórula no meio da sôpa amniótica de onde vai se desenvolver um ser humano. O ser humano é o sistema que está dirigindo o comportamento de átomos dentro daquela sôpa. Êle foi transfigurado, decodificado, e colocado como uma molécula composta por átomos dentro da massa amôrfa. Então se temos uma solução comprovada aqui na Terra, porque emitir carteira de identidade para moléculas ou rebaixar Deus das alturas para vir aqui e ficar mexendo com lama? Porque não procurar um sistema maior fora da sôpa?!

Foi a conclusão que cheguei no Amazonas. Quando estava agachado revirando lama do pantâno, pensando no sistema, me acendeu essa luzinha, pensei nisso, deixei a lama e levantei os olhos, sondando os arredores, arriscando um olhar inquiridor para os céus… Nunca mais voltei à lama a procurar as respostas para as origens da vida. Com certeza não estavam lá, assim como meu pai e minha mãe não estavam em pessoa dentro do ovinho de meus primeiros dias.

Então… se brigo por essa idéia, tenho agora que, pelo menos, sugerir onde está e quem é o misterioso sistema.

Quando o texto científico diz “Um dos maiores desafios para a obtenção de um polímero é que, enquanto ele cresce, suas pontas começam a reagir umas com as outras em vez de formar cadeias longas – problema que é conhecido como ciclização.”, podemos entender isto na linguagem da Matriz. Antes recorde que “polimero” são átomos reunidos conectados formando uma fita, como se fôsse uma minhoca e êles se uniram porque a energia do Sol e substâncias do núcleo da Terra inoculam nos átomos partículas de luz chamadas fotons, as quais são unidades de informação do “DNA/Matriz” de LUCA. Êstes fótons tentam criar um corpo para encarnarem-se como software, assim como nós tentamos fazer um hardware de computador mais avançado para operar o ultimo  software mais desenvolvido que os anteriores. Os fótons agem como agentes subversivos de um regime estrangeiro sôbre as partículas dos átomos conduzindo-os a se conectarem de nova maneira. Mas fótons de LUCA herdaram o supremo egoismo de LUCA e assim que tenham alinhado átomos suficientes tentam unir as duas pontas da minhoca para transforma-la num anel.

 Benzeno, um composto cíclico simples

O mais primitivo anel quimico foi o Benzeno, descoberto por Kekulée quando viajava numa carruagem e começou a dormir mas assim como os solavancos da carruagem faziam seu corpo dançar êle sonhou com átomos dançando e formando rodas de cirandas. De repente êle gritou para o cocheiro parar, saiu da carruagem, levantou os braços para os céus e gritou para o mundo: “Descobrí o Benzeno!” . E deu um tapa carinhoso no traseiro do cavalo dizendo “obrigado amigão, seu trotar valeu, quando chegar-mos você vai ter alfafa da melhor à vontade e uma semana de férias!”

Formando o anel os genes de LUCA fecham o sistema, se recolhem para dentro dêle como a tartaruga faz recolhendo-se dentro da casca e preparam-se para viver eternamente seu paraíso termodinâmico. Porém a Natureza não quer isso, ela tem uma missão muito maior a alcançar que ser apenas bolinhas duras por aí ou esferas no céu, por isso ela tem que abrir aquelas pontas para agregar mais átomos que serão necessários para montar sistemas mais complexos e deixá-los abertos para evoluírem. Quando ela rompe um anel isto é chamado pelos químicos de “ciclização”e veja um exemplo:

 Ring opening metathesis polymerisation

Veja os detalhes em Wikipedia. Estás vendo como um anel fechado, quando envolvido numa substância catalizadora num laboratório, torna-se uma linha aberta como uma minhoca? Agora vejamos um exemplo contrário, quando uma cadeia de átomos na forma de linha – ou sistema aberto –  faz suas pontas reagirem-se e colarem-se formando um anel, sistema fechado:

Dieckmann condensation

No experimento dos cientistas o agente da Natureza para corrigir os herdeiros de LUCA foi a   molécula de etídio, a qual estaria no lugar da base –ROH acima. Acho que êste exemplo não é bem apropriado, mas nesta pressa não posso procurar outro (se você tiver tempo tens a missão de ajudar-me e aproveitar para aprender por si mesmo(a)). Pois como o texto diz: “… pequenas moléculas poderiam ter agido como “parteiras moleculares” para ajudar na construção de blocos de longas cadeias de material genético” – a ação da molécula de etídio não é atacar e romper anéis depois que se fecharam mas ela age antes das duas pontas da cadeia de átomos se unirem, inserindo nestas pontas novos átomos selecionados para cumprir um plano de um composto maior e mais complexo. Portanto, a molécula de etídio funciona mais como os missionários e psicólogos que se ocupam dos jovens tendentes a se viciarem tentando convencê-los a seguir outro caminho. Ou como a mensagem da Matriz tenta transmitir uma mensagem naturalista mais saudável ao jovem que perdeu a fé religiosa dos pais e está prestes a ser capturado na rede do niilismo transmitido pelas teorias materialistas.

Diz o texto: “Agora, os pesquisadores buscam a verdadeira identidade desta molécula “mãe de todas”, responsável pela formação dos primeiros polímeros genéticos da Terra. A molécula altruísta que deu o primeiro passo no desencadeamento do complexo e explosivo surgimento da vida.” Ora, êsse nome “molécula da Vida”, ou “mãe de todas” são recursos publicitários para enaltecer a teoria materialista da abiogênese. Acreditam que existiria uma molécula criadora ou parteira da vida? Mas será que se esqueceram o que está por trás, o verdadeiro significado, da palavra “Vida”? É a coisa mais complexa existente nestas regiões do Universo, uma engenharia extraordinária que jamais conseguimos imitar, e então quem criou essa coisa fantástica teria sido um punhado de átomos mais estúpidos que uma pedra?! Ora, comm’on! Seja como for, prefiro o raciocinio da Teoria da Matriz que sugere que são muitas diferentes moléculas como agentes da polimerização, que essas moléculas são trechos ou pedaços do circuito de LUCA procurando por afinidade iônica outras moléculas que contenham trechos com os vizinhos de outrora, assim como um chinês chegado a New York não vai procurar o bairro turco para morar mas sim o bairro que contem seus conterrâneos vindos da China.

Um outro tema relacionado com isto e que está na moda ecológica é o fato de que a as técnicas de laboratório industriais descobrem como fechar linhas em anéis ou ao contrário, como abrir anéis em linhas, e o resultado destas experiências são materiais como o nylon, o polietileno, etc. Uma técnica conhecida como “Ring-opening metathesis polymerization of cycloalkenes” produz importantes petroquímicos. Daqui dá para entender porque alguns dêstes produtos são tóxicos poluentes ou não-degradáveis, pois estamos criando novos compostos químicos que podem ser mortais para aquêles formados naturalmente, tanto para os fechados em anéis como para os abertos que seriam utilizados pela evolução.

Veja algumas definições úteis aqui:

Em química orgânica, um composto cíclico é um composto no qual uma série de átomos de carbono são conectados formando um laço ou anel.[1] O benzeno é um exemplo bem conhecido. O termo “policíclico” é usado quando mais de um anel formam uma molécula como por exemplo no naftaleno, e o termo macrociclo é usado para um anel contendo mais que uma dúzia de átomos.

Uma reação química orgânica que forma um ciclo, ou seja, produz uma molécula cíclica a partir de um composto não cíclico, é chamada reação de ciclização. Um exemplo genérico para se entender tal tipo de reação seria a ciclização do hexano em cicloexano. Um exemplo de reação que produz ciclização é a condensação de Dieckmann.

Abraços,

Louis Morelli

 

 

DNA-LIXO: Surge uma Teoria com explicação diferente da Teoria da Matriz

quinta-feira, julho 8th, 2010

Veja uma tradução resumida aqui e o completo artigo em Inglês no site:

http://www.agoracosmopolitan.com/home/Frontpage/2007/01/08/01288.html

Título: Scientists find Extraterrestrial genes in Human DNA

E depois veja a seguir a versão da Teoria da Matriz/DNA a respeito.

Um grupo de pesquisadores trabalhando no Projeto Genoma Humano  estão divulgando uma teoria impressionante. Eles acreditam que 97% do DNA humano que são formados, pelas assim chamadas, “seqüências não-codificadas” são nada menos que códigos genéticos de formas de vida extraterrestres.

As seqüências não-codificadas são comuns em todos os organismos vivos da Terra, de células à peixes à humanos. Elas constituem grande parte do DNA humano, diz o professor Sam Chang, líder do grupo.

As seqüências não-codificadas, originalmente conhecidas como “DNA-LIXO”, foram descobertas anos atrás e sua função permanece um mistério. Mas elas constituem a  esmagadora maioria do DNA humano.  Os cientistas acreditam que estes  “genes-lixo ” são extraterrestres e que simplesmente “curtem o passeio” com os outros genes ativos, passando de geração à geração.

Depois de abrangentes análises com a assistência de outros cientistas como programadores, matemáticos e outros sábios acadêmicos, o professor Chang se perguntou se o evidente DNA-LIXO humano foi criado por algum tipo de “programador extraterrestre”. “As cadeias alienígenas dentro do DNA humano tem suas próprias veias, artérias e seu próprio sistema imunológico que resiste vigorosamente à todos os tipos de drogas anti-câncer conhecidos”, observa o professor Chang.

O professor Chang estipula também que “Nossa hipótese é que uma forma de vida extraterrestre superior se ocupou de criar novas formas de vida e de plantá-las em vários planetas. A Terra é apenas um deles. Talvez, após programar-nos, nossos criadores se ocuparam de criar-nos como criamos bactérias em laboratórios. Nós não sabemos seus motivos, se era para ser um experimento científico, ou um jeito de preparar novos planetas para a colonização, ou se é um trabalho de longo prazo de semeação de vida no universo.”

Chang, além disso, ressalta que “Se nós pensarmos nisso em termos humanos, os supostos “programadores extraterrestres” provavelmente estavam trabalhando em “um grande código” consistente de vários projetos, e esses projetos devem ter produzido várias formas de vida para vários planetas. Eles também devem ter tentado várias soluções. Eles escreveram “o grande código”, executaram-no, não gostaram de algumas funções, mudaram-no ou adicionaram novas funções, executaram-no novamente, fizeram melhorias, tentaram novamente e novamente.”

Além disso, o time de pesquisadores do professor Chang conclui que “Os “programadores extraterrestres” talvez tenham sido ordenados a excluir todos os seus planos idealísticos para o futuro quando se concentraram no “projeto Terra” a fim de terminá-lo no prazo adequado. Provavelmente com pressa os “programadores extraterrestres” cortaram drasticamente o “grande código” e o entregaram somente com as características básicas planejadas para a Terra. Chang é somente um de vários cientistas e outros pesquisadores que divulgam esta teoria sôbre origens extraterrestres para a Humanidade, vindas de outros seres inteligentes.

Chang e seus colegas mostram que as aparentes lacunas no sequenciamento do DNA, precipitadas por uma suposta pressa em criar a vida humana, presenteou a raça humana com o ilógico crescimento desordenado de células que conhecemos por câncer.

O professor Chang ainda aponta que “o que vemos em nosso DNA é um programa consistindo de duas versões, um código básico e um grande código.” Chang então afirma que “o primeiro fato é que o programa completo absolutamente não foi escrito na Terra, isto é um fato confirmado. O segundo fato é que os genes, por si sós, não são suficientes para explicar a evolução, deve haver algo mais “no jogo”.

“Cedo ou tarde”, diz Chang, “nós teremos que enfrentar a inacreditável idéia de que toda a vida na Terra carrega códigos genéticos de nossos “primos extraterrestres” e que a evolução não se deu do jeito que pensávamos.”  Por John Stokes (tradução: Mario Barros)

Versão da Teoria da Matriz

 

O DNA-Lixo em certos trechos tem sequências de centenas de repetições de uma mesma letra. Imagine um livro onde palavras como “lua” tivesse cento e vinte “l”, duzentos “u”… Por isso dizem que estes trechos não codificam para nada pois não parece um código. Mas o Dr. Sam Chang foi condicionado desde a escola e a comunidade científica que com ele convive a acreditar que o DNA surgiu na abiogenese ou biogenese e contem informações da evolução dos 3,5 bilhões de anos da evolução orgânica biológica. Quando surgem problemas como êsse que não se encaixam nessa crença, como ser racionalista que é, vai afastando-a paulatinamente de si. Porem algo tem que vir ocupar seu lugar, êle busca, suspeita com razão que no contexto da evolução atuaram fôrças que êle não está captando. Mas que fôrças, se a comunidade científica tem atuado como quem “sabe” que já desvendou tudo o que tinha a ser desvendado na matéria da Terra em relação à evolução? Basta entrar num forum, num debate com êles, argumentar que existem problemas como a causa da primeira molécula auto-replicadora, da primeira auto-organização do sistema celular, da origem do sistema em código, da redução da atmosfera terrestre que não produz os corretos aminácidos usados pelos vivos, etc. e eles sempre tem dito que laboratórios já sintetizam isto e e aquilo, e o que não fazem ainda exatamente como a Vida fêz, será feito, é só uma questão de tempo. Então na mentalidade do Dr, Chang resta apenas uma saída: a força ou fôrças desconhecidas vieram de fora do planeta Terra. E bombardeado com a presença da tecnologia computacional à sua volta não pode evitar de ver as causas dos códigos no computador, vindo da mente de homens como Bill Gates, para associar a idéia de que estas fôrças tiveram origem inteligente. Daí os extraterrestres é a unica opção racional.

Mas existe uma outra maneira também racional de abordar a questão cuja saída final inevitável não aponta na direção dos extraterrestres inteligentes ou não, do Dr. Chang. E aponta também que o Dr. Chang e tôda a comunidade científica tiveram uma formação errada, quando seus instrutores das gerações passadas quebraram a História Natural em dois blocos, separaram-nos entre si, deixando um abismo no meio, o qual tinha que ser preenchido com algo. Refiro-me à História Natural de 13,7 bilhões de anos ter sido dividida em Evolução Cosmológica por 10 bilhões de anos e Evolução Biológica nos ultimos 3,7 bilhões de anos. A Evolução Natural foi quebrada em duas partes de maneira que as leis da evolução daqui não fou aplicada para calcular a evolução de lá e nem vice-versa. O sistema de código que redistra e suporta a evolução vista aqui não fou procurado lá, os principios da auto-replicação ídem, da auto-organização, do metabolismo, do Ciclo de Cori, do Ciclo de Krebs, etc. e etc., não existiam nos antepassados que ficaram na outra margem alem do abismo. Mas o abismo é apenas imaginário, só existe na cabeça do homem enquanto nossa mente e inteligencia ainda está no seu nascedouro e portanto ainda é infantil. Pois basta olhar com os olhos e vemos os antepassados dos 10 bilhões de anos convivendo conosco:astros, partículas, átomos, etc. A Natureza é uma só, suas leis evoluem de simples para complexas como os iniciais usos e costumes das tribos humanas evoluiram para constituiçoes nacionais. É na Natureza que temos de buscar os rudimentos do DNA, das três variaveis da teoria da evolução, da auto-irganização. Se aí não os encontrar-mos, apenas então nos restará a possibilidade que a Vida e seu código existente aqui foi inventado por alguém que não foi produzido pela Natureza, que tambem teria que ter sido inventado por algo alem do natural. Se os extraterrestres do Dr. Chang são os produtores do DNA que aqui está, eles são inevitavelmente, sobrenaturais. Se a Vida não é produto da Evolução Cosmológica então ela não poderia tambem ter produzido extraterrestres vivos. Se ela os fêz lá, então porque não poderia nos ter feito aqui?!

O primeiro ser vivo real, completo que conhecemos já veio com um pacote genético de mais ou menos 300 genes. Cada gene possui milhões de partículas que podem por sua vez serem unidades diferenciadas de informação como são os genes. Portanto é possível que o código do primeiro ser vivo continha bilhões de informações. Informações sôbre o que? Sôbre o período desde que se formou o primeiro nucleotídeo até o aparecimento do primeiro sistema celular? Mas e as informações dos 10 bilhões de anos da Evolução Cosmológica? Quem garante que a matéria burra da Terra inventou o Windows natural, que criou-o do nada? Mais especificamente, que ela inventou tudo o que aí está, como a extrordinária engenharia do sistema reprodutor sexual? Esta crença é mais racionalista, mais inteligente, do que aquela que suspeita que os principios rudimentares de todos estes fenomenos vivos vieram se desemvolvendo sob as leis da evolução desde o Big Bang, e se disponibiliza a ir procura-las? Acho que é mais cientifico o homem que vai esmiuçar a matéria antiga em busca das respostas que o homem que não aceita fazer isso e vai procurar UFOS no espaço, ou cruza os braços esperando até o dia que resolvam ouvir nossas rezas e se disponham a falar conosco.

A evolução Cosmógica se deu num ritmo milhões de vêzes mais lenta que o ritmo da evolução biológica, e ‘’e fácil entender porque: a evolução biológica demorou bilhões de anos para produzir um mamífero e apenas alguns milhões para produzir um Sócrates. Poderíamos dizer que a evolução tem sua velocidade acelerada numa progressão geométrica sem mêdo de errar, somos testemunhas disto aqui. E aqui talvez esteja a explicação da existência das letras repetitivas compondo o DNA-Lixo.

Os modêlos da Teoria da Matriz/DNA Universal surgiram quando experimentei calcular uma idéia: a de que êsse fenômeno a que denominamos ciclo vital e é fundamental para distinguir sistemas naturais animados da matéria inanimada não teria sido inventado aqui na Terra , mas e assim seria produto de uma evolução iniciada com o Universo, portanto, a própria Terra teria que se sujeitar a uma especie de proto-ciclo vital. Se isto fôsse verdade, a Terra seria algo mais do estamos pensando que seja, seria um fenômeno mais complexo do que a simplicidade com que a temos revestido teóricamente. Calculando-a desta maneira, os resultados apontaram que se a Terra está sob um ciclo vital ela perfaz um proto-sistema o qual tem a mesma configuração de um proto-nucleotideo. Ora, se o DNA está nos sistemas biológicos e nos sistemas astronômicos, porque não estaria ainda em forma mais rudimentar nos sistemas atômicos? Para resumir fui concluir que o rudimento ultimo do DNA, o seu unicio mais simples possível está em algo que todos conhecemos: um vórtice. E não sou que teorizei que ao se adentrar a matéria cada vez mais no seu intimo chegamos a um ponto que ela desaparece e restam vórtices. Mas se observar-mos um vórtice, mais detalhadamente, ele já se comporta como um ser vivo e possui os rudimentos das propriedade vitais nas formas de fôrças brutas, ou conceitos.  Assim surge a possibilidade de que A Natureza apenas compôs o nosso código genético, ela não precisou da ajuda de extraterrestres sobrenaturais.

Porem, sei que isto não resolveria a questão real que eu, o Dr, Chang, todos nós humanos temos perante o DNA-Lixo. Mas existe um outro fenômeno natural acontecendo no DNA que parece ter recebido a atenção que merece por parte dos pesquisadores.     

O fato estranho da repetição de letras e aparente inutilidade de 97% do DNA torna-se ainda mais estranho quando observamos os outros 3% e nos conscientizamos que vemos no meio da matéria inconsciente um arranjo de atomos formando um código complexo composto de memória no seu conjunto significando que é um comando de instruções fantasma, invisivel, mas que tem fôrça para atuar nesta matéria dirigindo-a para executar atos! Assim como essa coisa que denominamos pensamento ou mente, parece abstrato mas tem fôrça para mover nossa mão para executar uma ação. Não é atôa que O Dr. Chang tira o avental de cientista, deixa o laboratório e vai para a rua anunciar que existem extraterrestres inteligentes criadores de sementes de DNA espalhando-os pelos planetas. Não tem mais como evitar o indesejado anuncio de que existe alguma inteligência por traz dessa história tôda. Já completou século que a Ciência revirou a matéria dos 3,7 bilhões de anos de cabeça para baixo e não encontrou as causas dos acasos que teria prenchido o abismo entre as duas Histórias. Mas o fato da Ciência estar admitindo que a Natureza não poderia por si só produzir o nosso DNA e que varificou que as leis são as mesmas em todo o Universo implica que ela também não poderia ter produzido êese DNA em nenhum outro lugar. Então os extraterrestres que inventaram o nosso DNA não teriam DNA, pois êles existiam antes do DNA, que foi invenção dêles?

Existe uma outra situação real, acontecendo na matéria que parece repetir a mesma situação que observamos no DNA. Me refiro ao fato de que o homem produz uma máquina, denominando-a hardware e insere nela uma estrutura arranjada que denominamos diagramas de software de maneira que opera como um comando de instruções, inclusive exercendo uma fôrça na matéria se pusermos o computador como cérebro de um robot ambulante. O computador não é exatamente igual a um cérebro mais mente, mas também a interação entre o hardware DNA e o comando de instruções que ali opera não é como a interação entre o cérebro e a mente. Tanto no caso do computador quanto no DNA, o comando de instruções é determinado, o hardware só tem um mensagem final, um destino determinado, produzir uma proteína X e depois um ser da espécie tal, enquanto a mente tem lívre-arbitrio e não está totalmente modelado pelo cérebro e ambiente, por isso seres humanos tem entre si uma infinidade de destinos diferentes. Resumindo, existem três fenômenos (DNA, Computador, Homem) que se assemelham na composição (software mais hardware), mas que apenas dois (DNA e Computador) compartilham o mesmo modo de existir. DNA e computador continuam emparelhados se assemelhando em tudo, apenas se diferenciam na matéria em que se constituem e no fator menos relevante que um é mais simples, operando com duas variaveis (o computador com seus 0 e 1) e o outro, com sete variaveis ( o DNA com as cinco bases e mais os dois açucares).

Mas porque estou aventando a idéia de que devemos olhar o DNA como sendo uma composição entre hardware e software? Porque isto explicaria a repetição das letras e tôdo o DNA-Lixo. A evolução do computador foi um processo de retroalimentação entre software e hardware. Tínhamos um hardware simples – a máquina de calcular – aí inserimos nela um software simples. A máquina revelou-se mais capaz que a mente humana para realizar certas tarefas, ela acelerou a obtenção de informações fazendo com que a mente humana elaborasee um software mais evoluido. Mas para operar esse novo software era preciso incrementar a maquina. Feito isso novamente a maquina empurrou a evolução do software o qual empurrou a evolucão do herdware… Existem prtanto duas evoluções em paralelo. Se a tecnologia não evolui, o software mais complexo fica estacionado na mente do homem que é obrigado a repetir o mesmo hardware ano após ano, esperando que alguem, por exemplo, descubra um tipo de chip mais potente, Veja-se a repetição dos modêlos de computadores como as repetições de letras no DNA. E veja-se o que chamanos de DNA-Lixo como sendo a parte do DNA que registra os 10 bilhões de anos da Evolução Cosmológica. Se elominar-mos as nossas longinquas ancestrais plantas do planeta, ficaremos sem alimento: se o DNA elimiasse seus ancestrais ficaria do mesmo jeito. Por isso os 97% continuam existindo.

Não vou estender-me mais para explicar onde quero chegar. O computador é mais simples do que o DNA porque a mente que criou o computador é menos inteligente que a mente que criou o DNA. Então caímos na mesma esparrela do Dr. Chang? Acho que não. A mente inteligente em que o Dr. Chang acredita é sobrenatural porem vive dentro do Universo, a mente inteligente que eu acredito é natural, porem vive fora do Universo. É natural porque vejo isso tudo, essa inteira História Natural do Universo como um mero processo de reprodução genética, o que indica que ninguem inventou o DNA, ele vem do que existia antes do Big Bang. Suspeito que esse ser natural que está sendo reproduzido é inteligente porque aqui o feto cosmológico se torna embrião e em seguida se torna inteligente. Eu não estou apenas deslocando a solução do Dr. Chang, que estaria dentro do Universo, e mandando-a para alem do Universo irracionalmente. A solução sobrenatural, irracional é a do Dr, Chang. A minha é e continuará sendo sempre natural, por isso ao invés de sentar no quintal esperando UFOS eu carrego a Ciência avante. Mas o mais provavel é nenhum de nós dois estejamos completamente certos. Se sei disso porque insisto nêsse caminho? Porque acredito que o caminho se faz ao caminhar. 

 

Nitrogênio: A Previsão da Matriz se confirma na Lua Titã de Saturno

quarta-feira, julho 7th, 2010

Os modêlos da Matriz fornecem explicações surpreendentes para os fenômenos da Vida, mas talvez seu maior benefício é que estas explicações pode ser transmitidas num jargão popular inclusive de forma alegórica e irônica que capta a atenção de jovens levando-os a compreender profundamente o sentido da Vida e estimulando-os para o naturalismo científico. Veja por exemplo nesta abordagem que escrevemos sôbre o papel do nitrogênio na Vida inspirados no seguinte artigo, publicado no website http://cienciadiaria.com.br , sob o título…

Atmosfera de Titã pode dar pistas sobre como a vida surgiu na Terra

(obs.: é interessante ler o artigo)

Imagem obtida pela sonda Cassini em 15 de outubro de 2007 mostra Saturno com seus anéis, a pequena lua de Epimeteu e a grande Titã. Crédito: NASA/JPL/Space Science Institute

O artigo diz entre outras que “Ainda é um mistério como complexas moléculas orgânicas se tornaram nitrogenadas.” Ora, para quem está treinado na leitura dos mapas da Matriz, basta uma rápida olhada no modêlo do átomo de nitrogênio e das fórmulas das moléculas orgânicas onde êle está para compreender porque o nitrogênio foi convocado para fazer parte da Vida.

Observe o modêlo do átomo de nitrogênio, contendo 7 protons, 7 neutrons e 7 eletrons.

E agora observe o software-Matriz como sistema fechado, contendo as 7 funções universais. Existe apenas uma maneira no Universo de se construir um sistema fechado em si mesmo, e isto se tôdas as sete funções sistêmicas estiverem ali representadas e na sequência exata. Em cada nível da evolução vai existir sempre uma espécie que melhor se aproxime desta representação, e no nível dos átomos o nitrogênio é por excelência o átomo em que a Natureza mais se aproximou da sua meta suprema de atingir o equilibrio termodinâmico. Mas não seria com os pequenos átomos que ela conseguiria seu paraíso eterno, para tanto el têve que organiza-los em corpos astronômicos. Por isso, o nitrogênio é, dentre os átomos, o que faz brilhar a estrêla quando ele nasce formado na fusão nuclear inter-estelar, por isso ele é o átomo eleito por LUCA.

Para posterior análise vamos precisar lembrar o retrato material de LUCA, ou seja o hardware formado pelo software-Matriz acima:

E agora vamos responder porque o nitrogênio está no nosso meio dos vivos.

O que faz um sistema fechado entre nós,  no meio da Vida?

O nitrogênio é um gás tão inerte que Lavoisier se referia a ele como azote (ázoe), que é uma palavra francesa que significa “impróprio para manter a vida”. Alguns anos depois, em 1790, foi chamado de nitrogénio, por Chatpal. Lavoisier acertou dizendo que um sistema fechado é impróprio para a Vida, sem saber quem era o nitrogênio. Sistemas fechados são inacessíveis para a evolução, esta necessita de sistemas abertos como os vivos. E tornando-se fechado ele torna-se imóvel externamente por isso aparenta ser inerte, apesar de que internamente existe intensa atividade.

O nitrogênio – o átomo que é o embaixador oficial de LUCA, um regime ditatorial fechado – conseguiu instalar uma embaixada no meio de nações inimigas, de  regime democrático aberto! Estamos falando dos aminoácidos do tipo “alfa” (cerca de vinte) que são os constituintes de todas as proteínas e peptídeos, portanto, de toda matéria viva, a qual é um regime aberto à evolução. Mas porque elas permitiram a intrusão desse indesejado? Na cabeça humana existe uma espécie de caroço a que dão o nome de de Complexo R, que vem de Reptiliano. Dizem que é nossa herança dos nossos ancestrais répteis. Ao menos se confirma que dali só sai ato impulsivo, criminoso, aliás, bem próprio de um réptil. Tem gente que quando bebe muito ou ingere drogas entorpece o cortex, quase todo o cérebro evoluído, e então que vem lá do fundo para dominar o comportamento do individuo é seu ancestral réptil. E aí… se torna violenta. Mas se não existisse o réptil, assim como qualquer outro de nossos ancestrais, nós não existiriamos hoje. Certo? Nosso Dna tem 98% do DNA do macaco. Acontece que LUCA é nosso ancestral. Na verdade, LUCA é a Terra, é o Sol, foi quem nos transmitiu o nucleotídeo, não poderia faltar nos aminoácidos. É indesejado, mas inevitável. Veja uma estrutura de um aminoácido:

Repare onde está o Nitrogênio. A esfera azul na ponta esquerda. Para quem é treinado nos mapas da Matriz entende tudo num relance, mas é dificil explicar com palavras. A esfera azul está iniciando um ciclo, Função 1, representa astronomicamente um buraco negro. Em volta dela existem os àtomos de hidrogênio, representando a poeira estelar que constitui o horizonte de eventos, parte da Função 7. O primeiro átomo de carbono a seguir representa a Função 3, o planeta que cria diversas novas formas, por isso ali está pendurado o Radical R. O carbono seguinte é a Função 4. Mitocondria na célula, pulsar no céu… A partir daí o circuito entra em decaída, partindo para as Funções 6 e 7, produzindo o cadaver estelar que será limpado do sistema pelo senhor celeste da limpeza que é o Oxigênio (veja explicação abaixo).  Mas porque o Nitrogênio entra no lugar do buraco negro? Porque a Função 1 é a fôrça dominante dos sistemas fechados, ela representa a parte feminina quando uma organização social qualquer é matriarcal, como no caso da rainha abelha em sua sociedade. O macho tende a abrir o sistema, se dispersar, passa seu semen para qualquer uma estrangeira que pintar na sua frente, sai para a caça, para a guerra e muitas vêzes não volta mais dissolvendo a familia. Mas a fêmea… esta tem como objetivo msupremo a segurança e o conforto doméstico, principalmente se este for um palacio real e ela na posição mde comando. Aí… podem acabar com o mundo lá fora, ela não está nem aí, ela existe para sua familia, sua casa. Isso foi muito bem explicado alegóricamente em Gênese, na Bíblia, pelo autor que conseguiu arrancar de sua memória as imagens do estrago que seu antepassado fêz no céu. Foi Eva quem enganou Adão com seu sonho impossível de ter um lar paradisiaco eterno. E tudo isto está ali, representado nos aminoacidos, os tijolinhos básicos dos seres vivos. O nitrogênio está ali, mas e se não estivesse? Seria o mesmo que na Terra só existirem machos, nenhuma fêmea. Deus as teria enviado ao inferno por causa de seu pecado no paraíso, mas nêsse caso, onde tem mulheres, lá estarei, portanto eu saíria correndo para o inferno. LUCA está no meio da Vida, assim como o homem está, ambos para se corrigirem de um êrro cometido no céu quando eram primitivos, e retornarem como seres puros e evoluídos. Assim espero, ou pelo menos isto é o que sugere os modêlos da Matriz. O nitrogênio está no ácido nucleico, ou DNA, porque êste é formado de nucleotídeos, e nucleotídeo, como bem o sabemos, é a alma de LUCA descida à Terra. Claro que ela traria com destaque o seu corpo predileto no qual encarnar, o qual é o átomo de nitrogênio. Não há mistérios aqui, está tudo muito claro nos mapas da Matriz.

O Nitrogênio como o alimento mais saboroso e nutritivo para as plantas

O nitrogênio é o elemento que as plantas necessitam em maior quantidade. É um macronutriente primário ou nobre. Por isso é o elemento básico dos fertilizantes. Porque? Porque LUCA é o único objeto natural que contém todas – sem nenhuma excessão – partículas- informação que constituem os seres vivos. E seu maior representante no mundo dos átomos é o nitrogênio: são sete as funções sistêmicas suficientes e necessárias para montar um sistema fechado em si mesmo, são sete as partes/orgãos de LUCA, e o unico átomo que tem sete prótons (cada qual é um principio de uma função), é o nitrogênio. Então porque as plantas são famintas por nitrogênio? Ora, como seria delicioso e o mais nutritivo prato que contivesse na dose exata tôdas as vitaminas, proteínas, carbohidratos, (enfim, tudo o que nosso corpo consome) para o ser humano? Mas nitrogênio puro para os animais não serve como alimento. Porque? Eu acho que os mataria. Imobilizaria tôdas suas células, anestesiando-as. Células animais são sistemas abertos porque lhes falta uma organela representante de uma função universal, exatamente lhes falta a Função 6, que no céu é executada pelas estrêlas e nas plantas pelos cloroplastos. Os cloroplastos é que fazem a fotossíntese, o que liga o seu cloroplasto diretamente a uma estrêla, permitindo  à planta facilidade total em se alimentar , por isso ela não é tão filha da necessidade como o animal, ela conseguiu copiar mais fielmente o “paraíso” celeste, mas isso foi sua perdição, imitando o pecado original: tornou-se uma porta fechada à evolução, como é LUCA. A Cézar, suas moedas; ao vegetal, seus egoístas nitrogênios! Que tenha um prato cheio dêles nos fertilizantes que lhes fornecemos.

As origens do átomo de Nitrogênio

Tem-se observado compostos que contém nitrogênio no espaço exterior. Textos acadêmicos de Astronomia sugerem a teoria de que o isótopo  14N se criaria nos processos de fusão nuclear das estrêlas.  Bem… Aqui a Teoria da Matriz acertaria em cheio! Lembra-se da nossa tese sôbre as origens dos cromossomas sexuais? Se nao viu ainda, veja na página “home”do nosso website inclusive o desenho. Observe o fluxo “X”. Êle se separa livre pela primeira vez de “Y” quando forma uma estrêla, uma supernova. O pulsar deve ser formado por átomos  sociaveis, ou seja, dependentes de elétrons na ultima camada e portanto dados a fazerem ligações com outros átomos, por isso constituíam as rochas quando ele era planeta, lua. Portanto, quando o pulsar se transforma, o elemento “Y” que é o abridor de sistemas sai fora do circuíto, a ideologia de sistema fechado domina o ambiente, provocando as reações nucleares que transformam átomos abertos em fechados, e aí… cria-se o representante-mór de LUCA entre as espécies de átomos, que é o Nitrogênio. O isótopo 14N ! Eu ainda acho que a Teoria da Matriz é a melhor professora para nos ensinar como nossas vovós estrêlas – que nada mais são que pulsares na menopausa – se formam. Porém, a entropia ataca as estrêlas, assim como o envelhecimento impiedoso pega nossas vovós. A vitalidade de seus corpos vai diminuindo irradiada para o espaço envolvente, na forma mesma da energia solar. Os átomos derivados de Nitrogênio que não são quebrados na estrêla mas são apanhados pelos ventos estelares ou emissões das reminicências dos vulcões gigantescos são lançados ao espaço exterior na forma de gazes e assim vêm parar na atmosfera da Terra e outros astros ccomo Titã. As plantas – arrotando de barriga cheia – agradecem.

O senhor da limpeza no céu se assenta na Terra como o senhor da limpeza terrestre.

 O nitrogênio, também conhecido como “azoto”,  é o componente essencial dos aminoácidos e dos ácidos nucleicos, vitais para os seres vivos. Porque? Ora, se o DNA do macaco ou seja lá quem foi o ancestral direto do homem não fôsse constituinte do DNA Humano não haveriam seres humanos. Se o DNA de nossos pais não entrassem na constituição de nosso DNA, não existiríamos. Assim, todo ancestral torna-se componente de sua descendência. O nitrogênio é o átomo preferencial de LUCA, assim como o Carbono é o átomo preferencial da matéria orgânica, dos seres vivos. Nitrogênio, com sete prótons representando as sete funcões sistêmicas universais, representa um sistema completo, fechado, enquanto o carbono, com seis protons, siginificando que não obteve o ultimo para se fechar, é o átomo inferior mais próximo da representação de LUCA que representa um sistema aberto, o qual torna-se a base dos sistemas biológicos abertos à evolução. O outro átomo que foi quase fiel na representação de LUCA será óbviamente aquêle que tiver número atômico 8, o qual é o oxigênio. Êste passou dos limites da fechadura, quando o fluxo sustêmico vinha do cadaver estelar ou Função 7, que deveria ir para o buraco negro ou Função 1 e recomeçar novo ciclo, foi direto para fora do sistema  abocanhando mais um próton. Por isso o oxigênio é incendiário. Cabra valente e violento, queria a liberdade na marra, na base do ïndepêndencia ou morte”. Mas como êle saiu da fornalha com a função de limpar o sistema de tudo que ficara do velho ciclo e estava sintetizado no cadaver estelar, que só sabia fazer na vida triturar e decompor cadaveres, surgiu no nosso mundo como o exterminador, entrando por exemplo como o agente da nossa respiração que bota tudo que não presta pra fora do corpo na forma de gaz carbonico. E como seu negócio é limpeza, perguntou aqui na Terra para uma mulher o que seria bom para lavar tudo. Ela respondeu que na sua idëia seria algo, um líquido que penetrasse nas coisas e trouxesse para fora tudo o que ali estivesse solto, pois certamente seria tudo sujeira. Aí ele pensou um pouco, subiu na atmosfera, abocanhou dois atomos de um gaz chamado hidrogênio e inventou a água! H2O ! O senhor da limpeza no céu se assentava na Terra como o senhor da limpeza terrestre. Claro!

O Nitrogênio como o mais egoísta dos átomos

 No entanto, devido à multiplicidade de reações química e biológicas, à dependência das condições ambientais e ao seu efeito no rendimento das culturas, o nitrogênio é também o elemento que apresenta maiores dificuldades de manejo na produção agrícola mesmo em propriedades tecnicamente orientadas. Porque?  Devemos entender o circuíto de um sistema fechado como o mais resistente que existe, principio mesmo da posterior evolução que produziu as cascas duras envolvendo frutas. Êle não admite nenhum intruso e nem permite a nenhuma de suas partículas escaparem. Eu ainda não tive tempo para observar o circuíto buscando uma técnica para rompê-lo, mas isto seria muito bom, baixaria o custo do fertilizante.

Por ser um sistema fechado e portanto dado a poucos amigos, ou melhor, a nenhum (é o sujeito mais anti-social que existe) e apesar de ser o nutriente mais abundante da atmosfera terrestre, o N não figura como constituinte de qualquer rocha terrestre. Talvez, seja por este motivo ele é o elemento mais caro dos fertilizantes, pois, para sua formação são necessárias diversas reações químicas, as quais necessitam de muita energia. Tal afirmação é justificada pelo fato da difícil síntese e alto custo energético da formação do NH3. Por sua índole ele prefere ficar livre e sózinho no espaço que unido fortemente com os outros átomos abertos sociáveis que formam as rochas.

O Principio da Explosão do Nitrogênio e dos Sistemas Fechados

O Ser que só morre explodindo-se alimenta as guerras entre humanos

O fato de um sistema ser super-fechado e manter a unhas e dentes sua energia potencial – aquela quantidade de energia que ele recebeu ou abocanhou quando se formou – significa que êle põe tôda sua fôrça para evitar perder qualquer partícula ao espaço ou ser surrupiada por algum agente externo. O menor bit-informação que por acaso deixasse o sistema seria sua morte, ou ao menos o deixaria aleijado ou muito doente. Para nós se perdessemos genes formadores de um braço ficariamos aleijado ou uma proteína envolvida no metabolismo ficaríamos muito doentes. Só se consegue usurpar energia de um sistema fechado se quebrar-mos sua casca, interromper-mos seu fluxo circuital interno de energia, mas se fizermos isso ele pode tambem nos matar. Porque? Ora, sistema fechado é avarento, abocanhou mais energia potencial do que precisava, o que significa que é super carregado de energia, esta energia que foi feita para ser livre no espaço está ali prisioneira, se o perfurar-mos… ela sai tôda de uma vez, como se de repente abrissemos a porteira de uma fazenda cheia de escravos. Em linguagem usada para fenômenos energéticos, essa “saída abrupta” significa  “explosão”. Porque o tempo no mundo das partículas é muito menor que em nosso mundo, essa saída seria para nós medida em milionésimos de milionésimos de segundos. Explosão. Sómente assim um sistema fechado se entrega… mas sua má índole é tanta que até na hora da morte ele aplica-a tentando matar seu assassino. E o que significa a capacidade ou propriedade dos sistemas fechados como o Nitrogênio de explodirem? TNT ! Sim, os compostos orgânicos de nitrogênio como a nitroglicerina e o Trinitrotolueno, que é o temido TNT,  são muito explosivos, a base da dinamite. Outro composto como a hidrazina e seus derivados são usados como combustível para foguetes. Imagina só! O Nitrogênio que se fêz para existir livre no espaço é quem manda-nos dentro de foguetes para o espaço.

O ser que pretendeu eternizar-se exige muita fôrça para ser morto

O Nitrogênio está presente na composição de substâncias excretadas pelos animais, usualmente na forma de uréia e ácido úrico. Porque? Êle é um sistema fechado que existe na atmosfera, no estado gazozo. Mas é capturado por certas coisas da superfície terrestre, inicialmente pelas bactérias. Daí passam para as plantas, por ser excelente – o melhor – nutriente para elas. Mas as plantas tem recursos para aproveitá-lo como nutriente. Que pode ser dêle em outro composto como a amônia, ou mesmo do átomo intacto para catalizar ou produzir outros processos em seu metabolismo. Às vêzes, penso eu, a planta está fraca dêstes recursos e não consegue quebrar a casca dos átomos mais resistentes, êles permanecem inteiros prisioneiros dentro da planta. Aí vem o animal que se alimenta da planta e êste, coitado, não tem recurso nenhum para quebra-los. Sorte dêles, pois a ideologia de ser um sistema fechado, entrando num sistema aberto, como a célula animal, seria o mesmo que os soldados comunistas de Stalin invadindo uma pequena nação capitalista. Acontece o esperado, ou seja, o Nitrogênio atravessa todo o sistema digestivo e sai intacto em meio às substâncias excretadas. Saindo na forma de uréia vai ser usado pelo homem como adubo para plantas, ou seja, alimento para plantas. Ao perceber que está caindo numa planta, o nitrogênio, que estava no meio dos excrementos, que ao sair do corpo animal sonhava em voltar livre para a atmosfera mas que foi capturado novamente por outra planta deve esbravejar:  “Outra vez? Nãããoooo…!” Mas esperemos que desta vez a planta seja mais forte e consiga quebra-lo para sugar seu valioso alimento. As bactérias conseguem invadir o nitrogênio, quebra-lo ou altera-lo ( não conheço a química dessa transformação), convertendo-o em amônia. Mas só algumas bactérias conseguem converter nitrogênio em amônia. A conversão de nitrogênio a amônia, chamada de fixação de nitrogênio, é feita por um sistema enzimático complexo, denominado nitrogenase, que utiliza NADPH como doador de elétrons e só é processado com um consumo muito grande de ATP, a energia produzida pela mitocondria. Estas bactérias devem ser muito fortes, as gladiadoras das arenas bacteriais. Mas saber o fato de que o  ATP entra no processo me faz sentir pulgas atrás da orelha. Lembro-me que o nitrogênio é produzido na Função 6 do software Matriz, a qual produz as estrêlas, as quais produzem nitrogênio como isótopos. Mas o ATP é produzido na Função 4, representada pelo pulsar no céu e pela mitocondria na célula. Ora, o fluxo sistêmico vai direto de F4 para F6 (pois F5 é o ramo lateral que se desloca para fora do fluxo), e assim fatalmente ele vai produzir nitrogênio em F6 ( estrêla no céu, cloroplasto na Terra). Mas para existir F4 no céu é preciso que F3 (um planeta) receba a energia de uma estrêla. Esta estrêla fica por perto até que o pulsar fique demasiado leve e escape de sua órbita. Ora, a conversão de nitrogênio em amonia necessita que a substância sob reação quimica receba energia – dois elétrons – que vem da molécula de NADPH, a qual está envolvida com o ATP da mitocondria, a qual representa o pulsar, o qual tem uma estrêla lhe fornecendo energia para que opere-se sua transformação e vá produzir nitrogênio na forma de estrêla! Acabamos de descobrir que todo esse processo quimico é uma cópia da Matriz, das coisas ocorrendo no céu! Como se chama? Nitrogenase! Vamos correndo abrir um artigo para não esquecer que temos de estudar nitrogenase, obter toto o quadro destas reações e exibi-la lado a lado com o software da Matriz. Como fizemos com o ciclo do mal colesterol.

 E isto sugere que para certas plantas, fracas em tais recursos, a uréia não deve servir como adubo. Portanto fica com a palavra os agronômos. Existem plantas nutritivas para nós que rejeitam ou não assimilam a uréia? Se sim, outra pergunta: está identificada a substância das plantas que desfaz ou decompõe o nitrogênio e/ou seus derivados? Se sim, a última pergunta: existe uma maneira de implantar os genes de tal substância nas plantas que não a tem? A Humanidade tem fome, tôda iniciativa que aumente nossa produção de alimentos será bem vinda.” 

Para finalisar, estudos em aberto envolvendo o nitrogênio

Todos os aminoácidos são derivados de intermediários da glicólise, do ciclo do ácido cítrico ou das via das pentoses-fosfato. O nitrogênio entra nessas vias através de um aminoácido, o glutamato.  O ácido glutâmico ou glutamato é um dos aminoácidos codificados pelo código genético, sendo portanto um dos componentes das proteínas dos seres vivos.Acontece que o ácido glutâmico, ou glutamato, contendo nitrogênio, é muitíssimo importante, veja só, no nosso cérebro! Vejamos a estrutura de um glutamato.

Aminoácido glutamato

Onde está o nitrogênio? Lá, na mesma posição de iniciador do circuito. Observe a sequência de átomos pendurados no segundo carbono que representa a Função Planeta que é a função geradora da diversidade de novas espécies. Tudo aquilo vai dentro do que se chama Radical R. Não sei porque puseram esse nome, pois isto significa a nivel astronomico que os sistemas biológicos, ou sejam, nós, os seres vivos, somos o Radical R do espaço sideral. Mas… O glutamato é um neurotransmissor excitatório do sistema nervoso, o mais comum em mamíferos. É armazenado em vesículas nas sinapses. O impulso nervoso causa a libertação de glutamato no neurónio pré-sináptico; na célula pós-sináptica, existem receptores que ligam o glutamato e se activam. Pensa-se que o glutamato esteja envolvido em funções cognitivas no cérebro, como a aprendizagem e a memória. O glutamato é precursor na síntese de GABA, um ácido que é o principal  neurotransmissor inibidor no sistema nervoso central dos mamíferos. Ele desempenha um papel importante na regulação da excitabilidade neuronal ao longo de todo o sistema nervoso. Nos seres humanos, o GABA também é diretamente responsável pela regulação do tônus muscular.

O nitrogênio na dieta humana

O glutamato ( acido contendo nitrogênio explicado abaixo) está presente em diversos alimentos. É responsável por um dos sabores sentidos no paladar humano, especialmente quando na forma de sal de sódio. O glutamato monossódico é por esta razão usado como aditivo alimentar para realçar o sabor de alimentos.

Cerca de 95% do glutamato ingerido é absorvido rapidamente no intestino, o qual 50% deste é metabolizado em C02. Provou-se, através de pesquisas, que o glutamato metabolizado aí é o maior contribuidor na produção de energia usada pelo intestino. Mais uma vez confirmamos o poder energético explosivo dos sistemas fechados.

FIM