Archive for janeiro 31st, 2011

Meditação? 20 Anos sem Tomar Um Comprimido! Pela Matriz/DNA

segunda-feira, janeiro 31st, 2011

Técnicas Científicas como o MRI estão encontrando fundamentos na prática da meditação, como menciona o artigo do The New York Times registrado abaixo.

Meditação parece coisa de excêntricos  e parece que não tem nada a ver com Ciência. Talvez apenas… parece. A 25 anos, quando “achei” a fórmula da Matriz e ví que ela estava explicando todos os mistérios do Universo material, mas nada dizia do nível mental  e daí para cima, comecei a pensar como dar o próximo passo, como verificar o que é a mente, se existe algo mais relacionado a ela, etc. Mas não tinha nenhuma ferramenta científica para abordar essa área que parece abstrata, então achei que talvez a mente mesma devia procurar resolver suas questões. A técnica para isso tinha que ser algo como a meditação.

Mas a minha meditação precisaria de uma técnica, uma metodologia. Consultei a meditação oriental, aquelas praticas de ioga, busca do nirvana, etc., e achei que não eram as técnicas que precisava. Então botei na mesa os dados colhidos com minha investigação sôbre as visões do nativo xamã do Amazonas, mais a fórmula da Matriz e mais as informações da pratica oriental, como chakras, kundaline, etc. E meses depois levantei da mesa com um plano, uma técnica: iria forçar a mente a dirigir a energia ou fazer expressar certas funções do chakra e kundaline porque chakra e kundaline (conforme descobrí mais tarde), nada mais eram do que a interpretação mistica oriental da figura do DNA… que é a Matriz.

Comecei a praticar esta meditação sempre que deitava ou não tinha sono e fui tomando gôsto pela coisa. Mesmo porque estava me sentindo psicológicamente e físicamente bem melhor a cada meditação. Seja coincidência ou não, o fato é que pratiquei ela por cêrca de 25 anos e nêsse período nunca tive nenhum problema de mal-estar, nunca fiquei doente, nunca peguei uma gripe, e meus ferimentos saravam surpreendentemente rápido. E isso apesar da vida desregrada que levava, e continuo a levar, ora na selva, ora enfiado nos porões de universidades da capital dias e noites.

 Mas quando comecei a viver mais nos USA, acabou-se os tempos de sobra para meditação e me materializei de uma maneira que comecei a achar que aquilo é mero misticismo, que minha saúde era mera coincidência e a uns cinco anos parei com ela. Comecei a ter problemas de saúde recentemente. Mas continua a Razão a falar mais alto: é normal aparecer problemas de saude após os 50, não é por causa do desleixo com a meditação. Mas mesmo assim, quando a coisa começa a apertar, consigo fazer uma meditação não tão profunda como antigamente, porem, tenho sempre melhorado sem precisar médicos ( o que está errado bem sei, mas todo mundo sabe o custo da medicina nos USA)… e já vou completando os 30 anos sem tomar um comprimido!

Se Êle não existe, assim mesmo digo: “Graças por pelo menos essa ajuda, senhor Deus!”

O avanço evolutivo dos softwares tem mudado a configuração física do hardware, no caso dos computadores. Sempre que um Bill Gates começa a ruminar lá no fundo do cocuruto algum aperfeiçoamento no ultimo software que êle fêz mas sente que o computador de ultima geração não está equipado para a melhoria imaginada, êle pressiona os fabricantes a melhorarem a maquina. Pois vejo nossa mente como uma espécie de software, fluindo no meio da massa cinzenta do cérebro, conectando suas glandulas, hemisférios, etc.,  e com isso pode tambem mudar a forma como nosso cérebro está “hard-wired”.

E na minha técnica de meditação faço fôrça para a energia correr no sentido do circuito da fórmula da Matriz, já que penso ser o cérebro mais uma cópia sofisticada da Matriz. Para ligar o raciocinio materialista do hemisfério esquerdo ao raciocinio holístico do hemisfério direito eu imagino a forma como a meia-face esquerda da Matriz entra a construir ou fazer expressar as partes de sua meia-face direita, e com isso procuro obter uma terceira visão, a qual seria superior às visões dos dois hemisférios. E por aí vai.

 A técnica é bem mais complexa pois é baseada num modêlo teórico de fluxos de energia no corpo que resulta num grande DNA que vai das partes baixas até o cortex, enquanto os outros bilhões de minusculos DNA’s das células prestam culto ao gigante e vão imitando suas mudanças. Não pus o desenho do modêlo no computador e teria que escrever muito para explica-lo, caso alguem queira experimenta-lo.

Então estou abrindo mais êste tema para curiosidade e pesquisas da Teoria da Matriz/DNA inspirado pelo artigo abaixo, que parece confirmar que na meditação a mente funciona como um software que pode alterar a maneira , não física, mas a maneira como se conectam os neuronios e glandulas e hemisférios, em nossos pensamentos.         

The New York Times – Health

http://well.blogs.nytimes.com/2011/01/28/how-meditation-may-change-the-brain/?src=me&ref=general

January 28, 2011, 10:29 am

How Meditation May Change the Brain

By SINDYA N. BHANOO

Over the December holidays, my husband went on a 10-day silent meditation retreat. Not my idea of fun, but he came back rejuvenated and energetic.

He said the experience was so transformational that he has committed to meditating for two hours a day, once in the morning and once in the evening, until the end of March. He’s running an experiment to determine whether and how meditation actually improves the quality of his life.

I’ll admit I’m a skeptic.

(Êsse também é o meu problema, Dona Syndia)

But now, scientists say that meditators like my husband may be benefiting from changes in their brains. The researchers report that those who meditated for about 30 minutes a day for eight weeks had measurable changes in gray-matter density in parts of the brain associated with memory, sense of self, empathy and stress. The findings will appear in the Jan. 30 issue of Psychiatry Research: Neuroimaging.

(Abaixo coloquei este paper)

M.R.I. brain scans taken before and after the participants’ meditation regimen found increased gray matter in the hippocampus, an area important for learning and memory. The images also showed a reduction of gray matter in the amygdala, a region connected to anxiety and stress. A control group that did not practice meditation showed no such changes.

But how exactly did these study volunteers, all seeking stress reduction in their lives but new to the practice, meditate? So many people talk about meditating these days. Within four miles of our Bay Area home, there are at least six centers that offer some type of meditation class, and I often hear phrases like, “So how was your sit today?”

Britta Hölzel, a psychologist at Massachusetts General Hospital and Harvard Medical School and the study’s lead author, said the participants practiced mindfulness meditation, a form of meditation that was introduced in the United States in the late 1970s. It traces its roots to the same ancient Buddhist techniques that my husband follows.

“The main idea is to use different objects to focus one’s attention, and it could be a focus on sensations of breathing, or emotions or thoughts, or observing any type of body sensations,” she said. “But it’s about bringing the mind back to the here and now, as opposed to letting the mind drift.”

(No meu caso, o foco de atenção é a fórmula da Matriz, que é o software do DNA, e as coisas que penso que ela tem feito)

Generally the meditators are seated upright on a chair or the floor and in silence, although sometimes there might be a guide leading a session, Dr. Hölzel said.

( Eu não consigo ficar sentado. Sempre deito, faço um exercício de relaxamento de tôdas as partes do corpo, e apenas quando não estou mais sentindo nenhuma parte do corpo começo a meditação).

Of course, it’s important to remember that the human brain is complicated. Understanding what the increased density of gray matter really means is still, well, a gray area.

“The field is very, very young, and we don’t really know enough about it yet,” Dr. Hölzel said. “I would say these are still quite preliminary findings. We see that there is something there, but we have to replicate these findings and find out what they really mean.”

(Estão no mesmo ponto que estou. Sinto que existe alguma coisa aí, mas não sei o que é…)

It has been hard to pinpoint the benefits of meditation, but a 2009 study suggests that meditation may reduce blood pressure in patients with coronary heart disease. And a 2007 study found that meditators have longer attention spans.

Previous studies have also shown that there are structural differences between the brains of meditators and those who don’t meditate, although this new study is the first to document changes in gray matter over time through meditation.

Ultimately, Dr. Hölzel said she and her colleagues would like to demonstrate how meditation results in definitive improvements in people’s lives.

“A lot of studies find that it increases well-being, improves quality of life, but it’s always hard to determine how you can objectively test that,” she said. “Relatively little is known about the brain and the psychological mechanisms about how this is being done.”

( Bem… a Teoria da Matriz/DNA diz que a configuração física do cérebro é uma cópia evoluída da fórmula da Matriz e tambem que a mente por enquanto é mera e caótica manifestação de raios de energia como relampagos que surgem e desaparecem, mas que estão se consolidando, se fixando e segundo os mesmos moldes da Matriz. Disto eu tenho calculado alguns mecanismos do cérebro que os cientistas não calcularam).

In a 2008 study published in the journal PloS One, researchers found that when meditators heard the sounds of people suffering, they had stronger activation levels in their temporal parietal junctures, a part of the brain tied to empathy, than people who did not meditate.

(Raios! Essa a desvantagem. O meu cobaia, o guru na selva, sentia espasmos e quase morria, e quando passava a crise ele dizia que tinha captado alguem em grande sofrimento. Uma vez fi-lo festejar quando abri uma lata de azeitonas e oferecí uma para êle, que nunca as tinha visto. Êle experimentou e gostou muito e agradeceu muito mas pouco depois começou a ter uma crise. Segurou na garganta como se estivesse perdendo o fôlego, parecia que ia morrer, então pensei que ele tinha engolido caroços da azeitona, pois esquecí de lhe avisar que aquilo não se come. Correram a bater-lhe nas costas, dar bebidas de hervas e quando ele se recompôs, diz que tinha captado uma mulher em grande sofrimento que estava sendo afogada no rio por quatro homens, longe dali. O problema é que os nativos contam muitas histórias em que êle teria captado a morte de pessoas da tribo. Outro problema é que êle não fazia meditação própriamente dita: êle tomava poções que êles fazem, algumas alucinógenaa, que quase me matou quando tentei experimentar uma vez. Êle ficava em estado meditativo, como se desmaiado, e falando com a lingua enrolada quando eu o hipnotizava para nossas seções de pesquisa.

Mas esta disvantage da meditação parece uma maldição que cai sôbre nós avisando que estamos avançando em terreno proibido a nós, ainda atrasados. Várias religiões falam disso, como o caso de que quase todos os médiuns espiritas curandeiros vivem doentes por que dizem que captam as doenças de pessoas…Mas eu não tenho mêdo dessa possível disvantagem, se eu achar que tem fundamento vou até no inferno numa pesquisa… entro até no cemitério à noite…)

( Uma vez quando eu ia descer da árvore de pucunã e ví que tinha uma onça embaixo me esperando para me jantar, da arvore mesmo hipnotzei a bicha de maneira que ela deitou e ficou dormindo com as quatro patas para cima e aí eu descí da árvore quando meu despertador despertou e acordou a onça que abriu a bocarra e preparou o bote…. 

… e então acordei sobressaltado e olhei para o despertador ao lado da cama que ainda zunía avisando que estava na hora de acordar. Ufa, ainda bem que minhas habilidades hipnóticas não chegava ao nível dos meus sonhos…)    

“They may be more willing to help when someone suffers, and act more compassionately,” Dr. Hölzel said.

Further study is needed, but that bodes well for me.

For now, I’m more than happy to support my husband’s little experiment, despite the fact that he now rises at 5 a.m. and is exhausted by 10 at night.

An empathetic husband who takes out the trash and puts gas in the car because he knows I don’t like to — I’ll take that.

xxxxxxxxxxxxxxxxx

Psychiatric Research Neuroimaging Journal

http://www.psyn-journal.com/article/S0925-4927(10)00288-X/pdf

 

        Mindfulness practice leads to increases in regional brain gray matter density

Abstract 

Therapeutic interventions that incorporate training in mindfulness meditation have become increasingly popular, but to date little is known about neural mechanisms associated with these interventions. Mindfulness-Based Stress Reduction (MBSR), one of the most widely used mindfulness training programs, has been reported to produce positive effects on psychological well-being and to ameliorate symptoms of a number of disorders. Here, we report a controlled longitudinal study to investigate pre–post changes in brain gray matter concentration attributable to participation in an MBSR program. Anatomical magnetic resonance (MR) images from 16 healthy, meditation-naïve participants were obtained before and after they underwent the 8-week program. Changes in gray matter concentration were investigated using voxel-based morphometry, and compared with a waiting list control group of 17 individuals. Analyses in a priori regions of interest confirmed increases in gray matter concentration within the left hippocampus. Whole brain analyses identified increases in the posterior cingulate cortex, the temporo-parietal junction, and the cerebellum in the MBSR group compared with the controls. The results suggest that participation in MBSR is associated with changes in gray matter concentration in brain regions involved in learning and memory processes, emotion regulation, self-referential processing, and perspective taking.

Astronomia: Hubble chega a apenas 400 milhões de anos depois do Big Bang!

segunda-feira, janeiro 31st, 2011

Hubble Finds Galaxy Beyond Key Benchmark

Wired

http://www.wired.com/wiredscience/2011/01/galaxy-distance-milestone/

Para a Matriz/DNA Theory provar que a Matriz Universal é a responsável por organizar a matéria em sistemas, e que foi ela quem construiu LUCA (the Last Universal Common Ancestor) no modêlo de LUCA que ela sugere, ela precisa provar que as primeiras, ou a primeira, galaxia foi formada no modêlo de LUCA. Eu estava pensando que essa prova seria para sempre impossível, como é para a teoria cientifica provar como foi a origem da vida. Mas descobrí que é possível: nós estamos vendo imagens emitidas no espaço de objetos que existiram cada vez mais distante no passado, ultrapassando as outrora imaginarias barreiras dos que diziam ser impossivel ir alem do nivel “redshift 10”. Agora, segundo teorias ainda não confirmadas, a ultima mais distante galaxia detectada existia a apenas 400 milhões de anos depois que aconteceu o Big Bang. É uma galaxia de poucas estr6elas as quais brilham de um modo não-comum. Numa coisa o cientista se aproximou da visão da Matriz quando diz: “Galaxias são como seres humanos: elas crescem mais rápido quando são jovens.” Isto está me cheirando á prova de que aquela primordial galaxia estava sob o processo do ciclo vital.

A propósito postei o seguinte comentário abaixo do artigo:

Louis C. Morelli 

I think there is a difference between the formation of first galaxies and modern galaxies, like there is a difference between the formation of the first cell (self-organizing) and the cells today (replication). If I am right, a lot of things in these primordial galaxies will not fit into our cosmological models. Like “few stars”, “which burn especially bright”, “growing fast”, “they are fainter”, etc. Maybe these galaxies will fit better with the Matrix/DNA cosmological models. Any idea?