Archive for março, 2011

Eneagrama:Uma Mística Funcional Derivada da Matriz

segunda-feira, março 28th, 2011

Enneagram

 

Existe uma comunidade em tôrno da IEA – International Enneagram Association –

website: http://www.internationalenneagram.org/index.html

que cultua uma figura, o símbolo acima, com a sugestão de que ela oferece a chave para os humanos melhorarem suas personalidades no sentido de torna-las mais eficientes, principalmente no setor profissional. O que chama a atenção da Matriz é a semelhança com o diagrama fechado da Matriz e a primeira idéia é que realmente pode fazer sentido pois nossa personalidade pode ter sete propriedades principais que seriam determinadas pelas sete funções universais, sendo ainda que estas propriedades representariam os sete diferentes estágios do ciclo vital. Mas existem diferenças, por exemplo, no eneagrama a F4 está ligada a F1 como na Matriz, porem esta ligação não recebe um numero como a F5 da Matriz. Isto pode causar um êrro de situações nas definições da sequ6encia seguinte, ou seja, 6,7,8,9. Uma outra semelhança é que no eneagrama o circuito esférico chega até 4 onde é interrompido para ir a 1. Exatamente como na Matriz quando esta forma o ramo lateral. Mas no eneagrama não existe continuidade do circuito para 5, de onde ele começa novamente. Isto na Matriz representaria quando a energia crescente chega até F4 e daí começa a decrescente. Portanto, à primeira vista esta parece mais uma intuição da exist6encia da Matriz, daquelas quando ela foi vista nebulosamente, quase acertada, que se desviou um pouco para o rumo da mística e depois para o rumo capitalista. Falta-nos na Matriz pesquisar sua estruturação da personalidade humana e quando o formos fazer, será bom pesquisar o que esta associação já fêz. A seguir alguns trechos iniciais da IEA:
Diz a apresentação:

Enneagram
The name enneagram means “drawing of nine” and comes from two Greek words: ennea meaning “nine” and gram meaning “drawing” or “figure.” The Enneagram is a nine-pointed figure inscribed in a circle. The meaning of the symbol itself, together with the personality types organized around the nine points, convey a system of knowledge about nine distinct but interrelated personality types, or nine ways of seeing and experiencing the world.

The Enneagram of personality types is a psycho-spiritual system for mapping the nine possible personalities, like nine facets of a stone that develop through the natural growth of the human psyche.

The Enneagram symbol is said to be thousands of years old. It is composed of three parts, the circle, the inner triangle, and the “periodic figure.” According to esoteric spiritual tradition, the circle symbolizes unity, the inner triangle symbolizes the “law of three,” and the hexagonal periodic figure represents the “law of seven.” These three elements constitute the Enneagram.

Constelação Sistêmica: Será verdade?

segunda-feira, março 28th, 2011

Existe aqui um importante assunto para pensar e pesquisar. Na técnica para produzir hologramas, quando se corta ao meio uma foto de uma maçã, cada metade do filme ainda contem a maçã inteira (ver final do segundo artigo abaixo). Acontece que o filme não mostra a olho nu a foto da maçã, mas sim um conjunto de ondas como as formadas na água de um lago após cair uma pedra. Isto se chama “Interferência”, ou seja, o quadro de ondas é produzido pelo encontro e colisão de dois feixes de luz. Os estudiosos até hoje nunca explicaram o fen6omeno, só se sabe descrever o que acontece, o que se vê. Talvez a Matriz tenha descoberto o mecanismo do fenômeno, quando explica como a metade esquerda da face da Matriz se reproduz como face direita porque tôdas as informações da face direita estão contidas na esquerda e vice-versa. Eu precisaria muito assistir essa esperiência pois acho que descobriria coisas importantes sôbre as ondas de luz. Assim apenas mentalmente não consigo figurar o processo. 

Constelação Sistêmica é o nome de uma crença que aplica um método que se diz terapêutico. Tendo o website abaixo, o qual não lí tudo, há um interessante vídeo sôbre a autora Vera Bassoi mostrando uma sessão terapêutica onde se sugere que a doente foi curada. Um dos principios da crença é que cada pessoa tem em si o registro de tôda sua familia e de todas as familias suas antepassadas, e muitos dos problemas patológicos dessa pessoa são causados por traumas ocorridos com outras pessoas destas familias. Tem dois artigos interessantes, copiados abaixo, com dicas que interessam à Matriz.

Assim numa breve análise e sem conhecer a causa dessa comunidade, eu não concordei com a sugestão de que uma ocorrência em passado muito distante, numa geração distante, onde uma pessoa foi traumatizada, faz com que as almas de todos os envolvidos estejam sofrendo as consequencias. E que uma simples sessão feita agora pela senhora Vera resolveria o problema em todaas estas almas, alem do paciente vivo. Isto seria chamar as almas de burras, inaptas e isoladas. Como então alguém está sofrendo por milhares de anos e não buscou a causa, nada fêz? E a solução seria tão fácil?! Isso não faz sentido. Mas esta narrativa pode conter alguma jóia. É possível que todos os antepassados estejam registrados no DNA do paciente, inclusice psiscologia. Então um antepassado registrado com um trauma faz com que aquela região genética não funcione bem, causando os sintomas como no caso da paciente do vídeo. Porem ainda fica a questão de como seriam registradas as experiencias de vida de cada antepassado. Pois a partir do momento que uma nova cópia do DNA familiar constituiu-se formando um novo membro, essa cópia deslocou-se do tronco principal e nada o que vai acontecer com ela seria registrado de volta no tronco. Mas pode ser que as experiencias de vida, principalmente aquelas com marcante trauma, vão sendo registradas na cópia, e quando a pessoa tem um filho, aí sim as experiencias de vida, os fortes traumas são incorporados no tronco. mas isto só valeria para traumas ocorridos antes da pessoa ter filhos, o que significa que traumas ocorridos na velhice nunca serão incorporados. By the way, teria-se que provar que os traumas são registrados no DNA, que fatos e operações mentais ( como por exemplo, a exclusão de um membro da familia) sejam registrados, etc. Mas a principal pergunta a ser respondida aqui é: a paciente realmente foi curada? Se sim, então essa idéia deve ser registrada e considerada. Por isso ela está aqui registrada no blog. vejamos os dois artigos (notas importantes grifadas por mim em vermelho):

 Comunidade Brasileira dos Consteladores Sistêmicos

http://www.consteladoressistemicos.com/index.php/artigos/54-os-principios-da-fisica-quantica-aplicados-nas-constelacoes

Os princípios da Física Quântica aplicados nas Constelações Sistêmicas – por Vera Bassoi

Quando explico o que é uma constelação familiar e como é o uso da técnica, percebo que existe uma grande dificuldade das pessoas entenderem como se dá esse processo.

Por ser muito recente a introdução das constelações no Brasil e por ser, também,   completamente diferente dos padrões convencionais de técnicas psicoterápicas, a dificuldade maior existe por falta do conhecimento de determinados princípios fundamentais da Física Quântica que embasam os fenômenos energéticos.

A constelação ocorre dentro de um campo de energia (campo quântico) que se forma com a participação de um grupo de pessoas que entram em sintonia com a energia do sistema familiar daquele que vem em busca de soluções para as suas dores pessoais. É preciso lembrar que dentro de um sistema familiar existem pessoas vivas e outras que já morreram.

Para entrar em sintonia não é preciso fazer nada, a não ser estar ali presente e perceber as sensações que ocorrem no seu corpo, como também as emoções que poderá sentir em determinado momento. É importante deixar a razão de lado e conectar-se tão somente às sensações e emoções.

• O primeiro ponto a ser compreendido e aceito é o fato de que a nossa mente não está localizada no cérebro, portanto, ela é “não local” (princípio quântico da não-localidade dos elétrons como ondas), portanto, a mente é energia e os pensamentos são ondas emitidas que circulam pela atmosfera.  Como uma onda de rádio, de televisão ou de celular pode ser captada a distância, assim também é possível captar os pensamentos, sentimentos e dores emocionais daqueles que fazem parte de um determinado sistema familiar.

Por sinal, a Parapsicologia já provou a telepatia há muito tempo. Só que nas constelações, vamos além da telepatia, dado que acessamos não só os pensamentos, mas também as dores físicas, emocionais e espirituais do sistema como um todo, incluindo os antepassados, não importando a quantas gerações haja se formado um nó energético que enredou aqueles que vieram depois e que foram atraídos por vibrarem na mesma freqüência das ondas eletromagnéticas transgeracionais.

• O segundo ponto a ser compreendido é que nós não somos apenas este corpo físico visível com o qual nos identificamos.  Como todas as coisas que existem na Natureza, somos constituídos de energia. A parte visível é a energia condensada que os nossos olhos vêem e que podemos sentir através do tato. Nosso corpo físico é tridimensional o que, naturalmente, nos leva à compreensão de que os olhos enxergam tudo que está na terceira dimensão. Entretanto, a maior parte do que somos é invisível aos olhos porque é energia sutil, não condensada, e está em todas as dimensões simultaneamente. Portanto, além do corpo físico temos um campo bio-eletromagnético que permeia e contorna o físico e que é invisível aos olhos comuns. Esse campo energético é conhecido pelo nome de “aura”.

Desde a antiguidade que os povos do oriente têm conhecimento da “aura” e encontramos esse conhecimento registrado em muitos livros por diversos autores. Pessoas que possuíam o dom de ver além do físico, as chamadas clarividentes, relataram suas observações que mais tarde foram comprovadas através de aparelhos de radiestesia, pela foto Kirlian ou bio-eletrografia e hoje, com aparelhagem mais sofisticada, pode ser vista e analisada em tempo real através da tela de computadores preparados para tal. Portanto, não há mais como duvidar da existência da energia que constitui a maior parte do ser humano. (Nota: Trabalhei durante 15 anos com a bio-eletrografia, analisando as chamadas fotos kirlian. No entanto, acompanhando o avanço tecnológico dentro desse campo, não pude deixar de mudar para o biosensor quântico que mostra, não só a aura, como também os sete chackras principais, ao vivo e a cores, na tela do computador – é fantástico! ).

• O terceiro princípio da Física Quântica, que é primordial  e deve ser considerado nas constelações, é a questão do tempo, ou seja, o presente, o passado e o futuro estão ocorrendo simultaneamente no aqui/agora.

Sei que essa questão é muito difícil de ser interpretada pelo fato de que sempre consideramos o tempo linearmente, ou melhor, sempre pensamos que o tempo pode ser representado por uma linha reta horizontal onde o passado fica a esquerda, o presente é um ponto central e o futuro fica a direita.

Essa idéia está tão fortemente enraizada que dificulta a mudança de parâmetros quando lidamos com o passado, principalmente um passado distante, trazendo-o para o aqui e agora no presente, com o intuito de apaziguar a alma daqueles que foram injustiçados, daqueles que morreram com mágoas no coração, daqueles que levaram culpa em suas almas, daqueles que foram excluídos do seio familiar, que morreram nas guerras sangrentas, que foram abandonados, traídos, não amados, abortados, acidentados cuja vida foi ceifada prematuramente, etc…

A meu ver, o que a constelação familiar faz de mais espetacular, e que até agora não vi nem ouvi nenhum colega da área comentar, mesmo  em todos os cursos que já freqüentei com especialistas consteladores, e que vejo constantemente acontecer, é a cura das almas dos antepassados, aliás, de muitas almas, além da cura das feridas emocionais daquele cliente que trás a questão a ser trabalhada e, ainda mais, com o efeito dominó que essa cura tem em todos os membros do sistema familiar atual. Esse efeito dominó também atinge aqueles que vêm depois, ou seja, as futuras gerações.

Portanto, as constelações, quando feitas com amorosidade, não só mostram para o cliente onde aquele determinado nó teve início, como mostra que não podemos absolutamente julgar ninguém, muito menos aqueles que tiveram destinos pesados. E isso cura a alma do cliente quando ele entende que por um amor cego, inconsciente, a alma dele resolveu assumir algumas dificuldades que eram de alguém que foi excluído do seu sistema familiar tendo causado um desequilíbrio e uma grande dor na alma da família; portanto, por uma causa maior, para que se restabeleça o equilíbrio rompido, a alma dele (cliente) se entregou em sacrifício.

A partir daí eu o esclareço que seu sacrifício inconsciente não foi suficiente para estabilizar ou repor a ordem dentro do sistema, mas que é possível conscientemente fazer isso agora, desde que o passado, o presente e o futuro estão acontecendo neste instante. Então, no devido momento, os excluídos são novamente incluídos no seio familiar, as reconciliações são feitas, os antepassados são honrados, e todo o sistema vai se acertando, novamente, com a participação do representante do cliente que, na verdade, representa a alma dele.

Todas as dores vão desaparecendo, cada um vai encontrando o seu devido lugar, a consciência se modifica dando lugar a uma ordem do amor.

É nítida a transformação que ocorre em cada um, principalmente no cliente que, no final, entra no lugar onde estava o seu representante. E dali ele tem a visão de todo o sistema rearranjado. Sente-se leve e feliz.

xxxx

O Cérebro Como Holograma – Onde se Localiza a Memória? – (Vera Bassoi)       

Seg, 13 de Dezembro de 2010 11:01 

 (resumo feito por Vera Bassoi do capítulo 1 – sub-ítem 1 – do livro “O Universo Holográfico” de Michael Talbot – edição esgotada)

 ONDE SE LOCALIZA A MEMÓRIA?

  Karl Pribam foi um iminente neurofisiologista da Universidade de Stanford e autor do clássico livro de neurofisiologia “Linguagens do Cérebro”.

Nos anos 40, Pribam realizou um trabalho pioneiro sobre o sistema límbico, uma região do cérebro envolvida com as emoções e o comportamento.

Acreditava-se, de uma maneira geral, que as lembranças estivessem localizadas no cérebro, em algum lugar específico.

Os registros de um fato, gravados na memória, foram chamados de ENGRAMAS e, embora ninguém soubesse do que os engramas eram feitos, os cientistas acreditavam que eles estavam lá e que, um dia, seriam achados. Havia razões para essa certeza, pois pesquisas lideradas pelo neurocirurgião canadense Wilder Penfield, nos anos 20, apresentavam provas convincentes de que lembranças específicas tinham localizações específicas no cérebro. Ainda no período de sua residência como neurocirurgião, Pribam não tinha nenhuma razão para duvidar da teoria do engrama de Penfield. Mas, então, aconteceu algo que mudou seu pensamento para sempre.

 Em 1946, Pribam foi trabalhar com o grande neuropsicólogo Karl Lashley, no laboratório de Biologia, na Florida.

Por cerca de 30 anos Lashley esteve envolvido em sua pesquisa sobre os mecanismos responsáveis pela memória. O que surpreendeu Pribam e o próprio Lashley, foi o fato de que suas pesquisas faziam cair por terra a teoria dos engramas de Penfield.

O que Lashley fazia era treinar ratos para realizar uma variedade de tarefas, tal como percorrer um labirinto para encontrar o pedaço de queijo, tão desejado.

Lashley removia cirurgicamente, várias porções do cérebro das cobaias e tornava a testá-las. Para sua surpresa, ele descobriu que não importava qual porção do cérebro cortasse, não conseguia erradicar a memória dos ratos. Muitas vezes ficava prejudicada a habilidade motora dos ratos, mas mesmo com porções maciças do cérebro removidas, a memória das cobaias permanecia intacta.

Para Pribam, isso era uma descoberta incrível, inacreditável! A única resposta possível, parecia ser que as lembranças não se encontravam em lugares específicos do cérebro, mas deveriam estar, de alguma maneira, espalhadas ou distribuídas pelo cérebro como um todo.

 Como isso seria possível?!

Nem ele, nem Lashley sabiam a resposta.

Em 1948, Pribam foi trabalhar na Universidade de Yale e continuou a considerar a idéia de que as lembranças estavam distribuídas por todo o cérebro, e quanto mais ele pensava sobre isso, mais convencido ficava.

Enquanto isso, ele observava que os pacientes que tinham tido partes do cérebro removidas por razões médicas, nunca sofriam a perda de lembranças específicas. Mesmo a remoção de partes de lobos temporais, a área do cérebro que figurou com tanto destaque na pesquisa de Penfield, não criava nenhuma lacuna nas lembranças de uma pessoa.

Interessante notar que nem Pribam, como também nenhum outro pesquisador do cérebro foi capaz de reproduzir os resultados de Penfield. Inclusive o próprio Penfield verificou que só conseguia aqueles resultados em pacientes epilépticos.

Foi em meados de 1960 que algo veio como solução para o enigma de Pribam – o holograma.

 O QUE TORNA A HOLOGRAFIA POSSÍVEL É O FENÔMENO CONHECIDO COMO INTERFERÊNCIA.

Interferência é o padrão de linhas cruzadas que ocorre quando duas ou mais ondas, como as ondas de água, perpassam uma através da outra. Dessa colisão entre as ondas resultam cristas e depressões que se arranjam de tal maneira que criam um padrão de interferência.

Por ser a luz laser uma forma coerente e extremamente pura de luz, é particularmente boa na criação de padrões de interferência. Foi com a invenção do laser que os hologramas tornaram-se possíveis.

 Um holograma é produzido quando um único raio laser é dividido em dois feixes separados. O primeiro feixe de luz é projetado no objeto a ser fotografado.Com a ajuda de espelhos, deixa-se que o segundo feixe de luz colida com a luz refletida do primeiro.

Quando isso acontece, eles criam um padrão de interferência que é, então, registrado num pedaço de filme (ou chapa).

A olho nu, a imagem no filme não se parece nada com o objeto fotografado. Olhando para a chapa só conseguiremos ver anéis concêntricos iguais quando um punhado de pedras é jogado numa lagoa. Mas, assim que um outro feixe de raio laser (ou apenas uma fonte de luz), brilhe através do filme, uma imagem tridimensional do objeto original reaparece no espaço.

Muitas vezes essa imagem é tão convincente que seremos capazes de esticar as mãos para tocar o objeto. Nesse caso, as mãos flutuarão de um lado ao outro da imagem e, então, descobriremos que não existe nada ali.

Agora vem a parte mais interessante do que caracteriza um holograma: – Se um pedaço de um filme holográfico contendo a imagem de uma maçã for cortado ao meio e, em seguida, iluminado por um raio laser, cada metade do filme ainda conterá a maçã inteira. Mesmo se as metades do filme ainda forem recortadas várias vezes, uma maçã inteira ainda poderá ser reconstruída a partir de cada pequeno pedaço do filme (embora as imagens fiquem mais nebulosas à medida que os pedaços ficam menores).

 Foi exatamente esta característica do holograma que fez com que Pribam finalmente encontrasse a tão esperada resposta: – as lembranças estão distribuídas no cérebro todo, ao invés de estar em um determinado lugar.

Concluiu que: Se era possível para todas as partes, de um pedaço de filme holográfico, conter toda a informação necessária para criar uma imagem completa, então parecia ser igualmente possível para todas as partes do cérebro conter toda a informação necessária para ter uma memória completa.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Porque, de repente, surge esta onda de descobertas da matriz universal por diferentes pessoas?

quinta-feira, março 24th, 2011

Não foram sómente os dois irmãos filósofos que foram a menos de uma década inspirados a imaginar o mundo humano controlado pela “Matrix”. Basta digitar essa palavra na busca do Google e surpreender-se com a avalancha de websites anunciando descobertas de uma matriz universal, tôdas com abordagens diferentes, quer dizer, os autores vieram ao mesmo ponto de chegada por caminhos diferentes e experiencias diferentes. É certo que houve na Antiguidade algumas seitas e filosofias já intuindo a existência de uma matriz universal como fórmula para a criação de tôdas as coisas, notadamente nas religiões orientais. Diferentes filósofos também a intuíram e lhes deram nome diferente, como Platão falou nos ‘arquétipos universais”, Leibniz imaginou as “Mônadas”, e até Plank, um dos fundadores da Toeria Quântica, mencionou sua crença na existência da matriz. Mas estas intuições foram isoladas e muito distantes entre si no tempo, por isso talvez a idéia não tinha ainda se tornada tão publica. Mas agora houve um surto da mesma intuição nos quatro cantos do planeta! Qual seria a explicação? Estaria isto relacionado com o outro grande surto nos dias atuais que tambem consiste na avalanche de websites de pessoas dizendo que estão recebendo mensagens, vozes, de seres espirituais de outros planetas, todos relacionados com a profecia Maia e 2012? Basta digitar no Google os nomes “Metraton”, ou “Povo de Pleiâdes”, ou “Archanjo Gabriel”e surpreenda-se. A maioria diz que estaria havendo uma mutação do DNA e da mente a nível coletivo. Estaria o tema “Matrix” relacionado com estas mutações?

Eu particularmente estou surprêso pois quando elaborei os modêlos da Teoria da Matriz/DNA não tinha conhecimento de ninguém falando em “matriz”. Quando assistí o filme quase caí de costas e de certa forma fiquei desapontado, não apenas porque alguem, 20 anos depois de eu ter registrado os direitos autorais, com maior poder financeiro correu na frente divulgando publicamente o que eu só tinha feito através de um obscuro website, porem mais preocupado fiquei porque usaram justamente aquêle nome e portanto iriam prejudicar minha divulgação, mas tambem porque a “Matrix” dêles não era a verdadeira matrix. A matriz universal ainda pode nos levar a um sistema onde seremos escravos virtuais, ela realmente é um código genético que pode ser transcrito como mostraram na tela do cinema, mas ela não está no nosso futuro e não será produzida pelo desvio em nossa evolução tecnológica: ela veio do nosso passado, desde nossos ancestrais astronômicos, e ela só será maligna no contexto sugerido pelo filme se ela reproduzir-se em nossa mente na sua forma de sistema fechado em si mesmo.

E muitos dos movimentos em tôrno da matriz sugerem sua forma benéfica, conectando-a com Deus, o sagrado, etc. Mas a onda atual seria indicação de que a matriz universal realmente exista? ( Embora nenhum dos atuais proponentes, nem eu, teria captado-a na sua inteira significância). E se sim, estaria se confirmando a teoria do consciente coletivo, tambem elaborada de várias maneiras, seja por Teilhard de Chardin, ou por Gustave Jung, ou ainda na forma das “nourées” de Pietro Ubaldi? Existe uma história que dizem ter sido um real experimento que bem elucidaria como funciona o pensamento coletivo quando uma nova face da natureza está-se revelando para o seu adequado e requerido nivel mental de evolução. Trata-se do relato denominado…

O centésimo macaco

Numa das inúmeras ilhas do Japão, na qual jogava-se batatas na praia para alimentar macacos, observou-se que um determinado indivíduo da comunidade de macacos, de uma das ilhas, começou a lavar as batatas antes de come-las. Sendo o macaco um animal sociável, pouco a pouco foi ensinando aos seus semelhantes como lavar as batatas para se livrar da areia e da sujeira.

Em várias das ilhas próximas havia outras comunidades de macacos, porém, sem a mínima possibilidade de contato ou troca de indivíduos entre as ilhas por causa da distância e da água. Curiosamente foi descoberto que, quando aproximadamente cem indivíduos da comunidade original do experimento já tinham aprendido a lavar batatas, membros de várias outras ilhas quase sincronicamente iniciaram o mesmo procedimento de lavagem das batatas. Havia algo, uma quantidade mínima ou crítica de indivíduos, responsável pelo processo de generalização desse aprendizado numa dimensão coletiva, partindo-se do aprendizado local de um grupo de indivíduos.

Isto é, como se houvesse uma memória pertencente a uma possível mente coletiva (inconsciente) dessa espécie de animais que passaria a servir de referência para os seus indivíduos. De forma semelhante isto parece ocorrer entre os seres humanos: o conhecimento dos símbolos e arquétipos (memórias coletivas inconscientes) pode nos conduzir para a construção de um modelo de compreensão da mente humana que não depende do tempo ou do local (o chamado inconsciente coletivo) – um depósito de conhecimentos e informações de nossa espécie, disponível para todos, especialmente evidente na linguagem dos sonhos, da arte ou da cultura (valores e comportamentos coletivos dos indivíduos).

Vamos acompanhar isso de perto e esperar para ver no que vai dar… Afinal, 2012 está perto…

Doenças: Matriz Explicando Porque Archaea Não Causa Doenças?

quinta-feira, março 24th, 2011

A diferença que faz virus produzirem doenças e archaeas não produzirem parece estar na diferente localização das duas espécies na Matriz Astronômica, ou LUCA. Já temos mostrado vários indícios em que os vírus parecem ter vindo do trecho entre F4 e F5, ou seja, seriam aqui os representantes de pulsares e cometas, as partes masculinas de LUCA. Dois motivos são apontados para a razão de existirem virus doentíos: a) procuram a parte fêmea do circuíto, a qual está no DNA ou mitocondria das células, para se reproduzirem, mas com isso danificam a célula; b) estão no princípio da ativação da entropia. A principal diferença da archaea que lhe valeu um terceiro lugar na evolução desde o ultimo comum ancestral, ao lado dos reinos “eucariotes” e “bactérias” está na membrana externa. Tôdas as membranas são formadas por duas camadas paralelas de lípideos e basta saber que membrana é o representante do circuíto total externo para entender o porque das duas camadas: representam os dois fluxos esféricos. Mas enquanto nos outros organismos estas duas camadas podem facilmente serem separadas (como em LUCA os dois fluxos se separam), na archaea existe uma forte ponte entre as duas camadas impedindo sua separação. Ora, o trecho de LUCA onde os dois fluxos são inseparáveis é entre E1 e F3 ( saída do black hole, passagem pelo astro-baby e finalização no planeta). Isto significa que archaea está ainda antes, na evolução do que os virus. Mas explicaria porque nenhuma das quatro espécies d6estes micro-organismos não causam doenças no corpo humano, apesar de muitas habitarem o corpo humano: elas vieram do trecho de LUCA onde a energia é apenas construtiva. E também esta ligação entre as duas camadas explicaria porque a archaea difere de bactéria e eucariotes no sentido que possuem enzimas para operar nas duas faces das moléculas, a left-handed e a right-handed: apesar de, como todos os seres vivos, representar apenas a parte esquerda de LUCA, nela são expressadas com igual intensidade os dois fluxos, que compreendem a totalidade da face de LUCA.

Veja figura a seguir:

Archaea membrana

Membrane structures. Top, an archaeal phospholipid: 1, isoprene chains; 2, ether linkages; 3, L-glycerol moiety; 4, phosphate group. Middle, a bacterial or eukaryotic phospholipid: 5, fatty acid chains; 6, ester linkages; 7, D-glycerol moiety; 8, phosphate group. Bottom: 9, lipid bilayer of bacteria and eukaryotes; 10, lipid monolayer of some archaea

E para prosseguir esta tese, deixemos já registrado o que a Wikipedia fala sôbre a membrana da archaea:

Membranes

Archaeal membranes are made of molecules that differ strongly from those in other life forms, showing that archaea are related only distantly to bacteria and eukaryotes. In all organisms cell membranes are made of molecules known as phospholipids. These molecules possess both a polar part that dissolves in water (the phosphate “head”), and a “greasy” non-polar part that does not (the lipid tail). These dissimilar parts are connected by a glycerol moiety. In water, phospholipids cluster, with the heads facing the water and the tails facing away from it. The major structure in cell membranes is a double layer of these phospholipids, which is called a lipid bilayer.

These phospholipids are unusual in four ways:

Bacteria and eukaryotes have membranes composed mainly of glycerol-ester lipids, whereas archaea have membranes composed of glycerol-ether lipids. The difference is the type of bond that joins the lipids to the glycerol moiety; the two types are shown in yellow in the figure above. In ester lipids this is an ester bond, whereas in ether lipids this is an ether bond. Ether bonds are chemically more resistant than ester bonds. This stability might help archaea to survive extreme temperatures and very acidic or alkaline environments. Bacteria and eukaryotes do contain some ether lipids, but in contrast to archaea these lipids are not a major part of their membranes.
The stereochemistry of the glycerol moiety is the reverse of that found in other organisms. The glycerol moiety can occur in two forms that are mirror images of one another, called the right-handed and left-handed forms; in chemistry these are called enantiomers. Just as a right hand does not fit easily into a left-handed glove, a right-handed glycerol molecule generally cannot be used or made by enzymes adapted for the left-handed form. This suggests that archaea use entirely different enzymes for synthesizing phospholipids than do bacteria and eukaryotes. Such enzymes developed very early in life’s history, suggesting an early split from the other two domains.
Archaeal lipid tails are chemically different from other organisms. Archaeal lipids are based upon the isoprenoid sidechain and are long chains with multiple side-branches and sometimes even cyclopropane or cyclohexane rings. This is in contrast to the fatty acids found in other organisms’ membranes, which have straight chains with no branches or rings. Although isoprenoids play an important role in the biochemistry of many organisms, only the archaea use them to make phospholipids. These branched chains may help prevent archaean membranes from leaking at high temperatures.
In some archaea the lipid bilayer is replaced by a monolayer. In effect, the archaea fuse the tails of two independent phospholipid molecules into a single molecule with two polar heads; this fusion may make their membranes more rigid and better able to resist harsh environments. For example, the lipids in Ferroplasma are of this type, which is thought to aid this organism’s survival in its highly acidic habitat.

Entropia:O Maior Inimigo da Humanidade…e o Que Fazer Para Vencê-la

terça-feira, março 22nd, 2011

A maior maldição que paira no mundo à espreita da Humanidade é essa fôrça destruidora que ataca a matéria fragmentando objetos e corpos até a morte final. Ela é a causa de tudo degenerar, envelhecer, apagar, emperrar, adoecer. Vivemos ás voltas tentando resolver os problemas que ela causa e por fim ela nos vence a todos, principalmente nos dias de hoje, com essa parafernália de objetos que inventamos e sem os quais não sabemos mais viver. É o motor do carro quase novo que começa a dar problemas, o modêlo de tv que fica ultrapassado, a roupa que suja, se descora e rasga, a porta da casa que já não fecha direito como antes, a sola do sapato gastando… os dentes se deteriorando… e ficamos como baratas tontas conserta daqui, arranja ali, trabalhamos feito loucos para comprar e repôr o que não está servindo mais, e para completar, começa os olhos a precisar de óculos, o estômago a doer por qualquer exagerinho que antes passava tranquilo, a unha crescendo e precisando cortar… eu já não aguento mais! Parem o mundo que eu quero descer! 

Mas o que é “entropia”? Como Deus estava cego ou dormindo quando ela surrupiou alguma brecha e foi entrando sorrateiramente na criação que Êle não a viu? Era um belo plano, um belo desenho, o mundo do paraíso projetado para o homem e a mulher habitarem, mas por causa dessa vacilação de Deus, êste mundo ficou um desenho meio porco, qualquer engenheiro humano da Universidade de Uganda faria coisa melhor.

Para entender num rápido olhar o que é entropia basta dar uma olhada na cara da Matriz/DNA, no seu modo de sistema perfeito, que deve ter sido a fórmula automática que Deus usou na Criação, pensando qie com ela estava tudo resolvido e não poderia ter uma falha sequer. Nunca é demais repetir aqui a fórmula e revê-la:

Matriz/DNA

 Matriz/DNA: Fórmula Universal como Diagrama/Software na Transformação do Caos em Ordem

Nesta fórmula tudo o que existe nêste mundo feito de matéria movente existe como por exemplo o corpo humano: nascemos na Função 1, somos bebês na Função 2, crescemos como adolecentes na 3, começamos a amadurecer e ter aquelas idéias de jerico sexual na 4, passamos a iluminar a humanidade com a luz da sabedoria como adulto de meia-idade na 6, envelhemos na 7 para os fragmentos do cadáver rodear de novo a 1 fornecendo matéria para começar outro bebê, tudo de novo. Mas onde entrou a entropia, quem é capaz de vê-la aí? Simples! Como uma pilha de livros meia torcida e em pé, o DNA é uma pilha de genes e quando nascemos os que primeiro começam a trabalhar são os da base. Ã medida que cada qual vai terminando sua missão os outros acima vão despertando e se levantando para trabalhar. No ser humano, o ultimo mais atrazado é o danado que faz o bigode… quer dizer, isso no homem, certo? Na mulher deve ser o que fabrica os depiladores elétricos. Mas se representar-mos o fluxo da energia dessa sequência num gráfico vamos ter uma linha senoidal que começa na linha de base e vai subindo como uma curva até que atinge uma altura e daí começa a cair. É justamente aí, quando atinge o ultimo pico na altura que a famigerada agarra o desavisado como carrapato e suga-lhe tudo até o coitado desaparecer por completo. É quando o ultimo gene terminou sua missão, por volta dos 17 ou 18 anos no ser humano, ou quando a ultima função construtora da Matriz terminou de levar um astro à forma de planeta finalizado. Nêsse momento começa a queda da energia, a degeneração, o envelhecimento. Sêres humanos conseguem contornar seus efeitos e enganar as aparências por alguns anos a mais porque se alimenta de energia nova a qual tenta segurar o corpo numa plataforma horizontal por sem queda, mas isso só por uns quatro ou cinco anos.

Se não existisse a entropia o mundo seria configurado como essa fórmula de motor perpétuo eterno. Perfeito, seria o verdadeiro Paraíso do Éden para todo mundo, até para as cobras, pois não existiria êsse negócio de presidentes bebâdos como o Bush e o Lula pisando no rabo delas. Você só teria que trabalhar algumas poucas horas para comprar um vídeo-casstte e nunca mais precisaria comprar outro, pois êle seria sempre novo e funcionando como uma beleza! Não teria que cortar cabelo e por tinta para esconder os fios que perdem a cor. Não teria que plantar um segundo pé de milho, pois era só colher uma espiga e outra já vinha ocupar seu lugar. Tá certo que muita gente ia perder o emprêgo, por exemplo os da fábrica de óculos…e os frentistas que tem que encher todo dia o mesmo tanque por que todo dia ele esvazia. Sim… está desmascarada a nossa maior inimiga, a maior terrorista de todos os tempos. A tal da entropia.

Mas conhecer o inimigo, desmascara-lo, é princípio da nossa vitória, pois agora sabemos enquadrar o bicho e traçar planos, começar a experimentar estratégias, até que um dia acabamos com êle. Nessa escalada já vamos obtendo benefícios, como diminuindo as doenças, prolongando a vida das engenhocas que inventamos e do nosso planeta, diminuindo a quantidade do nosso lixo, etc. Isso aqui não é brincadeira, é coisa séria. É a maior necessidade da Humanidade hoje, para evitar que a entropia a pegue tôda, levando-a à morte.  

Na verdade, deixa-me esclarecer algo rápido aqui que nestas alturas os físicos já devem estarem se descabelando de indignação e querendo meu escalpo: o nome da coisa não é bem entropia, pois entropia é o nome da medida que mede essa força de decaimento. Mas os católicos chamam ela de “diabo”, os indios de “aquilo que não é porã”, os mecânicos de “quilômetros  rodados” ou o pêso da quilometragem.

Juventude do Primeiro Mundo Desempregada e Frustrada e a Cosmovisão da Matriz/DNA

terça-feira, março 22nd, 2011

Educated, Unemployed and Frustrated

The New York Times - Op-Ed Contributor

By MATTHEW C. KLEIN 

Published: March 20, 2011
http://www.nytimes.com/2011/03/21/opinion/21klein.html

Triste o que está acontecendo com os jovens na faixa dos 18 aos 25 anos, nos países do Primeiro Mundo. Depois de tanto sacrificio para conseguirem o diploma, quando começam a pensar em se casarem, não arrumam emprêgo na área que se formaram e se sujeitam a trabalhos mal remunerados que não exigem educação alguma. Acho que a primeira causa é superpolução, segunda é o desperdício da Humanidade em supérfluos como uma bomba de sucção da energia humana e dos recursos naturais, terceiro é enormes soma de capital em mãos de poucos que não re-investem na economia produtiva e são direcionados a bancos e especulação financeira. Mas existe um êrro de demasiada virtude também: a demasiada concentração e expectativas do trabalho. Temos que inventar mais máquinas, robotizar e automatizar a produção e serviços rotineiros. A carga horária de trabalho deve ir caindo de 40 para 30 para 20 horas semanais. Mas antes é necessário uma nova visão do mundo que produza uma salutar ordem moral. A evolução e atividades físicas devem ir aos poucos cedendo mais espaço para a evolução intelectual. A propriedade das máquinas e meios de produção em geral deve ser de modo que seus beneficios sejam repartidos para todos. talvez uma grande sociedade anônima. O trabalho escravo, forçado rotineiro deve acabar mas para que seu lugar não seja ocupado pelo ócio, amigo dos vícios e das perdições, deve-se paulatinamente pondo ênfase no trabalho voluntário e altruístico, principalmente nas áreas de pesquisas, exploração espacial, etc. A cosmovisão da Matriz/DNA preencheria perfeitamente os requisitos: somos genes do Universo construindo um corpo comum a todos que deverá nascer para um reino além do Universo.

Como Esta Geração Vai Descobrir a Verdade Oculta Entre Evolucionismo e Criacionismo

segunda-feira, março 21st, 2011

Psiu! Criança Pensando!

Do website da ” The Everyday Champions Church”, in Newark,  Inglaterra,  extraímos esta jóia:

“Creationism will be embodied as a belief at Everyday Champions Academy, but will not be taught in the sciences,” said its leader Gareth Morgan. “Similarly, evolution will be taught as a theory. We believe children should have a broad knowledge of all theories in order that they can make informed choice.”

Resumindo e traduzindo: ” Crianças devem terem um amplo conhecimento de ambas as teorias científicas (Evolução e Intelligent Designer) para que elas possam fazer uma escôlha estando bem informadas”.

Esta também é a sugestão desta terceira visão do mundo que descobrimos e denominamos “A Teoria da Matriz/DNA”.  

A evolução existe de fato, assim como a blastula evolui para feto, o feto se transforma para a forma do embrião, o adolescente evolui para a forma de adulto. O que está ocorrendo dentro dêsse enorme ôvo cósmico denominado de Universo é simplesmente um processo de reprodução daquilo ou D’Aquêle que existia/existe além do Universo, portanto a evolução está dentro de um processo criacionista e o criacionismo está dentro de um processo mais amplo de evolução além dos universos. A História Universal, como a Ciência está a demonstrar e qualquer rato ou girafa nos ensina, não emprega inteligência para se realizar. Tudo é e resume-se à Natureza.

Na multiplicação e diversificação de uma célula parental original, mecanismos e sub-sistemas são construídos paralelamente mas distantes entre si, e depois se reunem num unico corpo. Há pré-design em qualquer reprodução genética acontecendo sob nossos olhos, há irreductível complexidade em relação ao corpo gerado se desconsidera-mos os corpos dos pais e seus cromossomas, mas nenhum dos pais, sejam inteligentes ou não, não empregam inteligência para se reproduzirem. 

Portanto, este conflito atual entre criacionistas e evolucionistas, deístas e ateus, entre os quadros imaginados pelo livre fluir contenplativo da intuição humana que cria as religiões e os quadros teóricos matemáticamente calculados pelo método científico que induz ao ateísmo é necessário, inevitável e salutar. A Humanidade sempre quando se depara com um mistério, oscila e divide-se em dois extremos de opiniões, sendo que cada qual contém 50% de êrros e 50% de acêrtos, e quando se encontra a final solução percebe-se que ela estava justamente no ponto de equilibrio entre os extremos. Foi assim na famosa discussão entre os vitalistas representados por Pasteur e os químicos positivistas representados por Leibniz…, quando hoje estamos descobrindo que realmente a vida é resultado de processos quimicos porem tambem que na sôpa quimica estavam ingredientes provindos de algo vivo que os quimicos julgavam não-vivo. Se for provada a nova teoria de movimento rotativo das galáxias cujo resultado surpreendente mostra que de certa forma o Sol também gira em tôrno da Terra, a solução final entre os auto-conflitantes modêlos do geocentrismo e do heliocentrismo terá reunir ambos. Qual o certo para a humanidade? Capitalismo selvagem ou proletarismo selvagem? Nenhum nem outro, o certo será um meio-têrmo socialista. A fôrça negativa extrema da morte destruidora se duela com a fôrça extrema positiva do nascimento construtor, mas é dos ciclos resultantes das ações das duas fôrças que surge a definitiva alternativa: a transformação com evolução infinita. E assim por diante, a sabedoria sempre estará no ponto de equilíbrio. 

O que está faltando para que ambos, criacionistas e evolucionistas, se encontrem no pico da montanha a qual os dois vem escalando por lados opostos? Que os criacionistas devolvam ao seu Deus a grandeza e magnitude que Êle possui depois que os homens antigos e de pouca sabedoria tentaram ao máximo reduzi-lo ás imagens e semelhanças da ainda pequenêz humana. Deus cria Universos e está além dos Universos e não aqui se envolvendo em conflitos entre tribos humanas. Mas também falta aos cientificos intelectualizados ateus superar as barreiras do imediatista método reducionista e saltar para absorver a visão de mais amplos horizontes, o que é possível aprendendo-se a lidar com o método cientifico sistêmico. A verdade ultima diz respeito à matéria organizada em corpos vivos e funcionais e não em partes mortas e desconectadas. 

A frase acima faz parte da noticia “Free schools will not teach creationism, says Department for Education” no site…

http://www.guardian.co.uk/science/2011/mar/21/free-schools-creationism-department-education 

noticia esta que relata mais um dos embates entre as duas correntes de pensamento opostas.

Como e Porque as Religiões Cristãs Prejudicam o Brazil

sexta-feira, março 18th, 2011

Enquanto eu viví no Brazil comí o pão que o diabo amassou e tive minha vida perdida, inutilizada, portanto, êsse desabafo é o efeito inevitável. Se a terra era rica qual era a fôrça negativa, causa da minha maldição? O povo, as pessoas que ali habitavam. E quando saí do Brazil comecei a perceber os tipos de comportamentos que foram meus algozes e inimigos, naquêle povo. Dôa a quem doer, contra fatos não há argumentos: ninguém vai me devolver a vida perdida com as teorias em que acredita. Aquilo para mim está tudo errado e como ainda sou tambem um brasileiro, cujos antepassados trabalharam na construção da nação, tenho o direito de lutar para que as causas que produzem milhões de desafortunados como fui, sejam eliminadas. E êsse artigo foi inspirado numa frase que acabei de ler:

” A “master” can only be a master, if the slave acts, thinks or believes he is a “slave”.

Um “grandão” sómente pode ser o “patrão” se o escravo atua, pensa ou acredita que é escravo”. E a maioria da população brasileira tem um complexo de inferioridade que foi impôsto por desumanos com uma cruel e equivocada visão do mundo. Começa-se a condicionar uma criança a ser escrava passiva se a fizer acreditar que existe um “Senhor” sobrenatural e que êsse “senhor” o quer como “Seu” servo. Eu daria um murro na cara de tal Deus se me aparecesse na frente me dizendo que quer isso! Estudante desejoso de aprender e grato ao professor é uma coisa, servo é outra muito diferente! Sócio, sim, vamos até o inferno para fazer algo junto, mas empregado… nunca! Fazer sacrifícios na vida para receber recompensa no céu, só se me levar no céu e eu ver com meus olhos. Empatar, fazer trocas justas, sim, mas só perder, nunca! Êste é meu código moral: bom respeitador dos ensinamentos e leis que aprendí e as aprovei; trabalhador no pesado repartindo as agruras da vida com todos em igualdade; ao invés de masoquismo aqui, ao invés de sugerir aos outros que sofram na vida, aconselho que usem e usufrutem dos seus direitos até onde começa o espaço dos outros.Igualdade ou Morte, aqui e agora! 

A resposta que mais me irrita quando puxo conversa com pessoas comuns do Brazil é…

 “O mundo está feito assim, Deus quis assim, o que vamos fazer?”

“Êles são ricos, tem dinheiro, podem tudo. O que vamos fazer?”

Ora! E quem fêz, quem faz as coisas do mundo com o qual os humanos se relacionam aqui e agora? Quem faz as sociedades, o carro tocado a petróleo e não o carro elétrico, a terra dividida em fazendas ou favelas, os parasitas simbolos sexuais da tv, etc. e etc., senão o ser humano, como você? Por acaso foram os macacos?… Espíritos?… As girafas?… Jesus Cristo?! 

Quem agora está dominando êste planeta? Os mosquitos? O oxigênio? As cadeiras? Ou você, sua espécie, humano?! Quando você responde assim, pensando assim, pensando assim eu pergunto: “quando foi, o que aconteceu, quando você deixou de ser um humano? E como pode ter isso acontecido, se você continua com a forma de humano?! Porque você cedeu seu lugar de dominante do planeta para outro igualzinho a você?! Como podes confiar que outro vai saber tudo o que é melhor para sua vida, de seus filhos, de sua cidade, do que você mesmo?! Quando entrou na sua cabeça que você vai ter sua parte no bolo se as decisões sôbre o bolo forem tomadas por um ou meia duzia representando você, quando a unica forma inteligivel de lidar com decisões é através da eleicão de cada um em assembléias nos finais de semana? Se seus pais e avós dormiram no ponto e deixaram monstros crescerem dessa maneira, quando você vai acordar em seu nome, em nome de seus filhos, dos amigos de quem gostas e começar a chamar todos os escravos para confabular nos domingos mesmo que seja aproveitando os prédios que você construiu como igrejas, para traçarem estratégias de ir cortando as cabeças dos monstros?!

Certa vez eu era um dos líderes na revolta de Serra Pelada contra o roubo da mina dos garimpeiros e a intenção dêles de entrega-la aos “grandões”. Era três horas da madrugada, tínhamos cercado tôda a região do sul do Pará, sul do Maranhão, norte de Goiás, a Belém-Brasília, e três mil homens armados com picaretas rodavam a noite tôda vigiando a vila. De repente no rádio amador entrou uma voz dizendo ser de Brasília e ameaçando que se não saíssemos da Serra até o amanhecer iam mandar cinco aviões Buffalos carregados de paraquedistas que iriam descer metralhando quem ficasse. O sangue subiu-me à cabeça na hora, mas como sempre conseguí me controlar e ser diplomatico. Peguei o microfone e respondí:

– “Olha, seja quem está falando aí, eu tenho a dizer que construí uma casinha simples ao lado da mina, cerquei um terreninho de meio-metro à volta de maneira que resta terra prá todo mundo que quizer fazer seu barraquinho e vir trabalhar aqui. Devido sua ameaça estou correndo prá minha casinha agora pegar minhas carabinas e encher de bala enquanto estiver vivo qualquer passaro de ferro que passar aqui e todo fp mercenário que vier caindo do céu na direção da minha casa. Entendido?! Estamos aqui à espera!”

Êles apareceram? Nunca. Mas ali, com índios, a maioria nativos da Amazônia, 50.000 dêles, foi a unica vez no Brazil que conseguí reunir pessoas para uma causa social.    

 Com brasileiros não se consegue fazer nenhum tipo de sociedade para coisa alguma útil, social. É o povo mais egoísta que já vi nas minhas andanças pelo mundo. É incrível a apatia do povo brasileiro. Cada um é um bloco fechado em si mesmo cujo centro do mundo é o seu próprio umbigo. Agora espremo os miolos me perguntando: “Qual a causa disto? Como isto começou?”

Bem primeiro foi a colonização portuguesa e a raça que aqui existia, de aborígenes. Todo mundo que conhece e sabe como se comportam ainda hoje a maioria dos portugueses (com raras excessões, como conheço alguns), os portugueses são demasiado burgueses, querem ser ricos porque adoram a luxuria, e talvez por isso, não querem trabalhar no pesado, odeiam quando tem que o fazer e ficam furiosos no trabalho. Eu discordo no tocante a ser burguês, mas quanto a não apreciar o trabalho rotineiro pesado, concordo plenamente. Acho que a grande massa de povos que passam a vida nisso sem mostrarem revolta e ainda quando perguntados dizem que “está tudo bem, graças a Deus…”, não possuem intelecto, são zumbís, mortos-vivos. Como a terra virgem do Brazil era sofrível para europeu, êles vieram para saquear e levar para viver a boa vida na Europa. Portanto nunca foi iniciada no Brazil uma educação voltada para o entendimento do que é uma nação, para a dedicação a uma pátria. Podes reparar que todo brasileiro, principalmente os imigrantes trabalhando duro no exterior quando falam a palavra Brazil seus olhos iluminam “Não há país como o Brazil!”dizem. Mas não se iluda, quando êle pensa no que está por trás dessa palavra ele não está pensando em pessoas, em sociedade brasileira, mas apenas sua mente está revendo a paisagem geográfica, o clima, e as coisas que lhe ocupam a mente criadas para reinar s6obre escravos: futebol, novela, carnaval, as modêlos poposudas ou os “gatos” lindos e romanticos cantantes namoradinhos do Brazil. 

O outro denominador comum que foi a segunda causa são as religiões cristãs que foram enfiadas à fôrça, goela abaixo pelos emissários europeus para angariarem fundos para a Europa incutindo o mêdo e a submissão. O Brazil é notadamente uma nação católica, mas hoje assiste-se a praga do evangelismo se dividindo em posições mais ferventes e radicais.

Jamais vou entender como um brasileiro se deixa influenciar por religiões, mitologias importadas. A Biblia é um livro da história do povo judeu, nada tem a ver com a história do Brazil, nem mesmo das Américas! Foi escrita ainda na época que em todos os países era moda os contos com fantasias mitológicas. mas os brsileiros não se dividem naqueles que gostam da mitologia grega, dos que gostam da hindu, ou germãnica, etc. Êles nem conheceram as outras, os deuses dos outros. É só a do povo judeu de três mil anos atrás, e tomam aquilo não como obra literária baseada no contexto histórico de um lugar desértico, muito diferente do Brazil, mas sim como se realmente tivesse acontecido! Seria como se daqui a mil anos houver um povo acreditando que no passado a América era a terra de Harry Potter e que ele viveu realmente!

Ora, eu não quero saber de histórias dos outros, nada mais do que a simples curiosidade literária. Deus pessoal que vem falar com humanos e mandando passar ao fio da espada mulheres e crianças de outros povos, eu mando para o inferno! Meu negócio é o Deus brasileiro, aquilo que imagino seja a melhor explicação para as coisas ainda não respondidas sôbre a existência e tendo por base as experienças na História Brasileira, na qual não consta nenhum tipo de Deus falador a humanos. Minha idéia do que é a causa disso tudo, essa desconhecida a que nada tenho contra se alguem falar a palavra portuguesa “Deus”, fala e se relaciona sutilmente com cada pessoa em particular, e muda a cada vez que uma nova experiência acontece. Eu não me admito indo a templos onde as mentes de todos escapam de suas cabeças e ficam flutuando num reino que nunca ninguem têve o menor fato para dizer que existe. Quando ali, aquela reunião de pessoas seria ótima oportunidade para cada qual colocar os assuntos de interêsse da vida aqui e agora e ser partilhada e debatida por todos, elegendo os assuntos que são mais comuns à maioria e montando os alicerces para a açào pela união. Mas não: fora das igrejas só tenho oportunidade de ver brasileiros reunidos falando nada, conversa perdida, que nunca vai dali criar um grupo para atuar em alguma coisa.

Não concordo com muitas coisas que Nietzche acreditava e defendeu mas sua frase de que o cristianismo foi a maior fôrça criada intelectualmente por uma raça para tornar as outras fracas e escraviza-las pelas suas próprias inércias e convites penso que foi certeira. O pior é que os cristãos do Brazil não tem nada de Jesus Cristo, ou seja, em nada imitam o personagem da fábula. Quem vive como profissional independente sem se deixar ser empregado de ninguem como jesus fêz na fábula? E dos profisssionais independentes, quem rejeita a andar de sandálias e sem luxo ou vaidade alguma, rejeitando até ser dono de alguma propriedade? Quem vive 24 horas por dia atuando na praça publica convocando pessoas para serem contra os senhores, os escribas, os fariseus? cad6e algum revolucionário que seja a metade do que Jesus foi na fábula? E quem resiste ao sexismo desenfreado na cabeça do povo de maneira a não cair no casamento anti-cristão, a não continuar essa extrema aberração escravagista e suicida levando á superpopulação que é a institucionalizada familia nuclear? Quem se lembra das palavras… “minha familia? quem é minha familia, senão tôdas as mães do mundo, todos os filhos, todos os irmãos… Minha familia é a Sagrada familia, Universal, que nada tem a ver com essa aberração causadora da maioria dos conflitos humanos denominada familia nuclear. Existem tantas outras alternativas mais inteligentes de sistemas sociais onde todos recebem igual ajuda e proteção da sociedade, mas falar isso a brasileiro é causar um olhar enrugado e surprêso como se tivesse na frente de um marcuiano, pois êle nunca pensou sequer numa alternativa, êle não tem inteligência para tanto, a religião o amordaçou em todos os sentidos, até no fato dêle se acreditar que já está eleito para o céu… o maior egoísta, individualista, anti-socializante, acha que enganaria a um Deus!

Os Estados Unidos tem um clima que torna a vida muito dificil e tem consumido muito do trabalho da sociedade. Israel é um pequeno naco de terra desértico. mas a diferença do porque estas nações progrediram a ponto de dominarem a economia do mundo é que nos estados Unidos por exemplo, o povo tem uma normal e inteligente capacidade para se associarem. Existe associações para tudo, começando pela associação de cada vila ou bairro, de cada cidade, estado e aí se deriva para associações dos com-bigode, associação dos sem-bigodes, dos veternanos de gureesrra, e por aí afora. A Sears Roebuck foi iniciada por um grupo de donas de casa que ao invés de ficarem nas cêrcas fazendo fofoca quando sobra o tempo depois de ficarem esfregando o chão com a tv ligada numa novela queriam juntar fôrças e buscar sua liberdade. Quando isso aconteceria no Brazil?! E Israel, bem aquilo não é um aglomerado de associações, o país inteiro é uma associação dos eleitos por Deus para exercerem o govêrno da moralidade sôbre o resto do mundo pagão pela atuação felina sôbre a economia do mundo. Na qual os brasileiros entram direitinho depois que foram amansados por um livro condicionador psicológico, como era a técnica de Pavloc para condicionar cães a ralizarem suas vontades.

Mas porque digo isso? Porque a cosmovisão da Matriz/DNA sugere que para tornar êsse mundo melhor para todos os seres humanos sem deixar um só como empregado escravo, primeiro é preciso aplicar a fórmula da Matriz para instalar a produção mecanica automática, mas em paralelo, pois de nada adiantaria deixar êsse povo rico e ocioso sem uma vontade ideológica, é declarar  guerra à dominante expressão do gene egoísta e fazer emergir à tona o agora aprisionado gene altruísta.

Evolução Se Propaga Como Ondas: Visão Que Facilita Entender o Mundo

segunda-feira, março 14th, 2011

Muitas pessoas reagem com surprêsa achando que estou louco quando digo, por exemplo, que o Universo é uma produção genética, ou que átomos e galáxias apresentam também um código ancestral do DNA. Ou quando solicito a alguém apresentar um unico fato real que disprove que o corpo humano é feito á imagem e semelhança do processo pelo qual o Universo foi feito e ainda se expande. Parece não adiantar eu estar acumulando a cada dia uma montanha de evidências que suportam esta teoria e continuar desafiando quem encontre um unico fato real que faça desmoronar o edifício dessa cosmovisão. Mas não falo por mim e sim sou mensageiro dos resultados de um método de investigação.

A forma atual do moderno intelecto humano foi gerada pelas recentes descobertas das Ciências Naturais, a qual foi desviada do objetivo de seus fundadores no Iluminismo, que era a busca do conhecimento real e total, devido à hegemonia da Física e sua aliada, a Matemática, sôbre o método reducionista. A Física reduz a Natureza ao seu esqueleto mecânico e a Matemática veste a Natureza com uma mente complexa que ela não possui. No corpo humano, entre o esqueleto e a mente complexa há a parte mole, carnal, sob as leis biológicas. A Natureza não possui uma camada mental para construir suas coisas matemáticamente, mas ela também não apresenta apenas o esqueleto mecânico estrutural, pois suas arquiteturas, de átomos a galaxias, são revestidas de uma parte mole, camadas primitivas de leis e regras biológicas. É esta face da Natureza, a nível cosmológico, que a Física e a matemática não podem captar. Por isto, estudantes, intelectuais e cientistas modernos se surpreendem e não aceitam os paralelismos que meus modêlos estão sugerindo, entre a Natureza enquanto Universo, e a Vida como a conhecemos na Terra.

Mas existe uma maneira de explicar levando-os a entender que a evolução (êste processo, no que todos concordamos, que teria iniciado como uma extrema simplicidade e desde então, caminhando para uma crescente complexidade) começou como um pequeno ponto que ao mover-se entre as dimensões do tempo e espaço desenha uma trajetória igual á que uma pedra atirada a um lago desenha em suas águas. Como nossos sentidos são limitados e vemos o efeito na água em apenas duas dimensões, nos parece que as ondas são apenas concêntricas, quando na verdade, o efeito é uma espiral. A pedra continua afundando, deslocando água abaixo, portanto formando uma espiral, mas quem olha de cima não vê a espiral, apenas ondas na superfície. Novas ondas são formadas porque a ultima onda empurra a água para a frente, e quando uma nova onda avança, ela está atingindo um novo território que não foi alcançado pelas ondas anteriores, e nêste novo espaço sempre haverá ciscos, objetos flutuantes, e inclusive temperaturas, densidades, que nunca existiram para as ondas anteriores. Mas a forma de onda parece saltar as linhas divisórias, passando para a onda seguinte, e vai absorvendo as novidades em cada novo território transmitindo-as também, ou não. Assim se propaga a evolução.

Por isso o mundo apresenta padrões repetitivos em todos seus niveis de grandeza, por exemplo, o fato de que um microscópico sistema atômico ser esférico e se constituir de um núcleo e corpos girando à sua volta ser um padrão bem próximo do sistema estelar com um unico núcleo e corpos orbitando à sua volta. Por isso estão descobrindo estes padrões em todos os lugares e começando a entender que o mundo é formado por fractais, formas idênticas que se repetem infinitamente. Por isso estamos descobrindo que o DNA é apenas mais um fractal formado a partir de seus ancestrais existentes antes mesmo da origem da vida nêste planeta.

Mas isso é muito fácil entender. Quando uma onda, a ultima formada, completa sua frequência e período, atinge seu limite, mas a fôrça do evento inicial continua a propagar-se, a nova onda será de qualquer maneira gerada pela onda anterior, e como tal, repetirá sua forma e suas propriedades. Nunca ocorreu de uma nova onda ser diferente das anteriores, digo por exemplo, sendo quadrada. O novo território trará novidades que fará da nova onda uma diferença em relação a tôdas as anteriores, mas estas novidades serão incorporadas apenas depois que uma certa extensão inicial se estruturou copiando os detalhes relativos às ondas, e copiando-os da onda anterior.

É nesta primeira metade de cada onda que o padrão, o fractal se repete na íntegra. Da metade seguinte até seu ultimo limite podem surgir pequeninas variações. Sabendo-se disso devemos entender que a origem e formação de qualquer nova arquitetura natural deverá repetir inicialmente o mesmo processo da origem de tôdas as arquiteturas anteriores, sendo que o posterior desenvolvimento da ultima arquitetura – digamos, o ser vivo – apresentará resquícios do método do desenvolvimento da primeira arquitetura – digamos, o Universo.

Já houve uma teoria que foi forte na sua época sugerindo que durante a embriogênese, o corpo humano repetiria as formas das espécies de animais que o retrocederam na evolução: inicialmente parece um sapinho, um peixe, depois um animal quadrupede e por fim se diferencia tomando a forma humana. Mas se reparar-mos bem, antes da forma do sapinho houveram as formas de célula unica inicial, de mórula, blastula, as quais, são semelhantes às formas do átomo inicial, da nebulosa de átomos e depois do conglomerado de galaxias. Para mim aquela teoria é totalmente lógica, mas A Física e a Matemática deturparam tanto a visão da Natureza que os intelectos doutrinados por elas correram a ridicularizar seu autor.

Se queres conhecer a história do Universo, mas isto é impossivel porque o tempo passado foi muito longo e o espaço muito extenso, volte-se para dentro de seu corpo e conheça sua história. O Universo não é mágico. Êle não pode criar novas informações fundamentais do nada. A complexidade não é resultado de novas informações fundamentais que nunca teriam existido, mas sim de informações parciais e temporárias resultantes da mistura e inter-relações das informações fundamentais, o que se denomina “fuzzy logic”. Portanto, se o Universo gera novos corpos dentro de si mesmo, só pode fazê-lo pela unica maneira para a qual ele tem as informações, ou seja, do jeito que êle foi feito. Por isso somos feitos por um processo que é à imagem e semelhança do processo pelo qual o Universo foi feito. Vejamos êste processo:

Cena 1 – A Hístória do Corpo Humano:  O instante inicial de um corpo humano dá-se com uma explosão – quando rompe o invólucro espermático no centro do óvulo.

Cena 2 – A História do Universo: O instante inicial do Universo deu-se com o Big Bang. As causas e o evento em si ainda não são compreendidos. Mas nosso entendimento da evolução se propagando por ondas nos autoriza a projetar as causas e eventos do corpo humano para calcular  a história do Universo. Foi nessa tentativa que elaboramos as sub-teorias da existência de um fractal denominado Matriz/DNA, da existência de LUCA, um elo evolucionário entre os sistemas astronomicos e celulares, etc.     

Entendendo a evolução como ondas que se propagam da mesma maneira que as ondas se formam na água pela intrusão de uma pedra ajuda-se a esclarecer muitas coisas. Por exemplo, temos na teoria da evolução um problema ainda não resolvido de se encontrar os elos exatos entre diferentes espécies. Êste problema atinge seu clímax quando chegamos ao ponto de acreditar que não existe um elo evolucionário entre o estado do mundo a 4 bilhões de anos atrás e o primeiro sistema celular que surgiu nos seguintes 500 milhões de anos. Assim a História Universal foi dividida por essa cosmovisão dominada pela Física e a Matemática entre dois blocos de histórias sem nenhuma conexão entre eles: quando digo que elaborei um modêlo teórico do elo entre a Evolução Cosmológica, cujo tôpo evolucionário foi o sistema galactico e a Evolução Biológica, cujo primeiro exemplar finalizado foi o sistema celular, me olham como se eu tivesse falando o idioma marciano.

A diferença principal entre ondas concêntricas e ondas em espiral é que na espiral vemos como uma linha continua que conecta tôdas as ondas dentro de um unico todo. É nesta parte da linha oculta conectando e formando cada nova onda e que não vemos na superficie – onde estão ocultos os elos evolucionarios. Não existem quebras no fluir da evolução e sim apenas uma história unica, contínua.

É preciso conhecer ainda mais duas importantes sugestões que vejo interpretando os resultantes modêlos. Primeiro, que a evolução, desde o Big Bang até o homem, foi a evolução de um unico elemento, um unico corpo, um unico sistema natural. Êle começou nêste universo numa forma não material de vórtices quântico – e como mostro em outro artigo, qualquer vórtice natural é um sistema e apresenta tôdas as propeiredades da vida em forma bruta, extremamente simples, assim como a configuração inicial do que mais tarde viria a se expressar como nosso DNA. A partir dêles a evolução venho transformando 6este sistema em átomos, galáxias, sistemas célulares, onde o sistema inicial se encontra muito mais complexo. essa transformação de formas parece obedecer a mesma lei que transforma nosso corpo humano: o ciclo vital. A aparição da organização biológica e do fenomeno mental deve ser devido à expressão de genes retrógrados como aquêles que fazem aparecer bigode no jovem.

Portanto, não se trata da evolução do Universo enquanto aglomerado de galaxias. As galaxias ficaram para trás como nossos ancestrais biológicos. O que carrega a evolução é o corpo dentro do que denominamos universo, o sistema que vem se transformando e chega hoje ao seu tôpo na forma de auto-consciência. Vendo assim, desta forma, fica mais fácil entender a analogia com as ondas na água, porque a história da embriogênese do corpo humano repete as formas cosmológicas de átomos a galáxias e depois continua pelas formas de peixe, de mamíferos inferiores, até chegar á nossa forma humana final. Como fica fácil entender porque digo que o DNA é apenas a ultima forma evolucionaria de uma matriz universal que foi um DNA primitivo como essência de átomos e galaxias. Como fica fácil entender porque a Física não nos conduziu ainda a entender o mundo do passado, pois ela se restringe á mecânica do esqueleto e não capta a cobertura de leis biológicas que vem se expressando através dos tempos revelando que êste é um mundo vivo, gerado genéticamente como nosso corpo humano foi gerado genéticamente pelos nossos pais. E fica fácil entender que a Matemática não é o único e nem o mais importante dos vários idiomas falados pela Natureza.

Ciência e Corrupção Econômica: O mesmo processo que engana o povo, engana intelectuais e cientistas.

sábado, março 12th, 2011

 A séculos certas máfias dominam a economia na Humanidade, o povo vê as noticias na televisão todo dia mas não é informado quem ou o que está por trás dos eventos. No ultimo século a Ciência vem conseguindo descrever todos os eventos que ocorreram para a origem do universo, da vida e sua evolução, cientistas e estudantes  assistem estas descrições mas não são informados sôbre as fôrças que estão por trás produzindo os eventos.

É no mínimo curioso êste paralelismo de ignorância entre povos e cientistas. A Natureza está sempre nos escondendo algo e parece que sua regra é: “Ou você busca se informar mais profundamente além das imediatas aparências ou serás ignorante e portanto débil e escravo”. Todo ser humano tem quer despertado para esforçar-se mais na busca das informações certas e não deixar-se dominar pela sua melhor acomodação na situação atual e local, pois um passo a mais e descobre-se que existe um nível superior de vida muito melhor do que aquêle que aceitamos como fatalidade e assim nos acomodamos.  

Vejamos na prática como isso funciona nos dois casos:

Cena 1: O trabalhador e a dona de casa tôdas as noites depois de um dia sacrificado no trabalho forçado instala-se confortavelmente no sofá em frente à televisão para assistir primeiro, o noticiário do dia. Na verdade a economia é o agente que mais produz as notícias, desde as passeatas , os indices da macro-economia mostrando elevação ou baixa na taxa de desemprêgo, no preço dos imóveis ou da gasolina, a compra ou venda de tal mega-emprêsa, a denuncia da secretaria contra o patrão por questões sexuais, o casamento de fulano com fulana, o ataque da guerrilha colombiana, etc. A televisão narra a ocorrência e rápidamente passa para os comerciais ou a nova noticia. E o casal de telespectadores pensa que é bem informado, e de acordo com as noticias êles concluem que nada mais têm a fazer que no dia seguinte se levantarem cêdo e repetir o dia anterior.

Mas quem procura mais informações geralmente em livros pesados e dificeis de ler, como por exemplo “O Capital” de Marx, “A Riqueza das Nações”, de Adam Smith, ou “O Protocolo dos Sábios de Sião”, ou ainda “A Ditadura dos Cartéis”, “A IOS e a Finança Mundial”, “A Industria farmacêutica e a segurança nacional”, “As Familias Rotchild e Rockefeller e os Bancos em Walt Street”, etc. e etc. , sabe que existem e quem são os manipuladores controlando os cordéis por trás dos acontecimentos  daquelas  meras narrações de noticias. E sabe que existem meios de combater e eliminar aquelas causas perniciosas e inimigas da Humanidade, mas nada pode fazer porque o que dá o poder aos manipuladores é justamente a ignorância do povão.

Cena 2: O estudante e cientista especializado em alguma área restrita dêste método cientifico reducionista assistem vídeos sôbre as origens e evolução do Universo e da Vida, e pensam que estão bem informados, acima da grande massa do povo ignorante e supersticioso. Mas os filmes, vídeos, palestras e mesmo a maioria dos livros n6estes temas se limitam a descrever os eventos. Por exemplo assista-se a série de vídeos do professor Jack Szostak, de uma universidade americana, intitulada “Origins The Series” onde tem a parte 1 com “The Origins of Life”, a parte 2 com “The Origins of Genetic Code” e assim por diante. O enderêço no Youtube é:   http://www.youtube.com/watch?v=rtmbcfb_rdc

Nêstes vídeos está tudo surpreendentemente descrito: começando a partir da matéria já tornada orgânica (quer dizer, dando o famoso salto no inicio), os vídeos vão descrevendo os eventos como o primeiro nucleotideo se duplicou e as cópias se alinharam formando RNA e DNA, como começou a competição e alimentação, como surgiu o código genético, etc. Qualquer ser humano racionalmente bem equilibrado sairá desta sessão de filmes com certas conclusões: a ciência, os cientistas, descobriram tudo, como tudo aconteceu pela simples suscessão de causas e efeitos, o universo todo estava tunelado para dar nêsse resultado que produziu coisas como a vida e inteligência humana, e estava tunelado por simples sorte nossa, pois devem existir muitos universos em que uma evolição nunca começou, ou ela parou em algum lugar, ou se desviou por outros caminhos. As histórias mentirosas dos antigos falando na existência de deuses, do paraíso, Adão e Eva, Jeová e Mahomé, tudo mentira deslavada, pura imaginação vagabunda e inconsequente. E assim o estudante ou o cientista especializado em geologia conclui que nada mais há para êle fazer senão amanhã cêdo voltar ao trabalho repetindo o dia anterior.

Tanto para o cidadão comum da primeira cena como os normais da segunda cena podem estarem (e de fato estão) cometendo um terrível equivoco pelo qual pagam muito caro e estão condenando seus herdeiros das próximas gerações ao mesmo sacrificio. Se o casal no sofá conhecesse  os agentes ocultos no poder, se desligassem a televisão em cada noticia e procurassem tôda e qualquer informação relacionada, se pensassem e trocassem informações e idéias com pessoas da mesma classe social, com os vizinhos do bairro, da cidade, do país, com os grupos internacionais… descobririam que os acontecimentos economicos não são simples efeitos das causas naturais e ações e reações dos elementos mostrados no noticiario resumido. Da mesma forma, se estudantes, intelectuais e cientistas especializados em disciplinas limitadas, desligassem o vídeo em cada um dos eventos narrados para tentarem entender o todo, como por exemplo, a replicação do primeiro nucleotideo: porque o nucleotídeo se replicou? Simples ação das forças atômicas de atração ou repulsão, da termodinâmica, do contexto ambiental? Mas quais foram exatamente estas fôrças, como elas estavam nos átomos, no sistema solar, no ambiente geral, antes dêste evento ocorrer? Porque na História de todo o Universo e da matéria nunca foi registrado nada se replicando antes? Como e porque tôdas estas fôrças convergiram exatamente para o mesmo e unico ponto das imensas dimensões do tempo e do espaço?!

Ao fazer isto o telespectador descobre que o vídeo apenas relata o que aconteceu com os elementos envolvidos no evento, mas nada sôbre o que dirigia estes elementos e o ambiente no local e momento do evento. Certamente não obterá respostas para suas questões nem no vídeo e nem com os autores do vídeo, pois êles não sabem, como a jornalista tambem não conhece as forças ocultas do que narra sorrindo para transmitir boa impressão.

Todos os eventos narrados no vídeo ocorreram dentro de um sistema astronômico e os elementos envolvidos são constituidos por elementos dos sistemas atômicos e sub-atômicos. Estes macro-sistemas e micro-sistemas são influenciados dentro de uma hierarquia de sistemas, e foram por sua vez produzidos por sistemas ainda mais alem, dos quais quase nada sabemos, como são os casos do universo ou possivel multi-universos atuando sôbre o macro, e da dimensão quântica atuando sôbre o micro. As máfias economicas tem o poderoso chefão, os gerentes, os chefes, os sub-chefes, de maneira que no noticiario só aparecem os agentes comprados por ultimo, como os politicos, os policiais, os bandidos, os presidentes das estatis, etc.  O povo ignora os sábios do sião, os Rotchild, os Rockfellers… quanto mais os poderosos chefões. Tal como a tribo dos quixoxó ainda primitiva e meio-perdida na selva amazônica entrega seu ouro em troca de bugigangas para outros nativos que viajam ao grande rio e vão entrega-lo nos barcos, e os quixoxós não tem a menor idéia que são explorados e estão pagando á uma civilização distante de cara-pálidas que se denomina de país, nação. De repente o clima em suas terras muda, a chuva vem como nunca antes, ou aparece um bombardeio de aviões de traficantes ou garimpeiros, ou seja, mil eventos podem ocorrer mudando sua história sem que eles jamais se apercebessem da existência de fôrças ocultas responsáveis para que os eventos se dessem daquela maneira. E se existe um império galáctico que venha a dar uma olhada por aqui a cada cinco mil anos, talvez buscar alguma colheita do que plantaram… como a tribo de negros no coração da África terá a noção de que pertencem a êste império se nem sabem que existem galáxias?

Eu tive uma péssima vida e culpo o péssimo desenho ou projeto dêste mundo mais as imperfeições dos humanos como a causa de minha vida estúpida. Aos humanos ainda dou um desconto porque na verdade são vítimas como eu. Sempre me preparei para o suicidio no dia seguinte, pois é mais inteligente ser o nada absoluto do que ser  um zumbí vivo torturado. Mas sempre tive essa teimosa idéia ou sonho de me vingar contra meus algozes – sejam deuses ou descomunais fôrças naturais – antes de cair definitivamente. E para empreender esta batalha, ou até mesmo tentar vencê-la, é preciso investigar e obter informações sôbre o inimigo. A vida humana pode ser muito melhor se os seres humanos atuarem da maneira certa, os que estão oprimidos não estão sendo os agentes intelectuais, então quem são os errados opressores intelectuais? Por isso lí uma montanha de livros e prestei uma atenção diferente aos eventos por onde andei. Mas a Vida em geral na Terra poderia ter sido muito diferente se tivesse havido um projeto inteligente e sensível, amoroso, aos seres viventes. Os fatos evidenciam o contrário. Então o que, ou quem, está errado e por trás das origens e manutenção desta Vida? Aqui não adianta buscar nos livros, nas universidades, nas igrejas, pois já fiz essa busca e retornei de mãos vazias. Então só me restou algo: prestar atenção aos elementos envolvidos e aos eventos que ocorrem sempre desenhando a melhor sugestão da força ou elemento que pode estar por trás dos elementos e eventos. Como o delegado pede ao desenhista um retrato falado do suspeito.

Então descobrí que o método da anatomia comparada entre dois conhecidos elementos constantes da linha evolucionária pode revelar a imagem de um terceiro elemento oculto nesta mesma linhagem, ou fora dela. Fui lá na selva bruta onde as origens aconteceram e devido não ter sido invadida pelo homem branco os elementos de hoje ainda podem ser as testemunhas dos eventos nas origens. Assim cheguei na Matriz/DNA. Ela corresponde ao retrato falado e preenche formidavelmente os requisitos que foram necessarios para ter sido o agente por trás de todos os elementos e eventos descritos naqueles vídeos.

Mas então percebí que estou retornando à estaca zero: de nada adianta uns poucos saberem quem é e onde está o mal, se a grande massa de estudantes e cientistas mantem-se acomodados na ignorância atual, e dão o poder para a Matriz/DNA continuar manipulando os cordéis de nós todos, como marionetes. E o pior: fazem isso com arrogância, rindo-se da ignorancia dos outros ignorantes!