Archive for maio 29th, 2011

Ideologia do Autor e Propostas de Mudanças no Sistema Social: Sem Relação com a Cosmovisão da Matriz/DNA

domingo, maio 29th, 2011

Penso que está quase tudo errado nos regimes e sistemas sociais que existiram ou sob os quais estamos existindo. Penso que a Humanidade tem a capacidade para construir o sistema social cujo modêlo está em minha mente, e se eu tivesse o poder para tal mudaria radicalmente tudo que aí está. Para ter êsse poder ou precisaria ser mágico ou que ao menos 51% dos seres humanos desejassem o mesmo modêlo. Esta a razão de eu incluir esta categoria aqui. Isto é como um sinal de fumaça na selva para ver se consigo contacto com mais alguém que porventura exista e veja o sinal e queira se comunicar.

Ninguém vai concordar com meu modêlo, ninguém vai entendê-lo, e vão taxá-lo de extremamente radical. Entendo que isto ocorra e deve-se a dois motivos.

O primeiro é, porque os letrados que podem ler isto tiveram uma experiência de vida mais privilegiada que eu e os que tiveram a mesma experiência não lêm porque não são letrados. De todos os menores abandonados que já ví, eu fui o unico que lia livros aos 10 anos e os livros que eram jogados fora quando encontrados nas mochilas ou carros roubadas dos universitários. Por isso minha mente teria que ser anormal e produzir um modêlo social incompreendido.

Eu nascí tudo errado. Para uma criança darwinista como eu fui feito por aquêles livros universitários, é proibido a mim me reproduzir. O que não presta deve ter a honra e o caráter para se descartar a si próprio sem permitir-se que seja uma fonte de disturbio no caminho da Evolução. Aprendí isto antes de ganhar os espermatozóides, por isso conseguí minha vitória e saio do mundo de cabeça erguida. Eu fui projetado e feito para ser escravo torturado a vida tôda,mas fiz minha guerra pela causa da minha liberdade e ganhei. Não abastecí o sistema com carne frêsca. E ganhei porque, ao menos no tocante a mim, viví mais tempo como homem livre que como escravo, porque eu passei fome e aguentei a discriminação  para ser trabalhador autonômo ao invés de empregado, e no dia que eu morrer termina a festa do Zeus Sádico, ( se existe algum Deus), que em orgia assiste do Olimpo o chôro e ranger de dentes entre os gladiadores naTerra,  e termina a festa dos humanos vampiros e venenosos que herdaram o instinto predador. Ganhei mais porque não aceitei a cosmovisão que tentaram me impor para ser escravo conformado e criei minha própria, onde não existem sofredores, onde reina o amor e com isso dei uma lição de moral em Deus. Acho que vou morrer como mendigo que sempre fui, na sarjeta, mas como sempre aconteceu até agora, o choro da dor que sai pela bôca é menos ruidoso que o riso que sai do conjunto dos meus pensamentos.

O segundo motivo é a influência da cosmovisão da Matriz/DNA no meu modêlo de sistema social ideal, uma cosmovisão que ninguém mais conhece. Segundo ela, veio para a Terra um só DNA, êle se reproduz em bilhões de cópias cada uma com uma minima particular diferença em relação a tôdas  as demais. A meta da Evolução em ter criado este processo é depurar a Matriz/ DNA que era o ápice da Evolução no Cosmos mas tinha o trágico defeito que a levou a se auto-construir como um falso paraíso perfeito na forma de sistema fechado em si mesmo, o que revela um carater extremamente egoísta. A Evolução produziu sua queda para niveis de condições anteriores ao surgimento dêsse carater e gerou o ambiente para que ele se re-erga das próprias cinzas, porem curado. O método para consertar um DNA errado é dividi-lo em suas bilhões de unidades de informação, cada qual contendo uma minima porcentagem do êrro total, e coloca-las a se relacionarem e se degladiarem, já que o egoísmo primeiro instala a competiçao, ao invés da solidariedade.  Será sentindo na própria pele os efeitos do êrro de seu carater que é expressado de uma forma especifica por cada uma de suas semelhantes, que o DNA que veio do Cosmos se prestará à autocura por si próprio e no final se reeguerá de volta para a majestade de onde veio. O sistema social que aí está, ao invés de ser um sistema própriamente dito, organizado segundo o padrão natural de sistemas, é o produto do caos gerado pelas partes em mutuo conflito. É a soma final dos nossos comportamentos individuais que produzem o sistema social, quando na aparência pensamos que somos as vitimas de um sistema determinado pela Natureza. Ora, quando descobrimos a causa de tudo e desmascaramos a Matriz no seu aspecto errado, percebemos que devemos mudar nossos comportamentos, não existe outra solução. A competição tem que ser eliminada e ceder lugar ao cooperativismo. Os comportamentos individuais cooperativistas vão gerar um novo sistema, inclusive mudar a face da superficie terrestre da maneira que ela se encontra construída por nossas gerações anteriores. Ao mesmo tempo, a desmistificação da condenação deterministica nos induz a rejeitar o sistema que aí está e a não nos relacionar com êle, para não ser-mos mais uma força que o agiganta e a qual se volta contra nós. O meu modêlo utópico é baseado no segundo estágio do ciclo evolutivo, onde o estado de caos, ao invés de crescer, começa a definhar cedendo espaço para o estado de ordem. Por isso acho que ninguem vai entender minhas criticas ao que acontece hoje, ao que as pessoas aprovam hoje, porque não possuem a ideologia que é produzida pela cosmovisão da Matriz/DNA.      

Na minha opinião, o jeito que os seres humanos se relacionam e estão organizados na sociedade, está tudo errado. E como foram seres humanos que fizeram essa sociedade e não os deuses nem as girafas ou macacos, depende da vontade dos humanos transforma-la, porque é possível instalar uma sociedade onde tudo esteja certo para todos ao mesmo tempo e em igual nível. Como tenho pensado nêste modêlo utópico a vida tôda, tenho todos os detalhes planejados e por isso tenho a certeza que o modêlo pode se tornar uma realidade.

Não tenho tempo para escrever um livro descrevendo a utopia, como Aldous Huxley fêz com “A Ilha” e “ O Admirável Mundo Novo”, ou como Herman Hesse fêz com ”O jogo das Contas de Vidro”, ou como Orwell fêz com ”1984”. A minha cidade-modêlo está desenhada na mente, mas não vou poder desenha-la no papel e muito menos no computador. Mas estou nêste mundo para uma missão, defender uma causa, que é a projeção no coletivo do que foi a minha luta individual, a causa de uma Humanidade livre e soberana porém, investindo algum sacrificio na busca da transcendencia de sua forma.

Menores abandonados normais tem uma visão de mundo imediatista quase animalesca. A visão de mundo da Matriz/DNA é muito superior a isso tudo. Eu transcendí a forma mental que herdei. A Humanidade também pode fazê-lo.

Se não posso deixar um livro, mas tenho que fazer algo pela causa, hoje com a Internet posso deixar a idéia e os detalhes que for possível escrever, por isso esta categoria é lançada aqui. os temas serãoincompletos esemordem, àmedida que algumevento os suscite, mas sempre com a esperança de que possa voltar a êles e desenvolvê-los melhor. Muito bom seria se mais alguém os lêsse e incluísse sua opinião, contra ou a favor, para enriquecê-lo ou corrigi-lo, pois o modêlo social perfeito para todos só poderá ser elaborado com a participação mental de todos. 

O se rhumano foi condenado a comer o pão com o suor do próprio rôsto? Não, existe a tecnologia que pode fazer tôdo o trabalho sujo e torturante, e se baseada na fórmula da Matriz/DNA tôda a produção de bens de primeira necessidade e tôda realização de serviços publicos pode ser automatizada. Uma das piores tragédias sôbre o ser humano é ser empurrado para dentro de uma fábrica durante um dia em que entra pela manhã e sai ao anoitecer sem ver o sol, e isso, dias após dias, anos após anos, para muitos, a vida tôda. Os vampiros parasitas e predadores humanos que apóiam à fôrça de armas êsse sistema sem nunca arregaçarem as mangas e fazerem com suas próprias mãos ao menos o que consomem, tem que serem desalojados da Humanidade, são inimigos da Humanidade. Isto parece impossível, mas com a facilidade proporcionada pela fórmula da Matriz/DNA a motivação e o número dêles será cada vez menor, o que torna a meta possível. Mas como formar homens e mulheres ociosos em ávidos estudiosos e buscadores de cada vez maior conhecimento sôbre a Natureza, ao mesmo tempo que cada um seja um soldado da Grande Causa Humana?   

Como seria um sistema social sem patrões e empregados, porem sem ser entorpecedor como o sistema comunista? Como seria um sistema social sem a divisão dos humanos em familias nucleares, porem que garantisse a liberdade, sobrevivencia e soberania de mulheres, homens, velhos, e crianças?

Crianças seriam mais felizes se pudessem viver livres numa espécie de jardim e parque infantil e no meio de crianças, ao invés do sistema atual em que muitas vêzes passam a maior parte da vida apenas com adultos e enfurnadas num cubiculo denominado ”lar”. Como seria o modêlo social que pudesse conter êsse habitat ideal para crianças ao mesmo tempo que as tornasse adultos educados adequadamente?

No meu modêlo utópico existem as sugestões de como fazer em cada caso. Pode ser que apontem falhas nas quais não pensei e então deve-se buscar por outros caminhos. Por ora, sempre que um evento tocar nêstes temas do modêlo, aqui virei com um registro apontando o que está errado… da perspectiva de minha ideologia, claro.