Archive for setembro, 2011

Descoberta revolucionária da Matrix/DNA: O DNA não é um código

quinta-feira, setembro 22nd, 2011

Nós já sabíamos disso dêsde quando vimos a fórmula da Matrix/DNA pela primeira vêz, mas nunca tivemos tempo/necessidade de anuncia-la. Porem, hoje lendo um post no New York Times e refletindo o tema, resolví explicar isto em palavras.

O post:
http://community.nytimes.com/comments/www.nytimes.com/2011/09/20/science/20dawkins.html?sort=newest#preview

437.baltorioles1954

LOL on the “reverence” pun intended given to Dawkins. When Ben Stein interviewed him in Expelled – No Intelligence Allowed regarding the following suppressed hypothesis, Dawkins garbled and stumbled like a 3rd grade fool in his response about intelligent design.
The starting point of the thesis is:

1) DNA is not merely a molecule with a pattern; it is a code, a language, and an information storage mechanism.

2) All codes are created by a conscious mind; there is no natural process known to science that creates coded information.

3) Therefore DNA was designed by a mind.

If you can provide an empirical example of a code or language that occurs naturally, you’ve toppled the thesis/proof. All you need is one. Of course all atheists will answer with DNA. But then again they are so intellectually rigorous. Not. A child cannot and should not rely on Dawkins upcoming childrens book for any universal answers on anything other than spite and ignorance.

xxxxx

E minha resposta, explicando porque o DNA não é um código ou uma linguagem e anunciando que o equivocado “código” pode ser provado empiricamente como ocorrendo naturalmente:

Your Submitted Comment: Louis Charles Morelli

To 437.baltorioles1954

DNA is not a code…

You said: “ DNA is not merely a molecule with a pattern; it is a code, a language, and an information storage mechanism… Therefore DNA was designed by a mind… If you can provide an empirical example of a code or language that occurs naturally, you’ve toppled the thesis/proof.”

Do you think putting 7 billion humans’ beings in a line you got a code? No, you got 7 billion derivations of a unique system. DNA is same thing. DNA is a line of parallels pairs of nucleotides, and each pair is a derivation of a unique working system.

Go to see the model of a pair of nucleotides working as a system in the Matrix/DNA Theory. But then you will see also how the nucleotide occurs naturally.

Our problem is that DNA does not exist only at biological systems, but it is the shape of a universal matrix existing at atomic and astronomic systems also. And the origins of this Matrix are quantum vortexes popping up at the Big Bang. So, who made the “code” is something natural, but it must be ex-machine, and intelligent. Working as genes or bits of information the vortexes could be a natural product from a genetic process or a kind of software made by an intelligent mind. So, our little brain existing inside this system cannot grasp the ultimate thru about the system. If we don’t go outside the Universe, we never will have the answer if there is or don’t there is a God.

Richard Dawkins no New York Times e o Parecer da Matrix/DNA

quarta-feira, setembro 21st, 2011

A Knack for Bashing Orthodoxy

(Uma Habilidade para Atacar Ortodoxia)

The New York Times

(Observação dêste autor: Apesar de ser curioso intelectualmente à discussão entre mentes mais letradas, não tenho tempo e não é minha prioridade a questão entre religiosos e ateístas porque considero ambos no reino da metafisica quando estou mais necessitado de informações sôbre fatos reais naturais. A cosmovisão da Matrix/DNA sugere que nosso corpo e o Universo material perceptível são produções naturais, não detecto nada super-natural nos modêlos, portanto, a metafisica fica para alguma possivel futura ocasião de ócio. Quanto à abstrata dimensão dos nossos pensamentos, reunidos num conjunto que denominamos “mente”, existe uma porta aberta para a possibilidade de alguma fenomenologia metafisica, porem, como disse, essa dimensão perde em prioridade agora para a dimensão da matéria aqui e agora. Portanto, celebridades intelectuais como Richard Dawkins que trazem à tona a palavra “Ciência”, mas que impregnam estes toques com grande cobertura metafisica atrapalham meu estudo, por isso ignoro-os e aos seus livros na maior parte das vêzes. O post a seguir confirma o que penso e reforça o que deve ser minha atitude:

http://community.nytimes.com/comments/www.nytimes.com/2011/09/20/science/20dawkins.html?sort=newest
399. Mario Latendresse
menlo park, ca
September 21st, 2011
12:27 am
Dawkins’ books are quite boring and I have never learned any science from them. He has an ax to grind and that gets very annoying. Which new ideas has he brought forward in the field of science? I do not see any. )

Comentário pela Matrix/DNA postado no NYT, nos comentários que seguem o artigo:

Dawkins iniciou sua militância intelectual quando descobriu que poderia opor a idéia da competição egoísta contra a estabelecida preferência pela idéia da cooperação altruísta. A seguir expomos a resposta da nova Teoria da Matrix/DNA:

O que é verdade? Qual é a real caracteristica dos seres vivos que fomenta a evolução?
O altruísmo individual projetando-se como cooperação no grupo, ou o egoísmo individual projetando-se na competição dentro e fora do grupo?

Vejamos o que sugere a experiência da História Natural Universal:

1) A macroevolução universal se apresentou composta de micro-ciclos: … ciclo do sistema atômico, ciclo do sistema astronomico, ciclo do sistema biológico, ciclo do sistema consciente.
2) O micro-ciclo evolucionario do sistema biológico foi composto de outros micro-ciclos: … ciclo dos micro-organismos, ciclo dos répteis, dos mamiferos.
3) Cada micro-ciclo de espécies do sistema biológico apresentou o seguinte enrêdo:

1) Existe uma espécie no tôpo da evolução dentre todas as espécies;
2) Existe um individuo ou um sub-grupo no topo da evolução dentro da espécie que está no tôpo da evolução dentre tôdas espécies; Ex: As familias Rotchild, Rockfeller, na espécie humana.
3) Quem está no tôpo da evolução conserva e se acomoda (super-especialismo: fecha as portas à evolução); Ex: dinossauros, leões, baleias, águias. Republicanos?
4) A entropia ataca o que se acomoda; Ex: Rei Luis XV e familia na França, Elite do Império Romano, Egipcio. LUCA
5) A entropia elimina a forma acomodada no tôpo e a fôrça da evolução retorna buscando a forma mais evoluida a seguir que se mantem na necessidade aberta à evolução; Ex: descarta o dinossauro e retorna ao lagarto para transforma-lo no mamifero.
6) A entropia causa o caos para todos sobreviventes. EX: era glacial, etc.
7) O caos produz a competição e faz expressar o egoísmo individual, e mesmo do grupo sôbre outros grupos;
8) A competição se soma ao caos contra todos. O ponto maximo do caos&competição na espécie humana foi a Segunda Guerra Mundial; Tem inicio o despertar pelo desejo da ordem;
9) A cooperação substitui a competição. O estado de ordem cresce enquanto o de caos diminui;
10) O estado de ordem é estabelecido. No tôpo da evolução os vencedores se acomodam e conservam; fecham as portas à evolução;
11) A entropia ataca; recomeça o estado de caos.

Portanto cada ciclo é dividido em três fases: caos, equilibrio transitivo, ordem.

Resultado: Eu não entendo porque essa controvérsia entre um grupo que elege Cooperação e Altruísmo contra outro que elege Competição e Egoísmo, se ambas as coisas são relativas às fases da evolução e existem e em doses iguais.

xxxxxx

Tradução para postar no NYT:

Dawkins began his intellectual fight when discovered that could oppose selfish competition against the stablished preference for altruistic cooperation. The following is the response from the new Theory of Matrix/DNA:

What is truth? What is the real characteristic of living things that promotes evolution?
Individual altruism projecting itself as group cooperation, or individual egoism projecting into the competition within and outside the group?

Let’s see what suggests the experience of the Universal Natural History:

1) The universal macroevolution is presented composed of micro-cycles: … cycle of atomic system, astronomical system cycle, cycle of the biological system, cycle of the conscious system;
2) The micro-evolutionary cycle of the biological system was composed of other micro-cycle: … cycle of micro-organisms, the cycle of reptiles, mammals;
3) Each micro-cycle of species of the biological system presented the following scenario:

1) There is an evolution of the species at the top among all species;
2) There is an individual or a sub-group at the top of evolution within species that is on top of evolution among all species; Ex: The Rotchild and Rockefeller families in human specie .
3) Who is at the top of the evolution preserves and settles (super-specialism: closes the door to evolution); Ex: dinosaurs, lions, whales, eagles. Republicans?
4) The entropy attacks what sits; Ex: King Louis XV and family in France, Elite of the Roman, Egyptian Empire.
5) Entropy eliminates the form staying on top of the evolution and returns seeking below the specie less evolved and in need that keeps itself open to changes; EX: Evolution drops from dinosaur and returns to lizard to transform it in the mammal;
6) Entropy causes chaos for all survivors. EX: ice age, etc..
7) The chaos produces competition and does express the individual egoism, and even the group egoism over other groups;
8) The competition adds to the chaos against all. The peak of the chaos & competition in humans was the Second World War; Begins awakening the desire for order;
9) Cooperation replaces competition. The state of order grows as the chaos decreases;
10) The state of order is established. At the top the winners will accommodate being conservative and safe; They closes the door to evolution;
11) The entropy attacks, resumes order to the state of chaos.

Thus each cycle is divided into three stages: chaos, transitive equillibrium, order.

Result: I do not understand why this dispute between a group that elects Cooperation and Altruism against another who elects Competition and selfishness, if both are related to the phases of evolution and exists in equal doses.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Segundo Comentário Postado pela Matrix/DNA:

NYT: Genes, he says, try to maximize theur chance for survival”

Nope. Dawkins has brilliant insights but he did a desservice to evolution of human moral code. Genes does not knows about death, their future death, so, they do nothing for survival. As primitive molécules, they search food and the best physical acomodation. That’s all they do. The production of proteins are a sub-product from their alimentation. About genes, there is no selfhness neither altruism, there is determinism. Human beings are councious about death, they adds the search for survival. The less intellectually evolved search its individual survival, applying competition andbeing selfish against its specie and everything else. The most intellectually advanced discovers that survival is better reached if join in society. Selfish competition begans being changed for altruistic cooperation.

The BBC documentaries of that time were better for the evolution of human kind than the book “The Selfish Gene”.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Resposta a meu comentário:

426. Sereno
413. Louis Charles Morelli.

I would tell you that Dawkins uses “genes try to maximize their chances of survival” as a figure of speech. He makes this clarification in “The Selfish Gene” quite carefully. I also take issue with your jump from “selfish gene” to “thus selfish individuals.” The selfish gene is just about whether the unit of selection is truly the organism or if it could be the genes. Then starts showing how focusing on genes helps explain a lot of stuff. However, the figure of speech allowed a lot of phrases that have been mistaken by both the scientific community and the general public for no bad reason. They sound preposterous if we forget that it is figure of speech. Some have taken the figure quite literally as true though, and talk very seriously about evil “selfish machines” or other “selfish memes” trying to take over the world. Thus worsening this misunderstanding.

Anyway, the idea is that even altruism is something that can be explained if it maximizes the probabilities for reproduction/copying/whatever of the genes behind this behaviour, which it does. It also explains a lot of behaviours and phenotypes that would remain perplexing otherwise. The idea behind the selfish gene, once understood, is very helpful, and has indeed influenced the thoughts of evolutionary biologists.

Read the book. read also “Genome, the autobiography of a species in 23 chapters” (not by Dawkins, but shows a few examples of the power of the selfish gene paradigm to explain some interesting phenotypes, and it is a beauty of a book).

See ya.

xxxxxxx

Minha resposta à resposta acima:
Your Submitted Comment
Louis Charles Morelli

Location

New York, NY

Comment

426. Sereno

“I would tell you that Dawkins uses \”genes try to maximize their chances of survival\” as a figure of speech… I also take issue with your jump from \”selfish gene\” to \”thus selfish individuals.\”

But… it was what really happened!

NYT: “The moral implications proved deeply troubling, suggesting that altruism disguised selfish, gene-driven behavior. “Many readers experienced the book as a psychic trauma,”…

So, are we selfish and due our genes?

The Matrix/DNA Theory: “Universal Macro-Evolution is a whole composed by cycles which are composed by micro-cycles and so on. Each cycle has the same scenario: a) begins with the state of chaos due the entropy attacking the last evolved system that accommodated into super-specialism (like Earth’s biosphere is the chaos state from the decaying astronomic ordered state); In this chaos there is domination of competition and individual selfishness. b) The suffering under chaos leads the individuals to wish the ordered state (equilibrium transition). c) A specie in internal ordered state is allocated at the top of evolution, (altruism and cooperation) and begins the accommodation into super-specialism which triggers entropy again and new cycle.

Thus, selfishness/competition and altruism/cooperation exists at equal doses.

I think that Dawkins made a good service debunking the supremacy of altruism/cooperation over the human moral code, but he did a disservice bringing on the supremacy of selfishness/competition. We have the domination and war from corporations today due this kind of world vision.

By the way, as a researcher myself, I thanks the informations about the evidences of selfish gene over natural phenomena. Any links? Thanks.

See ya.
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Inicio da análise do Artigo:

1) Cooperation x Competition:

NYT: ” … the predominant popular view of evolution was that animals and insects worked together, albeit uncounciously, and thatnatural selection acted on undividuals to do what was good for their species. Cooperation, again unconscious, seemed woven (tecida, interpenetrada) in nature.

Examples of cooperation cited by BBC in those times:

1)The dung beetle…
2) The male deer fight…

Dawkins says: ” That sort of thinking was pretty dominant in the culture. And it’s plain wrong. I wanted to correct that ubiquitous ( estando ou parecendo estar presente em todos os lugares o tempo todo)misanderstanding”.

O que êle pensou estar errado? O que êle tinha em mente como certo? A resposta vem…

“Genes try to maximize their chance of survival. The succesful ones crawl down ( rastejam por baixo) through the generations. The losers, and their hosts, die off. A gene for helping the group could not persist if it endangered the survival of the individual.”

2) Altruísmo x Egoísmo

E assim ele chegou ao “selfish gene”, e descobriu que esta metafora era uma grande frase de efeito no publico. E explorou a reação publica.

Ele trouxe a idéia de que o altruismo na cooperação é aparente, apenas disfarça o egoísmo.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Obs.: No quadro dos comentários não coube o texto devido excesso de palavras. Abaixo está como foi dividido o texto para o caso de ter que postar novamente:

Post 2: Primeira parte:

Dawkins began his intellectual fight when discovered that could oppose selfish competition against the stablished preference for altruistic cooperation. The following is the response from the new Theory of Matrix/DNA:

What is truth? What is the real characteristic of living things that promotes evolution?

Individual altruism projecting itself as group cooperation, or individual egoism projecting into the competition within and outside the group?

Let’s see what suggests the experience of the Universal Natural History:

1) The universal macroevolution is presented composed of micro-cycles: … cycle of atomic system, astronomical system cycle, cycle of the biological system, cycle of the conscious system;
2) The micro-evolutionary cycle of the biological system was composed of other micro-cycle: … cycle of micro-organisms, the cycle of reptiles, mammals;
3) Each micro-cycle of species of the biological system presented the following scenario:

1) There is an evolution of the species at the top among all species;
2) There is an individual or a sub-group at the top of evolution within species that is on top of evolution among all species; Ex: The Rotchild and Rockefeller families in human specie .
3) Who is at the top of the evolution preserves and settles (super-specialism: closes the door to evolution); Ex: dinosaurs, lions, whales, eagles. Republicans?
4) The entropy attacks what sits; Ex: King Louis XV and family in France, Elite of the Roman, Egyptian Empire.
5) Entropy eliminates the form staying on top of the evolution and returns seeking below the specie less evolved and in need that keeps itself open to changes; EX: Evolution drops from dinosaur and returns to lizard to transform it in the mammal;
6) Entropy causes chaos for all survivors. EX: ice age, etc..
7) The chaos produces competition and does express the individual egoism, and even the group egoism over other groups;
8) The competition adds to the chaos against all. The (following)

Post 1 – segunda parte:

(…) peak of the chaos & competition in humans was the Second World War; Begins awakening the desire for order;
9) Cooperation replaces competition. The state of order grows as the chaos decreases;
10) The state of order is established. At the top the winners will accommodate being conservative and safe; They closes the door to evolution;
11) The entropy attacks, resumes order to the state of chaos.

Thus each cycle is divided into three stages: chaos, transitive equillibrium, order.

Result: I do not understand why this dispute between a group that elects Cooperation and Altruism against another who elects Competition and selfishness, if both are related to the phases of evolution and exists in equal doses.

xxxxxxxxxxxxxxxx

Nossas Células Possuem Vestiários Para Proteínas Trocarem de Roupa!?

terça-feira, setembro 20th, 2011

Isto é muito sério, seríssimo: o corpo humano possue bilhões de proteinas e agora foi descoberto que elas são muito vaidosas e exigem se vestirem e maquiarem no estilo da moda. E mais: para se arrumarem exigem compartimentos próprios como vestiários. A célula que não construir vestiários para elas, morre rápido, ou o corpo todo pode padecer das piores doenças existentes!

Proteínas…!!! Quem diria?!!!

O “The New York Times”, na sua valiosa seção de Ciencias das terças-feiras, publica a noticia da descoberta com a premiação do Dr. Arthur Horwich pela Mary Lasker Foundation. Êle realizou um trabalho que está na base de remédios para tratamento das piores doenças que flagelam a Humanidade.

Mas sua descoberta é muito curiosa.

Acontece que as proteínas quando saem das mitocondrias são desorganizadas e como os bebês não sabem fazer nada. São cêrca de 20.000 espécies delas. Para realizarem sua função precisam passar por uma metamorfose, um processo que as organizem numa configuração tridimensional, ou seja, cada espécie tem uma forma especifica, como entre a bicharada, galinhas tem forma de galinhas, diferente da forma dos patos e jacarés. Se elas não puderem se apresentar maquiadas e vestidas nas cöres da moda de sua espécie, elas se recusam a fabricar seu produto, o qual nossos corpos necessitam.

Mas acontece que elas não se arrumam em qualquer lugar, como no meio da rua. O ambiente do citoplasma dentro das células onde elas nascem é muito povoado e tumultuado. Sem as condições que as proteínas exigem para se trocarem, elas não funcionam. Sabendo disto os genes correram a providenciar o que fôsse necessário para que se apresentem na moda e façam seu trabalho. E como resolveram isto?

Vestiarios separados dentro do citoplasma! Onde só entram proteínas. Os vestiarios são feitos de uma proteína tambem, mas especial. Ela é elaborada por um gene e se chama HSP60. Isto é a sigla em inglês para “Heat Shock Protein” e o numero 60 se refere à sua massa. Ela se parece com um baú, ou uma caixa, e uma célula tem milhares delas: são tão importantes que se uma célula não tiver o gene que produz estas caixas, a célula morre rápidamente. Mas… e agora prepare-se para as grandes surprêsas! A HSP60 tem a forma de dois barrís colados lado a lado. O ambiente dentro dos barrís é diferente do ambiente do citoplasma, quase um vácuo. Cada barril possue uma tampa que fica abrindo por 10 segundos e se fechando. Quando êle se abre uma proteína desarrumada entra com seus apetrechos e pode se arrumar. A tampa sefecha e longe dos olhares cobiçosos a proteína pode aplicar os mistérios de suas fórmulas que só ela sabe e manter seu segrêdo. Mas ela não tem muito tempo para ficar se admirando no espelho, apenas os 10 segundos, pois quando a tampa se abre ela tem que sair e dar lugar para outra que vai entrar.

Isto parece brincadeira. O Sr. José está com Alzheimer, perdeu a memória e só faz trapalhadas. Imagime que dia dêstes êle pôs a roupa suja dentro da geladeira e ficou ao lado esperando. Quando a espôsa chegou e perguntou por que estava ali êle disse que estava esperando a máquina lavar a roupa… O seu vizinho, o Sr. Milton está na cama com câncer. E tôdos êstes doentes assim estão apenas porque existem células que não possuem suficientes HSP60, ou seja, vestiários para as proteínas!

Vamos ver uma síntese das informações no NYT. O Dr. Arthur passa horas e horas apontando o microscópio para estas “caixas” nas células tentando entender o que se passa dentro delas. Espiando pelo buraco da fechadura, hein?…Indiscreto! Do que é constituído seu espaço interno? O que as proteínas fazem lá dentro, onde entram feias como uma larva e saem vaidosas como uma borboleta?! Se alguem conseguir imitar a fórmula do gene e inventar um vestiário mágico como êsse, as mulheres idosas, as gordas, etc., entram e saem com um corpinho de Marilyn Monroe…Vão fazê-lo bilionário… Parece até que existe um cirurgião plastico extraterrestre dentro de cada barril…

Proteína antes e depois do HSP60

Äs vêzes, bebês recem-nascidos vivem apenas por alguns dias e morrem, desgraçadamente. Isto porque existe uma doença chamada “OTC deficiency” é causada pela ausência ou não funcionamento de uma proteína que tem a função de retirar um gás toxico do sangue, a amonia. Quando essa proteína não tem um vestiário, não funciona, e o sangue inundado pela amônia causa a intoxicação. E assim se perde uma criança porque a proteína é vaidosa, ao invés de trabalhar fica em greve de braços cruzados, porque a célula não lhe providenciou um vestiário com cirurgiões plasticos extraterrestres!…

A cura e entendimento das causas de muitas doenças foram atrasadas por décadas porque os cientistas foram enganados. Em 1950, um bioqumico chamado Dr. Anfinsen publicou os resultados de uma experiencia que indicava que as proteínas se enovelavam adquirindo a sua forma funcional unicamente por elas mesmas. Ou seja, elas possuiriam o potencial para se transformarem. Mas o Dr. Anfinsen viu proteinas se transformando dentro de tubos de testes, onde o ambiente foi planejado por ele, tentando imitar o citoplasma celular. Esta publicação lhe deu o Prêmio Nobel de 1972! Tenho um artigo aqui revelando que muitos prêmios Nobel foram cedidos por realizações que mais tarde se provaram serem erradas. Pesquisando a doença do OTC, tentando entender qual era o problema que impedia a proteina se transformar, o Dr Arthur desconfiou que a crença da comunidade cientifica baseada na experiencia do Dr. Anfinsen não revelava a história completa. Mas êle nem podia comentar sua desconfiança, pois seria considerada uma heresia cientifica. Êle notou que existia essa HSP60 que ” can cradle the OTC protein that have misfolded”, como diz o jornal, ou seja, “pode acolher numa forma de berço e embalar uma proteina que foi desorganizada, ajudando-a a se metamorfosear”. E então perguntou-se se isto não seria o normal, ou seja, que todas as proteinas normais necessitariam de uma ajuda externa para se anovelarem na forma tridimensional. No final da história êle provou que nenhuma proteína é capaz de se enovelar na sua forma final e no meio do citoplasma por si própria, tôdas só o fazem dentro do compartimento celular do HSP60.

Bem… aqui termina essa versão popularizada da noticia cientifica. O leitor pode parar de ler por aqui. Apenas quem aprecía a visão de mundo sugerida pela Matrix/DNA deve continuar a ler e ver a interpretação da noticia a seguir:

Sempre começamos com as profundas questões filosóficas existienciais. Que Natureza é esta?! Porque uma fita formada com 20 tipos de grupos atômicos denominados “aminoácidos” não serve para nada e não é batizada recebendo um nome de uma proteina, se ela não organizar êstes grupos de atomos numa sequencia especifica e não adquirir uma forma de enrolamento especifica? Como, de onde a Natureza tirou a idéia de inventar essa coisa denominada proteína e como uma proteína fabrica uma substancia como a abelha fabrica o mel?! Como e para que a a Natureza inventou as proteinas numa época que não existia nenhum ser vivo, portanto não serviam para nada? Para que existiu uma arquitetura que produzia produtos que não tinha nenhuma serventia em nenhuma cadeia de eventos, em nenhuma network de causas e efeitos? No principio, os produtos das proteínas eram becos sem saída. Mas aqui está mais um golpe na visão com miopia do reducionismo aplicado à Evolução: porque a seleção natural iria eleger e conservar uma coisa inutil? Parece que naquela época que a superficie da Terra era desabitada, árida, contendo apenas oceanos, rochas e areia, a Natureza já sabia que ela seria habitada, ao menos ela selecionou as proteinas que mais tarde montaram os primeiros seres vivos! Para não falar do conflito nunca resolvido da Teoria do RNA World: RNA são feitos de proteínas, mas proteínas são feitos por RNA. Então quem surgiu primeiro? Caindo do céu? Sim: em LUCA já existiam os dois, a fórmula software da Matrix/DNA trás todos eles quando monta novo hardware. Genes e células são amontoados de átomos sem nenhuma inteligencia, sem nenhum discernimento. Como então punhados de átomos resolvem se alinharem na forma de paredes, conformar estas paredes na forma de barrís e tampas, fazer com que estas tampas fiquem abrindo e fechando indefinidamente, e criando dentro espaços de constituições diferentes não existentes em nenhum outro lugar?!

Ninguem nunca me respondeu estas perguntas, mas bastou dar uma rápida olhada na fórmula da Matrix/DNA para ter todas as explicações. Essa fórmula já fazia no céu, a 10 bilhões de anos atrás, coisas que funcionam como proteínas. Estas coisas eram os restos de uma estrêla morta na forma de detritos estelares, e mais alguns cometas. Os detritos giravam em roda devido ao giro da galáxia. No seu centro se formou um rodamoinho, como um quarto escuro dentro do qual o ambiente era gravitacionalmente diferente do meio externo e não era povoado, uma cópia exata do HSP60. Os detritos mais os cometas eram sugados para dentro do vórtice e misturados até formarem esferas chamejantes, como os aminoácidos são dirigidos para dentro do HSP60 e formam figuras tridimensionais. Estas esferas ao adquirirem certo pêso caíam fora do vórtice, como as proteinas ao adquirirem uma certa forma saem do barril. Ao saírem encontravam os detritos que ficaram de fora, muitos dos quais eram agregados à superficie das esferas, formando anéis envolventes que mais tarde se tornariam as camadas geológicas do astro, como as proteínas encontram os ingredientes para fazerem suas substancias. No final, e no céu, surgia uma nova estrela. Porque uma estrela? Porque os vórtices são como os vestiarios onde os restos de estrelas se reorganizam como novas estrelas. E porque surge uma proteina especifica? Porque o HSP60 re-novela uma proteina que nasceu enovelada e foi desnovelada numa mitocondria (esta parte do processo não contei aqui porque é muito longa). Ora, proteinas na Terra são a forma organica correspondente aos diferentes trechos dos circuitos do sistema que veio de LUCA – the Last Universal Common Ancestor, que tem sua face revelada aqui pela Matrix/DNA. Cada proteína produz uma substancia e a totalidade de todas as substancias re-organiza o sistema.

O Dr. Arthir precisaria saber da fórmula da Matrix/DNA para agilizar suas pesquisas e beneficiar a Humanidade combatendo os piores terroristas que são nossos inimigos mortais, as doenças. Pois para agilizar e produzir resultados práticos é preciso entender as causas e os mecanismos da existência do HSP60. O que êle não percebeu é que o HSP60 é um instrumento que produz “reciclagem”. Sistemas estelares se desfazem em nébulas de poeira onde surgem vórtices como buracos negros que atuam como recicladores e o falecido Sistema Estelar ressuscita das próprias cinzas como a Fênix grega. Exatamente êste processo, que está encriptado na fórmula da Matrix/DNA, é re-aplicado aqui a nível biológico sôbre proteínas. Reciclagem tem mecanismos próprios, fáceis de entender. Assim se entenderá totalmente o HSP60.

A forma de dois barrís com tampas que se abrem e fecham não foi ainda bem vista pelo Dr. Arthur, pois falta êle explicar uma previsão da Matrix/DNA: as duas tampas não abrem e se fecham aleatóriamente ou ao mesmo tempo, mas sim alternadamente. Quando uma está se fechando a outra deve estar se abrindo. E se uma tampa fica fechada por 10 segundos, a outra deve ficar aberta tambem por dez segundos. Porque? Ora os dois barris com tampas abrindo e fechando são uma réplica dos balões de Yukawa, conforme artigo que publiquei antes aqui. Êles já existiam nos nucleos dos átomos a 13 bilhões de anos atrás e são os responsaveis pela conexão entre proton e neutron. No buiding block de galaxias pode se ver facilmente os dois barrís quando traçamos uma linha imaginaria transversalmente horizontal na espiral galáctica, dividindo-a em dois cones, os barrís celestes. É facil perceber que quando o fluxo de matéria/energia se encontra formando o cone da base é produzida uma fôrça centrifuga abrindo a bôca do cone e expulsando o fluxo na direção do cone no tôpo. Quando tôda a matéria é emitida o cone se fecha e desaparece até a próxima reciclagem, mas antes abrindo a área do cone no tôpo para o fluxo entrar movida pela fôrça centripeta dêste. A matéria burra da Terra não inventou nada, o mecanismo de extraordinária engenharia está aí no céu para qualquer um que tenha olhos de ver, que o veja.

Por trás de tôdos êles – de todos os vórtices, átomos, células, HSP60, proteínas – e presente nos 13,7 bilhões de anos dêste Universo, está a fórmula da Matrix/DNA.

Os homens não inventaram os vestiários nas lojas para venderem roupas da moda. Os vestiários já existiam nas células, criados pelos genes. Mas os genes não inventaram os vestiarios nas células, pois eles já existiam na galáxia. Mais exatamente existiam em LUCA. E pode ter certeza que LUCA não foi o inventor de vestiários. De alguma maneira eles existem nos átomos que formaram as galaxias. Mas tambem não foram os átomos… Os balões de Yukawa surgiram no Universo na forma dos turbilhões vazios e imateriais que “criaram” a matéria. Dentro dêste Universo tudo o que existe não precisou de inventores, mágicos. Tudo veio por um processo natural desde algo ou alguem que existia antes do Big Bang e deve existir naturalmente alem dêste Universo material. Tem que ser um Sistema, e Natural, que se reproduz genéticamente através de ovos cósmicos, mas pode ser uma Inteligência, um moleque-deus brincando de fazer softwares com bits quanticos vivos que geram consciências através de Universos.

SENSACIONAL ! Cientistas Descobrindo a Matrix/DNA: “A Teoria da Auto-Organização Fractal Como um Método de Descoberta Universal: o Fenômeno da Vida

segunda-feira, setembro 19th, 2011

E de repente descubro um “scientific paper” na Internet:

“The self-organizing fractal theory as a universal discovery method: the phenomenon of life”

Basta trocar na frase a palavra fractal pela palavra Matrix/DNA e esta frase pode ser o título dêste website. É exatamente a mesma coisa!

Mas trata-se de um documento cientifico registrado e com peer-review e uma exagerada lista com mais de 200 referências a outros documentos cientificos!

Está no link:

http://www.tbiomed.com/content/8/1/4

E as datas:

Received: 19 November 2010
Accepted: 29 March 2011
Published: 29 March 2011

E dêsde que êste website foi lançado em 2008, e dêsde que os direitos autorais de minha obra foram registrados a décadas atrás… não podem dizer que plagiei ou copiei o que já havia sido descoberto…

O material foi publicado no:

Theoretical Biology and Medical Modelling
Volume 8

o Autor é:

Alexei Kurakin

E… claro… vou ter que ler tudo com muito carinho, e ter que ir copiando aqui porque tenho certeza muitas anotações terão que serem feitas e no fim vai gerar um novo grande artigo para a Matrix/DNA e inspirar muitas novas pesquisas.

Abstract

A universal discovery method potentially applicable to all disciplines studying organizational phenomena has been developed. This method takes advantage of a new form of global symmetry, namely, scale-invariance of self-organizational dynamics of energy/matter at all levels of organizational hierarchy, from elementary particles through cells and organisms to the Universe as a whole.

Pausa: Anotação da Matrix/DNA

O que é “scale-invariance”?
Scale invariance
From Wikipedia, the free encyclopedia:

In physics and mathematics, scale invariance is a feature of objects or laws that do not change if scales of length, energy, or other variables, are multiplied by a common factor. ( O fator comum universal é a fórmula da Matrix/DNA) The technical term for this transformation is a dilatation (also known as dilation), and the dilatations can also form part of a larger conformal symmetry. Fractals : It is sometimes said that fractals are scale-invariant, although more precisely, one should say that they are self-similar. A fractal is equal to itself typically for only a discrete set of values λ, and even then a translation and rotation must be applied to match up to the fractal to itself.

Processo de Wiener Como Propagação da Matrix/DNA

Processo de Wiener Como Propagação da Matrix/DNA

Fractal de Mandelbrot

Fractal de Mandelbrot

Voltando ao Artigo:

The method is based on an alternative conceptualization of physical reality postulating that the energy/matter comprising the Universe is far from equilibrium, that it exists as a flow, and that it develops via self-organization in accordance with the empirical laws of nonequilibrium thermodynamics.

Pausa da Matrix/DNA:

Non-equilibrium thermodynamics é o estudo dos sistemas abertos, como se pode deduzir da definição a seguir:

From Wikipedia, the free encyclopedia

Non-equilibrium thermodynamics is a branch of thermodynamics that deals with systems that are not in thermodynamic equilibrium. Most systems found in nature are not in thermodynamic equilibrium; for they are changing or can be triggered to change over time, and are continuously and discontinuously subject to flux of matter and energy to and from other systems. Many natural systems still today remain beyond the scope of currently known macroscopic thermodynamic methods.

Voltando ao artigo:

It is postulated that the energy/matter flowing through and comprising the Universe evolves as a multiscale, self-similar structure-process, i.e., as a self-organizing fractal. This means that certain organizational structures and processes are scale-invariant and are reproduced at all levels of the organizational hierarchy. Being a form of symmetry, scale-invariance naturally lends itself to a new discovery method that allows for the deduction of missing information by comparing scale-invariant organizational patterns across different levels of the organizational hierarchy.

An application of the new discovery method to life sciences reveals that moving electrons represent a keystone physical force (flux) that powers, animates, informs, and binds all living structures-processes into a planetary-wide, multiscale system of electron flow/circulation, and that all living organisms and their larger-scale organizations emerge to function as electron transport networks that are supported by and, at the same time, support the flow of electrons down the Earth’s redox gradient maintained along the core-mantle-crust-ocean-atmosphere axis of the planet.

Pausa da Matrix/DNA:

O que é “Earth’s redox gradient”?

From Wikipedia:Redox gradient = Redox (portmanteau for reduction-oxidation), ( ou seja, redox é o sufixo para REDuction + OXidation) A redox gradient is the biogeochemical sorting of reductants and oxidants according to redox potential, with the most reducing conditions at depth, having its origin in the depletion of oxygen and the successive depletion of reactants with depth. They form in stratified environments where oxygen does not penetrate deeper than the immediate surface environment. Examples include waterlogged soils, marine pelagic and hemipelagic sediments, and, most notably, the Black Sea. (…)
The term comes from the two concepts of reduction and oxidation. It can be explained in simple terms:
– Oxidation is the loss of electrons or an increase in oxidation state by a molecule, atom, or ion.
– Reduction is the gain of electrons or a decrease in oxidation state by a molecule, atom, or ion.

Voltando ao artigo:

The presented findings lead to a radically new perspective on the nature and origin of life, suggesting that living matter is an organizational state/phase of nonliving matter and a natural consequence of the evolution and self-organization of nonliving matter.

The presented paradigm opens doors for explosive advances in many disciplines, by uniting them within a single conceptual framework and providing a discovery method that allows for the systematic generation of knowledge through comparison and complementation of empirical data across different sciences and disciplines.

Introduction

It is a self-evident fact that life, as we know it, has a natural tendency to expand in space and time and to evolve from simplicity to complexity. Periodic but transient setbacks in the form of mass extinctions notwithstanding, living matter on our planet has been continuously expanding in terms of its size, diversity, complexity, order, and influence on nonliving matter. In other words, living matter as a whole appears to evolve spontaneously from states of relative simplicity and disorder (i.e., high entropy states) to states of relative complexity and order (i.e., low entropy states). Moreover, when considered over macroevolutionary timescales, the expansion and ordering of living matter appears to proceed at an accelerating pace [1,2].

REFERENCE:
1 – Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci. 2002 May 29;357(1421):709-18.

Does natural selection organize ecosystems for the maintenance of high productivity and diversity?

Leigh EG Jr, Vermeij GJ.
Source; Smithsonian Tropical Research Institute, Unit 0948, Apartado 2072, Balboa, 34002-0948, Panama. leighl@gamboa.si.edu

Abstract

Three types of evidence suggest that natural ecosystems are organized for high productivity and diversity: (i) changes not previously experienced by a natural ecosystem, such as novel human disturbances, tend to diminish its productivity and/or diversity, just as ‘random’ changes in a machine designed for a function usually impair its execution of that function; (ii) humans strive to recreate properties of natural ecosystems to enhance productivity of artificial ones, as farmers try to recreate properties of natural soils in their fields; and (iii) productivity and diversity have increased during the Earth’s history as a whole, and after every major biotic crisis. Natural selection results in ecosystems organized to maintain high productivity of organic matter and diversity of species, just as competition among individuals in Adam Smith’s ideal economy favours high production of wealth and diversity of occupations. In nature, poorly exploited energy attracts more efficient users. This circumstance favours the opening of new ways of life and more efficient recycling of resources, and eliminates most productivity-reducing ‘ecological monopolies’. Ecological dominants tend to be replaced by successors with higher metabolism, which respond to more stimuli and engage in more varied interactions. Finally, increasingly efficient predators and herbivores favour faster turnover of resources.

PMID: 12079531 [PubMed – indexed for MEDLINE] PMCID: PMC1692970

REF N. 2 :

Nature:
An Economic History
Geerat J. Vermeij
http://press.princeton.edu/chapters/s7912.html

Voltando ao artigo:

Yet this empirical trend stands in stark contrast with one of the fundamental laws of physics, the second law of thermodynamics, which states that energy/matter can spontaneously evolve only from states of lower entropy (order) to states of higher entropy (disorder), i.e., in the opposite direction. The apparent conflict between theory and empirical reality is normally dismissed by pointing out that the second law does not really contradict biological evolution because local decreases in entropy (i.e., ordering) are possible as long as there are compensating increases in entropy (i.e., disordering) somewhere else, so that net entropy always increases. Albeit, how exactly the apparent decrease of entropy on the planet Earth is compensated by an increase in entropy somewhere else is less clear.

Pausa da Matrix/DNA:

Para os modêlos da Matrix/DNA êste conflito não existe. Acontece que a Humanidade nunca conheceu um sistema natural completo e isolado como nós que temos a fórmula, mesmo porque êle não existe perceptivel aos nossos sentidos materiais. A teoria da termo-dinamica foi elaborada sôbre o conhecimento de apenas uma fase de um ciclo evolucionario – quando a matéria energia involui desde um estado de baixa desordem para um estado de alta desordem. Acontece que o estado de alta desordem nunca alcança o máximo em todos os locais ao mesmo tempo e de um estado quase-maximo essa matéria energia se colapsa para retornar pelo estado de ordem. A alternancia entre caos e ordem são ciclos verdadeiros, jamais em alguma situação foi comprovada que não exista este ciclo com essa alternancia. A vida na terra caminha sim de um estado de alta desordem para menor desordem enquanto é compensado pelo sentido reverso da estrêla Sol, que caminha para o estado de alta desordem… porem, depois será reciclado, recomeçando o estado de ordem.

Voltando ao artigo:

Since “somewhere else” can potentially include the whole Universe, the Universe as a whole is believed to undergo natural disorganization on the way to its final destination, i.e., to a state of maximum entropy, where all changes will cease, and disorder and simplicity will prevail forever. A gloomy future indeed, so that one may ask oneself why to bother, to excel, and to create, and why not simply enjoy by destroying, since this is the natural and inevitable order of things anyway? Yet, most of us do bother, excel, and create, for this makes our lives meaningful. A logical conclusion is that either most people are mad, being in denial of reality and behaving irrationally, or that the accepted theory presents us with a false image of reality that conflicts sharply with our deep-seated beliefs, intuition, and common sense.

Pausa da Matrix/DNA:

É preciso separar a matéria/energia do que denominamos “Universo” da matéria/energia do que denominamos “Vida”. Assim como sabemos separar a matéria e substâncias do que constitui a bolsa amniótica com seu amnion e placenta do corpo do embrião. O Universo caminha para seu desmanchamento e descartamento como a placenta é descartada, mas dentro dêle há algo que caminha para a evolução e nascimento para alem do Universo. Assim como o corpo dos pais são ancestrais do embrião, o ceú estrelado lá fora compõe os corpos dos nossos ancentrais, ainda animados ou fossilizados. Não existe motivação para o homem ser destrutivo, ao contrário. Nós somos como bactérias dentro de corpos e podemos conquistar a amizade e aprovação do Universo se formos bactérias benéficas a êle, assim como gostamos das bactérias que realizam indispensáveis trabalhos em nossos corpos.

Voltando ao artigo

Revising the basic concepts, assumptions, and postulates placed as keystones in the foundation of classical physics and the corresponding worldview at the very beginning, this work outlines an alternative interpretation/image of reality that brings scientific theory, experimental reality, and our deep-seated beliefs, intuition, and common sense into harmony. Moreover, the proposed interpretation naturally resolves a large variety of paradoxes and reconciles numerous controversies burdening modern sciences.

Pausa da Matrix/DNA:

Uma exata definição da visão de mundo da Matrix/DNA !

Voltando ao artigo:

Let us begin by noting that the apparent conflict between the second law of thermodynamics and biological evolution exists only if one assumes that the energy/matter comprising the Universe is near equilibrium and that it evolves toward an equilibrium state via disorganization and disordering, obeying the laws of equilibrium thermodynamics. The conflict disappears, however, if we postulate that the energy/matter making up the Universe is far from equilibrium, that it exists as an evolving flow, and that the energy/matter flowing through and comprising the Universe evolves from simplicity and disorder to complexity and order via self-organization, in accordance with the empirical laws of nonequilibrium thermodynamics.

Pausa da Matrix/DNA:

A teoria da termodin6amoca foi baseada na lógica dedução do século passado de que o Universo seria algo unico no mundo, um sistema isolado no “Nada” e fechado em simesmo. No entanto todos os grandes teóricos da Física Moderna, como Stephen Hawking, tendem cada vez mais a acreditar na hipótese dos multi-versos. Se é assim o nosso Universo se relaciona de alguma forma com outros universos e portanto não poderia ser um sistema fechado em si mesmo, mas sim, um sistema aberto, ou seja, um “nonequilibrium system”. Não entendo porque os fisicos não assimilam isto e não mudam as bases de seus pensamentos.

Voltando ao artigo:

Studies on self-organization in relatively simple nonequilibrium systems show that creating a gradient (e.g., a temperature, concentration, or chemical gradient) within a molecular system of interacting components normally causes a flux of energy/matter in the system and, as a consequence, the emergence of a countervailing gradient, which, in turn, may cause the emergence of another flux and another gradient, and so forth. The resulting complex system of conjugated fluxes and coupled gradients manifests as a spatiotemporal macroscopic order spontaneously emerging in an initially featureless, disordered system, provided the system is driven far enough away from equilibrium [3-5].

One of the classical examples of nonequilibrium systems is the Belousov-Zhabotinsky reaction, in which malonic acid is oxidized by potassium bromate in dilute sulfuric acid in the presence of a catalyst, such as cerium or manganese. By varying experimental conditions, one can generate diverse ordered spatiotemporal patterns of reactants in solution, such as chemical oscillations, stable spatial structures, and concentration waves [4,5].

Pausa da Matrix/DNA:
O que é…?

From Wikipedia: Belousov–Zhabotinsky reaction, or BZ reaction, is one of a class of reactions that serve as a classical example of non-equilibrium thermodynamics, resulting in the establishment of a nonlinear chemical oscillator. The only common element in these oscillating systems is the inclusion of bromine and an acid. The reactions are theoretically important in that they show that chemical reactions do not have to be dominated by equilibrium thermodynamic behavior. These reactions are far from equilibrium and remain so for a significant length of time. In this sense, they provide an interesting chemical model of nonequilibrium biological phenomena, and the mathematical models of the BZ reactions themselves are of theoretical interest. An essential aspect of the BZ reaction is its so called “excitability” — under the influence of stimuli, patterns develop in what would otherwise be a perfectly quiescent medium. Some clock reactions such as Briggs–Rauscher and BZ using the tris(bipyridine)ruthenium(II) chloride as catalyst can be excited into self-organising activity through the influence of light.

Comentáriio da Matrix/DNA:

Note que uma das áreas de pesquisas da Matrix/DNA foi aberta quando penso ter descoberto que as variações da luz em frequencias, períodos e côres, correspondem às variações de um ciclo vital, portanto, existe a possibilidade de que ( desde que os sistemas ditos não-vivos tambem tem a propriedade do ciclo vital e que o circuito do ciclo vital se torna a plataforma de sistema natural), a Luz seja a unidade fundamental criadora dos sistemas naturais, ou organizadora da matéria/energia em sistemas. Aqui, as tais “clock reactions” estão reforçando esta espetacular hipótese.

Voltando ao artigo:

Another popular example is the Benard instability shown in Figure 1.

The Benard instability.

The Benard instability.

In this system, a vertical temperature gradient, which is created within a thin horizontal layer of liquid by heating its lower surface, drives an upward heat flux through the liquid layer. When the temperature gradient is relatively weak, heat propagates from the bottom to the top by conduction. Molecules move in a seemingly uncorrelated fashion, and no macro-order is discernable. However, once the imposed temperature gradient reaches a certain threshold value, an abrupt organizational transition takes place within the liquid layer, leading to the emergence of a metastable macroorganization of molecular motion. Molecules start moving coherently, forming hexagonal convection cells of a characteristic size. As a result of the organizational transition, conduction is replaced by convection, and the rate of energy/matter transfer through the layer increases in a stepwise manner.

O Conflito entre a Medicina Oficial e a Medicina da Matrix/DNA

segunda-feira, setembro 19th, 2011

O pensamento cientifico moderno está convencido que as grandes tradicionais doenças têm como causa primeira disfunções dos genes. Os modêlos da Matrix/DNA estão sugerindo que as doenças tem como causa primeira disfunção do sistema-corpo humano, ou seja, é uma disfunção sistêmica que produz a disfunção de genes.

O pensamento cientifico está convencido que genes se modificam por si próprios ou que o DNA/RNA cometem êrros de transcrição ou êrros trocando genes de posições muitas vêzes por acaso, etc. Seja como for a causa primordial estaria reduzida ao foco genético, ao DNA. Os modêlos da Matrix/DNA sugerem que os genes são apenas expressões do sistema, êste é quem produz as alterações e demais êrros.

O pensamento cientifico tomou uma atordoante bordoada com o Projeto Genoma. Estavam antes convencidos no lema “uma doença, um gene”, portanto o mapeamento do DNA seria a solução, pois bastaria comparar mapas de pessoas sadias com mapas de pessoas doentes e detectar o gene responsavel. Com a realização do projeto o mapa obtido mostrou que não é assim: uma doença é produto de muitos genes alterados em várias regiões do DNA e não se sabe porque se conectam na disfunção nem como se conectam. Praticamente voltamos à estaca zero e as doenças continuam torturando e matando seres humanos

Os modêlos da Matrix/DNA apresentam uma fórmula do sistema universal perfeito. E diz que todas as arquiteturas materiais são aglomerados de sistemas derivados daquela fórmula. O próprio DNA tem como unidade fundamental de informação, como buiding block, conjuntos de quatro nucleotideos, o qual é uma cópia da fórmula universal. Portanto o DNA é uma pilha de derivados de um unico sistema. A fórmula mostra como é a conexão entre as partes. Ela ajuda a identificar as partes auto-conectadas com suas funções no sistema. Ela conduz a identificar e separar os sistemas dentro das networks que compõem uma arquitetura, seja uma galáxia ou um corpo humano. E sendo a fórmula do sistema perfeito, ela se presta a ser comparada com todos os sistemas isolados da arquitetura, mostrando onde estão as disfunções e provavelmente as causas. Basta erradicar as causas apontadas e o corpo funciona perfeito.

O pensamento cientifico moderno nada sabe sôbre a Matrix/DNA, eu sou a unica pessoa que está tentando divulga-la e sómente através dêste website. Sou a unica pessoa que está testando a fórmula contra fatos reais naturais e estudando-a, dia a dia. 30 anos fazendo isto me convenceram que a fórmula é real.

No minimo, a fórmula tem que se tornar conhecida… e mesmo que for destruída como irreal, este assunto de doenças não pode recusar nenhuma possibilidade de tentativa.

O que você tem a dizer efazer sôbre isso tudo? Tem alguem com cancer, alzheimer, obesidade, alto colesterol. diabete, etc., na familia? Tens certeza que estarás sempre livre destes flagelos? Então é bom fazer algo, o possível, e o mais rápido, para que a Ciência conheça e teste essa fórmula. Ao menos, gritar comigo.

xxxxxxxxxxxxxxxx

A seguir, vamos aqui registrando as noticias com assuntos relacionados ao tema:

1) Molecular Changes Found Responsible for Depression in Women

http://www.healthenclave.com/news/molecular-changes-found-responsible-depression-women-1270.html

Written By:
Vikas Shukla

For the first time, molecular-level changes have been detected in the brains of depressed women. The findings reveal that there is a connecting link between the two hypotheses of biological mechanisms leading to mental illness. The research was conducted by scientists at School of Medicine, University of Pittsburg and findings were published in the journal Molecular Psychiatry.

The study author Dr. Etienne Sibille, Associate Professor, Pitt School of Medicine, noted that very little research has been done on mental illnesses of women, although they are twice as likely as men to suffer from severe and frequent depression. The outcomes of research will provide better understanding of one of the most common psychiatric illnesses.

In the study, post-mortem brain tissue samples of 21 depressed women and 21 similar women without any history of depression were examined. The researchers observed reduced expression of certain genes, including the one for brain-derived neurotrophic factor (BDNF), in depressed women as compared to their peers. Also, the expression of genes responsible for neurotransmitter gamma-aminobutyric acid (GABA) was drastically low in depressed women. These changes were observed in amygdala, a part of human brain responsible in sensing and expressing emotion.

The scientists next focused on the impacts of BDNF on GABA cells by genetically engineering mice to carry different mutations in BDNF gene. They identified two mutations that led to same reduction in GABA subtype and also reflected other changes witnessed in depressed human brains. The finding will enhance future research on depression.

Psychiatrists and researchers have surmised many times in the past that reduced BDNF levels play key role in depression, and they have also hypothesized that reduced activity of GABA is an important factor.

Dr. Sibille said that their work has linked the two concepts together by demonstrating that, first, BDNF is evidently low in depression and, second, low BDNF influences particular subtypes of GABA in a way that develops characteristics we observe in depressed brains.

The researchers have continued with exploration of molecular pathways between BDNF and GABA. The project received funding from National Institute of Mental Health.

Design Inteligente: Sugestão Naturalista da Matrix/DNA para Mantê-lo Vivo

sábado, setembro 17th, 2011

Artigo baseado em:
Homologous Legs
http://www.naontiotami.com/2011/08/does-the-intelligent-design-movement-need-to-be-demolished-and-rebuilt/

No Blog “How To Debate Evolution”, o autor pro-Design Inteligente, EvoGuide, num artigo intitulado “Towards a better version of ID – A Manifesto”, está bem explicada a atual posição derrotista do movimento.

As evidências na Natureza indicam que as espécies se transformaram, do mais simples para o mais complexo, e o conhecimento destas evidências conduziu pessoas a comcluírem lógicamente que os autores da Biblia mentiram quando disseram que Deus disse ou inspirou êles a dizerem que Êle teria criado as espécies uma a uma separadamente, e aqui na Terra. Êsse discurso passava enquanto o homem só podia ver fatos naturais a ôlho nu, mas depois que inventou o microscópio e viu o DNA de tôdas as espécies, o texto biblico se revelou como uma farsa. Mas isso não é motivo para se descartar a possibilidade do Intelligent Designer. Os que o fazem se baseiam no que pode ser outra grande farsa: a de que tôdas as espécies seriam derivadas de um unico cêpo comum, orgânico/biológico que teria existido na Terra e ao qual denominam de LUCA. A diversidade de espécies pode ter surgido na Terra separadamente na forma inicial de organismos microscópios se tirar-mos LUCA da Terra e eleva-lo aos céus para trazer seus pedaços em meteóritos e restos de cometas, ou simplesmente através da irradiação de informações por fótons estelares. Estudando o passado dêsse LUCA astronômico chegamos e somos bloqueados no Big Bang. A partir daí não existem evidências científicas para se afirmar coisa alguma, como por exemplo negar a possibilidade de um Intelligent Designer.

Racionalmente falando, a queda de escritores humanos de fábulas e lendas não prova que a possibilidade da existência de Deus tambem caiu. Se Deus existe, Êle não tem nada a ver com essa mentira nem com brigas entre humanos. Alem do microscópio o homem tambem inventou o telescópio e a visão do Universo foi transformada. Essa visão foi ampliada quase ao infinito e portanto seria necessário que os crentes num Deus tambem transformassem a crença de seus primitivos ancestrais em um Deus reduzido às dimensões do céu a ôlho nu, ampliando a dimensão de Deus. Um Deus assim ampliado não pode ter seus pensamentos hard-wired como humanos. Aos humanos é impossível alcançar como seria o pensamento e portanto os objetivos de tal Deus. E com um Universo dêste tamanho, com sua moderna cosmologia totalmente transformada, as descobertas de que moléculas da Vida podem estar vindo do espaço sideral e portanto tôdas as possibilidades indicando que deve existir formas de vida em qualquer outro lugar, tudo indica racionalmente que um Deus acima disto tudo não poderia estar aqui nêste pontinho insignificante e perdido do Cosmos criando espécies uma a uma, ou envolvido com a vida de humanos.

Há que devolverem a Deus a dimensão de sua grandeza e enquanto os crentes velhos não adaptarem seus dogmas, rituais e doutrinas, ao ritmo da evolução do conhecimento do cérebro humano, estarão desviando os novos jovens que nascerem hard-wired com tendência à crença em Deus e perdendo-os para sua ideologia.

Eu não sei se Deus existe ou não, minha sofrível condição de existência me faria antes condenar e confrontar que temer ou amar Deus se êle existir, mas não aprecio e não aprovo que matem a possibilidade da existência de Deus perante as nossas crianças. Eu nada sei sôbre a existência do mundo, sou como um cego, então como eu poderia assumir tamanha responsabilidade de codicionar a mente de crianças na direção de um tipo de visão do mundo? Eu seria um reles covarde, desonesto e uma serpente tão daninha como a da fábula do Paraíso do Éden. Por isso me coloco no meio contra os evolucionistas e os criacionistas. Por isso estou sempre me beliscando para nunca esquecer que a visão de mundo que penso ter descoberto é apenas uma teoria, e tenho que pisar duro no freio da consciência quando me empolgo falando dela, para não influenciar pessoas.

A visão da Matrix/DNA está sugerindo que espécies se transformam e no sentido da complexificação, o que significa, evolução. Com essa pista em mãos saio a procurar mais e me deparo que no conhecimento humano existe a teoria darwinista da evolução evoluida agora com o acréscimo do DNA para a “nova síntese”. Mas a evolução da nova síntese, não é a evolução sugerida pela Matrix/DNA, apesar de existirem muitos pontos em comum. Uma breve busca de onde está a diferença e descubro que a causa da diferença está num êrro de Darwin e seus camaradas modernos de crença. É exatamente o mesmo êrrro dos criacionistas! Reducionismo. A teoria de Darwin foi elaborada sob a visão antiga de um Universo pequeno, estagnado, imóvel, e mesmo depois que descobrimos que o Universo é muito maior e tambem em evolução, os darwinistas se recursam a aplicar a própria evolução à suas crenças. A nova síntese da teoria da evolução precisa devolver ao Universo a sua real dimensão e sua vitalidade. Tanto as mentes dos criacionistas como a mente dos evolucionistas precisam acompanhar os passos do conhecimento humano, se transformarem, se ampliarem, adequarem mesmo que dolorosamente a forma como seus neurionios estão conectados ao modêlo como as coisas e eventos do Universo estão conectados.

Não é racional separar a cadeia de movimentos das causas e efeitos da Evolução da Natuereza antes do aparecimento dos sistemas biológicos na Terra, da cadeia de causação que se seguiu até o presente momento. As três variáveis reais que se tornaran os três postulados básicos da Nova Síntese ainda baseadas na tradição darwinista – o famoso VSI, Variação, Seleção e Inheritance – são variaveis visiveis no imediatismo do aqui e agora biológico, mas os telescópios e microscópios revelaram que existem mais variáveis que atuam a nível de tempo astronômico sôbre as transformações biológicas, ao menos quatro, se queremos entender o que é evolução na sua dimensão real, universal. E quando temos consciência da ação destas sete variaveis, retorna a possibilidade da existência de uma inteligência existente anterior e superior à nossa, porem, natural, sem capacidade para mágicas para tipo tirar algo do nada, e sem estar aqui presente controlando e vigiando nossas ações. E percebemos então como funciona a crença dos criacionistas, erradamente, impregnando de valores humanos algo que possivelmente existe, porem muito distante da personalidade humana. O resultado dêste êrro está na figura imaginaria a que dão o nome de Deus. E quando descobrimos a possibilidade da existência de sete variaveis ao invés de três entendemos como está erroneamente hard-wired os neuronios de ateus, devido teimarem em manter a visão do Universo reduzido de Darwin, mesmo que o Universo real moderno em sua descomunal dimensão os está cutucando a todo momento que se voltam para os fatos e eventos reais da cosmologia.

Para mim, o conflito entre criacionistas e darwinistas é um conflito de cobra engolindo cobra. Cobras, serpentes, porque ambos tentam influenciar e condicionar a mente de crianças inocentes para seus interêsses materiais inconfessáveis e até mesmo, inconscientes. Deixem nossas crianças livres! Apesar que temos de mostrar a elas tambem os mundos invisiveis a olho nu, através dos telescopios e microscopios, para que percebam que tambem na Natureza existe o estado de ordem como está revelando a verdadeira aparencia do Cosmos, temos que permitir à Natureza, mesmo essa aqui que parece dominada pelas fôrças do caos, que Ela conecte os neurônios das crianças à sua maneira. Não existe postura mais sensata e honesta dos adultos, que esta. Deixem as crianças entregues à sua natureza, mais os telescópios e os microscópios. Para tentarem ajuda-las a vencerem os vícios do ócio mental, nesta era dos video-games irrestisiveis, e motivarem-nas na busca do conhecimento, falem de suas teorias mas de modo interrogativo nunca afirmativo, mais pedindo ajuda na busca da compreensão do mundo que impondo uma visão que, por tôdas as razões, com certeza é incompleta.

No seu artigo, EvoGuide diz que a teoria do Intelligent Designer está morta. Que ela foi uma proposta de se investigar cientificamente a Natureza para encontrar os fatos reais que provassem a crença criacionista, de que existiu um Deus e vindo aqui criar coisas, para atuar contra os materialistas que estavam desviando as crianças de suas igrejas e seu conveniente sistema social. A Teoria da Matrix/DNA sugere que a evolução universal é um processo composto por uma série de ciclos transformadores de um unico sistema natural, transformadores no sentido de tornar 6esse sistema de uma forma inicial simples para formas cada vez mais complexas, vindo desde iniciais vórtices vazios e imateriais passando pela forma de átomos, galaxias e chegando à forma humana. Mas quando ela descreve essa História, percebemos que é exatamente a mesma história da formação intra-uterina de um corpo humano. A gestação de um embrião desde o momento inicial da fecundação até seu nascimento é uma história de etapas evolutivas. Mas a soma de tôdas estas etapas, tôda essa evolução, não significa que a evolução é o movimento absoluto no mundo. Êsse processo em sua totalidade ondica com maior lógica que o movimento absoluto neste mundo é a “reprodução”.

Mas reprodução de que? Ou…de quem? Ao diabo o homem que perder tempo com esta pergunta. Nosso cérebro está dentro do Universo e Godel definiu claramente com seus teoremas – mas não precisava êle ter apelado á matemática, pois qualquer o simples raciocinio lógico pode ver isto – que nada nem ninguem dentro de um sistema pode conhecer a verdade dêste sistema e conhecer o que existe antes ou alem dele. Nossos cerebros não podem ir alem deste Universo, nossas mentes, sejam lá o que forem, não podem ir antes do Big Bang. Portanto ao diabo quem tenta responder essa pergunta.

Mas tem um fator irresistivel apontando uma forte possibilidade, uma unica pista, do que deve ter existido antes e deve existir alem deste Universo material. Se isto aqui é o que o nosso racionalismo indica ser – um processo de reprodução a nivel universal – e se temos certeza que aqui surgiu esse fenomeno que é a inteligencia, e esta inteligencia surgiu neste sistema unico que vem sendo o corpo da reprodução, a conclusão inevitavel ao nosso tipo de raciocinio é que seja lá o que for que está sendo reproduzido aqui, já tinha – e deve ter – inteligencia. Mas não como a humana. não hard-wired como as unidades, os building blocks materiais do circuíto base da inteligencia humana. Porque a imensidão do Universo, as novidades vistas pelos telescópios a cada dia de fenômenos no Cosmos indicando que não temos modêlo cosmológico algum que retrate a realidade do Cosmos, as quais vão transformando nossa inteligencia, indica que nossa inteligencia é apenas uma forma primitiva e provisória de algo que terá uma forma muito diferente no futuro. Mas é esta forma do futuro que será idêntica à forma que deve ter existido antes e deve existir alem do universo materlal e que está sendo reproduzida embrionáriamente. Portanto, a palavra “inteligente” no nome “Designer Intelligent”, não faz sentido.

Por outro lado, existe uma segunda forte possibilidade, porem dividida ao meio. A reprodução de bebês é um processo natural, ou seja, não foi constatado nenhuma influencia super-natural neste processo. O movimento do Universo se revela igual ao movimento do processo reprodutivo, portanto o processo da reprodução universal deve ser um processo natural. Se é de fato um processo natural, isto significa que seja lá o que for que aqui esteja sendo reproduzido, é essencialmente natural. Não existem bases lógicas para se contorcer este postulado lógico de maneira que se invente na imaginação um Deus Mágico e presente dentro do utero onde se desenvolve sua cria. Portanto, racionalmente estabelecido está que o Universo e nossa inteligencia sejam produtos naturais, ainda não significa que esse produto tenha sido inteligentemente pré-desenhado. Girafas se reproduzem sem aplicar inteligencia. Humanos inteligentes não aplicam inteligencia no processo da reprodução.

Mas tambem não prova que não o tenha sido. A existencia do DNA, que é um fenomeno biológico à imagem e semelhança do computador, composto de hardware e um comando de instruções sistêmicas como um software, fomenta a possibilidade de que esta Natureza seja universalmente composta de hardware e software. E por trás de nossos softwares forçosamente existe uma intelifgencia. Fica então racionalmente aberta a possibilidade de que a coisa que aqui está sendo construída, não seja nem mesmo uma reprodução. mas apenas o efeito de uma forma de inteligencia que cria softwares vivos ou brinca de criar softwares geradores de universos , o que é possivel se usar vórtices quanticos como unidades de informação. Então a palavra “designer” no nome Ïntelligent Designer” tem 50% de possibilidades de ser real e 50% de não o ser.

O movimento do ID não pode morrer, assim como a morte de uma cobra vencida pela outra faz com que uma cobra domine o território. Êle está perdendo o combate, temos que pedir tempo ao juiz e pensar suas feridas, ensina-lo novas estratégias e re-alimenta-lo. A estratégia de combate estava errada e quem apontou o êrro foi EvoGuide: os materialistas só podem ser combatidos com fatos cientificos, os quais são os fenômenos e eventos naturais reais, portanto, a ocupação dos correligionarios do movimento tem que ser exclusivamente a das mangas arregaçadas vasculhando a Natureza e testando os fatos cientificos apresentados pela oposição. Coma experiência daMatrix/DNA indo ao micro e macrocosmos e retornando com idéias de experimentos práticos que desbancariam a crença dos materialistas, temos uma idéia de que tipo de alimento o combatente necessita para se refortalecer. Como o autor disse, se desviaram dêsse caminho. As mentes ocupadas nos calculos teóricos de efeitos de uma causa imaginaria, como o é a causa do deus mágico, desvia a motivação do trabalho pratico para o assento da escrivaminha com ar condicionado. Portanto, tenho que ter em mente que, se quero evitar o mundo das crianças inocentes dominado por serpentes, tenho que me dedicar o maximo possivel ao telescópio, ao microscópio e retornar ao inferno da Natureza virgem e desmistificada da selva amazônica.

Vejamos o artigo de EvoGuide:

Somewhat more recently, among creationists, the realization emerged that what was needed was a more “scientific” version of creationism. So as a result, they came up with “Intelligent Design” or ID. To bystanders like myself, those were exciting times. At last, creationism would finally become an actual scientific theory that would go toe to toe with evolution. We even had our champion, Michael Behe, who had already baffled evolutionists with his concept of “Irreducible Complexity.” The sky was the limit to what would be accomplished.

But instead IDers devoted themselves to loosing [sic] silly and embarrassing court cases (endorsing textbooks where the word “God” was search and replaced with “id”). And Michal [sic] Behe? Well, he seems to have resigned himself to authoring books and collecting royalties.

To all my fellow evolution skeptics out there, I’m sad to tell you that creationism and ID are dead. And it’s not even as if ID entered the ring with evolution and got its butt kicked all over the canvas. Then at least, it would have died in honor. Instead, its more as if, for all these years, it has not yet even been able to figure out how to climb into the ring.

I believe that if there is any hope for “Design” as a concept to survive the next century, we need a whole new version of Intelligent Design altogether. In fact, I wouldn’t even call it Intelligent Design anymore for all the bad memories.

This new ID should:

1) Sever all ties with any religious or political organization, any religious or political agenda.
( 1) Romper todos os vinculos com qualquer organização politica ou religiosa, qualquer agenda politica ou religiosa.)

2) Cease all efforts to gain influence through court trials and legislation.

3) Stop trying to make changes to the public school curriculum.

Comentário da Matrix/DNA:

Curriculins escolares geralmente mudam quando existe revisões oficiais sob as opiniões da comunidade cientifica. Mas me parece que está havendo uma falha com caráter tendencioso no curriculum que o ID não está percebendo, e aqui sim, creio que qualquer comunidade de pais, professores, educadores, poderiam exigir a aplicação da devida correção nos textos.

O ID tem se limitado a requerer que as teorias atuais sejam sejam ensinadas ao lado da teoria dêles na classe de ciência. A falha que penso ter notado nos curriculuns é que, por exemplo, a matéria sôbre a teoria do Big Bang inicía mencionando a palavra teoria, mas a partir de certo ponto o texto passa a ser afirmativo e a palavra teoria é suprimida. Então a origem do Universo pelo Big Bang teria produzido uma nebulosa de átomos que “se condensaram” em estrêlas ( note como a teoria começa a se tornar afirmação, pois a frase deveria continuar usando o verbo no condicional = as quais teriam se condensado). De repente quando o texto começa a falar de estrêlas ele afirma que as estrêlas surgem daquela maneira. Por exemplo: “Os átomos mais pesados surgem assim porque como vimos as estrêlas surgem assim e assim…). Ora, o aluno fica com a ultima parte do texto na memória e sai do texto “acreditando” que a Ciência resolveu o problema das origens das estrêlas. Quando na verdade sabemos que uma estrêla para se formar numa nebula de moraria se não bilhão, milhões de anos, o que significa que a espécie humana nunca viu de fato a formação de uma estrêla e portanto não pode afirmar que elas surgem desta ou daquela forma. O texto tem que ser refeito do meio para o fim sempre acrescentando-se a lembrança “ainda segundo a teoria…”. O leitor pode testar o que digo perguntando ao filho ou qualquer estudante que estudou com este texto na escola: “Como surgem as estrêlas…” claro que a resposta cientifica correta será: “Não se sabe ainda, porem a teoria preferida hoje é…”

Qual o problema? Se os curriculuns escolares da Idade Média afirmassem assim que a vida surge por geração espontanea de qualquer pano suado ou lixo no canto, todos os estudantes seriam doutrinados, concidionados a crerem nisso e não teria existido um Pasteur para duvidar e fazer experimentos para testa-la… E em quantos séculos nossa ciência e tecnologia genética teria atrasado?…

Assim como o pensamento materialista acreditou por dois mil anos na geração espontânea da vida, assim agora quando a Humanidade está começando a entrar no Cosmos, está acreditando na geração espontanea dos astros. Mas depois se descobriu que por trás do nascimento de uma môsca existe uma longa história, desde as primeiras formações de aminoácidos. E quem nos garante que por trás do nascimento de um astro tambem não exista uma longa história ainda desconhecida? Veja-se por exemplo o modêlo cosmológico da Teoria da Matrix/DNA. Aqui os astros nascem depois de um longo processo praticamente genético. Acreditar em origens espontaneas e ao acaso quando se questiona pela primeira vez um fenômeno natural é a primeira fase do desenvolvimento da mente coletiva, é sinal de que ela ainda está na infancia…

4) This new ID will need to find a way to do one of two things:

a) Either invent a new scientific method, one that is at least as effective as the current one at studying the natural world but which can also allow for and has ways to study the supernatural (highly unlikely) or,

b) Find a way to work within the confines of the current scientific method.

Comentário da Matrix/DNA:

Ao menos dois fenômenos – o código no DNA e a mente humana – me parece que nunca vão ter suas origens explicadas pelo atual método cientifico. Sei que os materialistas defendem que isto está explicado, e sei como é a explicação, mas ela não convence e nunca foi comprovada experimentalmente. Mas tambem não faz sentido apelar para a imaginação, do que nunca se comprovou como faz o ID, apresentando a explicação supernatural, igualmente nunca comprovada experimentalmente. Restaria ao ID se apegar na hipótese desajeitada de que a vida aqui teria sido semeada por bio-engenheiros de uma inteligência extraterrestre, porem os extraterrestres teriam vindo de uma origem que invocaria atuação do supernatural. Assim conservariam no ar a idéia do tipo de Deus que defendem.

Mas acho que existe sim, uma oportunidade para a Ciência explicar êstes dois fenômenos. Na verdade a Humanidade ainda nào tem uma Ciência completa, apenas metade dela. Pois uma Ciência completa seria composta do método atual, reducionista, mais o método que nunca foi desenvolvido, o sistêmico. Existe um fenômeno abstrato intangível na Natureza, do qual sabemos apenas porque dêle emana uma fôrça que influencia a matéria. Trata-se da quantidade de informações próprias de um sistema natural que não está presente em nenhuma de suas partes, em lugar algum. É crerto que isso ainda é teoria, porem, válida. A neurologia está por todos os meios tentando encontrar a conexão entre neuronios e pensamentos. Mas ainda não encontrou. Quem pode garantir que os pensamentos são informações intrinsecas à qualquer região material do cérebro? As informações intrinsecas das partes do cérebro existem e operam o sistema nervoso automático, que controla o corpo sem o concurso da mente. O cérebro pode até mover o corpo na direção de um alimento, pelo cheiro, ou afastar o corpo do fogo. Mas as informações que possuem a força que fazem as mãos de um desenhista desenhar um projeto, ou uma pessoa mover o corpo para rezar uma missa, não creio que sào as mesmas dos impulsos naturais. Como o DNA está conectado ao comando de instruções de seu código? Como o computador está conectado aos diagramas de software que a mente do Bill Gates está elaborando para o próximo Windows? Mas é esta faixa abstrata da Natureza que tem uma força material que desce sôbre tôdas as partes, todos os objetos do Universo, imprimindo-lhes mudança em suas direções e comportamentos. Se não conhecemos o sistema não conhecemos a verdade de um objeto, de uma parte. Por isso ainda estamos às voltas com as doenças mortais antigas, apesar do método reducionista ter conhecimento da menor particula de qualquer parte do corpo humano. Falta conhecer e entender a parte invisivel que é a prórpia definição de sistema. E isso só se consegurá pelo método cientifico sistêmico.

O abstrato resvala no supernatural. O supernatural é a bandeira do ID. Mas o abstrato existente pertence à alçada do método cientifico sistêmico. O qual foi começado por Bertalanffy, Fritjof Capra,Lynn Margullis, etc. mas foi desviado, interrompido, pela matemática e cibernática. Basta “googlar”a palavra sistema e perceber que tudo o que se faz hoje a respeito de sistemas se referem aos artificiais, os naturais só são mencionados poéticamente pelos ecologistas. Se o ID quer se salvar, retorne onde Bertalanfy parou e recomece por aí. Dar uma olhada na fórmula universal de sistemas da Matrix/DNA pode ser uma valiosa alavanca.

5) Once a basic framework for scientific study is agreed upon, effort should be made to gain consensus for this new framework among as many IDers and Creationists as possible. We are already more than a century behind and need all the help we can get. But more importantly, it will be very difficult for a theory of ID to gain ground if every little group of IDers has its own private version of the theory.

Vai ser dificil conseguir isso reunindo numa sala católicos, judeus, muculmamos… Vão ficar debatendo teologia ao invés de arregaçarem as mangas e praticarem Ciência sob um consenso cientifico.

6) Not just this, but this new ID should seriously invest in bright young people who have an interest in the subject and sponsor their education and advanced studies at the best possible schools in order to develop a new generation of scientists that are highly skilled in their fields.

7) Then, such ID should first focus on contributing to science. A theory of ID as described above would overlap in many instances with the theory of evolution. ID scientists should choose first, areas of study where they share a common interest with evolutionary scientists and publish scientific papers that contribute to the overall advancement of science. They should thus develop a good reputation and respect within the scientific community.

8) Lastly, ID scientists should not be focused on competing with or defeating Darwinism. Even when their work might take them in direct opposition to what is commonly agreed upon in evolutionary circles, the focus should not be to disprove evolution but rather to do good science.

Desenho Inteligente (Intelligent Design) – Descrição e Dados Sôbre

sábado, setembro 17th, 2011

Wikipedia

Design inteligente
http://pt.wikipedia.org/wiki/Design_inteligente

xxxxxxxx
Planos e Metas

THE WEDGE STRATEGY
CENTER FOR THE RENEWAL OF SCIENCE & CULTURE

http://www.antievolution.org/features/wedge.html

xxxxxxxx
Blog:

Uncommon Descent

http://www.uncommondescent.com/

xxxxxxxx
Blog:
How To Debate Evolution
http://howtodebateevolution.com/

xxxxxxxxxx

Fractals, Mandelbrot: Developing the Idea of Matrix/DNA as the Universal Fractal

sexta-feira, setembro 16th, 2011

The spetacular art-work of HTwins.net (see The Scale of the Universe) has a chapter about Mandelbrot Fractals. If we could unifying the world vision of Matrix/DNA with the tecnical knowledge and resources these people has we could doing wonderful work. See the link:

http://htwins.net/mandy/

And my comments sent to them:

from: Louis C. Morelli

Hey, about Mandelbrot fractals.

With matemathics Mandelbroth got not only a source for art but arrived next to the fundamental secret of nature. The natural fractal will be, when discovered, an unimaginable richest source for videos like yours. I would appreciate if you analysing my suggestion about the natural fractal. I made a model of it (it is in my website “The Universal Matrix/DNA of Natural Systems and Life’s Cycles” – google it).

The core idea is: Nature has used since the Big Bang a kind of formula for doing matter and organizing it into systems. This formula is a single diagram of software which is replicated as material hardware, then, we have from atoms to galaxies to cells and human bodies, all based in this “fractal”. The difference is that here we are dealing with a living world under evolution and not mechanical like the production of Mandelbrolt fractal. The formula itself is under evolution and began as quantum vortexes – the shape I made is the phase as astronomical building block. I have no idea how to translate this formula into matemathical algoritms for computer simulations, but, maybe you will be able to do it. As I said in my homepage, feel free for using anything, because your job is benefic to Humanity.

Tags: fractal, HTwins.net, Mandelbrot

Sensacional!… Para Evolução da Nossa Mente: Slide Show das Dimensões Entre Objetos do Universo

sexta-feira, setembro 16th, 2011

Apesar de todos os absurdos da minha existência de miserável menor sem familia criado na rua, às vêzes a vida vale a pena e consegue me arrancar um sorriso feliz, quando vejo uma obra espetacular da inteligencia humana, e assim, altruística, exposta gratuítamente, para elevar nossa mente desde o solo deste planeta rumo às maiores dimensões do Cosmos. Veja a obra “googlando” o link abaixo, mas veja com calma, meditando sôbre cada dimensão dentro da dimensão final, e vice-versa. Porque o mundo é assim? O que pensaria um objeto natural do tamanho de Jupiter se soubesse que dentro dêle, formando o corpo dêle, existem vários outros “seres” vivendo outros mundos devido as possibilidades oferecidas pelas diferenças entre as dimensões das grandezas?! Se existe um criador inteligente por trás disso tudo, do que mais êle seria capaz, o que teria pensado quando fêz o mundo assim, como êle conseguiria operar na nano-escala da mesma maneira que controla a macro-escala?! Meu Deus… êsse mundo ainda guarda muitas fascinações que irão deleitar as mentes de nossas futuras gerações. Tenho pena dos nossos antepassados, que morreram sem terem a menor idéia da existência destas qualidades dêste mundo onde existiram, porque ficaram se conflitando e se destruindo por ninharias quando o tesouro para satisfazer a todos estava logo ali à espera…

HTwins.net

The Scale of the Universe

Observe que existe no site a versão em português. E antes de começar deves puxar o cursor para a ponta esquerda.

http://htwins.net/scale/pt.html

Senão der, vá aqui:

http://primaxstudio.com/stuff/scale_of_universe/index.php

E a seguir o comentário que deixei abaixo do slide:

” Wonderful! Congratulations. Sugestion for next job: comparison between the dimensions of phetus grow, from fecundation to baby. At the side of each human shape, choose a identical shape of Universe’s evolution. Example: blastulae=atomic nebulae; multicellular body=galaxy. As Matrix/DNA Theory suggests that embryiology recapitulates cosmological evolution. Should be good inserting the shaples of Haeckel’s laws of recapitulation. Cheers …”

Novidade! Descoberto planeta que vive com os pais, ao invés de ter uma mãe solteira como a Terra!

sexta-feira, setembro 16th, 2011

O planeta está numa órbita em torno de um par de estrêlas que giram uma em torno da outra! Eu jádisse que ainda vamos ter muitas surprêsas no Cosmos, segundo os modêlos da Matrix/DNA sugerem. Tudo é possível, por isso, votem em mim para presidente que prometo por mais um sol em nosso céu, para ter-mos 24 horas de luz diurna, poder trabalhar as 24 horas e ganhar mais dinheiro… (glup!…)

A noticia está em:

THEGUARDIAN – SCIENCE
http://www.guardian.co.uk/science/2011/sep/15/star-wars-planet-kepler16b-tatooine

‘Star Wars’ planet discovered with two suns

E a seguir, meu comentário postado no artigo:

LOL! Then, we have a planet living with a couple of parents, instead living with a single mother like Earth! I should appreciate to see any cosmologist advocating the Cosmological Academic Model, calculating how was this star’s systems formation, accordingly their model. How a nebulae of dust could forming such thing?

In another side, The Matrix/DNA cosmological models are safe: the biggest star is really an old star, the smallest is a pulsar going to be a supernova, and the planet was a lonely planet formed outside that initial dust, merely captured in their orbit.