Archive for outubro, 2011

INTRODUÇÃO À SECÇÃO ARTIGOS

quarta-feira, outubro 26th, 2011

Ainda pode ser que a fórmula da Matrix/DNA não exista, mas mesmo que assim fôsse, esta fórmula já tem feito milagres: tem explicado todos os fenômenos e eventos naturais desde hoje até o Big Bang – ao menos todos a que tomei conhecimento, e nêstes 30 anos buscando-os, são muitos. Quão espetacular foi descobrir como um réptil se transformou em mamífero, porque e como a célula primordial se dividiu em vegetal e animal, como as origens dos cromossomos sexuais vieram das estrêlas, como e de onde vieram as fantásticas maquinas operativas da célula, etc, e etc.! Mas tanto se tornou fácil entender o Universo material e tantas as novas questões mais profundas sôbre a existência se avolumaram, que agora estou perdendo a atração pela busca de mais fenômenos materiais naturais e duas novas coisas se tornaram o foco de minha atenção: a Luz e a Consciência.

A LUZ

A Luz porque uma das ultimas descobertas foi a de que qualquer espectro de luz, quando captado e registrado num gráfico, apresenta as excitações de ondas em frequências e períodos, divididas em sete côres diferentes, na verdade está significando que tambem um raio de luz está sujeito a um ciclo vital, e igual ao do ser humano. Isto é tão fantástico que tremo só ao pensar! Um raio de luz pura, ou melhor, as ondas pulsantes de luz emitida por uma fonte natural, são coisas “vivas” (veja figura abaixo)? Porque a Luz, segundo o que entendo, é a ultima fronteira entre nosso mundo material perceptivel e seja lá o que fôr quer exista alem dêle. E esta descoberta está sugerindo que a Matrix/DNA é, na sua essência primeira, pura Luz, ou seja, a fórmula que dá vida à matéria é feita de Luz. Existirá uma fonte primordial da Luz? Estaríamos agora tocando nos pés de Deus? Por um lado isto é desconfortante porque não tenho nenhum meio, nenhum recurso para abordar a luz e estudá-la. Nào tenho como pega-la, o que significa que ao chegar na Luz, a Matrix/DNA que vinha materialmente sujeita a qualquer experimento e manipulação, de repente escapa, esvai-se, de minhas mãos, e desaparece em profundezas não-materiais. Por outro lado a pesquisa da Luz é mais uma fonte de sobrevivência e respiração para a cosmovisão da Matrix/DNA, pois sei que a Ciência e a Tecnologia tem avançado muito no estudo da Luz, o que indica que terei de ir atrás de tôdas as informações que já obtiveram, e sempre quando estou fazendo nova pesquisa sob a abordagem da visão de mundo baseada na Matrix/DNA, no meio do caminho muitas novas descobertas vão acontecendo.

Light - The Electro-Magnetic Spectrum by Matrix/DNA

A CONSCIÊNCIA

Qual o segrêdo do cérebro humano? O qual apresenta esta propriedade de saber que nós e o mundo existe? A maior parte da matéria dêste mundo não “sabe” que existe, mas uma porção dela, em particular, configurada na forma de cérebro humano, de repente, adquiriu êste saber. E êste “saber” é algo meio-material pois que emite uma fôrça que atua na matéria, ao menos, movendo a matéria do nosso corpo segundo sua vontade. É êste “saber de existência”, ao qual denomino de “Consciência”, ou “mente”, ou outras vêzes como “ o conjunto dos pensamentos”, ou outras ainda como “sinapses químicas com bases elétricas”, é êste “saber” que aparece como sendo o ultimo produto mais complexo da Evolução – ao menos nesta época atual e nestas regiões do Universo – que me tem tirado noites de sono agora. Sinto que eu sou apenas e nada mais que êste “saber”, na forma de bebê engatinhando ainda. Como é, qual é, a conexão entre neurônios e pensamentos?! Mais uma vez, sei que estudiosos tem se dedicado a fundo ao fenômeno e terei que tentar saber tudo o que obtiveram e fizeram a respeito (basta uma olhadela no Google para ver que existem 2,5 bilhões de ítens sôbre “light”!), sonhando com a possibilidade que a partir desta coleção de conhecimentos possamos dar algum passo alem, acrescentando alguma coisa a mais, empurrando as futuras gerações para obterem a vitória final contra nosso maior inimigo: a ignorância sôbre a existência, raiz de tôdas nossas debilidades. Acho que esta foi a causa da tristeza na morte de todos os buscadores, todos os pensadores, de Sócrates, a Einstein, ao cidadão comum aos milhões como eu, que solitariamente se envolvem com esse problema da existência. Tristeza na morte porque morremos com a sensação de impotência total, de ter fracassado em nossa suprema missão. Já disse alguem (Santo Tomás ou Agostinho?) que o inferno foi inventado para quem se faz estas perguntas:” O que é o mundo? De onde, diabos, veio tudo isso? O que sou, para que estou aqui, porque? O que posso fazer para evitar que bilhões de crianças, sangue do meu sangue, espécie da minha espécie, sejam torturadas agora como fui desde que nascí ?!”

Dentro da linha lógica de pensamento da Matrix/DNA, eu penso no momento que, … a consciência é uma espécie de nuvem holográfica cheia de luz (seja lá o que for isso), no meio do cérebro, que envolve as sinapses. O quadro que me vem à imaginação mais próximo disso e sôbre as origens ancestrais da consciência, ainda nos cérebros dos primatas, seria o das noites escuras cobertas com nuvens escuras carregadas de água e produzindo as tempestades de raios e relampagos, sem os sons dos trovôes. Ou talvez, os animais inferiores escutem estes sons como um continuo bombardeio, e por isso ficam loucos quando ouvem estampidos. Mas da passagem dos pensamentos difusos e descontínuos dos animais inferiores para o estágio dos pensamentos contantes e fixos dos cérebros humanos, os relampagos se tornaram tão continuos que se fixaram como uma tela de claridade permanente e essa tela de claridade seria a… auto-consciência. Tudo isso acontecendo dentro das cabeças humanas! Essa tela de claridade é que me leva a pensar em holograma. Mas então, a tela de claridade permanente me lembra LUZ, e aí sem poder evitar fico oscilando entre a pesquisa da LUZ e a da Consciência. Se o produto final da Evolução, aqui e agora ao menos, é uma “claridade”, e estamos no ponto atual da pesquisa da Matrix/DNA acreditando que tôda a Evolução do Universo e da Vida se começou com a LUZ, então vejo o Fim se confundindo com o Início, o Alpha se ligando ao Beta, e tornando-se ambos uma coisa só: Luz+Consciência. Por mais exdrúxulo que isto possa parecer, me parece que não é honesto nem sábio fugir do desconfôrto do caminho indicado pela realidade como sendo o certo a seguir. Como tambem não posso anular de minha curiosidade os caminhos diferentes que continuam a serem buscados por outros humanos, e tenho que continuar, sempre que possivel, acompanhando seus avanços, porque a realidade que penso ser real talvez seja meramente a minha pobre versão da realidade verdadeira, baseada numa interpretação do mundo que pode ser equivocada.

LUZ + CONSCIÊNCIA

Sei que estas duas coisas racionalmente não se casam, mas não estou aqui para atender os gôstos da minha Razão e sim para buscar a Verdade. Luz+Consciência agora é um problema que repete o problema que tive no inico da minha busca intelectual, criança ainda, que era a dupla “Sistemas naturais vivos + Sistemas não-vivos”. Apliquei naquela época o método da anatomia comparada sob rígida observancia das regras da lógica formal da filosofia naturalista. O qual me conduziu ao resultado final da Matrix/DNA. Vou repetir agora o mesmo processo, recomeçar tudo do zero de novo: sôbre a mesa vai se avolumando a coleção de papéis anotados, livros e revistas e calhamaços de teses obtidos nos porões das bibliotecas universitarias, com textos grifados e comentados. Agora não vão ser tantos porque existe o computador, a Internet, a Wikipédia, e coitado do meu Word, e dêste website que vai ter que ir acomodando esta avalancha do que, muito será constado depois, pode ser puro lixo. Na mesa, uma lista onde vão sendo registradas as semelhanças e noutra fôlha, a lista do registro das diferenças, noutra o registro das coincidências e pontos em comum, o que na verdade é o registro do avanço da anatomia comparada, o qual vai fornecendo os traços numa outra grande fôlha de papel desenho onde se começa a delinear uma imagem, a cara de uma fórmula. Luz+Consciência… pode se tornar Luz=Consciência, ou Luz#Consciência”, quer dizer… “Luz nada tem a ver com Consciência”.

Quando me perdí na selva e não sabia se estava acima ou abaixo da Linha do Equador, não sabia que direção seguir, se para a frente ou para tráz, para a direita ou para a esquerda. Os pontos fixos no céu eram os unicos pontos de referência. Ao norte da selva estaria o oceano, um beco sem saída, portanto teria que ir para o sul, por isso pensei em fixar a Cruzeiro do Sul. Mas se eu estivesse acima do Equador então eu estaria entrando mais ainda dentro da selva. Se chegasse ao oceano, poderia fixar o poente do sol e seguir na direção, para o leste estaria a civilização. Mas o caminho seria tão longo que dificilmente chegaria vivo com a malária já em alto grau de ataque. Para o sul havia maior possibilidade de encontrar alguma tribo ou vila de brancos. Enfim: eu não sabia qual o caminho, mas tinha que caminhar. “No hay camiño, el camiño se hace al camiñar!” Caminhei e vencí! Assim tambem iniciei minha vida intelectual, para desêspero dos que me viam, a um maltrapilho, estudando livros pesados de universidades nos bancos das praças: “… mas para que estudar isso?!” Não sabia, só sabia que tinha que estudar, tinha que forçar meu cérebro a evoluir. Esta a lição que calou fundo e que aprendí a seguir e sigo agora: não sei qual a direção certa, não sei onde vai dar êste caminho, mas tenho que caminhar…

No momento estou seguindo um tema (que tenho acompanhado em foruns de discussão) que é o debate entre Deepack Chopra defendendo “Counciousness” como existente a nivel supernatural mas como ponto de partida e força subjazendo tudo o que é material, (uma tese que acho interessante desde que êle não fale insistentemente em “Deus” e se perca no mundo dessas imaginações), e os correligionarios de Richard Dawkins, PZ Mayers, etc., negando que exista algo disso, arrolando como evidências fatos interessantes apontados pelo método reducionista. E estou concentrado agora na leitura de um livro espetacular sôbre o tema da consciência: “The User Illusion”, um grosso volume de um cientista europeu que parece chamar-se Norr Norestrander, ou algo assim (o livro está lá no carro agora). Sensacional, apesar das voltas enfadonhas e técnicamente dificeis em temas que parece nada terem a ver, como o “Maxuel’s Demon”, mas com informações inquietantes como a de que apenas 16% das informações processadas pelo cérebro são enviadas e processadas pelo consciente.

Bem por ora, é assim e nêste estado que se encontra esta obra e este website, envolvido mais com esta pesquisa (ver as categorias “luz”, “mente”, “cérebro”, “neurologia”, etc.), mas a todo momento sendo interrompido por noticias que chega do mundo e que tem a algo a ver com a fórmula da Matrix/DNA, algumas das quais suscita a elaboração de novos artigos que vão ou não sendo registrados aqui … Se tens saco para tanto… boa leitura!

Ainda nesta introdução vou registrar a lista da pesquisa Google + Wikipédia sôbre Luz e Consciência, separando-as em pesquisa em Inglês (Light, Counciousness) e pesquisa em Português. E registrando aqui o que achar que interessa sob a cosmovisão da Matrix/DNA.

xxxxxxxxxx

LIGHT, pelo Indice do Google: ( Raios! São About 2,500,000,000 results! Como vou ler item por item entre 2,5 billhões? Não adianta perguntar. Tem que ser. Portanto mãos à obra, um por um!)

1 – Light – Wikipedia, the free encyclopedia

(lendo êste no momento)

xxxxxxxxxx

LUZ, pelo Indice do Google

xxxxxxxxxxx

Counciousness, pelo Indice do Google

xxxxxxxxxxxx

Consciência, pelo Indice do Google

A Morte do Cometa Elenin Descrita pela Matrix/DNA

quarta-feira, outubro 26th, 2011

Artigo da Space.com mostrando sequencia de fotos onde o cometa Elenin parece desaparecer, originou uma série de comentários abaixo do artigo e tambem postamos nossa opinião, registrada aqui a seguir:

Space.com

http://www.space.com/13400-doomsday-comet-elenin-dead-nasa.html
Article: ‘Doomsday’ Comet Elenin Is Dead, NASA Says

Comentário da TheMatrixDNA

Interpretation from Matrix/DNA cosmological models:

“The disintegration of old comets is a natural occurrence. Comets are the astronomical’s systems correspondence to “biological spermatozoon”. Produced by giant volcanoes at old planets becoming pulsars, comets are driven to black holes through spiral magnetic forces. Like ours spermatozoon, few of them reaches the goal and then, they goes away in the space till its disintegration. See: http://theuniversalmatrix.com

O que você pensa?

Resposta da Matrix/DNA ao Vídeo do Linchamento de Gaddafi

quarta-feira, outubro 26th, 2011

Vídeo publicado pelo GlobalPost, nojento, repugnante, mostrando o ser humano no seu mais horrível e animalizado aspecto, mostando inclusive como Gaddafi foi sodomizado, e seguido por vários comentários, não pude evitar de postar o comentário abaixo:

http://www.globalpost.com/dispatch/news/regions/middle-east/111024/gaddafi-sodomized-video-gaddafi-sodomy?

Louis Morelli · New York, New York

“Man is a product of “the chaos state of Nature”, which was a product of an ancestral wrong ordered state of Nature, and so on till Big Bang. We need a social human system under the right ordered state, for the well of all human beings. This is an extremely reaction of violence in response to an extremely act of violence perpetrated by this dictator. We need to cut off every action of violence, does not matter where it come from. If Nato and USA thought be right to fight a violent dictator, now is time for Nato and USA to do the same thing: these rebels on the video need go to prison! This is the world vision of Matrix/DNA.”

Tradução:

“O Homem é produto do “caótico estado da Natureza”, o qual foi um produto de um ancestral “estado de ordem da natureza”, porem, errado. E assim foi até o Big Bang. Nós necessitamos de um sistema social humano sob o correto estado de ordem, para o bem-estar de todos os seres humanos. Esta foi uma violenta reação em resposta a uma violenta ação efetuada por êste ditador. Nós necessitamos proibir, eliminar, qualquer ato de violencia, não importa de onde tenha vindo. Se a Otan e os USA decidiram ser o certo combater um violento ditador, agora é a vêz da Otan e dos USA fazer a mesma coisa: estes linchadores captados no vídeo tem que irem para a cadeia! Esta é a cosmovisão da Matrix/DNA.”

O que você pensa?

Habilidade Humana Decifra Código Onde Computadores Falharam: O Mesmo Pode Acontecer com O Código do Universo

quarta-feira, outubro 26th, 2011

Artigo publicado no Los Angeles Times ( http://www.latimes.com/news/science/la-me-usc-code-breaker)

Por Rick Rojas, October 26, 2011, sob o titulo:

USC scientist, Swedish researchers decode 18th century document

The Copiale Cipher

The Copiale Cipher

… é interessante para nossa linha de pesquisa.

Milhares de caractgeres – letras e simbolos obscuros – preencheram as mais de 100 páginas de um texto antigo que foi achado em Berlin depois da Guerra Fria. Ninguem sabia o que o texto significa, nem mesmo que linguagem era aquela. Muitos tentaram decifrar o código, usando todo tipo de tecnologia computacional e falharam. Mas agora um USC cientista de Computação e dois pesquisadores suecos conseguiram quebrar o código e traduzir o texto.

O documento conhecido como “The Copiale Cipher” revelou os rituais e ideologia politica de uma sociedade secreta alemã do século 18, alem da fascinação que demonstravam pelas cirurgias dos olhos e pela oftalmologia.

E o que tem isso a ver com a Matrix/DNA? Extrai-se do acontecimento uma lição moral muito importante que já tem sido apontada pela cosmovisão da Matrix/DNA, alertando das armadilhas que podem estar pegando a Humanidade e a conduzindo por caminhos errados devido permitir-mos que um alienigena como o cérebro eletro-mecânico interprete as informações e imagens colhidas do Cosmos.

Graeme Hirst, um professor da Universidade de Toronto disse que ” o projeto que levou à decifração do código pode ter sido uma união de esforços entre o homem e a máquina, mas esta foi uma evidência que a astúcia e vivacidade dos pesquisadores foram a chave para solucionar o código, não a habilidade do computador para fazer análise estatísca de grande quantidade de dados.”

Realmente. Os pesquisadores conseguiram decifrar um padrão que se repetia em mesmas situações, como sendo uma palavra: “cerimonia”. A partir daí começaram a fazer conjecturas do tipo: “bem, se o texto fala de uma cerimonia então tem que falar em “ritual”. E acharam ritual. Se fala de cerimonia mais ritual tem que falar de …. e assim descobriram como as frases foram formadas, etc. Depois, fornecendo ao computador estes padrões, êste fêz o resto do trabalho.

A olho nu e da Terra mal podemos ver o pálido esboço de estrêlas e alguns pontos planetários. A mais distante presença do homem no espaço se limita à ida à Lua. O corpo de um homem não foi nem ao mais próximo planeta sequer. Mas as galáxia são ziliões de vêzes mais distante e maiores, o Universo então… nem se imagina. Tudo o que temos de informações e imagens do espaço sideral foi obtido por instrumentos mecânicos – como o telescópio, as sondas espaciais – e os modêlos que temos de origens de corpos celestes, de sistemas celestes, foram obtidos com estes dados jogados no computador e sendo processados por simulações efetivadas pelo computador. O cérebro biológico humano apenas assiste como telespectador.

Um tigre vê um alce a longa distância mas nunca prestou atenção na relva sob seus pés ou num cacho de bananas, porque isto não lhe interessa. O macaco pode ser indiferente ao alce mas não deixa de ver a banana. O cérebro eletro-mecânico dotado de complexo sensorial mecânico seria capaz de detectar matéria sendo organizada em algo vivo no espaço? A um ser humano seria a primeira coisa detectada.

Eu não sei como seria a descrição de um computador sobre uma nebulosa de átomos conectados entre si, mas formando um corpo humano. Acho que daríamos gostosas gargalhadas pelo resto da vida.

No Universo surgiu êste fenômeno que é a Vida. Será que ela foi inventada pela matéria burra dêsse planetinha que é um pontinho perdido na imensidão cósmica? Ou não será que a Vida surgiu aqui e pode surgir em muitos outros lugares porque a Vida fêz o Universo?! Ou está representada na imensidão do Universo?

Hein?!

Como estão indicado os modêlos da Matrix/DNA? Estes foram feitos tambem se apoiando em dados obtidos pela cosmologia mecanicista mas sua maior parte foi produto da dedução da inteligencia humana, colocando-se o coração no que se fazia.

O tempo o dirá!

Buckyminster Fuller: Um aliado para a Matrix/DNA

sábado, outubro 15th, 2011

Buckminster Fuller

Hoje tomei conhecimento de uma frase que me agradou muito, devida a Buckminster Fuller:

“Science is operating almost exclusivel­y in inaudible and nonvisible areas. Ninety-nin­e percent of all the important work relating to man’s evolution is nonsenssor­y and abstract.”

E o comentário no (http://www.huffingtonpost.com/deepak-chopra/dawkins-magic-of-reality_b_1004216.html ), de:

henrydeluxe
Commented 24 hours ago in Books
“@TheMatrix­DNA. Apologies for the short rushed response, but I appreciate your perspectiv­e. Yes, we can say current science is mechanisti­c, fragmented and prone a dry reductioni­sm. The irony here is that this mindset appears heavily imbued w the dead and obsolete philosophy of Logical Positivism­. The arcane outlook mindlessly regurgitat­ed by people like Dawkins. Here’a a quote from Bucky Fuller that sums up the huge gap in understand­ing: ( frase acima )

E isto me enviou a buscar quem é/ou foi Bucky Fuller, apesar de eu já ter tropeçado con êste nome várias vêzes, talvez até lido algum de seus livros na infancia. E algumas coisas chamam a atenção. Por exemplo:

1) http://en.wikipedia.org/wiki/Buckminster_Fuller

Richard Buckminster “Bucky” Fuller (July 12, 1895 – July 1, 1983)[1] was an American engineer, systems theorist, author, designer, inventor, futurist and second president of Mensa International, the high IQ society.

Matrix/DNA: Se era um system theorist então estava no mesmo caminho do autor de Matrix/DNA.

Wiki: Fuller published more than 30 books, inventing and popularizing terms such as “Spaceship Earth”, ephemeralization, and synergetics. He also developed numerous inventions, mainly architectural designs, the best known of which is the geodesic dome. Carbon molecules known as fullerenes were later named by scientists for their resemblance to geodesic spheres. (…) he had trouble with geometry, being unable to understand the abstraction necessary to imagine that a chalk dot on the blackboard represented a mathematical point, or that an imperfectly drawn line with an arrow on the end was meant to stretch off to infinity.

Matrix/DNA: Aqui está um mistério sôbre as bases do conhecimento e a mente humana. Fuller nasceu com uma mutação em relação à genética de suas ultimas gerações, a qual produziu um novo tipo de “hard-wired brain”. E isto foi benéfico à Humanidade. Produziu ao menos uma tentativa de inquirir e/ou corrigir uma abstração que passava despercebida como tal e era largamente acreditada como realidade resolvida. Quem pode provar que um ponto no espaço/tempo é um ponto matemático, ou apenas um ponto matemático? E a palavra infinito é uma abstração, uma invenção humana que nunca poderá ser testada/experimentada cientificamente. Eu tive o mesmo problema num curso sôbre Alimentação Elétrica de Linhas e Estações do Metrô, quando estudei todo o curso entendendo que o circuito ia de A para Z e no teste final fui reprovado porque o curso entende que o circuito vai de Z para A. No minimo, se eu tivesse levado o caso para a frente, poderia ter provado que os dois modos de ver a mesma coisa chegam no mesmo resultado final. Mas o que interessa é a possibilidade levantada aqui que as mentes voltadas para a apreciação de sistemas naturais são produto de alguma mutação, e não o comum. O que significa que vamos ter problemas. Estas mentes se desentrosam com a sociedade, popr isso não se reproduzem com sucesso e mesmo que fôsse uma mutação benéfica, nào seria selecionada e incorporada à genética geral. A não ser que os produtos destas raras mentes sejam impactantes e obriguem a maioria normal a girarem a favor da mutação.

Wiki: He often made items from materials he brought home from the woods, and sometimes made his own tools. He experimented with designing a new apparatus for human propulsion of small boats.

Matrix/DNA: A mutação, ou o cérebro diferente hard-wired fica insatisfeito e inquieto com o status quo e isto o dirige a tentar o que muitas vêzes será classificado como “loucuras” pelos normais. Vai depender das condições materiais/financeiras onde o individuo nasceu, se êle tem ou não oportunidades para manusear materiais em experiencias ou se vai ficar apenas no campo de experimentos teóricos. Eu nascí sem a menor condição de manusear algo meu material e por isso fiquei resumido á atividade teórica.

Wiki: Fuller earned a machinist’s certification, and knew how to use the press brake, stretch press, and other tools and equipment used in the sheet metal trade.(…) Fuller worked in Canada as a mechanic in a textile mill, and later as a laborer in the meat-packing industry.

Matrix/DNA: Aqui tenho um problema a resolver. A frase de Fuller citada por HenrydeLuxe é sôbre alertar para a exata condição da ciência hoje mas enquanto Henry usa essa frase para questionar a visão mecanicista, me parece que Fuller não se referia ou não combatia isso.

( artigo a ser continuado)

Lista de Links

sexta-feira, outubro 14th, 2011

Center for the Study of Complex Systems (CSCS)

http://cscs.umich.edu/index.html

xxxx

BIOMIMICRY – NATURE OF INOVATION

http://earthsky.org/biomimicry/janine-benyus-biomimicry-is-innovation-inspired-by-nature

xxxx

Outros Websites Anunciando meu Link:

Milagre HolosBlog – Matheus Dutra Milagre

http://holosblog.blogspot.com/

Artigo: Internet do inconsciente

Monday, October 03, 2011

xxxx

Matrix/DNA Geral Cosmovisão

quinta-feira, outubro 13th, 2011

( êste texto está sob construção, apenas sendo publicado na esperança que apareça algum critico para ir apontando suas falhas. Nem têve seus êrros de grafia corrigidos ainda)

Esta obra é o resultado atual dos meus calculos que começaram com as perguntas: O que eu sou? O que estou fazendo aqui? Existo, sinto que sou e existo, mas para quê? O que é êsse mundo? Como, diabos, tudo isso começou? E como tudo vai terminar? Ou tudo é infinito?

Para investigar isso de maneira lógica, digamos, cientificamente, seria preciso que a matéria, em seu conjunto denominada Natureza, e no estado evolutivo que algumas de suas porções chegaram hoje – o humano (ao ponto de começar a ter a consciência que existe, mas sem saber de onde veio, como nasceu) – e sómente ela, recordasse sua História desde o mais distante possível no espaço/tempo, e com essa História real estabelecida, tentasse visualizar seus significados, sentidos e os projetasse num quadro: a figura resultante conteria um modêlo, téorico mas lógico, guiando-a mais eficientemente na busca de sua comprovação. Sei que mesmo assim não se garante a Natureza que ela vai se explicar, mas não vejo outra alternativa, outro método mais lógico, e 6este fornece a possibilidade para a Natureza desenvolver sua conscência.

Mas a maior eficiência d6este quadro teórico depende da exatidão da História, da retidão da memória da Natureza. E esta consciência recem emergida é de uma substancia atabalhoada que sai fora dos fluxos naturais de causa e efeito e parece se refugiar em espaços vazios fora de seu corpo material e desta situação erege coisas com sua própria substancia, como qualquer criança sonha e cria fantasias de papai noel, fantasmas com quem conversar, etc. Não devia ser assim pois essa consciência veio do animal, como o tigre na selva, o qual não cria fantasias. Acho que o que produziu êsse desvio foi o ócio obtido com a agricultura aliado ao agrupamento social produzindo coisas como familia e sociedade.

Mas existe ainda uma oportunidade para a Natureza em sua forma de consciência obter sua História correta: se ela surgir e existir como o animal, sem ócio por não dispor da agricultura, sem existir num agrupamento social, e portanto sem familia, sociedade. Êste é quase o caso desta consciência que produziu esta obra aqui. Houve desvios n6este exemplar – momentos de ócio por obter na sorte os frutos da agricultura, momentos de inserção na sociedade, momentos em que a familia fantasma distante a capturou. Porem, mesmo assim essa consciência obteve uma História inédita dentre as bilhões de consciências mais desviadas pelo social e vale a pena conhecer esta História.

Por ter me criado na rua sem nada meu, nem um metro quadrado meu para descansar meus ossos à noite, nunca me apeguei a nada dêste mundo e nem a mim mesmo. Viví um constante desejar de morrer imediatamente. Assim eu não fui, não sou, sinto-me apenas um fantasma alienado que existe para observar e pensar no porquê das coisas que vejo. E minha unica vontade, minha unica atividade é a de um fantasma cutucando pessoas para que ouçam a sua mensagem, o contar de sua História. O fantasma que é apenas uma mensagem, calcula, que assim, as pessoas vão continuar investigando esta sua História cada vez mais profundamente, e assim preencher sua meta que é completar sua auto-consciência natural. Êste texto é mais uma cutucada e emissão da mensagem.

Qualquer método escolhido pela consci6encia natural para esta investigação tem que tter como ponto de partida o aqui e agora, baseando-se no maximo possível do que vê do seu estado de existência atual. E tem que começar de dentro para fora, de si para o mundo, e não o contrário. Como essa consci6encia está localizada numa porção de matéria denominada ser humano, ela ‘tem como ponto de partida o ser humano.

Esqueça a imagem aparente que v6es de um ser humano. veja-o em sua essencia intima e funcional, seu signidficado. assim surge outra imagem do ser humano. A de uma figura parecida um girino, o filhote dos sapos. A figura do cérebro com seu cilio, seu rabo, que desce pela medual óssea. Isso na realidade é o ser humano em essencia material. O resto são acessórios criados por esse cérebro, nas suas formas evolutivas anteriores. E é esta evolução que a consciência natural persegue regredindo o maximo possível no tempo para tentar rememorizar sua História. É como quando tentamos recordar nossa infancia o mais distante possivel, desde o momento em que fomos concebidos, inclusive tentando recordar como nos sentíamos quando estavamos dentro de um utero, quando éramos um feto, etc. E éramos alguma coisa antes disso? Se conseguissemos avançar no passado, dando um salto sôbre o momento de nossa concepção, nos veriamos dentro dos corpos de nossos pais, sendo nossos pais, ou nos veriamos flutuando como um consciência-espirito? Calma: aqui a consciência já está saindo a vagabundear, criando hipóteses fanrtasaiosas para as quais não tem registro no quadro do mundo aqui e agora que ela vê. êste estado de auto-poliamento em vigilancia constante nesta investigação é impreescindivel.

Descoberta! Ondas de Luz fazem no cérebro escuro o mesmo que luz de estrêlas fazem nos planetas escuros!

quarta-feira, outubro 12th, 2011

Luz: As Ondas de Luz e Som são captadas pelo Cérebro isolado e escuro. Como? Porque?!

Descubro agora de onde veio o mecanismo, como a Natureza terrestre “inventou” êsse mecanismo e a descoberta lança novo entendimento sobre como as informações se movem dentro do cérebro.

Eu já tinha descoberto que um espectro de luz carrega a fórmula que imprime o ciclo vital á matéria (vide artigo n6este website). Agora começo a entender como uma informação registrada e dormente na memória de repente é despertada por uma onda de luz e porque/qual o caminho ela segue dirigida por essa onda: a informação repete o ciclo de vida humano, ela nasce como um bebê quando desperta, cresce, cumpre sua missão, amadurece e se desintegra!

Descoberta da Matrix/DNA inspirada pela menção no artigo de Deepak Chopra e desenvolvido nos comentários que seguem o artigo:

Huff Post Books – October 12, 2011

http://www.huffingtonpost.com/deepak-chopra/dawkins-magic-of-reality_b_1004216.html

Richard Dawkins Takes the Magic Out of Reality
Deepak Chopra. – Author, ‘War of the Worldviews’; Founder, The Chopra Foundation

Trecho do artigo:

“Dawkins, like other staunch materialists (lembre-se: isto é opinião do Chopra, não a minha), believes that all subjective experience, being a product of the brain, must come down to a physical process, leaving no possibility that the physical processes of the brain maybe correlates to something happening in the mind. How microvolts of electricity and neurochemicals flying across synapses produce the entire world is a deep mystery, often referred to as the hard problem in consciousness research. This Dawkins doesn’t even consider. (No matter that light and sound are perceived inside a brain that is utterly dark and silent.)”

E o comentário:

SallyStrange

4 hours ago (12:25 PM)
Light waves and sound waves trigger the exchange of neurotrans­mitters in our brains, which function using chemistry and electricit­y rather than sound and light.

xxxx

Investigação:

Neurotransmissor

Wikipedia

Sinapse Estrutura Quimica Típica

Sinapse Estrutura Quimica Típica

(obs: para ver melhor com legendas, vá a:
http://en.wikipedia.org/wiki/Neurotransmitter )

Neurotransmitters are endogenous chemicals that transmit signals from a neuron to a target cell across a synapse.[1] Neurotransmitters are packaged into synaptic vesicles clustered beneath the membrane on the presynaptic side of a synapse, and are released into the synaptic cleft, where they bind to receptors in the membrane on the postsynaptic side of the synapse. Release of neurotransmitters usually follows arrival of an action potential at the synapse, but may also follow graded electrical potentials. Low level “baseline” release also occurs without electrical stimulation. Neurotransmitters are synthesized from plentiful and simple precursors, such as amino acids, which are readily available from the diet and which require only a small number of biosynthetic steps to convert.

Então… Luz funciona como uma potencial ação que faz os neurotransmissoress saírem da bolsa vesicular e se dirigirem para fora do neuronio.

ISTO É PURA MATRIX/DNA! FUNÇÕES 4,5 E 6:

A LUZ DA ESTRÊLA ATINGE UM PLANETA/PULSAR, PENETRA-O ATÉ SEU NUCLEO, PROVOCA REAÇÕES NUCLEARES QUE PRODUZEM MAGMAS QUE SÃO EXPELIDOS PARA FORA DO PULSAR NA FORMA DE COMETAS. OS COMETAS CARREGAM METADE DAS INFORMAÇÕES DO SISTEMA. PORTANTO OS NEUROTRANSMISSORES CARREGAM AS INFORMAÇÒES REGISTRADAS NO NEURONIO.

Do passado, e das estrêlas, veio o mecanismo apresentado pelo cérebro!

Prosseguindo:

Então… neurotransmissores sào feitos com aminoácidos. Ondas de luz atuam sôbre neurotransmissores, o que sugere ( mas não confirma) que ondas de luz atuam sôbre aminoácidos. É possível que para a luz atuar seja exigido um nivel mais complexo de organização da matéria que os compostos de aminoácidos, cujo nivel seria apresentado nos neurotransmissores (preciso investigar qual o efeito da luz sôbre aminoácidos).

Se atuam nos neurotransmissores deve ser porque nêstes existem receptores para captarem ondas de luz. Não tenho nenhuma informação a respeito de tais receptores. Mas minha intuição sugere agora que tais receptores sejam fotons de luz. se forem, mais uma vez vai bater com a teoria da Matrix/DNA: pingos de luz (fotons) vindos das estrêlas, trazendo a mensagem de LUCA, adentram átomos terrestres e gravam a fórmula e o ciclo da Vida.

É isto daí, meus queridos irmãos e irmãs humanos. Mágica e bela, às vêzes; fria determinista e feia, outras vêzes: isto é a Natureza. Mas aconselho atividades que priorizem a suprema busca de conheciementos, pois o prazer das descobertas faz com que o feio e horrível quando desmascarado em suas causas acabe tambem se tornando parte de uma unica face: o mágico e o belo.

xxxx

Quanto à questão se as sinapses são de conteudo elétrico ou meramente quimico não nos preocupa muito. O que nos chama a tenção é a possivel existência dos fótons-genes nos neurotransmissores e fotons podem se mover eletricamente ou dentro de quimicos.

xxxxx

Types of neurotransmitters

There are many different ways to classify neurotransmitters. Dividing them into amino acids, peptides, and monoamines is sufficient for some classification purposes.

Major neurotransmitters:
Amino acids: glutamate,[2] aspartate, D-serine, γ-aminobutyric acid (GABA), glycine
Monoamines and other biogenic amines: dopamine (DA), norepinephrine (noradrenaline; NE, NA), epinephrine (adrenaline), histamine, serotonin (SE, 5-HT)
Others: acetylcholine (ACh), adenosine, anandamide, nitric oxide, etc.

Single ions ( An ion is an atom or molecule in which the total number of electrons is not equal to the total number of protons, giving it a net positive or negative electrical charge. An anion (-) is an ion with more electrons than protons, giving it a net negative charge (since electrons are negatively charged and protons are positively charged)) , such as synaptically released zinc, are also considered neurotransmitters by some[5], as are some gaseous molecules such as nitric oxide (NO) and carbon monoxide (CO). These are not classical neurotransmitters by the strictest definition, however, because although they have all been shown experimentally to be released by presynaptic terminals in an activity-dependent way, they are not packaged into vesicles.

By far the most prevalent transmitter is glutamate, which is excitatory at well over 90% of the synapses in the human brain.[2] The next most prevalent is GABA, which is inhibitory at more than 90% of the synapses that do not use glutamate.

xxxxxxx

E na busca dos receptores:

Os receptores opióides são receptores celulares para neurotransmissores presentes no sistema nervoso humano, aos quais se unem os opióides.

Os opiáceos são substâncias derivadas do ópio e, portanto, estão incluídos na classe dos opióides- grupo de fármacos que atuam nos receptores opióides neuronais. Eles produzem ações de insensibilidade à dor (analgesia) e são usados principalmente na terapia da dor crônica e da dor aguda de alta intensidade. Produzem em doses elevadas euforia, estados hipnóticos e dependência e alguns (morfina e heroína) são usados como droga recreativa de abuso.

xxxx

Excitatory and inhibitory

Some neurotransmitters are commonly described as “excitatory” or “inhibitory”. The only direct effect of a neurotransmitter is to activate one or more types of receptors. The effect on the postsynaptic cell depends, therefore, entirely on the properties of those receptors. It happens that for some neurotransmitters (for example, glutamate), the most important receptors all have excitatory effects: that is, they increase the probability that the target cell will fire an action potential.

xxxx

Actions

Main article: Neuromodulation

The only direct action of a neurotransmitter is to activate a receptor. Therefore, the effects of a neurotransmitter system depend on the connections of the neurons that use the transmitter, and the chemical properties of the receptors that the transmitter binds to.

Here are a few examples of important neurotransmitter actions:
Glutamate is used at the great majority of fast excitatory synapses in the brain and spinal cord. It is also used at most synapses that are “modifiable”, i.e. capable of increasing or decreasing in strength. Modifiable synapses are thought to be the main memory-storage elements in the brain. Excessive glutamate release can lead to excitotoxicity causing cell death.

xxxx

Degradation and elimination

Neurotransmitter must be broken down once it reaches the post-synaptic cell to prevent further excitatory or inhibitory signal transduction. For example, acetylcholine (ACh), an excitatory neurotransmitter, is broken down by acetylcholinesterase (AChE). Choline is taken up and recycled by the pre-synaptic neuron to synthesize more ACh. Other neurotransmitters such as dopamine are able to diffuse away from their targeted synaptic junctions and are eliminated from the body via the kidneys, or destroyed in the liver. Each neurotransmitter has very specific degradation pathways at regulatory points, which may be the target of the body’s own regulatory system or recreational drugs.

Importante esta informação. Uma vez transmitida a mensagem e recebida por quem de direito, a mensagem é destruída. Na origem da Vida, se num dado local e mesmo tempo atuasse apenas os fotons-bits-informação para fazer o precursor de ribossomos, e se estes bits não fôssem degradados, íriamos ter massa de ribossomos como temos as massas de corais. A evolução nunca daria o passo evolutivo seguinte, ou seja, permitir a ação de bits sôbre precursores da mitocondria, e o sistema celular nunca teria surgido. Qual foi o fator degradador dos bits-informação vindos da estrêla?

No experimento de Urey, se êle insistisse ampliando e duplicando os ingredientes, ao invés de conseguir que seus aminoacidos dessem o próximo passo evolutivo, que seria a formação de proteínas, iria apenas conseguir produzir mais e mais os mesmos aminoacidos. Falta inserir no experimento o fator degradador.

Guerra Entre Cosmovisões: PZ Mayers, Deepak Chopra, e Richard Dawkins

quarta-feira, outubro 12th, 2011

O livro recém lançado por Dawkins – The Magic of Reality – feriu a cosmovisão de Chopra (Author, ‘War of the Worldviews’; Founder, The Chopra Foundation), que publicou sua critica em:

Huff Post Books – October 12, 2011

http://www.huffingtonpost.com/deepak-chopra/dawkins-magic-of-reality_b_1004216.html

sob o título: Richard Dawkins Takes the Magic Out of Reality
a qual incitou uma resposta critica de PZ Mayers ( a biologist and associate professor at the University of Minnesota, Morris) e autor do famoso website Pharyngula, em:

http://scienceblogs.com/pharyngula/

sob o título: Deepak Chopra reviews Richard Dawkins

Bem… o que eu tenho a dizer sôbre o debate, como representante de uma terceira cosmovisão?

Lí os dois lados da questão, não lí o livro mencionado de Dawkins, mas assistí interessantes vídeos sugeridos pelos leitores do Huff nos comentários, com debates entre Chopra e cientistas.

Acho que Chopra, concentrando-se no fenômeno “counciousness”, lida com o que aconteceu antes da origem do Universo, do Big Bang, trazendo counciousness como causa da criação do Universo e como tela de fundo para amanutenção do Universo, e depois lida com o futuro após o fim do Universo. Dawkins, concentrando-se no conhecimento cientifico lida com o meio entre estes dois terminais, ou seja com o Universo depois do Big bang e antes do seu final. Então counciousness não lida com o meio e a Ciencia não lida com o passado e futuro alem do meio. São duas dimensões diferentes e acho que cada qual deve ficar na sua dimensão, evitaria tais conflitos. certamente os cientificistas ( e não a Ciência) diria que então Chopra lida com nada porque o universo é isso que aí está, para sempre, e mesmo que 6ele tenha tido um começo e pode ter um fim, a sua causa e efeito será sempre a matéria que está no Universo. Eu rebateria que esta resposta é válida e racional mas o ponto é que ao se lidar com o meio apenas não se atina com o significado, o sentido da existência, o qual jaz em algum lugar alem do objerto em si, ou seja, alem do Universo material. E Chopra apresenta uma hipótese final para êste significado, apesar que não explica “como” o Universo existindo tal como é preenche esse significado. Essa explicação do “como” pode ser alcançada pela Ciência. Então , no meu ponto de vista, que venha os dois, que existam os dois, e que continuem cada qual em sua área de pesquisa ou busca de conhecimento. Não entendo porque os mutuos xingamentos e aversões, pois cada um está num tempo e espaço que nada tem a ver com o outro. Acho que espiritualidade e praticidade nunca se cruzam.

Por outro lado existe a cosmovisão da Matrix/DNA. Ela começa como a Ciência, estudando o meio sem se preocupar com o antes e o depois do meio. Mas a final conclusão do estudo do meio sugere um modêlo do que existia antes e o que vai existir depois. Antes havia um sistema natural dorado de counciousness que gerou o Universo por um meio genético natural portanto o Universo não é produto de counciousness. Depois existirá um sistema natural dotado de counciousness á imagem e semelhança da sua causa, ou seja, um sistema-filho. O meio, o Universo, corresponde aos nove meses que estamos sendo materialmente desenvolvidos dentro da barriga de nossa mãe. Antes da barriga haviam os pais – sistemas naturais dotados de counciousness – e depois da barriga houve o filho – sistema natural dotado de counciousness. para mim essa cosmovisão expõe qual o sentido da existência, qual o significado do Universo, e explica como o Universo atende a este significado. Não significa que acredito nessa cosmovisão. Apenas a elegí como mais racional porque ela está fundamentada num parâmetro real, enquanto não vejo tal parâmetro nas outras. Mas tanto Dawkins quanto Chopra, que estão completamente separados entre si, tornam-se uma só fonte rica e valiosa em elementos para testar e desenvolver minha cosmovisão.

xxxxxxxxx

Meus comentários postados no artigo do Chopra:

TheMatrixDNA

This comment is pending approval and won’t be displayed until it is approved.

Sally… thanks a lot because you lead me to discover how the terrestria­l nature produced this mechanism in the brain (see my website, if interest). But, maybe, Chopra has a point. Maybe the spectrum of light contains the fórmula that brings life to ordinary matter, as my models are suggesting­. And light, in this way, could be a bridge between our perceptive dimension and an unknown dimension, which could be what Chopra, instintiva­lly is trying to capturate. Cheers,…

xxxxx

TheMatrixDNA
2 seconds ago (6:54 PM)
This comment is pending approval and won’t be displayed until it is approved.

Authoritat­ive statement is impossible yet, I think, but a logical and rational theory is possible. Counciousn­ess is a kind of software, the half-face of this Universe composed by the perceptibl­e hardware and the non-visibl­e but intelligen­tly captured software. Like in a baby, counciousn­ess inherited from its parents only wake up when the embryo has a final shape, the universal counciousn­ess only woke up at human specie because the three billion years of biological evolution was merely the process of reproducti­on of our ancestral, LUCA – the Last Universal Common Ancestor – which is the building block of astronomic­al systems. But, what is the origins of the natural software? A kind of intelligen­t mind or a natural systems living beyond the universe? Nobody knows, then, Chopra, as Dawkins, have both, a good point.

xxxxx

Kekulé e o Benzeno : Evidências a favor da Matrix/DNA

quarta-feira, outubro 12th, 2011

“Friedrich August Kekulé struggled to understand the structure of benzene until in a day-dream he envisioned it as a snake eating its own tail.”

Tradução: Kekulé tentou árduamente entender a estrutura do benzeno até que a descobriu através de um sonho durante o dia no qual êle viu a estrutura na forma de uma serpente engolindo sua própria cauda.

Porque êle não têve essa intuição durante os anos que estêve debruçado na bancada do laboratório procurando entender?! Como funciona o cérebro quando produz sonhos, e como ou o que fêz o sonho de Kekulé ser mais sábio que o próprio Kekulé acordado?!

A fórmula/software da Matrix/DNA – quando observada no seu aspecto de circuito sistêmico fechado em si mesmo e com o quadro em mente, desenhado à parte – exibe exatamente a figura de uma serpente engolindo a própria cauda. E isto faz sentido: uma serpente se engolindo a si própria seria o final ato do extremo da auto-adoração, do desprêzo pelo resto do mundo, do egocêntrismo, e tendo nosso ancestral se tornado esse tipo de personalidade, explicaria nossa herança do “gene egoísta”. Falando técnicamente, na fórmula da Matrix/DNA o sistema recicla a própria matéria degradada, ao ligar a ponta inicial do circuíto à sua ponta final.

Mas tambem, relacionando a fórmula aos muitos casos já encontrados e nêste website registrados, como é o caso de Kekulé e o benzeno, percebemos que em muito a fórmula nos ajuda a fazer acertadas previsões quando estamos tentando entender algo e o método reducionista não está ajudando. Uma imagem, na forma de flash, num sonho, ou numa meditação, vem ao cérebro esforçado, por alguma razão, mesmo que seja pela convergencia temporal espacial de um conjunto de fôrças produzindo uma imagem que não existe correspondente real. Kekulé devia ter visto a imagem de serpente engolindo a cauda algumas vêzes, pois ela faz parte da mitologia antiga. Então a imagem teria vindo á mente desde a memória que registrou a imagem vista no papel ou num templo.
mas porque veio essa imagem quando êle estava concentrado num problema envolvendo átomos e quimica? Novamente, pode ser mero acaso.

Mas existe uma outra teoria. Pensamentos são produzidos pelo cérebro que e baseados nas sinapses entre neuronios cujo nucleo é o DNA. DNA é constitúido de nucleotideos cujo par horizontal imita exatamente a fórmula da Matrix/DNA a qual transmite exatamente a imagem de serpente engolindo a própria cauda. Ora essa configuração de nucleotideos foi produzida pela quimica trabalhando com átomos. Eu acho que fica mais inteligivel ver uma isca composta de quimica e atomos como a que povoava os pensamentos de Kekulé como a responsavel por ter fisgado um elemento real como a fórmula natural do benzeno através de uma vara de pescar composta de nucleotideos que são produtos da quimica composta por atomos, do que uma vara composta por uma imagem vista no papel ou num templo.

Eu prefiro a segunda hipótese onde é possivel visualizar uma corrente lógica de causas e efeitos. A hipótese da imagem no papel ser mais forte que a iamgem da estrutura do cérebro de Kekulé não me convence. Mas claro, enquanto a Matrix/DNA não for comprovada, a questão fica em aberto. A utilidade de mencionar isso tudo é que quando estiver num trabalho de investigação na Natureza, vou me lembrar que talvez a fórmula da matrix/DNA pode me ajudar onde outros recursos falharam, como aconteceu com Kekulé.

O benzeno é um elemento que tem surpreendido os cientistas e os empresários em busca de lucro ou soluçoes tecnológicas. Uma avalancha de noticias ultimamente que pode serem vistas pela Internet anuncia que o benzeno tem propriedades espetaculares. mais uma vez o indicio reforça a teoria da Matriz/DNA: assim como ela aponta para o átomo de carbono como sendo o átomo-cópia mais fiel da fórmula que veio dos sistemas inanimados e tendo em vista que o carbono se tronou o principal elemento organizador das moléculas organicas, assim tambem ela aponta na direção do benzeno como o composto quimico que mais fielmente copia a sua estrutura de serpente engolindo a própria cauda.

Podem me chamar de louco e talvez eu esteja desperdiçando minha vida, mas como não vejo ou não posso empregar a minha vida em algo mais util no momento, eu não vou jogar essa fórmula no lixo. Vou continuar perseguindo-a e com muita energia.