Archive for outubro 9th, 2011

Vida inteligente fora da Terra: Nova teoria tenta explicar porque ainda não a encontramos

domingo, outubro 9th, 2011

Artigo:
Hype Science

Nova teoria explica porque ainda não encontramos vida inteligente fora da Terra

O paradoxo de Fermi, conhecido por entusiastas, afirma que a não ser que só exista vida na Terra, obrigatoriamente, a vida precisa existir em outro lugar da nossa própria galáxia. Mesmo assim, até agora, não temos prova da existência de vida inteligente fora do planeta. Uma nova teoria pode explicar o motivo.

Segundo Adrian Kent, do Perimeter Institute em Ontario, os aliens (se existirem) estão competindo por recursos naturais que alimentem suas civilizações avançadas. Sendo assim, por entrarem em conflito, a seleção natural favoreceria as espécies “silenciosas”. Seria difícil obter respostas para nossos sinais.

Espécies que ficam chamando a atenção (como nós) podem atrair aliens violentos que visitariam nosso planeta em busca de recursos.

E você, leitor? Acredita na teoria? Ou fica mais tranqüilo pensando que é apenas a distância, e não uma sede por conquista, que nos mantém longe dos ETs?

xxxxxxxxxxx

Meu comentário postado:

Louis C. Morelli / 6.10.2011

Krause,
Existem muitas evidências factuais para uma nova teoria sôbre porque isso tudo existe nêste Universo: o Universo é uma espécie de ôvo onde está sendo reproduzido genéticamente aquilo que o fêz. Existe um esforço intrinseco ao processo vital no sentido de existir e se complexificar. Se concordamos com isso resta a pergunta: qual a fôrça que produziria este esforço? Ora, penso ser lógico: algo vivo. Então, a “energia biológica” não é um efeito da biologia mas sim sua própria causa. Mas nossa acadêmica teoria cosmológica está indicando como causa criadora do Universo algo simplesmente fisico-mecânico e causal, sem previo propósito. Eu discordo apresentando a Teoria da Matrix/DNA Universal vide website, se interesse houver, )arrolando as evidências e testando os resultados, como êles estão fazendo em favor de sua teoria. Abraços,…

Elaboração do Sistema Social Ideal para Seres Humanos Segundo Sugestão da Matrix/DNA

domingo, outubro 9th, 2011

Iniciamos mais esta linha de pesquisa inspirados numa matéria divulgada. A seguir temos inicialmente o registro dos dados para localizar a matéria na Internet, depois uma breve introdução da Matrix/DNA no tema e depois inicamos a cópia da matéria e inserção de nossa critica a cada tópico, visando assim imaginar um modêlo para apresentação do nosso trabalho.

O artigo saiu no website:
http://consensus.nova.cat/
Cujo proprietário é:
BARCELONACONSENSUS
Mais exatamente na página:
http://consensus.nova.cat/node/1465
Award on Innovation in Socio-Economic Models
Barcelona, May 3, 2011
Cuja página se abre para um PDF ( de 9 paginas):
http://consensus.nova.cat/sites/default/files/descarregables/Jordi%20Garcia%20[ENG].pdf
Sob o titulo:
FOR AN ALTERNATIVE SOCIOECONOMIC MODEL

O qual está sendo copiado e analizado abaixo após esta breve introdução da Matrix/DNA:

A cosmovisão da Matrix/DNA sugere um novo e especifico sentido/significado universal para a existência da espécie humana. Enquanto a própria cosmovisão está tendo os modelos de fenômenos naturais em que ela se assenta, testados para averiguar sua realidade, estamos nos adiantando e pesquisando as novidades que ela sugere. Uma delas se refere a que sua fórmula de sistema natural perfeito inspira-nos a elaborar um modelo de sistema social para seres humanos que seja um meio-têrmo entre o mais conveniente possivel ao homem real de hoje e o homem a se transcender para atender o sentido de existência orientado pela Natureza Universal.
Devido ao estado atual da nossa cosmovisão ser o estado teórico e não o cientificamente comprovado, não podemos nunca pensar em termos de elaborar o sistema social ideal para a Humanidade Global. Temos que respeitar e mesmo defender o direito dos seres humanos que não compartilham com nossa preferencia por esta cosmovisão de construirem, vivenciarem e defenderem o território de seus sistemas sociais, porque nós queremos que nossos direitos sejam tambem respeitados. Trata-se aqui de elaborar o modêlo de sistema social ideal a ser implantado dentro das fronteiras do nosso território, sempre aberto para receber novas aderências, establecer relações ou não entre com outros sistemas, assim como para fusões estratégicas e tentar atuar
pela libertação dos dominados insatisfeitos dentro dos outros sistemas.
Partiremos da nossa crença particular de que nenhum dos sistemas sociais engendrados pelos grupos humanos fornece o grau de satisfação pela existência da maioria dos humanos e possivel dada a soma de recursos naturais do planeta, ou seja, 50% + 1 individuo da população global. Isto significa que êstes sistemas sociais não foram construídos segundo a vontade da Humanidade. Temos então que buscar as fôrças ou elementos que têm dirigido a Humanidade na construção de um sistema social. Para combatê-los, haja visto que nossa meta é fazer com que a existência da Humanidade seja determinada pela vontade da Humanidade ( sempre mantendo a fórmula do 50%+1).
Cinco conjuntos até agora identificados de fôrças e objetos naturais têm influenciado a Humanidade na construção de seus sistemas sociais, e vamos ver, a seguir, como é util reunir estas cinco fôrças num unico quadro do qual se extrai um método de ação inicial em nossa meta:
1)As fôrças e objetos da ordem de organização da matéria do tipo mecanicista, elaboradas e provindas do Sistema Solar – e portanto da matéria terrestre – cujo sistema segundo nosso entendimento é descrito pela Mecânica Celeste Newtoniana. Estas fôrças criaram o fenômeno da “máquina” e seu derivado, o “mecanicismo”, em seus mais variados aspectos, e que são determinantes presenças envolvendo a existência humana;
2) As fôrças e objetos do estado de caos da Natureza que produziu e ainda regulamenta as leis da biosfera e tem forte influencia na genética dos seres vivos em contraposição ao estado de ordem do sistema Solar. O estado de caos se abre num leque de fatores determinantes da existência humana e dos sistemas sociais, como a tendencia à mutua competição, ao egoísmo pela sobrevivencia individual, etc., os quais retroalimentam o caos ambiental;
3) As fôrças e objetos do ainda teórico nível de organização da matéria semi-mecânico/semi-biológico provenientes das radiações entrópicas internas dos astros da Galáxia Via Láctea, conforme teorizado nos modêlos da Matrix/DNA. Esta fôrça entrópica seria a causa do estado de caos da sua criação, a biosfera terrestre, e seria o fator influenciador dominante na genética dos seres vivos, principalmente através do que denominanos “selfish gene”;
4) A força do emergente fenômeno humano denominado “mente” ou “consciência” a qual, indefinida ainda mas reconhecida como fôrça que atua e dirige matéria do mundo humano, ao menos ao nivel do corpo fisico humano, apesar de não ter existido até o momento como um bloco coletivo e global, tem influenciado a construção de sistemas a partir da origem de grupos etnocêntricos humanos.
5) As fôrças e objetos provindas de eventos ao Acaso, ainda indefinidas, que seriam resultantes de choques no espaço entre as fôrças deterministas acima, mas isto se for confirmado que acima dos tipos conhecidos de organização da matéria nào exista tipos de niveis superiores, os quais conteriam em si as causas destes eventos.
Ora, uma rápida observação do quadro nos conduz a concluir que as três primeiras fôrças podem serem vencidas e anuladas pela quarta fôrça, se no crescimento desta investirmos nossos esforços. A conveniência de ter esta quarta fôrça no pedestal das decisões é que ela nada mais é do que a própria Humanidade da qual estamos falando e para a qual estamos trrabalhando aqui. Trata-se de delegar a vontade que dirige o destino da existência da Humanidade à própria Humanidade, e essa é a nossa exigência suprema, contra quisquer argumentos de possíveis porta-vozes de alienigenas à Humanidade, como inteligencias extraterrestres, espirituais ou deuses. Terminou o prazo que tiveram para fazer algo suportável pelos 50%+1. A partir de agora, a Humanidade e exlusivamente ela, toma as rédeas de seu destino.
Quanto á quinta fôrça, apesar de ainda não-inteligivel porem existente como provam eventos de suas manifestações, a consciência global humana nada pode fazer por enquanto e terá que conviver com suas investidas em qualquer sistema social que venha a construir. O que nos indica que temos de nos concentrar nessa fôrça, registrar e detalhar seus efeitos, buscar incansavelmente suas origens, como se cerca estratégicamente um inimigo para derrota-lo. Não se esquecendo que alguns de seus efeitos tem sido benéficos no aprimoramente ou correção de defeitos nos sistemas sociais, o que nos induz a buscar suas fontes numa atitude amistosa crendo serem nossas aliadas.
Portanto, a primeira estratégia de ação extraída do quadro da situação real/atual será o esforço no sentido da mente global, um consciente coletivo como qualidade e essencia de um unico corpo coletivo denominado Humanidade. Não vejo outra alternativa inicial senão a existência de meios ou veículos para os diálogos entre as mentes individuais dirigidos para uma plataforma mental sedimentada ao menos nos 50%+1. Temos que identificar os benéficos, ou seja, os veículos existentes, como a Internet, a televisão, as publicações impressas, as teleconferencias, as reuniões em espaços abertos. E temos de identificar os maléficos, ou seja, as fôrças contrárias à existência de todos estes veículos, como as distancias geograficas, as religiões e ideologias fundamentalistas, as propriedades predatórias e egoístas detes veiculos, as regulamentações juridicas dominadas por grupos de interesses, etc. De posse dos meios adequados após o resolvimento entre benéficos/maléficos temos que transformar a dominancia atual dos micro-temas emanados das mentes individuais na dominancia dos macro-temas sociais sôbre estes dialogos internos ao consciente coletivo. Temos que ter a propriedade de veiculos benéficos e temos que atuar na militancia contra os veiculos maléficos.
( Introdução interrompida)

FOR AN ALTERNATIVE SOCIOECONOMIC MODEL

JORDI GARCIA JANÉ

ANALYSIS AND BACKGROUND
1. Crisis of civilisation
Our society is seriously ailing (doente). Although the predominant dialogue characterises the present crisis as a financial one, this dimension of the crisis is only the tip of the iceberg. The reality is that we have entered into a phase of a multidimensional planetary crisis (productive, ecological, energy, social, about values, paradigmatic, health, politics…) that we could classify as a crisis in the system and, even, of civilisation.

Matrix/DNA: Plenamente de acôrdo.

2. Ineffective system
Over two-hundred years have more than proven that capitalism is incapable of meeting
the basic needs of all people and conserving the biophysical conditions for the survival
of the human species on Earth. The predominant production, consumption and
distribution models are ecologically unsustainable and socially unjust. Not even the
small percentage of the world’s population who most benefits from it are happy.

Matrix/DNA: A palavra “capitalismo” é desaconselhavel e não será usada em nossa apresentação. Todos os “ismos” são criações da mente humana que desvirtua e prejudica o bom funcionamento da Razão e sua racionalização por isso serão evitados. Temos que nos apegar e limitar aos fatos nus e crus tais como existem, depurados das impregnações imaginarias dos humanos.
A citação nada menciona sôbre o fato que os sistemas sociais vigentes produziram um numero excessivo de seres humanos, no sentido de que os humanos existentes não terem préviamente confirmados os recursos para sustentarem a criação e sustentação dos seres que geraram. Um sistema social ideal tem que ter um conhecimento do planeta e seus recursos, mais um conhecimento da capacidade global de produção das máquinas+ humanos para estabelecer o numero da população ideal establecida nos nichos geográficos ideais para a existência humana, o espaço de território necessario e igual para cada um e elaborar as diretrizes de regulamentação.
(continuará)

Enquanto houver um cérebro humano prejudicado em sua evolução, estaremos buscando a causa e combatendo-a. – Matrix/DNA

domingo, outubro 9th, 2011

Exposição de Motivos:

Para êste planeta veio um unico DNA e para o Cosmos retornará um unico DNA. Fomos divididos em 7 bilhões diferenciados, mas nos reuniremos num só mesmo que sejamos muitas cópias exatamente iguais. Queira Deus ou não, assim o faremos. Queira a Natureza ou não, assim o faremos. Queira o Universo ou não, assim o faremos. Queira a nossa ignorancia sôbre como vamos fazê-lo ou não, assim o faremos. Queira nossa credulidade ou não queira nossa incredulidade, assim o faremos!

Alguem no Brasil traduziu e publicou êste texto: Nós Somos os 99 Porcento?

domingo, outubro 9th, 2011

We Are the 99 Percent

http://wearethe99percent.tumblr.com/Introduction

Allow Us to Introduce Ourselves

Who are we? Well, who are you? If you’re reading this, there’s a 99 percent chance that you’re one of us.

You’re someone who doesn’t know whether there’s going to be enough money to make this month’s rent. You’re someone who gets sick and toughs it out because you’ll never afford the hospital bills. You’re someone who’s trying to move a mountain of debt that never seems to get any smaller no matter how hard you try. You do all the things you’re supposed to do. You buy store brands. You get a second job. You take classes to improve your skills. But it’s not enough. It’s never enough. The anxiety, the frustration, the powerlessness is still there, hovering like a storm crow. Every month you make it is a victory, but a Pyrrhic one — once you’re over the hump, all you can do is think about the next one and how much harder it’s all going to be.

They say it’s because you’re lazy. They say it’s because you make poor choices. They say it’s because you’re spoiled. If you’d only apply yourself a little more, worked a little harder, planned a little better, things would go well for you. Why do you need more help? Haven’t they helped you enough? They say you have no one to blame but yourself. They say it’s all your fault.

They are the 1 percent. They are the banks, the mortgage industry, the insurance industry. They are the important ones. They need help and get bailed out and are praised as job creators. We need help and get nothing and are called entitled. We live in a society made for them, not for us. It’s their world, not ours. If we’re lucky, they’ll let us work in it so long as we don’t question the extent of their charity.

We are the 99 percent. We are everyone else. And we will no longer be silent. It’s time the 1 percent got to know us a little better. On Sept. 17, 2011, the 99 percent will converge on Wall Street to let the 1 percent know just how frustrated they are with living in a world made for someone else. Let us know why you’ll be there. Let us know how you are the 99 percent.