Archive for dezembro, 2011

Epigenética: Nova Ciência de Sistemas em Biologia

sábado, dezembro 31st, 2011

xxxx

Illustration of a DNA molecule that is methylated at the two center cytosines. DNA methylation plays an important role for epigenetic gene regulation in development and disease.

xxxx

Artigo inspirado em:

Life Technologies

Working Epigenetic Evolution

http://www.lifetechnologies.com/global/en/home/new-ideas/new-ground/epigenetics.html

(Estado atual da pesquisa: lendo os muitos capitulos, assistindo os vídeos que aparecem quando se clica “people”…)

xxxx

Houve um tempo que você era apenas uma célula, uma pequena bolinha. Naquêle tempo eu gostava de brincar com a bolinha, ora fazendo-a de pingpong, outras vêzes gritando-lhe: “Sei que estás aí dentro, sai para fora…”. Depois a bolinha – quer dizer… você – se multiplicou e ficou duas bolinhas coladas, daí as duas se duplicaram e você era apenas quatro bolinhas coladas, iguais. Alguns meses depois você deixou todos os cientistas de queixos caídos, boquiabertos. Cada bolinha se posicionou num lugar e ficou diferente em algum detalhe de tôdas as outras milhões de bolinhas que você era. Cada bolinha se comportava diferente das demais em alguma coisa, por exemplo, a que estava no dedão do pé fazia unhas grandes, e a que estava no dedão da mão fazia unha tambem, porem sempre menores. A que estava interna ao nariz, cheirava, a que estava nas palpebras soltava lágrimas, a outra na ponta da lingua dizia se uma coisa era gostosa ou apimentada demais. Raios!

Raios e raios! Exclamaram os cientistas. Quem ou o que fêz elas se diferenciarem entre si, se a bolinha original era uma só?! O que deu nas células? Resolveram montar um complô? Será isto mais uma teoria da conspiração? Então de repente um cientista estalou o dedo e disse: “Acho que matei a charada! É só fazer um paralelo com a evolução humana. No principio era apenas alguns primitivos, meio-brancos, meio-morenos, no norte da Africa. Então alguns foram imigrando para Europa, outros para Ásia e com o tempo uns ficaram amarelos, outros louros. Mas a cultura, o comportamento da tribo original tambem mudou em cada lugar…” – “Nada disso – gritou outro cientista – Existe uma grande diferença. Os humanos saíram de um ligar e foram para outros continentes que já existia antes dêles. Mas não existia o pé do embrião para a célula ir. As células construiram seus próprios continentes e os fizeram diferenciados. Quer dizer que a diferenciação já estava determinada antes da tribo se dividir.”

– “Muito bem! Apoiado!” – aplaudiram todos. As células construíram seus próprios continentes!

Até hoje cientistas no mundo todo coçam o cocuruto intrigados com êsse mistério e ninguem conseguiu resolvê-lo. Porque nós não temos lembranças do que fizemos nos nossos tempos de bolinhas.

Aqui em casa – quer dizer, na casa da Matrix/DNA – temos nossa própria opinião sôbre a solução para o mistério, porque nós vemos tôda a matéria quando organizada em sistemas com duas faces que se retro-alimentam, o hardware e o software. Quando o Bill Gates fêz o software do Windows, existia o computador ENIAC de dois quarteirões, mas êste não era capaz de executa-lo, então a mente por trás do software fêz um monte de pequenas peças diferenciadas entre si e montou uma coisa chamada micro-computador… Não havia uma placa-mãe estabelecida em algum lugar para um átomo de placa-mãe ir, êles tiveram que construir sua placa-mãe, a qual foi projetada pelo software que foi projetada por uma mente existente fora do mundo dêles. O agente por trás da diferenciação celular deve ter sido o software existente em nossos macacos… oh! não… eu queria dizer: nossos pais. Mas enquanto não provar-mos a Matrix, só temos mais uma teoria.

Depois do Projeto Genoma, que foi um fiasco porque se esperava do mapeamento total do DNA a cura de tôdas as doenças, o pessoal da Biologia começou a acordar para o pensamento sistêmico. Na selva – há 30 anos antes do Projeto Genoma – eu, como filósofo naturalista maluco amante e praticante do pensamento sistêmico, tive a intuição e a cochichei aos mosquitos chupa-chupa que faziam a festa com meu sangue: “O primeiro ser vivo que saiu rastejando na Terra era um sistema completo, uma célula, portanto, quem a criou só pode ter sido um sistema que de alguma maneira estava embutido naquela sôpa primordial. O que vocês acham da minha idéia, senhores mosquitos?” Com a anatomia comparada chamando os dados cientificos para relatarem o que sabiam como testemunhas que foram no evento da origem da vida, obtive informações para desenhar um retrato falado, e aí saí na captura do bandido, quer dizer, do sistema oculto na sôpa. O danado estava no céu… mas mesmo assim eu o peguei!… Ou penso que peguei o bicho certo.

Desde o Genoma a atenção para sistemas em biologia tem aumentado, e criaram uma nova área, a “epigenética.” Esta palavra vem do grego “epi” que quer dizer, além, acima, mais o nome “genética”. Mais ou menos seria algo, um sistema, atuante desde o exterior, acima dos genes.

Eu fico louco da vida com os responsáveis pelo curriculum escolar brasileiro que parecem querer infernizar o cérebro da pobre criança ao invés de ensinar. E fico louco com os conteúdos em português do Wikipedia, além de serem muitos mais resumidos e pobres em explicações que os ingleses, retratam bem os curriculuns. Talvez eu seja o errado, afinal de contas, não tenho um diploma como êles tem. Mas prestem atenção nesta definição em português:

Wikipedia: – ” Epigenética é um termo usado na biologia para se referir a características de organismos unicelulares e multicelulares (como as modificações de cromatina e DNA) que são estáveis ao longo de diversas divisões celulares mas que não envolvem mudanças na sequência de DNA do organismo.[1] Estas mudanças epigenéticas desempenham um importante papel no processo de diferenciação celular, permitindo que as células mantenham características estáveis diferentes apesar de conterem o mesmo material genômico.”

Agora peçam ao aluno responder na prova o que é epigenética… Ou eu sou muito burro ou ninguem entendeu nem aprendeu nada aí…

Namos pedir à Matrix explicar isso, do ponto de vista dela?

Matrix: : O que é DNA? É feito de tijolinhos chamados nucleotideos. Vocês se lembram da aula anterior, o que é nucleotideo? Cada um tem um grupo de átomos chamado “açucar desoxiribose” que fica fixo numa haste que é uma fita longa, e cada “açucar” (êta nome errado para isso!) fica segurando ou um ou dois outros grupos menores de átomos, chamados “bases”, e as bases são de quatro tipos diferentes: citozina, guanina, timina, alanina. Êstes tijolinhos são empilhados, de dois em dois, ou seja, um ao lado de outro, milhões de vêzes. Só isso. O DNA não é nem um bicho de sete cabeças, é essa coisa simples: uma pilha de nucleotideos. Mas o DNA faz milhões de coisas, milhares de proteínas diferentes, tôdas as características do corpo, etc. Como é que uma pilha de tijolos iguais consegue fazer coisas diferentes?! Se uma parede de tijolos fizesse alguma coisa, digamos, soltasse fumaça, ela faria só isso e tôda fumaça teria que ser igual, certo? A parede do quarto do casal vizinho tôda a noite faz o mesmo som, já estou acostumado. Qual o segrêdo do DNA?

O pessoal da biologia diz que a explicação está em que o DNA contem os tijolos agrupados em várias turmas, chamadas “genes”, como as gangs do Morro do Carioca. Mas… (aí é minha vez de coçar o cocuruto) … se os individuos são todos exatamente iguais, como é que as gangs são diferentes entre si? Teriam que serem todas iguais, não é? Então os biólogos completam: “Existe um mecanismo que ora liga ou ativa uns tijolos e mantem outros desativados, em seguida muda, desativando os ativados e ativando os desativados que estavam antes ativ… é o que se chama de “expressào dos genes”. Quando “a” se expressa e “b” não, se produz a proteina “Carlão”; quando “j”se expressa, sai a proteína “”Maricota”. E assim por diante.

Muito bem! Mataram a charada! Palmas…

Mas… se o DNA é apenas uma pilha de tijolos iguais, quem ou o que está apertando os botões dêsse mecanismo? Se não existe mais nada no DNA, apenas milhões de tijolos iguais, como êstes tijolos podem apertar botões diferentes?!

Ora, esta é facil, diriam êles: os tijolos não são iguais. São quatro tipos diferentes. E antes que você grite conclamando seus conhecimentos de aritmética do grupo escolar onde um conjunto de quatro gerando todas as combinaç~ies diferentes possiveis nunca chegaria a 20.000 resultantes proteínas, vamos explicar lembrando que o DNA é uma fita muito longa, se estendida nessa mesa daria 1,80 metros de comprimento. Então êle pode ser dividido em infinitas posições diferentes entre si, e cada posição dá uma função diferente para os tijolos que nela estão.

Muito bem. Mataram a charada outra vez. Palmas…

Mas se o DNA está sempre dentro de um invólucro, e todos os invólucros são iguais, como pode haver posições diferentes?! Acho que aqui já estou fazendo perguntas idiotas, mas como não tenho professor na selva e os livros não respondem minhas perguntas, vou fazendo-as. Deixa-me pensar… Uma estrada. A estrada Belem-Brasilia poderia ser dividida em muitos trechos que seriam diferentes entre si se arrolar-mos a paisagem, pois a paisagem muda de ponto a ponto. Mas o saquinho do cromossoma não foi lembrado por vocês para explicar a diferença entre os trechos do DNA. Eu não sei como são estes saquinhos, imagino que contenham um liquido no qual está mergulhado o DNA. Um liquido como se fôsse um oceano… mas as águas do oceano é sempre H2O em qualquer lugar. A paisagem de uma estrada muda, mas a paisagem dlinha do DNA nunca muda. Então como se poderia dizer que nela existam “posições diferentes”? Ninguem me explica, fico na selva sózinho com essas perguntas de criança escolar na cabeça. Mas a Matrix tem outra explicação:

Não existe um nucleotideo sequer igual a outro. O DNA não é um código. Cada nucleotideo é um “sistema”. Mas cada um tem alguma coisa diferente, que seja apenas uma de suas milhões de partículas, fazendo algo diferente que suas iguais fazem nos outros sistemas. O DNA é uma pilha de sistemas diferenciados entre si. Assim como se fizessemos uma fila de centenas de quilometros se colocassemos todos os sete bilhões de humanos vivos de mãos dadas. Como cada ser humano tem algo seu próprio que o difere dos outros todos, assim são os nucleotideos. Mas essa fila de humanos não seria um código. O DNA não é um código vindo do alem, nem de lugar nenhum. Os nucleotideos são sementes produzidas por uma unica arvore, a galaxia, mas como são lançadas em todas as diferentes direções, aí se tornam diferenciadas.

Lembre-se: A Matrix sugere que o ancestral comum de todos os seres vivos era um astro que existiu sob o ciclo vital e conseguiu tornar o circuito do ciclo vital num sistema quando ligou as duas pontas do circuito. Mas tornou-se um sistema fechado, egoísta, bloqueador da evolução, cometeu o grande pecado antes das nossa origens, que por isso foi chamado “pecado original”, de onde herdamos o nosso “gene egoista”. O Universo “Zeus”acionou a Lei de Clausius, que é o segundo principio da termodinamica, que produz a entropia, a qual traz aos sistemas a degeneração e sua morte. Com a morte a desomposição do corpo. As sementes da vida são isso: os fragmentos da galaxia. O sistema fechado é uma fórmula e essa fórmula na forma de semente é um nucleotideo. O grande pecador foi fragmentado em bilhões de pedaços pequenos-pecadores para se defrontarem e verem o defeito-pecado no outro, e odiar tal defeito, para cada pequeno-pecador não querer o pecado que vê no outro para si. Quando todos os pequenos odiarem todos os pequenos pecados, voltam a ser o grande odiando o grande pecado. Assim, o filho da galaxia fica depurado do defeito do genitor. Simples like that!

O pessoal da biologia não encontra o agente misterioso responsável pela diferenciação celular. Mas acreditam que resolveram o mistério da diferencoação entre os tijolos do DNA, arrolando conceitos como “posições”. Acho que não, que o mistério continua mais profundamente, aplicando-se tambem ao DNA. Não o encontraram porque êle não está na Terra, e sim, no céu… apesar de que a própria Terra é cópia do astro pecador, portanto ela contem o agente misterioso tambem.

Após esta explicação do ponto de vista da Matrix, voltemos a aprender e pesquisar o que é epigenética, pois nós estamos excitados com essa novidade presenteada pelos incansáveis batalhadores que são os biológos e que nos fornecem os dados em que nos baseamos para desenvolver e testar a teoria da Matrix, alem do fato que estamos torcendo para que os biólogos pensem cada vez mais em epigenética, pois ela é o nosso pensamento, o pensamento sistêmico.

xxxx

Pesquisa:

1) Wikipedia: DNA methylation stably alters the gene expression pattern in cells such that cells can “remember where they have been” or decrease gene expression; for example, cells programmed to be pancreatic islets during embryonic development remain pancreatic islets throughout the life of the organism without continuing signals telling them that they need to remain islets.

2) … ( a continuar)

Vídeo: Sinfonia da Ciência “Nós Estamos Todos Conectados”

quinta-feira, dezembro 29th, 2011

xxxx

inesquecível, para quem gosta de conhecer a Natureza:

xxxx

Nature.com elege a descoberta dos exo-planetas dentre as 10 mais importantes realizações da Ciência em 2011. Mas o comentário da Matrix…

quinta-feira, dezembro 29th, 2011

xxxx

365 days: Nature’s 10

http://www.nature.com/news/365-days-nature-s-10-1.9678#comments

Dentre os dez mais, destacamos o artigo abaixo:

Sara Seager: Planet seeker
xxxx

Sara Seager a Planet seeker


xxxx

E na tentativa de iniciar um debate nos comentários, postamos o seguinte:

xxxxx

Meu Comentário postado na Nature.com, abaixo do artigo:

2011-12-29 04:05 AM

Report this comment | #35255

Why the diming of a star means an orbiting “planet”? I think should be more scientifically accurate saying that “it means an astronomic body, we don’t know which kind”. “The Matrix/DNA cosmological theory”: http://theuniversalmatrix.com ), is becoming strong with evidences coming from these investigators every day. And the theory has a question: “If mom and daddy are surrounded by individuals with masks, who could affirm that those individuals are sons and even, children? They could not be the sons and could be adults, teenagers, etc. Take care about the same mistake when studying invisible bodies orbiting stars.

We are watching the few data coming and maybe, the astronomic community will be very surprised with a change of paradigm. The antiques saw a static sky and we acknowledged that it is wrong; Galileo discovered that the sky is not static. But, now the scientific community believes that astronomical bodies are static. The Matrix/DNA says “no” and explains:

“Life at Earth was produced by these astronomical systems and bodies. Then, the life’s properties needs in any way to be existent at the creators. We must calculate the evolutionary digression, from biological to mechanical, which we did for doing our models. So, life has a property: the life’s cycles. It transforms a unique body into seven principal shapes, from embryos to children to seniors, etc. Ok, let’s go to the sky now. We know today seven kind of astronomical bodies, as planets, moons, pulsars, black holes, etc. If astronomical bodies has the properties of life’s/mechanical cycles, these different shapes could be transformations of a unique body. We tried to calculate the sky supposing this idea and we got models were previsions and evidences are becoming strong. But, then, if the models are right, we need to change the way NASA is searching extraterrestrial life, because our models suggests that the seeds of life can produce from bacteria to intelligent iron forms. I would appreciate any comments (sorry English errors).
xxxx
Segundo Comentário na Nature.com
2011-12-29 01:01 AM – # 35277

What hells happened with my text above? Why quotation marks becomes “ ? No problem, what matters is that we apply the technical resources of NASA at low cost and for doing it we need to think in the best theories that works as our guides.
Same way a human person changes his/her shape every moment a new cell is replicated due the life’s cycle process, we must find thousands, millions of astronomical bodies in different shapes, states. Same way we can not determine the moment a teenage becomes an adult, we can’t have a frontier in an astronomical body for saying it is a planet or it is a pulsar, they are under the life’s cycle process also.
Another mistake prejudicing our investigation could be the current theory about astronomical bodies formation. Earlier, those Greek rationalists believed that life’s arises by spontaneous generation and chance alone. We discovered that the spontaneous took 3, 5 billion years, and was a methodic process. Now Matrix/DNA theory is showing a model suggesting that the process was purely genetic. Instead biogenesis we had mechanical embryogenesis. The same is happening with the Cosmos now. Today the few data has lead people to believe that astronomical bodies appear by spontaneously and by chance. But Matrix/DNA is showing a model where the bodies formation obeys a methodic process, exactly as our sexual reproduction. It seems to me that we are entering in a living sky, where the best method for describing it should not be Physics and Mathematics, but Biology, electromagnetism, etc. Physics did a great work describing the mechanics of the structural skeleton of Cosmos, but, this skeleton, as our human body, is covered by a soft and more complex structure…if my models has something right in it. We need to debate, thinking, for getting better and quickly results.

Imperdível! Um Gênio Descobrindo as Origens da Consciente Genialidade Humana

quarta-feira, dezembro 28th, 2011

O H.D. Resolveu se Manifestar

(Artigo em Construção)

Antes de 3.200 anos atrás nossos ancestrais eram quase trogloditas sem auto-consciência. Então o lado direito do cérebro começou a emitir sinais para o lado esquerdo, o qual captava-os como algo parecido com vozes. Ainda hoje o lado esquerdo domina e o direito é recessivo mas como o empregado às vêzes responde ao chefe o direito começou a gritar alto. E disto emergiu no cérebro a auto-consciência, que parece ser um pensamento profundo capaz de “pensar” os pensamentos rotineiros. Um psiquiatra americano, Julian Jaynes, lançou esta teoria atordoante, e bem fundamentada técnicamente. Além de poder ser a explicação de como surgiu o misticismo e algumas religiões – pois os torturados ouvintes teriam acreditado que ouviam a voz de um ser invisivel, Deus – o autor nêste livro toca temas fascinantes. Será mesmo?! Vamos analisar, debater, pensar juntos esta incrível novidade?

xxxx

O cérebro e os hemisférios direito e esquerdo

xxxx
O livro tem por titulo:

The Origin of Consciousness in the Breakdown of the Bicameral Mind

Traduz-se por algo como: ” A origem da auto-consciência na queda da mente bi-cameral”

Autor: Julian Jaynes

Está à venda na Amazon.com
xxxx

Mas antes de falar do livro, deixa-me justificar algo. Êste autor da Matrix/DNA Theory (a qual sugere que existe uma fórmula/software de pura luz que denomina de “A Matrix Universal”, e que a Natureza estaria aplicando na matéria esta fórmula desde antes do Big Bang para organizar a massa em sistemas naturais), está pecando. Porque, a fórmula está sugerindo imediatamente muitas aplicações para resolver os atuais problemas humanos – saúde, tecnologia, moral, evolução – e me desespero sabendo que em todos os cantos do planeta existem seres humanos sendo torturados que poderiam serem libertados por estas soluções, mas ao invés de buscar como aplica-las, meu tempo está desviado para pesquisas de coisas distantes, como a auto-consciência, a luz, a estrutura do Cosmos, vida no espaço sideral, etc.. Mas não é inteira culpa minha. Estou na mesma situação em que estava Einstein por volta de 1914, lutando com sua desacreditada e desconhecida teoria da relatividade geral, implorando a astronomos focalizarem alguns pontos especificos do cosmos, fotografando alguns detalhes de estrêlas e eclipses do sol, enquanto dividia seu tempo com seu trabalho provedor, mas o mundo externo, ao contrário de atender suas necessidades, se envolveu numa guerra que êle, sempre pacifista, achava ridicula, e não têve outra alternativa senão fechar-se em seu escritório de estudos por anos e ficar pensando nos efeitos mais distantes e profundos da sua visão unica de um universo onde espaço/tempo seria uma substancia que poderia ser encurvada pela presença de corpos massivos. Eu tambem não tenho como obter da comunidade experimental cientifica a realização dos testes experimentais sugeridos pela suspeita de que a Matrix existe, enquanto tenho que despender 60 horas semanais no trabalho provedor ridiculo que seria evitadoà maioria, se a Matrix fôsse testada, aprovada e aplicada. E nas horas fora do trabalho, só me resta pensar nas implocações distantes e profundas dessa visão, por isso me dedico agora a um livro, uma nova teoria bombástica que me chega hoje ao conhecimento, mas que muito tem a ver com minha cosmovisão. E é sôbre “as possíveis causas deflagradoras nas origens da auto-consciência”. Enquanto não desvendar-mos aquelas causas, nunca nos conheceremos a nós mesmos. Bem… voltemos ao livro:

Por enquanto lí apenas algumas criticas, um trecho da introdução e a biografia do autor na wikipedia. E apressadamente a mente já fervilha em comparações com o que está sugerindo a fórmula da Matrix. Mas a novidade é tão bombástica, eu nunca tinha pensado nisso, que as coisas ainda estão confusas. Porem, à luz da Matrix/DNA, a coisa faz sentido, e muito.

Nosso cérebro tem duas meias faces, é dividido em dois hemisférios, esquerdo e direito. Entre êles uma espécie de ilha comprida, uma parede rochosa, como um continente comprido separando dois oceanos. Mas nêste continente foram feitos canais como o do Panamá, entre os dois oceanos tem alguma troca de alguma coisa.

xxxx

( pesquisas):

Critica da Amazon:
Intriguing but hard to prove idea
Explores the notion that human consciousness is a recent development, from an earlier stage when “bicameral” people acted on the instructions from hallucinated voices. These voices are the origin of gods, and were created by the right hemisphere of the brain which “told” the left hemisphere what to do.

xxxx
Wikipedia:

Julian Jaynes (February 27, 1920 – November 21, 1997) was an American psychologist, best known for his book The Origin of Consciousness in the Breakdown of the Bicameral Mind (1976), in which he argued that ancient peoples were not conscious.

Jaynes defines “consciousness” more narrowly than most philosophers. Jaynes’ definition of consciousness is synonymous with what philosophers call “meta-consciousness” or “meta-awareness” i.e. awareness of awareness, thoughts about thinking, desires about desires, beliefs about beliefs. This form of reflection is also distinct from the kinds of “deliberations” seen in other higher animals such as crows insofar as Jaynesian consciousness is dependent on linguistic cognition.

Jaynes wrote that ancient humans before roughly 1200 BC were not reflectively meta-conscious and operated by means of automatic, nonconscious habit-schemas. Instead of having meta-consciousness, these humans were constituted by what Jaynes calls the “bicameral mind”. For bicameral humans, when habit did not suffice to handle novel stimuli and stress rose at the moment of decision, neural activity in the “dominant” (left) hemisphere was modulated by auditory verbal hallucinations originating in the so-called “silent” (right) hemisphere (particularly the right temporal cortex), which were heard as the voice of a chieftain or god and immediately obeyed.

Jaynes wrote, “[For bicameral humans], volition came as a voice that was in the nature of a neurological command, in which the command and the action were not separated, in which to hear was to obey.”[1] Jaynes argued that the change from bicamerality to consciousness (linguistic meta-cognition) occurred over a period of centuries beginning around 1200 BC. The selection pressure for Jaynesian consciousness as a means for cognitive control is due, in part, to chaotic social disorganizations and the development of new methods of behavioral control such as writing.

xxxx

Imperdível! Vídeo Inspirador e Informativo Baseado Num dos Capitulos Mais Importante da Evolução Humana

terça-feira, dezembro 27th, 2011

Graças ao blog “LIKE A PHYSICIST” , no endereço:

http://likeaphysicist.wordpress.com/2011/12/27/history-channel-albert-einstein-dublado/

que nos enviou o vídeo abaixo, confesso que assistí a uma das melhores aulas de minha vida! Mostra como caminha em dessintonia a mente ou auto-consciência humana na sua luta para se formar de vez, nascer e despregar-se do cérebro, viver sua liberdade, em relação a como caminha a vida material humana. E nos dá uma pequena amostra de como será o poder desta mente quando for autônoma! Capaz de captar fenômenos invisiveis, fôrças ocultas aos nossos sentidos carnais, e pô-los à nossa disposição para usa-los. Só mesmo vendo o vídeo a seguir. Na continuidade sempre voltarei aqui para analizar cena por cena, frase por frase, e registrar um comentário, porque a batalha da mente nêste filme em tudo se parece com a batalha real agora da Teoria da Matrix/DNA. Com a diferença que no filme a teoria foi já comprovada como compatível com a realidade, enquanto a Matrix/DNA continua a depender de testes, descobertas de fatos novos, para comprova-la ou desprova-la. Apenas um adendo:

Einstein não encontrou as soluções fazendo experiencias num laboratório ou manuseando os objetos sôbre os quais pensava. Foi tudo “racionalização” disciplinada, esforçada, que produziam suas “experiencias imaginarias” como a de que êle se imaginava viajando a bordo de um facho de luz. Como, sentado numa cadeira, um humano pode descobrir que massa se transforma em energia e vice-versa? Pondo as imagens que vem ã mente no papel, experimentar conexões entre elas, traduzir estas conexões imaginadas em equações matematicas, as quais funcionam como foi a evolução da computação, onde um hardware concreto produz um software mental abstrato, mas êste avança mais que o atual hardware e por isso, impulsiona a evolução do hardware. Foi assim que cheguei na fórmula da Matrix/DNA. Desenhando ribossomos, planetas, moléculas, procurando conexões, com a diferença que nêste caso as conexões não podem ser traduzidas matematicamente, e sim pelas leis da evolução.

O nosso software avançou alem dos achados de Einstein quando desenhamos o facho de luz curvo de Einstein : a nossa fórmula indicou que um espectro de luz contem o código do ciclo vital, ou seja, uma luz pura é a primeira manifestação da Vida no Universo. Einstein não pescou isso porque estudava mais a mecânica que a biologia dos objetos. Mas Einstein fracassou na sua teoria por algum tempo, têve que refazê-la algumas vêzes, porem, no fim, venceu, e ainda em vida, porque estava certo. Quantas vêzes êle deve ter se incriminado nas piores situações da vida, se pegando em dificuldades materiais financeiras, com seus familiares acusando-o de desajustado e preguiçoso, e êle buscando mentalmente a causa do porque tinha chegado naquelas situações, a qual era sua idéia de que o espaço/tempo, uma coisa invisivel, abstrata que só poderia existir nas ilusões da mente, teria uma substancia material capaz de ser influenciada por corpos materiais mais densos? Quantas v6ezes 6ele deve ter parado e sse perguntado: “mas o que estou dizendo? fazendo? Para onde minha mente está me levando? Onde se viu dizer que êsse espaço vazio tem força e substancia? Isto é como um vicio que está me levando à minha ruína mas o que fazer, se não consigo me livrar dêle? Sei que êle tinha êstes momentos de auto-punição, porque eu os tenho, tudo igual. E não sei se o teste salvador ou fatalmente destruidor vai chegar antes que eu atinja o fundo do poço. Mas tanto êle como eu não temos outra alternativa. A fôrça de uma idéia é como a jovem mulher que sonha em se engravidar e gerar um filho. Ela pode escolher no momento do parto a sua morte se vai salvar o nascimento de seu filho. Desgraçadamente acontece que o embrião nasce morto. À mãe, se sobreviver ou não, a sua apreciação da vida acaba para sempre. Para ela, a existência, a vida do filho se tornou mais importante que sua própria vida. Assim funcionam idéias como a da “evolução”, para Darwin, da “relatividade geral” para Einstein, da Matrix/DNA para mim, mas e quantos seres humanos, quantas idéias assim existiram que por serem provadas erradas nunca ficaram conhecidas? Se minha idéia estiver errada, se o DNA não é apenas mais uma variação de uma Matrix universal, se houver teste e a Matrix/DNA não passar, será como meu filho nascendo morto.

xxxx

Astronomia: Importante Informações Sôbre Tecnologia Atual e Missões da NASA

terça-feira, dezembro 27th, 2011

Universe Today

Dr. Alan Stern Answers Your Questions!

Dr. Alan Stern Answers Your Questions!

by Ray Sanders on December 27, 2011

A Busca por Formas de Vida nos Recem Descobertos Planetas: Bom Artigo da Yale University

domingo, dezembro 25th, 2011

Two new Earths and the search for life
http://www.cnn.com/2011/12/24/opinion/urry-two-earths/index.html

By Meg Urry, Special to CNN
updated 11:41 PM EST, Sat December 24, 2011

Nosso trabalho de hoje é ler, analisar sob o ponto de vista da Matrix/DNA, participar das discussões e comentários, o artigo acima. Iniciamos por itens extraídos do texto:

(Obs: o nosso comentário abaixo foi publicado no artigo da CNN)

CNN: “… a nearby star about 1,000 light years from earth — practically our back yard compared to the extent of our Milky Galaxy, but far too distant to visit with current spacecraft.”

Comentário da Matrix/DNA:

Sôbre Viagens Inter-Planetárias.

Porque alienigenas mais evoluidos não nos contactam publicamente?

É preciso entender que nossa atual tecnologia apenas nos permite produzir naves espaciais que não vão alem do nosso sistema estelar. Se existem alienigenas capacitados a virem aqui, a tecnologia dêles terá que ser muito mais evoluida. E talvez os corpos humanos atuais não suportam viagens por anos-luz mesmo que tenhamos naves siderais capaz de tal viagem. Então o corpo dêstes alienigenas talvez seja menos “massa” e mais “energia” que o nosso corpo, o que signifcaria que teremos de transcender a nossa forma fisica atual para nossos astronautas alcançar planetas com vida evoluida.

Portanto, imagine o nivel evolutivo que se requer de uma forma de vida alienigena que venha alcançar nosso planeta, com aparelhos tripulados ou não. Fazendo comparações, para tal alienigena que nos visse, seria o mesmo que nós humanos chegassemos a um planeta com muitas especieis de seres vivos e o mais evoluido seriam como macacos. O que faríamos nêsse planeta e com êles? É provavel que nada de tal planeta seja utilizavel materialmente para tal alienigena: suas naves e seus corpos são de outra dimensão de organização da matéria, tudo mais energia que massa, enquanto aqui tudo se apresenta na forma de massa e a energia ainda se encontra oculta.

A ação de tal alienigena dependerá de sua visão do mundo, do que entendem por significados, da vida, das existências, do Universo. Assim como cada ser humano – baseado em suas crenças sôbre o mundo – vai sugerir sua pessoal visionária possibilidade sôbre como eles agiriam. Eu, particularmente, como defensor da visão da Matrix/DNA, aposto na possibilidade de que o objetivo final n6este Universo é transformar a matéria em auto-consciência do Universo. Se assim fôr, e se eu fôsse o alienigena, nêste planeta onde vejo que animais são o ápice da evolução, me interessaria ao menos acelerar a evolução do animal mais desenvolvido, rumo à sua aquisição ou emergência da auto-consciência. Para tanto eu teria que semear nêstes animais alguma espécie de semente, mesmo a nivel de seu DNA, retirando ou introduzindo algo nêle, ou ainda promovendo alguma transformação em seu cérebro. E depois me iria, com a esperança que a semente germinasse e florecesse, mas deixaria no planeta um instrumento de vigilãncia, para de minha localicalidade assistir a plantação. No filme “2001: Uma Odisséia no Espaço” acho que os autores foram muito felizes em sua intuição: ali, a semente é a pedra de granito negro que os macacos tocam e passam a apresentar comportamentos inteligentes. Mas é possível que tais alienigenas tenha uma mais complexa visão de mundo que a da Matrix/DNA, o que mos incomoda porque não conseguiremos imaginar o que fariam em nosso planeta.

Mas acho que esta maneira de ver o problema elucida uma questão: “Se pelo calculo das probabilidades deve existir mentes superiores à humana dentro dêste Universo, porque elas não estão nos contactado e/ou publicamente?!” Talvez ela(s) nos tenha contactado, estejam nos vigiando, talvez até mesmo influenciando nossa evolução, mas não existe interêsse em explorar nada que tenhamos aqui – a não ser que lhes interessa a auto-consciência emergente nêste planeta – e nem interêsse algum em anunciarem que existem, principalmente se sua constituição fisica for de dimensões que nos seja dificil captar.

Mas como todo leitor é utilitarista e pragmaticamente ambicioso, próxima questão de cada um será: “Ok. A lógica sugere que fomos ou somos contactados por inteligencias superiores à nossa, em outro estado fisico/mental. Como poderíamos tirar algum proveito disso, ou tomar providências para nossa defesa, se a intenção dêles nos for prejudicial?” É essa pergunta que precisamos pensar, debater, acrescentar em nossos tópicos de preocupações intelectuais.”

xxxx

Tradução do comentário acima para o Inglês:

About Inter-Planetary Travel.

Why the more evolved aliens does not contact us, publicly?

We must understand that our current technology only allows us to produce spacecraft that will not beyond our star system. If aliens are able to come here, their technology will be much more evolved. And perhaps human bodies do not support current trips by light years even if we have ships capable of such a stellar trip. Then the body of aliens may be less “mass” and more “energy” that our body, which means we have to transcend our current physical form for our astronauts to reach planets with evolved life.

So imagine the level of development which is required of an alien life form that will reach our planet, with manned or unmanned devices. Making comparisons: for such aliens that seeing us, would be like us humans if we got to a planet with many species of living beings and the most evolved would be more like monkeys. What would we do on this planet and with them? It’s likely that nothing of such a planet is usable material for such alien; their ships and their bodies are another dimension of organization of matter, most of all is energy than mass, while everything here is in the form of more mass and energy is still hidden.

The action of such alien will depend on their world vision, their understanding about the meaning of life, of existences, the universe. Like every human being – based on their beliefs about the world – will suggest his personal visionary possibilities for how they would act.

My personally view as a defender of the Matrix / DNA affixed to the possibility that the Universe’s ultimate goal is to transform matter into the universe’s own self-consciousness. If so, and if I was the alien on this planet, as I can see that animals are the pinnacle of evolution, I would be interested at least in accelerating the evolution of the animal more developed towards the acquisition or emergence of self-consciousness. For this I would have to sow these animals some kind of seed, even the level of their DNA, removing or introducing something in him, or promoting any change in your brain. And then I would go back to my world, with the hope that the seed germinate and flourish, but leaving in the planet a surveillance tool to watch my planting. In the movie “2001: A Space Odyssey” I think the authors were very happy in their intuition: there, the seed is the black granite stone that monkeys play and start to make intelligent behaviors. But it is possible that such alien has a more complex worldview than the Matrix / DNA, we bother because we cannot imagine what they would do to our planet.

But I think that this way of seeing the problem elucidates a question: “If the calculation of the probabilities suggests that there are minds more evolved than the human mind in this universe, why they are not contacted us and / or publicly?” Maybe it have contacted us , are watching us, perhaps even influencing our evolution, but there is no interest in exploring anything we have here – unless they are interested in the emerging self-consciousness on this planet – and no interest whatsoever in announcing that they exists, especially if its physical constitution are in dimensions that are difficult for us to capture.

But as every reader is an utilitarian and pragmatic ambitious, the next question will be this one: “Ok. Logic suggests that we were or are being contacted by intelligences greater than our own, in another physical / mental state. How could we get something out of it, or make arrangements for our defense, if their intention is the harm? “It is this question we need to think, debate, add in our topics of intellectual concerns.”

xxxx

Nova participação da Matrix/DNA nos Comentários

Fluffles:

There are so many variables. It is possible that another planet holds life with a different biological make-up, and it’s possible that evolution could be faster or take a different route than we have seen on Earth. Simply because we haven’t seen other life yet doesn’t mean that Earth’s life characteristics are universal. We could be the freaks of the universe for all we know. Perhaps other lifeforms have already checked us out with means far beyond what we have or know, but have left us alone because they are smart enough not to get involved with another world, unlike us who like to poke our nose into everything. Just a thought. Most likely not true but just as valid as guessing the possibility of finding anything out there.

xxxx

wangl
So how do you suggest we look for alien life forms? You can’t look for everything. You have to look for something. The only life form that we know of is the one we have on earth. Before anyone can think of another viable life form, that’s going to be the only choice.

Comentário da Matrix/DNA:

Fluffles: Good point! About different biological make up, see what the models of Matrix/DNA Theory are suggesting:

1) There is a unique formula used by Nature for to organize matter into functional systems, like living systems. We have the theoretical model of this formula in shape of diagram/software. The formula suggests that the building block of astronomical systems evolved to biological systems and it is a base-pair of nucleotides, the building blocks of DNA. Then, any life’s forms at any place must have the same structural systemic circuit, but, due differences in composition, time, etc., these life forms could be made with the strangest materials, like iron, gold, etc.

2) I know it is weird to think about living beings made with iron, but the formula suggests at least one existent: building block of astronomical systems. They have all life properties. With balls, cones, vortices, comets, you can get a sexual reproductive process working mechanically… Of course, this is theory, but we at The Matrix/DNA Theory are getting more and more evidences each day…

3) By the way, if a person working with these NASA, Hubble, etc., data does not know the Matrix formula, maybe they can touch a life form and does not percept it.

A Ciência Avançada Sugere Que O Universo é o Corpo de um Gigante Que Pode Estar Jogando Bola Agora !

quarta-feira, dezembro 21st, 2011

O átomo, semi-mecânico, está dentro de uma célula, biológica, que está dentro do corpo de um ser humano, consciente. O sistema solar, mecânico, está dentro de uma galáxia, semi-biológica, que está dentro do… corpo de um ser universal consciente. Esta conclusão é lógica pura, qualquer outra conclusão não é racional.
Alguns bem informados ainda podem duvidar dessa lógica porque não estão informados que a galáxia é um sistema que funciona com propriedades semi-biológicas. E outros ainda não se conformam ou não se habituaram a raciocinar relativisticamente depois de Einstein. Êles tem grandes dificuldades em calcular ás pressas o que sente e o que vê um observador situado em grandezas espaço-temporais microscópicas ou macrocósmicas.
Por exemplo, foi dificil para mim na primeira vez, entender que apenas esferas e cones flutuando no espaço e trocando rochas e energia, estão executando perfeitamente uma reprodução sexual, e assim demorei para aceitar que a galáxia não é menos “viva” que nós. Hoje sou capaz de, observando um produto natural da evolução de 13,7 bilhões de anos, mentalmente calcular tôda sua história a ponto de localizar seu ancestral a 12 bilhões de anos atrás quando o ápice da evolução era uma mera nebulosa de átomos leves. O tempo é uma variação relativistica que para mim não apresenta mais dificuldades de entendimento. Mas o espaço, ainda demoro a captar e mentalizar estas variações. Assim como eu habito a superficie de um planeta que me parece gigantesco, uma particula habita a “casca” de um átomo que lhe parece gigantesco. E como essa particula jamais poderia entender o que é um ser humano dentro do qual ela existe, eu jamais poderei entender o que essa abstração a que damos o nome “universo” dentro qual existo. Não existe nenhum fato real cientificamente comprovado, nenhuma lei natural cientificamente captada que sequer suporte uma teoria de que o universo não seja um ser vivo. A particula pode ter evoluido a ponto de conhecer muito do átomo, já perceber a biologia na célula que envolve o átomo, e ver muitas, milhões de células ao redor dela como nós vemos milhões de galaxias ao nosso redor, mas ainda ainda assim ela estará vendo apenas um milimetro do corpo humano, como nós podemos estar vendo apenas um milimetro do universo. Se ela estiver dentro da barriga da minha perna e eu estiver nadando ou jogando bola e levando “caneladas” por todo lado, a particula vai viver seus 17 milionésimos de segundos, que é seu inteiro ciclo vital, e morrer, acreditando que existiu num “universo” imóvel. E podem passar milhares de gerações dessa particula, assim como nós já estamos nos milhares de gerações, que para o jogador de futebol não passará de um lapso no meio de um drible.
Eu não faço a mínima idëia do que êste mundo é. Esta ignorancia é uma tortura terrível. Mas triste mesmo eu fico quando ouço alguem falando animado e até fazendo afirmações sôbre o mundo como se êle já soubesse algo. Eu prefiro muito mais que pessoas continuem entendo que nada sabemos porque isso mantem as mentes abertas e motivam a busca.

Meditação com Musica pela Matrix/DNA

terça-feira, dezembro 20th, 2011

xxxx

Talvez um dia você vai me agradecer por ter lhe passado esta informação. Ouça a musica no vídeo abaixo. Mas depois, se tiveres tempo e inter6esse tente ler o texto que segue, o qual tenta explicar como entender a musica.

xxxx

xxxx

Para meditar por 10 ou 15 minutos eu prefiro a musica na forma dêste vídeo, que é diferente, mais apropriada. Mas se você quiser a musica completa e de graça pondo-a em seu computador para que o “repetir” fique automatico, no caso de meditações prolongadas, vá ao website:

http://www.fredericdelarue.com/

Veja o quadrinho “Musical Rapture”, clique em “download now”. Observe que no website tem um “radio” onde se lê “playing now”, o qual fica tocando outras musicas do Frederic. Se puder e interessar dê uma lida na “bio” do autor, no lado esquerdo da pagina. Frederic diz que aos 12 anos têve uma “morte clinica” e retornou vivo acreditando que existem seres super-naturais, coisa que só êle pode saber. Mas antes vá no quadradinho que diz “google translate” e escolha “Portuguese”.

Ouça Ave Maria por Jackie Evancho, a menina revelação do Top Idol:

Se você gosta desta história do Frederic DeLaRue sendo inspirado por anjos, você gostará de ouvir êste “anjo” cantando. Já ví e reví este video dezenas de vêzes pois acho que é um dos raros momentos que sinto orgulho da Humanidade, admiro como a Humanidade e a Evolução, quando extrai da Natureza o melhor que ela nos oferece, pode produzir uma obra assim onde tudo alcança a extrema perfeição!

xxxx

xxxx

Para entender a musica e o texto abaixo precisamos desta figura:

xxxx

xxxx

Se o resultado que obtive se repetir com outras pessoas, é possível que as ondas de som desta musica pode colocar suas células e corpo inteiro em harmonia funcional, corrigindo imperfeições que causam males fisicos/mentais. É composta de dois sons: um representa a vida do corpo fisico, o outro representa a existência da mente, ou auto-consciência. Esta musica não está aqui para ser julgada por seres humanos. Não se trata de dizer “gostei” ou “não gostei”, ou “é chata”, etc. Ela me foi recomendada por pessoas que admiro suas obras mas não as conheço, ouvi-a na primeira vez sem julga-la como recomendaram, e fiquei surprêso ao notar demasiados detalhes na musica coincidindo com a fórmula da Matrix/DNA. Mas tambem tenho notado alguns efeitos benéficos ao meu restado geral, físico e mental, ultimamente, talvez seja a musica. Então estou curioso, não sei se foi mera coincidência ou se a musica funciona mesmo, por isso preciso ver outras pessoas fazerem a experiência. Não costumo aconselhar ninguem a nada pois sei que sou um cego no mundo que nada sabe, mas ouvir esta musica não se tem nada a perder, por isso sei que não vou prejudicar ninguem.

Não está certo eu me intrometer entre você e a musica com minhas sugestões, o certo seria simplesmente coloca-la agora aqui, deixar você ouvir, e você decide o que ela significa, o que fazer com ela. Mas como todo humano tambem tenho meus defeitos, e nêste caso não consigo me conformar com a idéia que você vai largar a musica porque não vai captar algo muito especial nela que eu penso ter captado e assim vais perder uma grande oportunidade.

É essa crença – talvez minha estupidez – que me faz crer que tenho o direito de me intrometer entre você e esta musica, dando meus conselhos, porque acho que a musica tem potencial para render-lhe muitos mais beneficios do que simplesmente colocar suas células e corpo inteiro em harmonia funcional. Se você entende-la mentalmente, capta-la tambem a nivel mental, as ondas de som desta musica pode influenciar nas sinapses relacionadas a seus pensamentos, pode mudar estas sinapses pois são ondas interagindo entre si, corrigir certas conexões erradas em neuronios, fazer expressar neuronios benéficos que estão suprimidos ou calar outros inconvenientes, más lembranças, que estão se impondo… otimizar nossa inteligencia para enfrentar a vida diaria e entender a realidade do mundo e nossa existência nêle.

A fôrça mental desta musica é tanta, que chega em alguns momentos, a quem captar seus significados, mesmo estando imóvel, em transe quase hipnótico, começa a verter lagrimas pelos olhos: é a lavagem cerebral dos enganos acumulados na carga genética milenar, da cultura e da vida artificial, é um despertar para a verdadeira realidade e plenitude da nossa existência dessa realidade mundana tornada virtual devido os condicionamentos de nossa cultura simbólica, é a terapia mental sendo realizada. Antes de ouvi-la, por exemplo, quando ia trabalhar com um taxi em New York, tôda hora que um motorista me “fechava” o caminho, ou buzinava estridente atrás de mim, o sangue me subia à cabeça, meu primeiro impulso era partir atrás e brigar, e sempre em alguma coisa depois isto me fazia cometer êrros, prejudicando minha eficiência.

Depois, com a meditação e a musica ouvida antes de sair para o trabalho, ou antes de dormir na noite anterior, vejo o mundo diferente: tôda a matéria ao meu redor, seja a que constitui o asfalto, o metal dos carros, ou os corpos das pessoas, como aqueles motoristas, são partes de um todo ao qual eu pertenço, e eu sou êsse todo, êsse todo sou eu, portanto, as agressões que posso sofrer dessa matéria, são absorvidas com maior compreensão e tolerancia, são vistas como agressões minhas mesmo devido minha ignorancia e infantilidade perante o mundo, criadas pelo livre-arbitrio em épocas remotas em que fui um desastrado, meio maligno, na forma de meus ancestrais ( claro, quando as agressões são extremas, perco a compostura mental, fico brabo e… saio correndo!). Mas com isso, tornei-me muito mais calmo, sorridente e eficiente tanto no meu trabalho como em qualquer outra situação. Para mim basta êste beneficio obtido com essa musica para justificar o preço que pago em meu tempo util para ouvi-la, mesmo que às vêzes, sem vontade. É por isto que quero tentar fazer você experimenta-la tambem. Eu prefiro que você seja mais forte e sábio(a) que eu, pois assim, ao invés de eu estar interrompendo minha subida para lhe dar a mão e puxa-lo(a) para cima, você acelera minha subida me dando a mão. Competição é para os trouxas que sempre saem perdendo no final, ao menos, como parte da Humanidade. É por isto que vou me intrometer e dizer um pequeno paragrafo antes da musica, e um longo texto depois dela buscando trocar informações sôbre nossas conclusões. Mas ao ler-me, lembre-se que nada sei, não sou nenhum mestre espiritual, nem aquêles que me passaram a musica devem saber mais que nós, êles tambem nada tem de super-natural, creio, e as minhas crenças e as crenças dêles podem estarem tôdas erradas. Sua inteligência, e apenas ela, é quem pode orientar-te, ninguem mais. Então lá vai minha primeira opinião:

Esta musica é um remédio. E nem todo remédio tem sabor agradável, mas o resultado final geralmente é vantajoso para nós! Essa musica não é para você mental por enquanto, ela entra nas suas células, ela fala com suas células, e lembre-se as suas células são micro-seres que tem preferencias diferentes das preferencias humanas, esquisitas para nós, umas danças esquisitas, mas é esta sinfônia, esta orquestra, que faz suas células cantarolarem e dançarem saudavelmente. Ao menos é o que estou interpretando ao analisar esta musica sob o ponto de vista dos modêlos da Matrix/DNA.

Qualquer musica emite ondas de som que atravessam nossos corpos, assim como uma pessoa falando num celular à sua esquerda está enviando sua voz transformada em ondas que atravessam seu corpo sem você o perceber, e alcançam o celular da pessoa à sua direita. Ondas invisiveis, mas que podem derrubar um avião, ou entrar no seu cérebro e perturbar o funcionamento de seus circuitos, como estão alguns dizendo que o celular nos faz mal. E segundo sugere a fórmula da Matrix, tôda onda é um fenômeno que funciona como um sistema natural, num nível mais etéreo.

Pois lembre-se que seu corpo é um sistema natural, cujas partes são os órgãos e êstes são conectados pela corrente sanguinea ou pelos sinais energéticos através dos nervos. Os órgãos são sub-sistemas compostos de sistemas ainda menores, como o sistema celular. Seu corpo tem um trilhão de células, suas mesmas, mais 10 trilhões de células dos microorganismos que habitam seu corpo. E onde quero chegar te enchendo o saco com estas informações?

Sistema natural é o nome que damos a qualquer corpo ou objeto natural que tem a massa, a matéria organizada e funcionando. Existe uma fôrma natural como aquelas que usamos para fazer coelhinhos de chocolate, que quando é cheia com massa material, faz esta massa adquirir a forma e funcionalidade de um sistema. Ou então a fôrma desce de outro sistema, se intromete no meio da massa e monta um sistema. Esta fôrma é uma fórmula, que existe no Universo inteiro, foi ela quem montou ou modelou a matéria em sistemas atômicos, depois astronomicos, depois biológicos, depois sistemas celulares, e agora está montando o sistema da auto-consciência. É a Matrix/DNA, e parece ser a fórmula que a Natureza, ou algum Deus por trás dela, usa para criar as coisas dêste mundo. Creio que esta fórmula fluindo no Universo emite tambem ondas de sons… os quais foram imitados com nossos ainda rudimentares instrumentos musicais, nessa musica. Mas veja no final como tudo aqui faz sentido…

Esta fórmula parece ser emitida por algum Deus, ou algo alem do Universo, e na sua essência primeira – estamos descobrindo agora – ela surge nêste mundo material como vórtices, que emitem luz pura, natural. Tôda luz é emitida por uma fonte que pulsa e destas pulsações saem ondas esféricas, concêntricas, as quais inicialmente vibram com alta intensidade, mas à medida que vão se extendendo no espaço, se afastando da fonte emissora, vão tendo suas vibrações enfraquecidas. Acontece que nós humanos, com nossa inteligência, conseguimos fazer um aparelho que capta e registra a vida, o processo de um onda, que vemos numa tela na forma de uma linha serpenteando num grafico cartesiano. Chamamos o desenho final de um “espectro de onda”, o qual na verdade registrou as pegadas deixadas pelo avançar de um raio de luz. A linha serpenteante nos ensina que existe no inicio da onda uma forte vibração, e depois de sete tipos diferentes de vibrações, ela se desfaz, em partículas. Estes sete tipos de vibrações foram por nós denominados de raio X, raio ultravioleta, infra-vermelho, etc. Pois segure-se na cadeira agora para uma grande surpresa: as sete formas de vibração da luz natural expressam uma mensagem universal, são um código de uma fórmula, uma fôrça natural que imprime o ciclo vital na matéria! Ou seja:a vibração mais forte inicial faz a matéria se comportar como uma criança inquieta, energizada, a vibração mediana faz essa mesma matéria se tornar mais calma como um adulto, e as particulas finais de uma onda representam os fragmentos em que se decompõem os cadaveres!

Com a Evolução, vemos hoje êsse fenômeno de nossos corpos humanos rolando sob um ciclo vital, tendo nossa forma inicial, que foi uma mera massa chamada mórula, se transformando, apresentando-se como feto, depois um embrião, uma criança, um adulto… Estas formas de seu corpo foram criadas pelas formas da luz! Ou seja: um onda ou raio de luz pura, natural, tambem nasce como um bebê, cresce se propagando como uma criança vibrante de energia, amadurece como adulto mais calmo, e se desfaz em fragmentos, partículas, quando morre. Parece que o método que Deus ( ou seja lá qual for a fonte criadora da vida, eu só sei que eu não sei), utiliza para criar a Vida em todos os lugares é a emissão de um código na forma ondas de luz pura! E me parece que agora nós captamos o código!

A inteligência por trás dêste fenômeno natural é de uma engenharia extraordinária que me faz arrepiar todo quando penso nela, mas em síntese a coisa tôda é simples: a natureza pega uma massa, modela-a como uma esfera, aplica-lhe uma espécie de fermento que é a fórmula da Matrix, a massa esférica cresce, muda de forma várias v6ezes. Então a natureza faz no minimo mais seis bolotas como essa e repete o mesmo processo. Com estas formas tôdas povoando um espaço, a Natureza pega uma forma especifica de cada bolota e separa num lugar as sete formas diferentes. Ora, como uma forma se transformou na outra, existe uma força de atração entre duas formas consecutivas, um vinculo de conexão entre elas, assim como entre nós humanos, jovens tendem a se agruparem entre os de sua idade e forma, crianças com crianças, filósofos malucos com filósofos malucos, etc.. O resultado final é que as sete formas se alinham conectadas automaticamente, se curvam, ligam-se as duas pontas do circuito, o qual continua fluindo entre as formas… e assim a Natureza ( ou Deus) criou o primeiro sistema natural neste Universo, talvez tenha sido o átomo, ou antes, uma superparticula). A Evolução fêz o resto, e o resultado atual é por exemplo, êste sistema natural que aqui está apertando estas teclas, catando milho, que acha que é um filósofo, sabe que é meio maluco, (ou inteiro?), tentando convencer você que uma musica conta essa História Universal. Mas não acredite no que leu acima, esta é uma teoria, pois a academia escolar cientifica moderna acha que os sistemas naturais são organizados espontaneamente por acaso. Talvez êles estejam certos e eu errado, vendo chifre na cabeça de cavalos. Mas esta teoria não é bonita e faz sentido?

Se a teoria estiver certa, a primeira célula viva que surgiu nêste planeta foi montada segundo o processo de um ciclo vital, e a conexão entre seus elementos obedecem o circuito sistêmico do ciclo vital ( no mesmo modêlo simbiôntico de Margullis). Agora estamos chegando na explicação da importancia desta musica. As organelas de suas células estão organizadas na maneira de um circuito sistêmico que começa no núcleo como fonte emissora, passa pelos centríolos, vai para o ribossomo, passa para a mitocondria, pelo lisossoma, etc. Cada organela é uma das formas do ciclo vital, uma faz uma função na célula que é a mesma função do bebê humano no sistema social e familiar humano (perpetuação da espécie), outra faz o papel de jovem (curiosidade e aprendizagem da espécie), etc. Mas… muitas vêzes o circuito sistêmico é perturbado, ou por fôrças externas, ou por deficiência/excesso de certas substâncias, e se torna imperfeito, as organelas se tornam erradias, doentes, o corpo todo adoece. A célula já não funciona como a face perfeita da fórmula da Matrix. Mas… acredito que as ondas dessa musica exprimem a fórmula perfeita e por isso ela ajuda a corrigir estas perturbações, tentando restaurar o bom funcionamento do circuito. Entendeu agora? Impossível! Nem eu que já lido com isso a 30 anos entendí ainda, meu cerebrosinho é um nada perante a extrordinaria inteligência que sinto existir por trás disso tudo.

O autor do vídeo abaixo diz que a musica faz com que o poder natural que você tem como sistema evoluido (poder êste que geralmente é dispersado pelos seus diferentes estados emotivos e tem sido oprimido pela cultura virtual maquinada pelos dominantes) volte, retorne, a ser seu. Na linguagem da Matrix/DNA isto é traduzido por: as fôrças e eventos da vida mundana perturbam, torcem, desviam do fluxo, as fôrças da sua fórmula-Matrix, da Matrix divina dentro de você. Apenas um sistema funcionando perfeitamente pode ser forte para se impor às outras fôrças do mundo. A sua fórmula de poder tem um ritmo, a musica está no mesmo ritmo, portanto ela ajuda-o a recuperar e exercer seu poder.

Como disse acima, acho que a musica não é para ser julgada por nós humanos. Por exemplo, conhecí um cara ermitão esquisito, que dizia estar se comunicando mentalmente com uma civilização extra-terrestre super-evoluida, e até me convidou para o assistir em uma de suas “sessões”. Cada louco com sua mania, eu saí sem conclusão nenhuma. Mas estas pessoas às vêzes dizem coisas que nos faz pensar, pois elas tem uma certa lógica. Por exemplo, quando perguntei porque essa civilização não vem ajudar a espécie humana sofrida, êle disse que foi uma das primeiras perguntas que fêz, e sabe qual foi a resposta?

– “Se lhes desse-mos o poder para controlar a Natureza, uma das primeiras coisas que uns certos ambiciosos dentre vós fariam seria parar o Sol ao meio-dia, para poderem tramar 24 horas e obter mais dinheiro e poder. Nós poderíamos ajudar a espécie humana, mas os humanos não aceitam nossa ajuda, não a querem. Vamos dar um exemplo: pense nos leões. Você como humano é mais evoluido que os leões, e jamais conseguiria viver a vida animalesca dos leões, sem internet, pudim de chocolate, etc. Suponhamos que você pudesse acelerar a evolução dos leões para se tornarem como os humanos. Mas para isso leões teriam que começar a comer vegetais tambem, não poderiam mais matar vitimas e comê-las canibalmente. Certamente os leões recusariam sua ajuda, pois esta é a natureza dêles. Pois para que ajudassemos vocês a acelerarem sua evolução, voces teriam que recusar algumas coisas de sua natureza e isto lhes é inadmissivel. Por outro lado, se ajudassem os leôes a evitar algumas de suas mazelas, por exemplo, eliminando os carrapatos em seus corpos, os leões se estabilizariam numa maneira de vida e nunca evoluiriam, indo assim até que a mudança do planeta os extinguisse. Por isso não vamos ajudar os humanos a resolver suas mazelas atuais.”

E não é que isso faz sentido?! Por isso continuo a prestar atenção nêstes misticos e fazer-lhes perguntas. E a experimentar, praticar os conselhos que dão, as explicações que dão, como no caso desta musica que nos enviaram. Que dizem terem recebido de inteligências superiores porque a humanidade estaria passando por transformações nos niveis do dna e mental, transformações para melhor, merecidas por seus sacrificios nas gerações anteriores que trabalharam disciplinadamente, e portanto, meritória desta ajuda oportuna agora. A pessoa disse que ordenaram-lhe conseguir certos instrumentos musicais, dispo-los numa ordem numa sala, convocaram um “médium” chamado Frederic de la Rue, e eles a executaram, à distancia! Aqui não dou opinião, não acredito nem desacredito, cada qual que acredite no que preferir, o que me interessa é o fato real, a musica, para testa-la fazendo experiencias reais.

Eu interpreto a musica entendendo que ela conta a história de um ciclo vital. É a fórmula – que denominamos Matrix/DNA e que nêste website está representada como um diagrama de software – nascendo, fluindo com seu circuito, passando pelas fases da existência, que são as mesmas, seja do menor micro-organismo na Terra, ou do inteiro Cosmos. Quando, a certa altura, entra o som de um piano, é o ciclo alcançando a idade adulta, representa os pais na mesa na hora da refeição explicando e narrando a vida aos filhos, ou Deus tentando narrar os mistérios da existência, a nós. Quando mais tarde entra o som do violino representa a entrada na vida idosa, o som surdo da melancolia e saudades que uma pessoa velha sente na sua solidão, vendo a morte se aproximar… a qual é representada no som final, que vai se fragmentando até desaparecer. Mas é êste circuito, êste ritmo, o mesmo de qualquer processo saudavel ocorrendo em nosso corpo agora, seja o ciclo do sódio Nacl no ciclo de Krebs dentro de uma célula ou o nascimento de um pensamento num grupo de neuronios. Por isso, concordo com o texto em inglês no vídeo que diz: a musica possibilita ao corpo curar-se a si mesmo.

Observe que os humanos sempre estragam tudo o que é transcendente, sujando tudo com suas mãos, quando tentam fazer algo bom com o divino, que não conseguimos nunca reproduzir. Como acho que foi o caso da Biblia. Os receptores desta mensagem tentaram por a musica num video, com imagens, mas quais imagens? As divinas que a musica se relaciona? Não, as imagens que nossos pobres sentidos captam, limitadas à Terra, mas que julgaram serem apropriadas à musica. Porem, conforme eu ia assistindo o vídeo, fiquei impressionado com as imagens! No inicio, a pomba sendo sôlta pelas mãos, me pareceu a partida do meu espirito do reino espiritual, como um pombo-correio levando uma mensagem, uma missão a cumprir, sendo amparado nesta partida pelas mãos de um espirito maior, maior, e a pomba adentrando o espaço desconhecido significa nossa chegada e nascimento no mundo material. A partir daí cada imagem representa admiravelmente as fases do ciclo vital de nossa existência aqui, mas não posso explicar tudo pois seria um texto muito longo. A seguir aparece um pequeno passaro entre fôlhas espinhosas de cactus ou samambaias: é o espirito recem-nascido na Terra. como criança, curioa olhando tudo ao redor, a beleza e os espinhos sào os perigos; no final da musica o passaro já envelhecido está nuns galhos sêcos, sem folhas, quer dizer, a beleza imediata de antes deasaparece, mas o passaro agora observa curioso e sua atenção é atraída para os horizontes longinquos de uma beleza escura e misteriosa, como todos os humanos idosos inquirem o alem e seus mistérios. Ocorre que o ciclo vital de um ser humano é o mesmo processo do ciclo vital de uma célula ou um átomo do corpo, por isso a musica abrange tudo. Por isso minha sugestão é: na primeira vez, ouça a musica, sem se impacientar com a monotomia da musica no começo, assistindo as imagens. depois, esqueça as imagens. De preferencia, deite, relaxe todos os musculos, tente não pensar em nada, faça o esforço de afugentar da mente todas as preocupações atuais com a vida mundana, e ligue a musica. Não pense nem na musica, não se concentre nela, para não prejudicar sua terapia com seus julgamentos, não se concentre em nada, apenas respire e exista, imóvel. As ondas de som/luz da musica vão passar por dentro de seu corpo.

Mas isto acima é minha opinião mais a da pessoa (ou pessoas?) que enviou a musica. Não acredite em nada do que eu digo, nem eu acredito, são apenas nossas teorias, as quais continuarão a serem testadas perante os fatos reais. Ouça a musica novamente agora e elabore sua própria teoria. Depois, se tiveres tempo e disposição, leia nosso segundo texto abaixo. Ok?

Mas… somos seres humanos vivendo nesta face caótica da Natureza, somos filhos da necessidade e por isso não podemos ficar eternamente na solitária contemplação espiritual do mundo. Nossas necessidades nos pressionam a sair lá fora, onde um mundo imperfeito como uma placenta pobre para manter-nos como embriões mentais que ainda somos, nos aguarda. Como disse Dom Pedro na selva: “Aqui nesta vida és apenas um Homem, então lute e sobreviva como Homem!” Para sair lá fora preciso despir-me desta aura mágica espiritual obtida com a meditação, a musica enviada pelos Altos, a graça harmonica de Jackie, retornar àrealidade com os pés no chão e canalizar a energia obtida para a luta, a batalha, com determinação… mas com esperteza tambem, onde entra as técnicas de boa comunicação, os ap6elos corporais como sensualidade, mimica, etc. Para tanto, e enquanto me preparao para sair, deixo a tocar um video que para mim é de outro monstro sagrado vertendo energia por todos os poros: Mickael Jackson em “Dirty Diana”! Totalmente o oposto do que aconselhei acima, porem, funciona como um puxão de orelha energizante para sair animado e esfuziante de energia agressiva e enfrentar a batalha do trabalho lá fora:

xxxx

xxxx

Comentários extras da Matrix/DNA

Para ler, comparar com sua cosmovisão, pensar, corrigir, acrescentar… depois que retornares do mundo lá fora e tiveres um tempo de sobra…

Voltando a Rapture…

A imagem que tenho de Deus e da totalidade da existência pode ser explicada assim:

Num centro do mundo existe uma esfera, a mais luminosa possivel, mas que é como uma bolha contendo um ou dois cones, girando sõbre si mesmo, e rodeada por suas ondas de luz, seguidas por uma auréola material que é o nosso Universo, e que termina rodeada por uma espécie de dark matter infinita. Da base superior e larga do cone a espiral emite as ondas de luz, que saem como nuvens luminosas, se expandem, se quebram formando novas ondas, e isto vai enfraquecendo-as, até que a ultima onda enfraquecida bate contra a dark matter como a onda do mar encontra as rochas do continente. As ondas se quebram em particulas avermelhadas que se lançam para a frente e aqui começa o nosso Universo material. As particulas se tornam matéria e formam um anel circular, nós estamos no meio dêsse anel, dessa auréola avermelhada meio-escura em torno da esfera luminosa, e para todo lado que olhamos só vemos esta dimensão material. Esta matéria faz uma curva, continua avançando mas retornando por baixo das nuvens luminosas na direção da esfera central (ainda preciso fazer o desenho animado dessa imagem e anexa-lo aqui… alguem pode ajudar?).

À medida que avança, a matéria vai se desfazendo, se transformando em bolhas gasosas, e assim retornando no sentido inverso da Evolução, até entrar no cone central pela parte de baixo, o bico do funil. Essa matéria rarefeita se torna o alimento, o combustivel, que a esfera central, girando como uma fornalha, recicla e transforma nas ondas luminosas as quais são emitidas e assim perpetuando Deus e o mundo eternamente. Pensando bem, é a própria fórmula funcional da Matrix/DNA. No meio disso tudo existe uma consciência da existência do todo, que se expressa no ápice como a esfera lumonosa e vai se expandindo no meio das ondas e que se fragmenta em numero quase infinto de particulas de consciência, habitando as particulas materiais. Estas particulas estão sob evolução o que significa reunião em porções cada vez maiores, onde as porções de consciência cada vez maiores vão recobrando a noção de existir… e nós humanos, cada ser humano, é agora e aqui uma destas porções de consciência anexadas a porções das particulas que formam nossos corpos fisicos. Assim cada ser humano é uma espécie de gene que está construindo uma parte de um embrião final, onde todos os humanos com todas suas consciencias estarão reunidos num só corpo, e, passadas as atribulações da travessia na dimensão do anel material, êsse corpo resumindo tôda a Humanidade e possivelmente outras formas de Vida consciente no Universo, retorna a ser… Deus.

Esta imagem tem uma grande vantagem para a Humanidade: somos inspirados a ver todo ser humano como parte de nós mesmos, como co-trabalhadores ao nosso lado construindo nosso corpo futuro, portanto não é inteligente atrapalhar o caminho de nenhum ser humano, não é inteligente ser astuto, competidor e explorar a energia de outro ser humano, porque cada ser humano é um gene, o que significa que cada ser humano é uma mensagem unica, uma força unica indispensavel e inimitavel, a qual, se não cumprir sua missão, se não puder expressar a mensagem que traz em si, nós todos, nosso unico futuro corpo, poderá nascer com um aleijão. E ninguem em sã consciência quer nascer aleijado.

Esqueça todas as tentativas de mensagem de amor entre humanos: esta é a suprema significação e sintese que pode erigir o supremo amor entre a Humanidade e da Humanidade para a Natureza que a sustenta. Existe uma consciência infinita que conhece todas suas formas de existência, que “sabe” existir-mos porque somos ela agora, mas que não interfere em si própria, nada pode mudar no fluxo e ciclo eterno do vai e vem de ondas retornando como matéria. Pode isto sim, suas porções despertarem mais cêdo, desejarem crescer rápido como todo menino, acelerar nossa passagem pela auréola material e retornar o mais breve possivel ao supremo e prazeiroso estado de ondas de luz em seus mundos que desconhecemos daqui, e isto só se faz agregando-se as porções de consciências separadas aqui, ou seja, solidarizando-se fraternalmente com seus semelhantes. Por isso eu o (a) quero maior, mais sábio(a) e mais forte que sou e não vacilarei em ajuda-lo(a) sempre que puder em sua caminhada cumprindo sua missão. Quanto mais evoluído (a) estiveres significa menor atraso em minha evolução, pois ao invés de eu parar meu caminho, minha subida, para estender-lhe a mão e puxa-lo(a) para cima, você acima estenderá-me a mão acelerndo minha elevação. Aqui morrem tôdas as vaidades perniciosas, toda busca de poder sôbre semelhantes, tôda exibição e ambição de se aparecer huminhando os mais fracos. Acho que qualquer pessoa humana comum que caminha na rua sem chamar a atenção, dotada de cosmovisão semelhante, é muito mais inteligente, esperta e astuta que qualquer celebridade ou pessoa bilionaria bem-suscedcida nas tramas dos negócios que no final, apenas prejudicam a Humanidade como um todo e assim prejudicará elas mesmas.

O som de fundo, como se fôsse um chiado imitando a respiração, ou as ondas da maré que vai-e-vem, me lembra a radiação eletromagnética que captamos vindo do Cosmos e nos fêz acreditar na teoria do Big Bang. Imita o som do vai-e-vem das marés, das ondas que vão, se quebram, e das águas que retornam para o centro do oceano, porque assim são os universos que nascem, existem, e retornam à fonte que os gerou. O outro som, contínuo, executado pelo órgão, passa a sensação de como seria o som de uma consciência infinita se sentindo a si própria, ouvindo o som da existência de seu corpo, a qual se concentra num vórtice central, uma fonte emissora, e se expande junto com as ondas de luz, criando matéria, se refazendo na evolução da matéria. Talvez esta é a imagem que inteligências extra-terrestres mais evoluidas que nós tem hoje do que é Deus, ou ao menos, do que é o “tôdo”.

Ondas

A intuição humana tem “tocado” de longe e ainda primitivamente esta noção de um tôdo auto-reciclavel que existiria infinitamente, num tópico denominado “torus”. Talvez você saiba mais disso que eu, mas senão, veja algumas das produções desta intuição:

xxxx

Torus em simples rotação

xxxx

Torus como esfera e circulo concêntrico

xxxx

Torus dentro e fora

xxxx

Torus e o Buraco Negro

(clique na figura para ver a animação, mas se interessar veja mais em “The Dawn of Space and Time in a Selfconscious Quantum Universe” , em http://tonyb.freeyellow.com/index.html )

xxxx

Na sua dimensão, a minha consciência imagina, ou sente, que as ondas são de um oceano universal, de luz pura, e quando se quebram iniciando nova onda, se fragmentam em partículas, as quais se elevam como as espumas sôbre as ondas, levando consigo partículas da consciência, as quais vão constituir a matéria, os átomos, as estrêlas, os corpos humanos. A matéria sólida vai se desfazendo e fazendo o caminho da evolução que observamos, que é na realidade a involução, o caminho inverso das ondas, retornando à fonte central emissora (uma arquitetura de luz exuberante, indescritivel na linguagem humana), para realimenta-la com substância que é transformada na sua eterna emissão das ondas de luz. Cada onda inicia com alta vibração, vai se amenizando até se fragmentar. A vibração é o espectro da luz que se divide em sete frequências, em sete côres, e por isso a luz contem a fórmula do ciclo vital, a fórmula que achei apropriado chama-la de “Matrix/DNA”, que cria a Vida na matéria.

Sinta você sendo formado por estas partículas com infimas porções de consciência, que vem das ondas, as quais vem da fonte emissora central, as quais são a essência da arquitetura emissora, e para a qual retornas depois da matéria. Sinta o que és agora, uma parte do todo que é, ao mesmo tempo, o todo. Tente respirar em sintonia com os movimentos do som de fundo. A musica sugere o que é Deus, o que é você, o que fôste no passado, para o qual estás retornando. Sugere o que é e como sente a existência uma consciência pairando no infinito. A sugestão pode ser real ou pode ser uma grande fantasia, pode ser mera criação da mente humana… não importa… meditar ouvindo-a e sentindo tudo isso apenas com a mente por apenas 15 minutos… é a coisa mais saudável e inteligente que descobrí para suportar – com paz e uma “estranha mas agradável leveza de ser, existir” – esta vida árdua na matéria.

Eu nunca ví, toquei, ouví, nada que não seja material, natural. Racionalmente então eu devia ser materialista convicto. E o fato de ter encontrado a cosmovisão geral da Matrix/DNA – uma projeção das leis naturais e da matéria aqui e agora sôbre o Universo inteiro para calcular o que êle é, como foi sua História, demonstra que o raciocinio aplicado foi o mais fiel e exclusivista materialismo. Mas… não sei porque, não consigo ser materialista convicto. Então sou agnóstico… eu não sei… se existem outras dimensões… sei que meus sentidos sensóreos são muito limitados, meu cérebro muito pequenino para ter a pretensão de conhecer o Universo, os instrumentos cientificos provaram isso, então, pode ser que exista, pode ser que não, eu não acredito mas tambem não desacredito… eu não sei… Mas qualquer pista, qualquer indicio, não deixarei de investigar.

Foi devido a essa disposição para investigar que me sentei na pedra ao lado do meu amigo deitado no chão dentro de uma cabana na selva amazônica, para ouvi-lo. Dom Pedro era um velho indio de cabelos compridos tido como curandeiro e mestre na sua tribo que aparecera num hotel que eu estava em Porto Velho e se ofereceu como guia para uma entrada na Amazônia, território dos Jamanxins. Nos torna-mos bons amigos, ele foi comigo depois a Serra Pelada e viveu por algum tempo na minha casa. Dom Pedro era um indio estudante do mundo, a civilização dos brancos era para 6ele um objeto curioso de estudo, para o qual ele se ausentava da tribo por longos períodos. Tomava suas poções de raízes e ervas, algumas variações do que chamamos de Santo Daime, e ficava esquisito, em transe hipnótico, ausente do mundo, coisa que nunca imaginei ser do gôsto de nativos semi-selvagens. Mas êles produziram, por exemplo, a cultura e ciência dos maias e astecas, tinham seus deuses, seus espiritos, foram tão distantes nestas viagens da mente que alcançaram nocões de planetas distantes, como Niburu… não era para me admirar que Dom Pedro, o filho e herdeiro do xamã curandeiro da tribo, se ausentasse do mundo real, para viver no mundo de sua imaginação e falar com os seres de sua imaginação, pois tôda criança fala com seus amigos invisiveis. Olhava para minha costumeira papelada esparramada no chão e numa tábua rustica, de livros, calculos, fórmulas e desenhos (o método diferente que minha mente de branco materialista fazia as mesmas viagens mentais privadas no meio da matéria e do todo), com uma expressão facial de curiosidade, e um dia, apontando para uma pagina de um livro de Física das partículas, me perguntou:

– “O que é isso?”
– “Ahhh? … São uns diagramas, uns desenhos feitos por cientistas, sôbre como eles calculam que são os rastros deixados no espaço pelas menores particulas da matéria… dessa matéria do nosso corpo, das pedras…de tudo o mais.”
– “Eu vejo isso, sei o que é, quando entro no mundo dos espiritos…”
– “O senhor está brincando… he…he… não podes ver isto…”
– “Ok… você vai me hipnotizar como fêz da outra vez, me faz voltar ao nascimento, e me ouvir contar o que vejo, faz desenhos do que digo… será igual a êstes…”

E era! Foi uma das maiores surprêsas em minha vida. Eu não sou hipnotizador, mas tinha ouvido a descrição de um caso sôbre hipnotismo e como na selva temos tempo para tudo, e devido aos casos esquisitos que ví se passarem com Dom Pedro, um dia propus experimentar-mos uma sessão hipnótica de regressão mental ao utero materno, quando ele tomava suas poções, e o resultado me deixou impressionado. parece que na sua regressão êle ultrapassou o utero materno, passou pelo momento de sua concepção, e caiu em outra dimensão do mundo. Não vou descrever aqui o que aconteceu porque é muito extenso e não adianta… nem eu ainda cheguei a uma conclusão. Tenho pensado na ocorrência procurando entender como os neuronios produzem imagens do que não existe e nunca viu, e parece viver no meio destas imagens.

Os desenhos que fíz naquêle dia me deram mais tarde a inspiração ou idéia para resolver algumas brechas na fórmula da Matrix, no tocante à Função 1, que é a do buraco negro no espaço sideral, e do “sugar” na haste do DNA. Não que eu tenha preenchido o desconhecido na matéria com as imagens imaginadas por Dom Pedro, mas sim porque as imagens de Dom Pedro me fizeram lembrar coisas reais distantes da vista como as moléculas do DNA e conformações do espaço sideral e calcular alguns mecanismos que os cientistas sabem existir mas não sabem como explica-los ainda. Mas o desenho final do que relatava Dom Pedro resultou no quadro de algo parecido com duas serpentes enroladas entre si em espiral tendo esferas como sóis no meio delas, e como cabeça, um vórtice girante em torno do qual giravam as… particulas. Semi-vivas, parecendo lacraias, cada qual numa cor e com diferente numero de “perninhas”, voavam livremente no espaço até serem capturadas num daqueles vórtices, que, segundo Dom Pedro, existe no lugar do cortex… dentro de nossas cabeças, ou um pouco acima dela, pois segundo percebí, as coisas no espaço imaginario de Dom Pedro não tinham posição nítida. As surprêsas continuaram quando, mais tarde, notei que sem o saber haviamos desenhado exatamente a figura da aura tal como desenhada pelos misticos orientais, onde as duas serpentes vivas se tornam kundaline, a mesma sequência de côres, que é tambem a mesma sequência das côres do arco-íris. Suspeitei que a visão de arco-iris, com sua aura misteriosa, tinha embrulhado os sub-concientes de Dom Pedro e dos misticos orientais a 5 mil anos atrás, fazendo-os imaginar a aura.

Mas no desenho revelado por Dom Pedro havia um acréscimo à visão revelada pelos orientais, uma novidade: o vórtice no alto da aura. E as particulas. Quase caí da cadeira numa noite tempos depois quando uma lembrança e uma intuição me fêz trazer o desenho sôbre a mesa, olha-lo de vários angulos diferentes… e perceber que eu estava vendo um… DNA! As duas serpentes em espiral de Dom Pedro que se tornaram o kundaline dos misticos agora se tornavam as duas hastes do DNA. As esferas como sóis em sete cores diferentes de Dom Pedro que se tornaram os chacras dos misticos agora se tornavam no conjunto das bases nitrogenadas, como se guanina, timina, citosina, adenina, se juntavam nos espaços vazios entre as duas serpentes formando a imagem de um sol reluzente. Mas será então – me perguntei – que o cérebro dos antigos místicos lançavam flashes imaginarios do DNA que existiam no centro de seus neuronios à suas consciências? Mas como naquela época não se tinha a menor idéia da existência do DNA, e porque êles viam a coisa se mexendo, contorcendo, como algo vivo, e como tinham a tendencia para ver o sobrenatural em tudo… inventaram êsse negócio de aura? Mas e o vórtice de Dom Pedro? Em nada se parecia com a tal “coroa de sete pétalas” que os orientais colocaram no alto da cabeça. Os “intelectuais” de 5.000 anos atrás ainda não tinham um cortex tão desenvolvido como o dos nativos no século XX ?

Para resumir, um agnóstico mais tendente para materialista do que criacionista, ficou impressionado com aquilo tudo, porque eu tinha testemunhado a ocorrencia, pareceu-me que eu tinha tocado algo não perceptivel naturalmente. Perdí Dom Pedro, não foi mais possível continuar com as sessões. Hoje não acredito naquilo, parece que tudo foi um sonho, mas os desenhos ficaram…

Por via das duvidas, como tudo aquilo tinha uma lógica impressionante para um fllósofo formado em lógica formal, as particulas de Dom Pedro eram exatamente como as teorias dos fisicos, o DNA era fato comprovado… resolví prestar atenção ao que o desenho sugeria: mentalmente uma pessoa poderia captar do espaço à sua volta as particulas na cor de cada chacra, mentalmente poderia ordena-las no vórtice girante a seguirem uma trajetória, canalizadas dentro das duas serpentes, e insuflar cada chakra, desbloqueando raios bloqueados, renovando todos, o que resultaria num banho de saúde para o corpo. Quando voltei para a civilização, o trabalho estressante e o esforço intelectual nos estudos me causavam insônia, comecei a pensar em experimentar a meditação, me lembrei dos desenhos e… fiz a meditação.

Para minha surpresa não a terminei, dormí como uma pedra e no dia seguinte tinha uma energia, uma disposição, que me dava a sensação de que estava de bem com a vida. Claro que não poderia ter sido a meditação, tudo aquilo era uma tremenda fraqueza de um filósofo racionalista que têve uma decaída devido ao stress. Mas… na noite seguinte, a insônia de novo, a meditação de novo, e lá vai mais uma vez um filósofo decaído dormir como uma pedra. E no outro dia se mover tanto que parecia um mosquito elétrico.

“A coisa tôda não tem fundamento!” – minha Razão está sempre dizendo ao meu recem-nascido consciente, mas… em time que está ganhando, não se mexe. Fiquei 30 anos sem nunca precisar tomar um comprimido, médicos e hospitais e farmacias iriam à falência se precisassem de mim. na minha segunda volta à civilização, e direto para os Estados Unidos, voltei à carga materialista estressante do dia a dia, e a Matrix/DNA tem me conduzido a mais ceticismo em relação a coisas como aura, que parei de fazer a meditação. Bem, a um mês atrás caí doente e fui parar no hospital… Voltou a insônia… Mas eu não consigo fazer mais a meditação, parece-me que vivendo dia e noite apenas Ciências, desacreditei totalmente da possibilidade de existência de auras.

Agora por acaso, vendo meus e-mails e mensagens recebidas pela Internet, ouví uma musica… que me tocou de uma forma diferente, e achei que deve ser boa para uma meditação de 15 minutos. Pelo menos é um motivo para me esforçar e fazer a meditação novamente… Vou experimentar e mais tarde retorno aqui contando o resultado. Tenho os desenhos em papéis que estão no Brasil, é dificil para mim passa-los para o computador, mas eu acho que minha descrição acima, para quem já viu uma das milhões de imagens de auras que existe na Internet, e conhece a imagem do DNA, pode por si mesmo deduzir como são os desenhos. E por si mesmo perceber como é a técnica da meditação. Se porventura houverem muitos pedidos, posso fazer um esforço extra e tentar por os desenhos no computador.

Apenas mais um conselho, mas por favor, não conte a ninguem, pois eu teria vergonha de ter dado este conselho. Antes da meditação, reze o Pai Nosso tal como rezado por Cristo. Eu não sou crente, não acredito que Jesus tenha sido Deus ou algum extraterreste, até mesmo suspeito que êle não existiu, pode ser tudo mera invenção. Mas existe uma frase, a qual muito me agrada e nunca esquecí desde os tempos de criança quando ía à igreja católica obrigado por alguma tia ou avó, e a lí. É a seguinte:

“Minha familia? Quem é minha familia? Quem são meus irmãos e irmãs senão todos os irmãos e irmãs do mundo? Minha familia é a Sagrada Familia…”

E noutra ocasião lí em algum lugar que São francisco de Assis, se não me engano, estava prêso numa cela quando disse a alguem: “Esta familia… esta instituição humana, esta familia nuclear, em nome da qual, tanta hipocrisia, tantos horrores, e tanta escravidão se tem praticado no mundo…”

Eu me criei sem familia e tôda vez que batí na porta de uma familia procurando trabalho fiz o serviço dos escravos e recebí apenas o suficiente para comer e dormir…às vêzes ganhava uma roupa usada… Por isso entendí de chôfre o que São Francisco quis dizer, e o cara passou a ser meu herói, mesmo que maluco por ser crente.

Não sei e nem quero saber o que foi Jesus Cristo, se ele existiu ou não. Mas a maior frase já proferida nêste mundo, segundo o meu gôsto particular, veio ligada ao nome Jesus Cristo. Alguém disse aquela frase. Se não foi êle, foi o autor por trás dêle que o inventou. Então o sábio é o autor. Não importa. O que importa é a frase. Se ela fôsse dita pela primeira vêz hoje na minha frente, eu não ia querer nem saber quem é o cara, eu seguiria sua bandeira até o inferno! Quem disse, quem inventou essa frase tinha coração! Tinha a maior sabedoria de todos os tempos! Quem são meus irmãos… senão cada irmão nêsse mundo? É preciso ter peito, coragem para dizer isto. Carreia contra si o ódio de muita gente, aqueles que ainda dominados pelo gene egoísta familiar. Claro que nossa familia nuclear deve ser preservada, amada, merecendo a nossa morte em sua defeza. Mas não estamos aqui para parar nossa evolução intelectual na familia nuclear. Estamos aqui para sonhar, desejar e lutar para que essa familia nuclear se torne a Sagrada Familia Universal. A Humanidade Unida deve ser nossa suprema causa.

Então, esta frase veio unida a um nome: Jesus Cristo. É a frase mais sábia do mundo. Eu criei muitas frases bonitas e profundas que estão na cosmovisão da Matrix/DNA, mas nunca tive a sabedoria necessária para ser inspirado a criar essa frase. Então êsse Jesus Cristo foi um homem muito sábio, talvez o mais sábio do mundo. Se não foi êle, o mais sábio foi o autor por tras dêle. Mas o mesmo autor então teria sido o autor do Pai Nosso. Então o Pai Nosso, mesmo que eu não veja sentido algum naquêle texto de palavras, pode ser que contenha algo que eu, não sendo tão sábio, não tendo sido capaz de criar aquela frase, certamente porque não tenho no coração a mesma fôrça da causa suprema que tinha aquêle autor, a quem sigo sua bandeira sem discutir, sigo tambem essa oração sem discutir… É pura lógica, o cara foi o maior, foi o que melhor captou o supremo significado inteligente para a Humanidade, não tem como discutir suas produções.

Portanto você, como eu, não precisa acreditar em Jesus Cristo como alguem supernatural, não precisa entender a oração, não precisa acreditar nela. Simplesmente a faça antes da meditação, com o sinal da cruz e tudo o mais. Para mim parece que a meditação dava bons resultados, mas eu a fazia precedida por aquela oração. Em time que está ganhando não se mexe, mesmo que venham te dizer que apareceu um novo e melhor jogador do mundo… não troque nada no time que estiver ganhando. E o Pai Nosso era um dos jogadores da meditação, do time que estava ganhando, segundo me parece os 30 anos sem um comprimido sequer.

Ok. A seguir vai o link do YOUTUBE para ouvires a musica. Ouça deitado(a) na cama, com todos os musculos completamente relaxados, pense na imagem do desenho, e comece a ver as particulas voando livres ao seu redor… aplique a técnica. Se o fizer, por favor, no futuro deixe um comentário aqui, se surtiu ou não algum efeito…

xxxx

Outlook enviado ao autor:

Hay Frederic,

I am the author of a new theory ( The Universal Matrix/DNA of Natural Systems and Life’s Cycles) and only explaining it through my website, http://theuniversalmatrix.com

The music, Rapture, caused me great impression because it seems to translate by sound a complete vital cycle as suggested by the Matrix/DNA formula. Then, I put the music and wrote an article with interpretations from the Matrix/DNA point of view. I would appreciate very much if you try to read the article( unfortunately, in Portuguese) and communicating to me yours conclusions. Cheers… Louis.

xxxxx

Estado atual do artigo:

– pesquisando about “torus”, no Google

xxxx

Stonehenge: Impressionante Cálculo do Sol Poente no Modêlo da Matrix, a 3.000 Anos!

domingo, dezembro 18th, 2011

No dia 22 de dezembro muitas pessoas foram aos monumentos de Stonehenge, como está relatado no artigo abaixo. Porque?

xxxx

Stonehenge e o Sol Nascente

xxxx

A imagem formada pelo pôr do sol do solstício de inverno e nascer do sol no solstício de verão, quando se alinha horizontalmente com a superficie da Terra e pode ser visto no seu esplendor, foi cercada por um monumento de pedras a 3.000 anos atrás pelos pagãos da Europa, onde faziam cultos e rituais celebrando o nascimento no nascer do Sol e a morte com renascimento no inverno. Porque e para que tiveram essa idëia e tanto trabalho?! Se hoje com tanta tecnologia seria muito mais fácil a todos os povos da Terra que apreciam o espetáculo fazê-lo e ninguem faz nada?

Acho que os celtas o fizeram porque tinham intuições ou informações que não temos hoje. Por serem pagãos foram perseguidos pelos cristãos e suas religiões/rituais, banidos. Será que o cristianismo produziu o efeito de eliminar em nosso cérebro um nascente sexto sentido que teria sido visto pelos cristãos como um pecado, algo que possibilitava a filosofia, e com essa, a busca do conhecimento do bem e do mal? Ou será que a Terra foi visitada por alienigenas e seus ensinamentos foram vistos como coisas do demônio?

O fato é que a obra produzida pelos nossos ancestrais reflete, reproduz, exatamente a imagem do processo do nascimento, morte e reciclagem da fórmula universal da Matrix/DNA! Veja na rustica figura que fiz na selva amazônica como primeiro esboço da intuição que temos na selva, onde se localiza a Função 1, no diagrama/software, que representa buracos negros em astronomia, o “desoxirribose” nas hastes dos nucleotideos em abiogenese, e o nucleo celular am biologia celular. Veja que as duas linhas laterais do cone seriam as duas pedras verticais de Stonehenge, e a auréola de poeira estelar que é o alimento para os embriões crescerem e desabrocharem, seria a pedra horizontal.

xxxx

Matrix DNA Universal como Building Block de Galáxias, Nucleotideos, Células, Circuitos Elétricos, etc.

xxxx

Qualquer germe de um novo sêr – seja de uma estrêla no Cosmos ou de um baby na Terra – nasce como as esferas amarelas dentro do cone, assim como qualquer cadáver tem sua matéria decomposta se pondo no mesmo cone, como a massa vermelha no desenho. De onde os “mortos” ressuscitam. Nós mesmos, humanos, nascemos, vbiemos á primeira luz intensa do dia, a partir de uma espécie de tunel cônico escuro e, segundo pessoas que tiveram morte clinica e retornaram à Vida, relatam que estavam retornando por um tunel cônico escuro… no fim do qual havia uma luz intensa… Seria o “ir” e “vir” de uma alma?

Mera coincidência? Talvez. Mas a sugestão dos resultados vistos com a fórmula da Matrix de que ela está no centro dos nossos neurônios (como o DNA), e ali está a memória, e a possibilidade de que a mente ainda semi-virgem dos primeiros povos, sem os condicionamentos culturais que impuseram sôbre êles, poderia, quando em transe obtido nos rituais, ver flashes que ecoavam como sinapses e relampagos no cérebro, projetando a imagem do DNA, que é a essência primeira do corpo humano, é uma variação da fórmula da Matrix Universal, a qual forçosamente revela em si o processo que repetido em todos os lugares do Universo: nascimento e morte. Eu alimento esta hipótese porque ví alguem – um xamã primitivo das tribos da Amazônia, em transe num ritual – descrever a mesma coisa. Como pode ser? Alimento a hipótese apenas como mais uma área para nossa pesquisa, nada como certo. Ah… e muitas pessoas apontam a correlação dos monumentos com o numero “phi” da “sagrada geometria”, como se pode ver nos comentários que seguem o artigo. E se o leitor não sabe, veja num artigo nosso aqui o que descobrimos sôbre êsse numero: justamente sua posição no circuíto de um sistema natural qualquer representa o momento que a meia-face esquerda se reproduz como sua meia-face direita, ou seja, o inicio da bi-lateral simetria, mas como se vê na fórmula/software da Matrix, êle representa ao mesmo tempo justamente o mensageiro masculino que leva a carga genética para o feminino iniciar uma nova reprodução.

Veja o artigo em:

EarthSky

xxxx

http://earthsky.org/human-world/stonehenge-marks-winter-solstice-sunset-gallery
http://earthsky.org/human-world/stonehenge-marks-winter-solstice-sunset-gallery

Stonehenge marks winter solstice sunset (Stonehenge sinaliza o pôr do Sol no inicio do Inverno)

Os povos da Europa pré-cristã, chamados pelos católicos de pagãos, tinham grande ligação com esta data. Segundo alguns, monumentos como Stonehenge eram construídos de forma a estarem orientados para o pôr do sol do solstício de inverno e nascer do sol no solstício de verão.