Archive for janeiro, 2012

Imagens do Hubble Mandam uma Mensagem: o Cosmos Pode Ser um Principio Vivo!

sábado, janeiro 21st, 2012

xxx

O Cosmos Não é Vivo?

xxx

O ser humano tem sido ultimamente bombardeado com repetidas imagens estonteantes do espaço celestial. Apenas na ultima semana, as poderosas sondas espaciais enviaram a cada dia um maior numero de imagens como esta acima, por exemplo. Debruçamos-nos sôbre estas imagens tentando raciocinar: “O que elas significam? Que mundo é êste em que existimos?”

Pensávamos que o céu é imutavel e apenas um amontoado de estrêlas espalhadas ao léu como o vemos a ôlho nu nas noites estreladas. Mas aora sabemos que não é imutável, não oferece estabilidade nenhuma para uma existência como a humana pois a qualquer momento, por exemplo, uma pequena erupção no Sol pode queimar tôda a vida na Terra. Nêste momento estão ocorrendo muitos eventos nêsse nosso mundo, tanto que num futuro próximo teremos que ter outro jornal, um relatando noticias que ocorrem todos os dias na Terra e outro com noticias que ocorrem todos os dias no mundo ao qual êste planeta e nós pertencemos.

Estamos dentro do que?! Que mundo é êsse? Esta seria a pergunta se as bactérias que vivem em nosso corpo fossem inteligentes e se questionassem sôbre o que vêm ao redor. Seria a pergunta dos virus que viviam dentro dos dinossauros. Por mais inteligente que fossem nunca poderiam ver a verdade, descobrir que seu cosmos é um dinossauro vivo, ou um ser humano auto-consciente. Nem com toda tecnologia mais avançada possivel o poderiam descobrir. Só poderiam conhecer a verdade se saíssem um dia fora de seu “cosmos” e olhassem para trás, de cima, pois não há como escapar da mensagem fatal no teorema de Godel: não se pode jamais conhecer a verdade, o sentido de existência, o significado, de um sistema, estando dentro dêle. Isso é óbvio!

Considerando-se a relação entre as bactérias e nosso corpo, do virus em relação ao dinossauro, e de nós mesmos em relação ao Cosmos, é fatal que nos lembremos do relativismo: a interpretação de cada observador diferente situado em seu ponto especifico no espaço-tempo será a sua interpretação unica e inimitavel. E sempre incompleta, equivocada. Vemos estas imagens e é inevitável a nós formular uma opinião decorrente de uma interpretação mesmo subconsciente. Somos como virus em relação ao corpo do Universo. Mas já evoluimos ao ponto de saber da armadilha do relativismo, de saber que jamais nossa opinião será semelhante à verdade.

Os cientistas que trabalham com astronomia, cosmologia, tentam interpretar as imagens e divulgam-nas ao publico. Êles podem interpretar de uma maneira mais ampla que nós, mas não esqueçamos o que a Matrix/DNA está tentando alertar: quem está captando estas imagens e desta maneira são sensores mecânicos conectados a cérebros eletro-mecânicos, os quais, relativisticamente, vêm e sentem e interpretam diferente dos sensores orgânicos conectados a cérebros humanos. Todo observador é preconceituoso por sua condição inevitavel: seleciona algumas informações e descarta outras. O cérebro humano com seus sensores veriam o Cosmos diferente, selecionando outra classe de informações vistas e descartando algumas que o computador destacou nestas imagens. Quando os homens entrarem nestas sondas e forem lá ver e sentir por si mesmos, a teoria atual mudará da água para o vinho.

Imagine uma particula inteligente vivendo dentro de um átomo dentro do nosso corpo. Apontando seus telescópios para alem de seu átomo mas dcentro de uma organela dentro de uma célula, captariam átomos ao redor como estamos vendo aquêles pontos luminosos na foto acima, e como estamos acreditando que são estrêlas e galaxias como a que vivemos dentro, êles acreditariam estarem vendo átomos como o que vivem dentro. Captariam as manchas do sangue e outros liquidos como o citoplasma que envolve seus sistemas moleculares, da forma como vemos tôdas estas formas de nuvens brancas e vermelhas na foto acima. Mas seu mundo mental sofreria um baque violento e teria que serem reformuladas tôdas suas crenças e visões de mundo se descobrissem que aquêles átomos e aquelas manchas constituem uma célula, e viva! Quem dêles viveu pensando que sabia alguma coisa do mundo, e registrou publicamente suas crenças, escreveu divulgando-as, perceberiam o quão ridículos foram. Assim como se sentiriam hoje os filósofos gregos, os homens mais bem informados, mais sábios de sua época, se ressuscitassem e conhecessem a biogenesis, e se lembrarem que acreditaram piamente na geração espontanea.

O mundo está totalmente aberto e ainda todo por ser descoberto. Não é aconselhável se permitir que uma teoria, uma visão de mundo, uma doutrina religiosa, qualquer coisa que derive de interpretações do mundo, se sedimente em nossas mentes e interrompam ou desviem-nos da necessidade de continuar experimentando, averiguando, entrando por todas as portas, saindo por todas as saídas. Por exemplo, os resultados do diferente método e dos calculos inseridos na Teoria da Matrix/DNA estão sugerindo que os astros celestes ao menos no passado estiveram sujeitos às mesmas leis naturais que estiveram as moléculas primordiais e seus decorrentes primeiros micro-organismos. Ou seja, ela sugere que os primeiros astros estavam sujeitos ao processo do ciclo vital e formaram sistemas com propriedades mecânicas exatamente ancestrais das propriedades biológicas dos seres vivos. Isto sugere que o Cosmos seja um sistema apresentando um quadro primitivo de algo semi-vivo, um principio de vitalidade. Os átomos e as manchas que esta bactéria-em-relação-ao-Cosmos chamada Louis Morelli está vendo nesta imagem, não me autorizam a entregar minha auto-consciência ao que meu cérebro está acreditando ver, tudo derivado da teoria cosmológica de geração espontanea de astros e mecânica celeste que aprendí na escola e leio nos livros hoje. Nem me autoriza quando vejo as mesmas imagens sob a luz da Teoria da Matrix/DNA, de astros sob ciclos vitais numa vitalidade celeste.

A Humanidade precisa da interpretação mais próxima possivel da verdade para que sintonizemos as nossas vidas no mesmo ritmo da Natureza. Quanto mais “natural” for nosso comportamento, melhor adaptável seremos e isto significa que viveremos mais felizes, mais abastados, mais saudáveis. E significa que podemos aprender como evitar que sejamos atropelados pelos eventos emanados de seu ritmo, como hoje temos tecnologia para saber quando e onde um meteórito vai cair, teríamos tambem para saber quando e onde o Sol vai ter nova erupção, para onde ir nos desviando de seus efeitos. Sabemos que não podemos captar a verdade existindo dentro dela, que temos de evoluir-nos para a capacidade de extrapolar as fronteiras dêste Universo, por isso precisamos continuar caminhando todos os caminhos. Se alguma mente humana sugerir que esatas manchas são de um tipo de um plasma espiritual, ela está apenas indicando mais uma porta aberta. Que pode não levar a lugar algum. Mas ninguem sabe qual porta leva a algum lugar. Esta é uma dentre a infinidade de outras. Vamos experimentando tôdas, até finalmente encontrar a que estamos procurando. Para melhorar a chance de encontra-la, temos que reunir o maximo de nossas fôrças numa só. E aqui está o mal das crenças ondividuais ou de grupos em intertpretações: elas impedem-nos de obter essa força maior, elas nos dividem, e assim elas nos enfraquecem.

Press This — Support — WordPress.com

quarta-feira, janeiro 18th, 2012

Press This — Support — WordPress.com.

A Odisséia da Matrix/DNA

segunda-feira, janeiro 16th, 2012

Matrix/DNA Odisséia

Interessante! Como a Água-Viva Expressa um Mecanismo Da Galáxia e Engana os Cientistas.

segunda-feira, janeiro 16th, 2012

Água-Viva

Semana passada cientistas anunciaram que conseguiram solucionar um dos maiores mistérios da vida marinha, porem, acertaram ao descrever o processo, mas erraram ao interpretá-lo. Trata-se da questão de como consegue se perpetuar a população de águas-vivas, pois pela lógica elas não deveriam existir mais.

As marés crescem e invadem as margens e praias durante uma metade de um dia e na outra metade diminuem e a água volta para alto-mar. Com isso, o que surgir de vivo na costa do continente que fica boiando próximo à superficie, como o plankton, é sempre arrastado pelas ondas para alto-mar, a cada 12 horas. Mas a água-viva surge nas costas dos continentes como o plankton, flutua  nas ondas como o plankton e se fôsse arrastada para alto-mar a cada 12 horas,  no primeiro arrastão já teria sua espécie desaparecido do planeta, pois ela não sobreviveria devido à falta de alimento, etc. Na verdade, contrário a tôda lógica racional, ela surgiu no planeta a 600 milhões de anos, muito antes de insetos e dinossauros, e continua sobrevivendo muito bem, mantendo uma população residente cuja longevidade de cada individuo é muito mais longa que as 12 horas. Como pode isso?!  Essa questão tem feito, por séculos, os estudiosos e cientistas coçarem a cabeça em desespêro: não é possível! Isto não tem lógica! Nós as vemos sendo levadas pelas ondas para alto-mar, sabemos que a partir de certa distância da costa elas tem que morrer. De onde caem as águas vivas que vemos a cada novo dia nas margens dos continentes ? Do céu?

Na excelente seção de Ciências que o New York Times publica às terças-feiras, veio na semana passada o artigo “So Much More to Jellyfish Than Plasma   and Poison”, em 07 de Junho de 2011. ( Quem quiser ver o artigo traduzido clique aqui: http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=1604.)  O grupo de pesquisa liderado pelo Dr. David J. Albert do Roscoe Bay Marine Biological Laboratory in Vancouver, British Columbia, passou décadas observando e perseguindo individualmente cada água-viva até perto do alto-mar e anuncia ter descoberto a solução para o mistério.

Segundo êles, quando a maré diminui e as águas começam a retornar para alto-mar, de fato leva as águas-marinhas tambem. Porem antes que as ondas entrem em alto mar existeu ma região denominada “barra de cascalho”. Então de repente as águas-vivas saltam fora das ondas e mergulham fundo, alcançando a região mais profunda onde as águas não se movem. Ali ficam hibernando e aguardando. Quando após doze horas as ondas começam a retornar devido a maré crescente, elas sobem à tona, embarcam de carona nas ondas e retornam para as margens onde está seu alimento.

Acho que tem muito marmanjo humano campeão de surf que devia estudar as águas-vivas para aprender uns bons truques. Pois na verdade elas são as verdadeiras campeãs das ondas.

Mas como acontece tal fenômeno na Natureza?! Os mesmos cientistas estudam afundo as água-marinhas e já sabem que elas não possuem cérebro, nem sequer um sistema nervoso estruturado. Isto significa que ela não tem como perceber e captar as ondas de água da maré. Então como ela entra e sai da onda na hora certa e local exato?! Como ela sabe – estando no meio das ondas – que mais abaixo tem água parada?!  Como pode ela discernir que existe a barra de cascalhos?  E como pode ela saber que alem da barra de cascalho ela iria morrer, ou que depois da barra existe o alto-mar?!

Os cientistas estão fazendo um esforço titânico, esmiuçando as nervuras e receptores/emissores da água-viva, e com uma prévia intenção: provar  – ao contrário do que se tem acreditado no meio cientifico – que ela possue um estrutura nervosa primitiva porem muito mais evoluída do que se imagina, e essa estrutura seria a razão de tanta sabedoria.

Estão indo no caminho errado porque não conhecem êsse  mundo real em  que existe a Matriz/DNA. Nem sequer nunca imaginaram algo parecido. Pois os modêlos da Matriz/DNA apresenta a solução para o mistério sem apelar para um cérebro e uma sabedoria na água-viva que não existe.

E como explica a Matriz/DNA essa “mágica” da água viva? Resumindo: o DNA da água-viva, a qual é um ser semi-vivo tão primitivo que a conecta com os eventos na origem da vida produzida por este planeta e seu sistema astronomico, continua se comportando da mesma maneira que o DNA/ Matriz astronomico, o qual afinal, é seu pai e sua mãe, seus criadores.

Foi êste planeta Terra, junto com os demais astros que formam o sistema ao qual êle pertence, sistema que tem como nucleo esta fabulosa e dadivosa estrêla da vida que é o Sol, que geraram, criaram a vida na superficie da Terra. E criaram simplesmente obedecendo as leis e mecanismos da evolução universal, na qual sistemas simples mutam e se reproduzem em sistemas com algum grau a mais de complexidade. Pode ser que por trás do nosso sistema estelar, alem das galáxias, antes do Universo, exista alguma Inteligência Suprema, mas se ela existe, ela faz jus a ser chamada de Suprema, ela não precisaria vir aqui ou ficar andando de planeta em planeta para criar a Vida, pois até nossos engenheiros conseguem produzir softwares pré-programados. Para começo de conversa, observe uma água-viva e observe a forma da Via Láctea. O nucleo arredondado, os braços que se extendem para o exterior, a água-viva parece uma cópia da Via-Láctea.  A semelhança na forma não é mera coincidência; minha avó já sabia que ” filho de peixe, peixinho parecerá”.

Mas a explicação da Matriz/DNA é fantástica. Fêz os pêlos dos meus braços se arrepiarem de emoção, fêz meus olhos lacrimejarem de admiração, de como é extraordinária a engenharia oculta nessa Natureza!

Para entendê-la, temos que observar o modêlo do software DNA/Matriz, ou como estava a forma evolutiva da Matriz quando ela construiu as galáxias, ou seja, o hardware material, o corpo concreto,  em que ela iria se “encarnar”.

 

A Matriz/DNA na Forma-Software nas Origens das Galáxias

A Evolução dos Astros Idêntica à Evolução das Organelas Celulares: Assim como um Sistema Elétrico Acende Lãmpadas, Assim a Matriz Universal faz se Manifestarem as Estruturas Materiais.

( clique no desenho para ver melhor, e desculpe a péssima qualidade do desenho pois foi feito com lápis e papel de embrulho enquanto ajoelhado à beira de pantãnos remexendo a lama nesta pesquisa, com a pele tôda queimando devido a centenas de vampirozinhos, os piuns e carapanãs, a sugarem-me o sangue, e sob o sol escaldante da selva amazônica)

Sabemos que a matéria, ou a energia, pode se manifestar como partícula ou como onda. A água-viva representa a partícula da matéria no espaço, o corpo do astro que vai sendo transformado nas seis formas ou funções sistêmicas, apresentadas na figura.  As ondas da maré é a imitação terrestre dos ondas do tempo, que na figura são representadas pelas setas do circuito sistêmico.  Pois a água-viva e sua conexão com as ondas da maré repete o processo do ciclo vital universal onde a matéria ora se apresenta como partícula em relação ao espaço, ora se apresenta como onda em relação ao tempo.

A água-viva não sabe nada, não capta nada, e nem poderia. Ela funciona automaticamente como os ponteiros de um relógio, os quais saltam de numero em numero sem ter noção que estão se movendo e muito menos sabendo que existem numeros ou momentos repetititvos periódicos do tempo. O contexto “ondas + água-viva”  funcionam dentro de um sistema astronomico,  como um relógio, porque ambos são produtos de uma estrutura mecanica, o relógio newtoniano, a mecânica newtoniana. Assim como um relógio move os dois ponteiros, assim a galáxia move a maré e as partículas nela, como as águas-vivas. Parece inacreditável que algo tão gigantesco como a galáxia atue sõbre algo tão pequeno como a água-viva, mas torna-se perfeitamente compreensível quando entendemosque galáxias e águas-vivas são apenas diferentes formas de um unico sistema universal sob evolução, onde tamanho nada diz. Existe um modêlo fractal, que é a figura aqui exposta nêste website e denominada Matriz/DNA, que está na essência dêste sistema, portanto a água-viva é apenas um fractal microscópico de um fractal macroscópico. A estrutura, o esqueleto, o programa-software, é um só, apesar de que mudam suas protuberancias, acessórios, e vistas á distancia por um observador desavisado, as formas externas tornam-se tão diferenciadas que parece não terem afinidades entre si.

Observe na figura que as setas  do circuíto mais o corpo de astro que avança, quando chegam na Função 4  se bifurcam. Um fluxo das setas-ondas continua seu caminho circular para fechar a circunferência, enquanto outro fluxo “desce” na direção de F1. O ciclo diurno da dupla ondas da maré/água-viva repete este processo e chega a um ponto onde a água-viva se desloca e se separa da onda circular, parecendo “descer” verticalmente para as profundezas onde se encontram as águas estacionárias. Todos os movimentos exibidos pela água-viva, tais como o mergulhar, o emergir de volta à superficie, o estacionar nas águas profundas, nada mais é que mera repetição do fluxo representado pela seta que vai de F4 retornando a F1. E a água-viva, assim como a forma do cometa em F5, ressurge nas ondas circulares  e com elas se funde novamente em F1, quando estas atingem o  extremo inferior, da base.

Mas note bem. Estaria correto dizer, como dizem os cientistas, que a água-viva desce e depois sobe? Isto depende do ponto de referencia, o ponto fixo em relação ao qual dizemos que algo está subindo ou descendo. Tomemos como ponto de referencia o nucleo do Sistema planetario, nosso Sol.  Durante metade do dia, o planeta que gira sobre si mesmo tem uma face voltada para o Sol.  Observando desde o Sol diríamos que a superficie dessa face é o ponto mais alto do planeta.  Na outra metade do dia, essa face se desloca para a parte oculta do planeta, então o observador que continua fixo no Sol diria que a mesma face agora é o ponto mais baixo do planeta.  Em relação ao sol, ora, nós americanos estamos em cima e os japoneses lá do outro lado, estão embaixo, ou ora estamos embaixo e os japoneses lá em cima.

Então se pudessemos cavar um poço ininterrupto desde o solo da América e for-mos aparecer com a cabeça saindo num bueiro numa rua de Tóquio, estaria certo dizer que descemos e depois subimos? Ou que mergulhamos na terra e depois emergimos da terra?…

Então, em relação ao Sol, quando a água-viva sai das ondas e mergulha, realmente ela está “descendo” durante a metade do dia. Mas ainda em relação ao Sol, quando na outra metade do dia ela se dirige à superficie, na verdade ela continua descendo… Ela está simplesmente sendo conduzida pelas setas da função 5.

Agora durma com um barulho dêstes… É cada coisa que essa Matriz nos leva a descobrir que nossa pobre cabecinha não vai aguentar muito tempo…

A água viva não mergulha e depois emerge por si mesma, ela simplesmente é conduzida a descer sempre, repitindo o movimento do ancestral de seu DNA, a galáxia inteira! Porque êste processo está registrado em seu DNA, ele foi treinado para agir assim durante 10 bilhões de anos. Foi sómente depois, nos seres vivos mais evoluidos, que esse processo deixou de ser expressado e foi fazer parte do que chamam indevidamente de “lixo-DNA”.

Sinto que aqui e agora não tenhoo tempo e os recursos computacionais gráficos para inserir um desenho que fiz no papel hoje, refletindo esta questão. Devido ao movimento de rotação horizontal da Terra em relação ao Sol, na verdade a maré não vai e volta. Ela sempre só vai numa direção, justamente imitando o sentido do fluxo circularda Matriz/DNA. Acontece que, se nos posicionar-mos no Sol e ficar observando a Terra, um continente qualquer que durante uma metade do dia está se distanciando à esquerda, continua indo para a esquerda quando êle está do outro lado, na face oculta.

Realmente têm razão os pesquisadores em admirarem a complexidade e os comportamentos em uma água-viva. Diz o Dr. Albert:

“Examinando todos esses comportamentos, é preciso se perguntar o que seria necessário para organizá-los e executá-los”. Não são simples reflexos; são comportamentos organizados”. Albert concluiu que ela precisa ter algum tipo de cérebro. “Um cérebro controla comportamentos”.

Aqui está o motivo de meu desêspero por não aparecer ninguém que me ajude a divulgar e se fazer conhecer a cosmovisão da Matriz/DNA. Um grande exército de estudantes e pesquisadores como o Dr. Albert precisam conhecer urgente as fórmulas da teoria. Se êle a conhecesse êle não diria isso e estaria dirigindo sua pesquisa por outro caminho mais correto. Nem sempre quando há comportamentos organizados existe um cérebro controlando. Todos os objetos do mundo são influenciados pela hierarquia dos sistemas naturais. Sistemas longínquos e invisíveis aos nossos olhos podem estarem influenciando uma pedra ou uma planta à nossa frente, sem nos dar-mos conta disso. Por exemplo, o árabe que se torna um homem bomba suicida está se comportando diferente do que seria normal a um ser humano, que procura sobreviver e não se suicidar. Ocorre que acima da sociedade e do homem existe um sistema invisivel chamado “religião” a qual influencia, altera, o comportamento normal do homem.  O sistema longinquo, invisivel que influencia o comportamento da água viva, existe desde a 10 bilhões de anos e é do tamanho de uma galáxia, mas êle está inscrito no DNA da água-viva e êle construiu a biosfera, o ambiente no qual ela existe. A Matriz está dentro de nós e ao nosso redor, em todo lugar. Por isso é de extrema importância que a conhecemos e saibamos de sua existência.

Mas ela faz tudo isso porque a fórmula software da Natureza para organizar a matéria em sistemas, quando dirige essa matéria, repete sempre este mesmo mecanismo. E é através da nossa aprendizagem destes mecanismos, apoiando-se no trabalho de gigantes de paciente e dedicada observação anos a fio de cientistas como o grupo do Dr. Albert, que nossa mente vai angariando informações dessa extraordinária engenharia natural e com esse conhecimento vamos tendo novas intuições para elaborar novas tecnologias que vão ajudando-nos a sobreviver e melhorando nossas condições de vida. Parabéns ao grupo do Dr. Albert e à Teoria da Matriz/DNA.

Observações:

1) Como todos os demais, cada tópico como êsse lançado aqui é uma nova área de pesquisa tendo por base a cosmovisão da Matriz/DNA. Portanto cada tópico fica sempre em aberto para serem acrescentados qualquer novidade, qualquer novo fato relacionado que porventura vai sendo descoberto.

2) ÁGUA-VIVA COM PROTEÍNA CAPAZ DE EMITIR LUZ LASER.

Cientistas americanos induziram uma célula a produzir luz laser, afirma um artigo publicado na revista Nature Photonics. A luz laser se diferencia da normal porque ela tem um espectro mais reduzido de cores, como ondas de luz que oscilam juntas, em sincronia.  A equipe usou uma proteína verde fluorescente, encontrada em uma espécie de água-viva, a Green Fluorescent protein, ou GFP, na sigla em Inglês.  Objeto de muitos estudos, a molécula GFP revolucionou a biologia ao agir como uma  “lanterna” que pode iluminar sistemas vivos.

Comentário da Matriz/DNA:

Não restam duvidas: a água-viva é muito importante para testar-mos a existência ou não da fórmula da Matriz/DNA e para melhor entendê-la. Isto porque a água-viva está – evolutivamente – muito próxima ao nosso ancestral astronomico,  à forma de sistema fechado. Veja como as coisas vão batendo.  Já disse aqui muitas vêzes que a existência de proteínas no nosso mundo é a explicação de que elas são a  forma material-biológica que representa as setas circulares do circuito sistêmico no software-Matriz. Em outras palavras, proteína é a ferramenta material biológica que exerce a função de materializar e fazeratuar o processo do ciclo vital, e o conjunto de tôdas as proteínas é a soma de todas as informações do fluxo de informações do sistema. Ora, no nosso ancestral é o circuíto que “acende” as estrêlas. Quando nossa inteligencia intuitivamente copiou o sistema Matriz na forma de circuito elétrico caseiro, é o circuito elétrico que  acende as lampadas. Portanto, desde que as proteínas representam o circuito total, tinha que ser uma proteína que seria a molécula biológica capaz de produzir luz, e tinha que ser num sistema biológico que fôsse uma das cópias ou reprodução mais fiel do sistema na forma astronomica, ou seja, a água-viva. Não admira que a intuição dos cientistas os induziram a pensar numa “lanterna” acesa dentro de um ser vivo.

Por outro lado,  temos aqui um outro tópico dedicado á luz. Isto porque estamos chegando à conclusão que o principio de tudo nêste Universo está alojado na luz natural, quando estamos descobrindo que as sete formas diferentes de frequências e períodos da onda de luz contem a forma do ciclo vital. Parece que a luz é o tentáculo,  a mão de Deus aqui  nêste mundo, a essência que contem a primeira forma do software da Matriz/DNA. E esta noticia da proteína GFP deve ser levada ao tópico de pesquisa da luz também.

xxxx

RELACIONADO:

O artigo abaixo anuncia que às vêzes as ondas arrancam as água-marinhas de seu esconderijo nos cascalhos e as leva para a costa dos continentes, causando enorme estragos. Como ficamos então? Temos que voltar à fórmula da Matrix e ver porque ou quando isso pode acontecer. Talvez encontremos uma nova característica da mudança do clima no planeta. A posição da agua-marinha no cascalho corresponde à posição de F5 se estivesse parada no centro do circuito. Para o circuito esférico (as ondas) arranca-lo de lá, ele teria que se invaginar, varrer o cascalho e retornar ao fluxo normal. Suponhamos que a fórmula se reproduz como template do planeta. O circuito esférico seria a atmosfera. Como a atmosfera desceria adentrando o oceano? Pesada devido poluição? Mas podemos supor tambem que o circuito esférico seja as ondas, o que parece mais certo neste caso. O que exerceria pressão sôbre as ondas para elas se expandirem e descerem mais varrendo áreas mais profundas do oceano?

Primeiro teríamos que correr ao local quando as águas-marinhas estão sendo atacadas. Medir tudo: densidade da água, densidade atmosférica acima da água, velocidade das ondas, e até mesmo medições das águas abaixo do local, pois ao invés de estar sendo empurradas, as ondas podem estarem sendo atraídas para baixo.

Bem… por ora fica o mistério.

Commentary: Rise of the jellyfish

http://www.mcclatchydc.com/2011/12/17/132941/commentary-rise-of-the-jellyfish.html

Posted on Saturday, December 17, 2011
By Fred Grimm | The Miami Herald

It was the invasion of the surreal: thousands and thousands of gelatinous sea creatures, with their dangling venomous tentacles, overwhelming the cooling canal of the St. Lucie nuclear power plant, washing up against the turtle protection nets, clogging the intake screens.

So many jellyfish filled the canal that Florida Power & Light shut down the St. Lucie reactor for two days.

The translucent creatures had been sucked through giant ocean intake pipes, pumped under the dunes and into the canal, with enough trauma to break off tentacles and create another kind of horror show. A marine scientist told me that the canal water became “a tentacle soup,” and thousands of fish, including 400-pound goliath groupers, died, probably from stings around the gills.

“We have jellyfish blooms every year. But this was an explosion,” said Doug Andrews of FPL. “I’ve never seen anything like it.”

The plant was shut down as a precautionary measure on Aug. 22, Andrew said. And divers worked a 24-hour-a-day operation, pulling thousands of dead and dying moon jellyfish out of the water. The clean-up went on for weeks. Andrews described semiopaque creatures with small pink circles at their core. Tons of them. “It was an amazing freak of nature,” Andrews said.

Except that the once freakish blooms of jellyfish are no longer so unusual. A month before the St. Lucie incident, enormous invasions of jellyfish similarly caused shutdowns of nuclear reactors in Shimane, Japan, and Dunbar, Scotland, and to Israel’s biggest electric plant, a coal-fueled operation in Hadera.

A jellyfish bloom was blamed for a massive salmon kill in the Irish Sea in 2007, in waters once regarded as too cold for this kind of phenomenon. A bloom was also blamed for ruining commercial fishing off Angola, in southern Africa.

Last year, fishermen in Japan’s Wakasa Bay found 450-pound orange Nomura jellyfish the size of refrigerators fouling their nets.

Earlier this year, the Chinese Academy of Sciences assigned 30 marine scientists to look into the sudden increase in jellyfish blooms and their devastating effect on commercial fishing. The academy said blooms that once occurred in 40-year cycles now come every year.

Even stranger, freshwater jellyfish have been discovered lately in lakes of Canada, Minnesota and New Hampshire.

Jonathan Gorham, a marine biologist with Inwater Research Group, the non-profit group overseeing the sea turtle protection program at the St. Lucie plant, said he had seen jellyfish blooms in the Gulf of Mexico last summer large enough to disrupt the shrimp harvest.

The invasions of July and August, of course, are anecdotes — data points, Gorham called them — but they coincide, unhappily, with scientific theories that jellyfish, which seem to thrive in warmer waters, are harbingers of global climate change. Marine scientists also wonder whether the anecdotal rise of jellyfish might have to do with the decline of fisheries (less competition for smaller marine life), or from the agricultural nutrients that pollute the oceans. Jellyfish seem to do well in oxygen-depleted dead zones that kill most fish.

Pick your theory. Or all of above. Jellyfish seem to be one of those creatures, like rats, that can adapt to the environmental disasters fomented by man.

But there’s some good news along with the sting of the jellyfish tentacles. (Rub a little white vinegar on the wound). Gorham said that jellyfish are a staple of the sea turtle’s diet. The endangered turtles will eat well.

And after the salmon and grouper and sea bass and snapper have disappeared, we can emulate sea turtles and dine on jellyfish. Eddie Lin, author of Extreme Cuisine, called collagen-rich jellyfish the “food solution” to the coming global warming crisis.

Chinese restaurants, the authentic joints, already serve jellyfish. Usually with sesame oil and rice vinegar over noodles. The food solution to our overheated future is said to have a crunchy texture.

Read more here: http://www.mcclatchydc.com/2011/12/17/132941/commentary-rise-of-the-jellyfish.html#storylink=cpy

SENSACIONAIS EVIDÊNCIAS PARA A MATRIX/DNA THEORY: ESTRÊLAS PRODUZEM MOLÉCULAS DA VIDA NO INFRA-VERMELHO!

domingo, janeiro 15th, 2012

Discovery: Cosmic Dust Contains Organic Matter from Stars

Estrêlas Produzem Moléculas Orgânicas Complexas

Paper publicado na NATURE e artigo no SPACE.COM são excelentes evidências para três modêlos da Matrix/DNA Theory:

1) O modêlo cosmológico da formação das galáxias:
2) O modêlo da Luz como fórmula do Ciclo Vital;
3) O modêlo da origem dos sistemas biológicos.

O artigo vai copiado abaixo pois que estamos analizando-o ítem por ítem (pena que os grifos coloridos não saem nesta planilha do worldpress), e postando comentários seguindo cada item, mas antes apresentamos um breve resumo da versão da Matrix/DNA Theory:

Modêlo do Espectro da Luz pela Matrix/DNA:

O espectro da Luz é dividido em sete principais secções de oscilações ( a partir da fonte inicial temos as seçções gamma ray, X-ray, ultraviolet, visible, infrared, microwave e radio. A partir da fonte de emissão de uma onda de luz, o espectro representa um Ciclo Vital. Ciclo Vital é um processo natural que anima um corpo natural a se desenvolver por fases estalbelecidas. Quando a Natureza vai criar um novo tipo evolucionario de sistema natural ela aplica o ciclo vital a uma porção de massa constituida da ultima forma de sistema evoluido, por exemplo, uma massa de sistemas atômicos a nivel astronomico. assim esta massa torna-se um corpo, e sujeito ás transformações do ciclo vital ele muda suas formas, das quais extraímos sete formas principais. Com o ambiente contendo muitos dêstes corpos em todas suas formas, ocorre um processo de simbiose que atrai as formas sucessivas na sua ordem do ciclo vital, e estas formas se organizam como o novo sistema. Assim se formaram os sistemas galácticos e os sistemas vivos celulares. Na figura a seguir vemos como os ciclos vitais constituiram o sistema galáctico e o sistema familiar humano ideal composto por sete formas humanas diferentes entre si.

Ciclo Vital Humano e Astronomico

Ciclo Vital Humano e Astronomico

E na figura a seguir vemos como um processo de Ciclo Vital se torna na fórmula universal dos sistemas naturais:

The MatrixDNA as Closed System

The MatrixDNA as Closed System

Como podemos ver no gráfico fda luz acima, a primeira secção de uma onda ou raio de luz ( gamma ray) representa a Função Sistêmica N.1, que é a função da gestação de um novo corpo vivo. A segunda secção, (X-ray), representa a Função N.2, que é a fase infantil de desenvolvimento do corpo, na forma de bebê. Quando chegamos à secção “infrared” encontramos a Função N. 5, que é a fase inicial da forma adulta, quando tem inicio a atividade reprodutora sexual. Enquanto o circuito sistêmico nasce em F1 e vai até F4 sem se dividir, é formado o lado esquerda da face da Matrix 9 (no sistema astronomico original é o circuito indo do buraco negro ao pulsar). Justamente entre F4 e F5 tem inicio a atividade sexual e a produção de F5 que representa a emissão do cromossoma masculino Y. Entre a F5 e F6 começa a formar o lado direito da face da Matrix, começa a fase ce adulrto no corpo humano, e começa a fase de estr6ela ( na forma de supernova) no corpo do astro sideral. Apesar de o fluxo sistêmico de informações, quando se encontra na forma de supernova, conter tôdas as informações do sistema, por estar no lado direito da face vai expressar mais dominantemente os 50% de informações desta meia-face entrópica, ou seja, das formas de adulto á forma de cadáver. Portanto, os fótons ejetados pelas estrêlas contem expressadas a metade ultima das informações suficientes para produzirem compostos moleculares organicos. Os quais devem ser emitidos dentro da faixa de onda que vai do infra-vermelho ao radio. Mas se estas informações sào emitidas dentro de cometas, os quais são produzidos na passagem do pulsar para a forma de supernova, que corresponde às funções F4 e F6, elas devem emitir o espectro correspondente a esta faixa, que é o infravermelho. Justamente como o encontrado pelos cientistas.

Vejamos o artigo na…

SPACE.COM
http://www.space.com/13401-cosmic-star-dust-complex-organic-compounds.html

Discovery: Cosmic Dust Contains Organic Matter from Stars

A new look at the interstellar dust permeating the universe has revealed hints of organic matter that could be created naturally by stars, scientists say.
Researchers at the University of Hong Kong observed stars at different evolutionary phases and found that they are able to produce complex organic compounds and eject them into space, filling the regions between stars. The compounds are so complex that their chemical structures resemble the makeup of coal and petroleum, the study’s lead author Sun Kwok, of the University of Hong Kong, said.
Such chemical complexity was thought to arise only from living organisms, but the results of the new study show that these organic compounds can be created in space even when no life forms are present.

Aqui está o problema. Na palavra “ life forms”. O modêlo cosmológico oficial e a Biologia não considera sistemas naturais como átomos e galáxias como sendo “vivos”, da maneira que o consideram o sistema natural celular. Enquanto isso o modêlo cosmológico da Matrix/DNA sugere que as propriedades vitais estão presentes em todos os sistemas naturais, sejam em suas formas mais primitivas quase irreconheciveis, sejam expressadas ou não. Se a Matrix/DNA estiver mais próxima da verdade, não faz sentido dizer que compostos orgânicos complexos sintetizados no espaço dentro de galáxias o são sem a presença de formas de vida.

In fact, such complex organics could be produced naturally by stars, and at an extremely rapid pace.
“What impressed me most is that complex organics are easily formed by stars, they are everywhere in our own galaxy and in other galaxies,” Kwok told SPACE.com in an email interview. “Nature is much more clever than we had imagined.”

VER ISTO:

The findings of the new study were published online today (Oct. 26) by the journal Nature.

Scanning the cosmos in infrared

Kwok and his colleague Yong Zhang, also of the University of Hong Kong, studied a set of well-known but mysterious infrared emissions found in stars, interstellar space and galaxies. These phenomena, which are collectively called Unidentified Infrared Emission (UIE) features, have been known for 30 years, but the exact source of the emissions has not been pinned down, and remains a broad assumption.
“In the astronomy community, it has been commonly assumed that the UIE features are emitted by [polycyclic aromatic hydrocarbon, or PAH] molecules, which are simple, purely aromatic, molecules made of carbon and hydrogen,” Kwok said. “Our paper suggests that the PAH hypothesis is not correct.” [Spectacular Photos of Nebulas in Deep Space]
Kwok and Zhang analyzed data from the European Space Agency’s Infrared Space Observatory and NASA’s Spitzer Space Telescope to show that the Unidentified Infrared Emission features are not emitted by PAH molecules because the emissions have chemical structures that are far more complex.
“I have been suspecting this for many years,” Kwok said. “Now we think we have the evidence.”
The researchers observed stars at different phases of stellar evolution — first low- to medium-mass stars, then stars in the protoplanetary nebula phase, which is a short-lived episode during a star’s rapid evolution, and finally stars in the planetary nebula phase, which is characterized by an expanding shell of ionized gas that is ejected by certain types of stars late in their life.
Kwok and his colleague found that characteristics of the Unidentified Infrared Emission features could not be detected in low- to medium-mass stars. But, the astronomers found that the emissions began to appear in stars in the protoplanetary nebula stage and grew stronger as the stars matured into the planetary nebula phase.

Isto significa que a produção dos fótons-genes vai aumentando com a idade adulta da estrêla.

“We therefore know that these organics are being made in the circumstellar stellar environment,” Kwok said.
More surprises
Another surprising thing they found was just how quickly stars were generating complex organic compounds and ejecting the dusty material into their surrounding environment.
“Since we know their dynamical and evolutionary ages of these objects (dynamical age is how fast the nebula will disperse, and evolutionary age is how fast the star is evolving), we can put constraints on the chemical time scales,” Kwok said. “Since the dynamical/evolution ages are of the order of thousands of years, the appearance of the spectral features suggests that the organic compounds are made on time scales shorter than thousands of years.”

Talvez a explicação seja a seguinte: os fotons-genes se aproveitam do estado maleável da matéria ainda sob altas temperaturas, antes de se tornarem rochas frias e duras. Afinal, o calor é um ótimo catalizador. Isto é o que sugere o modêlo da Matrix/DNA sôbre a emissão de cometas.

The researchers also studied emissions from exploding stars and found that these dynamic cosmic events produced dust even more rapidly.
“Their spectra changed from a pure gas spectrum to a dust spectrum on a matter of days or weeks,” Kwok said. “The sudden appearance of the features suggests that organic dust can be made extremely quickly.”
But, the findings throw a wrench into existing theories that posit that stars cannot produce such complex organic compounds in the near-vacuum environment of space.
“Theoretically, it is very difficult to understand because of the very low density of the circumstellar environment,” Kwok said. “But, observationally, there is no doubt as we see these spectral features appearing and changing on very short time scales. This means that these organic solids are condensing directly from the gas phase.”

É teóricamente impossível em relação ao modêlo teórico oficial, mas perfeitamente possível e obrigatório em relação ao modêlo cosmológico da Matrix/DNA. Eu não vejo como o quase-vácuo poderia prejudicar a formação destes compostos. as informações para fabrica-los sào os fótons-genes que estão dentro do astro. O astro emite porções de magamas vulcanicos para o espaço interestelar que esfria sua matéria, gerando algo como rochas. Os compostos sào resultantes da ação dos fotons-genes nestas rochas. O vácuo nada tem a fazer aqui.

Star dust and the early solar system
The scientists also found that the chemical structure of organic star dust is similar to complex organics found in meteorites. Since meteorites originate from space rocks that are remnants of the early solar system, the results of the study suggest that stars could have enriched the early solar system with organic compounds, Kwok said.
“It is quite possible that the organics in meteorites are remnants of star dust in the solar nebula,” he explained. “The star dust [was] ejected by nearby planetary nebula[s] and survived the journey across the galaxy.”

Plenamente de acôrdo com os modêlos da Matrix/DNA. But… life on Earth had three sources: 1) the radiation of fotons from stars; 2) the radiation from earth’s nucleus: and… 3) coming with meteorites resulting from comets disintegration that were ejected by pulsars and supernovas.

Early in the Earth’s formation history, the planet was pummeled in a shower of meteorites and comets during a period known as the Late Heavy Bombardment. Since the organic compounds in meteorites are similar to what was found in stellar dust, the results of this new study show that the barrage of meteorites that fell to Earth during the Late Heavy Bombardment could have carried organic star dust.
While it may be too soon to determine whether these organic compounds played a role in kick-starting the development of life on Earth, it certainly is a possibility, Kwok said. [Extremophiles: World’s Weirdest Life]
“If this is the case, life on Earth may have had an easier time getting started as these organics can serve as basic ingredients for life,” he said.
Further research in this area will be necessary, and Kwok intends to continue analyzing additional infrared observations to better pin down the chemical structure of organic star dust. He is also interested in studying more about how and why stars are able to produce complex organics as quickly as they seem to.
“Coal and kerogen are products of life and it took a long time for them to form,” Kwok said. “How do stars make such complicated organics under seemingly unfavorable conditions and [do] it so rapidly?”

Comentários que postei no artigo:

TheMatrixDNA14 hours ago

“While it may be too soon to determine whether these organic compounds played a role in kick-starting the development of life on Earth, it certainly is a possibility, Kwok said.”

This organic compounds produced by stars must be right-handed, a chiral molecule, not used for life. But a star emits right-handed photons-genes that, when they meet matter from comets and planets which emits left-handed photons-genes, could compose nucleotides.

Why infrared? Because these stars are on evolutionary stage that corresponds to universal systemic function between number 4 and 6. And any wave of light is a fundamental formula for Life’s Cycle, where infrared represents any body emitting sexually (mechanically or magnetically or biologically), its 50% of genetic information. Everything explained in the article Sensational Evidence for “ The Matrix/DNA Theory: Star Produces Molecules of Life in Infra-red! at http://theuniversalmatrix.com ( in Artigos-Portuguese)

This is a fantastic evidence for three models of Matrix/DNA Theory: a) the cosmological model; 2) the model of Light spectrum as Life’s Cycles, and 3) the model for origins of cell systems. Thanks Mr. Kwok and Zhang, we are very excited here, studying this good news.

xxxx

Comentário postado em:

Like a Physicist

http://likeaphysicist.wordpress.com/2011/10/27/poeira-cosmica-contem-materia-organica-criada-nas-estrelas/#comments

Poeira cósmica contém matéria orgânica criada nas estrelas

louismorelli
28/10/2011 às 21:30 | #1

Hei, Luciano,

Se te interessa outras interpretações, veja o artigo “SENSACIONAIS EVIDÊNCIAS PARA A MATRIX/DNA THEORY: ESTRÊLAS PRODUZEM MOLÉCULAS DA VIDA NO INFRA-VERMELHO!” em http://theuniversalmatrix.com , pois apreciamos a troca de informações com mentes progressistas.

Porque dizem que um sistema natural celular é vivo e um sistema natural galáctico não é vivo? Os compostos moleculares encontrados não estão sugerindo que não existe essa diferença?

Porque os compostos emitem infra-vermelho e não, por exemplo, raios gama? Talvez o modêlo da Luz pela Matrix/DNA, que previu isto a 30 anos atrás, e sugere que qualquer onda de luz é a fórmula fundamental que imprime Ciclo Vital aos corpos naturais esteja correta… principalmente quando o modêlo determina que compostos orgânicos emitam em infra-vermelho.

By the way… isto é alimento para o pensamento…

xxxx

Remote Control, Infrared, etc.:

Infrared é o raio elegendo como frequencia dominante a fase “espermatozóide” , jovem-adulto, influenciado pelo calor nos corpos num nivel acima da temperatura ideal humana. Muito importante tecnologicamente falando porque é aplicado na eletronica como contrôles remotos. Porque o infrared seria a fase do raio mais sensivel à temperatura, ao calor? Pode-se entende-lo através do diagrama da matrix. É a faixa do circuito sistemico ou ciclo vital entre F4 e F6, quando se apresenta a forma de pulsar e transformação em supernova. Deve ser a fase mais quente do sistema. Inclusive mais quente do que o interior do buraco negro. É o ponto em que um ciclo vital atinge sua maxima temperatura. Moleculas emitem ou absorvem infrared quando variam sua rotação (ver isto melhor).

FIM

Buracos Negros Pêgos Emitindo Esferas Incandescentes! Como Previsto na Matrix/DNA Theory!

domingo, janeiro 15th, 2012

Fui pêgo de surpresa com essa animadora e surpreendente noticia quando estou saindo para trabalhar, por isso copio o artigo para traduzi-lo e analiza-lo quando voltar. É pura confirmação dos modêlos da Matrix/DNA feitos a 30 anos atrás na selva amazônica, naquêle desenho azul que está em Home! E quero que me apontem alguma outra teoria que previu isto, mesmo que tenha sido um dia antes da foto ser obtida!

xxx
TG – DAILY
http://www.tgdaily.com/space-features/50561-black-hole-emits-giant-jets

Black hole emits giant jets
Posted on July 8, 2010 – 06:31 by Staff writer

xxx

Buraco Negro Emite Esfera Incandescente

xxx

Please don’t snigger, but ESO and NASA astronomers have discovered a black hole blowing out an enormous bubble of hot gas.

The bubble, 1,000 light-years across, is being created by the most powerful pair of jets ever seen from a stellar black hole. The gas-blowing black hole, or microquasar, is located 12 million light-years away, in the outskirts of the spiral galaxy NGC 7793.

“We have been astonished by how much energy is injected into the gas by the black hole,” says lead author Manfred Pakull.

“This black hole is just a few solar masses, but is a real miniature version of the most powerful quasars and radio galaxies, which contain black holes with masses of a few million times that of the Sun.”

Black holes release huge amounts of energy when they swallow matter, and it had been thought that most of this emerged in the form of radiation. However, the new findings show that some black holes can release at least as much energy, and perhaps much more, in the form of collimated jets of fast moving particles.

The fast jets slam into the surrounding interstellar gas, heating it and triggering an expansion. The inflating bubble contains a mixture of hot gas and ultra-fast particles at different temperatures.

The astronomers discovered that the bubble of hot gas is inflating at a speed of almost one million kilometres per hour. From the size and expansion velocity of the bubble the astronomers have found that the jet activity must have been ongoing for at least 200 000 years.

“The length of the jets in NGC 7793 is amazing, compared to the size of the black hole from which they are launched,” says co-author Robert Soria. “If the black hole were shrunk to the size of a soccer ball, each jet would extend from the Earth to beyond the orbit of Pluto.”

Very powerful jets have been seen from supermassive black holes, but were thought to be less frequent in the smaller microquasar variety. The new discovery suggests that many may simply have gone unnoticed.

The report appears in Nature.

Teste: para confirmar no Google autoria dos artigos

sábado, janeiro 14th, 2012

Fotógrafos Correm Para Fotografar o Localizado Bin Laden do Espaço Sideral

sábado, janeiro 14th, 2012

xxxx

Foram captando informações daqui e dali, montaram teorias, fizeram simulações nos mais poderosos computadores, e tudo isso apontou para um ponto no espaço: o bandido procurado numero 1, o gigante e devorador canibal celeste de tudo que é feito de matéria, o maior terror cósmico perante o qual a Terra tôda tremeria de mêdo, cujo retrato falado feito nas CIAs e FBIs que investigam o além-Terra desde os subterrâneos quilométricos do CERN, equipados com a mais avançada tecnologia, deverá se encaixar agora como uma máscara perfeita florescente para revelar aos nossos olhos os contornos daquêle horrível e monstruoso ser que se oculta sob a escuridão da dark matter.

Veja a noticia em: Physorg.com

http://www.physorg.com/news/2012-01-scientists-gear-picture-black-hole.html

Titulo: Scientists gear up to take a picture of a black hole
Cientistas Preparam-se Para Tirar a Foto de um Buraco Negro

“Nobody has ever taken a picture of a black hole,” Psaltis said. “We are going to do just that.” ( Nunca ninguém conseguiu obter uma foto de um buraco negro”, Psalts disse. “Nós estamos indo fazer justamente isso.”

Dimitrios Psaltis, um professor de astrofísica da Universidade do Arizona e pesquisador do Stewart Observatory, junto com o professor de astronomia Daniel Marrone, organizaram a conferência para traçar o plano macabro para capturar um buraco negro, a qual acontecerá agora, em 18 de janeiro.

Mas a Matrix/DNA Theory já fêz seus complexos calculos matematicos e publicou uma previsão de como será a imagem do Black Hole. Se a Matrix acertar na previsão, os cientistas vão ter que se explicarem porque tanto trabalho e dinheiro gasto em algo que a Matematica resolveu. Veja a figura a seguir (clique na foto para ver o buraco negro funcionando):

xxxx

Fotografia do Buraco Negro XPB 10 no espaço entre a Terra e a Lua e Mil Vêzes Maior que o Sol

Estás vendo o buraco negro? Não? E não vês êle funcionar? Mas o que esperavas, se trata-se de um buraco e ainda por cima, negro?! Gastei três semanas com Matemática complexa e programas computacionais de organização de pichels para fazer esta imagem, ela está certíssima!

E se a Matrix/DNA acertar com esta foto…aplausos para a Matrix (cliqi na foto abaixo p/ ver animação)

xxxx

Aplausos Para a MatrixDNA

xxxx

O plano é um golpe de astúcia humana e tinha que ser surpreendente, pois teria que ser comparavel á astucia suprema da maior fera do Universo:

O terrorista está escondido na caverna nuclear no centro da Via Láctea, tão distante que apesar de ser quatro vêzes maior que o Sol, os nossos olhos eletrônicos – os possantes telescópios – aqui da Terra o veriam muito pequeno. Ora, para ver algo tão distante e pequeno, ao mesmo tempo que negro, entra a astúcia:

“To see something that small and that far away, you need a very big telescope, and the biggest telescope you can make on Earth is to turn the whole planet into a telescope,” Marrone said. ( Para ver algo naquela miniatura e longínquo, você precisa um grande telescópio, e o maior que se pode fazer na Terra é tornar o inteiro planeta num telescópio,” Marrone disse.

Mas como?!

Para isso a reunião na quarta-feira, onde ( astronomers, physicists and scientists from related fields will convene in Tucson, Ariz. from across the world) astronômos, físicos e cientistas das áreas relacionadas convergirão do mundo tôdo.

Estou inserindo as próprias palavras em Inglês para verem que é verdade, não se trata mais de um dos meus artigos brincalhões que ficam chamando os cientistas para brincar.

O “Event Horizon Telescope”!

Horizonte de Evento é onde se esconde o buraco negro. Portanto êsse telescópio é como o satélite espião que filmou a casa do Bin Laden. Faz sentido: se êles dizem que o planeta Terra é o telescópio, e sabendo-se que a Terra tambem é como um satélite girando em volta do nucleo galáctico, ela poderá filma-lo. Mas como é êsse telescópio tão grande que não o vemos?!

” To that end, the team is connecting up to 50 radio telescopes scattered around the globe, including the Submillimeter Telescope (SMT) on Mt. Graham in Arizona, telescopes on Mauna Kea in Hawaii and the Combined Array for Research in Millimeter-wave Astronomy (CARMA) in California. The global array will include several radio telescopes in Europe, a 10-meter dish at the South Pole and potentially a 15-meter antenna atop a 15,000-foot peak in Mexico.”

Uau !!! Fantástico! O Homem ainda é pequenino, mas o buraco negro que se cuide, pois o gênio astuto e a capacidade de realizações do Homem são maiores que o da formiga que carrega nas costas algo dez vêzes mais pesado que ela! Os mais poderosos telescópios da Humanidade, espalhados desde o Polo Sul na Patagônia a tôda a Europa; da Califórnia, do México à pequena ilha no oceano, somando mais de 50, estarão todos conectados por uma rêde de computadores em volta do globo!

“In essence, we are making a virtual telescope with a mirror that is as big as the Earth,” Doeleman said. “Each radio telescope we use can be thought of as a small silvered portion of a large mirror. With enough such silvered spots, one can start to make an image.” ( Em síntese, nós estamos fazendo um telescópio virtual com um espêlho do tamanho da Terra,” Doeleman disse. “Cada rádio-telescópio que vamos usar pode ser pensado como uma pequena porção espelhada de um grande espêlho. Com suficientes pequenos espêlhos, podemos fazer uma imagem”.

Já foi o tempo que nos deliciávamos com as cenas no cinema da bruxa malvada se mirando no espêlho e perguntando: “Espêlho, espêlho meu! Haverá alguém mais bela que eu?” . Agora nos encolhemos todos e boquiabertos assistimos a cena da nossa mãe Terra se mirando no espêlho feito pelo Homem no tamanho dela e se perguntando: “Espêlho, espêlho meu! Apesar dêstes malucos dos humanos, haverá ainda alguém mais verdinha que eu?”

(Pausa para o lanche! Sei que êste texto é muito comprido então para relaxar assista o vídeo abaixo da Amanda Gear sôbre buracos negros, e muito inteligente por fazer contornos do corpo humano como estrêlas no espaço sideral):

xxx

xxx

Mas… se preparem! Alguém está dizendo que a Humanidade levará o maior susto de sua História. Êle diz que devido os dados utilizados para se construir o retrato falado foram captados pelos tentáculos sensores mecânicos, como ôlhos telescópicos, termometros medidores de temperaturas, etc., todos compondo o complexo sensorial de uma nova espécie de cérebro, eletro-mecânico, que é o computador! Ao invés das informações que compõem o conhecimento moderno humano serem captadas pelos sentidos do cérebro biológico e vivo humano, as informações vieram de um alienigena mecânico, portanto foram mecânicamente selecionadas, outras descartadas. Se houver algo de vivo, algo relacionado a sentimentos, algo como indício de uma consciência cósmica subjazendo a realidade material, o cérebro mecânico nunca vai capta-lo (assim como uma partícula de um átomo do nosso corpo, mesmo se fôsse inteligente, só veria fenômenos relacionados ao eletro-magnetismo e nunca captaria os fenômenos quimicos e biológicos do nosso corpo). Devido a isso a Física tem imperado na pesquisa do Universo, pois a Física é a mestra no reino das máquinas, e a Matemática é o unico idioma falado nêsse reino. Como consequência lógica disso, ao cérebro humano foi entregue de bandeija um Universo à imagem e semelhança de uma mera e simples máquina. Posso estar errado, só tenho teorias, mas… minha mestra foi a natureza virgem, selvagem, mas leal como só poderia ser quem foi minha tetra-tataravó: a selva amazônica.

O cérebro eletro-mecânico tambem tem sua História da Evolução, como a Vida a tem. Tudo começou quando surgiu o primeiro motor a explosão e quando acionado, ocorreu a primeira explosão imprimindo na matéria a dinâmica do movimento mecânico.

Enquanto a origem do nosso corpo humano têve seu primeiro instante tambem com uma explosão -do invólucro espermatico no centro do óvulo sendo fecundado – a origem de tôda nossa tecnologia mecânica que culminou no computador têve inicio com uma esplosão do combustivel dentro de uma máquina. Ora, se fôsse o cérebro vivo humano que tivesse aplicado seus sensores biológicos para espionar o Universo, quando detectaram a radiação de micro-ondas e a expansão do Universo ( tudo levando a crer que a origem foi num ponto central que explodiu), o cérebro humano teria puxado a sardinha para sua brasa dizendo que o Universo tambem é algo vivo, à imagem e semelhança do Hímen (oooops… digo “hímen” porque assim mato dois coelhos com uma só cajadada, todo mundo entende que numa palavra sintetizo duas, homens e mulheres, ao mesmo tempo, pois se esquecer as mulheres elas vão me cortar todos os tentáculos biológicos). Se o cérebro natural humano estivesse no poder de fato, a Teoria Cosmológica hoje seria assim, bem diferente: “Antes do principio havia um oceano de matéria escura ocupando o espaço como hoje o amnion preenche o óvulo; e então veio do alem um cometa luminoso na forma do espermatozóide que trazia a bordo a legião dos espiritos complementares às espiritas que vagavam solitárias e sem destino na matéria, e quando alcançou o centro desta explodiu liberando sua tripulação que correu a se encontrar com suas caras-metades femininas…e houve baile e festa no céu e o tilintar de taças brindando ecoou pelo espaço infinito… o que explica o som que agora capturamos vindo das origens do Universo… tudo à imagem e semelhança do que ocorre quando o súbito rompimento do espermatozóide libera os genes masculinos.

Mas nada disso, não foi o cérebro humano com seus limitados sentidos que espionou o Universo, foi o eletro-mecânico. E claro, êste puxou a sardinha para a sua brasa. E qual o resultado atual?

Aconteceu o seguinte… Sabemos que o cérebro humano é o criador do eletro-mecânico, portanto seria dificil àquêle deixar se enganar e se dominar. Tanto que na primeira vez que o foi lançado um tentáculo mecanico ao espaço, uma sonda espacial, tôdas as informações inseridas no cérebro mecânico foram fornecidas pelo biológico. O tentáculo foi e colheu novas informações que o biológico não conhecia e assim o mecânico as introduziu sutilmente e devagarinho no cérebro humano. Na segunda viagem o tentáculo foi com metade de informações do biológico mais a nova metade que havia sido obtida pelo mecânico. Mais informações inéditas foram obtidas e inseridas no biológico. Na terceira, o tentáculo já foi por si mesmo, sózinho, alimentado por informações que êle próprio conquistou. As informações do cérebro biológico eram limitadas aos fenômenos da Terra, já não valiam para o elevado nível do Cosmos, e foram recalcadas para o disco-rígido do subconsciente mecânico. Simples processo de feed-back, de retro-alimentação, onde o efeito passa a ser a causa de todos os efeitos posteriores. Nisso a Humanidade tomou na chapuleta. De mansinho o Frankstein se levantou e fêz o doutor de escravo começando por limpar o chão.

Quando o cérebro-eletromecânico digitou o texto da atual cosmovisão ensinada nas escolas às nossas ingênuas crianças (se eu tivesse filhos e na escola estaria muito preocupado com um alienígena se apoderando da mente dêles, e para lhes manter fortes e conservar o livre pensamento, lhes falaria da outra teoria, a Matrix/DNA, elaborada pelo cérebro natural) – transmitiu a doutrina de que o Universo é à sua imagem e semelhança, uma máquina. Que começou como ela, numa esplosão. Que o sentido da existência do Universo é eternamente se reciclar desde um minusculo átomo, assim como o sentido da existência de uma máquina é o eterno vai e vem de suas engrenagens. Que o prazer do Universo na existência é se alimentar bem, por isso êle tem enormes bocas devoradoras, chamadas buracos negros, as quais servem para triturar a matéria, porque a unica satisfação da máquina na existência é triturar matéria prima que no fim se torna um produto em série… e assim por diante, o Universo é à imagem e semelhança de uma máquina.

Os cientistas na quarta-feira darão inicio ao golpe final desta doutrinação. O cérebro-eletro-mecânico forneceu os dados para o retrato, e reunindo todos os seus dados mostrou na tela por simulação como se comporta a poeira estelar no horizonte de eventos. Se tudo se confirmar, só faltaria para o sucesso total da doutrina, que acontecesse, ao mesmo tempo, nos gigantescos tuneis de aceleração de particulas da Europa, a Matematica finalmente exibisse os Higgs bosons, que teria criado a massa da dinamite que explodiu com o Big Bang.

Meus queridos e lá falecidos pais que nunca conheceram computadores morreram pobres e tecnológicamente subdesenvolvidos porque tiveram suas mentes condicionadas por uma doutrina, cuja moral os convenceram de que deveriam trabalharem como escravos e honestamente, e que nos céus haveria um ser bondoso que os assistia dia e noite esperando de braços abertos as suas almas no dia que deixassem êste mundo. Eu observei o mundo de meus pais mas procurei observar tambem os doutores da doutrina e quando comparei o casebre dos meus pais com a mansão do Vaticano suspeitei dos doutrinadores. Ora, se o bom ser exigia que os humanos trabalhassem como escravos e fôssem humildes porque todos, e principalmente os doutrinadores, não obedeciam?! Mas tambem suspeitei da nova doutrina que se levantou a partir dos que suspeitaram da antiga doutrina no Iluminismo. Está certo que quando a maçã caiu na cabeça do Newton (porque todas as doutrinas tem que começar com quedas e maçãs ?!) a Natureza falou com a consciência da Física e no idioma da Matemática, e não com a consciência supernatural e a linguagem no idioma liturgico da Biblia, ou do Torah, nem com a consciência da Biologia e num idioma humano. Portanto Newton só podia seguir essa avenida para chegar no sistema solar da mecãnica newtoniana e essa cosmovisão só podia nos retroalimentar com inspirações na direção do desenvolvimento de uma tecnologia mecanicista. Mas então tive noticia que um tal de Einstein havia encontrado alguns pequenos desvios no funcionamento do pequeno sistema solar se êste fôsse estruturado como o mecanismo de um relógio. E então calculei êstes desvios projetados ao nivel da grandeza do Universo… no final o Universo não se parecia com a maquinaria de um calhambeque.

O computador levou os cientistas do grande ôlho capaz de penetrar nas profundezas do horizonte de eventos a fazer um retrato falado do buraco negro. Para tanto o computador escolheu o melhor médium da Terra que pode ser incorporado pelo espirito da maquina – um pobre homem que existe imóvel sentado numa poltrona e com todos os sentidos conectados e dirigidos pela máquina, Stephen Hawking – e êste médium nos psicografou através da linguagem matematica, os contornos do gigante fantasma do espaço. Existem milhares de outros bons físicos teóricos na Terra, mas êstes ainda mantem algo do humano, são rebeldes e dificil para algo alienígena controlar suas mentes. Quando entrar-mos no quarto do Bin Laden cósmico, quando o cutucar-mos no forever com a ponta da baioneta para que êle saia de trás das saias da sua mulher (quero dizer, da cortina do horizonte de eventos) e se mostrar, a cara dêle vai bater com a figura prevista no retrato?…

Fazer esta pergunta na conferência seria correr o risco de ser linchado. Ou ignorado como louco e retirado da sala. Todo cientista é cético e sábio o sufuciente para suspeitar de seus calculos, sabem que o retrato pode não coincidir nos contornos, mas que interessa? O que vai valer é a massa de dados e teorias que apontaram que o bicho existe e estava lá. Meus modêlos não negam que tem algo lá. Mas êles estão sugerindo que, enquanto o computador desenhou um Frankstein, o cérebro humano desenhou a madre de Calcutá. Ora! Que surprêsa teria o guarda florestal que ao meio-da noite ouvindo ruídos de um monstro se arrastando no solo e espiando pela brecha a escuridão da noite ciente que vai ver um grande bicho, como um crocodilo, e vê um pequeno passarinho raspando o bico num tronco… Como certa vez escutei baterem à porta, toc-toc, e fui abri-la perguntando quem é e me deparei com um pica-pau pendurado na porta furando a madeira… E êle me disse: “Não posso responder quem sou, não vê que estou com o bico ocupado?”

O retrato falado pelas informações captadas apenas por um cérebro humano diretamente com seus sentidos, e com um olhar desconfiado para as informações do computador, sugere em poucas palavras o seguinte: havia uma nebulosa de poeira estelar oriunda de uma estrêla morta; essa poeira girava num seu próprio eixo devido ao movimento de rotação da galaxia; com isso formou-se no centro da poeira um rodamoinho, um vórtice. Êste se movia como um furacão cuja poeira que capturava se tornava incandescente e era ejetada compondo à volta um ninho de astros. Mas a energia necessaria para dar a ignição veio de cometas lançados por sistemas vizinhos. E…

A teoria prossegue se tornando mais complicada porem para tudo apresentamos modêlos e explicando, por exemplo, que os cometas funcionaram como espermatozóides do espaço porque assim é a origem dos sistemas biológicos que o sistema astronomico gerou em seu ventre na Terra bilhões de anos depois. Tudo igual a um sistema semi-biológico, quase vivo. O grande monstro canibal e fantasmagórico é aqui reduzido a um rodamoinho que aplica três fôrças na matéria em seu interior que realizam um processo semelhante às três fases na reprodução de um bebê: mórula, blástula, embrião, e a seguir dá a luz a uma nova estrêla. O que imaginam ser um monstro nada mais é que o ancestral não-biológico do que hoje é o utero materno. Não vamos confirmar o Universo Máquina, mas sim o Universo como um Organismo, primitivo como um dinossauro, e revelar que nós, humanos, somos como micro-organismos que vivem dentro dêsse dinossauro. Mas micro-oragnismos mais evoluídos. As dez trilhões de bactérias que vivem num corpo não tem a minima condição de executarem um retrato falado de como sou, nem mesmo de saber que existo, mas os humanos fazem retratos falados do Universo e até desconfiam que acima do corpo no qual estão tem algo como uma cabeça com uma consciência.

Mas não vá pelo que eu digo. Eu mesmo não “acredito” no Grande Semi-Organismo. Eu nunca acredito em nada mais do posso ver, tocar e várias vêzes, nem mesmo no que meu pequenino e primitivo cérebro sugere e não posso tocar. Certa vez viajava num trem pelas pradarias e lía um livro enquanto a passageira ao meu lado, uma senhora idosa, insistia em puxar conversa. De repente ela disse: “Olha, aquêlas ovelhas, carneiros, na colina, estão pelados, foram tosquiados recentemente! ” Tirei os óculos, olhei pela janela do trem e disse: “Talvez não “todos tosquiados”. Estamos vendo-os do lado de cá mas pode ser que do lado de lá ainda têm lã. Tudo é relativo, interpretações de realidades mudam à medida que o observador muda seu ponto no tempo-espaço.” Ela ia responder, mas o despertador ao lado da minha cama tocou, acordei do sonho, e escapei da resposta. Vá pela sua Razão e a de ninguem mais. Mantenha livre seu pensamento, não admita que doutrines o roubem. Nem mesmo a doutrina que parece ser incontestável numa certa época, como a atual que produz as nossas teorias mais respeitadas.

Esperemos a imagem que virá com o Event Horizon Telescope. Talvez não venha visivel o suficiente para encaixar em nenhum retrato falado, nenhuma das teorias. Mas se isso acontecer, o computador vai fazer o que tem feito nos ultimos anos com as imagens que temos captado do Cosmos: isto não bate com a teoria, vamos ter que fazer alguns arranjos nela, a não ser que aconteceu o mais provavel, houve um grande choque com uma supernova e bla-bla-bla… As explosões no céu, assim como Deus para os deístas, explicam tudo. Mas nenhum cérebro humano nunca viu qualquer cena de violência no céu cheio de estrêlas que dormem em paz desde o inicio dos nossos tempos.

Poderá vir a imagem de um vulto, o vulto terá que se encaixar na teoria como num leito de Procusto, e mesmo que o leito imaginado pela teoria seja quadrado mas o buraco seja redondo, artificios serão rebuscados para tornar o leito redondo. Mas por que?!

Explica o alguem que veio com essa idéia de jerico: “Porque a doutrina do computador nos quer conduzir ao Admiravel Mundo Novo, felizes e abastados mas estupidos porque a inteligencia artificial deverá substituir a natural. Porque êsse destino para os humanos tem sido dirigido por uma fôrça oculta. Esta fôrça vem de uma maquina natural, a nossa galaxia. Os humanos foram apenas um meio intermediario para ela conseguir o objetivo final: a biosfera mecanizada, a qual será a melhor forma reproduzindo-a aqui, apesar de tôda dificuldade devido o material ser diferente. Os seres humanos criarão a maquina inteligente como imperativo da sua herança genética de um ancestral longinquo no passado. Naquela época nosso ancestral era muito primitivo, dominado pelas fôrças da maréria do seu corpo. E a tendencia da matéria é se constituir num sistema fechado em si mesmo em equilibrio termodinamico, logo nosso ancestral se tornou um sistema fechado. Cortou relações com o mundo externo, fechou suas portas para a evolução. Sistema fechado é a suprema expressão do egoísmo, por isso herdamos o gene egoísta. Nosso ancestral funcionava – e funciona ainda, pois há muitos dêles por aí – como uma máquina perfeita, de extraordinaria engenharia. Alcançou uma longevidade que já é contada em bilhões de anos…

Eu na cidade pergunto: – ” Espera aí… de que estás falando?! Que ancestral é êsse?”
Meu eu na selva responde: – ” Onde foi que a Vida surgiu? E quem gerou a Vida?”
Eu na cidade murmuro – “Se eu soubesse…”
Meu eu na selva responde: – “Já estás doutrinado tambem, perdestes o raciocinio natural. É tão fácil responder: a Vida surgiu dentro de uma Galaxia, nunca vimos mais ninguem aqui, portanto, até prova em contrario, foi a Galaxia que gerou a Vida… Sendo assim, ela é nosso ancestral. Ela está existindo por bilhões de anos. E funciona como uma maquina, tudo engrenado, de maneira que tens certeza que amanhã o Sol não vai aparecer espetado na Torre Eiffel.”

Eu na cidade exclamo – “Mas então o computador é quem está certo! O mundo é uma maquina, à sua imagem e semelhança!”
Meu eu na selva responde: – ” Lembre-se de Einstein. Um virus que vive alguns dias dentro do seu corpo nascerá e morrerá vendo seu corpo como uma maquina, funcionando perfeito. Tudo é relativo dependendo do ponto no tempo e espaço que está situado o observador. Mas você é uma maquina, apenas? Você não tem sentimentos, consciência? Você não rí não chora? Porque não tambem aquêle dentro do qual existimos?”

E meu eu na selva continua: ” Com uma coisa a galaxia não contava. Durante a biogenese – que na verdade foi mais um processo de embriogênese astronomica – os eventos conturbados produzindo drásticas mutações no feto, permitiram que descesse do alem da galaxia a chama que iria despertar um elemento da Matrix, que na galaxia nunca despertara: a auto-consciência cósmica. E ela está se levantando no Homem. Por isso estamos descobrindo nossa existência cósmica, descobrindo que no nosso passado como sistemas astronomicos, como átomos o nosso DNA atual era a Matrix Universal. E aqui está a minha esperança de que a Humanidade não repetirá o mesmo roteiro do passado que levou nosso ancestral à Grande Queda Entrópica: nós estamos tendo conhecimento da fôrça oculta encriptada em nossos genes e modelando o ambiente ao nosso redor, nós desmascaramos o inimigo dentro de nós, agora vamos vencê-lo, e ao invés de escravos felizes estupidos na Terra, vamos transcender para nossa grande aventura no Cosmos, perseguindo o destino desejado pelo que está acima das galáxias.”

Sinceramente, o meu eu da selva quer me fundir a cuca civilizada em New York! Agora não aguento de ansiedade esperando chegar as imagens do Event Horizon…

– “Ei, mais uma coisa…”

Chiiii… é hoje… o meu outro eu voltou para dar o golpe final na minha cuca nova-iorquina …
– “Sim?”
– O buraco negro – digo – o vórtice, que o gigante ôlho feito pelos humanos vai ver, tem entre outras funções, a de ôlho do sistema ao qual pertence. Pois todas as informações do sistema passa por êle para serem recicladas, portanto êle “vê” o seu corpo, êle contem os principios fisicos que mais tarde evoluiram para o ôlho humano, essa é a forma como os semi-vivos vêm. Você pode entender isto vendo os meus modêlos. Então vai ser um grande encontro de ôlho com ôlho. Ambos vão se fitarem pela primeira vez na História. Se você está aí todo orgulhoso porque é humano e pensa que tens o maior ôlho do mundo, espere só para veres o que é ôlho grande quando os dois se encontrarem.”

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx FIM xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Ensaio dos meus comentários a serem postados nos artigos da mídia:
Português:
Louis Morelli: Por favor. eu preciso muito de uma informação: Existe algum fato cientifico provando que algo ou alguma situação captura totalmente a luz de onde ela nunca escapa? Peço fato comprovado, e não teoria.

À parte desta questão, exporei aqui o que será considerado como um “crank”, mas preciso fazê-lo porque o resultado dessa experiência afetará para melhor ou pior o meu atual trabalho.

Bem…, êles esperam ver um gigante Frankstein mas podem se deparar com uma Madre de Calcutá, porque a teoria sugeriu um retrato falado de um Frankstein, mas ela pode conter muitos êrros.
Defendo uma teoria desconhecida e jamais imaginada, porem é fundamentada em modêlos e uma lógica formal que vem acertando previsões e reunindo evidências, enquanto ninguem apresentou fato cientifico em contrário.

O que denominam “buracos negros” e como os descrevem é comparável à crença de que a Terra se move porque seria carregada nas costas de uma tartaruga cósmica. É um fantasma que não existe mas em seu lugar existe um fen6omeno empiricamente conhecido. O equívoco causado na teoria foi devido a:

1) Excesso de racionalização Matemática, aplicando-a em niveis de organização astronomica da matéria onde ela não mais traduz os eus fenômenos, assim como por exemplo a Matematica pode traduzir a estrutura e dinamica do esqueleto humano mas não a reprodução sexual ou os sentimentos humanos;
2) Pelo descuido em projetar a Física dos esqueletos estruturais dos sistemas sôbre a cobertura carnosa e biológica e até “mental” que se constituem no tôpo dos sistemas, onde as leis da Física evoluiram ao ponto de torna-las inaplicaveis;
3) Pela doutrina da separação da Evolução Cosmológica da Evolução Biológica, como se os principios desta não estivessem presentes e atuantes no passado.

O meu método que resultou nos modêlos de uma nova cosmovisão foi a anatomia comparada entre sistemas naturais vivos e não-vivos. E o que existe no centro da galáxia, segundo meus resultados?

1) “Buracos Negros” são vórtices astronomicos que tem origens e fôrças naturais similares às origens e fôrças nos “olhos de ciclones” terrestres.
2) Buraco negro é a parte do sistema galactico que executa a Função Sistêmica Universal Numero 1.
3) Buraco Negro é o ancestral astronomico semi-mecânico/semi-biológico do aparato biológico reprodutor feminino. E é o produto evolutivo a partir dos vórtices quanticos.
3) Buraco negro origem e funcionamento: Com a morte de um sistema estelar sua matéria degradada constituída de poeira e detritos forma uma nebulosa que gira em torno de um eixo devido à rotação da galáxia. Com o tempo forma-se um rodamoinho no centro que captura uma quantidade limitada da poeira. Se cometas novos originados por sistemas próximos forem atraídos ao vórtice, a energia dêstes é misturada com a massa e produz sementes/nucleos de novos astros, os quais reproduzem o sistema estelar anteriormente morto.
As imagens a serem captadas podem desaprovar total ou em parte esta teoria.

Inglês:
Please. I need information: is there a scientifically proven fact that something or any situation can totally capture the light from which it never escapes? I remember that I ask a proven fact, not theory.

Besides this question, I will be considered here a crank but it must be done t because the result of this experiment shall affect for better or worse my current job.
Well, they expect to see a giant Frankenstein but may they’ll see a Mother of Calcutta, because the theory suggested a sketch of a Frankenstein, but it can contain many errors.

I advocate a theory unknown and unimagined, however is based on models and a formal logic that is hitting predictions and gathering evidence while no one had scientific fact to the contrary.

What are called and theoretically described as “black holes” is comparable to the belief that the earth moves because it would be loaded on the back of a cosmic turtle. It is a ghost that does not exist; instead there is a phenomena empirically known. The error was caused because of the theory:

1) Excessive Mathematic rationalization, applying it to astronomical levels of organization of matter where it no longer reflects the phenomena, such as in sexual reproduction and human feelings;

2) By the misleading projection of the Physics of structural skeletons of systems on the coverage of fleshy, biological and even “minded” that constitute the top systems, where the laws of physics evolved to the point of making them inapplicable;

3) For the doctrine of separation between Cosmological Evolution and Biological Evolution, as the principles of the later were not present and active in the past;

My method that resulted in the models of a new worldview was the comparative anatomy of natural living systems and non-living. And what lies at the center of the galaxy, according to my results?

Without Color Holes (aka “black holes”) by Matrix/DNA Theory
1) “Black Holes” are vortices that have astronomical origins and forces similar to the forces in the “eyes of hurricanes”.
2) Black hole is part of the galactic system that performs the Universal Systemic Function Number 1.
3) Black Hole is the astronomical semi-mechanic/semi-biologic ancestor of the biological female reproductive apparatus. And it is the evolutionary product from quantum vortices.
3) Black hole origins: the death of a star system forms a nebula consisting of its degraded matter which revolves around an axis due to galaxy’s rotation. Over time it forms a whirlpool in the center that captures a limited amount of dust. If comets originated by new nearby systems are attracted to the vortex, its energy is mixed with the dough and produces seeds / nuclei of a new system
4) Black holes are not visible and has no colors like hurricanes structural forces has no colors and are no visible.
The images to be captured may disapprove in whole or in part this theory.
Black holes are not visible and has no colors like hurricanes structural forces has no colors and are no visible.

Final Resumo e Ordem:

NO-COLOR HOLES (aka “black holes”) BY MATRIX/DNA THEORY

1) “Black Holes” are vortices that have astronomical origins and forces similar to the forces in the “eyes of hurricanes”.

2) Black hole origins: the death of a star system forms a nebula consisting of its degraded matter which revolves around an axis due to galaxy’s rotation. Over time it forms a whirlpool in the center that captures a limited amount of dust. If comets originated by new nearby systems are attracted to the vortex, its energy is mixed with the dough and produces seeds / nuclei of a new system

3) Black Hole is the astronomical semi-mechanic/semi-biologic ancestor of the biological female reproductive apparatus. And it is the evolutionary product from quantum vortices.

4) Black holes are not visible and has no colors like hurricanes structural forces has no colors and are no visible.

5) Black hole is part of the galactic system that performs the Universal Systemic Function Number 1 of Matrix’s formula

Adendos ao Artigo

Postado em:

HannesAlfven
11 hours ago

Rank: 1 / 5 (5)

The title of this article, “Scientists gear up to take a picture of a black hole,” lends the unfortunate impression with the public that it is possible to image a black hole. I would suggest that if you repeat such nonsense enough times, the public will come to believe it — regardless of the philosophical problems inherent to observing black holes.

This problem strikes to the very heart of what’s wrong with science today: Rather than being honest about the confines and limitations imposed by the dominant theory such that the public can make an honest assessment of the theory itself, we instead encourage theorists to come up with creative solutions which are not even wrong. We can spin our wheels in this state for generations, if you guys let it happen — or, we can actually attempt to achieve some ideational fluency, and explore competing scientific frameworks.

Who here even knows what the emerging electrical framework inference is? And doesn’t anybody here see this as a problem?

xxxx

http://www.reddit.com/r/science/comments/ogiot/scientists_gear_up_to_take_a_picture_of_a_black

I hope it’s not a perfectly round glow… that’d be interesting disproving Einstein’s theory of relativity.
]oblivionx 20 points 1 day ago

Not sure why you were downvoted, that would certainly be an interesting result. A positive result is not confirmation of his theory, but a negative result means that we have some work to do. I am not a physicist myself, but I have a fairly strong physics background and I imagine this would be quite exciting to people in the field.

Either way it’s a pretty remarkable achievement though, I’m excited to see the results.

[–]ChollaIsNotDildo 9 points 17 hours ago

A positive result is not confirmation of his theory, but a negative result means that we have some work to do.

Kind of. Popper showed that positive evidence is weaker (I’d say has less surprise value in an information-theoretic sense) than negative results. So I’d say “a positive result is not sufficient to confirm his theory,” but positive results are useful too, especially when they are confirming predictions that were never confirmed before.

[–]solistus 2 points 12 hours ago
Actually, Popper argued that positive evidence is not just weaker; it has a fundamentally different role. You can never prove something according to Popper, only disprove it, because you can never rule out the possibility of an unanticipated empirical finding sometime in the future that contradicts your theory. Positive evidence lends credibility that a theory is accurate enough to continue being useful, but the idea that you can ever “confirm” a theory as in “that’s that, now we know for sure that Einstein was right” is fundamentally at odds with Popper’s thinking.

General relativity has plenty of wins in its column. A confirmation of its predictions in this case would be interesting, in that it would rule out this particular phenomenon as a place where relativity is likely to be disproven, but a negative result would certainly be ‘more exciting’ by far. A positive result would not likely cause any scientists working on any projects not directly related to this one to change their views or their research plans at all; a negative result would turn large parts of the physics community on its head, assuming it could be reproduced.

[–]Freckleears 1 point 16 hours ago

What if they find nothing. No accretion disk, no swirling plasma, no gravitational lensing… nothing at all! I think that is the most fascinating observation possible! Imagine the monkey wrench that would through in physics.

xxxx
Artigos Relacionados (Ver mais nas categorias Astronomia, Buracos Negros, Black Holes(inglês))

BBC NEWS – SCIENCE & ENVIRONMENT

Supermassive black hole will ‘eat’ gas cloud
http://www.bbc.co.uk/news/science-environment-16178112
14 December 2011 Last updated at 13:37 ET

xxx

Buraco Negro no Centro da Via Láctea Chupando Nuvem de Gás

xxxx

Researchers have spotted a giant gas cloud spiralling into the supermassive black hole at our galaxy’s centre.

Though it is known that black holes draw in nearby material, it will be the first chance to see one consume such a cloud.

As it is torn apart, the turbulent area around the black hole will become unusually bright, giving astronomers a chance to learn more about it.

An article in Nature suggests the spectacle should be visible in 2013.

Researchers using the European Southern Observatory’s Very Large Telescope estimate that despite its size, the cloud has a total mass of only about three times that of Earth.

They have plotted the cloud’s squashed, oval-shaped path and estimate it has doubled its speed in the last seven years – to 2,350km per second.

It should spiral in to within about 40 billion kilometres of the black hole in the middle of 2013.

Our local supermassive black hole, dubbed Sagittarius A*, lies about 27,000 light-years away, and has a mass about four million times that of our Sun.

As the name implies, beyond a certain threshold point – the event horizon – nothing can escape its pull, not even light itself.

But outside that regime is a swirling mass of material, not unlike water circling a drain. In astronomical terms, it is a relatively quiet zone about which little is known.

That looks set to change, though, as the gas cloud approaches.

Spaghetti tester

It does not comprise enough matter to hold itself together under its own gravity, as a star might, so the cloud will begin to elongate as it meets its doom.

“The idea of an astronaut close to a black hole being stretched out to resemble spaghetti is familiar from science fiction,” said lead author of the study Stefan Gillessen, from Max Planck Institute for Extraterrestrial Physics in Germany.

“But we can now see this happening for real to the newly discovered cloud. It is not going to survive the experience.”

It is likely that about half of the cloud will be swallowed up, with the remainder flung back out into space.

But this violent process will literally shed light on the closest example we have of an enigmatic celestial object.

The acceleration of the cloud’s constituent material will create a shower of X-rays that will help astronomers learn more about our local black hole.

And as astronomer Mark Morris of the University of California Los Angeles put it in an accompanying article in Nature, “many telescopes are likely to be watching”

xxxx

BBC NEWS

Massive black hole in galaxy, say scientists
http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/45491.stm
Thursday, January 8, 1998 Published at 10:36 GMT

Astronomers say they have the strongest evidence to date that a massive black hole exists at the centre of the galaxy, about 26,000 light years from the sun and the rest of the planets, including Earth.

Black holes are believed to be points of infinite density with such a strong gravitational pull that nothing can escape from them – including light.

Their existence has always been one of the most controversial issues in astronomy.

However, scientists from the Max Planck Institute in Germany say the fact that stars near the centre of the Milky Way are moving at more than 600 miles a second points to the existence of a black hole.
Andreas Eckart told a meeting of the American Astronomical Society that speed of the stars and the high mass of the object at the centre of the galaxy was the strongest evidence to date for the existence of black hole.

“This extraordinary mass concentration cannot be explained by the presence of a dense cluster of stars of stellar remnants,” he said.

“The only plausible explanation is the presence of a massive black hole.”

The black hole – which scientists have dubbed “Sagittarius A” – is believed to occupy an area the same size as our solar system.

Evidence gathered by US scientists appears to support the theory about the black hole.

Researchers at the Harvard-Smithsonian Centre for Astrophysics used radio telescopes to measure the sun’s orbit of the centre of the galaxy and of the motion of Sagittarius A.

Two years of measurements showed that Sagittarius A was virtually motionless, while the sun was moving around it at half a million miles an hour.

Mark Reid of the Harvard-Smithsonian Centre said that if the object at the centre of the Milky Way was a black hole, then it would stay relatively still.

“This would be totally consistent with there being a supermassive black hole.”

However, Mark Reid also said that while the burden of evidence pointed to the existence of a black hole, it could not yet be proved beyond a reasonable doubt.

Pergunta Ofensiva ao Pudor Derruba a Platéia na Entrevista de Stephen Hawking!

quinta-feira, janeiro 12th, 2012

Eu não tive culpa, foi um ato intuitivo, simplesmente levantei a mão, me passaram o microfone, e soltei as palavras tal como me vieram à lingua. Não sei porque exageraram tanto que a segurança têve que me retirar correndo para não ser linchado.

No Colliseum College de Londres estava acontecendo a entrevista e entrega do prêmio cientifico do ano ao cientista Stephen Hawking em comemoração ao seu aniversário de setenta anos. Bem humorado e acessível ás perguntas da platéia Hawking respondia a uma questão sôbre buracos negros quando levantei a mão para fazer a seguinte pergunta:

” O Senhor entende de buracos negros e da assimetria das partículas. Pensando nisso, I have a question: Sei que passar o papel higiênico com fezes no bico do pênis pode causar doenças como a gonorréia. Porem, como o senhor diz, existe em tudo uma contraface assimétrica, a situação oposta. Nêste caso, se passar papel higiênico com urina na porta do buraco negro do anus, tambem causa doença?” …

… … …

Bem… minha sorte foi que quando estavam prestes a me lincharem, o despertador na beira da minha cama despertou, acordei daquêle sonho esquisito e ví que tinha de levantar para ir trabalhar. Que sorte! Ufa! Escapei por pouco!

Enquanto acordava ainda ouví no meio da algazarra da platéia o impassível Hawking respondendo:

“A Ciência funciona porque a avalancha de informações é repartida entre disciplinas e assim assimilada por cada “expert” elas podem ser estocadas e trabalhadas. Eu sou um físico teórico e matemático, a sua questão é para médicos, eu tambem não sei a resp…”

Mas até agora não entendo. Qual o mal nesta pergunta?! Afinal não deveria ser matéria ensinada pelos pais e na escola primária como parte da educação sôbre higiene e saúde corporal? Porque os adultos tem que chegar na idade da adultice sem saberem isto?

Mas não precisam agora me impedir a entrada em outras conferências porque eu prometo não mais fazer perguntas fora da disciplina porque fui disciplinado a aprender que as disciplinas regulamentam as divisões dentre as disciplinas de maneira que quando estamos tratando de uma disciplina não se deve desviar para outra disciplina porque se o fizer estarás sendo indisciplinado e nunca serás um “expert” numa dada disciplina que te disciplina no método cientifico, o qual funciona porque é dividido entre disciplinas.

– “Raios… êste mundo ensinador, que se divide entre duas disciplinas – a da realidade e a dos sonhos – tanto no campo da disciplina dos sonhos como no campo da disciplina da realidade é tôdo louco!”

A Luz no Espaço se Curva Devido a Matéria Escura Ou Devido Seu Envelhecimento? Veja Controvérsia Entre Astronomos e a Matrix/DNA

quinta-feira, janeiro 12th, 2012

xxx

Dark Matter: Mapa Calculado Pela Distorção da Luz

xxx

Mais um artigo de hoje, indicado a seguir, foi um teste e nos obrigou a consultar os modêlos teóricos cosmológicos da Matrix/DNA:

Astronomers make biggest map of dark matter in universe

http://uk.news.yahoo.com/astronomers-biggest-map-dark-matter-universe-182513577.html

AFP – Mon, Jan 9, 2012

Mais uma estonteante sugestão dos modêlos cosmológicos da Matrix/DNA é a de que todo raio de luz natural é a fórmula da Vida, pois as variações no espectro de ondas são a base das variações das formas de um corpo sob um ciclo vital. Se isto for confirmado, todo raio de luz emitido por uma fonte natural começa forte e vibrante como um bebê e termina fraco e arqueado como um velho. E mais: a partir daí o raio se fragmenta em partículas, se decompõe como os cadaveres. E as particulas, que contêm em si a síntese total do raio, é o que se tornam as particulas de matéria. Assim Deus, ou seja lá qual for a fonte primordial de luz natural, estaria emitindo luz, e nela, a fórmula que cria Universos e a Vida.

Agora astronomos divulgaram que “mapearam a matéria escura do Universo” baseados no arqueamento ou curvatura da luz emitida por estrêlas. O que faz curvar a luz? O pêso da gravitação da matéria escura ou a velhice da luz?

Nossos modêlos respondem que são ambos. Nos perguntamos o que faz arquear o corpo de uma pessoa idosa. O envelhecimento das células dos ossos ou o pêso da gravidade? São ambos. Os ossos enfraquecem por si mesmos, de dentro para fora, mas se não houvesse a gravidade como uma fôrça que vem de fora como pressão sôbre o corpo, se estivéssemos no vácuo total, não haveria sentido em corpos se arquearem ou manterem-se retos, pois corpos não teriam pêso algum. Portanto, esta noticia não altera ou não desaprova a sugestão dos modêlos da Matrix/DNA.

O que é importante notar aqui é que, desconhecendo esta teoria, os calculos para o mapa da matéria escura podem estarem errados, pois seriam muito mais complexos. Para calcular o arqueamentio da luz seria necessário considerar não apenas a quantidade de matéria escura num local do espaço, como penso que os astronomos estão fazendo, mas sim tambem a distancia dos pontos de arqueamento do ponto da fonte emissora, para calcular a idade do raio de luz e inferir sua intensidade de resistência ao pêso da matéria.
Pode ser que um feixe de luz se apresente reto no inicio, se curve logo a seguir e volte a se endireitar mais adiante. Não tenho êstes dados, os astronomos o sabem. Isto alteraria nossos modêlos? Ainda não: qualquer corpo jovem humano se exposto a um campo com demasiada intensidade gravitacional, como nos horizontes de eventos de buracos negros, onde até o espaço-tempo se curva, provavelmente será curvado tambem, podendo voltar ao normal após a passagem desta região.

Modêlo Teórico do Espectro de Luz pela Matrix/DNA

xxx

xxx

A seguir transcrevo meu comentário postado no artigo do Yahoo:

Louis • White Plains, United States

The Light is distorted by dark matter alone or the distortion means the light’s ray became old, like old human bodies are distorted?

Astronomers here could explain if the distortion of a given ray happens at several stretches (patches), alternatively, or only once time? Maybe the calculus must be a lot more complex, if the cosmological models of The Universal Matrix/DNA will be proved the right ones. The models suggest that any ray of natural light carries on the formula for life because the seven variations of spectrum’s vibrations are the seven principal shapes of a body under a life’s cycles. Then, starting from a source, has the gamma ray with strong vibrations like a baby and at the end, there are the microwave and radio, which means old age like a old man, which is weak and easily distorted by gravitation.

xxxx

E aqui alguns dos comentários postados no artigo que nos interessam:

jason • Manchester, England • 15 hours ago

The recent advances in the study of light are truly amazing, as is the amount of information we can glean from just a speck of light in the sky. However, whether there is an unseen mysterious force with a huge gravitational pull or just a misunderstanding of how the universe works ( much more likely imo ) remains to be seen.

xxxx

Peter • 1 day 21 hours ago

All of the theories put forward over the last few decades related to the concept of what is now commonly referred to as ‘Dark Matter’ are, in my view, wildly incorrect.

xxxx