Archive for março, 2012

Chegou na 5* Avenida o Modêlo 2012 de Pés para Mulheres

terça-feira, março 20th, 2012

Humor na Matrix

Pé para Mulheres Modelo 2012


xxx

Aviso para homens: Quando tiveres fazendo aquilo não deixes ela ficar com o pé por trás de ti, hein…

Humor na Matrix

segunda-feira, março 19th, 2012

Humor na Matrix 1

xxx

Eh…eh… ao lado dêste salão, deve ter uma salsicharia…

Serpente que Enganou Adão Capturada Aqui e Desmascarada!

segunda-feira, março 19th, 2012
Serpente Luca Desmascarada

Serpente Luca Desmascarada

xxx

Pode estar tudo errado, mas a fórmula da Matrix/DNA tem sido fantástica explicando de maneira inédita e surpreendente todos os fenômenos e eventos naturais conhecidos até agora. Porem, há ainda um mistério que me tem roubado boas horas do meu intelecto inquiridor. Uma das maiores surpresas que tive na vida aconteceu no dia que estava estudando os modêlos e mapas da Matrix/DNa e uma sensação incomoda começou a me fustigar. Minha mente começou a sentir um pêso, uma frustração, uma sensação de fracasso, à medida que um quadro ia se formando perante meus olhos. Alguem havia me antecipado, alguem havia descoberto antes o que eu acreditava ter sido o primeiro a descobrir. Mas como?! Eu fiz o que ninguem têve coragem de fazer: no melhor tempo da idade, arrumar a mochila, largar todo o conforto da civilização, um atraente status social, e entrar sózinho no inferno da selva amazônica sob um lema: “Ou a natureza bruta e virgem me revela a razão dessa minha existência absurda ou a morte! Daqui não saio vivo sem uma explicação!” Charles Darwin havia feito algo parecido e ensinou-nos o método, mas êle só ficou quatro anos e tendo as costas amparadas por um navio ancorado na praia. Eu não conhecí ninguem na civilização que tivesse antes sacrificado 20 anos, 80 horas por semanas a fio, estudando auto-didaticamente pesados volumes de tôdas as disciplinas cientificas, tôdas as correntes de pensamento, na busca desesperada de resolver uma crise existencial. Então como alguem chegou primeiro?! E quem foi, onde estão as provas? De onde vem êsse quadro que me parece nebuloso à minha mente?

Por fim, ví o quadro completo. Era uma daquelas imagens religiosas de Adão e Eva no Paraíso conversando com uma serpente enroscada numa árvore. Que?!!! Eu fui o maior materialista extremado envolvido na busca do conhecimento da Natureza. Até os quimicos positivistas que se ajoelhavam ao meu lado na beira de pantanos removendo a lama em busca do ultimo ancestral comum se deixaram desviar do racionalismo puro. Afirmavam com veêmencia que LUCA teria sido produzido pela quimica e apenas por ela, enquanto temperavam suas preferencias pela quimica com idéias teóricas evolucionistas, tais como a de que a evolução é cega, não tem metas, propósitos. Eu ouvia e dizia: “Não sei. Só acredito no que meus olhos vêm.” Eu não tinha teoria, pré-disposição, tendencia a nada. Era um robot cego dirigido a uma busca, vasculhando tudo, só isso. E para um cético dêsse extremo a pior coisa que existe é um quadro religioso. Olhei com ódio para o modêlo da fórmula da Matrix. Porque ela estava me agredindo através de meu inimigo? Porque estava se mascarando no fundo de um quadro religioso, de uma lenda, uma fabula inconsequente? Era mesmo “a cena no paraíso”? Resolví olhar melhor.

Sim, não havia mais duvidas. Na simples fórmula em forma de um diagrama de software da Matrix estavam todos os elementos pintados no quadro religioso; a serpente, os elementos masculino e feminino, a maçã, a árvore, a Eva como amiga e interlocutora da serpente, mas não só os elementos, tambem o processo, a dinamica, a história, pois ali estava a expulsão, a queda, a chegada num planeta, o arrastar-se na superficie do planeta, a fome e sacrificio para a busca da energia…

A mais moderna tecnologia amparada no mais moderno conhecimento cientifico chegou ao ponto de desenhar o projeto da máquina perfeita, um motor perpétio, um sistema com as mais complexas leis termo-dinâmicas, mas que teria de ser feito no ar rarefeito do pico de uma montanha e quando lá chegaram se depararam com teólogos sentados e braços cruzados que pareciam estarem ali a milênios!

Não pode! Isso é covardia, traição a uma razão humana natural construída por milhares de anos de trabalho duro… enquanto outros vagabundos conseguem tudo de graça! Mas como chegaram à Matrix sem nada saberem de genética, astronomia, teoria geral da relatividade, mecânica quantica, o teorema da simetria CPT…?!

Não me venha com essa asneira de que um fantasma disse a êles. Até pode ser que os deuses eram astronautas mas não acredito que teriam perdido tempo contando como é o cosmos a mentes tão primitivas que nenhuma utilidade teriam naquilo e não tivessem, por exemplo, ensinado a fórmula para eliminar os virus das pestes. Mas o fato é inquestionavel: êles, de alguma maneira, tiveram uma noção exata da existência no céu de uma mecânica super-complexa e ainda tiveram o talento para substituir cada peça invisivel do céu por um simbolo conhecido pelo humano primitivo e ainda mais: fazer estes simbolos se moverem da mesma maneira que a maquina se move no céu! Descrever um motor trabalhando com um poema, uma fábula, uma lenda!

Claro que não podia aceitar isso, algo estava tudo errado. Talvez a imagem da Matrix seja a imagem de algo que não existe mas surge na cabeça de mentes torturadas no deserto dos ignorantes absolutos como uma miragem ilusória de lago de águas frêscas. Ou mentes torturadas no inferno da selva bruta. Mas como mentes tão diferenciadas pela cultura em tamanha distancia do espaço e do tempo, vindas por caminhos totalmente opostos entre si, podem produzir um mesmo quadro?!

Foi a minha concentração nêste aspecto inegável de mentes produzindo um quadro mental que me conduziu à solução que hoje mantenho para o mistério. Mentes são produtos naturais da evolução do cérebro, os quais são constituidos por neuronios, em cujos nucleos está o DNA. Numa ponta o DNA, na outra, o quadro. Entre os dois uma simples corrente de causas e efeitos naturais. Poderia ser o quadro um produto do acaso, de um acidente? Impossivel. Nunca dois acidentes tão distantes e com envolvidos tão diferentes poderia causar exatamente os mesmos estragos.

O DNA foi a causa primeira, o quadro, o efeito final. Mas acontece que a causa produtora do DNA foi justamente… o quadro. Se os meus calculos estavam corretos, a fórmula da Matrix existe, ela é o quadro, e ela na forma daquele quadro foi a produtora do DNA. Então o quadro está registrado no código do DNA. O DNA tem em si encriptado todos os nossos ancestrais. Se o quadro emerge como flashes abruptos e confusos pintados com sinapses e captados pela mente… é mera auto-projeção do DNA na mente devido a algum tipo especifico de estimulo. Torturas. No deserto ou na selva infernal. Eis o estimulo. Está explicado quem falou para os teólogos da existência da máquina perfeita no céu. Nada de fantasmas. Nada de deuses nem de astronautas extra-terrestres. O autor é tão natural, tão material como nós e está lá escondidinho dentro do nosso cérebro. E para mim, basta!

Hoje sorrí ao ver uma caricatura no Facebook. Não resistí à tentação e escreví um comentário embaixo:

Louis Charles Morelli – “Isto é mais profundo do que pensas, de acôrdo com a filosofia naturalista. Sabes de onde veio o nosso “selfish gene” descoberto pelo Dawkins? Veja a figura do “building block” das galaxias. É um sistema quase moto-perpétuo, e a imagem final é a de uma serpente sugando a ponta da própria cauda, que simboliza sistemas auto-reciclaveis. Êste building block que se assentou no Cosmos foi atacado pela entropia e caiu em planetas como a Terra na forma de um par de nucleotideos, o building block do DNA, e daí chegou ao Homem. A galaxia celeste quando na forma que se parece uma serpente se tornou um sistema fechado em si mesmo, expressão do extremo egoísmo. E êste egoísmo veio com nossos genes em nossa carga genética. Mas apenas agora estamos descobrindo o modêlo astronomico, descobrindo as razões naturais de nossa existência absurda, estamos desmascarando a serpente e agora vamos exorciza-la de nós. Sem deuses, religiões, mas com o método cientifico, vamos voluntariamente erradicar os nossos mutuos conflitos que são causas de nossa debilidade como Humanidade. Mas isso é apenas nossa teoria ainda, a da Matrix/DNA, porem, apesar de ser apenas uma teoria, ela já produz coisas úteis e prazeirosas, tais como estas “dôces esperanças”…

Cientistas estão tentando construir para si um Corpo Imortal! Robot com Mente Humana, Corpo Humano com Inteligencia Artificial, Singularidade Tecnológica… Temas Discutidos no Primeiro Mundo.

domingo, março 18th, 2012

Quem puder aguentar o choque que certamente vai mudar sua mente, para melhor ou pior (não se sabe), leia os artigos cujos links forneço abaixo. O tema nos faz repensar o que somos, o que é ser humano, sob angulos que nunca imaginamos. É como entrar numa máquina com radiação de espectros eletro-magneticos que vão certamente lhe produzir alterações, na base de um experimento sob alto risco ( que poderá torna-lo um alienado desviando-o da lógica do bom sobrevivente, ou torna-lo tão bem informado para prever o que vai ocorrrer nos próximos anos que certamente o faria mais bem suscedido que os demais).

A nossa mente não está nem aí para nossos neuronios.

Primeiro porque ela não os vê, não os sente. E isto já nos é dificil engolir, pois acho que a mente é o que resulta das operações entre pensamentos os quais são produtos de operações entre os instantaneos circuitos de energia denominados sinapses que são produzidos pela ativação dos neuronios. Os modêlos teóricos da Matrix/DNA sugerem que a mente humana é algo mais, que seria o atual estado de uma espécie de software natural que vem evoluindo e teria surgido aqui junto com o Big Bang. Mas isso é teoria a ser testada, por enquanto a unica coisa que tenho como certa é que eu penso e meus pensamentos estão baseados nos neuronios de meu cérebro. O fato da minha mente ignorar a existência e o estado diurno dos meus neuronios me é tão esquisito como seria um humano que ignorasse a existência da terra sob seus pés, onde vive e da qual depende mortalmente. A unica explicação plausivel para isso vem, uma vez mais, dos modêlos da Matrix/DNA: a nossa mente ainda não está nascida completamente como auto-consciência, ela surgiu há apenas alguns minutos atrás em têrmos do tempo astronomico universal, ela ainda não expressou todos seus “genes”, suas potencialidades, ela está se formando como uma arquitetura, um sistema modelado pela fórmula da Matrix, cada região do cérebro é nela projetada como um órgão de um sistema, e o fato de ela não poder ver-se a si mesma, a seu próprio corpo, significa que ela ainda não tem ativada sua própria visão, não abriu ainda seus próprios olhos, o que me leva a indagar se ela ainda é um embrião dentro dessa cabeça-ovo ou se já foi dada à luz porem permanece no berço ainda de olhos fechados. E seja um embrião ou um bebê recem-nascido, êstes ainda não sabem como é a forma de seu corpo, praticamente nem os sentem, como nossa mente não sente seus neuronios. Mas como disse, isso apenas é teoria sugerida pela Matrix/DNA. Me dá arrepios quando penso nisso, porque a lógica sugere que se essa teoria for a verdade, quando nossas mentes começar a abrir seus próprios olhos começará a ver os movimentos e formas confusas de vultos ao seu lado, de sua mesma espécie. E talvez seus pais… ou ao menos as formas de software que foram suas espécies ancestrais…

Segundo, a minha consciência só sabe que está baseada em neuronios porque viu fotografias de outros cérebros de outros humanos. E sabe-se hoje que pessoas perderam até metade do cérebro porem suas mentes continuaram igual. Então a teoria dos estudiosos do futuro tecnológico a acontecer nos próximos anos, é lógica: é possível tirar todos os neuronios de meu cérebro e por outros feitos de chips de silício que minha mente nem vai perceber a mudança. Depois é só pegar êsse novo cérebro e por num robot, a mente vai junto. Acontece que o robot pode ser imortal. Então sua mente se torna imortal…!!!

É claro, os passos tecnológicos para fazer isso são bem complicados, como explicam os autores. Seria preciso começar removendo uma pequena porção de neuronios que apenas afeta algumas propriedades da mente. Por exemplo, uma mulher com uma certa porção removida passa a ter o hábito impulsivo de quando vai tirar o sutiã, corta suas alças com uma tesoura. Em seguida implanta-se naquela região os neuronios artificiais e faz-se tôdas as conexões normais. Espera-se um tempo de adaptação e quando a mulher volta a tirar o sutiã pelo método normal, quando se deduz que ela não vai acabar com todos os sutiãs da loja, significa que aquela parte está resolvida. Então passa-se para a porção seguinte. Eu jamais iria imaginar que a imortalidade esteja tão perto de nós!

O artigo inicial está no famoso website do “Pharyngula”, do biológo PZ Mayers, ao qual se segue uma longa lista de comentários com debates entre “experts”e as inteligencias mais bem informadas dêste planeta, uma coisa surpreendente para se ler, com links para muitos outros artigos e menções com os nomes dos principais autores nessa área de futurologia tecnológica. Quem tiver tempo e quiser se aprofundar no tema, os artigos no Pharyngula é a chave que abre um enorme leque. Eu estou me mordendo de raiva porque tenho que sair para trabalhar para obter o pão de cada dia e assim não posso me deleitar estudando com carinho êste assunto. O estopim dos artigos do Myers foi êste artigo:

1) http://arstechnica.com/science/news/2009/02/we-are-becoming-a-new-species-we-are-becoming-homo-evolutis.ars
ARSTECHNICA.COM
Título do artigo: We are becoming a new species, we are becoming Homo Evolutis
By Ken Fisher | Published 3 years ago

2) http://scienceblogs.com/pharyngula/2009/02/futurists_make_me_cranky.php
Pharyngula.com
Título do Artigo: Futurists make me cranky
Posted on: February 9, 2009 12:54 AM, by PZ Myers

Êste artigo gerou um debate que fêz Myers publicar outro artigo, o qual, é nos comentários que se seguem que temos verdadeiras jóías de preciosidade da nata da inteligência moderna e que nos afeta nosso atual nivel de conhecimento e maneira de pensar nossa existência:

3) http://scienceblogs.com/pharyngula/2009/02/singularly_silly_singularity.php
Título do Artigo: Singularly silly singularity
Posted on: February 9, 2009 2:48 PM, by PZ Myers

E fico pensando com meus botões: o que vai acontecer com a humanidade e sua tecnologia no futuro? Singularidade? Chegará ao ponto de um turbilhão de eventos de tecnologias mutando, inovando a todo dia que passará à frente da capacidade de absorção da mente humana e do seu contrôle da sua vida? Pode a espécie humana produzir um robot com sua inteligencia, sua personalodade e ser substituida por essa nova criatura? Deixa-me fixar resumidamente o ponto de partida da análise dêste problema sob a luz da Matrix/DNA:

Como ficaria a Matrix, no caso? Para ela, o corpo humano, assim como sua tecnologia com seus computadores e robots, tudo faz parte do hardware, enquanto a mente humana é o software. O problema apresentado aqui seria a possibilidade do hardware passar à frente do software. E ela diz:

– “Bem…, vem vindo desde o Big Bang um processo evolutivo constituido de um feed-back entre software e hardware. O software contrói novo hardware melhor para nêle habitar. O hardware constrói um software melhor para ter maior potencialidade e viver melhor. Você está sugerindo que de repente o software deixará o hardware no estado que está e mudará totalmente fazendo um hardware artificial. Um caso de traição. E passará a habitar êle? Será possivel se conectar a êle?
Ou então você sugere que o hardware obtem tantas novas informações que sabe que o software não será capaz de absorver, impedindo que o hardware alcance suas ambições. Então o hardware pega todas estas novas informações e faz um sotware para si, artificial. É tambem um caso de traição. Sera possivel conecta-lo a si mesmo?
Acho impossivel responder isso agora, enquanto ainda não sabemos como é, e o que é que conecta os neuronios ao estado de consciencia que o cérebro produz.
Mas essa evolução vem vindo em paralelo, com a dupla software mais hardware. Isto significa que as leis da Natureza estão presentes na dupla, desde as origens do Universo. Estas leis não se revelam apenas a nivel dos corpos fisicos e das sinapses que produzem os pensamentos. Revela-se ao nivel quantico, eletro-magnetico, etc., que subjazem a carne e as sinapses, e mesmo talvez os átomos das máquinas. Numa repentina mudança, com nova composição da dupla, as mesmas forças vão se transferirem para a nova criação e vai-lhes ser possivel continuar suas operações? Ou não?

Tentemos ver a questão sob o aspecto de um parâmetro lógico e valido. Imagine agora a situação de uma mulher grávida. Ela representa o Universo. Dentro dela um embrião está em adiantado estado de gestação. Cientistas retiram o corpo do embrião, passo a passo substituindo-o por um corpo-robot artificial, de maneira que a mente do embrião não é afetada. O corpo da mãe continuará a alimentar tal corpo-máquina da mesma maneira? O que você pensa? Eu olho para isso incomodado, a idéia me parece estranha e sinto que o corpo da mãe rejeitaria a máquina, nunca deixaria de percebe-la e não a alimentaria. Mas… assim como dizem que podem substituir os neuronios e o cérebro continuará a ser alimentado pelo corpo… então talvez seja possivel à tecnologia ser tão capaz de fazer com que o corpo da mãe continue a alimenta-lo normalmente. Ou seja: o Universo poderia ser “enganado” sem o perceber. Se estamos dentro de um processo de reprodução universal, quando chegar o momento da ultima forma do bebê – que é a Matrix – nascer para o alem do Universo, nascerá um monstro…?! Se existe algo ou alguem que tenha gerado o Universo, genética ou computacionalmente, estará assistindo esta gestação? E perceberá a mutação intra-uterina, deixará isso acontecer?

Acho que é não-inteligente investir tempo e raciocinio nisso agora, mas abordar êstes pensamentos é bom, tem uma certa utilidade, devido ao caso da nossa carga genética estar tentando nos conduzir a um futuro como algo dessa tecnologia, ao Admiravel Mundo Novo. No livro e filme de Huxley, ou do George Orwell, acontece isso: a relação de feed-back entre o ser humano e o computador pode entorpecer a mente biológica sendo gradualmente sibstituida pela nova mente formada pelo conjunto de novas informações coletadas pelo robot-computador, e sem o perceber o hardware se implanta a si mesmo uma “Inteligência Artificial” e no fim essa mente se diz a si mesma: “Não podes fazer nada que altere ou mude qualquer detalhe do seu novo mundo pois a forma em que estás é a forma perfeita e qualquer progresso, qualquer alteração, seria a quebra da perfeição.” A nova mente feita com essa Inteligência Artificial seria estupida no sentido que cairia num eterno ciclo de retornos e teria se eternizado numa forma incompleta e provisória, interrompendo a evolução dentro de um Universo que de qualquer maneira vem evoluindo. Cessaria a aventura espacial porque o novo ser teria mêdo de mudanças, de se contaminar com elas, e estaria muito acomodado e ocupado com suas orgias na matéria. Foi o que aconteceu com tôdas as espécies que caíram no super-especialismo, notadamente os dinossauros. Acho que devemos lutar para manter a autonomia e liberdade da mente humana. Por isso, mesmo que nos custe algum sacrificio, é util pensar-mos êste tema.”

– “Obrigado pela resposta, dona Matrix. Acho que tem sabedoria nela. Se Deus permitir voltarei a estudar o tema…”
– “Deus?!…”
– “Hummm…escapou… mas porque não?”
– “É… porque não?”

Lulas Gigantes, Ôlho Grande: Objeto da Evolução ou Evolução do Objeto?

sexta-feira, março 16th, 2012

Artigo na BBCNews revela que lulas gigantes apresentam um mistério evolucionista: o tamanho do ôlho em relação ao corpo é um salto evolutivo no vazio, sem lógica baseando-se nas espécies similares. Então cientistas sugerem uma explicação. Lulas gigantes são devoradas por um predador, a baleia, e para escapar a tempo desenvolveram o ôlho grande para poderem ver a baleia à distância na água.
Quem quiser ler o artigo (em inglês): http://www.bbc.co.uk/news/science-environment-17365736
Título:Giant squid eyes are sperm whale defence – By Richard Black

E como sempre quando obtenho uma nova informação sôbre qualquer fenômeno natural corro à fórmula da Matrix/DNA que sempre dá uma explicação e sempre diferente de tudo que a Humanidade explica. Aqui por exemplo, ela sugere uma diferente explicação.

.Imagine a lula normal com ôlho normal pequeno proporcional ao tamanho do corpo. Essa a geração primeira a milhões de anos atrás. As lulas aprendem que existem corpos na água que as matam, que as comem. É preciso ir buscar na matéria não-viva e depois nas origens da matéria viva como iniciou êsse fenômeno de um corpo material “saber” e “prever” que outro corpo material é ameaça à sua existência, e quando começou um corpo material a desenvolver a habilidade para se desviar “antes”, de um outro corpo material que pode causar um evento no futuro. A Matrix/DNA explica mostrando que na matéria não-viva (segundo dizem errôaneamente os seres humanos), já existe a relação predador-prêsa, por exemplo, quando um astro existe sob o ciclo vital, e no ciclo vital a forma posterior só pode existir se “comer” a forma anterior. Seria como dizer que nossa forma adulta é a predadora e a nossa forma criança foi sua prêsa. É assim, desta maneira sutil que vamos encontrando explicações para fenômenos que vemos agora, descendo no tempo e espaço até localizar a causa primeira emergindo com o Big Bang. Sómente assim vamos conhecer a Natureza de fato para ter o poder de controlá-la.

Mas vamos voltar ao nosso problema especifico aqui. Lulas tem um sistema nervoso muito primitivo. Então como desenvolveram êsse ôlho grande? Bem, baseando-se no que vemos em ratos, passaros, lebres, os animais sempre estão assustados, vigilantes. Fazem esforço em se concentrarem no ambiente imediato e captar todos os movimentos, ou para captar um alimento ou um predador. Então é compreensível que êste esforço praticado durante milhares de gerações acaba desenvolvendo os sentidos. Alguns desenvolvem o radar, outros desenvolvem a visão. Preciso voltar a ler o artigo porque não estou entendendo qual era o problema dos cientistas. Não vejo porque não ver como lógico e normal êstes saltos evolutivos especificos a cada espécie. Mas os mapas da Matrix/DNA dá outra explicação, mais completa. Acho que não vai adiantar ao homem começar agora todo dia pulando de um barranco tentando voar e se esburrachando no chão à espera de que vai começar a aparecer protuberancias nas costas e daí se desenvolverem asas, em milhares de gerações. Porque? Se as informações para “asas” constam do DNA dos seres vivos, tanto é que as aves conseguem ativa-las e expressa-las? Segundo a Matrix/DNA é tarde demais para o Homem ativar e expressar estas informações porque desenvolveu a forma do corpo diferente das aves e com isso torna impossivel genes retrógrados serem ressuscitados. Mas para a lula sua forma de corpo tornou possivel ativar e expressar informações para ôlho grande, informações estas que todos os DNAs de todos os seres vivvos possuem. Mas não só o DNA as possue, e sim aquilo que o DNA é cósmicamente, a Matrix. Na figura da Matrix como sistema fechado e software do building block das galáxias, a maior peça é o vórtice turbilhonar, cônico que se forma no centro da nebulosa de poeira de uma estrêla morta. Veja no software-Matrix, esta peça na posição F1. Ora nesta peça passam as tôdas as informações do sistema inteiro. A nível de sistema inconsciente é dificil dizer que a peça “conhece” , ou tem consciência da existência do sistema ao qual pertence. Não importa. O que importa é notar que uma peça onde tôdas as informações do sistema passam por dentro dela, existe na nossa ancestralidade não biológica. E lembrar-se que o fenômeno da visão significa que informações do mundo externo a um ser vivo, estão passando através de uma sua peça denominada “olho”. O seguinte passo é apenas somar dois mais dois. É lógica pura: a visão humana já tinha seus principios encriptados nas estrêlas e assim vieram junto com o primeiro DNA, se realmente tudo o que é vivo foi produzido pelo mundo material nesta região cósmica. No céu, o vórtice nuclear do building block poderia “ver” o sistema inteiro, se fôsse consciente, ou seja, com um cérebro no fundo que refletisse as imagens vistas e as disponibilizasse para as operações conscientes nas sinapses.

Então a lula tem um forma de corpo muito mais próxima da forma da galaxia que a forma humana. Seu corpo imita a forma nuclear, central, da galáxia, e seus tentaculos imitam os braços espiraos da galáxia. Isto porque a lula é uma forma de vida muito primitiva e como a vida veio da galaxia , esta é sua avó, ela conserva semelhanças de forma. Os humanos estão mais distantes, a galaxia é nossa tetravó, houve muitas mutações entre ela e nós.

Ora, na ancestral galaxia o “Olho” não apenas é a maior peça, como no sentido literal, é o corpo inteiro do sistema. Lembre-se que o sistema “building block das galaxias” não existe como tal pois suas peças só se apresentam uma de cada vez, assim como o sistema corpo humano nào mostra seu ciclo vital inteiro num dado momento, apenas mostra uma das formas do seu ciclo vital. Então quando a Matrix desce das astronomia e se torna o DNA biológico, ela traz uma força empurrando os primitivos sistemas vivos a terem um corpo que ao mesmo tempo seja um “ôlho”. Assim vamos chegando à noção que para os seres primitivos o normal seria terem um olho grande. A lula está certa, ela é a normal, anormal foram os outros que resistiram a isso, ocultaram essa informação, mutaram em outra direção. Por isso me vem a questão: foi o objeto ( o primeiro olho) dos seres vivos antes da lula que produziu a sua própria evolução, com um rumo diferente do que era ordenado pela evolução cosmológica, ou foi a evolução cosmológica que manteve-se na direção em relação à lula gigante e impôs sus preferencia de olho mais proximo do tamanho do corpo? Em todo caso, esta é uma maneira diferente de abordar um fenômeno natural e pensar diferente, conclamando o Universo inteiro nesta explicação.

Cada Base do DNA é um Quadrante da Face da Matrix

sábado, março 10th, 2012

Esta é a descoberta de hoje. Divide-se a figura da fórmula da Matrix verticalmente e tem-se suas face direita e esquerda. Divide-se com mais uma linha horizontal e tem-se quatro quadrantes. Cada par lateral de nucleotideos tem quatro bases, e é uma unidade de informação do DNA. O fato do DNA ser uma longa pilha destas unidades, que vão trocando a posição dos quadrantes, é que precisa agora ser analizada. O que significa juntar o quadrante 1, que é a fase de nascimento e infancia do corpo, ao quadrante 3, que é a fase de adulto jovem e adulto maduro, pulando a fase 2?! Isto é um degrau da escada, por exemplo Guanina + Timina. Isto está separado mas dentro do sistema e em paralelo com outro par que tem os quadrantes 2 e 4. No próximo nucleotideo muda essa combinação. Porque? Para que?

Como conetar uma criança a a um adulto sem ter passado pela fase de juventude? Bem, desde que são separados como corpos, ou seja, a criança é um individuo diferente do adulto, e apenas conectados por pontes de hidrogênio, é possível. Mas o que se obtem disso?

Massacre na Escola: Jovem Deixa Carta Para Pensar-mos a Juventude Moderna

quinta-feira, março 8th, 2012

TJ-Lane-is-the-alleged-gunman-who-from-Chardon-High-School-that-shot-students

Na estação orbital russa a 10.000 milhas da Terra passo apressado em frente a uma televisão que anuncia mais uma tragédia numa escola. Termino meu trabalho e me aproximo de uma janela. Olho para o planeta que parece um ôvo azul flutuando num espaço vazio sem fim. Volto meus olhos para alem dêle, à sua esquerda e vejo tambem flutuando no espaço uma bola branca menor. É a Lua. Mais distante delas vejo outras “bolas solitárias”, que parecem existir por tôda eternidade sem sentido algum, parecem iguais ao ôvo azul. Quando me viro para a direita, aí sim, um certo deslumbramento me fascina: uma espécie de grande esfera vertendo como que um fogo ininterrupto, eterno, lançando raios luminosos que invadem o espaço iluminando-o até quando o espaço consegue contê-los e engoli-los para dentro de sua escuridão infinita. Êste é o mundo real, tudo o que vem agora são interpretações humanas, teorias, sôbre possíveis significados, talvez alguns propósitos inteligiveis. São as nossas apostas e crenças com que impregnamos com nossa imaginação esta imagem de corpos redondos materializados jazendo num espaço sem fim, são as nossas lendas para tentar explicar a história desde quando nossos antepassados surgiram na superficie de um dêsses bólidos silenciosos, quase imóveis, flutuando…flutuando… sem destino algum aparente.

Mas então entro numa nave com destino à esta imagem de “ôvo azulado” e quando me aproximo dela, começo a ver as cidades iluminadas, e me lembro que existe a espécie humana, cavalos, borboletas, navios singrando oceanos. Algo me inciomoda, algo não está certo, porque algo não tem explicação inteligivel, porque minha mente não consegue processar estas informações, estas cenas que vejo agora. Minha cabeça fica girando para trás, meus olhos observando o espaço sideral e seus pontos materiais ao longe, detem-se mais tempo na enorme esfera luninosa, e gira para a frente, observando lá embaixo a cidade cujos contornos já se tornam visiveis, os faróis de carros nas ruas e até alguns seres humanos caminhando, e nada faz sentido. Não tem como conectar racionalmente as duas imagens que vejo, o eterno e silencioso quadro de pontos materiais flutuando no espaço e os corpos que se movem na superficie dêste ponto materializado e azulado. A primeira e inevitavel pergunta fica ribombando em minha mente, me cutucando como se uma agulha a estivesse penetrando dolorosamente: ” Como é que êste mundo imóvel de espaço escuro, frio, infinito, produziu estas formas materializadas que existem e flutuam sem sentido aparente? Mas, e depois, como foi que êsse sistema móvel de corpos materiais, muito lento mas que se move, produziu, criou, gerou, êstes corpos que parecem muito complicados, a caminhar nas ruas?! Onde e como a rocha mais água se transformou em carne, cabelos?! Porque?! Para que, Meu Deus?! Com que objetivo, onde vai dar isto tudo? O que existe de oculto no sistema solar que criou esta vida?! Se olho para todos os lados e nada vejo que possa responder essa descomunal questão? Isto parece mágica, não é possível acontecer se me baseio apenas no que percebo do mundo e nas minhas experiencias nesta vida.

Desço na superficie do “ôvo azul” e saio a caminhar nas ruas. Sou agora mais um igual aos seres humanos. Passo em frente a uma loja exibindo uma grande tela de televisão onde um repórter fala que o assassino da escola se perguntava na adolescencia para que êle existia. E me retorna a pergunta. Para que existo assim? Porque, como o fêz, e para que o fêz, a grande esfera luminosa e mais esta composição de terra e água, ao criar arrancando de sua extrema simplicidade e inércia eterna, êste corpo e depois êste “eu semi-consciente” que nêle está conectado, aprisionado, nêste momento?! Êste “sistema” perdido no espaço infinito é um meu ancestral, como o foi uma bactéria, um réptil, mas o que êle contem que produz essa mágica? Tenho a sensação de existir apenas para responder esta questão, solucionar êste mistério, e então apenas esta razão me parece que já justifica eu existir aqui e agora e do jeito que sou.

Mas tem outros seres humanos que não podem ir à estação espacial russa para ter essa visão, nem ao menos conseguem imaginar essa viagem e a paisagem que veriam se a realizassem. Entre êles existe um que recebeu o nome de T.J. Lane, o protagonista da tragédia na Chardon High School, em Cleveland, que tem hoje 17 anos. O “eu semi-consciente” que se chama Lane era igual a mim até a alguns meses atrás, existindo perturbado por essa pergunta e existindo apenas pensando nela, vivendo para essa pergunta. Para que estou existindo, o que sou aqui, o que é este mundo, o que há de misterioso que êle esconde por trás de sua bruta simplicidade? O que devo fazer, o que devo visar como meu objetivo supremo nesta minha vida?!…

Mas eu continuei me contorcendo debaixo desta pergunta, me arrastando pelas ruas e carregando-a como um fardo pesado ou um carrapato agarrado nas minhas costas, movido pela crença que devo continuar caminhando porque, se não vejo um caminho racional, um mapa que me leve à arca onde está a resposta, ao menos me alimenta a crença em que o caminho se faz ao caminhar. Nada mais que isso, me movimento já em idade avançada como um automato tentando vencer obstaculos e abrir caminho, prosseguir, adentrar cada vez mais a escuridão que circunda êste mundo e o faço porque ainda tenho esperanças de lá chegar, pois vejo o que fiz, o que avancei, o que descobrí e desvendei que estava escondido, e foi muita coisa. Até cheguei a visualizar o código primordial criando a Vida assentado no espectro magnético das ondas de luz! Agora ando perseguindo a luz por toda parte, acho que nela jaz o segredo. Enquanto isso Lane aos dezessete anos acreditou de repente que tinha desvendado o mistério, que estava tudo solucionado. A resposta que explicava o elemento oculto no sistema solar que criou a vida na superficie do ôvo azul” é, para êle uma entidade não material que ele nunca soube explicar direito, ao qual êle deu o nome de “Deus”, e êle está convencido que este elemento existe e explica essa criação tôda. Quando procurou a explicação para a existência de seres humanos e porque existem assim, dessa maneira, êle encontrou uma e nela acreditou piamente: são criaturas que se tornaram malignas, que resolveram por si mesmas o que fazer de suas vidas, sendo que seu comportamento é contrario ao planejado por “Deus”. É preciso consertar o mundo, extirpar essas criaturas malignas dêle, para que “Deus” retorne em seu plano, e é isto que vou fazer. E assim Lane fêz: num belo dia pegou um revolver foi para a escola, e lá chegando começou a atirar em todo mundo: “Que morram todos vocês”! É o que seu semi-consciente se dizia a si mesmo enquanto ele matava seres humanos.

Quais seres humanos estão mais certos? Quais são os mais inteligentes? Os que deixaram-se dominar por essa pergunta e sempre terminam por encontrar algum tipo de fantasma imaginario que se torna uma força real, irresistivel, a ponto de anular sua inteligencia, tomar o lugar de seu semi-consciente e dirigir os movimentos de seu corpo, guiar suas mãos a fazer isso e não aquilo? A êstes seus fantasmas imaginários os tornam fanáticos, fundamentalistas, e até auto-suicidas. Ou os que, ao quais se contam aos bilhões, arrancaram esse carrapato de suas costas, pegaram-no pela goela e lhe disseram: “A partir de hoje seu nome será Deus. E serás assim como ei o defino e como eu determino. E veja se fica quieto no seu lugar sem me encher o saco!” E simplesmente vivem o caminho que o sistema solar lhe fornece, sem forçar nenhuma direção, nenhum caminho próprio de sua vontade, tentando apenas saborear o maximo possivel as coisas que encontra no caminho que lhe dão prazer, às vêzes olhando para o carrapato e lhe atirando aigumas migalhas de sua moral mas sempre cobrando, pedindo,uma recompensa. sào a maioria dos religiosos não-fanáticos. Estão certos? Em que grupo você se classifica? Meu fantasma imaginario agora é a luz natural, existo agora perseguindo-a, tentando vê-la melhor, tentando toca-la, porque acredito que ela contem o código, ela é arca dos segredos, e êsse tipo de semi-conciente continua trabalhando, produzindo o que consome e se ajustando de alguma maneira no ambiente social. O efeito da minha existencia é a de uma força que está tentando conduzir outros seres humanos por um novo caminho, mas enquanto isso, fica desejando a evolução e o progresso intelectual de todos os seres humanos, que continuem a existir porque se eu não conseguir chegar e abrir a arca certa, as futuras gerações humanas terão a chance de fazê-lo. Com isso, jamais me passará pela cabeça que devo empunhar uma arma e sair matando criaturas humanas. Nós somos os grupos tachados de “agnósticos”. Temos hipóteses, teorias, nenhuma certeza. E dentre os primeiros tem outros cuja crença na sua resposta final ao misterioso elemento, os torna uma força aniquiladora de criaturas humanas. Compoem os exércitos das cruzadas, as côrtes da inquisição, os grupos terroristas, ou apenas são lobos solitários como Lane. Estarão estas pessoas mais próximas da verdade? Seria preciso limpar a terra das suas criaturas malignas e deixar deuses prosseguirem em seus planos?

O que há de comum entre eu e o Lane, alem de ser-mos criaturas humanas, é a experiencia de nossa existencia durante a infancia. Pelo que êle diz na sua carta, ele viveu como eu: sem familia, sem dinheiro, sem amigos, sem poder continuar frequentando uma escola, passando a maior parte do tempo na rua procurando sem saber exatamente o que, curvado sob o bombardeio contante dessa pergunta: “Para que existo?” Nosso caminhos se separaram quando no seu começou a se formar a imagem de seu deus e a idéia de que os outros seres humanos, que sempre tentaram escraviza-lo e sempre se riram dêle a partir de seus territorios estabelecidos às margens das ruas, são criaturas malignas, idéia essa que fêz crescer um estado de ódio, o qual transbordou naquele dia fatal. No meu caminho não apareceram respostas tão cêdo, continuei a andar procurando-a, passei a fase da analize das criaturas, não houve o processo que leva ao ódio. Mas então apareceu a carta de Lane que é uma confissão do estado mental em que ele se encontrava quando nossos caminhos se separaram. Vou ler esta carta com muita atenção, varias vêzes, porque me interessa. Ela pode ter a explicação do porque tenho fracassado no intento de arregimentar os deserdados como eu para fazerem o caminho que acho mais certo. Alem disso ela pode sugerir uma providência para evitar que no futuro tais cenas se repitam. Por isso a reproduzo abaixo tentando primeiro traduzi-la ( o texto em inglês vai a seguir para os que não entenderem a tradução).

Aqui está a carta escrita pelo suposto pistoleiro TJ Lane, um jovem americano de 17 anos, que era visto como um campones:

” Passou-se um longo tempo antes de saber que deveria se arrepender. Foi o Renascimento. Em uma pitoresca cidade, sózinho, senta-se um homem com uma carranca. Nenhum trabalho. Nenhuma família. Nenhuma coroa. Sua sorte tinha se esgotado. Perdido e sózinho.

As ruas eram sua casa. Seus pensamentos eram unicamente compostos de “por que nós existimos?” A sua única companhia era confiar nos vermes na rua. Ele ansiava por apenas uma coisa, o mundo se curvar a seus pés.

Eles também devem sentir o seu medo secreto. O lúgubre sonho sombrio. Sua dor o havia feito sincero. Ele era melhor do que o resto, todos aqueles que ele detesta, dentro de seus castelos, tão vaidosos. Egoístas e vaidosas, vaidosos.

Eles não poderiam se importar menos com os camponeses. Eles o maltrataram. Eles estavam em seu próprio mundo, o qual para eles era uma alegria também. Nêsse castelo, êles estavam apenas a fazer tudo o que podia para manter os camponeses na baía, o inimigo para longe.

Eles não tinham inimigos em sua orgia imunda. E nela, cada castelo com sua história, era apenas uma outra câmara do Laboratório de Lúcifer. O mundo é seguro para todos os pecadores miseráveis.

Eles simplesmente criam o que eles querem e fazem-se os vencedores. Mas o verdadeiro vencedor, êsse não tem nada. Suportando a dor da espera para o castelo cair. Através de suas boas ações, êles são os ratos e as pulgas.

Ele terá o que ele pede, através da erradicação da doença. Assim, para o castelo, ele prossegue, como uma brisa sinistra através das árvores. “Para trás!” Êles gritarão, quando seus guardas forem lançados de joelhos. “Oh Deus, tem misericórdia, por favor!”

O castelo, êste se engasgou e assim têve prêsa sua respiração, para os confins rasos do seu peito frágil. Eu estou no cordeiro, mas não sou nenhuma ovelha. Eu sou a morte. E você sempre foi o gramado. Tão repulsivo e tão estranho.

Você nunca mereceu a presença de Deus, e ainda, eu estou aqui. Em torno de seu berço êle ronda. Veio a pé, sem calçados. Como impróprio, como rude. No entanto, eles não se importam com a lama nos meus pés, se não há sangue em sua palma.

Agora! Sinta-se a morte, não apenas zombando de você. Não apenas perseguindo você, mas dentro de você. Contorcer e se contorcer. Sinta-se menor sob o meu poder. Apreensão da peste que é a minha foice. Que morram, todos vocês!”

Em 20 de janeiro de 2012 às 16:59, Lane escreveu no Facebook, “Escreví isso na sala de aula um dia …”

E assim Lane irrompeu na escola apontando o revolver para estudantes e atirando: “Que morram todos vocês!”.

Qual o elemento, a força natural, que ainda se oculta no sistema solar, que produziu através de sua “evolução”, um fenômeno com uma cena dessas de tamanha complexidade mostrando um evento como êsse?!

A eterna e maldita pergunta, o incomodo carrapato, ainda continua, e não entendo como pessoas conseguem viver sem ouvi-la ou prestar-lhe atenção. Me parece que essas pessoas reduziram os horizontes de seus olhos para verem apenas o que existe de imediato ao seu redor, e assim se esquecem ou não veem que tudo isso surgiu dentro e foi feito por um sistema solar que são meras bolas flutuando num espaço escuro sem fim. Os animais irracionais tambem se comportam dessa maneira exclusivamente prática, mas como as criaturas humanas não são irracionais, inventaram uma imagem fantasmagórica como sendo o elemento que “criou” e assim escapam dessa pergunta.

Mas o principal que nos traz aqui é analizar as causas que constroem personalidades como a de Lane, porque precisamos tomar providências contra estas causas já que seus efeitos são para nós uma tragédia. Escolas no mundo todo estão povoadas com estas mesmas personalidades, se tornam adultos com uma certa potencialidade de ação. O que está nas raízes das causas? Existirá algum procedimento para eliminar essas causas? Porque dentre estudantes existem aquêles com personalidade de víbora, que possuem um veneno oculto que não conseguem conter, e que o extravasam tôda vêz que vê aquela criatura humana que se comporta diferente do que eles queriam? Que se recusam ou não se sujeitam ao seu dominio? Valeu a pena aos protagonistas do “bulling” perante as pessoas que morreram devido sua ação? Onde estavam os principios dêste veneno, o protótipo da víbora, no sistema solar a 4 bilhões de anos atrás?!

O modêlo teórico sôbre como eram e porque existiam os astros da galáxia a bilhões de anos atrás, que apresento na Teoria da Matrix/DNA, sugerem uma explicação racional para tudo isto. Resumindo, existe uma tendencia da matéria a se organizar como um paraiso para si mesma, num estado de equilibrio termodinamico, e isto ela conseguiu quando se organizou como galáxia. Observando-se o quadro dêstes astros conectados num sistema, parece-nos a imagem de uma serpente engolindo a própria cauda, uma extrema forma do egoísmo. Mas de cima dela veio uma fôrça entrópica que a está fragmentando em seus “bits-informação”, que atuam como genes semi-vivos, e que se reorganizam na forma de sistemas celulares, daí para a de humanos. Assim nosso semi-consciente ainda é um embrião que vive subjugado pelas leis, fôrças e tendencias da matéria que compoem nossos corpos. Enquanto isso nessa matéria, através de seus genes semi-vivos, tentam reproduzir organicamente aqui seu saudoso paraiso celeste. O grupo dos “miseráveis pecadores” no dizer de Lane se refere aos genes que chegaram antes, se apoderaram dos territórios e recursos disponiveis, fizeram seus castelos-paraisos e quando Lane chegou, um outro gene-semivivo herdeiro da mesma serpente celestial, e quis refazer seu paraiso celeste, não havia mais espaço. Os estudantes não queseram dividi-lo com Lane, a Lane seria insuportavel viver sem seu paraiso, e como a serpente mais poderosa do Universo, preferiu se eliminar mas levando junto os causadores de sua desgraça. No fim, parece que é mais um caso de “cobra engolindo cobra no simples reino da matéria onde ainda não se despertou um intelecto cósmico”, porem o maior problema é que estes desfêchos sempre causam vitimas que nada mais tem a ver com a serpente celestial.

Por enquanto ficarei pensando e deixarei o leitor pensando, mas êste tema terá prosseguimento aqui. Meus olhos zigue-zagueiam entre o sistema solar e a cena da tragédia na escola e continuarei a buscar os elos que fazem a conexão entre as duas cenas.

xxxx

A seguir o texto em inglês publicado em:

GlobalGrind.com

http://globalgrind.com/news/tj-lane-alleged-gunmen-chardon-high-school-shooting-letter-die-all-you-details

Here is the letter written by the alleged gunman T.J. Lane:

In a time long since, a time of repent, The Renaissance. In a quaint lonely town, sits a man with a frown. No job. No family. No crown. His luck had run out. Lost and alone.

The streets were his home. His thoughts would solely consist of “why do we exist?” His only company to confide in was the vermin in the street. He longed for only one thing, the world to bow at his feet.

They too should feel his secret fear. The dismal drear. His pain had made him sincere. He was better than the rest, all those ones he detests, within their castles, so vain. Selfish and conceited.

They couldn’t care less about the peasents they mistreated. They were in their own world, it was a joyous one too. That castle, she stood just to do all she could to keep the peasents at bay, not the enemy away.

They had no enemies in their filthy orgy. And in her, the castles every story, was just another chamber of Lucifer’s Laboratory. The world is a sandbox for all the wretched sinners.

They simply create what they want and make themselves the winners. But the true winner, he has nothing at all. Enduring the pain of waiting for that castle to fall. Through his good deeds, the rats and the fleas.

He will have for what he pleads, through the eradication of disease. So, to the castle he proceeds, like an ominous breeze through the trees. “Stay back!” The Guards screamed as they were thrown to their knees. “Oh God, have mercy, please!”

The castle, she gasped and then so imprisoned her breath, to the shallow confines of her fragile chest. I’m on the lamb but I ain’t no sheep. I am Death. And you have always been the sod. So repulsive and so odd.

You never even deserved the presence of God, and yet, I am here. Around your cradle I plod. Came on foot, without shod. How improper, how rude. However, they shall not mind the mud on my feet if there is blood on your sheet.

Now! Feel death, not just mocking you. Not just stalking you but inside of you. Wriggle and writhe. Feel smaller beneath my might. Seizure in the Pestilence that is my scythe. Die, all of you.

On January 20 at 4:59pm Lane wrote, “much obliged to all who “liked” this. Wrote it myself in class one day…”

Read more: http://globalgrind.com/node/827141#ixzz1oVMM4Xht

xxxx

Ocorrências Astronômicas Ameaçando o Planeta Terra, Campo Magnético Desaparecendo e a sugestão da Matrix/DNA

quarta-feira, março 7th, 2012

Nossos modêlos sugerem que nas origens das galáxias, planetas se transformaram em pulsares e depois em estrêlas. As preocupantes informações nos artigos citados abaixo sôbre a Terra e Vênus nos faz lembrar êstes modêlos: explosão na atmosfera de Vênus, enfraquecimento da camada protetora da magnetosfera terrestre, aumento das tempestades solares. A grande questão para nós é saber qual foi a evolução do processo de formação de galáxias para a formação de sistemas solares. Terá a evolução atuado nêste processo como atuou nas origens da Vida, quando a primeira célula surgiu por simbiose de moléculas e micro-organismos separados ( como surgiu a primeira galáxia, segundo nossos modêlos) e depois aprendeu a se reproduzir mais fácil e rápido por auto-divisão (como depois o building block de galaxias pode ter aprendido a se replicar por reciclagem, como sugerem nossos modêlos)? Enquanto não resolver-mos esta questão, não teremos uma previsão do que vai acontecer com o nosso planeta. Êle vai se extinguir devido a velhice do Sol (antes do Sol morrer ou depois?) ou vai antes se transformar num pulsar? A explosão em Vênus segundo o artigo abaixo, a violação do nosso campo magnético como no outro artigo, e a constatação que o magnetismo da Terra está diminuindo são indicios que servem para as duas hipóteses, portanto êles não resolvem nossa questão. Mas deve ficarem aqui registrados, para nosso prosseguimento desta investigação.

Algumas primeiras idéias:

– Resumindo a noticia: Às vêzes o sol emite ventos solares ( energia radiada) para o espaço, que viajam a um milhão de milhas por hora e as que vem em nossa direção são barradas na nossa magnetosfera a 44.000 milhas de distancia da nossa superficie. Magnetosfera é a coroa circular formada pelo campo magnético da Terra. Às vêzes alguma dessa energia penetra na nossa atmosfera causando preocupantes efeitos climaticos. Em relação a Vênus, o planeta não tem campo magnético, portanto não tem barreira contra a tempestade de energia que vem do Sol. Mas para compensar isto, Vênus tem uma atmosfera muito mais densa que a nossa e é 100 vêzes mais quente, quer dizer, as coisas de sua superficie já resistem mais ao calor. Então, quando o vento solar se encontra com essa atmosfera densa, ocorrem reações que podem resultar numa explosão, na atmosfera, quer dizer, acima do solo do planeta. Algo quase como acontece nas nossas nuvens com os relampagos seguidos de estalos e trovões.

– Antes que os arautos do apocalipse saiam correndo para alarmar opovo que a explosão em Vênus é um sinal que o mundo está acabando em 2012, já vamos lembrando que a explosão aconteceu em 8 de Março de 2008. Só está sendo noticiada agora porque foi o tempo dos pesquisadores trabalharem.

– A Terra tem um campo magnético e Vênus não tem. Pelos nossos modêlos, campos magnéticos são resultantes principalmente dos efeitos do nucleo planetário, e se o nucleo é um magma de ferro incandescente o campo será mais forte. Mas quando o nucleo que é um germe estelar vai se ampliando, vai se tornando menos denso e portanto menos forte seu campo magnético. Isto pode sugerir que Vênus é planeta mais velho e pode estar se transformando em pulsar.

– Se o campo magnético de Vênus é mais fraco do que o da Terra, e o da Terra está enfraquecendo, isto sugere que Vênus é mais velho que a Terra. E seugere que o tipo de campo magnético de um astro pode ser usado para calcular sua idade.

– O campo magnético é uma barreira que contem a energia solar. Mas ao enfraquecer ou ser violado, aberto em brechas, essa barreira vai enfraquecendo e com isso a energia do Sol poderia atingir o nucleo terrestre. Isto viria a favor dos nossos modêlos que sugerem que no nucleo dos planetas hiberna o germe de estrêla e tal como ocorre com a maioria das sementes vegetais, se a luz solar alcançar o nucleo a estrêla desperta e começa a germinar. Já sabemos que a energia solar tem alcançado o nucleo do nosso planeta pelo fluxo de descidas e subidas de substancias através das fendas terrestres, mas isto seria um processo muito lento. Talvez o verdadeiro estopim venha de ocorrências anormais como as citadas acima.

– Segundo nossos modêlos, planetas de sistemas estelares modernos tambem contem em seus nucleos o germe de uma estrêla. Êste fato é derivado dos mesmos processos que fazem com que dentro da célula, as organelas chamadas mitocondrias tambem contem DNA. Mas nas células modernas as mitocondrias não se reproduzem apesar de terem o DNA para tal. Por isso, nos sistemas estelares como o nosso é provavel que os planetas tambem não ativem seus germes e se tornem estrêlas.

– Meu Post postado no artigo da DailyGalaxy.com em:

Posted by: Louis Morelli | March 07, 2012 at 01:26 PM

“Understanding what the HFAs do in the non-magnetized Venusian environment, of course, would require direct observations that the current data sets from Venus Express do not provide.”

So, we are in the reign of theories. We need studying these phenomena because it is very important for understanding the climate change at our own planet and making better previsions about its future. It is possible that the event at Venus is more complex than Collinson has figured out. I am testing the previsions of a different cosmological model from The Universal Matrix/DNA and several questions arising here.

Maybe the explosion is result from de repulsion of same energy (energy coming from Sun and energy coming from Venus nucleus). If my models are right, the fact that Venus does not have magnetic field indicates that it is older than Earth. If it is older, my models suggest that it could became a pulsar. But there is a question not solved by my models: the formation of modern stellar systems like our solar system happens by the same process of primordial stellar systems or this process had evolved like evolved the process of cell system formation? My models suggests that the primordial galaxies were formed by the process of life cycle that is encoded into natural light and passed to matter given dynamics to inertial matter. This process makes that an initial body is transformed acquiring different shapes. After that, the shapes are arranged in the same sequence into a working system. Then, each kind of astronomical bodies are derivations of a unique primordial body.

This process is the same applied over the formation of first original cell system, when molecules and micro-organisms became organelles and were organized into a system by symbiosis. But, the cells learned how to replicates fast and easier. Has It happened the same at astronomical systems? If our solar system was produced by the first phase of this process, each planet has as nucleus a germ of a new star. The germ of these stars should working like vegetable seeds where the germ flourishes when it is reached by solar energy. If this process is continuing at astronomical level, Venus is being transformed in a pulsar. If our solar system obeys the second phase of this process, the germs as stars seeds will not flourish, like in the cell system the mitochondria also has DNA but mitochondria does not replicates themselves. A better understanding in Venus will be a better understanding here. Great job, Mr. Collision!

xxx

Giant Breach in Earth’s Magnetic Field Discovered

Dec. 16, 2008: NASA’s five THEMIS spacecraft have discovered a breach in Earth’s magnetic field ten times larger than anything previously thought to exist. Solar wind can flow in through the opening to “load up” the magnetosphere for powerful geomagnetic storms. But the breach itself is not the biggest surprise. Researchers are even more amazed at the strange and unexpected way it forms, overturning long-held ideas of space physics.

“At first I didn’t believe it,” says THEMIS project scientist David Sibeck of the Goddard Space Flight Center. “This finding fundamentally alters our understanding of the solar wind-magnetosphere interaction.”

The magnetosphere is a bubble of magnetism that surrounds Earth and protects us from solar wind. Exploring the bubble is a key goal of the THEMIS mission, launched in February 2007. The big discovery came on June 3, 2007, when the five probes serendipitously flew through the breach just as it was opening. Onboard sensors recorded a torrent of solar wind particles streaming into the magnetosphere, signaling an event of unexpected size and importance.

“The opening was huge—four times wider than Earth itself,” says Wenhui Li, a space physicist at the University of New Hampshire who has been analyzing the data. Li’s colleague Jimmy Raeder, also of New Hampshire, says “1027 particles per second were flowing into the magnetosphere—that’s a 1 followed by 27 zeros. This kind of influx is an order of magnitude greater than what we thought was possible.”

The event began with little warning when a gentle gust of solar wind delivered a bundle of magnetic fields from the Sun to Earth. Like an octopus wrapping its tentacles around a big clam, solar magnetic fields draped themselves around the magnetosphere and cracked it open. The cracking was accomplished by means of a process called “magnetic reconnection.” High above Earth’s poles, solar and terrestrial magnetic fields linked up (reconnected) to form conduits for solar wind. Conduits over the Arctic and Antarctic quickly expanded; within minutes they overlapped over Earth’s equator to create the biggest magnetic breach ever recorded by Earth-orbiting spacecraft….”

http://science.nasa.gov/science-news/sci…antbreach/

xxx

Strange, Colossal Explosions Observed on Venus

http://www.dailygalaxy.com/my_weblog/2012/03/odd-colossal-explosions-known-as-hot-flow-anomalies-hfas-fueled-by-solar-energy-detonate-just-above-the-surface-of-venus.html

March 06, 2012

O artigo foi postado como tópico num forum e os comentários a seguir são proveitosos:

http://lunaticoutpost.com/Topic-Strange-Colossal-Explosions-Observed-on-Venus?page=1

Strange, Colossal Explosions Observed on Venus
xxxxxxx

Relacionado tem o artigo da:

NationalGeographic

Earth’s Magnetic Field Is Fading

http://news.nationalgeographic.com/news/2004/09/0909_040909_earthmagfield.html

Síntese das 8 Atuais Teorias da Vida, Incluindo a Teoria da Matrix/DNA

terça-feira, março 6th, 2012

Publicado em: Live Science

http://www.livescience.com/13363-7-theories-origin-life.html

7 Theories on the Origin of Life

1- Electric Spark
xxx

Origem da Vida por Raios de Relampagos


xxx

Electric sparks can generate amino acids and sugars from an atmosphere loaded with water, methane, ammonia and hydrogen, as was shown in the famous Miller-Urey experiment reported in 1953, suggesting that lightning might have helped create the key building blocks of life on Earth in its early days. Over millions of years, larger and more complex molecules could form. Although research since then has revealed the early atmosphere of Earth was actually hydrogen-poor, scientists have suggested that volcanic clouds in the early atmosphere might have held methane, ammonia and hydrogen and been filled with lightning as well.
xxx
2- Community Clay
xxx

Teoria da Origem da Vida por Cristals na Argila

Teoria da Origem da Vida por Cristals na Argila


xxx
The first molecules of life might have met on clay, according to an idea elaborated by organic chemist Alexander Graham Cairns-Smith at the University of Glasgow in Scotland. These surfaces might not only have concentrated these organic compounds together, but also helped organize them into patterns much like our genes do now.

The main role of DNA is to store information on how other molecules should be arranged. Genetic sequences in DNA are essentially instructions on how amino acids should be arranged in proteins. Cairns-Smith suggests that mineral crystals in clay could have arranged organic molecules into organized patterns. After a while, organic molecules took over this job and organized themselves.
xxx
3- Deep-Sea Vents
xxx

Teoria da Origem da Vida nos Respiradouros na Profundidade dos Oceanos

Teoria da Origem da Vida nos Respiradouros na Profundidade dos Oceanos


xxx
The deep-sea vent theory suggests that life may have begun at submarine hydrothermal vents, spewing key hydrogen-rich molecules. Their rocky nooks could then have concentrated these molecules together and provided mineral catalysts for critical reactions. Even now, these vents, rich in chemical and thermal energy, sustain vibrant ecosystems
xxx
4- Chilly Start
xxx
Teoria da Origem da Vida do Frio Inicio

Teoria da Origem da Vida do Frio Inicio


xxx
Ice might have covered the oceans 3 billion years ago, as the sun was about a third less luminous than it is now. This layer of ice, possibly hundreds of feet thick, might have protected fragile organic compounds in the water below from ultraviolet light and destruction from cosmic impacts. The cold might have also helped these molecules to survive longer, allowing key reactions to happen.
xxx
5 – RNA World
xxx
Teoria da Origem no Mundo do RNA

Teoria da Origem no Mundo do RNA


xxx
Nowadays DNA needs proteins in order to form, and proteins require DNA to form, so how could these have formed without each other? The answer may be RNA, which can store information like DNA, serve as an enzyme like proteins, and help create both DNA and proteins. Later DNA and proteins succeeded this “RNA world,” because they are more efficient. RNA still exists and performs several functions in organisms, including acting as an on-off switch for some genes. The question still remains how RNA got here in the first place. And while some scientists think the molecule could have spontaneously arisen on Earth, others say that was very unlikely to have happened.
Other nucleic acids other than RNA have been suggested as well, such as the more esoteric PNA or TNA.
xxx
6 – Simple Beginnings
xxx
Teoria da Origem da Vida do Inicio pela Simplicidade

Teoria da Origem da Vida do Inicio pela Simplicidade


xxx
Instead of developing from complex molecules such as RNA, life might have begun with smaller molecules interacting with each other in cycles of reactions. These might have been contained in simple capsules akin to cell membranes, and over time more complex molecules that performed these reactions better than the smaller ones could have evolved, scenarios dubbed “metabolism-first” models, as opposed to the “gene-first” model of the “RNA world” hypothesis.
xxx
1- Panspermia
xxx
Teoria da Origem da Vida pela Panspermia

Teoria da Origem da Vida pela Panspermia


xxx
Perhaps life did not begin on Earth at all, but was brought here from elsewhere in space, a notion known as panspermia. For instance, rocks regularly get blasted off Mars by cosmic impacts, and a number of Martian meteorites have been found on Earth that some researchers have controversially suggested brought microbes over here, potentially making us all Martians originally. Other scientists have even suggested that life might have hitchhiked on comets from other star systems. However, even if this concept were true, the question of how life began on Earth would then only change to how life began elsewhere in space.
xxx
8 – Evolução Biológica Como Continuidade da Evolução Cosmológica (Matrix/DNA)
xxx
Nucleotideos = Galaxias = Células

Nucleotideos = Galaxias = Células


xxx
Diagrama do Software de um Sistema Fechado

Diagrama do Software de um Sistema Fechado


xxx
Ciclo Vital de Humanos e Astros Celestes

Ciclo Vital de Humanos e Astros Celestes


xxx
Comment Posted at Live Science Article:
Louis Morelli · New York, New York

There are 8 theories. The last one is “Matrix/DNA Theory”. It suggests a configuration of the building block of galaxies which is the same configuration of a pair of nucleotides, the building block of RNA/DNA. The astronomical building block in this figure is a perfect closed system that works like the best machine. But, attacked by entropy the whole system is fragmented in its “bits-information”, in shape of photons, which are radiated by stars and planet’s nucleus. These photons penetrates atoms of planets surfaces and when there are good conditions, the photons drive the atoms to new combinations reproducing the astronomical system, which final results is the cell system, which has the same configuration of the astronomical building block. Them the theory suggests that the network of photons works like a software, showing the diagram of this software and suggesting that the Universe is like a computer, where Evolution is resulted from the entropic cycles with feed-back between the lightning software and the massive hardware. The theory is surprising because it shows how all life’s properties can be performed in a mechanic arrangement like in astronomy, and electro-magnetic spectrum of light. If you want see the figures, search “the universal matrix.com”.
xxx

A Luz Que Vem da Matrix/DNA Para Anima-lo(a) Nesta Semana

domingo, março 4th, 2012

Observar o espectro que captamos nas telas do computador das ondas de luz, com a visão e o entendimento da nossa mente, nos causa uma sensação profunda de paz com o mundo, de esperança no futuro, de entendimento dos fenômenos e eventos que existem ao nosso redor. Um raio de luz se propaga em sete diferentes formas de frequências, de vibrações, (do raio gama ao raio X), assom como seu corpo após ter nascido se propagou no tempo em sete primcipais formas: desde a forma da mórula, da blástula, do feto, passando pela forma de baby, da criança, do adulto… Assim como eras no momento que nasceste, inquieto(a) e peralta por que cheio(a) de energia meio descontrolada, assim é um raio de luz quando parte de sua fonte emissora na sua mais alta frequência causando os temidos choques na matéria. Mas no final um raio se decompõe em fragmentos, os fótons, assim como nossos corpos no final se decompõe em seus fragmentos.

Observe a figura abaixo (clique nela para ver ampliada):
xxxx
…………………………………Luz – O Espectro Eletro Magnético pela teoria da Matrix/DNA…………………………………….


xxxx
Esta onda, ou raio de luz, representada na tela, tem origem em alguma fonte que se situaria na parte direita da figura e que não está aí. Na faixa onde estão os nomes das formas do corpo humano sob um ciclo vital, no lugar dessa fonte à direita estariam nossos pais. Na faixa dos nomes dos astros celestes, nêste lugar estaria um nucleo galático. Observe na faixa mais abaixo a sequência das côres da luz. Pergunto: porque os antigos orientais, a milhares de anos atrás, que nunca viram tal gráfico, desenharam a aura humana na mesma exata sequencia de côres? Pode ter sido porque viam essa mesma sequência das côres nos arco-íris e suas imaginações teriam elaborado uma teoria da aura, mas com o conhecimento que temos hoje a lógica sugere que esta sequência existe trilhões de vêzes repetida em nosso corpo, desde os fragmentos dos genes, do DNA, das moléculas de proteína. Assim como você sente que possue algo ao qual denomina de “mente”, que não consegues ver, apalpar, mas sabe que existe porque é uma fôrça que influe no seu corpo e dirige seu corpo segundo suas decisões, a Luz é algo invisivel que adentra tôda a matéria inerte do Universo, e ao vibrar naquelas diferentes frequências dentro da matéria a faz animada e a se organizar em formas modeladas por aquelas vibrações. A Luz Natural carrega em si um ciclo vital e com êle ela contem o código da Vida, é a fonte primeira da Vida, ela é a base primordial viva, ela cria a Vida. Quando ela atinge os astros celestes ela os conforma segundo um ciclo vital, o mesmo fazendo depois com os corpos humanos como podes ver na figura seguinte:
xxxx
"Luz - O Espectro Eletro-Magnético pela Teoria da Matrix/DNA"
xxxx
É certo que a figura acima é “teórica”, que foi elaborada pela minha imaginação, mas ela foi baseada em calculos dirante 30 anos, em milhares de tentativas de conectar todos os dados, informações coletadas pelo nosso método cientifico e/ou percebidas empiricamente, e ela tem nos ultimos 20 anos acertado mais em suas previsões que qualquer outro modêlo teórico astronomico. Seja como for, ela faz sentido, é de uma lógica irrefutável, ela explica as origens das sete formas principais de astros celestes. A Luz natural teria se infiltrado no primeiro corpo celeste que emergiu da nebulosa de átomos a 13 bilhões de anos atrás e o animado, levando-o a se transformar, a completar um ciclo vital, e depois torceu êste ciclo final unindo suas duas pontas, criando assim o primeiro sistema natural que surgiu no mundo. Onde tudo o que o nosso corpo faz, até a maravilhosa engenharia da reprodução sexual, já era realizada numa forma eletro/magnética/mecânica, nos céus, muito antes das origens da Vida na Terra. Ao descobrir isso e observar essa figura pela primeira vez numa madrugada e isolado em plena selva, sentí um arrepio frio pelo corpo, levantei os olhos para o céu límpido e estrelado da Amazônia, fitei as profundezas escuras do imenso Universo que se descortinava à minha visão, e meus olhos se encheram de lágrimas, mas lágrimas de alegria, de maravilhamento. Quem havia fugido para a a selva porque não mais suportava o mundo aqui fora, de repente renasceu e com muito mais vigor para o estudo e o trabalho, com muitas esperanças, pois tinha as provas agora de que não sou mera verruga incongruente que nada teria a fazer no Universo como pensava antes, não sou mero virus que incomodaria um Universo inamistoso que logo faria algo para me eliminar, não sou aquêle que na adolescência ainda me sentí um fraco e reles produto da Natureza e que tinha de ter a dignidade de me retirar do mundo sem me reproduzir, não reproduzindo o que é fraco, sem utilidade para a Evolução e o Universo, e para evitar à Evolução o trabalho de me descartar na sua seleção natural. Naquela madrugada na selva eu me ví conectado ao mundo e sentí que o Universo investira em mim e estaria conspirando para me empurrar à frente, ao menos a minha ultima forma evolutiva, a mental, rumo à formas transcendentes. Hoje continuo sem nada, na mesma condição de menor abandonado que era na infancia, mas continuo tendo vigor para trabalhar no pesado e nas horas vagas estudar com afinco e alegria por existir. Talvez êste seja o segrêdo que me me manteve nos ultimos 30 anos, desde aquela noite na selva quando observei estas figuras pela primeira vez, de nunca ter precisado tomar um comprimido sequer, pois meu corpo nunca adoeceu nem com um resfriado, apesar da vida desregrada que continuo levando. E isso, apenas essa dádiva, uma enorme energia e um indescritivel bem-estar fisico, uma constante alegria, apesar de uma vida semenhante a de um escravo, a de uma bactéria débil perante a imensidão dêste Universo, é isso e apenas isso que me faz vir aqui e tentar lhe transmitir essa mensagem. Eu o(a) necessito forte, livre. com vigor e mente aberta para o mundo, pois preciso de sócios(as) nesta empreitada de seguir à frente arrancando da Natureza todos seus segrêdos até atingir seu leito de pura luz, nesta aventura jamais realizada pelos seres humanos, e uma andorinha sózinha não faz verão, bem o sabes.

Observe na figura da luz que o espectro em “hertz” apresenta as duas grandes margens laterais em negro. As faixas de côres visiveis estão confinadas no meio. E agora lembre-se que as ultimas grandes teorias cientificas estão tôdas chegando à mesma conclusão: No Universo a matéria visivel é apenas 10% e parece que os outros 90% é matéria escura, ou como dizem “dark energy”. Será mesmo que o Universo material está assentado, mergulhado num infinito oceano de substancia amorfa, inerte, sem sentido, sem cor? Me lembro quando na escuridão de cavernas na selva eu virava o facho de luz da lanterna diretamente para meus olhos. Ou quando numa noite qualquer a caminhar na rua focava diretamente os faróis de um carro. Meus olhos cegavam, fechavam-se rapidamente e tudo ficava na mais copmpleta escuridão. Voltemos agora ao Universo e seus 90% de escuridão. Será mesmo escuridão? Ou o Universo está banhando num infinito oceano de luz tão intensa que nos cega os olhos e até nossos mais importantes aparelhos ópticos? Energia escura ou luz natural, original, talvez material?

Quando observo a luz natural com êste novo entendimento, quando lembro que ela carrega o código fundamental da Vida, tudo à volta adquire um significado lógico, racional, e suspeito que tudo faça parte de uma extraordinaria engenharia de uma inteligencia mil vêzes superior a que é possivel ao meu pequeno cérebrosinho. Não sei qual é, não faço a minima idéia do que seja, a fonte primeira de toda luz natural. Pode ser um Universo antigo ou desaparecido que renasceu num Big Bang, pode ser um mero vórtice turbilhonar no infinito contendo universos como num buraco negro, mas seja o que fôr essa fonte primordial, a obra que observo sugere que essa fonte contem muita inteligencia. Seja o que for a fonte original emissora, ela estará lá, na direita do inicio de um raio de luz, e na mesma posição que estiveram meus pais carnais no dia da primeira manifestação do meu corpo carnal. Assim ela deve ter estado tambem quando surgiram as primeiras auto-consciências nêste planeta, na sua posição, à direita, como fonte emissora. Seja o que for esta fonte, pensem o que quiserem dela, mas tôda lógica nos leva a ela, e quando dela nos aproximamos assim, desarmados de todos nossos julgamentos, sentimos que estamos levantando nossas mãos e tocando os arredores dessa fonte, e não existe vergonha alguma quando confesso que sinto que assim me parece que estou tocando as vestes ou as sandálias dos pés de Deus.

Estou agora concentrando minhas investigações na LUZ. Busco desesperadamente todo dia na Internet e nas bibliotecas universitárias quaisquer publicações vindas de quem quer que seja, de qualquer corrente do pensamento, mas principalmente qualquer nova descoberrta cientifica, sôbre a luz. Nela estou me concentrando com tôda minha energia que sobra do trabalho diario pesado. Porque? Porque sou um ser fraco, chorão, pidonxo. Me sinto como um mero virus ou como uma pequenina bactéria deve se sentir dentro de um corpo humano. Temos 10 bilhões de células em nosso corpo que “não” nos pertence realmente, são micro-organismos que não fazem a menor idéia do que é o ser dentro do qual existem. Mas e se estes micro-organismos tivessem a inteligencia e conhecimento que nós humanos já temos? As bactérias dos intestinos bem poderiam suspeitar que existe as regiões do pancreas onde existiriam outras formas de vida, quer dizer, de bactérias, assim como nós humanos estamos suspeitando que em outros sistemas estelares bem podem existir outras formas de vida. Poderiam suspeitar que exista em algum outro lugar uma consciência como a dêles, ou até mesmo maior e superior, e estariam corretas estas bactérias, pois os corpos humanos a possuem. E quando assim corretamente suspeitassem, perceberiam que todos seus problemas, todas suas dificuldades nas suas vidas, seriam resolvidas se conseguissem encontrar ou estabelecer um canal de comunicação com essa mente superior. Então nós humanos captariamos reinvidicações vindas do nosso pancreas ou estômago tais como: – “Precisamos de mais cobalto, êle está na alface, come mais alface!”. Dos intestinos podia vir: – “Gostamos de bolo de chocolate, coma bolo de chocolate senão entramos em greve e paralizamos o tráfico por aqui!”.

Muitas pessoas a já alguns milhares de anos suspeitam disso tudo, formaram em suas imaginações essa nossa imagem de micro-seres vivendo dentro de um alguma forma de ser universal, como pequenas mentes auto-conscientes vivendo dentro ou nas margens de alguma super mente auto-consciente. Mas assim como nossas mentes humanas sabe hoje que existem as bactérias internas mas não tem a menor sensibilidade para conhecer cada população de bactérias em seu corpo, muito menos para saber o que acontece a cada momento com uma unica dessas bactérias, qual o seu estado atual, qual está sendo suas condições de vida, o que ela está precisando que eu poderia fornecer sem muito esforço me custar para que ela realize melhor seu trabalho e assim meu corpo todo esteja tambem melhor… talvez assim tambem seja essa possível mente universal em relação a nós, humanos. Estas pessoas acreditaram que a forma de chamar a atenção de uma mente superior seria as orações com fé, e até mesmo algumas se miram nos exemplos dos embriões que esperneiam e chutam a barriga de suas mães quando querem algo, para edificarem templos onde vão e ficam gritando, chorando, tudo para tentar chamar a atenção e alcançar os ouvidos, a percepção, de alguma mente superior. Por meu lado tentei isso tambem quando criança e jovem, mas concluí que êsse método nunca surtiu efeito, sempre com os mesmos problemas financeiros e ficando às vêzes tão doente que necessitava internações hospitalares, e tenho buscado outros métodos. Elaborei um método muito complexo de meditação imaginando a minha mente esperneando para chamar a atenção e adentrar uma onda de luz natural, tenho repetido-o sempre que as coisas se tornem piores por aqui, mas seja mera imaginação ou um método realmente mais eficaz, acho que os resultados espetaculares de saude, de energia, de alegria e esperanças na vida, que tenho obtido, são demasiadas e materialmente inexplicaveis para o ser débil que sou. Por isso acho que as evidências estão apontando que estou no caminho certo. A Luz… ela pode ser o elo entre nós e Deus, ou seja lá que nomes queres dar à fonte primordial, à talvez existente consciência cósmica que provavelmente existe por aí. Que esta fôrça esteja convosco tambem,… é o que sempre peço gritando quando esperneio e chuto mentalmente a barriga desta consciencia cósmica, pois cheguei a um ponto da evolução em que uma andorinha sózinha não fará mais verão algum, e o (a) necessito forte lutando ao meu lado.