Archive for março 25th, 2012

Árvores: Mecanismos e Processos Naturais Para Tecnologias

domingo, março 25th, 2012

O meu maior ideal é observar a Natureza, elaborar questões destas observações, obter hipóteses, testar experimentalmente estas hipóteses, pois as aprovadas ensinam mecanismos e processos, os quais fazem evoluir nossa tecnologia e ciências. Se não posso observar e fazer experimentos, num dia de chuva por exemplo, e se tenho os recursos para tal, devo fazer quaisquer tipos de experimentos mesmo sem hipóteses, como misturar ingredientes, cozinha-los, expô-los a descargas elétricas, etc. Apenas o conhecimento da Natureza nos libertará e nos levará à nossa transcendência. Desde criança gostava de ficar absorto em pensamentos observando as coisas do mundo e me fazendo perguntas, acho que isso mais tarde me fêz arrolar a tecnologia e ciência como justificativa para continuar essa observação. E isto me fêz ler ainda na adolescência tudo o que podia sôbre ciências, inclusive os pesados volumes dos cursos universitarios. Por exemplo, depois de 40 anos encontrei velhos cadernos da adolescência, e transcrevo aqui uma daquelas “histórias”. Note que isto foi antes de me aventurar na selva amazônica para estudar sistemas naturais, de cujo estudo a teoria da Matrix/DNA foi um dos resultados.

Observação de uma árvore: descobertas, questões e hipóteses

Estou esperando ônibus na parada da calçada. Observo agora operários jardineiros descarregando de um caminhão mudas grandes de árvores a serem plantadas nas covas das calçadas. As árvores são de dois metros, galhos curtos e amarrados, e suas raízes estão imersas numa espécie de vaso cheio de terra. Então penso: estas árvores estavam mortas e vão ressuscitar? Não. Depois de retiradas da terra continuaram a captar a luz do sol e absorver ingredientes daquela terra. Mas como suas raízes vão agora crescer na direção da terra nova? A árvore perceberá que tem terra ao redor? Não. Acho que no vaso as raízes foram interrompidas de crescer por atingirem limites. Mas agora a árvore voltará a crescer em seu tôpo e nas suas raízes. Como as raízes despertam para a existência da nova terra? Comandos da árvore? Não pode ser, a árvore não poderia saber que estava sem terra e agora tem terra. E ela não tem recursos para exercer comandos. Então,… são os galhos para cima e as raízes para baixo, que crescem por si mesmos? Mas como? Que propósito teria um mero punhado de átomos em crescer?

Nisso o operário joga àgua na árvore replantada. Hum… o que faz a água? Ela chega nas raízes, penetra-as, amplia cavidades, entra terra que faz crescer? Não. Água tem oxigênio, êste é oxidativo. ( Hoje, depois de conhecer os modêlos da Matrix/DNA eu acrescentaria: O Oxigênio é o agente da degeneração que leva ao enfraquecimento e morte. É o agente da entropia. Na fórmula da Matrix/DNA é a face direita, o trecho final do circuito sistêmico).

Então quando o oxigênio penetra pelos poros das raízes, começa a enfraquecer suas células. As células sentem o desbalanço, o desequilibrio. Mas a tendencia maior da matéria é buscar o equilibrio termodinamico. Então o oxigênio estimula as células e seus átomos a extraírem energia dos átomos da terra nova para reporem seu equilibrio. Não sei como e porque absorvem massa tambem. Pelo que sei, átomos não atraem, não absorvem massa. Preciso buscar informações para isto.

Mas agora estou percebendo uma coisa nova. Árvore não é um ser vivo! O que é vivo na árvore são suas células. As células das fôlhas que captam energia do sol, células das raízes que captam ingredientes, massa. E nisto se resume a existência das árvores? Um pacote de células vivas? Serão elas sistemas, ao menos? Sim: possuem partes interagentes e um circuito de seiva. Mas elas tambem se reproduzem. São as árvores que se reproduzem ou são suas células? Bem, são suas células. Acontece que quando uma célula é sexual, ou seja, um gameta, como um polen, e é levada por ação do mundo externo para perto da sua contraparte feminina, as duas partes automaticamente se unem, por simbiose. A partir daí fazem o que tôda célula faz: se reproduzem. Raios…mas aí estão se reproduzindo separadas e em outro lugar. Significa que a árvore está se reproduzindo. Bem… a árvore está sendo reproduzida como mero efeito da reprodução das células, não porque ela exerça alguma atividade para se reproduzir. Acho mesmo que não é um ser vivo.

Qual será que surgiu primeiro: a célula vegetal ou a animal? Isto explica a diferença entre a vida e a não-vida?
(Hoje em dia eu teria aqui acrescentado: “Bem… a célula vegetal é cópia mais fiel e completa de LUCA. Se a animal veio depois isto significa involução. Não creio que surgiu primeiro uma célula quase viva que não era ainda nem vegetal, nem animal, e depois se dividiram. Porque razão uma teria perdido o cloroplasto da fotossíntese? O mais certo é que tenha surgido uma célula sem cloroplasto, que se alimentou da quimiosintese, aí se separaram em habitats diferentes, uma adquiriu os cloroplastos mas estagnou aí sua evolução, a outra não tinha cloroplastos no ambiente, mas evoluiu porque buscou outra alternativa. Bem… os modêlos da Matrix/DNA sugerem que a célula vegetal veio primeiro, mas preciso voltar a rever o capitulo sôbre origens, as células sem nucleo, o genero alcaea, procariontes, etc.)

Por enquanto, destas observações e questões, alguma hipótese para experimentos? Oxigênio. Experimentar pôr oxigênio em tudo quanto for substancia e observar efeitos. Talvez descubra como fazer coisas crescerem por si mesmas, outras alem de plantas. O que acontece quando oxigênio ataca átomos de ferro? Enferruja. Não cresce. Mas… algum átomo cresce? Quando aborve mais particulas êle muda de forma, espécie, deixa de ser o átomo anterior. Ou seja, parece que átomo cresce, mas a humanidade não quer que êles cresçam. – “Você não é mais ferro, agora és tungstênio” – dizemos. Como dizemos: você agora não é mais criança, é um adulto. Só que o humano não deixa de ser humano, mas em nosso conceito, apesar do tungstênio continuar sendo átomo, êle surge separado como espécie, do ferro. Preciso consultar os livros de Fisica e saber mais disso. Por enquanto vou ficar com a hipótese de que átomos crescem. Assim se resolve a questão do porque um punhado de átomos, chamado célula, cresce.

Mas porque o oxigênio faz um punhado de átomos crescer, quando formam uma célula, e faz um átomo isolado, diminuir? Carbono, nitrogenio, hidrogênio, oxigênio…, fósforo… são átomos da célula. A diferença entre êles e o ferro é que êles são átomos leves, com menas partículas, e o ferro, átomo pesado, muitas particulas. Então…, então,….raios, já estou chegando em casa e nem me percebí que tinha entrado no ônibus, paguei a roleta?… paguei…. Depois continuo esta formulação de questões obtidas observando aquelas árvores… espero que daí saia boas hipóteses, experimentos, e algum produto tecnológico. – “Uau… aquela vizinha boa desceu do onibus… mas espera aí… ela veio sentada do meu lado pois me pediu passagem… e nem me toquei, não conversei! Acho que ela nunca mais vai olhar na minha cara…mas ela tinha que entender: ela é tambem um fenômeno natural que merece atenção, mas a ela posso observar todo dia, fazer questões, hipóteses, e uma árvore sendo plantada só vejo uma vez na vida…”

Como seria bom ter uma tecnologia que fizesse coisas inanimadas crescerem, apenas deixando-as na terra regadas a oxigênio… Adubo, por exemplo. Notas de dólar… bem, de nada adiantaria aumentar o tamanho de uma nota de dólar, eu a perderia. Teria que arrumar um jeito de fazer elas se reproduzirem. Êpa… células se unem por simbiose e se reproduzem… se eu rasgar uma nota em duas metades e depois deixar uma perto da outra dormindo uma noite, vão se juntar e se reproduzirem? O que tem de diferente entre um corpo material que se reproduz e outro corpo material que não se reproduz, se ambos são meros punhados de átomos? Boa perg… ei… mas o que estou fazendo? Tentando enfiar o ticket do Metrô na fechadura da porta de casa! Porque fíz isso? Hummm… passei o dia inteiro viajando de Metrô, para a escola, depois fui no centro… Tôda vez que ia entrar tirava o ticket da carteira e enfiava no buraco da catraca, aí cheguei aqui pensando na árvore, oxigênio, tirei inconscientemente o ticket da carteira e tentei metê-lo no buraco da fechadura. Ainda bem que não entrou… ia ficar na rua hoje ou tinha que arrancar a porta. É… isso é a vida de filósofo naturalista.

Bem… antes de tomar banho deixa-me pegar papel e caneta e escrever como foi tôda a linha de raciocinio para depois corrigir o que errei, e anotar as questões para buscar respostas:

1) Porque dizem que árvore é ser vivo?
2) Sendo interrompidas de crescerem por falta de alimentos, qual o estímulo que fazem as raízes voltarem a se alimentarem e crescerem? É interno ou externo?
3) As raízes não sabem a diferença entre uma terra sem nutrientes de outra com nutrientes. Raízes não “comem”. O que dentro das raízes percebe e avança na direção de outros átomos chamados “nutrientes”?
4) Células não se motivam a crescerem. Células não têm propósitos? Para que quereriam crescerem? Então porque continuam a extrair nutrientes alem dos que lhe possibilitaram recuperar o equilibrio termo-dinâmico? Não faz sentido para mim… alguem sabe?
5) Sem as células saberem disso, é o seu crescimento que inventou a replicação, o qual evoluiu para a reprodução dos seres vivos. Mas se o crecimento, que é a causa primeira da emergencia do fenômeno da reprodução, não foi buscado pela célula… terá existido alguma fôrça natural externa à célula dirigindo-a num processo, com um propósito no futuro, o de criar o fenômeno da reprodução? Que questão interessante!… Filosofia, religião…
6) O que surgiu primeiro? A célula vegetal ou animal, ou ambas ao mesmo tempo? Houve separação? Porque?
7) Qual o numero atômico do ferro? Porque se oxida? Qual o átomo seguinte na tabela periódica?
8) Os átomos crescem, ou ao menos, se transformam? Sim… já se faz isso em laboratório. Mas estas transformações de formas tem outra fôrça causal que não a fôrça do ciclo vital que faz seres vivos se transformarem de formas? Se tem, como essa fôrça bruta física evoluiu para “processo do ciclo vital”?
9) Como posso obter oxigênio, gaz ou liquido, para experiências?
10) Tem como deixar oxigênio puro sob a luz do sol para observar os efeitos e questionar o que acontece quando a energia captada pelo alto, pelas fôlhas, se encontra no tronco da árvore, com os ingredientes captados no solo, pelas raízes? Não será essa união que produz a seiva?
11) O que é que os sistemas animados possuem – que faz duas caras-metades se unirem por simbiose – que os sistemas inanimados não possuem para terem a mesma propriedade?

Eu rí muito ao ler os velhos cadernos. Não rí destas questões infantís, pois na verdade, ainda não sei as respostas para muitas delas. Eu rí das trapalhadas que fazia por distração. As quais continuam. E na selva muitas vêzes quase me custaram a vida. Somos assim, os pensadores, como o do quadro abaixo ( Olha onde êle deixou o rifle!) :

O Cumulo do Distraído