Archive for maio 25th, 2012

Como entender a Natureza regida com um Propósito e pelo Acaso ao mesmo tempo

sexta-feira, maio 25th, 2012

O mundo se expande em ondas não-lineares que mexem e remexem a matéria produzindo tôdas as acidentais possibilidades, enquanto igualmente se expande através de uma seta linear que suporta e carrega um propósito pré-defenido antes do Big Bang. Esta nossa ultima descoberta de hoje! É uma guerra colossal que já se extende por 13,7 bilhões de anos e os dois adversários vencem as batalhas alternativamente: a seta do propósito e da fé sempre perfura e transpassa a linha territorial das ondas do acaso, enquanto a flutuação da onda sempre se lança à frente da seta estabelecendo novo território.

Alternãncia Entre Ondas do Acaso E A Seta do Propósito pela Matrix/DNA

Alternãncia Entre Ondas do Acaso E A Seta do Propósito pela Matrix/DNA

Êste processo tem um bom exemplo na alternancia dentro do ciclo evolutivo de todos os sistemas naturais, desde galáxias a seres vivos: alternancia da primeira fase onde o novo sistema é gerado como ôvo botado fora e a criatura é abandonada à própria sorte e a segunda fase onde se vê que na verdade o ôvo nunca tinha saído fora pois mantinha-se dentro de um sistema maior, protegido, nutrido e conduzido a sobreviver a todas as tragédias ao sabor do acaso. Porem, se no final de um ciclo evolutivo o sistema é transformado, transcendendo-se,  sua nova forma cai no reinicio de uma nova onda da evolução, um novo ciclo onde se vê como ôvo botado fora. E assim tem caminhado o Universo, e nós, estupefatos humanos, somos corpos-sistemas levados como a espuma sôbre as ondas de um oceano. Não sabemos se esta expansão terá um final, se haverá uma fôrça vitoriosa e outra derrotada, ou se desta guerra emergir uma terceira e superior fôrça, a qual, oxalá, seja como uma parteira que nos colherá nêste dia final que bem poderá ser chamado de “O Dia do Big Birth”. Oxalá… ou não.

Quando conviví com indígenas na selva me era insuportável seu exagerado e infundamentado misticismo. Para êles existem espiritos para tudo, a ponto de uma mulher ter arruinado a vida de um curandeiro simplesmente gritando que sua doença era produto de um feitiço despachado pelo xamã sôbre a tribo fazendo o velho pobre homem fugir para dentro da selva para não ser morto. Êste comportamento desviado do cérebro que recem produziu uma mente como nuvem embromada e sacudida pelos relampagos e raios das sinapses não seria inteligivel e aceitável pois nossa experiencia de vida atesta que o mundo se move pelo simples desenrolar de uma cadeia de causas e efeitos alternados com acidentes e tragédias mas tudo contido dentro da matéria natural, sendo que nunca se observou qualquer influência de hipotéticas fôrças sobrenaturais. Esta produção imaginativa cerebral não termina nos nativos porem tem resistido a tôda história da Humanidade sob a forma das religiões, e ainda hoje, sob o nome de “fé”, se sustenta influenciando a moral e os comportamentos sociais. A fé é a personificação na forma humana de um conceito que é abstrato mas que existe realmente como fôrça e com poder na matéria: a fôrça dêste misterioso universal “propósito”. Ela tem dominado nossa história como a seta que rompeu e ultrapassou a linha fronteiriça da onda que governou os animais irracionais ao acaso.

Mas um fenômeno real que estamos vendo acontecer nos dias de hoje sugere que esta seta está perdendo sua fôrça porque a forte linha de uma nova onda está se estabelecendo à nossa frente, apoiada no que se chama “secularismo”.

– ” O secularismo ditará os valores morais no século XXI”- disse ainda ontem Richard Dawkings, o inteligente cientista e líder dos ateus na luta contra as religiões. Mas quais são os valores que emergem com a visão de mundo secularista, os quais, dizem, substituirá os valores morais que sempre emergiram das religiões? A evolução é cega, rompedora, sem freios e nem regras. Num contexto espaço/temporal qualquer para onde convergem e atuam várias fôrças naturais, o efeito resultante final será modelado pela fôrça que atuou com maior intensidade, êste efeito será selecionado como dominante até que em novo contexto outra fôrça se imponha. Da mesma forma que o processo da evolução existe hoje, êle pode desaparecer do dia para noite deixando apenas uma lenda no tempo. Biológicamente a evolução tem sido carregada simplesmente pela tendência de moléculas irracionais denominadas “genes”, que por acaso é a tendência de se reproduzirem e se espalharem. Esta dispersão é um manancial aberto à ocorrencia de tôdas as possibilidades, por isso tantas formas de seres vivos existem.  Mas basta um pequenino desnível nas reações nucleares na gigantesca estrêla vizinha ao nosso planeta que tôda essa vida pode ser varrida para dentro do pote das lendas do passado em poucos minutos. O secularismo pode ser um produto imaginativo da psicologia humana mas antes é um fenômeno natural inevitável porque inevitável é o evento em que a onda do acaso sempre avança.

A nossa inteligência humana já deveria estar o suficientemente crescida para entender e assimilar esta inevitabilidade, o que nos pouparia muitos dos desgôstos causados pelos conflitos entre antiquadas e disparatadas visões do mundo com suas crenças infantís. Num esfôrço para essa assimilação podemos usar o recurso de uma imagem, que vale mais que mil palavras. Observe a figura acima ( ainda muito mal desenhada porque nada entendo de desenho no computador, perdão):

Como interpretar esta imagem (clique nela se quiser vê-la ampliada):

Vamos supor que os modêlos teóricos da visão de mundo pela Matrix/DNA estivessem corretos, para que entendamos o que seria um mundo determinado por um propósito ao mesmo tempo que desfeito por acidentes. Os modêlos indicam que êste Universo, enquanto aglomerado de galáxias, nada mais é que uma espécie evolutiva nossa ancestral, se ainda se expande, ou mero fóssil de nosso ancestral quando deixa de se expandir, mas em ambos os casos, funciona como um ôvo cósmico em cujo interior está ocorrendo um processo de reprodução genética do sistema que havia, ou ainda há, antes e alem do Big Bang. Se é realmente um processo de reprodução, então indiscutivelmente, a evolução que observamos aqui tem um propósito, é dirigida para um resultado final, não se trata de mera força cega. Mas o ser que está sendo reproduzido parece ter sido agraciado com a propriedade do livre-arbitrio, inclusive com a capacidade de escolher se quer ser totalmente reproduzido ou se quer estacionar numa forma provisória. Ao menos é o que os modêlos indicam ao apresentarem as galáxias originais como sistemas fechados à evolução, e os sistemas biológicos vivos como sistemas abertos. Esta dicotomia entre propósito determinista x livre-arbitrio se projeta como setas da fé e ondas do acaso, como tentei projetar na figura.

Recorra sempre à cena certamente já vista por ti de ondas concentricas que se espalham a partir do ponto onde caiu uma pedra nas águas paradas de um lago. As ondas se multiplicam porque cada qual quando avança se enfraquece mas a fôrça invisivel que empurra as águas a reproduz em nova onda maior. Sempre quando a ultima onda avança vai levando os detritos acumulados nas ondas anteriores e adiciona a êles os novos detritos encontrados no território à frente. Entenda êstes detritos como sendo os tijolinhos dos compostos que vão se formando, e como tal êstes detritos são particulas-informação, pois dão suas formas aos compostos. Saindo do lago e retornando agora á imensidão do Universo o veríamos da mesma forma. A seta mais forte que apesar de se contorcer e mudar de direção continua sempre resistindo e furando as ondas representa as pegadas deixadas como história do Universo de um composto de detritos que tem resistido, avançado, superado as barreiras das ondas, e incorporado novos detritos encontrados pelo caminho. Êste composto carrega o propósito e ao aumentar de tamanho, transformar-se em diferentes formas mais adaptadas, vai aimentando em complexidade. Isto é “Evolução”.

Muitas vêzes, do composto do propósito surgem fragmentos, ramos laterais que por sua vez tentam se firmarem e ultrapassarem as linhas das ondas, mas revelam-se menos fortes e desaparecem. Representam as seitas e ramos das religiões que ora pipocam aqui e ali, fundam pequenas igrejas, convivem um tempo ao lado da catedral, mas sempre é a catedral que perdura. Representam as ideologias, talvez como o comunismo e o capitalismo selvagem, que são votos de fé, determinações de propósitos, mas quem perdura através dos tempos é o socialismo refletido pelos valores sociais.

A casualidade sempre vence e interrompe o avançar de uma seta de propósito. Quando o composto de uma seta olha para a frente, não vê os limites da onda onde se encontra, pensa que daí para frente só terá aguas livres por onde avançar. Porem a onda passa por cima e por baixo dos detritos e se planta desafiadora à frente. A seta do propósito que relaxou em seus esforços é colhida de surpresa e vencida. Mas quis a identidade do propósito universal que é maior que a fé, o propósito do composto, que sua meta nunca seja realmente vencida e por isso existe a reprodução sexual tal como ela é, onde os compostos na meia-idade lançam de si cópias reprodutoras, as quais se revigoram com nova energia e serão elas que vencerão a nova fronteira da nova onda. Nós humanos somos agora êsse composto, carregando nas costas o propósito do alem do Universo. As estrêlas pararam vencidas pela fatalidade do acaso, mas de cima nos espreitam, torcendo por nós, esperançosas de que levemos suas almas, as quais em nossas mensagens genéticas depositaram em suas meias-idades, para avançar sempre, pois todos queremos conhecer quem, ou o quê, criou o propósito e o acaso.

Os jovens nos bancos escolares estão no meio dessa guerra entre evolucionistas anti-religiosos e criacionistas anti-livre arbitrio. E se perguntam quem dos adultos estará com a razão, mas por pouco tempo, pois a nova onda do acaso selecionará as descobertas cientificas a serem mostradas como evidencias de que os secularistas estariam com a Razão.  Essa nova onda que é representada na figura com linhas tracejadas porque ainda está se consolidando, nos aguarda num futuro próximo. Mas o jovem avisado manterá seu pensamento livre avançando sem abraçar a fé e o propósito de um grupo de adultos, mas tambem sem temer as fatalidades do acaso acenadas pelo outro grupo. Ora assim êste jovem avisado deixa de ser um composto denso com fôrça suficiente para ultrapassar a linha da próxima onda? Não! Êle é o que está acima dos compostos, acima dos conflitos, acima das ondas e das setas, acima do propósito e do acaso… êle já é o embrião da fonte criadora do prósito e do livre-arbitrio.