Archive for julho 7th, 2012

Ontem o Sol Disparou Mais Um Bombardeio de Ondas Sôbre a Terra. Talvez Tenha efeito Sôbre o DNA.

sábado, julho 7th, 2012
The Solar and Heliospheric Observatory released this movie of the July 6

The Solar and Heliospheric Observatory released this movie of the July 6, 2012 (clique na imagem para ver animação)

Isto não é alarma propagandista de charlatões querendo assustar o povo. Todos os noticiários responsáveis de fontes cientificas fizeram questão de ressaltar:

“Satelites em órbita podem apresentar algum efeito. Telecomunicações na Terra podem serem afetadas. Em extremo e raros casos, rêdes elétricas podem sofrer um efeito. Haverá belas cenas auroras em algumas regiões. Chamas vindas do Sol não podem ferir seres humanos na superficie terrestre. Nossa atmosfera nos protege.”

Porem, observando os modêlos teóricos da Matrix/DNA, sentí enorme necessidade de ter disponível alguns equipamentos de laboratório para fazer uma experiencia testando uma possibilidade. Abaixo, no final dêste artigo, exponho uma  explicação mais detalhada.  O que quero dizer está resumidamente explicado no texto abaixo que divulguei em alguns websites que publicaram a noticia:

Tradução:

Louis Morelli says:
July 7, 2012 at 12:10 pm
” Chamas do Sol não podem afetar humanos na superficie terrestre.”
Talvez ocorra uma reação dos seres vivos, no nível do DNA. O sol está emitindo uma maior quantidade de fótons, êles viajam como ondas, isto é o que afeta as comunicações por ondas dos satélites. Se nossos modêlos teóricos estiverem corretos, os fotons solares foram os agentes que organizaram átomos no que denominamos “DNA-lixo”.  Consequentemente, se estas regiões do DNA forem invadidas por maior intensidade de fotons solares, alguns genes que têm estado desativados podem serem ativados e se expressarem. Existe um método científico para testar esta hipótese, mas eu não tenho acesso aos equipamentos de laboratório para executar esta experiencia.

De qualquer modo, cada vêz que o sol expele alguma coisa de sí, êle está se tornando diferente: mais leve, e tal como um velho homem, perdendo sua energia e configuração sistêmica. O efeito opôsto é que, a cada vêz que isto acontece, os corpos como os planetas em seu sistema estão absorvendo algo, portanto, tambem ficando diferentes. Talvez isto pode afetar o aquecimento global em algum nível. A lição aqui é que a espécie humana deve suportar e investir mais nas pesquisas cientificas, deve suportar instituições como a NASA e outros investigadores por outros métodos como aqui na Matrix/DNA, porque a Natureza continua se movendo, se transformando, e nosso lar planetário não será eternamente hospitaleiro.”
xxxx

http://earthsky.org/space/active-region-1515-on-sun-releases-x-flare/comment-page-1#comment-694194

EARTHSKY:  Active region 1515 on sun releases X-flare – Deborah Byrd JUL 07, 2012

Louis Morelli says:
July 7, 2012 at 12:10 pm

“Flares on the sun can’t harm humans on Earth’s surface.”

Maybe there is a reaction of living beings, at the level of DNA. The sun is releasing a bigger quantity of photons, they travel like waves, that’s why satellites communications undergo effects. If our theoretical models are right, these sun’s photons were the agents that organized atoms into which we call “junk DNA”. So, if these regions of DNA are invaded for more photons like those ones, some genes that are not usually being expressed will be activated. There is a way for scientific testing this hypothesis, but I don’t have the lab tools for doing it.

By the way, each time the sun expels something, it is becoming different: lighter, older, like a very old man losing its energy and systemic configuration. The opposite effect is that each time it happens, the bodies like planets of its system is absorbing something, so, they are becoming different also. Maybe this will affect global warming a little bit. The lesson here is that human kind can not stop the scientific researches, must support NASA and other seekers, because Nature is walking, transforming, and our planetary home will not be eternally hospitable.

Luz, Fótons, Estrêlas, e a Memória Dêles Registrada no “DNA”.

Luz - O Expectro Eletro-Magnético Pela Teoria da Matrix/DNA

Luz - O Expectro Eletro-Magnético Pela Matrix-DNA

Acho que tôda a matéria do Universo tem como sua maior tendência, se acomodar na inércia, num equilibrio termo-dinâmico. Se isto estiver correto, o que existe que impediu o Universo de “estacionar” há muito tempo atrás?! Acho que a primeira resposta seria: energia. A energia é dinâmica, incontrolável, tem a tendencia de se mover, etc. Parece certo. Mas acho que a energia precisa de algo, um meio, para se propagar. Parece-me que a Física já disse que ela não se propaga no vácuo. Êsse meio só pode ser massa, e como o meio-ambiente é sempre maior, contem todos seus elementos, a tendencia da massa terminaria se sobrepondo à tendência da energia. A informação de que massa é energia estacionada e energia é massa acelerada não alteraria aquêle resultado final, penso eu, por enquanto. Então qual o elemento desconhecido que impediu o Universo de avançar em tamanho e qualidade, como na evolução da matéria dentro dêle? Nunca ouví uma resposta, mesmo porque tambem nunca ví ninguem fazer tal pergunta.

Há tempos atrás meu exercicio mental me levou a supor que o Universo é como um computador, que é como o DNA, que é como nosso cérebro, no sentido de que todos são compostos de hardware e software. A existência de um software explicaria –  acompanhando a evolução que vemos na matéria –  explicaria porque a massa não consegue parar o mundo: todo hardware é acomodado mas absorve novas informações naturais, as quais são transmitidas ao seu seu software, o qual não é acomodado, então escapa do hardware onde está prêso e faz a matéria construir um hardware mais sofisticado que possa operar as informações novas. O novo hardware na verdade tambem nunca se acomoda porque as informações naturais do software o penetram, assim êle desenvolve seu novo software… o qual vai desenvolver seu novo hardware… um eterno processo de feed-back que seria a fôrça oculta por trás do processo da evolução. Bonito? Eu acho, mas nem por isso posso me esquecer que tudo aqui é teoria, não pude provar nada ainda, se é que o comando de instruções no DNA, e a mente no cérebro humano, já não provam essa idéia do software universal.

Mais tarde, quando eu tentava ver como seria os canais de interações entre as partes dos sistemas naturais que conhecia (células, árvores, corpos humananos, galáxias, etc), por distração desenhava à parte os traços d6estes canais, e comecei a perceber que o resultado era uma espécie de circuito como os diagramas de circuitos elétricos caseiros e industruiais, mas qual não foi minha surprêsa quando de repente notei que a imagem final de um circuito de sistemas naturais batia exatamente com aquêles diagramas de softwares computacionais que havia visto num livro de computação.  Foi duro acalmar a confusão na minha cabeça, tinha que me acalmar e por os pensamentos em ordem para tentar entender o que aquilo significava.   O “meu teórico software” se fêz na prancheta, e parecia ser a sombra de todos os sistemas naturais. Denominei a sombra de Matrix e resolví desenvolver/testar aquilo tudo.

Mais tarde, 30 anos depois de muitos neuronios queimados nessa luta, por acaso notei que a mesma imagem – que era a imagem do diagrama de software e ao mesmo tempo, a imagem dos circuitos dentro dos sistemas – se encaixava na imagem de um espectro eletro-magnético representado nas telas de um computador. Mas… aquela imagem na tela é o jeito que nossos instrumentos mecânicos percebem um raio, uma onda de luz. O que isto significaria?! Me parece qie o Universo é como uma rosquinha, um “donking donuts”, uma esfera densa com um buraco no meio, ou como seu nucleo central; nêste buraco existe uma fonte vibrante, emitindo vibrações, as quais se expandem na forma de ondas de luz. Cada onda nós humanos dividimos – para nosso melhor entendimento – em sete principais tipos de “frequencias”. Isto porque quando uma onda sai da fonte ela sai forte, com elevada vibração, mas à medida que vai se diastanciando da fonte essa força vai diminuindo, e nós dizemos que diminui a frequencia de vibrações por um tamanho de espaço, um dado período. Em toda sua extensão estas ondas se quebram em fragmentos, ou se condensam em seus picos na forma de fragmentos, e estes fragmentos são vórtices fundamentais, os quais ( aqui apelei á Física do mestre Yukawa explicando a “cola nuclear”), se juntam formando bosons, leptons, quarks, superparticulas e assim por diante. Tudo teoria, mas enquanto a teoria não fôr derrubada eu não consigo controlar seu crescimento. Assim despontou a hipótese  de que aquela coisa misteriosa que impediu o Universo de parar são ondas de luz original emitidas por aquela hipótetica fonte no centro da rosquinha… ou talvez “numa outra dimensão, num outro lado do Universo”. Sou até tentado às vêzes a imaginar que essa fonte seja uma super-consciência viva, e daí me dá vontade de chama-la Deus, mas logo me corrijo porque me lembro da humanidade e outros seres vivos sendo torturados, de pequenas consciencias dentro das cabeças de humanos sofrendo, e não creio que um pai todo-poderoso se permitiria ter filhos, ou particulas de si mesmo, sob sofrimento. E sempre que alguem apresentou uma nova idéia de um novo deus, gerou um bando de seguidores que só fizeram m… Chega de deuses! Mas a idéia de que é a luz original, natural, que mantem a matéria do Universo em movimento, persiste.

E o que tem isto a ver com a emissão de chamas do Sol alcançando a Terra?

O sol seria, a meu ver, uma estação longinqua primitiva repetidora daquela fonte universal central. Assim seriam todas as estrelas, e todos os planetas, que possuem estrelas incubadas. Seria algo como dizer que as sete bilhões de consciências humanas hoje operantes na Terra são estações repetidoras, porem mais sofisticadas, da consciência primordial que despertou no primeiro primata. Portanto o sol tambem emite ondas de luz, uma luz mais grosseira que a original, menos pura, mas a qual continua sendo luz, que se quebra em particulas fotons, e talvez outras mais. Mas não se esqueça, como teorizei acima, que cada onda de luz é uma cópia da Matrix, carregando uma cópia do diagrama do software. E na Terra existem zilhões de corpos organizados como sistemas, de átomos a corpos humanos, e todos baseados no mesmo diagrama de software, salvo as diferenças de complexidade, porque a Matrix se encontra sob evolução ( se lembra do feed-back entre hardwarfe e software?). Acontece que o sol é como a Terra, ambos são como uma cebola, formados por camadas, regiôes de matérias diferenciadas entre si ( quer dizer, isto tambem é apenas uma forte teoria porque nunca ninguem viu o interior do sol). E a cada época êle deve apresentar uma maior atividade se processando numa especifica camada, o que significa que a cada época êle manda um tipo diferente de fótons, porque estas camadas seguem a formula da luz, que é dividida em frequencias, e cada frequencia tem um tipo de fotons com sua intendidade especifica de vibração.

E aí êstes fotons penetram a matéria terrestre, ao menos as menos densas, como a carne humana. E aí encontram o DNA. Mas o DNA em si mesmo é mais uma cópia de sistema natural, êle tambem tem suas regiões divididas de acordo com as frequencias da luz, de acordo com as partes do diagrama do software-matriz. Nos seus primórdios acho que êle começou fixando as frequencias mais lentas da luz na forma de moléculas, e hoje estas moléculas são aquelas compreendidas nos 95% do DNA que denominam “lixo”.  São regiões que registram o passado. Mas que passado? Aquêle periodo referente à abiogenese, ou depois da formação dos aminoacidos? Não, pois estamos vendo – na teoria aqui – que o software é um só, tem 13,7 bilhões de anos, então o passado está lá nos primeiros bilhões de anos. Quando estavam se formando as estrêlas… como o Sol. Por isso vejo um casamento entre os fotons do Sol e os fotons contidos na região do DNA lixo.

Mas acontece que foram os fotons que trouxeram o software, o diagrama, foram eles que penetraram os atomos terrestres a 4 bilhões de anos atrás e produziram o DNA biológico. Os fotons do passado hoje estão dormentes no DNA-lixo, mas se vem uma nova onda dêles, ainda ativos no Sol, e encontram seus camaradas dorminhocos aqui… pode ocorrer uma reação… o que em genética se chama de expressão de genes.

Será que esta primeira, grosseira, e apressada abordagem, comunica o que penso que estou lendo e entendendo na fórmula da Matrix/DNA? E será que algum leitor vai conseguir ou ter o “saco” para ler isto até o fim?  E se aparecer algum herói, maluco como eu, vai entender ou interpretar como eu interpreto isto tudo?

Será que se cientistas botarem cameras filmando DNA de ratos na estação espacial, dentro ou fora dela, quando a estação for atingida por esta emissão do Sol, os filmes não revelariam uma repentina nova reação na região adormecida do DNA? Seria dificil acontecer isto num laboratório aqui devido o escudo da atmosfera, mas se não houvesse nada a perder, eu gastaria meu tempo nêste teste. E se por acaso alguma das doenças humanas, ou ainda alguns dos efeitos do aquecimento global, sejam produtos destas emissões? Estaria mais do que recompensado o tempo gasto, concordas? Estas minimas possibilidades é que me fazem continuar esta teoria até ela ser derrubada ou até meu ultimo suspiro de vida.